educação fisica na escola

Document Sample
educação fisica na escola Powered By Docstoc
					ENSINAR/APRENDER EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA: Influências, tendências e possibilidades
Autora: Suraya C. Darido

Entendendo a prática docente
• A prática de todo professor, mesmo que de forma pouco consciente, apóia-se em determinada concepção de aluno, ensino e aprendizagem que é responsável pelo tipo de concepção que o professor constrói sobre o seu papel, o papel do aluno, a metodologia, a função social da escola e os conteúdos a serem trabalhados.

Para que serve a escola?

AS ORIGENS DA EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL
• Reforma Couto Ferraz (1851): inclusão oficial da E. F. na escola. • No início do século XX surgem os métodos ginásticos (sistematização). • A partir da década de 1930 a Educação Física assume um caráter higienista. • Outro modelo que teve grande influência na E.F. até meados do século passado foi o militarista. • Após as grandes guerras o modelo denominado Escola Nova ganha força na Educação, repercutindo no discurso da Educação Física.

TEMPOS MODERNOS
• A partir da década de 1960 a ditadura militar reprime o movimento escolanovista. • Do final da década de 1960 até a década de 1980 o fenômeno “ESPORTE” transforma-se em sinônimo de E.F. • Símbolos do fenômeno esportivo: • “Esporte é saúde!” – Seleção de talentos – Professortreinador X Aluno-atleta – Modelo Piramidal • Princípios: rendimento máximo, seleção dos melhores, técnica, treinamento, resultados. • A partir da década de 1980 ocorre a crise da E.F. com a contestação do modelo esportivista. • Surge o modelo classificado por alguns como recreacionista, mas que poderíamos chamar de “rola-bola”.

ABORDAGENS PEDAGÓGICAS
• Suraya Darido (2003) aponta dez propostas educacionais da Educação Física que surgem como tentativas de superação da visão mais tecnicista, biologicista e esportivista do século passado:
Psicomotricidade Desenvolvimentista Crítico-emancipatória Parâmetros curriculares Nacionais Cultural

Construtivista

Crítico-superadora

Sistêmica

Saúde-renovada

Jogos cooperativos

PSICOMOTRICIDADE
• 1° movimento que surge (década de 1970) para contrapor a E.F. tradicional. • Valorização do processo de desenvolvimento cognitivo, afetivo e psicomotor da criança. • Le Boulch (1986) valoriza a consciência corporal, lateralidade, noção espaçotemporal e a coordenação motora, considerando estes aspectos a base de todo o desenvolvimento da criança.

DESENVOLVIMENTISTA
• Baseada nos princípios do crescimento e desenvolvimento e da aprendizagem motora. • O movimento constitui-se no principal meio e fim desta abordagem, sendo o conceito de habilidade motora imprescindível para o seu entendimento. • O principal objetivo da E.F., nesta perspectiva, é oferecer experiências de movimento adequadas ao nível de crescimento e desenvolvimento do indivíduo, a fim de que a aprendizagem das habilidades motoras seja alcançada.

HABILIDADES MOTORAS BÁSICAS
Habilidades manipulativas
Arremessar

Habilidades locomotoras
Andar

Habilidades de estabilização
Flexionar

Quicar Chutar Lançar Rebater Cabecear Agarrar Rolar

Correr Saltar Saltitar Escorregar Escalar Rolar-se Desviar

Equilibrar-se Estender Girar Posições invertidas

Pirâmide do Desenvolvimento Motor proposta por GALLAHUE.
FASE MOTORA ESPECIALIZADA DE 7 A 14 ANOS

FASE MOTORA FUNDAMENTAL
DE 2 A 7 ANOS

FASE MOTORA RUDIMENTAR DE 0 A 2 ANOS

FASE MOTORA REFLEXIVA DE 0 A 1 ANO

CONSTRUTIVISTA
• “Educação de corpo inteiro” (João B. Freire). • No construtivismo a intenção é a construção do conhecimento a partir da interação do sujeito com o mundo. • Resgate da cultura dos jogos e brincadeiras. • O jogo enquanto conteúdo/estratégia tem papel privilegiado. • A indefinição de qual conhecimento se constrói, traz o risco da E.F. tornar-se meio para outras aprendizagens.

CRÍTICO-SUPERADORA
• Ideologia marxista, baseada no discurso da justiça social. • Valorização da questão da contextualização dos fatos e do resgate histórico. • Critérios para seleção dos conteúdos: relevância social, contemporaneidade e características sócio-cognitivas do aluno. • Aprofundamento dos conteúdos ao longo das séries. • Implementação muito limitada.

SAÚDE RENOVADA
• Educação Física como meio de promoção da saúde e indicação para um estilo de vida ativo. • Enfoque sócio-cultural às abordagens biológicas. • Preocupação com o ensino de conceitos e com os alunos excluídos: sedentários, gordinhos, deficientes. • Crítica às atividades esportivas tradicionais enquanto promotoras de saúde.

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS
• Documentos: introdutório, temas transversais e docs. dos componentes curriculares. • Avanços: princípio da inclusão, as dimensões dos conteúdos e os temas transversais.

PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM
OBJETIVOS
CONTEÚDOS + METODOLOGIAS

AVALIAÇÃO

PRINCÍPIO PEDAGÓGICOS DIVERSIDADE – INCLUSÃO – ALTERIDADE

PRINCÍPIOS PEDAGÓGICOS
• INCLUSÃO: todo aluno tem direito à participação plena nas aulas Educação Física, devendo encontrar estratégias que possibilitem a inclusão de tantos alunos quanto for possível em diferentes conteúdos; • ALTERIDADE: é preciso considerar o aluno como outro, no sentido de sujeito único que necessita ser respeitado, ouvido e compreendido; • DIVERSIDADE: os programas de Educação Física devem compreender a maior diversificação possível de práticas da cultura corporal possibilitando ao aluno a descoberta de variados sentidos na cultura corporal.

CRITÉRIOS PARA A SELEÇÃO DE CONTEÚDOS E CULTURA CORPORAL
• RELEVÂNCIA SOCIAL; • CARACTERÍSTICAS DOS ALUNOS; • CARACTERÍSTICAS DA PRÓPRIA ÁREA.
• CULTURA CORPORAL: jogos, esportes, lutas, ginásticas, atividades rítmicas e expressivas, conhecimentos sobre o corpo

DIMENSÕES/CATEGORIAS DOS CONTEÚDOS
 Procedimental (fazer) – habilidades, destrezas, técnicas, procedimentos, etc.;  Conceitual (conhecer) - fatos, conceitos e princípios;  Atitudinal (ser / conviver) – normas, valores e atitudes.

ESTRATÉGIAS DE ENSINO
• Estratégias tradicionais da E.F.: autotestagem, jogos de competição e cooperação, seqüências pedagógicas, demonstração, descobrimento guiado, grandes jogos, jogos simbólicos, jogos rítmicos, exercícios em grupos, circuito, aulas com música, jogos pré-desportivos, gincanas, campeonatos, etc... • Estratégias inovadoras: leituras e discussões de textos, dinâmicas de grupo, uso de TV/vídeo, murais, pesquisas, debates, organização de campeonatos, palestras, etc. • Na Educação Física, nem sempre existe uma delimitação clara entre conteúdos e estratégias. Ex.: o jogo. (BETTI, 2004)

DIVERSIFICAÇÃO X APROFUNDAMENTO DOS CONTEÚDOS
A
REGRAS

P R O

FUNDAMENTOS

VOLEIBOL

GINÁSTICA

ATLETISMO

FUTEBOL

DANÇA

JOGOS

CAP. FÍSICAS

F U

ÉTICA / ARBITRAGEM

N D

DIVERSIFICAÇÃO

VIOLÊNCIA / TORCIDAS

A M E

QUESTÕES DE GÊNERO

RACISMO

N T

RECONSTRUÇÃO HISTÓRICA

O

ASPECTOS ECONÔMICOS

Exemplos do aprofundamento de conteúdos
• Contextualização dos exercícios de alongamento. • Futebol de casais e danças de salão com discussão sobre a construção cultural diferenciada dos corpos masculinos e femininos. • Voleibol adaptado e discussão sobre a inclusão social das pessoas portadoras de necessidades especiais por meio do esporte.


				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Stats:
views:11021
posted:7/5/2008
language:English
pages:21
richard quintanilla richard quintanilla computer technician
About