Docstoc

FUNDECT Gonda

Document Sample
FUNDECT Gonda Powered By Docstoc
					                   UNIVERSIDADE CATÓLICA DOM BOSCO
                      Pró-Reitoria Acadêmica – PRAC
                      Diretoria de Pesquisa e Pós-graduação
               Grupo de Pesquisa em Engenharia e Computação - GPEC




               Instituto Tecnológico
                     Dom Bosco




   [DOCUMENTO EM CONSTRUÇÃO]



                                 Campo Grande, MS
Março/20051. Proposta de Projeto
Título: Implantação de um Instituto de Tecnologia Salesiano em Mato Grosso do Sul
Situação: Em andamento                Duração: 6 anos (2005-2010)
Unidade: Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas
2. Objetivos
 Objetivo Geral:

Implantação de um instituto de tecnologia, o Instituto Tecnológico Dom Bosco (ITDB), norteado
pelos princípios salesianos de ética e educação, e apoiado em dois pilares:

        Aperfeiçoar o processo de aquisição e produção de conhecimento, através da pesquisa
        científica e sua efetiva aplicação na vida profissional e comunitária.
        Promover o desenvolvimento social e econômico da região e do país, de forma integrada,
        através de atividades de pesquisa, extensão e ensino

O instituto será um ambiente de aprendizagem em que pesquisadores, acadêmicos (graduação e
pós-graduação) e a comunidade em geral poderão desenvolver suas potencialidades através de
uma convivência profunda e da participação efetiva na construção de novas tecnologias em
benefício do bem estar social.

Objetivos específicos:

    -   Promover a integração das diversas instituições salesianas, incentivando a participação
        multi-institucional em projetos de pesquisa e extensão, e o intercâmbio de acadêmico e
        docentes;
    -   Promover a capacitação de profissionais formados em áreas relacionadas à engenharia e à
        computação;
    -   Promover a capacitação de docentes e pesquisadores vinculados a instituições de ensino
        superior;
    -   Permitir a consolidação da pesquisa em computação e engenharia na Universidade Católica
        Dom Bosco e nas Instituições Salesianas em geral;
    -   Possibilitar a inserção de profissionais gabaritados no processo produtivo das diversas
        cadeias existentes atualmente no estado;
    -   Desenvolver ferramentas para projetos de sistemas, integração de informação e modelagem
        de processos agrícolas;
    -   Desenvolver tecnologias para equipamentos embarcados em máquinas agrícolas ou para
        instalações fixas;
    -   Incentivar a produção de tecnologias voltadas ao desenvolvimento social da comunidade
        regional, com ênfase nas áreas de saúde, educação e inclusão digital.
    -   Apoiar a Incubadora da UCDB através de consultoria e parcerias para exploração dos
        resultados das pesquisas do ITDB;



3. Justificativa
A Região Centro-Oeste é caracterizada por ser predominantemente agropecuária e por possuir um
grande potencial para exploração sustentável de recursos naturais da região do pantanal e do
cerrado. Nos últimos anos, a sociedade tem buscado agregar novos elementos às cadeias
produtivas da região, visando o incremento da competividade do Mato Grosso do Sul face à forte
demanda por eficiência e qualidade exigida pelo mercado atual. A agregação de valor aos produtos
e serviços regionais ainda esbarra no problema do subdesenvolvimento tecnológico e científico,
principalmente em áreas estratégicas como a computação e a eletrônica.
O estado do Mato Grosso do Sul conta atualmente com mais de 20 cursos de graduação que
oferecem formação, em áreas relacionadas com computação e eletrônica, para centenas de
acadêmicos (ver Anexo II). A formação em nível de graduação, no entanto, não é suficiente para
produzir profissionais capazes de contribuir, efetivamente, com o desenvolvimento tecnológico em
níveis mais elevados e competitivos. Esse tipo de formação é obtido apenas através da inserção do
acadêmico em grupos de pesquisa ativos, o que acontece geralmente, em programas de pós-
graduação e de iniciação científica.

Existem, no estado, apenas dois cursos de mestrado relacionados diretamente com computação e
eletrônica, ambos na UFMS, e absorvendo cerca de 40 acadêmicos por ano. A grande maioria dos
egressos, com potencial para trabalhar com pesquisa e desenvolvimento tecnológico, acaba tendo
que buscar a continuidade de sua formação nas regiões mais desenvolvidas do país. Infelizmente,
boa parte dessa mão de obra extremamente qualificada, acaba sendo absorvida por essas regiões, e
não retornam mais. Uma outra parte retorna, mas não encontra condições para aplicar os
conhecimentos e habilidades adquiridas, pois o estado não conta com centros de pesquisa ou
indústrias de desenvolvimento tecnológico em computação ou eletrônica.

Por outro lado, existe na UCDB um grupo de 17 mestres e doutores (ver Anexo I), com formação
em computação e eletrônica, com grande inclinação para pesquisa e desenvolvimento tecnológico,
que vem se esforçando para tentar mudar a realidade regional. Esses professores participam de um
grupo de pesquisa, o GPEC (Grupo de Pesquisa em Engenharia e Computação), que apesar de
todas as dificuldades, tem conseguido, através de parcerias com outras instituições e com a
participação, boa parte voluntária, de acadêmicos da graduação, desenvolver alguns projetos de
pesquisa e manter um nível razoável de produção bibliográfica (ver Anexo III). O GPEC é o
núcleo do que poderá vir a ser o Instituto Tecnológico Dom Bosco.

[CITAR ALGUNS PROJETOS, ENFATIZANDO OS RESULTADOS ESPERADOS]

[MERCOSUL ? NOVAS EMPRESAS ? CONTATOS JÁ REALIZADOS: BOLÍVIA, CHILE,
PERU ?]




4. Metodologia
O processo que poderá culminar na implantação e consolidação do Instituto Tecnológico Dom
Bosco iniciou com a política de capacitação do antigo Centro de Ciências Exatas e da Terra
(CCET) da UCDB. O GPEC possui atualmente seis professores em capacitação, todos em
programas de doutorado e com auxílio financeiro da UCDB. A maioria desses professores está se
capacitando através da Escola Politécnica da USP, devido a uma importante parceria, iniciada em
2003, que tem se extendido também ao desenvolvimento de projetos de pesquisa e participação
conjunta em editais de fomento (ver Anexo III). Existem também dois professores, recém
contratados, concluindo o doutorado sem auxílio direto da UCDB. A previsão é que esses
professores tenham defendido suas teses até o início de 2007, quando deveremos contar com dez
doutores na área de engenharia e computação.

Um outro passo importante é a consolidação do grupo de pesquisa GPEC, criado em 2002. O
grupo tem concentrado esforços no desenvolvimento de projetos em equipe, com parceiros
externos, e focados em cinco linhas de pesquisa:

1 - Aquisição de Sinais, Instrumentação e Sistemas Microprocessados.
2 - Computação de Alto Desempenho e Sistemas Distribuídos.
3 - Engenharia de Software
4 - Fundamentos de Computação e Tecnologia Adaptativa
5 - Inteligência Artificial e Processamento de sinais e imagens

Além das linhas de pesquisa, cuja distinção é feita com base em áreas de conhecimento, o grupo
também tem buscado a concentração dos esforços nas seguintes áreas de aplicação:
Agronegócio, Meio Ambiente, Saúde e Inclusão Social. Talvez exista a necessidade de uma
concentração ainda maior de linhas de pesquisa e áreas de atuação, no entanto, esta decisão deverá
ser tomada com base no progresso das pesquisas atuais, continuamente avaliado pelo próprio
grupo. A tendência é que sejam mantidas apenas as linhas e áreas cujos pesquisadores
conseguirem gerar resultados, como patentes e publicações, ou tenham obtido o reconhecimento
externo através da obtenção de apoio financeiro.

A participação de acadêmicos no desenvolvimento das pesquisas também é uma meta importante,
que já vem sendo realizada. Os pesquisadores do GPEC orientam ou orientaram um total de 24
acadêmicos, todos realizando trabalhos de iniciação científica ou conclusão de curso diretamente
relacionados com algum projeto de pesquisa do grupo. Como resultado, os egressos dos cursos de
engenharia e computação da UCDB começam a ser aceitos em conceituados programas de pós-
graduação do país, como os da UNICAMP, USP, ITA e IME. Seria importante, no entanto, que
parte desses egressos pudessem continuar desenvolvendo seus trabalhos de iniciação científica e
conclusão de curso na própria UCDB. O terceiro pilar da proposta de implantação do Instituto
Tecnológico é justamente a criação, em 2008, de uma programa de pós-graduação, stricto sensu,
para absorver esses egressos, atrair novos pesquisadores e parceiros, e projetar a instituição no
cenário nacional e internacional (principalmente no âmbito da América Latina) do
desenvolvimento tecnológico.
Para que seja possível a aprovação de um mestrado, pela CAPES, é fundamental que todo o corpo
docente esteja produzindo ciência e tecnologia de maneira consistente e regular nos três anos que
antecedem a implantação do programa. É fundamental então que, pelo menos os doutores do
grupo, incluindo os atuais e os que venham a concluir sua capacitação, tenham condições
adequadas para desenvolvimento de pesquisa. Essas condições envolvem basicamente uma carga
horária máxima de 12 horas semanais em sala de aula (a princípio apenas na graduação, mas
posteriormente divididas também com a pós-graduação), e um complemento de 28 horas semanais
para pesquisa, que incluirão também as atividades de orientação (tanto na graduação quanto na
pós-graduação) e extensão. O grupo de pesquisadores se comprometerá a obter financiamento
externo para os investimentos em equipamentos e materiais de pesquisa ou então definir pesquisas
que possam ser realizadas com recursos existentes. No entanto, parte dos investimentos
relacionados com a publicação de artigos em eventos e periódicos deverão ser financiados pela
UCDB, ao menos nesta fase inicial, uma vez que a obtenção deste tipo de recurso, para grupos de
pesquisa em consolidação, ainda é extremamente difícil (a maioria dos editais governamentais não
aceita solicitação de recursos para financiamento de viagens para publicação de artigos).

A implantação do programa de mestrado no início de 2008 exige a submissão de uma carta-
proposta, à CAPES, por volta de julho de 2007. Nessa ocasião deveremos contar com 10 doutores
no núcleo do programa, 7 deles acabando de concluir o doutorado, 2 com doutorado obtido em
2005 e um com doutorado obtido em dezembro de 2003. Acreditamos ser importante a
contratação, no máximo até julho de 2006, de dois doutores com larga experiência em pesquisa e
produção bibliográfica compatível com os padrões da CAPES. Esses doutores deverão ter as
mesmas condições de pesquisa indicadas no parágrafo anterior. Além dos doutores do núcleo, o
programa contará também com a participação de professores visitantes das instituições com as
quais já mantemos convênio e doutores da UCDB que desenvolvem pesquisas nas áreas de
aplicação do programa, como agronegócio, saúde, educação e inclusão social.

Segue abaixo um cronograma dos principais eventos relacionados com a implantação do Instituto:

   Agosto de 2005: Dois professores do GPEC concluem o doutorado.
   Agosto de 2006: Dois doutores com experiência são contratados e integrados ao GPEC.
   Fevereiro de 2007: Sete professores do GPEC concluem o doutorado (um deles não recebe
    auxílio capacitação).
   Abril de 2007: Regimento do Instituto Tecnológico Dom Bosco é submetido ao CONSU.
   Junho de 2007: Instituto Tecnológico Dom Bosco é implantado (utilizando inicialmente a
    mesma infra-estrutura disponível para o GPEC).
   Julho de 2007: Carta proposta para programa de mestrado é submetida à CAPES.
   Novembro de 2007: Processo de seleção anual para o programa de mestrado é iniciado, com 20
    vagas.
   Janeiro de 2008: Um laboratório com 20 microcomputadores, para os alunos de mestrado, é
    instalado.
   Fevereiro de 2008: Programa de mestrado entre em funcionamento, com 12 doutores no
    núcleo.
   Novembro de 2008: Processo de seleção anual do mestrado abre mais 20 vagas, completando
    assim a capacidade prevista de 40 acadêmicos por ano.
   Janeiro de 2009: Laboratório do mestrado é ampliado com mais 20 microcomputadores.
   Novembro de 2010: Programa de mestrado em funcionamento é avaliado pela CAPES.




7. Previsão Orçamentária
7.1 Despesas no Período de Implantação (2005-2010)

O quadro abaixo mostra uma previsão de gastos para implantação e manutenção do Instituto
Tecnológico Dom Bosco, assumindo que os doutores receberão 28 horas/semana para
desenvolvimento de pesquisa, até a implantação do mestrado, e 32 horas/semana para pesquisa e
docência na pós-graduação (as 8 horas restantes serão complementadas com aulas na graduação).
O orçamento prevê também os gastos com 10 viagens nacionais e 5 internacionais, por ano, para
apresentação de artigos aceitos em eventos com classificação A ou B, no QUALIS. O
investimento na capacitação, que já está sendo realizado, também é contabilizado, bem como os
gastos com a implantação do laboratório de 40 máquinas para os futuros acadêmicos da pós-
graduação.

Estão previstas também 20 viagens nacionais, entre 2009 e 2010, para participação de membros
externos nas bancas de mestrado (um membro externo por banca). A previsão, até 2010, é que 40
acadêmicos defendam suas dissertações, mas para os 20 casos restantes, o membro externo deverá
estar residindo em Campo Grande. Isso ajudará a fomentar a colaboração regional, além de reduzir
custos.



   Ítem de dispêndio                             Valor Unitário   Quantidade         Valor Total
   Bolsas Capacitação (POLI-USP)                R$ 704.734,00              1    R$ 704.734,00
   Bolsas Capacitação (UNICAMP)                   R$ 1.393,00             36     R$ 50.148,00
   Total Capacitação:                                                           R$ 754.882,00
   1 Doutor (jan/2005 a dez/2007)                 R$ 4.557,00            36     R$ 164.052,00
   2 Doutores (ago/2005 a dez/2007)               R$ 4.557,00            58     R$ 264.306,00
   2 Doutores (ago/2006 a dez/2007)               R$ 4.557,00            34     R$ 154.938,00
   7 Doutores (fev/2007 a dez/2007)               R$ 4.557,00            84     R$ 382.788,00
   12 Doutores (jan/2008 a dez/2010)              R$ 5.208,00           432    R$ 2.249.856,00
   Encargos Sociais                             R$ 696.894,20             1     R$ 696.894,20
   Total Horas/Pesquisa:                                                       R$ 3.912.834,20
   Viagens para apresentação de artigos
   (nacionais)                                    R$ 1.500,00            60      R$ 90.000,00
   Viagens para apresentação de artigos
   (internacionais)                               R$ 4.000,00            30     R$ 120.000,00
   Viagens de membros para bancas do
   mestrado *                                     R$ 1.500,00            20      R$ 30.000,00
   Laboratório de Informática para o
   programa de mestrado.                          R$ 3.000,00            40     R$ 120.000,00
   Total Viagens e Laboratório:                                                 R$ 360.000,00
   TOTAL GERAL                                                                 R$ 5.027.716,20

   Informações complementares
   Horas por Semana antes do Mestrado:                      28
   Horas por Semana depois do Mestrado:                     32
   Valor da Hora/Pesquisa para Doutor:                R$ 31,00
   Semanas no mês (incluindo descanso rem.)               5,25
   Percentual para encargos sociais:                    21,67
   Total de viagens nacionais por ano::                     10
   Total de viagens internacionais por ano:                  5
7.2 Receita no Período de Implantação (2005-2010)

Para elaborar a previsão de receita até 2010, considerou-se basicamente quatro fontes:
 Mensalidade de acadêmicos da graduação: considerando que o instituto irá beneficiar
   diretamente as atividades de ensino, pesquisa e extensão, também em nível de graduação, prevê-
   se que 10% das despesas seja custeada pela graduação. Ressalta-se também que a própria
   aprovação dos cursos de graduação depende da produtividade dos pesquisadores vinculados ao
   grupo.
 Mensalidade de acadêmicos do mestrado: o programa deverá comportar um total de 40
   acadêmicos, que deverão concluir o mestrado em um período médio de dois anos. Serão
   selecionados anualmente apenas 20 acadêmicos, de forma que o total de 40 deverá ser atingido
   apenas a partir do segundo ano de funcionamento do programa. O valor da mensalidade deverá
   ficar em torno de R$ 1000,00.
 Projetos de extensão: o Instituto deverá promover uma série de atividades de extensão, incluindo
   cursos, consultorias e transferência de tecnologia.
 Royalties: a partir de 2008 os primeiros produtos desenvolvidos pelo Instituto, resultados de
   projetos de pesquisa, deverão estar entrando em fase de industrialização e comercialização.
   Entre os principais projetos em desenvolvimento, com boas perspectivas de geração de patentes,
   cita-se os projetos FONO, DTCOURO, TOPOLINO, INFOPISCI e DOMOTICA (ver anexo III).



   Ítem de Receita                                 Valor Unitário   Quantidade         Valor Total
   Acadêmicos da Graduação                      R$ 5.027.716,20        10,00%      R$ 502.771,62
   Acadêmicos do Mestrado                           R$ 1.000,00           1200   R$ 1.200.000,00
   Total Receita com Mensalidades:                                                R$ 1.702.771,62
   Cursos de Extensão                              R$ 1.200,00            100      R$ 120.000,00
   Consultoria                                     R$ 5.000,00             30      R$ 150.000,00
   Projetos de Transferência de Tecnologia        R$ 50.000,00             20    R$ 1.000.000,00
   Royalties                                         R$ 800,00           1000      R$ 800.000,00
   Total Receita com Projetos:                                                   R$ 2.070.000,00
   TOTAL GERAL                                                                    R$ 3.772.771,62
   TOTAL RECEITAS – DESPESAS                                                     -R$ 1.254.944,58

   Informações complementares
   Total de mensalidades “pagas” até 2010                   1200
   Total de alunos por curso de extensão:                     40
   Lucro líquido por aluno de extensão:                 R$ 30,00
   Total de cursos de extensão por ano:                       20

7.3 Despesa e Receita Anual, após Período de Implantação (a partir de 2011)
DESPESA                                      Valor Unitário    Quantidade          Valor Total
12 Doutores                                   R$ 5.208,00             144      R$ 749.952,00
Encargos Sociais                            R$ 162.514,60               1      R$ 162.514,60
Viagens para apresentação de artigos
(nacionais)                                    R$ 1.500,00            10        R$ 15.000,00
Viagens para apresentação de artigos
(internacionais)                               R$ 4.000,00             5        R$ 20.000,00
Viagens de membros para bancas do
mestrado                                       R$ 1.500,00            10       R$ 15.000,00
TOTAL GERAL                                                                    R$ 962.466,60




RECEITA                                       Valor Unitário   Quantidade           Valor Total
Acadêmicos da Graduação                      R$ 962.466,60        10,00%         R$ 96.246,66
Acadêmicos do Mestrado                         R$ 1.000,00            480       R$ 480.000,00
Total Receita com Mensalidades:                                                  R$ 576.246,66
Cursos de Extensão                             R$ 1.200,00             20        R$ 24.000,00
Consultoria                                    R$ 5.000,00             10        R$ 50.000,00
Projetos de Transferência de Tecnologia       R$ 50.000,00              5       R$ 250.000,00
Royalties                                        R$ 800,00            350       R$ 280.000,00
Total Receita com Projetos:                                                    R$ 604.000,00
TOTAL GERAL                                                                    R$ 1.180.246,66
TOTAL RECEITAS – DESPESAS                                                       R$ 217.780,06




                                   ANEXO I
                        Situação Atual do Corpo Docente

                                                                                    Doutorado
                                                                     Admissão
 Nome                                     Titulação                                 (Inclui
                                                                     na UCDB
                                                                                    Previsão)
 Alfredo Lanari De Aragão                 Mestre - ICMC/USP             2000            -
 Amaury Antonio De Castro Junior          Doutorando – EPUSP            2000           2006
 Danielle Ruchkys                         Doutorando – EPUSP            2003           2006
 Edson Antonio Batista                    Doutorando - UNESP            2005           2006
 Evelise Izumi Kawasaki                   Mestre – ITA                  2002            -
 Gedson Faria                             Doutorando – ICMC/USP         2005           2005
 Jeferson Pistori                         Doutorando – EPUSP            1995           2006
 Hemerson Pistori                         Doutor - EPUSP                1994           2003
 Leonardo Souza Silva                     Doutorando – EPUSP            1999           2006
 Luciano Gonda                            Doutorando – EPUSP            2001           2006
 Mauro Conti Pereira                      Doutorando - EPUSP            1995           2005
    Pedro Aurélio Bastos Pereira                   Mestrando - UFMS             2001         -
    Priscila Aparecida de Moraes                   Mestre – ICMC/USP            2004         -
    Priscila Silva Martins                         Mestre - UFSC                2004         -
    Ricardo Ribeiro Dos Santos                     Doutorando – IC/UNICAMP      2002        2006
    Wanderlei Mendes Ferreira                      Mestre – UFMS                2002         -




                                          ANEXO II
              Cursos Superiores em Engenharia e Computação
Curso                                      Nível         Instituição   Cidade Início do Média Anual
                                                                              Funcion. de Egressos
Ciência da Computação                      M             UFMS          CGR    1999
Engenharia Elétrica                        M             UFMS          CGR
Redes de Computadores                      E             UCDB          CGR
Engenharia de Website                      E             UFMS (DCT) CGR
Telecomunicações                           E             UFMS (DEL) CGR
Automação e Controle                       E             UFMS (DEL) CGR
Segurança em Tecnolologia da Informação    E             UNIDERP       CGR
Gestão em Sistemas de Informação           E             UNIDERP       CGR
Análise de Sistemas                        G             FESCG         CGR
Análise de Sistemas                        G             FIP           PON
Ciência da Computação                      G             FIP           PON
Matemática Aplicada e Computacional        G             UCDB          CGR
Sistemas de Informação                     G             UCDB          CGR    2002
Engenharia Mecatrônica                     G             UCDB          CGR    2003
Engenharia de Computação                   G             UCDB          CGR    1996     20
Sistemas de Informação                     G             UCDB          SGB    2002
Ciência da Computação                      G             UEMS          DOU
Análise de Sistemas                        G             UFMS          CGR    1996
Ciência da Computação                      G             UFMS          CGR    1987
Engenharia Elétrica                        G             UFMS          CGR
Análise de Sistemas                        G             UFMS          DOU
Ciência da Computação                      G             UNAES         CGR
Matemática com Ênfase em Computação        G             UNIDERP       CGR
Engenharia Elétrica                        G             UNIDERP       CGR
Ciência da Computação                      G             UNIDERP       CGR
Engenharia de Computação                   G             UNIDERP       CGR
Ciência da Computação                      G             UNIGRAN       DOU
Curso                                     Nível       Instituição   Cidade Início do Média Anual
                                                                           Funcion. de Egressos
Processamento de Dados                    GT          AEMS          TRES
Redes de Computadores                     GT          UCDB          CGR    2001
Desenvolvimento WEB                       GT          UCDB          CGR    2001
Processamento de Dados                    GT          UNIDERP       CGR
Redes de Computadores                     GT          UNIDERP       CGR
Processamento de Dados                    GT          FESCG         CGR



                                    ANEXO III
                 Situação Atual do Grupo de Pesquisa GPEC
1. Projetos em Desenvolvimento:

   SIGUS - Plataforma de Apoio ao Desenvolvimento de Sistemas para Inclusão Digital de Pessoas
    com Necessidades Especiais.

   INFOPISCI - Desenvolvimento de um Sistema de Informação para Auxiliar no Controle e Apoio
    à Tomada de Decisão da Cadeia Produtiva da Piscicultura do MS.

   TATO REMOTO - Substituição Sensorial para Auxílio à Mobilidade de Deficientes Visuais via
    Eletroestimulação Tátil e Processamento de Imagens.

   TOPOLINO - Sistema de Apoio à Análise Automática de Comportamento Animal em
    Laboratório.

   DTCOURO - Detecção Automática de Defeitos em Peles e Couros Bovinos.

   FONO - Processamento do sinal acústico para correção de distúrbios de fala.

   MICROCAM - Interfaceamento de sensor de imagem com processadores DSP e
    microcontroladores.

   ADAPTOOLS - Ambiente Integrado para Desenvolvimento de Autômatos Adaptativos.

   ROBOCUP - Desenvolvimento de tecnologias para formação de um time de futebol de robôs.

   CPU DIDATICA - CPU Didática com FPGAs e seu uso em cursos de engenharia.

   ACESSIBILIDADE - Estudo para viabilizar a acessibilidade em páginas web.

   SENSORES SEM FIO - Utilização de sensores sem fio para aplicação adequada de insumos em
    áreas de plantio.

   DOMOTICA - Implementação de um Sistema de Automação Residencial e Predial, utilizando
    ferramentas Abertas e Padronizadas.

   KITS - Desenvolvimento de kits didáticos de eletrônica.

   ADAPTBAYES - AdaptBayes - Rede Bayesiana Adaptativa Aplicada ao Diagnóstico Médico.
   CLUSTER - Estudo, integração e caracterização de um cluster de computadores visando o
    projeto e desenvolvimento de aplicações nas áreas de energia e geoprocessamento.

   HOUGH-CIRCLE - Desenvolvimento de um plug-in, para o pacote ImageJ, que implementa um
    algoritmo de detecção de circunferências utilizando transformadas de Hough.


2. Parceiros:

   Laboratório de Automação Agrícula da USP
   Laboratório de Linguagens e Tecnologias Adaptativas da USP
   Laboratório de Automação e Controle da USP
   Fundação Dorina Nowill
   Usina de Idéias
   Instituto Sulmatogrossense para Cegos (ISMAC)
   Universidade da Melhor Idade
   Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
   EMBRAPA Gado de Corte
   Curso de Fisioterapia da UCDB
   Curso de Fonoaudiologia da UCDB
   Departamento de Engenharia Elétrica (FEIS-UNESP)
   Centro Universitário da FEI
   Research Services Branch – National Institute of Health (NIH)

3. Acadêmicos de Iniciação Científica:

   Álvaro Roberto Silvestre Fialho (SIGUS)
   Ana Caroline dos Santos Silva (FONO)
   Breno de Paula Fernandes (SIGUS)
   Bruno Brandoli Machado (TOPOLINO)
   Daniel de Azevedo Scalabrini (DTCOURO)
   Denny Alexandre Tadao Sakakibara (DTCOURO)
   Denys Gonçalves dos Santos (ADAPTOOLS,CLUSTER,SIGUS)
   Eduardo Barbosa Moreira (MICROCAM)
   Edy Alberth Kamiya (TOPOLINO)
   Emerson Galves Moretto (SIGUS)
   Fábio Mamoré Conde (SIGUS)
   Felipe Zuffo (CLUSTER,ADAPTOOLS)
   Giuliana Milglioli (FONO)
   João Bosco Oliveira Monteiro (TOPOLINO)
   Jonathan Andrade Silva (TOPOLINO)
   Kleber Padovani de Souza (SIGUS)
   Lucélia de Araújo Ramirez (DTCOURO)
   Odenir Paula da Silva Junior (SIGUS)
   Ricardo Cezar Bonfim Rodrigues (MICROCAM)
   Roger Sedlacek Fibiger (SIGUS)
   Wagner Beloti Leal (DTCOURO)
   Wesley Nunes Goncalves (TOPOLINO)
   William Paraguassu Amorim (DTCOURO)
   William Pereira de Paula (CLUSTER)

4. Publicações nos últimos três anos:
   VITAL, P. R. P., SANTOS, R. R. Avaliação de Desempenho dos Componentes de Políticas de
    Escalonamento de Processos em Ambientes Distribuídos. V Workshop de Sistemas
    Computacionais de Alto Desempenho (WSCAD), Foz do Iguaçu, 27-30 Outubro, 2004.

   PEREIRA, M. C., KASSAB JR, F., CLIQUET JR, A., CUNHA, F. L. Estudo Comparativo dos
    Meios de Alimentação de uma Prótese Multifunção para Membros Superiores In: Congreso
    Iberdiscap 2004 - III Congresso IberoAmericano de Tecnologías de Apoyo para la Discapacidad,
    2004, San Jose, Costa Rica. v.1. p.2219 - 225, 2004.

   PEREIRA, M. C., KASSAB JR, F., CLIQUET JR, A. Substituição Sensorial para Auxílio à
    Mobilidade de Deficientes Visuais via Eletroestimulação Tátil In: Iberdiscap 2004 - III
    Congresso IberoAmericano de Tecnologías de Apoyo para la Discapacidad, 2004, San Jose, Cost
    Rica, v.1. p.21 - 26, 2004.

   PEREIRA, M. C., LEONARDI, F., GARCIA, C. Identificação de um Pêndulo Invertido e seu
    Uso Didático In: COBENGE - Congresso Brasileiro de ensino de engenharia, 2003, Rio de
    Janeiro, RJ, 2004.

   PISTORI, H., NETO, J. J. An Experiment on Handshape Sign Recognition using Adaptive
    Technology: Preliminary Results. XVII Brazilian Symposium on Artificial Intelligence -
    SBIA'04. São Luis, September 29 - October 1, 2004

   PISTORI, H., PEREIRA, M. C. Integração dos Ambientes Livres WEKA e ImageJ na
    Construção de Interfaces Guiadas por Sinais Visuais. Anais do V Workshop de Software Livre -
    WSL. Porto Alegre, 2-5 de Junho, 2004.

   SANTOS, R. R., RUCHKYS, D. P., ROMERO, M. E. R., GONDA, L., CASTRO JUNIOR, A.
    A. A New Implementation for Parallel Processing Based on CORBA Standard In: PDPTA'04 -
    The 2004 International Conference on Parallel and Distributed Processing Techniques and
    Applications, 2004, Las Vegas-Nevada-USA, 2004.

   ZUFFO, F., PISTORI, H. Tecnologia Adaptativa e Síntese de Voz: Primeiros Experimentos.
    Anais do V Workshop de Software Livre - WSL. Porto Alegre, , 2-5 de Junho, 2004.

   PISTORI, H., NETO, J. J. Decision Tree Induction using Adaptive FSA. CLEI Eletronic Journal.
    Volume 6, Number 1, December 2003 Special Issue of Best Papers presented at CLEI'2002.
    Montevideo, Uruguay. Guest Editor: Alfredo Viola.

   ALVES, C. E. R., CÁCERES, E. N., CASTRO JR., A. A., SONG, S. W., SZWARCFITER, J. L.
    Efficient Parallel Implementation of Transitive Closure of Digraphs. Lecture Notes in Computer
    Science. 10th European PVM/MPI: , v.2840, p.126 - 133, 2003.

   PISTORI, H., NETO, J. J. Utilização de Tecnologia Adaptativa na Detecção da Direção do
    Olhar. Spc Magazine. Lima, Peru: , v.2, n.2, 2003.

   PISTORI, H., NETO, J. J. A Free Software for the Development of Adaptive Automata In: IV
    International Forum on Free Software, 2003, Porto Alegre. Proceedings of the IV Workshop on
    Free Software - WSL. , 2003.

   RAMALHO, J. P., PEREIRA, M. C., ISSA, F. M. R., BRANDI, S. D. Uma Proposta para
    Comparação de Redes Neurais Artificiais In: SBAI - SImposio Brasileiro de Automação
    Inteligente, 2003, Bauru, SP. VI SBAI - 2003.
   RUCHKYS, D. P., Song, S. W. A Parallel Solution to Infer Genetic Network Architectures in
    Gene Expression Analysis. International Journal of High Performance Computing Applications.
    London: , v.17, p.163 - 172, 2003.

   SANTOS, R. R., CORTES, O. A. C., SANTANA, R. H. C., SANTANA, M. J. Design and
    Implementation of a Fuzzy Scheduling Policy Oriented to CPU-Bound Applications In: Journal
    of Computer Sciences and Technology, Buenos Aires. JCS&T. , 2003.

   SILVA, L. C. C., PEREIRA, M. C., HIRAKAWA, A. R. Proposta de um Sistema de Controle de
    Velocidade para Atuadores Pneumáticos Lineares In: 6º SBAI - Simposio Brasileiro de
    Automação Imnteligente, 2003, Bauru, SP.


   PISTORI, H., NETO, J. J. AdapTree - Proposta de um Algoritmo para Indução de Árvores de
    Decisão Baseado em Técnicas Adaptativas In: Conferência Latino Americana de Informática,
    2002, Montevideo.

   RUCHKYS, D. P., Song, S. W. A Parallel Hitting Set Algorithm for Gene Expression Analysis
    In: The 14th Symposium on Computer Architecture and High Performance Computing, 2002,
    Vitória.

   SANTOS, R. R., CORTES, O. A. C., SANTANA, M. J., SANTANA, R. H. C. Desenvolvimento
    de uma política de Escalonamento utilizando Lógica Nebulosa In: I WPerformance, 2002,
    Florianópolis. Anais do XXII Congresso da Sociedade Brasileira de Computação. , 2002.

   SANTOS, R. R., CORTES, O. A. C., SANTANA, M. J., SANTANA, R. H. C. Modelagem e
    Implementação de uma Política de Escalonamento Utilizando Lógica Nebulosa In: IV Workshop
    de Sistemas Distribuidos y Paralelismo, 2002, Copiapo.

   ZUFFO, F. A., SANTOS, R. R. Análise e Avaliação de Desempenho dos Mecanismos de
    Comunicação na Arquitetura CORBA In: XI Simpósio Internacional de Iniciação Científica da
    Universidade de São Paulo, 2003, São Carlos. XI Simpósio Internacional de Iniciação Científica
    da Universidade de São Paulo, 2003.

   ARAGÃO, A. L., ROSA, A. L. M. Ambiente Colaborativo Utilizando Realidade Virtual na
    WWW In: VI Simpósio de Realidade Virtual, 2003, Ribeirão Preto. Anais do VI Simpósio de
    Realidade Virtual. , 2003. v.1. p.407 - 407

   ARAGÃO, A. L., CARVALHO, A. C. P. L. F. Utilização do Aprendizado de Máquina para
    Adaptação de Ligações em Hipermídia Adaptativa In: WEBMIDIA 2003 - Simpósio Brasileiro
    de Sistemas Multimídia e Web, 2003, Salvador.

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:4
posted:3/31/2011
language:
pages:13