curso_tecnico_agricultura_ementa

Document Sample
curso_tecnico_agricultura_ementa Powered By Docstoc
					                                                                      Ementas

Unidade curricular       Período                               C. H. semanal                 Carga-horária total
Introdução à Metodologia 1º Sem.                               1                             16
da Pesquisa
Área                     Subárea                               Função                        Subfunção

Competências                                 Habilidades                                     Bases Tecnológicas
- O aluno deverá ter conhecimento sobre      - conhecer as normas técnicas para o            - formato;
as normas para a construção e o              desenvolvimento de trabalhos;                   - elementos pré-textuais;
desenvolvimento de trabalhos científicos     - saber utilizar as normas, conforme o          - elementos textuais;
e também capacidade de escrever              trabalho a ser desenvolvido;                    - elementos pós-textuais;
trabalhos.                                   - ter a capacidade de diferenciação entre       - tipos de pesquisa;
                                             os mesmos.                                      - projeto de pesquisa;
                                                                                             - instrumentos de coleta de dados;
                                                                                             - estrutura de apresentação do trabalho;
                                                                                             - organização do corpo de texto.
Bibliografia Básica referente:
GALLIANO, A. G. O Método Científico: teoria e prática. São Paulo:Harbra, 1986.
GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar: Como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. 2. ed. Rio de Janeiro:
Record, 1998.
LAKATOS, E. M; MARCONI, M. Metodologia Científica. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 1991.
VERA, A. A. Metodologia da pesquisa científica. Porto Alegre: Globol, 1976.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular      Período                                C. H. semanal                 Carga-horária total
Ètica,  Legislação    e 1º Sem.                                2                             32
Segurança no Trabalho
Área                    Subárea                                Função                        Subfunção

Competências                                 Habilidades                                     Bases Tecnológicas
- O aluno deverá ser capaz de organizar      . diagnosticar a realidade rural;               - noções de educação e ensino;
as atividades administrativas, promover o    . caracterizar os grupos da comunidade          - a família como geradora da principal educação;
desenvolvimento próprio, da família, do      rural;                                          - a interação com o meio ambiente;
grupo, da comunidade e do país,              . praticar a ética profissional no dia-a-dia;   - o grupo e a comunidade formadora da sociedade;
diagnosticar as organizações sociais e       . captar e interagir com os métodos e           - a ética fundamental;
seus aspectos culturais, conhecer o inter-   costumes do meio rural;                         - a existência ética;
relacionamento entre os grupos.              . ser comunicativo com o seu público;           - o juízo de fato e o valor;
                                             . ter um bom relacionamento interpessoal;       - os constituintes do campo ético;
                                             . caracterizar os riscos do trabalho rural;     - a ética profissional;
                                             . ter consciência da preservação do meio        - introdução à moral;
                                             ambiente;                                       - o ato moral;
                                             . distinguir a necessidade de cumprir o         - o dever e a liberdade;
                                             determinado pelas leis que regulamentam         - o comportamento humano;
                                             a profissão;                                    - as relações interpessoais;
                                             . aplicar as leis trabalhistas.                 - o homem e o grupo;
                                                                                             - a inter- relação social;
                                                                                             - os processos sociais básicos;
                                                                                             - a legislação;
                                                                                             - o legislador;
                                                                                             - as leis e os decretos;
                                                                                             - as leis de proteção ambiental;
                                                                                             - as leis de regulamentações profissionais;
                                                                                             - a política ambiental;
                                                                                             - a segurança do trabalho;
                                                                                             - o trabalhador rural;
                                                                                             - os fatores de riscos ambientais rurais;
                                                                                             - os acidentes de trabalho;
                                                                                             - a segurança ocupacional rural;
                                                                                             - as principais fontes de riscos;
                                                                                             - a higiene ocupacional rural – defensivos agrícolas;
                                                                                             - saúde ocupacional.
Bibliografia Básica referente:
CHAUI, M. Convite à Filosofia. 10ª ed. São Paulo: Àtica, 1998.
SEVERINO, A.J. Filosofia da Educação. São Paulo: FTD, 1994.
Revista Mundo Jovem. Ed. Mundo Jovem. Porto Alegre.
Revista Senac. Higiene e Segurança no Trabalho. Senac - ARMG. Belo horizonte, 1986.
Manual básico de segurança no trabalho. Copel. Curitiba. 1998.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                           Período           C. H. semanal                 Carga-horária total
Noções de Informática                         1º Sem.   2                                   32
Área                                          Subárea Função                                Subfunção
Competências                                  Habilidades                                   Bases Tecnológicas
- Compreender a importância da                - conhecer sistema de hardware e              - o curso de noções básicas de informática deverá,
utilização da informática na área agrícola,   software;                                     proporcionar ao educando oportunidade de aprender,
demonstrando domínio e conhecimento           - compreender o sistema operacional,          transformando o processo pedagógico num processo de
no uso do computador: sistema                 gerenciador de arquivos - windows             aprendizagem, estimulando a criatividade e o
operacional, editor de texto, planilhas       explorer;                                     desenvolvimento para a busca de conhecimentos na
eletrônicas, slides e internet.               - conhecer e utilizar aplicativos do word e   área de informática, observando e entendendo os
                                              open office;                                  principais conceitos e técnicas como:
                                              - elaborar arquivos em editor de texto,       - noções sobre os tipos de equipamentos;
                                              formatar e salvar, conforme normas abnt;      - microcomputadores;
                                              - desenvolver e utilizar planilhas            - periféricos de entrada e saída;
                                              eletrônicas voltadas para o gerenciamento     - noções sobre sistema operacional e pacotes genéricos;
                                              agrícola;                                     - gerenciador de arquivos windows explorer;
                                              - utilizar os aplicativos em apresentação     - processadores de texto ;
                                              com ênfase à agricultura.                     - arquivos;
                                                                                            - noções dos recursos de formatação ( fonte, parágrafo,
                                                                                            marcadores, tabelas, etc..);
                                                                                            - recursos de edição (copiar, colar, recortar);
                                                                                            - planilha eletrônica excel e open office planilhas;
                                                                                            - pastas;
                                                                                            - planilhas;
                                                                                            - formatação de planilhas;
                                                                                            - utilização de funções básicas;
                                                                                            - vinculação de planilhas;
                                                                                             - programa de apresentação windows 98 open Office;
                                                                                            - apresentações;
                                                                                            - slides;
                                                                                            - recursos de animação;
                                                                                            - conceitos básicos sobre www.
                                                                                            - navegador microsoft explorer;
                                                                                            - endereços na internet;
                                                                                            - recursos de edição como copiar, colar;
                                                                                            - recursos de pesquisa (sites de busca);
                                                                                            - noções da estrutura da internet, utilizando o internet
                                                                                            explorer,     serviços    básico     (correio    eletrônico,
                                                                                            transferência de arquivos).
Bibliografia Básica referente:
ABNT. Guia para Utilização das Normas sobre Avaliação de Qualidade de Produto de Software – ISO/IEC 9126 e ISO/IEC
14598, Curitiba: 1999.
BARSOTTI, R. A Informática na biblioteconomia e na documentação. São Paulo: Editora Polis, 1990.
CATAPULT, Inc. Microsoft Access 2 for Windows: passo a passo. São Paulo: Makron Books, 1994.
CIANCONI, R. de B. Banco de dados de acesso publico. Ciência da Informação, Brasília, v.16, n.1, p.53-9, jan./jun. 1987.
CUNHA, M. da. Bases de dados e bibliotecas brasileiras. Brasília: Edição ABDF, 1984.
HAHN, H.; Stout, R. Dominando a Internet. São Paulo: Makron Books, 1995.
KENT, P. Guia incrível da Internet. São Paulo: Makron Books, 1995.
MACROMÉDIA. http://www.macromedia.com/index.html
MORAN, J. M. l. Novas tecnologias e o reencantamento do mundo. Revista Tecnologia Educacional. Rio de Janeiro, vol. 23,
no.126, set. / out. 1995. In http://www.eca.usp.br/eca/prof/moran/novtec.htm
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca Central. Normas para apresentação de trabalhos. 5a. Ed. Curitiba: Ed.
da UFPR, v. 6, 1995.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                            Período           C. H. semanal               Carga-horária total
Legislação Agrícola                           1º Sem.           1                           16
Área                                          Subárea           Função                      Subfunção

Competências                                  Habilidades                                   Bases Tecnológicas
- Ao final do curso, o aluno deverá ser      - conhecer a legislação que rege o técnico      - noções básicas da legislação do técnico agrícola;
capaz de conhecer e interpretar a            agrícola;                                       - a família, como geradora da principal educação
legislação que rege a organização das        - conhecer as demais normas legislativas        ambiental;
atividades do técnico agrícola, bem como     que compreendem o meio rural;                   - a interação com o meio ambiente;
todas       as     demais       atividades   - diagnosticar a realidade rural;               - o comportamento humano e o meio ambiente;
administrativas    e     empreendedoras,     - motivar a si mesmo, à sua família e à         - as relações interpessoais;
promovendo o desenvolvimento próprio,        sua comunidade, para a questão do meio          - os processos sociais básicos e a resistência do homem;
da família, do grupo, da comunidade e do     ambiente;                                       - a legislação;
país; diagnosticar as organizações           - praticar a ética profissional no dia-a-dia;   - o legislador;
empresariais e sociais em seus diversos      - captar e interagir com os métodos e           - as leis e os decretos;
aspectos.                                    costumes do meio rural;                         - as leis de proteção ambiental;
                                              - ser comunicativo com o seu público,          - as leis de regulamentações profissionais;
                                             alertando-o sempre sobre a importância          - a política ambiental;
                                             da legislação da preservação da água;           - a segurança do trabalho;
                                             - ter bom relacionamento interpessoal;          - o trabalhador rural;
                                             - falar em público, caracterizando sempre       - os fatores de riscos ambientais rurais;
                                             a legislação em vigor;                          - a segurança ocupacional rural;
                                             - caracterizar os riscos do trabalho rural e    - as principais fontes de riscos;
                                             a legislação em vigor;                          -a higiene ocupacional rural – defensivos agrícolas;
                                             - ter consciência da preservação do             - saúde ocupacional.
                                             meio ambiente;
                                             - distinguir a necessidade de cumprir o
                                             determinado pelas leis que regulamentam
                                             a profissão;
                                             - noções das leis trabalhistas.

Bibliografia Básica referente:
Decreto Federal nº 90.922 de 06 de Junho de 1985, In:______. Manual do Profissional de Engenharia, Arquitetura e
agronomia. Curitiba: CREA-PR, 203
Decreto Federal nº 3.664 de 17 de Novembro de 2000. Disponível em:<http://www.fenata.com.br>. Acesso em:20 de jul. de
2004.
Decreto Federal nº 4.954 de 14 de Janeiro de 2004. Disponível em:<http://www.fenata.com.br>. Acesso em:20 de jul. de 2004.
Decreto Federal nº 4.560 de 30 de Dezembro de 2002. Disponível em:<http://www.fenata.com.br>. Acesso em:20 de jul. de
2004.
Lei Federal nº 10.831de 23 de Dezembro de 2003. Disponível em:<http://www.fenata.com.br>. Acesso em:20 de jul. de 2004.
Lei Federal nº 10.814 de 15 de Dezembro de 2003. Disponível em:<http://www.fenata.com.br>. Acesso em:20 de jul. de 2004.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                           Período           C. H. semanal                 Carga-horária total
Plantas Daninhas                             1º Sem.           2                             32
Área                                         Subárea           Função                        Subfunção

Competências                                 Habilidades                                     Bases Tecnológicas
-Identificar plantas daninhas, e avaliar     - fazer o reconhecimento de plantas             -    plantas      daninhas:     características botânicas,
níveis de danos econômicos às culturas;      daninhas;                                       propagação, ciclo de vida, danos, interação com clima;
definir os métodos de prevenção,             - ter noção de alelopatia de plantas            - métodos e técnicas de montagem de herbário;
erradicação e controle de plantas            daninhas;                                       - plantas daninhas, conceito e importância;
daninhas.                                    - utilizar informações sobre os fatores         - prejuízos causados às lavouras observados em aula
                                             climáticos no manejo;                           prática;
                                             - utilizar os métodos integrados de             - estabelecimento e propagação das plantas daninhas;
                                             prevenção de plantas daninhas;                  - estágio de crescimento e controle;
                                             - montar herbário;                              - competição, estrutura da competição, competição por
                                             - conhecer o conceito e a importância           água, luz, gás carbônico, e nutrientes;
                                             das plantas daninhas;                           - alelopatia ;
                                             - identificar os prejuízos causados;            . identificar as principais plantas daninhas.
                                             - conhecer o estabelecimento, e a
                                             propagação das plantas daninhas;
                                             - conhecer as características de algumas
                                             famílias.
                                             - identificar     as    principais plantas
                                             daninhas, montar um herbário
Bibliografia Básica referente:
BURG.C et MAIER H. MANUAL de alternativas ecológicas para prevenção e controle de pragas e doenças. Francisco
Beltrão.
LORENZI,H. MANUAL de identificação e controle de plantas daninhas. São Paulo.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                           Período           C. H. semanal                 Carga-horária total
Entomologia                                  1º Sem.           2                             32
Área                                         Subárea           Função                        Subfunção

Competências                                 Habilidades                                     Bases Tecnológicas
- Agir a partir de uma capacidade de       -conhecer os princípios básicos da                      PRAGAS
reflexão e tomada de decisões, diante de   entomologia;                                    - conceito;
problemas fitossanitários, na área de      -avaliar níveis de danos econômico a            - importância;
pragas, dentro da perspectiva do Manejo    cultura;                                        - morfologia;
Integrado de Pragas,       de modo a       -analisar os fatores ambientais e climático     - ciclo de vida;
proporcionar aumento da produtividade      que interagem na relação planta-inseto;         - hábito alimentar;
com respeito ao meio ambiente.             -definir os métodos de prevenção,               - dinâmica de populações;
                                           erradicação e controle de pragas;               - danos;
                                           -identificar inimigos naturais para uso no      - época de ocorrência;
                                           controle biológico;                             - sinais;
                                           -avaliar as conseqüências do uso dos            - interações com o clima;
                                           métodos de controle;
                                           -fazer o reconhecimento das principais            COLEÇÃO ENTOMOLÓGICA
                                           ordens e famílias importantes de insetos;       - conceito;
                                           -coletar e acondicionar insetos;                - importância;
                                           -usar métodos práticos e de laboratório         - método de montagem;
                                           para identificação e      diferenciação de
                                           pragas;                                           FATORES AMBIENTAIS
                                           -utilizar   informações     sobre    fatores    - conceito;
                                           climáticos;                                     - importância;
                                           -utilizar métodos integrados de prevenção       - influência;
                                           e controle de pragas;
                                           -montar uma coleção entomológica.                  CONTROLE
                                                                                           - conceito;
                                                                                           - importância;
                                                                                           - amostragem e avaliação de danos econômicos;
                                                                                           - métodos;

                                                                                                       MIP
                                                                                           - conceito;
                                                                                           - importância;
                                                                                           - métodos
Bibliografia Básica referente:
ALVES, S.B. ed., Controle Microbiano de Insetos. São Paulo: Editora Manole, 1986.
BURG.C. I et MAIER H.P. MANUAL de alternativas ecológicas para prevenção e controle de pragas e doenças. Francisco
Beltrão.
GALLO, D. et al.. Manual de Entomologia Agrícola. São Paulo: Editora Agronômica Seres, 1978.
GAZZONI, D.L. Manejo de pragas da soja: uma abordagem histórica. Londrina: EMBRAPA_CNPSo, 1994.
GAZZONI, D.L.; OLIVEIRA, E.B.; CORSO, I.C.; CORRÊA-FERREIRA, B.S.; VILLAS BOAS, G.L., MOSCARDI, F.; PANIZZI,
A.R. Manejo de pragas da soja. Londrina: Embrapa Centro Nacional de Pesquisa de Soja, 1981, (Embrapa CNPSo, Circular
Técnica 5).
MOSCARDI, F. Utilização de Baculovirus anticarsia para o controle da lagarta da soja, Anticarsia gemmatalis.
Comunicado Técnico No. 23. Embrapa, Centro Nacional de Pesquisa de Soja, 1983.
MOSCARDI, F. Efeito de aplicações de Bacillus thuringiensis sobre populações de Anticarsia gemmatalis em soja. In
Seminário Nacional de Pesquisa de Soja, 3, Campinas, 1984. Anais...Embrapa, Centro Nacional de Pesquisa de Soja,
Documentos 7.
OLIVEIRA, F.T.G.; SILVA, J.B.; GAZZONI, D.L.; ROESSING, A.C. Manejo de pragas na cultura da soja: um caso de
sucesso da pesquisa. Londrina: Embrapa, Centro Nacional de Pesquisa de Soja, Documentos 1, 1980.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                         Período           C. H. semanal                Carga-horária total
Fitopatologia                              1º Sem.           2                            32
Área                                       Subárea           Função                       Subfunção

Competências                               Habilidades                                    Bases Tecnológicas
- Ao final do curso o aluno deverá ter     - conhecer os princípios básicos sobre os      - história da fitopatologia;
capacidade de reflexão e tomada de         agentes causadores de enfermidades nas         - importância das doenças de plantas;
decisões,      diante    de    problemas   plantas;                                       - a natureza da doença e agentes causais;
fitossanitários, na áreas de doenças, de   - avaliar níveis de danos econômico a          - sintomatologia e diagnose;
modo a proporcionar aumento da             cultura;                                       - ciclo das relações patógeno-hospedeiro;
produtividade com respeito ao meio         - analisar os fatores ambientais e             - fisiologia do parasitismo
ambiente.                                  climáticos que interagem na relação            interação do hospedeiro– patógeno;
                                           planta-doença;                                 - epidemiologia;
                                           - definir os métodos de prevenção,             - grupos de doenças.
                                           erradicação e controle de doenças;
                                           - identificar inimigos naturais para uso no
                                           controle biológico;
                                           - avaliar as conseqüências do uso dos
                                           métodos de controle.
BERGAMIN, F.º. A. et al. Manual de Fitopatologia. Ceres. 3 ed. São Paulo. 1995.
   Vol. I
KIMATI, H. et al. Manual de Fitopatologia. Ceres. 3 ed. São Paulo. 1997. Vol. II
PONTE, J.J. Fitopatologia - Princípios e aplicações. Imprensa Universitária UFC.
   Fortaleza. 1975. Vol. I
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                         Período           C. H. semanal                Carga-horária total
Defensivos Agrícolas                        1º Sem.          2                          32
Área                                        Subárea          Função                     Subfunção

Competências                                Habilidades                                 Bases Tecnológicas
- Distinguir os diferentes graus de         - conhecer a melhor época de aplicação      - conceito de defensivos agrícola
toxicidade, diferenciar modos de ação,      dos defensivos;                             importância;
formulações, saber as épocas de             - diferenciar pelo rótulo os graus de       - classificação toxicológica
aplicação, ter noção dos cuidados           toxicidade dos produtos;                    grupos químicos dos defensivos
necessários na manipulação e aplicação,     - saber o que significam as diferentes      época de aplicação;
indicar produtos para o controle, bem       formulações dos produtos;                   - atividade ou seletividade dos defensivos;
como dominar a tecnologia de aplicação.     - apresentar um trabalho por escrito de     - toxicologia dos defensivos;
                                            controle de algumas plantas daninhas e      - formulações;
                                            insetos de maior relevância na região;      - tecnologia de aplicação.
                                            - saber regular um pulverizador e fazer
                                            cálculos da quantidade necessária de
                                            produto comercial e de calda a ser
                                            aplicada em uma determinada área;
                                            - escolher qual o tipo de bico mais
                                            adequado para cada situação;
                                            - ter conhecimento de alguns modos de
                                            ação.
Bibliografia Básica referente:
ANDREI. P. COMPÊNDIO de defensivos agrícolas. São Paulo.
BURG.C et MAIER H. MANUAL de alternativas ecológicas para prevenção e controle de pragas e doenças. Francisco
Beltrão.
LORENZI, H. MANUAL de identificação e controle de plantas daninhas. São Paulo.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                       Período             C. H. semanal              Carga-horária total
Gênese, Morfologia                     e 1º Sem.             2                          32
Conservação do Solo
Área                                        Subárea          Função                     Subfunção

Competências                                Habilidades                                 Bases Tecnológicas
- Conhecer os principais aspectos de        - compreender a formação geológica do       - formação dos solos agrícolas;
conservação dos solos agrícolas;            planeta;                                    - classificação dos solos;
- conhecer as práticas de controle da       - compreender a sua forma estratificada;    - propriedades físicas dos solos;
erosão hídrica;                             - saber conhecer as principais rochas       - sobre erosão, uso, manejo e conservação dos solos;
- distinguir a capacidade de uso e manejo   formadoras dos solos;                       - sobre geologia
dos solos agrícolas;                        - saber distinguir os principais solos      a formação do planeta terra;
- conhecer os princípios da formação        agrícolas;                                  - forma, relevo, massa do planeta, constituição interna do
geológica do planeta Terra, sua             -    compreender      os   conceitos   de   globo terrestre;
morfologia, seus minerais e rochas          conservação dos solos agrícolas;            - generalização sobre minerais;
formadoras dos solos agrícolas.             - conhecer as práticas de controle          - conhecimentos sobre rochas constituintes do planeta;
                                            vegetativo e mecanizado;                    - conhecimento sobre propriedades químicas dos
                                            - adquirir habilidades em terraceamentos,   minerais;
                                            sua construção e manutenção;                - magma vulcânico, terremotos e origem das montanhas
                                            - saber distinguir as classes de            e planícies;
                                            capacidade e de uso dos solos e sua         - formação dos solos;
                                            aplicação em uma propriedade agrícola.      - classificação dos solos.



Bibliografia Básica referente:
ARANTES, H.D. Uso, Manejo E Conservação Do Solo. Bandeirantes: Faculdade de Agronomia Luiz Meneguel
BUCHMAN, H.O.; BRANDY, N.C.; Livraria Freitas Bastos S.A.; Natureza e Propriedades dos solos, Rio de Janeiro: 1968.
GOLET, P.A. Práticas De Controle À Erosão. Campinas; Título Campineiro de Ensino Agrícola, 1987.
HELD, R.B.; CLAWSON M., Conservação Do Solo – Passado, presente e futuro. Rio de Janeiro: O Cruzeiro, 1965.
KIEL, E.J., Manual de Edafologia: relações solo-planta. São Paulo: Editora Agrnômica Ceres Ltda.; 1974.
LEINZU, V; AMARAl, S.E., Geologia Geral. São Paulo: Companhia editora Nacional, 1998.
Secretaria da Agricultura; Manual Da Conservação Do Solo E Água. 1985.
VIEIRA, L.S.; Manual da Ciência do Solo. São Paulo: Editora Agronômica Ceres Ltda.; 1988, 2ª edição.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                          Período          C. H. semanal              Carga-horária total
Fertilidade do Solo                         1º Sem.          2                          32
Área                                        Subárea          Função                     Subfunção

Competências                                Habilidades                                 Bases Tecnológicas
- Conhecer os principais aspectos da       - conhecer as principais propriedades dos    - propriedades físicas, químicas e biológicas dos solos:
fertilidade e fertilização dos solos       solos agrícolas (químicas, físicas e         textura, estrutura, porosidade, capacidade de retenção
agrícolas e suas relações com o            biológicas);                                 de água, fertilidade, acidez, alcalinidade, matéria
processo     produtivo   na  moderna       - realizar coletas de amostras de solos      orgânica;
agricultura.                               agrícolas para análises laboratoriais;       - procedimentos para a coleta de amostras de solo e
                                           - interpretar os laudos das análises de      encaminhamento para análises de laboratório;
                                           solo;                                        - interpretação de laudos de análises de solo;
                                           - determinar as recomendações de             - recomendações de adubação e colagem para as
                                           adubação e calagem para as principais        principais espécies cultivadas na região;
                                           culturas e solo.                             - noções gerais sobre corretivos e fertilizantes.

Bibliografia Básica referente:
COLEHO, F.S., VERLENGIA, F. Fertilidade do Solo. Campinas: Instituto Campineiro de Ensino Agrícola, 2ª edição, 1973.
KIEL, E.J., Manual de Edofologia. São Paulo, Agronômica Ceres, 1979.
OLEYNIK, J.; BRAGAGNOLO, N.; BUBLITZ, L.; SILVA, J.C.C. Análise de solo: tabelas para transformação de resultados
analítica e interpretação de resultados.analíticas e interpretação de resultados. Curitiba, EMATER – Pr, 1998.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                         Período          C. H. semanal               Carga-horária total
Agroecologia                               1º Sem.          2                           32
Área                                       Subárea          Função                      Subfunção

Competências                               Habilidades                                  Bases Tecnológicas
- Analisar métodos alternativos de         - utilizar métodos integrados de prevenção   - avaliação dos recursos naturais (clima, vegetação,
produção agropecuária que levem em         e controle de pragas, doenças e plantas      fauna) ;
consideração as características sociais,   daninhas;                                    - fatores sócio culturais e econômicos da região;
culturais e ambientais de uma região.      - identificar potencialidades na área        - alelopatia;
                                           produtiva de uma região;                     - fixação biológicas;
                                           - indicar formas de produção que sejam       - plantas companheiras e inimigas;
                                           auto-sustentáveis do ponto de vista social   - pragas e inimigos naturais;
                                           e ambiental;                                 - manejo integrado fontes poluidoras do meio ambiente.
                                           - conhecer alguns métodos alternativos
                                           utilizados no controle de doenças e
                                           pragas.
Bibliografia Básica referente:
BONILLA, J.A . Fundamentos Da Agricultura Ecológica. São Paulo. Nobel, 1992.
BURG, I.C. & MAYER P.H. Prevenção E Controles De Pragas E Doenças. Francisco Beltrão, 1998.
HOBBELINK, H. Biotecnologia Muito Além Da Revolução Verde. Porto Alegre, riocell, 1990.
PINHEIRO, S & NASR, N.Y. A Agricultura Ecológica E A Máfia Dos Agrotóxicos No Brasil. Porto Alegre: 1993.
PRIMAVASI, A, Manejo Ecológico do solo.São Paulo: Nobel,1999.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular     Período                              C. H. semanal               Carga-horária total
Noções de Morfologia e 1º Sem.                              2                           32
Fisiologia Vegetal
Área                   Subárea                              Função                      Subfunção

Competências                               Habilidades                                  Bases Tecnológicas
- Reconhecer os aspectos morfológicos      - compreender as espécies cultivadas         - origem e evolução das espécies;
de maior relevância das espécies           como vegetais agrupados de acordo com        - classificação botânica;
cultivadas na agricultura, bem como a      suas características botânicas;              - tecidos vegetais;
importância dos principais fenômenos       - compreender os principais processos        - fotossíntese ;
fisiológicos       envolvidos      no      fisiológicos     do     crescimento e        - fotorrespiração;
desenvolvimento vegetal.                   desenvolvimento das espécies vegetais        - fitohormônios.
                                           cultivadas.

Bibliografia Básica referente:
FERRI, M. G. Botânica: morfologia externa das plantas (organografia). – 15ª ed. – São Paulo: Nobel, 1983.
TAIZ & ZEIGER. Plant Physiology. (1991)
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                         Período          C. H. semanal               Carga-horária total
Culturas Anuais I                          1º Sem.          2                           32
Área                                       Subárea          Função                      Subfunção

Competências                               Habilidades                                  Bases Tecnológicas
- Ao final do curso o aluno deverá ser         - identificar as culturas;                     GRANDES CULTURAS
capaz de Planejar, executar e orientar os      - planejar e executar plantio, tratos          - conceito;
cultivos das principais culturas anuais        culturais e colheitas;                         - importância;
plantadas na região.                           - estimar e avaliar resultados de              - descrição;
                                               produtividade;                                 - dados econômicos e sociais;
                                               - analisar dados climáticos;
                                               - cumprir a legislação pertinente;             PREPARO DO SOLO
                                               - montar uma coleção de sementes.              -plantio direto;

                                                                                              REPRODUÇÃO DAS PLANTAS
                                                                                              - tipos de propagação;
                                                                                              - semente;
                                                                                              - testes de germinação;

                                                                                              CULTURA DA SOJA E TRIGO
                                                                                              - origem;
                                                                                              - taxonomia;
                                                                                              - hábito de crescimento;
                                                                                              - exigências climáticas;
                                                                                              - exigências nutricionais;
                                                                                              - produção de sementes;
                                                                                              - cultivares;
                                                                                              - instalação da lavoura;
                                                                                              -regulagem; de semeadora/adubadora;
                                                                                              - manejo de pragas;
                                                                                              - manejo de invasoras;
                                                                                              - manejo de doenças;
                                                                                              - colheita;
Bibliografia Básica referente:
BRASIL, Ministério da Agricultura. Plano integrado vertical de trigo. Brasília: 1969
BRASIL. J. F. A. Cultura dos campos. Noções gerais de agricultura. 4. Ed. Porto Alegre: Governo do Estado do RS, Caixa
Econômica Estadual, 1977.
EMBRAPA. Plano diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Soja – CNPSO. Brasília: 1993.
FUNDAÇÃO Cargill. A soja no Brasil. 2. Ed. Campinas: 1982.
FUNDAÇÃO Cargill. Trigo no Brasil. 1. Campinas: 1982.
KERSMANN, K. G. Problemas sanitários da cultura de trigo. São Paulo: BASF, 1977.
LÉON, C. Moléstias do milho: guia para sua identificação no campo.2.ed. Campinas: Fundação Cargill,1994.
LIMA, G. A. Cultura do milho. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 1976.
NETO, J. B. Batata, alfafa, mandioca e sorgo. Bandeirantes (PR): Fundação Faculdade de Agronomia Luiz Meneghel, s.d.
OCEPAR. Custo de produção do milho safra 1994. Curitiba: 1994.
PATERNIANI, E. (Ed.). Melhoramento e produção do milho. 2ª ed. Campinas: Fundação Cargill, 1987.
PATERNIANI, E. (Ed.). Melhoramento e produção do milho. 2ª ed. Campinas: Fundação Cargill, 1987.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                             Período           C. H. semanal                Carga-horária total
Fruticultura I                                 1º Sem.           2                            32
Área                                           Subárea           Função                       Subfunção

Competências                                   Habilidades                                    Bases Tecnológicas
- Ao final do módulo o aluno deverá ser        - conhecer conceitos, importância e            - introdução, situação e perspectivas;
capaz de       exercer ou gerenciar a          situação da fruticultura;                      - propagação de plantas frutíferas;
atividade de produção, classificação,          - planejar, orientar e monitorar a             - implantação de viveiros;
conservação e comercialização de               propagação de plantas;                         - implantação de pomar.
mudas frutíferas e frutas, a nível familiar,   - planejar a implantação de pomares;
associações, cooperativas e empresas           - conhecer os fatores que afetam a
comerciais.                                    produtividade em pomares;
                                               - planejar, orientar e monitoras as práticas
                                               culturais em pomares;
                                               - planejar e dimensionar a colheita em
                                               plantas frutíferas;
                                               - orientar e acompanhar o beneficiamento
                                               e armazenamento de frutos;
                                               - analisar economicamente a produção de
                                               frutíferas.
Bibliografia Básica referente:
ANDERSON, O; ANDERSON, V. As frutas silvestres brasileiras. São Paulo;
AWAD, M. Fisiologia pós-colheita de frutos. São Paulo: Nobel, 1993.
CASTRO, P. R.C. Ecofisiologia de frutíferas tropicais... São Paulo: Nobel, 1998.
CÉSAR, H. P. Manual prático do enxertador. São Paulo: Nobel, 1996.
Globo, 1989.
SIMÃO, S. Tratado de fruticultura. Piracicaba: FEALQ, 1998. ISB:85-7133-002-6. 2 exs.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                             Período           C. H. semanal                Carga-horária total
Silvicultura                                   1º Sem.           2                            32
Área                                         Subárea           Função                       Subfunção

Competências                                 Habilidades                                    Bases Tecnológicas
   - Proporcionar condições teóricas e        - conhecer o código florestal brasileiro;     - código florestal brasileiro (conhecimento e suas
práticas para que o aluno seja capaz de      - identificar e reconhecer as diferentes       aplicações);
conhecer o Código Florestal Brasileiro e     essências florestais nativa da nossa            - identificar as características das diferentes essências
reconhecer      espécies    de     plantas   região;                                        florestais nativas de nossa região;
florestais, reconhecer a importância das     - detectar as principais características das   - distinguir e caracterizar diferentes essências florestais
culturas do pinus, eucalipto, erva-mate e    essências florestais nativas da nossa          nativas e reconhecer a importância das mesmas no
bracatinga, como alternativa de renda ou     região;                                        aspecto econômico e conservacionista;
fins energéticos para a propriedade.         - reconhecer a importância das culturas        - conhecer as técnicas florestais das principais culturas
                                             do pinus, eucalipto, erva-mate e               florestais da região;
                                             bracatinga como fonte de energia ou              -estudar, analisar e refletir sobre a importância do tema
                                             alternativa de renda.                          proposto.
Bibliografia Básica referente:
LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Vol. 1, 2a
ed.SP : Editora Plantarum, 1998.
 RIZZINI, C. T. Árvores e madeiras úteis do Brasil. 2a ed. SP : Editora Blucher,1978.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular      Período                                C. H. semanal                Carga-horária total
Agroindustrialização de 1º Sem.                                2                            32
Alimentos de Origem
Vegetal I
Área                    Subárea                                Função                       Subfunção

Competências                                 Habilidades                                    Bases Tecnológicas
- O aluno deverá, dentro das normas          - conhecer e aplicar programas de              controle de qualidade:
higiênico-sanitárias, planejar, aplicar e    controle de qualidade;                         - princípios gerais de controle de qualidade;
monitorar métodos de processamento de        - conhecer os diferentes métodos de            - segurança alimentar;
alimentos de origem vegetal, como meio       conservação;                                   - padronização e avaliação do processo;
de aproveitamento e forma de agregar         - produzir conservas vegetais;                 - controle de qualidade na matéria-prima;
valor ao produto final.                      -      utilizar  corretamente  aditivos        - aspectos sanitários e higiênicos no controle de
                                             empregados aos alimentos;                      qualidade;
                                             - ter conhecimento sobre embalagens.           - princípios do sistema appcc;
                                                                                            - qualidade da água / aspectos físico-químicos e
                                                                                            microbiológicos;
                                                                                            - análise sensorial;

                                                                                            métodos de conservação:
                                                                                            - conservação pelo frio;
                                                                                            - conservação pelo calor;
                                                                                            - conservação pelo controle de atividade de água;
                                                                                            - conservação por defumação;
                                                                                            - conservação por fermentação;
                                                                                            - conservação por irradiação;
                                                                                            - uso de aditivos;

                                                                                             tecnologia de frutas:
                                                                                            - conservas de frutas;
                                                                                            - frutas carnosas e frutas suculentas;
                                                                                            - frutas secas ;
Bibliografia Básica referente:
BOBBIO, P. A.; BOBBIO, F. O. Química do Processamento de Alimentos. 2ª edição. Livraria Varela. São Paulo, 1995.
CAMARGO, R. (et al). Tecnologia de Produtos Agropecuários, 1ª edição. Livraria Nobel. São Paulo: 1984.
CRUZ, G. A. Desidratação de Alimentos, 2ª edição. Editora Globo. São Paulo: 1989.
EVANGELISTA, J. Tecnologia de Alimentos, 2ª edição. Livraria Atheneu. São Paulo: 1994.
GAVA, A. J. Princípios de Tecnologia de Alimentos, 6ª edição. Livraria Nobel . São Paulo: 1984.
JACKIX, M. H. Doces, Geléias e Frutas em Calda. Editora da Unicamp. São Paulo: 1988.
RIEDEL, G. Controle Sanitário dos Alimentos, 2ª edição. Livraria Atheneu. São Paulo: 1992.
VICENTE, A. M. Manual de Indústrias dos alimentos, Livraria Varela. São Paulo: 1996.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                           Período           C. H. semanal                Carga-horária total
Olericultura I                               1º Sem.           2                            32
Área                                         Subárea           Função                       Subfunção

Competências                                 Habilidades                                    Bases Tecnológicas
-    Analisar  as         características   - descrever o papel da olericultura      - definição, divisão da        horticultura, campo da
econômicas, sociais   e   ambientais da     brasileira    no atual contexto sócio    olericultura, características da      exploração      das
Olericultura.                               político e econômico;                    hortaliças e seu valor nutricional;
                                            - saber reconhecer quais os solos mais   - histórico da horticultura no brasil, principais regiões
                                            adequados      para   a  exploração de   produtoras, espécies mais plantadas e adaptadas ao
                                            hortaliças.                              clima local.
Bibliografia Básica referente:
CHITARRA, M.I.F e CHITARRA, A.B. Pós-Colheita de Frutos e Hortaliças: Fisiologia e Manuseio. Lavras: ESALQ/FAEPE,
1990.
EMBRAPA-CNPH. Principais Cultivos Olericolas. Ministério de Agricultura e Abastecimento. Brasília, 1997.
FILGUEIRA, F. A.R. ABC da Olericultura. São Paulo: Agronômica Ceres, 1987.
TEIXEIRA, N. T. Hidroponia: Uma alternativa para pequenas áreas. Guaíba: Agropecuária , 1996.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular      Período                             C. H. semanal            Carga-horária total
Monitoramento, Controle 1º Sem.                             6                        96
e Avaliação do Processo
Produtivo I
Área                    Subárea                             Função                   Subfunção

Competências                                Habilidades                              Bases Tecnológicas
- Reconhecer os aspectos morfológicos       - compreender as espécies cultivadas     - paisagismo;
de maior relevância das espécies            como vegetais agrupados de acordo com    - floricultura;
cultivadas na agricultura, bem como a       suas características botânicas;          - produção sob plasticultura;
importância dos principais fenômenos        - compreender os principais processos    - produção orgânica de hortaliças;
fisiológicos       envolvidos      no       fisiológicos     do     crescimento e    - poda de frutíferas de inverno;
desenvolvimento vegetal.                    desenvolvimento das espécies vegetais    - propagação de plantas frutíferas;
                                            cultivadas.                              - regulagem de pulverizadores;
                                                                                     - operacionalidade de tratores;
                                                                                     - produção de mudas arbóreas;
                                                                                     - reflorestamento de mata ciliar;
                                                                                     - conservação pós-colheita de vegetais;
                                                                                     - industrialização de geléias.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.
Bibliografia Básica referente:
ARRUDA, M.B. et al. (2001) Ecossistemas Brasileiros. Ed. IBAMA. Brasília.
CAVALHEIRO, F. Urbanização e alterações ambientais. TAUKA, S. M. (org.). Análise ambiental: uma visão
multidisciplinar. São Paulo: Editora da UNESP, 1995.


Unidade curricular                          Período         C. H. semanal            Carga-horária total
Culturas Anuais II                          2º Sem.         2                        32
Área                                        Subárea         Função                   Subfunção

Competências                                Habilidades                              Bases Tecnológicas
-Ao final do curso o aluno deverá ser       - identificar as culturas;               CULTURA DO MILHO,FEIJÃO, ARROZ DE SEQUEIRO,
capaz de Planejar, executar e orientar os   -planejar e executar plantio, tratos     TRITICALE, CEVADA, CENTEIO, AVEIAS, ALGODÃO,
cultivos das principais culturas anuais     culturais e colheitas;                   FUMO, MANDIOCA, CANA – DE – AÇÚCAR.
plantadas na região.                        - estimar e avaliar resultados de        - origem;
                                            produtividade;                           - taxonomia;
                                            - analisar dados climáticos;             - hábito de crescimento;
                                            - cumprir a legislação pertinente;       - exigências climáticas;
                                            - montar uma coleção de sementes.        - exigências nutricionais;
                                                                                     - produção de sementes;
                                                                                     - híbridos;
                                                                                     - instalação da lavoura;
                                                                                     - regulagem de semeadora/adubadora;
                                                                                     - manejo de pragas;
                                                                                     - manejo de invasoras;
                                                                                     - manejo de doenças;
                                                                                     - colheita;
Bibliografia Básica referente:
BRASIL, Ministério da Agricultura. Plano integrado vertical de trigo. Brasília: 1969
BRASIL. J. F. A. Cultura dos campos. Noções gerais de agricultura. 4. Ed. Porto Alegre: Governo do Estado do RS, Caixa
Econômica Estadual, 1977.
EMBRAPA. Plano diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Soja – CNPSO. Brasília: 1993.
FUNDAÇÃO Cargill. A soja no Brasil. 2. Ed. Campinas: 1982.
FUNDAÇÃO Cargill. Trigo no Brasil. 1. Campinas: 1982.
KERSMANN, K. G. Problemas sanitários da cultura de trigo. São Paulo: BASF, 1977.
LÉON, C. Moléstias do milho: guia para sua identificação no campo.2.ed. Campinas: Fundação Cargill,1994.
LIMA, G. A. Cultura do milho. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 1976.
NETO, J. B. Batata, alfafa, mandioca e sorgo. Bandeirantes (PR): Fundação Faculdade de Agronomia Luiz Meneghel, s.d.
OCEPAR. Custo de produção do milho safra 1994. Curitiba: 1994.
PATERNIANI, E. (Ed.). Melhoramento e produção do milho. 2ª ed. Campinas: Fundação Cargill, 1987.
PATERNIANI, E. (Ed.). Melhoramento e produção do milho. 2ª ed. Campinas: Fundação Cargill, 1987.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                            Período           C. H. semanal                Carga-horária total
Irrigação e Drenagem                          2º Sem.           2                            32
Área                                          Subárea           Função                       Subfunção

Competências                                  Habilidades                                    Bases Tecnológicas
- Planejar, orientar, avaliar e monitorar o   -aplicar unidades de superfície e unidades     -histórico da irrigação;
uso e a operacionalização de sistemas         volumétricas;                                  -água requerida pelas culturas;
de irrigação e drenagem.                      -levantar as informações necessárias à         -o solo como um reservatório de água;
                                              elaboração de projetos de irrigação e          -características físicas e hídricas do solo;
                                              drenagem;                                      -disponibilidade de água no solo;
                                              -determinar a velocidade de infiltração da     -qualidade da água para irrigação;
                                              água nos solos;                                -relação solo-água-planta;
                                              -coletar     amostras    de    solo   para     -fontes de suprimento de água;
                                              determinação do teor de umidade;               -medição de água para irrigação (hidrometria);
                                              -determinar o teor de umidade do solo          -captação, elevação e aproveitamento de água;
                                              utilizando-se de estufa;                       -estimativa da evapotranspiração e balanço hídrico;
                                              -medir a vazão de cursos d’água;               -determinação da velocidade de infiltração da água no
                                              -identificar a necessidade de drenagem;        solo;
                                              -programar a operacionalização do              -fatores climáticos que afetam a disponibilidade de água
                                              sistema de irrigação;                          às plantas;
                                              -calcular quando irrigar e quanto de água      -sistemas de irrigação: características, vantagens e
                                              aplicar isto é, estimar a freqüência de        desvantagens;
                                              irrigação ou turno de rega;                    -fatores a serem considerados na escolha de um sistema
                                              -identificar os componentes de um              de irrigação;
                                              sistema de irrigação;                          -perda de carga nas tubulações;
                                              -identificar os problemas operacionais dos     -seleção de aspersores;
                                              sistemas de irrigação;                         -sistemas de drenagem e tipos de drenos;
                                              -identificar o tipo de dreno a ser             -abertura, dimensionamento e manutenção de drenos.
                                              implantado.
Bibliografia Básica referente:
KLAR, A. E. Irrigação: Freqüência e quantidade de aplicação. São Paulo: Nobel, 1991.
OLITTA, A. F.L. Os métodos de irrigação. São Paulo: Nobel, 11 ed., 1984.
REICHARDT, K. A água em sistemas agrícolas. São Paulo: Manoele Ltda, 1990.
VIEIRA, D.B. As técnicas de irrigação. São Paulo: 2. ed., Globo, 1995.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                            Período           C. H. semanal                Carga-horária total
Fruticultura II                               2º Sem.           2                            32
Área                                          Subárea           Função                       Subfunção

Competências                                  Habilidades                                    Bases Tecnológicas
- Ao final do módulo o aluno deverá ser       - conhecer conceitos, importância e            - poda e condução de frutíferas;
capaz de exercer e gerenciar a atividade      situação da fruticultura;                      - fisiologia pós-colheita de frutos;
de produção, classificação, conservação       - planejar, orientar e monitorar a             - colheita, transporte e armazenamento;
e comercialização de mudas frutíferas e       propagação de plantas;                         - frutíferas de clima temperado, subtropical e tropical;
frutas, a nível familiar, associações,        - planejar a implantação de pomares;           - análise econômica.
cooperativas e empresas comerciais.           - conhecer os fatores que afetam a
                                              produtividade em pomares;
                                              - planejar, orientar e monitoras as práticas
                                              culturais em pomares;
                                              - planejar e dimensionar a colheita em
                                              plantas frutíferas;
                                              - orientar e acompanhar o beneficiamento
                                              e armazenamento de frutos;
                                              - analisar economicamente a produção de
                                              frutíferas;
Bibliografia Básica referente:
ANDERSON, O; ANDERSON, V. As frutas silvestres brasileiras. São Paulo;
AWAD, M. Fisiologia pós-colheita de frutos. São Paulo: Nobel, 1993.
CASTRO, P. R.C. Ecofisiologia de frutíferas tropicais... São Paulo: Nobel, 1998.
CÉSAR, H. P. Manual prático do enxertador. São Paulo: Nobel, 1996.
Globo, 1989.
SIMÃO, S. Tratado de fruticultura. Piracicaba: FEALQ, 1998. ISB:85-7133-002-6. 2 exs.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular         Período C. H. semanal                                                 Carga-horária total
Floricultura, Jardinagem e 2º Sem.   2                                                           32
Plantas Medicinais
Área                       Subárea Função                                                        Subfunção
Competências               Habilidades                                                           Bases Tecnológicas
- Analisar          as       características   - descrever o papel das plantas                   - definição, de plantas medicinais e          seu     valor
econômicas, sociais e ambientais das           medicinais no atual contexto sócio,               fitoterapeútico;
Plantas Medicinais;                            político e econômico;                             - histórico das plantas medicinais no brasil e distribuição
- analisar e distinguir características dos    - saber         reconhecer        as plantas      geográfica;
estilos e modelos de paisagismo e sua          medicinais, formas de propagação, e sua           - importância das plantas medicinais no Brasil;
evolução histórica, do clássico ao             utilização;                                       - implantação e manejo de hortas medicinais;
contemporâneo;                                 - selecionar dados sobre a evolução               - fitoquímica e química de plantas medicinais;
- desenvolver      visão espacial      para    histórica do paisagismo e sobre estilos           - manipulação de produtos naturais;
planejamento       e     organização      do   e modelos de           jardins    residenciais,   - formas de utilização de plantas medicinais;
paisagismo e       a harmonização        das   públicos e similares;                             - cultivo de plantas medicinais;
cores;                                         - aplicar métodos que             viabilizem a
- classificar e     distinguir    tipos de     percepção        espacial      para     que o     pesquisas de modelos estilos de:
ferramentas          e        equipamentos     paisagismo possa ser concebido;                   - jardins residenciais e públicos;
apropriados ao desenvolvimento da              - utilizar o modo correto do ferramental          - praças e parques;
jardinagem .                                   dos       equipamentos        adequados ao        - fachadas;
                                               paisagismo em fase de concepção;                  - espaços promocionais;
                                               - aplicar adequadamente as técnicas               - pomar e horta;
                                               de plantio,         transplante, sementeira,
                                               dormência e poda.                                  tecnologia de:
                                                                                                 - equipamentos;
                                                                                                 - ferramentas;
                                                                                                 - manutenção de jardins;
                                                                                                 - harmonia na aplicação das cores;

                                                                                                 técnicas de:
                                                                                                 -símbolos;
                                                                                                 -gráficos;
                                                                                                 -convenções;
                                                                                                 -tabelas ;
                                                                                                 - manejo.
Bibliografia Básica referente:
FARIA, R.T. Paisagismo: harmonia, ciência e arte. Londrina, Mecenas, 2005.
MORREIRA, L. Plantas ornamentais no Brasil. Nova Odessa, Plantarum, 1995.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                             Período            C. H. semanal                  Carga-horária total
Olericultura II                                2º Sem.            2                              32
Área                                           Subárea            Função                         Subfunção

Competências                                   Habilidades                                       Bases Tecnológicas
- Analisar      as          características    - descrever o papel do olericultora               - importância sócio, político e econômica da horticultura
econômicas, sociais     e   ambientais da      brasileira    no atual contexto sócio             no Brasil;
Olericultura.                                  político e econômico;                             - classificação das hortaliças;
                                               - saber reconhecer quais os solos mais            - sistemas de produção;
                                               adequados      para   a  exploração de            - nível tecnológico do produtor;
                                               hortaliças.                                       - sistema de comercialização;
                                                                                                 - industrialização;
                                                                                                 - potencial de produção;
                                                                                                 - classificação das hortas.
Bibliografia Básica referente:
CHITARRA, M.I.F e CHITARRA, A.B. Pós-Colheita de Frutos e Hortaliças: Fisiologia e Manuseio. Lavras: ESALQ/FAEPE,
1990.
EMBRAPA-CNPH. Principais Cultivos Olericolas. Ministério de Agricultura e Abastecimento. Brasília, 1997.
FILGUEIRA, F. A.R. ABC da Olericultura. São Paulo: Agronômica Ceres, 1987.
TEIXEIRA, N. T. Hidroponia: Uma alternativa para pequenas áreas. Guaíba: Agropecuária , 1996.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.
Unidade curricular                          Período         C. H. semanal              Carga-horária total
Mecanização                                 2º Sem.         4                          64
Área                                        Subárea         Função                     Subfunção

Competências                                Habilidades                                Bases Tecnológicas
- O aluno deverá ser capaz de identificar   - enumerar funções de máquinas,            - normas de segurança, na utilização de máquinas e
e descrever máquinas, implementos e         implementos e ferramentas agrícolas;       implementos agrícolas;
ferramentas agrícolas, suas principais      - utilizar tabelas de lubrificantes e      -     combustíveis    e     lubrificantes:   classificação,
partes     e    seus    sistemas       de   combustíveis;                              especificações técnicas,uso e armazenamento seguro,
funcionamento, uso e manutenção,            - aplicar e recomendar uso das normas de   tabelas;
utilizando-as ou recomendando o seu         segurança na utilização de máquinas e      - tração mecânica: tipos de máquinas e implementos,
uso adequado.                               implementos;                               sistemas de funcionamento, seleção, manutenção;
                                            - conhecer as estruturas e os cuidados     - tratores e colheitadeiras agrícolas: controles,
                                            básicos dos equipamentos e implementos     instrumentos, funcionamento, lubrificação, manutenção,
                                            para manejo de coberturas de solo;         cuidados de segurança;
                                            - recomendar tecnologias de mecanização    - arados: conceitos, modelos, acessórios;
                                            do trabalho agrícola compatível com a      - pulverizadores: conceitos, modelos, acessórios;
                                            realidade sócio-econômica do produtor;     - grade de discos: conceitos, modelos, regulagens;
                                            - executar atividades básicas de           - subsoladores: conceitos, modelos, regulagens;
                                            manutenção em máquinas e implementos       - enxadas rotativas: conceitos, modelos, regulagens;
                                            agrícolas;                                 - roçadeiras e ensiladeiras: conceitos, modelos,
                                            - operar e regular as máquinas e           regulagens;
                                            implementos apresentados durante o         - distribuidor de corretivos do solo: conceitos, depósito,
                                            curso.                                     fundo do depósito, ajuste de dosagem, abertura, eixo do
                                                                                       mecanismo de alimentação, agitadores, ponto de engate;
                                                                                       - tração animal: conceitos, animais utilizados,
                                                                                       implementos;
                                                                                       - implementos e máquinas de uso agrícola, forrageiras,
                                                                                       picadores, ensiladeiras e distribuidores de forragens.
Bibliografia Básica referente:
BALASTREIRE, L. A. Máquinas Agrícolas. São Paulo: Manole,1987.
RIGHES, A. A. Inovação tecnológica de mecanismos para semeadura direta. Santa Maria: Fundação de Apoio a
Tecnologia e Ciência. Campus da Universidade Federal de Santa Maria, 1984.
SILVEIRA, G. M. Semeadoras. In: ---. As máquinas para plantar. Rio de Janeiro: Globo, 1989.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                          Período         C. H. semanal              Carga-horária total
Topografia                                  2º Sem.         4                          64
Área                                        Subárea         Função                     Subfunção

Competências                                Habilidades                                Bases Tecnológicas
- Dominar as noções básicas necessárias      - calcular a superfície de um polígono             I – CONCEITOS BÁSICOS
para efetuar os principais métodos e         qualquer ( triângulos e quadriláteros );           - cálculo da área dos triângulos e quadriláteros;
levantamentos topográficos executados        - conhecer as medidas agrárias;                    - medidas agrárias;
pelo Técnico em Agropecuária;                utilizar corretamente as escalas;                  - escalas;
- efetuar os principais tipos de             medir com trena e balizas um ângulo;               - conceito;
levantamento topográficos planimétricos;     - somar e subtrair ângulos;                        - notação;
- levantamento à Trena (por irradiação e     - definir azimute e rumo;                          - classificação;
caminhamento),          executando      as   - transformar azimutes em rumos;                   - cálculos e emprego;
operações de campo e os trabalhos de         - representar as convenções topográficas;          - manejo e construção;
escritório (cálculo e desenho da área).      - medir distâncias com diastímetro (trena);
                                             marcar alinhamentos com balizas;                   II- GONIOMETRIA
                                             - caracterizar e utilizar corretamente os          1. conceito;
                                             instrumentos        topográficos       (balizas,   2. ângulos topográficos;
                                             trenas, mira, bússola, nível de precisão,          2.1. ângulos horizontais – ah (internos, externos,
                                             teodolito e estação total);                        deflexão);
                                             - identificar as peças componentes de um           2.2. ângulos verticais – av (zenital, nadiral, horizontal);
                                             teodolito e suas funções;                          2.3. direção angular;
                                             - operar corretamente um teodolito;                2.3.1. azimute;
                                             - efetuar leitura de ângulos e distâncias          2.3.2. rumo;
                                             com teodolito;                                     2.3.3. conversão de azimutes em rumos;
                                             - conceituar topografia;                           2.4. métodos medição de ângulos;
                                             - distinguir as diferenças entre as divisões       2.4.1. diretos (com goniômetros);
                                             da topografia;                                     2.4.2. indiretos (medição de ângulos com trenas e
                                             -     conceituar      e     efetuar     plantas    balizas);
                                             topográficas;
                                             - determinar a distância horizontal e a            III- CONCEITOS FUNDAMENTAIS
                                             diferença de nível entre dois pontos com           1. conceito de topografia;
                                             teodolito e mira;                                  2. divisões;
                                             -     caracterizar      os     métodos       de    2.1. topometria ( planimetria, altimetria, planialtimetria e
                                             levantamento planimétrico à trena, por             taqueometria);
                                             irradiação e caminhamento;                         2.2. topometria;
                                             - efetuar a campo os levantamentos                 2.3. aerofotogrametria;
                                             planimétrico à trena, por irradiação e             2.4. agrimensura;
                                             caminhamento,          coletando os dados          2.5. desenho topográfico;
                                             necessários para a resolução e cada                3. importância da topografia;
                                             método;
                                             - realizar os trabalhos de escritório de           IV - MEDIÇÃO DIRETA DE DISTÂNCIAS
                                             cálculo da área e desenho da planta                1. material empregado;
                                             topográfica;                                       2. medição com diastímetro;
                                             resolver      a    planilha     analítica    do    3.alinhamento com balizas;
                                             levantamento por caminhamento.                     4. traçado de perpendiculares;
                                                                                                5. fontes de erros;
                                                                                                6. convenções topográficas;

                                                                                                V - ESTUDO DOS INSTRUMENTOS E ACESSÓRIOS
                                                                                                1. baliza;
                                                                                                2. trena;
                                                                                                3. mira;
                                                                                                4. bússola;
                                                                                                5. nível de precisão;
                                                                                                6. teodolito;
                                                                                                6.1. conceito;
                                                                                                6.2. classificação;
                                                                                                6.3. constituição (partes principais, acessórios);
                                                                                                7. estação total e gps;

                                                                                                VI - OPERAÇÕES COM O TEODOLITO
                                                                                                1. cuidados a serem observados; no manuseio;
                                                                                                2. instalação;
                                                                                                3. nivelamento;
                                                                                                4. zeragem;
                                                                                                5. leitura de ângulos e distâncias;

                                                                                                VII - PLANIMETRIA
                                                                                                1. conceito;
                                                                                                2. elementos;
                                                                                                3. métodos;
                                                                                                3.1 levantamento planimétrico a trena;
                                                                                                3.2 levantamento planimétrico por irradiação;
                                                                                                3.3. levantamento planimétrico por caminhamento.

                                                                                                VIII – ALTIMETRIA
                                                                                                1. generalidades;
                                                                                                2. métodos gerais de nivelamento;
                                                                                                3. precisão de nivelamentos;
                                                                                                4. avaliação do erro do nivelamento;
                                                                                                5. perfil longitudinal.
Bibliografia Básica referente:
COMASTRI, J.ª % TULER, J.C. Topografia; altimetria. Viçosa, Imprensa Universitária, 1980.
ESPARTEL, L. Curso de topografia. 7ª ed. Porto alegre, Globo, 1980.
GARCIA, G.j & PIEDADE, G.C.R. topografia aplicada à ciências agrárias. 5ª ed. São Paulo, Nobel, 1987.
GODOY, R. Topografia básica,são Paulo. Fundação de estudos agrários. 1988.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                           Período             C. H. semanal                  Carga-horária total
Administração                           e 2º Sem.                3                             48
Economia Rural
Área                                          Subárea            Função                        Subfunção

Competências                                  Habilidades                                      Bases Tecnológicas
- Aplicar técnicas de administração rural.    - identificar os recursos, áreas e níveis        - história da administração;
-     gerenciamento        da     estrutura   administrativos da empresa rural;                - principais teorias da administração;
administrativa da empresa rural e ou de       - identificar as características da              - características peculiares do setor rural;
empreendimento rural específico.              agricultura        que     diferenciam       a   - funções administrativas – planejamento, organização,
- planejamento rural simplificado.            administração da empresa rural da                direção e controle;
- monitoramento e avaliação do processo       urbano-industrial;                               - níveis empresariais – estratégico, gerencial e
produtivo agropecuário.                       - compreender o contexto da empresa              operacional;
- técnicas relativas ao processo de           rural, seu ambiente interno, operacional e       - áreas empresariais - de produção, finanças, recursos
elaboração de projetos agropecuários e        geral assim como as variáveis;                   humanos e comercialização e marketing;
agroindustriais simplificados.                 - compreender o processo administrativo;        - habilidades administrativas;
                                               - elaborar o diagnóstico da propriedade         - o contexto das empresas rurais – ambiente interno,
                                              rural;                                           operacional e geral;
                                               - estabelecer metas e objetivos;                - pontos fortes e pontos fracos da empresa rural;
                                               - elaborar orçamentos de custeio e de           - recursos de produção;
                                              investimentos;                                   - depreciação;
                                               -     estabelecer     cronograma      físico-   - planos de custeio e investimentos;
                                              financeiro;                                      - crédito rural;
                                               - elaborar plano de caixa;                      - avaliação do custo de produção;
                                               - elaborar plano de crédito rural;              - cálculo da renda bruta, margem bruta e lucro;
                                               - calcular a depreciação;                       - funções administrativas – planejamento, organização,
                                               - calcular custos de produção;                  direção e controle;
                                               - interpretar os resultados de cálculos de      - produtividade x produção;
                                              custo de produção, renda bruta, margem           - controle da produção física;
                                              bruta e lucro;                                   - controle financeiro;
                                               - identificar os recursos de produção;          - controle de almoxarifado;
                                               - identificar a melhor combinação de            - controle de máquinas e equipamentos;
                                              atividades;                                      - controle da mão-de-obra;
                                              - identificar padrões de rendimentos para        - folha de pagamento e normas gerais da legislação
                                              comparação de resultados;                        trabalhista;- controle convencional e informatizado;
                                               - registrar e contabilizar as etapas do         - fases da função controle;- controle antes, durante e
                                              processo de produção;                            após a realização de atividades agropecuárias e
                                               - registrar e efetuar pagamentos;               agroindustriais;
                                               - registrar os gastos com manutenção e          - controle de qualidade e qualidade total;
                                              conservação de máquinas, equipamentos,           - o contexto da empresa rural;
                                              implementos, ferramentas, benfeitorias e         - ambiente interno, ambiente operacional e geral;
                                              melhoramentos;                                   - variáveis que influenciam a empresa rural;
                                              - estabelecer normas e regulamentos e            - pontos fortes e pontos fracos da empresa rural;
                                              verificar o seu cumprimento; - avaliar a         - estratégia empresarial;
                                              produtividade de cada exploração e/ou            - orçamentação simples;
                                              atividade       quanto      à      qualidade,    - técnicas de análise através da orçamentação parcial;
                                              produtividade e custo;                           - ponto de nivelamento;
                                               - diferenciar custos fixos e custos             - relação benefício/custo;
                                              variáveis;                                       - noções sobre programação linear;
                                               - elaborar cronograma de atividades;            - análise de viabilidade – valor presente líquido.
                                               - elaborar o diagnóstico da propriedade
                                              rural com relação a:
                                              - recursos disponíveis;
                                              -       atividades      agropecuárias        e
                                              agroindustriais;
                                              - aptidões e potencialidades;
                                              - infraestrutura (máquinas, benfeitorias,
                                              instalações, animais, melhoramentos,
                                              etc);
                                              - meio ambiente;
                                              - produtividade x produção;
                                              - estabelecer objetivos e metas de médio
                                              e longo prazo;
                                              - dimensionamento físico das instalações
                                              básicas;
                                              - dimensionamento da mão-de-obra
                                              atividades agrícolas e pecuárias;
                                              - elaborar orçamentos e fluxo de caixa das
                                              atividades a serem realizadas.
Bibliografia Básica referente:
EMBRAPA, planejamento da Propriedade Agrícola - Modelos de decisão. D.E.P. BRASÍLIA – df.1984.
HAMER, E. administração Rural. Banco Nacional de Agricultura Familiar. Frederico Westphalen. 1998.
HOFFMAN, R. administração Empresa Agrícola . pioneira, São Paulo.1984.
MEDEIROS,J.A. agribussines – contabilidade e controladoria. Ed. Agropecuária. Guaíba, 1999.
NORONHA, J.F. Projetos Agropecuários: Administração Financeira, Orçamentação e Administração Econômica. 2a. ed.,
São Paulo, ATLAS.
TUNG, N.H. Planejamneto e controle financeiro das empresas Agropecuárias. Ed. Universidade – Empresa. São Paulo.
1990.
ZYLBERSZTAJN, D. & NEVES. M. Economia e gestão dos negócios agroalimentares. Pioneira. São Paulo.2000.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                            Período            C. H. semanal                 Carga-horária total
Cooperativismo                          e 2º Sem.               2                             32
Comercialização
Área                                          Subárea           Função                        Subfunção

Competências                                  Habilidades                                     Bases Tecnológicas
 - Reconhecer a importância sócio-            - conhecer o histórico, princípios              - aprendizagem transformando o processo pedagógico
econômica do cooperativismo na área de        doutrinários        e       objetivos      do   num processo estimulante na criatividade e no
agricultura;                                  cooperativismo;                                 desenvolvimento na busca de conhecimentos na área do
-    compreender    o    processo      de     - compreender as diferenças entre uma           cooperativismo e comercialização observando e
comercialização na área de agricultura.       sociedade cooperativa e uma sociedade           entendendo os principais conceitos tais como:
                                              mercantil;                                      - origem e histórico do cooperativismo;
                                              -       conhecer     a     organização      e   - princípios do cooperativismo;
                                              funcionamento          das       cooperativas   - organização das cooperativas;
                                              agrícolas;                                      - classificação das cooperativas;
                                              - diferenciar os tipos e segmentos de           - fundação e funcionamento de cooperativas;
                                              cooperativas;                                   - conceito e importância da comercialização na área
                                              - entender os tipos de canais de                agrícola;
                                              comercialização;                                - conceito, problemas e processo de comercialização nos
                                              -      reconhecer     a    importância     da   diferentes níveis de mercado;
                                              padronização e embalagem do produto;            - canais de comercialização agrícola;
                                              - utilizar instrumentos de marketing;           - custos e sistemas de comercialização agrícola.
                                              -       tomar     decisões       quanto     à
                                              comercialização.
Bibliografia Básica referente:
MINISTÉRIO DA AGRICULTURA – Instituto Nacional De Colonização e Reforma Agrária. Lei cooperativista – Nº 5.640 de
16/12/71. Brasília: 1971.
PINHO, D. B. Gênero e desenvolvimento em cooperativas. SESCOOP/OCB, ESETec Editores associados, Santo André SP:
2000.
RECH, D. Cooperativas: uma alternativa de organização popular. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.
REIS, A. J.; CARVALHO, F. A. P.; Comercialização agrícola no contexto agroindustrial. Lavras: UFLA/FAEP: 1999.
RICCIARDI, L. Cooperativismo.Uma solução para os problemas atuais.
SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS DO ESTADO DO PARANÁ. Estudo da viabilidade para a
constituição de cooperativas singular: agropecuária, consumo, educacional, trabalho; manual de orientação. 2ª ed.
Curitiba: 1997.
TESCH,W. Dicionário Básico Do Cooperativismo. Brasília SESCOOP: 2000.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular    Período                                   C. H. semanal                 Carga-horária total
Sociologia e Extensão 2º Sem.                                   2                             32
Rural
Área                  Subárea                                   Função                        Subfunção

Competências                                  Habilidades                                     Bases Tecnológicas
- Ao final do curso o aluno deverá ser        - relacionar os métodos individuais,            - métodos e técnicas de extensão rural;
capaz de identificar os principais            grupais e massais, buscando viabilizar a        - aspectos sócio-econômicos e culturais da sociedade
recursos e métodos de extensão e              interação com os produtores rurais;             brasileira e regional;
difusão rural, tendo o objetivo, através de   - planejar e aplicar métodos de acordo          - práticas e exercícios com aplicação dos métodos;
uma leitura crítica da realidade,        de   com a necessidade e as condições                - estrutura agrária brasileira;
interagir com os produtores no sentido de     oferecidas;                                     - política agrícola.
transformar a situação atual.                 - elaborar plano de atuação e realização
                                              de eventos de extensão rural ;
                                              - estudar a realidade nacional, regional
                                              em relação a estrutura agrária;
                                              - analisar a realidade sócio-econômica e
                                              cultural da sociedade brasileira e regional.
Bibliografia Básica referente:
CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 1998.
FREIRE, P.Extensão ou Comunicação.
GUARESCHI, P. Sociologia crítica. Alternativas de mudança. Porto Alegre: Mundo Jovem, 1998.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                            Período           C. H. semanal                 Carga-horária total
Gestão Ambiental                              2º Sem.           1                             16
Área                                          Subárea           Função                        Subfunção

Competências                                  Habilidades                                     Bases Tecnológicas
-Caracterizar      os    sistemas     e     - saber correlacionar entre si os             - ecossistemas, descrição, espécies e população,
ecossistemas, os elementos que os           elementos componentes dos sistemas,           habitats e comunidade;
compõem e suas respectivas funções;         ecossistemas;                                 - sustentabilidade do ecossistema;
- conhecer e correlacionar os processos     - identificar, mediante práticas de campo,    - lei de liebig ou “ lei do mínimo”;
de intervenção antrópica sobre o meio       os fatores críticos responsáveis pela         - estrutura e funcionamento dos ecossistemas;
ambiente, resultantes da atividade          fragilidade de sistemas e ecossistemas;       - principais ecossistemas brasileiros;
produtiva e seus impactos ambientais;       - realizar práticas de conservação de         - disponibilidade e uso da água;
- conhecer e avaliar modelos de gestão      águas;                                        - DBO e DQO, na qualidade da água;
ambiental, utilizados na exploração de      - identificar as características básicas de   - resíduos sólidos;
recursos naturais, em conformidade com      atividades produtivas que impactam o          - efluentes líquidos e suas características;
a legislação.                               meio ambiente:                                - fontes poluidoras fixas e móveis;
                                            - geração de resíduo sólido;                  - tecnologias emergentes;
                                            - geração de efluentes líquidos;              - os grandes impactos ambientais em nível global e seus
                                            - geração de emissões atmosféricas.           riscos ambientais;
                                            - acessar e consultar bancos de dados         - política ambiental brasileira;
                                            sobre legislação ambiental;                   - evolução dos conceitos ambientais;
                                            - elaborar termos de referência de um         - legislação ambiental, código florestal;
                                            projeto;                                      - legislação estadual e resoluções;
                                            - identificar as atividades de uso e          - órgãos representativos na execução da legislação
                                            ocupação       de    solo    que    possam    ambiental;
                                            comprometer o meio ambiente, qualidade        - recursos naturais renováveis;
                                            das águas, das reservas florestais e          - gestão ambiental dos projetos zootécnicos;
                                            parques nacionais;                            - atividades poluidoras na exploração agropecuária;
                                            - gerenciar a condução, direção e controle    - licenciamento ambiental.
                                            do uso de recursos naturais, mediante
                                            instrumentos que incluem medidas
                                            econômicas, regulamentos e
                                            normatização;
                                            - participar de operações de
                                            reflorestamento, restauração de áreas
                                            degradadas
Bibliografia Básica referente:
ARRUDA, M.B. et al. (2001) Ecossistemas Brasileiros. Ed. IBAMA. Brasília.
CAVALHEIRO, F. Urbanização e alterações ambientais. TAUKA, S. M. (org.). Análise ambiental: uma visão
multidisciplinar. São Paulo: Editora da UNESP, 1995.
MINISTERIO DA EDUCAÇÃO. Educação profissional : referências curriculares nacionais da educação de nível técnico.
MEC. 2000.
SILVEIRA, M. A. da; VILELA, S. L. de O., ed. Globalização e sustentabilidade da agricultura. Jaguariúna: EMBRAPA -
CNPMA, 1998. (Documentos, 15).
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular      Período                               C. H. semanal               Carga-horária total
Agroindustrialização de 2º Sem.                               2                           32
Alimentos de Origem
Vegetal II
Área                    Subárea                               Função                      Subfunção

Competências                                Habilidades                                   Bases Tecnológicas
- O aluno deverá, dentro das normas         - conhecer e aplicar programas de             métodos de conservação
higiênico-sanitárias, planejar, aplicar e   controle de qualidade;                        - conservação pelo frio;
monitorar métodos de processamento de       - conhecer os diferentes métodos de           - conservação pelo calor;
alimentos de origem vegetal, como meio      conservação;                                  - conservação pelo controle de atividade de água;
de aproveitamento e forma de agregar        - produzir conservas vegetais;                - conservação por defumação;
valor ao produto final.                     -      utilizar  corretamente    aditivos     - conservação por fermentação;
                                            empregados aos alimentos;                     - conservação por irradiação;
                                            - ter conhecimento sobre embalagens.          - uso de aditivos;

                                                                                          tecnologia de frutas
                                                                                          - conservas de frutas;
                                                                                          - frutas carnosas e frutas suculentas;
                                                                                          - frutas secas ;

                                                                                          tecnologia de hortaliças
                                                                                          - conserva de legumes;
                                                                                          - picles;
                                                                                          - chucrute;

                                                                                          embalagens
                                                                                          - conceitos e importância;
                                                                                          - funções;
                                                                                          - rótulo;
                                                                                          - mercado atual.
Bibliografia Básica referente:
BOBBIO, P. A.; BOBBIO, F. O. Química do Processamento de Alimentos. 2ª edição. Livraria Varela. São Paulo, 1995.
CAMARGO, R. (et al). Tecnologia de Produtos Agropecuários, 1ª edição. Livraria Nobel. São Paulo: 1984.
CRUZ, G. A. Desidratação de Alimentos, 2ª edição. Editora Globo. São Paulo: 1989.
EVANGELISTA, J. Tecnologia de Alimentos, 2ª edição. Livraria Atheneu. São Paulo: 1994.
GAVA, A. J. Princípios de Tecnologia de Alimentos, 6ª edição. Livraria Nobel . São Paulo: 1984.
JACKIX, M. H. Doces, Geléias e Frutas em Calda. Editora da Unicamp. São Paulo: 1988.
RIEDEL, G. Controle Sanitário dos Alimentos, 2ª edição. Livraria Atheneu. São Paulo: 1992.
VICENTE, A. M. Manual de Indústrias dos alimentos, Livraria Varela. São Paulo: 1996.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular       Período                            C. H. semanal               Carga-horária total
Construções, Instalações 2º Sem.                            3                           48
Agrícolas  e    Desenho
Técnico
Área                     Subárea                            Função                      Subfunção

Competências                              Habilidades                                   Bases Tecnológicas
- Conhecer os principais materiais de     - conhecer o material empregado no            - noções gerais de desenho técnico;
construção, seu uso, aplicação e          desenho técnico.                              - tipos de desenhos;
orçamentação.                             - conhecer a caligrafia técnica.              - materiais utilizados em desenho técnico;
- Conhecer e aplicar as Normas Técnicas   - reconhecer os papéis usados em              - caligrafia técnica;
básicas do Desenho Técnico utilizadas     desenho.                                      - papéis usados em desenho técnico;
no desenho topográfico e arquitetônico    - elaborar legendas técnicas.                 - técnicas de arquivamento e dobras do papel;
                                          - conhecer os polígonos e calcular suas       - legendas técnicas: conhecer suas medidas, localização
                                          superfícies.                                  e emprego;
                                          - conhecer escalas.                           - escalas;
                                          - conhecer as técnicas para representar o     - linhas utilizadas para confeccionar os desenhos
                                          perfil do terreno.                            técnicos;
                                          - representar as curvas de nível e desnível   - desenho de plantas arquitetônicas;
                                          em plantas altimétricas.                      - desenho de plantas topográficas;
                                          - utilizar o material empregado em            - desenho do perfil do terreno;
                                          desenho técnico.                              - desenho de plantas altimétricas;
                                          - utilizar a caligrafia técnica.              MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO
                                          - aplicar os papéis usados em desenho e       - materiais litóides: pedra, areia, saibro,cal,betume e
                                          dobrá-los tecnicamente.                       cimento;
                                          - fazer legendas técnicas posicionando-as     - materiais cerâmicos: tijolos, telhas, manilha, azulejos,
                                          adequadamente.                                pisos e ladrilhos;
                                          - confeccionar polígonos e calcular sua       - madeira: brancas e de lei, compensados, aglomerados,
                                          superfície.                                   estudo de diferentes tipos de tratamentos químicos de
                                          -       aplicar       escalas    usando-as    palanques e pé direito;
                                          adequadamente.                                - materiais industriais: ferro, aço, zinco, cobre, chumbo,
                                          - usar as técnicas de representação do        fibrocimento, plástico;
                                          perfil do terreno.                            TÉCNICAS DE CONSTRUÇÕES
                                          - desenhar as curvas de nível e desnível      - trabalhos preliminares: infra-estrutura, terraplanagem,
                                          em plantas altimétricas.                      organização de praça de trabalho, estudo do subsolo
                                          - desenhar plantas baixas e de cortes         elaboração de programas e de projetos;
                                          longitudinais e transversais;                 - projetos: anteprojetos, parte gráfica (planta baixa, corte,
                                          - calcular as quantidades e os custos dos     planta de cobertura, planta de situação, fachada e
                                          principais     materiais      de construção   detalhes), parte descritiva (memorial descirtivo,
                                          utilizados nos projetos;                      especificações e orçamento);
                                          - elaborar projetos de pequeno porte de       - alicerces: tipos de fundações, marcação dos
                                          algumas construções rurais.                   alinhamentos, escavações, sapatas e estacas;
                                                                                        - concreto: concreto armado, traços, lajes, pilares e
                                                                                        andaimes.
                                                                                        alvenaria: pedra, tijolo e concreto;
                                                                                        - revestimento: finalidades e traços;
                                                                                        - pintura: tipos e utilização;
                                                                                        - coberturas: estrutura, materiais usados, diferentes
                                                                                        pesos, formatos, inclinações e tesouras;
                                                                                        -    acabamentos:        ferragens   elétricas,   hidráulica,
                                                                                        equipamentos, vidros, pintura, e pisos;
                                                                                        - armazenagem para grãos;
                                                                                        PROJETOS ZOOTÉCNICOS
                                                                                        - Sede da Propriedade Rural: confeccionar projeto de
                                                                                        uma sede de propriedade rural, localizando corretamente
                                                                                        as obras;
                                                                                        - galpão rural: confeccionar projeto com suas
                                                                                        especificações e orçamento;
                                                                                        - curral de manejo: confeccionar e dimensionar projetos
                                                                                        de pequeno porte e médio com suas especificações e
                                                                                        orçamento.
Bibliografia Básica referente:
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. Representação de projetos de arquitetura - NBR 6492. Rio
de Janeiro: ABNT, 1994.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT.. Folha de desenho: leiaute e dimensões - NBR 10068. Rio
de Janeiro: ABNT, 1987.
COSTA, C.E.S. Caderno de apoio expressão e representação gráfica II: fundamentos de desenho arquitetônico.
Imprensa Universitária da UFRRJ, 2003. v.1
COSTA, C.E.S. Caderno de apoio expressão e representação gráfica II: representação do projeto arquitetônico.
Imprensa Universitária da UFRRJ, 2003. v.2
MONTENEGRO, G. Desenho arquitetônico. 3. ed. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 2001.
PRINCIPE, A.R. Geometria descritiva. Bertrand. Rio de Janeiro Vol. I, Briquiet.
PRINCIPE, A.R. Geometria descritiva. Bertrand. Rio de Janeiro Vol. II, Briquiet.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular                          Período           C. H. semanal                Carga-horária total
Orientação de Estágio                       2º Sem.           1                            16
Área                                        Subárea           Função                       Subfunção

Competências                                Habilidades                                    Bases Tecnológicas
- Conhecer os fatores relevante a pratica   - realizar atividades relacionadas a           - regulamento de estágio;
do estágio supervisionado.                  preparação         para      o      estágio    - elaboração de relatórios;
- compreender estratégias, metodologia e    supervisionado.                                - comunicação;
processos tecnológicos em empresas          - relacionar os fatores relevantes à prática   - criatividade;
ligadas à área.                             de estágio supervisionado.                     - trabalho em equipe;
                                            - desenvolver atividades técnicas em           - empatia;
                                            empresas ligadas à área.                       - educação, trabalho e sociedade;
                                                                                           - entrevista;
                                                                                           - emprego x empregabilidade;
                                                                                           - convênios e parcerias;
                                                                                           - análise de práticas desenvolvidas em empresas
                                                                                           conveniadas para estágio.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.

Unidade curricular      Período                               C. H. semanal                Carga-horária total
Monitoramento, Controle 2º Sem.                               6                            96
e Avaliação do Processo
Produtivo II
Área                    Subárea                               Função                       Subfunção

Competências                                Habilidades                                    Bases Tecnológicas
- incentivar o interesse do aluno pelo      - desenvolver técnicas relacionadas as         - paisagismo;
curso de Agricultura com atividades extra   ueps como:                                     - floricultura;
sala de aula;                               - manejo de jardins;                           - produção sob plasticultura;
- despertar no aluno o sentimento de zelo   - manejo de olerícolas;                        - produção orgânica de hortaliças;
pelo patrimônio da instituição.             - atividades relacionadas à fruticultura;      - poda de frutíferas de inverno;
                                            - habilidades relacionadas à mecanização       - propagação de plantas frutíferas;
                                            agrícola;                                      - regulagem de pulverizadores;
                                            - atividades relacionadas à silvicultura;      - operacionalidade de tratores;
                                            - processamento de alimentos de origem         - produção de mudas arbóreas;
                                            vegetal.                                       - reflorestamento de mata ciliar;
                                                                                           - conservação pós-colheita de vegetais;
                                                                                           - industrialização de geléias.
Estratégia Pedagógica: Metodologia de projetos. As estratégias serão detalhadas e
apresentadas no planejamento de ensino por unidade curricular.
Bibliografia Básica referente:
ARRUDA, M.B. et al. (2001) Ecossistemas Brasileiros. Ed. IBAMA. Brasília.
CAVALHEIRO, F. Urbanização e alterações ambientais. TAUKA, S. M. (org.). Análise ambiental: uma visão
multidisciplinar. São Paulo: Editora da UNESP, 1995.

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:37
posted:10/14/2011
language:Portuguese
pages:18