Docstoc

Cartas - Download as DOC

Document Sample
Cartas - Download as DOC Powered By Docstoc
					.

AMOR DA MINHA VIDA MEU QUERIDO E INESQUECÍVEL AMOR,

As coisas não estão indo muito bem, desde o dia que resolveste me deixar, o mundo acabou, nada mais tem significado. Passo meus dias vegetando,nem sei se estarei viva daqui a instantes.A dor da separação é insuportável.Já pedi aos céus,fiz simpatias,consultei especialistas em relacionamentos amorosos,tudo em vão,não puderam suavizar,reverter,aplacar essa necessidade que tenho de ti.Teu gosto não me sai da boca,teu suor mantém-se intacto no meu corpo.As lembranças que guardo de ti,são inúmeras,têm me dado forças e é por isso que ainda estou viva.Tremo só de pensar que nunca mais estaremos lado a lado.Tu me disseste que seria para sempre o nosso amor.Por que me enganaste?Acreditei e acredito em ti,volta,vamos recomeçar a vida é um eterno recomeço e cada momento é único, não podemos desperdiçar as oportunidades. Nunca tive um amor assim, tu és o primeiro, o, último, pois estou decidida a não deixar a chama se apagar. Meus olhos só vêem você,a tua ausência me deixou cega de paixão.Paixão incontrolável,perturbadora,tornando a minha volta surdos de tanto me ouvirem falar de ti,minha vida.O que eu te fiz?Agradeço por existires, o mundo é mais belo contigo nele. Por que não respondes as minhas cartas?Aceito todas as condições que me impuseres. O desespero tem sido um amigo perverso,pois tu já soubeste das loucuras que fiz.Loucuras de amor,pena as lágrimas que molham este papel não permanecerem para que saibas os rios que tenho deixado em torno de mim.As correntes não te assustam?Ah, amor, teu silêncio me tortura, quanta saudade sinto de tua voz, teus abraços e sonhos. Hoje tudo isso não passa de imagens holográficas.Tua foto já está desfigurada de tanto que tenho beijado.Nossa cama sente a falta do teu corpo.Durmo,quando consigo,agarrada em teu travesseiro.Teu cheiro nele me embala,só assim me sinto um pouco calma.Vem,que eu te faço forte. Minha alegria, a morte tem me convidado para estar com ela. Resisto em abraçá-la,apesar de saber que só ela poderá sufocar essa dor que teu

2

abandono me proporcionou.Talvez venha saber que eu tenha adormecido para sempre.Será tarde? Beijos na tua alma, C.S.A.
RESPOSTA AO AMOR DA MINHA VIDA MINHA...,

Suavizas ao chamar tuas ações de iminente insanidade. Quando amamos,colocamos inferno e paraíso no coração.A vida se torna um purgatório diante dos empecilhos oferecidos em um relacionamento.Sabes muito bem a razão do nosso rompimento.Longe de mim brincar com teus sentimentos.A submissão alegada por ti e tua suposta tolerância são frutos do delírio em que vives.Minha alma também chora por te deixar assim:sem rumo,presa aos devaneios.Aventura incerta?Não vos prometi nada, tivemos um envolvimento ardente, cada dia vivido ao teu lado foi lindo. A vida vive a passar,nossa união não tinha como resistir à realidade.Conheces meus passos,eles seguem de encontro a ti.Sou muito vigiado,nossas famílias não se suportam.Isto não é motivo para deixar-te em segundo plano,como dizes.Nem quero reviver enredos da ficção:Tristão e Isolda,Romeu e Julieta,Otelo e Desdêmona não podem ser usados como exemplos do que tivemos.Fomos maiores. Ah, como queria que a felicidade te abraçasse. Permita nascer um novo amor em ti.Não tenho palavras para confortar-te.Sempre falo pouco,escrever é mais difícil ainda.Sei do teu desejo.Mas,o que fazer?Teu sentimento por mim é lindo, tuas palavras são comoventes, sentidas. Deve haver alguém para retribuir-te o sentimento com a mesma intensidade.Não desanimes,tenhas fé. Tua iminente insanidade?Insana mente, mentes insanas. A mágoa reside em mim.Não te lembras?Que minhas palavras não te dêem esperança. Dizem-na ser a última a morrer.Pois bem,ela morre.Abandone-a.Chega.Escrever-me novamente só alimentaria a ilusão que se tornou nós dois.Não me tomes por insensível,esta carta é mais do que prova do respeito que tenho por ti. Um..., R.F.A.

3

AMOR DA MINHA VIDA II (A ALMA CHORA) MEU QUERIDO E INESQUECÍVEL AMOR, Continuas a brincar com meus sentimentos. Esquece-te a tolerância do segundo plano a que me resignei.Como pôdes te deixar levar por uma aventura incerta?Dizias que o paraíso residia em mim, era o teu chão e cobertor. Aceito a idéia de ser pisada por ti.Amor próprio?Meu amor não é meu, é teu, conformo-me com gratidão ao teu deslize. Perdôo,pois meu corpo,agora maltrapilho,denuncia o flagelo de minha alma.Minha rival deve suprir as falhas que um dia tive.Nunca me disseste nada sobre isso,vivo em função de ti. Sei que soubeste das investidas de alguns pretendentes e da forma como os recusei. Ciúmes nem ao menos demonstras,ah...tola,dizem,mas como sair dessa prisão tão doce?A liberdade, não a quero. Estar presa a ti é minha razão de viver.Deixe-me assim presa a ti.Mal consigo controlar a emoção quando escrevo,é nesse momento que a alma pára de chorar e sente a ínfima alegria.Como quero voltar a ser alegre!!!!!Sim, a tristeza abraçou-me e só tu podes libertar-me dela. Vem,vem,vem,vem...não me negues a felicidade.Tapa o ouvido a tantas infâmias a meu respeito.Longe de mim questionar teu silêncio.Tu me conheces,sabes de minha honra e não a resgata.Suplico uma atitude em meu favor.Peço que revivamos nossas caminhadas pelo parque,os passeios boêmios,as noites quentes embaixo dos lençóis. Os rumores de minha iminente insanidade não o comovem. Não sei mais o que fazer,a alma já está derramando lágrimas de sangue,dirão que sou exagerada(o amor me fez assim).Sabes que a alma não morre.Tenho dúvidas da imortalidade da minha.Meu corpo é sombra do que um dia fora.Medidas extremas assombram meus pensamentos.Sou perseguida pela ilusão,retire-a de mim,imploro-te.
4

Minha respiração entrego meu destino em tuas mãos... Beijos na tua alma, C.S.A

AMOR DA MINHA VIDA III (FÊNIX REVIGORADA) MEU QUERIDO E INESQUECÍVEL AMOR, A crueldade de tuas palavras foram avassaladoras. Esperava de ti a concretização de meus anseios. Apesar da intensa dor que senti ao devorar cada linha escrita por ti(sei que isso é raro),nelas vi que estás confuso.Se há mágoa,existe a possibilidade de reparação(o que mais quero).O abraço da felicidade que preciso faz morada em algumas expressões usadas em tua carta.Dentre elas,as minhas preferidas"nem quero reviver enredos da ficção","fomos maiores".Se não queres ficção é porque julgas nosso relacionamento uma realidade,assim penso.Usaste personagens que viveram o amor de forma extrema.As pessoas querem o sentimento como o deles.Dois casais admirados pela humanidade não tiveram maturidade para usufruírem da paixão que os movia.Lembro neste momento um poeta português"este inferno de amar/como eu amo".Ah,esse amor me consome,o inferno é doce. Usaste o subterfúgio da inimizade de nossas famílias. Cada um deve seguir seu próprio caminho,sigamos juntos o nosso.Não quero nenhum outro homem,apenas tu foste o eleito do meu coração.Soube que andas insatisfeito com a "outra",tua família a recebeu com bastante entusiasmo,agora já dizem que fizeste má escolha.Ouves a tua família?És filho obediente?(não me tomes por grosseira, tu bem sabes da minha candura, é que o amor também me deu espinhos, prefiro-os em mim, jamais em ti). Como a Fênix renasci das cinzas ao saber que existe a possibilidade do nosso reencontro. Nunca me afastei de ti,sinto-me revigorada.Até dei um jeito de substituir a foto que tinha Fui sim à cidade em que estás.Sem que me visses,tirei uma foto tua.A
5

ampliação que fiz dela toma a parede do nosso quarto,não me canso de beijá-la. Pressenti que seria precipitada em travar um diálogo nesse momento. Desculpa-me por não ter tido a coragem de te falar pessoalmente.Precisas tirar essa mágoa que tens de mim.Quero-o de peito puro para preenchê-lo definitivamente. Até a semana passada, uma pluma pesava mais que eu. A alegria faz efeito na alma e no corpo. Estou reformando nossa casa.Será um palácio quando voltares.Voltarás,não é mesmo?Tua aventura anda fazendo ameaças a mim. Tornei-me um fantasma na mente dela.Não a destrate por isso.Em outra oportunidade te escrevo um pouco mais sobre isso. Será que a partir de agora o meu mundo ficará colorido?As tintas estão em tuas mãos. Beijos ardentes na tua alma, C.S.A.

AMOR DA MINHA VIDA IV (AS RIVAIS) MEU QUERIDO E INESQUECÍVEL AMOR, Vivo em desespero ao saber que não gostaste nem um pouco de ter revelado a ti os transtornos causados a minha rival. Ela te envenena,os truques que usa são joguinhos de mulher ameaçada pela possibilidade de derrota(isso me alegra),mas o que fazer,se vida já não possuo?Não percebes minha alma te acompanhando?Cada brisa que toca em teu rosto é um beijo meu, o calor escaldante do sol é a intensidade do meu carinho por ti (não te refresque ao saber disso). Ó amado,as tintas que trouxeste agora amargam o meu mundo.Só cores sombrias tu mandaste. O cinza que vejo agora entorpece os meus sentidos, não pretendo de maneira nenhuma usar artifícios que depreciem minha rival, quero antes exaltá-la por ter deixado a chance de reaver-te em minha vida. Ninguém jamais irá amar como eu a ti,sem pretensões afirmo isso.Quem ama cegamente,sabe que seus olhos não lhe pertencem.Recebi uma carta dela e sei que o sofrimento a envolve,eu te mereço muito mais que ela,por ti suporto as dores do
6

mundo com imenso prazer.O que sou eu?Parafraseando Fernando Pessoa te respondo: não sou nada, nunca poderei ser nada, jamais quereria ser nada em tua presença, tu me preenches tire esse nada que é minha vida. Uma das frases escrita por ela diz"como ousas querer voltar a quem não te pertence mais?tua história com ele acabou,conforma-te,farei de tudo para que nunca o tenha de volta,se não ficar comigo,contigo é que não será,uma de nós morrerá.Sei que escreveria apenas uma frase,mas não me contive,tu precisas saber o grau de ameaça a que estamos submetidos por ela.Quem sou eu para condená-la,o amor favorece também a desatinos como esses.Tu bem sabes como me comporto,não a condenes,deve ter sido um momento de fúria.Quero-te conquistar por inteiro,já o fiz uma vez. Dizem que o amor e a guerra têm suas próprias leis.Compare o meu passado com o dela e verás o quão benéfica sou a ti.Ó que cores me atormentam,cinza,preto,roxo,marrom tireas de mim,suplico. Meu amado deixe que eu me entenda com ela, fique por enquanto sozinho (nem tanto, pois estarei em espírito ao teu lado, sou teu anjo que te guarda e quer tentá-lo). Está próximo o dia em que nossas vidas tomarão o mesmo rumo,sinto isso.Concordas?Cada rosto que vejo é o teu que enxergo, não é obsessão. Lembres dos momentos felizes que passamos.Nossa história é maior que todos os amores juntos.Farei com que sintas isso novamente. Beijos ardentes na tua alma, C.S.A.

AMOR DA MINHA VIDA V (O CÉU SE TINGE DE AZUL) MEU QUERIDO E INESQUECÍVEL AMOR, Hoje, pela primeira vez há tempos, acordei de um sono profundo como nunca mais tivera, só quando estávamos juntos é que conseguia dormir assim, tão tranquila. Vi que o tom rubro da manhã já não prenunciava cores dolorosas,uma pontinha de tom azulado começava a dominar a cor cinza que era minha vida.O céu veio em
7

minha defesa,os anjos que habitam nele,já rogam piedade,intercedendo em meu favor.Depois de uma batalha sangrenta,em que inúmeras palavras foram ditas entre mim e agora definitivamente minha ex-rival,consegui a paz tão esperada para poder dedicar-me à reconquista de teu amor,sei que estou próxima disso,porque ela não obteve nenhum auxílio teu nessa disputa.Chegamos as vias de fato e isso tu não admites,as pessoas para ti, devem convencer pela palavra e por atitude.Amei o cavalheirismo com que a trataste na despedida dela em tua vida. A taquicardia constante em mim entrou em fase de normalidade, será mesmo que me perdoarás?Que mulher não se sente feliz próximo da hora da chegada do amado?Nossa casa está completamente reformada, atrevi-me em por minha foto ao lado da tua na parede de nosso quarto. É um sinal de que desejo ardentemente nos ver unidos.Soube andas relendo minhas cartas.Como não sentir-me segura diante disso?Mas disseram-me que teu único motivo de fazer isso era para encontrar algum vestígio de sanidade em mim. Porque me consideras dessa forma?Sabes da minha luta em manter-me sã para assim tê-lo em meus braços novamente. É verdade que cometi absurdos por amor a ti.mas o amor é pura entrega e isso tu já sabes que já fiz a ti,sou corpo e alma tua.Posso até fazer pacto para consegui-lo de volta.Não vês o céu de um azul que começa a ganhar força nesse momento?Deus colocou esse tom por nós (não penses que estou usando o Santo Nome em vão, longe de mim, é que minha fé é capaz de mover montanhas, não foi isso que Ele disse: tenha fé? Pois estou exercendo meu livre arbítrio). Ó meu adorado, tu bem sabes o quanto te amo, nem as melhores comparações feitas por poetas poderiam expressar a intensidade do meu sentimento. Aos poucos teus amigos agem em minha defesa dizendo coisas como:"um amor assim não se desperdiça","quisera eu ter alguém que me ame assim",nos amamos,tu não podes negar,tua relutância em aceitar esse fato,só nos prejudica,pois poderemos aproveitar melhor a vida a dois e em seguida encher nosso lar de réplicas tuas.Carpe diem dizia o lema de uma geração,façamos o mesmo.Ah, como espero o momento de beijá-lo até que tua alma se sinta sufocada de prazer e ainda assim queira mais e mais e mas. Tenho até o resto de minha vida para fazê-lo
8

feliz, deixa acontecer, permita-te ser feliz, tu mereces, eu sou teu prêmio, depois de um dia cansativo de trabalho, em mim encontrarás forças para viver. Só de pensar em ti sinto-me revitalizada. Beijos extremamente ardentes em tua alma, C.S A.

AMOR DA MINHA VIDA VI (EM FRENTE AO PARAÍSO) MEU QUERIDO E INESQUECÍVEL AMOR, A felicidade, mesmo artificial, toma cada vez mais conta do meu ser, juntamente com a extrema ansiedade de ver nossa reconciliação concretizada. Recebeste essa carta acompanhada do teu vinho preferido. Não o abras ainda,espera-me.Só de saber que estás bem próximo de mim,a alegria é imensurável.Que bom que voltaste a cidade de tua infância e juventude!Manda chamar-me para dialogarmos. A rua da tua casa cansou-se de ser pisada por mim.A fachada dela perdeu a conta dos olhares chorosos dispensados a ela.Ah meu amor,rompe de mim essa angústia dilacerante.Não deixes o orgulho tomar conta de ti,minha vida. Tu bem sabes o que é estar perto do ser desejado e não poder tocá-lo, beijá-lo... Passaste por isso no início do nosso romance.Por ti abandonei o mundo,não te cobro,apenas quero recordar a mansidão desfrutada depois de inúmeros obstáculos superados.Revivamos,a recordação é um cais tranqüilo,mas a imagem obtida não supre os anseios do corpo.Esse cais sofre também as intempéries da memória e alguns monstros a assustam.És conhecedor disso.Por que vives a renunciar o bem mais precioso que ofereço: o amor incondicional,sublime,desejo de toda uma vida.Poucos têm o privilégio de dizer: fui amado,amei e a história humana não omitirá o registro do acontecido.Sejamos privilegiados. A hora final desse embate se aproxima?Que destino darás a minha vida?Ó meu amor, sofro tanto quando as interrogações percutem o coração em frangalho. Em frente ao paraíso estou agora e a porta dele está entreaberta.Convidar-me-ás para entrar?As mãos pus nele,
9

caso feche-o abruptamente perderei um dos recursos das carícias que terás. Queres isso?Como Dante descreveu em sua "Divina Comédia”, percorri as esferas das almas errantes. Conheci o inferno,o purgatório depois que partiste.Agora,diante do paraíso me vejo.Nele quero repousar o corpo e a alma.Acolha-me num abraço. Beijos incandescentes na tua alma, C.S.A.

AMOR DA MINHA VIDA VII (LÁGRIMAS DE ALEGRIA E ROSAS SEM ESPINHOS) A QUEM QUER VIVER UM GRANDE AMOR, Tu que nos acompanhaste e viste meu sofrimento para sair-me vencedora dessa batalha, terás uma certeza: o amor vence todas as barreiras que lhe aparecem, basta acreditar no sonho de ser feliz. Esta carta não é só minha,é tua também,pois de uma forma ou de outra te viste em minha pele ou na de meu adorado amor e ele estará presente no desenrolar dessa missiva,nossas mãos são apenas uma agora,as almas estão mescladas,tornando-se uma,mas saiba como a vitória aconteceu. À porta entreaberta do paraíso esboçou um chamado, no início abafado, pois minha ansiedade era imensa e a incerteza me dominava, ajoelhada estava tal qual uma fervorosa devota, mais e mais a voz se tornava nítida, não me contive de emoção e as lágrimas profundas e sentidas molharam meu peito convulso, tremia muito, disseste-me que o amor o havia libertado e prometemos torná-lo melhor do que já fora um dia. Muitos dizem que nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia,como se enganam, o amor pode ser melhorado.É uma flor que precisa de cuidados e regada todos os dias para que não seque e morra.Após me refazer da emoção decidimos escrever esta carta à quatro mãos.Ele (R.F.A. ) tem algo a dizer também. Oh meu amor, como fui vil em deixarme envolver por outra pessoa, não sou merecedor de tão grande
10

amor, ele é maior do que a minha vida. Pedir perdão é pouco,quero me redimir diante de ti e sei que a eternidade não será suficiente para isso,mas enquanto eu respirar e se a força Maior que habita os céus permitir nos unirmos,desejo seguir contigo além vida.Que fique bem claro:deverei ser o primeiro a partir dessa vida e tudo farei para tornar isso verdade.Cuidarei bem de ti.Não há nada no mundo que me impeça de estar contigo.Apague do coração as palavras cruéis que te escrevi,queimai a carta que registra isso.Prostrado ficarei diante de ti para todo o sempre. Não te martirizes meu bem amado, o amor é redenção e teu gesto é prova de que tua alma já está redimida, falemos e façamos coisas alegres, pois a tristeza perdeu seu reinado em nossas vidas, a paz é o que viveremos de agora por diante. O mundo se espelhará em nós e o amor brilhou mais uma vez,ele é vida e nos alimenta o corpo e a alma.Só de pensar em teus beijos,meu corpo queima e o espírito arde de prazer.Quem dera as pessoas sentissem um pouquinho do que estou vivendo,perceberiam a enormidade da nossa felicidade,mas torço para que vivam um grande amor e que não desistam se algum empecilho surgir.Seremos maiores do que todos os casais famosos que a história registrou. UM FURACÃO DE ESPERANÇA DE, C.S.A. e R.F.A. (unidos pelo amor e eternizados pela vida)

11

CARTA DE AMOR... Minha Luz Não é difícil escrever desse sentimento que me invade, tu sabes que sou de poucas palavras e a felicidade só tem sentido quando estou ao teu lado. Desde o momento em que entraste na minha vida,dissipou-se a escuridão e tu ris,às vezes quando te chamo de MINHA LUZ.É assim que te vejo,iluminando os caminhos por aonde passo.Como é gostoso sentir o toque de tuas mãos acariciando os meus cabelos,quase deliro de prazer quando dizes bem no meu ouvido "te amo,te amo...".Ah,essa tua voz rouca e adocicada,enche-me de prazer e para aumentar o meu êxtase completas com " mulher para sempre amada...".As amigas,poucas,ficam admiradas do nosso amor,como elas sonham em ter o mesmo.Sou felizarda por ter a honra de partilhar contigo tudo o que a vida oferece.Nem tudo nela é doce,mas o amargor fica desapercebido.Temos um ao outro e isso basta.Quanta alegria sentimos quando estamos juntos,o amor deve se personificar ao nos ver.Todo o meu futuro em ti é projetado,vejo que no futuro,seremos exemplos de família.Adoro acordar e te ver dormindo,velar teu sono é um privilégio e fico ainda mais feliz quando minhas mãos roçam teu rosto e sorris,oh que retrato de anjo ,digo comigo.Sei que também fazes o mesmo,finjo nem notar para não tirar o prazer que isso causa.Somos cúmplices em tudo e Amar é isso também .Uma carta de amor tem que conter o sentir de quem escreve e o desejo de amar infindo,nem sempre ela é cor-de-rosa,mas carrega em si um apelo ao coração da pessoa amada.O sonho que eu quis para mim,realizou-se,sou grata aos céus por ter tido essa sorte. Minha Luz, viver sem ti é um pleonasmo vicioso. Tu me completas em todos os sentidos.Da varanda da nossa casa te vejo seguir para a rotina do trabalho,meu coração te acompanha.O ritual é o mesmo todos os dias e como é gostosa essa sensação.

12

Essa carta é mais uma para tua coleção, sempre te surpreendo com esse mimo e aguardo com ansiedade o teu retorno do trabalho, pois sei que irás me abraçar e beijar loucamente como sempre fazes. Nosso amor não é fantasia,miragem ou ficção.Isso fica para os livros,filmes... . Sinta o perfume que nela deixo e como sabes nem sempre é o mesmo, sei que pensarás em mim como eu. Nossos olhares já dizem tudo,aqui te espero com o amor de costume,sempre renovado, PARA SEMPRE TUA. MULHER AMADA.

FELICIDADE: SÓ COM VOCÊ MINHA ADORADA BORBOLETA, O nervosismo não me deixa expressar claramente as idéias, cê sabe bem que eu fiz de tudo para ter o teu amor, magoei você, foi por medo de te perder, minha linda borboleta (só sendo uma borboleta pra transformar minha vida e que bom). Espero conseguir o seu perdão, não rejeite as muitas flores e bombons que lhe mando, que as flores perfumem o seu coração para purificar o odor desagradável que deixei nele e os bombons adocem o amargor que ficou depois do que eu te falei. Não retornes ao casulo minha doce borboletinha,quebre antes minhas asas para que eu não ouse(nem quero) fazer mal a você. O nosso amor é lindo tão lindo “como diz a canção que inicia essa frase”, nada pode ser mais lindo do que o nosso amor, desculpa usar de plágio, sei que queres que eu seja eu, mas sem você, sou poeira no mar, inútil, a vida é ruim sem você do meu lado. A felicidade só existe com você aqui,volta meu bem-querer,ah essas músicas românticas invadiram meu ser,não as ignoro mais,sem você vi a força delas. UM BEIJO, UM ABRAÇO E MILHÕES DE PEDIDOS DE PERDÃO DO SEMPRE TEU, AUGUSTO FRÓES (GUTO).

13

POR TODA A MINHA VIDA... . Ao meu princípio, meio e fim... Esta carta é um reconhecimento que faço antes que minha respiração acabe e eu não possa deixar meu legado à humanidade. Sei que minhas ações mostram o quanto sou devotado a você,minha querida amada,mas a necessidade de que todas as demonstrações se esgotem é gritante em mim.Não imaginas o prazer que me dá vê-la feliz quando te levo o café matinal.É assim que começo o meu dia,você bem sabe disso e às vezes deixo-lhe fazer o mesmo,pois desapontá-la seria magoar o que me é mais caro nesse mundo. Nossa união foi uma verdadeira aventura: éramos diferentes em tudo e a máxima dos opostos que se atraem encontrou um selo em nós. Nós personificamos essa máxima. Tudo graças à magia do amor que é a força que move o mundo e o sentimento cantado,falado, e escrito de diversas maneiras pelos amantes mundo à fora,sejam eles profissionais da palavra ou não.O que me guia pra lhe escrever é o mais puro sentimento.Dizem que pra falar de amor basta ser sincero e deixar o coração tomar a frente de tudo,pois é o que acontece agora.Nesse papel não caberia tudo o que sinto por você,as imagens e os floreios com as palavras não seriam suficientes pra nem chegar perto da nossa verdade.Não me tome como exagerado,o amor faz dessas coisas e você sabe como eu sou:te amo ao extremo e ainda é pouco.Acho que consigo até prever um esboço de sorriso seu ao ler essa carta.Instrui nossos filhos pra lhe darem ela quando eu fosse pro céu lhe aguardar,não suportaria ser o último e peço desculpa por ser o primeiro.Planejamos partir juntos,mas o destino quis assim. Calma amor aquieta o coração, daqui eu sofro também. Pense em todos os momentos felizes que passamos juntos,até nas pequenas tempestades que vencemos.Em todos eles o que nos deu certeza da alegria foi o nosso amor.Ele não
14

morre,eu carrego comigo e daqui sinto a intensidade do seu por mim.Cada casal tem sua história e nós temos a nossa,o nosso amor é eterno.No começo da carta,a saudação fez o seu coração bater mais forte,ela lembra a música que guiou nossas vidas.Sinto daqui você cantarolando mentalmente enquanto está lendo:"eu sei que vou te amar /por toda a minha vida eu vou te amar/desesperadamente eu vou te amar/e cada gesto meu será pra te dizer..."ah...quanta alegria essa música nos deu,espero que ela tenha aliviado a dor da minha ausência.Seja forte amor,tenha certeza que seu lugar junto a mim já está reservado.Não posso daqui enxugar suas lágrimas,é uma pena,mas no silêncio da noite se ouvires anjos cantando,saiba que fazem isso a pedido meu. Nem toda uma vida foi suficiente pra demonstrar meu amor por você, minha lágrima sela essa carta, do pra sempre seu: Anjo guardador.

TÃO PERTO, TÃO LONGE... MINHA ADORADA FLOR, Tenho me sentido dentro de um cubo de vidro ultimamente, sem poder tocar naquilo que mais desejo e amo, não sei o que aconteceu para me sentir assim, teu perfume ainda o sinto tão forte em mim. Estou diante de um jardim cuja flor que me desperta amor profundo é tu,minha adorada,quebra esse cubo,te amo tanto.É difícil estar preso e não poder fazer nada,o poder está em tuas mãos. Sonho vivermos juntos e mostrar a ti a intensa felicidade que é ser amada. uma oportunidade é o que peço.Já te dei inúmeras provas da minha eterna afeição e nem notaste.A amizade que temos é tão plena que fui tomado por algo além dela,não me culpes,nem me considere um aproveitador,tu bem sabes que eu não sou.Como mudar esse nível de relacionamento?Indiretas e diretas já te fiz, sei saberes. Por que desconversas?Nenhum homem vai te amar como eu, dou minha vida como garantia. Tê-la tão perto e não poder usufruir do amor que tenho para compartilhar contigo é uma tortura imensa. Lembro agora canções
15

que reforçam esse meu conflito"te ver e não te querer é improvável é impossível".No fundo eu sempre te amei,não quero morrer de sede tendo um copo d'água nas mãos,conduza-o à minha boca.Faze de mim o ser mais feliz desse mundo e verás a felicidade refletida em ti. Tão perto, tão longe é como me sinto diante de ti, a dúvida me dilacera o peito, não te esquives mais, sei que no aconchego do teu quarto relerás essa carta, prova do imensurável amor que devoto a ti. Quando dormires,deixe os anjos intercederem por mim e acordarás no paraíso. Um beijo do teu, ETERNO JARDINEIRO

TE ESQUECER, NÃO POSSO... Meu único amor, A vida tem sido difícil sem você, às coisas não podiam tomar o rumo que tomaram. Uma única frase ecoa em minha cabeça desde a última vez que nos vimos:"esqueça-me!".Como posso fazer tal insanidade comigo?Você bem sabe o quanto é grande o meu amor por você. À noite,quando caminho pela rua,os rostos que vejo são seus,assemelho-me um zumbi,estou completamente desfigurada,já nem sei quem sou sem você.Meus pés só caminham em sua direção,perdi a alegria de viver. Hoje acordei bem intranquila, o coração palpitante não me deixava dormir direito, só quem ama intensamente sabe como é ruim o fim de um amor,o nosso não terminou,demos uma pausa e essa pausa, assim considero (pra você... não, não, não, não quero nem pensar...). As pessoas acreditam que "dar um tempo" significa:vou me refazer dessa relação,ficar em "stand by",como é cruel essa expressão.Revendo nossas fotografias,a certeza do que sinto e do que sentes só me deu forças para suportar a sua breve ausência.Seu lindo sorriso só me ilumina cada vez que o vejo nelas.Um dia sermos três,lembra?
16

Essa pequena carta é pra lhe lembrar que nós somos melhores juntos, todos dizem isso e você sabe que é verdade. Ela está encharcada do perfume que uso e que lhe deixa excitado,se as letras estiverem borradas, releve. Vem,sua presença é aguardada.Volte para os braços abertos que um dia chamou de seu mundo e ele é só seu,você sabe da minha firmeza de caráter.Esquecer,verbo que não quero conjugar pra você,um amor assim não se esquece,ele é eternizado e enquanto vida eu tiver, todo esse sentimento será seu. Te esquecer, não posso. Minha vida,quando não está comigo,vejome numa escuridão assustadora. Pense em nós nesse momento e verás que o seu pedido não tem cabimento..."Te amo",poucas vezes lhe disse essa frase com o receio de torná-la banal,a força dela se dá pelas ações e provas que você já conhece bem.As pessoas não deviam gastá-la assim tão facilmente e é o que mais se vê.Durmo abraçada a sua camisa na esperança de materializá-lo em minha frente.Chega,é hora de nos volvermos ardentemente,tire-me desse inferno que é sua distância.Dê o braço a torcer,você me ama e nenhuma dúvida tenho disso. Com profundo amor, P.R.G.

A DESCOBERTA As coisas nem sempre acontecem como queremos, soube disso quando resolvi sair com os amigos para a inauguração de um shopping. Eles estavam animadíssimos, queriam conhecer garotas. Menos eu,não era a minha prioridade. Resolvemos sair todos juntos e o local de partida foi o metrô próximo às nossas casas. No horário marcado,estávamos
17

lá,brincávamos com tudo e todos.Algumas pessoas começaram a reclamar de nossas atitudes.Preferimos parar a sermos retirados pelo fiscal da estação. Enfim chegamos. O local estava lotado,mal se podia caminhar.Meus amigos foram direto à Lan-house.Quem não vai hoje em dia?Acompanhei-os. Havia jogos interessantíssimos,esperávamos computadores livres quando apareceu um rapaz que me chamou a atenção e não consegui tirar os olhos dele,meu coração acelerou,achei isso estranho.Ele veio em nossa direção e cumprimentou o Doca.Sempre o Doca,garoto atrevido,mas sua amizade estava acima desse ressentimento.Em seguida foi apresentado para nós.Seu nome era Ricardo,quando começou a falar fiquei encantado e o tambor que batia em meu peito fazia minhas pernas tremer.Notei que ele não estava indiferente a mim.Assim que houve uma oportunidade,sentou-se ao meu lado,segurou em uma das minhas mãos e sem que ninguém percebesse,disse-me"vamos".Começava ali minha primeira aventura amorosa.No princípio foi difícil todos aceitarem,ninguém imaginava,muito menos meus pais.Não dava pinta.Mas a partir empurrãozinho para descobrirmos quem realmente somos.Você não acha?

A FLOR DO JARDIM -Noooosssssaaaa!!!!Onde estou, não consigo me lembrar da última coisa que fiz e essa minha cabeça que não pára de latejar. Está tudo muito claro aqui,não vejo ninguém.Será que estou numa espécie de hospital? -Calma meu filho, logo você vai recuperar a memória, é assim mesmo com os iniciantes, por enquanto eu não estou autorizado a lhe dizer nada. A minha missão é proporcionar a você um bem-estar necessário para que suporte a jornada que terá daqui por diante. -Mas quem é você e o que eu estou fazendo aqui?Deram-me algum entorpecente pra conseguir me trazer até aqui?Por que não lembro de nada por mais que eu tente?
18

-Tudo ao seu tempo, menino, agora descanse um pouco que daqui a algumas horas você começará a saber do que lhe ocorreu. Indiferente a isso Madalena lamentava com seus familiares a perda de uma pessoa muito especial para ela. Como é que Deus levara alguém tão jovem,nele,ela esperava a realização do sonho da maioria das mulheres:casar e ser feliz com a pessoa que era tudo para ela.Suas lágrimas comoviam a todos,seu choro sentido dava dó a quem a visse daquele jeito.A morte tem um senso de humor muito grande e ela é democrática,todos um dia a conhecerão de diferentes maneiras,mas nunca da forma como se quer.Ela é de todos que estão vivos.Madalena queria conhecê-la, mas seus amigos estavam atentos a essa possibilidade e por isso a vigiavam de perto.Não deixariam que o encontro acontecesse. -Madalena, minha filha, é a vontade de Deus, fique calma, onde quer que ele esteja, e sei que com certeza está nos braços do Senhor, ele espera que você suporte a dor, ele não gostaria de lhe ver tão triste assim, lembre dos momentos felizes que viveram. Vem cá me abrace,chore,derrame as lágrimas que estão estancadas em seu peito,deixe-se tomar por essa dor que aos poucos você vai se acalmar.Agora fica em meus ombros. Dona Maria sabia bem o que era perder um grande amor. Seu marido já havia falecido há um bom tempo e ela ainda não tinha superado a perda,mas se acostumara com a ausência física dele.De vez em quando era pega de surpresa suspirando pelos cantos da casa e os filhos sabiam bem do que se tratava.Madalena lembrou-se disso e a abraçou fortemente.Nesse momento as duas pareciam uma só sentindo a mesma dor por pessoas que lhes eram muito importantes. -Mamãe tá na hora da gente ir pro velório do Augusto, o pai dele ligou dizendo que o corpo acabara de chegar. Vamos que estão chamando por nós. -Sim, meu filhinho, a tua irmã já está um pouco melhor. Tranque a casa e vamos. Nada seria como antes para Madalena, no caminho até os lugares pareciam diferentes para ela, parecia que solidarizavam com a dor dela. O céu estava nublado e era anúncio de chuva.UM flash-back passou na mente dela e uma pontinha de sorriso foi esboçado.Chegaram ao local do velório,eram muitas as pessoas
19

presentes,muitos eram amigos do amigo do amigo.Augusto era muito querido e sua partida era mais do que sentida por todos.A mãe dele estava inconsolável,o pai procurava manter-se firme.Seus olhos estavam muito vermelhos de tanto chorar. -Oh Rita minha amiga, a dor que está sentindo é imensa e você bem sabe que pode contar comigo nesse momento de dor. Mas me conta aí como foi que aconteceu uma tragédia dessa? AGUARDEM O PRÓXIMO EPISÓDIO, ESPERO QUE SINTAM EMOÇÃO E PRAZER AO LEREM ESSA HISTÓRIA QUE TEM MUITO A SE REVELAR.

A FLOR DO JARDIM (O ACIDENTE... parte 2 /a história começa) -Ah Maria, cê nem pode imaginar a dor que sinto. É ruim demais perder alguém que se ama,por que Deus não me levou primeiro? -Oh Rita, me corta o coração te ver assim, divida a tua dor comigo, os meninos me contaram como ele morreu, mas só o que ficou registrado foi isso, não conheço bem os detalhes, foi muito trágico. -Sabe Maria, ele havia saído pra despedida de solteiro com os amigos. Bem que meu coração dizia pra ele não ir,mas os jovens esquecem que os amamos e nossa preocupação não é à toa.Os amigos que estavam no carro junto com ele disseram que misturam bebidas variadas e um tal de energético,é pra dar um gás eles falam,acho isso besteira,mas o fato é que o Augusto estava muito bêbado e mesmo assim quis porque quis dirigir,ninguém conseguiu demovê-lo dessa loucura,por mais que tentassem,ele queria dirigir e foi fazer uma ultrapassagem e bateu de frente com um caminhão.Parece coisa do destino,o carro ficou completamente destruído e só ele morreu,os outros não tiveram nenhum arranhão ,fico feliz por isso.Mas por que Deus,por que Deus Tu tinhas que levar meu filho?Oh Senhor aplaque essa dor do meu peito, não gosto nem de contar todos os detalhes, dói demais amiga, o caixão terá que ficar fechado,quando lembro da imagem do meu filho no
20

IML fico sem chão,ele estava todo moído. Veja a foto que pusemos acima do caixão,era a que ele mais gostava e é assim que quero que vejam:um jovem bonito,com olhar expressivo,cheio de vida,o sonho de toda jovem.Oh,como deve estar sofrendo a tua filha,eles se amavam muito,o tempo todo falava nela,planejou toda a vida dele em função dela e sei que ela fez o mesmo.Será muito difícil para ela,ela vai precisar de muito apoio.Aaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii,eu não aguento meu Deus,aaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii,meus olhos não dão conta de tanta lágrima... -Tragam algum calmante para a Rita, ela está muito agitada, oh meu Deus me ajude a consolar a dor de uma mãe. Toma isso aqui você em instantes vai se sentir um pouco anestesiada,eu mesma já tomei alguns.Toma vai,toma,isso,agora vem cá,senta aqui comigo. Muitos que estavam no velório choravam intensamente toda vez que olhavam para o caixão. Era de madeira muito nobre,detalhes em alto relevo de anjos chorando,uma tinta imitava a cor do ouro,brilhava muito e dentro dele estava um rapaz que pouco da vida conheceu.Quando alguém morre é comum imaginar que sua alma foi para perto de Deus,lá todos tinham certeza disso. -Madalena, nós fizemos de tudo para que ele não dirigisse, mas você sabe como ele é quando empaca com alguma coisa, até briguei com ele, mas não teve jeito. a força dele era maior que nós três que estávamos com ele.Até agora não consigo compreender por que sobrevivemos,o acidente foi feio demais,o carro ficou todo amassado e os arranhões que tivemos são insignificantes. -Ninguém pode imaginar como estou me sentindo, a dor é insuportável, aaaaiiiiii, aaaaaiiiiiiiiiiii, aaaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii meu coração, Senhor me leva pra junto de meu amado. -Chora Mada,encosta a cabeça em meu ombro,chora,chora,chora, põe pra fora toda essa dor..... A casa era muito bonita, toda aparelhada com o que tem de mais moderno e o que mais chamava a atenção de quem a visitasse pela primeira vez era o jardim. Flores de todas as espécies e no meio dele um chafariz majestoso que quase se igualava a beleza do jardim.Augusto adorava as plantas que lá estavam,uma em especial fora plantada para presente de casamento.Era a grande surpresa que
21

ele havia preparado para Madalena.Estava muito animado em poder contar isso para ela.A flor é de uma beleza rara,ele sabia disso e o crescimento dela iria encher os olhos da amada.Ela a veria crescer e os dois confirmariam como o amor deles era raro também.Quem os visse ficaria encantado por tamanha demonstração de amor.O caso deles era único,as pessoas querem um amor como o deles. -Acorda meu jovem, daqui podemos sentir o quanto é amado e a dor de tua breve ausência só aumenta o tempo de privação que terás. -Quem é você, pelo amor de Deus?Por que me prendes aqui?Aaaaaiiiiiii, essa minha cabeça não pára de doer. Só consigo lembrar que bebi demais,briguei com os amigos por causa do carro e onde eles estão? -Aos poucos você se lembrará, os caminhos que traçamos somos nós mesmos quem escolhemos, ninguém força ninguém a nada, você teve o que merecia, todos temos... - Que conversa mais estranha é essa?Você por acaso é padre, pastor ou sei lá o quê? -Tenha paciência, tempo é o que mais terá. AGUARDEM O PRÓXIMO EPISÓDIO...

A FLOR DO JARDIM ( parte 3) Augusto,filho único de Rita e Leandro,desde criança mostrava um interesse incomum para a botânica,sua infância foi bem tranquila.Sempre dispôs do auxílio dos pais para tudo,os quais não mediam esforços para satisfazer seus desejos mais simples.Era amado com zelo e dedicação.Não compreendia,mesmo ainda criança por que uma dor funda no coração o afligia sem mais nem menos.Os pais diziam que era passageiro e que ele não deveria se preocupar.Os médicos disseram que sua saúde era fenomenal.Podia ser a necessidade de um irmãozinho.Bem que tentativas inumeráveis foram insuficientes nesse sentido.Rita não poderia mais engravidar,uma doença no útero tirou toda a esperança de dar
22

um irmão ao filho.Ela era a quinta filha de treze que os pais tiveram.Imaginou que teria alguns,mas nunca apenas um.Com o tempo se conformou,dedicou-se com afinco ao filho que Deus permitiu-lhe ter.Mimou-o demais,talvez essa devia ser sua maior falha como mãe.Augusto sentia-se como o dono do mundo,seu carisma envolvente disfarçava esse defeito que poucos notavam,os amigos relevavam seus tiques e manias.Não era agressivo,poucas vezes impôs pela força suas vontades.O pai o adorava,via nele os seus projetos de vida. O maior medo de Guto,como era chamado carinhosamente em casa,era não conseguir ser o que planejava para si desde que se entendia po0r gente.Na escola foi sempre o primeiro em tudo e isso o fez ser chamado de "Crânio".Todos os amigos pediam ajuda nas tarefas de casa,ele jamais se negou a ajudá-los.A aflição que ele sentia no peito aumentava a cada ano que passava .Os médicos diziam a mesma coisa que ele se acostumara a ouvir. -Seu filho não tem nenhum problema cardíaco,talvez sofra de ansiedade.Existe na família do pai ou da mãe algum histórico de problema do coração? -Não,pelo menos que nós saibamos,eu mesma já assuntei com todos os meus irmãos sobre o caso e nada descobrimos. Augusto às vezes tinha plena certeza de ter vivenciado alguns momentos que estavam se realizando,parecia que ele estava vivendo a mesma situação duas vezes.Isso o assustava muito.Imaginava que tinha vivido sob a forma de outras pessoas,pois algumas frases que dizia não tinha nenhum significado para ele,era como se alguém pronunciasse por ele.Um de seus amigos de colégio presenciou um episódio desses e pensou que ele ficara louco por tanto estudar,mas não revelou o que ouvira a ninguém em amizade que tinha pelo colega. -Onde estão os meus pais?É estranho que até agora eles não tenham ligado para o meu celu...hei cadê ele?Eu vou chamar a polícia,alguém tem que dar o paradeiro do meu celular. -Aqui você não precisa dele.Me responda o seguinte:você não sentia um aperto no coração desde pequeno? -Como é que você sabe disso?Ah,já sei,olhou o prontuário médico.Eu preciso telefonar para a minha noiva,ele mudou o meu jeito de ser,deve estar muito preocupada comigo.
23

-Onde você pensa que realmente está? Até o próximo episodio... A FLOR DO JARDIM (parte 4 ) Augusto não conseguia definir bem o local em que estava,para ele,ali era um espécie de hospital e o deixavam preso para não chocá-lo com a notícia de que seus companheiros de balada morreram e que somente ele havia sobrevivido.Imaginava que podia ser isso,mas não tinha certeza de nada e cada vez mais sentia que ficaria preso àquele espaço por tempo indeterminado.Ficou alguns segundos pensando na pergunta que lhe fez o senhor que o acompanha,para ele eram apenas segundos,mas... -Por favor me diga de verdade onde é que eu estou,não posso ficar distante da minha família,eles me amam muito e eu mais ainda,nunca fiquei tanto tempo sem me comunicar com eles,não quero deixá-los preocupados,me ajude,me ajude-me ,ajude... -Seus pais não podem fazer nada por você,o que eles puderam fazer já foi feito.Você tinha tudo para se tornar uma pessoa melhor,estava a caminho da perfeição e se deixou levar por sentimentos e atitudes que atrasaram a sua evolução.Você algum dia retornará aos seus,mas talvez não como imaginas.Aqui refletimos sobre os desígnios do Altíssimo.O Pai celestial deu-nos livre arbítrio para escolhermos nossos caminhos e nem sempre conseguimos por estarmos presos a necessidades mundanas.Sei que aos poucos a verdade lhe será revelada. -Não sei não,mas acho que lhe conheço de algum lugar,seu semblante não me é estranho,você tem o dom de me acalmar.Já vi outras pessoas aqui e sem que você percebesse tentei conversar com elas e não obtive nenhuma resposta delas.Elas estão esperando pelos familiares? -Aqui todos estão aguardando o próximo estágio de evolução,para que ela ocorra,muitas vidas devem ser vividas,a perfeição é obra do Santíssimo e todos que querem estar ao lado Dele passam pela evolução.O Pai é justo,Ele salva a todos e para isso temos que sabermos usar a liberdade que nos dá.Essas pessoas que você viu e
24

tentou conversar não descobriram o que lhes ocorreu,assim como você,e enquanto esse entendimento não chegar,as coisa parecerão confusas.Cada vez que se angustias pela ausência de seua familiares,aumenta o seu tempo de permanência aqui nessa sala,depois dela hà outras passagens que deves fazer.Como disse antes:tudo ao seu tempo e isso não nos falta aqui. -Será que...será que...será que...?Não isso não pode ser verdade...me diga você,será que...? O enterro de Augusto foi lembrado por muitos dias e esses se transformaram em semanas,meses.A dor de sua ausência era sentida pelos mais próximos a ele.A mãe dele cuidava com muito zelo do jardim que ele deixara para traz.A flor que ele havia plantado,germinara e não crescia muito,era estranho,pois todos sabiam que ela já deveria estar bem maior e mostrando sua grande beleza.Ela,a flor,era observada com muito carinho e cada vez que a viam,o choro erainevitável.O pai de Augusto começou a se entregar à bebida por não suportar tanto sofrimento,os esforços da esposa em consolá-lo de nada adiantavam.Com vício da bebida outros vieram. Até a próxima página.

A MULHER E O HOMEM

Todos os dias sai de casa no horário de sempre,às oito horas.Muito bem arrumada,comroupas elegantes,cabelos sedosos e brilhantes,uma pele desejável e um perfume irresistível.Seu trabalho requer simpatia,paciência,uma entrega resignada e acolher bem as pessoas faz parte daprofissão dela.No caminho,nenhuma novidade desperta-lhe interesse,segue tranquila.Vez ou outra um atrevido recebe uma resposta seca,dura,merecida.A vida continua,pensa.Ao chegar no local,a patroa,as colegas e os poucos homens esboçam sorrisos com a suapresença.Uma música agradável faz pano de fundo às conversas,o consumo dos produtos alegra ainda mais o ambiente.Gentilezas são trocadas algumas pessoas vão a um lugar mais reservado,pois já acertaram o preço depois de muita negociação.Um bom diálogo pode deixar ambas as
25

partes felizes.Um senhor de uns sessenta anos que há pouco entrara observando todo o movimento do recinto,senta-se à uma mesa.Seu olhar profundo,meigo,sério não passa despercebido e ao vêla,chama-a para perto de si.Não há recusa.Tem o dobro da idade dela,mas isso nunca foi impedimento.Trata-se de um negócio,uma forma de sustentar a família.Há outros meios pensarão alguns.Cada um agarra as oportunidades de acordo com suas próprias necessidades.Hipócritas,imagina.O homem conta de suas desventuras,da mulher que falecera há quinze anos,da solidão doendo no peito,dos filhos ingratos.Ela apenas escuta dando afagos carinhosos nele. Três garrafas de cerveja estão vazias sobre a mesa.Lembra dos atrevidos que a importunaram no caminho e assim como ele tem muito a lamentar,deseja estabilidade,o ofício a desgasta física e psicologicamente.Por que não...sussurra no ouvido do homem.Ele emudece,reflete sobre a proposta e com a convicção,a experiência oferecida pela vida sofrida disse ter pensado o mesmo.Ela,levantase,vai em direção da patroa,comunica-lhe a decisão tomada.Retorna ao seu companheiro,indo logo em seguida a um novo começo de vida.Muitas já foram felizes,por que não eu?sonha.Sonhar é bom,acreditar é melhor ainda.A patroa vê,sorri torcendo para ela.

A VERDADE NO ESPELHO:O CASO DA MODELO MARIANA BRIDE É incrível como as coisas acontecem no Brasil,claro que aqui não é o único lugar em que essa tragédia acontece.Mas,o país e o mundo ficaram chocados com a situação vivenciada pela modelo em questão.Todos ficaram perplexos,principalmente os mais próximos a ela.A situação vivida por ela e os familiares,ninguém quer ver acontecer com alguém querido ou mesmo um desconhecido.Todos já sabem a luta pela qual ela passou,porém o que muito não imaginam é que esse tipo de infecção ocasionada por bactérias de nome"pseudomona" e "estafilacocos" é comum nos hospitais do Brasil.Ela como vítima de um sistema de beleza regido por dietas e privações de toda a natureza pela qual uma modelo é submetida,foi apenas mais uma.Quem faz medicina,enfermagem ou cursos
26

relacionados a área médica sabe que existem muitas formas de ocorrer infecção hospitalar e isso acontece.Quem conhece agentes funerários sabe dos absurdos que ocorrem nos hospitais.Por exemplo:os profissionais da saúde como ao saírem de casa com o jaleco para trabalhar colocam a vida dos pacientes em risco e se voltam para casa com o jaleco colocam a própria família em risco.Essa não foi a causa da modelo ter sido infectada pela bactéria.A questão é que não há uma política intensiva de higienização para diminuir o risco,ele ocorre,mas não tão alarmante como o que acontece no Brasil.Digo isso por que o que se fala nos corredores dos hospitais sobre o descaso com a saúde pública é de conhecimento de todos.Aqui na região norte houve dezoito mortes em apenas uma semana ,essas mortes foram ocasionas pela mesma bactéria que vitimou a modelo.O caso é de conhecimento dos agentes funerários que ao emitirem o atestado de óbito sabem por que houve falência múltipla dos órgãos.Aqui,os pacientes tiveram que ser transferidos para um outro local,caso contrário,o número de mortos poderia ter sido muito maior.Muitos são os casos abafados.Existe sempre uma maneira de contornar a situação. Pobre modelo.mais uma dentre as tantas vítimas dessa bactéria.Acabar com ela é uma tarefa impossível,somos passíveis desse risco.O país está comovido com os detalhes noticiados pela imprensa.O poder público é vítima de uma situação que a acompanha há muito tempo,a população é vítima por sua omissão diante do que acontece.Talvez muitos assistiram a reportagem e quem sabe disseram"que pena era tão bonita e tão jovem,não podia morrer assim."Existe um adágio popular que diz o seguinte:"pimenta no c... dos outros é refresco.",Só damos a devida importância quando ocorre conosco ou com algum parente ou pessoa muito próxima e querida.A avidez por tragédia enfraqueceu a vontade de lutar por dias melhores,os poucos que lutam,vêem se inutilizados pelo sistema que massacra a população com entretenimentos que desviam a atenção para o que é mais importante: o direito a uma saúde de qualidade para todos.Se assim fosse as empresas particulares de saúde faliriam e não haveria necessidade de planos de saúde particulares,mas nós somos obrigados a providenciar um,isso que pode pagar.Quem não pode vive â mercê da benevolência do poder público.É claro que os
27

problemas do país não se restringe à saúde,mas isso é uma outra história. UM BREVE DESABAFO DE UM CIDADÃO!!!!!!!!

AMÉLIA Acorda antes de todos da casa.Sua resignação e conformismo religiosos não preocupam mais ninguém.Nascera assim ou o meio a transformara?Submissa como só ela,carinhosamente prepara o café da manhã,arruma a roupa do marido-dormirá o sono dos justos?- e dos filhos,chama-os com uma voz abafada,medrosa,hesitante.Seu temor assusta até o medo.Medo de quê?Nem ela sabe.Acostumarase talvez.Ao se levantarem,não a vêem,um móvel tem até mais valor.Olha,atenta,cada um alimentando-se do que preparara.O leite quente,o aroma do café,o pão com manteiga são devorados maquinalmente.Um "bom dia" amenizaria a frieza com que a tratam.Seu nome a persegue,culturalmente o destino se aninhou nessas mulheres.Pobre Amélia.Bem feito,debocharão as chovinistas.Difícil é ser ela,urubus. Todos saem para preencher as horas do dia com seus afazeres.O silêncio a agride sob a forma de um mosquito,ferrando-a.Sente-se pequena,as paredes a intimidam,fazendo-a perceber a realidade de sua rotina.Muito a fazer:lavar a roupa,limpar a casa,preparar o almoço,nada a exaure.Depara-se em frente ao espelho,não vê a mulher,o lar enterrou-a viva.Imagina que sem ela o mundo se acabaria.Como é bom o meu dia.Escolas foram criadas para perpetuar-lhe,outras querem imitá-la,chegarão a isso no máximo:uma pura imitação.Jogaram a forma fora quando lhe criaram.Homens,alguns a admiram,outros a abominam. Uma borboleta entra pela janela,o vôo circular a faz pensar em si.Como pude,,,?Pára menina,não cresça,muitos a querem assim,adormecida em berço esplêndido.Começa a lembrar o tempo que perdera,sua completa anulação para o mundo.Resgatá-lo não pode,mas vislumbra o mundo,as pessoas de uma outra forma.Dali por diante seria diferente.Sua capacidade de reação surge tal qual uma Tsunami,destruindo a prisão em que permanecera. Espera
28

ansiosamente o retorno do marido e dos filhos estirada no sofá,comendo pipoca e assistindo televisão.Eles vão ver,suspira.

CRÔNICA COMEMORATIVA Esta é mais que comemoração,é também uma homenagem ao grande Fernando Sabino,um dos mestres enquanto era estudante do ensino regular.Sem mais delongas,no parágrafo seguinte a crônica segue normalmente. Ufa!!!Até que enfim heim seu autor,agora é comigo,o narrador.Enquanto meu computador estiver na loja,espero que saia de lá o mais rapidamente possível,vou publicando meus textos-seus não,são meus-êpa deixe-me prosseguir,tudo bem- tá certo,indo à Lan Houses.Ao sair de uma delas,fico adiando o momento de escrever uma crônica comemorativa de um mês de existência no Recanto das Letras.A ansiedade me assusta,seria mais fácil se tivesse inspirado para presentear meus leitores com um enredo de tirar o fôlego.Pretendia tirar da vida diária algo significativo,essa sanha me faz perder o essencial.Não sou profissional no assunto,no ônibus lanço um olhar para os presentes,onde há os assuntos que merecem uma narrativa. Entra,então,uma jovem de pouco mais de vinte anos,com uma criança no colo.Carrega os apetrechos comuns às mães precavidas.Atrapalha-se diante do cobrador,por que não entrara pela outra porta?Senta-se ao meu lado,único banco disponível.A sua maneira humilde de falar e gestos contidos revelam uma educação exemplar e dignidade humana invejáveis.O bebê ao colo aparenta poucos dias de vida.Uma senhora à minha frente faz uma bateria de perguntas.Delas apuro que o menino está prestes a completar um mês de vida.Muitos dirão que isso foi premeditado,conveniente,circunstancial e outras expressões depreciativas.Nada me importa,quero mesmo é escrever algo substancial,que atinja a alma de meus leitores,se possível.Como aquele recém-nascido,sinto um estranho no ninho,um ser em aprendizagem contínua.Há excelentes escritores aqui,dignos de se exporem da forma tradicional,muitos já fazem isso.Eu quero apenas
29

gritar a vontade de libertar muitas almas presas em meu corpo.Cada vez que redijo,um pouco de mim aparece,pois esses seres se despedem.Embora queiram retornar,não os deixo.Reconheço não ser eficiente nessa batalha. Em meio a tantos pensamentos algo me faz voltar a si:o nenê se assusta com a freada da condução.Começa a chorar,a mãe tenta acalmá-lo,seus esforços parecem em vão,alguns intolerantes declaram seu incômodo diante da situação.Parto em defesa da jovem,a mulher treme,instintivamente a toco no ombro.Ela aproxima a criança para perto de mim.Digo alguma gracinha para ele.Segura em meu dedo,sinto-me domado.Quando um filho recém-nascido o segura com sua mãozinha,prende-o totalmente,sua alma fica ligada a ele.Essa pegada me faz solidário a ele e sinto uma força crescendo em mim,uma certeza de que não estou só.Assim eu gostaria que fosse minha crônica comemorativa:um gesto simples e profundo para partilhar com os leitores.

CUIDADO : CRIANÇAS!!! Ao sair para o trabalho,rezo para que nenhum acidente ocorra.Sei não ser fácil,pois eles acontecem,mas torcia para nunca estar envolvido em um.O trânsito sempre me preocupou,ainda mais agora.Dirijo muito tranquilo,não me importando com os outdoors espalhados em pontos estratégicos.No percurso,algo me chama a atenção,uma Van escolar era guiada de maneira imprudente.A pressa provoca desatinos em muitos motoristas.Numa fração de segundos,vidas correm perigo.Essa atitude do condutor do veículo já é uma outra história.O que chamou minha atenção foi uma frase nas laterais e fundo do carro "Cuidado:Crianças!!!",isso me fez refletir.Dela,os dois pontos encheram-me de dúvidas.Lemos e procuramos dar sentido.A primeira idéia que vem a nossa mente é se tratar de uma explicação ou justificativa para as palavras envolvidas.Será isso absoluto?Não existe outra(s) perspectiva(s) de analisar o caso? O senso comum nos leva a ficar por aí.Adoro crianças,algumas bem longe de mim,outras nem tanto.São barulhentas,cheias de vontade de conquistar o mundo num só
30

dia.Tenho filhos.Quem tem,sabe no dia a dia como é difícil proporcionar-lhes um crescimento saudável em todos os aspectos.Elas são o futuro da nação e outras coisas do gênero,poderão dizer os que me tomam por insensível.A questão aqui é aquela bendita pontuação no meio das palavras.Por que não prestava atenção às aulas da dona Ingrácia?Mulher severa,disciplinadora,só no olhar nos domava.Nunca fui excelente nessa matéria.Como ela me faz falta agora. A outra possibilidade de explicação que julgo pertinente ao caso é colocar os anjinhos em pólos extremos:ou estão em perigo ou podem nos causar muitos dissabores.Se são passíveis de sofrerem acidentes,o cuidado deve ser para que nada de ruim aconteça com as mesmas.Caso contrário,nós somos merecedores de cuidados e elas poderão desencadear terror a quem se aproximar.Há quem não fique com essas possibilidades,esses são iluminados,não têm dúvidas do que a frase expressa. Ia concentrado nas alternativas de entendimento de uma simples expressão,quando uma batida na lateral esquerda do meu carro fezme frear bruscamente.Logo agora que ia supor uma outra alternativa,não,não faça isso.Ligo para o chefe da repartição avisando do ocorrido.Hoje não iria trabalhar.O estrago foi grande,ainda bem que não houve dano físico(só emocional).Devia ter escrito na lateral do meu carro"Cuidado:Homem!!!",quem sabe assim a história seria outra.

DIÁLOGO ETERNO As estrelas e a lua iluminavam a cidade.Caminhávamos indiferentes a esse espetáculo natural.Ele não parava de falar de seus projetos pessoais:casa própria,família,emprego,faculdade e amor.Nesse momento meus olhos procuram os dele para perceber se representava esse sentimento.Dele depende os demais projetos.O amor é a base de tudo.Alguém nos interrompeu,um senhor nos perguntou se havia uma farmácia próximo dali.Após o deixarmos informados do que pedira,despediu-se comentando que formávamos um lindo casal,pois havia uma sintonia muito especial entre a gente e isso não era difícil de ser notado.Ainda bem que alguém falou
31

isso,estava demorando.Uma alegria tomou conta de mim,mas foi brutalmente cortada por uma gargalhada e um comentário de que aquele senhor só poderia mesmo procurar por uma farmácia.Desconversei.Por que os homens são assim?Distraídos ou fingem não saber que o amor está ao lado,nos pequenos e grandes gestos. A partir desse momento uma onda de insensibilidade e machismo afloraram nele.Colocou nós mulheres,como meras coadjuvantes da vida.Que absurdo!!!!Logo a gente que dificilmente deixa a autoestima deles ficar decepcionada.Sim.Fingimos descaradamente,quando precisamos é claro,orgasmo para satisfazêlos e não é tão difícil assim.Bobos,esses meninos.Depois põem a culpa na serpente.Eva estava certa.Sexo frágil?Balela,eles sim pseudo-machos nunca dão o braço a torcer,mas as coisas mudam,espero. Antes que os ânimos ficassem incontroláveis,roubei-lhe um beijo,deixando-o paralisado,para logo em seguida nossas bocas se tornarem uma só.Nossas carícias sugeriam que procurássemos um local adequado para tanto.Foi o que ouvimos.Nem ligamos.De repente,ele pára,dizendo não querer se aproveitar de mim.Quem se aproveitou de quem?Esses homens pensam que são "os reis da cocada".Houve retribuição na mesma medida e isso basta.Logo agora!Que pena! Já estávamos próximos de minha casa.Resolvemos(quer dizer,ele)não tocar mais no assunto.Os homens têm imensa dificuldade de se comprometer.Quando se trata de casamento alguns fogem como se vissem o diabo.Vi meu sonho esvair-se pelo tom das palavras dele.Uma pontinha de esperança nasceu ao sentir em minha testa um beijo suave,molhado,seguido de um afago no rosto.Ao caminhar em direção oposta,escutei um "essas mulheres" e um suspiro de reflexão.

HERÓIS DA VIDA INTEIRA Mamãe pediu-me para ir à mercearia da esquina.Fui sem reclamar,no caminho deparei-me com uma cena desagradável.Três garotos batiam violentamente em uma criança de uns quatro anos
32

de idade.Uma revolta muito grande tomou conta de mim,sem perceber,estava brigando com eles.Apanhei bastante,tomaram meu dinheiro,mas consegui diminuir a dor daquela criança.Mal teve tempo de agradecer,pois apareceram os pais dela e antes de leválo,convidaram-me para ir à casa deles. Moravam ao lado da mercearia,dissera que estaria lá assim que mamãe permitisse.Não iria sozinho.Um dia após esse episódio com o menino,todos da rua julgaram-me herói,fazia idéia do que essa palavra significava.Tinha os meus,dos quadrinhos ou não,mas ser assediado para relatar a mesma coisa tantas vezes,deixou-me a princípio deslumbrado e orgulhoso.Exageraram,sou imperfeito,tenho defeitos,quem não os têm?Imaginava como os heróis ou até mesmo os famosos se sentiam com a ausência da privacidade.Minha família resolvera fazer uma visita aos pais daquele menino,após tanta repercussão.Fui com eles. Era uma casa de um cômodo,chamei-a assim porque onde quer que moremos,seja do jeito que for honramos nosso lar.Havia poucas panelas e o perfume delas denunciava o uso de fogueira para cozinhar.Nenhum móvel,as roupas eram guardadas em uma caixa,a geladeira estava vazia.Tudo estava muito limpo.A mulher aparentava quarenta anos,talvez fosse menos,pois o sofrimento envelhece a pessoa.Não trabalhava,ficava cuidando dos quatro filhos.Fazia diária quando aparecia trabalho.O mais velho tinha doze anos,a mesma idade que a minha,o pai vivia da aposentadoria,sofrera um acidente na construção,desde então se arranjava como podia.Ofereceram um café coado momentos antes.Quanta grandeza naquela família,entregues à própria sorte nada podiam fazer.A nobreza dos gestos e palavras apagavam qualquer traço de humildade evidente.Com poucos recursos plantaram a semente da dignidade nos filhos.Estes tinham conhecimento dos heróis badalados,mas a figura dos pais suplantava qualquer um deles.Super-homem que nada,super eram eles.Pensei nos meus.Eles queriam ser alguém na vida,"istudem fios" era o que dizia repetidamente. Meu pai dissera-lhes que tamanha maldade não deveria ter acontecido.Apesar do estardalhaço proporcionado pelo meu gesto natural,serviu para consolidar a importância que se deve dar àqueles lutadores do cotidiano.Acordam cedo,pagam impostos,passam até
33

fome por nós.A grandeza do homem está em vencer as adversidades e nelas criar oportunidades de crescimento pessoal. Hoje nossas famílias são amigas,somos bem sucedidos profissionalmente,levamos uma vida bem confortável graças a eles que estão do nosso lado em momentos bons ou ruins,nossos heróis da vida inteira.

MEMÓRIAS DE UM MENOR INFRATOR

-Tá na hora de pegar o beco cumpadi,vai rolar o terror!!!!! -Nãããããããoooo!!!!!!! Quando nasci,minha presença foi insignificante na vida dos que me rodeavam.Eu fui um vacilo daquela que chamei de mãe por pouco tempo,pois o mundo seria a minha verdadeira mãe e me ensinaria a me defender das presas da vida.Tive uma primeira infância difícil,pois faltava tudo em casa,mas isso não é desculpa pro que mais tarde você vai saber.O fato é que morar na periferia é esperar por milagres,lá falta tudo mesmo.De vez em quando uma consciência pesa e vai por lá fazer uma caridade.É assim que me sentia e muitos dos meus chegados não sabiam o que fazer da vida.O lero-lero da família é bom mais nós queríamos muito mais do que eles podiam oferecer.Escola conheci por pouco tempo,mal sei ler e escrever só o que preciso pra não ser chamado de analfabeto.Uma vez ouvi dizer que aqui havia milhares de analfabetos-funcionais,nem sei o que isso quer dizer,deve ser uma nova categoria.Analfabeto total eu não sou,acho que me encaixo nessa aí. Estar num grupo é fazer o que a galera determina ou então você tá fora.Minha turma começou no colégio,a gente num tava nem aí pra estudar ,pois sabíamos que o futuro é a morte,sei que isso num cola muito,mas vida sacrificada tem seus momentos de desespero e numa dessas o cara abre geral e parte pro crime.Cada um tem sua istória e a minha não é diferente das que eu ouço por aí.Meu grupo fazia barbaridade na escola e quem dedurasse sabia das consequências.O mais violento era o Espinha,o cara num perdoava nem a mãe dele,surrava geral mesmo.Não sei como ficou forte fisicamente pois o rango comum da gente num dava pra
34

tanto.Acho que é a natureza de cada um.O Cebola era uma cara atrevido com as minas,forçava a barra e sempre pegava na marra mesmo e nós como tava junto partilhava da xota que ele traçava à força.Essas minas ficam dando mole e depois culpam a gente,qualé a delas?Eu,o Doutor,pois adorava fazer experiências com as pessoas.Fazia maldade só pra ver o cara fazer careta.A gente vivia de boa,pois menor tem seus direitos e os caras nos defendem mesmo.Não sou um criminoso,sou um menor infrator,é tanto direito que a gente aproveita e cai mesmo pra cima dos manés.Já fui algumas vezes detido nessas casas de menor infrator,meus camardas também batiam ponto lá.Quando a gente tava junto os grupos rivais evitavam se aproximar,éramos reis do pedaço. Esse lance de consciência não era a minha praia,as tias bem que tentavam,mas tavam por fora.Quem nasceu pra cavalo,nunca chega a cavaleiro,assim dizia um senhor que conheci num dos arroxos que fazíamos.De vez em quando a galera descia o morro em busca de arame pra comprar farinha.Cada um de nós tinha um berro maneiro.Já coloquei muita gente no inferno e sempre que podia encomendava mais almas para o capeta.Matar é bom demais,num acontece nada com a gente e nós sabemos das leis do menor e nem chegamos perto dos caras que fazem essas leis,eles são os nossos protetores e protetores a gente protege num deixando nada acontecer com eles nem com a família deles.Vivas a esses caras.Facilitaram nossas vidas.Às vezes é bom te um cantinho pra dormir e o lar do menor serve pra isso,esse papo de reeducar é conversa pra boi dormir.Só se for pra criminalidade,lá é nossa faculdade do crime,fiquei sabendo de mais paradas lá dentro do que fora,de vez em quando tem uma rebeliãozinha,mas fazer o quê o bicho homem adora poder e que quer poder tem que brigar pra valer.Um amigo do Espinha que tinha mais de vinte anos,caiu na sinuca dos vermes e foi pro presídio,ele disse que lá a gente faz é doutorado no crime. A luz no fim do túnel,comecei a ver quando a gente se armou pra assaltar um banco,eu com treze anos tinha muita história de crime nas costas,era um bebê em relação ao Cebola e ao Espinha.O lance tinha a colaboração de um funcionário que foi forçado a fazer isso,a gente tava com a mulher e a filha de doze anos,a mulher nós traçamos e iríamos partir pra filha se ele não colaborasse,foi
35

moleza.Foi nessa parada que a luz não parava de piscar,a gente contou com mais quatro pra que tudo desse certo.O alarme foi desativado e pegamos o quanto podíamos carregar,era muita grana,haja liga pra tanto.Foi aí que o negócio começou a melar,os convidados pra ajudar a gente na parada,tiveram a idéia de ganhar em cima da gente.Sujou geral,na partilha da grana o desentendimento começou,eles queriam mais do foi combinado e combinado num sai caro.O Espinha,levou três na cara,o Cebola levou dois com ele e eu fechei os olhos e num vi mais nada.Agora fico nessa de reviver cada passo de minha longa-curta vida.A vida é assim mesmo às vezes a gente ganha e às vezes perde,pois é perdi feio.

MENARCA Era início de março,tinha dez anos.Sei que isso marca a vida de em pessoa.Dias antes,minha mãe reclamava de meu mau-humor e da minha falta de paciência com o Neco,meu irmão.Nós sempre brigávamos,coisas de irmãos,mas já estava passando do limite,segundo minha mãe.Nem ligávamos para o que ela dizia.Fizemos um armistício,só hoje sei o que é isso.Como prêmio mamãe deixou ir à casa de minha prima. Fui à casa dela brincar de boneca e outras coisa de menina que menino não pode saber.A mãe dela recebeu-me com aquele sorriso nos lábios. -Filha sua amigona tá aqui,pode entrar querida. Corri ao quarto de Manuela e lá ficamos até a hora do almoço falando da briga entre as patricinhas da escola.Quando a mãe dela nos chamou para almoçar,tudo parecia normal.Foi então que senti um líquido escorrendo nas minhas pernas.Fiquei assustada,pois não derramara nada da mesa.Dona Augusta,ao me ver apreensiva chamou-me para conversar e quando me viu em pé percebeu logo.Sem que Manu notasse o real problema ela levou-me ao banheiro,pediu para que não ficasse preocupada e o que estava acontecendo comigo era normal para todas as mulheres.A princípio não sabia como lidar com a situação.Ela explicou-me tudinho ,em seguida ligou para a minha mãe que imediatamente veio me buscar.Só disse para a

36

Manuela que depois eu ligava para ela.Dei um abraço bem forte e acompanhei minha mãe. À noite,mamãe conversou com papai assim que ele chegou do trabalho sobre minha nova condição.Ele deu um suspiro,não sei se de alegria ou preocupação.O fato é que no começo me achava diferente e pensava que todos sabiam o que ocorria comigo periodicamente.As meninas da escola ficaram com inveja.

O BEBÊ NO ARMÁRIO Fiquei muito feliz quando ocorreu minha concepção,considero-me um presente de Deus.A partir desse dia comecei a perceber as pessoas em volta de mamãe.Sempre disseram que é querida na cidade pequena em que morava.Mulher dedicada,estudiosa.Respeito,uma palavra mais que adequada para ela.Bem jovem,estudou em uma universidade de uma das maiores cidades do mundo.Muito expansiva,conquistava amizades muito rapidamente.Cursou...foi uma das melhores alunas da faculdade.Tinha muitos sonhos,um deles aprender inglês,para isso conseguiu viajar para os Estados Unidos.País com enorme potencial econômico e parada daqueles que querem ganhar mais dinheiro,ajudando assim os que ficam. Ao chegar a América,pensava conquistá-la.Todos querem isso,ficam deslumbrados com tamanha oportunidades oferecidas.Conseguiu um emprego como baby-sister de uma família acolhedora,receptiva e amorosa. Algumas amigas dela tinham ido com o mesmo objetivo,nesse grupo estava o namorado.Mamãe passou a comer demais,difícil resistir à gula diante de tantas tentações gastronômicas.Os filhos dessa família a amavam muito,como não poderiam?A gentileza,carinho,prestatividade eram avidentes nela. Em uma das folgas,saiu com as amigas e o namorado.É nesse momento que efetivamente surjo.Não sei por que ninguém foi comunicado que estava dentro dela?Vivia feliz esperando o momento de aparecer para o mundo.Ser amamentado,receber carinho da família,ouvir papai contando historinhas para formar minha personalidade eram anseios duvidosos.Percebi que mamãe
37

estava muito tensa ultimamente e não celebrarem minha existência era de se estranhar.Será que as pessoas ignoram o filho no ventre?Meu pai sabia de mim?Enquanto fazia inúmeras reflexões,ela continuava a rotina normalmente.Ei mãe,estou aqui fala comigo,não me deixe assim... Quando tudo parecia tranquilo do lado de fora,ouço-a fazendo uma oração sentida,comovente.Uma frase fez-me estremecer"perdoe-me filhinho,é a única saída" calma,não há o que perdoar conversa mais,em seguida tomou alguns comprimidos.Deviam ser potentes,pois não era de eu nascer.Ela se manteve em silêncio o tempo todo.Como pôde se a dor era dilacerante em mim?Não tive como me defender,nem esboçar um choro pude.Enrolou-me em um lençol,ainda respirava bem fraquinho,colocou-me em um armário,retornando para a cama logo em seguida.Nesse momento,o menorzinho da casa entra,vê o quarto sujo de sangue,sai gritando em busca da mãe dele.Tentei pedir ajuda,ela ficou sem reação,desesperada diante disso.Será o fim dos sonhos dela?Os meus com certeza,pois quando o pai das crianças entrou,pensara ser o meu,sem que ele pudesse ouvir disselhe"te amo papai,fique com Deus",não ouvi resposta,mas senti um afeto intenso,reconfortante.Anjinhos na mesma condição que eu,chamavam-me para brincar.Papai do céu está triste,imaginando até quando e de quantas maneiras mais crianças serão levadas até Ele dessa forma. Para mim, resta-me fantasiar a infância, a adolescência e a vida adulta que nunca terei. Oro por mamãe,sempre a amarei,o amor liberta a alma.

O BEIJO

Havia uma garota na rua onde morava que sempre me chamava a atenção. Não sei quando comecei a observá-la,mas tudo o que ela fazia era motivo de alegria e ficava horas suspirando.Não era paixão,amor ou vontade de "ficar",os putros é que pensavam nisso.Eu tinha apenas admiração por aquela menina.Até que,um dia,quando saí para jogar bola em um terreno baldio perto de casa,ela apareceu e ficou olhando a partida.Era a única menina
38

presente e ao final do jogo veio em minha direção dizendo que sabia o que eu fazia.Meus amigos logo caçoaram"ele tá namorando" era a frase mais falada.Nunca havia trocado uma só palavra com ela.Aproximou-se do meu ouvido e deu-me um beijo suave,molhado,sentido e isso de certa forma afetou minha vida a partir daí.Jamais uma garota havia me beijado.Era o primeiro(isso afeta as pessoas ,seja beijo,amor,primeira transa...)e apesar de não pretender nada com ela,meus sentimentos mudaram.Não conseguia pensar em mais nada e tudo que fazia girava em torno dela.Só respirava a menina que conquistou meu amor através de um gesto aparentemente tão banal.A mudança que ocorreu comigo foi tão grande que todos perceberam.Pensava pedi-la em namoro,mas não sabia como.Finalmente,enchi-me de entusiasmo e fui conversar com ela.Quanta coragem ,dirão alguns.ele é tão jovem e isso é difícil.Parece que ela sabia o que eu ia perguntar,essas mulheres que seria de nós sem elas,o sexto sentido nelas é infalível.Antes que dissesse qualquer palavra,ela se antecipou dizendo que fora apenas um beijo,uma forma de gratidão ao carinho que eu nutria por ela.Torcia para que fosse feliz em minha vida e também me observava.O beijo que levei ainda o sinto em meu rosto,apesar de ter agora uma vasta experiência sobre o assunto.

O GÊNIO CHAMADO CARTOLA

A genialidade não escolhe classe social, ela é inerente ao ser humano. A vida parece querer ensinar-nos uma lição de simplicidade.Somos teimosos,ser simples com naturalidade não é tão fácil.O encanto que enche as nossas almas está na simplicidade e genialidade desse poeta da vida.Sua vida é comum a maioria dos brasileiros,de origem humilde,sobrevivia como podia e graças a sua perseverança temos inúmeras canções imortalizadas pelo talento desse personagem.Não foi difícil os grandes poetas e compositores de sua época reconhecerem a beleza de seu trabalho.No morro fez sua escola e uma das mais tradicionais agremiações do samba o tem como fundador,seus belos enredos ainda são e serão motivo de embevecimento. Ah, Mangueira tua grandeza está enraizada na
39

figura desse ícone do samba. Como não reverenciar também dona Zica que junto com Cartola a tornaram grande?Mas o motivo de agora não é tu ó Verde e Rosa de emoções, tu foste a vida dele e separá-los seria uma heresia. De ti também guardo admiração. As dores e amores do nosso artista ímpar estão representadas em suas composições, mal sabia que uma multidão também sentia e ainda sente o mesmo, como diz uma delas em homenagem a ti a parafrasearei "nós exalamos o perfume que roubamos de tuas palavras”, tu tocaste fundo em nossos corações. Quem te visse passar pelas ruas agora, não saberia tratar-se de um anjo que nos reconforta com as palavras. Estamos cada vez mais escravizados pelas aparências que esquecemos a essência do ser e isso é intransferível,tua essência permeia a nossa vida.Dizê-lo grande é poder usufruir dela e tornar nosso dia mais belo.Não ,não anuncio a hora da partida,pois cada vez que ouvimos suas canções mais cresce em nós o desejo de ouvi-lo mais,afinal tu és fonte inesgotável de inspiração.

O HOMEM DO ESPELHO Acordei com o coração apertado, havia algo que não pude perceber de imediato. Fui ao banheiro iniciar minhas ablução e deparei-me com um estranho no espelho.O susto foi tão grande que nem sei quanto tempo me detive.A eternidade seria uma suavização.Por que as pessoas não se olham?Que mal isso pode proporcionar?Percebi que perdi muito tempo sem me ver, não notei as transformações que ocorriam a minha volta. O trabalho,a família,os amigos consomem nossa vida e o homem do espelho olhava-me friamente,tinha um ar cansado,os cabelos grisalhos e as rugas estavam bem destacadas,sua pele queimada pelo sol da rotina já não tinha a mesma rigidez de outrora.Perdido em meus pensamentos,ouço a mulher e as crianças chamando-me para tomar café. Ao entrar na cozinha me senti estranho, todos agiam como de costume, mas meu olhar num misto de tristeza e alegria, admiravase com o que via. Como pude perder essa metamorfose,tão natural,absoluta e invencível?Minha família estava ali e meu pensamento era aproveitar cada segundo com ela. A Aninha,minha
40

filha mais nova,contava as peripécias dos coleguinhas na creche e de como se sentia feliz lá.Lembrei-me que adorava esse período,as conversas com papai...mamãe estava sempre ocupada,mas nada a impedia de dar atenção e carinho aos filhos.Como fui feliz.O Augusto,o meu filho mais velho,mantivera-se calado o tempo todo.O que estaria acontecendo com ele?Como não pude participar de momentos importantes na vida dele?Ah, o dinheiro, ruim com ele, pior sem. Somos escravos de nossas necessidades de sobrevivência. -Papai, tá na hora, me leva pra creche. Rapidamente tomei meu café, de forma maquinal peguei as chaves do carro, beijei minha esposa e fomos dar continuidade à rotina. Após deixar Aninha na creche,percebi que Augusto me olhava de um modo diferente. -Cê tá mudado, pai. Fiquei muito feliz de ele ter puxado conversa comigo, mas não soube explicar-lhe em que havia mudado. Também me sentia diferente.Os amigos do trabalho se assustaram ao me ver.Seria alguma conspiração?Todos com quem falei só diziam a mesma coisa. Ao ajeitar a gravata notei que minhas mãos estavam ficando transparentes.Corri ao banheiro da firma e subitamente me confronto novamente com o espelho.O homem do espelho com o olhar firme e arrebatador disse-me"desperdiçaste tua vida,ficarás para sempre no espelho".De repente,vi-me dentro do espelho e desesperadamente tentei sair.Como pude não aproveitar a vida e não me adaptar com as mudanças?Será que alguém está fazendo o mesmo?Não sei.

O JOGO Não conseguia ouvir o que o amigo sentado ao lado lhe dizia, estava tão concentrado nas palavras do técnico do seu time. As pessoas a sua volta reagiam de diferentes maneiras ao que lhes era dito.Para ele,o mundo havia parado,seu futuro dependia de um resultado positivo,a sobrevivência de sua família era o único pensamento em sua mente.Tinha medo de não conseguir e seu
41

sucesso dependia também dos seus companheiros de clube.Ninguém sabia o que estava acontecendo.O sorriso de seus pais,o olhar dos filhos e o abraço apertado de sua esposa davam-lhe ânimo.Temia perder tudo isso e com calma olhou novamente para cada um de seus amigos,procurando com isso sinalizar um pedido de socorro. A palestra encerrou e todos foram para o campo. Ao subir as escadas uma lágrima escorreu no seu rosto,para muitos uma reação natural,pois era a grande decisão e ninguém sabia o que lhe pediram antes do jogo.Sua equipe deveria perder e ele seria o responsável por isso permitindo que os atacantes fizessem os gols.Caso contrário todos da família seriam mortos e não podia revelar isso a ninguém. A partida começa e o frio na barriga aumenta a cada instante e o seu drama se intensifica quando vê a péssima qualidade do time adversário. Aos vinte minutos do primeiro tempo a contusão,deverá ser substituído.Esbraveja, teima em continuar em campo,mas a decisão fora tomada pelo técnico.Desespera-se,olha para a arquibancada e vê um homem de boné esboçando um sorriso maldoso.Seu coração não suporta e sofre um ataque cardíaco fulminante.Todos os jogadores e a torcida mostram profunda preocupação.O homem de boné abaixa a cabeça,liga para alguém e sai do estádio envergonhado.

O JUÍZO FINAL. Vivia tranqüilo, ciente de que o fim chegaria para todos e que a morte era algo inevitável. Muitas teorias sabia sobre o assunto.Sempre fora um excelente aluno,uma excelente pessoa e jamais imaginara que o que era contado em filmes,livros sobre o juízo final estava prestes a acontecer e que ele teria um papel decisivo nessa história.Acordou como de costume:apressado para ir ao trabalho,mal teve tempo de tomar o café e fez com que os filhos saíssem sem o desjejum importante para o crescimento delas.Vivia correndo,não dava a devida atenção a sua família,mal se viam,conversavam,nem um gesto de carinho existia entre eles e isso era muito natural para todos,haviam se acostumado com essa situação. Deixou os filhos na escola e foi direto para o ponto onde
42

vendia seus produtos pirateados. Dizia-se autônomo ou vendedor ambulante e na sua profissão conhecia toda sorte de pessoas.Agia sempre com cortesia,força do hábito.Em casa a mulher reclamava da falta de diálogo e da brutalidade com que era tratada e ele nunca mudava seu jeito de ser.Nesse dia as coisas seriam diferentes e tudo estava escrito para acontecer.Sabia que a mulher iria pegar as crianças no colégio e isso o deixava tranqüilo para trabalhar.Na metade da manhã apareceu um cliente aparentemente normal como tantos outros,mas esse em especial deixara um objeto estranho em cima de sua banca e isso ele só percebeu pouco tempo depois.Era oco e não pesava mais que dois quilos.Como alguém esquece algo assim?Inútil perguntar, tentou procurar o dono do tal objeto, de nada adiantou,teria que esperar ele voltar para devolvê-lo ao dono. O dia continuava tranqüilo e ele estava bem próximo de ir para casa.Ao arrumar o material para ir embora,não percebeu o objeto e este caiu e dentro dele havia um papel muito velho.Achou muito curiosa as informações contidas ali.Como poderia ser ele o causador de todo mal que iria ocorrer na Terra.Sua consciência começou a pesar e viu que deveria fazer o que estava escrito no papel,era imperioso,não podia nem retornar a sua residência.Pela primeira vez viu o quanto perdera tempo ficando longe do que era essencial,mas pela família ele estava disposto a fazer o que fosse possível.Ingênuo?Não, a informação era bem clara e os sinais de sua veracidade ele pôde constatar, sentira isso na pele. Ninguém,além da família dele,sabia da rotina que vivia. Pegou o carro e foi em direção ao local determinado no papel, tudo como estava escrito ele pudera comprovar. O medo tomou conta dele,mas mesmo assim tinha que seguir adiante.Não foi tão difícil achar o pequeno aparelho indicado no papel.Só depois de tudo acionado é que ele poderia retornar a sua casa.Não havia outra saída,era a última vez que ele sentiria o ar.Tudo feito,foi apressado para casa,a mulher estranharia.os filhos estranhariam,mas pela primeira vez seria uma pessoa carinhosa com seus familiares.No papel estava escrito:"SE QUISERES SALVAR AO MENOS TUA FAMÍLIA,ACIONE O DISPOSITIVO QUE LIBERTARÁ AS FERAS QUE SE ENTRANHARAM NA TERRA,TODA A HUMANIDADE SERÁ DEVORADA POR ELAS E SOMENTE AQUELE QUE ACIONAR PODERÁ OPTAR POR SALVAR
43

TRÊS PESSOAS..."sabia que isso não era um trote,mal chegou em casa,ouviu gritos desesperados e viu sangue espirrando na janela da casa,beijou a todos antes de abrir a porta e se entregar ao seu destino,ao menos a mulher,o filho e a filha poderiam ter a chance de continuar a espécie.Saiu e foi engolido com voracidade.

PROIBIDO Algumas pessoas são impulsionadas a quebrarem os limites estabelecidos no meio social. Pequenos e grandes delitos ocorrem constantemente.O sagrado e o profano nunca estiveram tão próximos.Natureza humana?Muitos afirmam que sim. A questão é paradoxal.Quando se lê um aviso de "proibido entrada",a tendência é a desobediência.Se existir a possibilidade de burlar tal ordem,isso provavelmente ocorrerá.É como uma frase em um mural"não leia".Isso desperta a curiosidade pelo que está escrito.É instintivo?A resposta, quem a possui? Zacarias estava absorto a esses pensamentos. Um cidadão pacato,cumpridor de seus deveres e pouco exigente dos direitos.Afirmava que o mínimo que podia fazer era zelar pelo seu bem estar.A mulher dele não entendia o seu alto grau de comodismo.Como é que pode?Você tem direitos na empresa. A gente precisa do dinheiro,está faltando quase tudo em casa.Homem,você precisa desobedecer a placa de"proibido entrada",pule o muro,enfrente os cães,não se preocupe com as consequências,vá à luta.Ele ouvia calado,sabia que a esposa tinha razão.Mas nada de agir.Via pessoas pulando os muros da vida.Certo ou errado,é muito relativo.Bendita relatividade,pensava ele.Como o acalmava,o consolidava a um ser relegado a bondade dos outros.Os benefícios que recebia eram oriundos da ajuda dos companheiros de profissão. Os dizeres da placa não paravam de torturá-lo. Sentia um incômodo imenso.Quem se importa se o vizinho evangélico faz Cristo ruborizado?Não ia cuidar da vida alheia, nem da dele tomava
44

conta. Via a hipocrisia,corrupção e toda sorte de desvios,mas ficava impotente.Questionar valores,demolir tabus era imperioso.A sociedade o fizera assim,tramava contra ele.Usava todos os artifícios para permanecê-lo dócil,ingênuo.Futebol,novela,programas de auditório,programas sociais emcampados pelo governo...tudo paliativo.Meras doses de falsa preocupação com o homem.Estamos fazendo o que nunca foi feito,dizia orgulhoso o chefão do país.O essencial deve ser mesmo invisível para os olhos.Pobre pequeno príncipe,dormes em tua inocência.Os ensinamentos não foram suficientes.Dizer não aos letreiros era urgente,sabia disso.Os pés não mexiam,os muros alcançavam o céu.

QUANDO OS MORTOS SE CALAM... .................................................................................................... Minha vida nunca foi fácil, também se fosse não sei o que seria dela. As pessoas têm muitas esperanças em conseguir realizar sonhos.Para mim basta estar vivo.Desde criança,a dura lida me mostrou que eu tinha que lutar.Comida pouca,muitos filhos,meu pai num desespero só para poder dar o de comer.Nunca reclamamos da escassez de alimento em casa.Para ter alguma coisa para comer,quase sempre íamos ao mercado central de nossa cidade para pegar as sobras que iriam ser jogadas fora.Às vezes durava uma semana a colheita do dia.Com muito esforço consegui terminar os estudos e tive muita angústia e raiva por não ter feito nada pelas minhas irmãs que se perderam na vida.Da época dura ,de falta de tudo que você puder imaginar guardo alguns ensinamentos que a vida me impôs.Meus pais morreram e os parentes não puderam dar a ajuda que precisávamos,alguns estavam em pior situação que a nossa.Nós praticamente não existíamos para o mundo,ele passava na televisão e era como um anestésico para as nossas almas.No fundo querem que as coisas continuem assim.Distraem-nos do que é essencial.A vida propriamente dita é para pouquíssimos,no mais os outros vegetam e eu e minha família mais ainda do que vegetar fazíamos:esperávamos a morte chegar,mas nem tudo dura para
45

sempre,às vezes piora muito antes de talvez melhorar.Quem pode garantir alguma coisa nessa vida? Comecei a trabalhar depois que passei em um concurso público e vi alguma chance de melhorar a minha vida. Casei,tive dois filhos.Minha mulher foi uma guerreira incansável na ajuda de casa fazendo alguns bicos como diarista ou o que aparecia para fazer na casas das pessoas.A minha saúde nunca foi boa,desde a infância carregava os flagelos da pobreza.Bebia socialmente e aos poucos,sem exageros fui me acostumando a beber mais e mais.Com a idade,e olha que não sou tão velho,tenho apenas cinquenta anos.Muitos amigos e inimigos colecionei ao longo dessa minha vida.No trabalho,nem todos gostavam de mim e isso não era problema,pois estava lá para trabalhar e só.Mas o ser humano,é bicho peçonhento e sempre gosta de ver a desgraça alheia. Descobri que estava com diabetes e precisava seguir uma dieta rigorosa, mas o hábito da bebida e outros vícios que a gente sempre carrega nessa vida, fizeram-me negligenciar a minha já frágil saúde. Adoeci e fui internado,não era a primeira vez,achava que sairia dessa muito bem quanto das outras vezes.Depois de alguns dias internado,fui liberado sob a condição de cuidar efetivamente daquilo que nunca tive ou que por força da maldade de que é responsável:viver .Não estava me sentindo muito bem,uma certa tarde e fui comunicar ao meu chefe imediato e ele pouco se importou.Imaginara que eu estaria querendo sair para tomar alguns goles.A gente cria fama e depois fica difícil para crerem no que falamos.Quando alguém morria e era um conhecido nosso um colega do dia a dia ou mesmo que não fosse,as pessoas,poucas,faziam pouco caso e ignoravam ter conhecido.Nós estamos nos tornando número,máquinas substituíveis.Era difícil ver aquilo e não pensar em nada,mas até a nossa sensibilidade querem nos tirar. Será que quando eu morrer vão me fazer alguma homenagem, vão respeitar o que fui em vida?Não sei responder por que meus olhos não se abrem mais, talvez tenha alguém da família me velando.

46

QUINZE ANOS

Era sábado, dia do meu aniversário, ia completar quinze anos. A semana que antecedeu foi muito marcante,pois toda a família estava concentrada em deixar os preparativos em ordem.Meus pais estavam cuidando de todos os detalhes para a grande noite.O local do evento já estava arrumado ,os convites foram entregues sem problema e as minhas amigas estavam até mais ansiosas que eu.Era enorme a minha felicidade.Enfim o tão esperado dia,fez-me acordar dessas lembranças. Fui ao salão de beleza, arrumei os cabelos, pintei-os, cuidei das unhas e nesse dia a ansiedade era tanta que as horas faziam um vaivém constante. Ora estava próximo o momento,ora parecia que ele nunca chegaria. A grande noite chegou os convidados aos poucos foram ocupando o espaço da festa. Em uma hora, o salão estava lotado.A cerimônia de debutante começa,estava emocionada.Todos que me queriam bem estavam ali e tive que conter a emoção para não chorar.Meus pais,primos...toda a parentada presente.Ao chegar a hora principal,meu pai fez um discurso que deixou todos emocionados e eu mais ainda.Dissera em forma de poesia e música que o amor incondicional que sentia ia me acompanhar por todos os meus dias.Era completamente grata a ele e a todos. A valsa começou e meu pai foi dançar comigo. Na metade da música,disse-me em meus ouvidos que sua filhinha crescera e que agora era uma "mulher" e isso ficou em minha mente.Sabia que era mulher,mas a forma como ele falou ainda está gravado na minha memória. Hoje, ao perceber que minha filha vai completar quinze anos em alguns dias, sei que a palavra mulher poderá ser dita a ela, talvez eu fale ou meu marido quem sabe pensando a mesma coisa. Para os pais os filhos nunca crescem,mas quando nos chamam de "mulher" de forma tão carinhosa percebo a intensidade do amor que sentem por nós.

47

SAPATO VERMELHO

Parada em frente a uma dessas lojas que exploram o desejo de consumo feminino, a mulher deixara claro a quem a visse o que ela queria. Seus olhos denunciavam que aquele objeto era mais que essencial.Ao lado dela estava o marido,parecia aborrecido por ter que acompanhar a mulher às compras.Carregava algumas sacolas,estava bem vestido,roupas finas,cabelo bem cortado pele que não conhecia o sol.Como pôde viver em um país tropical preservando a pele tão alva?A esposa e uma árvore de natal seriam fáceis de confundir, usava acessórios em demasia, era linda, mas a falta de bom senso a colocou no patamar de "perua”. Devia se orgulhar disso,seus gestos só confirmavam. Disse ao marido para entrar. Meio acanhado,limita-se a ficar sentado em um canto da loja.Ficou próximo de mim.Começou a puxar conversa falando inicialmente de coisas banais.Clima,política,futebol,religião.Detivera-se bastante tempo nisso.De repente a demora da esposa,fez-lhe falar da compulsividade que as mulheres têm em consumir sapatos.Afirmam que para cada ocasião há um que se encaixe,até mesmo sem precisão é bom ter um de reserva.Elas se consideram nuas sem eles.São o fetiche delas.Os homens também apreciam ver pés e sapatos lindos.Não necessariamente nessa ordem.Fomos nós quem a viciamos?Muitos dirão que não, que é coisa de mulher. Talvez elas digam o contrário.Elas são competitivas,bobos os homens que pensam que as namoradas, esposas se arrumam para eles.O homem do meu lado prefere acreditar que a companheira se arruma para ele.Não dou minha opinião,embora ele insistisse. Uma confusão chama a atenção de todos os presentes na loja. Duas mulheres brigavam por um sapato vermelho, o gerente da loja tentava acalmar os ânimos acirrados. Uma delas estava com a maquiagem toda borrada pelo suor da disputa,a outra tinha a alça do vestido arrebentada.Continuaram insistindo em levar o produto para si,subitamente no puxa daqui e dali intenso, o sapato é
48

destruído.Ao chegar perto do alvoroço,ele descobre que sua mulher está envolvida.Para minha surpresa a outra é a minha.Antes que a polícia fosse chamada e solidários com as nossas esposas,dividimos a despesa.Na saída,as duas se olham e esboçam um sorriso.Vá entender.

SE Tudo começou há uns quinze anos. Não lembro exatamente o mês,mas sei que aquele dia marcou minha vida.Levantei-me apressadamente para ir à escola.Mal tive tempo de tomar café,minha avó disse para eu ir correndo,foi o que fiz. Ao chegar à escola não via a hora de ver Maria Paula. Ela ia me dizer se iria me namorar ou não.O tempo demora a passar quando estamos ansiosos e tudo o que pensava era se ela iria dizer sim ou não.Pequenas palavras que tem grande poder,principalmente em momentos como esse.O sim representava o paraíso,a satisfação de compartilhar o sentimento com a pessoa amada.O não,o meu fracasso diante do desejo de querer fazer alguém feliz e sabia que isso eliminaria quase por completo a vontade de amar,secaria meu coração,sofreria,iria chorar(talvez vissem). Finalmente o intervalo começa, o meu coração acelera e não consigo pensar em mais nada, a não ser na resposta. Fui ao lugar combinado,debaixo de uma árvore,no pátio da escola.Ela estava tão linda que mal pude dizer um "oi".Nesse momento,olhou-me carinhosamente,pegou em minhas mãos,deu aquele sorriso.A alegria encheu meu coração,foi quando ela começou a falar e disse que a família foi transferida para outra cidade e viajariam naquela noite.A parti daí não ouvi mais nada,o chão se abriu e foi difícil para me recuperar.Não ouvi nem sim nem não.A palavra que ficava entre essas duas era o SE e isso me deu forças e não fechou meu coração.

49

TRAGÉDIA FAMILIAR

Não conseguia compreender toda aquela confusão que estava acontecendo em minha casa. Foi no ano de...,morava com meus pais e os via discutindo por qualquer coisa.A paz ,uma palavra que não existia no vocabulário de papai,mamãe vivia chorando e não sabia o que fazer para ajudá-la.Numa dessas brigas,ele a ameaçou de morte,pensava ser mais um desentendimento.Nesse dia,ela o chamou de "corno" e a partir daí houve um silêncio tão grande e assustador que fiquei com medo.Ele saiu dizendo nunca mais voltar,ela ficou paralisada,meio arrependida de ter dito tal palavra. No dia seguinte, ele retornou para pegar as roupas dele, aproveitei para perguntar o que significava a palavra de tamanha reação. Sentou-me ao meu lado,comentando que fatos tristes não devem ser lembrados e o relacionamento entre eles havia acabado.Um casal deve viver em harmonia.Mamãe só ficou olhando,como querendo pedir desculpas.Tornara-me filho de casal separado e o termo "corno",embora não soubesse o significado,marcou minha vida.Hoje sei que muitas pessoas têm dificuldade em aceitar para si tal palavra.Não é mesmo?

DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE

Querido diário, querido não, não sou biba. Não tenho nada contra,tenho amigos que são.São leais,verdadeiros,estão prontos pra te ajudar caso precise e mesmo que não.Jamais iria querer perder a amizade deles.O fato é que preciso desabafar,tem coisas que ficam só pra você,mas quero dividir contigo meu diário.Espero que ninguém descubra meus mais secretos segredos.Só de pensar me dá arrepio.Os meus amigos às vezes reclamam que sou muito fechado,apesar de divertido.Ah,vamos logo ao motivo que me fez
50

pegar a caneta e traçar algumas linhas em você.Não sou muito de escrever,mas preciso.Ontem minha amiga quis dizer algo com o olhar.Percebi isso porque ela insinuou uma atração por mim.Ela é gatíssima,o tipo de mina irrecusável.Logo eu,quero dizer os adolescentes que só pensam em sexo,que tô esperando uma oportunidade pra minha primeira transa.O problema é que ela é namorada de Ricardo,um chegado meu.Ser traíra nessa é uma furada tremenda,o cara é muito forte,não tô com medo dele não,é que sabe como é amigo:como diz uma música,amigo é pra acudi o outro.Nossa,fico imaginando ela pelada na minha frente e... .Ops vem chegando alguém. É o Tuca pra avisar que a aula já vai começar,nem precisava,ouvi o sino. O duro é ter que subir ao terceiro piso. Isso aqui parece uma cidade,tão grande.Hoje o dia é muito chato:Matemática,Física,Biologia,Química.Química,ah Legião mandaram bem quando lançaram a música"Química".Só tô afim de educação sexual.É tanta garota bonita que só tou aqui pra ver se pego alguma menina.Meu boletim não ajuda a limpar a barra com meus pais.Tava com a intenção de pedir grana pra um show que vai rolar fim de semana.Depois eu penso nisso,devo ir pra sala agora a inspetora já chamou minha atenção.Me tolerou por imaginar que tava fazendo lição de sala.Faço um agá legal.Se algum professor de Português visse esse texto,torná-lo-ia todo rabiscado de tanto problema de gramática que deve ter.Ainda bem que não é redação pra ser corrigida.O diário é meu e só eu posso lêlo. Vou pra sala correndo, quando entro vejo... ela me olhou daquele jeito de novo. Assim não dá, nunca fui santo, nem quero ser canonizado vivo. Sento na cadeira em frente à dela.Antes do intervalo tocar,me dá um bilhetinho.Será que ele viu?Senta bem atrás dela. Guardo no bolso depois leio.Fico imaginando o que ela ta querendo comigo,somos amigos e amigos podem "ficar"?Fico ansioso pra aula terminar e eu ler logo esse bilhete. Ufa até que enfim a aula acabou. Sem esperar pela galera vou pro banheiro. Abro o bilhete e vejo...Meu Deus o que vou fazer agora?Agora vou dar um tempo meu diário, a rapaziada chegou aqui no banheiro "point” das armações. Assim que der escrevo mais um pouco em você.Por enquanto guarde segredo viu?

51

DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE II (O BILHETE) É diária, a vida daqui pra frente não vai ser fácil, cê vai ser meu único confessor. O bilhete dizia"No show tudo pode rolar,ta afim,então vai,to amando vc". A galera estava tesudona pelo show de fim de semana, eu mais ainda porque tinha a chance de curtir com a gata mais desejada da turma de amigos, ninguém dizia só pensava. O velho em casa ia ser jogo duro mais com ajuda eu conseguiria liberação e grana. Fiz cara de inocente pidão a semana inteira,não dei trabalho pra ninguém.Estudei de forma exagerada,não impliquei com a mana nem com o "queridinho da casa",o João,chegou e dominou o pedaço.Mas ele se emenda rapidinho comigo,por enquanto deixo ele deitar e rolar.Papai perguntou se eu queria alguma coisa.Aproveitei e disse que para espairecer do estudo pretendia ir a um show com os chegados.Ele censura a maneira como eu falo,mas fazê o quê é onda mano Di.Liberou após um monte de recomendações,fiquei só na minha,baixei a cabeça e fui dizendo sim a tudo.Depois de solto cachorro não tem dono.Essa de coleira já era.Liguei pra todos confirmando minha presença.Só não tinha armado como despistar o "meu amigo",no amor vale tudo,somos jovens e esquecer pode ser fácil.Joguei minha consciência fora nesse momento.Sábado chegou e a tchurma estava na fila pra entrar,ela do lado dele e eu meu Deus o que vou fazer.Vou encher a cara e ver no que vai dar,na certa ela tem um plano e juntos vamos sair dessa ratoeira.Entramos o grupo de rock MZVINTE animava legal a multidão.Dançava perto dela de vez em quando tirando uma casquinha.Já não conseguia controlar mais nada,quase me entreguei.No meio da apresentação do grupo pintou uma briga perto da gente.Um lance violentíssimo,entrei nessa,adoro dar porrada.Vão pensar que sou do mal,mas ninguém sabe o que eu passo.A segurança entrou em cena.Caiu dentro dos briguentos,como tava no meio fui retirado do local.Fui afastado da rapeize,ela viu e seguiu na confusão.Pedi pra continuarem curtindo de manhã falaria com eles,isso depois de curar a ressaca.Haja bala pra esconder dos veios esse vício.Do lado de fora,ela já me esperava,fiquei bonzinho da birita.Nos atracamos ali mesmo,tava
52

nem aí pra quem visse.A pegação era louca,nos comíamos vivos...ah e agora sujou vem um vulto conhecido,depois eu continuo meu confessor e de novo segura esse segredo.

DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE III (A CÚMPLICE). Puxa vida diário bem no bem bom do amasso, ela apareceu, a Bia, minha ex-, nós terminamos porque eu confesso que forcei a barra e ela não estava preparada para a primeira transa,nem falei que era a primeira minha também,o fato é que terminamos numa boa.Desde esse dia nos falávamos pouco,mas a via de vez em quando de papo com o Ricardo.E por falar nele o flagrante foi um tanto constrangedor,aleguei que estava um pouco alto de tanto energético e álcool,a Dominique me deu um chute discreto na canela quando falei isso,mas ela não quis nem saber.Sem muita conversa foi dizendo que estava nos observando e percebeu logo a nossa intenção,ainda bem disse ela,pois sem que todos percebessem o namorado da Dominique estava puxando conversa mole com ela.Vi aí uma oportunidade de poder desenrolar esse lance com a princesa,a essa altura ela já era a eleita.Bia,não queria nada com ele,estava era chateada de ver a amiga com um cara muito fácil,nem olhou pra mim ao dizer isso,ainda bem pensei.Mas como sair dessa encrenca?Ela já estava indo para casa quando nos viu e pediu que eu e Dô fôssemos mais francos com o amigo em comum, não deu lição de moral foi apenas um toque, cada um é cada um,nesse momento o meu celular toca,era o papai cobrando a minha presença. Pegamos um táxi e continuamos a conversa,elas moram aqui no bairro também.Disse que me ajudaria nesse rolo se eu a ajudasse com o Tuca.O quê o Tuca?Sim, de uns tempos pra cá ela notou que poderia ficar com ele, era legal, também gosto dele. Nossa todo mundo vai ficar com todos do grupo?Sei não vou deixar a vida me levar como diz um pagodeiro e nem é o meu preferido, gosto do pagode romântico, que ninguém saiba. Não pensava em namorar,o negócio é ficar,namorar soa como casamento e 'inda sou jovem demais pra isso.Hoje em dia muitos só ficam,quero antes é viver a

53

Vida bem livre. No carro,ela disse que íamos armar pra ninguém ficar magoado,não é melhor enfrentar a situação?Disse Dominique, o caso era sério e uma amizade de infância devia ser preservada. Amigos vem e vão?Êta tonteira. haja coca-cola pra equilibrar a situação.As deixei na casa delas,primeiro,dei um beijo apaixonado e me despedi.Na porta,meus pais estavam me aguardando,pela cara dos dois a conversa ia render.A única coisa que ouvi foi pro banho e cama,amanhã a gente conversa menino!Menino é assim que me tratam quando o assunto é sério. Será que alguém ligou do show me entregando?Ou a surra que dei num cara que tava chateando a minha irmã?Nem tomei banho direito, ás escondidas fui ouvir o que eles falavam na cozinha. Querida,precisamos dar um jeito no nosso filho ou ele vai se perder...Me viram e só com o olhar deram o recado,a cama me espera,é diário não tô tendo tranquilidade,vou dormir pensando em dar um jeito em minha vida,meus pais, Dominique,o rumo da vida tem que aparecer e o amanhã pertence ao amanhã,agora tô com sono...de manhã os segredos de meus pais podem ser revelados,depende da conversa...mas tem segredos que levamos para o túmulo e esses não sei se te conto,boa-noite camarada.

DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE IV (MEUS PAIS)

Minha nossa senhora!Diário, a coisa esquentou,pensei que o papo reto fosse simples, mas fique meio que numa saia justa. A chapa esquentou legal,de primeira disseram que o meu comportamento,só tinha melhorado na última semana e que as constantes reclamações da escola e dos vizinhos tinham que parar,eu andava com a macaca,não era normal um jovem agir dessa maneira e quiseram porque quiseram saber o porquê de tanto problema que tava dando.Só ouvia tudo calado,queria saber qual era a bronca.À medida que eu os ouvia muitas imagens do passado de mamãe e de papai vieram na cabeça.Eles falavam tanto que até me perdia no propósito daquela conversa.Lembrei de uma briga que sem querer

54

presenciei, bem que tentaram disfarçar, mas filho saca tudo, mamãe reclamava que papai não cumpria seu papel de marido, fiz que nem entendi, pois não consigo imaginar eles na intimidade. O fato é que dias antes tinha visto papai falando ao celular duma forma comprometedora,será que era neura minha?Casais brigam de vez em quando, até esquenta o relacionamento às vezes. Nunca tive dúvidas sobre a fidelidade do papai.eu e minha ex tínhamos nossas crises.Bem no meio dessa viagem,mamãe puxou-me pelo braço,e aí filho diz alguma coisa,não quis dizer nada só queria ouvir primeiro.Papai falou-me pra virar homem e ter mais responsabilidade,era o mais velho dos filhos.Ele é um advogado bem conceituado na cidade e a família,segundo ele tem que mostrar harmonia,nada contra,ela,uma médica em início de carreira,cuidou da gente pra depois da profissão.Não sei onde tava com a cabeça quando disse que mudaria dali pra diante e não era promessa de político,iria cumprir,só não sabia quando.Tô numa fase de mudança constante o amanhã sempre morre pra mim,sei o que vou fazer hoje.Na tentativa de mudar a situação,olhei pra mamãe e disse:a senhora não vai revelar o segredo?Ele ficou curioso, quis saber do que se tratava, ela me olhou com aquele olhar suplicante, pedindo mais um tempo pra poder revelar a ele, sei que não havia necessidade disso, mas não podia ver meus privilégios serem cortados por um bom tempo, foi o que ele dissera-me. Confesso que fiz chantagem, nunca iria falar, pelo menos ainda penso assim, amo mamãe. Ela foi certeira nos argumentos a meu favor,estava em observação,as mães podem tudo,sofri um pouco por usar esse artifício.Pra desconversar do verdadeiro segredo,revelamos a festa surpresa que estávamos planejando pra ele.Descobri,só aos dezesseis anos que os pais são pessoas comuns,não são perfeitos como imaginava.Temos nossos segredos,os deles poderiam desestruturar por completo a nossa família,não seria o causador disso.Tenho mais é que cuidar da minha vida,dei o braço a torcer,no final abracei eles,nunca mais tinha feito isso.Quando fazia sem mais nem menos,perguntavam se eu queria alguma coisa,esses pais...Só tô reproduzindo um pedaço da conversa,quer dizer monólogo,pois só ouvi quase o tempo todo,sei que é chato discutir relação pai x filhos,mas a vida é assim ,tem dessas coisas.Fui pro quarto de castigo nesse fim de semana,mas não fiquei parado,os amigos
55

ligaram combinando uma pizza aqui em casa,viriam todos:Bia,Tuca,Ricardo,Dominique e Pé-de-Valsa.Não sei como será,mas vou falar deles um pouquinho pra você meu diário.O plano de Bia tem que dar certo se não...

DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE IX (A SAÍDA)............................................................................................... Meu amigo Diário, a vida tem dessas coisas, o medo de tudo dar errado às vezes nos impulsiona a fazer besteira, saímos na hora combinada para o local que nos provocava muito temor, no fundo nenhum de nós queria isso, nos abraçamos muito antes de nos encaminhar até a clínica. Por fora ninguém imaginava uma preza daquela,um lugar tão bonito,pessoas lendo revistas enquanto aguardavam a sua vez e nós lá tentando mudar de idéia.Os olhos chorosos de Nick me deixavam confuso,ela é forte e nem sei porque se submeteu a isso,sempre dei provas do amor que tenho por ela.O que ela queria de mim?Uma atitude eu precisava tomar, com a cabeça nas nuvens ouço ela me dizendo que já havia tomado uma decisão, seus olhos secaram um pouco. Descobri minutos depois o extremo amor dela por mim,essa é minha Nick,decidida,envolvente,a química entre nós é perfeita.Calma Diário vou contar o que rolou,mas antes quero te dizer que peguei um pedaço de papel,uma caneta e comecei a fazer um acróstico para o amor de meu viver e essa ação revelou o óbvio,como não pude perceber,meu pai sempre me dizia "menino,você tem que virar homem".Para escrever lembrei da aula de português,a professora que chamava de MINHA QUERIDA,ainda bem que eu prestava atenção,não sei nada de poesia,mas o momento me inspirou e eu queria ver a Nick sorrindo,antes de dizer o que aconteceu depois vou deixar aqui o texto que fiz pra ela: Devastadoramente enfeitiçou meu coração Odalisca das mil e uma noites, menina-mulher Meu caminho contigo seguirei
56

Incondicionalmente minha vida entreguei No nosso prazer,formamos um ser Ingênuos, mas tua força me deu prumo Quimera encontrou, dúvidas tirei Unidos, tomamos uma decisão: Estarmos juntos pro que der e vier Espero que a fessora não reclame dos erros que deve ter, demorei até pra pensar em uns palavreados bacana, mas fiz de coração e ao fazer esse texto uma luz tocou na minha consciência, estava na chuva e usar um guarda chuva só evita que você se molhe completamente e sempre ficam os respingos, não queria isso pras nossas vidas e sei que ela pensava o mesmo, mas o danado do medo, as consequências me assustavam e meu pai nos meus ouvidos "seja homem”, antes de entregar o texto pra ela ler, pedi que me acompanhasse pra fora da clínica,um sorriso apareceu,será que era alguma coisa que ela pensava, ser mãe é desejo de muitas mulheres, olha Di, fiquei ansioso pra dar a notícia pra ela, mudei de idéia, dei o acróstico que fiz,ela começou a ler e aos poucos seu sorriso foi aumentando,deu um abraço tão grande me chamou de poeta e pra aumentar a alegria dela ainda mais disse que nós íamos se virar pra criar nosso filho,era uma besteira imensa o que pedi pra ela,ela comentou que precisava saber o quanto eu estava disposto a constituir família,não queria forçar a barra e me chamou de "meu homem",gostei,tô com muito medo do que vem pela frente,é terrível as consequências pra quem vai ser pai logo cedo,aconteceu,vou deixar a chuva me molhar.Saímos dali mais que de mil e fomos ao shopping comprar nosso primeiro presentinho para o bebê que estava feliz com a nossa decisão.Na escola,foi difícil encarar alguns olhares de reprovação quando a barriga da Nick começou a se mostrar,foram tantos os palpites,as intromissões e poucos foram aqueles que deram uma força,a gente percebia pelos olhares delas.Meus amigos ajudaram e muito a diminuir o preconceito que é de jovens e adultos recriminando nossas vidas,pior seria se tivéssemos feito o aborto.Pera um pouco aí meu amigo Diário que o celu ta tocando e vou atender...Meu Deus,amigo a coisa parece que complica a cada momento,a Nick levou uma queda no banheiro e foi levada ao hospital,meu coração
57

tá que não aguenta de preocupação,tomara que não tenha sido nada tão grave,os pais dela são muito cuidadosos,depois eu te falo...

DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE V (OS AMIGOS)

É diário, nem sei como meus pais permitiram que meus amigos viessem aqui em casa, só pediram pra não fazermos tanta bagunça. Eles são o bicho, cada um tem seu estilo e o diferente é o que nos aproxima mais, além de termos o mesmo interesse. Não sei nem por onde começar a falar o que você quer saber de verdade, eu sei que queres que eu escreva qual era o plano de Bia, mas deixa pra daqui um pouco, tô curtindo essa de escrever e fazendo de cada página um suspense, diário de macho tem que ser assim envolvente, digo isso porque o primeiro amigo que escreverei um pouco sobre ele, é um gaúcho. Mas antes vamos a como foi que eles chegaram em casa:todos de uma vez,é claro,nós somos assim sempre em grupo,os outros são os outros.Esse gaúcho não tem nada a vê com as piadas que dizem dos gaúchos que são...,eu heim,mas só pra sacanear,o chamamos de vez em quando de Da Fronteira,ele é o Pé-deValsa,também quem manda ser o bam-bam-bam na dança,as meninas se amarram nele por isso,é do tipo roqueiro sem exageros,sempre na moda,alegra o ambiente com o seu jeito de ser,seus pais possuem uma ótima renda e como é filho único,às vezes os pais o mimam,ele nem liga,sabe ser ele,está há dois anos no bairro e logo se enturmou com a gente,tinha algumas meninas afim dele,ficava com todas sem que elas soubessem,na maior naturalidade,dizia que a vida era uma experiência e devia experimentar bem antes de se enrolar,ele é assim.Mas vamos deixar ele um pouquinho de lado e vamos ao Tuca,amigo de longa data,desde os três anos que o conheço pelo menos meus pais me Emo,até brincam com ele por isso,se veste como um grunge,não gosta de combinação na vestimenta,é todo casual informal,é ele mesmo,nós só queremos ser nós mesmos,longe desse molde imposto pelos outros,ler é com ele mesmo,um devorador de
58

livros,sem parecer CDF,até entendo a Bia se ligar nele,não vai ter problema ver os dois juntos,por enquanto ela vai resolver minha situação,o Tuca é um negro bem forte e a gente brinca o chamando de pé-de-mesa,não sei se é verdade,acho que é lenda,lembro de uma brincadeira que fazíamos com um japa lá na escola"meu pintinho amarelinho,cabe aqui na minha mão..."era zoeira total.inda mas quando távamos no banheiro da escola falávamos de quem era o campeão de cinco contra um,ninguém dizia,mas somos craques nisso.Já o Ricardo é o senhor de si,todo seguro em tudo,adorava um forró,mas não falava,seguia a onda da galera,ouvia de vez em quando ele cantando"quem é o gostosão daqui,sou eu,sou eu.."ou "chupa,chupa,chupa que é de uva" era uma graça,falava que era sarro e nós entrávamos na dele,parecia um halterofilista, todo bombado, academia era o segundo lar, nem dava tanto atenção a Dominique em casa, estavam meio longe um do outro, sei o porquê, fazia parte do plano, não via a hora dele começar a acontecer e é aí que a Bia entra meu diário, uma garota adorável, loirinha, um pouco patricinha, shopping era a vida dela, íamos muito nele, até comecei a gostar, mas por outra razão, nosso amor não deu certo, e continuamos nossas vidas. Bem,sobre a Dominique te escrevo mais pra frente,ela e mamãe merecem uma página só pra elas.Quando eles entram em casa,cumprimentei logo o Pé-de-Valsa com,esse é macho até debaixo de outro macho,todos riram e foram direto pro quarto,as pizzas chegaram logo em seguida,o som tava altíssimo e é aí um dos motivos das reclamações dos vizinhos,resolvi pegar leve,abaixei só um pouquinho porque ninguém é de ferro,quanto mais alto melhor,a diversão ia bem quando resolvemos brincar de jogo da verdade usando uma garrafa de coca-cola e o escolhido foi o Ricardo,a Bia fez a seguinte pergunta:"cê já traiu sua namorada?",ele poderia mentir,mas foi sincero à brincadeira dizendo"quem nunca traiu?",foi a gota d'água que faltava,a Dominique pôs pilha e eles brigaram feio e resolveram terminar ali mesmo,tentamos juntar o casal,eu só de brincadeira,ele concordou com ela,o clima não ficou legal e decidimos terminar a reunião.Fiquei feliz,mas não podia demonstrar a primeira parte do plano estava acabada,todos foram embora e eu fiquei esperando o início da semana pra dar continuidade ao plano,na escola ele se completaria,assim espero.Nem te conto dos meus irmãos querendo
59

participar da reunião,eles não foram convidados,no meu quarto ninguém entra,fiquei nele imaginando o passo seguinte.É diário,parece que vai dar certo,Tuca e Bia trocaram olhares comprometedores,depois das aulas da semana eu te conto como rolou o plano,por enquanto fica aí bem escondido,ninguém pode saber de você.

DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE VIII (GRÁVIDOS!!??)

Meu Deus do céu diário demorei um pouco a escrever em você por que a papo foi muito estranho, difícil e minha cabeça foi a mil quando o assunto veio à tona, fica tranquilo que eu vou te dizer só que tá ruim pra começar, não tenho uma maneira de abafar o caso pra você, mas por enquanto tenho outros lances pra dizer, olha Di meus amigos tão numa boa, a Bia tá cada vez mais firme com o Tuca, o sorriso dos dois é largo quando falam do romance, será que o negócio de ficar acabou, sei não, a tentação é grande pra cima da gente, comigo não tem problema, meus olhos só enxergam a Nick, se der falo um pouquinho mais sobre a Bia e o Tuca, o Ricardo arrumou sarna pra se coçar, a garota com quem ele fica agora é do mesmo jeito dele, aí já viu né, quem pode mais chora menos, o Péde-Valsa ganhou um concurso de dança e foi chamado pra apresentar na TV considerada a número um, o papo tá bom, mas eu sei o que é que você ta querendo, então vou começar a te dizer o que aconteceu naquele dia, tava todos da família dela aqui em casa, nem eles souberam como começar, o pai dela tentou colocar o assunto da maneira mais delicada possível, disse que sua filha única não podia ter deixado... Bom diário deixa eu te contar como eu e a Nick tivemos nosso papo depois de eles terem falado o que queriam e. e agora o que a gente vai fazer, eu não sabia dessa de coito interrompido, não me liguei muito quando mamãe tentou tocar no assunto disse, apenas que não faria uma coisa dessas, ela estava apavorada, eu nem se fala, ter que amadurecer na marra é dose, existe algumas alternativas da gente resolver o problema, mas a palavra pai ficava martelando na minha cabeça, será que já era a
60

criança reclamando das idéias que estavam aparecendo na minha cabeça, a Nick sempre sonhou em ser mãe, mas o medo dela era muito maior do que o meu, afinal disse ela, ele tá aqui na minha barriga e sou eu que vou sofrer mais do que você,tentei acalmá-la pois meu grande amor não podia se sentir desse jeito e nossos pais ficaram discutindo muito onde nós iríamos morar com a criança,sem saber se nós realmente temos a intenção de levar adiante a idéia de pais,nem emprego eu tenho,o ensino médio ainda nem acabei e um bebê requer muita dedicação,disso eu sei, a gente ficou falando do assunto durante dias mais nada de uma decisão ser tomada,a mente da gente fica variando quando isso ocorre,eu que não quero que minha mãe nem a mãe dela se responsabilize pelo nosso erro,erro...não um filho não pode ser erro nem descuido, a gente sabe o que faz na intimidade,minha nossa senhora meu amigo diário eu tô desesperado me dá uma idéia aí,nem quero pensar naquela palavra que é crime aqui,mas ela volta e meia entra na minha cabeça e me tenta pra valer,a Nick ás vezes chora,ás vezes adora a idéia de ser mãe,nem ela mesma sabe o que quer ainda,pela primeira vez a vi desse jeito insegura,nem por isso minha admiração diminuiu,ela é o amor da minha vida,quem casa quer casa dizia uma peça que ensaiei no ano passado,não levei jeito pra coisa de ser ator,fui substituído,meus amigos perceberam a mudança na gente,estávamos um pouco abatidos e quem não ficaria?Ouvíamos de vez em quando sugestões de chazinhos e a famosa pílula C..., mas gravidez não é doença. O medo aumentando cada vez mais e nós a ponto de fazer uma loucura,anjos e demônios andavam lado a lado com a gente,nos aconselhando.A Bia desconfiou e veio conversar com a gente,na lata,acertou sobre a nossa angústia,quanto a isso eu não pediria ajuda em um plano mirabolante dela.Ah...o bilhete nela estava o início de tudo isso,que bom que a Nick tomou a iniciativa,não que eu não seja atrevido.Uma coisa boa a Bia disse pra gente:decidam o que fazer,pois ficar nessa dúvida até o nenê nascer não dá.Nossos pais começaram a ajudar a gente comprando o enxoval,e olha que a barriga nem deu as caras,diário por favor me ajuda nessa,diz alguma coisa,seja mais meu amigo.Amanhã eu e a Nick vamos a um lugar,a gente acha que a melhor saída é essa,eu tô com medo,meus pais e os dela suspeitam que a gente possa fazer uma
61

loucura dessas,a decisão foi tomada,o horário da consulta também...Diário você só vai ficar sabendo o que rolou depois e mais do que nunca torça pela melhor saída...

DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE X (que susto!!!).

Pôxa diário amigo, cê deve tá chateado comigo, também não é pra menos, há um tempão que te deixei isolado, mas desculpaí a falta que te fiz é que tem rolado tanta coisa que nem deu tempo pra traçar algumas linhas em você, sei que tô enrolando e você quer mesmo é saber das novidades, pois é da última vez que escrevi em você a Nick tava indo pro hospital e lá eu passei pelo maior susto da minha vida, a mina rainha havia caído e se machucado, por pouco o bebê não morreu e com ele morrerímas nós dois. Nooosssaaa me apeguei de cabeça a essa idéia de ser pai. Pai... não me canso de repetir isso pra mim,mas cê quer mesmo saber é dela,da Nick,pois bem,os médicos disseram que a gravidez era de risco e que teríamos de ter o máximo de cuidado com ela e que seguindo as orientações tudo ia correr bem.Nossos pais ficaram muito aflitos com a situação.Saímos de lá convencidos que devíamos ter realmente muito cuidado com ela.Passado alguns dias,a forma que usamos pra cuidar dela deu muito certo.Na escola a galera tinha ficado muito preocupada,o mimo pra cima dela aumentou mais ainda.Em mim muita coisa mudou,a começar pelo interesse nos estudos,resolvi,ou melhor ,a vida me fez ser mais sério,afinal tava prestes a ser PAPAI .Parei com essa de balada e bebida,devo cuidar do futuro de minha cria.O velho acha tudo isso ótimo e ele até tem estendido a mão muito mais do antes.Em casa a briga com o João,meu maninho tem dado uma trégua,pense num menino encrenqueiro e multiplique por mil,talvez chegue próximo,mas o fato é que tô começando a entender ele,no fundo ele me adora,sem querer o peguei me imitando e vestindo algumas coisas minhas,tô pegando bem leve com ele.O garoto dá trabalho pros meus pais e já vou começando a indiretamente a treinar essa de ser pai.Nossa os pais sofrem de preocupações com seus filhos.Mamãe tá dando uma força legal pra gente,é ela quem vai
62

cuidar de tudo,os pais da Nick concordaram.Ah...a Nick,ela tá no nono mês e daqui alguns dias o meu filhinho vai nascer,não sabemos se é menino ou menina,nem quisemos fazer a ultrassonografia,eu não a Nick,que quer ter a surpresa do filho abençoado.Tuca e Bia estão namorando firme e eles viram no que deu entre mim e a Nick,espero que saibam o que estão fazendo.Papai já me disse pra arrumar um emprego,que devo ter condições pra sustentar uma criança,mas num sei fazê nada,num tenho experiência nenhuma e vai ser difícil arrumar alguma coisa,mas é a vida,tenho que me virar,nossos pais não vão nos sustentar a vida toda,como eu ouvi uma vez "Quem pariu Mateus que o embale".Tem tanta coisa que ainda não te disse amigo Di,uma delas é que vou fazer dessas confissões um presente pra entregar à Nick,ela nem sabe que escrevo em um diário.Ops vem vindo alguém,depois eu escrevo um pouco mais em você,tá bem pertinho o dia do nascimento de nosso filhinho,se esconde que ela não pode saber de você

O PAÍS DAS PIABAS

-Assim não dá,não podemos deixar aquele Jaú safado tomá conta da situação. -Calma querido, nós num pode fazer nada, foi sempre assim e sempre será se conforma. -Num quero nossos filhos precisam ter a garantia de que a vida deles vai ser melhor, viver desse jeito é melhor nem viver. -Num é pra tanto,viu as coisas se ajeitam,tenha paciência. Todo dia o casal brigava pelas mesmas coisas, o filho mais velho estava estudando fora da região para garantir um futuro melhor. Sua chegada era próxima.O presidente do país sentia-se impotente diante de tantos problemas para resolver.Fora escolhido por sua força e valentia.Era o mais poderoso entre todas as piabas da região.Dourado,o nome dele,andava muito com seu segurança,o
63

Tucunaré.O país sofria com a dizimação de sua espécie pelo predador mais terrível que já existira,o bicho da superfície.Eles entravam no lago e levavam uma multidão de piabas em suas redes,se não bastasse isso,jogavam detritos no lago,sufocando e deixando outros tantos de piabences doentes e fadadas à morte.Contava a lenda que eles comia até sua própria espécie,ninguém desse pais conseguia imaginar que isso pudesse ser verdade.Não podia haver na natureza alguém tão cruel. As leis desse país se cumpridas poderiam minimizar as dores da população, o problema é que o Senado e a Câmara eram guiadas por interesses de quem patrocinava a candidatura dos representantes do povo. Em meio a tantos problemas,chega uma minúscula piabinha,recém formada e cheia de sonhos em construir um mundo melhor.Os pais dela haviam financiado seus estudos.Desconhecia que o país estava tão ruim assim,pois os pais sempre esconderamlhe a verdade,não queriam desviar a atenção do filho.Muito esperançoso por mudanças,conseguiu que uma reunião à margem do lago fosse organizada,à contra gosto,porque os poderosos não admitiam que seus privilégios fossem afetados e suspeitavam que essa pequena piabinha pudesse causar tanto estrago,afinal ninguém sabia de sua índole. A população estava ansiosa por novidades e viram nele a possibilidade de verem seus problemas diminuídos. Os pais dele estavam presentes.Tomou a palavra. -Quando nasci, cresci com o temor de ser engolido pelo bicho da superfície, eles acreditam se assim o fizerem poderão nadar tal qual qualquer um de nós. Se unidos formos poderemos reverter a situação,depende de cada um acreditar e transformar o mundo em que vive.Comecem pelo lar de vocês e vão num crescendo que tudo dará certo. Todos sabiam que aquilo fazia sentido e mudar era algo urgente, necessário, aos poucos a população o aplaudia e sua popularidade era inevitável, o Jaú não podia admitir que aquilo fosse adiante, pegou da palavra em seguida. - Quem você pensa que é para por em dúvida a força do Estado, nós somos capazes sim de suprir as necessidades de nossa gente, não será nenhum impostor que provavelmente é financiado pelos banqueiros que irá mudar o mundo. Que brincadeira é essa?Você está querendo é se promover e como responsável por esse pedaço
64

de território não admitirei que ninguém questione nossa força. O bicho da superfície um dia será exterminado por si mesmo e nós vamos sobreviver a eles.Tomado dessa suposta autoridade e vendo que suas palavras surtiam um certo efeito nos ouvintes,devorou sem demora a pequena piabinha.Para eles isso também era natural,tanto que nem se constrangeram.Os pais do devorado,cabisbaixos,saíram sem dizer palavras.Só se ouviu um leve sussurro: -É querida num tem jeito não, vamo esperá a morte chegar, que ela venha ligeira como veio pro nosso filho.

O GRITO

Nada de anormal ocorria na cidade há um bom tempo, sua pacaticidade era reconhecida em todo o país, seus habitantes se regogizavam disso, muitos vieram constatar a fama do lugar. Uma família alheia a esses comentários sobre sua própria cidade seguia a vida tranquila.Viviam afastados do centro da cidade,bem próximos a uma floresta pouco visitada. Um grupo de jovens veio à cidade em busca de aventuras, falavam de suas expectativas em relação ao lugar. Eram quatro,dois homens e duas mulheres,desfrutavam o prazer de viver a vida intensamente.Já estavam alojados no lugar,quando ouviram um grito que era difícil de ser ignorado.Receosos de algum infortúnio,resolveram verificar o que ocorrera.Cautelosos,levaram lanternas e pedaços de madeira para algum imprevisto.O grito ficava cada vez mais aterrador à medida que se aproximavam.Viram uma casa aparentemente abandonada e o barulho só poderia ter sua origem dali.Ao se aproximarem,escutaram apenas gemidos,algo havia abafado o que lhes preocuparam.Bateram na porta na tentativa de serem atendidos e confirmarem seus temores.Por mais que insistissem,ninguém viera lhes atender.Decidiram,então,entrar na residência.Com muito medo,mas querendo resolver o problema para continuarem o acampamento foram adiante,embora as duas mulheres quisessem chamar a polícia local para cuidar do assunto.Cada par seguiu uma
65

direção em busca da origem daquele clamor por socorro. Em direção oposta caminharam ainda com bastante receio. Carla,a mais jovem das garotas segurava nas mãos de seu namorado,quando sentiu uma respiração esquentar-lhe a orelha,pensou ser Breno que sempre fazia esse tipo de gracinha com ela, mas ele estava a sua frente. Apertou fortemente as mãos dele ,não recebeu nenhum gesto de atenção,ele havia sido morto por alguém que os espreitava.Ao perceber isso,deu um grito tão forte e desmaiou.Seus amigos que estavam do outro lado da casa vieram em sua direção.Não encontraram ninguém.O medo tomou conta dos dois.Gritaram pelos amigos,mas não obtiveram nenhuma resposta.O cuidado passou a ser maior ainda,pois era muito estranho o estava acontecendo,temiam por suas vidas,o fim de semana começara a se revelar um pesadelo. Júlia não parava de falar na amiga e se arrepender de ter vindo para essa cidade, seu namorado nada dizia, a preocupação era evidente nele. Quando já estavam na cozinha um ruído desviou o olhar de Pedro,o suficiente para que Júlia fosse pega sem que ele visse.Como poderia ter sido?Cada vez mais o pavor tomava conta de seus nervos. As ameaças lançadas a seus inimigos de nada adiantava ,pois sua voz era apenas um eco na escuridão daquele lugar.A última coisa que pôde fazer foi dar um grito e mais nada. O dia amanheceu como de sempre na região. Um jovem dirigia sua camionete e logo estacionou perto do açougue da cidade. -Bom dia, Rian, boné novo heim!! -Mamãe comprou ontem pra mim, hoje eu trouxe linguiça de primeira qualidade, papai caprichou dessa vez. -Sei, elas são famosas pelas redondezas, pegue o que precisar que depois acertamos o preço. Ah,houve festa na sua casa ontem?Escutamos daqui uns gritos. -Não, é que às vezes a gente perde o controle, sabe como é família, nem sempre estamos bem e minha irmã resolveu dar uma dura no namorado dela. Voltou para a casa dele naturalmente, ao entrar deu um beijo em Júlia e olhando para Pedro disse: -Amanhã serão vocês. A irmã começara a treinar os gritos costumeiros.

66

O TIJOLO

Não esperava que isso pudesse acontecer com ele. Sempre soube que tivera sido feito com carinho,achava-se insignificante.Como pode um simples ser causar tanto rebuliço.Artificial,todos diziam que era,mas seu único problema era fazer parte de um todo.Isolado não imaginava viver,nascera para ficar próximo dos seus e eles eram milhares,tinha até perdido a conta de quantos eram realmente.Muitos eram feitos constantemente e outros tantos seguiam o curso natural da vida:ter alguma utilidade e morrer.Nunca pensara nisso,sabia que chegaria e não podia fazer nada,é a lei do universo,uma constante renovação. Seus pais o orientaram para que fosse o melhor de todos, o mundo é competitivo diziam eles e o mais forte sempre sobrevive e deve usar de toda a esperteza possível, além de contar com uma boa política de vizinhança. Havia outros mais fortes que ele, mas sua tenacidade superava esse detalhe que não é de se menosprezar. Os amigos construídos ao longo da estrada,deram-lhe suporte para superar os obstáculos naturais.O Oleiro,fê-lo assim,a sua imagem e semelhança,era o pensamento que a mãe dele incutira em suas lembranças,algo difícil de esquecer,ela também fora criada do mesmo jeito e só estava passando adiante os ensinamentos que recebera.Uma das últimas recomendações que ouvira foi para conquistar o mundo e esse mundo se restringia a um espaço limitado,afinal,ele sabia de suas limitações. Levado por alguns condutores, mal sabia que seu destino já havia sido traçado, seu uso não seria tão significativo como esperava. As pessoas têm o hábito de dar tanta importância à colocações sociais,ele só queria ser útil,servir aos outros como está escrito na lei.No caminho viu inúmeras atrocidades ,a maldade estava cada vez mais sendo aperfeiçoada pelos outros.Muitos valores morais estavam sendo perdidos,a sociedade teimava em achar uma solução para o problema.Até quando meu Deus dizia ele,lentamente foi encaminhado ao seu lugar,puseram uma roupa úmida em seu corpinho,ela seria a liga que o uniria a todos os seus semelhantes,enfim a profecia se cumpria,sua utilidade fora
67

encontrada,mas antes que a luz fechasse a sua visão,olhou para os homens que o manuseavam e viu que entre eles não havia diferença nenhuma,pobres mortais,vivem sem dar significado às suas vidas,logo serão encaixotados por seus semelhantes e quando muito poderão ser adubo,no mais o esquecimento os espera.O tijolo sabia que fazia parte de algo grandioso e como fora bem feito duraria pela eternidade,assim diziam os anciões que foram descobertos por arqueólogos.Deu um suspiro e não viu mais nada,estava ligado aos demais para todo o sempre.

O SOPRO DA MORTE

Estava sentada, tranquila, à espera de sua condução. Seus cabelos soltos ao vento faziam qualquer passante admirá-los,mas somente os escolhidos podiam vê-la,não se mostrava assim tão facilmente,havia uma carência ou até mesmo defeito particular que poucos homens notavam.Sobre ela um mistério pairava.Todos os dias à mesma hora alguém poderia abordá-la,contava com isso.Os seus sonhos de amor a consumiam.Sua alma era negra e seu belo corpo escondia muito bem isso. -Vamos Tiago, tá na hora boa da balada, cê num qué perdê o mulherio que tá bombando agora lá na pista. -Peraí cumpade, tô quase convencendo o velho a me emprestar o carro. -Tá limpo, me retorna a liga, que tô na expecta, falou! -Beleza. O pai de Tiago, não queria ceder aos seus caprichos, mas fora convencido pela mulher que intercedera por ele. O carro tinhas uns tinis muito louco e isso era estranho para um senhor de quase sessenta anos.Os filhos aos poucos transformaram o carro de acordo como queriam,afinal,diziam que deveria ter a cara de todos.Mas,vá lá cada uma família uma realidade. Em vinte minutos Rodrigo e Tiago estavam a caminho da pista. A vontade de ter mulheres era imensa e não dispensariam nenhuma.Assim pretendiam,os hormônios à flor da pele falam

68

muito alto e segurar esse desejo é quase impossível.No meio do caminho viram uma linda morena à espera de um ônibus. -Olha ali cara que tesuda, essa eu traço sem dó nem piedade, vamo dá um cão nela, se colá, bom pra nós. -Vá devagar, Rodrigo, vê se não espanta a vítima, peraí que vô estacionar bem ali. -Cara, num precisa não daqui mesmo a gente chama, tá na cara que é Maria-Gasolina. -É né, vamo vê. Buzinaram e isso despertou a atenção da jovem, Rodrigo usou um "xaveco" infalível, ou ela já estava predisposta a isso?O fato é que ela se aproximou do veículo e sem muito esforço fora convencida a entrar. Prometeram deixá-la na casa dela,após tomarem um sorvete.Seguiram o trajeto que planejaram,era o mesmo dela. -E aí gata, é daqui. Não se machucou ao cair do céu? -Qualé Drigo, deixa de cantada sem graça, a mina vai rir de você assim. Como é seu nome, princesa? -Rafaela, e sou daqui, pelo jeito vocês vão pra alguma balada. Tô com tempinho,depois do sorvete,só depende de vocês. -Demorou. A noite estava bem estrelada nesse dia, propícia para um romance caliente. mas os jovens só queriam saber de "ficar" e um sexo fácil seria bem vindo.Os olhares gulosos dos três denunciavam a intenção deles.Parecia um sonho,uma moça linda a disposição desses incansáveis.Não podia acreditar naquilo.De comum acordo cancelaram o sorvete e procuraram um local isolado para se entregarem à orgia.Tudo estava dando certo para eles.As carícias começaram no carro mesmo e mais que depressa Tiago parou próximo a um terreno baldio.Desceram e foram para o ambiente iluminado pela lua que brilhava muito nesse dia. -Vocês não têm medo de ficarem em um local como esse?Aqui morreram muitas pessoas, não sei por que tiveram a idéia de ser nesse lugar. -Relaxa, somos dois e qualquer coisa tô armado. -Às vezes bala não resolve o problema. -Vamo deixá de conversa fiada e vamos ao que interessa, não viemo aqui pra papo.

69

-Não precisa ser grosseiro, então você vai ser o primeiro, se o Tiago não se importar, com ele vou caprichar ainda mais. -Falando assim, como vou negar um pedido desses. Ela e Rodrigo se dirigiram para um descampado, o capim ralo seria a cama dos dois. Tiago,ficou de costas observando se viria algum estranho atrapalhar a cena. -Você agora sentirá um prazer mortal. -Oba, é com isso que eu conto. A lascívia foi intensa e no momento de maior clima, ela deu um sopro em seu ouvido e ele caiu com uma expressão de sorriso nos lábios. Desarrumou os cabelos sedosos e gritou por Tiago,ele estranhou o amigo não ter ido,mas o corpo falou mais alto e atendeu o chamado. -Cadê o Drigo? -Tá ali descansando, pelo jeito ele não aguenta o tranco muito não, ejaculou muito rápido e só conseguiu ir duas vezes comigo. - Então te prepara, pois sou incansável e você vai ficar ardida de tanta fricção. -Pobre garoto, você não sabe da missa a metade, eu sou a jovem que foi estuprada violentamente e morta por caras como vocês e minha alma não terá sossego enquanto não pegar aqueles que fizeram isso comigo. Seu erro é ser igual a todos. Ele não tivera como reagir, o sopro dela o atingiu e não viu mais nada. Tranquila estava à espera de sua condução,a rotina noturna apenas havia começado,muitos iguais a esses jovens ainda seria suas vítimas.Era difícil resistir a tanta beleza,o encanto natural era sua arma predileta. -Vamo azara uma mina, Bruno? -Passa aqui em casa velho, a noite é um feto.

O OLHO DO MAL A excursão para uma das cavernas da cidade era muito aguardada por Danilo. Tudo preparado:equipamento de segurança,comida,bebida.A noite parecia não terminar.Dormiu tanto,sendo despertado pelo toque insistente do celular.O dia lindo
70

contrastava com a sensação de ter perdido algo muito importante.Meio sonolento atende o aparelho. -E aí cara, vem ou não vem?Tamo aqui te aguardando. -Minha nossa senhora,perdi a hora,a Dulce taí? -Claro meu velho! -Tô indo agora, pensei que estava a caminho daí, mas só foi sonho. E a galera?Hoje é um dia especial pra turma. Cada um vai em busca de seus sonhos e essa aventura será uma das poucas oportunidades de estarmos juntos. -Deixa de lengalenga e vem logo. Desligou o celular, pegou o que havia separado e saiu. Seu carro comportava todos os cinco amigos muito bem. No caminho comprou mais cervejas.Um a um foram entrando no veículo.Breno,Italo,Dulce e Jéssica.A caverna não era tão distante assim da cidade.Não perceberam o aviso próximo do local que pretendiam ficar: NÃO ENTREM!PERIGO!! Algumas nuvens cinza começaram a crescer no céu. Prenúncio de chuva ou... Caçoavam muito uns dos outros,relembrando episódios de suas vidas.Breno estava sombrio nesse dia,comentou que tivera um sonho esquisito.A cidade iria passar por uma transformação imensa,um objeto desconhecido até então mudaria história da humanidade.Ele seria o responsável por isso.Não queria acreditar em tão grande impacto que isso proporcionaria.Que mal estaria por vir?Nem ele mesmo soube contar. Chegaram felizes e crentes de participarem de algo inesquecível. A trilha que marcava a direção da caverna há muito não mostrava vestígio de pessoas ali. Com muito esforço e abrindo caminhos,a entrada foi avistada.Jéssica demonstrava completo despreparo físico.Um cordão realçava o seu busto.Nele um pingente despertou a curiosidade de Danilo. -Muito lindo esse pingente, só nunca tinha visto tal símbolo, e olha que sou conhecedor dessas coisas. -Foi presente de família, passado de geração a geração. Ele pra mim tem mais valor afetivo que significado histórico.Meu pai dizia que era pra proteger as primogênitas da família.Tem algo a ver também
71

com a fundação da cidade.Parece que ele foi achado em uma caverna e desde então trouxe muita prosperidade.Acho que é lenda,mas pelo sim pelo não,vou seguir a tradição. -Nossa, esse passeio tá começando a ficar sinistro, primeiro o Breno com um sonho que ninguém entendeu direito e agora você com isso. -E aí, vamo entrar logo! -Calma, princesa, temos que fazer isso com segurança, olha a passagem, é estreita, vamo devagar. Ítalo foi o primeiro a escalar e entrar na caverna, aos poucos todos conseguiram entrar. Estava escuro,acenderam suas lanternas,arrumaram os apetrechos e ao observarem o lugar perceberam que teriam muito a descobrir ali.Havia algumas entradas e corredores. As nuvens cinza aumentavam gradativamente, ligaram o MP7, abriram algumas cervejas, a alegria era crescente. Ítalo guardava uma atração por Jéssica e motivado pelo álcool insinuou-se para ela e como sempre,fora convencido a se afastar.Não entendia o porquê de tanta recusa.Segundo ela,ele tinha o cheiro do mal na alma e a amizade dos dois estava em crise há um tempo.Confuso,tentou roubar-lhe um beijo e para desvencilhar-se dele o empurrou,nesse ato as mãos dele tocaram o cordão quebrando-o.O pingente caiu,procuraram e não encontraram,apenas o cordão foi achado.Nisso as nuvens enegreceram,causando estranheza aos habitantes da cidade.Os amigos ignoravam o que acontecia fora da caverna. O pequeno desentendimento foi logo esquecido, iniciaram a caminhada caverna adentro. Viram muitos símbolos pagãos.Danilo ficou apreensivo com o que estava descobrindo.Não contou nada a ninguém para não assustá -los.Distraidamente.Dulce derruba uma pedra solta na parede da caverna,abaixo dela estava um amuleto que mesmo no escuro reluzia.Breno o tocou. -Parece estar vivo!O que será isso? -É um objeto do mal, acredita-se que ele foi o responsável pela destruição da humanidade. Lembram do "dilúvio" contado pela igreja católica?Outras culturas firmam que ele foi o causador disso. Na época o céu escureceu,deixando todos assustados.Não quero acreditar nisso,espero ter errado.Será o fim da humanidade? -Dan, como vai ser nossa vida, esperava convencê-lo a vir comigo. Tenho medo de morrer.
72

O pingente!O pingente!Tá ali na parede desenhado e pelo jeito só ele poderá reverter essa situação. Temos que achá-lo o mais rápido possível. Aos poucos a luminosidade do amuleto ia aumentando. As nuvens já cobriam outras cidades,não demorariam a enegrecer todo o céu.Era quente agora,parecia lava de vulcão.As cidades estavam num caos imenso.O desespero tomava conta da população.Não podiam fazer nada.Na caverna,não tiveram tempo de encontrar o pingente,foram queimados pelo objeto descoberto. No céu, um olho apareceu começando a queimar todos, milhares de pessoas: jovens, idosos, crianças morriam irradiados pelo olho. Não havia esperança?Nesse exato momento duas crianças: um menino e uma menina entraram na caverna. Viram o pingente,seus corpos quase sem vida se aproximaram dele e o tocaram simultaneamente.Eram os sobrinhos de Jéssica.A humanidade iria sobreviver dessa vez.

NÃO ADORMEÇA JAMAIS

Adão não compreendia os pesadelos que estava tendo ultimamente. Não conseguis sonhar como antes,era doloroso dormir,mas necessário,o corpo pede e não há como resistir ao sono.Leu que os sonhos são reflexos de experiências que sua mente registrou e aleatoriamente essas pequenas lembranças,de filmes,frases que dissera ou ouvira,imagens que vira,enfim tudo poderia ser usado pela mente enquanto dormia.O estado inconsciente das pessoas a deixam vulneráveis a toda e qualquer ação externa.Nos sonhos imagina-se ter o controle das coisas.Na batalha entre o Bem e o Mal.muitos recursos são usados para que um se sagre vencedor dessa disputa milenar.O maniqueísmo faz com que as pessoas vibrem,ora por um,ora por outro.O Mal tinha um novo projeto de guerra,converter as pessoas enquanto estão adormecidas.Esse projeto era guardado à sete chaves e sua execução estava prestes a se iniciar,pegaria o inimigo de surpresa e não haveria como reverter a vitória,enfim o Mal triunfaria sobre a Terra.

73

-Acorda Adão, chega de dormir, meu filho, dormir tanto assim pode te fazer mal, não é certo. -Tá bem vó, vou levantar, sei que tá na hora, mas é que poucas vezes tenho conseguido dormir um sono tranquilo, em que eu não tenha que me levantar assustado pelo que vi em pesadelo. São coisas bizarras vó,num sei por que isso ta acontecendo. -Vai ver que você não tem rezado antes de dormir, peça sempre a Deus que guarde seus sonhos, os anjos virão interceder por você, meu neto querido. Agora vá trabalhar que a vida nunca é de graça,a gente precisa de dinheiro para se sustentar.Anda logo. Adão foi para o trabalho pensando no que sua vó lhe dissera. Os amigos do emprego diziam bom dia brincando com o nome dele:"Eviadão,o culpado disso tudo sempre foi Eviadão".Ele já nem mais ligava com isso.O escritório de contabilidade vivia lotado de clientes,muitas declarações de renda eram feitas lá,por pessoas individuais,empresas.O escritório era muito conceituado,a honestidade nos negócios era tão importante quanto respirar.Esse era o lema da empresa.Adão não tinha namorada ainda,apesar de ter aparecido algumas candidatas.Esperava pela mulher certa,aquele por quem ele morreria de amores.Os amigos zoavam com ele por isso "cuidado pra não criar pêlo nas mãos" era a frase mais ouvida por ele.Pouco se importava com a gozação dos colegas.Chegou em casa depois de mais um dia de trabalho,era só ele e a avó na casa,os outros estavam morando em uma cidade vizinha. Ao deitar-se, rezou como sua vó lhe ensinara. Sentiu pela primeira vez há muito uma leveza, sabia que o sono seria tranquilo. Mal adormeceu,ouviu vozes estranhas,parecia que estava acontecendo uma espécie de ritual,reunião...não sabia bem o que era mas eram muitas as vozes que ouvia.Acordou e foi investigar a casa.Nada.Nada havia de anormal,preferiu acreditar ter sido uma ilusão ou impressão.Estava com muito sono e não foi difícil adormecer novamente.Só que desse vez as vozes eram mais fortes e procuravam convencê-lo de que devia segui-las,algo dizia para ele não dar ouvidos,mais aos poucos as vozes criaram formas e o pegou pelo ponto mais fraco:a luxúria.O desejo da carne requer muita força do espírito para que não se deixe levar por ela.Havia um desejo imenso nele de conhecer mulher e seduzido pelas belas formas deixou-se levar,mas no momento em que estava próximo do
74

primeiro beijo de sua vida,algo o chama para acordar.O despertador que a avó colocara para ele.Levantou-se e viu que o calção estava levemente úmido,foi mais que depressa tomar uma ducha bem fria.Aquele sonho ficou em sua cabeça a manhã toda. Na empresa as pessoas o tratavam do mesmo jeito, mas havia algo de novidade no ar, todas pareciam estar sob a influência de alguma coisa, não eram tão naturais como antes. Esboçavam um sorriso maligno.Sentiam prazer em dar informações que desagravam aos clientes e alguns destes adoravam ser pisados com as palavras.O masoquismo estaria em moda?O que havia despertado esse desejo mórbido nas pessoas?Continuou seu trabalho normalmente e um medo invadiu seus poros. Voltou para casa muito pensativo e também estranhou o fato da avó não o ter chamado como sempre fazia.Na hora do jantar viu que a avó não agia da mesma forma. -Há algum problema vozinha?Você tá muito diferente e sei disso, me conta qual é o seu problema?Por que não sorri como antes? -Não é nada meu netinho. Sua voz dita de forma tão mecânica não o convencera, observou o mesmo sorriso maligno que vira no escritório e ficou perplexo com a incrível maldade no gesto de matar um mosquito que pousara em seu braço. Alguma coisa estava acontecendo com as pessoas e ele supunha isso.Mas não sabia como interferir,nem ao menos pôde ajudar a avó,ela não estava agindo como de costume.Foi deitar-se e fez a oração que o havia ajudado a dormir tão bem,pensava ardentemente em encontrar aquelas lindas mulheres novamente.Dormiu e rapidamente as vozes o chamavam,estava plenamente consciente de suas ações.As mulheres apareceram, mas havia uma que não se movia em sua direção,estranhou,pois era uma jovem muito linda e ele a desejou também.As outras procuraram tampar a visão dele para que ele não visse mais a jovem em questão.De nada adiantou,ele acreditava dominar seus sonhos e foi em direção à jovem.O nome dela era Eva,quando soube quase riu,por lembrar das brincadeiras dos amigos de trabalho.AS outras mulheres o arrastaram para junto de si numa lascívia envolvente,mas ele ficara intrigado com a jovem que não lhe dava nenhuma atenção.Ao aproximar-se novamente dela,soube que ela seria a mulher da vida dele,não queria jamais se afastar dela.Ela falou com ele de uma forma que ele não conseguiu entender.
75

-Fui eu que trouxe ruína ao que o Senhor criou e é meu dever salvar o mundo e estou aqui com você, pois representa o Bem e eu sou a sua outra metade, sei que esperas por mim. O Mal deseja dominar o mundo através dos sonhos.Cada pessoa tem as suas fraquezas e quando dominadas passam a servir o ANJO NEGRO,aquele que foi expulso do paraíso por tentar ser mais que Deus.Nada vou interferir em sua decisão,dentro de alguns segundos estarei fora de seu sonhos e só caberá a você a salvação da humanidade.Dessa vez é você que é tentado pelo fruto proibido,não faça como eu,lhe peço,sofro muito por minha atitude impensada.Mal acabou de falar,sumiu,as belas mulheres começaram a beijar o corpo de Adão,seu dedo já estava todo eriçado e cada pedaço de seu ser era lambido,beijado...sentiu um prazer tão imenso que pensou em nunca mais acordar daquele sonho delicioso.Repetidas vezes se viu entregue à luxúria.o prazer era imenso e no melhor do bem bom... -Acorda menino, você tem muito que fazer hoje. Um sorriso maligno foi esboçado novamente e dessa vez era o dele, cabia a ele personificar a vontade do Mal na Terra e seria muito fácil vencer, afinal, todos tem que dormir, cedo ou tarde.

A MÃO QUE TE AFAGA...

Era inverno e as pessoas estavam afeitas ao calor humano. As roupas não eram suficientes para aliviar o frio intenso que castigava a pequena cidade de... .O comércio faturava bastante com a venda de aquecedores, a cidade deslizava tranquila em sua monotonia corriqueira. Uma família aguardava a chegada de um parente distante.Ele viria à cidade para concluir um negócio que iniciara por telefone e sua presença na assinatura do contrato se fazia mais que necessária.Seu Jonas era o mais ansioso pela chegada de Henrique,primo em segundo grau.A esposa fazia ressalvas quanto a índole da visita que mudaria a rotina da casa.Os filhos,Ana e Pedro,estavam indiferentes.Viviam preocupados com a dura vida de "aborrecentes" que levavam. Quando Henrique chegou, o frio se tornara mais forte, ele não trouxera roupas adequadas, mas a família de pronto resolveu o
76

problema. Eram muitos os afagos,muitas mãos adulando a visita.Ela precisava ser bem tratada,afinal não era comum receber visitas naquela casa.Os dias se passaram e nada de Henrique resolver o negócio que dissera vir fazer.Tornou-se aos poucos confidente dos jovens das casa,a mãe nem desconfiava as carícias trocadas entre Ana e Henrique.Os mimos foram aumentando e ele já se sentia dono da casa.Pedro tentara alertar o pai das coisas que tinha visto em Henrique,mas como ele era de total confiança,nem ligou. Henrique convenceu Ana a executar um plano que mudaria para sempre a existência daquela família. Só não via quem era cego que o casal recém criado na casa estavam vivendo uma tórrida paixão. Henrique dissera que terminara a negociação que viera fazer e estava de malas prontas para partir e agradeceu a todos pela acolhida.Mal sabiam eles que tudo não passava de um plano dele com Ana.À noite ele foi embora e deixou saudades em todos da casa.Ana,não disfarçava o nervosismo. Ninguém sabia que Henrique era frio, sádico, dissimulado e capaz das maiores crueldades. Na cidade em que ele veio resolver um negócio deixou para traz dois mortos,os quais foram diluídos em ácido para não deixar nenhuma pista.Sempre tivera essa preocupação.Fingiu pegar o ônibus e na hora marcada encontrou-se com Ana.Ali começava o primeiro passo.Após alguns beijos alucinantes ele e ela de posse da chave da casa,esperaram todos adormecerem.Em sua mala havia todo o material necessário para mais um serviço de Henrique.Eram instrumentos cirúrgicos e equipamento de limpeza muitos eficientes. O frio intenso da cidade tornava o sono mais agradável, a casa dormia tranquila. Eles entraram e um a um a garganta de todos os moradores foi cortada, ainda beberam um pouco de sangue para saciar a sede. Colocaram os corpos na banheira e começaram a diluí-los e tiveram o cuidado de limpar a casa sem deixar vestígio que os incriminassem.Após realizarem a limpeza da casa,Ana e Henrique foram para a cama do casal e fizeram amor de forma enlouquecedora.O dia raiou mais lindo do que nunca.Uma vizinha veio perguntar algo para os pais de Ana.Ana apenas informou que eles e o irmão dela tinham ido para o interior do estado e deixaram ela,agora com o novo marido tomando contas da casa.A vizinha ficou feliz com a notícia do

77

casamento,embora pensasse que ela era uma menina ainda.Quando a visita saiu,eles se olharam,esboçaram um sorriso... -Amor, tá na hora de ajeitarmos algo pra gente comer. -Sim, benzinho. Mas não esqueça que fazemos tudo juntos.

Porto Velho/abril 2009.

78


				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:324
posted:5/27/2009
language:Portuguese
pages:78