Gostaria de saber até onde posso confiar no uso de rede sem fio em

Document Sample
Gostaria de saber até onde posso confiar no uso de rede sem fio em Powered By Docstoc
					Gostaria de saber até onde posso confiar no uso de rede sem fio em hotéis. Sou viajante e costumo usar com
freqüência.
René Ribeiro: Hoje as redes sem fio têm protocolos de segurança mais confiáveis, como WEP, por exemplo. O
interessante é que, ao se conectar, o hotel lhe forneça a senha de segurança. Também aconselho a manter seu antivírus
atualizado e um firewall ativo.

As redes Mesh funcionam legal? E a implantação? É muito complicada?
RR: A rede Mesh tem a vantagem de ser de baixo custo, fácil implantação e bastante tolerantes a falhas. Elas são
bastante utilizadas em edifícios para fazer uma LAN no prédio.

Você acha realmente que a chave WEP dá segurança? Hoje não é muito difícil achar programas para quebrar
esse tipo de chave...
RR: Este é um protocolo que ajuda, mas, geralmente, os roteadores já vêm com mais protocolos, como WPA e WPA2. O
importante é sempre procurar meios para se proteger de ataques. É necessário saber que nenhum sistema é 100%
seguro.

Leia também:

      Como melhorar a segurança das redes WiFi
      Como configurar uma rede wireless

Quais as limitações de uma rede sem fio? Gostaria de mais informações sobre sinal e interferência.
RR: O protocolo mais utilizado é o 802.11g. A velocidade máxima que este tipo de rede atinge é de 54 Mbps (uns 48
Mbps reais). Quanto à distância, o limite em ambientes fechados chega a 100 metros e, em ambientes abertos, até 300
metros. Quanto à interferência, a transmissão dos dados é a uma freqüência de 2,4GHz, mas em potência baixa.
Portanto, um telefone sem fio perto do roteador pode derrubar sua conexão.

Poderia ter vários computadores em casa conectados uns aos outros sem fio sem o risco de o vizinho pegar
uma carona na minha rede?
RR: Uma senha bem segura, com caracteres especiais e mais de dez dígitos, será o suficiente para te proteger bem. Um
bom software de firewall também ajuda. A escolha da senha é importante, pois — como disse —, não existem sistemas
100% seguros.

Estamos prestes a mudar o endereço do escritório e trabalhamos com manipulação de imagem. É viável montar
uma rede Wi-Fi? Ela já tem velocidade compatível ou superior à rda rede comum?
RR: A rede sem fio do padrão 802.11g. tem tanta velocidade quanto a cabeada. O que vai limitar a velocidade é a
quantidade de estações de trabalho que acessarão a rede ao mesmo tempo. Para isso, é interessante não ultrapassar
mais do que 20 computadores por roteador.

Tenho uma rede, mas há duas paredes entre os computadores e, na distância de dez metros, só alcanço um
grau muito baixo de transferência. Como posso melhorar a conexão entre os aparelhos?
RR: Os fabricantes têm equipamentos que "dão uma força" ao sinal wireless, porque possuem antenas mais potentes
que aumentam o alcance do sinal. Entretanto, lembre-se da segurança, pois se o alcance aumentar, um número maior
de pessoas pode enxergar sua rede.

É confiável acessar sites de banco e digitar senhas fazendo operações bancárias por este tipo de rede?
RR: Nesse caso, entramos em uma discussão sobre segurança de acesso a sites também. Se o invasor entrar em sua
rede, vai acessar seus dados no computador e, se vasculhar, pode encontrar alguma senha e outros dados. Para se
proteger, além da senha de acesso a rede wireless, desabilite a gravação de senhas e formulários do seu browser.
Deixar instalado um firewall para bloquear portas do sistema também é aconselhável. Esse tipo de ataque, no entanto,
tem as mesmas probabilidades de acontecer tanto em redes cabeadas quanto em redes sem fio.

Leia também:

      Como dar mais segurança à sua rede sem fio
      35 soluções para problemas na sua rede

Nos roteadores, há somente quatro senhas. Esse é o número máximo de micros que podem se comunicar?
RR: Acho que você não quis dizer quatro senhas, mas quatro portas. Elas servem para ligar quatro computadores em
rede cabeada, ou seja, o roteador wireless também serve como roteador por fio. Em rede wireless, o número máximo em
estações wireless varia de acordo com o fabricante e pode ser encontrado em seus sites, mas, na prática, não é
recomendável passar de 20 computadores por roteador.
Gostaria de saber a diferença entre padrões g e n?
O padrão g já está bem consolidado, funciona bem e é o mais utilizado hoje. Sua velocidade gira em torno de 48 Mbps
(reais) e seu alcance pode chegar a 300 metros. O padrão n ainda está sendo estabelecido, mas já é uma promessa e
um grande avanço. A velocidade nominal é de 300 Mbps e testes mostraram 130 Mbps reais — mais de quatro vezes a
velocidade do padrão g. Equipamentos como notebooks também já estão sendo equipados com padrão n.




       Pontos fracos das redes sem fio




As redes Wi-Fi estão, em princípio, expostas a dois perigos principais. O primeiro é um intruso conseguir se conectar ao
nosso ponto de acesso. Isto lhe permitiria utilizar alguns dos recursos da rede, por exemplo, a conexões à internet e até
mesmo impressoras compartilhadas. O segundo é que o invasor consiga de fato acessar a rede interna, seja ela
doméstica ou corporativa, o que lhe permitiria roubar dados, senhas, nomes de conta e arquivos de trabalho.

Frente à primeira ameaça, a proteção mais utilizada é algum sistema de autenticação que obrigue todo usuário a
demonstrar sua identidade no momento da conexão. Isto pode ser feito por meio de uma senha de acesso ou pela
validação de um dispositivo específico, como o computador. A identificação do PC é um dos mecanismos de controle de
acesso mais simples disponíveis. Para isso, se realiza uma análise do cartão de conexão sem fio instalado no PC que
deseja se conectar. Esta análise consiste na identificação do endereço MAC do cartão. No entanto, este mecanismo de
filtragem pode ser burlado sem grande dificuldade por um hacker.

Frente à segunda ameaça, a proteção mais indicada é a codificação da informação que circula pela rede Wi-Fi. O
primeiro mecanismo de segurança utilizado foi o denominado WEP – Wired Equivalent Privacy – que se baseia no
algoritmo de criptografia RC4 e pode empregar empregar chaves de criptografia de 64 a 256 bits. No entanto, já faz
tempo que a criptografia WEP foi rompida, portanto qualquer hacker que tenha acesso à rede sem fio e que capture
alguns megas de informação criptografada poderá romper a chave em poucos minutos.

Há alguns anos está disponível outro padrão, o WPA – Wi-Fi Protected Access – , que melhorou a proteção
proporcionada pelo WEP e, no ano passado, foi criado o padrão 802.11i , também conhecido como WPA2, com
mecanismos ainda mais fortes de autenticação e criptografia do tráfego.




       Roteadores: o ponto central da rede




Roteador wireless combina switch Fast Ethernet, ponto de acesso e compartilhador de conexão à web. Confira teste com
cinco equipamentos




                                     Se você tem mais de um computador em casa ou no escritório, saiba que a idéia de
ligá-los em uma rede sem fio, seja para compartilhar arquivos, seja para conectá-los à internet banda larga, é mais fácil
de ser posta em prática do que se imagina. A peça-chave para isso é o roteador wireless, um verdadeiro canivete suíço
da conectividade. Os dispositivos dessa categoria combinam as funções de switch Fast Ethernet, ponto de acesso sem
fio e compartilhador de conexão à web.

Com um roteador wireless, você pode, inicialmente, ligar os computadores por rede cabeada e partir para a conexão
sem fio à medida que notebooks, handhelds e outros equipamentos Wi-Fi forem sendo adquiridos. Praticamente todos
os roteadores wireless à venda atualmente adotam o padrão 802.11g, trafegando informações a 56 Mbps mais
seguramente do que os 11 Mbps do primeiro padrão a marcar presença no país, o 802.11b.

Mas qual equipamento escolher? O que levar em conta na hora da compra? Para facilitar a tarefa, PC WORLD avaliou
cinco modelos equipados com pelo menos quatro portas Fast Ethernet, conexão para modem de banda larga e ponto de
acesso sem fio 802.11g. O confronto reuniu o AirPlus G DSL-G604T, da D-Link; o Office Connect Wireless 11g
Cable/DSL Gateway (3CRWE554G72), da 3Com; o TEW-432BRP, da TrendNet; o WG-APR, da Trellis; e o WRT54GX4
da Linksys. Entre eles, o equipamento que apresentou o melhor equilíbrio entre preço, recursos e desempenho e, por
isso, ficou com o título de Best Buy,foi o Office Connect Wireless. O equipamento da 3Com custa 399 reais, é sólido e
teve boa performance – inferior apenas à do WRT54GX4, da Linksys, e à do WG-APR, da Trellis.

Como a maioria dos recursos de switch e compartilhamento de acesso à internet funcionam do mesmo modo,
concentramos a avaliação dos roteadores no modo de comunicação sem fio padrão 802.11g, de 54 Mbps. Para isso,
montamos uma pequena rede, ligando cada equipamento sob análise a um computador comandado pelo Windows 2000
Server SP4 e conectado por cabo Ethernet, que atuou como servidor de arquivos e FTP.

No papel de cliente, usamos um notebook ThinkPad X31 com interface 802.11a/b/g Mini-PCI e gerenciador
ThinkVantage Access Connections, recurso que facilitou a localização e a conexão dos pontos de acesso. Movemos o
cliente para fora do ambiente onde estava o access point, de tal modo que o sinal tivesse de percorrer alguns obstáculos
para chegar ao notebook. Segundo o medidor do Access Connections, todos os produtos apresentaram excelente
qualidade de sinal, atingindo 100% da escala do programa.

Com cada um dos produtos, verificamos também o tempo gasto na transferência de vários arquivos (upload e download)
pela rede. Depois, medimos o download de arquivos de um servidor FTP, simulando uma transação via internet. Nos
testes, a maior potência do transmissor não interferiu na transferência de dados, caso do D-Link com seu transmissor de
100 mW (miliwatts),que teve um resultado tão bom quanto o WG-APR, da Trellis, de 20 mW.

O WRT54GX4, da Linksys, apresentou o melhor desempenho geral, seguido de perto pelos produtos da Trellis e da
3Com (os resultados completos podem ser vistos na tabela de características). Só tem um problema: é bem mais caro
(899 reais). O WRT54GX4 é uma boa pedida para quem está interessado em investir em uma tecnologia mais moderna,
já que segue o padrão MIMO, abreviação de Multiple Input, Multiple Output (múltiplas entradas, múltiplas saídas). A
tecnologia utiliza dois transmissores no lugar de um. Esses transmissores enviam diferentes fluxos de dados ao mesmo
tempo para que sejam captados por diferentes antenas, responsáveis, por sua vez, por selecionar e reintegrar a
informação original. O recurso é útil em ambientes com muitos obstáculos, garantindo conexões em locais onde outros
sistemas não funcionam a contento. O problema é que, para explorar o MIMO, é recomendável o uso de uma interface
igualmente compatível com MIMO no computador. Caso contrário, o desempenho não será muito diferente do
apresentado por outros modelos.

Seu orçamento está apertado? Há equipamentos simples com preços bastante atrativos. Apesar de despojados, esses
produtos atenderam plenamente aos requisitos deste teste. É o caso do TEW-432BRP, da TrendNet (301 reais) e do
WG-APR, da Trellis (245 reais). O AirPlus G DSL-G604T (599 reais) foi o produto que mais se aproximou do
equipamento da 3Com na disputa pelo título de Best Buy, mas o custo superior deixou o produto da D-Link fora da
disputa.

CLIQUE AQUI E VEJA A TABELA COM CINCO MODELOS DE ROTEADORES WIRELESS

O access point da Apple
                                     AirPort Express até transmite músicas para aparelhos de som Antes de a
plataforma Centrino virar sinônimo de rede sem fio, a Apple lançou a primeira versão de seu ponto de acesso AirPort, um
dos pioneiros do padrão 802.11b. A versão mais recente do produto, o AirPort Express, compatível com 802.11g,
impressiona pelo tamanho reduzido e a aparência de adaptador de rede elétrica. Além da porta WAN, o equipamento
apresenta duas interfaces adicionais – uma USB para ligar e compartilhar uma impressora em rede e uma saída de som
estéreo que possibilita a transmissão de músicas armazenadas no iTunes do computador ao qual está conectado
diretamente para aparelhos de som. Além disso, o produto pode funcionar como um bridge wirelles, retransmitindo o
sinal de um ponto de acesso mais distante. Segundo o serviço de atendimento ao usuário da Apple, o AirPort Express
não foi homologado no Brasil. Entretanto, é possível encontrar o produto em lojas especializadas por 760 reais.

       Conecte periféricos às redes sem fio




LIBERDADE PARA OS PERIFÉRICOS

Você sabia que qualquer dispositivo com porta Ethernet – uma impressora, por exemplo – pode ganhar conexão wireless
por meio de um roteador Wi-Fi e ser compartilhada a partir de um local central? Estes roteadores também podem ser
usados como adaptadores sem fio para consoles de jogos.

>Imprima a partir de redes sem fio

ESPIONAGEM WI-FI

Infelizmente, a segurança dos hotspots Wi-Fi ainda deixa a desejar. Ao logar-se em áreas públicas, hotéis ou cafés você
estará enviando sua identidade e senha pelo ar.

Muitos espertinhos configuram redes wireless com nomes de identificação (SSID) parecidos com os de redes conhecidas
e esperam algum descuidado se logar nelas para, então, capturar seus dados particulares.

Fique atento e criptografe todas as suas informações. Se possível, utilize uma rede privada virtual (VPN), muito usada
por empresas que têm funcionários em trânsito.

LOCALIZE-SE

Quem precisa de GPS quando se há Wi-Fi? O serviço Loki mapeou as redes Wi-Fi existentes na maioria das cidades
dos Estados Unidos (bom para quem viaja), e funciona com alguma precisão no Brasil: ele utiliza um sistema de
triangulação, a partir de hotspots cuja localização é conhecida, para determinar a área. Quanto mais hotspots
reconhecidos pelo Loki houver, mais preciso é o resultado.

Em testes realizados – a aplicação se instala-se na barra de ferramentas do navegador – o resultado foi um mapa que
cobre uma área de aproximadamente 2,5 quilômetros.

NAVEGAÇÃO SEM CUSTO

É fácil ir a um cibercafé quando se precisa de hotspot, mas isso tem custo. Para que pagar, se é possível navegar de
graça? Para poder encontrar hotspots gratuitos quando estiver desconectado, baixe diretórios para a área desejada. No
endereço www.pcworld.com.br/localizehotspots você encontra detalhes dos localizadores de hotspots AnchorFree
(somente locais gratuitos) e JiWire (pagos e gratuitos).

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Stats:
views:6
posted:7/14/2011
language:
pages:4