Faubai - 20 anos by xiaohuicaicai

VIEWS: 2 PAGES: 47

									O Processo de Internacionalização das
   Instituições de Ensino Superior

    Avaliação, Qualidade e Pertinência da
          Cooperação Internacional

                 Bonito – MS
                 Abril de 2008
          “No primeiro ou segundo dia, todos
apontávamos para nossos países. No terceiro e
    no quarto dia, estávamos apontando para
        nossos continentes. No quinto dia, só
              percebíamos uma única Terra.”
  Príncipe Sultão Bin Salmon Al-Saud, astronauta da Arábia Saudita
            Tópicos para reflexão
• Internacionalização das IES
     – Retrospectiva histórica
     – Definições
     – Situação atual no mundo, no Brasil e na UCS
•   Educação Superior para o Século XXI
     – Declaração da UNESCO
•   Estratégias para Internacionalização
     – Estratégias para a gestão, para o ensino, para
       a pesquisa e para a extensão
            Tópicos para reflexão
• Bases para elaboração de diagnósticos da
    Cooperação Internacional
•   Bases para elaboração de planos estratégicos
    para a Cooperação Internacional
•   Bases para avaliação da Cooperação
    Internacional
•   Perspectivas – CRES – Cartagena e Paris +11
            Em outras palavras...
•   O que é internacionalização?
•   Por que internacionalizar?
•   Para que internacionalizar?
•   Quem são os atores da internacionalização?
•   Quando ocorre a internacionalização?
•   Como internacionalizar? De que forma?
•   Onde ocorre a internacionalização?
•   Por onde começar...
          Retrospectiva Histórica
►O caráter internacional das universidades está presente
 desde a Idade Média com a criação das primeiras escolas
 européias. (Paris, Bolonha, Oxford)

►As “universitas” contavam com professores e estudantes
 de diferentes regiões e países, formando comunidades
 internacionais.

►As comunidades reuniam-se em torno de um objetivo
 comum: o conhecimento.

                       (História das Universidades – Charle & Verger)
           Retrospectiva Histórica
►Era antes de Cristo: jovens da sociedade romana iam à
Grécia (Atenas, Rodes, Alexandria, Pérgamo).
►Professores Gregos eram “importados” para fundar escolas
em Roma.
►Queda do Império: ascenção das Universidades.
►Séc. XII e XIII: estabelece-se o conceito de Universidade
na Europa. (Universidade de Salamanca – 1218)
           Retrospectiva Histórica
► Difusão do conhecimento por áreas de excelência: Paris
(teologia), Orléans e Bolonha (direito), Salerno (medicina).
► Renascença: estímulo para os intercambistas (Florença,
Cambridge, Basel).
►Séc. XVII e XVIII: lançamento do “Grand Tour”(melhores
estudantes-melhores universidades na Alemanha, França,
Itália e Grã-Bretanha).
           Retrospectiva Histórica
►Séc XIX: Revolução Industrial: outros países começam a
exportar intecambistas (China e Japão).
►Pós-guerra: mudança no conceito de “viagens de
estudos”. Foco no aprendizado para convivência pacífica
entre os povos.
►1950: estudos para a educação para a PAZ. França e
Alemanha iniciaram o movimento de programas
governamentais para intercâmbio cultural. Reconstrução dos
países pós-guerra.
           Retrospectiva Histórica
►No ano de 1978 são criadas as primeiras Assessorias de
Relações Internacionais nas Universidades Brasileiras.
►No ano de 1988 o Conselho de Reitores das Universidades
Brasileiras cria o FAUBAI.
►Em 1998, no encontro realizado em Paris, a Unesco
determina que a cooperação internacional deve ser buscada
por todas as IES.
►Em 2008, o Faubai completa 20 anos!!!
     Declaração da UNESCO - 1998
• Uma universidade que quer marcar presença e
    ter liderança no campo da educação superior e
    no desenvolvimento científico e tecnológico tem
    como imperativo, hoje em dia, o incremento de
    suas relações interinstitucionais e internacionais.
•   A expansão da dimensão internacional da
    educação superior, mais do que uma opção, é
    uma responsabilidade de todas as instituições
    para todos os programas.
                                          (in Gacel – 2004)
     O que é internacionalização?
• A internacionalização se refere a um processo de
  mudanças organizacionais, de inovação
  curricular,de desenvolvimento profissional do
  corpo acadêmico e da equipe administrativa, de
  desenvolvimento da mobilidade acadêmica com
  a finalidade de buscar a excelência na docência,
  na pesquisa e em outras atividades que são
  parte da função das universidades.

                                        (Rudzki, 1998)
    O que é internacionalização?
• A internacionalização das instituições é o
 processo de introdução da dimensão
 internacional na cultura e na estratégia
 institucional, nas funções de formação,
 investigação e extensão e no processo da
 oferta e de capacidades da universidade.

                           (Jesús Sebastián, 2004)
 Internacionalização das Instituições
         de Ensino Superior
• Confusões a serem evitadas:
     • O processo de internacionalização não se refere somente
       à organização de atividades internacionais (seminários,
       congressos, programas de intercâmbio).
     • Ter programas de intercâmbio e ter estudantes
       estrangeiros também não significa ser uma instituição
       internacional.
     • Ter atividades internacionais é diferente de ter uma
       política de internacionalização institucional, parte
       integrante do desenvolvimento estratégico da instituição.
                                                (Harrari, 1989)
   Declaração da UNESCO - 1998
• As instituições devem...
  – tomar a iniciativa de internacionalização no
    lugar de somente reagirem diante das forças
    externas resultantes da globalização;
  – conceber a cooperação internacional como
    parte integrante das suas missões
    institucionais e portanto devem criar
    mecanismos e estruturas apropriadas para
    promovê-la e organizá-la.
Por que surge a internacionalização?
• Maneira como os países respondem aos impactos do
  fenômeno da globalização.

• Resposta pró-ativa, conjunto de esforços das
  universidades para adaptarem-se a um mundo
  globalizado.

• A internacionalização promove o reconhecimento, o
  respeito pelas diferenças e pela identidade cultural,
  enquanto a globalização desenvolve a homogeinização.
                                                 (Gacel – 2004)
         Para que internacionalizar?
• Melhorar a qualidade, a pertinência e a relevância da
    docência, da pesquisa e da extensão universitária.
•   Articular a instituição no contexto mundial da educação
    superior.
•   Abrir novos espaços para a projeção internacional e para
    a vinculação com outras redes acadêmicas
    internacionais.
•   Consolidar valores como a cooperação e a solidariedade
    na cultura institucional.
•   Ampliar as oportunidades de empregos aos egressos.
                                        (Jesús Sebastián - 2004)
      Para que internacionalizar?

• O objetivo da internacionalização deve ser
  inculcar nos estudantes, na equipe acadêmica e
  na equipe administrativa, novos conhecimentos,
  novas habilidades e atitudes que lhes permitam
  atuar de maneira eficaz num meio global,
  interdependente, internacional e multicultural.

                                         (Gacel, 2004)
      Para que internacionalizar?
• Para garantir a qualidade da educação através de:
  – maior aprofundamento dos conteúdos acadêmicos
    graças a sua perspectiva interdisciplinar, inter-cultural e
    internacional;
  – inovação curricular e dos métodos de ensino;
  – enriquecimento acadêmico através do intercâmbio de
    experiências e de conhecimento;
  – enriquecimento do indivíduo através da experiência
    internacional;
  – impacto positivo na excelência da gestão universitária.
     Declaração da UNESCO - 1998
• Os líderes das instituições de ensino superior,
    com o apoio de todos os membros da
    comunidade acadêmica, devem desenvolver
    políticas e programas institucionais de
    internacionalização claros.
•   Os programas deverão estar integrados à vida
    da instituição e gozar de financiamentos
    adequados provenientes de fontes internas e
    externas.
Quem são os atores da internacionalização?
 • Atores internos
    – Equipe acadêmica (professores, alunos, pesquisadores,
      colaboradores)
    – Equipe administrativa (gestores)

 • Atores externos
    – Agências de fomento (Capes, CNPq, Fapergs) (DAAD,
      Edufrance, British Council, Comissão Fulbright, AECI)
    – Organismos internacionais (ONU, OEA, BID, OCDE)
    – Governos nacionais e estrangeiros (MEC, MRE, MCT)
    – Instituições de educação superior
    – Organismos de investigação e desenvolvimento
Quem são os atores da internacionalização?
 • Para que o processo de internacionalização
   realmente ocorra é necessário o envolvimento
   de toda a comunidade acadêmica interna da
   instituição.

 • Fundamental, também, é a sua interlocução com
   os agentes externos que promovem a efetiva
   internacionalização institucional.
Quando ocorre a internacionalização?
• Quando houver vontade política dos dirigentes.
• Quando deixar de ser vista como um apêndice
    na vida acadêmica.
•   Quando passar a ser tratada como parte
    integrante dos planos estratégicos institucionais.
•   Quando houver uma política definida para sua
    implantação, com metas e prazos definidos.
•   Quando fizer parte da vida acadêmica da
    instituição.
•   Quando for publicamente divulgada e estiver
    escrita como uma das metas institucionais.
  Onde ocorre a internacionalização?
• A cooperação internacional pode ser
 desenvolvida em quatro diferentes
 âmbitos:
  – Gestão universitária
  – Ensino (formação, graduação, pós-graduação)
  – Pesquisa
  – Extensão
                               (Jesús Sebastián-2004)
Cuando leo algo sobre la vida de quienes se
     han distinguido en la sociedad y en la
 comunidad, siempre me ha sorprendido el
impacto que la atribuyen el hecho de haber
                estudiado fuera de su país.

                                      Pamela Cox
                                  Vice-Presidente
                   Banco Mundial – América Latina
 Como ocorre a internacionalização?
• No âmbito da gestão universitária
   – Participação dos gestores:
      • Intercâmbios, troca de informações com outros
        gestores (Centros IGLU)
      • Participação em Fóruns de discussão (Bibliotecas,
        Egressos - RLCU, COLAM)
      • Programas de capacitação (Gestores de Cooperação
        Internacional – FAUBAI)
      • Assessorias e consultorias
      • Formação da equipe administrativa (Educação a
        distância )
      • Desenvolvimento das políticas de cooperação
        internacional
          Como internacionalizar?
• No âmbito da graduação
     • Programas de Mobilidade Acadêmica Internacional
     • Oferta de cursos em parceria (double degrees,
       joint degrees)
     • Atualização curricular e modernização dos
       métodos de ensino
     • Inclusão de conteúdos internacionais
     • Participação de professores estrangeiros no corpo
       docente
     • Presença de estudantes estrangeiros (PEC-G e
       convênios)
     • Oferta de missões ao Exterior
          Como internacionalizar?
• No âmbito dos estudantes
     • Estudantes de graduação
        –Cursos de carreira completa
        –Cursos parciais dos estudos
        –Cursos de formação complementar
        –Cursos de línguas estrangeiras
        –Cursos profissionalizantes
        –Atividades profissionais
        –Estágios no Exterior
         Como internacionalizar?
•No âmbito da pós-graduação
       – Oferta de cursos colaborativos
       – Oferta de cursos conveniados
       – Desenvolvimento de programas conjuntos
         (dois diplomas)
       – Desenvolvimento de programas
         interinstitucionais (colégio doutoral franco-
         brasileiro, escola de altos estudos)
       – Presença de Professores estrangeiros nos
         cursos oferecidos
       Como internacionalizar?
• No âmbito dos estudantes
    • Estudantes de pós-graduação
       – Cursos de pós-graduação integral (Erasmus
         Mundus)
       – Cursos de pós-graduação parcial (Sandwich)
       – Cursos específicos (Especializações – Maestrias)
       – Cursos de formação complementar (ALBAN)
       – Cursos de formação avançada (União Européia)
       – Atividades profissionais (INSA)
       – Formação de investigadores (Becas Santander)
        Como internacionalizar?
• No âmbito da pesquisa
     • Mobilidade de investigadores
     • Intercâmbio de informações/publicações
     • Realização de eventos científicos internacionais
     • Formação de centros/cátedras internacionais de
       pesquisa
     • Melhoria da infra-estrutura, equipamentos para
       pesquisa com recursos internacionais
     • Participação em redes de investigação
     • Atividades de difusão e de transferência de
       tecnologia em nível internacional
        Como internacionalizar?
• No âmbito da extensão
     • Intercâmbios de difusão cultural
     • Participação em redes e organizações institucionais
       internacionais (RLCU, OUI, AULP, Grupo Tordesillas,
       Rede Mediterrâneo, IAUP)
     • Difusão cultural da instituição no exterior
     • Atividades culturais na universidade
     • Programas de educação continuada
     • Vinculação internacional universidade-empresa
       (Engenharia – Alemanha)
              Por onde começar...
• Definição de alguns princípios para desenvolver um plano de
  internacionalização
   – Os processos de internacionalização requerem políticas
      ativas que definam objetivos e estratégias para alcançá-
      los.
   – A internacionalização está associada a mudanças culturais
      e institucionais que precisam de acompanhamento
      contínuo por parte das autoridades acadêmicas.
   – A combinação adequada das políticas, instrumentos e
      capacidades de gestão são uma garantia para avançar no
      processo de internacionalização de uma universidade.
Internacionalização das Instituições de
           Ensino Superior
• Bases para a elaboração de um plano estratégico
  – Decisão por parte dos dirigentes da universidade.
  – Constituição de comitês responsáveis pelo processo de
    internacionalização.
  – Elaboração de um diagnóstico sobre o nível de
    internacionalização da instituição.
  – Definição dos objetivos prioritários para a
    internacionalização.
  – Elaboração de um plano de ação para o estabelecimento
    do processo de internacionalização institucional.
   Internacionalização das Instituições de
              Ensino Superior
• Elaboração do diagnóstico
   – Identificação das parcerias e dos contatos já existentes
     (convênios ativos, convênios existentes mas inativos)
     (contatos individuais dos professores e dos investigadores,
     contatos institucionais)
   – Identificação das filiações a redes, associações,
     organismos internacionais (ativos, inativos)
   – Levantamento da mobilidade já existente
   – Levantamento das dificuldades internas e externas
   – Levantamento de potencias interessados já disponíveis na
     instituição
   – Identificação de fontes de financiamento disponíveis
   Internacionalização das Instituições de
              Ensino Superior
• Elaboração do plano de ação
     • Justificativa do plano de ação
     • Objetivos para a cooperação internacional
     • Âmbitos e modalidades da cooperação
     • Metas e indicadores do cumprimento do plano
     • Instrumentos para a cooperação
     • Financiamento do plano e das ações
     • Gestão do plano
     • Difusão dos resultados
     • Avaliação dos impactos
  Internacionalização das Instituições de
             Ensino Superior
• Avaliação da cooperação internacional
    • “A intensidade da cooperação se define como a
      quantidade de atividades de cooperação
      internacional de uma instituição com relação às
      suas capacidades e potencialidades”.



                                      (Jesús Sebastián – 2004)
     Internacionalização das Instituições de
                    Ensino Superior
•   Avaliação da cooperação internacional
       • Caracterização da instituição
       • Caracterização da unidade gestora da cooperação
          internacional
        • Estratégias para a cooperação internacional
        • Atividades de cooperação internacional
        • Financiamento para a cooperação internacional
        • Resultados e impactos da cooperação internacional
        • Debilidades
        • Mudanças necessárias
     Internacionalização das Instituições de
                     Ensino Superior
•   FAUBAI
     •Ampliação do número de associados
     •Criação do site Faubai
     •Ativação dos Conselhos Consultivo e Deliberativo
     •Revisão de Estatutos
     •Inserção internacional do Fórum
     •Interlocução com Agências Nacionais e Internacionais
     •Aproximação com as Associações congêneres (AMPEI)
     •Oferta de cursos e seminários de capacitação
     Internacionalização das Instituições de
                     Ensino Superior
•   FAUBAI
     •Realização de missões ao Exterior (USA, UK, AU)
     •Participação em feiras de educação internacional
    (stands)
    •Material de divulgação (fôlderes, video institucional)
    •Lançamento de livros, publicação de artigos
    •Assessorias e conslutorias (CRUB, ABRUC)
    •Entrevistas (Universia, Revista Ensino Superior)
    •Palestras em eventos internacionais e nacionais
    •Canal de comunicação - Fale conosco
     Internacionalização das Instituições de
                   Ensino Superior
•   FAUBAI
     •Faubai de Norte a Sul
     •Faubai de todos os segmentos
     •Faubai de todos os tipos de ies
     •Faubai pela internacionalização das instituições
     de ensino superior
     •Faubai pela sua própria internacionalização
 Processo de Internacionalização das
   Instituições de Ensino Superior

•Paradigmas globais
•Políticas nacionais
•Atuação dos gestores
•Parâmetros e indicadores
•Estratégias de intrnacionalização
•Qualidade nos programas de pós-graduação
•Parcerias internacionais para pesquisa
 Processo de Internacionalização das
   Instituições de Ensino Superior
           Faubai – 20 anos

•Programas internacionais de intercâmbio
•Organismos acadêmico-científicos
•Novas políticas para internacionalização
   • Pesquisa e pós-graduação
   • Mobilidade acadêmica
   • Cooperação para o desenvolvimento
Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.
 Deus quis que a terra fosse toda uma.
  Que o mar unisse, já não separasse.

             Fernando Pessoa
 Muito obrigada pela atenção e pelo
“presente” de ter Presidido o Faubai.
Contatos:
• Profa. Luciane Stallivieri
      • Universidade de Caxias do Sul
        Assessoria de Relações Internacionais
        Assessora
        E-mail: lstalliv@ucs.br ou internacionais@ucs.br
        Site: www.ucs.br
      • Fórum das Assessorias das Universidades Brasileiras
        para Assuntos Internacionais – FAUBAI
        Presidente
        E-mail: faubai@ucs.br
        Site: www.faubai.org

								
To top