HUMBERTO CAMPANHA DA SILVA

Document Sample
HUMBERTO CAMPANHA DA SILVA Powered By Docstoc
					         DOUGLAS ALBUQUERQUE FERNANDES
         FERNANDO FELIPE SACHETTI FERRARI
                 LIGIA REGINA VEGA
     MARLUCY FÁTIMA BARACHO DE PAULA BRAGA
                  RODRIGO ANDRÉ




             AEROPORTO ESTADUAL:
          DR. ANTONIO RIBEIRO NOGUEIRA JR




FACULDADE DE CIÊNCIAS GERÊNCIAIS DE ITANHAÉM - FAITA
                 ITANHAÉM/SP - 2006
   DOUGLAS ALBUQUERQUE FERNANDES
   FERNANDO FELIPE SACHETTI FERRARI
           LIGIA REGINA VEGA
MARLUCY FÁTIMA BARACHO DE PAULA BRAGA
            RODRIGO ANDRÉ




       AEROPORTO ESTADUAL:
    DR. ANTONIO RIBEIRO NOGUEIRA JR




                   Trabalho Integrado I apresentado como
                   exigência parcial para avaliação das
                   disciplinas referentes ao 1º e 2º semestre
                   do Curso de Administração de Empresas
                   da Faculdade de Ciências Gerenciais de
                   Itanhaém-      FAITA,    orientado    pelo
                   Professor Henrique Luis Piacsek.




             ITANHAÉM/SP
                 2006
AUTORIZAÇÃO DE REPRODUÇÃO

Autorizo a reprodução parcial ou total deste trabalho, por processos fotocopiadores
ou eletrônicos, exclusivamente para fins acadêmicos e científicos.


_______________________________              ______________________________

Douglas Albuquerque Fernandes                Marlucy Fátima Baracho de P. Braga


_______________________________              ______________________________
Fernando Felipe Sachetti Ferrari             Rodrigo André


_________________________________
Ligia Regina Vega

                                               Itanhaém, 16 de novembro de 2006.
                   Banca Examinadora:




____________________________________




____________________________________




____________________________________




       Itanhaém, 16 de dezembro de 2006.
Dedicamos este trabalho ao inventor do
primeiro aparelho mais pesado que o ar a
decolar, voar e aterrissar por seus
próprios meios, Alberto Santos-Dumont,
que completou nesse ano de 2006 o
centenário do vou do 14-Bis.
Agradecemos aos administradores do
Aeroporto Estadual Dr Antonio Ribeiro
Nogueira Jr, que nos deram total apoio na
realização do trabalho fornecendo as
informações necessárias para elaboração
do mesmo e aos nossos professores Júlia
e Henrique, que foram muito atenciosos
com o grupo. A eles nosso muito
obrigado.
―Caminhamos dentro da velha tradição
mercadológica: descobrimos um nicho de
mercado e o ganhamos‖.(Ozires Silva,
Principal idealizador e empreendedor da
Embraer).


―Esta transformação da geografia é uma
vitória da navegação aérea sobre a
navegação marítima. Um dia, talvez,
graças a você, o avião atravessará o
Atlântico‖.
                                       LISTA DE ILUSTRAÇÃO

FIGURA 1 - VISTA AÉREA DO AEROPORTO DE ITANHAÉM................................ 11
FIGURA 2 – ORGANOGRAMA.................................................................................. 15
TABELA 1 – EMPRESAS QUE PRESTASM SERVIÇO AO AEROPORTO.............                                               15
TABELA 2 – EMPRESAS QUE PRESTAM SERVIÇO A TERCEIROS DENTRO
           DO AEROPORTO................................................................................ 15
FIGURA 3 – APRESENTAÇÕES MILITARES 01...................................................... 16
FIGURA 4 – APRESENTAÇÕES MILITARES 02...................................................... 16
FIGURA 5 – APRESENTAÇÕES MILITARES 03...................................................... 17
FIGURA 6 – JOTA QUEST 01.................................................................................... 17
FIGURA 7 – JOTA QUEST 02.................................................................................... 18
FIGURA 8 – JOTA QUEST 03.................................................................................... 18
FIGURA 9 – JOTA QUEST 04.................................................................................... 19
FIGURA 10 – AVIÃO MOVIDO A ÁCOOL.................................................................. 19
FIGURA 11 – LÍDER 01.............................................................................................. 20
FIGURA 12 – LÍDER 02.............................................................................................. 20
FIGURA 13 – LÍDER 03.............................................................................................. 21
FIGURA 14 – LÍDER 04.............................................................................................. 21
FIGURA 15 – FACHADA DA ENTRADA DO TERMINAL DE PASSAGEIROS......... 22
FIGURA 16 – FACHADA DOS FUNDOS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS........ 22
FIGURA 17 – LAPIDE DE FUNDAÇÃO DO AEROPORTO......................................                                23
FIGURA 18 – DETECTOR DE METAIS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS.......... 24
FIGURA 19 – SALA DE REUNIÃO E TREINAMENTO DA PETROBRÁS NO
            AEROPORTO.................................................................................
                                                                                                                 24
FIGURA 20 – SECRETARIA DO AEROPORTO.......................................................                       25
FIGURA 21 – SALA DA LOCADORA DE VEÍCULOS UNIDAS................................                                  25
FIGURA 22 – FUNCIONÁRIO DA LÍDER.................................................................. 26
FIGURA 23 – TANQUE DE COMBUSTÍVEL DA LÍDER...........................................                            26
FIGURA 24 – INTEGRANTES DO GRUPO COM PILOTOS DA LÍDER................... 27
FIGURA 25 – PAINEL DE CONTROLE DE UM HELICÓPTERO DA LÍDER............ 27
FIGURA 26 – FACHADA DE ENTRADA DO HANGAR DO AEROCLUBE..............                                              28
FIGURA 27 – AERONAVE DE PARTICULAR..........................................................                     28
FIGURA 28 – RÁDIO COMUNICADOR....................................................................                29
FIGURA 29 – AERONAVE DE PARTICULAR EM RESTAURAÇÃO......................... 29
FIGURA 30 – AERONAVE DE PARTICULAR EM RESTAURAÇÃO......................... 30
FIGURA 31 – AERONAVE DE PARTICULAR EM RESTAURAÇÃO......................... 30
                                                  SUMARIO


INTRODUÇÃO......................................................................................................       10
1 RETRATO DA ORGANIZAÇÃO......................................................................                         11
   1.1 RAZÃO SOCIAL.....................................................................................               11
   1.2 ENDEREÇO............................................................................................            11
   1.3 NOME DO PROPRIETÁRIO...................................................................                         11
   1.4 PESSOAS ENTREVISTADAS................................................................                           12
   1.5 RAMO DE ATIVIDADE...........................................................................                    12
   1.6 TIPOS DE PRODUTOS E SERVIÇOS...................................................                                 12
   1.7 PRINCIPAIS CLIENTES.........................................................................                    12
   1.8 HISTÓRICO DA ORGANIZAÇÃO..........................................................                              13
   1.9 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL.........................................................                               15
        1.9.1 Número de empregados por setor...............................................                            15
   1.10 FOTOS DA ORGANIZAÇÃO.........................................................                                  16

2   PERFIL SOCIOLÓGICO................................................................................                 31

3   PERFIL DO PLANEJAMENTO.......................................................................                      35
    3.1 PROCESSO DE ORGANIZAÇÃO..........................................................                              35
    3.2 PROCESSO DE EXECUÇÃO E DIREÇÃO............................................                                     36
    3.3 PROCESSO DE CONTROLE.................................................................                          36
    3.4 ANÁLISE DO PROCESSO DE PLANEJAMENTO ORGANIZACIONAL                                                             37

4   PERFIL DA CONTABILIDADE.......................................................................                     41
    4.1 A CONTABILIDADE NA ADMINISTRAÇÃO..........................................                                     41
    4.2 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E SUA ESTRUTURA..................                                                    41
    4.3 FORMAÇÃO JURÍDICA.........................................................................                     42
    4.4 CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO E CAPITAL DE GIRO.....................                                              42
    4.5 ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS............................                                              42
        4.5.1 Análise Vertical............................................................................             42
        4.5.2 Análise Horizontal........................................................................               44

5   PERFIL DA INFORMATICA...........................................................................                   45

6   PERFIL DAS COMUNICAÇÕES....................................................................                        46

CONSIDERAÇÕES FINAIS..................................................................................                 48

REFERÊNCIAS E BIBLIOGRAFIAS DE APOIO..................................................                                 49
REFERENCIAS ELETRONICAS ELETRÔNICAS...............................................                                     50
ANEXOS..............................................................................................................   51
ANEXO A – CARTA DE VISITA NA EMPRESA..................................................                                 52
ANEXO B – BALANÇO PATRIMONIAL DO EXERCÍCIO 2005...........................                                             53
ANEXO C – DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS DO
EXERCÍCIO 2005.................................................................................................        54
ANEXO D – DECLARAÇÃO.................................................................................                  55
                                 INTRODUÇÃO


          Com base nas disciplinas estudadas no 1º e 2º semestres do curso de
Administração de Empresas, foi realizado o estudo do perfil da empresa
selecionada, propondo sugestões e idéias para a melhoria da mesma.
          Por intermédio dos dados fornecidos gentilmente pela organização,
tornou-se possível traçar o retrato da organização a partir dos perfis: Sociológico
Planejamento, Contábil, Informática e Comunicação.
          A organização pesquisada foi o Aeroporto Estadual Dr. Antônio Ribeiro
Nogueira Jr, situado no Município de Itanhaém no Litoral Sul de São Paulo, a 118
km da capital. O aeroporto é administrado pelo Departamento Aeroviário do Estado
de São Paulo (DAESP), subordinado à Secretaria de Transportes do Estado.
          Ao escolher esta organização, foi tomado como critério o fato de ser uma
empresa da região, partindo-se do pressuposto de que até o presente momento não
houve nenhum tipo de estudo acadêmico sobre a mesma.
          O estudo metodológico utilizado neste trabalho foi embasado em visitas à
empresa e entrevistas para com a gerência do aeroporto e membros do aeroclube,
além de pesquisas eletrônicas e bibliográficas.
          Deseja-se que este trabalho proporcione um maior esclarecimento sobre
a estrutura da empresa e da forma como esta é conduzida atualmente.
                           RETRATO DA ORGANIZAÇÃO


RAZÃO SOCIAL

            Aeroporto Estadual Dr. Antonio Ribeiro Nogueira Jr.




ENDEREÇO

            Localizado na Avenida José Batista Campos, nº1563, Jardim Anchieta,
Itanhaém/SP, CEP: 11740-000 tel/fax. (13) 3422-2852 Aeroclube: (13) 3422-5493.




Fonte: http://www.daesp.sp.gov.br/, acesso em 13/11/2006

                  FIGURA 1 - VISTA AÉREA DO AEROPORTO DE ITANHAÉM




NOME DO PROPRIETÁRIO

            O aeroporto pertence ao Governo do Estado de São Paulo, no entanto é
administrado pelo Departamento Aeroportuário do Estado de São Paulo (DAESP).
PESSOAS ENTREVISTADAS

                José Antonio da Fonseca – Administrativo Regional;
                Edmilson Cardoso – Agente de Tráfego;
                Jonh E. Bradfield – Membro do Aeroclube;
                Enrique S. Alvarez – Membro do Aeroclube;
                Francisco Paniquar Gatto – Membro do Aeroclube.




RAMO DE ATIVIDADE

            O aeroporto disponibiliza estrutura aeroportuária para a aviação civil.




TIPOS DE PRODUTOS E SERVIÇOS

            O aeroporto oferece além da estrutura aeroportuária, serviços de locação
de veículos por meio da empresa terceirizada UNIDAS, área para publicidade,
ônibus urbano, veículos de emergência com o corpo de bombeiros, telefone público,
área de pré-embarque, cinco hangares com cabine de força e estacionamento de
veículos.




PRINCIPAIS CLIENTES

                Líder Táxi Aéreo
                Aeronaves Particulares
                Aeronaves de Propaganda
HISTÓRICO DA ORGANIZAÇÃO

                      A construção do aeroporto de Itanhaém
                      Em 1952, o Dr. Nogueira, único médico do posto de saúde da cidade,
                      apaixonado pela aviação, associou-se com o Paniquar e compraram um
                      pequeno avião.
                      Ora, onde tem avião, tem que haver um campo de aviação, e como não
                      havia, eles subiam e desciam no terreno hoje ocupado pela larga Avenida
                      Condessa de Vimieiros. Como, já naquela época, o Dr. Nogueira e o
                      Paniquar sabiam que não poderiam contar com o apoio e dinheiro dos
                      Órgãos Públicos, para a construção do nosso aeroporto, em vez de se
                      lastimarem, passaram à ação.
                      Conversaram com um, conversaram com outro, até que descobriram um
                      grande terreno situado ao lado do atual aeroporto, que pertencia à Guarda
                      Noturna da cidade de São Paulo, que nos anos posteriores passou a ser
                      denominada guarda Civil, submetida na época a Polícia Militar.
                      Após várias reuniões, conseguiram a doação daquela área para a
                      construção do aeroporto. Não foi muito difícil, porque se tratava de um
                      grande mangue.
                      Quando foram pôr mãos a obra, notaram que aquele terreno não era
                      apropriado, e aí começou uma nova luta. Conseguiram um trator
                      emprestado da empresa que estava construindo a Rodovia Padre Manoel
                      da Nóbrega, a qual fez as obras de aterramento, terminando assim o
                      campo de aviação.
                      Como pagamento, eles davam aula de pilotagem para os funcionários da
                      empresa construtora.
                      Este é um belo exemplo que poderá ser seguido pelas novas gerações de
                      Itanhaém. (SÓ, 1995, p.?)


          No dia 28 de outubro de 2006, foi efetuada uma visita nas instalações do
Aeroclube com o intuito de conhecer de forma mais aprofundada a história do
aeroporto. Segundo o membro do aeroclube, John Bradfield, os acontecimentos se
deram da seguinte maneira:
          ―Em 1958, iniciou-se a construção da avenida Padre Manuel da Nóbrega,
pois o acesso ao litoral Sul se dava pela praia.
          Nesta época, Itanhaém possuía apenas um médico, Dr. Antonio Ribeiro
Nogueira Jr., e por ser amante da aviação conseguiu juntamente com José Batista
Campos a doação e regulamentação do terreno para a criação de uma pista de
decolagem. Porém, o terreno estava impróprio, então foi feito um acordo com a
prefeitura para utilizar a empreiteira da obra da rodovia para fazer a drenagem da
área, onde foi construída a pista de 900 metros.
          Assim surgiu a idéia de construir o aeroclube, pois além das condições do
local, como a distância da serra, nível do mar e pouco povoamento nos arredores,
também havia um grande interesse do grupo de aviadores.
          Seu Pedro, o guarda campo, foi o responsável pela fundação do
aeroclube e conseguiu com o DAC (Departamento de Aviação Civil) a doação da
primeira aeronave PP-HCD (Paulistinha).
          O Dr. Nogueira fez um intercâmbio com o Butantã para recolher algumas
cobras da região, produzindo assim o soro do veneno das mesmas.
          A sede do Aeroclube era no Pronto Socorro Municipal. O Dr. Nogueira
utilizava o avião para dar assistência médica nas regiões próximas, onde o acesso
por terra era dificultoso, e por conta disso, o Aeroclube passou por maus bocados,
pois durante o socorro de possíveis vítimas o mesmo utilizava a praia como pista
para pouso e decolagem, e tal procedimento é proibido pela Aeronáutica.
          A segunda aeronave do Aeroclube foi um Cherokee 140, comprada nos
E.U.A., com uma arrecadação de capital por todos os membros sócios.
          Desde o princípio do Aeroclube nunca se teve o objetivo de realizar vôos
comerciais de grande porte, inclusive esse era um dos maiores medos do Dr.
Nogueira, pois ele acreditava que a aviação de grande porte não poderia conviver
com a aviação de pequeno porte, onde a segunda sairia prejudicada.
          Durante o governo de Mário Covas, o então governador propôs que
houvesse um alto investimento de aproximadamente R$ 5.000.000,00 para a criação
do aeroporto com base na infra-estrutura do Aeroclube.‖
          Ao final da entrevista, Francisco Paniquar Gatto sugere que ―o aeroporto
para o futuro irá viabilizar a aviação regional de porte médio, sendo essa uma das
formas de descongestionar os grande aeroportos da metrópole‖.
          Segundo Edmilson Cardoso, a cronologia histórica resumida é a seguinte:


                1954– criação do campo de aviação e aeroclube;
                1985- construção da primeira pista de asfalto;
                2000/2001- ampliação da pista de 800m, para 1.350m, foi feito
                 também o pátio de manobras e a via de treinamento;
                2005-   construção   de   três   edificações,    +PS   (terminal   de
                 passageiros), USE (unidade de serviço e equipamento), SCI (seção
                 contra incêndio), neste mesmo ano o aeroporto passou a contar
                 com uma equipe de bombeiros.
ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

                                     Administrador Regional


                                   Administrador do Aeroporto


                               Agente de Trafego ou Secretário


Segurança Patrimonial         Limpeza              Segurança de Vôo   Empreiteira
      (Treze)                (Paineiras)             (Bombeiros)       (Engeita)


Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2006.

                                   FIGURA 2 - ORGANOGRAMA




Número de funcionários por setor

             TABELA 1 – EMPRESAS QUE PRESTAM SERVIÇO AO AEROPORTO


SETOR                                                                 QUANTIDADE
Diretoria do aeroporto contratado pelo DAESP                                  03
Treze Paulista (Empresa de segurança patrimonial)                             04
Paineiras (limpeza)                                                           01
Guarda municipal (bombeiros)                                                  04
ENGEITA (empreiteira)                                                         02
Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2006.


TABELA 2 – EMPRESAS QUE PRESTAM SERVIÇOS A TERCEIROS DENTRO DO AEROPORTO


SETOR                                                                  QUANTIDADE
Líder Táxi Aéreo                                                              08
GSV (segurança)                                                               02
Mar Oil (terceirizada Petrobrás)                                              01
Unidas a Rent a Car                                                           01
Visual Propaganda Aérea                                                       07
Aeroclube                                                                     03
Hangar do Sr. Pietro                                                          06
Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2006.
FOTOS DA ORGANIZAÇÃO

           Em março de 2005, o aeroporto realizou demonstrações e visitas a
aeronaves com a população, organizado pela base de Santos.




Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2005.

                        FIGURA 3 – APRESENTAÇÕES MILITARES 01




Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2005.

                        FIGURA 4 – APRESENTAÇÕES MILITARES 02
Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2005.

                        FIGURA 5 – APRESENTAÇÕES MILITARES 03


           No mês de abril de 2006, quando foi realizado o Rodeo Festival, na
cidade, o Grupo Jota Quest, que se apresentou dia 28, chegou na cidade pelo
aeroporto, confira as fotos.




Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2006.

                                FIGURA 6 – JOTA QUEST 01
Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2006.

                                FIGURA 7 – JOTA QUEST 02




Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2006.

                                FIGURA 8 – JOTA QUEST 03
Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2006.

                                FIGURA 9 – JOTA QUEST 04


            O primeiro avião movido a álcool fez alguns dos testes no aeroporto de
Itanhaém.




Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2006.

                           FIGURA 10 – AVIÃO MOVIDO A ÁCOOL
             A empresa Líder que atualmente é um dos principais clientes do
aeroporto.




Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2006.

                                   FIGURA 11 – LÍDER 01




Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2006.

                                   FIGURA 12 – LÍDER 02
Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2006.

                                   FIGURA 13 – LÍDER 03




Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2006.

                                   FIGURA 14 – LÍDER 04
           Confira agora, as fotos das visitas do grupo ao aeroporto.




Fonte: BRAGA, Marlucy Fátima Baracho de Paula. Integrante do Grupo, 2006.

           FIGURA 15 – FACHADA DA ENTRADA DO TERMINAL DE PASSAGEIROS




Fonte: FERNANDES, Douglas Albuquerque. Integrante do Grupo, 2006.

           FIGURA 16 – FACHADA DOS FUNDOS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS
Fonte: BRAGA, Marlucy Fátima Baracho de Paula. Integrante do Grupo, 2006.

                    FIGURA 17 – LAPIDE DE FUNDAÇÃO DO AEROPORTO
Fonte: BRAGA, Marlucy Fátima Baracho de Paula. Integrante do Grupo, 2006.

           FIGURA 24 – DETECTOR DE METAIS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS




Fonte: BRAGA, Marlucy Fátima Baracho de Paula. Integrante do Grupo, 2006.

    FIGURA 28 – SALA DE REUNIÃO E TREINAMENTO DA PETROBRÁS NO AEROPORTO
Fonte: BRAGA, Marlucy Fátima Baracho de Paula. Integrante do Grupo, 2006.

                         FIGURA 30 – SECRETARIA DO AEROPORTO




Fonte: BRAGA, Marlucy Fátima Baracho de Paula. Integrante do Grupo, 2006.

                  FIGURA 31 –SALA DA LOCADORA DE VEÍCULOS UNIDAS
Fonte: FERNANDES, Douglas Albuquerque. Integrante do Grupo, 2006.

                          FIGURA 18 – FUNCIONÁRIOS DA LÍDER




Fonte: FERNANDES, Douglas Albuquerque. Integrante do Grupo, 2006.

                    FIGURA 19 – TANQUE DE COMBUSTÍVEL DA LÍDER
Fonte: CARDOSO, Edmilson. Agente de tráfego, 2006.

              FIGURA 20 – INTEGRANTES DO GRUPO COM PILOTOS DA LÍDER




Fonte: FERNANDES, Douglas Albuquerque. Integrante do Grupo, 2006.

            FIGURA 21 – PAINEL DE CONTROLE DE UM HELICÓPTERO DA LÍDER
Fonte: BRAGA, Marlucy Fátima Baracho de Paula. Integrante do Grupo, 2006.

             FIGURA 29 – FACHADA DE ENTRADA DO HANGAR DO AEROCLUBE




Fonte: FERNANDES, Douglas Albuquerque. Integrante do Grupo, 2006.

                          FIGURA 25 – AERONAVE DE PARTICULAR
           No Aeroclube, atualmente existem alguns aviões em restauração por
colecionadores, que podem ser considerados únicos no Brasil, estes participaram na
Segunda Guerra Mundial.




Fonte: FERNANDES, Douglas Albuquerque. Integrante do Grupo, 2006.

                             FIGURA 23 – RADIO COMUNICADOR




Fonte: BRAGA, Marlucy Fátima Baracho de Paula. Integrante do Grupo, 2006.

               FIGURA 22 – AERONAVE DE PARTICULAR EM RESTAURAÇÃO
Fonte: BRAGA, Marlucy Fátima Baracho de Paula. Integrante do Grupo, 2006.

               FIGURA 26 – AERONAVE DE PARTICULAR EM RESTAURAÇÃO




Fonte: BRAGA, Marlucy Fátima Baracho de Paula. Integrante do Grupo, 2006.

               FIGURA 27 – AERONAVE DE PARTICULAR EM RESTAURAÇÃO
                              PERFIL SOCIOLÓGICO


             Refletindo acerca do que fora solicitado para a realização do perfil
sociológico da empresa, pôde-se ter uma noção de como se dá a relação social
entre os presentes funcionários do Aeroporto, dentre os quais não se descartou
nenhum setor, em nenhum nível hierárquico. Ao que se pode constatar, foi deixado
de forma explícita, pelos administradores, o que ocorre internamente e
constantemente na empresa, nos períodos de expediente e até fora deles.
             Quanto ao contato social, há funções nas quais alguns funcionários se
vêem em um tipo de isolamento parcial; são os bombeiros, pois a base onde os
mesmos       estão   instalados   fica   distante   do   terminal   de   passageiros   e,
conseqüentemente, dos demais funcionários, próximo apenas à pista de pouso e
decolagem. Seu único contato com os demais setores ocorre por intermédio de
radiocomunicação, o contato direto ocorre apenas entre os mesmos, dificilmente há
contato face-a-face entre os integrantes deste setor e os integrantes de outros
setores.
             Porém, quando mencionado o contato direto, pode-se afirmar de maneira
convicta que este ocorre em todos os outros setores do Aeroporto freqüentemente,
exceto, como referido, no setor dos bombeiros. Já o contato indireto é mais
esporádico, porém utilizado regularmente, como com o uso de telefones,
radiocomunicadores, malote e e-mails. Este último ocorre de maneira mais
corriqueira e é efetuada com o DAESP.
             No tocante a contatos voluntários, estes ocorrem sempre; já os contatos
involuntários se dão normalmente de quinze em quinze dias, por intermédio de
reuniões entre a administração regional (alta administração) e os demais
funcionários do setor administrativo ou também com outros setores, assim como
reuniões individuais entre diferentes departamentos.
             Referindo-se à comunicação, o mais constante é a comunicação de forma
direta (face-a-face) e por radiocomunicação (walk talk), como já fora referido
anteriormente; e-mails são utilizados para comunicação entre o Aeroporto e o
DAESP, que antes se dava por intermédio de malotes, recurso pouco utilizado
atualmente. Telefone também é outra forma indireta de comunicação usada no
Aeroporto.
          Quando questionados acerca de cooperação e espírito de equipe, os
administradores foram claros ao afirmar que ocorre essa cooperação por parte de
todos os funcionários, pois é necessário espírito de equipe e os funcionários sabem
e aplicam isso no dia-a-dia para o funcionamento adequado da empresa, argumento
esse, utilizado pelos próprios administradores.
          Ao referir-se à competição, não foi constatado nenhum tipo da mesma na
empresa; nenhum funcionário, segundo eles mesmos, procura ou procurou mostrar
uma melhor qualidade no serviço do que o outro, o que pode ser visto como
negativo, pois a competição sadia se vê necessária para garantir um bom
funcionamento na organização, motivando-os a se superar sempre mais. Como
relatado, todos os funcionários se ajudam e cooperam entre si. Porém, conflitos já
ocorreram, ainda que não sejam comuns, e a solução veio por meio de diálogo entre
os funcionários e a administração.
          No tocante à convivência entre os funcionários, esta se dá de forma
amistosa; o relacionamento que os envolve é pacífico, inclusive, ocasionalmente,
são organizados eventos (festas), para estimular uma boa relação entre os
funcionários.
          No que tange aos papéis sociais, é certo que cada funcionário exerce
vários tipos, em função de diferentes status ocupados em âmbito organizacional,
como, por exemplo é o do administrador que além de funcionário e colega, também
é filho de uma ex-funcionária.
          Diante de inovações tecnológicas, ocorreram, sim, processos de
adaptação dos funcionários diante dessas mudanças na empresa, porém sem
grandes dificuldades. Mesmo assim, não foi ministrado ou pelo menos solicitado
nenhum curso específico para atualização dos funcionários perante essas
inovações, por parte da DAESP.
          Como exemplos de inovação pode-se citar: mudanças na segurança, pois
agora, quando é efetuada a ronda pelos responsáveis, é necessário que passem por
um ponto, onde há sensores; essa passagem deve ocorrer de hora em hora,
ativando-se os sensores para que o alarme não dispare e, conseqüentemente, não
haja acionamento automático na sede da empresa de segurança, dando a
impressão de uma ocorrência emergencial; resta avaliar que se trata, também, de
uma forma de controle do trabalho, pois a cada hora o funcionário deve estar atento.
          Ao indagá-los a respeito de como se formaram os grupos sociais, foi
respondido que no Aeroporto não há grupos específicos, porém, claro, os
colaboradores que trabalham em um determinado setor acabam por ter um convívio
maior. Um dos grandes responsáveis por essa relação social é a afinidade que cada
indivíduo possui para com o outro e que como já fora mencionado anteriormente, o
grande fator responsável pelo contato é a proximidade entre os cargos preenchidos
por cada um dentro da empresa.
          No tocante à divisão hierárquica, pode-se defini-la de maneira
decrescente, iniciando a identificação da mesma a partir do cargo de maior
importância e que recebe maior responsabilidades. Eis a divisão:
      Administrador Regional
Cargo de maior importância, onde o mesmo administra não só o Aeroporto em
questão, mas também os demais aeroportos da região, presentes no litoral Sul e
Vale do Ribeira, ambos no estado de São Paulo;
      Administrador do Aeroporto
Este cargo está preenchido de maneira informal por um dos agentes de tráfego -
pois este cargo está vago - que na ausência do Administrador Regional, acaba por
exercer esta função, que possui a finalidade de administrar o aeroporto;
      Agentes de Tráfego ou Secretários
Tem como função controlar, notificar e coordenar todos os pousos e decolagens
efetuadas dentro da empresa, tendo contato com os pilotos apenas após os pousos,
pois os mesmos comunicam-se entre si, já que o aeroporto em questão por se um
aeroporto visual, não possui torre de controle e nenhum outro tipo de comunicação
com as aeronaves no ar;
      Segurança Patrimonial (Treze)
Empresa de segurança terceirizada que zela por todo o patrimônio existente dentro
da empresa;
      Limpeza (Paineiras)
Tem como finalidade efetuar a limpeza e higienização da empresa;
      Segurança de Vôo (Bombeiros)
Fazem todos os procedimentos de segurança preventivos ou não durante os pousos
e decolagens;
      Empreiteira (ENGEITA)
Faz a manutenção da estrutura física do aeroporto.
          Ao avaliar, de forma global, toda a interação social que cerca os
colaboradores do Aeroporto, é possível concluir que o trabalho realizado pelos
mesmos só flui de forma espontânea e eficaz em função da relação amistosa que
existe entre os mesmos. Embora já tenha ocorrido conflito entre os funcionários,
ainda assim conseguiram contornar a situação de maneira positiva sem maiores
problemas e conseqüências que pudessem atrapalhar o andamento da empresa,
mantendo assim a qualidade no serviço.
                        PERFIL DO PLANEJAMENTO


          Com o intuito de se fazer bom uso dos processos de planejamento, tendo
como resultado a preparação de planos na tomada de decisões, a empresa avaliada
leva em consideração os processos requeridos pelo DAESP, o qual foi criado
justamente para desenvolver avaliar e controlar os processos aeroviários do estado
de São Paulo.
          Ao criar tais processos, o DAESP procurou avaliar não somente as
ameaças, visto que não há concorrência direta, pois além de ser uma empresa
pública, que não tem como principal objetivo a obtenção de lucros, não se
constroem um aeroporto em cada esquina. São estruturas aeroportuárias que
garantem peculiaridades bem diversificadas, sendo que a concorrência se dá
apenas entre as empresas que operam nos aeroportos.
          O estado que tem por obrigação subsidiar o aeroporto, além disso, a
empresa dispõe de alguns meios de ganho, no qual envolve a cobrança de pousos ,
permanências e decolagens, além da arrecadações de contratos de concessão para
a construção e utilização de hangares. Porém essas arrecadações são enviadas ao
DAESP que procura avaliar a melhor forma de investimento.
          O aeroporto no seu dia-a-dia tende a seguir as normas de legislação do
DAC (Departamento de Aviação Civil), que constantemente analisa a empresa para
observar se esta segue de forma correta tais normas. Citando uma destas temos
como exemplo a própria carga horária da empresa que tem seu funcionamento do
nascer ao por do sol, sem contar na obrigação principal dos funcionários que é
cuidar da parte tarifária por suporte aeroportuário, ou seja, a cobrança de pousos,
decolagens e permanência, bem como a fiscalização de documentos referentes as
aeronaves.




PROCESSO DE ORGANIZAÇÃO

          Nas instituições organizacionais todos possuem responsabilidades tanto
individuais como dentro de um determinado grupo específico. Estes cargos são
representados em um gráfico que recebe o nome de organograma.Na página 15
pode-se verificar o organograma utilizado pela empresa pesquisada.



PROCESSO DE EXECUÇÃO E DIREÇÃO

          Na área administrativa é possível utilizar-se de vários processos que
possibilitam a execução de inúmeras atividades no qual se baseiam em transformar
todos os recursos disponíveis colocando em prática seus objetivos.
          No caso da organização pesquisada diante destes critérios ela procura
executar da forma mais satisfatória possível.
           Os planos criados pelo DAESP têm o intuito de sempre visar a melhoria
da empresa. Porém ao executar tarefas é necessário que haja uma ou mais pessoas
que direcionem o trabalho alheio. Este papel cabe aos chefes que tem como função
ordenar o que deve ser cumprido. E por terem consciência deste paradigma o
aeroporto de Itanhaém conta com a direção do administrador regional José António
da Fonseca que permanece duas vezes por semana no aeroporto localizado em
Itanhaém, e subordinados a ele os agentes de tráfego (secretários) Edmilson
Cardoso e Ângela Maria que tem como função cuidar da parte aeroviária colocando
assim em vigor as regras estabelecidas. Algumas tarefas como a segurança, a
limpeza e manutenção do patrimônio são efetuadas por empresas terceirizadas
contratadas exclusivamente pelo DAESP.




PROCESSO DE CONTROLE

          Na organização é necessário que haja um processo de controle, no qual
podemos dispor de informações relacionadas a todas as entradas e saídas, o que
facilita a realização de objetivos futuros.Tal processo também é de suma importância
na tomada de decisões, o que permite manter a ordem dentro do próprio sistema
organizacional. Sendo assim ao procurarem colocar em prática uma forma de
controle adequada dentro da empresa o aeroporto conta com alguns processos
referentes ao mesmo para que todas as decisões sejam tomadas da melhor forma.
          A empresa elabora mensalmente balancetes, onde consta o que foi gasto
e sua quantidade. Este relatório é enviado para São Paulo ao DAESP que remete
em seguida para a Secretária da Fazenda, pois é este órgão estatal que libera as
verbas necessárias.
          Ao efetuar este processo de controle, o aeroporto controla alguns itens
como serviços prestados pelas empresas terceirizadas, matéria–prima consumida
em determinados equipamentos aeronáuticos, raquetes de balizamento, bastão de
balizamento, luvas, coletes, sinalizadores, protetores auriculares, material de
escritório, equipamentos de bombeiros e outras possíveis despesas, caso ocorra
algum problema com os equipamentos, a empresa deve comunicar ao DAESP.



ANÁLISE DO PROCESSO DE PLANEJAMENTO ORGANIZACIONAL

          Referente ao processo de planejamento bem como organização,
execução e controle da empresa,pôde-se analisar de uma forma geral o andamento
desses processos tendo assim uma base para a elaboração de sugestões que
venham a ser benéficas á empresa,tendo em vista o fortalecimento e a melhoria em
seu desempenho organizacional.
          Primeiramente deve ser criada a missão da empresa, dando enfoque a
sua razão de existência, descrevendo a sua visão, suas crenças e seus valores.
Com isso pode haver a estipulação de metas, o que a organização quer e para
quando quer, bem como seus objetivos, e buscar alcançá-los.
          Definir junto aos órgãos competentes (DAC, DAESP e Aeronáutica) um
plano para que vôos de médio porte possam ser operados no aeroporto em questão,
permitindo que aeroportos de maior fluxo como de Congonhas por exemplo operem
somente vôos de grande porte descongestionando-os,uma vez que os mesmos
estão operando no limite de sua capacidade.
          Um outro ponto que deve ser galgado como o próprio Edmilson salientou,
é a conscientização de que o aeroporto não é de Itanhaém e sim está localizado em
Itanhaém, e que divulgar o aeroporto é preciso, mas não é ele que irá trazer
demanda e sim o que a região tem a oferecer.
           Principalmente na cidade de Itanhaém o ramo hoteleiro e turístico deve
ser mais explorado e desenvolvido para atender um público de classe média alta,
que venha a utilizar o aeroporto.
           Um projeto inovador que vem sendo desenvolvido pela empresa Elektro
atualmente, o ―Fazer Acontecer‖, tem na cidade de Itanhaém uma proposta
interessante. Um grupo de jovens entre 15 e 20 anos, que passaram por um
processo seletivo, identificados com perfil empreendedor, estão criando uma
Agência de Turismo Receptivo, a Ilhoa Turismo para alavancar o turismo da cidade.
Este grupo está atualmente incubado nas instalações da FAITA na sede da Empresa
Junior.
           Atualmente, o aeroporto está aguardando a confirmação com a Petrobrás
de que os vôos à Bacia de Santos serão efetivamente realizados em suas
instalações. Abaixo, segue algumas citações de meios de comunicações sobre o
assunto.


                     ―BACIA DE SANTOS.
                     PETRÓLEO EM ITANHAÉM?
                     Um poço a 200 quilômetros da costa do município do Litoral Sul é o mais
                     novo alvo da Área de Exploração & Produção da Petrobrás na Bacia de
                     Santos
                     Depois da descoberta de 400 bilhões de metros cúbicos de gás natural na
                     Bacia de Santos, a área de Exportação & Produção (E&P) da Petrobrás
                     investe, agora, na prospecção de um poço a 200 quilômetros da costa de
                     Itanhaém. Ainda não há uma posição oficial da empresa sobre as chances
                     de descoberta de petróleo ou da instalação de uma base operacional na
                     região.
                     Segundo a Petrobrás, há no momento duas bases de apoio principais do
                     E&P para a Bacia de Santos: uma em Itajaí, em Santa Catarina, e outra no
                     Rio de Janeiro. Há ainda bases de outras áreas da companhia em Angra
                     dos Reis e São Sebastião/Caraguatatuba. ―Uma nova base operacional/ou
                     de apoio, para operações de desenvolvimento de uma eventual descoberta
                     na Bacia de Santos, independentemente do local, dependeria em primeiro
                     lugar de que as bases já existentes não comportassem este trabalho‖, disse
                     a Petrobrás em nota enviada à revista Postos & Serviços.
                     A perfuração do poço 1-SPS-39, em Itanhaém, foi iniciada no dia 12 de
                     julho. Técnicos que trabalham com uma base instalada no navio Ocean
                     Clipper recolheram amostras de rocha e agora estão fazendo análises. A
                     área de exploração fica a 4.927 metros de profundidade.
                     O prefeito de Itanhaém, Orlando Bifulco Sobrinho, está otimista com a
                     presença de técnicos da Petrobrás no município. ―Ainda estamos
                     aguardando a conclusão final da prospecção realizada na Bacia de Santos.
                     Há uma grande expectativa, pois a exploração de petróleo e gás natural na
                     região, sem dúvida, terá um grande impacto para a economia. O pagamento
                     de royalties relativos à exploração, por exemplo, viabilizará a realização de
                     projetos e programas destinados ao desenvolvimento econômico, gerando
                     mais empregos e dinamizando a economia regional‖.
Caso a Petrobrás confirme a existência de petróleo naquele poço, a
descoberta será comunicada à Agência Nacional de Petróleo (ANP). A
expectativa é que demore até dois anos para que a empresa apresente um
plano de avaliação que identificará a viabilidade de comercializar o produto
encontrado. Além disso, outros três anos serão necessários para criar e
executar um plano para a exploração.
AEROPORTO
A estruturação do aeroporto de Itanhaém foi fundamental para o trabalho
dos técnicos da Petrobrás, que freqüentemente decolavam da parte insular
com destino à base montada no navio Ocean Clipper. Aliás, há uma grande
expectativa em relação à abertura do Aeroporto Estadual de Itanhaém para
a operação de aeronaves de médio e grande porte como o Fokker 100 e
Boeing 737.
As prefeituras da região, principalmente as do Litoral Sul (Itanhaém,
Mongaguá e Peruíbe), associações comerciais, agências de turismo e a
população de modo geral acreditam que a nova estrutura do aeroporto
incentivará o desenvolvimento do turismo. ―O aeroporto, sem dúvida, é
fundamental para a infra-estrutura turística da região. É o único aeroporto
civil na Região Metropolitana da Baixada Santita. Estamos certos de que o
aeroporto será importante nas estratégias de desenvolvimento turístico‖,
disse Bifulco.‖.
(http://www.resan.com.br/postos_e_servicos_integra.asp?codigo=18,
acesso em 13/11/2006.)


―Aeroporto de Itanhaém inicia operações ainda esta semana.
Ainda em fase de construção, o Aeroporto Estadual de Itanhaém terá vôos
frequentes de helicóptero a partir desta semana. A primeira linha aérea no
local foi esquematizada pela empresa Líder Táxi Aéreo, a pedido da
Petrobras, para transportar técnicos da estatal ao navio de perfuração
Ocean Clipper (NS-21). A viagem inaugural estava programada para as 10
horas de ontem, mas foi cancelada por causa do mau tempo e pode
acontecer a qualquer momento.
O navio da Petrobrás chegou ontem ao bloco BM-S-3 da Bacia de Santos, a
cerca de 200 quilômetros da costa de Itanhaém, onde a empresa realizará
atividades de perfuração marítima exploratória. A previsão é que o primeiro
poço seja aberto no bloco dentro de dois meses.
Nesse período, funcionários da empresa serão transportados diariamente
em helicópteros da Líder modelo S-76-A, fabricados pela Sikorsky, a partir
da base montada no Aeroporto de Itanhaém. Se as condições climáticas
melhorarem hoje e houver teto, serão feitos vôos em três horários: 7h30,
10h30 e 14h30.
Vantagens
Comemorando o início das operações em Itanhaém, o arquiteto José
Antônio da Fonseca — designado pelo Daesp para coordenar a instalação
do Aeroporto no Litoral Sul — lembra que há mais de três anos, quando
começaram os trabalhos na área, esperava por esse momento. ‗‗Sempre
acreditamos na necessidade deste equipamento e esta utilização, antes
mesmo de a estrutura ser concluída‘‘.
Responsável pela implantação da base de operações da Líder no local, o
comandante Generoso confirmou as vantagens de um aeroporto no Litoral
Sul. Segundo ele, Itanhaém está localizada em uma posição estratégica,
possibilitando uma maior autonomia para os helicópteros.
‗‗Se os helicópteros partissem de São Paulo, teríamos muitas restrições
para saída e chegada, devido ao grande fluxo de aeronaves naquela área‘‘,
acrescentou o comandante, sem entrar em detalhes quando às viagens.
‗‗Só saberemos as condições exatas depois do primeiro vôo‘‘. A linha aérea
começou a ser esquematizada no final de 2003 e o esperado é que o trajeto
de ida e volta leve pouco mais de duas horas.
Infra-estrutura
Por enquanto, o Aeroporto dispõe apenas da pista de asfalto, setor
administrativo e alojamento para o Corpo de Bombeiros, com garagem para
veículos próprios para combater incêndios em aeroportos. Diante disso, a
Líder precisou montar uma base no local, dotada de posto de
abastecimento, alojamento, balança para pesagem de bagagens e outras
estruturas.
As obras de construção do terminal de passageiros do Aeroporto já estão
adiantadas e devem ser finalizadas em setembro, conforme cronograma da
empresa responsável, a Schiaveto e Construções Ltda. Os trabalhos
incluem terraplenagem e pavimentação do pátio de estacionamento e das
vias de acesso ao local, e serviços de drenagem no entorno.
O Governo do Estado investiu aproximadamente R$ 5 milhões na reforma e
ampliação da pista, que passou de 800 para 1.350 metros de extensão.
Uma das metas do Aeroporto é desafogar o tráfego aéreo de Congonhas e
Cumbica. Por outro lado, a abertura de linhas aéreas no local deverá
resultar em um impulso no turismo pela Baixada Santista, Litoral Sul e Vale
do Ribeira―. (CUNHA, Pedro. Governo do estado de São Paulo,
19/07/2004.)
                         PERFIL DA CONTABILIDADE



A CONTABILIDADE NA ADMINISTRAÇÃO

                      ―(...) tem como conteúdo o estudo e o registro dos atos e fatos
                      administrativos, que são as atitudes exercitadas pelo administrador de um
                      patrimônio, em função do patrimônio que está sendo administrado, que
                      constitui as causas... Representa o único instrumento de informações
                      consolidadas de que dispõe as pessoas (usuários), para conhecer o
                      patrimônio de uma determinada entidade e constatar sua operacionalidade
                      e seu comportamento no tempo e no espaço... Pode ser afirmado que a
                      Contabilidade representa o espelho que reflete as situações patrimonial,
                      econômica e financeira de uma pessoa qualquer em um determinado
                      momento, e sua maior eficiência e eficácia, estão em função dos atos e
                      fatos administrativos coletados e registrados, portanto, quanto mais
                      precisos e completos os dados, quanto mais reais e verdadeiras as
                      posições e situações espelhadas.‖ (SILVA, 1995, p. 13 e 14)



DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E SUA ESTRUTURA

          O aeroporto não realiza a contabilidade na sua diretoria. Os dados são
emitidos para o DAESP, que por sua vez repassa à Secretaria da Fazenda. Os
relatórios elaborados são relativos as atividades do DAESP em um contexto geral,
incluindo todos os aeroportos administrados pela mesma, sendo difícil informar os
dados específicos da empresa analisada.
          Em relação aos relatórios mais utilizados, pode-se citar:
               Balanço Patrimonial (B.P.);
               Balanço Financeiro (B.F.);
               Demonstração das Variações Patrimoniais (D.V.P.);
               Balanço Orçamentário (B.O.).
          Para melhor exemplificar os grupos e subgrupos do B.P. e da D.V.P. do
exercício assim como sua estrutura de publicação segue em anexo na p. 52 e 53 os
respectivos relatórios, publicados no Diário Oficial Executivo – Seção I, do dia 23 de
setembro de 2006, p.32, pelo DAESP.
FORMAÇÃO JURÍDICA

          O aeroporto pertence ao Governo de São Paulo, logo, sua formação
jurídica é estatal. Os relatórios elaborados, são utilizados pela Gerência do DAESP
na tomada de decisões. No entanto, relativo ao aeroporto analisado, os dados são
utilizados mais como mero estatístico, pois a empresa dificilmente atingi o lucro e se
os relatórios fossem utilizados a risca como fonte de informações para se tornar
decisões, esta seria a de fechar a organização.
          No entanto, por ser estatal, o real objetivo de se manter o aeroporto ativo,
é o fato do mesmo ser um facilitador aeroportuário e se vê necessário seu
funcionamento.




CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO E CAPITAL DE GIRO

          O Capital de Giro está dentro do Capital Circulante Líquido, ou seja, os
dois tem a mesma característica de fácil conversão em dinheiro. Capital de giro é
dinheiro e capital circulante líquido pode ser banco conta movimento e outras de fácil
conversão.
          Para se descobrir o capital de giro, devemos subtrair do passivo financeiro
(obrigações a curto prazo) o ativo financeiro (bens e direitos de fácil conversão em
dinheiro), tendo assim, nesse caso (em base nos valores do B.P. em anexo na
pg.52) um prejuízo de 14,75% o que equivale a um saldo devedor de R$
23.218.919,00.



ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS


Análise Vertical

          Com base no B.P. em anexo na p. 52, realizamos uma análise vertical,
onde pode-se perceber que:
      Ativo:
               Ativo financeiro corresponde a 1,34%;
               Ativo permanente corresponde a 85,20%;
               Ativo compensado corresponde a 13,46%.
           A partir dos dados porcentuais acima, conclui-se que a empresa
concentra a maior parte dos seus bens e direitos em ativos permanentes, ou seja,
instalações, estoques, materiais, etc. Em contrapartida, a menor parte do ativo, está
nos de rápida conversão em dinheiro, pois este não é o grande interesse da
empresa.
           Contrabalançando, ainda no ativo, pode-se notar o ativo compensado,
que compreende as contas que registram os atos praticados pela administração
pública ou mesmo alheios a administração, os quais não modificam de imediato o
patrimônio do Estado.
           Continuando a análise, veja agora o:
      Passivo e Patrimônio Líquido:
               Passivo financeiro corresponde a 16,09%;
               Passivo permanente corresponde a 30,69%;
               Patrimônio Líquido corresponde a 39,76%;
               Passivo compensado corresponde a 13,46%.
           Pode-se concluir a partir dos dados acima mencionados, que as
obrigações da empresa com terceiros se concentram no passivo permanente, o que
é positivo. Porque para o governo, é melhor que a empresa possua dívidas a longo
prazo, pois essas podem ser prorrogadas por um tempo maior, tendo em vista que
são relativas a precatórias e sentenças judiciais. Já as dividas do passivo financeiro,
devem ser quitadas em curto prazo/imediato, o que pode ser dito como negativo
para organização.
           Para concluir essa análise vertical, nota-se que no patrimônio líquido,
concentra-se a maior parte das obrigações, estas por sua vez, com o estado a quem
pertence a organização. E no passivo compensado que representa a contrapartida
dos valores registrados no ativo compensado, com a finalidade de não afetar a
aquisição fundamental do patrimônio, valores batidos.
Análise Horizontal

          Como não se tem em mãos os relatórios anteriores ou subseqüentes ao
mencionado no anexo da p. 52, torna-se impossível realizar uma análise horizontal,
pois a mesma é elaborada a partir da comparação entre várias demonstrações
financeiras para verificar se houve evolução ou involução nas mesmas, afim de que
se tome decisões.
                           PERFIL DA INFORMATICA


          A empresa depende da Tecnologia de Informação (T.I.) para passar e
receber informações diariamente principalmente para o DAESP. Estas informações
são relativas a pousos, decolagens e permanência.
          A empresa conta com sete computadores, sendo apenas dois do DAESP,
que mantém conexão com Internet. Os outros cinco computadores pertencem a
terceiros que operam nas instalações do aeroporto.
          A T.I. não é utilizada internamente (em rede), pois as informações são
repassadas apenas ao DAESP, não havendo necessidade de um servidor para
comunicação interna, uma vez que somente três funcionários estão capacitados e
autorizados a manipular os computadores, estes mesmos estão presentes no setor
administrativo da empresa (Administrador Regional, Agentes de Tráfego e/ou
Secretários).
          A empresa não possui sistema próprio, e utiliza-se do sistema operacional
Windows XP Professional. No entanto, existe acesso a uma área restrita no site do
DAESP, onde é permitido que esses funcionários possam enviar dados necessários
e específicos para o órgão pelo qual o aeroporto responde, sendo esses dados
referentes a pousos, decolagens e permanência de aeronaves no aeroporto
estudado, ou como também por outras solicitações necessárias.
          A empresa no inicio não se utilizava da T.I. e encontrava vários problemas
de lentidão, pois as informações eram repassadas mensalmente via malote, algo
que fatalmente retardava o andamento do processo.
          A alta gerencia da organização dá grande importância a T.I., tanto que
investiu muito na informatização da empresa – por recursos disponibilizados pelo
DAESP - e ainda investe, pois uma empresa que tem o objetivo de crescer e
desenvolver tem de ter uma T.I. de qualidade e antenada com as novidades do
mercado, independente de a empresa visar ou não o lucro, e levando como grande
importância o objetivo de alcançar a eficiência e principalmente a eficácia.
                       PERFIL DAS COMUNICAÇÕES


          Pode-se dizer que o aeroporto em si não conta com uma estrutura de
comunicação muito complexa, pois basicamente a grande estrutura está localizada
no DAESP.
          A organização alegou não ter nenhum tipo de planejamento para a
comunicação, o que é um ponto fraco, pois sabe-se da importância do mesmo
dentro da empresa, principalmente no seu ramo de atuação, os meios de transporte,
podendo-se dizer até que este planejamento seja crucial para o sucesso da
organização.
          Mesmo sem uma estrutura estabelecida, a organização se utiliza dos
canais formais e informais, sendo este segundo com maior freqüência.
          O aeroporto utiliza os canais formais para se comunicar com o DAESP,
enviando e-mails diários com dados de pouso, decolagem e permanência,
mandando também ofícios, malotes semanais e outros tipos de documentos.
          Já no ambiente interno da organização prevalecem os canais informais,
pois devido a um número reduzido de funcionários, pode-se perceber as
manifestações diretas (face a face).
          O aeroporto se utiliza de alguns instrumentos que facilitam a comunicação
entre   seus   membros,    como    por   exemplo,   a   internet,   fax,   telefones   e
radiocomunicadores (walk talk).
          A empresa em questão é um aeroporto visual de funcionamento do
nascer ao por do sol que disponibiliza estrutura de facilitação aeroportuária. Para
funcionar 24 horas, ele necessita do balizamento noturno que é uma comunicação
visual por sinalização. Uma outra complementação funcional seria a criação de uma
torre de controle, ou mesmo de uma comunicação a radio com as aeronaves, que no
momento não se vê necessário, pelo pequeno fluxo de pousos e decolagens que o
mesmo possui.
          Na empresa não há nenhum tipo de atribuição específica como relações
públicas e porta-voz somente a matriz possui tais atribuições. A equipe de trabalho
do aeroporto freqüentemente repassa sugestões e idéias para o DAESP de forma a
agilizar as informações internas da organização.
          Outra forma de comunicação utilizada pela organização são as placas de
sinalização turísticas, folders e informações transmitidas pela prefeitura de itanhaém.
          Segundo Edmilson, funcionário da área operacional do aeroporto, eles
não encontram problemas com radio peão interno, no entanto o que já aconteceu
em dada ocasião, foi um fato que pode-se considerar negativo com pessoas de má
índole do meio externo. Uma certa empresa de um veículo de informações da
região, veio até o aeroporto, dizendo que gostaria de fazer uma reportagem sobre a
empresa, como mera divulgação. Todos foram bem recebidos, visitaram as
instalações, porém em um terceiro momento, quando a visita foi divulgada a público,
ao invés do combinado, o meio de comunicação denegriu a imagem do aeroporto.
                          CONSIDERAÇÕES FINAIS


           De acordo com o estudo realizado acerca do perfil da empresa
pesquisada, foi possível ter um maior esclarecimento no tocante ao seu modo de
funcionamento como um todo e de como se dá o processo administrativo em sua
prática.
           Como foi conferida, a empresa em questão é jovem e subsidiada pelo
governo estadual, por essas razões foi constatado que há deficiências em sua
prestação de serviços por uma série de fatores já mencionados, muito embora não
significa que a mesma não vá expandir seus negócios, uma vez que por depender
de um órgão público, seu investimento acaba por ser limitado em função, inclusive,
do fato de não haver espera por grande volume de retorno financeiro.
           É esperado que com o passar do tempo vôos de linhas menores, até cem
passageiros, do tipo inter-municipais, inter-regionais e até mesmo inter-estaduais,
deixem de utilizar aeroportos com as operações ultrapassando seu limite de
capacidade como o já mencionado Aeroporto de Congonhas, por exemplo, para
utilizar aeroportos menores como o pesquisado, com vôos comerciais (executivo e
turístico). Esta alternativa será benéfica à região e para esses aeroportos
abarrotados, porém há uma necessidade de divulgação ao aeroporto destacando-se
desta forma perante as empresas aéreas atuantes no Brasil, possibilitando-as a
operar no mesmo. Também, é preciso que seja estabelecido o acordo com a
empresa que irá instalar um posto de combustível comercial dentro do aeroporto,
tendo em vista que a partir daí, seu progresso se tornará mais do que concreto e
reconhecido, para compensar o esforço dos que lá atuam e atuaram em outrora.
           Contudo, o trabalho foi concluído com sucesso e espera-se que o objetivo
principal tenha sido alcançado.
REFERÊNCIAS E BIBLIOGRAFIAS DE APOIO



AEROPORTOS DO DAESP, São Paulo, DAESP, 2006, anual.


CIÊNCIA E TECNOLOGIA PESQUISA FAPESP. São Paulo, FAPESP, outubro de
2006, mensal.


DIÁRIO OFICIAL. São Paulo, 23, setembro, 2006. Poder Executivo – Seção I, p.32.
Secretaria dos transportes: departamento aeroviário do estado de São Paulo -
DAESP


FELGAR, Júlia Antonietta Simões. Trabalhos Acadêmicos: manual de normas
para sua elaboração. Itanhaém: FAITA, 2006.


MARION, José Carlos. Contabilidade Básica. São Paulo: Atlas, 2004.


MAXIMIANO, Antonio César Amaru. Teoria Geral da Administração. São Paulo:
Atlas, 2004.


MESSIAS, Denise de et al.. Casarão. Itanhaém: FAITA, 2005.


OLIVEIRA, Bruno Daniel Accursio Dias et. al.. Associação Comercial, agrícola e
industrial de Itanhaém. Itanhaém: FAITA, 2005.


REGO,     Francisco   Gaudêncio      Torquato    do.Comunicação      empresarial,
comunicação     institucional:   conceitos,   estratégias,   sistemas,   estrutura,
planejamento e técnicas. São Paulo: Summus, 1986.


SANTOS, Ilza et al.. Empreendimentos Turísticos Solmar ltda. Itanhaém/SP:
FAITA, 2004.
SILVA, Danielle da et al.. Lojas Cem S.A. – filial Itanhaém. Itanhaém/SP: FAITA,
2004.


SILVA, Dirson Medeiros da. Contabilidade: noções básicas e fundamentais.
Belém: CEJUP, 1995.


SÓ, José Carlos. Itanhaém, histórias e estórias. [s. l.]: Edição Loyola,1995.


SOUZA, Daniel Marcos Oliveira et. al.. SABESP: Companhia de Saneamento
Básico do Estado de São Paulo. Itanhaém: FAITA, 2004.




CONSULTAS ELETRÔNICAS


http://pt.wikipedia.org/wiki/santosdumont, acesso em 10/10/2006.


http://www.daesp.sp.gov.br, acesso em 10/11/2006.


http://www.itanhaem.sp.gov.br, acesso em 08/11/2006.


http://www.saopaulo.sp.gov.br/sis/leimprensa.php?id=53271, acesso em 13/11/2006.


http://www.resan.com.br/postos_e_servicos_integra.asp?codigo=18,       acesso   em
13/11/2006.


http://www.google.com.br/, acesso em 10/10/2006.
ANEXOS
ANEXO A – CARTA DE VISITA NA EMPRESA
ANEXO B – BALANÇO PATRIMONIAL DO EXERCÍCIO 2005
ANEXO C – DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS DO
                   EXERCÍCIO 2005
                         ANEXO D – DECLARAÇÃO




                              DECLARAÇÃO




         Declaro para os devidos fins, que os alunos Douglas Albuquerque
Fernandes, Fernando Felipe Sachetti Ferrari, Ligia Regina Vega, Marlucy
Fátima Baracho de Paula Braga e Rodrigo André visitaram a empresa
Aeroporto de Itanhaém, Dr. Antônio Ribeiro Nogueira Jr., nos dias 19/09, 26/09
e 10/10/2006 para a realização do Trabalho Integrado I, conforme solicitado
anteriormente.
                                      Sem mais,




                                           Itanhaém, 10 de novembro de 2006.




                                                    ______________________
                                                       EDMILSON CARDOSO
                                                            Agente de Tráfego

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:33
posted:9/3/2011
language:
pages:55