Docstoc

Rel_LNA_2003

Document Sample
Rel_LNA_2003 Powered By Docstoc
					                    MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA
                                  SECRETARIA-EXECUTIVA
              SUBSECRETARIA DE COORDENAÇÃO DAS UNIDADES DE PESQUISA




                  Termo de Compromisso de Gestão


                                           2003

                    Relatório de Acompanhamento Anual




                     Laboratório Nacional de Astrofísica

JANEIRO 2004Sumário
Os maiores problemas enfrentados pelo LNA em 2003 – o os maiores sucessos alcançados –
referem-se ao financiamento da participação brasileira nos observatórios internacionais Gemini e
SOAR. As referentes atividades estão bem documentadas e foram relatadas ao SCUP várias
vezes, em outras ocasiões. Este relatório não trata dos mesmos porque o gerenciamento do
Gemini e SOAR entra somente de forma bastante marginal nos indicadores de desempenho
pactuados no TCG. Portanto, relata-se aqui principalmente assuntos do gerenciamento do LNA em
geral e do Observatório do Pico dos Dias (OPD).




                                              -1-
Existem problemas e ameaças para o LNA além da governabilidade da instituição. O mais
importante destes é a escassez de servidores. As áreas que sofrem mais da falta de recursos
humanos são:
   A Coordenação de Apoio Científico que não possui recursos o suficiente para fornecer apoio
    qualificado aos usuários do OPD, do Gemini e muito em breve, do SOAR.
   A Coordenação de Tecnologia que sofre principalmente a falta de tecnólogos na área de
    elétrica-eletrônica, dificultando em muito o desenvolvimento instrumental, um dos alvos
    estratégicos mais importantes do LNA.
   A Coordenação do Observatório do Pico dos Dias, responsável pela operação da infra-estrutura
    observacional do LNA, e portanto, pelo aspecto mais imediato da sua missão. Neste contexto a
    recente decisão do TCU, impedindo o uso do bolsas PCI para atividades contínuas, apresenta
    uma grave ameaça para o LNA.
Além desses problemas específicos, a diminuição contínua do número de servidores devido às
aposentadorias e – lamentavelmente – até falecimento de funcionários, sem renovação do quadro
de servidores, apresenta um perigo latente para o LNA.
Os problemas relacionados aos recursos humanos atingem diretamente a primeira das três
recomendações de ação do Relatório Tundisi para o LNA, que diz “ampliar as condições de infra-
estrutura operacional e tecnológica, renovando investimento em nova instrumentação, de maneira
constante, de tal sorte a manter o LNA capacitado a prestar serviços à comunidade...” O LNA
planejou atender outro aspecto da mesma recomendação através da compra de um novo CCD
científico, investimento de grande porte. Porém, isso foi impossibilitado pela necessidade de usar
uma fração significativa de recursos da ação 4126 do PPA (Pesquisa e Desenvolvimento em
Astrofísica e Astronomia no LNA) para o financiamento do Gemini a fim de evitar prejuizos graves
para a comunidade astronômica nacional.
A segunda recomendação do Relatório Tundisi refere-se à construção de “...novas instalações
junto à sede em Itajubá...”. Em atendimento à recomendação, o LNA realizou trabalhos
preparativos para a construção de um novo prédio de laboratórios e oficinas (planejamento,
terraplanagem etc.) e iniciou a própria construção. Neste contexto o LNA fica bastante prejudicado
pela indisponibilidade de recursos do CT-Infra.
Neste relatório o LNA informa sobre o desempenho institucional, medido através das metas
referentes aos índices de desempenho pactuados no Termo de Compromisso de Gestão – TCG
entre o MCT e o LNA. A tabela 1 compara, de forma sumária, os valores numéricos dos índices
com os valores realizados. A Figura 1 visualiza-as de forma gráfica, mostrando, para cada índice, o
quociente entre os valores realizados e pactuados.
De forma geral, o LNA considera satisfatório o grau com que atingiu as metas, principalmente
levando em consideração que as premissas enumeradas no Anexo II do TCG, no que se
refere à transferência de recursos financeiros ao LNA (ítens 1 e 4 do anexo), não foram
cumpridas pelo Governo Federal, sendo que em muitos casos, valores mais elevados do que os
pactuados foram alcançados. Somente com relação a dois índices o LNA ficou significativamente
atrás das expectativas: (1) o número de pós-docs (o LNA conseguiu atrair somente um pós-doc em
vez dos dois previstos) e (2) a receita própria (devido à falta de oportunidade de arrecadar recursos
do CT-Infra em 2003).
Neste momento, após o primeiro ano de vigência de um TCG entre o MCT e o LNA, nos parece
adequado não somente para avaliar o desempenho do LNA com relação as metas pactuadas no
TCG, mas também para avaliar criticamente os próprios índices de desempenho à luz das
experiências do ano passado.
É importante conscientizar-se que os índices de desempenho e as metas associadas deverão
estar voltados à finalidade institucional. No caso do LNA essa finalidade é o aumento da
quantidade e principalmente da qualidade (do impacto) da produção científica na área da
astronomia observacional na faixa óptica (e infravermelha) pela comunidade astronômica brasileira.
Normalmente existem muitos caminhos para atingir a finalidade da instituição. É importante evitar a
tentação, muitas vezes cômoda, de associar metas aos caminhos, em vez da finalidade. Não faz
sentido gastar muita energia e recursos em desenvolver determinados métodos para aumentar a



                                                -2-
produtividade somente para atingir uma meta associada, enquanto o método torna-se ineficiente
ou obsoleto enquanto outros métodos surgem, levando à finalidade institucional com mais
facilidade.
Reconhece-se num quadro de quase 20 índices de desempenho institucional qu a presencá
somente de índices diretamente voltados à finalidade (índice-fim), sem nenhum índice voltado à
caminhos ou métodos (índice-meio), é praticamente impossível. Também reconhece-se que uma
classificação de índices entre índices-fim e índices-meio é grosseira demais. Existem casos
intermediários. Porém, deve-se abandonar os casos mais óbvios de índices-meio e tentar
reformular outros de forma que se aproximam o mais que possível a índices-fim.
A grosso modo, os índices podem ser separados em dois grupos distintos (reconhecendo que
existem superposições): (i) os índices propostas pelo LNA e (ii) os índices propostas pelo MCT.
Enquanto os índices do grupo i refletem a situação específica do LNA, aqueles do grupo ii tem
caráter mais geral. Nesta avaliação concentramo-nos naqueles índices que, segundo nossa
opinião, apresentam problemas na sua forma atual e que precisam de uma revisão, ou no seu
conceito, ou nos detalhes da definição.
1. PPACI: Programas, Projetos e Ações de Cooperação Internacional:
   Conforme sua missão, qualquer cooperação internacional do LNA deve visar, em primeira
   instância, a melhora das condições da comunidade para realizar pesquisas na área da
   astronomia. Medidas de cooperação para fomentar as pesquisas dos pesquisadores do próprio
   LNA somente se enquadram na missão do LNA quando se leve em conta que estes
   pesquisadores também representam parte da comunidade. Não pode ser motivo principal.
   Portanto, a situação do LNA é diferente de outras Unidades de Pesquisa, que não tem como
   objetivo prestar serviços à uma comunidade nacional, mas, sim, promover pesquisas na
   própria casa. Colaborações internacionais do LNA deverão surgir ou da necessidade da
   comunidade, ou de um entendimento do LNA que tais colaborações a beneficiarão. Definir um
   certo número de programas, projetos e ações de cooperação internacional como meta
   institucional é perigoso pois implica no risco de desperdício de tempo formalizando e
   promovendo a colaboração só para cumprir a meta, sem que isso traz benefícios.
   Colaborações internacionais poderão ser importantes medidas para atingir certas metas, mas
   não deverão ser índices de desempenho per se. Trata-se de um índice-meio.
2. PPACN: Programas, Projetos e Ações de Cooperação Nacional:
   É o objetivo do LNA como Laboratório Nacional desenvolver programas, projetos de ações em
   conjunto com a comunidade científica nacional. Diferente de outras Unidades de Pesquisa do
   MCT, que em princípio (não necessariamente na prática!) possam cumprir sua missão sem
   nenhuma cooperação com outros entidades nacionais, o LNA existe para fornecer serviços à
   comunidade e portanto, para colaborar com ela. Isso se reflete no fato de que o valor numérico
   do PPACN é dominado pelo número de projetos científicos desenvolvidos nos observatórios
   sob responsabilidade do LNA, enquanto outras cooperações em nível nacional somente
   apresentam 5 – 10 % do total. Neste contexto fica questionável qualquer tentativa de aumentar
   o valor do índice. Faz sentido se isso implicar no aumento quantitativo dos recursos
   observacionais oferecidos pelo LNA à comunidade astronômica. O início das operações do
   telescópio SOAR, por exemplo, apresenta tal aumento. Porém, após isso não se espera mais
   nada semelhante no futuro previsível. Considerando que o número de noites disponíveis no
   ano nos telescópios do LNA é fixo (e que o número de noites perdidas por problemas técnicas
   ou obras de manutenção/engenharia é pequeno), elevar o número de projetos científicos
   implica necessariamente na diminuição do tempo médio disponível para cada projeto. Porém,
   isso não faz sentido porque haja risco de diminuir a qualidade das pesquisas. De fato, o LNA
   está cogitando oferecer mais espaço para projetos de longo prazo nos telescópios do OPD,
   uma vez o SOAR estando plenamente operacional, para elevar a competitividade do OPD, e
   para abrir novo nichos prometedores para a comunidade, mesmo se isso implicar na
   diminuição do número de projetos desenvolvidos. Outro aspecto é a demanda dos recursos
   oferecidos pelo LNA. O LNA deverá oferecer os recursos conforme a demanda da
   comunidade. Mesmo que o LNA, de certa forma, possa e deve incentivar a demanda, cabe em
   primeira linha à comunidade (e à política superior de Ciência e Tecnologia) criar essa



                                              -3-
   demanda. Se a oferta de recursos ficar acima da demanda, o número de projetos
   observacionais, a serem desenvolvidos nos telescópios do LNA, e portanto o PPACN, não
   poderão ser elevados.
   Conseqüentemente, um índice medindo quantitativamente os programas, projetos e ações de
   cooperação nacional deveria ser substituído por um índice que meça as qualidades de tais
   cooperações. Reconhece-se, porém, as grande dificuldades em achar uma forma objetiva de
   medir tal qualidade.
3. PPBD: Índice de Projetos de Pesquisa Básica Desenvolvidos:
   Esse índice é extremamente subjetivo, dependendo da interpretação de cada pesquisador.
   Além disso, é incapaz de medir o desempenho individual ou institucional. Tentativas para
   maximizar seu valor numérico podem até ser bastante contra-produtivo! Quanto a
   interpretação, além das problemas de delimitar diferentes linhas da pesquisa básica, discutidos
   várias vezes em outras ocasiões, como se determina que um tal projeto foi de fato
   desenvolvido pelo pesquisador? Basta que ele dedique ao projeto um dia, uma semana, um
   mês no ano? E quanto à maximização do valor? Faz sentido o pesquisador se dedicar a vários
   projetos? Ou não seria mais produtivo que ele se aprofunde em uma ou poucas linhas de
   pesquisa para poder desenvolver trabalhos melhores e com mais impacto? Ao nosso ver, a
   resposta a essas perguntas é obvio. O índice PPBD deverá ser abandonado porque não faz
   sentido.
4. IDTPD: Índice de Disponibilidade dos Telescópios do OPD
   Em princípio consideramos esse índice útil para medir o desempenho do LNA. Precisa, porém,
   de uma reformulação. A meta associada com o índice tem como intuito incentivar esforços do
   LNA de maximizar a fração do tempo durante a qual as instalações técnico-científicas do OPD
   ficam operacional, para que os usuários dos telescópios não percam valioso tempo
   observacional por causas de falhas técnicas. Na sua versão atual o índice tem uma faixa
   dinâmica muito pequena: levando em conta que a fração de tempo perdido devido à problemas
   técnicos já é pequena, em comparação com o tempo total, qualquer alteração dessa fração
   tem somente um impacto numérico muito pequeno no IDTOPD. Portanto, sugere-se modificar
   a definição do índice de maneira a aumentar sua faixa dinâmica.
5. APD: Aplicação em Pesquisa e Desenvolvimento
   O índice tem como intuito medir os gastos da instituição para atividades-fim em relação a todos
   os gastos. Maximizar o valor numérico do índice significa minimizar gastos para atividades-
   meio, ou seja, utilizar os recursos disponíveis para atividades diretamente relacionadas à
   missão da instituição. Para calcular seu valor numérico, precisa-se definir o que se entende
   sobre gastos para atividades-meio; quer dizer, onde colocar o limite entre atividades-meio e
   atividades-fim. A definição do conceito DM fornece diretrizes gerais. Porém, precisa-se de
   especificações para cada instituição devido a suas particularidades. Na sua forma atual o
   índice apresenta problemas na avaliação semestral (veja Relatório de Acompanhamento
   Semestral de 2003 do LNA). Considerando que dotações orçamentárias em “Outros”
   (benefícios) ficam fora da governabilidade da instituição, não faz sentido incluí-los no índice.
   Além disso, empenhos não executados podem distorcer o quadro, principalmente na avaliação
   semestral. Portanto, sugere-se simplificar a definição do índice através de uma redefinição do
   conceito OCC para, ao mesmo tempo, facilitar seu cálculo e torná-lo mais transparente. Neste
   sentido sugere-se que o OCC seja o somatório das dotações em Custeio e Capital (sem
   “Outros”), das fontes 100 e 150, efetivamente liquidadas no período. Desta forma, o índice
   mede diretamente a fração dos gastos para atividades-fim relativo ao gastos totais sobre os
   quais a instituição tem governabilidade. No caso específico do LNA, despesas para Gemini e
   SOAR da ação 0803 do Plano Plurianual também não deverão ser incluídos no OCC porque
   estes, pela sua natureza, somente poderão ser utilizados para atividades-fim.
6. ITC: Investimentos em Capacitação e Treinamento
   Sem dúvida alguma, capacitação e treinamento dos servidores são assuntos muito importantes
   e necessitam do fomento das instituições. Porém, como já foi dito em outro lugar, um índice
   que mede somente os gastos para tais atividades, sem nenhuma preocupação referente a sua


                                               -4-
   eficiência, não tem sentido. Questiona-se também a inclusão de salários no cálculo do índice.
   Isso torna muito fácil atingir um valor numérico alto, sem ônus aos recursos sob
   governabilidade das instituições. Sugere-se uma definição do ITC tendo como base um
   sistema de pontuação para diversas medidas de capacitação e treinamento, semelhante a
   definição do Índice de Divulgação Científica e Tecnológica do LNA.
7. PRB: Participação Relativa de Bolsistas
   Ìsso pode ser até um índice, mas não é um índice de desempenho! Qualquer índice somente
   poderá servir para medir o empenho institucional, se for associado a uma meta. No caso do
   PRB, sequer foi definido se a instituição deverá zelar para aumentar ou diminuir seu valor
   numérico! Portanto, enquanto o conhecimento da participação relativa de bolsistas poderá ser
   uma informação gerencial interessante para o governo (que as instituições facilmente podem
   comunicar ao governo através de outros canais), fica absurdo incluir o PRB como índice de
   desempenho, com uma meta associada, no TCG, mesmo se seu peso for zero. Portanto, para
   não cair no ridículo, o PRB ou deverá ser excluído do TCG, ou o governo deverá definir
   claramente seu alvo: diminuir ou aumentar a participação relativa de bolsistas!
8. PRPT: Participação Relativa de Pessoal Terceirizado
   Aplicam-se      os     mesmos       comentários       como     no     caso      do     PRB.




                                             -5-
Tab. 1: Sumário
                                                                       º
                                                                      2 Sem / 2003           Total 2003
                Indicadores                      Unidade    Peso   Previsto Executado   Previsto    Executado   Variação (%)   Nota   Pontos
                                                             A        B          C         D            E        F=E/D*100      E     F=A*E
Físicos e Operacionais
1 – Índice de Publicações                         Pub/téc    3       0,60      0,28      1,00         0,88           88          8      24
2 – Índice Geral de Publicações                   Pub/téc    3        1,2      3,50      2,00         4,75          238         10      10
3 – Prog., Proj., Ações de Cooperação Intern.       Nº       2         2         4         10            8           80          8      16
4 – Prog., Proj., Ações de Cooperação Nac.          Nº       2        50        48        120          110           92         10      20
5 – Índice de Proj. de Pesqu. Básica              Pes/téc    2       3,00      3,00      3,00         3,00          100         10      20
6 – Número de Pós-Docs                              Nº       1         1         1          2            1          050          2       2
7 – Índ. de Publ. com Dados do LNA                  Nº       3         8       14,5        18         22,0          122         10      30
8 – Índ. de Teses com Dados do LNA                  Nº       3        10       18,3        30         37,5          125         10      30
9 – Índ. de Projetos em Instrum. Cient.             Nº       3        33        22         42           51          121         10      30
10–Índ. de Projeto Estratégicos                     Nº       3        32        21         67           58           87          8      24
11–Índ. Disp. dos telescópios do OPD                Nº       3      0,970     0,983      0,970        0,982         101         10      30
12–Índ de Divulgação Cient. e Tecnol.               Nº       2       200       149        360          361          100         10      20
Administrativos e Financeiros
1 – Aplicação em Pesquisa e Desenvolvimento           %      2       46         -          66          73           111         10      20
2 – Relação Receita Própria / OCC                     %      1       65         -          65          12            18          0       0
Recursos Humanos
1 – Investimentos em Capac. e Treinamento             %      2       1,1        -         1,5          5,4          360         10      20
2 – Participação Relativa de Bolsistas                %      0       20        19         20           20           100         10       0
3 – Part. Rel. de Pessoal Terceirizado                %      0        9         9          9            9           100         10       0
Indicador Social
1 – Índice de Inclusão Social                         Nº      2     1,40       1,60       3,00        2,64          088         8       16
TOTAIS (PESOS E PONTOS)                                      37                                                                        312
NOTA GLOBAL (TOT PONTOS / TOT PESOS)                        8,43




                                                -6-
                               0,5
                                         1,5
                                                   2,5
                                                             3,5




                           0
                                     1
                                               2
                                                         3
                                                                   4




                   IPUB


                  IGPUB


                 IPPACI


                 IPPACN


                  PPBD


                    PD




-7-
                 IPDLNA


                 ITDLNA


                   IPIC


                    IPE


                 IDTOPD




      Figura 1
                   IDCT


                   APD


                   RRP


                    ITC


                   PRB


                  PRPT


                     IIS
Índice de Publicações (IPUB)
Definição :
IPUB = NPSCI / TNSE
Unidade: publicações por técnico, com duas casas decimais.
NPSCI = Número de artigos completos efetivamente publicados em periódicos, com ISSN,
indexados no SCI (Science Citation Index), no ano.
Obs.:
    1. Não devem ser incluídos aqui os resumos e resumos expandidos apresentados a
        congressos e outros eventos similares.
    2. Os artigos e respectivos autores e periódicos deverão ser listados quando da
        apresentação do Relatório Anual do TCG.
TNSE = Somatório dos técnicos de nível superior vinculados diretamente à pesquisa
(pesquisadores, tecnologistas e bolsistas), com doze ou mais meses de atuação na Unidade de
Pesquisa/MCT completados ou a completar na vigência do TCG.
Obs.:
    1. Os técnicos do indicador deverão ser listados, em anexo, com seus respectivos
         cargos/funções.
    2. Esta variável é envolvida na definição de vários indicadores e não será repetida.
Observações:
     Contam como integrantes do grupo TNSE as seguintes pessoas: Albert Bruch, Alberto
      Rodrigues Ardila, Bruno Vaz Castilho, Carlos Alberto Torres, Germano Quast, Mariângela
      Oliveira-Abans, Maximiliano Faúndez-Abans, Marília Sartori. Destas, na data da assinatura
      deste TCG, Alberto Rodrigues Ardila ainda não completou doze meses de atuação no LNA.
      Porém, todas suas publicações em 2002 baseiam-se em pesquisas realizadas no LNA.
      Marília Sartori era bolsista do CNPq mas atualmente não possui bolsa. Mesmo assim ela
      continua trabalhando normalmente como pesquisadora no LNA.
     Contam como publicações somente artigos efetivamente publicados durante o ano da
      vigência do TCG, excluindo-se artigos que se encontram ainda em processo de publicação
      tais como artigos submetidos ou aceitos para publicação.
Memória do Cálculo:
         Variável              Primeiro semestre         Segundo semestre              Anual
NPSC                                    4                         3                        7
TNSE                                    8                         8                        8
IPUB (resultados)                     0,50                      0,38                   0,88
IPUB (previsões)                      0,40                      0,60                   1,00


Resultado anual:
IPUB = 7/8 = 0,88
Justificativa:
O resultado anual ficou levemente abaixo do previsto. A pequena diferença de uma única
publicação entre o previsto e o resultado está dentro do erro esperado devido ao “ruido
Poissoniano” e portanto não significativo. Leves atrasos na publicação de artigos também
contribuam para a diferença: por exemplo, um artigo, previsto para publicação ainda em 2003,
somente foi publicado na primeira semana de janeiro de 2004, e portanto não entra na
estatística de 2003.




                                                   -8-
 Comprovações:
 A tabela 2 contém a lista de artigos dos pesquisadores do LNA, efetivamente publicados em
 revistas indexadas em 2003. O Anexo II contém cópias das primeiras páginas destas
 publicações (somente na versão impressa deste relatório).


 Tab. 2: Relação das publicações dos pesquisadores do LNA em revistas indexadas
Autores                             Referência        Título
Barbuy B., Meléndez J. Spite M.,    Astrophys. J.     Oxygen Abundance in the Template Halo Giant
Spite F., Depagne E., Hill V.,      588, 1072         HD 122563
Cayrel R., Bonifacio P., Damineli
A., Torres C.A.O.
Bruch A.                          Astron. Astro-      Spectroscopy of the Double-lined Dwarf Nova AT
                                  phys.               Ara
                                  409, 647
Contini M., Rodrigues-Ardila A., Astron. Astro-       The narrow line region of Ark 564
Viegas S.M.                       phys.
                                  408, 101
Rodrigues C.V., Jablonski F.J., Astrophys. J.         Optical Polarization and Near-Infrared Photome-
Gregório-Hetem J., Hickel G.R., 587, 312              try of the Proto-planetary Nebula Henize 3-1475
Sartori, M.J.
Rodríguez-Ardila, A. Viegas S.M. MNRAS                Hidden Starbursts in Seyfert 1 Galaxies
                                  340, L33
Sartori M.J., Lépine J.R.D., Dias Astron. Astro-      Formation Scenarios for the Young Stellar Asso-
W.S.                              phys.               ciations Between Galactic Longitudes l = 280degr
                                  404, 913            - 360degr
Vieira S.L.A., Corradi W.J.B.,    Astron. J.          Investigation of 131 Herbig Ae/Be Candidate
Alencar S.H.P., Mendes L.T.S., 126, 2971              Stars
Torres C.A.O., Quast G.R.,
Guimarães M.M., da Silva L.
 Índice Geral de Publicações (IGPUB)
 Definição:
 IGPUB= NGPB / TNSE
 Unidade: publicações por técnico, com duas casas decimais.
 NGPB = Número de artigos efetivamente publicados em periódicos com ISSN indexados no
 SCI ou em outro banco de dados, adicionado ao número de artigos efetivamente publicados
 em revistas de divulgação científica nacional ou internacional, adicionado ao número de artigos
 completos efetivamente publicados em congressos ou eventos similares, nacionais ou
 internacionais, adicionado ao número de capítulo de livros, no ano.
 Obs.:
         1.                                    Não devem ser incluídos aqui os resumos e
              resumos expandidos apresentados a congressos ou eventos similares.
         2.                                       Os artigos e outras publicações deverão ser
              listados quando do Relatório Anual do TCG, a exemplo do IPUB.
 Observações:
    Contam como trabalhos completos publicados em anais de congressos todos os artigos
     com tamanho e estrutura que deixam claro que não se trata meramente de um sumário.
 Memória do Cálculo:
          Variável             Primeiro semestre          Segundo semestre            Anual
NGPB                                   10                        28                       38
TNSE                                    8                         8                        8
IGPUB (resultados)                    1,25                      3,50                      4,75
IGPUB (previsões)                     0,80                      1,20                      2,00


                                                    -9-
 Resultado anual:
 IGPUB = 37/8 = 4,63


 Justificativa:
 O valor do IGPUB atingido em 2003 está significativamente acima do valor previsto. Em grande
 parte, isso é devido às publicações referentes ao Workshop “Optical and Infrared
 Instrumentation for Modern Telescopes”, organizado pelo LNA (em conjunto com o Instituto do
 Milênio MEGALIT). Quando as metas do TCG foram pactuadas, o LNA ainda não planejava a
 realização do workshop e portanto as contribuições dos seus pesquisadores aos referentes
 proceedings não estavam previstas. Outro motivo para o valor elevado foi a publicação, ainda
 em 2003, dos proceedings de outro Workshop, que era previsto somente para 2004.
 Comprovações:
 A tabela 3 contém a lista de trabalhos dos pesquisadores do LNA, efetivamente publicados em
 proceedings de congressos etc. O Anexo III contém cópias das primeiras páginas destas
 publicações (somente na versão impressa deste relatório).



 Tab. 3: Relação das publicações dos pesquisadores               do LNA em proceedings de
 congressos etc.
Autores                         Referência                      Título
Almeida R., Oliveira I., de la  ApSS Lib. 299, CD-ROM           The Metallicity of Post Tauri-Stars:
Reza R., Silva L., Torres C.A.,                                 Preliminary Results
Quast G.
Castilho B.V., Gneiding C.D.,   Proceed. Workshop “Optical      The Soar Telescope Echelle Spectro-
Delabre B.                      and Infrared Instrumentation    graph – STELES
                                for Modern Telescopes”
Castilho B.V., Sarotri M.J.,    ApSS Lib .299, CD-ROM           Atmospheric Parameters and Metallic-
Daflon S,                                                       ity for a Sample of HEABE Stars
Corradi W.B.J., Vieira S.,      ApSS Lib. 299, CD-ROM           The possible Connection of PDS Her-
Guimarães M., Torres C.A.                                       big Ae/Be Stars and the Main Star
                                                                Forming Regions
Damineli A., Torres C.A.O.,        ASP Conf. Ser. 304, 166      IRAS11322-5226: a new WC/WN star
Machado M.A.
De la Reza R., da Silva L.,        Proceed. Workshop “Optical Southern Hemisphere Surveys: the
Torres C.A.O., Drake N.A.,         and Infrared Instrumentation Detection of Disks and Shells around
Bourget P., Almeida R., Oliveira   for Modern Telescopes”       Selected Young and Evolved Stars
I., Pinzon G.
de Oliveira A.C., Barbuy B.,       SPIE – The International So- The Eucalyptus Spectrograph
Campos R.P., Castilho B.V.,        ciety for Optical Engineering
Gneiding C., Kanaan A., Lee D.,    4841, 1417
Lépine J.R.D., de Oliveira C.M.,
de Oliveira, L.S.
Drake N.A., de la Reza R.,         ApSS Lib. 299, CD-ROM        Li Abundance of Post T Tauri-Stars
Quast G.R., da Silva L., Torres                                 from the Li I Lines at 6104 Å and 6708
C.A.O.                                                          Å
Faúndez-Abans M., de Oliveira-     Proceed. Workshop “Optical   Polar-Ring and Solitaire Galaxies in
Abans M.                           and Infrared Instrumentation the z ~ 0.1 – 1 Interval Through Ge-
                                   for Modern Telescopes”       mini's Eyes
Giovannini O., Castilho B.V.       Proceed. Workshop “Optical   The Temperature Control System for
                                   and Infrared Instrumentation STELES Spectrograph
                                   for Modern Telescopes”
Gneiding C.D., Castilho B.V.       Proceed. Workshop “Optical A Compact Fiber Fed Spectrograph
                                   and Infrared Instrumentation for 1 to 8m Class Telescopes
                                   for Modern Telescopes”




                                                  - 10 -
Kanaan A., Strauss C., Mendes       Proceed. Workshop “Optical      Software for data reduction of IFU
de Oliveira C., Castilho B.V.,      and Infrared Instrumentation    spectra
Ferrari F.                          for Modern Telescopes”
Lépine J.R. D., de Oliveira A.C.,   SPIE – The International So-    SIFUS: SOAR Integral Field Unit
Figueredo M.V., Castilho B.V.,      ciety for Optical Engineering   Spectrograph
Gneiding C., Barbuy B., Jones       4841, 1086
D.J., Kanaan A., de Oliveira
C.M., Strauss C.
Lépine J.R.D., Barbuy B.,           Proceed. Workshop “Optical SIFS: SOAR Integral Field Spectro-
Castilho B.V., Gneiding C.D., de    and Infrared Instrumentation graph
Oliveira A.C., Figueredo M.V.,      for Modern Telescopes”
Kanaan A., Mendes de Oliveira
C., Strauss C., Rodrigues F.,
Andrade C.R.G., Jones D.J.
Lépine J.R.D., Sartori M.J.         ApSS Lib. 299, 63         The Oph-Sco-Lup-Cen-Cru-Mus-Cha
                                                              star-formation region
Pastoriza M.G., Rodríguez-       ASP Conf. Series 290, 537    Near-IR Coronal Lines in Seyfert 1
Ardila A., Viegas S.M., Prato L.                              Galaxies
Quast G.R., Torres C.A.O., de la Proceed. Workshop “Optical A Scientific Case for a High Precision
Reza R., da Silva L.             and Infrared Instrumentation and High Stability Spectrograph for the
                                 for Modern Telescopes”       SOAR
 Tab. 3 (continuação): Relação das publicações dos pesquisadores do LNA em
 proceedings de congressos etc.

Autores                             Referência                      Título
Quast G.R., Torres C.A.O., Melo     ApSS Lib. 299, CD-ROM           A Method to Search for Associations
C.H.F., Sterzik M., de la Reza                                      of Young Stars
R., Silva L.
Rodrigues C., Sartori M.J.,         ApSS Lib. 299, CD-ROM           Polarization of Herbig Ae/Be Candi-
Gregório-Hetem J., Magalhães                                        dates and their Environment
A.M., Batalha C.
Rodríguez-Ardila A., Viegas         ASP Conf. Series 290, 245       Low-Ionization Lines in the Broad Line
S.M., Pastoriza M.                                                  Region of Active Galactic Nuclei
Rodríguez-Ardila A., Viegas         ASP Conf. Series 290, 247       O I Emission in Active Galactic Nuclei
S.M., Pastoriza M.                                                  and its Usefulness as a Reddening
                                                                    Indicator for the Broad Line Region
Sartori M.J., Gregório-Hetem J., ApSS Lib. 299, 133                 Classification of the Pico dos Dias
Hetem Jr. A.                                                        Survey Herbig Ae/Be stars
Sartori M.J., Lépine J.R.D.      Proceed. Workshop “Optical         Probing the Disk-Wind Connection in
                                 and Infrared Instrumentation       Young Stars with the SOAR Integral
                                 for Modern Telescopes”             Field Spectrograph and the Spartan
                                                                    Camera
Sediyama R.Y.Z., Castilho B.V. Proceed. Workshop “Optical           An Exposure Time Calculator for the
                                 and Infrared Instrumentation       SOAR Telescope Echelle Spectro-
                                 for Modern Telescopes”             graph
Teixeira R., Ducourant C.,       ApSS Lib. 299, CD-ROM              Optical Astrometry of X-ray Sources
Sartori M.J., Benevides-Soares                                      and possible PMS Stars Candidates
P., Muinos J.L., Périé J.P.,
Guibert J., Mallamaci C.
Torres C.A.O., Quast G.R., de ASP Conf. Series 287, 439             SACY - Present Status
La Reza R., da Silva L., Melo C.
H. F.
Torres C.A.O., Quast G.R., de la ApSS Lib. 299, 83                  SACY – a search for Associations
Reza R., da Silva L., Melo                                          Containing Young Stars
C.H.F., Sterzik M.
Torres C.A.O., Quast G.R., Melo Proceed. Workshop “Optical          Early Evolution of Stellar Multiplicity
C.H.F.                           and Infrared Instrumentation       with Modern Telescopes
                                 for Modern Telescopes”
Vasconcelos M.J., Castilho B.V., Proceed. Workshop “Optical         Online Data Reduction Software for
Cerqueira A.H.                   and Infrared Instrumentation       the STELES Spectrograph
                                 for Modern Telescopes”



                                                   - 11 -
Viera S.L.A., Corradi W.J.B.,  ApSS Lib. 299, 127                Spectroscopic Analysis of 131 Herbig
Alencar S.H.P., Mendez L.T.S.,                                   Ae/Be Candidate Stars
Torres C.A., Quast G.,
Guimarães M.M., da Silva L.
Programas e Projetos e Ações de Cooperação Internacional
(PPACI)
Definição:
PPACI = NPPACI
Unidade: número de projetos, programas e ações, sem casa decimal
NPPACI= Número de projetos, programas e ações desenvolvidos em parceria formal com
instituições estrangeiras no ano.
Obs.:
           1.           Considerar apenas os programas, projetos e ações efetivamente
                desenvolvidos em parceria formal com instituições estrangeiras, excluindo-se,
                portanto, aqueles que dependem da assinatura de um documento institucional.
                Como documento institucional/formal entende-se, também, cartas, memos e
                similares assinados/acolhidos pelos dirigentes da UP/MCT e da respectiva
                contra-parte estrangeira.
           2.           As instituições parceiras estrangeiras e os respectivos programas,
                projetos ou ações deverão ser listados em anexo específico, de acordo com a
                sua classificação (programa, projeto, ação) e período de vigência (datas de início
                e término).
Observações:
Consideram-se também programas internacionais gerenciados pelo LNA mesmo que o LNA
não seja parceiro formal do projeto (GEMINI e SOAR).
Em vez de incluir um apêndice com a lista das instituições estrangeiras, tal lista será
apresentada no relatório semestral de acompanhamento ou no relatório anual de avaliação.
Memória do Cálculo:
         Variável             Primeiro semestre            Segundo semestre          Anual
NPPACI                                 5                          4                     8
PPACI (resultados)                     5                          4                     8
PPACI (previsões)                      7                          3                    10


Resultado anual:
NPPACI = 8
Justificativa:
O valor do NPPACI para o ano 2003 ficou um pouco abaixo do valor previsto. Além das
colaborações consideradas no cálculo do índice, o LNA mantém várias outras colaborações
internacionais, principalmente no que se refere à desenvolvimento instrumental, a formalização
das quais, por diferentes motivos, não é oportuna.
Comprovações:
A tabela 4 apresenta a relação de programas, projetos e ações de colaboração internacional
em 2003. O Anexo IV contém cópias (de partes) dos documentos referentes às colaborações
(somente na versão impressa deste relatório).



 Tab. 4: Relação de programas, projetos e ações de colaboração internacional
Instituição/Pesquisador    País            Descrição




                                                  - 12 -
NSF                             E.U.A.        Participação brasileira no observatório Gemini
PPARC                           Reino Unido   (vigência: indefinida)
NRC                             Canadá
ARC                             Austrália
CONCIYT                         Chile
CONICET                         Agentina
NOAO                            E.U.A..       Participação brasileira no telescópio SOAR
UNC                             E.U.A.        (vigência: indefinida)
MSU                             E.U.A.
Telescópio SOAR                 E.U.A.        Estadia do servidor do LNA Fernando Santoro junto ao
                                              SOAR para participar na construção de um
                                              instrumento científico para o SOAR
                                              (vigência: até 2004)
Observatório Gemini             E.U.A.        Participação do servidor do LNA Alberto Rodrigues
                                Reino Unido   Ardila no comissionamento do espectrógrafo GNIRS
                                Canadá        do Gemini
                                Austrália     (vigência: até 2004)
                                Chile
                                Agentina
Universidade Nacional de        Argentina     Projeto observacional no observatório Gemini
Córdoba/                                      (vigência: ano 2003)
Ruben Diaz
Maria Paz Agueiro
Gustavo Carranza
Observatório Gemini/            Vários        Projeto observacional no observatório Gemini
Cláudia Winge                                 (vigência: ano 2003)
Observatório Gemini/            Vários        Projeto observacional no observatório Gemini
Rodrigo Carrasco                Chile         (vigência: ano 2003)
Universidad de La Serena/
Amelia Ramirez
Hector Cuevas
NOAO/                           E.U.A.        Projeto observacional no observatório Gemini
Kenneth Hinkle                                (vigência: ano 2003)
University of Texas/
Verne Smith



Programas, Projetos e Ações de Cooperação Nacional (PPACN)
Definição:
PPACN = NPPACN
Unidade: número de programas, projetos e ações, sem casa decimal
NPPACN = Número de programas, projetos e ações desenvolvidos em parceria formal com
instituições nacionais, no ano.
Obs.:
        1.            A exemplo do PPCACI, considerar apenas os programas, projetos e ações
             efetivamente desenvolvidos em parceria formal com outras instituições nacionais,
             excluindo-se, portanto, aqueles que dependem de assinatura de um documento
             institucional. Como documento institucional/formal entende-se, também, cartas,
             memos e similares assinados/acolhidos pelo dirigente da UP/MCT e da respectiva
             contra-parte brasileira.
        2.          As instituições parceiras e seus respectivos programas, projetos ou ações
             deverão ser listadas em anexo específico, de acordo com a sua classificação (
             programa, projeto, ação) e período de vigência (datas de início e término)
Em vez de incluir um apêndice com a lista das parcerias, tal lista será apresentada no relatório
semestral de acompanhamento ou no relatório anual de avaliação.
Observações:




                                                - 13 -
Conta-se como parceria formal também a concessão de tempo de telescópio nos observatórios
sob responsabilidade do LNA para a execução de pesquisas científicas. Neste caso o parceiro
não será uma instituição mas o pesquisador que promove a pesquisa. Considerando que o
tempo de telescópio é distribuído aos usuários por semestres, que não seguem os semestres
do ano civil, contam-se aqui como parcerias os projetos realizados no Observatório do Pico dos
Dias – OPD – entre março de 2003 e fevereiro de 2004, e nos telescópios Gemini, entre
fevereiro de 2003 e janeiro de 2004.
Memória do Cálculo:
        Variável            Primeiro semestre             Segundo semestre         Anual
NPPACN                                63                        48                  110
PPACN (resultados)                    63                        48                  110
PPACN (previsões)                     70                        50                  120


Resultado anual:
NPPACN = 110
Justificativa:
O valor do NPPACN para o ano 2003 ficou levemente abaixo do valor previsto porque o
número de solicitações de tempo de telescópio (e portanto o número de projetos científicos
realizados) para o OPD permaneceu um pouco abaixo das expectativas.
Comprovações:
As tabelas seguintes enumeram: as cooperações gerais (Tabela 5), os projetos observacionais
nos telescópios Gemini aceitas para o primeiro (Tabela 6) e segundo (Tabela 7) semestre de
2003, e os projetos observacionais no OPD aceitas para o primeiro (Tabela 8) e segundo
(Tabela 9) semestre de 2003. Informamos que todos os cooperações enumerados nas tabelas
tem vigência somente em 2003, amenos nos casos com prazo de vigência especificado
diferentemente. O Anexo V contém cópias dos documentos referentes às colaborações
(somente na versão impressa deste relatório; faltam dois comprovações referentes a
cooperações gerais, que não foram localizados).

Tab. 5: Relação de cooperações gerais em nível nacional em 2003
Nome                    Instituição        Descrição
Baptista, R.            UFSC               Treinamento de estudantes
Cieslinski, D.          INPE               Treinamento de estudantes
De Oliveira, A.,        IAG/USP            Characterização do espectrógrafo Eucalyptus
Steiner, J.E.
Gregório-Hetem, J       IAG/USP            Realização de um congresso científico
Magalhães, A.M.         IAG/USP            Construção de uma nova Gaveta Polarimétrica
                                           (vigência: até 2004)
Mello, G.F.             OV/UFRJ            Treinamento de estudantes
Pastoriza, M.           UFRGS              Aluminização do espelho de um telescópio
Steiner, J.E.           IAG/USP            Treinamento de estudantes




 Tab. 6: Projetos observacionais nos telescópios Gemini no primeiro semestre de 2003
Nome                       Instituição    Descrição
Barbosa, C.L.              IAG/USP        Massive YSOs in W41
Barbosa, F.                UFRGS          Near-IR observations of nearby Seyfert galaxies : kine-
                                          matics and diagnostics of the nuclear components
Boris, N.                  IAG/USP        The Environment of Quasar Pairs
da Rocha, C.               IAG/USP        Globular Cluster Sytems around a nearby Hickson
                                          Compact Group


                                                 - 14 -
Damineli, A.                IAG/USP         A3-D View of the Homunculus and eta Carinae
Dottori, H.                 UFRGS           Double Nucleus in M83
Figueredo, E.               IAG/USP         The Stellar Content of the Giant HII Region W51
Gregório-Hetem, J.          IAG/USP         The nature of unidentified X-ray sources in CMa star
                                            formation region – Part II
Mendes de Oliveira, C.      IAG/USP         Multi-Object Spectroscopy of Tidal Dwarfs in the Ste-
                                            phan’s Quintet
Santos Jr., J.F.C.          UFMG            The core of NGC4147: stellar population and kinematics
Storchi Bergmann, T.        UFRGS           Stellar Kinematics around Seyfert nuclei
Vilega Rodrigues, C.        INPE            Spatially resolved near-infrared spectroscopy of the pro-
                                            to-planetary nebula Hen3-1475



 Tab. 7: Projetos observacionais nos telescópios Gemini no segundo semestre de 2003
Nome                       Instituição    Descrição
Barbosa, C. L.             IAG/USP        Massive YSOs in NGC 3576 South/T-ReCS
Boris, N.                  IAG/USP        The Environment of Quasar Pairs
Boris, N.                  IAG/USP        The Environment of Quasar Pairs
Costa, R. D. D.            IAG/USP        Radical abundance gradients in spiral galaxies II : M96
Cunha, K.                  ON             The Origin of Fluorine
da Rocha, C.               INPE           HCG 16, a nearby group of AGNs revisited
de Oliveira, C. M.         IAG/USP        Multi-slit spectroscopy of Tidal Dwarfs in the HCG 31
Faúndez-Abans, M.          LNA            The hunt for fine morphological structures in HRG
                                          54103: deep photometry
Gadotti, D.                IAG/USP        Testing Bar models and Bar-AGN Connection in Early-
                                          Type Galaxies
Lengruber, L.              IAG/USP        Galaxy evolution in X-ray detected groups of galaxies
Plana, H.                  UESC           Kinematics of Ionized Gas of HII Galaxies Star Forma-
                                          tion sites
Santiago, B.               UFRGS          Metallicities for a well determined sample of LMC stars
Santiago, B.               UFRGS          Spectral analysis of bulge giants in recently discovered
                                          low-extinction windows
Storchi Bergmann, T.       UFRGS          The broad double-peaked H alpha profile from the nuc-
                                          leus of NGC1097

 Tab. 8: Projetos observacionais nos telescópios do OPD no primeiro semestre de 2003
Nome                  Instituição    Descrição
Aguiar, F.                           Formação de Linhas de Emissão em Variáveis Cataclísmicas
Aguiar, F.M.                         Monitoramento do Contínuo Ótico de Discos de Acresção
Angeli, C.            ON/MCT         Estudo de Rotação de famílias de asteróides
Assafin, M.           OV/UFRJ        Astrometria de Radiofontes Extragaláticas
Baptista, R.          UFSC           Probing the X-xay reprocessed light in the low-mass X-ray
                                     binary X1822-371
Copetti, M.V.F.       UFSM           Variações Internas de Temperatura Eletrônica em Regiões
                                     HII Galácticas
Costa, R.             IAG/USP        Abundâncias Químicas de Sistemas Simbióticos
da Costa, A.F.M.      UFRGS          Espectroscopia Ótica de Anãs Brancas próximas a Faixa de
                                     Instabilidade
da Costa, A.F.M.      UFRGS          Asteroseismology of the pulsating SdB Star and suspected
                                     Sne Ia progenitor KPD1930+2752 : A whole Earth Telescope
                                     Campaign
da Costa, A.F.M.      UFRGS          Fotometria de Anãs Brancas
Damineli, A.          IAG/USP        Variabilidade de eta Carinae e outra LBVs
de la Reza, R.        ON/MCT         Procura de Discos Proto-Planetários : Testes e Survey Inicial
de la Reza, R.        ON             Determinação de períodos fotométricos de estrelas jovens
de Souza Jr., A.      IAG/USP        Estudo de Estruturas Estelares em Espectro-interferometria
                                     Infravermelha : Programa Conjunto LNA/CamIV e
                                     VLTI/AMBER
Diniz, T.M.                          Mapeamento Mineralógico de 9 Metis e 113 Amalthea
Dominici, T. P.       IAG/USP        Monitoramento Multibanda da Variabilidade Rápida em
                                     Blazares



                                              - 15 -
Dominici, T.P.       IAG/USP         Procura e Caracterização de Variações Polarimétricas em
                                     Blazares
Dottori, H.           UFRGS          Ressonâncias de Co Rotação em Galáxias Espirais
 Tabela 8 (continuação): Projetos observacionais nos telescópios do OPD no primeiro
 semestre de 2003
Nome                 Instituição    Descrição
Ducati, J.R.         UFRGS          Espectroscopia de Estrelas Quentes com Cores IRAS
                                    Peculiares
Escudero, A.V.                      Abundâncias Químicas de Nebulosas Planetárias do Bojo
                                    Galáctico
Fraga, L.            UFSC           A Influência do Momento Angular Inicial de um
                                    Aglomerado na sua Freqüência de Estrelas Ap
Franco, G.A. P.      UFMG           Projeto Lupus
Franco, G.A.P.       UFMG           Estrutura Circunstelar das Estrelas HD 100546 e HD
                                    190073
Jablonski, F.        INPE           Busca de contrapartidas ópticas/IV de fontes de raios-x
                                    duros
Janot-Pacheco, E.    IAG/USP        Estrelas B-Be de COROT
Janot-Pacheco, E.    IAG/USP        Continuação de projeto sobre sismologia de estrelas Be
Leister, N.          IAG/USP        Estudo de Estrelas Be em Aglomerados Jovens
Leister, N.          IAG/USP        Estrelas Be : Formação e Estrutura de seus Envelopes
Lépine, J.R. D.      IAG/USP        Campos de Velocidades de Galáxias Espirais
Lépine, J.R.D.       IAG/USP        Survey Infravermelho : Região Central da Galáxia (Barra)
Lépine, J.R.D.       IAG/USP        Survey Infravermelho : Braços Espirais da Galáxia
Lopes, A.R.                         Observações no Infravermelho de Regiões HII
                                    Ultracompactas com Emissão de NH3 e CS
Magalhães, A.M.      IAG/USP        Survey de Polarização Interestelar
Porto de Mello, G.F. OV/UFRJ        Projeto SOL (Solar Origin and Life) : A busca do Sol no
                                    Tempo
Porto de Mello, G.F. OV/UFRJ        Survey de Abundâncias de Li, Idades e Atividade
                                    Cromosférica em Subgigantes da Vizinhança Solar
Rembold, S.          UFRGS          Estudo Cinemático de Galáxias Elípticas e SO
Rickes, Mauro C.G. UFRGS            Síntese de População em Galáxias Elípticas
Santiago, B.X.       UFRGS          Fotometria de Gigantes na Direção do Centro da Galáxia
Santos Jr., J.F. C.  UFMG           Fotometria Stromgren UVBybeta de Aglomerados de
                                    Estrelas
Santos Jr., J.F.C.   UFMG           Evolução Espectral de Aglomerados Abertos
Santos Jr., J.F.C.   UFMG           Dispersão de Velocidades e População Estelar do Núcleo
                                    de Aglomerados
Steiner, J.E.        IAG/USP        Monitoria de V617 Sgr
Steiner, J.E.        IAG/USP        Fotometria de WX Cen
Vieira Martins, R.   ON/MCT         Observações de Satélites com ênfase em Observações
                                    com Coronógrafo
Vieira Martins, R.   ON/MCT         Observações de Campos para a Redução de observações
                                    de Satélites e Posição de Planetas
Viera Martins, R.    ON/MCT         Observações de Satélites no Infravermelho
Vilega, C.           INPE           Polarimetria de Sistemas AM Herculis



 Tabela 9: Projetos observacionais nos telescópios do OPD no segundo semestre de 2003
Nome                 Instituição   Descrição
Angeli, C. A.        ON            Determinação de propriedades rotacionais de objetos
                                   fracos do Sistema Solar
Angeli, C.A.         ON            Distribuição de períodos de rotação de asteróides
                                   membros de famílias jovens
Assafin, M.          UFRJ          Astrometria de Radiofontes Extragalácticas – estrelas de
                                   referência
Assafin, M.          UFRJ          Astrometria de Radiofontes Estragaláticas Fracas
Copetti, M.V.F.      UFSM          Variações Internas de Temperatura Eletrônica em Regiões
                                   H II das Nuvens de Magalhães
Da Costa, A.F.M.     UFRGS         Fotometria de Anãs Brancas


                                             - 16 -
Nome                    Instituição    Descrição
Da Silva Neto, D.N.     UFRJ           Conexão dos Referenciais Dinâmico e Celeste
Damineli, A.            IAG/USP        Variabilidade de eta Carinae e outras LBVs
De Araújo Rocha, G.     IAG/USP        Abundância Química de Associações Estelares Jovens na
                                       Vizinhança Solar
De la Reza, R.          ON             Determinação de períodos fotométricos de estrelas jovens
Dominici, T.P.          IAG/USP        Procura e Caracterização de variações polarimétricas em
                                       blazares
Ducati, J.R.            UFRGS          Espectroscopia de estrelas quentes em cores IRAS
                                       peculiares
Emilio, M.              UEPG           Física da Seqüência principal de Estrelas Quentes em
                                       aglomerados abertos jovens
Hickel, G.R.            UNIVAP         Calibração Astrofísica do Fotômetro Imageador da
                                       UNIVAP
Janot-Pacheco, E.       IAG/USP        Sismologia Estelar
Lazzaro, D.             ON             Espectroscopia da família de Koronis
Levenhagen, R.S.        IAG/USP        Origem das Velocidades de Rotação Elevadas em Estrelas
                                       OBAe
Magalhães, A.M.         IAG/USP        Survey de Polarização Interestelar
Maia, M.A.G.            UFRJ           Identificação de AGNs no SSRS2
Oliveira, A.S.          IAG/USP        Fotometria de HD 45166
Ortiz R.                UFES           Objetos azuis na direção do polo galáctico sul
Picazzio, E.            IAG/USP        Fotometria de banda estreita de cometas recentes
Porto de Mello, G.F.    UFRJ           Projeto Sol (Solar Origin and Life) : a Busca do Sol no
                                       Tempo
Porto de Mello, G.F. UFRJ              H como Diagnóstico Cromosférico e de Idade em
                                       Estrelas de Tipo Solar
Rodrigues, C.V.         INPE           Polarimetria de Sistema AM Herculis e Candidatos
Roque da Silva, A.      Mackenzie      Trânsitos de Exo-planetas
Steiner, J.E.           IAG/USP        Espectroscopia de alta resolução de DI Cru (WR46)
Vieira Martins, R.      UFRJ           Observações de campos para a redução de observações
                                       de satélites e posição de planetas
Vieira Martins, R.      UFRJ           Observações de Satélites com ênfase em Observações
                                       com Coronógrafo
Índice de Projetos de Pesquisa Básica Desenvolvidos (PPBD)
Definição:
PPBD= PROJ /TNSEp
Unidade: número de projetos por técnico, com duas casas decimais
PROJ = Número total de projetos desenvolvidos no ano.
TNSEp = Técnicos de Nível Superior vinculados a atividades de pesquisas científicas
(pesquisadores, tecnologistas e bolsistas) com doze ou mais meses de atuação na UP/MCT
completados ou a completar na vigência do TCG.
Obs.:
        1.          Adota-se aqui, para o termo Pesquisa Básica, a conceituação do Prof. W.
             Longo, 1978: “Pesquisa feita com o objetivo de aumentar conhecimentos científicos
             sem qualquer aplicação prática em vista.”
        2.           Em projetos de longa duração ou linhas de pesquisa, devem ser computadas,
             para efeito de cálculo, as etapas previstas/realizadas de execução nesta pactuação,
             as quais serão listadas quando da apresentação do Relatório Anual do TCG.
Observações:
Deve-se conscientizar que os limites entre diferentes projetos de pesquisa básica não são bem
definidos. Portanto, o índice é aberto a interpretações diferentes. Ciente desse fato, conta-se
aqui como projeto de pesquisa básica aqueles projetos desenvolvidos pelos pesquisadores do
LNA que visam o avanço do conhecimento em sub-áreas abrangentes das suas áreas globais
de pesquisa (p.e.: estrelas pulsantes de um determinado tipo; abundância química em estrelas
jovens; associações estelares; morfologia de galáxias atípicas; etc.). Pesquisas distintas dentro
de cada projeto (p.e. morfologia da galáxia A; morfologia da galáxia B) não contam como



                                                 - 17 -
 projetos distintos. Dentro dessa linha geral permanece a juízo de cada pesquisador onde
 colocar o limite entre projetos diferentes. Os projetos tem duração típica de vários anos e
 podem resultar em uma ou mais publicações. Para minimizar distorções na avaliação do índice
 devido a projetos de diferentes pesos, contam se separadamente os projetos desenvolvidos
 por cada pesquisador, mesmo se vários pesquisadores trabalham (em conjunto ou
 individualmente) no mesmo projeto.
 Memória do Cálculo:
         Variável             Primeiro semestre            Segundo semestre           Anual
PROJ                                  24                         24                     24
TNSE                                  8                           8                     8
PPBD (resultados)                    3,00                        3,00                  3,00
PPBD (previsões)                     3,00                        3,00                  3,00


 Resultado anual:
 PPBD = 3,00
 Justificativa:
 O valor do PPBD para o ano 2003 ficou idêntico ao valor previsto. Isso não surpreende devido
 a grande flexibilidade da definição do índice. É uma decisão muito subjetiva colocar limites
 entre um projeto de pesquisa básica e outro com características semelhantes. Portanto, não
 existe forma única de contar tais projetos.
 Comprovações:
 A tabela 10 enumera os tópicos das pesquisas básicas desenvolvidas pelos pesquisadores do LNA.Tab.
 10: Relação das pesquisas básicas desenvolvidas pelos pesquisadores do LNA
Pesquisador               Titulo da Pesquisa
Ardila, Alberto           A região de linhas estreitas de Art 564
                          Hidrogênio molecular e [FeII] em nuúeos ativos de galáxias Observações
                          de Mrk 766 no infravermelho próximo
Bruch, Albert             Estrutura e dinâmica de estrelas Binárias
                          Flickering em variáveis cataclísmicas
                          Astrosismologia de estrelas quentes
Castilho, Bruno           Parâmetros atmosféricos e abundâncias em estrelas HAeBe
                          Abundâncias de CNO em gigantes vermelhas rico em Lítio
                          Idades espectroscópicas e abundâncias de metais em
                             aglomerados globulares
Faúndez-Abans, M.         Estudo de galáxias aneladas peculiares
                          Cinemática de galáxias polares
                          Matéria escura em galáxias aneladas colisionais
Oliveira-Abans, M.        Estudo de galáxias aneladas peculiares
                          Cinemática de galáxias polares
                          Matéria escura em galáxias aneladas colisionais
Quast, Germano            Estrelas Ae/Be de Herbig
                          SACY - Procura por associações jovens
                          Multiplicidade em estrelas de associações jovens
Sartori, M.               Parâmetros atmosféricos e abundâncias em estrelas HAeBe
                          Classificação de estrelas Ae/Be
                          Estrelas jovens, fontes de raios x, nas vinzinhaças de
                              Ophiuchus
Torres, Carlos A.         Estrelas Ae/Be de Herbig
                          SACY - Procura por associações jovens
                          Multiplicidade em estrelas de associações jovens
 Número de Pós-docs (PD)
 Definição:
 IPD = NPD



                                                  - 18 -
Unidade: Número
NPD = Número de pós-doutorados, no ano
Observações:
     quadro de integrantes do grupo NPE é idêntico ao quadro de integrantes do grupo TNSE.
     Contam-se também pós-doutorados atuando em serviço do LNA nos observatórios
      internacionais sob responsabilidade do LNA.
Memória do Cálculo:
A definição do índice na versão final do TCG – citada acima – sofreu uma alteração com
relação à proposta do LNA, enquanto o valor numérico na Tabela A do anexo III do TCG não
foi atualizado. Isso leva a uma distorção grave. Para remediar a situação, utiliza-se aqui como
valor-alvo na mencionada Tabela o valor de 2 pós-docs, conforme a intenção original do LNA
na negociação dos termos do TCG.


         Variável            Primeiro semestre            Segundo semestre        Anual
NPD                                  0                           1                    1
IPD (resultados)                     0                           1                    1
IPD (previsões)                      0                           2                    2


Resultado anual:
IPD = 1
Justificativa:
O valor do PPBD para o ano 2003 ficou abaixo do valor previsto. O LNA contou em 2003 com a
colaboração de dois pós-docs, um como Astrônomo Residente junto ao telescópio SOAR, outro
para atuar na sede do LNA. Enquanto o LNA conseguiu atrair o primeiro deste, o
preenchimento da segunda posição tornou-se inviável porque o CNPq indeferiu o pedido de
bolsa da candidata que já tinha concordado em trabalhar como pós-doc no LNA.
Comprovações:
O Anexo VI contém cópia da carta de concessão da bolsa do pós-doc que atua como
Astrônomo Residente junto ao telescópio SOAR (somente na versão impressa deste relatório).


Índice de Publicações com Dados do LNA (IPDLNA)
Definição:
IPDLNA = NP/ 2
Unidade: número real, com uma casa decimal
NP = número de artigos efetivamente publicados no ano, baseados inteiramente ou
parcialmente em dados obtidos nos observatórios sob responsabilidade do LNA. Por motivos
de dificuldades em obter informações completas da comunidade dos usuários do LNA sobre
todas as publicações, restringe-se o índice a trabalhos publicados em revistas arbitradas.
IPDLNA = a média anual do número dos trabalhos publicados nos dois anos calendários antes
do ano da avaliação. Considerando como base do índice as publicações dos dois anos
calendários antes do ano da avaliação. evita-se que flutuações anuais influenciem o índice
demasiadamente.
Memória do Cálculo:
A fórmula na definição do índice contém um erro e está em contradição com a descrição verbal
do índice que será adotada aqui porque reflete a intenção do LNA na definição do índice. A
redação correta da fórmula é:
IPDLNA = (NPo + NP1)/ 2
NPo = número de artigos (no sentido definido acima) publicados no ano sob avaliação




                                                 - 19 -
NP1 = número de artigos (no sentido definido acima) publicados no ano anterior ao ano sob
avaliação
Utiliza-se essa definição aqui.
        Variável              Primeiro semestre            Segundo semestre               Anual
NPo                                   5                          16                        21
NP1                                   10                         13                        23
IPD (resultados)                     7,5                         14,5                     22,0
IPD (previsões)                      10,0                        8,0                      18,0


Resultado anual:
IPDLNA = 22,0
Justificativa:
O valor do IPDLNA para o ano 2003 ficou levemente acima do previsto, mas a diferença
permanece dentro das flutuações esperadas.
Comprovações:
As tabelas 11 e 12 contém as listas das publicações com dados do LNA dos anos 2003 e 2002
(que entram no cálculo do índice). O anexo VII contém cópias das primeiras páginas das
publicações (somente na versão impressa deste relatório).

Tab. 11: Relação de publicações com dados do LNA em 2003

Autor(es)                                            Referência       Título
Andruchow I., Cellone S.A., Romero G.E.,             Astron. Astro-   Microvariability in the optical polariza-
Dominici T.P., Abraham Z.                            phys.            tion of 3C 279
                                                     409, 857
Assafin M., Zacharias N., Rafferty T.J., Zacharias Astron. J.         Optical Positions of ICRF Sources
M.I., da Silva Neto D.N, Andrei A.H., Vieira Martins 125, 2728        Using UCAC Reference Stars
R.
Augusto A., Diaz M. P                                Astron. J.    The Spectral Evolution of V382 Velo-
                                                     125, 3349     rum (Nova Vela 1999)
Baptista R., Borges B. W., Bond H.E., Jablonski F., MNRAS          Cyclical Period Changes in the Dwarf
Steiner J.E., Grauer A.D.                             345, 889     Novae V2051 Oph and V4140 Sgr
Barbosa C.L., Damineli A., Blum R.D., Conti P.S. Astron. J.        Gemini Mid-Infrared Imaging of Mas-
                                                     126, 2411     sive Young Stellar Objects in NGC
                                                                   3576
Bruch A.                                            Astron. Astro- Spectroscopy of the Double-lined
                                                    phys. 409,     Dwarf Nova AT Ara
                                                    647
Costa J.E.S., Kepler S.O., Winget D.E., O'Brien     Baltic Astron- WET Observations of PG 1159--035
M.S., Bond H.E., Kawaler S.D., Dreizler S.          omy
                                                    12, 23
Diaz M.P., Ribeiro F.M.A                            Astron. J.     A Recent Spectroscopic Study of
                                                    125, 3359      V841 Ophiuchi
Diaz R.J., Dottori H., Vera-Villamizar N., Carranza Astrophys. J. Kinematics and Optical/IR Morpholo-
G.                                                  597, 860       gy
Dutra C.M., Ahumanda A.V., Clariá J.J., Bica E., Astron. Astro- On the calibration of the COBE/IRAS
Barbuy B.                                           phys.          dustlinebreak emission reddening
                                                    408, 287       maps




                                                  - 20 -
García-Alvarez D., Foing B.H.,                        Astron. Astro- Simultaneous Optical and X-ray Ob-
Montes D., Oliveira J., Doyle, J.G., Messina S.,      phys. 397;     servations of Flares and Rotational
Lanza A.F., Rodonò M., Abbott J., Ash T.D.C.,         285            Modulation on the RS CVn Binary HR
Baldry I.K., Bedding T.R., Buckley D.A.H., Cami J.,                  1099 (V711 Tau) from the Musicos
Cao H., Catala C., Cheng K.P., Domiciano de                          1998 Campaign
Souza Jr. A., Donati J.F., Hubert A.M., Janot-
Pacheco E., Hao J.X., Kaper L., Kaufer A., Leister
N.V., Neff J.E., Neiner C., Orlando S., O'Toole
S.J., Schäfer D., Smartt S.J., Stahl O., Telting J.,
Tubbesing S.
 Tab. 11 (continuação): Relação de publicações com dados do LNA em 2003
Autor(es)                                             Referência     Título
Handler G., O'Donoghue D., Müller M., Solheim J.- MNRAS              Amplitude and frequency variability of
E., Gonzalez-Perez J.M., Johannessen F., Paparo 340,1031             the pulsating DB white dwarf stars
M., Szeidl B., Viraghalmy G., Silvotti R., Vauclair                  KUV 05134+2605 and PG 1654+160
G., Dolez N., Pallier E., Chevreton M., Kurtz D.W.,                  observed with the Whole Earth Tele-
Bromage G.E., Cunha M.S., Østensen R., Fraga                         scope
L., Kanaan A., Amorim A., Giovannini O., Kepler
S.O., da Costa A.F.M., Anderson R.F., Wood M.A.,
Silvestri N., Klumpe E.W., Carlton R.F., Miller R.H.,
McFarland J.P. Grauer A.D., Kawaler S.D., Riddle
R.L., Reed M.D., Nather R.E., Winget D.E., Hill
J.A., Metcalfe T.S., Mukadam A.S., Kilic M.,
Watson T.K., Kleinman S.J., Nitta A., Guzik J.A.,
Bradley P.A., Sekiguchi K., Sullivan D.J., Sullivan
T., Shobbrook R.R., Jiang X., Birch P.V., Ashoka
B.N., Seetha S., Girish V., Joshi S., Dorokhova
T.N., Dorokhov N.I., Akan M.C., Meistas E.G.,
Janulis R., Kalytis R., Alisauskas D., Anguma S.K.,
Kalebwe P.C., Moskalik P., Ogloza W., Stachowski
G., Pajdosz G., Zola S.
Kepler S.O., Nather R.E., Winget D.E., Nitta A.,      Astron. Astro- The everchanging pulsating white
Kleinman S.J., Metcalfe T., Sekiguchi K., Xiaojun phys. 401,         dwarf GD358
Jiang, Sullivan D., Sullivan T., Janulis R., Meistas 639
E., Kalytis R., Krzesinski J., Ogoza W., Zola S.,
O'Donoghue D., Romero-Colmenero E., Martinez
P., Dreizler S., Deetjen J., Nagel T., Schuh S.L.,
Vauclair G., Ning Fu Jian, Chevreton M., Solheim
J.-E., Gonzalez Perez J. M., Johannessen F., Ka-
naan A., Costa J.E., Murillo Costa A.F.. Wood
M.A., Silvestri N. Ahrens T.J., Jones A.K., Collins
A.E., Boyer M., Shaw J.S., Mukadam A., Klumpe
E.W., Larrison J., Kawaler S., Riddle R., Ulla A.,
Bradley P.
Levenhagen R.S., Leister N.V., Zorec J., Janot-       Astron. Astro- NRPS and Circumstellar Activity in
Pacheco E., Hubert M., Floquet A. M.                  phys., 400;    HD 127972
                                                      599
Maciel W.J., Costa R.D.D., Uchida M.M.M.              Astron. Astro- An estimate of the time variation of
                                                      phys. 397,     the O/H radial gradient from planeta-
                                                      667            ry nebulae
Meléndez J., Barbuy B., Bica E., Zoccali              Astron. Astro- Gemini-Phoenix infrared high-
M.,Ortolani S., Renzini A., Hill, V.                  phys.          resolution abundance analysis of five
                                                      411, 417       giants in the bulge globular cluster
                                                                     NGC 6553
 Tab. 11 (continuação): Relação de publicações com dados do LNA em 2003
Autor(es)                                             Referência     Título




                                                 - 21 -
Autor(es)                                            Referência      Título
Mukadam Anjum S., Kepler S.O., Winget D.E.,          Astrophys. J.   Constraining the Evolution of ZZ Ceti
Nather R.E., Kilic M., Mullally F., von Hippel T.,   594, 961
Kleinman S.J., Nitta A., Guzik J.A., Bradley P.A.,
Matthews J., Sekiguchi K., Sullivan D.J., Sullivan
T., Shobbrook R.R., Birch P., Jiang X.J., Xu D.W.,
Joshi S., Ashoka B.N., Ibbetson P., Leibowitz E.,
Ofek E.O., Meistas E.G., Janulis R., Alisauskas D.,
Kalytis R., Handler G., Kilkenny D., O'Donoghue
D., Kurtz D.W., Müller M., Moskalik P., Ogloza W.,
Zola S., Krzesinski J., Johannessen F., Gonzalez-
Perez J.M., Solheim J.-E., Silvotti R., Bernabei S.,
Vauclair G., Dolez N., Fu J.N., Chevreton M.,
Manteiga M., Suárez O., Ulla A., Cunha M.S.,
Metcalfe T.S., Kanaan A., Fraga L., Costa A.F.M.,
Giovannini O., Fontaine G., Bergeron P., O'Brien
M.S., Sanwal D., Wood M.A., Ahrens T.J., Silvestri,
N., Klumpe E.W., Kawaler S.D., Riddle R., Reed
M.D., Watson T.K.
Oliveira A.S., Steiner J.E., Cieslinski D.           MNRAS           Discovery of a young massive stellar
                                                      346, 963       cluster associated with IRAS source
                                                                     16177-5018
Rodrigues C.V., Jablonski F.J., Gregorio-Hetem J., Astrophy. J.      Optical Polarization and Near IR Pho-
Hickel G.R., Sartori, M. J.                        587, 312          tometry of the Proto-Planetary Nebu-
                                                                     la Hen 3-1475

Roman-Lopes A., Abraham Z., Lépine J.R.D.           Astron. J.       Discovery of a young massive stellar
                                                    126, 1896        cluster associated with IRAS source
                                                                     16177-5018
Vieira S.L.A., Corradi W.J.B., Alencar S.H.P.,Astron. J.             Investigation of 131 Herbig Ae/Be
Mendes L.T.S., Torres C.A.O., Quast G.R.,126, 2971                   Candidate Stars
Guimarães M.M., da Silva L.
Tab. 12Relação de publicações com dados do LNA em 2002
Autor(es)                                             Referência     Título
Andrievsky S.M., Chernyshova I.V., Paunzen E., Astron. Astro-        The elemental abundance pattern of
Weiss W.W., Korotin S.A., Beletsky Yu.V., Handler phys.              twenty lambda Bootis candidate stars
G., Heiter U., Korotina L., Stütz C., Weber M.        396, 641
Baptista R., Jablonski F., Oliveira E., Vrielmann S., MNRAS          Cyclical period changes in Z Cha-
Woudt P., Catalán M.S.                                335, L75       maeleontis
Baptista R., Bortoletto A., Harlaftis E.              MNRAS          Multicolour flickering studies of
                                                      335, 665       X1822-371
Bernardi M., Alonso M.V., da Costa L.N., Willmer Astron. J.          Redshift-Distance Survey of Early-
C.N.A., Wegner G., Pellegrini P S., Rité C., Maia 123, 2990          Type Galaxies. I. The ENEARc Clus-
M.A.G.                                                               ter Sample
Bernardi M., Alonso M.V., da Costa L.N., Willmer Astron. J.          Redshift-Distance Survey of Early-
C.N.A., Wegner G., Pellegrini P S., Rité C., Maia 123, 2159          Type Galaxies. II. The Dn -s Relation
M.A.G.
Caretta C.A., Maia M.A.G., Kawasaki W., Willmer Astron. J.         The Aquarius Superclusters. I. Identi-
C.N.A.                                                123, 1200    fication of Clusters and Superclusters
Duffard R., Lazzaro D, Pinto S., Carvano j., Angeli, Icarus        New Activity of Chiron: Results from
C., Candal A.A., Fernández S.                         160, 44      5 Years of Photometric Monitoring
Gregóio-Hetem J.,Hetem A.                             MNRAS        New Activity of Chiron: Results from
                                                      336, 197     5 Years of Photometric Monitoring"
Handler G.,Balona L.A., Shobbrook R.R., Koen C., MNRAS             Discovery and analysis of p-mode
Bruch A., Romero-Colmenero E., Pamyatnykh             333, 262     and g-mode oscillations in the A-type
A.A., Willems B., Eyer L., James D.J., Maas T.                     primary of the eccentric binary HD
                                                                   209295
Heiter U.                                           Astron. Astro- The abundance pattern off lambda
                                                    phys.          Bootis stars
                                                    381, 959




                                                 - 22 -
Idiart T.P., Barbuy B., Perrin M.-N., Ortolani S., Astron. Asto-    Metallicity and radial velocity of the
Bica E., Renzini A.                                phys.            second parameter globular cluster
                                                   381, 472         Terzan 1 in the galactic bulge
Kanaan A., Kepler S.O., Winget D.E.                Astron. Astro-   The ZZ Ceti red edge
                                                   phys.
                                                   389, 896
Krabbe A.C., Copetti M.V.F.                        Astron. Astro-   Electron temperature fluctuations in
                                                   phys.            30 Doradus
                                                   387, 295
Kurtz D.W., Kawaler S.D., Riddle R.L., Reed M.D., MNRAS             Discovery of the `missing' mode in
Cunha M.S., Wood M., Silvestri N., Watson T.K., 330, 57             HR1217 by the Whole Earth Tele-
Dolez N., Moskalik P., Zola S., Pallier E., Guzik                   scope
J.A., Metcalfe T.S.,Mukadam A.S., Nather R.E.,
Winget D.E., Sullivan D.J.; Sullivan T., Sekiguchi
K., Jiang X., Shobbrook R., Ashoka B.N., Seetha
S., Joshi S., O'Donoghue D., Handler G., Mueller
M. Gonzalez Perez J.M., Solheim J.-E., Johannes-
sen F., Ulla A., Kepler S.O., Kanaan A., da Costa
A., Fraga L., Giovannini O., Matthews J.M.



Tab. 12(continuação): Relação de publicações com dados do LNA em 2002
Autor(es)                                            Referência     Título
Mukadam A.S., Kepler S.O., Winget D.E., Berge- Astrophys. J. A New ZZ Ceti White Dwarf Pulsator:
ron P.                                               580, 429       G30-20
Neiner C., Hubert A.-M., Floquet M., Jankov S.,      Astron. Astro- Non-radial pulsation, rotation and
Henrichs H.F., Foing B., Oliveira J., Orlando S.,    phys.          outburst in the Be star  Orionis
Abbott J., Baldry I.K., Bedding T.R., Cami J., Cao 338, 899         from the MuSiCoS 1998 campaign
H., Catala C., Cheng K.P.,Domiciano de Souza
Jr. A., Janot-Pacheco E., Hao J.X., Kaper L., Kau-
fer A., Leister N.V., Neff J.E., O'Toole S.J.,
Schäfer D., Smartt S.J., Stahl O., Telting J., Tub-
besing S., Zorec J.
Picazzio E., De Almeida A.A., Churyumov K.I.,        Earth, Moon Optical Spectroscopy and Near-
Andrievski S.M., Luk'yanyk I.V.                      and Planets Infrared Observations of Comet
                                                     90, 391        C/2000 Wm1 (Linear) in December
                                                                    2001 from Chile and Brazil
Reshetnikov V., Faundez-Abans M., de Oiveira- Astron. Astro- ESO 603-G21: A strange polar-ring
Abans M.                                             phys.          galaxy
                                                     383, 390
Vauclair G., Moskalik P., Pfeiffer B., Chevreton M., Astron. Astro- Asteroseismology of RXJ
Dolez N., Serre B., Kleinman S.J., Barstow M.,       phys.          2117+3412, the hottest pulsating PG
Sansom A.E., Solheim J.-E., Belmonte J.A., Ka- 381, 122             1159 star
waler S.D., Kepler S.O., Kanaan A., Giovannini O.,
Winget D.E., Watson T.K., Nather R.E., Clemens
J.C., Provencal J., Dixson J.S., Yanagida K., Nitta
Kleinman A., Montgomery M., Klumpe E.W., Bru-
vold A., O'Brien M.S., Hansen C.J., Grauer A.D.,
Bradley P.A., Wood M.A., Achilleos N., Jiang S.Y.,
Fu J N., Marar T.M.K., Ashoka B.N. Meibreves
Tas E.G., Chernyshev A.V., Mazeh T., Leibowitz
E.., Hemar S., Krzesinski J., Pajdosz G., Zola S.
Rocha-Pinto H.J., Castilho B.V., Maciel W.J.         Astron. Astro- Chromospherically young, kinemati-
                                                     phys.          cally old stars
                                                     384, 912
Viotti R.F., Antonelli L.A., Corcoran M.F., Damineli Astron. Astro- BeppoSAX broad X-ray range obser-
A., Grandi P., Muller J.M., Rebecchi S., Ross, C., phys.            vations of  Carinae during high and
Villada M.                                           385, 874       low spectroscopic states
Vrielmann S., Baptista R.                            Astron. Nachr. UU Aqr from high to low state
                                                     323, 75




                                                     - 23 -
Wallace P.M., Halpern J.P., Magalhães A.M.,       Astrophys. J. An Active Galactic Nucleus Identifica-
Thompson D.J.                                     569, 36       tion for 3EG J2006-2321
Índice de Teses com Dados do LNA (ITDLNA)
Definição:
ITDLNA = soma[P(T)] / 2
Unidade: sem (número real com uma casa decimal)
O índice conta o número de teses de mestrado e doutorado ou projetos de formatura baseadas
inteiramente ou parcialmente em dados obtidos nos observatórios do LNA. Inclui-se aqui
também trabalhos diretamente relacionados a projetos instrumentais desenvolvidos no âmbito
do LNA. Entende-se como “projeto de formatura” qualquer trabalho elaborado por estudante de
graduação em obediência a uma exigência do curso de graduação e cujo resultado é
documentado de forma escrita.
P(T) = um peso associado a cada tese. P=7 para teses de doutorado; P=5 para teses de
mestrado, e P=2 para projetos de formatura.
ITDLNA = a média anual da soma de pesos dos teses de mestrado e doutorado baseadas
inteiramente ou parcialmente em dados obtidos nos observatórios do LNA nos dois anos
calendários antes do ano da avaliação. Considerando como base do índice as teses
defendidas nos dois anos calendários antes do ano da avaliação, evita-se que flutuações
anuais influenciem o índice demasiadamente.
Memória do Cálculo:
        Variável           Primeiro semestre            Segundo semestre          Anual
Soma[P(T)] (2003)                 19                          12                    31
Soma[P(T)] (2002)                 19,5                        24,5                  44
ITDLNA (resultados)               19,2                        18,3                 37,5
IPD (previsões)                   20,0                        10,0                 30,0


Resultado anual:
ITDLNA = 37,5
Justificativa:
O valor do OPDLNA para o ano 2003 ficou acima do previsto.
Comprovações:
As tabelas 13 e 14 contém as listas das teses com dados do LNA dos anos 2003 e 2002 (que
entram no cálculo do índice).




 Tab. 13: Relação de teses com dados do LNA em 2003
Nome                    Tipo        Instituição  Título
De Araujo Rojas,        Mestrado    IAG/USP      Abundâncias químicas em estrelas T Tauri
Gustavo                                          fracas
Garcia-Rissmann,        Doutorado   IAG/USP      Variabilidade óptica e propriedades globais
Áurea                                            de uma amostra de quasares
Soares de Oliveira,     Doutorado   IAG/USP      Estrelas V Sagittae e suas candidatas
Alexandre
Gadotti, Dimitri A.     Doutorado   IAG/USP      Evolução de Barras Estelares em Galáxias
Luna, Gerardo Juan M. Mestrado      IAG/USP      Abundâncias em estrelas simbióticas do
                                                 bojo da Galáxia




Tab. 14: Relação de teses com dados do LNA em 2002


                                               - 24 -
Nome                   Tipo              Instituição       Título
Augusto, Anselmo       Mestrado          IAG/USP           Um estudo espectroscópico da nova
                                                           Velorum 1999 (V382 VEL)
Caretta, César Augusto Doutorado         ON/MCT            Análise Dinâmica dos Aglomerados e
                                                           Superaglomerados de Galáxias de Região
                                                           de Aquarius
Dominici, Tânia Pereira Doutorado        IAG/USP           Estudo das variações de brilho em blazeres

Fraga, Luciano         Mestrado          UFSC              Quando surgem peculiaridades químicas em
                                                           estrelas A peculiares?
Malacarne, Márcio      Mestrado          INPE/MCT          Populações estelares em galáxias elípticas:
                                                           cinemática e indicadores de metalicidade e
                                                           idade.
Marciotto, Edson       Mestrado          IAG/USP           A natureza das fontes de raios-X detectadas
                                                           em Canis Majoris R1
Massa Fernandes,       Mestrado          IAG/USP           Atividade estelar e circunstelar da estrela a
Marcos Vinícius                                            Eridani
Pereira de Souza,      Mestrado          ON/MCT            Determinação do período rotacional de
Roberta Almeida                                            pequenos asteroides

Índice de Projetos em Instrumentação Científica (IPIC)
Definição:
IPIC = soma[P(PIC)]
Unidade: número integral
PIC = Projeto em instrumentação científica, definido como planejamento, construção, comis-
sionamento etc. de instrumentos científicos novos, tanto quanto a alteração e o melhoramento
de instrumentos já existentes. O índice visa a medir o progresso de construção ou de
melhoramento/alteração de instrumentos científicos, inclusive o software e a documentação
relacionados à instrumentação para o Observatório do Pico dos Dias (OPD) e para os demais
observatórios que possam futuramente ser operados ou gerenciados pelo LNA, ou
instrumentos para terceiros construídos pelo LNA, ou com participação do LNA. Considerando
a dificuldade de comparar diversos instrumentos científicos com complexidades muito
diferentes, uma pontuação refletindo essa complexidade será associada à cada obra
instrumental. Para projetos instrumentais grandes a pontuação será associada à partes do
projeto como por exemplo: Planejamento, construção de cada módulo, software,
comissionamento, documentação etc. O índice (em contraste com a pontuação de cada
instrumento a ser construído) não pode se relacionar a instrumentos individuais, uma vez que
para um determinado instrumento o tempo de execução é limitado, enquanto o índice deve ser
prorrogado ao longo dos anos. Portanto, precisa-se de um mecanismo para definir o índice
independentemente de instrumentos específicos. O LNA elaborou um plano de prazo médio (2-
3 anos) que será revisado periodicamente, especificando os projetos instrumentais a serem
desenvolvidos no LNA junto com uma pontuação para cada projeto. A pontuação leva em conta
(no sentido de ser diminuído) contribuições em projetos feitos por terceiros e não remunerados
pelo LNA. O anexo IIIB-A contém o atual plano de projetos de instrumentação, enumerando os
projetos em andamento ou a serem realizados no futuro próximo, junto com a pontuação
associada.
P(PIC) = A pontuação associada a cada projeto em instrumentação científica.
IPIC = A soma de pontuação para cada projeto individual ou partes destes realizados no ano.
No caso de projetos com duração superior a um ano, deve-se considerar a pontuação parcial
conforme o progresso do projeto no ano.
Memória do Cálculo:
        Variável           Primeiro semestre              Segundo semestre            Anual
Soma[P(PIC)]                        30                           21                     51
IPIC (resultados)                   30                           21                     51
IPIC (previsões)                    9                            33                     42




                                                 - 25 -
Resultado anual:
IPIC = 51
Justificativa:
O valor numérico do índice ficou significativamente acima do valor previsto. Considerando que
isso se reflete ainda mais no resultado do primeiro semestre do que no segundo semestre, e
como já foi mencionado no Relatório Semestral de Acompanhamento, poderá refletir uma
imperfeição no sistema de pontuação dos projetos.
Comprovações:
A tabela 15 contém a relação do projetos em instrumentação científica, conforme o Anexo IIIB-
A do TCG, junto com a pontuação total e a pontuação realizada.

 Tab. 15: Relação de projetos em instrumentação científica realizados integralmente ou
 parcialmente
Projeto              Ação                         Pontuação         Grau de      Pontuação
                                                      total        conclusão     Realizada
SIFUS                Sistema de controle               33              8%            2,6
SIFUS                Construção da IFU                 33           55.00%          18,1
TCSPD                Sistema de controle               31              4%            1,2
Tel. Perkin Elmer    Estudo novo TCS                    1            100%            1,0
Monit. Seeing        Log sensores                       7             60%            4,2
Espectr. Coudé       Rede de difração                   2             60%            1,2
Espectr. Coudé       Espelho das lâmpadas               2             60%            1,2
Espectr. Coudé       Fenda                              3             40%            1,2
FOTRAP               Flange com obturador               6             80%            4,8
FOTRAP               Revisão controlador                4            100%            4,0
Espectr. Casseg.     Fenda                              4             25%            1,0
Espectr. Casseg.     Colimador                          4             25%            1,0
STELES               Desenho coneitual                 33           30.00%           9,9
                                                                        Soma =      51,4
Índice de Projetos Estratégicos (IPE)
Definição:
IPE = soma[P(PE)]
Unidade: número integral
PE = Projeto Estratégico, definido como projeto que vise melhorar (a) a situação estratégica do
LNA e (b) os serviços prestados à comunidade astronômica, que não se enquadram nos
projetos de instrumentação. Uma vez concluídos, esses trabalhos não precisam ser repetidos
numa base regular. Exemplos incluem a caracterização de instrumentos científicos, a
documentação de processos operacionais, etc. O índice visa a medir o progresso na realização
de projetos estratégicos. Considerando as diferenças de complexidade de diversos projetos
estratégicos, uma pontuação refletindo essa complexidade será associada a cada projeto. O
índice de projetos estratégicos (em contraste com a pontuação de cada projeto) não pode se
relacionar a projetos individuais, uma vez que para um determinado projeto o tempo de
execução é limitado, enquanto o índice deve ser prorrogado ao longo dos anos. Portanto,
precisa-se de um mecanismo para definir o índice independentemente de projetos específicos.
O LNA elaborou um plano de médio prazo (2-3 anos) que será revisado periodicamente,
especificando os projetos estratégicos a serem desenvolvidos no LNA, junto com uma
pontuação para cada projeto. O anexo IIIB-B contém o atual plano de projetos estratégicos,
enumerando os projetos em andamento ou a serem realizados no futuro próximo, junto com a
pontuação associada.
P(PENR) = A pontuação associada a cada projeto estratégico
IPENR = A soma de pontuação para cada projeto individual ou partes destes realizados no
ano. No caso de projetos com duração superior a um ano, deve-se considerar a pontuação


                                              - 26 -
parcial conforme o progresso do projeto no ano.

Memória do Cálculo:
        Variável               Primeiro semestre            Segundo semestre              Anual
Soma[P(PE)]                            37                          21                       58
IPE(resultados)                        37                          21                       58
IPE (previsões)                        35                          32                       67


Resultado anual:
IPE = 58
Justificativa:
O valor do índice ficou abaixo do previsto. Isso reflete diretamente a sobrecarga de trabalho
dos servidores de alta qualificação do LNA com tarefas institucionais: Visto que a maior parte
dos projetos estratégicos exige para sua realização pessoal altamente qualificado – quer dizer,
os pesquisadores e tecnólogos – e que esse pessoal possui numerosas outras atribuições,
muitas vezes de caráter mais urgente, vários projetos estratégicos não puderam ser levados ao
ponto inicialmente esperado.
Comprovações:
 A tabela 16 contém relação dos projetos estratégicos integralmente ou parcialmente realizados em 2003,
 conforme o anexo IIIB-B do TCG, junto com a respectiva pontuação total e reliazada.Tab. 16: Relação
 de projetos estratégicos realizados integralmente ou parcialmente
Projeto                                                                 Pont.     grau de          Pont.
                                                                        total    conclusão       realizada
Implementação de sistema de pontuação para projetos de                    4         100%             4,0
instrumentação científcia
Implementação de um sistema de gerenciamento operacional                  4          75%             3,0
do OPD
Implementação de um sistema de gerenciamento de                           4         100%             4,0
documentos
Documentação de troca de instrumentos:                                    1          60%             0,6
Espectrógrafo Coudé
Caracterização e documentação do                                          6          50%             3,0
Espectrógrago Coudé
Documentação de troca de instrumentos:                                    1          60%             0,6
Espectrógrafo Cassegrain
Documentação de troca de instrumentos:                                    1          60%             0,6
Espectrógrafo Eucalyptus
Documentação de troca de instrumentos:                                    1          60%             0,6
Câmaras diretas
Documentação de troca de instrumentos:                                    1          60%             0,6
FOTEX
Documentação de troca de instrumentos:                                    1          60%             0,6
FOTRAP
Manual de operações para o telescópio                                     6          60%             3,6
Perkin Elmer
Manual de operações para o telescópio                                     6          60%             3,6
Boller & Chivens
Manual de operações para o telescópio                                     6          60%             3,6
Zeiss
Construção de uma oficina de fibras óptica                               15         100%            15,0

Óptimização de técnicas de polimento de fibras                          15        100%            15,0
Ópticas
                                                                                   SOMA =         58,4

Índice de Disponibilidade dos Telescópios do OPD (IDTOPD)


                                                   - 27 -
Definição:
IDTOPD = soma[P(TEL) * R(TEL)] / soma[P(TEL)]
Unidade: número real, com três casas decimais
O índice de disponibilidade dos telescópios do OPD mede a razão entre o número de horas
concedidas aos usuários do OPD e o número efetivo de horas nas quais a instrumentação
esteve em condições operacionais neste período.
R(TEL) = A razão entre o número total de horas escuras concedidas aos usuários em cada
telescópio do OPD e o número anual de horas nas quais o telescópio e a instrumentação
periférica estiveram em condições operacionais durante as horas concedidas. O número total
de horas escuras (usando meia-luz náutica como critério) anual é de 3720 horas. Destas
subtraem-se as horas que não foram utilizadas em projetos astronômicos (noites não
distribuídas pela Comissão de Programas ou concedidas pelo Diretor) para obter o número
total de horas escuras concedidas. O número anual de horas nas quais o telescópio e a
instrumentação periférica estiveram em condições operacionais durante as horas concedidas
define-se como a diferença entre o número de horas escuras concedidas e o número do horas
não utilizadas por razões de natureza técnica, segundo os relatórios noturnos e os relatórios de
manutenção.
P(TEL) = o peso associado a cada telescópio para levar em conta a importância do telescópio.
O peso orienta-se aproximadamente à magnitude limite do telescópio. Desta forma associa-se
um peso P=3 ao telescópio Perkin-Elmer (1.6-m), um peso P=1 a ambos, o telescópio Boller &
Chivens (0.6-m) e o telescópio Zeiss.
IPTOPD = o produto do peso de cada telescópio e a razão entre o número total de horas
escuras concedidas aos usuários em cada telescópio do OPD e o número anual de horas nas
quais o telescópio e a instrumentação periférica esteveram em condições operacionais durante
as horas concedidas, somado sobre todos os telescópios do OPD, dividido pela soma dos
pesos dos telescópios.
Memória do Cálculo:
        Variável            Primeiro semestre            Segundo semestre          Anual
R(Perkin Elmer)                   0,979                       0,9838               0.9808
R(Boller & Chivens)               0,988                       0,9852               0.9843
R(Zeiss)                          0,987                       0,9784               0.9828
P(Perkin Elmer)                      3                          3                      3
P(Boller & Chivens)                  1                          1                      1
P(Zeiss)                             1                          1                      1
IPE(resultados)                   0,982                       0,983                0,982
IPE (previsões)                   0,970                       0,970                0,970
Resultado anual:
IDTOPD = 0.982
Justificativa:
O LNA cumpriu a meta. Porém, o índice necessita uma revisão porque na versão atual sua
faixa dinâmica é muito estreito de forma que variações grandes do desempenho do LNA levam
a variações muito pequenas do seu valor.
Comprovações:
A tabela 17 contém maiores informações sobre os cálculos do índice. O Anexo VIII apresenta
relação diária sobre a disponibilidade dos telescópios do LNA (somente na versão impressa
deste relatório).

Tab. 17: Cálculo do índice de disponibilidade dos telescópios do OPD
Telescópio              Horas        Horas         Horas          R(TEL)            Peso R*Peso
                   Disponíveis    perdidas      operacionais
Perkin Elmer           3295,1         63,8        3231,3           0,9808          3        2,9424


                                                - 28 -
Boller&Chivens             2553,6           40,0             2513,6         0,9843      1         0,9843
Zeiss                      1014,7            17,5             997,2         0,9828      1         0,9828
                                                                                     IDTOPD=      0,9819
 Índice de Divulgação Científica e Tecnológica (IDCT)
 Definição:
 IDCT = soma[P(MD)]
 Unidade: numero real, sem casa decimal
 MD = Medida de Divulgação. Entende-se por divulgação toda estratégia e ação que visa levar
 ao público leigo e especializado informações de cunho institucional e/ou didático na área de
 Astronomia. As medidas de divulgação consideradas aqui são as seguintes:
            1)    palestras em eventos, escolas, universidades e
                  demais instituições (inclusive palestras internas
                  no LNA)                                                         P=2
             2)   participação em exposições                                      P = 3d
             3)   confecção de folders e/ou exposições                            P = 10
             4)   curso de capacitação e aperfeiçoamento                          P=n
             5)   emissão de boletins com informações institucionais              P=3
             6)   emissão de notícias para a mídia                                P=3
             7)   publicações em jornais, revistas etc.                           P = 0,001 p
             8)   participações em progamas de rádio, TV etc.                     P=3
             9)   visitantes atendidos no OPD                                     P = 0,1 v
 A cada medida será associada um peso conforme definido na tabela acima, onde n é o número
 de horas-aula administradas, d é o número de dias de duração da exposição, e p é o número
 de palavras da publicação, sendo que o peso mínimo do item 7 é P = 1. V é o número de
 visitantes atendidos no OPD.
 P(MD) = o peso associado a cada medida de divulgação conforme tabela acima
 IDCT = a soma de pesos das medidas de divulgação desenvolvidas no ano
 Memória do Cálculo:
         Variável              Primeiro semestre             Segundo semestre             Anual
Soma[P(MD)]                           212                             149                 361
IDCT(resultados)                      212                             149                 361
IDCT (previsões)                      160                             200                 360


 Resultado anual:
 IDCT = 361
 Justificativa:
 O valor anual do IDCT fica levemente acima da previsão. Portanto, o LNA cumpriu sua meta.
 Comprovações:
 A Tabela 18 apresenta o somatório das diversas medidas de divulgação desenvolvidas em
 2003. As tabelas seguidas detalham, de certa forma, várias dessas medidas. Considerando
 que em muitos casos, não é possível apresentar comprovações formal da execução das
 medidas, deve bastar aqui a afirmação do signatário deste documento de que as medidas
 realmente foram executadas.
  Tab. 18: Relação das medidas de divulgação
Medida                                         Número                           Pontuação
Palestras                                           29                               58
Exposições                                  3 (doze dias)                            36
Confecção folder/expos.                             0                                0
Cursos                                              0                                0
Boletins institucionais                             7                                21


                                                    - 29 -
Notícias para a mídia                          7                                   21
Publicações                                    2                                  6,7
Programas de Rádio/TV                          5                                   15
Visitas no OPD                               2032                                203.2
                                                           Total:                360,9




Tabela 19: Somatório das palestras administradas
No. Instituição/Evento                 Público alvo
 16 Escolas públicas e privadas        Alunos e professores de escola
 3 Universidades                       Estudantes e professores universitários
 1 Outras Instituições de Pesquisa     Pesquisadores das referentes instituições
 5 LNA (palestras internas)            Pesquisadores e demais servidores do LNA
 4 Congressos                          Pesquisadores da comunidade internacional




Tabela 20: Relação de participação em Exposições
Mês              Local        Evento
Julho            Recife       Expociência/SBPC
Agosto           Itajubá      Exposição junto ao evento “Marte por perto”
Setembro         Itajubá      Feira Regional Industrial e de Turismo de Itajubá




Tabela 21: Relação de Notícias para a mídia
Típo                          Conteúdo
Gemini Newsletter             Relatório do NGO brasileiro
Press Release LNA 1/2003      Eclipse lunar visível no Brasil
Press Release LNA 2/2003      Publicação do livro “Quanto Tempo o Tempo Tem”
Press Release LNA 3/2003      Eta Carinae
Press Release LNA 4/2003      Marte de Perto – Observações do planeta Marte na sede do LNA
Press Release LNA 5/2003      Espelho do SOAR começa viagem para o Chile
SECOM/MCT                     Folder institucional as Unidades de Pesquisa do MCT




 Tab. 22: Relação de participação em programas de rádio/TV
Estação                                     Tópico
EPTV Sul de Minas / Rede Globo de televisão     Eta Carinae
GloboNews                                       Eta Carinae
Rádio Itajubá AM                                Planeta Marte
Rádio Jovem FM de Itajubá                       Planeta Marte
Rádio Itajubá AM                                LNA em geral e participação do LNA na FRICI
Aplicação em Pesquisa e Desenvolvimento(APD)
Definição:


                                               - 30 -
APD = [1 - (DM / OCC)] * 100
Unidade: %, sem casa decimal
DM = Somatório das despesas com manutenção predial, limpeza e conservação, vigilância,
informática, contratos de manutenção com equipamentos da administração e computadores,
água, energia elétrica, telefonia e pessoal administrativo terceirizado, no ano, e outras
despesas administrativas de menor vulto, além daquelas necessárias à manutenção das
instalações, campi, parques e reservas que eventualmente sejam mantidas na UP.
OCC = Somatório das dotações de Outros Custeios e Capital, das fontes 100 e 150,
efetivamente empenhadas e liquidadas no período.
Obs.:
    1. Nas despesas correntes, diárias e passagens, procurar, quando possível, separar os
        gastos com Área-Fim e Área-Meio.
Observações:
     índice visa a medir a fração de despesas gastas para as atividades-fim da instituição.
      Porém, nem sempre fica inequívoco o que são despesas para atividades-fim ou para
      atividades-meio. Isso se aplica até nas áreas de despesas enumeradas na definição do
      conceito DM (veja acima). Para minimizar as ambigüidades na determinação do valor
      alcançado do índice durante a avaliação final deste TCG, o anexo IIIB-C contém uma lista
      de áreas de despesas, baseada no Plano Financeiro do LNA para 2003. Cada área é
      classificada em três grupos: (1) despesas para atividades-meio (portanto encaixada no
      conceito DM), (2) despesas para atividades atividades-fim, e (3) despesas que podem
      servir tanto para atividades-meio quanto para atividades-fim. No relatório anual de
      avaliação o LNA especificará quais das despesas do grupo (3) foram utilizadas para
      atividades-fim e quais para atividades-meio.
Memória do Cálculo:
O cálculo do valor numérico do APD baseia-se, em grande parte, nos números listados na
tabela 23. Ela contém uma linha para cada ítem do anexo IIIB-C do TCG com uma descrição
do tipo de despesa. A tabela restringe-se àqueles tipos de despesas que efetivamente foram
executadas, sendo que a coluna (I) contém a soma dos gastos até junho de 2003. A coluna (II)
contém a sigla para a classe de despesa: F = despesas para atividades-fim; M = despesa para
atividade-meio; A = despesa de natureza ambígua. Acrescenta-se os seguintes tipos de
despesas que não foram previstos no anexo IIIB-C: (1) pagamento de contribuições brasileiros
para a IAU, (2) pagamento de despesas referentes à reunião anual da Sociedade Astronômica
Brasileira, e (3) remanejamento de recursos da ação 4126 do PPA (pesquisa e
desenvolvimento em astrofísica e astronomia no LNA; ou seja, gerenciamento do LNA e
operação do OPD) para a ação 0803 (participação brasileira na utilização de telescópios
internacionais; ou seja, Gemini e SOAR). Alertamos que os números da tabela e aqueles
citados abaixo poderão conter pequenos erros devido à incertezas no levantamento dos
mesmos. Porém em nenhum caso isso afeta significativamente os números finais.
A fim de calcular o conceito DM da definição do índice, a coluna (III) da tabela 23 contém, para
cada tipo de despesa, a soma dos gastos para atividades-meio. Portanto, é igual ao valor na
coluna (I) para despesas da classe M, e zero para despesas da classe F. Para despesas da
classe A foi feita uma tentativa para separar os gastos executados em atividades-fim e
atividades-meio, de forma que a coluna somente contém o valor gasto em atividades-meio.
O valor do APD depende criticamente da interpretação do conceito OCC. Utilizando o valor
formal, como definido acima, leva-se a um valor elevado do índice, contrariando a sua intenção
original. Para chegar a valores mais realistas, precisa-se aplicar algumas adequações.
Ressalta-se que todas diminuem o APD e portanto não melhoram artificialmente o desempenho
do LNA. Consideram-se três casos:
1. O valor do OCC, conforme informações tiradas do SICAFI, considerando todas as dotações,
   efetivamente empenhadas e liquidadas em 2003, de Custeio (no montante de R$ 4.842.105;
   isso inclui R$ 3.899.993 para Gemini e SOAR), Capital (no montante de R$ 267.717) e
   Outros (benefícios; no montante de R$ 187.726) somam R$ 5.297.548. Com isso, calcula-se
   um valor APD = 92%.
     O valor fica exageradamente acima do valor pactuado no TCG e não está conforme as
     intenções originais porque inclui os recursos da ação 0803 do PPA (Gemini e SOAR). Esses
     recursos são destinados integralmente para atividades-fim, sem que o LNA tenha alguma


                                               - 31 -
     influência sobre seu uso. Portanto, não faz sentido incluí-los no cálculo de uma meta
     visando a maximizar despesas para atividades-fim e minimizando gastos para atividades-
     meio. Quando os termos do TCG foram definidos, não foi pensado na inclusão dos recursos
     para Gemini e SOAR no cálculo do índice.
2. Um valor mais realista do APD calcula-se através de outra definição do OCC, aqui chamado
   OCC(c) (OCC corrigido). Trata-se dos recursos empenhados e liquidados pelo LNA em 2003
   provindos da ação 4126 do PPA (gerenciamento do LNA e operação do OPD), pois o LNA
   tem liberdade de utilizar esses recursos tanto para atividades-fim quanto para atividades-
   meio. Subtraí-se os recursos para Outros (benefícios) pois ficam fora da governabilidade do
   LNA. Desta forma, o OCC(c) é igual ao OCC (R$ 5.297.548), menos o liquidado e
   empenhado para Gemini e SOAR (R$ 3.899.993), menos os Outros (R$ 187.726). Levando
   em consideração, porém, que o LNA remanejou R$ 300.000 da ação 4126 para a ação 0803
   para resolver um problema urgente no financiamento do Gemini, estes recursos devem ser
   incluídos no OCC(c). Portanto, OCC(c) = R$ 1.509.829, levando a um valor APD(c) = 76%.
     Sendo que a definição do OCC(c) reflete adequadamente as intenções originais, considera-
     se, para fins desse relatório, o APD(c) como valor final do índice.
3. Para completar, informamos ainda o valor APD* como definido no Relatório de
   Acompanhamento semestral. Conforme sua definição, APD* = [1 – (DM / EX)] * 100, onde
   EX é a soma de todas as despesas efetivamente executadas, APD* é a porcentagem das
   despesas para atividades-fim em relação a todas as despesas da instituição. O APD* não
   inclui nem os benefícios, nem os recursos empenhados mas não executados. Portanto,
   considera-se somente aqueles recursos, os quais o LNA efetivamente aplicou, a seu juízo,
   para atividades-fim ou atividades-meio. O conceito APD* reflete ainda melhor a intenção do
   índice do que o APD(c). Em 2003 o LNA atingiu um valor APD* = 72%.


         Variável            Primeiro semestre            Segundo semestre       Anual
DM                                                                             R$ 408.419
OCC                                        Não informado                      R$ 5.297.548
OCC(c)                               porque a base de dados                   R$ 1.509.829
EX                                    não permite separar os                  R$ 1.450.489
APD (resultados)                         referentes valores                        92
APD(c) (resultados)                      entre os semestres                        73
APD* (resultados)                                                                  72
APD(previsões)                      20                          46                 66


Resultado anual:
APD (c) = 73 %


Justificativa:
O LNA atingiu sua meta com folga.
Comprovações:
A tabela 23 contém a discriminação dos gastos para atividades-fim e atividades meio em 2003.




                                                 - 32 -
   Unid. Adm.   Descrição                                      (I)               (II)           (III)
   Dir          Passagens                                      R$ 82.685,75       A             R$ 7.385,66
   Dir          Diárias                                        R$ 49.432,35       A             R$ 6.109,89
   Dir          Equipamento teleconfer.                         R$ 1.699,00       F
   Dir          Pagamento IAU                                   R$ 9.275,56       F
   Dir          Reunião SAB                                     R$ 7.500,00       F
   Dir          Constr. Prédio                             R$ 198.386,65          F
   Dir          Gemini                                     R$ 300.000,00          F
   Dir          Outros                                       R$ 8.991,74          A             R$ 4.495,87
   Dir/Inform   Equipam. Inform.                               R$ 33.684,00       A            R$ 16.842,00
   Dir/Inform   Suprim. Inform.                                R$ 14.810,37       A             R$ 7.405,19
   Dir/Inform   Instal. Rede Interna                           R$ 21.046,33       A            R$ 10.523,17
   Dir/Bibl     Periódicos                                 R$ 122.000,00          F
   Dir/OfMec    Acessórios p/ fresadora                      R$ 2.123,24          F
   Dir/OfMec    Material de consuma                             R$ 7.075,72      F
   CAD          Almoxarifado                                    R$ 7.608,11      M              R$ 7.608,11
   CAD          Veículos (cons. + peças)                       R$ 25.329,46      M             R$ 25.329,46
   CAD          Combustível + Lubrific.                        R$ 26.329,46      M             R$ 26.329,46
   CAD          Seguro de veículos                             R$ 11.515,72      M             R$ 11.515,72
   CAD          Recarga de Extintores                             R$ 610,00      M               R$ 610,00
   CAD          Suprimentos de Fundo                           R$ 11.540,79      A              R$ 5.260,24
   CAD          Estagiários                                    R$ 18.624,66      M             R$ 18.624,66
   CAD          Água tradata                                    R$ 1.248,98      M              R$ 1.248,98
   CAD          Energia Elétrica                               R$ 72.038,12       A            R$ 14.684,58
   CAD          Telefone                                       R$ 17.055,00      M             R$ 17.055,00
   CAD          Internet                                        R$ 9.903,91      A              R$ 4.951,96
   CAD          Reprografia                                     R$ 8.797,10      M              R$ 8.797,10
   CAD          Correio                                         R$ 5.690,26      M              R$ 5.690,26
   CAD          Limpeza e Conservação                          R$ 15.825,44      M             R$ 15.825,44
   CAD          Vigilância                                     R$ 90.849,23      M             R$ 90.849,23
   CAD          Formação Rec. Hum.                              R$ 9.374,16      A
   CAD          Publicações DOU                                 R$ 4.404,03      M              R$ 4.404,03
   CAD          Outros                                          R$ 6.650,65      A              R$ 3.325,33
   SSL          Manutenção Estrada                              R$ 4.987,50      M              R$ 4.987,50
   SSL          Suprimentos                                    R$ 58.718,00      M             R$ 58.718,00
   SSL          Nova Fossa                                      R$ 9.950,00      M              R$ 9.950,00
   SSL          Outros                                         R$ 19.892,41       A            R$ 19.892,41
   OPD          Manutenção das Cúpulas                          R$ 4.438,23       F
   COPD         Nitrogênio (liqu. + gas.)                      R$ 25.040,56       F
   COPD         Material de Consumo                             R$ 6.094,91       F
   COPD         Outros                                          R$ 4.932,45       F
   CAC          Material p/ Lab. Óptico                         R$ 1.648,60       F
   CAC          Software                                        R$ 3.881,72       F
   CAC          Outros                                               R$ 501,60    F
   COTE         Compras nacionais                            R$ 2.298,00          F
   COTE         Compras internacionais                     R$ 106.000,00          F



                                               EX=       R$ 1.450.489,77                DM=   R$ 408.419,23
                                              OCC=       R$ 5.297.548,00
                                            OCC(c)=      R$ 1.697.554,94


                                                                                      APD=              92,29



Tab. 23: Cálculo do índice APD




                                                      - 33 -
Relação entre Receita Própria e OCC (RRP)
Definição:
RRP = RPT / OCC * 100
Unidade: %, sem casa decimal
RPT = Receita Própria Total incluindo a Receita própria ingressada via Unidade de Pesquisa
(fonte 150), as extraorçamentárias e as que ingressem via fundações de apoio e similares, em
cada ano, inclusive Convênios e Fundos Setoriais e de Apoio à Pesquisa, excluídos auxílios
individuais a bolsas de produtividade concedidos diretamente aos pesquisadores.
OCC = Definido anteriormente.
Observações:
O valor pactuado pelo LNA reflete diretamente os pedidos de verbas a fundações etc.
submetidos ou previstos para submissão na data da assinatura deste TCG. Portanto a
realização da meta depende fortemente da publicação dos respectivos editais (em particular no
que diz respeito ao Fundo de Infra-estrutura). O anexo IIIB-D contém uma lista destes pedidos.
Memória do Cálculo:
Utiliza-se aqui o conceito OCC(c), como definido na discussão do índice APD.


      Variável        Primeiro semestre                Segundo semestre             Anual
RPT                             0                       R$ 176.436,00            R$ 176.436,00
OCC(c)             Não informado porque a base de dados não permite              R$ 1.509.829
                    separar os referentes valores entre os semestres
RRP(resultados)                                                                       12
RRP(previsões)                  0                            65                       65


Resultado anual:
RRP = 12
Justificativa:
O valor final do índice ficou muito abaixo do previsto. Conforme o anexo IIIB-D do TCG, 80%
da previsão da arrecacação de receita própria dependiam do CT-Infra.Considerando que a
FINEP divulgou chamada pública para pedidos de recursos no âmbito do CT-Infra somente no
final do ano, sem tomar uma decisão em 2003, essa fonte de recursos não era disponível.
Portanto, as premissas do TCG, que prevêem no seu item 4 receitas estimadas provenientes
de Fundos Setorias, Fundações, Agências e Programas de Fomento à Pesquisa no valor total
de R$ 1.189.400 (veja também o anexo IIIB-D do TCG), não foram realizadas.
Desconsiderando os recursos do CT-Infra, o LNA arrecadou de outras fontes recursos que
ficaram somente cerca de 20% abaixo do esperado.
Comprovações:
A tabela 24 contém uma lista com projetos financiados em 2003 com Receita Própria. Cópias
de documentos comprovando a concessão dos recursos encontram-se no Anexo IX (somente
na versão impressa deste relatório).



 Tab. 24: Lista de ítens de Receita Própria
                          Projeto                                 Financiadora       Valor
Experimentos de Campo öptico com Frende de Onda                      CNPq         R$ 96.940,00
Corrigida
Ensinando Ciências através da Astronomia                             CNPq         R$ 39.496,00




                                              - 34 -
Workshop “Optical and Infrared Astronomica Instrumentation           CNPq        R$ 40.000,00
for Modern Telescopes”
                                                                         SOMA: R$ 176.436,00

Índice de Investimentos em Capacitação e Treinamento (ITC)
Definição:
ICT = ACT / OCC * 100
Unidade: %, sem casa decimal
ACT = Recursos financeiros (próprios ou via fundações) aplicados em capacitação e
treinamento no ano, incluindo despesas com passagens e diárias em viagens para participação
em cursos, congressos, simpósios e eventos similares, além de taxas de inscrição e despesas
com instrutores (para treinamento on the job), o custo da cessão de servidores para esses
eventos e o da dispensa/apoio de servidores para aprimoramento educacional/profissional no
horário de expediente, calculados proporcionalmente aos salários/dia ou hora despendidos
nesses eventos e aprimoramentos, mais encargos trabalhistas oficiais.
Obs.:
1. Excluem-se neste indicador os dispêndios com cursos de pós-graduação oferecidos pela
   entidade.
2. custo do dia ou hora/homem em treinamento, em horário de expediente, pode ser
   calculado na proporção de 1/22 avos (no caso de dia inteiro) ou 1/176 avos (no caso de
   hora) do salário bruto, mais encargos trabalhistas oficiais, consoante:
CT = n.º d * 1/22 * (SB + ETO) ou
CT = n.º h * 1/176 * (SB + ETO), onde
CT = Custo Total do Treinamento por Servidor e por evento;
N.º d = Número de dias;
N.º h = Número de horas;
SB = Salário Bruto e
ETO = Encargos Trabalhistas Oficiais.
OCC = Definido anteriormente
Observações:
     valor do ICT pactuado pelo LNA baseia-se nas despesas reservadas no Plano Financeiro
      diretamente para medidas de capacitação e treinamento mais despesas indiretas como por
      exemplo diárias e passagens para realizar estas medidas.
     Considerando que a definição da meta não inclui elementos medindo a eficácia de
      medidas de capacitação e treinamento, e na consciência da importância desta, o LNA fará
      um esforço para maximizar, dentro do limite de despesas previstas para tais medidas, o
      retorno para instituição.
Memória do Cálculo:
      Variável            Primeiro semestre             Segundo semestre           Anual
ACT                         R$ 21.879,52                  R$ 60.879,52          R$ 82.151,30
OCC (c)                Não informado porque a base de dados não permite        R$ 1.509.829,00
                        separar os referentes valores entre os semestres
ICT(resultados)                                                                    5,4 %
ICT(previsões)                 0,4 %                         1,1 %                 1,5 %
Resultado anual:
ICT = 5,4 %
Justificativa:O valor numérico do índice ficou muito acima do pactuado. Porém, existe uma
distorção grave porque a definição do índice inclui os salários e encargos trabalhistas,
enquanto o valor alvo de 1,5 % foi estipulado sem levar em consideração esses custos




                                               - 35 -
Servidor/Bolsista      Evento                 Diárias/Pass.    Custo Evento     Valor "CT" CT/OCC*100
Abans, M. L. F.        WorkShop                                                R$ 2.439,41 0,1437%
Abans, M.O A           Treinamento Gemini       R$ 981,00                      R$ 1.144,55 0,1252%
Alves, T. P.           Especialização                           R$ 1.530,00                  0,0901%
Ardila, A . R.         Treinamento Gemini       R$ 642,00                       R$ 617,40 0,0742%
Bagattini, H.A.        Curso Inglês                              R$ 447,25      R$ 182,59 0,0371%
Braga, C.              Ens. Fundam.                              R$ 520,00      R$ 768,09 0,0759%
Bruch, A .J.R.         Workshop Instr.                                         R$ 2.890,64 0,1703%
Bruch, A .J.R.         Reunião SAB                                             R$ 2.167,98 0,1277%
Carvalho, J. R. R.     Feira de Eletrônica       R$ 47,41                       R$ 189,90 0,0140%
da Silva, O.J.         Feira Mec.               R$ 156,07                       R$ 329,53 0,0286%
da Silva S.B.          Ens. Fundam.                              R$ 520,00     R$ 2.342,04 0,1686%
Damázio, J. P.         Ens. Fundam.                              R$ 520,00     R$ 1.495,93 0,1188%
de Faria, J.M.         Ens. Fundam.                              R$ 520,00      R$ 885,01 0,0828%
de Oliveira A . C.     Workshop Instr.                                         R$ 1.604,45 0,0945%
de Oliveira, J.F.      Feira Mec.               R$ 145,77                        R$ 86,99 0,0137%
de Oliveira, J.F.      Curso                    R$ 500,00        R$ 500,00      R$ 308,84 0,0771%
Fernandes, A.J.        Curso Inglês                              R$ 447,25     R$ 1.462,47 0,1125%
Flávio J.              Feira Mec.               R$ 149,91                                    0,0088%
Gargaglioni, R. S.     Feira de Eletrônica       R$ 47,41                       R$ 188,35 0,0139%
Gargaglioni, R. S.     Curso Inglês                              R$ 367,00     R$ 1.318,42 0,0993%
Gneiding, C. D.        WorkShop                                                R$ 2.040,55 0,1202%
Lopes, L.A.            Ens. Fundam.                              R$ 520,00      R$ 698,92 0,0718%
Macanhan, V.B.P.       Curso                    R$ 501,64        R$ 695,00      R$ 840,17 0,1200%
Macanhan, V.B.P.       Curso                                                    R$ 672,13 0,0396%
Macanhan, V.B.P.       Curso                    R$ 416,38        R$ 556,00      R$ 420,08 0,0820%
Macanhan, V.B.P.       Workshop Instr.                                         R$ 1.144,13 0,0674%
Maciel, L.A .          Ens. Fundam.                              R$ 520,00      R$ 993,99 0,0892%
Magno, J.              Curso Inglês                               R$ 80,25      R$ 170,65 0,0148%
Nazareth, F. P.        Feira de Eletrônica        R$ 47,41                      R$ 200,95 0,0146%
Neuman, L. A .         Especialização                           R$ 1.128,00    R$ 7.474,09 0,5067%
Quast, G. R.           Workshop Instr.          R$ 218,44                      R$ 2.907,82 0,1842%
Quast, G.R             Congresso Ouro Preto                                    R$ 3.163,00 0,1863%
Ribeiro, C.M.B.        Curso Inglês                              R$ 447,25     R$ 1.390,36 0,1083%
Rodrigues, F.          WorkShop                                                R$ 2.824,77 0,1664%
Santiago, I.F.         Curso Inglês                              R$ 447,25     R$ 1.482,68 0,1137%
Santiago, I.F          Palestra                 R$ 328,37                       R$ 121,97 0,0265%
Santoro, F. R.         WorkShop                                                R$ 1.475,18 0,0869%
Silva P.C.             Feira Mec.               R$ 156,07                       R$ 204,90 0,0213%
Silva, P.F.            Workshop Instr.                                         R$ 1.212,95 0,0715%
Silva,J.M.             Curso Inglês                              R$ 367,00     R$ 1.233,08 0,0943%
Siqueira, E.           Curso                    R$ 417,02        R$ 556,00                   0,0573%
Souza, B.V.C           Workshop Instr.                                         R$ 2.363,73 0,1392%
Souza, B.V.C           Reunião SAB                                             R$ 1.575,82 0,0928%
Souza, B.V.C.          Congresso Ouro Preto                                    R$ 2.153,70 0,1269%
Sposito, L. M. S.      Especialização                           R$ 1.530,00                  0,0901%
Torres, C.A .P.C.O .   Workshop Instr.                                         R$ 3.424,50 0,2017%
Torres, C.A.           Congresso Ouro Preto                                    R$ 3.735,00 0,2200%
Vasconcelos, R.C.      Workshop Instr.                                          R$ 830,45 0,0489%

                       Total                   R$ 4.754,90     R$ 12.218,25   R$ 65.178,15   4,8394%
Tab. 25: Relação do investimento em capacitação e treinamento
Comprovações:
A tabela 25 contém a relação das medidas de capacitação e treinamento, junto com os
referentes gastos em diárias/passagens, salários e custos diretos.



Participação Relativa de Bolsistas (PRB)


                                                      - 36 -
Definição:
PRB = NTB / NTS * 100
Unidade: %, sem casa decimal
NTB = Somatório dos bolsistas (PCI, RD etc.) existentes no LNA.
NTS = Número total de servidores em todas as carreiras.
Observações:
     Considerando a flutuação dos bolsistas, conta-se aqui não o mero número de bolsistas
      atuando no LNA no ano, mas leva-se em conta as frações F(B) e F(S) do ano que cada
      bolsista (B) e servidor (S) permaneceu no LNA. Desta forma, PRB = soma[F(B)] /
      soma[F(S)] * 100, onde a soma estende-se sobre todos os bolsistas ou servidores atuando
      no LNA no ano ou no semestre.
Memória do Cálculo:
Somente foram incluídos nos cálculos os bolsistas do Plano de Capacitação Institucional – PCI.
Além destes atuam atualmente dois bolsistas (nível ITI 1A) financiados através do Instituto do
Milênio MEGALIT.
         Variável            Primeiro semestre            Segundo semestre       Anual
Soma[F(B)]                         6,83                         6,25              13,08
NTS                                 66                          66                 66
Soma[F(S)]                         33,00                       33,00              66,00
PRB(resultados)                     21                          19                 20
PRB(previsões)                      20                          20                 20


Resultado anual:
PRB = 20
Justificativa:
O resultado anual ficou exatamente igual à previsão.
Comprovações:
A Tabela 26 contém a relação do todos os bolsistas, o número de meses de atuação em 2003
e a correspondente fração anual F. O Anexo X contém cópias dos ofícios da concessão das
bolsas (somente na versão impressa deste relatório).


 Tab. 26: Relação do bolsistas do LNA e o número de meses da atuação em 2003
Bolsistas PCI                       Número de meses de atuação       Fração anual F
Augustinho José Menin Simões                     8                        0.67
Célio Ricardo G. Andrade                        12                        0.00
Edson Siqueira                                   9                        0.75
Fabiano Amaral Correia                           8                        0.67
Gustavo Cecílio Costa Monteiro                  12                        1.00
João Batista Carvalho de Oliveira               12                        1,00
João Paulo Bueno Couto                          11                        0,92
José Alício da Silva                            12                        1,00
José Flávio                                     12                        1,00
Lígia Souza de Oliveira                         10                        0,83
Maria Silvana Peres de Oliveira                  3                        0,25
Marília Sartori Jobim                            3                        0,25
Paulo José Maciel Júnior                        11                        0,92
Paulo Luporini Pastore                           9                        0,75
Rolando Turini                                   8                        0,67
Ronaldo Aparecido Matias                         9                        0,75
Sidnei Martinet Cardoso de Oliveira              8                        0,67
                            Soma=              157                   157/12 = 13,08



                                                 - 37 -
 Participação Relativa de Pessoal Terceirizado (PRPT)
 Definição:
 PRPT = NPT / NTS * 100
 Unidade: %, sem casa decimal
 NPT = Somatório do pessoal terceirizado existentes no LNA.
 NTS = Número total de servidores em todas as carreiras.
 Observações:
     Considerando que o número de pessoas terceirizadas no LNA é constante ao longo do
      ano, não existe a mesma complicação como no caso do índice PRB e não há necessidade
      de alterar a definição do índice.
 Memória do Cálculo:
         Variável            Primeiro semestre            Segundo semestre         Anual
NPT                                  6                           6                    6
NTS                                  66                         66                   66
PRPT(resultados)                     9                           9                    9
PRPT(previsões)                      9                           9                    9


 Resultado anual:
 PRPT = 9
 Justificativa:
 O resultado anual ficou exatamente igual à previsão.
 Comprovações:
 A Tabela 27 contém a o número de pessoal terceirizado em diversas áreas de atuação do LNA.


 Tab. 27: Relação das área terceirizadas e do número de pessoal atuando nestas áreas
Área de atuação                                              Número de pessoal terceirizado
Limpeza e conservação                                                        2
Vigilância                                                                   4
                                            SOMA =                           6
 Índice de Inclusão Social (IIS)
 Definição:
 IIS = F(PAL) + F(OPD) + F(CUR) + F(ASS) + F(ID) + RE
 Unidade: número real, com duas casas decimais
 A área mais óbvia em que o LNA, como Laboratório Nacional voltado a uma disciplina de
 ciência básica, pode contribuir na inclusão social é a divulgação. Portanto, a definição do IIS
 concentra-se na inclusão da população desprivilegiada nos esforços do LNA em divulgação.
 Considera-se aqui como população desprivilegiada principalmente crianças de famílias de
 baixa renda (sem acesso ao ensino pago), idosos e deficientes.
 F(PAL) = fração de palestras ministradas em escolas públicas, fundações e similares, em
 relação ao número total de palestras ministradas.
 F(OPD) = fração de estudantes de escolas públicas, fundações e similares, visitantes do OPD,
 em relação ao número total de visitantes do OPD.
 F(CUR) = fração de professores da rede pública em cursos de capacitação e aperfeiçoamento,
 em relação ao número total de todos os professores participantes de tais cursos.




                                                 - 38 -
F(ASS) = fração de estudantes de escolas públicas, fundações e similares assessorados em
seus trabalhos escolares e preparação de feiras do conhecimento, em relação ao número total
de estudantes assessorados.
F(ID) = fração de idosos atendidos em palestras, visitas ao OPD e outras medidas de
divulgação, em relação ao número total de pessoas atendidas. Em consideração às
dificuldades inerentes de idosos em se locomover e conseguir condução adequada, associa-se
um peso dez vezes maior a integrantes deste grupo, visitantes do OPD, do que a outros
visitantes do OPD.
RE = recursos, em unidades de R$ 2.000,00 do orçamento do LNA ou arrecadados de fontes
externas, diretamente destinados para atividades de inclusão social. Entende-se aqui por
“recursos externos” recursos financeiros, fornecimento de gêneros ou de serviços do setor
privado (indústria, comércio, fundações, associações etc.) destinados a apoiar atividades do
LNA para a inclusão social. No caso do fornecimento de gêneros e de serviços estima-se o
valor financeiro equivalente para fins de calcular o valor numérico do IIS.
Memória do Cálculo:
        Variável       Primeiro semestre       Segundo semestre                 Anual
F(PAL)                       0,27                      0.07                     0,34
F(OPD)                       0,39                      0,46                     0,85
F(CUR)                       0,33                      0,66                     1,00
F(ASS)                       0,05                      0.41                     0,45
F(ID)              (número não levantado)    (número não levantado) (número não levantado)
RE                           0,00                      0,00                     0,00
IIS(resultados)              1,04                      1,60                     2,64
IIS(previsões)               1,60                      1,40                     3,00


Resultado anual:
ISS = 2,64
Justificativa:
O resultado anual ficou um pouco abaixo da previsão. Chamamos atenção que não foi
levantado o número de cidadãos idosos que se beneficiaram das diversas medidas. Portanto, o
termo F(ID) da fórmula de definição do IIS não foi considerado no cálculo do valor numérico do
índice. Conseqüentemente, na verdade o valor de ISS = 2,64 apresenta um limite inferior.
Comprovações:
A Tabela 28 apresenta o somatório das diversas medidas de inclusão social desenvolvidas em
2003. Considerando que em muitos casos não é possível apresentar prova formal da execução
das medidas, deve bastar aqui a afirmação do signatário deste documento de que as medidas
realmente foram executadas.

Tab. 20: Relação das medidas de inclusão social realizadas
Medida                                        Ntotal           Nincl soc.       Nincl soc./ Ntotal
Palestras                                       29                10                   0,34
Visitas ao OPD                                2032              1728                   0,85
Prof. em cursos de capacitação                  3                  3                   1,00
Estudantes assessorados                         22                10                   0,45
Idosos atendidos                                0                  0                   0,00
Recursos arrecadados                            0                  0                   0,00
                                                                       Soma =          2,64




                                              - 39 -
ITAJUBÁ, 27 DE JANEIRO DE 2004




                                    ALBERT BRUCH
                                  (DIRETOR DO LNA)
                                    ANEXO I
                                        ao
                   Relatório de Acompanhamento Anual
                   Termo de Compromisso de Gestão
                               2003
                        Laboratório Nacional de Astrofísica


      Rol de pesquisadores que compõem a variável “TNSE”


1. Albert Bruch
2. Alberto Rodrgiues Ardia
3. Bruno Vaz Castilho
4. Carlos Alberto Torres
5. Germano Quast
6. Mariângela Oliveira-Abans
7. Maximiliano Faúndez-Abans


                                         - 40 -
8. Marília Sartori


                                     ANEXO II

                                            ao
                      Relatório de Acompanhamento Anual
                     Termo de Compromisso de Gestão
                                 2003
                        Laboratório Nacional de Astrofísica



                     Comprovações referente ao índice IPUB

 Cópias das primeiras páginas das publicações em revistas indexadas dos pesquisadores do
                                       LNA em 2003



                                     ANEXO III
                                            ao
                      Relatório de Acompanhamento Anual
                     Termo de Compromisso de Gestão
                                 2003
                        Laboratório Nacional de Astrofísica



                 Comprovações referente ao índice IGPUB

   Cópias das primeiras páginas (ou equivalente) das publicações em congressos e eventos
                        similares dos pesquisadores do LNA em 2003




                                    ANEXO IV
                                            ao
                      Relatório de Acompanhamento Anual
                     Termo de Compromisso de Gestão
                                 2003
                        Laboratório Nacional de Astrofísica



                                             - 41 -
               Comprovações referente ao índice PPACI
Cópias de documentos referentes ao programas, projetos e ações de colaboração internacional
                                     do LNA em 2003




                                     ANEXO V
                                            ao
                  Relatório de Acompanhamento Anual
                  Termo de Compromisso de Gestão
                              2003
                     Laboratório Nacional de Astrofísica


               Comprovações referente ao índice PPACN
Cópias de documentos referentes ao programas, projetos e ações de colaboração nacional do
                                      LNA em 2003




                                    ANEXO VI
                                            ao
                  Relatório de Acompanhamento Anual
                  Termo de Compromisso de Gestão
                              2003
                     Laboratório Nacional de Astrofísica


                  Comprovações referente ao índice PD

 Cópia da carta de concessão da bolsa do pós-doc que atua como Astrônomo Residente junto
                                    ao telescópio SOAR



                                    ANEXO VII
                                            ao
                  Relatório de Acompanhamento Anual
                  Termo de Compromisso de Gestão
                              2003


                                             - 42 -
                  Laboratório Nacional de Astrofísica


           Comprovações referente ao índice IPDLNA

 Cópias das primeiras páginas das publicações, em revistas indexadas, com dados dos
             observatórios sob responsabilidade do LNA em 2002 e 2003



                                ANEXO VIII
                                         ao
               Relatório de Acompanhamento Anual
               Termo de Compromisso de Gestão
                           2003
                  Laboratório Nacional de Astrofísica


           Comprovações referente ao índice IDTOPD

    Planilha com relação diária da disponibilidade dos telescópios do OPD em 2003




                                 ANEXO IX
                                         ao
               Relatório de Acompanhamento Anual
               Termo de Compromisso de Gestão
                           2003
                  Laboratório Nacional de Astrofísica


              Comprovações referente ao índice RRD

Cópias de documentos referentes à concessão de verbas extra-orçamentárias ao LNA em
                                       2003




                                  ANEXO X
                                         ao
               Relatório de Acompanhamento Anual


                                          - 43 -
                    Termo de Compromisso de Gestão
                                2003
                        Laboratório Nacional de Astrofísica


                   Comprovações referente ao índice PRB

Cópias de ofícios referentes à concessão de bolsas PCI ao LNA em 2003




                                                 - 44 -

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:9
posted:10/1/2011
language:Portuguese
pages:44