Docstoc

newsletter

Document Sample
newsletter Powered By Docstoc
					      	 INTERNACIONALIZAÇÃO:	AS	NOVAS	APOSTAS	DO	BES	                     			

      	 BES	O	BANCO	DAS	EMPRESAS




26
setembro
2010                                        Newsletter do Accionista do Banco Espírito Santo
IMAGEM DA CAPA
        JOÃO TABARRA
        b. 1966, Portugal
        Viagem, 2010
        Fotografia a cores
        125x198cm
        Edição 1/5+2P.A.


        Cortesia João Tabarra, Blackmaria Prod. Audiovisuais,
        Galeria Graça-Brandão
     EDITORIAL
     RICARDO	ESPÍRITO	SANTO	SALGADO
     PRESIDENTE DA COMISSÃO EXECUTIVA DO BANCO ESPÍRITO SANTO




Senhor(a)	Accionista,

Os seis primeiros meses do ano ficaram marcados pela        pelo programa de expansão internacional nos países
crise do risco soberano que afectou gravemente a Zona       emergentes.
Euro a partir do mês de Maio, e em particular Portugal,
Espanha, Grécia e Irlanda.                                  O contributo da área internacional, para o resultado
                                                            consolidado, continua a ser determinante, totalizando
Em Portugal, o crescimento da actividade no primeiro        96,1 milhões de euros, um aumento de 13,3%. Para este
semestre foi maior que o esperado. O PIB cresceu 1,5%       resultado foi decisivo o crescimento do produto bancário
em termos homólogos, impulsionado pelo dinamismo            comercial em 32,4%.
das exportações que registaram um crescimento de            A aposta na internacionalização tem sido um
15,4% em Junho. Os resultados dos Stress Tests, levados     factor chave para enfrentar a quebra da actividade
a cabo pelo CEBS, vieram comprovar que o sistema            doméstica. O Grupo BES apostou, desde sempre, num
bancário português é sólido e capaz de resistir a           eixo geográfico composto por países com afinidades
condições económicas adversas.                              culturais e económicas com Portugal. O triângulo
                                                            estratégico (península ibérica, Brasil e Angola) tem sido
A gestão prudente que caracteriza o Grupo BES,              determinante para o contributo da área internacional e
complementada pelo programa de internacionalização,         representa já 49% do total da actividade levada a cabo
tem-nos permitido uma boa flexibilidade acompanhada         pelas unidades no estrangeiro.
de uma razoável rendibilidade e uma forte capacidade
de adaptação a estas difíceis condições de mercado.         Relativamente ao posicionamento estratégico em
                                                            Espanha foram concretizados dois acordos com o Grupo
A política financeira reconhecida por parte dos             do Banco Pastor na Galiza. Um destinado à compra de
investidores permitiu, antes do deflagrar da crise, já em   100% do capital da Gespastor (asset management), e
2010, emitir 4 mil milhões de euros de dívida de médio      outro destinado à aquisição pela Companhia de Seguros
e longo prazo face a um total de reembolsos de 5,1          Tranquilidade de 50% e o controlo de gestão da Pastor
mil milhões de euros, dos quais 5 mil milhões já foram      Vida. Ambos aguardam a não oposição dos reguladores
reembolsados até Julho, o que representa 98% das            portugueses e espanhóis.
emissões de médio e longo prazo que maturam em 2010.
Adicionalmente, o Grupo mantém em carteira activos          No passado mês de Agosto o Grupo anunciou uma
elegíveis para redesconto no montante de 12 mil milhões     importante parceria com o Banco Bradesco e com o
de euros (dos quais 7,6 mil milhões de euros junto do       Banco do Brasil com o objectivo de assegurar uma
BCE), em Junho.                                             coordenação tripartida da estratégia e investimentos
                                                            em África. Esta parceria deverá consubstanciar-se na
O Grupo BES apresentou, no primeiro semestre de 2010,       abertura do capital da BES África – holding do Grupo
um resultado de 282,2 milhões de euros, representativo      BES para as participações em entidades financeiras em
de um aumento de 14,6% face ao período homólogo do          África – ao Banco do Brasil e ao Bradesco.
ano anterior e de uma rendibilidade dos capitais próprios   O Atlântico Sul tem vindo a revelar-se crescentemente
(ROE) de 9,6%.                                              importante para a Economia Portuguesa e o reforço da
O resultado financeiro do 2º trimestre, no valor de 293     interligação económica entre a América do Sul, África e
milhões de euros, regista um aumento de 39 milhões de       a Europa potencia o crescimento económico para todos.
euros em relação ao conseguido no trimestre anterior
(254 milhões de euros), o que confirma a recuperação        O Grupo BES tem como missão criar valor para os
após ter-se atingido um valor mínimo no último              seus accionistas e continuará a fazê-lo apostando na
trimestre de 2009 (250 milhões de euros).                   mesma estratégia: crescer no mercado doméstico e
O comissionamento atingiu 389,6 milhões de euros            reforçar a expansão internacional para países com os
(+12,5%, em termos homólogos) colocando em evidência,       quais temos afinidades e que representem bons níveis
entre outros aspectos, o estímulo ao desenvolvimento        de crescimento.
do comércio externo, visível no crescimento do              Acreditamos que, desta forma, poderemos servir melhor
comissionamento dos créditos documentários (+48,9%),        os nossos clientes nacionais e internacionais bem
reflexo do continuado apoio à internacionalização das       como sustentar uma boa rendibilidade para os nossos
empresas portuguesas.                                       accionistas.
O rácio de eficiência (Cost to Income) manteve-se num
patamar abaixo dos 50%, apesar de os custos operativos
terem registado um aumento de 9,9%, impulsionados


01
02
     SNAPSHOTS	BES

                                                             O BES Directo é, assim, o primeiro contact center português
BES	 INAUGURA BANCO DE DIREITO lOCAl                         certificado com o Selo de Qualidade da APCC, cujo
EM CABO	VERDE                                                objectivo é incentivar as boas práticas e contribuir para a
                                                             melhoria de imagem e credibilidade do sector.

                                                             A distinção junta-se, ainda, à vigente certificação de
                                                             qualidade do Internet banking, determinada pela norma
                                                             NP EN ISSO 9001:2000, em vigor desde 2003, ficando assim
                                                             certificadas em qualidade os principais Canais Directos do
                                                             banco – Internet e Telefone.



                                                             BES E	ICNB PROMOVEM CONFERêNCIA COM
                                                             PAVAN SUkDhEV

                                                             O Banco Espírito Santo e o Instituto de Conservação da
O Banco Espírito Santo inaugurou, no dia 6 de Julho, o       Natureza e Biodiversidade (ICBN) promoveram no passado
BES Cabo Verde (BESCV), um banco universal de direito        mês de Junho, a primeira conferência do Ciclo Futuro Verde,
cabo-verdiano. A cerimónia de inauguração contou com a       que teve como tema “Biodiversidade, Ecossistemas e o seu
presença do Presidente da República de Cabo de Verde e       Valor”. O orador convidado foi Pavan Sukdhev, economista
do Presidente da República de Portugal, que se encontrava    e autor do relatório de referência internacional “The
em visita oficial àquele país, assim como do Presidente da   Economics of Ecosystems and Biodiversity”.
Comissão Executiva do BES, Ricardo Salgado.
                                                             Este relatório internacional calculou o impacto económico
                                                             e social decorrente da degradação dos ecossistemas,
                                                             propondo soluções práticas e financeiramente variáveis
                                                             para que governos e empresas se envolvam no combate à
                                                             perda da biodiversidade.

                                                             Pavan Sukhdev preside ao Global Market Center
                                                             do Deutsche Bank na Índia e é director do projecto
                                                             Green accounting for Indian States, um estudo sobre
                                                             o significado económico da biodiversidade na Índia.



                                                             NA 6ª EDIÇÃO DO BES	 REVELAÇÃO, BES
O Banco Espírito Santo Cabo Verde abre com um capital        E FUNDAÇÃO DE SERRAlVES REVElAM
inicial de 13 milhões de euros, e pretende estar associado   4 NOVOS TAlENTOS DA MAIS JOVEM ARTE
ao processo de afirmação e internacionalização da praça      PORTUGUESA
financeira de Cabo Verde, principalmente junto dos países
da costa ocidental africana.
                                                             O júri do BES Revelação, composto por Margarida Mendes
                                                             (curadora independente, programadora do espaço The
BES	 DIRECTO é O PRIMEIRO ConTaCT                            Barber Shop, em lisboa), Simon Rees (curador-chefe
CenTer CERTIFICADO COM SElO DE QUAlI-                        do CAC de Vilnius), Simone Menegoi (curador e crítico
DADE DA APCC                                                 de arte italiano, colaborador da revista Kaleidoskope)
                                                             e Pierre leguillon (curador e artista, Paris), seleccionou,
A Associação Portuguesa de Contact Centers (APCC)            por unanimidade, os projectos enviados a concurso por
distinguiu o BES Directo pela qualidade do serviço de        Carlos Mesquita, Eduardo Guerra, Miguel Ferrão e Mónica
atendimento e aconselhamento telefónico aos clientes do      Baptista. Os trabalhos dos artistas seleccionados serão
Banco Espírito Santo.                                        expostos em Serralves, em data a anunciar.




03
      ACTIVIDADE E RESULTADOS
      DO GRUPO BANCO ESPÍRITO SANTO




RESUlTADOS E ACTIVIDADE DO 1º	SEMESTRE	DE	2010
NOS 6 PRIMEIROS MESES DO ANO O GRUPO	BES CONTINUOU A CRESCER
DE FORMA SUSTENTADA, NÃO OBSTANTE AS DIFÍCEIS CONDIÇõES DE
MERCADO



ASPECTOS	MAIS	RELEVANTES


         O resultado do primeiro semestre atingiu 282,2 milhões de euros, representando um crescimento de 14,6% em termos homólogos
  1      que corresponde a uma rendibilidade dos capitais próprios de 9,6% (2009: 10,0%; 8,8% excluindo resultados extraordinários).



  2
         Actividade internacional: o produto bancário comercial aumentou 32,4% passando a representar 34% do total (1º semestre
         2009: 24%); a contribuição para o resultado consolidado foi de 34% (1º Sem, 09: 34%), situando-se em 96,1 milhões de euros.

         O crédito a clientes registou um crescimento de 8,4% (1º Sem, 09: +3,8%), com o crédito a empresas a ser a componente

  3      mais dinâmica ao aumentar 11,1% - o Grupo BES concedeu crédito às empresas em mais 3,9 mil milhões de euros durante o
         1º semestre de 2010; os depósitos de clientes tiveram um aumento de 3,7%.

         Os custos operativos registaram um aumento de 9,9% muito impulsionados pelo programa de expansão internacional

 4       nos países emergentes, que fez com que os custos operativos da área internacional observassem um aumento de 33,9%.
         Apesar disso o Cost to Income (com mercados) manteve-se num patamar abaixo dos 50%.

         O esforço de provisionamento para crédito no semestre situou-se em 65 p.b. (1º Sem, 09: 1,13%; base comparável: 0,97%)

 5       fazendo aumentar para 3,15% o saldo de provisões em balanço para fazer face ao risco do crédito total concedido a clientes
         (Jun, 09: 2,81%).



 6
         O rácio de sinistralidade a mais de 90 dias situou-se em 1,70% (Jun, 09: 1,42%), sendo a correspondente cobertura por provisões
         de 184,9% (Jun, 09: 197,9%).

         As emissões realizadas antecipadamente em 2009, adicionadas da dívida emitida no corrente exercício no valor de 7,8 mil
         milhões de euros cobrem as necessidades de financiamento para 2010. Até à presente data já foram reembolsadas 98%

 7       das emissões de médio e longo prazo que maturam em 2010 (5,1 mil milhões de euros). Adicionalmente, o Grupo mantém
         em carteira activos elegíveis para redesconto no montante de 12 mil milhões de euros (dos quais 7,6 mil milhões de euros
         junto do BCE).


 8       O rácio de solvabilidade é de 11,1%, com o Tier I a situar-se em 8,4%.


         As principais posições accionistas da carteira de Activos Disponíveis para Venda têm associado um ganho potencial de
 9       163 milhões de euros (Jun, 09: 58 milhões de euros).




                                                                                                                                       04
PRINCIPAIS	INDICADORES


                                                                                                             1º	Semestre	2009    1º	Semestre	2010        Variação


Resultado líquido                                              milhões de euros                                        246,2               282,2          14,6%
ROE                                                            %                                                         10,1                 9,6        -0,5p.p.
ROA                                                            %                                                        0,64                0,68         0,04p.p.
Activos Totais (1)                                             milhões de euros                                      105 009             107 789           2,6%
Activos líquidos                                               milhões de euros                                       81 428              84 874           4,2%
Crédito a Clientes (inclui securitizado)                       milhões de euros                                       52 228              56 597           8,4%
Recursos Totais de Clientes                                    milhões de euros                                       58 378              55 847          -4,3%

Cost / Income                                                  %                                                        44,2                49,3          5,1p.p.
Cost / Income (sem Mercados)                                   %                                                        51,4                60,2          8,8p.p.


Solvabilidade (Banco de Portugal) (2)
Racio Core Tier I                                              %                                                          8,3                 7,9        -0,4p.p.
Racio Tier I                                                   %                                                          8,9                8,4         -0,5p.p.
Racio de Solvabilidade                                         %                                                         12,2                11,1        -1,1p.p.


Número	total	de	balcões	                                       	                                                         794	                820	           26
Rede doméstica                                                                                                           733                 725            -8


(1) Activo líquido + Actividade Gestão de Activos + Outra Desintermediação Passiva + Crédito Securitizado.
(2) Valores calculados com base no método IRB Foundation; dados de Junho de 2010 (provisórios).


Apesar de o primeiro semestre ter decorrido sob um contexto de quebra de confiança dos mercados financeiros
e de deterioração do risco soberano dos países do sul da Europa, o Grupo BES conseguiu atingir um resultado de
282,2 milhões de euros representativo de um aumento de 14,6% face ao período homólogo do ano anterior e de uma
rendibilidade dos capitais próprios (ROE) de 9,6%.

Como aspectos mais salientes do semestre destacam-se:

• a robustez do produto bancário que, pese embora a ligeira quebra de 1,5%, foi conseguido num contexto especialmente
  adverso;
• a contribuição da área internacional, determinante para a sustentabilidade do produto bancário comercial, cuja
  representatividade para o consolidado aumentou para 34% (1º Sem, 09: 24%);
• o reforço do provisionamento, que se manteve expressivo (41% do resultado bruto/cash flow gerado) e com impactos
  positivos no rácio “Provisões para Crédito / Crédito Concedido”.

RESULTADOS	CONSOLIDADOS
                                                                                                                                                          milhões de euros


                                                                                                             1º	Semestre	2009    1º	Semestre	2010    Variação	(%)


       Resultado Financeiro                                                                                             650,2              546,3           -16,0
    + Serviços a Clientes                                                                                               346,2               389,6           12,5
	   =	 Produto	Bancário	Comercial	               	                                                                     996,4	              935,9	           -6,1
    + Resultados de Operações Financeiras e Diversos                                                                     162,1              205,7           26,9
	   =	 Produto	Bancário	                         	                                                                    1	158,5	            1	141,6	          -1,5
    - Custos Operativos                                                                                                 512,3               563,3            9,9
	   =	 Resultado	Bruto	                          	                                                                     646,2	              578,3	          -10,5
    - Provisões líquidas de Reposições                                                                                  325,1               238,8          -26,5
	   =	 Resultados	antes	de	Impostos	e	Minoritários	                                                                     321,1	             339,5	           5,7
    - Impostos                                                                                                            53,3               21,5          -59,6
    - Interesses Minoritários                                                                                             21,6               35,8           65,5
	   =	 Resultado	do	Exercício	                   	                                                                     246,2	              282,2	          14,6




05
ACTIVIDADE
Os activos totais situaram-se perto de 108 mil milhões de                                            do Grupo, reflexo do apoio ao tecido empresarial nacional,
euros no final do primeiro semestre de 2010, representando                                           nomeadamente aos sectores exportadores e com potencial
um crescimento de 2,6% face ao período homólogo do ano                                               de internacionalização. O crédito concedido na actividade
anterior.                                                                                            internacional (+16,8%) foi na sua maior parte financiado por
                                                                                                     recursos captados fora da Europa.
Foram captados 60 mil novos clientes, fruto da articulação
entre a rede de balcões e os principais canais de captação                                           é de sublinhar que o rácio de transformação na actividade
de clientes, em particular os programas Cross-Segment,                                               internacional é de 89%.
assurfinance, e os restantes programas de captação
em parceria com Promotores Externos. A captação total do
Grupo BES, incluindo as unidades internacionais, ascendeu
a 65 mil clientes.

A carteira de crédito registou um crescimento homólogo                                                                       65 MIl NOVOS ClIENTES
de 8,4%, apesar da elevada selectividade imposta na                                                                          NO PRIMEIRO SEMESTRE
concessão de crédito, com realce no crédito concedido a                                                                                    DE 2010.
empresas o qual, ao aumentar 11,1%, continua a apresentar-
-se como o segmento mais relevante da carteira de crédito




PRINCIPAIS	VARIÁVEIS		DA	ACTIVIDADE
                                                                                                                                                        milhões de euros


                                                                                                                               31	de	Junho
  Variáveis                                                                                                                                             Var	%
                                                                                                                              2009              2010


	 Activos	Totais	(1)	                                         	                                                            105	009	          107	789	    2,6	


	 Activo		                                                    	                                                             81	428	          84	874	     4,2	


	 Crédito	a	Clientes	(incluindo	securitizado)	                	                                                             52	228	          56	597	     8,4	
  Crédito a Particulares                                                                                                    17 286            17 774     2,8
    - habitação                                                                                                              14 571          14 980      2,8
    - Outro Crédito a Particulares                                                                                            2 715            2 794     2,9
  Crédito a Empresas                                                                                                        34 942           38 823      11,1


	 Recursos	Totais	de	Clientes		(A+B)	            	                                                                          58	378	          55	847	     -4,3	
  Recursos de Clientes de Balanço (A)                                                                                       40 052            37 841     -5,5
    - Depósitos de Clientes e similares                                                                                     32 962            31 916     -3,2
        Depósitos                                                                                                           25 156           26 082       3,7
        Certificados de Depósito                                                                                             7 806             5 834    -25,3
    - Débitos representados por Títulos colocados em Clientes (2)                                                            7 090             5 925    -16,4
  Recursos de Desintermediação (B)                                                                                          18 326           18 006      -1,7


	 Rácio	de	Transformação	(%)	(3)	                             	                                                                118	              137	   19p.p.


(1) Activo líquido + Actividade asset Management + Outra Desintermediação Passiva + Crédito Securitizado não consolidado
(2) Inclui recursos associados às operações de titularização consolidadas
(3) Crédito a Clientes liquido em balanço / Recursos de Clientes de balanço




                                                                                                                                                                   06
ACTIVIDADE INTERNACIONAl
A concretização da estratégia internacional prosseguiu a       CONTRIBUTO	DE	34%	PARA	O	RESULTADO	
bom ritmo, sendo de assinalar a presença na líbia onde, no     CONSOLIDADO
passado mês de Abril, se procedeu à aquisição de 40% do        valores em milhões de euros

capital social e se assumiu o controlo da gestão do Aman
Bank, banco privado com sede na capital, Tripoli.
                                                                                                                 47,3	(48,9)
O resultado proporcionado pelas unidades internacionais         41,4	(28,6)
totalizou 96,1 milhões de euros que corresponde a um
aumento de 13,3% (30,8% numa base comparável caso se
ajuste o resultado do 1º semestre de 2009 do BES Angola
pelo actual nível de participação do Grupo).




                                                                -1,3	(4,0)

                                                                                 5,5	(0,0)
                                                                                              3,2	(3,3)




                                                                    Reino	Unido:	                    Triângulo	Estratégico:	
                                                                    41,4	(28,6)                      49% do total internacional

                                                                    França/Luxemburgo:	
                                                                    3,2	(3,3)                        	        2009	   2010
                                                                    EUA:	                            Angola: 35,9      28,8
                                                                                                     Brasil:  14,9     10,4
                                                                    5,5	(0,0)                        Espanha: -1,9      8,1
                                                                    Outros:
                                                                    -1,3	(4,0)




                       Para o resultado alcançado foi decisivo o crescimento do produto bancário comercial em 32,4%
                        (doméstico: -18,2%) com evoluções francamente positivas do resultado financeiro (+26,4%) e do
                                   comissionamento (+49,8%), conjugado com um menor esforço de provisionamento.




07
     BES, O BANCO DAS EMPRESAS


Num contexto como o actual, marcado pela crise global           A liderança no segmento de empresas em Portugal resulta
que se faz sentir desde o final de 2007, as empresas            de uma abordagem consistente assente em três principais
portuguesas têm que recorrer a políticas de gestão eficazes     pontos fortes:
e a abordagens alternativas para poder marcar a diferença e
continuar a contribuir para um desenvolvimento sustentado
da economia nacional. As empresas têm um papel crucial
                                                                   1.	 Relação   de longo prazo: visão integrada das
na economia portuguesa e têm sido capazes de traçar um
                                                                       necessidades dos clientes, suportada por
rumo próprio e uma estratégia sólida para contornar a crise
                                                                       unidades especializadas e por uma rede dedicada
e procurar fontes de crescimento alternativas.
                                                                       de especialistas;
                                                                   2.	 Sólido e consolidado modelo de negócio
O Banco Espírito Santo tem, desde sempre, uma vocação
                                                                       • Modelo de distribuição
para acompanhar e estimular a actividade das empresas
                                                                       • Oferta atractiva e ajustada às necessidadedes
portuguesas. O posicionamento do BES junto do segmento
                                                                         dos Clientes
empresarial reflecte o contínuo investimento na procura de
                                                                   3.	 Enfoque no sectores mais dinâmicos: exportação
soluções inovadoras e que acrescentem valor à actividade
                                                                       e internacionalização, potenciada pela presença
das empresas.
                                                                       internacional do Grupo em mercados chave para
                                                                       as empresas portuguesas e inovação.




lIDERANÇA NO APOIO ÀS PME
O Banco Espírito Santo é o Banco de referência entre as PME, um segmento de peso na actividade do BES, e para as quais são
criadas e disponibilizadas as melhores soluções de investimento, financiamento e apoio à internacionalização, factores chave
para que tenham sucesso no mercado.

A divulgação oficial dos resultados globais das linhas de crédito PME Investe desde o seu arranque, confirmou a posição
de liderança do BES neste segmento. Segundo os dados oficiais divulgados pelas Sociedades de Garantia Mútua, desde o
lançamento da primeira linha PME Investe, em Julho de 2008 e até hoje, o BES lidera com uma quota de 19% dos cerca de
9 900 milhões de euros de financiamento analisados pelas sociedades de garantia mútua. Ou seja, só ao abrigo do programa
PME Investe o BES aprovou mais de 1 900 milhões de euros em crédito as PME nacionais.




   LIDERAR	PARA	O	FUTURO
   BES	e	IAPMEI	organizam	seminários	para	as	
   PME	Líder
   No âmbito do apoio ao desenvolvimento do tecido
   empresarial nacional, o BES, em parceria com o
   IAPMEI, está a organizar um ciclo de seminários
   temáticos para as PME líder. O primeiro de cinco
   seminários decorreu no passado mês de Julho,
   tendo contado com a presença de mais de 1 000
   empresários.

   Até ao final de 2010 serão realizados mais quatro
   seminários que abordarão temas relacionados com a
   liderança, Inovação e Qualidade, Marketing e Vendas
   e Internacionalização.


                                                                                                                         08
                                   	

  	                                                                             SERVIÇOS INOVADORES
APOIO À EXPORTAÇÃO
O crescente processo de globalização da Economia Mundial comprova e acelera a inevitabilidade da internacionalização das
empresas. Apesar das exportações terem um peso crescente no PIB nacional (29% previstos para 2011* vs 25% em 1993)
apenas 4,1% das Empresas portuguesas exportam.

Consciente desta realidade, o BES soube posicionar-se junto deste importante segmento como parceiro de negócios e como
promotor e agilizador do processo de internacionalização das empresas portuguesas.
                                                                                                   * Fonte: Comissão Europeia, ES Research.

      CONTRIBUTOS	BES
       ACÇÕES	DE	SENSIBILIZAÇÃO

      •	Fórum	Portugal	Exportador	(BES	/	AIP	/	AICEP)	{3 Edições com a participação de cerca de 1 000 empresários em cada}
      •	8	Seminários	“ABC´s	Mercado”	(BES	/	AICEP)	{Mais de 500 Empresários presentes}

       ACÇÕES	NO	TERRENO

      •	Missões	Empresariais	{12 Missões Empresariais envolvendo 350 Empresários}
      •	Participação	em	Feiras	Internacionais	{Argélia, líbia e Marrocos}

       INSTRUMENTOS	DE	APOIO

      •	Alargamento	da	presença	internacional	do	Banco	através	de	parcerias	estratégicas	e	da	aposta	em	novos	mercados
      •	Unidade	Internacional	Premium - Unidade	de	especialização	no	acompanhamento	do	processo	de	internacionalização			
      		das	empresas.




UNIDADE INTERNACIONAL	PreMIUM
A Unidade Internacional Premium, criada em 2008, representa uma nova dinâmica do BES no apoio aos seus Clientes na
abordagem aos mercados internacionais, quer na vertente de investimento, quer no apoio à exportação.



O apoio é realizado nas diferentes fases do processo, promovendo
a articulação entre a empresa e a sólida rede internacional do
Grupo BES.


                                 SERVIÇOS                                                        COMO?


      • Pesquisa e diagnóstico de novas oportunidades de negócio        • Know-how do Grupo BES nas diversas geografias (presença
      em mercados externos;                                             e conhecimento aprofundado dos mercados);

      • Informação legal, fiscal, laboral e administrativa dos          • Agilidade, mobilidade e flexibilidade garantidas por uma
      mercados;                                                         equipa especializada;

      • Serviços de banca comercial para empresas;                      • Serviço personalizado e especializado apoiado em gestores
                                                                        de negócio internacional.
      • Trade Finance;

      • Banca de Investimento;

      • Missões Empresariais.




09
BES	EXPRESS BIll

O BES atento ao actual Contexto Económico, em particular à escassez de liquidez e clima de insegurança que as empresas
enfrentam, desenvolveu uma solução financeira que vai de encontro às necessidades sentidas pelas empresas. O serviço “BES
Express Bill” é uma solução totalmente inovadora que visa contribuir para um melhor ambiente de negócios ao apresentar
uma solução para um problema comum em Portugal no relacionamento entre empresas, que se prende com os atrasos nos
prazos de pagamento e recebimento.




O	QUE	É?
Ordem de Pagamento a Prazo, com garantia de pagamento do BES que permite
ao Beneficiário (conta BES) antecipar os fundos com total flexibilidade e menores
custos.




         	EMITENTE	DA	ORDEM                                           	BENEFICIÁRIO	DA	ORDEM




                              COMPRADOR                                                    VENDEDOR

                EMISSÃO	ORDEM	BES	EXPRESS	BILL                              NOTIFICAÇÃO	DE	PAGAMENTO
           1    Execução online de Ordem de Pagamento a Prazo,         2    Recepção de aviso de emissão de Ordem de
                com garantia de pagamento do BES, via plafond               Pagamento (sms e email).
                de crédito previamente aprovado.

                LIQUIDAÇÃO	DA	ORDEM                                         O	BENEFICIÁRIO	TEM	A	OPÇÃO	DE:
           4    Na data de vencimento é debitada a conta do
                                                                       3    ANTECIPAR: Crédito imediato (Conta BES);
                comprador. Se não tiver saldo disponível utiliza a          NÃO ANTECIPAR: Pagamento na data de
                linha Conta Corrente.                                       vencimento.




                          COMPRADOR                                                          VENDEDOR



   • Aumento do poder negocial junto dos Fornecedores (prazo          • Garantia de recebimento;
     e descontos);
                                                                      • Acesso automático à antecipação de fundos (liquidez);
   • Acesso a crédito de tesouraria com custos de uma garantia
     bancária (inferiores à taxa de juro que tem Euribor e custo      • Condições de antecipação com custos reduzidos (isenção
     liquidez);                                                         de imposto selo);

   • No vencimento das Ordens Express Bill se não tiver saldo         • Não consome plafonds crédito;
     disponível utiliza automaticamente a linha de Conta
     Corrente;                                                        • Melhora o seu perfil de risco (as antecipações permitem
                                                                        reduzir a rubrica de Clientes e Empréstimos Bancários).
   • Melhora o seu perfil risco (crédito Fornecedores vs bancário).




                                                                                                                                  10
BESNETWORk
Em Janeiro de 2009 o BES lançou o BESnetwork, uma solução de banca electrónica para as empresas com actividade ibérica.
Esta inovadora plataforma permite uma abordagem integrada do cliente ibérico com contas em Portugal e em Espanha, ou
nos dois Países.




     1         CLIENTE	IBéRICO,	COM	
               CONTAS	NUM	DOS	PAíSES
                                                        2       CLIENTE	IBéRICO,	COM	
                                                                CONTAS	NOS	DOIS	PAíSES
                                                                                                                      network
                                                                                                         oferece:

                                                                                                         • Visão consolidada das contas/
                                                                                                         património em Portugal e Espanha;

                                                                                                         • Acesso integrado ao sistema
                                                                                                         bancário de ambos os país*, ainda
                                                 e                                                       que tenha apenas conta numa das
                                                                                                         geografias;

                                                                                                         • Transaccionalidade on-line, em
                                                                                                         tempo real, entre os dois países.

          O BESnetwork apresenta elevadas taxa de utilização:
          - mais de 50% das Empresas Ibéricas com casa-mãe em Portugal;
          - mais de 30% dos Empresas Ibéricas com casa-mãe em Espanha.

* Fonte: D&B, MOPE, análise BES.




UNIVERSIDADE BES

A Universidade BES, em parceria com a UCP, criou um curso de Gestão para Empreendedores de Elevado Potencial, com um
plano curricular específico e sessões de coaching de apoio ao negócio.




     PÚBLICO	ALVO                                              Áreas	chave:	
                                   Plano	Curricular            • Estratégia e internacionalização;
                                   e-competences               • Inovação e Valorização da Tecnologia;                        TOOLKIT	DO	
                                   103h de formação            • liderança e Comunicação;                                   EMPREENDEDOR
                                   (1 dia/semana)              • Marketing e Vendas;
Empreendedores de                                              • Gestão Financeira e Contabilidade;
elevado potencial que                                          • Ciclo de Seminários.
ainda não têm uma
estrutura empresarial                                           • 30h de coaching ao longo de 3 meses a cada equipa
organizada e/ou que                Apoio	ao	
                                                                  de projecto;                                                 PLANOS	DE	
possuem uma                        Plano	de	
                                                                • Sessões de trabalho para o desenvolvimento do                 NEGÓCIO
empresa recente                    Desenvolvi-                    negócio;
                                   mento                        • Acompanhamento por consultores (escolhidos pela               REDE	DE	
                                   do	Negócio                     UCP e BES)                                                   CONTACTOS
                                   e-coaching


                                       • Desenvolver competências de gestão
         OBJECTIVOS                    • Estudar conceitos, técnicas e ferramentas relevantes para o negócio
                                       • Acelerar o desenvolvimento dos projectos de empresa




11
     ENTREVISTA	A...
     ANTÓNIO	SOUTO
     MEMBRO DA COMISSÃO EXECUTIVA DO BES




O	 BANCO	 ESPÍRITO	 SANTO	 ANUNCIOU	 RECENTE-                Mas temos também apostado constantemente na inovação
MENTE	UMA	PARCERIA	COM	O	BANCO	BRADESCO	E	                   e no empreendedorismo, quer através do Concurso Nacional
COM	O	BANCO	DO	BRASIL	PARA	UMA	ABORDAGEM	                    de Inovação BES, quer através dos fundos da nossa capital
COMUM	 AO	 MERCADO	 AFRICANO	 ATRAVÉS	 DA	                   de risco, a ES Ventures.
HOLdIng	 BES	 ÁFRICA.	 DE	 QUE	 MODO	 É	 QUE	 AS	
EMPRESAS	 CLIENTES	 DO	 BES	 VÃO	 BENEFICIAR	
DESTA	PARCERIA?                                              REFERIU-SE	 àS	 MISSÕES	 EMPRESARIAIS.	 QUE	
                                                             PAÍSES	TêM	PRIVILEGIADO?
Como sabe esta parceria está ainda numa fase de
negociação. Por enquanto trata-se de um memorando de         Os países têm que ser destinos estratégicos para as
entendimento, não estando ainda definidas as condições       empresas portuguesas, com oportunidades de negócio
finais do acordo. De qualquer forma, esta parceria           concretas e têm que ser geografias onde o BES tenha
com dois ‘gigantes’ brasileiros e a vontade de ter uma       presença directa ou através de parcerias com bancos locais,
abordagem comum ao mercado africano, através de              para poder prestar todo o apoio necessário no terreno. O
uma holding do BES, é extremamente positiva e reflecte o     BES já levou um total de 350 empresários para países tão
quer tem sido o posicionamento do BES na sua política de     distintos como Angola, Brasil, Marrocos, Argélia, líbia e
internacionalização. O eixo atlântico sul é incontornável    Dubai.
e Portugal pode funcionar como uma plataforma entre a
América do Sul e África. Do nosso lado, temos apostado
cada vez mais no apoio aos empresários portugueses nos       COMO	 É	 QUE	 AS	 EMPRESAS	 PORTUGUESAS	 TêM	
seus processos de internacionalização para novos mercados    ENFRENTADO	 A	 CRISE	 QUE	 NOS	 TEM	 AFECTADO	
e, nomeadamente para a América do Sul e África.              DESDE	O	FINAL	DE	2007?	

                                                             Temos assistido a uma extraordinária capacidade dos
EM	QUE	É	QUE	SE	CONSUBSTANCIA	ESSE	APOIO?	                   nossos empresários em inovar e expandir os seus negócios
	                                                            para mercados alternativos. Aliás, grande parte do crédito
O Banco Espírito Santo tem, desde sempre, um posicio-        que temos concedido às empresas tem sido para as apoiar
namento inovador em todos os segmentos de clientes. A        na sua abordagem aos mercados externos, quer seja
nossa abordagem ao segmento das empresas reflecte            por via das exportações, quer seja nos seus processos de
uma estratégia que aposta nas relações de longo prazo e      implementação além fronteiras. E este é precisamente o
na incessante procura dos melhores serviços para os nossos                      nosso papel, criar as condições para
clientes. Serviços como o BESnetwork e o BES Express Bill,                       apoiar as empresas portuguesas que
são soluções verdadeiramente inovadoras para as empresas                          podem assumir um papel decisivo
que têm actividade em Portugal e no estrangeiro.                                   de liderança no desenvolvimento da
                                                                                   economia portuguesa.
Em 2008 criámos uma unidade especializada, a Unidade
Internacional Premium, que tem como missão acompanhar                                 As nossas pequenas e médias
e assessorar os empresários que pretendam expandir o                                     empresas têm sido um
seu negócio para o estrangeiro.                                                              verdadeiro motor para
                                                                                                a economia nacional,
Realizamos, desde 2006, missões empresariais em                                                são empresas que
que convidamos empresários a visitar mercados                                                  primam pela excelência
estratégicos para as empresas portuguesas e que                                                na qualidade e na ino-
nos permitem consolidar a relação com os nossos                                               vação, são empresas
clientes. O Banco passa a ser um parceiro que                                                 vencedoras e os par-
é consultado e ouvido no aconselhamento das                                                  ceiros certos para o
decisões estratégicas das Empresas.                                                         futuro.




                                                                                                                     12
     INTERNACIONALIZAÇÃO:	
     AS NOVAS APOSTAS DO BES

BANCO	ESPÍRITO	SANTO REFORÇA PRESENÇA INTERNACIONAl

A estratégia de internacionalização do Grupo BES                de 59 fundos mobiliários, e a situar-se entre as 10 maiores
assenta numa política de presença efectiva em                   gestoras de SICAV.
mercados com afinidades culturais e económicas com
Portugal e no constante apoio e acompanhamento das              Esta operação integra-se na estratégia de crescimento da
comunidades de portugueses residentes no estrangeiro.           actividade de gestão de activos do Grupo Banco Espírito
                                                                Santo que, em Espanha, desenvolve a sua actividade através
Com este espírito e esta orientação, a actividade               da ESAF Espanha com duas sociedades: ES Gestión e ES
internacional tem crescido a um bom ritmo e os                  Pensiones.
resultados desta área são cada vez mais relevantes.
Nos últimos anos, e como consequência da gravíssima             Na mesma data foi ainda anunciada a compra de 50% da
crise que afectou os mercados financeiros, o Grupo              Pastor Vida pela Companhia de Seguros Tranquilidade
BES soube aproveitar as oportunidades de crescimento            que assumirá o controlo da gestão desta sociedade e que
nos países onde está presente e apostar em mercados             passará a distribuir produtos e serviços de seguros de vida
alternativos.                                                   e de planos de pensões da Pastor Vida, através da rede do
                                                                Banco Pastor em regime de exclusividade.
Neste contexto, o Banco Espírito Santo anunciou
recentemente acordos e parcerias com vista a consolidar         A concretização destas operações integra-se na estratégia
a sua presença internacional em países considerados             de crescimento e de internacionalização do Grupo Banco
estratégicos, como é o caso de Espanha, e em mercados           Espírito Santo e da Tranquilidade que passam a aceder a
que demonstram um elevado potencial de crescimento,             uma rede de comercialização bem implantada em Espanha,
como são o caso alguns países de África.                        onde a distribuição bancária de seguros e de fundos de
                                                                investimento tem grande significado.

                                                                Com esta parceria, o Grupo BES e a Tranquilidade e asso-
 	                                                              ciam-se a um parceiro de referência, independente,
ESPANHA:                                                        financeiramente sólido e presente nos vários segmentos de
                                                                mercado.
PARCERIA COM O BANCO PASTOR

No passado mês de Agosto o Banco Espírito Santo anunciou
que a ESAF - Espírito Santo Activos Financieros S.A. (a «ESAF
Espanha»), através da Espírito Santo Gestión, SGIIC, SA (a
«ES Gestión»), celebrou um contrato de compra ao Banco
Pastor da totalidade do capital social da Gespastor SGIIC,        O Banco	 Pastor foi fundado em 1776, tem uma
S.A., uma sociedade gestora de instituições de investimento       capitalização bolsista de 1 100 milhões de euros, é
colectivo, pelo preço de 25 750 milhões de euros. Esta compra     o sétimo maior grupo bancário espanhol e líder na
será acompanhada de um acordo de comercialização                  Galiza. O seu principal accionista é a Fundação Barrié
exclusiva com o Banco Pastor pelo prazo inicial de 7 anos.        que detém cerca de 40% do capital. Com uma rede
                                                                  de 600 agências em Espanha e empregando mais
Com a aquisição da Gespastor, a ESAF irá duplicar o               de 4 000 colaboradores, está ainda presente através
montante de activos que gere em Espanha para cerca de             de escritórios de representação em vários países da
três mil milhões de euros. Passa ainda a integrar o top 20        Europa e da América do Sul.
das gestoras de activos em Espanha, assumindo a gestão




13
 	
ÁFRICA                                                        MOZA BANCO, A MAIS RECENTE APOSTA DO
                                                              BES EM MOÇAMBIQUE

                                                              No passado mês de Julho, o Banco Espírito Santo, através da
                                                              holding BES África, assinou um Memorando de Entendimento
Em 2009 o Grupo BES criou a BES África, uma holding para      com vista à aquisição de uma participação de 25,1% no
as participações financeiras do Grupo em África.              capital social do Moza Banco, S.A., uma instituição bancária
                                                              moçambicana, constituída em Junho de 2008.
Actualmente o Grupo actua em África através do Banco
Espírito Santo Angola e do Banco Espírito Santo Cabo
Verde; tem uma participação estratégica em Marrocos
na ‘Banque Marocaine du Commerce Exterieur’ e, Já no
decorrer deste ano, concretizou a compra de 40% do
aman Bank na líbia e a constituição de uma sociedade
de locação financeira na Argélia. O Grupo Banco Espírito
Santo tem manifestado a intenção de continuar a
crescer em África, nomeadamente em Moçambique e na
África do Sul que são países com afinidades fortíssimas com
Portugal.                                                       O Moza	 Banco detém cerca de 54 milhões de US
                                                                dólares em activos, possui dois balcões em Maputo e
Neste Contexto, o Grupo anunciou, recentemente, a intenção      53 trabalhadores, actuando em duas áreas de negócio
de comprar uma participação num Banco moçambicano               primordiais:
e, ainda, a parceria que fez com dois dos maiores bancos
brasileiros para entrar no mercado africano.                    • O Corporate Banking, que constitui a principal linha
                                                                de negócios e apoia as necessidades de pequenas/
                                                                médias e grandes empresas, através de uma oferta
                                                                abrangente: crédito, trade finance, transferências e
                                                                pagamentos internacionais, forex, cartões de débito/
                                                                crédito e consultoria financeira, entre outros serviços;

                                                                • O Private Banking, linha de negócios criada
                                                                recentemente para responder às necessidades de
                                                                clientes particulares de rendimento médio-alto e alto,
                                                                oferecendo soluções nas áreas da gestão de activos,
                                                                depósitos e serviços de gestão do quotidiano.




                                                                                                                           14
 	
PORTUGAL	–	BRASIL	–	ÁFRICA,		
O	TRIâNGULO	VIRTUOSO
BANCO DO BRASIl E BRADESCO
ESTABElECEM PARCERIA
ESTRATéGICA COM O BES PARA OS
MERCADOS AFRICANOS

O Banco Espírito Santo, o Banco do Brasil e o Bradesco
assinaram um memorando de entendimento que visa a
definição de uma estratégia comum de desenvolvimento
no continente africano.

Esta parceria consolida o acerto e oportunidade da estratégia
internacional seguida pelo BES, focada no triângulo
Portugal-Brasil-África, e irá potenciar as sinergias que
resultam da crescente aposta que as empresas portuguesas
e brasileiras vêm fazendo em África, consubstanciando a
complementaridade entre Portugal e o Brasil na abordagem
ao mercado africano.                                            BANCO	DO	BRASIL	-	www.bb.com.br
                                                                O Banco do Brasil é um banco brasileiro com volume
Num primeiro momento, esta parceria vai concretizar-se na       de activos da ordem de 708,5 mil milhões de Reais em
abertura do capital da BES África - holding do Grupo BES para   Dezembro de 2009. Actualmente, o BB está presente
as participações em entidades financeiras em África - ao        em 23 países e possui 43 pontos de atendimento no
Banco do Brasil e ao Bradesco. Esta holding irá coordenar os    exterior, incluindo um escritório de representação em
futuros investimentos dos três grupos bancários em África,      luanda (Angola).
envolvendo a aquisição de participações em bancos e/ou o
estabelecimento de operações próprias dos accionistas.

Em declarações aos meios de comunicação social, o
Presidente da Comissão Executiva do BES, Ricardo Salgado,       BRADESCO	-	www.bradesco.com.br
afirmou que o acordo agora estabelecido é “uma alavanca         O Bradesco foi fundado em 1943 e é um dos maiores
extraordinária para os negócios da BES África”, potenciando     bancos brasileiros, com activos totais equivalentes
a holding que o BES criou para aglutinar as operações           a 558,1 mil milhões de Reais em 30 de Junho de
africanas “pelos capitais envolvidos, pelo envolvimento dos     2010. O Bradesco disponibiliza uma extensa rede de
bancos brasileiros com grande empresas brasileiras, e do        atendimento, contando com mais de 41 000 pontos,
BES com empresas portuguesas”.                                  tendo presença nos 5 564 municípios brasileiros (Junho
                                                                2010).




15
     ECONOMIA GLOBAL
     POR CARLOS	ANDRADE
     CHIeF eConoMIST Do BeS




                   ABRANDAMENTO, MAS SEM	RECESSÃO
Três anos passados sobre o início da crise financeira, a       necessário, mas uma nova intervenção (possivelmente na
conjuntura económica mundial continua marcada por              forma de uma expansão das aquisições de títulos de dívida),
níveis de incerteza elevados. A divulgação dos resultados      embora agora mais provável, deverá ocorrer apenas no caso
favoráveis dos stress tests aos principais bancos europeus,    de uma deterioração mais visível da actividade.
em Julho, contribuiu para um recuo da aversão ao risco nos
mercados financeiros. No entanto, no final de Agosto voltou    TAXAS	10	ANOS
a assistir se a uma deterioração do sentimento, em função
de novas preocupações com o crescimento e com o risco                     %
soberano.                                                                7,0
                                                                         6,0
                                                                                               EURO	10Y
As preocupações sobre o crescimento têm sido                             5,0
                                                                                                                           USA	10Y
particularmente visíveis no que respeita aos Estados Unidos.             4,0
A variação do PIB desceu de 3,6% para 1,6% (em termos                    3,0
anualizados) no 2º trimestre e os indicadores disponíveis                2,0
                                                                                                      Euro	2Y   USA	2Y
sugerem uma nova desaceleração no 3º trimestre, com                      1,0
um provável abrandamento do consumo privado. O                           0,0
arrefecimento da economia americana está a acontecer                       2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010
de uma forma mais rápida e pronunciada que o esperado,
sobretudo em resultado de (i) uma atenuação gradual dos
estímulos da política económica; (ii) menores contributos      Com a atenção centrada nos problemas dos Estados
para o PIB do investimento em variação de stocks e da          Unidos, e com o pessimismo que se tem passado, a partir
procura externa líquida; e (iii) um maior sentimento de        daí, para a conjuntura e para os mercados, corre-se o
precaução por parte dos consumidores, associado, em            risco de se subestimar o papel cada vez mais importante
parte, à persistência de um desemprego elevado e ao efeito     desempenhado por outras áreas económicas nos
riqueza negativo associado à desvalorização das habitações.    destinos da economia mundial. De facto, e não obstante
                                                               a deterioração do sentimento atrás referida, a actividade
PIB	ESTADOS	UNIDOS                                             mantém-se bastante suportada nas principais economias
                                                               emergentes, como a China ou o Brasil (mesmo que alguma
    %                                                          desaceleração possa ser esperada nos próximos trimestres).
    10
     8
                                                               Na China, indicadores como as vendas a retalho, o
     6
                                                               investimento e as importações sugerem, de facto, algum
     4
     2
                                                               abrandamento da procura interna. Mas, por um lado, estes
     0                                                         agregados mantêm taxas de crescimento homólogas de
    -2                                                         dois dígitos no 3º trimestre de 2010.
    -4
    -6                                                         PMI	ChINA
    -8
     2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010

                                                                          65

                                                                          60	
Não se espera, necessariamente, o regresso a uma nova
                                                                          55	
recessão técnica. Mas o próximo ano deverá ser marcado
                                                                          50
                                                                Points




por um crescimento e inflação tendencialmente baixos – um
cenário suportado, aliás, pela evolução recente das yields                45	

dos Treasuries a 10 anos (actualmente próximas de 2,6%).                  40
Neste contexto, têm aumentado as pressões para novos                      35
estímulos monetários e orçamentais. O Fed já afirmou
                                                                                Jan.10
                                                                                Jan.10
                                                                                Jan.10
                                                                                Jan.10
                                                                                Jan.10
                                                                                Jan.10
                                                                               Jan.05
                                                                               Mai.05
                                                                               Set.05
                                                                               Jan.06
                                                                               Mai.06
                                                                               Set.06
                                                                               Jan.07
                                                                               Mai.07
                                                                               Set.07
                                                                               Jan.08
                                                                               Mai.08
                                                                               Set.08
                                                                               Jan.09
                                                                               Mai.09
                                                                               Set.09
                                                                               Jan.10




                                                                               Mai.10




estar preparado para apoiar a actividade no caso de isso ser


                                                                                                                                    16
E, por outro lado, as autoridades chinesas definiram                           da economia da Zona Euro continua marcado por uma
recentemente a “estabilização do crescimento” como                             divergência clara entre o “centro”, com um crescimento
prioridade e têm vindo a relaxar ligeiramente a política                       mais forte, e a “periferia”, com perspectivas de crescimento
económica (algo visível, por exemplo, numa diminuição das                      mais baixas. As preocupações com o baixo crescimento e
restrições ao investimento). Neste sentido, a variação do PIB                  com os níveis elevados de endividamento têm vindo, aliás,
deverá manter-se elevada em 2010 e 2011, com crescimentos                      a repercutir-se numa nova subida dos spreads soberanos
anuais próximos de 10% e 9%, respectivamente.                                  na “periferia” (com as atenções especialmente focadas na
                                                                               Irlanda, alvo de um downgrading por parte da S&P no final
No Brasil, o PIB desacelerou ligeiramente no 2º trimestre,                     de Agosto).
mas registou um crescimento acima das expectativas. Em
termos homólogos, o crescimento caiu de 9% para 8,8%                           é neste contexto que se enquadram as decisões tomadas
(contra um valor esperado de 7,9%) e, em termos trimestrais,                   pelo BCE no início de Setembro. Por um lado, a autoridade
caiu de 2,7% para 1,2% (contra uma expectativa de 0,6%). Os                    monetária mostrou-se optimista na apreciação dos últimos
indicadores relativos ao 3º trimestre têm reforçado o cenário                  dados económicos conhecidos, considerando que estes têm
de uma procura interna forte. Neste sentido, espera-se um                      sido mais fortes que o esperado. A apresentação de novas
crescimento anual do PIB, em 2010, acima de 7%.                                previsões macroeconómicas do staff do BCE, que reviram
                                                                               em alta o crescimento do PIB em 2010 (de um intervalo
BRASIL	-	VENDAS	A	RETALhO	E	PRODUÇÃO	INDUSTRIAL                                entre 0,7% e 1,3% para um intervalo entre 1,4% e 1,8%) e em
                                                                               2011 (de um ponto médio de 1,2% para 1,4%) reflecte esse
      %                                                                        optimismo. No entanto, a persistência de incertezas quanto
     30                                                     60                 ao próprio crescimento e quanto à situação financeira das
                                         PMI	(RhS)
     20                                                     55                 economias da “periferia” levou o BCE a prolongar o apoio
     10                                                                        ao sistema financeiro, através da cedência ilimitada de
                                                                 Pontos base




                                                            50
                                                                               liquidez a 3 meses. No início de Setembro, foram anunciados
      0
                                                            45                 novos leilões para Outubro, Novembro e Dezembro,
                      INDUSTRIAL	
     -10           PROCTION	(LhS)                                              com uma taxa igual à média das taxas das operações
                                                            40
     -20                                                                       principais de refinanciamento ao longo do prazo respectivo.
     -30                                                    35                 Adicionalmente, o BCE deverá manter a taxa de juro refi em
           Abr.   Abr.   Abr.   Abr.   Abr.   Abr.   Abr.                      1% por um período de tempo prolongado.
           2007   2007   2008   2008   2009   2009   2010

                                                                               Neste contexto global ainda marcado por uma incerteza
A recentragem económica na direcção do Oriente e do                            elevada, o desempenho da economia portuguesa revelou-se
Sul deve ser vista como um fenómeno estrutural que veio                        melhor que o esperado na primeira metade de 2010. O PIB
para marcar (pelo menos) a próxima década. Obviamente,                         cresceu 1.1% no 1º trimestre (1.8% em termos homólogos),
não se espera que economias como a China e o Brasil sejam                      sobretudo em resultado dos aumentos do investimento em
imunes aos ciclos económicos globais. A sua afirmação                          material de transporte e do consumo de bens duradouros
ao longo dos próximos anos será feita com períodos de                          (automóveis) e, por outro lado, do melhor desempenho das
expansão e abrandamento. Mas, salvo o regresso da                              exportações líquidas.
economia dos Estados Unidos a uma recessão (que não
se espera), estas economias deverão manter crescimentos                        No 2º trimestre, registou-se uma (esperada) desaceleração,
significativos ao longo do próximo ano, com consequências                      com o PIB a crescer 0,2% face aos três meses anteriores e
positivas para outras áreas económicas. Por exemplo,                           1,4% em termos homólogos. A desaceleração observada
o dinamismo da procura chinesa tem contribuído                                 deverá ter resultado tanto de uma diminuição dos
decisivamente para o forte crescimento económico da                            contributos da procura interna como da procura externa
Alemanha em 2010. As exportações alemãs cresceram                              líquida. O esforço de redução do défice público deverá
8,2% no 2º trimestre, contribuindo para uma variação                           prolongar o ajustamento da procura interna pela segunda
trimestral do PIB de 2.2% (ou perto de 9% anualizado, que                      metade do ano. No entanto, os indicadores mais recentes
compara com o registo de 1,6% nos Estados Unidos). No seu                      continuam a apontar para um forte crescimento das
conjunto, o PIB da Zona Euro cresceu 1% no 2º trimestre                        exportações. Neste sentido, e mesmo admitindo uma
(4% anualizado), após 0,2% nos primeiros três meses do ano.                    evolução do PIB menos favorável no 2º semestre, espera-se
                                                                               que o crescimento anual do PIB atinja, em 2010, um valor em
Dito isto, não pode ser esquecido que o desempenho                             torno de 1,2% (após o registo de -2,6% em 2009).


17
     MERCADOS E ACÇÕES	BES




  MERCADOS	
  EM	RECUPERAÇÃO
  POR   FERNANDO	CASTRO	SOLLA	DIRECTOR MERCADO SECUNDÁRIO ACÇõES, BES INVESTIMENTO
  O grande tema presente no mercado ao longo do segundo               da crise soberana. Em simultâneo, outras partes do mundo têm
  trimestre deste ano, e aliás até ao momento presente já com o       vindo a apresentar desempenhos económicos melhores do que o
  Verão avançado, foi a discussão em torno da probabilidade de        esperado e não apenas no mundo emergente (liderado pela China)
  um double dip (retorno à recessão) nas economias ocidentais         mas também em países dos quais se esperava menos como a
  com especial preocupação no que toca aos Estados Unidos da          Alemanha, entre outros. No caso alemão, as perspectivas têm
  América. Os receios relativos a este tema impediram os mercados     mesmo vindo a ser revistas em alta no que toca ao crescimento
  de recuperarem mais significativamente permanecendo como tal,       para 2010 e 2011. O caso chinês, esse sim decisivo na contribuição
  de forma geral, ainda em território negativo no ano. há contudo     que apresenta para o crescimento mundial, parece também
  a destacar uma boa recuperação dos mercados ibéricos, que           ele ser um caso de sucesso na forma disciplinada e rigorosa
  do mínimo do ano repuseram uns expressivos 25% (no caso             como tem vindo a lidar com os seus próprios ciclos económicos,
  espanhol).                                                          nomeadamente na forma adequada como tem preventivamente
                                                                      lidado com a inflação que sempre existe latente num país com os
  Ainda assim, o algo excessivo foco na questão do crescimento        níveis de crescimento sistematicamente nos dois dígitos.
  da economia norte americana retirou protagonismo a outros
  temas que apresentaram melhorias sensíveis. Por um lado, na         Neste contexto, continuamos a julgar oportuno o paralelo que
  vertente da crise de endividamento soberano, tivemos contributos    temos vindo a estabelecer com o ano de 2004, sendo pois de
  positivos com os stress tests levados a cabo ao sector financeiro   admitir que, à medida que o mercado se afaste um pouco
  na Europa (merece aqui destaque o bom desempenho da banca           da realidade norte americana para verificar que o crescimento
  portuguesa nessa análise), e também com a consolidação de           a nível mundial poderá estar assegurado também por outras
  um quadro Basileia III equilibrado, no que são os interesses da     geografias de dinamismo superior, possamos vir a ter ainda um
  segurança do sector no futuro com as suas capacidades imediatas.    final de ano que, à semelhança de 2004, faça de 2010 um bom
  Estes dois aspectos foram bem recebidos pelo mercado, e têm         ano nos investimentos com risco, em especial nos mercados
  contribuído para um certo acalmar dos piores receios na vertente    accionistas.




ACÇÕES	BES	EM	ANÁLISE

Após um período de performance muito negativa registada               Entre 31 de Maio e 15 de Setembro de 2010, o índice PSI-20
nos primeiros cinco meses de 2010 – devido principalmente             apresentou uma valorização de 5,8% enquanto que o Dow
às revisões em baixa das notações de rating para a República          Jones Stoxx 600 Banks valorizou 15,3%. Neste contexto, as
Portuguesa e para os Bancos Portugueses – as acções do                acções do BES registaram o melhor desempenho entre os
BES tiveram uma forte recuperação.                                    principais Bancos Portugueses, com uma subida de 10,7% no
                                                                      mesmo período.




                                                                                                                                       18
              PERFORMANCE	DAS	ACÇÕES	DOS	PRINCIPAIS	
                               BANCOS	PORTUGUESES	                                   30,0%                                                          BES	10,7%
                                     (De 31 de Maio 2009 a 15 de Setembro de 2010)                                                                 PSI20	5,8%	
                                                                                                                                                    BCP	3,2%
                                                                                     20,0%                                                           BPI	1,4%



                                                                                      10,0%


                                                                                       0,0%


                                                                                     -10,0%
                                                                                         Mai.	2010    Jun.	2010      Jul.	2010       Ago.	2010      Set.	2010




O	QUE	DIZEM	OS	ANALISTAS	SOBRE	O	BES

A média dos preços alvo definida para as acções do BES pelos analistas é de 4,73 euros, o que representa um potencial de
valorização de 36% face à cotação de fecho dia 15 de Setembro de 2010 (3,483 euros).


                       “Comparado com outros bancos em Portugal, consideramos que o BES tem a melhor rede bancária e apresenta rácios de
                       capital mais sólidos. A elevada relevância dada à área comercial ao longo dos últimos cinco anos deverá continuar a dar frutos
                       nos próximos trimestres. BES é o melhor banco para comprar em Portugal.”


                       “Entre os bancos Ibéricos, mantemos a nossa preferência pelo BES, visto que: (i) é o banco mais focado na área de empresas,
                       tendo assim uma maior flexibilidade de ajustar o custo de credito; (ii) tem forte exposição internacional, o que deverá
   Equities Research
                       proporcionar margens mais elevadas, compensando assim o aumento do custo de funding. “


                       “O BES é o banco mais bem posicionado para enfrentar os desafios decorrentes da situação macro-económica adversa que
                       Portugal está a atravessar. O banco tem: (i) um balanço forte, tendo já coberto as necessidades de financiamento para os
                       próximos 18 meses; (ii) rácios de capitais acima da média e (iii) elevada qualidade de activos. Visto que dois terços do total da
                       sua carteira de crédito é crédito às empresas, o BES tem uma flexibilidade de poder ajustar o preçário face ao aumento de
                       custo de funding de médio prazo.”




RESUMO	DAS	RECOMENDAÇÕES	SOBRE	O	BES                                                                                                               milhões de euros



   Data                     Banco                                                     2010*           2011*       Recomendação              Preço	alvo	(euros)


15/Set/10                   BPI                                                        452             476             Comprar                            4,55
8/Set/10                    BBVA                                                       471             499             Comprar                            4,60
31/Ago/10                   Credit Suisse                                              467             490              Manter                            4,25
16/Ago/10                   Macquarie                                                  457             429              Manter                            3,90
27/Jul/10                   Caixa BI                                                   534              611            Comprar                            5,80
26/Jul/10                   Millennium                                                 464             374             Comprar                            5,00
26/Jul/10                   kBW                                                        465             485              Manter                            3,80
26/Jul/10                   Nomura                                                     462             640              Manter                            4,80
8/Jun/10                    UBS                                                        471             482             Comprar                            5,30
5/Mai/10                    Fidentiis                                                  456             550             Comprar                            4,90
12/Abr/10                   JP Morgan                                                  445             493              Manter                            4,40
25/Fev/10                   Deutsche Bank                                              497             581              Manter                            5,50	
	 	 	 	 	                   Média	                                                     470	            509	                      	                        4,73

(*) Previsões dos analistas sobre os resultados do BES em 2010 e 2011



19
	

                                                                        Os artistas seleccionados foram: Carlos lobo (Portugal),
BESPHOTO	                                                               kiluanji kia henda (Angola), Manuela Marques (Portugal),
INTERNACIONALIZA-SE                                                     Mário Macilau (Moçambique) e Mauro Restiffe (Brasil).
A PARTIR DE 2011
                                                                        À semelhança das edições anteriores, o critério de selecção
O Prémio BESphoto - uma iniciativa do Banco Espírito Santo              dos artistas em questão requer que estes tenham efectuado
e do Museu Colecção Berardo que, ao longo de seis edições,              uma exposição de obras de suporte fotográfico e/ou a edição
seleccionou artistas portugueses para atribuir aquele que já            de uma publicação durante o período de 12 meses anterior à
se afirmou como o principal prémio de arte contemporânea                data de reunião do Júri de Selecção.
em Portugal – adquire estatuto internacional na sua
7ª edição alargando o âmbito de selecção de artistas                    Os artistas seleccionados apresentarão os seus trabalhos
que, a partir desta edição, poderão ser de nacionalidade                no Museu Colecção Berardo numa primeira exposição
portuguesa, brasileira ou dos Países Africanos de língua                que estará patente de 14 de Março a 13 de Junho de 2011
Oficial Portuguesa (PAlOP’s). Em consequência desta                     e que itinerará para a Pinacoteca de São Paulo para ser
internacionalização, a exposição BESphoto passará a                     apresentada entre Julho e Agosto de 2011.
itinerar para a Pinacoteca do Estado de São Paulo depois de
apresentada no Museu Berardo.
                                                                        SOBRE O BESPHOTO
Banco Espírito Santo, Museu Berardo e Pinacoteca do
Estado de São Paulo juntam-se assim com o intuito de                    O BESphoto, uma iniciativa do Banco Espírito Santo em
promover a criatividade e integração dos artistas plásticos             parceria com o Museu Colecção Berardo, lançou-se em
contemporâneos de língua portuguesa no panorama                         2004, sob um formato original que se manteve ao longo de
internacional e com a ambição de construírem aquele que                 seis edições com a missão de premiar artistas portugueses
será o maior prémio de arte contemporânea do Atlântico                  ou residentes em Portugal, que tivessem apresentado
Sul.                                                                    trabalhos no âmbito fotográfico, num determinado período.

                                                                         A 7ª edição do BESphoto é marcada pela internacionalização
ARTISTAS SELECCIONADOS PARA O BES	                                      do prémio - um posicionamento resultante da evolução e
PHOTO 2011                                                              notoriedade que o prémio alcançou no contexto nacional da
                                                                        fotografia no campo das artes visuais.
No passado dia 7 de Setembro, realizou-se a reunião do
Júri de selecção do prémio BESphoto, constituído por: Ivo               Esta iniciativa desenvolve-se com a realização de uma
Mesquita, Curador da Pinacoteca do Estado de São Paulo                  exposição conjunta de artistas previamente seleccionados
e historiador (Brasil); Delfim Sardo, curador, crítico de arte          pelo Júri de Selecção e culmina com a atribuição do Prémio
e professor (Portugal) e Bisi Silva, curadora e fundadora/              BES photo ao artista vencedor, escolhido pelo Júri de
directora do Centro de Arte Contemporânea de lagos, CCA                 Premiação. helena Almeida foi a vencedora da 1ª edição, em
lagos (Nigéria).                                                        2004, José luís Neto venceu em 2005, Daniel Blaufuks em
                                                                        2006, Miguel Soares em 2007, Edgar Martins em 2008 e Filipa
                                                                        César em 2009.




Carlos Lobo               Manuela Marques          Kiluanji Kia Henda    Mário Macilau                Mauro Restiffe
Gabinete de Relações com Investidores Elsa	Santana	Ramalho Tel. +351 21 359 73 09 Fax +351 21 359 70 01 accionista@bes.pt
Representante para as Relações com o Mercado e com a CMVM Júlio	André Tel. +351 21 350 88 38 Fax +351 350 12 89
www.bes.pt/investidor

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:7
posted:9/12/2011
language:Latin
pages:23