Docstoc

ELTON JOHN DOCUMENTO CAPíTULO07

Document Sample
ELTON JOHN DOCUMENTO CAPíTULO07 Powered By Docstoc
					ELTON JOHN DOCUMENTO CAPÍTULO 06

De volta à Inglaterra, as coisas estavam mudadas e Elton mais do que todas elas. A primeira
pessoa que desejou ver foi a mãe. Bernie também foi direto para Grimsby ver os pais.

Emocionada Sheila começou a fazer mil perguntas, e ele respondia a todas em todas as
nuances que sua mãe procurava conhecer.

   -   E por que essas roupas estranhas filho, eles o obrigaram a vestir isso lá?
   -   Não, comprei porque gostei, você não gosta?
   -   Bem...elas não parecem com você... (Sheila respondeu com leve careta.).
   -   Vou precisar dessa imagem em minha carreira, acho melhor ir se acostumando. Ah
       e tem mais logo você e o Fred vão morar no bairro mais elegante de Londres...as
       coisas vão mudar muito.

Sheila olhava para seu filho com espanto, em silêncio, mal acreditando que estava vendo
um outro filho, sem aquela revolta que sempre via em seus olhos.

O show de retorno de Elton John se deu no. onde mostrou tudo aquilo que aprendeu em sua
tour de dias no Troubadour.

A reação da imprensa foi imediata:

“Elton está muito mudado. Ele trouxe novamente para nós os velhos e bons tempos das
entusiásticas apresentações. Em seu grande piano, ordenado de fitas de lamê dourado
caindo sobre o banco, dá a impressão de que precisa desesperadamente nos fazer sorrir. Faz
as poses de grandes astros do Rock e quer fazer você entender que não é um artista sério”.

Nessa volta à Inglaterra, Elton tinha muita coisa a fazer.

Messes antes ele e Bernie haviam sido convidados por John Gilbert para escrever a trilha
sonora de um filme, que seu pai Lewis Gilbert, estava fazendo. A dupla de compositores
adorou a idéia e, mesmo antes de receber o roteiro do filme, Bernie já tinha uma letra
pronta. Para o filme foram compostas por eles três canções.

Estas canções teriam que ser gravadas junto com os arranjos de Paul Buckmaster, naquele
mês de outubro, pois em novembro Elton e Bernie deveriam voltar para os Estados Unidos,
para outra turnê.

Houve muita discussão a respeito do álbum, pois os produtores queriam lançá-lo apenas
com as canções do filme e Elton achava que apenas três canções e os arranjos não
preencheriam o disco e não queria que colocassem qualquer porcaria para completá-lo.
Insistiu então em colocar duas canções feitas com Bernie que sobraram do álbum mais
recente, TUMBLEWEED CONNECTION, gravado em março daquele ano. Entraram em
acordo e o álbum saiu como Elton queria, em termos...
A sessão de gravação foi conturbada, pois havia muito pouco tempo, mas tudo indicava que
o novo trabalho da dupla daria certo, já que estavam na “crista da onda” no momento.

O novo álbum TUMBLEWEED CONNECTION, já gravado desde março, foi lançado no
mês de outubro, dia 10, na Inglaterra.

O trabalho foi feito propositalmente nos moldes americanos. Já não era a realidade inglesa
que os interessava. Era a realidade dos “cowboys” e os duelos das planícies, explorando o
mundo country.

A volta aos Estados Unidos aconteceu em NOVEMBRO de 1970. Só o fato de saber que
Elton estaria de volta, já colocou a imprensa em polvorosa e ele sabia que não teria sossego
com repórteres e fãs, nos hotéis que se hospedassem; por isso surgiu a idéia de mudar de
nome, pelo menos para os livros de registro dos hotéis e, assim assinou WILLIAM ª BONG
“.

No dia 15 de novembro, Elton se apresentou em SANTA MÔNICA, Los Angeles e o show
foi gravado por Henry Mancini para um documentário de meia hora sobre o novo astro do
Rock. O álbum “ELTON JOHN” estava subindo nas paradas com “YOUR SONG” e tudo
era um verdadeiro sonho.

Dois dias depois ele foi para Nova York, para um outro show nos estúdios da A&R, que foi
transmitido pela WABC FM. no dia 17 de novembro de 1970
Nos bastidores dos shows Elton e Bernie receberam uma visita inesperada: Bob Dylan. Foi
um sonho para eles receberem visita tão ilustre.

O trabalho prosseguia e as mudanças na imagem aumentavam progressivamente. Elton
começou a comprar apetrechos cada vez mais esquisitos, excêntricos e coloridos que pôde
encontrar e usava tudo isso no palco sem nenhum pudor. Elton provou que não tinha medo
das criticas e estava utilizando, com muita inteligência, toda a bagagem cultural que os
americanos curtiam, e só podia mesmo dar resultado.

Se para Elton, os louros da glória vieram em forma de aplausos e vendagem de discos, para
Bernie o prêmio foi talvez bem mais gratificante, em forma de uma mulher, chamada
Maxine.

Ela já fazia parte da banda, dando palpites em tudo O namoro estava firme, com promessas
de casamento, logo eu surgisse uma brecha de descanso.

Retornaram à Inglaterra, no final do ano de 1970.

1971 começou bem.

Dois álbuns estavam chegando ao topo das paradas na América e Grã-Bretanha. YOUR
SONG chegou entre os 05 primeiros lugares nos Estados Unidos e estava fazendo o mesmo
caminho na Inglaterra.
TUMBLEWEED CONNECTION foi lançado nos Estados Unidos dia 04 de Janeiro. Com
este álbum Elton mostrou estabilidade de seus sentimentos, outra face da dupla, já não tão
sensitiva quanto EMPTY SKY e ELTON JOHN. Os arranjamentos de Paul Buckmaster
estavam presentes na “Where to now st. Peter?”. Burn Down The Mission passaria a fazer
parte de cada show de Elton, a pedido de seu público.

Apesar do álbum não ter tido nenhuma canção extraída em compacto para tocar nas rádios
conseguiu ficar entre os dez mais vendidos das paradas norte americanas...

Elton costumava falar aos repórteres da época que não teria uma carreira muito longa.
Quando tivesse chegado aonde queria, pararia e voltaria a ser Reg Dwight, desconhecido,
mas feliz.

Em Janeiro de 1971 um homem chamado JOHN REID se torna seu empresário.

Naquele inicio de ano muito trabalho e pouco descanso fizeram que Elton sentisse que o
corpo não correspondia aos desejos da mente. Começou a sentir-se cansado.

Os shows do final de fevereiro de 1971 e começo de março foram cancelados.

O disco FRIENDS, feito pela dupla para o filme da Paramount em outubro do ano anterior
foi lançado dia 05 de março nos Estados Unidos e estava com o lançamento na Inglaterra
previsto para abril.

Na América a trilha sonora ganhou disco de ouro no dia da emissão. Foi o primeiro disco
de ouro de Elton. Mesmo assim o fato não tirou da cabeça do rapaz a má impressão que
teve ao ver a capa do disco, nos estúdios da DJM. Gus Dudgeon já esperava a reação
quando mostrou a capa a Elton.

   -   Mas o que é isso santo Deus!
   -   Isso é seu disco de ouro, falou Gus.
   -   Essa capa está péssima.
   -   Essas empresas cinematográficas têm um gosto totalmente diferente da gente, o
       importante é que está vendendo bastante.


Bernie Taupin casou-se com Maxine no final do mês de março, dois dias antes de
embarcarem novamente para os Estados Unidos, para uma fabulosa excursão.

Após essa rodada de shows Elton ganhou uma semana de férias no Havaí e um telegrama
de Sheila dizendo que iria o encontrar com ele e banda em New York. Elton John daria um
show no Carnegie Hall em junho e ela viria para assisti-lo.

Nesse momento o show que fizeram nos estúdios da A&R, que foi transmitido pela WABC
FM. Virou fenômeno de vendas em um disco totalmente pirata (gravaram a transmissão da
rádio e prensaram em forma de LP)... Dick James ao saber disso ficou louco de ódio, pois
não estava ganhando nada com isso.
   -   Estão passando a perna em nós! Algum malandro gravou aquele show e está
       arrumando uma nota firme nisso.

Tratou de fazer seus contatos com a rádio, conseguiu os tapes do estúdio originais, trouxe
para a Inglaterra, chamou Steve Brown e Gus Dudgeon e foi direto ao assunto:

   -   Vou falar pra vocês o que está acontecendo: Piratearam o raio da gravação desse
       show e estão prensando uma porrada de lps em alguma garagem nos Estados
       Unidos e vendendo de montão em uma porção de estados e nós aqui... Vendo a
       banda passar sem arrumar um tostão sequer. Quero saber: Dá pra usar essas fitas de
       rolo e transformar isso em um LP?

Steve Brown e Gus Dudgeon ouviram com atenção os rolos e se comprometeram a mixar
tudo e fazer um disco daquilo tudo.

O lançamento do álbum FRIENDS na Inglaterra coincidiu com o lançamento do álbum
gravado ao vivo em 17 de novembro de 1970. Usaram assim a data como titulo do LP

17/11/70

Ou 11/17/70 no formato da data norte americana, aonde o mês vem na frente do dia.

De volta à Inglaterra, após a turnê, Elton encontrou em seu novo apartamento no oeste de
Londres, as letras que Bernie havia escrito e enviado pelo correio.

Bernie, desde o casamento com Maxine, havia mudado novamente para Lincolshire, onde
tinha comprado uma linda casa no campo. Os dois amigos viam-se freqüentemente, mas
não tanto quanto antes. Costumavam se falar pelo telefone nessa época. Bernie mandava as
letras, novamente, pelo correio, como fazia no inicio da parceria e Elton as musicava.

Um desses envelopes foi aberto e entre as diversas letras contidas ele se deparou com uma
que era um tema pessoal de Bernie. A poesia refletia o momento em que viviam e
reconheceu que a personagem da letra era a esposa de Bernie, Maxine. A canção se
intitulava: TINY DANCER. A poesia era Maxine inteira e Elton viu que o amigo estava
realmente apaixonado. Tratou então de sentar no piano e colocar melodia naquela letra tão
importante.

As letras de Bernie geralmente vinham com uma linha de ação determinada para Elton,
quase que impressa nelas.Havia uma seqüência de cenas e imagens contidas nas letras que
eram trabalhadas na mente de Elton John de forma a retratar os sentimentos ali retratados.
Isso tornava o trabalho dos dois perfeito.

O casal foi o primeiro a escutar a canção, quando foram ao apartamento de Elton em visita.

Foi uma surpresa para Bernie e principalmente para Maxine que não sabia do teor da
canção, mas que foi se reconhecendo durante a narrativa da canção TINY DANCER.
Primeiro seus olhos eram só para Elton e seus dedos no teclado, depois para Bernie. Ele
colocou o dedo indicador sobre os lábios como a dizer que ouvisse a música até o fim.

Maxine olhou novamente para Elton que cantou os últimos versos olhando para ela.

A aprovação do casal foi o sinal que Elton desejava.

Os planos de Elton a mudar totalmente sua vida continuavam.

Mudou legalmente seu nome.Não se chamava mais Reginald Kenneth Dwight, seu nome no
registro de nascimento foi alterado para ELTON HERCULES JOHN, seu nome oficial até
hoje.

Outro desses planos foi encontrar uma casa digna de seu futuro brilhante. Com seu
advogado procurou nos bairros mais elegantes de Londres e encontrou uma suntuosa
mansão que batizou de HERK, uma abreviação de seu nome do meio, agora, HERCULES.

Feliz com a mudança, Elton começou a construir dentro de sua mansão um sonho de anos.
Como grande apreciador de arte, levou todos os quadros que não cabiam mais em seu
apartamento, além de seus discos, aparelhos de som, jukebox.

Nos estúdios tudo estava também mudando. Se nas entrevistas Elton afirmava que sua
carreira seria curta, nos estúdios ele se tornava cada vez mais exigente.

Com o apoio de Paul Buckmaster começaram a preparar os arranjamentos do novo álbum.
Em pouco tempo estava tudo pronto para iniciarem as gravações e a banda começou a se
entrosar com as novas canções a fim de gravarem nos estúdios TRIDENT.

Entre os diversos profissionais que se juntam para a confecção desse trabalho estava RICK
WAKEMAN, muito conhecido na década de 70 no termo que se chamaria ROCK
ERUDITO.

Outro rapaz que chamou atenção pelo talento vinha de um grupo chamado MAGNA
CARTA, chamado de DAVEY HOHNSTONE.

Davey aos sete anos aprendeu a tocar violino, com doze guitarra e aos dezesseis tocava
bandolim e banjo entrando para o grupo de Noel Murphy. Estava também no Drught
Todrege, mas estava no MAGNA CARTA quando foi convidado para essa gravação com
Elton John.

Davey estava com vinte anos então, mas já tinha muita experiência e talento.

Em um dos intervalos das gravações, enquanto tomava café com Gus, Elton perguntou:

   -   Onde vocês arranjaram tanta gente boa? Esse garoto Davey é ótimo
   -   Davey Johnstone? Ele é muito bom mesmo...
   -   Ele já tem grupo? Toca para alguém?
   - Ele toca com um grupo chamado MAGNA CARTA
   - Puxa... Falou Elton, pensativo.
   Gus olhou para ele e tirou os óculos.

   - Quer desembuchar, homem? No que você está pensando?
   Em nada...Só acho que se tivéssemos alguém como ele na banda iria fazer uma
   diferença enorme nos nossos shows.Um guitarrista me daria a oportunidade de
   improvisos. Estamos apenas com baixo e bateria me acompanhando... Dee Murray e
   Nigel Olsson são ótimos, mas… a guitarra do cara fala!
   - Canta, consertou Gus.

   Depois que parte da banda foi embora junto com os técnicos Gus pediu para Davey ir
   falar com ele no escritório.

   -  Que está achando?Gus perguntou.
   -  Do quê?
   -  De estar trabalhando com Elton.
   -  Legal, um grande músico e profissional. Já assisti alguns shows dele, vocês estão
      com a faca e o queijo na mão.Elton é ótimo.
   - Quer fazer parte desse queijo?
   - Quem eu?
   - Precisamos de m guitarrista fixo e você é muito bom
   Davey pensou um minuto e disse:


   -   Pra te falar a verdade até que gostaria, mas tenho compromissos com meu grupo, até
       o final do ano.
   -   Tudo bem, ele não vai gravar outro álbum até o final do ano, além do mais você
       pode mesclar suas apresentações com o Magna Carta com as de Elton... Aviso-te
       das datas...
   -   Mas e Elton, ta sabendo disso?
   -   A idéia foi dele mesmo.
   -   -Sério?
   -   Não costumo brincar com profissionais nem o Elton. Ele te quer na banda e
       sabemos que você dá conta do recado.
   -   Nunca recebi tanto elogios... Na verdade não estava muito satisfeito com meu
       trabalho no Magna Carta.
   -   Então ficamos conversados, voltamos em breve a nos falar. Disse Gus, apertando a
       mão de Davey.

A gravação do disco chamado depois de MADMAN ACROSS THE WATER durou seis
dias e participaram grandes nomes da música como Rick Wakeman, Les Thatcher, Terry
Cox, B.J. Cole entre outros. Participaram também componentes da banda HOOKFOOT:
Roger Pop, David Glover e Caleb Quaye.

Logo que terminou a gravação desse álbum Elton voltou a preocupar-se com sua nova casa.
Mandou construir uma enorme piscina...

Passou a promover sua riqueza: O primeiro jantar oferecido na HERK foi para Marc Bolan,
líder do Tyrannosaurus Rex e à sua esposa June.Amigo de algum tempo Marc ficou
impressionado com tudo aquilo que viu na casa e chegou à conclusão que Elton estava
conseguindo seu objetivo: ser rico e deitar e rolar em cima disso.

MADMAN ACROSS THE WATER foi lançado dia 5 de novembro de 1971 na Inglaterra e
no dia 15 nos Estados Unidos. Tve como compacto de estréia a canção LEVON que
colocou no filho o nome JESUS. A letra foi minuciosamente destrinchada a fim de saber o
suposto conteúdo oculto que poderia haver atrás dessa combinação. Era a primeira de uma
série de divagações sobre as letras de Bernie Taupin.


A REVIRAVOLTA

Na estrada para Lincolshire, sozinho no carro, Bernie começou a ter uma idéia para uma
nova canção.

Ele não sabia de onde vinham às palavras ou por que havia começado a pensar naquilo, mas
dois versos estavam muito claros em sua mente, era preciso correr antes que a inspiração
fugisse.

Os críticos a atacaram violentamente o trabalho de Elton John em MADMAN ACROSS
THE WATER. A atmosfera desse trabalho era muito diferente da apresentada no LP de
estúdio anterior, TUMBLEWEED CONECTION. Era um disco sinfônico triste com
momentos de melancolia como na faixa final, GOODBYE.

A equipe também sentiu isso e era certo que tudo deveria mudar, um novo rumo na
formatação das canções era necessário.

Concordaram que o ambiente de gravação deveria ser mudado a fim de que a criatividade
de Elton aflorasse, para isso decidiram saírem em busca de um estúdio que pudesse
transmitir essa nova atmosfera, um novo ambiente.

Durante esse período de pesquisa Elton John esteve ainda de volta aos Estados Unidos se
apresentando em shows na tv como o de Andy Williams, onde esteve pela primeira vez
com RAY CHARLES, um ídolo seu. Ainda em 1971 Elton foi capa de diversas revistas que
contavam a sua história e sua escalada para o sucesso.

No retorno para a Inglaterra, pouco antes do Natal, houve uma grande turnê que chegou a
seu clímax no ROYAL FESTIVAL HALL, no qual ele tocou em companhia de uma
orquestra de 35 pessoas.

Elton, nesse período, dava declarações imprevistas, dizendo que não dava muito valor ao
seu trabalho e que era queridinho dos americanos, mas sua música estava se estagnando.
Como foi combinado, Elton e o empresário fizeram uma lista de todos os estúdios europeus
e no meio deles surgiu o STRAWBERRY, na França, no Vale do Loire, a quarenta
quilômetros de Paris.

No inicio de 1972 Elton John foi até lá para verificar tudo e só encontrou pontos positivos.

O Château D´Hierouville era um castelo medieval que pertencia a DANNY BAILEY. Nele
havia piscina, quadra de tênis (uma das mais recentes paixões de Elton) cozinha própria,
produção própria de vinhos... Toda uma atmosfera para quem desejasse criar com
tranqüilidade. Um local adorável, afastado de tudo.

Antes de começar a gravar o novo álbum, Elton apareceu na noite de lançamento da
gravadora Miden. Foram quinze minutos de apresentação, depois sendo substituído por Eric
Burdon and War. Elton procurou participar da apresentação de Eric, indo algumas vezes ao
palco durante a apresentação do grupo. No término Burdon abriu novamente as cortinas,
fazendo com que Elton continuasse a apresentação. Alguém, então, puxou novamente as
cortinas que caíram em cima de Elton, enquanto ele tocava. O incidente interrompeu o
show e o bom humor do cantor.

A banda, Elton e Bernie partiram para a gravação do novo álbum naquele mesmo mês de
janeiro de 1972. Como Herk, como se chamava sua nova casa, iria ficar sozinha, Elton
convidou Sheila e Fred para ficarem tomando conta da casa e os dois aceitaram. Com isso,
ele ficou tranqüilo para ir para o Strawberry.

Mesmo com todo o frio de Janeiro, todos acharam o lugar maravilhoso. O castelo fazia
lembrar uma atmosfera bem gótica.

Nos primeiros dias, por necessidade de adaptação, não fizeram muita coisa, mas Elton teve
a idéia de trabalharem mais à noite, deixando o dia para descansarem e dormir. A idéia
surtiu efeito.

Bernie compôs ainda algumas de suas letras lá. Maxine havia ido junto e o ajudava,
datilografando as letras que Bernie lhe entregava, manuscritas. Maxine mesmo as entregava
a Elton, que compunha sozinho em outro recanto do castelo.

Feitas as músicas, partiram para os arranjos e Davey deu uma força. Tudo estava integrado
perfeitamente e todos estavam satisfeitos.

Na fase final das gravações outras feras da música apareceram no estúdio. Jacques
Bolognesi, Jean-Luc Ponty, Legs Larry Smith, foram dar uma força ao novo trabalho de
Elton John e o resultado foi ótimo.

Após três semanas de preparação nascia HONKY CHATEAU, um álbum de música bem
humorada e mudança positiva na carreira de Elton John.

A riqueza crescia e também crescia mais ainda a qualidade de Elton: Repartir.
Ele gostava de sua fama e riqueza e usufruía dela da maneira mais generosa possível,
fazendo gastos consideráveis. Não se limitava a seu próprio prazer. Elton possuía em si
uma grande facilidade em dividir o que tinha com as pessoas à sua volta e provou isso
várias vezes.

De volta à Inglaterra, depois da gravação do álbum, JOHN REID o convidou a ir ao teatro
Shaw, em Londres.

Até começar a peça Elton não estava certo que iria se divertir, mas aceitou o convite parta
não desapontar Reid. A peça se chamava “Good Lads at Heart” e era a estória de um
reformatório de nome Borstal. Elton ficou maravilhado com tudo que assistiu, aplaudiu no
final e perguntou a John Reid:

- Como você descobriu isso aqui, achei ótimo.
- A companhia se chama NATIONAL YOUTH THEATRE, eles se dedicam ao teatro para
os jovens... Estão passando por dificuldades financeiras, mas é um trabalho muito bom.
- Dificuldades financeiras?
- Sim.
- É possível falar com o responsável?
-Claro, sou eu, respondeu Reid.

Elton ficou olhando para ele, entre surpreso e desconfiado.

- Você?
- Sou o presidente.

Elton começou a rir.

Reid levou Elton a falar com os outros membros da companhia do NYT.

Elton se envolveu tanto com isso que prometeu a fazer shows em beneficio da companhia.

A partir daquele dia Elton passou a ser visitante e assistente assíduo da NYT, dentro de
suas possibilidades e o teatro passaria a lucrar muito com todos os atos de generosidade do
cantor e sua milionária amizade.

Elton fez 03 shows em benefício da companhia, arrecadando uma quantia razoável em
dinheiro. Com isso, mais tarde os membros da NTY o tornariam vice-presidente da
companhia.

1972 prometia outras mil mudanças na cabeça de Elton. Uma nova fase começava a se
apresentar em termos de música e ele começou a mostrar o som que no fundo sempre
gostou, mas não tinha tido oportunidade de realizar, por medo de não ser compreendido.

Nas canções que compunha com Bernie, começava a surgir um novo balanço que antes
estava encoberto por tons clássicos que conservava ainda no tempo da academia.
Os críticos elogiaram HONKY CHATEAU. Ele havia sido algo novo, na verdade uma
miscelânea de vários estilos de músicas e ritmos. Desde o rock divertido até uma leve visão
nostálgica que foi o Charleston.

Se no inicio a faixa “SALVATION” se convidava para ser um compacto, após o
lançamento do álbum, em maio, as coisas mudariam.

“ROCKET MAN” era a canção ideal e estava fadada a fazer a cabeça dos americanos e
ingleses, assim como o resto do mundo. Era a música da época, o hino dos foguetes
espaciais. E o compacto subiu como um verdadeiro foguete nos catálogos de revistas
especializadas da parada de sucessos. Não havia mais engano. Não seria mais possível
voltar ao anonimato, como o próprio Elton havia previsto, antes disso.

Os shows feitos por ele, naquele inicio de 1972 causaram impacto em todas as cidades que
ele visitou. Tudo tendia levar Elton às mais altas escalas do “show bussiness”.

Ele estava à vontade nessas excursões delirantes, brincando com roupas e cenários.
Encomendava capas de vidrilhos, óculos com plumas, pianos forrados com “strass”, fogos
de artifício, seu nome escrito em NEON...

Elton achava lindo aqueles antigos musicais da METRO e queria fazer o mesmo em seus
concertos.

Quando não estava no meio de todo esse brilho, utilizava seu tempo em casa, lendo as
paradas de sucesso – o hábito antigo – colecionando discos e fitas, comprando estoques de
rádios e encalhes de gravadoras. Tudo isso dentro de uma mansão que mais parecia um
paraíso de adolescente.

Como a fórmula de sucesso do Strawberry havia dado certo com HONKY CHATEAU,
Elton e a banda quiseram repartir a dose e voltaram para a França, para gravar um novo
álbum.

Como havia prometido a Maxine, Bernie havia voltado para a América com a banda e tinha
ficado por lá, quando Elton voltou para a Inglaterra e posteriormente para a França.

O casal estava curtindo finalmente sua merecida lua-de-mel e isso tendia a durar bem mais
que um mês, já que Bernie adorava os Estados Unidos.

Devido a isso Elton foi para o Strawberry sem nenhum material para trabalhar. Os
problemas começaram daí, e não seria nada, se o próprio Elton não estivesse se sentindo
bem. Seu corpo começava a sentir os efeitos das longas turnês e um mal-estar importuno
começou a tomar conta dele. Isso começou logo a ficar visível na chegada ao Château em
junho de 1972.

Depois de instalados, aproveitaram a falta de trabalho para curtirem as terras em volta do
castelo.
Bernie começou a mandar as letras via correio e telefonava todas as noites para saber como
estavam indo as coisas.

Enquanto isso o ânimo de Elton ia descendo ao zero...

Ele não queria admitir, mas não estava em condições de gravar nada... Não demorou para
que GUS DUDGEON e a banda percebessem que a coisa estava ficando séria.

Certo dia Gus notou que Elton estava aéreo e suando muito.

- Algum problema, Elton?
- Não, por que?
- Você parece longe...
- E não é de hoje, falou Nigel. Ele está branco e suando feito um copo de cerveja...
- Que é que está havendo? Gus perguntou.
- Não vou poder fazer esse álbum, pelo menos por enquanto, Elton admitiu.
- Tudo bem, se você não se sente bem... Não há problema algum, a gente volta a gravar em
setembro antes da turnê.
- Mas eu quero terminar as canções.
- Ok. Vou chamar seu médico para saber o que é isso, certo?


O médico afirmou que Elton estava com a garganta inflamada.

Apesar de todos os obstáculos Elton estava decidido em continuar com o projeto, e
realmente não era fácil de tirar Elton de um plano, quando ele estava firmemente decidido a
levá-lo em frente. Mesmo com a banda inteira de olho nele o álbum começou a ser
gravado e não foi por falta de saúde que o álbum deixaria de ser gravado e foi melhor ainda
que HON KY CHATEAU...

O álbum “DON´T SHOOT ME I´M ONLY THE PIANO PLAYER” foi um trabalho
grandioso na obra de Elton John, extremamente romântico e de uma sensibilidade a toda
prova, peculiaridade de Bernie em suas letras e do próprio Elton em seu piano, sem
esquecer dos toques especiais colocados para alcançar os corações e mentes americanos.

Apesar de longe da França, Bernie não estava longe do trabalho do grupo em pensamento,
então resolveu ir ao castelo sem avisar Elton.

Alguma coisa estava errada e ele sentia isso. Deixou Maxine em Los Angels e foi para a
França, sozinho.

A banda o recebeu primeiro.

Após as brincadeiras sobre sua lua de mel Bernie viu o amigo de longe, no jardim,
passeando entre a grama.
Elton o recebeu e logo o levou ao estúdio para que Bernie pudesse ouvir como saíram as
canções retiradas de suas letras. Mostrou uma canção chamada “CRODODILLE ROCK”,
depois “DANIEL”.

Quando o assunto era música, Elton e Bernie se entendiam tão bem que pareciam ser uma
só pessoa. Considerando-se o senso critico de Bernie, tudo que Elton fazia o agradava. Isso
não poderia ser apenas devido ao fato que ele não soubesse compor musicas, mesmo como
leigo no assunto Bernie sabia como qualquer outro mortal avaliar a linha melódica de uma
canção.

Ao ouvir as novas canções Bernie ficou apaixonado por DANIEL. A letra foi feita
inspirada em um ex-combatente de guerra, que passava seus dias na Espanha.

À noite, mais tranqüilos, Elton, Dee Murray, Nigel Olsson, Davey Johnstone, John Reid,
Gus Dudgeon e Bernie enquanto saboreavam o vinho que o Château produzia falaram em
um assunto que estava preocupando Elton faz tempo: o álbum que DAVEY JOHNSTONE
pretendia gravar e lançar.

- John (Reid), você poderia ver isso para a gente, não poderia? Você entende mais do que a
gente sobre isso. Não seria justo entregar um material tão bom quanto o do Davey para uma
companhia de beira de estrada... Tem que ser algo que valha a pena, algo decente.

- Já Estou fazendo isso há meses, Elton. É difícil conseguir uma gravadora que aceite um
novato... Uma gravadora decente.
- Mas lê não é um novato.
- Em gravação sim, concordou Davey. Eu sabia que ia enfrentar isso.

O grupo não desejava levar Davey a enfrentar as barreiras impostas por Dick James, sabiam
dos obstáculos impostos pelo empresário.

- Mas alguém tem que começar a dar valor a coisas novas. Você vai ser novato a vida
inteira se não começar de algum lugar. O Steve é bom nessas coisas, me tirou da lona...
Você precisa de um Steve Brown dentro de alguma maldita companhia de discos em algum
lugar no mundo...

- Podíamos nos tornar um Steve Brown para Davey..., Disse Gus Dudgeon
- Tive uma idéia, disse Elton... Enquanto tomava um gole de vinho...Poderíamos lançar
nosso próprio selo...

- Pronto... Não sabe beber... Começou a fazer efeito, disse Bernie.
- Estou falando sério... A gente poderia começar nosso próprio selo.

Mil olhares são trocados.

- Ninguém vai dizer nada?

- Isso leva tempo, advertiu Reid.
- Mais tempo do que já levou, impossível... Já que não temos um STEVE BROWN, vamos
gerar um: nós mesmos.

NESSE MOMENTO ESTARIA NASCENDO A GRAVADORA CHAMADA NO
FUTURO DE “ROCKET RECORDS”

De manhã GUS DUDGEON veio ao grupo e disse:

-Acabei de falar com o Dick James...
- Foi contar pra ele que...
- Não falei nada, cortou Gus. Ele ligou e quer falar com você.
- No telefone?
- Não, pessoalmente.
- Ta brincando, que diabo ele quer?
- Ele Não quer lançar CROCODILLE ROCK como compacto.

Elton engoliu um palavrão e levantou-se irritado. Foi até o primeiro telefone que encontrou.
Logo estava de volta.

- Reid, você toma conta de causas criminais?
- Por que?
- Vou matar um empresário inglês famoso...

A banda toda voltou para a Inglaterra e Elton foi ao escritório de Dick James.

Dick James sempre foi teimoso e Elton não ficava atrás. O empresário já estava guardando
muita coisa para dizer desde que soube que Elton gravou o disco doente.

- Você está passando dos limites, DJ!
- Eu? Eu estou passando dos limites? Você fez tudo que quis o tempo inteiro. Por pouco
não me fez pagar uma ambulância para levar você direto para um hospital. Teimou em
gravar um disco com a garganta inflamada, colocando em risco todo dinheiro que gastei na
elaboração desse álbum, e eu não disse nada... Deixei você fazer tudo que queria e não
disse nada para não ter que agüentar seu mau humor. Agora é a minha vez de dizer o que
quero que faça: Não vou lançar CROCODILLE ROCK como compacto...

- Faz isso apenas para me contradizer, então lance DANIEL!
- Gosto dessa, mas não tem pique para compacto...
- Então quer que eu faça o que? Quer que eu volte para o Strawberry e grave outro disco?
- Vou pensar no assunto... Disse Dick, sentando-se.
- Ou você lança uma das duas canções ou está declarada guerra!

- Pois quem declara guerra sou eu! Rebateu Dick, erguendo-se novamente. Você quer
tomar decisões sozinho não quer? Então pague o álbum, responsabilize-se por ele e acabou!

- Você não teria coragem!
- Você quer fazer as coisas a seu modo, como se fosse dono da minha gravadora, então
custeie tudo. Já deixei nascer cabelos brancos demais na minha cabeça por sua causa...

- E encheu os bolsos também...

Dick fuzilou Elton com os olhos e disse:

- Vai pro inferno!

Elton deu as costas e saiu do escritório. Aquela discussão fez com que ficassem sem se
falar por um bom tempo.

Elton John teve que pagar todas as despesas do lançamento do álbum DON´T SHOOT ME
I´M ONLY THE PIANO PLAYER, mas ficou satisfeito, pois lançou as canções que queria
DANIEL e CROCODILLE ROCK como compactos. A primeira, pois achava que seria um
grande sucesso e a segunda por afeição, nascida nas gravações e porque queria colocar à
prova um tabu que o perseguia desde o inicio da carreira:

Um álbum seu nunca fazia sucesso caso ele estivesse no seu país... As coisas somente
aconteciam caso os Estados Unidos dessem uma força, ou seja: se fosse primeiro sucesso
na América.

DANIEL deveria quebrar esse tabu.E conseguiu.

Elton foi para Malibu, satisfeito.

Malibu fez bem para Elton, Bernie e Maxine. Eles alugaram uma mansão que recebeu
ilustres convidados como Grouxo Marx e Bryan Forbes, que surpreendeu o próprio Elton
ao aceitarem o convite para jantar.

Grouxo sempre foi um dos grandes ídolos de Elton e sua presença deslumbrou o cantor, que
não mediu esforços para agradá-lo.

Naquela noite sugeriram que Elton ligasse a lareira, pois Grouxo, por ser um homem de
idade poderia gostar, e ele o fez.


Outra curiosidade foi que o velhinho só conseguia chamá-lo de JOHN ELTON, alegando
que o nome ELTON JOHN estava ao contrário e não adiantava o próprio Elton o corrigi-lo,
de vez em quando, Grouxo passou a noite inteira o chamando assim.

Bryan Forbes estava pretendendo filmar um documentário com ele e Bernie, chegando a
passar alguns dias com eles na mansão, onde filmou tapes. Mas nem tudo eram filmagens.
Bryan uniu-se aos dois em um hábito antigo: fazer compras. A diversão maior era voltarem
para casa com malas cheias de comporás, mesmo os donos das lojas se assustavam com
tamanha extravagância.
Naquela ocasião voltaram para a Inglaterra com nada menos de que 67 maletas e foram
necessários 1000 libras para liberarem da alfândega.

Mas não era apenas Elton John que abusava do direito de fazer tudo que vinha à cabeça
Bernie Taupin também colocava seus planos em prática.

Com algum material já composto anteriormente, Bernie transformou suas poesias em disco,
mas sem a participação da voz de Elton.

Reuniu alguns músicos da DJM, inclusive Davey, suas letras e fez um disco onde declamou
suas letras (não cantou, recitou as letras, narrativamente) com fundo musical, dezesseis
delas. O álbum chamado simplesmente de TAUPIN segundo ele mesmo não foi feito para o
público, mas como satisfação pessoal. Gostou de realizar o trabalho, mas o esqueceu logo
depois... Coisas de poeta.

Alem disso produziu o disco de DAVID ACKLES AMERICAN GOTIC e começou a
idealizar um livro de ficção.

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:21
posted:7/27/2011
language:Portuguese
pages:15