Os dias do fim by relojprofetico

VIEWS: 233 PAGES: 201

Os días do fim - Português

More Info
									                 “OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias da presente geração)




                                                       Vítor Quinta

                                                 Set.2009-Jun. 2010
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




Índice de temas
                                                                                                                   Página


1.  Introdução .............................................................................................................4
2.  As advertências de Deus ......................................................................................7
3.  Sinais proféticos dos últimos dias .........................................................................9
  3.1    O restabelecimento da nação de Israel e a contagem dos Jubileus. A
  importância do ano 2017. .......................................................................................14
  3.2    Cumpre-se o tempo .....................................................................................28
  3.3    Dias difíceis pela frente................................................................................32
  3.4    Babilónia e os 7 reis do tempo do fim ..........................................................35
  3.5    Um mundo em agonia..................................................................................44
4. As 70 semanas proféticas de Daniel...................................................................49
  4.1    Notas de abertura ........................................................................................49
  4.2    As 70 semanas cumpridas no tempo, desde o Cativeiro de Babilónia.........57
  4.2.1    As Sessenta e Nove semanas .................................................................57
  4.2.2    Hiato de cerca de 2.000 anos...................................................................64
  4.2.3    A 70 ª Semana (o tempo do fim) ..............................................................66
  4.3    As 70 semanas cumpridas nos últimos dias, a contar de 1947/48 ..............86
  4.4    “Daquele dia e hora…” – Mateus 24:36; Marcos 13:32................................91
  4.5    O anti-Cristo, a besta, a grande Babilónia do tempo do fim.........................96
  4.6     Os tempos do fim e o Islão .......................................................................109
  4.7    A marca da besta e a marca de YHWH .....................................................131
5. Os 4 cavaleiros do Apocalipse ..........................................................................144
6. As 7 trombetas, os 7 selos, as 7 taças e os “3 ais” ...........................................156
7. A batalha de Armagedão...................................................................................165
8. A vinda gloriosa do Rei Eterno, Senhor Yeshua e o Seu Reino Milenar...........179
  8.1    O que falta cumprir.....................................................................................183
  8.2    O Templo e o Santuário em Jerusalém e o culto no Milénio......................185
  8.3    Um futuro brilhante e eterno ......................................................................189
9. Conclusões deste estudo ..................................................................................193
10.    “Ora vem Senhor Yeshua”.............................................................................194
Anexo – Diagramas e Análise Profética ..................................................................196


                                                 -.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-




Vítor Quinta                                                                                                               2
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




        “…e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações.”
                                  Daniel 9:26c




Vítor Quinta                                                               3
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




1.     Introdução

Podemos começar este trabalho com uma pergunta sacramental: “o que é que o ser
humano espera desta vida?” Se o homem reflectir no verdadeiro sentido desta vida
acabará por só encontrar em Deus a resposta a esta pergunta. De resto, a resposta
certa a esta pergunta só pode ser encontrada nos Seus ensinamentos.

O tempo de vida de um ser humano é curto e passageiro. Este tempo tanto pode ser
uma oportunidade única e maravilhosa se for aproveitada para alcançar o prémio da
vida eterna que Deus tem para dar através de Seu Filho Yeshua, como se pode
revelar um completo desperdício se o ser humano voltar as costas ao Deus Criador,
Senhor YHWH. O ser humano que não aproveita esta dádiva única e gratuita, revela
pouca inteligência e falta de visão e entendimento do propósito desta vida.

Apesar dos inúmeros sinais e avisos que O Deus YHWH vem enviando ao mundo ao
longo dos tempos e, com maior incidência nos dias que estamos a viver, o homem
persiste em não os querer “ver” ou compreender. Se os compreendesse, certamente
se arrependeria da forma como tem vivido afastado do seu Criador.

Os títulos dos capítulos deste trabalho não tratam de acontecimentos independentes
uns dos outros. Antes, eles estão encadeados ou até interpenetrados uns nos outros,
o que nos obriga, por vezes, a reabordar um tema que já tinha sido abordado num
outro capítulo.

Daniel, e outros profetas de YHWH, em conjunto com o apóstolo João que nos
deixou escrito o livro de Apocalipse (a revelação de Yeshua (Jesus)), bem como O
próprio Cristo Yeshua, são alguns dos homens de que YHWH se serviu para chamar
o homem ao arrependimento em todos os tempos, anunciando os dias maus do
tempo do fim1. Nestes dias do fim muitos entenderão, conforme nos é dito em Daniel
12:10 – “Muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados; mas os
ímpios procederão impiamente, e nenhum dos ímpios entenderá, mas os
sábios entenderão”. Por isso Ele diz em Apocalipse 22:11 – “Quem é injusto2,
faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça
justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda”.




1
  Quando titulamos este trabalho de “Os Dias do Fim” ou quando transcrevemos a pergunta dos
discípulos a Yeshua inquirindo que sinais haveriam “do fim do mundo”, torna-se necessário esclarecer
que estas palavras não significam que o mundo vai acabar. O que vai acabar é o governo de Satanás
e do homem sobre as nações da Terra, pois virá o tempo da teocracia, i.e. o governo de Deus sobre
todas as nações da Terra através do Filho, O Rei Yeshua, O Senhor YHWH.
2
  Injusto é todo o que transgride sem causa as leis de YHWH, a Sua Torá, por justaposição aos que
“são justos”, os que caminham nas leis, mandamentos, estatutos, juízos e testemunhos de YHWH,
como nos é dito tendo por referência os pais de João, o Batista, em Lucas 1:5-6.


Vítor Quinta                                                                                      4
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Desde sempre o homem quis conhecer o futuro. Porém, diz o ditado popular que “o
futuro a Deus pertence” e é bem verdade. Porém, Deus nunca pretendeu manter os
homens na ignorância acerca do que estava para acontecer, pois essa ignorância só
aproveitaria a Satanás para melhor enganar mais alguns. Mesmo assim, apesar de
Deus revelar o futuro aos Seus fiéis através das palavras dadas aos profetas, o
homem deixa-se manipular pelo grande adversário e inimigo, Satanás – o príncipe
deste mundo. Ao revelar o futuro, Deus torna os homens inescusáveis. Da mesma
forma que os discípulos perguntaram a Yeshua como e quando seria o “fim do
mundo”, também Daniel viu as revelações mas não as entendeu, por isso inquiriu de
Deus o seu significado – Daniel 12:8.

Podemos então dizer com segurança que Deus nunca ocultou o futuro, embora o vá
revelando gradualmente aos Seus filhos. Isaías 45:11 diz-nos claramente: “Assim
diz YHWH, o Santo de Israel, aquele que o formou: Perguntai-me as coisas
futuras; demandai-me acerca de meus filhos, e acerca da obra das minhas
mãos”. Não nos reste pois quaisquer dúvidas que Deus quer que os Seus filhos
saibam o que está para acontecer e que, através da Sua Palavra, renovem o seu
coração em esperança, confiança e fé, para andarem em obediência nos Seus
caminhos, alertando também outros para a necessidade de se ligarem ao Criador e
Sustentador de todas as coisas. Como a Sua Palavra ensina, podemos conhecer o
futuro, recorrendo somente a Ele e nunca aos obreiros da falsidade, da mentira, os
adivinhadores e falsos profetas. Muitos exemplos se podiam dar, mas vamos referir o
mais conhecido deles todos, o de Saúl, rei em Israel: apesar de conhecer a vontade
de Deus em relação à feitiçaria (que é uma abominação aos olhos de YHWH) e, em
vez de buscar o conselho do Senhor, Saúl recorreu a uma feiticeira e, por isso
mesmo, foi castigado com a morte – 1.Samuel 28:7-15, 31:6.

Em Amós 3:7, O Senhor diz-nos que revela tudo aos profetas, seus servos, antes
que as coisas venham a acontecer. E o papel do profeta é anunciar ao homem as
coisas que estão para sobrevir ao mundo (este é o papel do atalaia), para que o
homem se arrependa enquanto é tempo: “Certamente o Senhor DEUS [YHWH]
não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os
profetas”.

Neste trabalho vamos procurar concentrar-nos nas profecias3 que apontam para os
grandes acontecimentos que se hão-de produzir na parte final do tempo de vida da
última geração, ou da geração que testemunhará estes sinais, até que Yeshua, O Rei
Eterno venha para reinar eternamente. Lembremos as palavras de Yeshua em todo o
capítulo de Mateus 24 quando respondia aos discípulos e lhes ensinava o que havia
de suceder no tempo do fim: Mateus 24:3 – “E, estando assentado no Monte das
Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Dize-
nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do
mundo?”, ao que O Mestre lhes/nos responde com bastante pormenor sobre os
acontecimentos que haveriam de acontecer. Depois, nos versos 34 e 35, Ele diz-nos:
“Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas
coisas aconteçam. O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão
3
  Conforme nos diz em 2.Pedro 1:19 – “E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem
fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e
a estrela da alva [Yeshua, O Cristo] apareça em vossos corações”.


Vítor Quinta                                                                               5
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

de passar”. Fixemos estas palavras de Yeshua pois elas são centrais para toda a
análise bíblica que se apresenta neste trabalho.

Torna-se assim essencial introduzir esta chamada de atenção para o tempo de vida
da geração actual, a que vive antes da segunda vinda de Yeshua (já não como O
servo humilde e sofredor, mas como O Rei Glorioso, O Deus de toda a terra – Isaías
54:5).

Lembremos ainda: uma geração é de setenta anos, como nos é apontado no Salmo
90:10; Isaías 23:15b. Este apontamento é importante para podermos compreender,
mais adiante, a importância das palavras de Yeshua em relação a alguns dos sinais
do tempo do fim, os que estamos a viver hoje.

Propomos que se distingam quatro grandes períodos segundo o plano de Deus:
    1. O que já passou (está cumprido o 6º Milénio após a criação de Adão).

    2. Desde o moimento em que escrevemos estas linhas (Junho de 2010) até à 2ª
       vinda de Yeshua, O Messias, como Rei de toda a Terra, haverá ainda um
       período de tempo muito curto, o período da chamada “Grande Tribulação”, a
       que corresponde a profecia da 70ª semana da profecia de Daniel – Daniel
       9:24-27, uma semana de anos (7 anos).

    3. A vinda do Rei Yeshua (O Messias, Filho de David4) e o Reino Milenar em que
       Ele governará sobre todas as nações da terra – durante o 7º milénio, período
       em que Satanás e os seus anjos rebeldes estarão presos, pois ser-lhes-á
       retirado o poder que hoje têm; no final do 7º milénio Satanás será solto para
       enganar de novo as nações, após o que será destruído conjuntamente com os
       seus anjos e demónios rebeldes; após a destruição de todos os Seus inimigos,
       o último dos quais será a morte, Yeshua entregará o reino ao Pai; seguir-se-à,
       então,

    4. A eternidade para os justos. Serão criados novos céus e nova terra em que
       habitará a justiça para sempre. A Jerusalém celestial descerá então dos céus
       e O Deus YHWH habitará com o Seu povo e será O seu Deus.

Ainda que resumidamente, estes são os grandes temas que nos propomos abordar
neste trabalho, o qual estará centrado, sobretudo, nos “dias do fim”, os
acontecimentos que ocorrerão em breve.

Pedimos desculpa ao leitor por eventuais desacertos ou repetições que este trabalho
possa conter, mas o desejo de levar ao seu conhecimento o essencial da mensagem
nele contido, centrada nos “dias do fim”, leva-nos a não adiar por mais tempo a sua
divulgação.




4
 O Rei Eterno veio em duas missões distintas: a primeira como “O Cordeiro de Deus” (Isaías 53:3-10;
Daniel 9:26; Êxo.12:6; João 1:29; 1.Coríntios 5:7) e na segunda virá como “O Leão da Tribo de Judá”
(Apocalipse 5:5, 6, 12:11, 14:1).


Vítor Quinta                                                                                     6
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




2.     As advertências de Deus

Tenhamos sempre presente que quando falamos dos acontecimentos proféticos dos
últimos dias, as profecias estão quase sempre centradas tanto no povo de Israel,
como na terra de Israel e na santa cidade de Jerusalém, a cidade da paz, que ainda
não conheceu a paz porque O Rei eterno ainda nela não assentou o Seu trono de
forma permanente.

Desde tempos imemoriais que O Senhor YHWH vem anunciando os “dias do fim”
através dos Seus profetas e do Seu Cristo. Vejamos, por exemplo, Isaías 13:6-9 (ler
também os versículos seguintes) – “Clamai, pois, o dia de YHWH está perto; vem
do Todo-Poderoso [El-Shaddai] como assolação. Portanto, todas as mãos se
debilitarão, e o coração de todos os homens se desanimará. E assombrar-se-
ão, e apoderar-se-ão deles dores e ais, e se angustiarão, como a mulher com
dores de parto; cada um se espantará do seu próximo; os seus rostos serão
rostos flamejantes. Eis que vem o dia de YHWH, horrendo, com furor e ira
ardente, para pôr a terra em assolação, e dela destruir os pecadores”. Quem dá
hoje ouvidos a estas palavras? Ou quem pensa que estes castigos virão a ocorrer no
tempo da sua vida? Será que Deus não está aqui a anunciar castigos sobre uma
humanidade que não quer ouvir as Suas advertências e arrepender-se dos seus
maus caminhos? Certamente que sim. Lembrar-se-á o homem de hoje que o mundo
antigo foi insistentemente avisado da vinda das águas do dilúvio e não fez caso
desses avisos? Certamente que não.

Pelas palavras de Isaías que acabámos de ler, também podemos colher o
ensinamento de que a tribulação dos fiéis ocorrerá às mãos dos ímpios antes da
vinda gloriosa mas também castigadora de Yeshua, O Rei. Porém, a Sua ira será
derramada sobre esses ímpios e opressores do povo santo; Ele virá para castigar e
exterminá-los, bem como todos os que destroem a Terra. Ele virá com vingança.

Ou será que o homem de hoje pondera estas palavras: Isaías 42:13-14 – “YHWH
sairá como poderoso, como homem de guerra despertará o zelo; clamará, e
fará grande ruído, e prevalecerá contra seus inimigos. Por muito tempo me
calei [diz YHWH através do profeta]; estive em silêncio, e me contive; mas
agora darei gritos como a que está de parto, e a todos os assolarei e
juntamente devorarei”? E quem são os que sofrerão a ira do Todo-Poderoso, senão
os que se revelam como inimigos do Senhor, aqueles que O rejeitam, mesmo os que
dizem que O querem servir mas que obram a iniquidade e escolhem permanecer na
sua própria rebeldia? Mesmo muitos que hoje dizem fazerem parte da Israel de
Deus... Leiamos mais adiante, em Isaías 42:18-20 – “Surdos, ouvi, e vós, cegos,
olhai, para que possais ver. Quem é cego, senão o meu servo, ou surdo como o
meu mensageiro, a quem envio? E quem é cego como o que é perfeito, e cego
como o servo de YHWH? Tu vês muitas coisas, mas não as guardas; ainda que
tenhas os ouvidos abertos, nada ouves”. Se entendermos o contexto em que
estas palavras são ditas, vemos claramente que elas são dirigidas ao povo de




Vítor Quinta                                                                     7
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

Israel…de todos os tempos, advertindo, em particular, contra ignorância e
transgressão dos preceitos do Senhor, a Sua Lei/Torá5.

Este é O Deus que nos revela o fim desde o princípio, e o Seu conselho será firme,
como Ele nos diz em Isaías 46:9-10.

Por isso o Santo de Israel, Senhor Yeshua, tem as seguintes palavras para esses –
Mateus 7:23 – “E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos
de mim, vós que praticais a iniquidade” (iniquidade = pecado = transgressão da
Lei/Torá de YHWH).

Em toda a Sua Palavra e em todo o tempo, YHWH chama o homem ao
arrependimento e a andar nos Seus caminhos (na Sua Torá), aceitando o sangue da
Aliança derramado por Yeshua, como condição para a sua salvação. Porém, a cerviz
do homem é dura, bem como o seu coração/mente. Eles preferem andar no seu
próprio conselho e não querem ouvir a voz Daquele que os chama para o caminho
perfeito, para o refúgio eterno. Por isso O Senhor lhes diz em Provérbios 1:22-33 –
“Até quando, ó simples, amareis a simplicidade? E vós escarnecedores,
desejareis o escárnio? E vós insensatos, odiareis o conhecimento? Atentai
para a minha repreensão [para a Minha Lei/Torá]; pois eis que vos derramarei
abundantemente do meu espírito e vos farei saber as minhas palavras.
Entretanto, porque eu clamei e recusastes; e estendi a minha mão e não houve
quem desse atenção, antes rejeitastes todo o meu conselho [a Minha Lei/Torá],
e não quisestes a minha repreensão, também de minha parte eu me rirei na
vossa perdição e zombarei, em vindo o vosso temor. Vindo o vosso temor
como a assolação, e vindo a vossa perdição como uma tormenta, sobrevirá a
vós aperto e angústia. Então clamarão a mim, mas eu não responderei; de
madrugada me buscarão, porém não me acharão. Porquanto odiaram o
conhecimento [a Minha Lei/Torá]; e não preferiram o temor de YHWH: Não
aceitaram o meu conselho, e desprezaram toda a minha repreensão. Portanto
comerão do fruto do seu caminho, e fartar-se-ão dos seus próprios conselhos.
Porque o erro dos simples os matará, e o desvario dos insensatos os destruirá.
Mas o que me der ouvidos [o que ouvir a Minha voz, i.e. a Minha Lei/Torá]
habitará em segurança, e estará livre do temor do mal”. Esta passagem põe
claramente a nu a diferença entre o que serve a Deus e o que vira as costas ao seu
Criador e se faz surdo, tornando-se rebelde.

A protecção dos fiéis será manifestada nestes “dias do fim”, nos dias de aperto e
aflição dos ímpios: Salmo 40:10-11; Ezequiel 34:22; Jeremias 23:3-4. Malaquias
3:16-18 remata este assunto com estas palavras: “Então aqueles que temeram a
YHWH falaram frequentemente um ao outro; e YHWH atentou e ouviu; e um
memorial foi escrito diante dele, para os que temeram a YHWH, e para os que
se lembraram do seu nome. E eles serão meus, diz YHWH dos Exércitos;
naquele dia serão para mim jóias; poupá-los-ei, como um homem poupa a seu
filho, que o serve. Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio;
entre o que serve a Deus, e o que não o serve”.



5
 A Torá de YHWH significa a Lei/Instrução/Ensino dado ao homem através de Moisés, e corresponde
ao que está escrito nos primeiros cinco livros da Bíblia, o Pentateuco.


Vítor Quinta                                                                                  8
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Em Salmos 96:13 e 98:9 é-nos dito que O Senhor YHWH vem a julgar toda a terra;
julgará o mundo com a Sua justiça [a Sua Lei], e os povos com equidade.

Essa diferença entre os que verdadeiramente temem e servem a YHWH, i.e. os que
vivem pela fé no Filho de Deus, Senhor Yeshua e andam na Sua Lei/Torá, e aqueles
que aborrecem a instrução do Altíssimo, embora andem como o nome de “Jesus” nos
seus lábios, será manifesta quando Ele vier para separar o trigo do joio, ou as
ovelhas dos bodes. Leiamos as seguintes passagens:

        •      Malaquias 4:1-3 – “Porque eis que aquele dia vem ardendo como
               fornalha; todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade,
               serão como a palha; e o dia que está para vir os abrasará, diz YHWH
               dos Exércitos, de sorte que lhes não deixará nem raiz nem ramo. Mas
               para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura
               trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria.
               E pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de
               vossos pés, naquele dia que estou preparando, diz YHWH dos
               Exércitos”.

        •      Salmo 37:38-40 – “Quanto aos transgressores, serão à uma
               destruídos, e as relíquias dos ímpios [os seus ídolos] serão
               destruídas. Mas a salvação dos justos vem de YHWH; ele é a sua
               fortaleza no tempo da angústia. E YHWH os ajudará e os livrará; ele
               os livrará dos ímpios e os salvará, porquanto confiam nele”.

        •      O Deus YHWH continua a chamar o homem ao arrependimento e ao
               Caminho que Ele lhe propõe através da Salvação que Ele mesmo
               preparou – Yeshua, O Messias: Isaías 45:21-22 – “Anunciai, e chegai-
               vos, e tomai conselho todos juntos; quem fez ouvir isto desde a
               antiguidade? Quem desde então o anunciou? Porventura não sou eu,
               YHWH? Pois não há outro Deus senão eu; Deus justo e Salvador não
               há além de mim. Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os
               termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro”. Será que o
               homem ouve este apelo?



3.     Sinais proféticos dos últimos dias

Quando Yeshua responde aos Seus discípulos no capítulo 24 de Mateus, de uma
forma breve (pois os profetas já haviam falado destes dias vindouros, em particular
Isaías, Jeremias, Ezequiel e Daniel), Ele apontou que estes dias seriam vividos em
duas fases. Vejamos os sinais que nos foram dados:




Vítor Quinta                                                                        9
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


a) 1ª fase – o princípio de dores:

    •   A queda do segundo Templo6 em Jerusalém que ocorreu no ano 70 da era
        actual às mãos do exército romano (general Tito) foi o primeiro sinal – Lucas
        21:20-24; de resto, já o apóstolo João reconhecia que “era já a última hora” 7 –
        1.João 2:18.

    •   Muitos falsos “cristos” e falsos profetas se levantariam e muitos viriam “em
        Seu nome”, o que aponta de forma muito clara para o falso profetismo que
        hoje prolifera entre nós, levando muitos ao engano e à perdição – é o tempo
        do cavaleiro que vem sentado sobre um “cavalo branco”, conforme nos é
        apontado em Apocalipse 6:2 8.

    •   Guerras e rumores de guerras: nação contra nação e reino contra reino –
        nunca tantas e tão mortíferas guerras foram travadas como no último século e
        meio; hoje, as nações possuem uma capacidade destruidora que pode
        aniquilar o mundo, havendo quem pratique o genocídio de povos com a
        complacência dos poderosos, porque isso vai ao encontro dos seus interesses
        económicos e políticos; hoje as guerras não se travam somente pelo uso de
        armas convencionais, mas, igualmente pelo uso de novas armas
        (bacteriológicas, por exemplo) ou pelo domínio económico e tecnológico.

    •   As nações estão hoje a preparar-se novamente para uma guerra com tais
        consequências como a humanidade nunca experimentou até aos dias de hoje,
        aquela que será travada nas terras à volta de Israel e Jerusalém, cumprindo
        assim o profetizado sobre Gog e os seus exércitos e sobre todas as nações à
        volta de Israel, o que aponta para a Batalha de Armagedão a que Yeshua, O
        Rei, virá pôr fim.

    •   Fomes – muitas fomes endémicas que têm levado à morte milhões de
        pessoas nas zonas mais desfavorecidas do mundo, como no Extremo Oriente
        e em África.

    •   Pestilências – não se tem falado de outra coisa nestes últimos anos, desde o
        HIV/Sida, às gripes aviária e suína, aos vírus do tipo Ébola, etc., etc.

6
  Este Templo tinha acabado de ser reconstruído e ampliado pelo Rei Herodes, O Grande, seis anos
antes de ser destruído. O seu esplendor foi efémero. As suas pedras foram arrancadas uma por uma e
atiradas para o vale a sudeste de Jerusalém, conforme O Cristo Yeshua havia dito que sucederia. O
que restou (o muro de suporte da plataforma, ou o Muro das Lamentações) não fazia parte da
estrutura do Templo, embora seja aí que hoje os devotos se reúnem para orar. Na realidade, aquela
cidade não conheceu o tempo da sua visitação, conforme às palavras de Yeshua em Lucas 19:42-44.
Cerca de 125 anos após o castigo da destruição do Templo, uma nova revolta eclodiu liderada por Bar
Khoba (que foi falsamente apontado pelo rabi Akiba como “O Messias” que os viria libertar do jugo
romano). Após estas revoltas, as autoridades romanas mudaram o nome da província de Judeia para
Síria Filistia, de onde vêm o actual nome de Palestina (ver Deuteronómio 28:25 e Levítico 26:33).
7
  Se o apóstolo João há quase 2000 anos já dizia que era a “última hora”, quanto tempo será que falta
hoje para que tudo se cumpra? Um minuto? Possivelmente muito menos de um minuto em termos
históricos.
8
  Não confundir este cavaleiro com o Cavaleiro que virá também montado sobre um cavalo branco e
que nos é descrito em Apocalipse 19:11. Este é O Fiel e Verdadeiro.


Vítor Quinta                                                                                     10
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




    •   Terramotos em vários lugares – o seu número e intensidade têm-se
        multiplicado, bem como o número e força de tufões e ciclones ou inundações
        devastadoras, não esquecendo os problemas da perda da camada de ozono e
        o aumento do CO2 e do seu efeito de estufa sobre a temperatura do planeta e
        as calotes geladas das zonas do Ártico e da Antártida, etc., etc.

    •   Aumento da imoralidade e depravação morais colectivas, egoísmo,
        prostituição, homossexualidade e casamento gay, pornografia, …, conforme
        nos diz em Romanos 1:29-31; 2.Timóteo 3:2-4.


b) 2ª fase – os “dias do fim”:

    •   Perseguição e morte de muitos fiéis do povo santo (uma repetição do que
        ocorreu inúmeras vezes ao longo da História). Com tal propósito, Satanás
        dará o seu poder ao “filho da perdição”, ao “iníquo”, o anti-Cristo.

    •   Perante o quadro de perseguição, muitos, não tão fiéis assim, para “salvarem
        a pele” trairão os irmãos da fé e odiar-se-ão uns aos outros.

    •   Multiplicar-se-ão os falsos profetas (o que é bem visível hoje); quando Yeshua
        vier Ele lhes dirá “nunca vos conheci, apartai-vos de Mim, vós que
        praticais a iniquidade” – Mateus 7:23; 1.Timóteo 4:1. Será o tempo em que
        muitos darão ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demónios,
        como Paulo escreveu em 1.Timóteo 4:1. Haverá um recrudescimento de todo
        o tipo de engano espiritual como é o caso das doutrinas espíritas, dos
        adivinhadores e cartomantes, etc., ou da força de uma igreja corrompida, a
        “grande prostituta”… e enganarão a muitos.

    •   Virão os tempos da apostasia9, como Paulo nos anuncia em
        2.Tessalonicenses 2:1-12, multiplicando-se também a iniquidade10, o que fará
        esfriar o amor entre os santos.

    •   Um dos grandes fenómenos religiosos do tempo do fim que já vem sendo
        construído pacientemente há várias décadas é a aliança ímpia formada por
        uma “igreja universal” ou ecuménica, subordinada a Roma11, movimento
        também “apadrinhado” por toda a imprensa internacional ao serviço desta
        “mulher/igreja”. Essa futura “igreja unificada” será poderosa no tempo do fim e

9
  A palavra apostasia também pode ser traduzida do grego como rebelião, o que acontece nalgumas
traduções do Novo Testamento. Também pode significar “desvio ou abandono da verdade, da fé”.
10
   Que significa “transgressão das leis de Deus” como já apontámos.
11
   Depois de várias conferências internacionais e multi-congregacionais iniciadas em 1910, surge mais
tarde o Conselho Mundial de Igrejas que encabeça, com Roma, esta iniciativa. Nele estão
representadas congregações como: a Católica romana, muitos movimentos Evangélicos, a Liberal, a
Neo-ortodoxa, os Luteranos e os Calvinistas e a Ortodoxa Oriental, entre outras que entretanto
aderiram. Eis uma nova imagem da Babilónia dos tempos do fim que colocam de lado as Sagradas
Escrituras: esta é a “cristandade” da confusão dos nossos dias, o “falso profetismo”, “a grande
prostituta”, que estará ao serviço do último anti-Cristo. O conselho de Deus é: “Sai dela, povo meu” –
Apocalipse 18:4.


Vítor Quinta                                                                                      11
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        perseguirá, de novo, os santos do Altíssimo, tal como sempre o fez no
        passado. As filhas de Roma estão a voltar para o domínio da mãe, a “santa
        madre igreja romana”. Esta “mulher”/”igreja”/“grande prostituta”, está
        assentada sobre uma besta de cor de escarlata e sobre muitas águas (povos,
        nações e línguas), como nos diz em Apocalipse 17. O seu castigo é-nos
        anunciado em Apocalipse 18.

    •   Curioso é também identificar a simbologia da “deusa” grega Europa que é
        representada em muitas partes por uma mulher que cavalga um touro (besta).
        Veja-se alguns exemplos de estatuária entre muitos outros (como
        representações da mesma figura em selos postais comemorativos):

        a) Torremolinos-Espanha: o touro representa o deus grego Zeus; veja-se a
           coroa que ela ostenta na mão composta por estrelas (países da U.E.):




    b) Nova sede do Conselho da Europa em Bruxelas:




    •   Não nos deixemos enganar (os sinais são muitos), pois à medida que nos
        aproximamos da vinda do Rei Eterno haverá mais e mais notícias do
        aparecimento de falsos “cristos” nestes últimos dias, em vários lugares.
        Porém, Aquele que virá, O Senhor Yeshua, será visto por todos, pois Ele “virá
        como o relâmpago que será visto de uma extremidade do céu ao outro lado do
        céu…e todo o olho O verá” – Mateus 24:30; Apocalipse 1:7; 19:14. Virá de
        forma audível, com rijo clamor da trombeta de Deus, e bem visível. Já Enoque
        falava desta vinda gloriosa (Judas 14).

    •   Alguns dos tradicionais inimigos de Israel mover-lhe-ão novos ataques para
        “erradicar Israel do mapa das nações”! Porém, a profecia de Isaías 17 fala-nos
        da destruição da capital da Síria, Damasco.

    •   Dar-se-ão batalhas no fim, concentrando-se depois numa última batalha
        suicida, a Batalha de Armagedão, que coincidirá com a vinda gloriosa do
        Salvador Yeshua. Se Ele não pusesse fim a esses dias vindouros de matança


Vítor Quinta                                                                       12
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

         entre os homens…nenhuma carne se salvaria, tão grande irá ser esta
         mortandade dos últimos dias – Mateus 24:22; Marcos 13:20.

     •   Serão usadas armas de destruição tão poderosas que segundo a profecia de
         Zacarias 14:12, “a praga com que YHWH ferirá a todos os povos que
         guerrearam contra Jerusalém: a sua carne apodrecerá, estando eles em pé, e
         lhes apodrecerão os olhos nas suas órbitas, e a língua lhes apodrecerá na sua
         boca”!12

     •   O sol escurecerá e a lua não dará a sua luz devido aos inúmeros e sucessivos
         cataclismos que sobrevirão no mundo inteiro, porquanto,

     •   As potências do céu serão abaladas e haverá homens desmaiando de terror
         (Lucas 21:25-28).

     •   O Evangelho do Reino será pregado a todos os povos do mundo e,


Então, virá o fim!

Consideremos que a vinda gloriosa do Rei Yeshua não se poderá produzir sem que
primeiro ocorram todos estes acontecimentos proféticos.

Se, para além destes sinais tivermos presente os restantes que estão anunciados no
livro de Apocalipse, que mais não são do que castigos que virão sobre uma
humanidade impenitente, a exemplo das calamidades que foram derramadas sobre o
Egipto antes da libertação do povo de Israel, então o cenário do fim será
aterrador…homens desmaiando de terror, escondendo-se nos buracos das rochas,
milhões e milhões de mortos, etc. e tudo isto em muito pouco tempo, numa rápida
sucessão de desgraças. YHWH multiplicará o Seus mortos, i.e. aqueles que não
quiseram ouvir a Sua voz para andarem nos Seus caminhos, arrependendo-se dos
seus maus actos.

Yeshua remata este cenário dizendo que a aflição e angústia daqueles dias será tal
como nunca houve nem voltará a haver; estes dias serão de tal forma calamitosos e
plenos de destruição material e humana que, se não fossem abreviados, nenhuma
carne se salvaria. Porém, por amor dos escolhidos, esses dias serão abreviados –
Mateus 24:21-22; Lucas 21:25-26.

Sabemos que muitas nações têm hoje armas capazes de destruir toda a humanidade
e o seu habitat várias vezes. Satanás sabendo que está nos últimos dias e que o seu
poder irá ser-lhe retirado, induzirá o homem a utilizar essas armas, conduzindo assim
a humanidade para a sua própria destruição; espíritos de demónios irão congregar os
povos para a guerra em Israel, a do Armagedão – Apocalipse 16:14. Mas, não nos
antecipemos, dado que mais adiante voltaremos a falar destas coisas quando
abordarmos os últimos 7 anos antes da vinda do Rei Yeshua e o tempo da chamada
“grande tribulação”, aquele que ocorrerá antes da vinda de Yeshua, O Rei, O Leão da
Tribo de Judá.

12
   Terá sido nesta profecia que o realizador de cinema Steven Spielberg se foi inspirar para as cenas
finais do filme “Os salteadores da arca perdida”? Pensamos que sim.


Vítor Quinta                                                                                      13
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Lembremos Habacuque 2:3 onde nos é dito: “Porque a visão é ainda para o tempo
determinado, mas se apressa para o fim, e não enganará; se tardar, espera-o,
porque certamente virá, não tardará”. A vinda do Senhor YHWH é segura e com
Ele virão o castigo (para os rebeldes) e a recompensa (para os fiéis que lavaram os
seus vestidos no sangue do Cordeiro, i.e. que andaram segundo os Seus
mandamentos e estatutos). Ele separará os bodes (destinados à destruição) das
Suas ovelhas (destinadas à vida eterna). É o tempo da ceifa prometida por Deus que
será executada pelos Seus santos anjos; é o tempo de separar o trigo para o celeiro
do Lavrador e queimar o joio que andava misturado com o trigo, os filhos de Satanás.

É preciso entender que YHWH, pela Sua Palavra, virá com castigo para todos os que
rejeitam a Sua salvação, O Seu Filho amado, Senhor Yeshua, O Messias. Porém, O
mesmo Deus de misericórdia e de amor virá com vida eterna para todos os que
abraçaram o Seu concerto e aceitaram o sacrifício salvador do Seu Filho, através do
Seu sangue inocente e resgatador e que andam segundo os Seus mandamentos,
juízos, testemunhos e estatutos, em humildade, obediência, fé e esperança e que
confiam nas Suas promessas.

Convertamos pois os nossos corações à Verdade, ouçamos a Sua voz, para
podermos vir a fazer parte desse povo salvo, a Israel de Deus. Não sejamos
vagarosos no cuidado da salvação das nossas almas.




3.1             O restabelecimento da nação de Israel e a contagem dos Jubileus.
                A importância do ano 2017.

Eis um dos grandes sinais dos dias do fim. Yeshua fala-nos de Israel e compara esta
nação no fim dos dias ao tempo em que haveríamos de ver as folhas desta “figueira”
(símbolo de Israel) tornarem a rebentar: Mateus 24:32-33 – “Aprendei, pois, esta
parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam
folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas estas
coisas, sabei que ele [Yeshua] está próximo, às portas”. Pelas suas palavras
vemos com toda a clareza que já estamos em pleno Verão profético, pois vimos as
folhas da figueira que é Israel a brotarem como árvore renovada pelo poder de
YHWH, a partir da ordem para a restauração desta nação (Resolução nº. 181 da
ONU – 29 de Novembro de 1947).

Essa figueira reverdeceu e nela brotaram novas folhas de 14 para 15 de Maio de
1948, à Meia-noite (Sivan 5), quando oficialmente foi declarado o Estado de Israel
por ter terminado naquele momento o mandato da Grã-Bretanha sobre a Palestina e,
também, quando vimos esta nação retomar finalmente o controlo sobre a santa
cidade de Deus – Jerusalém, em Junho de 1967 na milagrosa Guerra dos Seis
Dias13. Segundo as palavras do Cristo em Mateus 23:37-39 esta casa (Jerusalém)

13
  Aquando destes acontecimentos, muitos foram consultar os Evangelhos e as palavras do Cristo em
Lucas 21:24. Porém, de acordo com a profecia acerca da Batalha do fim, a de Armagedão, tudo indica
que Jerusalém voltará a ser pisada pelos gentios, uma vez que o próprio anti-Cristo destes dias do fim
que irá profanar o Templo que ainda irá ser reconstruído na primeira metade da semana 70ª da


Vítor Quinta                                                                                       14
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

iria ficar deserta por muitos séculos (e, em parte, ainda assim continua porque está
cheia de idolatria pagã), até que venham os dias em que os seus habitantes digam:
“Bendito o que vem em nome de YHWH”.

A Declaração de Independência do Estado de Israel, à Meia-noite de 14 para 15 de
Maio de 1948, veio na sequência da Resolução nº. 181 de 29 de Novembro de 1947
pronunciada pela Assembleia Geral das Nações Unidas. Se associarmos esta data
histórica para a nação de Israel às 70 semanas proféticas de Daniel 9:24, podemos
compreender e aceitar que o tempo da finalização da profecia aponta para o ano de
2017.

Como é que podemos considerar que as 70 semanas proféticas se transformam em
70 anos? Porque a profecia nos fala de 70 “Shavuots” que significa igualmente anos
ou celebrações anuais, pois o “Shavuot” está associado à celebração anual da Festa
das Semanas (o Pentecostes), o qual é celebrado uma vez de ano em ano.

É também a partir do restabelecimento desta nação que podemos constatar o início
do cumprimento da profecia de Ezequiel 37, que nos fala de um vale cheio de ossos
muito secos, os quais haveriam de voltar a ser revestidos de carne e voltar à vida. A
segunda parte do cumprimento desta profecia dar-se-á quando O Senhor Yeshua
reinar e voltar a juntar as duas varas (a Casa de Judá e a Casa de Israel/Efraim)
numa só, para não mais se separarem – Ezequiel 37:16-28.

Valerá agora a pena meditar um pouco sobre o significado destas datas e como elas
são importantes para a marcação e entendimento dos sinais que apontam para a
vinda inequívoca do Senhor Yeshua como Rei Eterno.

A Palavra de Deus ensina-nos também o significado de uma solenidade por Ele
instituída e que deveria de ser respeitada por Israel de 50 em 50 anos, e que é
designada por “Ano do Jubileu” que, como sabemos, é o ano em que, por instrução
da Torá de YHWH, era declarada a remissão de todas as dívidas, sendo por isso um
tempo de restituição, no qual se dava a liberdade aos cativos/servos/escravos e o
retorno das propriedades ao seu dono original (que grande significado, sabendo nós
que toda a terra pertence a YHWH – Levítico 25-23a – “Também a terra não se
venderá em perpetuidade, porque a terra é minha”). Também o ano da vinda do
Senhor da terra (Yeshua) será Jubileu, o ano da libertação de toda a maldade que
tem comandado este mundo:

    •   Levítico 25:8-13 diz-nos: “Também contarás sete semanas de anos, sete
        vezes sete anos; de maneira que os dias das sete semanas de anos te
        serão quarenta e nove anos. Então no mês sétimo, aos dez do mês, farás
        passar a trombeta do jubileu; no dia da expiação fareis passar a trombeta
        por toda a vossa terra, e santificareis o ano quinquagésimo, e

profecia de Daniel porque, como diz em Daniel 9:27 este homem iníquo “na metade da semana fará
cessar o sacrifício e a oblação”. Este tema é desenvolvido mais adiante. Mas, de uma coisa podemos
estar seguros: ninguém mais arrancará Israel da sua terra, pois Amós 9:5 diz-nos: “E plantá-los-ei na
sua terra, e não serão mais arrancados da sua terra que lhes dei, diz YHWH teu Deus”! O Estado
de Israel nasceu num só dia: 29.Nov.1947, por deliberação da Assembleia Geral da ONU, cumprindo-
se assim a profecia de Isaías 66:8 – “Quem jamais ouviu tal coisa? Quem viu coisas
semelhantes? Poder-se-ia fazer nascer uma terra num só dia? Nasceria uma nação de uma só
vez? Mas Sião esteve de parto e já deu à luz seus filhos”.


Vítor Quinta                                                                                      15
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        apregoareis liberdade na terra a todos os seus moradores; ano de jubileu
        vos será, e tornareis, cada um à sua possessão, e cada um à sua família.
        O ano quinquagésimo vos será jubileu; não semeareis nem colhereis o
        que nele nascer de si mesmo, nem nele vindimareis as uvas das
        separações, porque jubileu é, santo será para vós; a novidade do campo
        comereis. Neste ano do jubileu tornareis cada um à sua possessão”.

O ano do Jubileu de YHWH é pois um ano muito especial, pois nele é decretada a
restituição das coisas aos seus legítimos proprietários. Ora O Deus YHWH é O Deus
de toda a terra e o seu legítimo dono. Como acima nos é ensinado, Ele voltará a
readquirir tudo o que, por direito, Lhe pertence, incluindo a terra que não voltará a ser
vendida, pois a Ele pertence: “Minha é a terra e a sua plenitude” diz-nos YHWH –
Salmo 24:1; 50:12; 89:11; 1.Coríntios 10:26, 28. Esta restituição dar-se-á em breve,
na vinda de Yeshua, quando soar a 7ª trombeta (no Dia das Trombetas, Festival da
Lua Nova), no 7º mês – o de Tishri. Este Rei vindouro, por ocasião da Sua primeira
vinda, veio anunciar o “Ano aceitável do Senhor”, como nos diz em Lucas 4:19.
Embora esta profecia do Cristo tenha sido parcialmente cumprida no decurso da Sua
primeira vinda, ela terá pleno cumprimento quando vier pela segunda vez.

Na realidade, Yeshua só leu no Templo a parte da profecia que dizia respeito à Sua
primeira missão, aquela em que Ele veio como Servo, para ser sacrificado por
muitos. Porém, a segunda parte da profecia que está em Isaías 61:2-9, essa será
cumprida na segunda vinda de Yeshua, como Rei eterno e Sumo-sacerdote da
Ordem de Melquisedeque.

Veja-se agora a importância dos anos de 1947 e 1967 à luz das profecias e para que
prazo de cumprimento eles apontam:

1947
   • Ano em que a ONU decretou a criação do
     Estado de Israel14                                       1947
   • Adicionando o tempo de uma geração                         70 15
                                                              2017

1967
   • Reconquista da cidade de Jerusalém16                     1967
   • Adicionando um ano de Jubileu                              50
                                                              2017

Mais adiante falaremos da expectativa que este ano nos suscita, tendo presentes as
palavras de Yeshua que “não passará a geração destes sinais sem que tudo
aconteça”.




14
   Temos que relacionar a decisão da ONU de 29.Nov.1947 com a profecia de Daniel 9:25 (“desde a
saída da ordem para restaurar”) começa a contagem do tempo para o cumprimento dos tempos finais.
15
   Salmo 90:10; Isaías 23:15b; Mateus 24:32-34
16
   A contagem dos Jubileus foi sempre feita com base nos anos em que Israel ocupou a terra.


Vítor Quinta                                                                                 16
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Ora, em 29.Nov.1947 (ver Isaías 66:8), a Organização das Nações Unidas votou o
fim do controlo britânico da Palestina e a partição deste território em dois estados:
uma pátria para os judeus e outra para os árabes da região. A potência que
governava a Palestina desde 1922, a Grã-Bretanha, por mandato da Liga das
Nações, tomou assim a decisão de criar uma pátria para os judeus, confirmando o
teor da Declaração de Balfour emitida em 1917 17 que criava as condições para o
regresso do povo judeu à sua terra ao fim de cerca de 19 séculos. Intensificou-se
assim, desde 1917, a forte corrente migratória dos judeus, regressando assim à terra
dos seus pais.

Nesta Declaração da ONU de 1947 foi igualmente votado que Jerusalém seria
considerada uma cidade que pertence ao mundo inteiro… a data de 29.Nov.1947
deve assim ser equiparada à data em que “saiu a ordem” para a reconstrução da
cidade de Jerusalém após o cativeiro de Babilónia de 70 anos (Daniel 9:25). Também
aqui a ordem para a constituição de uma pátria para os judeus se tornou num marco
significativo, a partir do qual se deverão fazer contagens muito importantes para a
segunda vinda de Yeshua, O Rei, uma vez que O Senhor Yeshua mesmo disse que
não passaria a geração destes sinais sem que tudo fosse cumprido – Daniel 9:24-25.
É o que iremos procurar analisar em seguida.

Desde que “saiu a ordem” em 29.Nov.1947 iniciou-se o período da contagem para
um novo cumprimento da profecia que nos foi dada através de Daniel 9:24-27, que
nos fala de um tempo particular para o povo de Israel: “Setenta semanas estão
determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para cessar a
transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a iniquidade, e trazer a
justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo”. Este
período de 70 semanas (70 anos) estão a cumprir-se perante os nossos olhos. Estas
70 semanas proféticas (Shabu’ah = Shavuot’s ou “semanas” ou “setes”, “anos”, de
acordo com a Concordância Strong’s # 7620, 7650, 7651) transformam-se em 70
anos proféticos quando consideramos a celebração anual de cada um dos “shavuot”,
i.e. a celebração da Festa de Pentecostes, o que aponta para que os 70 anos
contados a partir de 1947 signifiquem 70 Solenidades anuais dos Tabernáculos
(Shavuot), ou seja, uma celebração anual em cada um dos anos que medeiam entre
1948 e 2017.

Uma vez que nas coisas de Deus não existe o acaso, nem a Sua Palavra é vã,
podemos então extrair os seguintes ensinamentos para os dias de hoje:

     •   Se a 1897, ano do 1º Congresso Sionista em Basileia, na Suíça, sob a
         direcção de Theodor Herzl, adicionarmos o tempo de uma geração (70 anos)
         alcançamos o ano de 1967, ano em que, em Junho, durante a milagrosa
         Guerra dos Seis Dias, Israel recuperou e reunificou a cidade santa, acabando
         com o governo de parte de Jerusalém pelos Jordanos.


17
  Que não foi mais do que uma contrapartida negociada pelos grandes banqueiros de origem judaica
por terem ajudado (financiado) a Grã-Bretanha no esforço da I Guerra Mundial. Mas, também não
podemos esquecer que todos estes desígnio são comandados por Deus para que o Seu plano se
cumpra.


Vítor Quinta                                                                                 17
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




      •   Se a 1917 (ano da libertação de Jerusalém do jugo do Império Otomano às
          mãos do exército britânico (General Allenby)) adicionarmos o tempo de um
          Jubileu (50 anos), obteremos também o ano de 1967 que foi o ano da
          libertação de Jerusalém.

      •   Se a 1947 juntarmos o tempo de uma geração (70 anos) chegamos ao ano de
          2017, que é o mesmo resultado que se ontem ao adicionar o tempo de um
          Jubileu (50 anos) ao ano de 1967.

      •   O ano de 1967 cumpre igualmente a profecia das 2300 tardes e manhãs
          apontada em Daniel 8:14 e 17 – “E ele me disse: Até duas mil e trezentas
          tardes e manhãs; e o santuário será purificado…Entende, filho do
          homem, porque esta visão acontecerá no fim do tempo”. Na realidade, a
          contagem destas 2300 tardes e manhãs (anos, i.e. um ano por um dia)
          completa-se entre o ano de 334 a.C., ano da batalha entre o bode peludo
          (Alexandre, o Grande) e o carneiro (império e exércitos medo-persas de Dário
          e Ciro, em que estes foram derrotados à beira do rio Granicus que separava a
          Europa da Ásia Menor - ver outros detalhes mais adiante), e o ano de 1967,
          ano da libertação da cidade de Jerusalém pelas tropas de Israel. Estes dados
          estão contidos na profecia de Daniel 8. Contudo, não se pode ainda dizer que
          o santuário tenha sido purificado em 1967, pois o Templo ainda não foi
          reconstruído. Podemos dizer que Deus estabeleceu as condições para que
          esse acontecimento pudesse ter tido lugar naquela altura. Porém, os chefes
          militares e os políticos de Israel à época (General Dayan e outros) preferiram
          entregar o domínio do Monte do Templo às forças árabes que têm impedido o
          acesso e o culto dos judeus no lugar santo. Mas, o plano de YHWH é para ser
          cumprido nos tempos por Ele determinados – neste caso durante o período de
          uma geração: 70 anos.

      •   Vamos ver até quando Deus terá paciência para com Israel e os seus inimigos
          ou, por outras palavras, quando se cumprirá o tempo determinado por Deus
          para que o Santuário/Templo seja reerguido no local que lhe pertence vir a
          estar para receber O Rei, na Sua vinda gloriosa. Não esqueçamos que o
          “Instituto do Templo”18, em Jerusalém, tem tudo preparado para que essa
          reconstrução seja feita no mais curto espaço de tempo, o que virá a ser uma
          realidade a partir do momento que Deus crie as condições geopolíticas
          regionais para que esse novo Templo possa ser erguido.

Assim se poderão confirmar então as palavras proféticas de Isaías, pronunciadas
pelo próprio Senhor Yeshua quando se levantou na sinagoga para ler as Escrituras
pois Yeshua não leu por inteiro a profecia de Isaías 61:2, deixando por ler,
deliberadamente, a parte que diz respeito ao “dia da vingança do nosso Deus”. Eis o
ano do Jubileu, o ano da libertação por Cristo, aquele que cumprirá a parte profética
que não foi lida por Yeshua naquele dia na sinagoga na Sua primeira vinda.



18
     Consultar http://www.templeinstitute.org/main.htm



Vítor Quinta                                                                         18
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Vamos agora analisar outros ensinamentos proféticos que nos podem levar, também,
a associar estas datas próximas com o cumprimento de algumas profecias e
acontecimentos históricos. Olhemos primeiro para o mapa seguinte e depois
analisaremos os principais acontecimentos que envolveram estes dois reinos (as
Duas Casas de Israel):




Judá, o Reino do Sul:

    •   Judá foi levado cativo para Babilónia por Nabucodonosor no ano de 604 a.C.,
        tendo parte do povo voltado a Jerusalém 70 anos depois, cumprindo em 534
        a.C. o castigo de 70 anos que tinha sido determinado por YHWH (Jeremias
        29:10; Daniel 9:1-2); Judá voltou a Jerusalém para a reconstrução do Templo
        de Salomão no tempo de Esdras e Neemias, partindo para Jerusalém em
        vários grupos ao longo dos anos seguintes. Outra contagem para este castigo
        de 70 anos aparece-nos entre 607 a.C e 537 a.C., uma vez que Babilónia caiu
        no ano 539 a.C. sob o poderio do exército Medo-Persa, e dois anos depois, O
        Rei Ciro emitiu o decreto (o primeiro entre vários, incluindo os de Artaxerxes,
        como nos diz em Neemias), o que permitiu o regresso dos judeus à sua terra
        (Esdras 1:1-4).

    •   Judá foi punido com o cativeiro de Babilónia durante 70 anos – Jeremias
        25:11 por não ter guardado os Sábados de descanso da terra, de 7 em 7
        anos, durante 490 anos, conforme se encontra ordenado na Lei/Torá; mas
        como, após o exílio, uma larga maioria do povo decidiu ficar em Babilónia não
        fazendo caso do chamamento de YHWH, Judá seria punido novamente (sete
        vezes mais) devido a esta nova desobediência – Levítico 26:18.

    •   Lembremos que o início do fim da Diáspora de Judá começou a definir de
        forma mais acentuada o regresso do povo de Judá à terra de seus pais, em
        grande medida, a partir do ano de 1917, ano em que os britânicos expulsaram


Vítor Quinta                                                                        19
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        os turcos otomanos de Jerusalém, durante a 1ª Grande Guerra, precisamente
        a 9.Dez.1917 tendo depois promulgado a Declaração de Balfour, iniciando-se
        a partir daí um fluxo migratório de judeus para a terra de Israel. O calendário
        profético de YHWH é tão preciso que este dia correspondeu ao 24º dia do mês
        de Kislev, precisamente no dia em que YHWH diz ao povo: “Considerai isto” –
        Ageu 2:15-18. Este foi o dia em que, no passado, se fundou o Templo de
        YHWH. Deus escreve a história deste mundo de acordo com o Seu plano e
        calendário proféticos, até ao minuto.

    •   Outro entendimento possível em relação ao cumprimento do tempo da
        Diáspora de Judá tem a ver com o que nos é dito em Levítico 26:18 em que
        os judeus seriam castigados sete vezes (7 anos proféticos) se não ouvissem a
        voz/repreensão de YHWH. Ora, por ocasião da ordem para a restauração da
        cidade de Jerusalém e dos seus muros, emitida por Artaxerxes, a maioria do
        povo decidiu não regressar, ignorando assim a libertação do cativeiro de 70
        anos em Babilónia. Ora YHWH castigou-os conforme havia dito que o faria.
        Neste caso, a contagem inicia-se em 604 a.C. quando Judá foi levado cativo
        para Babilónia, a que acrescem 2.520 anos (360 x 7) + 1 ano por não haver
        ano zero = 1917.

    •   Outra profecia que vale a pena citar tem a ver com o renascimento do Estado
        de Israel em 1948: Ezequiel 37:21 – “Dize-lhes pois: Assim diz o Senhor
        DEUS: Eis que eu tomarei os filhos de Israel dentre os gentios, para onde
        eles foram, e os congregarei de todas as partes, e os levarei à sua terra”.
        Esta profecia foi em parte concretizada em Maio de 1948 quando, pela mão de
        YHWH, nasceu o Estado de Israel numa parcela da terra que Deus havia
        prometido aos patriarcas desta nação.

    •   Poder-se-á ainda perguntar: toda a terra que YHWH prometeu ao Seu povo
        corresponde à faixa de terra que hoje aquela nação ocupa? A resposta é não.
        A primeira parte da profecia foi efectivamente concretizada em 1948, mas a
        ocupação plena da terra que Deus prometeu (desde o grande Rio Eufrates, ao
        Mar Mediterrâneo e até ao grande Rio do Egipto – Génesis 15:18-21;
        Deuteronómio 1:7-8) só se concretizará após a vinda de Yeshua, O Rei
        vindouro e com o regresso massivo do povo de Israel que ainda se encontra
        espalhado entre as nações – as 12 tribos de Israel.

    •   O grande sinal do restabelecimento da nação de Israel veio pôr termo à
        diáspora deste povo. Hoje ele tem uma nação para onde pode voltar. Esse
        retorno pleno dar-se-á como um grande êxodo, maior do que aquele que a
        História registou após a sua saída do Egipto, quando foram guiados por Deus
        e pelo Seu servo Moisés através do deserto.

    •   A data de 1948 cumpre ainda a profecia de Apocalipse 12:6 – “E a mulher
        fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali
        fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias”. Muito haveria
        para dizer sobre esta profecia, mas bastará somente mencionar que estes
        1260 anos em que a mulher (Israel) esteve ausente cumpriu-se entre os anos
        de 688 d.C. com a construção da “Dome of the Rock” – ou Mesquita no Monte
        do Templo, em Jerusalém, onde ainda hoje permanece, e o ano de 1948, com
        o restabelecimento da nação de Israel.


Vítor Quinta                                                                        20
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




     •   A data de 1947 marca igualmente a contagem para o “tempo do fim” de que
         nos falam as Escrituras e o início do cumprimento da grande profecia que
         YHWH nos dá através do capítulo 37 de Ezequiel – o “vale de ossos”
         sequíssimos que começaram a ganhar tendões, nervos, carne e depois
         espírito e a voltar à vida na terra dos patriarcas de Israel.


Israel/Efraim, o Reino do Norte:

     •   Já Israel/Efraim foi também punido 7 vezes/tempos19 (Levítico 26:18) pelo seu
         pecado de idolatria e por ter abandonado o Concerto com YHWH, tendo por
         isso sido espalhado entre as nações gentias pelos exércitos da Assíria. Ao
         profeta Ezequiel foi ordenado que se deitasse sobre o seu lado esquerdo
         durante 390 dias (Ezequiel 4:4-5). Ora estes 390 dias/anos x 7 = 2.730 anos.
         Agora atentemos no seguinte: O Reino do Norte (Israel) foi levado cativo pelos
         Assírios no ano de 722-721 a.C.

         Então temos:                2.730 anos de castigo
                                  -722-721 a.C.
                                2008-2009
                                        +1 (não existe o ano zero)
                                2009-2010 fim do castigo
     •   Se voltarmos a considerar que os acontecimentos do tempo do fim (a 70ª
         semana da profecia de Daniel) irão decorrer no tempo de vida da última
         geração (a geração destes sinais – Mateus 24:34) como nos disse Yeshua, a
         geração que viu surgir de um dia para o outro a nação de Israel e a
         reconquista da cidade de Jerusalém, então não nos ficam dúvidas que a
         contagem desta última semana profética de Daniel, a 70ª, virá a ter início nas
         datas que coincidem com o fim do castigo a Israel: 2009-2010…”os sábios
         entenderão”, diz-nos a Palavra de Deus. Daqui se pode inferir, uma vez mais a
         contagem final para o ano de 2017 (2010 mais uma semana de anos).

     •   Se estes cálculos estiverem biblicamente correctos (i.e. de acordo com a
         Palavra de YHWH), em meados de 2010 estaremos à beira do início da última
         semana de anos (7 anos), que hão-de preceder a vinda gloriosa de Yeshua e,
         neste ano, poderá vir a ser firmado o tratado de “paz” a que Deus, através de
         Isaías chama de “aliança com a morte”, e que várias potências mundiais estão
         a medear entre a nação de Israel e os países árabes seus inimigos. Assim, em
         2010 poderá ter início o período da chamada “grande tribulação” do tempo do
         fim que terá o seu grande clímax a partir da metade deste período, i.e. na
         segunda metade destes 7 anos, com a maior angústia que jamais existiu ou
         voltará a existir entre as nações, como disse Yeshua.



19
   1 tempo = 1 ano = 360 dias proféticos (Números 14:34; Ezequiel 4:6). Ver igualmente as
equivalências estabelecidas em Apocalipse 12:6 e 14. Ora um ano profético é equivalente a 360 dias.
Estas punições sobre Israel, multiplicadas 7 vezes, apoiam-se na Palavra de Deus em Levítico 26:18,
21, 24, 28.


Vítor Quinta                                                                                    21
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




    •   Até aqui (2010) decorreu o período em que ocorreram grandes
        acontecimentos proféticos, ao qual Yeshua chamou de “princípio de dores”. De
        aqui em diante iremos assistir a castigos muito mais duros sobre toda a
        humanidade descrente. As verdadeiras dores de parto da humanidade
        surgirão a partir de agora.

    •   Outro sinal: temos assistido à forma empenhada como muitos dos políticos
        das grandes nações têm procurado desenvolver “uma solução para o Médio
        Oriente” (a expressão é deles). Em breve esse “acordo de paz” final irá surgir
        ou ser “renovado” – “renovado” no sentido da confirmação do Acordo de Oslo,
        assinado em 1993 por sete anos e que terminou em 2000 com o reacender da
        Intifada como resposta à entrada de Ariel Sharon na Esplanada das Mesquitas
        (zona do Templo de Salomão) onde procedeu à leitura de uma profecia para
        os tempos do fim. Neste processo estão envolvidas as grandes potenciais
        mundiais como a Rússia, os EUA, a Europa, a ONU e a Igreja Católica
        Romana/Vaticano, entre outros, envolvendo, necessariamente, também, os
        países árabes inimigos de Israel e que se enquadram na comunidade do Islão.

    •   Lembremos as palavras de Isaías acima citadas: Israel será forçado a assinar
        este acordo. E, quando se disser “há paz e segurança, então lhes sobrevirá
        repentina destruição” – 1.Tessalonicenses 5:3. Isto será o sinal para as
        grandes batalhas do fim dos tempos, nomeadamente a de Armagedão. A meio
        do período final dos 7 anos do tempo do fim, este acordo de “paz” será
        quebrado, e na segunda metade desta semana de anos ocorrerá o período
        que a Bíblia designa como a “grande tribulação/perseguição/destruição” a
        realizar pelo anti-Cristo destes dias, que virá com todo o poder e prodígios que
        Satanás lhe dará – ele ainda não se revelou ao mundo.

    •   Mais um sinal: o restabelecimento do Templo em Jerusalém e a sua
        profanação a meio da última semana de anos, serão também os derradeiros
        sinais naquela terra para a vinda gloriosa do Rei Yeshua.

Estas palavras baseadas na profecia bíblica dão-nos bem a dimensão da catástrofe
universal que virá em breve, centrada em Israel e Jerusalém e nos países à volta de
Israel (lembremos, uma vez mais, a profecia de Isaías 17 acerca do castigo de
Damasco).

A importância do povo de Israel, da sua terra e da santa cidade de Jerusalém é de tal
grandeza para YHWH que Ele lhes chama “a menina do Seu olho” – Deuteronómio
32:9-10; Zacarias 2:8. Ele diz que se Ele se esquecer da sua santa cidade, esqueça-
se então a Sua mão direita da Sua destreza – Salmo 137:5. Por estas palavras do
Deus Altíssimo podemos ver a importância que estes acontecimentos assumirão no
tempo próprio e próximo. YHWH manifestará então, ali, o Seu poder.

Por vezes estes acontecimentos históricos, ou a sucessão deles, parecem ser uma
“mera coincidência” aos olhos do mundo. Mas, para os sábios, que estudam a
Palavra de Deus e aos quais o Espírito Santo de YHWH as revela, estes
acontecimentos têm muito mais relevância porque anunciam a vinda eminente do
Criador e Rei Eterno, Senhor Yeshua.


Vítor Quinta                                                                         22
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




Assim, podemos estabelecer os seguintes marcos proféticos:

      •   1917 + 1 jubileu de 50 anos = 1967 (libertação da cidade de Jerusalém)
      •   1967 + 1 jubileu de 50 anos = 2017 (libertação da humanidade).

Quando falamos do grande acontecimento que foi a recuperação da cidade de
Jerusalém em Junho de 1967 podemos perguntar: se este é assim um acontecimento
da maior importância profética, será que ele estava profetizado? E, se estava, onde
se encontra então essa profecia?

Vejamos:

      •   Daniel 8:1-8 fala-nos do império grego de Alexandre O Grande e da repartição
          desse império entre os seus quatro principais generais após a morte de
          Alexandre em Babilónia. A repartição deu-se do seguinte modo:

           i.      Seleuco – ficou a governar a Síria e Babilónia, a Leste;

           ii.     Cassandro – a Grécia e a Macedónia, no Oeste;

          iii.     Ptolomeu – o Egipto, no Sul;

          iv.      Lisímaco – a Trácia, Capadócia e a parte Norte da Ásia Menor, a Norte.

      •   Daniel 8:9-14 fala-nos do engrandecimento de uma ponta pequena (chifre),
          que cresceu para o Sul e para o Oriente…e para a terra formosa (Israel).
          Depois dá-nos uma visão aterradora que seria tirado o sacrifício contínuo e
          que a verdade seria lançada por terra (vilipendiada, desprezada); porém, um
          santo falou da parte de YHWH dizendo que aquela situação só seria eliminada
          no tempo do fim (verso 17) e que duraria até 2300 tardes e manhãs (verso 14),
          altura em que o santuário voltaria a ser purificado/reconsagrado.

      •   A profecia de Daniel 8 fala-nos de 2300 tardes e manhãs (anos) para que o
          santuário fosse reconsagrado. O Templo já uma vez tinha tido necessidade de
          ser reconsagrado quando foi profanado/conspurcado por Antíoquo Epifânio
          (de Kislev 25, 168 a.C. a Kislev 25, 165 a.C., conforme relata o historiador
          judeu Josefo). Como muitas profecias apresentam, por vezes, uma dupla
          concretização, Daniel 8:17, também nos diz que esta será concretizada “no
          tempo do fim”, i.e. nos nossos dias.

      •   Alguns estudiosos das profecias bíblicas apontam para que esta profecia se
          terá cumprido também no ano de 1967, no decurso da milagrosa Guerra dos
          Seis Dias, com a libertação da cidade de Jerusalém do domínio árabe
          (jordanos), tomando como marco para esta contagem o ano de 334 a.C.20
          quando Alexandre O Grande, o bode peludo da profecia de Daniel, arremeteu
          contra o carneiro (os exércitos persas) e o derrotou na grande batalha do Rio
          Granicus, data que marca o início da invasão da Ásia Menor, mudando o curso
20
     Ano em que terá sido dada a visão a Daniel.


Vítor Quinta                                                                          23
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        da história do mundo de então e até aos nossos dias: a queda do império
        medo-persa/babilónico e o surgimento do império helénico.

        Assim temos:

        - 334 (a.C.) + 2.300 anos + 1 ano (não existe ano zero) = 1967, ano da Guerra
        dos Seis Dias e libertação da cidade de Jerusalém, em que YHWH fez
        maravilhas em Israel. Eis o grande marco e significado profético destas datas
        e tempos de profecia bíblica.

    •   Vemos assim cumprida em 1967 a profecia destes dias do fim. Para todos os
        efeitos, 1967 constitui-se como o ano da libertação, um ano de Jubileu.
        Podemos assim apontar para um ano capital, o de 2017, se a 1967, como já
        antes apontámos, lhe adicionarmos o período de 50 anos de um jubileu,
        exactamente o mesmo ano que cumpre as palavras de Yeshua de que estes
        acontecimentos se produziriam no espaço de vida de uma geração (70 anos –
        Mateus 24:34), contados desde a data do restabelecimento da nação de
        Israel.

    •   Ora, hoje, em Junho de 2010, e pela confiança na Palavra de Deus,
        verificamos que Cristo está às portas. O tempo final cumpre-se bem à frente
        dos olhos desta geração (para os que têm entendimento), embora a maioria
        ande adormecida e morna, mesmo entre muitos que se dizem religiosos e
        seguidores do Cristo.

    •   Yeshua, O Rei, virá ao toque da 7ª trombeta, a da libertação, aquela que
        anunciará o “ano aceitável do Senhor” e “o dia da vingança do nosso Deus” (O
        Dia do Senhor), o ano do Jubileu, que se cumprirá após os acontecimentos
        profetizados para a última semana, a 70ª da profecia de Daniel (1 semana de
        anos = 7 anos), período no qual decorrerão os acontecimentos falados pelos
        profetas, por Yeshua e escritos também no Livro de Apocalipse (a Revelação
        de Yeshua).

    •   Será na segunda metade deste período de 7 anos que ocorrerá o tal “tempo
        de angústia entre as nações como nunca houve antes, nem voltará a haver”,
        também designado na Bíblia como o tempo da tribulação de Jacob, como nos
        dizem Yeshua e os profetas. Será o tempo da perseguição, morte e destruição
        protagonizados pelo anti-Cristo e pela “Nova Ordem Mundial”, suportados pelo
        poder de Satanás. Mas, Deus diz-nos em Daniel 12:1 – “E naquele tempo se
        levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do
        teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que
        houve nação até àquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu
        povo, todo aquele que for achado escrito no livro”.

    •   Será nesta última semana de anos antes da vinda de Yeshua que Israel
        firmará um novo concerto de “paz” com os seus inimigos (um “concerto com a
        morte”, conforme nos diz em Isaías 28:15, 18a, b – “Porquanto dizeis:
        Fizemos aliança com a morte, e com o inferno fizemos acordo; quando
        passar o dilúvio do açoite, não chegará a nós, porque pusemos a mentira
        por nosso refúgio, e debaixo da falsidade nos escondemos…E a vossa
        aliança com a morte se anulará; e o vosso acordo com o inferno não


Vítor Quinta                                                                      24
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        subsistirá”. Os governantes das nações que lidam com Israel irão impôr um
        “acordo de paz” a esta nação, que se verá forçada a aceitá-lo. A este falso
        “acordo de paz” chama Deus de pacto com a morte ou acordo com o inferno, o
        qual será anulado a meio do tempo nele previsto.

    •   Esta “aliança com a morte” será o “acordo de paz” do tempo do fim que será
        interrompido a meio da 70ª semana profética de Daniel. Tal implicará guerra
        no Médio Oriente, envolvendo Israel, as nações suas inimigas à sua volta, e as
        nações aliadas de ambas as partes – será a “Guerra do Armagedão”, de que
        falaremos adiante em mais pormenor. Envolverá igualmente Gog, as suas
        tropas e muitos povos com ele.

    •   Esta batalha final não será travada somente no plano terreno, físico. Ela
        envolverá as hostes espirituais de um lado e do outro: os exércitos celestiais
        de YHWH e os exércitos de Satanás.

    •   Este poder do tempo do fim já é manifesto nos acontecimentos mundiais. A
        Bíblia apelida-o, assim como ao anti-Cristo do fim (porque é um homem), de “a
        besta”, a “moderna Babilónia”. Este poder cuja força lhe é dada pelo próprio
        Satanás irá desencadear acontecimentos terríveis. Os sinais estão aí para
        quem os quiser ver.

    •   Os enormes e poderosos arsenais termonucleares e bacteriológicos das
        nações terão pleno uso nesta época…i.e., “amanhã”!

    •   Salvar-se-ão os que estiverem em Yeshua.

Um dos grandes acontecimentos que se há-de produzir em toda a Terra após a
segunda vinda do Cristo e pelo Seu poder, é o cumprimento da promessa de Deus às
duas casas de Israel: Judá e Efraim – estas duas casas que logo após a morte de
Salomão se separaram, voltarão a ser uma só vara na mão do Grande Rei Yeshua.
Devido às condições terríveis do mundo e que hão-de conduzir à vinda de Yeshua
(se Ele não abreviasse aqueles dias nenhuma carne se salvaria…), só é expectável e
bíblico que a reunião definitiva das duas casas de Israel (Efraim e Judá) se faça no
início do Reino Milenar do Messias Yeshua e pelo poder Deste grande Rei vindouro.

Vejamos ainda algumas passagens que nos revelam o que irá acontecer em breve,
tanto no estabelecimento do Reino Milenar de Yeshua como na reunião das duas
casas de Israel – Efraim e Judá, após a vinda do Grande Rei. A boca de YHWH o
disse:

Isaías 11:10-16 – “E acontecerá naquele dia que a raiz de Jessé [Yeshua], a qual
estará posta por estandarte dos povos, será buscada pelos gentios; e o lugar
do seu repouso será glorioso. E há de ser que naquele dia o Senhor tornará a
pôr a sua mão para adquirir outra vez o remanescente do seu povo, que for
deixado, da Assíria, e do Egipto, e de Patros, e da Etiópia, e de Elã, e de Sinar, e
de Hamate, e das ilhas do mar. E levantará um estandarte entre as nações, e
ajuntará os desterrados de Israel, e os dispersos de Judá congregará desde os
quatro confins da terra. E afastar-se-á a inveja de Efraim, e os adversários de
Judá serão desarreigados; Efraim não invejará a Judá, e Judá não oprimirá a
Efraim. Antes voarão sobre os ombros dos filisteus ao ocidente; juntos


Vítor Quinta                                                                       25
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

despojarão aos do oriente; em Edom e Moabe porão as suas mãos, e os filhos
de Amom lhes obedecerão. E YHWH destruirá totalmente a língua do mar do
Egipto, e moverá a sua mão contra o rio com a força do seu vento e, ferindo-o,
dividi-lo-á em sete correntes e fará que por ele passem com sapatos secos. E
haverá caminho plano para o remanescente do seu povo, que for deixado da
Assíria, como sucedeu a Israel no dia em que subiu da terra do Egipto”.

Não imaginamos sequer o que será a dimensão deste grande Êxodo do fim: o retorno
à “terra prometida”, no cumprimento das promessas feitas por YHWH aos patriarcas
de Israel. O Êxodo do Egipto com cerca de 600.000 homens será visto como
pequeno à vista do que será o Êxodo do tempo do fim. O poder de YHWH se
manifestará uma vez mais junto do Seu povo. Mas, antes que este novo Êxodo
venha a ser uma realidade e as duas casas de Israel sejam unificadas, haverá um
tempo breve em que a ira do Cordeiro será derramada sobre todos os inimigos de
Israel e do seu Deus. Então, e só depois da destruição dos ímpios e daqueles que
destroem a terra, virá o tempo para a restauração de todas as coisas e do governo
do Cristo Yeshua e dos Seus remidos (na primeira ressurreição) sobre os que
restarem das nações.

Eis uma visão parcial do que será o Reino milenar, pacífico e justo, de Yeshua, O
Rei: Isaías 65:18-25 – “Mas vós folgareis e exultareis perpetuamente no que eu
crio; porque eis que crio para Jerusalém uma alegria, e para o seu povo gozo. E
exultarei em Jerusalém, e me alegrarei no meu povo; e nunca mais se ouvirá
nela voz de choro nem voz de clamor. Não haverá mais nela criança de poucos
dias, nem velho que não cumpra os seus dias; porque o menino morrerá de
cem anos; porém o pecador de cem anos será amaldiçoado. E edificarão casas,
e as habitarão; e plantarão vinhas, e comerão o seu fruto. Não edificarão para
que outros habitem; não plantarão para que outros comam; porque os dias do
meu povo serão como os dias da árvore, e os meus eleitos gozarão das obras
das suas mãos. Não trabalharão debalde, nem terão filhos para a perturbação;
porque são a posteridade bendita de YHWH, e os seus descendentes estarão
com eles. E será que antes que clamem eu responderei; estando eles ainda
falando, eu os ouvirei. O lobo e o cordeiro se apascentarão juntos, e o leão
comerá palha como o boi; e pó será a comida da serpente. Não farão mal nem
dano algum em todo o meu santo monte, diz YHWH”. Quem compreende hoje
estas promessas e confia nelas? Bem poucos.

Ezequiel 37:21, 25; 38:8 – “Dize-lhes pois: Assim diz o Senhor DEUS [YHWH]:
Eis que eu tomarei os filhos de Israel dentre os gentios, para onde eles foram, e
os congregarei de todas as partes, e os levarei à sua terra… E habitarão na
terra que dei a meu servo Jacob, em que habitaram vossos pais; e habitarão
nela, eles e seus filhos, e os filhos de seus filhos, para sempre, e David, meu
servo, será seu príncipe eternamente… Depois de muitos dias serás visitado.
No fim dos anos virás à terra que se recuperou da espada, e que foi
congregada dentre muitos povos, junto aos montes de Israel, que sempre se
faziam desertos; mas aquela terra foi tirada dentre as nações, e todas elas
habitarão seguramente”. Quem se atreve a dizer que YHWH esqueceu o Seu povo
de Israel? Só uma igreja apóstata poderia defender tal coisa e procurar substituir-se a
todas a promessas feitas pelo Altíssimo Deus ao povo de Israel.



Vítor Quinta                                                                        26
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




Oséias 1:11; 3:5; 11:1a – “E os filhos de Judá e os filhos de Israel juntos se
congregarão, e constituirão sobre si uma só cabeça, e subirão da terra; porque
grande será o dia de Jizreel… Depois tornarão os filhos de Israel, e buscarão a
YHWH seu Deus, e a David, seu rei; e temerão a YHWH, e à sua bondade, no fim
dos dias… Quando Israel era menino, eu o amei”. As promessas de YHWH serão
cumpridas em breve.

Salmo 14:7 – “Oh, se de Sião tivera já vindo a redenção de Israel! Quando
YHWH fizer voltar os cativos do seu povo, se regozijará Jacob e se alegrará
Israel”. Esta redenção de que fala este Salmo só poderá vir de Sião quando O
Eterno Rei estiver presente como O Único Senhor dos senhores.

Jeremias 30:11; 46:28 – “Porque eu sou contigo, diz YHWH, para te salvar;
porquanto darei fim a todas as nações entre as quais te espalhei; a ti, porém,
não darei fim, mas castigar-te-ei com medida, e de todo não te terei por
inocente… Tu não temas, servo meu, Jacob, diz YHWH, porque estou contigo;
porque porei termo a todas as nações entre as quais te lancei; mas a ti não
darei fim, mas castigar-te-ei com justiça, e não te darei de todo por inocente”.

O mesmo profeta, em Jeremias 30:3-4 diz-nos: “Porque eis que vêm dias, diz
YHWH, em que farei voltar do cativeiro o meu povo Israel, e de Judá, diz YHWH;
e tornarei a trazê-los à terra que dei a seus pais, e a possuirão. E estas são as
palavras que disse YHWH, acerca de Israel e de Judá”. Que promessa
maravilhosa que se há-de desenrolar perante os nossos olhos.

Actos 3:20-21 – “E envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado. O
qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração [restituição]
de tudo [que ocorrerá no ano do Jubileu, com o toque da 7ª trombeta, no 7º.
Mês – no Dia das Trombetas], dos quais Deus falou pela boca de todos os seus
santos profetas, desde o princípio”. Na versão King James, o verso 21 aponta a
palavra restauração como “restitution” [restituição], que consideramos mais correcta,
uma vez que todas as coisas criadas pertencem a Deus (“minha é a prata, meu é o
ouro”, diz O Deus Criador, Senhor YHWH, como diz também: “minha é a terra e a
sua plenitude”). Sendo assim, e porque o regresso do Rei se dará num ano de
Jubileu, na Solenidade da Lua Nova (na Festa das Trombetas, ao toque da 7ª
trombeta), ano em que por definição da própria Lei/Torá de Deus, é o ano da
restituição das propriedades aos seus legítimos proprietários (neste caso ao Deus
Supremo), e o ano da libertação da escravidão e do perdão das dívidas, faz todo o
sentido aceitarmos que, para além do sentido de “restauração” que nos é dado na
tradução de JFA, se aceite melhor o sentido de “restituição”, porque nesse momento
todas as coisas serão colocadas na Sua mão, i.e., debaixo da Sua direcção,
titularidade e autoridade que só a Ele pertencem.

Lucas 1:33 – “E reinará eternamente na casa de Jacob, e o seu reino não terá
fim”. Mais passagens poderiam ser acrescentadas. O que é que nos fica por dizer
depois da leitura destas passagens? Absolutamente nada! A prova bíblica é esta. A
boca do Senhor YHWH o disse!



Vítor Quinta                                                                      27
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




3.2             Cumpre-se o tempo

A vinda do Rei Eterno, O Messias Yeshua, está próxima e, por isso mesmo, está
prestes a cumprir-se o tempo dado ao homem para, através do arrependimento e
conversão, este deva, quanto antes, abraçar a Salvação por Yeshua. O anúncio da
Sua vinda é renovado entre nós em cada ano através da celebração das Suas
solenidades aos tempos apontados por YHWH (Levítico 23). Cada vez que nos
reunimos nessas datas celebramos acontecimentos passados e apontamos
igualmente para a esperança dos dias vindouros, pois as mesmas são uma figura ou
sombra das coisas vindouras, as eternas.

No decurso destes últimos 2.000 anos, entre a Sua primeira e segunda vindas, Ele
disse-nos que ia preparar-nos um lugar de eternidade: João 14:2-3 – “Na casa de
meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou
preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos
levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também”. Neste
cenário, Ele assumiu a figura do Esposo que vai preparar uma habitação (eterna)
para ali viver com a Sua esposa, que virá buscar mais tarde. A figura deste
casamento e das bodas que o antecedem dariam, só por si, para um estudo bastante
extenso. Quando aceitámos Yeshua como nosso Salvador pessoal, fomos
automaticamente convidados a estar presentes nessas bodas reais e a fazer parte
desse corpo de remidos, que é a Sua esposa!

A este respeito lembremos as palavras proféticas (e a promessa) que nos foram
dadas através do profeta Oséias 6:1-2 – “Vinde, e tornemos a YHWH, porque ele
despedaçou [o profeta fala da Casa de Israel/Efraim, o Reino do Norte que foi
espalhado entre as nações gentias e que perdeu a sua identidade enquanto
membros de Israel], e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida. Depois de dois
dias21 [2.000 anos] nos dará a vida; ao terceiro dia [no Milénio do Cristo] nos
ressuscitará, e viveremos diante dele”. Esta é a grande certeza de fé que nos
anima e que nos faz sermos fiéis até ao fim. Falta ainda um pouco de tempo…muito
pouco.

Da mesma maneira que alguns sábios de Israel que ainda se encontravam em
Babilónia ao tempo do nascimento de Yeshua em Belém, souberam discernir o
tempo da Sua primeira vinda, segundo as Escrituras (o sinal do Messias – a “estrela”
nos céus), também os sábios de hoje, pela revelação da Palavra através do Espírito
Santo, poderão identificar o tempo da Sua segunda vinda como Rei eterno e poderão
vir também a reconhecer “o sinal” do Filho do Homem aquando da Sua segunda
vinda…”os sábios entenderão”.

Mas, perguntar-se-á: porque razão introduziu Deus aqui um compasso de espera de
2.000 anos entre estas duas presenças? Vamos apontar algumas das razões:



21
   Um dia para Deus é como mil anos (2.Pedro 3:8), assim sendo entendidas muitas das profecias
bíblicas.


Vítor Quinta                                                                               28
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




     •   Consideremos, antes de mais, o paralelismo que existe entre os 6 dias da
         criação e os 6.000 anos do governo do homem, para que, aos 6.000 anos do
         governo do homem se siga o Milénio do governo de Cristo, o tempo da
         restauração/restituição de todas as coisas, equivalente ao Sábado semanal
         (descanso). Este será o tempo da restauração e o tempo do refrigério pela
         presença de Deus.

     •   Lembremos também que a estátua do sonho de Nabucodonosor22 (que
         revelava os quatro impérios do governo do homem) seria despedaçada por
         uma pedra atirada sem mão (Yeshua, O Messias) e a partir dela se formaria
         um grande monte (Reino) o qual encheria toda a Terra – o Reino de Deus na
         Terra: Daniel 7:14 – “E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para
         que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um
         domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será
         destruído”. Ele será chamado o Deus de toda a Terra: Isaías 54:5.

     •   Outro grande propósito de YHWH é, neste espaço de tempo de 2.000 anos,
         voltar a chamar os filhos pródigos, os que se esqueceram da aliança que os
         seus pais fizeram com YHWH e voltar a restaurar a casa de Israel (as 12
         tribos), chamando também aqueles que tinham sido castigados e enviados
         para o meio dos gentios – as 10 tribos do Reino do Norte: Efraim/Israel. Para
         isso Yeshua foi enviado. Ele próprio nos diz em Mateus 15:24 – “E ele,
         respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da
         casa de Israel [Efraim]”.

     •   Do mesmo modo, Yeshua instrui os Seus discípulos (fazendo deles
         “pescadores de homens” – figurativamente os homens são-nos mostrados
         como peixes) para irem junto das comunidades dos que estavam longe (tanto
         Efraim como Judá). Mesmo antes da Sua morte e ressurreição já Yeshua
         preparava os discípulos naquilo que viria a ser a sua posterior missão – a de
         anunciar o Evangelho a toda a criatura: Mateus 10:5-7 – “Jesus enviou estes
         doze, e lhes ordenou, dizendo: Não ireis pelo caminho dos gentios, nem
         entrareis em cidade de samaritanos; mas ide antes às ovelhas perdidas
         da casa de Israel; e, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus”.



22
   A cabeça de ouro (império babilónico de 608-538 a.C.); os braços e peito de prata (império medo-
persa de 538-331 a.C.); o ventre e as coxas de cobre (império grego de Alexandre, o Grande, de 331-
168 a.C. nele incluindo o governo dos quatro generais/reis que lhe sucederam); e, por último, as
pernas de ferro e os pés em parte de ferro e em parte de barro que caracterizam o quarto domínio
mundial, o romano, numa primeira fase de 168 a.C. a 476 d.C. (as pernas) e, uma segunda fase,
posterior, até à actualidade, dos pés de ferro misturado com barro – a União Europeia. A profecia do
fim aponta que os 10 dedos dos pés desta estátua serão 10 nações do tempo do fim. As várias
tentativas históricas de fazer renascer este império romano ao longo da História redundaram em
fracasso: Carlos Magno, Otão, Carlos V, Filipe II, Luís XIV, Napoleão I, Guilherme II e, por fim, Hitler.
Curioso é notar que o actual Presidente da União Europeia é um homem que tem por nome Durão
(como o ferro) Barroso (como o barro), não havendo firmeza nele nem na organização que é suposto
dirigir…Deus tem sentido de humor e escreve direito por linhas tortas (mas os sábios entenderão
estas coisas e estes sinais).


Vítor Quinta                                                                                         29
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




    •   Já depois da partida do Mestre, alguns destes doze foram também enviados
        aos povos que se tornaram gentios, para que se cumprisse a profecia que está
        em João 10:16 – “Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco;
        também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá
        um rebanho [um só povo salvo] e um [só] Pastor”. Estes são todos os que
        nos muitos povos gentios “ouviram” e “ouvem” o chamamento de Deus e se
        convertem ao Deus de Israel através do Seu Cristo Yeshua.

Para melhor compreendermos o porquê deste hiato de 2.000 anos, relembremos o
que nos é dito em Actos 3:21 – “O qual [Yeshua, O Cristo] convém que o céu
contenha até aos tempos da restauração [restituição] de tudo, dos quais Deus
falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio”. Ora esses
2.000 anos estão no fim! Falta cumprir muito pouco para que o plano de YHWH
possa avançar para a fase seguinte: o início do Reino que não terá mais fim, cujo Rei
é Yeshua/YHWH. Resta pois um pouco de tempo para que se cumpram as profecias
destes dias do fim que ainda não foram cumpridas. Os acontecimentos suceder-se-
ão a um ritmo alucinante a partir de agora.

Temos assim que YHWH proporcionou um período de 2.000 anos para que:

    •   A Sua Palavra e o anúncio do Reino dos Céus chegasse a todos os povos
        (Salmo 96:3) e, de entre estes, chamar um remanescente que a aceitasse e se
        salvasse através do sacrifício do Filho: Mateus 24:14 – “E este evangelho do
        reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações,
        e então virá o fim”. A Bíblia é o livro que está traduzido em mais línguas e
        dialectos.

    •   O Filho preparasse uma habitação real para a Esposa – a Israel de Deus, o
        povo salvo, o qual é constituído por aqueles que se salvarão, vindos de todos
        os povos, tribos, nações e línguas, como nos é dito em Apocalipse – a tal
        grande multidão que nenhum homem podia contar. Esta tão grande multidão
        agregará todos os fiéis de todos os tempos; todos os que entregaram as suas
        vidas a Deus, antes e depois da vinda do Filho.

    •   O Filho assumisse a função de Sumo-Sacerdote dos bens futuros, como nos
        diz em Hebreus 9:11 e servisse de Mediador e nosso Advogado junto do Pai
        até que venha com castigo sobre a rebeldia de muitos e com recompensa da
        fidelidade desse remanescente de que nos fala a Bíblia.

Provera a Deus que já hoje estejamos enxertados (Romanos 11) nesta oliveira que é
Israel e cuja raiz é Yeshua, a mesma que O Senhor Yeshua veio chamar – um só
povo salvo. Esse mesmo povo que será composto por crentes e fiéis de todos os
povos, nações, tribos e línguas, de todos os tempos. Será esse povo que estará
presente nas Bodas do Cordeiro, conforme nos é ensinado em Isaías 25:6 – “E
YHWH dos Exércitos dará neste monte [Jerusalém/Israel] a todos os povos uma
festa com animais gordos, uma festa de vinhos velhos, com tutanos gordos, e
com vinhos velhos, bem purificados”.



Vítor Quinta                                                                      30
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Esse tempo chegará para os salvos de todas as nações, tribos, povos e línguas,
como nos ensina a Palavra de YHWH:

    •   Salmo 47:1 – “Batei palmas, todos os povos; aclamai a Deus com voz de
        triunfo”.

    •   Romanos 15:9-11 – “E para que os gentios glorifiquem a Deus pela sua
        misericórdia, como está escrito: Portanto eu te louvarei entre os gentios,
        e cantarei ao teu nome. E outra vez diz: Alegrai-vos, gentios, com o seu
        povo. E outra vez: Louvai ao Senhor YHWH, todos os gentios, e celebrai-
        O todos os povos”.

Através da Sua Palavra vemos, de forma muito clara, o quanto a Salvação de YHWH
(Yeshua) foi estendida a todos os povos e como O Cristo está às portas. Mas Ele já
hoje habita em todas as almas que, com um coração sincero, querem servir ao Deus
de Israel e fazer parte deste povo salvo, andando em obediência em todos os Seus
preceitos (mandamentos, juízos, estatutos, testemunhos), a Sua Lei/Torá.

Vamos ver mais algumas passagens que revelam o propósito de YHWH para estes
2.000 anos de espera pelo retorno do Messias:

    •   Actos 1:6-8 – “Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe,
        dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel? E disse-
        lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai
        estabeleceu pelo seu próprio poder. Mas recebereis a virtude do Espírito
        Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em
        Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria, e até aos confins da terra”.

    •   Mateus 24:14 – “E este evangelho do reino será pregado em todo o
        mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim”.

É este testemunho, na língua Portuguesa, que se pretende dar através deste
trabalho.

Agora ponhamos a questão nestes termos:

Se O Senhor Yeshua já instruía os Seus discípulos há cerca de 2.000 anos atrás
para que anunciassem que era chegado o reino dos céus, como não estará esse Dia
do Senhor ainda mais perto HOJE?

    •   Marcos 1:15 – “E dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está
        próximo. Arrependei-vos, e crede no evangelho”. Três grandes verdades
        contidas em tão poucas palavras!!!
    •   Apocalipse 11:15 – “E o sétimo anjo tocou a sua trombeta [a 7ª], e houve
        no céu grandes vozes, que diziam: Os reinos do mundo vieram a ser de
        nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre”.




Vítor Quinta                                                                   31
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Por último lembremos a parábola sobre os talentos: “A quem muito for dado, muito
será exigido”. Compete pois a cada um de nós multiplicar todos os talentos que nos
foram graciosamente dados pelo Rei que virá: O REI dos Reis e SENHOR dos
Senhores, para que, nesse dia, Ele nos possa dizer pessoalmente: “Vinde, benditos
de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a
fundação do mundo” – Mateus 25:34.



3.3             Dias difíceis pela frente

Os piores dias da vida da humanidade ainda estão pela nossa frente…até à vinda
gloriosa do Rei. O verdadeiro clímax da maldade e destruição que irão ser
provocadas por Satanás e pelos seus servos ainda não aconteceu em toda a
plenitude apontada nas Escrituras Sagradas.

Todo o século XX, de que nos lembramos em parte, foi um tempo de grandes
perturbações em todo o mundo: guerras tremendas com o uso de armas com cada
vez maior poder de destruição e sofisticação, sedições, revoluções, perseguições,
fomes endémicas e doença, injustiça, sofrimento e morte de centenas de milhões de
seres humanos. Só nas duas grandes guerras mundiais estima-se que tenham
perecido mais de 85 milhões de pessoas (20 milhões na 1ª e 66 milhões na 2ª). Este
retrato não é diferente do que se viveu nos séculos anteriores a este mas, nesses
séculos, a extensão e o número de vidas e destruição atingiram menor escala por se
tratarem de guerras regionais, pelo facto do número de pessoas no mundo ser
inferior ao que hoje existe e por utilizarem armas de menor poder destruidor.

Ultrapassado que foi o século XX, verificamos que a humanidade continua a sofrer
maiores e mais vastos cataclismos, tanto pela acção dos chamados “desastres
naturais23”, como pelos provocados pelo homem e pela avidez do lucro que têm
condenado populações inteiras de certas regiões à fome, guerra, doenças e até, ao
seu quase extermínio. Nestes poucos anos que ainda leva, o cenário do século XXI é
todavia pior. Senão vejamos:
      •   Apesar da abundância de recursos disponíveis, aumentou o abismo entre os
          poucos muito ricos e os biliões de deserdados. A desigualdade material e
          social são gritantes24.

      •   O sistema financeiro capitalista sem escrúpulos (“de casino”) tem cavado a
          sepultura da humanidade pois, com a sede desmedida de lucro, tem usado de
          todos os meios, lícitos e ilícitos para gerar cada vez maiores lucros, a ponto
          de fazer implodir todo o sistema financeiro mundial, dado que o mesmo não
          produz verdadeira riqueza, pelo que não pode ter sustentação real, i.e. por


23
   Aos chamados “desastres naturais” chamam as seguradoras “actos de Deus” (do inglês: “Acts of
God”): ciclones, tornados, inundações, tempestades, terramotos, erupções vulcânicas, etc. conforme
Yeshua anunciou que ocorreria antes da Sua segunda vinda gloriosa.
24
   1% da população mundial detém mais de 40% da riqueza; centenas de milhões (perto de 1 bilião de
almas) vive com menos de $US 2 por dia, muito abaixo do limiar da pobreza; morrem diariamente
cerca de 30.000 crianças por subnutrição e por doenças curáveis, etc., etc. Leiamos Tiago 5:3.


Vítor Quinta                                                                                   32
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        não estar assente em criação de riqueza produtiva mas somente na
        especulativa.

    •   Este cenário de desgraça induzida há-de conduzir à concretização do plano
        que há muito os principais líderes mundiais vêm reclamando: a instituição de
        um sistema iníquo e de total domínio dos povos através de um governo
        centralizado a que vêm chamando “A Nova Ordem Mundial”. Veremos que
        papel irá desempenhar o actual Presidente dos EUA, Barack Hussein Obama
        (BHO), em todos estes acontecimentos, bem como o papel que a estrutura
        governativa da União Europeia irá ter em todo este processo.

    •   Um sinal no mínimo “curioso” acerca de BHO é ele ter sido chamado do
        “messias que havia de vir” e “a pedra que os edificadores rejeitaram” pelo
        responsável da comunidade islâmica nos EUA, Sr. Louis Farrakhan, numa
        clara comparação apóstata e herética com Yeshua, O Filho do Deus
        Altíssimo. Na realidade, segundo os especialistas do Islão, estas
        comunidades aguardam a revelação do Mahdi (um homem alto de tez
        escura). Os acontecimentos dos dias futuros serão de acompanhar com
        grande interesse.

    •   Alguns estudiosos apontam que BHO tem revelado características que o
        apontam como um possível candidato a ser considerado como o anti-Cristo do
        tempo do fim. Pensamos que virá a desempenhar um importante em todo este
        cenário mundial, inclusive contra Israel, mas pensamos que não é este
        homem que irá assumir essa figura profética. O futuro o dirá. Mesmo que ele
        venha a adoptar posições contra Israel, mesmo nessas circunstâncias, ele
        será mais um instrumento nas mãos e no plano do Todo-Poderoso. Para isso
        foi colocado nas suas actuais funções.

    •   Também não há dúvidas quanto aos esforços que a presente Administração
        Americana tem realizado para promover ou vir a impôr a Israel um “tratado de
        paz” que passa pelo reconhecimento da “nação palestiniana” e pela divisão da
        santa cidade de Jerusalém. Este “acordo de paz” virá a servir, principalmente,
        os interesses políticos dos povos árabes da região, nações estas que são
        inimigas de Israel e que têm o mundo dependente do fornecimento de
        petróleo.

    •   O mundo está doente e agonizante devido à crescente miséria física e moral,
        à violência e brutalidade que imperam sem castigo, à desigualdade e injustiça
        (a justiça dos homens é uma farsa e um atentado aos direitos dos mais fracos
        e pobres). E tudo isto debaixo do governo do homem que só usa a mentira
        para sustentar e dar continuidade ao seu poder iníquo. Eles pretendem curar
        os males da humanidade recorrendo à aplicação de receitas que estão na
        origem desses males. Que loucos!

    •   Com o desgoverno das nações, alastra o desespero no seio das famílias que
        perderam os seus empregos e os seus meios de subsistência, aumentando a
        angústia perante os dias futuros; milhões já perderam as suas casas que
        andavam a pagar com recurso ao crédito, ficando endividados e sem
        emprego, o que agravou a sua situação e das suas famílias.



Vítor Quinta                                                                       33
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




     •   As guerras não pararam e novas ameaças surgem no horizonte.

     •   As fomes e as pestilências continuam.

     •   As chamadas “forças da natureza” têm trazido castigos acrescidos a esta
         humanidade; ex. o tsunami de Dezembro de 2004 (que causou perto de
         300.000 mortes), os furacões em maior número e violência destrutiva, o
         desequilíbrio da natureza, com o degelo (pela má acção do homem25), as
         inundações, os grandes incêndios, o aumento do número de terramotos, etc.,
         etc.

     •   As palavras de Yeshua em Mateus 24 dão um retrato sumário mas integral de
         todos os sinais que estamos a presenciar. Para uma visão mais detalhada ter-
         se-á que ler os textos dos profetas e de Apocalipse a respeito destes dias.

A lista é longa e todos têm presente a lembrança dos acontecimentos recentes.

Porém, mesmo perante este cenário dramático, o grande problema do homem
continua a residir na dureza do seu coração e no pecado que nele alberga, o que o
impede de ver “O Caminho” e chegar-se a Deus.

Mesmo perante as múltiplas evidências dos sinais dos tempos do fim26, será que
temos verdadeira consciência do quão perto estamos da vinda de Yeshua? O que faz
a maioria da humanidade? R.: Enterra a cabeça na areia como a avestruz e recusa-
se a reconhecer os sinais dos dias em que vive e a reconhecer a majestade do Deus
YHWH. Porquê? Porque não têm temor nos seus corações/mentes...não conhecem
nem querem conhecer a Deus. E, no entanto, Deus virá com castigo para aqueles
que O rejeitam. Por isso o ser humano rebelde sofrerá horrivelmente e será
consumido: Hebreus 10:31 – “Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo”.
Toda a rebeldia será derrotada. Os castigos estão há muito anunciados pelos
profetas…e, apesar dos avisos à navegação, os homens continuam a confiar que
serão os governos das nações que irão endireitar o que está torto. Quão cegos são!
A sua barca irá naufragar no meio de grande e terrível tormenta!

Uma das calamidades que virá nos próximos tempos, será a ampliação do colapso
do sistema económico e financeiro a nível mundial, cenário face ao qual a presente
crise internacional não é mais do que o seu prelúdio, situação que irá abrir o caminho
para a consolidação da Nova Ordem Mundial. Apesar dos nomes sonantes da
economia internacional e dos governantes pretenderem sossegar as populações

25
   O cumprimento da profecia de Isaías 24:4-6 está bem patente perante os nossos olhos: “A terra
pranteia e se murcha; o mundo enfraquece e se murcha; enfraquecem os mais altos do povo da
terra. Na verdade a terra está contaminada por causa dos seus moradores; porquanto têm
transgredido as leis, mudado os estatutos, e quebrado a aliança eterna. Por isso a maldição
tem consumido a terra; e os que habitam nela são desolados; por isso são queimados os
moradores da terra, e poucos homens restam”.
26
   Mateus 16:2-3 – “Mas ele, respondendo, disse-lhes: Quando é chegada a tarde, dizeis: Haverá
bom tempo, porque o céu está rubro. E, pela manhã: Hoje haverá tempestade, porque o céu
está de um vermelho sombrio. Hipócritas, sabeis discernir a face do céu, e não conheceis os
sinais dos tempos?”


Vítor Quinta                                                                                 34
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

dizendo que a situação económica está já em fase de recuperação e consolidação,
tal não é verdade. Todo o sistema está preso por arames e irá ruir em breve. Este
descalabro mundial irá criar condições propícias ao aparecimento do anti-Cristo (“a
besta”) dos últimos dias, o qual procurará apresentar-se ao mundo como “o salvador”
de toda esta situação. O seu governo iníquo será persecutório da verdade e dos que
mantém a sua fidelidade a YHWH.

Nem a prata ou o ouro dos ricos os poderá salvar das calamidades e dos castigos
que virão; estas riquezas serão lançadas pelas ruas como nos é dito em Ezequiel
7:19. Os ricos acumularam estas riquezas de forma injusta, diminuindo os salários
dos pobres, como nos ensina Tiago 5:1-6, por isso Yeshua, O Rei, lhes dará a justa
retribuição.

Um dos grandes sinais dos dias do fim é também o castigo que está profetizado em
Apocalipse 17 e 18; 19:1-2 sobre a “grande prostituta”, a “mulher”/igreja que, usando
o nome do Cristo, apostatou e adulterou a verdade ao longo dos séculos, bem como
perseguiu e matou os santos do Altíssimo. O sangue deles clama a Deus –
Apocalipse 6:10. Esta “grande prostituta” está corporizada na grande cidade que
reina sobre os reinos deste mundo: Roma/Vaticano.

O equivalente daquela “igreja”/cidade e igualmente perversa é a cidade de Meca e a
adoração da Kaaba (pedra negra), bem como todo o cortejo secular de perseguição e
morte dos filhos de Deus e dos filhos de Judá às mãos dos fanáticos do Islamismo,
em nome de Alá (deus da Lua). O instrumento destas perseguições tem sido o
Islamismo e seus chefes sectários e cegos que, nos últimos dias se levantarão em
grande coligação com muitos outros povos (Gog, Tubal, Cush, Put, etc., etc.) contra
Israel e a santa cidade de Jerusalém. Mas, os grandiosos exércitos que eles vão
levantar perecerão nos montes de Israel.

Até mesmo aqueles que dizem fazer parte do “remanescente de Israel” mas que
andam em iniquidade/desobediência perante a Lei/Torá eterna do Altíssimo sofrerão
a rejeição de Deus. Ele lhes dirá naquele dia: Mateus 7:23 – “Nunca vos conheci;
apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade”. Lembremos também os que
fazendo parte de Judá se revelaram igualmente rebeldes e que não entrarão na
aliança eterna: Ezequiel 20:37-38 – “Também vos farei passar debaixo da vara, e
vos farei entrar no vínculo da aliança. E separarei dentre vós os rebeldes, e os
que transgrediram contra mim; da terra das suas peregrinações os tirarei, mas
à terra de Israel não voltarão; e sabereis que eu sou YHWH”. Eles serão tirados
das terras das peregrinações de seus pais…mas não voltarão à terra de Israel. Este
é o juízo de Deus sobre os homens, quer sejam judeus ou gregos (i.e., de qualquer
outra nacionalidade ou povo).



3.4             Babilónia e os 7 reis do tempo do fim

É curioso notar que poucos responsáveis das igrejas ditas cristãs se debruçam sobre
o significado de uma profecia tão importante para os tempos actuais, e cujo clímax
ocorrerá nos dias que hão-de preceder a vinda do Rei Messias para governar
eternamente sobre todas as nações da terra. Trata-se da profecia que aponta para


Vítor Quinta                                                                      35
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

oito “reis” que hão-de governar antes da vinda do Messias, profecia que se encontra
no Livro de Apocalipse, capítulo 17. Concentremo-nos nos versos 1-11:

“E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças, e falou comigo, dizendo-
me: Vem, mostrar-te-ei a condenação da grande prostituta que está assentada
sobre muitas águas [povos, nações e línguas]; com a qual se prostituíram os
reis da terra; e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho da sua
prostituição. E levou-me em espírito a um deserto, e vi uma mulher assentada
sobre uma besta de cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfémia,
e tinha sete cabeças e dez chifres. E a mulher estava vestida de púrpura e de
escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas; e tinha na sua
mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua
prostituição; e na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande Babilónia,
a mãe das prostituições e abominações da terra. E vi que a mulher estava
embriagada do sangue dos santos, e do sangue das testemunhas de Jesus. E,
vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração. E o anjo me disse: Por que
te admiras? Eu te direi o mistério da mulher, e da besta que a traz, a qual tem
sete cabeças e dez chifres. A besta que viste foi e já não é, e há de subir do
abismo, e irá à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão
escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a
besta que era e já não é, mas que virá. Aqui o sentido, que tem sabedoria. As
sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada. E são
também sete reis; cinco já caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e,
quando vier, convém que dure um pouco de tempo. E a besta que era e já não
é, é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à perdição” – Apocalipse 17:1-11.

Em termos bíblico/proféticos, a palavra “Mulher” é sinónimo de “Igreja”. Esta igreja
que nos vem retratada acima é a de uma “mulher”/igreja que se deixou prostituir
pelos ganhos deste mundo que são passageiros – lembram-se que Satanás
prometeu a Yeshua todas as glórias deste mundo se Ele se prostrasse e o adorasse?
O mesmo se passou com esta “mulher”/igreja: deixou-se seduzir pelos ganhos
materiais deste mundo…para sua própria perdição.




     (cerimónia de coroação de Pio XII)

Esta “mulher” também nos é apresentada como trajando vestidos de cor escarlate e
estando adornada com preciosidades: madeiras odoríferas, ouro, prata e pérolas,
etc., etc., i.e. “os ganhos deste mundo”… É uma “mulher” que se perverteu e deixou
dominar por Satanás. Tem as mãos sujas do sangue dos fiéis e do roubo sistemático
que perpetrou ao longo de séculos de perseguição, tortura e morte. Que perverteu a
verdade de Deus e mudou os tempos e a Lei (Daniel 7:25), e deixou o santo dia de


Vítor Quinta                                                                     36
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

descanso de Deus, o Sábado, passando a ensinar e a impor a guarda do Domingo
(dia do culto ao “deus-sol” – “Sun-day”) tornando-se idólatra e adúltera (e.g. através
do culto mariano). A lista dos seus desvios é demasiado longa para a reproduzirmos
aqui.

Ao apóstolo João foram-lhe revelados os acontecimentos dos dias que estamos a
viver, os dias dos tempos do fim. Se continuarmos a ler os versículos seguintes são-
nos também explicados os significados de muitos termos que esta profecia utiliza, tal
como, por exemplo, as “muitas águas” como significando “muitos povos, multidões e
nações” sobre os quais esta mulher domina (ou está assentada). Por tais acções
sofrerá o castigo de Deus. Esta igreja nunca se arrependeu das suas abominações.

Algumas das grandes características desta “mulher”/igreja encontramo-las na própria
profecia de Apocalipse 17, o que torna fácil a sua identificação:
     •   Não se manteve pura, i.e. absorveu e ensinou toda a sorte de ritos pagãos em
         vez de os condenar, chamando para dentro de si todo o tipo de idolatria que
         Deus abomina.

     •   Em vez de servir a Deus e ao Seu povo, tem blasfemado do Nome do
         Altíssimo, arrogando para si própria títulos de majestade que só a Deus são
         devidos.

     •   “Casou-se” com os poderes terrenos e buscou sempre o seu próprio reino
         neste mundo e as suas riquezas, ainda que alcançadas à custa da mentira, do
         roubo e do sangue dos perseguidos pela verdade.

     •   Perseguiu a verdade, queimou Bíblias em praças públicas, perseguiu os
         santos, torturou-os, espoliou-os e matou-os, apropriando-se dos seus bens
         para acumular uma riqueza manchada de sangue inocente (isto aconteceu
         desde os primeiros séculos, tendo uma maior incidência no período da Idade
         Média – a idade das trevas – através do seu braço religioso, a chamada “santa
         inquisição27” ou “santo ofício”, e do braço secular do poder terreno com quem


27
    Os principais marcos da História de Portugal que antecederam e se relacionam com o
estabelecimento da Inquisição, são os seguintes: i) Portugal viu a sua população judaica crescer
enormemente a partir de 1478 com a expulsão dos judeus espanhóis (sefarditas) por decisão dos reis
católicos (Fernando e Isabel); ii) pelo Édito de D. Manuel I, de Dezembro de 1496, Portugal expulsou
os judeus, cometendo assim o maior erro da sua História; iii) o batismo forçado foi decretado em 21 de
Abril de 1497; iv) em 1536 a Inquisição (Tribunal do “Santo Ofício”) é implantada; v) Em 1773, o
Marquês de Pombal decreta a igualdade entre cristãos-novos e cristãos-velhos. Desde a implantação
da Inquisição em Portugal, instalou-se a perseguição, tortura, roubo e morte das famílias de origem
judaica. Houve toda a sorte de injustiça e maldade; os “autos de fé” (mortes na fogueira) duraram mais
de 200 anos. A crueldade foi tanta que até obrigou o “papa” Paulo II a enviar um protesto ao Concílio
de Trento para travar a sanha ignorante e bárbara dos inquisidores portugueses – frades, na sua
maioria dominicanos, que incitavam as turbas populares ignorantes e supersticiosas para a matança
através das suas prédicas inflamadas. Enquanto nação, não podemos deixar de relacionar o atraso
sistemático de Portugal desde então, como tendo origem neste tão grande pecado aos olhos de
YHWH. Lembremos que Portugal foi próspero e cresceu aos olhos das nações em todos os domínios
enquanto recebeu bem esta população judaica e caiu num completo desamparo e atraso quando
escolheu o povo judeu como bode expiatório para todo o tipo de coisas e massacrou os seus filhos. As
palavras de Deus a Abraão devem ficar aqui registadas: Génesis 12:3 – “E abençoarei os que te
abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias


Vítor Quinta                                                                                      37
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        estava casada – a “primeira besta”). Esta mancha de sangue continuou a
        alastrar e esteve sempre presente ao longo dos séculos, com maior incidência
        na época das Cruzadas, após o Século XI, nas perseguições da “Santa
        Inquisição” e durante o período da peste-negra na Europa, no
        colaboracionismo que prestou à Alemanha e ao seu regime nazi-fascista de
        1933 a 1945, fazendo depois, no fim da guerra, escapar dezenas, senão
        centenas de criminosos de guerra nazis para países da América do Sul
        através das conhecidas “ratlines” (linhas de fuga) do Vaticano e, na Croácia,
        imediatamente a seguir à 2ª. Guerra Mundial, acabando cúmplice da morte de
        milhões de almas nos campos de concentração e fora deles, de entre os quais
        cerca de 6 milhões de judeus – já no período da “segunda besta”.

    •   Explorou a ignorância dos povos e fomentou o ódio anti-semita em toda a
        parte, sendo particularmente responsável pela morte de milhões de judeus,
        cristãos-novos (ou “marranos” - que significa “porcos”), judeus convertidos à
        força e cristãos verdadeiros que não se quiseram submeter aos erros do
        papado – e.g. Huguenotes, Albigenses, Cátaros, etc.

    •   Trafica em almas de homens – através da celebração de missas e da
        instituição do inexistente “Purgatório” e das indulgências.

    •   Alterou os tempos e a Lei de Deus: “E proferirá palavras contra o Altíssimo,
        e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a
        lei...” – Daniel 7:25a. (o “papa” Gregório XIII mudou os tempos em 1582),
        adulterando as datas solenes instituídas por Deus (as Suas solenidades que
        nos são relatadas em Levítico 23) e instituindo o calendário gregoriano que
        ainda hoje rege as nações.

    •   Tem uma boca poderosa e usa-a para blasfemar do Nome de Deus.

    •   Através do engano e da mentira (falsas doutrinas) tem conduzido milhões e
        milhões de almas para a condenação eterna.

    •   Senta-se sobre sete montes e muitas águas (domina sobre povos, nações e
        línguas). Estes 7 montes são as 7 colinas de Roma, onde fica o Vaticano.

    •   Está adornada de muitas riquezas (pedras preciosas, ouro, pérolas, madeiras
        odoríferas, propriedades e seus edifícios, obras de arte,…), tendo acumulado
        a maior riqueza material que alguma organização humana jamais juntou.

    •   Veste-se de púrpura e escarlate (pois está embriagada com o sangue dos
        santos – Apocalipse 17:6), como se pode ver em toda a forma de vestir dos
        seus príncipes: bispos, cardeais e “papas”.

    •   Tem cavalgado as duas “bestas” (poderes terrenos diabólicos) e tem o número
        de um homem: 66628.


da terra”. Pobre nação portuguesa que tem sido governada pela intolerância católico-romana! O anti-
semitismo só desaparecerá com a vinda do Rei Yeshua!
28
   “VICARIVS FILII DEI”, título papal, entre muitos outros que, pela soma da numeração romana
atribuída aos números contidos neste título soma 666. Outro exemplo pode ser encontrado no nome


Vítor Quinta                                                                                    38
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




    •   Tem na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da
        sua prostituição:




    •   É chamada por Deus como “a grande prostituta29”, a “grande Babilónia”, a mãe
        de todas as prostituições e das abominações da terra (ver também Jeremias
        51:7) que foi beber parte dos seus ritos aos “mistérios” babilónicos.

Esta “mulher”/igreja adúltera constituiu-se como um dos maiores flagelos que
existiram até hoje sobre a terra. Culpa também do próprio homem que não busca a
verdade de Deus com um coração contrito e sincero. Ela e as suas filhas (as igrejas
que saíram do seu seio durante o movimento da Reforma e para ela estão a voltar
através do movimento ecuménico) são responsáveis pela apostasia e pelas heresias
que estão no mundo.

De notar, também, que não todas, mas muitas destas características também se
podem aplicar ao Islão e a Meca, sinais claros de um falso profetismo e adversários
do Deus YHWH e do Seu povo Israel. De resto, a História revela que sempre existiu
uma grande sintonia e concordância de objectivos entre a igreja de Roma e os
dirigentes do Islão: acabar com Israel.

Ao conceito de “mulher”/igreja temos que adicionar o conceito de “besta”. Diz-nos a
Palavra de Deus em Apocalipse 17 que esta “mulher”/igreja dará o poder à “besta”. A
Palavra de Deus fala-nos também de duas bestas:

    •   A primeira que subiu do mar (nações) – Apocalipse 17:1

    •   A segunda que subiu da terra – Apocalipse 17:11-12, cuja particularidade é
        que detém todo o poder da primeira besta, e age na sua presença, levando a
        que o povo da terra adore a primeira besta.

Historicamente, temos que distinguir três períodos ligados àquela profecia –
Apocalipse 17:8: “A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá
à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro
da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já
não é, mas que virá”:


de João Paulo II: “IOANNES PAVLVS SECVNDO” = 666.; ou em “DVX CLERIS” = 666, título atribuído
aos cardeais, altos dignitários do catolicismo romano.
29
   Esta igreja pervertida, a “grande prostituta” ou “grande Babilónia” pode igualmente aplicar-se à
futura “igreja mundial” que sairá da amalgama e subordinação de inúmeras identidades religiosas que
se têm submetido à Igreja Católica Romana através do movimento ecuménico (as filhas que se
separaram no Movimento da Reforma estão as voltar para a mãe: “a santa madre igreja” romana).


Vítor Quinta                                                                                    39
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


     1. O primeiro período, em que esta “mulher”/igreja dominou sobre todos os
        reinos deste mundo, com particular incidência desde 538 d.C., ano em que o
        Imperador Justiniano decretou a supremacia do bispo da igreja de Roma sobre
        todos os outros, até ao ano de 1798, quando o “papa” Pio VI foi aprisionado
        em Roma pelas tropas de Napoleão. Este período cumpre os 1260 anos da
        profecia de Daniel, capítulos 7 e 8 e Apocalipse 12:6, período em que o poder
        papal (político, militar e religioso) se exerceu sobre os povos da terra e se
        desenvolveram grandes perseguições ao povo de Deus: “os que guardam os
        mandamentos de Deus e têm a fé de Jesus Cristo” (Apocalipse 12:17; 14:12;
        22:14). O acto do aprisionamento do “papa” em 1798 cumpre a profecia de
        Apocalipse 13:3 quando ali diz “E vi uma das suas cabeças como ferida de
        morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou após
        a besta”. Na realidade, a igreja romana perdeu claramente o poder depois de
        1798, tendo até perdido o domínio de grandes territórios que foram integrados
        na nação italiana. Este foi o período da “primeira besta”, “a que foi”.

     2. O segundo período corresponde ao número de anos em que parecia que ela
        tinha sido atingida mortalmente, i.e. sem ascendente político sobre os poderes
        deste mundo e que corresponde ao período de 1798 a 1929, “que já não é”.

     3. Só que, como já vimos no ponto 1 acima, a sua chaga (que parecia mortal) foi
        curada, dando assim início ao terceiro e derradeiro período. Na realidade ela
        foi curada em 1929 quando os poderes eclesiásticos ligados à “Santa Sé”
        celebraram em Roma o Tratado de Latrão com Benito Mussolini, tendo
        assinado uma Concordata com o Estado Italiano. Ela voltou a adquirir o seu
        estatuto internacional através da criação do Estado do Vaticano30, em Roma.
        Desde então, o seu poder no mundo e entre as nações não tem parado de
        aumentar, para isso contribuindo o papel desempenhado pelos vários “papas”
        (reis) que se têm sucedido no poder – período da “segunda besta”, a “que
        virá”.

Reparemos ainda nesta frase: “a besta que era e já não é, mas que virá”. Esta
frase mostra de forma clara que Yeshua, na Sua Revelação (Apocalipse), acaba por
estar sempre falando de uma só “besta”, pois ela “era”, “deixou de ser” (por um pouco
de tempo), mas “voltou a ser” (nos dias do fim). Esta é a besta que combateu sempre
contra O Altíssimo Deus YHWH e perseguiu os Seus santos.

Devemos ainda pôr em destaque o que O Senhor Yeshua nos diz em Apocalipse
17:18: “E a mulher que viste é a grande cidade que reina sobre os reis da terra”
que, como vimos, se assenta sobre 7 montes (colinas) – a cidade de Roma, onde
está o Vaticano. Aqui está uma simbiose interessante que combina uma igreja com
uma cidade e com um Estado soberano entre as nações, tudo numa só entidade, a
“grande prostituta” – a igreja católica romana.




30
  Trata-se de uma situação curiosa e única, pois é a única igreja no mundo que é simultaneamente
um estado politicamente independente. O Estado do Vaticano situa-se em Roma.


Vítor Quinta                                                                                 40
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Ora a “besta” tem sete cabeças: Apocalipse 13:3. Diz-nos que também são sete
montes, Apocalipse 17:9. Já antes vimos que esta igreja apóstata tem andado
sempre “casada” com os poderes deste mundo. Para além do sentido de “besta” que
pode ser compreendido pelas características que nos são dadas na Bíblia Sagrada, a
“besta” a que esta igreja apóstata tem estado ligada pode igualmente ser
compreendida como o conjunto dos poderes económico, político, militar e religioso
terrenos, da qual a “mulher”/igreja faz parte e a que ela têm dado força e que ela
mesmo tem dominado através de inúmeras instituições por ela criadas.

Trata-se, por outras palavras, do poder religioso apóstata ligado ao grande Império
Romano (o quarto império31 do sonho da estátua de Nabucodonosor, o mesmo que
se prolongará até à vinda de Yeshua como Rei eterno, o quinto, que não mais terá
fim) e aos seus sucedâneos e às várias tentativas temporais do seu renascimento
através do chamado “Sacro Santo Império Romano”, cujas numerosas tentativas têm
sido feitas em diversos momentos da História até ao presente.

Hoje, decorridos que estão alguns anos sobre o início deste terceiro ciclo que se
iniciou em 1929 (Tratado de Latrão), e sobre o percurso de sete desses reis (seis já
reinaram e o sétimo ainda governa, mas por “um pouco de tempo” – Apocalipse
17:10, como nos diz a Palavra de Deus), é já possível perceber o quanto estamos
perto da vinda de Nosso Senhor Yeshua, O Rei Eterno, que virá para julgar o mundo
e estabelecer o seu reino milenar e eterno, continuando, assim, a desenvolver todo o
plano de Deus, até que, no final desse período de mil anos, tendo vencido e
aniquilado todos os seus inimigos, entregará, por fim, o Reino ao Pai.

Estamos em meados do ano de 2010, altura que já podemos entender os
acontecimentos passados mais recentes e prever o quão pouco tempo falta para que
mais uma etapa do plano de Deus esteja cumprida, precisamente o período da
“segunda besta”, aquela que havia de vir. Vejamos quem são estes sete reis que se
sentaram no trono do Vaticano desde 1929 e o que nos diz a Palavra de Deus sobre
aquele que os hão-de seguir e que culminará e será coincidente com o curto período
do reinado do último e mais poderoso anti-Cristo que a História já registou –
Apocalipse 17:10-11: “E são também sete reis; cinco já caíram, e um existe;
outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo.
E a besta que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à
perdição”. De reparar que o apóstolo João escreveu em particular para o período do
“papado” de João Paulo II, precisamente aquele que teve o reinado mais longo
destes todos. Vejamos, em subtítulo, o que nos é transmitido pela profecia:




31
   Diz-nos a profecia de Daniel 2:42-45 que a característica principal deste quarto império é que será
uma mistura entre o ferro e o barro que não se podem ligar. Como já antes se disse, Deus escreve
direito por linhas tortas e, por vezes, parece dar-nos pistas bem humoradas, como a do significado do
nome do político português que está à frente da União Europeia (reminiscência ou renascimento do
antigo Império Romano, o qual renasceu pelo Tratado de Roma): Durão Barroso, ou seja Durão, que
significa “rijo como o ferro”, mas, Barroso que é “frágil como o barro”…esta é a última fase do 4º
império humano, que ainda não foi extinto. O mundo não entende esta e outras mensagens de YHWH
para os nossos dias.


Vítor Quinta                                                                                      41
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


    a) “cinco já caíram”:

    •    1º - Pio XI (1922-1939), o qual assinou o Tratado de Latrão em 1929
    •    2º - Pio XII (1939-1958), o Núncio Apostólico na Alemanha nazi e que veio
         depois a ser “papa”, o mesmo que calou todo o morticínio que ocorreu nos
         campos nazis – o Holocausto
    •    3º - João XXIII (1958-1963)
    •    4º - Paulo VI (1963-1978)
    •    5º - João Paulo I (1978 – reinou apenas 33 dias…)

    b) “e um existe”:
    • 6º - João Paulo II (1978-2005 – reinou cerca de 27 anos)

    c) “outro ainda não é vindo”:
    • O 7º: Benedito XVI (Joseph Ratzinger) – e convém que quando vier reine por
       “um pouco de tempo”
    • 8º - ???? – “vai à perdição” e é referido como dos sete, e como sendo a
       própria “besta” (do tempo do fim) que “era e já não é” também vai à perdição,
       conforme nos diz em Apocalipse 17:11: “E a besta que era e já não é, é ela
       também o oitavo, e é dos sete, e vai à perdição”. Este é o que virá após o
       actual “papa” Bento XVI.

        1.             2.              3.              4.               5.                 6.     7.




    Pio XI         Pio XII        João XXIII       Paulo VI João Paulo I João Paulo II  Bento XVI
 1922 - 1939     1939 - 1958      1958 - 1963     1963 - 1978    1978      1978 - 2005 Abril 19, 2005
 Tratado de                                                                             Reinará por
                                                              Só reinou 33  Ferido em
   Latrão -                                                                            um pouco de
                                                                  dias        1981
    1929                                                                                   tempo
                             Cinco já caíram                                       Um existia O que viria
(quadro extraído e adaptado de http://biblelight.net, subtítulo “The End of Papal Rule”)




Por esta sucessão de reis (ligados à “besta” e comandando-a) e pelo pouco tempo
que falta cumprir até à vinda do Cristo, facilmente nos podemos aperceber do
eminente fim do actual estado de coisas, num mundo doente e podre governado pelo
homem e por Satanás. A condenação desta grande prostituta está traçada desde há



Vítor Quinta                                                                                           42
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

muito. Os nossos olhos ou os olhos dos nossos filhos e netos verão o castigo de
Deus sobre ela e sobre todos os que a seguem.

Não que esta Babilónia espiritual se restrinja somente à igreja católica-romana. Ela é
somente a cabeça visível de um sistema religioso iníquo muito mais vasto, uma vez
que ela tem muitas filhas que saíram do seu seio e para lá estão a voltar através do
chamado movimento ecuménico subordinando-se ao “papado” romano. De resto, o
conceito desta Babilónia abrange igualmente todo um sistema corrupto implantado
nas nações, nos seus governos e nas suas instituições que há muito se vêm
organizando no sentido da criação de uma “Nova Ordem Mundial”.

Todo o esforço de hegemonia e domínio dos povos é contrário à vontade de Deus,
pois é dirigido por Satanás. É-nos dito em Jeremias 51:6 – “Fugi do meio de
Babilónia, e livrai cada um a sua alma, e não vos destruais na sua maldade;
porque este é o tempo da vingança de YHWH; que lhe dará a sua recompensa”.
No versículo 45 diz-nos: “Saí do meio dela, ó povo meu, e livrai cada um a sua
alma do ardor da ira de YHWH”. Os dias da vingança do Altíssimo estão às portas.
O fumo do seu incêndio (o seu castigo) é-nos revelado em Apocalipse 18:9, 18.

Resta sempre o conselho de Deus: “E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela,
povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não
incorras nas suas pragas.” – Apocalipse 18:4.

O castigo que será derramado sobre esta grande Babilónia está patente em várias
passagens bíblicas. Esta é a Babilónia espiritual que reinou e reina sobre as nações
e sobre os poderosos da terra, que sempre traficou em almas de homens e
perseguiu, roubou e matou os santos do Altíssimo. Vamos ver alguns excertos:

    •   Apocalipse 14:6-12 – “E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o
        evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a
        toda a nação, e tribo, e língua, e povo. Dizendo com grande voz: Temei a
        Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele
        que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. E outro anjo
        seguiu, dizendo: Caiu, caiu Babilónia, aquela grande cidade, que a todas
        as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição. E seguiu-os o
        terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua
        imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão, também este
        beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice
        da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos
        anjos e diante do Cordeiro. E a fumaça do seu tormento sobe para todo o
        sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a
        besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome. Aqui
        está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os
        mandamentos de Deus e a fé em Jesus”.

    •   Apocalipse 18:1-5 – “E depois destas coisas vi descer do céu outro anjo,
        que tinha grande poder, e a terra foi iluminada com a sua glória. E
        clamou fortemente com grande voz, dizendo: Caiu, caiu a grande
        Babilónia, e se tornou morada de demónios, e covil de todo espírito
        imundo, e esconderijo de toda ave imunda e odiável. Porque todas as


Vítor Quinta                                                                       43
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

          nações beberam do vinho da ira da sua prostituição, e os reis da terra se
          prostituíram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a
          abundância de suas delícias. E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela,
          povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que
          não incorras nas suas pragas. Porque já os seus pecados se
          acumularam até ao céu, e Deus se lembrou das iniquidades dela”.

      •   Apocalipse 18:8-10 – “Portanto, num dia virão as suas pragas, a morte, e o
          pranto, e a fome; e será queimada no fogo; porque é forte o Senhor Deus
          que a julga. E os reis da terra, que se prostituíram com ela, e viveram em
          delícias, a chorarão, e sobre ela prantearão, quando virem a fumaça do
          seu incêndio; estando de longe pelo temor do seu tormento, dizendo: Ai!
          ai daquela grande Babilónia, aquela forte cidade! Pois numa hora veio o
          seu juízo”.

      •   Apocalipse 18:16 – “E dizendo: Ai, ai daquela grande cidade! Que estava
          vestida de linho fino, de púrpura, de escarlata; e adornada com ouro e
          pedras preciosas e pérolas! Porque numa hora foram assoladas tantas
          riquezas”.

Estas breves passagens proféticas têm um enorme significado para os dias de hoje e
para os que virão muito em breve.

A visão que apresentámos acima está muito centrada no paganismo e apostasia da
igreja de Roma/Vaticano, “a grande prostituta”, assim designada em Apocalipse.
Porém, não podemos deixar de considerar igualmente todas as profecias centradas
nos povos inimigos de Israel (descendentes de Ismael e de Esaú), também
apontados como Babilónia, a “mãe de todas as prostituições da terra” (também filha
do romanismo), que agrega os povos inimigos de Israel, os quais virão contra a terra
santa nos dias do fim. Para identificarmos estes povos e suas coligações bastará ler
o Salmo 83 e as profecias de Ezequiel, Capítulos 38 e 39.




3.5             Um mundo em agonia

Face ao mundo decrépito e podre em que vivemos, e no qual não podemos colocar a
nossa esperança (guerras, morte, injustiças, doenças, egoísmo feroz das pessoas e
das nações, maldade de toda a espécie…), e que é a consequência do homem se
deixar governar pelo príncipe deste mundo – Satanás, olhemos, antes, para a
verdadeira esperança que está em Yeshua, O que há-de vir para endireitar e
governar este mundo, em paz e justiça, conforme à Lei/Torá dada por Ele ao homem.

Diz-nos em Romanos 8: 22-30 – “Porque sabemos que toda a criação geme e
está juntamente com dores de parto até agora. E não só ela, mas nós mesmos,
que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos,
esperando a adopção, a saber, a redenção do nosso corpo. Porque em
esperança fomos salvos. Ora a esperança que se vê não é esperança; porque o
que alguém vê como o esperará? Mas, se esperamos o que não vemos, com


Vítor Quinta                                                                     44
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

paciência o esperamos. E da mesma maneira também o Espírito ajuda as
nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém,
mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele
que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que
segundo Deus intercede pelos santos. E sabemos que todas as coisas
contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que
são chamados segundo o seu propósito. Porque os que dantes conheceu
também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de
que ele seja o primogénito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes
também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que
justificou a estes também glorificou”. Palavras também confirmadas em Efésios
1:3-13.

No meio de uma geração corrompida (como já o era no tempo de Cristo) fomos
chamados pelo próprio Deus YHWH para nos regenerarmos no Seu Filho e pelo Seu
Espírito. O mérito é certamente de YHWH que nos conheceu antes que fossemos
sequer formados no ventre de nossas mães. Pois Ele é que conhece o fim desde o
princípio e O que sonda os corações. Só Ele tem realmente a presciência e
misericórdia para poder fazer tal coisa em nós. Pelas nossas obras não
alcançaríamos tão grande galardão. Somente o sangue de Yeshua nos possibilita
alcançar a vida eterna.

Como podemos pois estar à altura deste chamamento de vida? R.: Andando em
obediência, fé, esperança, amor e confiança na Sua Palavra e promessas,
aguardando, com paciência a nossa redenção pelo Cristo Yeshua, como também nos
diz em 2. Pedro 3:11-14 – “Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que
pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade, aguardando, e apressando-
vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os
elementos, ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa,
aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça. Por isso,
amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados
imaculados e irrepreensíveis em paz”.

Ele é verdadeiramente O Oleiro que nos deu forma e nos transforma, se em nós
estiver um coração obediente à Sua vontade, como também nos diz em Isaías 43:7 –
“A todos os que são chamados pelo meu nome e os que criei para a minha
glória, os formei, e também os fiz”.

Hoje vivemos num mundo em agonia:

    1. Isaías 24:4-6 diz-nos – “A terra pranteia e se murcha; o mundo enfraquece
       e se murcha; enfraquecem os mais altos do povo da terra. Na verdade a
       terra está contaminada por causa dos seus moradores; porquanto têm
       transgredido as leis, mudado os estatutos, e quebrado a aliança eterna.
       Por isso a maldição tem consumido a terra; e os que habitam nela são
       desolados; por isso são queimados os moradores da terra, e poucos
       homens restam”.




Vítor Quinta                                                                 45
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)



          •    O mundo animal e vegetal está contaminado e em extinção, por culpa do
               próprio homem e da sua ambição desmedida. Veja-se que a economia
               das nações não param de querer “crescer”; “crescer”, “crescer” (é o lema
               e o paradigma pelo qual hoje os governos das nações medem o êxito da
               sua acção política). Porém, todos os elementos naturais estão
               contaminados pelo homem.

        Mas, podemos perguntar:

          •    “Crescer” até onde? Até que patamar de desenvolvimento?

          •    “Crescer” à custa de quê?

          •    “Desenvolvimento” à custa de quê e de quem? Com o sacrifício do meio
               ambiente e dos que trabalham por um salário de miséria ou que
               trabalham em regime de escravatura?

          •    E como se tem feito a repartição dessa riqueza que as nações têm
               gerado? A resposta é simples: tem sido apropriada por meia dúzia de
               grandes famílias da alta finança mundial e dos aparelhos dos vários
               Estados, sendo que uma boa fatia é empregue na continuação da
               exploração de grandes massas humanas através do domínio militar e
               tecnológico, mantendo, e ampliando até, a injustiça.

          •    Onde estão as espécies animais, as florestas e as plantas, e os recursos
               aquíferos que o homem tem destruído para criar essa “riqueza” iníqua
               que alimenta o apetite voraz das grandes corporações (que pertencem
               sempre aos mesmos) e que nunca estão saciados?

          •    Quem explora e beneficia das riquezas minerais de muitos povos? E em
               que medida é que as populações desses países beneficiam dessas
               riquezas?

          •    O que é feito a favor dos mais pobres? Nada, pois as estatísticas
               revelam que, à medida que os anos passam, os ricos estão cada vez
               mais ricos e os pobres cada vez mais pobres e miseráveis! E o que é
               feito aos acréscimos de produção alimentar, quando há cada vez maior
               número de pessoas com fome e com outras carências? São destruídos
               para manter os preços elevados nos mercados.

          •    Qual a acção das multinacionais farmacêuticas a favor dos povos (onde
               vendem os seus produtos a preços escandalosos)? As mesmas que
               roubam o saber dos povos indígenas para patentear em seu proveito
               coisas que sempre estiveram livres e acessíveis na natureza criada por
               Deus ou que denigrem muitos processos de cura natural só para
               imporem os seus “remédios” que intoxicam as pessoas e causam mais
               doenças devido aos seus efeitos colaterais, entrando numa espiral de
               doenças que tornam as pessoas cada vez mais dependentes/escravos



Vítor Quinta                                                                        46
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

               da indústria farmacêutica (veja-se qual a fatia das magras reformas dos
               que trabalharam uma vida inteira é gasta em “medicamentos”).

          •    E para onde é canalizada a riqueza produzida pelas nações? Em grande
               parte para sustentar o poderio militar dessas nações para exercerem
               maior domínio sobre os mais fracos!

          •    Há cada vez mais desigualdade e injustiça…os ricos estão cada vez
               mais ricos e os pobres estão cada vez mais pobres – as estatísticas
               provam-no!!!

          •    Este é o governo dos homens e de Satanás!!! Este é o governo do
               dinheiro!

          •    Esta é a maldição de Deus sobre o homem, porque este Lhe virou as
               costas.

          •    As dores, a maldição e as calamidades que consomem a Terra estão à
               vista de todo o mundo; mas, apesar disso, o homem não abandona
               esses seus caminhos. Desde Adão que esta maldição tem estado
               presente na vida do homem.

          •    Esta maldição só terminará quando Cristo e os Seus escolhidos
               presidirem ao destino das nações, e a Sua justiça (a Sua Lei/Torá)
               imperar nos corações/mentes dos governados por Ele – o tempo da
               restauração e restituição de todas as coisas – Actos 3:21.

          •    Jeremias 12:4 diz-nos: “Até quando lamentará a terra, e se secará a
               erva de todo o campo? Pela maldade dos que habitam nela,
               perecem os animais e as aves; porquanto dizem: Ele não verá o
               nosso fim […o nosso propósito]”. Mas Deus vê claramente o
               propósito do homem perverso. Por isso este estado de coisas terá em
               breve o seu fim.

     2. Esta maldição revela-se até nas dificuldades que o homem tem em cultivar os
        produtos da terra – vê-se que as condições naturais criadas por Deus não
        cooperam com o homem. Por isso, o homem tem recorrido aos pesticidas o
        que veio aumentar a contaminação dos solos e de todo o produto criado à
        base de fertilizantes e pesticidas, gerando maior desequilíbrio e levando ao
        desaparecimento de muitas espécies (insectos polinizadores, por exemplo32).
        Ingerindo toda a espécie de produtos nocivos, quer de forma directa quer ao
        ministrar novos produtos químicos, de síntese, nas plantas ou nos animais, o
        homem tem visto aumentar o número de novas doenças que o matam também
        (e.g. vacas loucas, cancro, etc.).




32
   Veja-se que ultimamente se está a registar um fenómeno como nunca se deu antes: o
desaparecimento de largas colónias de abelhas (milhões e milhões delas). Segundo terá dito Einstein,
o mundo como o conhecemos desaparecerá quatro anos depois do desaparecimento das abelhas…


Vítor Quinta                                                                                     47
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


    3. A mais recente “invenção” das grandes corporações da indústria química é a
       “compra” através do “lobbying” de muitos governos e instituições estatais que
       foram criadas para defender os interesses dos cidadão dos países, mas cuja
       porta de entrada lhes é escancarada para que entrem os seus produtos
       “geneticamente modificados”, sendo esta a forma mais recente de criação de
       maior dependência tecnológica perante essas corporações. Os povos vão
       passar a consumir produtos alterados através da genética (sementes, farinhas,
       etc.) que irão tornar ainda mais doentes as populações onde esses produtos
       estão a ser admitidos. Mas, entretanto, os bolsos das multinacionais da
       indústria química vão ficando cada vez mais cheios. Onde imperam o dinheiro
       e o lucro desenfreado claudicam os princípios morais.

    4. Outra forma de contaminação é a pressa em que o homem hoje vive, como se
       não tivesse tempo para nada. E isto não é de estranhar, pois o homem arranja
       sempre tempo para as coisas deste mundo mas falta-lhe o tempo para honrar,
       louvar e adorar O seu Criador. E o pior de tudo é que nem pára para pensar e
       tomar consciência da miséria em que vive, pois não conhece a Deus, pois não
       conhece a Sua Palavra. Anda demasiado ocupado com as coisas desta vida e
       rejeita o principal – Deus na sua vida. O homem esquece o ensinamento de
       Yeshua a Marta, em Lucas 10:41 – “E respondendo Jesus, disse-lhe:
       Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só
       é necessária”…mas o homem não entende. Quando acaba os seus dias,
       perguntam muitas vezes os amigos: “para que foi tanto esforço”? Para que é
       que trabalhou tanto? “Miséria sobre miséria virá”, como nos diz Ezequiel
       7:26!!!

    5. O homem na realidade chegou a este estado espiritual miserável devido à
       desobediência e ao seu coração impenitente. Incapaz de reconhecer o seu
       erro, o seu pecado, a sua insuficiência, o homem persiste em alcançar algo
       que não pode alcançar – a felicidade humana e terrena, precisamente porque
       se afastou de Deus e continua a rejeitar a felicidade verdadeira, aquela que só
       lhe pode advir através do Criador, Senhor YHWH. O homem é incapaz de
       reconhecer que necessita de um Salvador e que a esperança dos seus dias
       neste mundo só tem que estar Naquele que tudo pode, em todos: Salmo 71:5
       – “Pois tu és a minha esperança, Senhor DEUS; tu és a minha confiança
       desde a minha mocidade”. Como o coração dos homens anda longe destas
       palavras!!! Ora, se o homem não tem Deus no seu coração/mente também
       não pode ensinar os seus filhos a buscá-Lo.

E, no entanto, Deus, embora lamentando o descuido do homem, Deus continua
pacientemente a chamá-lo ao arrependimento e a dizer-lhe que é somente Nele que
o homem deve depositar a sua confiança. Não neste mundo, nem nas coisas desta
vida passageira: Isaías 30:15 – “Porque assim diz o Senhor DEUS, o Santo de
Israel: Voltando [para Mim] e descansando sereis salvos; no sossego e na
confiança estaria a vossa força, mas não quisestes”. Eis porque o mundo está
em agonia: porque o homem voltou as costas ao Deus que o criou e sustenta.




Vítor Quinta                                                                       48
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Se o homem compreendesse estas coisas, compreenderia também as palavras que
Yeshua disse a um certo homem para que O seguisse, ao que esse homem
respondeu: “Deixa primeiro que vá enterrar a meu pai”. Que resposta deu O Cristo às
palavras deste homem? “Deixa os mortos enterrar os seus mortos” – Mateus
8:22. Assim anda o homem hoje. Quem não tem Cristo no seu coração está
espiritualmente morto para Deus. O seu destino será a condenação e destruição
eternas.



4.      As 70 semanas proféticas de Daniel

                                          Daniel 9:24:

  “Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa
cidade, para cessar a transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a
 iniquidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o
                                    Santíssimo”



4.1               Notas de abertura

Antes de entrarmos na análise profética das 70 semanas, convém assinalar, desde
já, que este trabalho oferece duas visões sobre o cumprimento profético das 70
semanas anunciadas por YHWH através de Daniel, Seu servo.

A primeira, “As 70 semanas cumpridas no tempo, desde o Cativeiro de Babilónia”
divide-se em três partes:

      1. Um primeiro período de 69 semanas de anos (7 mais 62 semanas), i.e. 483
         anos, o qual, por sua vez se desdobra em duas partes proféticas:

         i)    a primeira parte, de 7 semanas de anos (“shavuot”), ou 49 anos, que foi o
               tempo que mediou após a saída da ordem de Artaxerxes no ano 457 a.C.
               com a saída do povo de Babilónia para reconstruir o Templo e a cidade de
               Jerusalém (Esdras 7:9a – “Pois no primeiro dia do primeiro mês [1º de
               Aviv] foi o princípio da partida de Babilónia”), exactamente 49 anos que
               levou a reconstruir o Templo e os muros da cidade de Jerusalém, e

         ii) uma segunda parte de 62 semanas de anos, ou 434 anos, contada após a
             reconstrução do Templo e da cidade e o dia em que se manifestou O
             Messias pelas palavras de João Batista: “Eis O Cordeiro de Deus que tira
             o pecado do mundo” – João 1:29, acontecimento que ocorreu no ano 27
             d.C., também no 1º. de Aviv (os tempos determinados por YHWH são
             exactos).




Vítor Quinta                                                                         49
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




     2. Depois de Yeshua ser revelado ao mundo como O Messias há muito
        anunciado, e até que se completaram os 490 dias proféticos (as 70 semanas),
        O Cristo Yeshua exerceu o Seu ministério até ser morto, ressuscitado e
        ascendido aos céus, ou seja o cumprimento da profecias de Isaías 61:2, que
        corresponde ao ano aceitável do Senhor, o que foi confirmado pelas palavras
        de Yeshua, em Lucas 4:18-21, quando se levantou para ler a profecia acerca
        da Sua vinda: “O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para
        evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração, a
        pregar liberdade aos cativos, e restauração da vista aos cegos, a pôr em
        liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor. E, cerrando o
        livro, e tornando-o a dar ao ministro, assentou-se; e os olhos de todos na
        sinagoga estavam fitos nele. Então começou a dizer-lhes: Hoje se cumpriu
        esta Escritura em vossos ouvidos”33. Foi neste ministério que Yeshua cumpriu
        o que Dele foi dito em Daniel 9:24: “i) cessar a transgressão, e para ii) dar fim
        aos pecados, e para iii) expiar a iniquidade, e iv) trazer a justiça eterna, e v)
        selar a visão e vi) a profecia, e para vii) ungir o Santíssimo”, pois Nele se
        cumpriram todas estas coisas aquando da Sua primeira vinda.

     3. Uma terceira parte é aqui introduzida pelo hiato entre o fim da 70ª semana que
        findou quando O Messias “foi cortado, mas não para Si mesmo” (como O
        Cordeiro de Deus, sacrificado aos 14 de Aviv, à tarde, do ano 28 d.C.), i.e.
        quando Ele foi sacrificado por nós, e a Sua segunda vinda, período de 2.000
        anos.

     4. A última semana de anos, os 7 anos do fim, voltarão a repetir-se pois
        correspondem aqui à 70ª semana da profecia de Daniel 9, tal como a
        abordamos mais adiante neste trabalho, em mais pormenor, completando-se
        assim os 490 anos proféticos sobre o povo de Deus e a santa cidade de
        Jerusalém, até que O Rei Yeshua surja com todo o poder, majestade e glória
        eternos.

Recapitulando, podemos “dividir” a profecia das 70 semanas de Daniel (“shavuot” –
70 Festas anuais de Pentecostes ou das Semanas) em subconjuntos de períodos de
tempo, tal como ela nos é apresentada na passagem de Daniel 9:24-27:

     •   1º grupo de setes: 7 x 7 = 49 anos

     •   2º grupo de setes: 62 x 7 = 434 anos

     Estes dois períodos que somam 69 semanas foram interrompidos por um hiato de
     cerca de 2.000 anos (ler Oséias 6:1-2) após o que se seguirão os últimos 7 anos
     antes da vinda do Rei Yeshua:




33
  Recordemos que Yeshua só leu uma parte da profecia de Isaías 61:1-10, ficando-se somente pela
parte que respeitava à Sua primeira vinda. O resto da profecia que diz: “e o dia da vingança do nosso
Deus” não foi lida, uma vez que essa só se cumprirá com a Sua segunda vinda, como Rei.


Vítor Quinta                                                                                       50
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




     •   3º grupo de sete: 1 x 7 = 7 anos, a qual, como já explicámos e voltaremos a
         detalhar, está profeticamente dividida em duas metades – este é o chamado
         período da “grande tribulação” ou “tribulação de Jacob”.

Todo este padrão de semanas proféticas foi também reproduzido no decurso do
ministério de Yeshua. Precisamente no decurso da última semana desse ministério, a
meio da mesma, foi quando Yeshua foi “cortado, mas não para Si mesmo”34. SE este
padrão estiver correcto, então poderemos calcular a última semana profética de
Daniel (a 70ª shavua) da seguinte forma:
     •   1948 – Maio: Israel foi restaurada como nação (após a decisão saída da
         ordem para restaurar, dada na conferência da ONU em 29.Nov.1947 –
         Resolução nº. 181);

     •   Adicionando 62 semanas/anos, chegamos ao ano de 2010

     •   Assim, tudo aponta para que neste ano de 2010, ele, “o príncipe35 que há-de
         vir para destruir a cidade e o santuário”, ”firmará concerto com muitos por uma
         semana” (Daniel 9:27), i.e. por um período de 7 anos que serão os últimos do
         governo dos homens e de Satanás antes da vinda gloriosa do Rei Yeshua; tal
         deverá ocorrer em 1 de Tishri (7º mês do calendário divino).

     •   Após o que, a meio dessa semana final de 7 anos, esse “príncipe que há-de
         vir” (ou, neste caso, manifestar-se) interromperá esse concerto (é Deus Quem
         comanda todos estes acontecimentos).

     •   Se o início da contagem desta semana de anos final vier a ter lugar em 1 de
         Tishri de 2010 (pelo calendário divino), também a data do seu encerramento
         corresponderá à mesma data de 1 de Tishri, 2017.

     •   Ora O Senhor YHWH atribuiu sempre particular destaque aos             dias das Suas
         solenidades, as que Ele nos aponta em Levítico 23. Através do         plano de Deus
         verificamos que todos os grandes acontecimentos da vida do            povo de Deus
         estiveram centradas nestes dias especiais (nestes Sábados             anuais), como
         frisamos noutra parte deste estudo.

     •   Queremos também chamar a atenção para o período de 10 dias que medeiam
         entre o Dia das Trombetas e o Dia da Expiação (dia do jejum), período que o
         povo judaico considera serem dias de preparação para o arrependimento. Até
         hoje, o povo de Deus dedica esse período a uma interiorização da sua
         condição espiritual e preparação para o jejum do Dia da Expiação. Só que
         pouco antes da vinda de Yeshua estes dias assumirão o seu verdadeiro
         significado com o derramamento das 7 taças da ira de Deus que nos vêem
34
  Vide gráficos inseridos no DVD nº. 5 da série “The Jonah Code”, de Michael Rood.
35
  Reparemos que quando o profeta nos fala do “príncipe que há-de vir” o faz referindo-o em letra
pequena – Daniel 9:26 (o anti-Cristo do fim dos tempos), ao passo que quando fala do Príncipe
celestial, Yeshua, o faz em letra grande – Daniel 9:25. Temos assim a referência clara a duas
personagens completamente antagónicas: Yeshua como Protector de Israel e Satanás (e, neste caso,
o anti-Cristo do fim) como “o assolador”, “e o que está determinado será derramado sobre o
assolador”.


Vítor Quinta                                                                                 51
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        relatadas em Apocalipse 16:1-21; estes são os dias que nos são relatados
        como “the 10 days of awe” (os 10 dias de pavor).

    •   Outro sinal importante é a contagem do Jubileu – quando Israel entrou a
        possuir a terra – que, neste caso, ocorreu em Junho de 1967 (Guerra dos Seis
        Dias) quando Israel retomou por inteiro a cidade de Jerusalém aos Jordanos.

    •   Ora, o tempo de um Jubileu é, por analogia com a contagem para o
        Pentecostes, de 50 anos (Levítico 25:8-11) que, somado a 1967 dá também
        como resultado o ano de 2017 (já antes apontámos a importância profética
        deste ano).

    •   Lembremos igualmente que está cumprido o tempo, uma vez que o homem
        governa sobre as obras criadas por Deus há cerca de 6.000 depois de Adão
        (Baseando-se em Génesis 6:3, alguns estudiosos da Palavra afirmam que
        Deus teria estabelecido um período de 120 Jubileus para que o homem
        exercesse o domínio sobre a Terra, o que lhes permite extrapolar os 120
        Jubileus de 50 em 50 anos, para se chegar aos 6.000 anos referidos).

    •   Do mesmo modo, desde há milhares de anos que Israel aceita que o governo
        do homem (6.000 anos) é uma imagem dos 6 dias da Criação de Deus, nos
        quais Ele criou todas as coisas, tendo descansado e santificado o dia 7º, o
        Sábado, sendo o Sábado uma imagem também do tempo de descanso
        milenar que corresponde ao 7º milénio, ou ao governo de Yeshua sobre todas
        as nações da terra – Hebreus 4:4-11. Esta conclusão é igualmente tirada da
        analogia que nos é dada entre 1 dia profético e 1.000 anos, tal como nos é dito
        em 2.Pedro 3:8.

    •   Daí o entendimento que terem existido três grandes divisões nos 6.000 anos:
           1. 2.000 anos de Adão a Abraão
           2. 2.000 anos de Abraão a Yeshua
           3. 2.000 anos entre a primeira e a segunda vinda de Yeshua (Oséias 6:2).

    •   Agora repare-se nos grandes acontecimentos dos últimos anos à volta de
        Jerusalém e que, estamos convencidos serem anos de Jubileu (Deus não
        parou o Seu relógio…):
          - 1917 – ano em que o domínio dos otomanos caiu nas mãos dos ingleses;
          - 1967 – ano em que o domínio dos jordanos sobre parte de Jerusalém caiu
          nas mãos de Israel;
          - 2017 – ano em que se cumprirá a profecia de Yeshua de Mateus 24:34 e
          que corresponderá ao 120º Jubileu, o tempo da restituição de todas as
          coisas ao seu legítimo proprietário: YHWH/Yeshua.

    •   Podemos assim compreender melhor as palavras de Yeshua que estão em
        Mateus 24:32-34 e que nos asseguram que não passará a geração destes
        sinais sem que tudo aconteça (70 anos, conforme nos diz no Salmo 90:10;
        Isaías 23:15b)!

É deste modo que se apontam também como anos de Jubileu aqueles em que
ocorreram marcos importantes na vida de Israel e na sua terra:


Vítor Quinta                                                                        52
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




    •   1917 – marcou o fim do domínio do Império Otomano Turco sobre Jerusalém,
        ano em que a Grã-Bretanha (descendentes de Manassés) conquistou
        Jerusalém e assumiu o controlo da Palestina depois de 400 anos de
        dominação da “besta”. Nesse mesmo ano teve lugar a Declaração de Balfour
        que estabelecia a futura criação de uma pátria para os Judeus na Palestina,
        tendo sido a partir deste ano que começaram as maiores migrações de judeus
        para a terra que viria a ser a nação de Israel, renascida em 1948.

    •   1967 – constitui o marco histórico mais importante após a criação do Estado
        de Israel em 1948, pois foi em 1967 que Jerusalém foi libertada, de novo, na
        Guerra dos Seis Dias, a primeira vez em mais de 2.500 anos de dominação
        estrangeira.

Estas datas históricas estão intimamente ligadas ao cumprimento das profecias que
apontavam para o fim dos castigos que caíram sobre Israel devido à sua idolatria nos
tempos antigos. Em Levítico 26:28-34, O Senhor YHWH apontou-lhes grandes
castigos. Disse-lhes que esta nação seria castigada 7 vezes devido aos seus
pecados. Sete vezes é: 7x360=2.520 anos. Como já antes apontámos, a contagem
deste castigo teve início no ano de 604 a.C. (Daniel 1:1-2) e terminou precisamente
em 1917 quando os Otomanos foram expulsos da Terra Santa e da cidade de
Jerusalém.

Agora esperamos a libertação definitiva e total pela mão poderosa e gloriosa de
YHWH, quando O Rei Yeshua vier para reinar eternamente. Esta libertação final será
precedida de nova ocupação e destruição que ocorrerão quando os exércitos
inimigos de Israel se congregarem para atacar esta nação no decurso da Guerra do
Armagedão.

Estes foram os tempos determinados por YHWH sobre o Seu povo para que se
cumprisse o plano de restauração de todas as coisas pela mão do Santo de Israel, O
Senhor Yeshua, O Messias. Estes são os tempos determinados na profecia por
YHWH para que Yeshua, como Rei, venha:

    √   fazer cessar a transgressão
    √   dar fim aos pecados
    √   expiar a iniquidade (no nosso lugar, como O Cordeiro de Deus)
    √   trazer a justiça eterna
    √   selar a visão
    √   selar a profecia
    √   ungir O Santíssimo.

Na realidade, e através do Seu sacrifício, Yeshua confirmou o Concerto de YHWH
com muitos, fazendo reconciliação entre Deus e os pecadores que se arrependeram
e selaram as suas vidas no sangue dessa reconciliação. Na realidade, Ele trouxe-nos
a justiça eterna. Aleluia (AlleluYah – Louvado seja Yah)! Mas, como acontece com
muitas profecias (duplo cumprimento), também estas palavras proféticas são para o
tempo do fim, para serem cumpridas no final da 70ª semana de Daniel 9:24-27.



Vítor Quinta                                                                     53
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Mas, “o príncipe que há-de vir ou manifestar-se” (Daniel 9:26b) será o que fará
também uma aliança/concerto de “paz” com muitas nações que hão-de vir contra a
santa cidade de Jerusalém no tempo do fim, com grande exército, mas ali
encontrarão sepultura.

Este “tratado de paz” que será celebrado no início da última semana de anos (7
anos) irá permitir a realização do tão desejado sonho da comunidade religiosa em
Israel: a reconstrução do Templo Santo, havendo então condições para que voltem a
realizar-se sacrifícios (Daniel 9:27).

A título de curiosidade (ou talvez não), e já que se falou do “príncipe que há-de vir”,
reparemos que a data apontada (62 semanas de anos, i.e. 62 anos) para que esse
“príncipe” viesse a surgir na cena mundial, apontava para 62 anos depois da decisão
de 29.Nov.1947, i.e. desde a data de saída da ordem para restaurar a nação,
contados em anos bíblicos de 360 dias, leva-nos à data de 22 de Janeiro de 2009,
tendo sido nesta data que o Presidente Barack Hussein Obama tomou posse do seu
cargo perante a nação americana (o primeiro juramento foi a 21 de Janeiro, tendo o
mesmo que ser repetido no dia seguinte, dia 22, devido a erros formais ocorridos no
pronunciamento do juramento).

Será este “o príncipe” que confirmará o concerto com muitos por um período de 7
anos no fim dos dias? Não temos dúvidas que um dos maiores empenhos (senão o
maior de todos) da nova Administração Americana é conseguir a paz no Médio
Oriente, entre Israel e os seus inimigos. Porém, sabemos igualmente pelas profecias,
que essa será uma paz ilusória, pois a mesma será interrompida a meio desse
período final de 7 anos antes da segunda vinda gloriosa de Yeshua. Nessa altura
esse “príncipe” fará cessar os sacrifícios no Templo em Jerusalém – Daniel 9:26-27.
Como já antes se apontou, não é necessário que esse “acordo de paz” seja obtido a
partir do zero, pois poderá acontecer que tal acordo não passe de uma revalidação
do já celebrado em 1993 (Acordo de Oslo), por 7 anos, o chamado “road map for
peace” entre Israel e as nações suas inimigas em que Israel se comprometeu a
devolver a maioria dos territórios conquistados na altura da Guerra dos Seis Dias, em
Junho de 1967, a troco de paz. No entanto, a realidade alcançada foi outra: os
territórios foram quase todos devolvidos mas os mísseis continuaram a cair sobre as
cidades Israelitas, bem como os atentados bombistas passaram a ser diários, até que
Israel resolveu construir um muro de separação entre eles e os seus inimigos, os que
os bombardeavam diariamente com mísseis (ainda hoje continuam…).

Também, desde o momento em que O Messias foi revelado ao mundo no batismo
das águas no Rio Jordão e o momento do derramamento do Espírito Santo no Dia de
Pentecostes, cinquenta dias após Ele ter sido oferecido como “Primícia” no Dia das
Primícias, como “O Primeiro” entre muitos, decorreram exactamente 490 dias,
cumprindo assim o tempo determinado na profecia de Daniel 9. Após ter regressado
do seu jejum de 40 dias no deserto (onde foi tentado por Satanás) João, o Batista
proclamou na ocasião do Seu baptismo: “Eis O Cordeiro de Deus que tira o pecado
do mundo”. O tempo do ministério de Yeshua foi somente de um ano, de uma
Páscoa a outra Páscoa (do ano 27 ao ano 28 d.C.), cumprindo igualmente o
determinado na Lei/Torá que os cordeiros a serem sacrificados em oferta a YHWH
teriam que ser de um ano e sem mancha. Estão errados os que apontam que o


Vítor Quinta                                                                        54
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

ministério de Yeshua teria durado 3 ou 3,5 anos, pois tal iria transgredir um estatuto
da Lei/Torá…e Yeshua era verdadeiramente “O Cordeiro de Deus”.

Para melhor compreensão desta abordagem podemos analisar os quadros inseridos
no Anexo A deste trabalho. Esta perspectiva pode ser melhor entendida quando
analisamos e aceitamos o sentido profético das Solenidades de YHWH que ocorrem
na Primavera (o cumprimento dos sinais da 1ª vinda do Messias como servo) e as
Solenidades que ocorrem no Outono, as que apontam para a 2ª vinda do Messias
como Rei eterno.

A segunda visão ou abordagem do cumprimento de “As 70 semanas cumpridas nos
últimos dias, a contar de 1947”, apontam para os dias do fim, i.e. os 70 anos (70
“shavuot”, um em cada ano) que decorrem entre 1947 e a segunda vinda do Rei
Yeshua. Nesta abordagem, a 70ª semana corresponde aos 7 anos do fim, que hão-
de preceder a vinda do Rei Eterno que, por sua vez, se subdividem:

      •        numa primeira metade de 3,5 anos que é também designada por
               “Tribulação de Jacob”, pois esta cobre os 7 anos finais, e

      •        a segunda metade, também de 3,5 anos, que é chamada de período da
               “Grande Tribulação” (e também parte da semana de anos que corresponde
               à “Tribulação da Jacob”) em que a ira de Satanás se manifestará sobre
               toda a humanidade, em particular na perseguição dos filhos do Deus
               Altíssimo e do povo de Israel.

Neste trabalho defendemos também a importância dos anos de 1947 (desde a ordem
para restaurar a nação de Israel saída da ONU) e 1948 (ano em que a nação de
Israel foi restaurada) como ponto de partida para estas contagens dos dias do fim
que corroboram a 70ª semana profética de Daniel 9.

Ambas as abordagens são perfeitamente aceitáveis, e não se excluem entre si, uma
vez que todos os estudantes da Palavra de Deus sabem que algumas profecias têm
duplo ou até triplo cumprimento no tempo, estes ocorrendo em mais do que um
momento da História da humanidade.

Há porém quem entenda que toda esta última semana de anos será a que
corresponde à “tribulação de Jacob” e não somente a primeira metade, uma vez que
a segunda será um tempo de grande tribulação em todo o mundo, mas com maior
incidência em Israel, a qual nunca houve nem voltará a haver, o que incluirá não só
Judá, i.e. a terra de Judá, como também a Efraim espalhada pelo mundo.

De notar assim, como já se procurou salientar antes, que o “tempo da tribulação de
Jacob” não se irá circunscrever somente a 3,5 anos, mas a 7 anos, o mesmo período
que a 70ª semana profética de Daniel 9:24-27. Isto porque os castigos sobre este
povo correspondem ao tempo apontado na Torá (sete vezes) – Levítico 26:18, 21,
24, 28. Assim, desde o início da “Tribulação de Jacob” até ao seu final, decorrerão
sete anos, culminando com a Batalha de Armagedão e a vinda gloriosa de Yeshua, O
Rei.




Vítor Quinta                                                                       55
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


No final desta segunda metade desta última semana de anos, no decurso da Batalha
de Armagedão, YHWH entrará em juízo com toda a Terra, no grande e terrível “Dia
do Senhor”36, a partir do momento em que soar a 7ª trombeta no regresso do Rei
Yeshua e os Seus santos anjos recolherem os remidos dos quatro cantos de Terra,
onde quer que eles estejam. Depois da perseguição de Satanás e dos seus obreiros,
virá a libertação eterna dos fiéis por Yeshua.

Com a Sua vinda, será derramada a Sua ira sobre uma humanidade ímpia – as
últimas 7 taças de que nos fala o Livro de Apocalipse, ficando poucos homens na
Terra – Zacarias 13:7-9. Também entrará em juízo com os anjos que decaíram da
condição gloriosa em que foram criados (estes serão aprisionados no “abismo” até ao
seu julgamento final e destruição, i.e. após terem sido soltos por um pouco de tempo
no final do Milénio, em que sairão de novo para enganar as nações).

Se Yeshua não viesse interromper a matança provocada pela loucura humana e por
Satanás nenhuma carne restaria. Por isso a Palavra do Senhor nos ensina que este
tempo será um tempo de tão grande angústia entre as nações como nunca houve até
então, nem voltará a haver. Se a humanidade já sofreu tanto nas duas guerras
mundiais que decorreram no século XX, o que não será o que está para vir? Será no
meio da carnificina que então que virá O Rei Eterno com grande majestade e glória
para reinar sobre todas as nações da Terra, trazendo castigo para uns e recompensa
para outros. Os acontecimentos que se produzirão nesta segunda metade da 70ª
semana serão tão terríveis que, se Ele não interviesse, “nenhuma carne se
salvaria…mas, por amor dos escolhidos, aqueles dias serão abreviados” – Mateus
24:22.

Para que o período da “tribulação de Jacob” pudesse ocorrer era necessário que o
Estado de Israel fosse uma realidade, o que veio a acontecer a partir de 14 de Maio
de 194837…; porém, como nos dizem os profetas, e.g. Ezequiel 30:7, 10 e 11, Judá e
Israel serão salvos “naquele dia” do Senhor YHWH. Esta é a certeza de fé dos que
Lhe são fiéis!

Apesar das inúmeras guerras que lhe têm sido movidas pelas nações vizinhas
inimigas de Israel (por Edom, a descendência de Esaú e os filhos de Ismael), desde a
criação deste Estado, com guerras sucessivas em 1948, 1956, 1967, 1973 e 1982,
…esta nação tem prevalecido e irá prevalecer até ao fim, porque a boca do Senhor
YHWH o disse. Por outras palavras, esta profecia bíblica só poderá ter lugar nos dias
da geração que testemunhar estas coisas (Mateus 24:34)! As “dores de parto” da
humanidade ocorrerão neste período do fim do governo do homem e terão como
cenário central toda a terra de Israel e a cidade de Jerusalém.



36
    Se considerarmos as palavras que estão em Ezequiel 4:6, este “Dia do Senhor” poderá
corresponder a um ano, o que confirma o entendimento que está em Apocalipse 10:7 que diz: “Mas
nos dias da voz do sétimo anjo, quando tocar a sua trombeta”. Vemos assim que o sétimo anjo tocará
a sua trombeta durante “dias” (plural).
37
   Nesta data começou a cumprir-se a profecia dada através do profeta no Capítulo 37 de Ezequiel,
quando Deus começou a fazer reviver os ossos sequíssimos de Israel. Esta profecia terá pleno
cumprimento após a vinda do Rei, YHWH dos Exércitos, quando fizer regressar todo o Seu povo de
Israel à terra que prometeu aos seus pais.


Vítor Quinta                                                                                   56
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Queremos ainda assinalar que neste período da última semana de anos (os 7 anos
do fim) se desenrolarão também os sinais proféticos assinalados no Livro de
Apocalipse relacionados com os 7 selos, os 3 ais, as 7 trombetas, em suma, as
aflições dos últimos dias que serão derramadas sobre toda a humanidade. Porém,
devemos fazer aqui uma nítida separação de períodos e castigos. Alguns das
tribulações terão por origem os ditames do anti-Cristo e das suas hostes, enquanto
no fim dos dias virão os castigos divinos, as 7 taças da ira de Deus (Apocalipse 16: 1-
21), bem como a concretização das profecias que com estas se relacionam e
interligam, como as que encontramos em Daniel 11, Ezequiel 38 e 39, ou as que
falam dos quatro cavaleiros do Apocalipse e os confrontos do fim, nomeadamente a
batalha de Armagedão, assunto que abordamos noutro ponto deste trabalho.

As aflições do tempo do fim sobre o povo de Deus serão causadas por um sistema
iníquo comandado por Satanás e seus servidores, tal como fizeram ao longo de
muitas gerações. Em particular todas as provações que virão na 2ª metade da última
semana (os últimos 3,5 anos antes da vinda do Rei Yeshua).

Para melhor compreendermos a forma como todas estas calamidades ocorrerão no
tempo, construímos, de forma muito resumida, o seguinte diagrama:

             70ª semana de Daniel 9                       Dia do Senhor e Início do Milénio
  1ª metade (3,5 anos)    2ª metade (3,5 anos)       • Vinda gloriosa         • Reino Milenar
• Acordo de “paz” por 7 • Perseguição e morte        • 1ª Ressurreição        • Bodas do
  anos                  • Nova Ordem Mundial         • As 7 taças da ira         Cordeiro
• Perseguição dos fiéis • Guerras e destruição
                        • Guerra do Armagedão

São muitos os avisos que YHWH nos faz chegar através da Sua Palavra. Ele manda-
nos estar alerta! Muitos aparecerão em Seu Nome. Não os creiamos, pois a Sua
vinda será visível e audível: “todo o olho O verá…até mesmo os que O
traspassaram”.

Vamos agora entrar no estudo da profecia.


4.2             As 70 semanas cumpridas no tempo, desde o Cativeiro de
                Babilónia

4.2.1           As Sessenta e Nove semanas

Ao entrarmos na análise desta primeira parte da profecia, temos que associar um
conjunto de acontecimentos que hoje nos são relatados pela História mas que já
antes haviam sido profetizados por YHWH através dos seus profetas. Este é O Deus
que anuncia o fim desde o princípio e que nada faz acontecer sem que antes tenha
revelado os Seus segredos aos Seus servos, os profetas. Vemos nas profecias de
Isaías que O Senhor YHWH anuncia o que haveria de sobrevir a Jerusalém e ao
povo de Judá (dada a sua idolatria e crimes de sangue) pela mão dos seus inimigos,
que haviam de lhes ser enviados como castigo pelo próprio Deus.




Vítor Quinta                                                                                57
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


De uma larga sucessão de acontecimentos profético-históricos destacamos os
seguintes:

    •   o papel dos Caldeus (Nabucodonozor) e da cidade de Babilónia, a destruição
        do 1º Templo (o de Salomão) e da cidade de Jerusalém que terá ocorrido no
        ano de 587/6 a.C.;

    •   o exílio de Judá em Babilónia durante 70 anos – Isaías 2:8; 24:1; 39:5-7;
        43:14;

    •   a conquista de Babilónia por Ciro, o Grande – Isaías 44:24-28; 45:1-4, no ano
        de 539/538 a.C., após o que o Rei permitiu o retorno de Judá, o que começou
        a sair por grupos a partir de 536 a.C.;

    •   a libertação do povo de Judá (em vagas sucessivas) e o seu regresso a
        Jerusalém para a reconstrução do Templo (a construção do 2º Templo) e dos
        muros da cidade também foi profetizado por Isaías oito séculos a.C., profecia
        que veio a ser cumprida dois séculos mais tarde, ao mínimo pormenor – até
        com o nome do rei persa que haveria de executar a obra determinada por
        Deus, como Seu ungido para a missão de libertar Judá (Isaías 45:1); a
        primeira vaga de retorno a Jerusalém (cerca de 50.000 homens terão
        regressado sob a direcção de Zorobabel, príncipe de Judá, da Casa de David)
        após o 1º decreto de Ciro, o Grande, e menos de 100 anos depois, em 457
        a.C. uma segunda grande vaga de povo liderada por Esdras, o escriba, após o
        3º decreto de Artaxerxes, no 7º ano do seu reinado – Esdras 7:1-28.

    •   O profeta Jeremias pronunciou um castigo/exílio de Judá durante 70 anos, o
        qual foi servido no cativeiro em Babilónia. Dados históricos apontam para que
        esse exílio tenha começado em 604 a.C.. Nova leva de cativos é levada para
        Babilónia em 582-581 a.C.. Durante o cativeiro, Ezequiel veio profetizar que o
        castigo seria estendido por um período adicional de 390 anos. Uma pequena
        parte dos que tinham sido levados em cativeiro regressaram à terra de Israel,
        mas a maioria preferiu ficar numa sociedade onde abundava o paganismo
        (Babilónia). Devido à natureza rebelde de Judá e ao seu desejo de
        permanecer em Babilónia (Jeremias 25:11), mais castigos foram
        acrescentados. Em primeiro lugar a extensão de 390 anos (Ezequiel 4:3-6)
        que foi multiplicada por 7, tal como o requisito da Torá já havia disposto
        (Levítico 26:18). Tal período só veio a terminar em 1948.

Nesta história ressalta o facto de Ciro, o Grande (Rei Persa) que, apesar de não
conhecer o Deus do Universo, ter sido chamado por YHWH para executar o Seu
plano de libertação do povo de Judá pois YHWH ungiu-o para uma tarefa muito
especial: a de libertar Judá, após ter cumprido o seu exílio de 70 anos que antes
Deus tinha decretado através de Jeremias 25:11. Deus porém voltou a recriminar
Judá por somente uns poucos terem regressado à terra de Israel.

Ao abordarmos a profecia que está em Daniel 9:25 diz-nos O Senhor através do anjo:
“Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a
Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas


Vítor Quinta                                                                       58
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos”,
vemos que este período global de 69 semanas de anos se divide em duas partes:
uma primeira parte de 7 semanas de anos (7x7=49 anos), precisamente o período
em que se realizou a reconstrução do Templo (tempos angustiosos como é dito na
profecia), enquanto uma segunda parte de 62 semanas de anos (62x7=434 anos)
decorre para a reconstrução de Jerusalém e primeira vinda do Messias.

Vemos então:

69 semanas x 7 semanas de anos = 483 anos

Continuando a ler em Daniel 9:26: “E depois das sessenta e duas semanas será
cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de vir,
destruirá a cidade e o santuário [no ano 70 o General romano Tito comandou
essa destruição], e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá
guerra; estão determinadas as assolações”, damo-nos conta que a contagem tem
que ver com a data em que O Messias seria “cortado”, i.e. sacrificado.

Vamos continuar fazendo contas:

       - 457    a.C. (ano da saída da ordem para restaurar o Templo e a cidade)
       + 483    anos (as 69 semanas proféticas)
          26    d.C.
       + 1      (por não haver ano zero)
          27    d.C. (ano em que O Messias iniciou o Seu ministério com a idade de 30
                anos, uma vez que Yeshua nasceu no ano 3 antes da era actual)

Para melhor entendermos este período de 69 semanas de anos, convém recuar um
pouco no tempo para analisarmos o contexto em que Daniel recebeu esta mensagem
de Deus. Esta revelação foi dada a Daniel quando ele próprio e a nação de Judá se
encontravam em Babilónia a cumprir o tempo do cativeiro que, profeticamente, tinha
sido determinado pelo Senhor YHWH para durar 70 anos.

A História diz-nos que Jerusalém e o seu 1º Templo, o que foi mandado construir por
Salomão, foram destruídos pelo exército dos Caldeus (Nabucodonosor) e a grande
maioria do povo levado cativo para Babilónia no ano 586 a.C. Ainda segundo a
História e a Bíblia, o povo de Judá foi regressando em lotes de pessoas. Daniel 9:1-3
diz-nos: “No ano primeiro de Dário, filho de Assuero, da linhagem dos medos, o
qual foi constituído rei sobre o reino dos caldeus, no primeiro ano do seu
reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros que o número dos anos, de que falara
YHWH ao profeta Jeremias, em que haviam de cumprir-se as desolações de
Jerusalém, era de setenta anos. E eu dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o
buscar com oração e súplicas, com jejum, e saco e cinza”…ora era costume os
reis usarem de compaixão e decretarem amnistias no primeiro ano do seu reinado
(2.Reis 25:27-29), o que levou Daniel a orar a Deus, pois sabia que se cumpririam os
70 anos do cativeiro de Judá conforme a profecia.




Vítor Quinta                                                                      59
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


No primeiro ano do reinado de Ciro, o Persa38 (o tal rei ungido por Deus para realizar
a Sua vontade – Isaías 45:1) foi dada uma primeira ordem de libertação para que
Judá pudesse regressar à sua pátria – Esdras 1:1-4, e para que se cumprisse a
profecia dada através de Jeremias. Razão que levou Daniel a orar com fervor porque
sabia que se estavam a cumprir os 70 anos do cativeiro (ver Anexo para maior
detalhe).

A Palavra de Deus fala-nos muito claramente da inimizade que sempre existiu entre o
povo de Israel e os povos pagãos que viviam à sua volta, inimizade que remonta ao
tempo de Jacob/Israel e seu irmão Esaú, senão mesmo mais atrás como iremos ver.

Esta jornada histórico-profética podemos situá-la no tempo do próprio Abraão,
quando este é chamado por YHWH para sair da sua parentela na cidade de Ur na
Caldeia e ir para uma terra que YHWH lhe haveria de mostrar. Esta Caldeia (zona
entre os rios Tigre e Eufrates), cuja capital era Babilónia, foi sempre uma terra de
idolatria e de rebeldia perante a face de Deus, desde os tempos de Nimrod e da
construção de Babel. YHWH fez sair Abraão e a sua parentela deste meio idólatra, tal
como o fez a muitos mais através dos tempos. Se quisermos recuar aos tempos
antediluvianos, é naquela mesma cidade (Babel) que Nimrod se rebelou contra Deus
e as línguas dos povos foram confundidas.

É desta cidade iníqua que a Bíblia nos fala até ao tempo do fim, a que veio contra o
Reino do Sul, no tempo do Rei Nabucodonosor (e de Daniel), tendo para ali levado
cativo o povo de Judá – Salmo 137:1-4. Espiritualmente, podemos afirmar que
Babilónia é o símbolo da rebeldia e maldade que ainda hoje está no mundo e que
sempre se opôs a Jerusalém, a cidade santa de Deus, mas que no tempo da vinda
do Rei Eterno, será totalmente aniquilada. Lembremos a pedra que foi lançada sem
mão e que despedaçou toda a estátua do sonho de Nabucodonosor, pedra essa que
se irá transformar num grande monte (reino), e que encherá toda a Terra, o reino do
Deus Eterno.

Foi nesse período de 70 anos que durou o cativeiro em Babilónia, que Daniel, um
homem mui amado por Deus, estando orando e confessando os seus pecados e os
do seu povo a Deus, veio ao seu encontro o anjo Gabriel com instruções de YHWH
para lhe revelar o que haveria de suceder ao povo de Israel até ao tempo do fim –
Daniel 9:20-23, 24-27.




38
   Ciro era sobrinho e vassalo de Dario, Rei da Pérsia desde o ano de 559 a.C., até que a sua
conquista de Babilónia no ano de 539 a.C. o elevou a uma nova condição; Ciro era antes o
comandante-chefe dos exércitos Medo-Persas. Esta grande vitória trouxe-lhe uma nova posição, a de
co-regente do vasto Império Medo-Persa. Dario morre passados dois anos após a conquista de
Babilónia por Ciro, e este torna-se no único Rei desse império. É então o ano de 536 a.C. (o primeiro
do reinado de Ciro) que marca o fim do cativeiro de Judá em Babilónia – relacionar com Daniel 9:1-2.
(http://www.specialtyinterests.net/babylon.html)




Vítor Quinta                                                                                      60
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Já antes o profeta Jeremias havia falado – Jeremias 25:11-13: “E toda esta terra
[Israel] virá a ser um deserto e um espanto; e estas nações servirão ao rei de
Babilónia setenta anos. Acontecerá, porém, que, quando se cumprirem os
setenta anos, visitarei o rei de Babilónia, e esta nação, diz YHWH, castigando a
sua iniquidade, e a da terra dos caldeus; farei deles ruínas perpétuas. E trarei
sobre aquela terra todas as minhas palavras, que disse contra ela, a saber, tudo
quanto está escrito neste livro, que profetizou Jeremias contra todas estas
nações”. Apesar do aviso de YHWH que faria da terra dos caldeus e de Babilónia
em particular (hoje Iraque) “ruínas perpétuas”, Saddam Hussein pretendeu nos
últimos anos da sua governação reconstruir a amaldiçoada cidade de Babilónia, no
que falhou. Quão vãos são os propósitos dos homens que não conhecem a Palavra
do Altíssimo ou que julgam que o seu propósito se pode sobrepor aos ditames de
Deus!

Complementarmente, lembramos ainda que este castigo de 70 anos veio sobre Israel
devido à desobediência desta nação, por não ter feito repousar a terra de 7 em 7
anos (o Sábado da terra) conforme à Lei de YHWH, pelo que Deus os castigou com o
exílio na terra dos seus inimigos contando um ano de exílio por cada ano em que a
terra de Israel não repousou (490 anos : 7 = 70 anos).

Vamos agora entrar na profecia que está em Daniel 9:25, a das 69 semanas: “Sabe
e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém,
até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas;
as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos”. Reparemos
agora que a contagem é feita entre a data em que saiu a ordem para reedificar o
Templo e a cidade de Jerusalém e a vinda do Messias. Eis a medida de tempo que
tem causado alguma confusão histórica, porquanto, na realidade, foram
pronunciados vários decretos com o mesmo propósito: Ciro, depois Dario e depois
Artaxerxes como nos diz em Esdras 6:14, sendo que estes vários decretos apontam
para a reconstrução ou do muro, ou do Templo ou das ruas e edifícios de Jerusalém.

Porém, do ponto de vista histórico e da sua ligação ao que se encontra registado na
Bíblia Sagrada, temos que chegar à conclusão que, destes quatro decretos, só um
conta verdadeiramente como um marco e que terá provocado a saída real de parte
do povo com o propósito de se dirigir a Jerusalém e iniciar a reconstrução do Templo
e da cidade.

Entre outros, foram promulgados quatro decretos para a libertação do povo de Israel
de Babilónia, nas seguintes datas:

          Passagem bíblica                Época histórica         Anos (a.C.)
          Esdras 1:1-11        1º ano do reinado de Ciro          537 ou 536?
          Esdras 6:1-12        2º ano do reinado de Dario             520
          Esdras 7:1-27        7º ano do reinado de Artaxerxes       457
          Neemias 2:1-8        20º ano do reinado de Artaxerxes      444

Para podermos distinguir de entre as várias datas aquela que materializa a profecia,
assinalamos agora um factor muito importante que nos permite localizar o ano
preciso que “liga” o início e o fim desta profecia (i.e. o factor de ligação com o fim
deste tempo profético de 483 anos): a grande maioria dos que regressaram não saiu


Vítor Quinta                                                                       61
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

de Babilónia senão após a promulgação do terceiro decreto, o que aconteceu no 7º
ano do reinado de Artaxerxes, este pronunciado no ano de 457 a.C., no Outono, o
que, contando 483 para a frente nos aponta para o ano 27 d.C., precisamente
quando Cristo iniciou o Seu ministério aos 30 anos, Lucas 3:23 – atendendo a que
Jesus nasceu no ano 3 a.C.39 e ao facto da idade de 30 anos ser a idade que os
homens atingiam a maioridade em Israel, idade mínima também para se poder
exercer o sacerdócio judaico. Temos então:

- 457 a.C. = ano da saída do povo para reconstruir o Templo e a cidade de
Jerusalém,
+ 483 anos da profecia (desde a saída da ordem até ao advento do Messias)
= ano 26 da era Cristã, a que tem que se acrescentar 1 ano (por não existir o ano
zero), o que dá o ano 27 d.C., como acima se assinala como o início do ministério do
Messias com a idade de 30 anos.

Outro factor importante é-nos também dado em Lucas 3:1 a respeito do batismo de
Jesus: no 15º ano do reinado de Tibério, o qual pode ser estabelecido no ano 27 da
era Cristã. Assim, Yeshua manifestou-se ao mundo precisamente na data que
cumpria a profecia dada a Daniel.

Importa ainda dizer que a data de 457 a.C. não foi “escolhida” para que “encaixasse”
na profecia mas, antes, porque a saída do povo de Israel só aconteceu precisamente
naquela data, aquando do terceiro decreto, conforme nos relata Esdras 7:1-28.

Daniel 9:24 fala-nos de 70 semanas. Se a estas descontarmos a primeira parte que
corresponde a 69 semanas, fica ainda uma, a 70ª destinada a cumprir-se no “tempo
do fim”.

Como atrás dizemos, este período de 483 anos está perfeitamente definido e deve
ser contado: “desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até
ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas”. Esta é a
contagem que YHWH nos deu. É como se pudéssemos voltar a ler aquela passagem
nestes termos: “desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém,
até ao Messias, o Príncipe, haverá 483 anos”.

A partir daqui vamos então socorrer-nos da História. Após a conquista de Babilónia
por Ciro40, o Persa, este emitiu um decreto para que o povo de Israel pudesse voltar
à sua pátria para reconstruir o 2º Templo dedicado a YHWH seu Deus. Tal aconteceu
no tempo de Esdras e Neemias. Desde a data em que Ciro, o Persa, deu a ordem até
ao aparecimento do Messias mediaram 483 anos ou 69 semanas de anos. Ora a
ordem de Ciro foi dada no ano 487 a.C. Então, só deveríamos ter que contar 483
anos para a frente. Porém, não existe unanimidade histórica sobre a data em que
este decreto de Ciro terá sido proclamado. Daí poder haver erro de contagem de
alguns anos, o que, de todo, não invalida a conclusão que estas 69 semanas
proféticas já foram cumpridas até à morte do Messias, como também se pode
concluir da leitura de Daniel 9:26a: “E depois das sessenta e duas semanas será

39
   Temos que ter em consideração o já reconhecido erro histórico com que foi estabelecido o ano 1 da
era cristã com referência ao nascimento do Cristo.
40
   Isaías profetizou acerca de Ciro cerca de 200 anos antes deste rei vir a executar a vontade de
YHWH sobre Babilónia – Isaías 45:1-4.


Vítor Quinta                                                                                     62
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

cortado o Messias”, o que sucedeu após Yeshua ter terminado o Seu ministério,
altura em que foi morto no madeiro (“stauros”), tal como também estava profetizado
cerca de 700 anos antes em Isaías 53:8-10.

Cremos igualmente que a profecia das 70 semanas referentes ao povo de Israel
marcará a contagem de 70 anos entre a ordem para a restauração deste povo como
nação (ONU – 1947) e a segunda vinda do Messias como Rei eterno, contagem que
aponta para o ano de 2017 como já antes desenvolvemos e voltaremos a focar mais
adiante.

Este é mais um sinal de que Aquele que havia de vir (o mesmo menino que foi
adorado pelos sábios rabis vindos do Oriente, de Babilónia onde grande parte do
povo de Israel permaneceu) era O Messias, O Ungido de YHWH, O “Emmanuel” – O
Deus connosco, Aquele menino de Quem já profetizava Isaías 9:6.

A passagem que está em Esdras 1:1-2, confirma em absoluto a passagem acima
citada de Jeremias: “No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia (para que se
cumprisse a palavra de YHWH, pela boca de Jeremias), despertou YHWH o
espírito de Ciro, rei da Pérsia, o qual fez passar pregão por todo o seu reino,
como também por escrito, dizendo: Assim diz Ciro, rei da Pérsia: YHWH Deus
dos céus me deu todos os reinos da terra, e me encarregou de lhe edificar uma
casa em Jerusalém, que está em Judá”. Esta passagem confirma a ordem de Ciro,
o Persa, para que fosse construído o Templo em Jerusalém (confirmando, também,
Daniel 9:25): a reconstrução do Templo e a reconstrução de Jerusalém.

A queda da cidade de Babilónia encontra-se bem expressa na profética interpretação
da inscrição na parede durante o banquete que o rei babilónio Belsazar ofereceu
(Daniel cap. 5) e onde utilizou os vasos consagrados para o serviço no Templo.
Nessa mesma noite caiu Babilónia na mão da Dario, rei dos Medos, (tio de Ciro, o
Persa) conforme em Daniel 5:28, cumprindo-se igualmente a profecia que podemos
ler em Isaías 44:27-28: “Que digo à profundeza: Seca-te, e eu secarei os teus
rios. Que digo de Ciro: É meu pastor, e cumprirá tudo o que me apraz, dizendo
também a Jerusalém: Tu serás edificada; e ao templo: Tu serás fundado”.

E em Isaías 45:1-3: “Assim diz YHWH ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela
mão direita, para abater as nações diante de sua face, e descingir os lombos
dos reis, para abrir diante dele as portas, e as portas não se fecharão. Eu irei
adiante de ti, e endireitarei os caminhos tortuosos; quebrarei as portas de
bronze, e despedaçarei os ferrolhos de ferro. Dar-te-ei os tesouros escondidos,
e as riquezas encobertas, para que saibas que eu sou YHWH, o Deus de Israel,
que te chama pelo teu nome”. As palavras de YHWH são claríssimas no propósito
com que ungiu o rei Ciro para que este viesse a libertar o povo de Israel do cativeiro
de Babilónia e lhes fosse permitido então voltar a Jerusalém para refundarem o
Templo e reconstruírem a cidade.

Historicamente sabemos que a cidade de Babilónia, apesar dos seus fortes muros e
torres, foi tomada numa noite, porque o rio que a atravessava foi desviado,
permitindo a passagem das tropas invasoras a vau…i.e., porque a boca do Senhor o
disse!!! Tinham-se assim cumprido os 70 anos de cativeiro de Judá profetizados por
YHWH.


Vítor Quinta                                                                       63
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Voltemos agora à contagem das 69 semanas da profecia de Daniel 9:24-27.

Sabemos que a contagem do início das 69 semanas se iniciou com o
pronunciamento da ordem do Rei Ciro, estando historicamente comprovado que esse
acontecimento ocorreu no ano de 487 a.C.; a partir daqui é só contar 483 anos para a
frente e chegamos ao ano da concepção do Messias em 4 a.C. que conduziu ao seu
nascimento em 3 a.C. – está então decorrido o primeiro período da profecia, o das 69
semanas.

Vamos agora relacionar todos estes acontecimentos passados com o cumprimento
dos 483 anos da profecia – o nascimento de Yeshua, O Messias.

O mesmo anjo Gabriel que falara com Daniel é-nos apontado em Lucas 1:26-27 a
anunciar a concepção Daquele que havia de se mostrar como O Salvador do mundo:
“E, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galileia,
chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem, cujo nome era
José, da casa de David; e o nome da virgem era Maria”, e nos versos. 31-33: “E
eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de
Jesus. Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus
lhe dará o trono de David, seu pai; e reinará eternamente na casa de Jacob, e o
seu reino não terá fim”. Também foi profetizado que o Seu nascimento se daria em
Belém (Miquéias 5:2).

Com a concepção e nascimento do Messias ficou cumprida a profecia divina – é
precisamente aqui que tem cabimento voltar a ler a profecia de Isaías 9:6, acerca
deste menino que nos nasceu e cujo Nome seria, é e será grande e “Maravilhoso,
Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”.



4.2.2           Hiato de cerca de 2.000 anos

À primeira vista parece não haver ligação entre as 69 semanas e a 70ª. Na realidade
existe um hiato entre estes dois períodos, hiato este que em termos de contagem de
tempo humano é muito grande: cerca de 2.000 anos, tema que já antes abordámos.
Este foi o período determinado por Deus (o tempo messiânico) para voltar a chamar
o Seu povo, o mesmo que Ele havia espalhado entre as nações…o filho pródigo:
Efraim/Israel.

Mas, como profeticamente nos é dito em Oséias 6:2, este tempo representa somente
dois dias proféticos (2.000 anos): “Depois de dois dias [2.000 anos] nos dará a
vida; ao terceiro dia [o Reino milenar de Yeshua] nos ressuscitará, e viveremos
diante dele”. Sabendo pela Palavra de Deus que um dia é para Deus como mil anos
e mil anos como uma dia, conforme nos é ensinado em Salmo 90:4 e 2.Pedro 3:8
(significando também que o tempo não tem medida para um Deus que é eterno),
vemos, nos dias de hoje, quase cumpridos estes dias que o próprio Senhor YHWH
estabeleceu para que se possa cumprir a profecia da 70ª semana.




Vítor Quinta                                                                     64
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Este é o tempo que foi dado às ovelhas perdidas da casa de Israel e aos gentios que
se convertem ao Deus de Israel, para que, em todos os povos, nações, tribos e
línguas, tomassem conhecimento do Evangelho da Salvação pelo Cristo Yeshua. As
Suas palavras atestam precisamente isto em Mateus 24:14 quando nos fala sobre o
tempo do fim: “E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em
testemunho a todas as nações, e então virá o fim”. Este é o tempo dedicado às 7
igrejas do Apocalipse e que corresponde a um hiato ou espaço de tempo de dois
dias/dois mil anos dados aos gentios para que se deixem enxertar na boa oliveira que
é Israel, para que então, e só então, sejam cumpridas as palavras de Paulo em
Romanos 11:26: “todo o Israel será salvo”.

Não tenhamos quaisquer dúvidas que o tempo dos gentios está no fim pois os sinais
destes tempos não podem enganar os que, com diligência, procuram conhecer o
Caminho da salvação e abraçá-Lo, nascendo de novo em Cristo, sendo por isso
mesmo regenerados pelo Espírito Santo. Vejamos um destes sinais em Lucas
21:24b: “e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios
se completem”. Ora o domínio da cidade de Jerusalém voltou a estar inteiramente
entregue à nação de Israel a partir da guerra de Junho de 1967 – a Guerra dos Seis
Dias, embora as profecias indiquem que ela voltará a ser pisada pelos gentios no
tempo da Batalha de Armagedão.

Se qualquer dúvida nos restasse quanto à importância das datas e períodos no
cumprimento das profecias e do Plano de Deus para a humanidade e, em particular
para o Seu povo Israel, retenhamos, com interesse os seguintes elementos mais
recentes na vida do povo que Deus escolheu:

    •   1878 – Na Conferência de Berlim (ao tempo do 1º Ministro inglês, Benjamim
        Disraeli, de origem judaica) foi entregue à Inglaterra, sob a figura do
        protectorado, uma parte do anterior Império Otomano, que incluía a antiga
        Judeia, actual Palestina.

    •   1917 – A Declaração de Balfour permitiu ao povo de Israel retornar à terra dos
        seus antepassados, tendo-se então iniciado a compra de terras na
        Judeia/Palestina, a qual foi precedida da libertação de Jerusalém do domínio
        do Império Otomano (turco) em 1917.

    •   1947 – Em 29 de Novembro, através da Resolução nº. 181, a Assembleia
        Geral da ONU determina a partição da Judeia/Palestina com vista à criação de
        dois estados: uma pátria para Israel e outra para os árabes da região
        (Jordanos e…).

    •   1948 – Fundação do Estado de Israel sob a égide das Nações Unidas -
        650.000 judeus já ali viviam quando o Estado de Israel foi oficialmente
        proclamado em 14 de Maio, tendo a guerra estalado no dia seguinte à
        declaração de independência, movida pelos seus inimigos e vizinhos árabes.

    •   1967 – Guerra dos Seis Dias e libertação de Jerusalém (50 anos após a
        Declaração de Balfour, o que perfaz o período de um Jubileu),



Vítor Quinta                                                                       65
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




o que prova sem margem para dúvidas que é YHWH Quem comanda os
acontecimentos em todo o mundo e também os que dizem respeito ao Seu povo –
olhemos pois para o centro do mundo - a terra de Israel, e para Jerusalém, a cidade
da paz, para podermos vir a testemunhar ainda maiores acontecimentos. Tudo Lhe
obedece (só o homem rebelde não) e concorre para a execução da Sua vontade.

Como já antes dissemos, isto não quer dizer, porém, que Jerusalém não possa voltar
a ser ainda pisada pelos gentios por muito pouco tempo, tendo em conta que ainda
falta ocorrer uma batalha derradeira antes da segunda vinda do Messias – a Batalha
do Armagedão – ver Zacarias 14:1-7, a qual ocorrerá precisamente no final da 70ª
semana da profecia anunciada através de Daniel e Isaías, precisamente nos dias do
governo do anti-Cristo, em que os exércitos satânicos enfrentarão Israel e os
exércitos celestiais sob a direcção de YHWH. Ali se revelará o poder do Todo-
Poderoso para com os Seus inimigos.

Na última batalha desta era, a de Aramagedão, YHWH intervirá directamente em
socorro de Israel (uma vez mais) – Isaías 13:4-13 – estes serão dias de castigo do
Deus Todo-Poderoso. A mortandade será tal que o povo de Israel levará 7 meses a
enterrar os mortos da batalha e 7 anos a retirar e queimar as armas que estes
exércitos levarão para os montes de Israel, mais particularmente para o vale de
Jezreel/Josafat, ou Megido – Ezequiel 39:9, para ali ser travada a batalha que
precede e coincide com a vinda do Senhor dos Senhores, pois Yeshua, O Rei, virá
no decorrer desta grande batalha final.

A Bíblia revela-nos que será nos dias do governo de Yeshua que irão ser restauradas
as duas Casas de Israel: Judá e Efraim, para nunca mais se dividirem. É-nos
revelado que esta união será feita pelo próprio Rei Eterno, após a Sua vinda –
Jeremias 33:7; Ezequiel 37:19. Estas duas “varas” estão ainda hoje separadas, mas
virão a ser numa só na mão do Todo-Poderoso. Dias maravilhosos serão esses.

Orai pela paz de Jerusalém, diz-nos a Palavra de Deus, porque ao fazê-lo estamos a
orar nos seguintes termos: “Ora vem Senhor Yeshua” – Apocalipse 22:20!

Mateus 24:32-33 – “Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus
ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão.
Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às
portas”. E no versículo 35, Ele diz-nos: “O céu e a terra passarão, mas as minhas
palavras não hão de passar”.



4.2.3           A 70 ª Semana (o tempo do fim)

Esta última semana de anos que precederá a vinda do Rei Eterno não pode ser
desligada da profecia que está em Apocalipse 13 e que nos fala da “besta”, “do
dragão que é Satanás” e do “anti-Cristo” do tempo do fim, o mais terrível homem
ímpio e iníquo de todos os que já se revelaram ao longo da História da humanidade
como “anti-cristos”. A este propósito bastará lembrar o versículo 8 para entendermos


Vítor Quinta                                                                     66
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

a importância do que está para vir: “E adorá-la-ão todos os que habitam sobre a
terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro do Cordeiro”. Estas
palavras dão para entender que estamos a falar de grandes multidões que seguirão
“a besta” e o “falso profeta”.

Em relação à profecia que se encontra descrita em Daniel 9:27a duas correntes
existem e opõem-se:

    i)         A que ensina que este homem iníquo, será um sedutor que há-de surgir
               pouco antes de se iniciar a contagem dos sete anos que precederão a
               vinda do Rei Eterno, e que também há-de estar envolvido numa
               negociação de “paz” (ou que confirmará um tratado anterior ao seu
               aparecimento, entendimento que nos advém dos textos bíblicos em língua
               inglesa, baseado na palavra “confirm” – versão King James), que envolverá
               Israel e as nações suas inimigas e que sempre se lhe opuseram, firmando
               com elas um tratado que pretende trazer a “paz” ao Médio Oriente, o qual
               será rompido ao fim de 3,5 anos – “E ele firmará aliança com muitos por
               uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a
               oblação”. Esta passagem revela-nos ainda que terá de haver sacrifícios
               no Templo durante a primeira metade ou parte desta semana de anos, o
               que levará a que o anti-Cristo faça cessar “o sacrifício e a oblação”,
               precisamente na metade desta semana de anos, i.e. ao fim dos primeiros
               3,5 anos (Daniel 12:6-7).

    ii)        A outra corrente, mais assente na leitura dos textos hebraicos, interpreta
               que Aquele que há-de firmar “um pacto firme com muitos por uma semana;
               e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação” não será outro
               senão O próprio Senhor Yeshua. A confirmação deste pacto será o marco
               que dá início à contagem dos últimos 7 anos (a 70ª semana profética) até
               que Yeshua venha para reinar eternamente.

Apocalipse 13:5 também nos fala do período de 42 meses (3,5 anos ou metade da
semana de anos) em que o anti-Cristo prevalecerá e buscará para si a adoração que
só é devida ao Deus Altíssimo. Daniel 7:25 volta a proclamar a mesma profecia para
este tempo: “Proferirá palavras contra o Altíssimo, e consumirá os santos do
Altíssimo; cuidará em mudar os tempos e a lei; os santos lhe serão entregues
na mão por um tempo, e tempos, e metade de um tempo”.

Para analisarmos a profecia dada a Daniel, temos igualmente que a cruzar com as
palavras proféticas que Yeshua pronunciou em resposta à pergunta dos discípulos
para que Ele lhes revelasse como seria “o fim do mundo” (entenda-se, do governo do
homem ou do mundo tal como o conhecemos) e que estão em Mateus 24.

Como já dissemos, este período profético de uma semana (a 70ª) corresponde a uma
semana de anos, i.e. 1 dia = 1 ano; 1 semana = 7 dias = 7 anos proféticos. Não se
trata pois de um período figurativo ou simbólico, mas antes de um período bem real e
temporal que virá a ocorrer, com todos os castigos para ele profetizados.




Vítor Quinta                                                                          67
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Voltando à questão da assinatura do tratado de “paz”41 que irá marcar o início da 70ª
semana profética, e conforme a própria Bíblia nos diz, este período começará com
um evento de grande importância para a terra de Israel e para os países vizinhos
(historicamente seus inimigos e que permanecerão seus inimigos até ao fim dos
tempos): a assinatura de um tratado de “paz42”. Tudo indica, como é normal
acontecer nestes casos, que este tipo de tratado, ou acordo, será mediado por
algumas das potências mundiais que há muito têm pretendido influenciar esta luta
milenar entre as forças do bem (as que veneram YHWH, O Deus de Israel) e as
forças que se lhe opõem. Esta é a luta entre Jacob/Israel e Esaú/Ismael (ou, se
quisermos recuar no tempo, entre Abel e Caim).

Tudo indica que este tratado de “paz” dará a Israel a contrapartida de poder
reconstruir o Templo, senão em todo o espaço do Monte do Templo, pelo menos
numa parte dessa área, e que essa reconstrução irá conduzir à celebração de
sacrifícios. O espaço para a reconstrução deste Templo bem pode ser conseguido
através das contrapartidas que vierem a ser negociadas nesse futuro acordo de
“paz”. Israel está preparado para, em qualquer altura, proceder a essa reconstrução,
tendo já os utensílios de culto sido manufacturados respeitando todos os preceitos
antigos e a estrutura do edifício sido construída em painéis prefabricados como é
possível ler nalguns sites na Internet.

Como nos diz a Palavra de Deus, esses sacrifícios serão interrompidos no final da
primeira metade da última semana de anos, i.e. ao fim de 3,5 anos, quando o anti-
Cristo (ou o próprio Senhor Yeshua) decretar a interrupção dos mesmos.

Se quisermos analisar num pequeno diagrama o que de mais marcante irá acontecer
na 70ª semana da profecia do tempo do fim, olhemos para esses grandes
acontecimentos futuros desta forma diagramática:

                                               Tempo da Tribulação de Jacob

                                             1ª metade                               2ª metade
                                                           Abominação da desolação




                                                                                                   Vinda de Cristo




          Tratado de       O anti-Cristo     da 70ª                                  da 70ª
          “paz” marca o    “confirma” o      semana e                                semana
          início da 70ª    tratado; início   construção                              (grande
          semana           da 70ª sem.       do Templo                               Tribulação)




No monte sagrado (Monte Moriá) onde se situavam o 1º Templo (construído no
tempo de Salomão e destruído pelos exércitos de Nabucodonosor no ano de 586
a.C.) e mais tarde o 2º Templo (reconstruído no tempo de Esdras e Neemias, no

41
   Como dizemos noutras partes deste trabalho, este acordo de “paz” poderá não representar um novo
acordo, mas sim a confirmação do anteriormente firmado por 7 anos em Oslo, em 1993, e que teve um
fim abrupto quando Ariel Sharom leu uma profecia na chamada “esplanada das Mesquitas”, dando
origem a uma nova “Intifada” por parte dos Palestinianos.
42
   A que Isaías chama de pacto com a morte: Isaías 28:15, 18


Vítor Quinta                                                                                                         68
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

espaço do primeiro, no Monte Sião, em Jerusalém após o regresso do cativeiro de
Babilónia e depois destruído pelo exército romano no ano 70 d.C.), os povos árabes
construíram duas mesquitas: a Mesquita Al-Aqsa e a da cúpula dourada, designada
como “The Dome of the Rock”. As fotos e o esquema abaixo dão-nos uma melhor
perspectiva sobre ambas.

Segundo alguns, estas mesquitas teriam sido construídas no mesmo espaço e sobre
os fundamentos onde no passado foram edificados os 1º e 2º Templos dedicados por
Israel a YHWH. Porém, não é assim, pois tudo indica que estes edifícios acabaram
por ser construídos naquilo que a Bíblia designa por “pátrio exterior” que é dado aos
gentios: Apocalipse 11:1-2, deixando livre o espaço onde, num futuro breve, será
reerguido o 3º Templo em Jerusalém.

A construção das mesquitas veio a ser realizada a partir do Séc. VII d.C. com o
advento do Islamismo. Os trabalhos de construção da mesquita “Dome of the Rock”
terão sido iniciados em 685 d.C. pelo Califa Abdul Al-Malik Ibn Marwan, tendo o
conjunto arquitectónico de toda esta esplanada e edifícios sido concluído pelo filho
deste, Al-Walid, em 705 d.C., com a construção da mesquita “Al-Aqsa”.




A foto da esquerda dá-nos ainda uma perspectiva do Muro das Lamentações que
não pertence ao local onde se erguia o Templo de Salomão, dado que se trata de um
muro de sustentação da zona do Templo mas que não fazia parte do mesmo, e onde
ainda hoje o povo de Israel se junta para orar a YHWH – basta para tanto lembrar as
palavras proféticas de Yeshua “não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja
derribada” – Mateus 24:2! As palavras de Yeshua confirmaram-se no ano 70 d.C.,
quando as tropas do Império Romano comandadas por Tito destruíram a cidade de
Jerusalém e o Templo, matando centenas de milhares dos que habitavam naquela
terra e naquela cidade, tendo ainda levado cativos muitos outros dos seus habitantes
– Lucas 21:24, confirmando assim o restante da profecia. Porém, Jerusalém não
ficou de todo desabitada…mas, como disse Yeshua: “e Jerusalém será pisada pelos
gentios, até que os tempos dos gentios se completem”.

A mesquita que está em maior evidência é a “Dome of the Rock”, a da cúpula
dourada. Mas ambas foram construídas no perímetro e sobre as ruínas do 2º Templo
erigido no tempo de Esdras e Neemias.




Vítor Quinta                                                                      69
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Para obtermos uma visão mais ampla incluímos uma planta que nos permite localizar
ambas e também a Esplanada das Mesquitas que faz parte do complexo (que esteve
na origem da 2ª Intifada quando o 1º Ministro de Israel Ariel Sharon a visitou em 28
de Setembro de 2000):




Agora reparemos no pormenor topográfico da planta abaixo, pormenor que não só é
curioso como está em harmonia com a profecia da segunda vinda de Cristo, pois a
Palavra de Deus diz-nos que Ele descerá sobre o Monte das Oliveiras e entrará na
cidade pela mesma porta em que entrou na cidade aquando da Sua entrada triunfal
antes de ser preso e morto. Essa porta chamada de “golden gate” ou Porta Dourada
foi mandada encerrar há muitos séculos por um governante muçulmano. Se lermos a
profecia de Ezequiel 44:1-2 e analisarmos a planta que se segue, facilmente
compreenderemos como essa profecia irá ser cumprida na segunda vinda de Cristo,
em que Ele caminhará do Monte das Oliveiras para o Templo, através da Porta
Dourada, que será aberta para Ele entrar em Jerusalém e no Templo, tal como o fez
antes.




Vítor Quinta                                                                     70
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




                       (As antigas muralhas e portas da cidade de Jerusalém ainda hoje estão de pé)


Olhemos agora para a zona do Templo, olhando pela parte exterior à Porta Dourada:




  (Golden Gate – Porta Dourada que se encontra encerrada e que será aberta para que O Rei Eterno entre na cidade santa)


Mas, voltemos à profecia da 70ª semana que está intimamente ligada aos
acontecimentos que se hão-de desenrolar à volta de Jerusalém e a que não serão
alheias as duas mesquitas de que falámos aqui. O profeta Isaías em 28:15,18 diz-nos
claramente que este será chamado um tratado com a morte, uma aliança com a
morte! Se a Palavra de Deus assim nos ensina, não tenhamos dúvidas que a aliança
que os homens possam estabelecer entre si e que será promovida pelo anti-Cristo
não é para durar, pois assenta numa falsa paz; quando eles falarem de “paz e
segurança”, então lhes sobrevirá repentina destruição como nos diz em
1.Tessalonicenses 5:3. Agora vejamos o que a Palavra nos diz acerca da
durabilidade desta aliança: “E a vossa aliança com a morte se anulará; e o vosso
acordo com o inferno não subsistirá”. Atente-se bem nestas palavras fortes.


Vítor Quinta                                                                                                          71
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Deixemos que seja a Palavra de Deus a revelar-nos e a demonstrar-nos que povos
estarão envolvidos nesta aliança com a morte (Israel e os países circundantes):
Salmo 83:2-8 – “Porque eis que teus inimigos fazem tumulto [os inimigos de
YHWH], e os que te odeiam levantaram a cabeça. Tomaram astuto conselho
contra o teu povo [Israel], e consultaram contra os teus escondidos
[espalhados entre as nações]. Disseram: Vinde, e desarreiguemo-los para que
não sejam nação, nem haja mais memória do nome de Israel [este é o discurso
oficial dos países árabes desde a fundação do Estado de Israel]. Porque
consultaram juntos e unânimes; eles se unem contra ti: as tendas de Edom, e
dos ismaelitas, de Moabe, e dos agarenos, de Gebal, e de Amom, e de
Amaleque, a Filístia, com os moradores de Tiro; também a Assíria se ajuntou
com eles; foram ajudar aos filhos de Ló”. Depois de lermos estas palavras,
teremos então alguma dificuldade em identificar que povos irão estar unidos contra
Israel? Adicionemos os que ainda nos são indicados nas profecias de Ezequiel 38 e
39 sobre Gog e ficaremos então com uma ideia muito clara acerca da multidão de
exércitos que virão contra Israel/Jerusalém nos dias do fim.

Quanto tempo durará esta falsa paz? Já atrás se disse que esta falsa paz durará
somente 3,5 anos – precisamente a primeira metade da 70ª semana de anos.

Aparentemente, tudo indica que uma parte de Jerusalém possa vir a ser “negociada”
e entregue de novo aos poderes das nações inimigas de Israel por um tempo
recebendo em contrapartida metade do Monte do Templo, onde pretendem vir a
construir o 3º Templo. É possível que venha a ser construído um muro de separação
entre as duas partes, criando assim uma zona israelita e outra islamita (a zona do
pátio exterior que é dado aos gentios).

Lembremos o precedente que ocorreu após a Guerra dos Seis Dias, em Junho de
1967, quando Israel retomou o controlo total sobre Jerusalém, e também os poderes
políticos e militares de Israel (General Moshe Dayan entre outros) “resolveram”
entregar a zona nevrálgica do Monte do Templo nas mãos das nações derrotadas por
medo das repercussões que teria a ocupação do Monte do Templo e a eventual
destruição das mesquitas ali existentes, e por não terem confiado no Deus que lhes
tinha dado a vitória; por isso aquele povo tem vivido tempos de amargura, sob
constantes atentados e derramamento de sangue israelita (e também dos seus
inimigos), amargando até hoje tal decisão. Em Maio de 2010 completaram-se 62
anos de sacrifício , as 62 semanas de anos da profecia de Daniel 9, o que não deixa
de ser também uma analogia dos 40 anos que Israel teve que passar no deserto por
não ter mostrado confiança no livramento do seu Deus quando lhe prometeu a
entrada na Terra Prometida e vieram a temer “os gigantes” que viram na terra na qual
Deus lhes disse que haveriam de entrar. A partir de agora (2010) estamos prestes a
assistir, de novo, a grandes acontecimentos nesta terra que irão envolver todas as
nações, pois tudo o que “mexe” com Israel afecta toda a humanidade.

Entremos de novo na profecia relativa a este período de 7 anos finais.

Como antes se disse, a Palavra de Deus divide este período em duas partes, ambas
correspondentes a 3,5 anos cada (ou 42 meses). Vamos abordar cada uma destas
duas metades de uma forma sucinta mas suportada na Palavra de Deus, as quais


Vítor Quinta                                                                     72
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

apontam para acontecimentos vitais para a vida da humanidade, e cujos
acontecimentos começarão a ocorrer após a assinatura do novo ou renovado tratado
de “paz” (este é, pensamos, o marco para o início da contagem da 70ª semana da
profecia de Daniel e que culminará com a vinda do Grande e Eterno Rei, nosso
Senhor Yeshua, O Cristo, que acontecerá no decurso da batalha final, a de
Armagedão):

      1. Nos primeiros 3,5 anos desta semana de anos (também chamada o “tempo da
         tribulação de Jacob”):
               •   haverá lugar à assinatura de um acordo de “paz” (ou à confirmação de
                   um já existente, anterior ao aparecimento do anti-Cristo mas que, neste
                   caso, seria confirmado por ele, como nos diz a Palavra em Isaías 28:15-
                   21; Daniel 9:27) entre Israel e muitas nações suas inimigas que a
                   Palavra que está em Isaías chama de “aliança com a morte e com o
                   inferno”; esta confirmação será promovida pelo anti-Cristo, o qual irá
                   progressivamente firmando o seu poder – o poder que lhe é dado por
                   Satanás, em todo o mundo;

               •   será reconstruído o Templo em Jerusalém, o 3º; Apocalipse 11:2b diz-
                   nos acerca do átrio que está fora do 3º Templo: “porque foi dado às
                   nações, e pisarão a cidade santa por quarenta e dois meses [3,5
                   anos]”;

               •   deste mesmo tempo e período nos falava já o Senhor YHWH em Daniel
                   12:6-7: “E ele disse ao homem vestido de linho, que estava sobre
                   as águas do rio: Quando será o fim destas maravilhas? E ouvi o
                   homem vestido de linho, que estava sobre as águas do rio, o qual
                   levantou ao céu a sua mão direita e a sua mão esquerda, e jurou
                   por aquele que vive eternamente que isso seria para um tempo,
                   tempos e metade do tempo [3,5 anos], e quando tiverem acabado
                   de espalhar o poder do povo santo, todas estas coisas serão
                   cumpridas”; esta profecia coincide em absoluto com os 42 meses ou
                   3,5 anos já referidos; e no versículo 9 ainda nos diz que “estas
                   palavras estão fechadas e seladas até ao tempo do fim”;

               •   após a reconstrução do 3º Templo, recomeçarão os sacrifícios e as
                   ofertas, as quais o anti-Cristo interromperá no meio da 70ª semana –
                   Daniel 9:27a: “E ele [o anti-Cristo] firmará43 aliança com muitos por
                   uma semana [a semana de anos do fim dos tempos44]; e na metade
                   da semana [3,5 anos] fará cessar o sacrifício e a oblação [no
                   Templo];




43
     A tradução inglesa de King James traduz assim: “confirmará”.
44
   Isaías 28:15, 18. Por cada um dos acordos de “paz” (acordos políticos: 1993 - “peace road map” em Oslo) que
Israel tem celebrado lhe tem sobrevindo grande aflição e destruição (atentados, guerras e morte), porque Israel
“ainda” não se voltou para o seu Deus YHWH; tem confiado mais nos acordos celebrados com os seus inimigos
tradicionais que tudo têm feito para destruir esta nação do que tem confiado no seu Deus; por isso YHWH lhes
tem trazido castigos, porque não confiam Naquele que os fez retornar à sua terra e não se viraram ainda para O
Libertador – veja-se o exemplo da Guerra dos Seis Dias.


Vítor Quinta                                                                                               73
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




               •   no final deste período inicial de 3,5 anos o “filho da perdição”, “a besta
                   humana”, o anti-Cristo, o “homem do pecado/filho da perdição”,
                   manifestará a sua verdadeira natureza satânica, o qual se assentará no
                   Templo de Deus querendo parecer Deus, exigindo também adoração
                   da sua pessoa – esta é designada na Bíblia como “a abominação da
                   desolação” do tempo do fim. Um exemplo de um anti-Cristo do
                   passado, mostra-nos também esta “abominação da desolação” quando
                   Antíoco Epifânio, no ano 167 a.C. profanou o Templo na sua tentativa
                   de helenizar o povo de Israel de então, mandando ali realizar sacrifícios
                   com animais impuros, como o porco, e ali instalar uma estátua em
                   honra de “Zeus”, sendo os rolos da Torá rasgadas e/ou queimados;
                   houve perseguição e morte, até que cessou esta primeira e grande
                   “abominação da desolação” e o Templo voltou a ser reconsagrado no
                   tempo dos Macabeus;

               •   em Daniel 11:31 o profeta volta a falar-nos desses acontecimentos de
                   profanação do santuário: “E estarão ao lado dele forças que
                   profanarão o santuário, isto é, a fortaleza, e tirarão o holocausto
                   contínuo, estabelecendo a abominação desoladora”, em tudo
                   confirmando esse terrível acontecimento que sucederá antes da vinda
                   do Glorioso Rei Yeshua – O Deus de toda a terra – Isaías 54:5;

               •   o Apóstolo Paulo também nos alerta acerca destes dias dizendo em
                   2.Tessalonicenses 2:1-12 que a vinda do Messias não teria lugar sem
                   que antes viesse o tempo da apostasia e se viesse a revelar o “iníquo”,
                   “o homem da perdição”, o qual será destruído com a vinda gloriosa do
                   Salvador Yeshua;

               •   também O Senhor Yeshua nos alerta para uma grande e terrível
                   “abominação da desolação” que irá ocorrer no tempo do fim – Mateus
                   24:15: “Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de
                   que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda”; o
                   grande protagonista deste terrível sinal será o último anti-Cristo; muitos
                   anti-cristos têm surgido ao longo da História (Nero, Hitler, etc.) mas,
                   para todos os propósitos, Antíoco Epifânio foi um tipo deste homem
                   abominável que irá surgir no tempo do fim e cuja acção se centrará
                   igualmente em Jerusalém e na cessação dos sacrifícios – Daniel 12:9-
                   13;

               •   Apocalipse 13:5-6 diz-nos ainda acerca deste homem blasfemo: “E foi-
                   lhe dada uma boca, para proferir grandes coisas e blasfémias; e
                   deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses [3,5 anos]. E
                   abriu a sua boca em blasfémias contra Deus, para blasfemar do
                   Seu nome, e do Seu tabernáculo, e dos que habitam no céu”;

               •   para melhor compreendermos o contexto que irá determinar a
                   ocorrência destes acontecimentos leiamos então a passagem completa
                   que está em Daniel 9:27: “E ele firmará aliança com muitos por uma
                   semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a


Vítor Quinta                                                                              74
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

                   oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador [anti-
                   Cristo], e isso até à consumação; e o que está determinado será
                   derramado sobre o assolador”;

               •   porém, em Daniel 12:11 também nos diz: “E desde o tempo em que o
                   sacrifício contínuo for tirado, e posta a abominação desoladora,
                   haverá mil duzentos e noventa dias”; vemos assim que está
                   determinado um período para que estas coisas tenham um fim: 1290
                   dias (43 meses) após o momento em que seja manifestada a
                   “abominação desoladora” (quando o anti-Cristo se sentar no Templo e
                   exigir adoração para a sua pessoa, querendo parecer O Cristo), sendo
                   este o tempo que está determinado para o recrudescimento das
                   perseguições aos fiéis a Yeshua, em preparação do regresso do
                   Grande e Eterno Rei, Senhor Yeshua, para reinar sobre todas as
                   nações da Terra e para destruir o iníquo com o sopro da Sua boca –
                   2.Tessalonicenses 2:8: “E então será revelado o iníquo, a quem o
                   Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo
                   esplendor da sua vinda”;

               •   tal momento dar-se-á, como já indicámos, no decurso da batalha de
                   Armagedão, i.e. quando se acabar o tempo da 70ª semana profética, no
                   final dos 7 anos do fim;

               •   e em Daniel 12:12 ainda nos diz: “Bem-aventurado o que espera e
                   chega até mil trezentos e trinta e cinco dias”; este novo período de
                   dias acrescenta mais 45 ao dia que está determinado para o regresso
                   do Rei Jesus; este período adicional de 45 dias é o período que está
                   determinado para que o Rei submeta a Si todos os inimigos terrenos de
                   Israel e se Lhe submetam todos os reinos deste mundo para que,
                   então, Ele comece a exercer a Sua autoridade e justiça sobre toda a
                   Terra. Estes 45 dias adicionais correspondem ao tempo da “ira do
                   Cordeiro”45 sendo que os primeiros 10 dias deste período
                   correspondem aos 10 dias que medeiam entre “O Dia das Trombetas” e
                   “O Dia da Expiação”, também chamados de “dias de pavor”.

     2. No segundo período de 3,5 anos desta semana de 7 anos (também designada
        como a “Grande Tribulação” mas que continua a fazer parte do período
        profetizado como “a tribulação da Jacob”):



45
   Exemplos: Jeremias 23:19-20 – “Eis que saiu com indignação a tempestade de YHWH; e uma
tempestade penosa cairá cruelmente sobre a cabeça dos ímpios. Não se desviará a ira de
YHWH, até que execute e cumpra os desígnios do seu coração; nos últimos dias entendereis
isso claramente”. E em 25:31-33 – “Chegará o estrondo até à extremidade da terra, porque
YHWH tem contenda com as nações, entrará em juízo com toda a carne; os ímpios entregará à
espada, diz YHWH. Assim diz YHWH dos Exércitos: Eis que o mal passa de nação para nação, e
grande tormenta se levantará dos confins da terra. E serão os mortos de YHWH, naquele dia,
desde uma extremidade da terra até à outra; não serão pranteados, nem recolhidos, nem
sepultados; mas serão por esterco sobre a face da terra”. O mundo transformar-se-á numa grande
sepultura…numa ampla vala comum, cheia de cadáveres, porque os homens viraram as costas a
Deus. Será, então, vindo o tempo da Sua ira.


Vítor Quinta                                                                               75
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)



               •   o anti-Cristo manifestará toda a sua rebeldia e poder de Satanás contra
                   YHWH e o Seu povo, e dar-se-ão os acontecimentos mais terríveis e
                   nefastos em toda a Terra para os que não têm assinalados nas suas
                   testas o selo de Deus – Apocalipse 7:3; 9:4; 22:4;

               •   em Mateus 24:15-16, o Senhor Yeshua volta a ensinar os discípulos
                   Pedro, Tiago, João e André acerca destes dias, voltando a chamar a
                   nossa atenção (para os que viverem nesses dias) para o sinal que
                   marcarão estes eventos: “a abominação da desolação”, porque será
                   este sinal que marcará o início da segunda metade da 70ª semana da
                   profecia de Daniel – a “Grande Tribulação”; o mesmo nos é referido em
                   Lucas 21:20-21 quando fala de Jerusalém rodeada de exércitos (a
                   grande batalha de Armagedão)… e no versículo 22 ainda diz: “Porque
                   dias de vingança são estes, para que se cumpram todas as coisas
                   que estão escritas”;

               •   esta “abominação da desolação” é o sinal que marca o início da
                   segunda metade desta semana de anos do fim, estando esse sinal
                   intimamente associado ao momento em que o anti-Cristo se irá sentar
                   no trono de Deus (o lugar Santíssimo do Templo), querendo parecer
                   Deus (O Cristo Verdadeiro), no Templo, em Jerusalém –
                   2.Tessalonicenses 2:3-4;

               •   ao invés do sinal de YHWH sobre as testas dos Seus filhos46, também o
                   anti-Cristo vem há muito impondo o “seu sinal”, o sinal da besta, “666”,
                   nas testas ou na mão dos que são seus (Apocalipse 13:16-18); nos
                   últimos dias será ainda mais marcante a diferença entre os filhos de
                   Deus e os de Satanás, porque aqueles que não receberem o sinal do
                   anti-Cristo, serão perseguidos e muitos serão mortos por amor da
                   Verdade e do Nome de Yeshua, O Cristo, conforme também nos é
                   referido em Apocalipse 13:7-8: “E foi-lhe [à besta] permitido fazer
                   guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a
                   tribo, e língua, e nação. E adoraram-na todos os que habitam sobre
                   a terra, esses cujos nomes não estão escritos no da vida do
                   Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo”; esta
                   passagem confirma a que se encontra em Apocalipse 6:11, 20:4;
                   porém, apesar da perseguição terrível destes dias, muitos santos serão
                   ainda assim poupados, pois O Altíssimo os protegerá; será nestes dias
                   finais de calamidade, nos últimos 3,5 anos (1.260 dias) que se hão-de
                   manifestar as testemunhas de Yeshua, os 144.000 que hão-de ser
                   selados pelo Altíssimo Deus;




46
  Defendemos que o sinal ou marca de YHWH sobre os Seus filhos são a Lei/Torá de YHWH nos
seus corações/mentes, destacando-se o sinal bem visível da guarda do dia santificado por Deus: o
Sábado santo – do pôr-do-sol de Sexta-Feira até ao pôr-do-sol de Sábado. Ao invés desta marca,
temos o sinal ou marca de Satanás como sendo a ausência da Lei de Deus no coração/mente dos
homens e a guarda do Domingo como o dia seguido pelas igrejas apóstatas.


Vítor Quinta                                                                                 76
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




               •   em Daniel 11:36-37 é-nos dito sobre o anti-Cristo do fim “E este rei [o
                   anti-Cristo] fará conforme a sua vontade, e levantar-se-á, e
                   engrandecer-se-á sobre todo deus; e contra o Deus dos deuses
                   falará coisas espantosas, e será próspero, até que a ira se
                   complete; porque aquilo que está determinado será feito. E não
                   terá respeito ao Deus de seus pais47, nem terá respeito ao amor
                   das mulheres, nem a deus algum, porque sobre tudo se
                   engrandecerá”;

               •   iniciar-se-ão (de novo, mas desta vez de uma forma nunca antes vista)
                   as perseguições aos que têm o “selo de YHWH” e recusam receber o
                   sinal da besta nas suas testas ou na sua mão – Apocalipse 13:16-18;

               •   porém, é neste período final da “Grande Tribulação” que YHWH tem
                   preparado um refúgio para a Sua Israel, conforme nos diz Apocalipse
                   12:6: “E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar
                   preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil
                   duzentos e sessenta dias” e no versículo 14: “E foram dadas à
                   mulher duas asas de grande águia, para que voasse para o
                   deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos,
                   e metade de um tempo, fora da vista da serpente” – o mesmo que
                   Daniel 12:7; embora esta profecia possa já ter sido cumprida no
                   passado, ela volta a ter plena actualidade nestes dias de perseguição
                   do fim – dualidade de algumas profecias;

               •   Daniel 7:25 e Apocalipse 13:4-7 revelam-nos que este poder maligno
                   que se instalará no mundo terá poder, durante este período de tempo,
                   para perseguir e matar os santos do Altíssimo. Porém, de acordo com
                   Apocalipse 12:14, um período com igual extensão de tempo como este
                   (3,5 anos) parece igualmente corresponder ao período em que O
                   Senhor YHWH protegerá a Sua Israel debaixo das Suas “asas”, i.e. ao
                   abrigo destas grandes calamidades, o que confirma a profecia de
                   Daniel 12:1-2 …”mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo
                   aquele que for achado escrito no livro”, o que é corroborado pela
                   profecia de Malaquias 3:16-18 – “Então aqueles que temeram a
                   YHWH falaram frequentemente um ao outro; e YHWH atentou e
                   ouviu; e um memorial foi escrito diante dele, para os que temeram
                   a YHWH, e para os que se lembraram do seu nome. E eles serão
                   meus, diz YHWH dos Exércitos; naquele dia serão para mim jóias;
                   poupá-los-ei, como um homem poupa a seu filho, que o serve.
                   Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o
                   que serve a Deus, e o que não o serve”.



47
  Muitos se baseiam nesta passagem para afirmarem que o anti-Cristo terá ascendência israelita,
particularmente da tribo de Dan, a mesma que não aparece mencionada nas 12.000 de cada tribo que
compõem os 144.000. Porém, é prematuro fazer tal afirmação, tanto mais que existem também sinais
que apontam para que o anti-Cristo do tempo do fim poderá vir a revelar-se no seio do Islamismo.


Vítor Quinta                                                                                 77
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




               •   Estas duas situações poderão ocorrer, cada uma delas, numa das duas
                   metades da 70ª semana do fim: a de Daniel 7:25 poderá ocorrer na
                   primeira metade da semana, enquanto a profecia relatada em
                   Apocalipse 12:14 poderá ocorrer no decurso da segunda metade. É
                   pois difícil de localizar a sequência destas duas profecias que, à
                   primeira vista, a ocorrerem durante a 70ª semana parecem descrever
                   acontecimentos antagónicos mas que em breve tempo serão
                   clarificados;

               •   sabemos com segurança pela Palavra de Deus que muitos dos santos,
                   nesse tempo, serão perseguidos e mortos (Apocalipse 6:10-11); porém,
                   muitos estarão vivos no dia do Senhor, como confirma a passagem que
                   está em 1.Tessalonicenses 4:17, e responderão à chamada do Grande
                   Rei: “Subi cá” – Apocalipse 11:12. Malaquias 3:16-18 também nos fala
                   da protecção do Deus Altíssimo nesses dias vindouros.

               •   como atrás se disse, esta tão grande destruição do tempo do fim
                   culminará na chamada “Batalha do Armagedão” que reunirá um exército
                   colossal (Gog e seus aliados de que nos fala o capítulos 38 e 39 de
                   Ezequiel, Salmos e em Apocalipse), o qual virá contra Israel e
                   Jerusalém; estes inimigos serão destruídos na Terra de Israel por
                   intervenção do próprio Santo de Israel, Senhor Yeshua, que estará
                   presente e envolvido nessa batalha final;

               •   quando a situação for de tal maneira desesperada (caos, perseguição,
                   destruição e morte em larga escala) a tal ponto que O próprio Messias
                   nos disse que “se aqueles dias não fossem abreviados nenhuma carne
                   se salvaria” (Mateus 24:22), então virá O Filho do Deus Altíssimo para
                   primeiro castigar os rebeldes que estiverem na terra (para destruir os
                   que destroem a Terra) e depois para reinar eternamente e restaurar
                   todas as coisas. Ele virá com ira e com vingança para castigar as
                   nações e os homens rebeldes. Então, o anti-Cristo, juntamente com o
                   Falso Profeta serão lançados no “lago de fogo” para serem destruídos
                   pelo fogo, enquanto Satanás e seus anjos serão presos durante mil
                   anos, i.e. enquanto durar o reino de Cristo sobre todas as nações da
                   Terra, para no final desse período milenar serem soltos por um pouco
                   de tempo; e, como está na sua natureza, sairão de novo a enganar as
                   nações que estão sobre a Terra, Gog e Magog até à sua destruição
                   final e defintiva.

Vale a pena voltar a recordar:

    1.260 dias = 42 meses = 1 tempo, tempos e metade de 1 tempo = 3,5 anos

Neste caso não há lugar a fazer-se a equivalência de 1 dia = 1 ano, pois estes dias
serão dias de 24 horas, literais, uma vez que Satanás só lhe restará esse tempo
disponível para levar adiante, no tempo do fim, a sua última tentativa de destruição
do homem.



Vítor Quinta                                                                          78
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


No meio de todas as calamidades que hão-de sobrevir ao mundo e aos homens que
nele habitam, permanece a palavra de esperança para o povo de Deus (para a Sua
Israel), como podemos ler em Daniel 12:1-2 – “E naquele tempo se levantará
Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo, e
haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até
àquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for
achado escrito no livro. E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão,
uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno”.

Após esta última e terrível fase da vida da humanidade subordinada ao poder das
trevas (Satanás e seus anjos e toda a corte de homens que se lhes sujeitam, os que
obram a iniquidade) durante 6.000 anos, virá O Cristo Yeshua para iniciar o Seu reino
milenar (o 7º milénio, o tempo da restauração e restituição de todas as coisas) onde
estarão presentes a justiça de Deus, a paz e o amor e onde todas as coisas nefastas
que o homem ainda hoje experimenta desaparecerão, porque O Senhor reinará pela
Sua Lei/Torá e essa mesma Lei/Torá estará então gravada no coração/mente dos
homens, como nos é ensinado em Jeremias 31:31-33; Hebreus 8:10; 10:16. Não
mais se fará a guerra nem mal algum será perpetrado no monte da santidade de
Deus, pois Satanás já foi preso na vinda gloriosa do Deus de toda a Terra. Até a
natureza dos animais selvagens será transformada (e.g. o leão comerá palha como o
boi…). Outros exemplos são-nos dados em Isaías 65. O Reino Milenar do Cristo
Yeshua será pacífico e é também o tempo de acabar com a transgressão à Lei/Torá
do Senhor YHWH…como nos diz em Isaías 2:2-4 – “E acontecerá nos últimos dias
que se firmará o monte da casa de YHWH no cume dos montes, e se elevará
por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações. E irão muitos
povos, e dirão: Vinde, subamos ao monte de YHWH, à casa do Deus de Jacob,
para que nos ensine os seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque
de Sião [Jerusalém] sairá a lei, e de Jerusalém a palavra de YHWH. E ele julgará
entre as nações, e repreenderá a muitos povos; e estes converterão as suas
espadas em enxadões e as suas lanças em foices; uma nação não levantará
espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerrear”.

O Templo em Jerusalém voltará a ser consagrado e purificado da abominação que o
anti-Cristo ali antes instalou (a exemplo da reconsagração do Templo no tempo dos
Macabeus para purificação da abominação da desolação causada por Antíoco
Epifânio) e Yeshua, O Rei, ocupará para sempre o lugar santo que só a Ele pertence
por direito.

Com a vinda do Rei Eterno, Senhor Yeshua, far-se-á a união permanente das duas
casas de Israel – Judá e Efraim (as duas “varas”), o Reino de Israel (Actos 1:6); estas
duas varas serão, então, uma só vara na Sua mão – Ezequiel 37:17, 19, 25-28, para
não mais voltarem a estar separadas.

A segunda vinda do Cristo Yeshua dar-se-á de forma visível para todo o mundo
(“todo o olho O verá”), pois Ele virá com poder e grande glória rodeado de milhares
(de milhares) dos seus santos anjos. Como nos diz a Bíblia Sagrada Ele descerá
sobre o Monte das Oliveiras e entrará no Templo do Monte pela Porta Este, a Porta
Dourada – aquela que um Califa do passado mandou emparedar com receio que O



Vítor Quinta                                                                        79
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

Salvador viesse cumprir a profecia. Ele tomará o assento que só a Ele pertence por
direito.

O cenário de caos mundial está pois a ser preparado para que surja, a seu tempo,
um “salvador”, o anti-Cristo, o “filho da perdição”, o “homem do pecado”. Aquele que
se há-de manifestar no tempo do fim, com um discurso de paz, arrebatador de
multidões como foi o caso de Hitler, mas trazendo consigo a destruição, tal como
Hitler também fez. Nesse tempo falar-se-á de “paz e segurança”, mas essa será uma
paz ilusória, porque a Palavra de Deus anuncia que quando se falar de “paz e
segurança”, lhes sobrevirá repentina destruição – 1.Tessalonicenses 5:3.

Depois destes acontecimentos, quando Satanás conseguir instalar todo um sistema
iníquo entre as nações, uma “Nova Ordem Mundial”, reclamada pelos poderosos ao
longo das últimas décadas e que virá a ser uma realidade sobretudo nos países do
chamado hemisfério ocidental, começará a perseguição dos fiéis no tempo do fim,
como Yeshua nos disse na Sua Palavra em Mateus 24:9 em diante:
     •   Os fiéis serão entregues para serem atormentados e mortos – lembremos a
         Palavra do Senhor em Apocalipse 6:9-11 quando, após a abertura do 5º selo
         pelo Cordeiro, muitos fiéis serão mortos – precisamente os que dão
         testemunho do sangue salvador de Yeshua e que retêm o amor à Palavra de
         YHWH e aos Seus mandamentos; aos que já morreram no Senhor e que
         foram mortos, como serão mortos os do tempo do fim, é-lhes dito: “e foi-lhes
         dito que repousassem ainda um pouco de tempo, até que também se
         completasse o número de seus conservos e seus irmãos, que haviam de
         ser mortos como eles foram”.

     •   O Evangelho do reino será pregado a todas as gentes e então virá o fim.

     •   Esse fim coincidirá com a grande perseguição do remanescente da Israel de
         Deus espalhada um pouco por todas as nações; muitos que eram
         considerados como crentes, trair-se-ão uns aos outros e o amor de muitos
         esfriará, porque a iniquidade também será multiplicada (iniquidade = a
         transgressão das leis de YHWH), como disse O Cristo Yeshua.

     •   Depois desta perseguição final, e com a abertura do 6º selo, a ira de YHWH48
         será derramada sobre as nações. Dar-se-á então um tão grande terramoto
         como nunca houve outro antes deste: Apocalipse 6:12 – “e eis que houve um
         grande tremor de terra; e o sol tornou-se negro como saco de cilício, e a
         lua tornou-se como sangue”, confirmando a profecia de Isaías 24:20.

     •   As potências do céu serão abaladas: Apocalipse 6:13 em diante

         •     “as estrelas do céu cairão sobre a terra”
         •     “o céu retirar-se-á como um livro que se enrola”



48
  Ler também todo o Capítulo 16 do livro de Apocalipse cruzando essas passagens com as que acima
são mencionadas neste estudo: 7 anjos e 7 taças da ira divina que serão derramadas sobre uma
humanidade incrédula e de duro coração. Um desses 7 anjos tratará de derramar a ira de YHWH
sobre “a grande prostituta”, conforme se encontra descrito em Apocalipse Cap. 17 e 18.


Vítor Quinta                                                                                 80
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)



        •      devido a esse tão grande terramoto “todos os montes e ilhas serão
               removidos dos seus lugares”,

Perante estes e outros castigos, os homens rebeldes esconder-se-ão da Sua
presença vingadora: “os reis da terra, e os grandes, e os ricos, e os tribunos, e os
poderosos, e todo o servo, e todo o livre, se esconderam nas cavernas e nas rochas
das montanhas; e diziam aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, e escondei-nos
do rosto daquele que está assentado sobre o trono, e da ira do Cordeiro; porque é
vindo o grande dia da sua ira; e quem poderá subsistir?”

Já os Cap. 8, 9 e 10 de Apocalipse nos dão maiores detalhes dos castigos que
sobrevirão à humanidade nesse tempo do fim (podemos cruzar os seus
ensinamentos com o que já vimos noutras passagens anteriores). Por exemplo: com
a abertura do 7º selo, foram dadas 7 trombetas aos 7 anjos que serão os portadores
dos males e castigos que hão-de afligir o planeta, a saber:

    •   8:7 – “E o primeiro anjo tocou a sua trombeta, e houve saraiva e fogo
        misturado com sangue, e foram lançados na terra, que foi queimada na
        sua terça parte; queimou-se a terça parte das árvores, e toda a erva verde
        foi queimada”.

    •   8:8-9 – “E o segundo anjo tocou a trombeta; e foi lançada no mar uma
        coisa como um grande monte ardendo em fogo [meteoro?], e tornou-se
        em sangue a terça parte do mar. E morreu a terça parte das criaturas que
        tinham vida no mar; e perdeu-se a terça parte das naus”.

    •   8:10-11 – “E o terceiro anjo tocou a sua trombeta, e caiu do céu uma
        grande estrela ardendo como uma tocha, e caiu sobre a terça parte dos
        rios, e sobre as fontes das águas. E o nome da estrela era Absinto, e a
        terça parte das águas tornou-se em absinto, e muitos homens morreram
        das águas, porque se tornaram amargas”.

    •   8:12-13 – “E o quarto anjo tocou a sua trombeta, e foi ferida a terça parte
        do sol, e a terça parte da lua, e a terça parte das estrelas; para que a terça
        parte deles se escurecesse, e a terça parte do dia não brilhasse, e
        semelhantemente a noite. E olhei, e ouvi um anjo voar pelo meio do céu,
        dizendo com grande voz: Ai! ai! ai! dos que habitam sobre a terra! por
        causa das outras vozes das trombetas dos três anjos que hão de ainda
        tocar”. Repare-se nos três “ais”. Cada um destes “ais” é sinónimo de castigo e
        sofrimento que será derramado sobre a humanidade rebelde.

Note-se que depois destes primeiros 4 anjos com as suas pragas, estão anunciados
os outros 3 restantes que trarão ainda piores castigos (lembra-nos as pragas que
foram derramadas sobre o Egipto; aquelas pragas tiveram o condão de endurecer o
coração de Faraó, tal como acontecerá com os descrentes do tempo do fim):

    •   9:1-11 – O quinto anjo enviou uma “estrela” (anjo do Senhor) que sairá com
        uma chave para abrir o abismo, libertando múltiplos espíritos malignos (se a



Vítor Quinta                                                                       81
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        situação actual já não é boa, imagine-se o que será quando estes demónios
        estiverem à solta no mundo…!); naqueles dias o sofrimento dos descrentes
        multiplicar-se-á! Este é o primeiro “ai”. Os homens buscarão a morte mas não
        a encontrarão, porque terão que sofrer severo castigo pela malignidade dos
        seus corações e das suas acções e falta de arrependimento. A simbologia dos
        “gafanhotos” que nos é aqui apresentada também aponta para a guerra dos
        últimos dias – a de Armagedão.

    •   9:13-21 – “E tocou o sexto anjo a sua trombeta…”. Este dará ordem a mais
        quatro anjos que estão presos junto ao grande rio Eufrates (novamente uma
        alusão à grande batalha de Armagedão, a qual congregará um exército de 200
        milhões de homens vindos do Oriente…), para que matem a terça parte dos
        homens; porém, aqueles que não morrerem destas pragas “não se
        arrependerão das obras de suas mãos, para não adorarem os demónios,
        e os ídolos de ouro, e de prata, e de bronze, e de pedra, e de madeira, que
        nem podem ver, nem ouvir, nem andar. E não se arrependeram dos seus
        homicídios, nem das suas feitiçarias, nem da sua prostituição, nem dos
        seus furtos”.

    •   10:7 – Aqui é-nos relatada a acção do sétimo anjo, que tocará a sétima
        trombeta, precisamente aquela que será tocada no Dia da vinda do Glorioso
        Rei: “Mas nos dias da voz do sétimo anjo, quando tocar a sua trombeta,
        se cumprirá o segredo de Deus, como anunciou aos profetas, seus
        servos”. É nos dias (plural) do toque da sétima trombeta que se concretizará
        o que está anunciado em Apocalipse 11:15 – “E o sétimo anjo tocou a sua
        trombeta, e houve no céu grandes vozes, que diziam: Os reinos do
        mundo vieram a ser de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para
        todo o sempre”.

O Capítulo 8 de Apocalipse revela-nos ainda que, além dos 7 anjos com as 7
trombetas que irão desencadear os castigos anunciados por Yeshua (na Sua
Revelação ou Apocalipse) é também apontado nos versículos 3 a 5 a existência de
um “outro anjo” que terá um incensário de ouro para fazer ofertas ao Altíssimo
juntamente com as orações dos santos. O desenrolar destes acontecimentos será
muito rápido, porque o tempo está cumprido. Olhemos para a terra de Israel, pois é
ali que é cronometrado o relógio de Deus. Olhemos para Jerusalém, pois ali será o
epicentro destes grandes acontecimentos mundiais.

Em ligação com estes acontecimentos, o Cap. 11 de Apocalipse continua a dar-nos
mais detalhes destes dias como, por exemplo, o que nos é dito em Apocalipse 11:3-
12, e que nos fala do poder que YHWH há-de entregar às Suas duas testemunhas
(144.000, sendo 12.000 de cada tribo de Israel) por 1.260 dias (3,5 anos), as quais,
no final do seu testemunho, serão mortas jazendo os seus corpos nas praças durante
3,5 dias, após o que ressuscitarão e YHWH lhes dirá: “Subi cá”.

O apóstolo Pedro também nos fala destes dias de castigo que sobrevirão sobre a
humanidade que não quis aceitar a salvação de Deus – 2.Pedro 3:7 – “Mas os céus
e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e
se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios”.




Vítor Quinta                                                                     82
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


O terceiro “ai” ocorrerá após o toque da 7ª trombeta quando os reinos deste mundo
vierem a ser de YHWH e do Seu Cristo (Apocalipse 11:15). Então, será derramada a
ira do Altíssimo sobre a humanidade que sempre foi rebelde. Lembremos dois avisos:

     •   Pedro diz-nos: “salvai-vos desta geração perversa” – Actos 2:40.
     •   Hebreus 10:31 - “Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo”.

Todos estes acontecimentos sobrevirão muito em breve a uma humanidade
espiritualmente ignorante, descuidada, adormecida e morta. O Senhor Yeshua
comparou a forma de viver nestes dias, muito próximos aos dias que precederam o
grande castigo do passado – o dilúvio. O castigo veio e a humanidade não estava
apercebida – tal como hoje! A humanidade destes dias andará como nos dias de
Noé, em que, apesar de avisados durante 120 anos não creram no castigo que lhes
haveria de sobrevir…e que lhes tinha sido anunciado. Depois, vieram as águas e os
levaram, só se salvando oito almas. Em breve o governo do homem e de Satanás
será aniquilado. Mas, todos os que Lhe são fiéis não serão apanhados
desprevenidos.

Os filhos de Deus conhecem os sinais dos tempos e, por isso mesmo, não serão
achados a dormir quanto à vinda do Salvador Yeshua: 1.Tessalonicenses 5:4-5 –
“Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda
como um ladrão; porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não
somos da noite nem das trevas”. Ainda que estas almas crentes também possam
estar um pouco adormecidas, apesar disso, elas serão como as cinco virgens
prudentes que embora “tosquenejassem”, i.e. tivessem adormecido antes da vinda do
Esposo, elas terão bastante óleo (o conhecimento da Verdade e a presença do
Espírito Santo) nas suas candeias para receber O Esposo quando Ele vier. Por isso
entrarão na casa (no Reino) com O Esposo, enquanto as outras virgens, as
imprudentes, ficarão de fora.

Esta é uma breve descrição das profecias cujo cumprimento está reservado para os
dias que estão diante de nós. Só a presença de Yeshua através do Seu Santo
Espírito nos pode abrigar da ira que virá sobre toda a humanidade rebelde e
descrente, bem como no dia das aflições causadas pelo próprio homem.

A grande tribulação está aí! Este será o tempo da ira de Satanás, particularmente no
que corresponde à última semana de anos que precederão a vinda gloriosa de
Yeshua49. Será o tempo dos ditames satânicos conduzidos pelo anti-Cristo. Porém,
muitos dos castigos que cairão sobre a humanidade descrente serão o cumprimento
da ira divina das quais o povo salvo já estará resguardado: 1.Tessalonicenses 4:16-
17.




49
   A vinda gloriosa do Rei Yeshua já era conhecida desde o princípio, como nos diz Judas 14-15,
citando a profecia de Enoque, o 7º depois de Adão: “Ele virá com milhares de Seus santos”.


Vítor Quinta                                                                                83
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Atenção:
Não confundir o período da grande tribulação imposto pelo homem e por
Satanás, o qual será imposto sobre toda a humanidade ANTES da vinda de
Cristo, com o período do derramamento da ira do Cordeiro no chamado “Dia do
Senhor”, o qual ocorrerá APÓS a Sua vinda.

Perante tudo o que ainda está para suceder, pergunta-se: Será que nos estamos a
fortalecer diariamente no Espírito Santo para podermos prevalecer perante as
calamidades que hão-de sobrevir à humanidade? Onde está o nosso coração? Se
estiver confiado a Yeshua, então estará seguro. Tomemos atenção: a crise financeira
mundial e as suas consequências é somente o prelúdio de piores acontecimentos; é
o primeiro acto de uma peça dramática que se vai desenrolar em todo o mundo50. A
única esperança que podemos ter é Cristo!

O apóstolo Pedro tem estas palavras para os fiéis: 2.Pedro 3:10-18 – “Mas o dia do
Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande
estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela
há, se queimarão. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas
vos convém ser em santo trato, e piedade, aguardando, e apressando-vos para
a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos,
ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos
céus e nova terra, em que habita a justiça. Por isso, amados, aguardando estas
coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz.
E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso
amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada;
falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos
difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as
outras Escrituras, para sua própria perdição. Vós, portanto, amados, sabendo
isto de antemão, guardai-vos de que, pelo engano dos homens abomináveis,
sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza; antes crescei na
graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja
dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém”. Retenhamos
estas palavras nos nossos corações/mentes e não demos ouvidos a espíritos
enganadores.

Quando o grande e terrível Dia do Senhor51 vier, Ele enviará os Seus anjos para
recolher todos os que viveram em fidelidade na Sua presença: Mateus 24:30-31 –
“Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem52; e todas as tribos da terra
se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com
poder e grande glória. E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta,
os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra
extremidade dos céus”. Os fiéis que estão no pó da terra ressuscitarão primeiro,
50
   “E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos
seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas. Porque já os seus pecados se
acumularam até ao céu, e Deus se lembrou das iniquidades dela” – Apocalipse 18:4-5
51
    O chamado “Dia do Senhor” não se resume a um período de 24 horas. Senão vejamos a
equivalência bíblica e profética de 1 dia = 1 ano que nos é dada em Números 14:34 e Ezequiel 4:6.
52
   Tal como o “sinal” do nascimento Filho do Homem apareceu no céu quando veio como servo há
cerca de 2.000 anos atrás, também esse mesmo “sinal” será visível no céu por ocasião da Sua
segunda vinda, como Rei.


Vítor Quinta                                                                                  84
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

como nos é dito em 1.Coríntios 15:52 – “Num momento, num abrir e fechar de
olhos, ante a última trombeta [a sétima]; porque a trombeta soará, e os mortos
ressuscitarão incorruptíveis, e nós [os que estivermos vivos na Sua vinda]
seremos transformados”, e iremos ao encontro do Senhor nos ares. Paulo
apresenta-nos em poucas palavras o que será a ressurreição dos remidos – a
primeira ressurreição.

O Senhor Yeshua remata as Suas palavras em Mateus 24:25 dizendo-nos: “Eis que
eu vo-lo tenho predito”. Tanto O Cristo como os Seus profetas nos foram avisando
em todo o tempo. Costuma dizer-se que homem prevenido vale por dois! Ele avisou
que “o céu e a terra passarão, mas as Suas palavras não hão-de passar”.

Lembremo-nos do ensinamento contido na parábola das 5 virgens prudentes e das 5
loucas. Enchamos pois a nossa candeia (o nosso coração/mente) com o óleo
precioso (o do conhecimento da Verdade e da presença do Espírito Santo) enquanto
o podemos adquirir (de forma graciosa) e antes que venham os dias da perseguição.
Todo o que for fiel até ao fim será salvo, disse Yeshua: Mateus 24:13. “Ao que
vencer…”, diz Ele nas cartas às sete igrejas do Apocalipse. Lembremos: Apocalipse
2:10 – “Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida”.

Rematemos esta parte com as palavras do apóstolo em 2.Pedro 3:10-14 – “Mas o
dia do Senhor virá como o ladrão de noite53; no qual os céus passarão com
grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras
que nela há, se queimarão. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que
pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade, aguardando, e apressando-
vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os
elementos, ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa,
aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça. Por isso,
amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados
imaculados e irrepreensíveis em paz”. Este “dia do Senhor” irá apanhar a
humanidade de surpresa – como o ladrão que vem de noite; quando menos O
esperam Ele virá com recompensa para uns (os fiéis) e castigos terríveis para os
outros.

No meio de todos estes acontecimentos proféticos dos dias do fim, há um sinal
bíblico de grande importância e que ocorrerá a meio da 70ª semana profética de
Daniel: “a profanação do Templo pelo anti-Cristo, dos dias do fim”, ou como o profeta
Daniel e Yeshua assinalaram: “a abominação da desolação” que já citámos e
voltaremos a referir mais adiante.

Depois da exposição detalhada deste período profético, certamente será uma ajuda
olharmos para a sequência destes acontecimentos tal como se encontra espelhada
nos diagramas contidos no Anexo A deste trabalho.




53
  Esta vinda gloriosa só poderá surpreender os que não conhecem as Escrituras e a Palavra de Deus.
Porque aqueles que a conhecem e a guardaram nos seus corações/mentes não serão apanhados de
surpresa.


Vítor Quinta                                                                                   85
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




4.3                    As 70 semanas cumpridas nos últimos dias, a contar de 1947/4854

Esta segunda visão sobre o cumprimento desta profecia de Daniel, não anula a
anterior, antes a complementa, dada a riqueza da palavra de Deus. Neste
subcapítulo, poderemos, de algum modo, voltar a repetir algo que já tenha sido dito
antes. Porém, o que agora iremos referir já deve ser visto num enquadramento
diferente da análise do capítulo anterior, uma vez que vamos situar esta profecia nos
chamados “dias do fim”.

Na Sua Palavra, Deus afirma que nos faz saber o fim desde o princípio – Isaías
41:26; 46:10. Com esse propósito, Ele fala-nos através dos Seus servos os profetas
para nos fazer saber tudo o que há-de acontecer, antes que as coisas aconteçam,
pois Ele deseja que os Seus filhos entendam todo o Seu plano e até os
acontecimentos que se hão-de produzir. Ele também nos aponta na Sua Palavra o
quando esses acontecimentos devem ocorrer. Ele o fez saber aos Seus servos os
profetas, da mesma maneira que nos faz o saber também através desses mesmos
profetas e do Seu Espírito Santo. Uma vez identificados os sinais que Ele mesmo nos
dá na Sua Palavra, fácil é ao sábio (“os sábios entenderão”) identificar o que e
quando as coisas profetizadas deverão acontecer.

Na realidade, O Senhor YHWH, faz-nos saber o fim desde o princípio. Esta questão
está bem espelhada no quadro da semana da Criação de Deus. Nestes 7 dias está
espelhado todo o plano de Deus para a humanidade. Senão vejamos, em grandes
linhas:

            Dia 1º        Dia 2º       Dia 3º       Dia 4º           Dia 5º       Dia 6º      Sábado
          4.000 a.C.    3.000 a.C.   2.000 a.C.   1.000 a.C.       1.000 d.C.   2.000 d.C.   7º Milénio


      A                              A                         Y                             R
      d                              b                         e                             e
      ã                              r                         s                             p
      o                              a                         h                             o
                                     ã                         u                             u
                                     o                         a                             s
                                                                                             o



O quadro acima foi definido tendo em conta a equivalência profética dada na Palavra
de Deus em que 1 dia para Deus é como 1.000 anos e 1.000 anos como um dia
(Números 14:34; Salmo 90:4; Ezequiel 4:6-8; 2.Pedro 3:8). Também levou em conta
a perspectiva que nos é dada em Salmo 90:10, quando Deus apontou que os dias do
homem seriam de 70 anos, o tempo de uma geração55. Considerámos igualmente a

54
   Elementos extraídos e trabalhados a partir dos conteúdos do site do YouTube, vídeos 1 a 12 em:
http://www.youtube.com/watch?v=S1bkB1nShSU&feature=related
55
   Reparemos que o tempo de uma geração também pode ser determinado quando comparamos os
acontecimentos ocorridos antes da entrada de Israel na Terra Prometida: YHWH castigou todos os
varões com cerca de 30 anos de idade para cima a deambular mais 40 anos no deserto (um ano por
cada dia que os espias de Israel passaram na terra de Canaã que tinham ido espiar) por não


Vítor Quinta                                                                                              86
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

questão do tempo de um Jubileu, 50 anos que nos é dado como mandamento em
Levítico 25, pelo que é fácil estabelecer a relação entre o número dos Jubileus e o
plano de 6.000 anos antes da vinda do Rei Yeshua: 6.000 : 50 = 120, ou seja o
tempo do governo do homem sobre a Terra. Desde os tempos antigos que o homem
reconheceu na Palavra de Deus o número dos Jubileus que decorreriam até à vinda
do Rei Yeshua: 120 Jubileus.

Já antes vimos também a importância do ano 2017. Esta abordagem acaba também
por apontar para 2017 como um ano chave em toda a profecia bíblica. Vamos agora
procurar compreender a profecia das 70 semanas de Daniel na perspectiva dos dias
do fim, aqueles que estamos a viver hoje.

Como já antes vimos, tomamos o ano de 1947 como ponto de partida para esta
contagem, ano em que saiu a ordem da ONU para a restauração de uma pátria para
os judeus, na Palestina, como nos é ensinado na profecia de Daniel 9:25 (“Sabe e
entende: desde a saída da ordem para restaurar”). Por outro lado, temos o sinal mais
recente da contagem dos Jubileus nos nossos dias. Quando? Quando vimos
cumprida a profecia dos 2.520 anos56 terminar em 1917, quando a terra de Israel e a
santa cidade de Jerusalém foram libertadas do jugo de 400 anos do Império
Otomano. Temos assim a forma de retomar a contagem dos anos de Jubileu a partir
daquela data:

                 1917        A terra de Israel e Jerusalém são libertadas
                 + 50        Período de um Jubileu
                 1967        Guerra dos Seis Dias: nova libertação de Jerusalém
                 + 50        Período de um Jubileu
                 2017        Próximo Jubileu e ano expectável da restituição

O ano de 1967 passou a ser o marco de referência mais próximo, como aquele em
que Israel voltou a dominar toda a terra que lhe tinha sido atribuída, pois até ali não
dominavam inteiramente a cidade de Jerusalém – a parte oriental de Jerusalém tinha
voltado a estar na mão dos seus inimigos, os Jordanos. 2017 poderá, assim, ser o
ano do último Jubileu do Senhor (o 120º), aquele em que O Rei Yeshua irá voltar
com toda a glória para pôr fim a uma guerra tremenda e avassaladora e interromper
o ciclo infernal de destruição causado pelo governo tirano e diabólico do último anti-
Cristo, o “novo Nimrod”? Pensamos que sim, pela compreensão dos marcos
históricos que assinalamos nos diagramas57 que se seguem:




acreditarem na Palavra de YHWH que os havia livrado da escravidão do Egipto com mão forte. Como
esses varões mostraram recear mais os homens (altos) daquela terra do que em mostrar confiança na
promessa de Deus, YHWH castigou esta geração com a sua permanência no deserto por mais 40
anos (30 anos de vida + 40 no deserto = tempo de uma geração, 70 anos) fazendo que não entrassem
na terra que havia prometido aos patriarcas.
56
   Judá foi castigado 7 vezes mais: 360 dias/anosx7=2.520 anos
57
   Alguns dos diagramas inseridos neste trabalho foram retirados de uma apresentação do “YouTube”,
de resto um excelente trabalho dividido em 12 partes e que se pode ver em “Torah Restoration
Ministries: http://www.youtube.com/watch?v=S1bkB1nShSU&feature=related




Vítor Quinta                                                                                   87
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




          1947                                                                           2017

                                          70 anos (última geração)                            Início do
                                                                                                      58
                                                                                              Milénio
                                                                                       2016
                                             69 anos


                                62 anos                              7 anos


                                                 2009    2010

                                                          3,5 anos          3,5 anos

                                                                     2013



Esta abordagem confirma a que antes analisamos na perspectiva da primeira vinda
do Messias. Agora, estamos mesmo a viver nos “dias do fim” que aponta para a Sua
segunda vinda.

Que “testemunhas” é que podemos encontrar na Bíblia que nos dêem segurança
quanto à concretização do plano de Deus para estes anos próximos? Na realidade,
muitas, de entre as quais destacamos:

      •   A contagem final do governo do homem sobre a Terra (completam-se os 6.000
          anos equivalentes aos 6 dias da Criação).

      •   Completa-se em 2017 o tempo de vida de uma geração, a geração que
          assistirá aos sinais do fim dos dias, como nos anunciou O Senhor Yeshua que
          “não passará esta geração [ou a geração destes sinais] sem que tudo seja
          cumprido”, sendo o “sinal” mais marcante o da restauração da nação de Israel
          em 1947/48 – a figueira da analogia dada por Yeshua em Mateus 24:32-33.

      •   As coisas antigas anunciam o futuro, os dias de hoje, como foi profetizado
          pelo profeta Daniel acerca das 70 semanas.

      •   O ano de 1947 (ano em que saiu a ordem para restaurar a nação de Israel, a
          que acresce o tempo da última geração antes da vinda do Cristo), e o de 1967
          (a reunificação da cidade de Jerusalém, como marco de um Jubileu, a que
          acresce o tempo de mais um Jubileu); ambos os anos são referenciais dados
          por Deus na Sua Palavra para anunciar a vinda gloriosa do Filho. Estas duas
          referências estão ligadas à parábola de Yeshua sobre a figueira que é Israel.

      •   E, não menos importante: o significado das Solenidades do Outono: a Festa
          das Trombetas, o Dia da Expiação, a Festa dos Tabernáculos que temos
          vivido como sombras de coisas futuras, mas que serão realidade na vinda do

58
     Sábado milenar; repouso; Shavuot (alegria do Meu povo)


Vítor Quinta                                                                                               88
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        Cristo. Já o 8º Grande Dia aponta para a eternidade, depois de todos os
        inimigos terem sido destruídos e do reino ter sido entregue ao Pai.

Coincidências? Não acreditamos em coincidências, mas sim na Palavra do Senhor e
nas revelações que Ele nos vai dando através do Seu Espírito Santo. Vamos ver
outras “coincidências” que nos ensinam que no plano de Deus não há coincidências,
mas sim a manifestação da Sua vontade soberana:


                                                                  1947: sai a ordem
                                                                  para a restauração
                                                                  da nação de Israel                2017

                                                                                  70 anos

                                         Ano 70 d.C.:
                                         Destruição do
                                           Templo

                                                                  1947 anos
         Concepção de
         Abraão: ano de
           1947 a.C.
                             2017 anos




Ao passarmos agora à contagem da última semana de anos, a 70ª, já não podemos
fazer a contagem em anos, mas sim em dias, para assim podermos entender as
profecias para os dias do fim. Olhemos agora em maior detalhe para a segunda
metade da 70ª semana e enquadremos os períodos proféticos que nos são revelados
em Daniel e Apocalipse:

        2013                                                                                        2017
                                                                                   2016
           Altar                   1.335 dias (Daniel 12:12)                                          Festa;
                                                                                                      Reunião;
                                                                                                      Casamtº.
           Abom.
           Desol.                  1.290 dias (Daniel 12:11)                              45 dias

           30 dias                 1.260 dias (Apocalipse 12:6)                        Sol e Lua
                                                                                       escurecem;
                        Fuga da “mulher”; as “Duas Testemunhas” (Apoc.11:3-4)          Sinal de
                                                                                       Yeshua
               Início do período                                               Fim do período
                   da grande                                                     da grande
                   tribulação                                                    tribulação



À luz da Palavra de Deus, vamos procurar compreender somente alguns pormenores
deste quadro, considerando que a Palavra do Senhor não se contradiz, antes se
harmoniza, ligando-os com o que nos é ensinado em Daniel 12:10 acerca destes
dias: “Muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados; mas os ímpios
procederão impiamente, e nenhum dos ímpios entenderá, mas os sábios
entenderão”.



Vítor Quinta                                                                                               89
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)



    •   Sobre a “abominação desoladora” em Daniel 11:31 – “E braços serão
        colocados sobre ele, que profanarão o santuário e a fortaleza, e tirarão o
        sacrifício contínuo, estabelecendo abominação desoladora”. Para que
        este acto abominável de desolação venha a ocorrer no meio da 70ª semana, é
        necessário que o Templo já esteja a funcionar com os seus sacrifícios, o que
        terá de acontecer na primeira metade da 70ª semana profética de Daniel.

    •   Daniel 9:27 – “E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na
        metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das
        abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está
        determinado será derramado sobre o assolador”.

    •   Daniel 12:11-12 – “E desde o tempo em que o sacrifício contínuo for
        tirado, e posta a abominação desoladora, haverá mil duzentos e noventa
        dias. Bem-aventurado o que espera e chega até mil trezentos e trinta e
        cinco dias”.

    Continuemos:

    •   A fuga: Mateus 24:15-16; 20-21 – “Quando, pois, virdes que a abominação
        da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê,
        atenda; então, os que estiverem na Judeia, fujam para os montes…E orai
        para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado; porque
        haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do
        mundo até agora, nem tampouco há de haver”.

    •   Apocalipse 12:6 – “E a mulher [a Israel de Deus] fugiu para o deserto,
        onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada
        durante mil duzentos e sessenta dias”…o dragão fará guerra contra o
        remanescente da mulher (a Israel de Deus), “os que guardam os
        mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo”, como nos
        diz no versículo 17. Este é verdadeiramente o tempo da grande tribulação dos
        “dias do fim”.

    •   Apocalipse 11:3-4 – “E darei poder às minhas duas testemunhas, e
        profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de saco. Estas
        são as duas oliveiras e os dois castiçais que estão diante do Deus da
        terra”. Esta passagem fala-nos de forma muito clara sobre as duas
        testemunhas ou as duas oliveiras: a Casa de Israel (Efraim) e a Casa de Judá,
        das quais, nestes dias, sairão 12.000 testemunhas de cada tribo (com
        excepção dos da tribo de Dan), formando os 144.000 fiéis de que nos fala
        Apocalipse 14.

    •   Mateus 24:29-31 – “E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol
        escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as
        potências dos céus serão abaladas. Então aparecerá no céu o sinal do
        Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho
        do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E
        ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais


Vítor Quinta                                                                      90
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

         ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra
         extremidade dos céus”.

Muitos e grandes sinais ocorrerão nos últimos 45 dias assinalados no quadro
anterior. Sabemos que o sol e a lua escurecerão e as potências dos céus serão
abaladas. Aparecerá então no céu o sinal da vinda do Filho do homem. No
encerramento deste período de 45 dias, ocorrerá a vinda gloriosa do Rei Yeshua, O
Deus de toda a Terra de que nos fala Isaías 54:5. Neste dia serão ainda cumpridas
mais três profecias:

      1. O povo de Judá que ainda hoje não reconhece O seu Messias de há 2.000
         anos, olhará para Aquele a Quem trespassaram e chorarão e prantearão
         como se pranteia pelo filho unigénito (Zacarias 12:10-14).

      2. Dos homens que restarem sobre a terra (somente restará uma terça parte – o
         que nos dá para perceber até onde será levada a destruição e morte destes
         dias), aceitarão, finalmente, o seu Deus, e Deus aceitará o Seu povo: Zacarias
         13:8-9 – “E acontecerá em toda a terra, diz YHWH, que as duas partes
         dela serão extirpadas, e expirarão; mas a terceira parte restará nela. E
         farei passar esta terceira parte pelo fogo, e a purificarei, como se purifica
         a prata, e a provarei, como se prova o ouro. Ela invocará o meu nome, e
         eu a ouvirei; direi: É meu povo; e ela dirá: YHWH é o meu Deus”.

      3. Será também no Dia da vinda gloriosa de Yeshua (em plena batalha do
         Armagedão) que ocorrerá a primeira ressurreição dos justos, respondendo ao
         Seu chamamento, onde quer que estejam, ainda que estejam na sua
         sepultura milenar ou tenham morrido no mar. Dia glorioso será este.



4.4             “Daquele dia e hora…” – Mateus 24:36; Marcos 13:32

Ao longo de muitos e muitos anos, a grande maioria dos movimentos evangélicos
vêm ensinando que o homem não tem capacidade para discernir qual o dia e a hora
da segunda vinda do Rei Yeshua, nem tal capacidade lhe foi dada pelo próprio Deus.
Mas, será que essa é a interpretação correcta das palavras de Yeshua? É o que
vamos tentar analisar neste capítulo.

Na realidade, este mistério esteve oculto durante muito tempo, mas foi sempre
intenção de Deus dar aos Seus filhos um conhecimento completo da Sua Verdade e
Palavra, o que vem fazendo gradualmente ao longo dos séculos. Por isso Ele diz que
este conhecimento esteve “selado” até aos tempos do fim: Daniel 12:9-10 – “E ele
disse: Vai, Daniel, porque estas palavras estão fechadas e seladas até ao tempo
do fim. Muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados; mas os
ímpios procederão impiamente, e nenhum dos ímpios entenderá, mas os
sábios entenderão”.

Esta é uma questão muito pertinente, sobretudo para os crentes que estão a viver os
“dias do fim” e vêem na ocorrência dos sinais anunciados a eminente vinda do Cristo
como Rei e Senhor Absoluto sobre todas as nações da Terra. Quando usamos a



Vítor Quinta                                                                        91
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

palavra eminente não estamos a apontar para os próximos dias, mas sim para os
próximos anos, tão cedo seja cumprida a última semana de anos, como de resto já
procurámos demonstrar nos capítulos e subcapítulos precedentes, pois sabemos que
algumas profecias do fim ainda terão que acontecer antes que venha o grande e
terrível “dia do Senhor” de que nos falam os profetas, bem como Yeshua e os Seus
apóstolos.

Vamos começar por analisar o contexto em que Yeshua pronunciou aquelas palavras
(“Daquele dia e hora…”), para então podermos determinar se Ele estaria a falar do
dia da Sua segunda vinda.

Contextualização e enquadramento hebraicos e análise bíblica desta expressão:

    •   Pela passagem que está em Mateus 24:29-36 compreendemos que a vinda do
        Senhor ocorrerá após a grande tribulação dos “dias do fim”, i.e. no final da
        segunda metade da 70ª semana profética de que nos fala Daniel 9:24-27 (no
        final dos últimos 3,5 anos) e que, se esses dias não fossem abreviados,
        nenhuma carne se salvaria.

    •   Mais, sabemos ainda que a Sua vinda gloriosa obedecerá a um calendário
        definido pelo próprio Deus, que será executado ao minuto, com os tempos
        (dias) acima indicados nas profecias e reflectidos nos esquemas anteriores, e
        que ela ocorrerá: i) no decurso da Batalha de Armagedão, ii) 1.335 dias após
        o sinal da profanação do novo Templo em Jerusalém, quando ali for
        manifestada a abominação da desolação conforme Yeshua falou em Mateus
        24:15 referindo-se à profecia de Daniel, e iii) que virá num ano de Jubileu,
        mais precisamente no Dia das Trombetas desse ano, Tishri 1, na Festa da Lua
        Nova, quando a 7ª e última trombeta soar no primeiro dia do 7º mês, numa
        íntima ligação ao cumprimento das Solenidades Santas de YHWH e ao Seu
        calendário.

    •   Sabemos ainda que a vinda gloriosa de Yeshua, O Rei, ocorrerá no tempo de
        vida da geração dos sinais que marcam a Sua vinda: i) desde o dia em que
        saiu a ordem para o restabelecimento do Estado de Israel na Palestina, dada
        em 29.Nov.1947, ii) o restabelecimento efectivo da nação de Israel em Maio
        de 1948 e, iii) após a reunificação da cidade de Jerusalém ocorrida em Junho
        de 1967 no decurso da Guerra dos Seis Dias.

    •   Vemos assim, sem margem para dúvidas, que à figueira (Israel) que Yeshua
        havia secado porque não dava frutos (Mateus 21:19-20), Ele mesmo já lhe fez
        brotar folhas e tornou os seus ramos tenros, como podemos comprovar pela
        muito recente criação do Estado de Israel. Nós somos testemunhas destes
        acontecimentos, por isso, de acordo com a Sua palavra, sabemos que Ele
        está às portas e que não passará esta geração (70 anos – Salmo 90:10) sem
        que Ele venha.

    •   Outra coisa sabemos ainda através do entendimento das Solenidades anuais
        de YHWH: que a data e hora exacta do aparecimento da Lua Nova que marca
        o início de um novo ano e de um novo mês, e do reconhecimento do Dia das
        Trombetas, como nos diz em Salmo 81:3 – “Tocai a trombeta na lua nova,


Vítor Quinta                                                                      92
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        no tempo apontado da nossa solenidade” só é determinado pelo próprio
        Deus YHWH quando Ele faz aparecer cada uma das Luas Novas que marcam
        o início de cada mês. Além disso, de entre as 7 Solenidades anuais de YHWH,
        este dia é o único que é marcado pelo aparecimento da Lua Nova. A trombeta
        (“shofar”) era sempre tocada em cada mês, após o avistamento da Lua Nova,
        e quando algumas testemunhas testificavam o seu avistamento. Por isso
        mesmo, nenhum homem sabe quando deve soar a trombeta até que a Lua
        Nova seja avistada (“daquele dia e hora ninguém sabe”). O mesmo irá ocorrer
        no toque da última trombeta, a 7ª (1.Coríntios 15:51-58; Apocalipse 11:15-19).

    •   Ora, o ciclo lunar revela que existem entre 2 a 3 dias em que a Lua não está
        visível e, até que seja avistada a estreita fasquia que marca o seu
        aparecimento no céu, não se pode considerar que se tenha verificado o início
        de um novo ciclo lunar e, por isso mesmo, de um novo mês. É deste momento
        (dia e hora do aparecimento da Lua Nova) que Yeshua falava, pois esse
        momento é sempre determinado por YHWH de acordo com o Seu calendário,
        pois nem O Filho sabia quando a Lua Nova se tornava visível até que duas ou
        mais testemunhas o pudessem confirmar. Este tema é aprofundado em
        grande detalhe no trabalho sobre “O Calendário Divino”, de Rui Quinta, em
        www.kol-shofar.org.

    •   O Senhor Yeshua tem estas palavras para os fariseus que o questionavam:
        “Hipócritas, sabeis discernir a face do céu, e não conheceis os sinais
        dos tempos?” – Mateus 16:3b. E nós? Também estaremos como estavam os
        responsáveis religiosos daquela época? Ou somos antes avisados e instruídos
        sobre estes tempos pela Palavra de Deus? Ler também Lucas 12:54-56.

    •   Não nos é dito também que O Senhor dá a conhecer toda a Sua vontade aos
        Seus servos, os profetas e estes a anunciam ao povo, antes que as coisas
        aconteçam – Amós 3:7? Assim é também.

    •   Por isso nos é dito em Apocalipse 22:6-7 – “E disse-me: Estas palavras são
        fiéis e verdadeiras; e o Senhor, o Deus dos santos profetas, enviou o seu
        anjo, para mostrar aos seus servos as coisas que em breve hão de
        acontecer. Eis que presto venho: Bem-aventurado aquele que guarda as
        palavras da profecia deste livro”.

    •   Diz-nos ainda em Deuteronómio 29:29 – “As coisas encobertas pertencem
        a YHWH nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a
        nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta
        lei”. Desde tempos antigos, YHWH foi gradualmente revelando aos fiéis todo
        o Seu plano de salvação e sinais, centrados no Seu Filho Yeshua (MarYah) e
        em todos os acontecimentos profetizados pelos Seus servos – os profetas. E
        porque razão dizemos que Ele o tem revelado de forma gradual? Porque
        mesmo ao mui amado servo Daniel Ele não revelou tudo sobre os “dias do fim”
        – Daniel 12:8-9, dizendo-lhe que aquelas “palavras estão fechadas e seladas
        até ao tempo do fim”, altura em que, por meio do Espírito Santo Ele as
        revelaria aos sábios e entendidos. Estas palavras “estiveram fechadas e
        seladas”. Porém, com a vinda próxima de Yeshua já não o estão.




Vítor Quinta                                                                       93
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




    •   O que está bem claro em João 14:26 – “Mas aquele Consolador, o Espírito
        Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as
        coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito”, palavras depois
        confirmadas em João 16:13 – “Mas, quando vier aquele Espírito de
        verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si
        mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de
        vir”.

    •   Agora atentemos no que Paulo nos diz em 1.Tessalonicenses 5:1-5 – “Mas,
        irmãos, acerca dos tempos e das estações [“Moedim”: Solenidades de
        YHWH], não necessitais de que se vos escreva [Porquê? Porque eles
        conheciam e guardavam todas as Solenidades nos dias apontados por
        YHWH conforme a Levítico 23]; porque vós mesmos sabeis muito bem
        que o dia do Senhor virá como o ladrão de noite [Para quem? Não para
        os fiéis mas para os incautos e ignorantes]; pois que, quando disserem:
        Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as
        dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão.
        Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos
        surpreenda como um ladrão; porque todos vós sois filhos da luz e filhos
        do dia [filhos do conhecimento e da Verdade revelada pelo Espírito
        Santo]; nós não somos da noite nem das trevas”. Ainda restam quaisquer
        dúvidas? Quais serão aqueles a quem a vinda do Rei apanhará de surpresa?
        Será aos filhos da luz ou aos que andam em trevas? Ora, se já não estamos
        em trevas no conhecimento da Verdade de Deus e da vinda gloriosa do Seu
        Filho, Senhor Yeshua, Rei eterno, prossigamos em aprofundá-la e fazê-la
        conhecer aos que ainda não viram esta Luz.

    •   Após estes esclarecimentos e contextualização hebraica, voltemos a ler, de
        novo, as palavras de Yeshua em Mateus 24:35-36 – “O céu e a terra
        passarão, mas as minhas palavras não hão de passar. Mas daquele dia e
        hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai”. Se
        atentarmos nas palavras de Yeshua que lemos? Vejamos: “O céu e a terra
        passarão”! De acordo com as profecias bíblicas, o céu e a terra só passarão
        no fim do milénio do Reino de Yeshua e, após O Rei ter destruído todos os
        Seus inimigos, e Ele entregar o Seu Reino ao Pai, para que só então sejam
        apresentados os novos céus e a nova Terra, pois Ele fará novas todas as
        coisas: Isaías 65:17; 2.Pedro 3:13; Apocalipse 21:5. Começa então a fazer-se
        luz! Ou seja, os actuais céus e a actual Terra só desaparecerão quando
        YHWH criar e apresentar os novos céus e a nova Terra, i.e. depois do Reino
        Milenar de Yeshua e depois de todos os inimigos terem sido destruídos,
        incluindo Satanás e os restantes anjos rebeldes. Podemos então compreender
        com segurança que Yeshua nos estava a falar do tempo em que o céu e a
        terra hão-de passar e não do tempo da Sua segunda vinda (em breve)! É
        acerca desse tempo depois do Milénio que nem O Filho (enquanto Homem)
        nem os anjos do céu sabiam (ou sabem) quando ocorrerá. Somente O Pai
        sabe quando será. Mas tal ocorrerá sempre após o Milénio do Reino de
        Yeshua sobre as nações da Terra.




Vítor Quinta                                                                     94
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




    •   Quanto aos dias que hão-de preceder a Sua segunda vinda serão como nos
        dias de Noé, como nos diz em Mateus 24:37-42, em que as pessoas cuidarão
        das suas vidas de forma rotineira sem atentarem para os sinais dos castigos
        que sobre eles hão-de vir. Será também um tempo de grande e total apostasia
        e maldade. Por isso, os que andam em trevas serão levados (perecerão),
        como nos é ensinado no versículo 39, quando diz que “veio o dilúvio e os
        levou a todos”. Mas, para os fiéis que andam na presença de YHWH com
        sinceridade, obediência à Sua Lei/Torá e fé/confiança nas palavras do Mestre,
        esses não serão “levados”, i.e. não perecerão, porque até os que já desceram
        à sepultura têm o seu nome no Livro da Vida (disse Yeshua: “ainda que
        estejam mortos, viverão”). Isto é o que O Senhor Yeshua também nos ensina
        na parábola da colheita e nos é comprovado pelas palavras de Provérbios
        10:30-31: “os justos nunca serão removidos”, o que, em si mesmo, contraria a
        hipótese defendida por muitos de um “arrebatamento da igreja” antes da
        “grande tribulação” do fim dos tempos.

    •   Em Mateus 24:42-44 é-nos dito ainda: “Vigiai, pois, porque não sabeis a
        que hora há de vir o vosso Senhor. Mas considerai isto: se o pai de
        família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não
        deixaria minar a sua casa. Por isso, estai vós apercebidos também;
        porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis”. Devemos
        agora colocar em paralelo a questão da “vigília da noite” com a vinda do Filho
        do Homem, ou o aparecimento da Lua Nova, que nenhum homem sabe
        quando se mostra no céu. Só Deus, pois é um sinal de Deus e que Ele deu ao
        homem para marcação das Suas estações (“moedim” – Solenidades). É este
        aparecimento da Lua Nova que irá determinar, naquele dia, o soar da 7ª
        trombeta, no Dia das Trombetas. Por isso Israel vem reservando um espaço
        de dois dias para a celebração desta Solenidade, não vá o céu estar
        encoberto por nuvens e a Lua não poder ser avistada no seu novo ciclo. Por
        isso há um espaço de 2 a 3 dias em que a Lua Nova se pode mostrar:
        Apocalipse 3:3b – “E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não
        saberás a que hora sobre ti virei”.

    •   Queremos ainda salientar que, de acordo com os registos da NASA e segundo
        o actual calendário de Israel, o farisaico, estão previstos 3 eclipses no sol e na
        lua no ano 2016: 1) do sol em 1 de Setembro, 2) da lua em 16 de Setembro e
        3) do sol em 2 de Outubro (no dia anterior à Festa das Trombetas conforme
        àquele calendário), o qual deverá ocorrer entre 3 e 4 de Outubro (cá estão as
        48 horas referentes à ocultação da Lua neste ciclo), sinais que também
        deverão ser levados em conta – Mateus 24:29-31: “sinais no sol e na lua”.

Depois de todas estas considerações podemos perguntar: “Devemos estar
apercebidos e saber quando O Cristo virá segunda vez”? A resposta é sim! Se
vigiarmos, não devemos ser surpreendidos como os demais que serão apanhados de
surpresa. Ele virá como o ladrão, de noite (como a Lua Nova), mas não surpreenderá
os que esperam a Sua vinda ao tempo por Ele apontado.




Vítor Quinta                                                                           95
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


A título de curiosidade somente, muitos ao longo de séculos quiseram ser enterrados
às portas de Jerusalém, nos cemitérios encostados à Porta do Oriente (Porta
Dourada) e em todo o Monte das Oliveiras, locais que estão próximos do local onde
Yeshua porá os Seus pés quando regressar como Rei Eterno – Zacarias 14:4 – “E
naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte
de Jerusalém para o oriente; e o monte das Oliveiras será fendido pelo meio,
para o oriente e para o ocidente, e haverá um vale muito grande; e metade do
monte se apartará para o norte, e a outra metade dele para o sul”, locais que
serão consagrados a YHWH como nos é ensinado em Jeremias 31:40. A Porta do
Oriente que foi mandada fechar há largos séculos pelos dominadores árabes de
Jerusalém, com receio que a profecia se cumprisse no seu tempo, será aquela por
onde Yeshua entrará de forma triunfal. Ver foto seguinte:




4.5             O anti-Cristo, a besta, a grande Babilónia do tempo do fim

Várias foram já as referências feitas a respeito deste personagem do tempo do fim ao
longo deste trabalho, não esquecendo os muitos homens que ao longo da História da
humanidade também se revelaram como sendo anti-Cristos (e.g. Nero, Hitler,…).
Porém, este em particular, o que se há-de manifestar nos “dias do fim”, assumirá um
papel e um poder tal que nenhum outro teve ao longo da História da humanidade.
Ora, se Hitler foi a personagem que todos conhecemos e que deu origem à maior
guerra e destruição que o homem alguma vez travou em toda a História da
humanidade até aos dias de hoje, tendo perseguido, matado e destruído nações
inteiras e levando a guerra a vários continentes, imagine-se que papel irá
desempenhar o “filho da perdição” que está para ser revelado ao mundo nestes anos
próximos. Portanto, iremos agora falar daquele que virá nos “dias do fim”.

O apóstolo João fala deste homem em várias passagens: 1.João 2:22; 4:3; 2.João
2:7. Este espírito do anti-Cristo (de oposição e rebeldia) já estava presente na igreja
dos primeiros séculos e a sua presença é ainda hoje patente pela distorção da
Verdade que foi manifestada desde então, induzindo ainda hoje multidões para o
erro.




Vítor Quinta                                                                        96
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Embora somente a passagem que se encontra em 1.João 2:18 – “Filhinhos, é já a
última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se
têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora” faça uma
referência expressa à figura do anti-Cristo dos tempos do fim (precisamente os
tempos que estamos a viver), muitas outras passagens bíblicas o mencionam sob
outros nomes ou formas ou características.

Vamos analisar algumas dessas passagens para podermos compreender e identificar
essa figura que há-de ser revelada por estes dias, mas que já está no mundo.
Notemos contudo que quando ele se apresentar como um homem capaz de resolver
os sérios problemas em que o mundo vive, ele virá falando de paz. Depois, à medida
que for sendo aceite por muitos e contestado por alguns (muitos no fim hão-de
mover-lhe guerra – ler Daniel 11:40-45), ele irá endurecendo a sua posição de
domínio, revelando a sua verdadeira face, e então, desencadeará acontecimentos
terríveis para o mundo, envolvendo destruição e morte…morte para muitos milhões
de pessoas.

Relembremos a este respeito o que nos é dito em Zacarias 13:8-9 – “E acontecerá
em toda a terra, diz YHWH, que as duas partes dela serão extirpadas, e
expirarão; mas a terceira parte restará nela. E farei passar esta terceira parte
pelo fogo, e a purificarei, como se purifica a prata, e a provarei, como se prova
o ouro. Ela invocará o meu nome, e eu a ouvirei; direi: É meu povo; e ela dirá:
YHWH é o meu Deus”. Alguém é hoje capaz de imaginar o quanto a humanidade
será castigada ao ponto de perecerem duas terças partes do seu número? Por estes
anos mais próximos a humanidade terá ultrapassado 7 mil milhões de almas. Ora,
2/3 de 7 biliões de pessoas são cerca de 4,7 mil milhões!!! O início desse terrível
período de 3,5 anos (42 meses) coincidirá com a profanação do futuro Templo em
Jerusalém e “a abominação da desolação” de que nos fala Daniel e Yeshua. Este
será o tempo de angústia como o mundo nunca antes viveu nem voltará a viver.

Há também quem entenda que a passagem de Zacarias acima transcrita se refere
somente à população da terra de Israel. Porém não partilhamos esse ponto de vista,
porquanto basta considerar que só o exército de duas centenas de milhões de
homens que irão contra Israel perecerá nos montes à volta de Jerusalém no decurso
da Guerra do Armagedão, já não falando no resultado terrível que advirá das nações
virem a usar noutras zonas do globo as mais mortíferas armas que o homem alguma
vez inventou (lembremos: “o Sol se escurecerá e a Lua não dará a sua luz” – Mateus
24:29, como resultado da atmosfera terrestre ficar completamente obscurecida pelo
rebentamento dessas armas - energia nuclear, etc.).

Mesmo assim, a nossa imaginação não nos permite antever o quão elevado irão ser
a destruição e morte colectivas que se aproximam, pois o mundo nunca conheceu
nada semelhante, nem na 2ª Guerra Mundial. Atrevemo-nos a dizer que tanto a 1ª
GG como a 2ª GG foram meros ensaios para a batalha final que acontecerá na
geração que testemunhou o renascimento da nação de Israel em 1947/8, a mesma
que Yeshua aponta que será a última antes da Sua vinda como Rei. Lembremos
ainda que Ele virá com ira e com vingança e com fogo, como nos diz em 2.Pedro 3:7
– “Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam
como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos


Vítor Quinta                                                                    97
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

homens ímpios”. Não nos deixemos enganar com as palavras do falso profetismo
que Deus perdoará tudo.

Apesar da destruição, seguir-se-á o tempo da restauração e restituição de todas as
coisas, submetendo tudo ao governo de Yeshua durante mil anos. Os que
sobreviverem à destruição do tempo do fim estarão em condições de ver a profunda
diferença entre um governo de ódio e destruição e um governo de amor e paz, em
que tudo será restaurado, como era suposto o homem ter vivido se andasse em
obediência em todos os preceitos de YHWH, porque daí lhe teria advindo toda a
sorte de bénçãos.

Apesar de, muitas vezes, a Palavra de Deus se referir a impérios humanos sob
certas figuras de animais (bestas), como o que nos é descrito nas visões reveladas a
Daniel (e.g. Daniel 7:7) é sobretudo a revelação de Yeshua, O Cristo (Apocalipse)
que nos fala da besta que tem governado o mundo e que emergiu mais recentemente
nos últimos tempos com grande poder, poder esse que lhe irá ser conferido por
Satanás – Apocalipse 13:1-8 – “E eu pus-me sobre a areia do mar [povos da
Terra], e vi subir do mar uma besta que tinha sete cabeças e dez chifres, e
sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças um nome de
blasfémia. E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os
de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão [Satanás] deu-lhe o seu
poder, e o seu trono, e grande poderio [esta besta retém o poder de 3 dos 4
animais da visão de Daniel e é ela própria o 4º animal que despedaça tudo]. E vi
uma das suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e
toda a terra se maravilhou após a besta. E adoraram o dragão que deu à besta o
seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem
poderá batalhar contra ela? E foi-lhe dada uma boca, para proferir grandes
coisas e blasfémias; e deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses
[3,5 anos, corresponde à segunda metade da profecia de Daniel da 70ª semana,
a que precede a vinda de Cristo]. E abriu a sua boca em blasfémias contra
Deus, para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no
céu. E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos [de novo], e vencê-los; e deu-
se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação. E adoraram-na todos os que
habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do
Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo”.

Uma das características deste quarto animal (besta) é-nos dada pela profecia de
Daniel 7:7-8 que, na visão, viu que ele tinha dez chifres (reinos, aliança de nações)
de entre os quais saiu uma ponta pequena, mas que se fez grande, tendo arrancado
três daqueles dez chifres e obtendo poder para falar “grandes coisas”, i.e. falar
palavras iníquas contra O Altíssimo. Esta é a representação do poder do homem
ímpio (sem lei) do tempo do fim, o anti-Cristo, que se levantará para fazer guerra aos
santos, vencendo-os, e para tentar destruir Israel. Porém, O Rei vindouro, Yeshua,
destrui-lo-á, como nos diz no verso 11: “Então estive olhando, por causa da voz
das grandes palavras que o chifre proferia; estive olhando até que o animal foi
morto, e o seu corpo desfeito, e entregue para ser queimado pelo fogo”. Uma
vez que Satanás (que vai dar a sua força e poder a este homem do pecado) irá ser
preso na vinda de Yeshua, então, também o homem do pecado será aniquilado pelo
sopro da boca do Altíssimo, como nos diz em 2.Tessaloniocenses 2:8.



Vítor Quinta                                                                       98
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Esta será a época em que será atingido o clímax da maior batalha terrena e também
espiritual. Esta será a batalha em que cada uma das partes não olharão a meios para
destruir a outra, pelo que, face à capacidade destruidora dos arsenais militares
actuais, fácil é compreender o cortejo de horrores que dali virão. Leiamos o que nos é
ensinado em Daniel 11:40-45 – “E, no fim do tempo, o rei do sul lutará com ele, e
o rei do norte se levantará contra ele com carros, e com cavaleiros, e com
muitos navios; e entrará nas suas terras e as inundará, e passará. E entrará na
terra gloriosa, e muitos países cairão, mas da sua mão escaparão estes: Edom
e Moabe, e os chefes dos filhos de Amom. E estenderá a sua mão contra os
países, e a terra do Egipto não escapará. E apoderar-se-á dos tesouros de ouro
e de prata e de todas as coisas preciosas do Egipto; e os líbios e os etíopes o
seguirão. Mas os rumores do oriente e do norte o espantarão; e sairá com
grande furor, para destruir e extirpar a muitos. E armará as tendas do seu
palácio entre o mar grande e o monte santo e glorioso [alusão à planície de
Armagedão que se situa entre o Mar Mediterrâneo e “O Monte Santo e
Glorioso”, o Monte Moriá, o Monte do Templo em Jerusalém]; mas chegará ao
seu fim, e não haverá quem o socorra”.

Dizemos acima que este será também o clímax da maior batalha espiritual de todos
os tempos. Compreendamos este grande acontecimento futuro através das palavras
de YHWH dadas ao profeta em Daniel 12:1 – “E naquele tempo se levantará
Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo [Israel],
e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até
àquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for
achado escrito no livro [da Vida eterna]”. As hostes espirituais da maldade serão
confrontadas pelo exército dos céus e sairão derrotadas. Os que se acharem
inscritos no Livro da Vida do Cordeiro serão os que lavaram os seus vestidos no
sangue desse Mesmo Cordeiro, andando em obediência à Lei/Torá de Israel (os
mandamentos, os estatutos, os juízos e testemunhos de YHWH). E, tal como diz em
Salmo 19:11b – “em os guardar há grande recompensa”, essa recompensa é a
vida eterna por Cristo Yeshua.

Uma das grandes facilidades tecnológicas que hoje existe em todo o mundo é a
facilidade de comunicação quase instantânea e em directo. Estamos a falar de
modernos meios tecnológicos como a TV via satélite, a Internet, a Rádio e o sistema
de telefonia móvel, que permite que qualquer entidade faça chegar a sua mensagem
a qualquer parte do mundo em breves segundos. Nada disto era possível no
passado. Ora estes meios estão à disposição dos grandes interesses para veicular a
“sua verdade”. Milhões serão enganados e empurrados para a morte, no completo
desconhecimento da verdade. Por culpa sua, pois não cuidaram em conhecer a
Verdade que Yah (O Deus Altíssimo) lhes quis transmitir desde o princípio. Este
tempo será dominado pela mais abjecta mentira, arrastando para o engano milhões
de almas, conduzindo-as para a morte. Até a economia será dominada por este
homem sem escrúpulos (Apocalipse 13:17).

Nestes últimos 3,5 anos (a segunda metade da 70ª semana profética de Daniel 9:24-
27) esse grande poder diabólico irá estar personificado num homem que fará guerra
aos santos do Altíssimo, e que os perseguirá, matando a muitos; esse homem do
pecado ou filho da perdição, é o anti-Cristo do fim.


Vítor Quinta                                                                       99
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Mas, vamos olhar para outras referências que dele nos são dadas na Palavra de
Deus.

O versículo 4, revela-nos que o próprio Satanás (dragão) quererá ser adorado (tal
como pretendeu que Yeshua o adorasse quando ali jejuou durante 40 dias). De resto
ele já hoje tem a sua larga corte de adoradores.

Esse propósito de Satanás será consubstanciado num homem – o que tem o número
666, o iníquo, que será revelado no tempo do fim e que quererá ser como Deus, e
sentar-se no lugar santo para governar a terra desde Jerusalém. Em tudo ele há-de
pretender confundir a humanidade (e há-de enganar multidões de ignorantes e de
pessoas que não quiseram crer na palavra da verdade), querendo assemelhar-se ao
Cristo que virá para reinar.

O próprio Senhor Yeshua nos alertou acerca destes tempos: Mateus 24:15 –
“Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta
Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda” (ver também Apocalipse 13:1-6),
pois este é um dos grandes “sinais” dos últimos dias.

O profeta Daniel chama-o também de assolador: Daniel 9:27 – “E ele firmará
aliança com muitos por uma semana [7 anos]; e na metade da semana fará
cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o
assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado
sobre o assolador”. Este assolador e os que com ele estão serão derrotados pelo
Cordeiro de Deus.

Estes anos correspondem aos anos de que falou Yeshua em Mateus 24:21-22 –
“Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do
mundo até agora, nem tampouco há de haver. E, se aqueles dias não fossem
abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão
abreviados aqueles dias”. Veja-se quão grande aflição virá sobre a humanidade.
Se já hoje o terrorismo cria grande instabilidade no mundo, como não serão aqueles
dias em que haverá grande destruição e mortandade colectivas em escala elevada?

Este homem é também designado como:

      O homem do pecado
      O iníquo
      O filho da perdição

Este é o homem cujo poder lhe será conferido pelo próprio Satanás, e que virá
instituir a apostasia geral do tempo do fim, cujos contornos já hoje podemos ver:
2.Tessalonicenses 2:3-4, 7-12 – “Ninguém de maneira alguma vos engane;
porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o
homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe, e se levanta contra tudo
o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no
templo de Deus, querendo parecer Deus…
Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora resiste até
que do meio seja tirado; e então será revelado o iníquo, a quem o Senhor


Vítor Quinta                                                                  100
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda; a
esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e
prodígios de mentira, e com todo o engano da injustiça para os que perecem,
porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso Deus
lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; para que sejam
julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na
iniquidade”. Eis o aviso de YHWH aos Seus filhos.

Na batalha final que será consumada em Armagedão, nos montes à volta de
Jerusalém, O Deus dos Exércitos revelará aí a Sua mão e o Seu poder sobre todas
as hostes do iníquo, sobre os exércitos que vierem contra a terra de Israel. A
destruição dos que destroem a terra será completa. Os relatos de Ezequiel 38 e 39
dão disso testemunho profético. Este Gog e Magog personificam igualmente todas as
hostes da maldade que se levantarão nos últimos dias e que serão guiados por este
poder satânico contra a terra de Israel. Mas ali encontrarão sepultura.

Vejamos as palavras do Senhor YHWH em Ezequiel 39:7-13 – “E farei conhecido o
meu santo nome [YHWH] no meio do meu povo Israel, e nunca mais deixarei
profanar o meu santo nome; e os gentios saberão que eu sou YHWH, o Santo
em Israel. Eis que vem, e se cumprirá, diz o Senhor YHWH; este é o dia de que
tenho falado. E os habitantes das cidades de Israel sairão, e acenderão o fogo,
e queimarão as armas, e os escudos e as rodelas, com os arcos, e com as
flechas, e com os bastões de mão, e com as lanças; e acenderão fogo com elas
por sete anos. E não trarão lenha do campo, nem a cortarão dos bosques, mas
com as armas acenderão fogo; e roubarão aos que os roubaram, e despojarão
aos que os despojaram, diz o Senhor YHWH. E sucederá que, naquele dia, darei
ali a Gog um lugar de sepultura em Israel, o vale dos que passam ao oriente do
mar; e pararão os que por ele passarem; e ali sepultarão a Gog, e a toda a sua
multidão, e lhe chamarão o vale da multidão de Gog. E a casa de Israel os
enterrará durante sete meses, para purificar a terra. Sim, todo o povo da terra
os enterrará, e será para eles memorável dia em que eu for glorificado, diz o
Senhor YHWH.”

Eis o desfecho final, que será confirmado pelo poder de YHWH dos Exércitos.
Satanás só voltará a ser solto para enganar as nações quando os mil anos do reino
de Cristo se acabarem. Depois seguir-se-á a sua destruição e os que com ele vierem
a estar. Juntamente com ele, no lago de fogo que é a segunda morte, cairão todos os
que não quiseram receber a verdade para se salvarem. Dessa destruição farão parte
a besta que governa a terra e também o falso profeta – Apocalipse 19:20 e 20:10.
Estes serão destruídos por ocasião da segunda vinda gloriosa de Yeshua, enquanto
Satanás e os seus anjos só serão destruídos depois de esgotados os mil anos do
reino de Yeshua, depois de voltarem a enganar as nações nessa altura.

Alguns profetas falam deste homem iníquo como proveniente da Assíria, chegando a
designá-lo como “o assírio”59. O profeta Isaías parece comparar este homem ao
próprio Satanás em todo o capítulo 14, condenando a Assíria e Babilónia/Roma, que

59
  Os islamitas também esperam a vinda do seu “messias”, no tempo do fim, que os estudiosos
muçulmanos apelidam de “Mahdi” (“O Guiado”). Não devemos confundir a extensão do antigo Império
Assírio com a actual Síria, pois a antiga Assíria englobava os povos que hoje estão distribuídos por
países tais como: partes da Turquia, e do Irão e partes da actual Síria/Líbano e Iraque.


Vítor Quinta                                                                                   101
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

Deus promete destruir para sempre, por terem sido a causa de todo o desvio da
verdade e assolação da humanidade. Os filhos do maligno serão destruídos para
sempre.

Eis as características que estão intimamente ligadas à natureza perversa deste
homem cuja força lhe é dada pelo próprio Satanás:
      Tem altivez de olhos (soberba) – Isaías 10:5-15

      A sua aparência/estatura é mais elevada que a dos seus companheiros –
      Daniel 7:8, 20

      Será um “rei”/”presidente” de semblante feroz e dado a adivinhações – Daniel
      8:23-25

      Ele é também chamado de “besta60” em Apocalipse 13, 14, 15, 16, 17, 19 e 20


Outras referências bíblicas e nomes dados a este homem destruidor:

      O Assírio/O Rei da Assíria/O Rei de Babilónia (antiga Assíria que incluía
      Babilónia), O Opressor - Isaías 10:5-15, 13:1-22, 14:24-27, 30:27-33 & 31:4-9

      O Príncipe de Tiro (embora Tiro seja hoje uma cidade libanesa, ela fazia parte
      da antiga Assíria e ainda se encontra dominada pela influência política da
      vizinha Síria e de forças apoiadas pela Síria, tais como o Hezzbolah) – Ezequiel
      28:1-10

      O homem do pecado, filho da perdição – 2.Tessalonicenses 2:3

      O iníquo (“lawlessness”, i.e. sem lei e que se opõe à Lei/Torá de YHWH) –
      2.Tessalonicenses 2:8

      O chifre pequeno que se levantará – Daniel 7 e 8

      Rei do Norte (a Síria situa-se a Norte de Israel – lembremos que o actual
      território sírio fazia parte do grande Império Assírio) – Daniel 11

      O anti-Cristo – 1.João 2:18

Reparemos numa particularidade que nos é ensinada na profecia de Isaías 10:12 –
“Por isso acontecerá que, havendo o Senhor acabado toda a sua obra no
monte Sião e em Jerusalém [a reconstrução do Templo], então castigarei o
fruto da arrogante grandeza do coração do rei da Assíria e a pompa da altivez
dos seus olhos”. Por estas palavras de YHWH vemos que, para que a profecia se
materialize a respeito do anti-Cristo, o qual, conforme nos diz a profecia, se irá sentar
no Templo de Deus querendo parecer Deus (a “abominação da desolação” de que

60
  Grego: Therion (Strong's 2342) – um animal selvagem, besta selvagem, besta, homem brutal,
homem bestial, selvagem ou feroz; Árabe: al-Wahash - a besta...ele é um árabe sírio, inimigo secular
de Israel.



Vítor Quinta                                                                                   102
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

nos fala Daniel e Yeshua), é necessário que o 3º Templo seja construído no Monte
Santo (no Monte do Templo), o que, embora toda a estrutura e artefactos de serviço
de culto já estejam preparados de antemão, tal ainda não sucedeu. Porém, a Palavra
de YHWH não falhará. Tudo se cumprirá em breve e no tempo por Ele determinado.
Estejamos atentos aos próximos acontecimentos.

Este é o homem cujo poder lhe será dado pelo próprio Satanás, e que virá instituir a
apostasia geral do tempo do fim, cujos contornos já hoje podemos ver:
2.Tessalonicenses 2:3-4, 7-12 – “Ninguém de maneira alguma vos engane;
porque não será assim [i.e. Yeshua não virá] sem que antes venha a apostasia,
e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe, e se
levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se
assentará, como Deus, no templo de Deus [atenção a Jerusalém e à
reconstrução do Templo], querendo parecer Deus… Porque já o mistério da
injustiça opera; somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado; e
então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua
boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda; a esse cuja vinda é segundo a
eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira, e com
todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor
da verdade para se salvarem. E por isso Deus lhes enviará a operação do erro,
para que creiam a mentira; para que sejam julgados todos os que não creram a
verdade, antes tiveram prazer na iniquidade”. Eis o aviso de YHWH aos Seus
filhos.

Pelo já exposto, sabemos de forma bastante clara e apoiada biblicamente que, para
além de muitos outros, o anti-Cristo que se revelará no tempo do fim poderá61 ser o
actual dirigente sírio (inimigo tradicional de Israel), o qual congregará também os
restantes povos à volta de Israel para destruir o povo de Deus, numa batalha que é
conhecida pelo nome do local onde será travada: Armagedão (nos montes à volta de
Jerusalém) – ver capítulo separado. Curiosamente (ou talvez não…) o actual
Presidente da Síria chama-se Bashar al-Assad62. Se se pretender saber mais
pormenores acerca deste personagem consulte-se a Internet.

Se quisermos ainda completar a visão do castigo que virá sobre a cidade inimiga do
povo de Israel, Damasco, capital da Síria, leiamos então a profecia da sua próxima
destruição em Isaías 17:1-14. Destas passagens transcrevemos os versos 1 e o 14:
“Peso [castigo] de Damasco. Eis que Damasco será tirada, e já não será cidade,
antes será um montão de ruínas…Ao anoitecer eis que há pavor, mas antes que
amanheça já não existe; esta é a parte daqueles que nos despojam, e a sorte
daqueles que nos saqueiam”. Também poderemos englobar neste castigo a

61
   Dizemos “poderá” por existirem já hoje alguns outros candidatos que reúnem características de
poderem vir a revelar-se como o anti-Cristo do tempo do fim que arrastará o mundo para o caos e
destruição apressada.
62
    Outros nomes habituais: Bashar Al-Asad, Basharu l-Asad, Bashir el-Asad. Nascido a 11 de
Setembro de 1965, na cidade de Damasco-Síria. Damasco: “Dimashq ash-Shām (Ash-Shām) é um
termo árabe para “norte”, ou “terra do norte”. Filho do anterior Presidente Hafez al-Asad, anteriormente
designado por Hafez al-Wahash (cujo significado é “a besta”), a ”Esfinge de Damasco”. Em hebreu,
uma esfinge significa “querubim”. Membro da facção Muçulmana Alawite – uma fragmentação do
Islamismo Shiita, que se dedica a práticas ocultistas e que incorpora o paganismo “cristão”, islamismo,
gnosticismo e também crenças derivadas da antiga religião de Zoroastro (Zaratrusta). Também, a
estatura deste homem é muito mais elevada que a dos seus companheiros.


Vítor Quinta                                                                                       103
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

destruição daquela cidade a quem os homens chamam de “cidade eterna” (uma
tentativa de roubar um atributo que só pertence a Jerusalém): Roma/Vaticano, a
Babilónia espiritual que tem reinado sobre os homens e que tem sido a mãe de toda
a heresia e apostasia das nações. A profecia que fala do castigo desta “grande
prostituta”63 encontra-se em Apocalipse 18:9, 18.

Esta cidade que Deus na Sua infinita sabedoria e presciência há muito condenou,
será castigada até à terra e os nossos olhos testemunharão esse castigo nos dias
que se avinham, como nos é dito em Apocalipse 19:1-3 – “E, depois destas coisas
ouvi no céu como que uma grande voz de uma grande multidão, que dizia:
Aleluia! Salvação, e glória, e honra, e poder pertencem ao Senhor nosso Deus;
porque verdadeiros e justos são os seus juízos, pois julgou a grande prostituta,
que havia corrompido a terra com a sua prostituição, e das mãos dela vingou o
sangue dos seus servos. E outra vez disseram: Aleluia! E a fumaça dela sobe
para todo o sempre”. Roma/Vaticano será em breve castigada até às cinzas.

Mas, Babilónia, a grande, não pode ser somente entendida como estando centrada
no sistema iníquo do Vaticano e da sua corte diabólica de rapina e mentira. O
conceito bíblico da Babilónia espiritual dos tempos do fim é muito mais amplo, pois
abarca todo o sistema corrupto que está instalado em todo o mundo e que foi e é
dominado por um sistema religioso diabólico que tem corrompido e dominado os
governos das nações aos longo dos séculos…por isso a Bíblia nos diz que esta
“grande prostituta” se prostituiu com os reis da terra (dirigentes) e dominou sobre
eles: Apocalipse 17:2, 18 – “Com a qual se prostituíram os reis da terra; e os que
habitam na terra se embebedaram com o vinho da sua prostituição. E a mulher
que viste é a grande cidade que reina sobre os reis da terra”: Roma/Vaticano.

Enquanto Roma será o alvo do castigo divino, Jerusalém (a cidade da paz) estará no
centro de todos os esforços das forças satânicas para a derrubar mas, no final,
depois da assolação que sobre ela virá pelos exércitos que nela entrarão, a sua força
será restaurada pelo Altíssimo. Estes acontecimentos irão ocorrer nos tempos do fim,
particularmente na segunda metade da 70ª semana de anos proféticos de Daniel 9 já
antes falada. Esta última grande batalha é profeticamente apontada como a Batalha
de Armagedão.

Eis o desfecho final, o qual se realizará pelo poder de YHWH dos Exércitos. Satanás
e seus anjos serão presos e só voltarão a ser soltos para enganar as nações quando
os mil anos do reino de Cristo se acabarem. Depois seguir-se-á a sua destruição.
Juntamente com ele e com o falso profeta, no lago de fogo que é a segunda morte,
cairão todos os que não quiseram receber a verdade para se salvarem. Dessa
destruição farão parte a besta que governa a terra e também o falso profeta –
Apocalipse 19:20 e 20:10.

Por último há que realçar que o Capitulo 13 de Apocalipse ao falar-nos de duas
bestas pode dar azo ao seguinte entendimento:


63
  Lembramos que esta “igreja prostituída” está embriagada com o sangue dos santos de YHWH, que
ela perseguiu, roubou e matou, e que está “sentada” (i.e. que tem domínio) sobre os poderes deste
mundo, tanto político como religioso, e…sobre “a besta”, i.e. aquele que se revelará como o anti-Cristo
do tempo do fim (tal como esteve “sentada” sobre o anterior anti-Cristo: Hitler).


Vítor Quinta                                                                                      104
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)



    •   A primeira besta que saiu do mar (nações, povos, tribos e línguas), que fez
        guerra aos santos ao longo de séculos e que ali está apontada com sinais
        claros que a identificam como a “mulher” ou igreja pervertida, a “grande
        prostituta”/Roma.

    •   Enquanto a segunda besta que saiu da terra (do deserto) e que, casada com a
        primeira besta, aponta para o Islão.

Esta interpretação também é aceitável à luz do que está escrito em Apocalipse, pois,
como nos diz em Apocalipse 13:12 – “E exerce todo o poder da primeira besta na
sua presença, e faz que a terra e os que nela habitam adorem a primeira besta,
cuja chaga mortal fora curada”, Ambas as bestas confirmam a sua natureza
diabólica, sendo que a segunda besta (O Islão), pela sua prática e ensino, vem
confirmar o que foi profetizado em 1.João 2:22 – “Quem é o mentiroso, senão
aquele que nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo esse mesmo que nega o
Pai e o Filho”.

Ora, a “grande prostituta”/Roma também cavalga a besta que saiu do deserto (Islão),
os filhos de Esaú/Edom e de Ismael. Estes foram os que, ao longo de todos os
tempos, dividiram a terra que Deus prometeu a Israel. Esta segunda besta que vem
do deserto, são todos os que oram virados para Meca em adoração a uma pedra
negra, a “Caaba”, e não se voltam para Jerusalém em adoração ao Deus vivo.

Lembremos o castigo destes povos às mãos e ao poder do Rei Yeshua quando vier
como vingador do Seu povo, Isaías 63:1 em diante – versos 1 a 4 “Quem é este,
que vem de Edom, de Bozra, com vestes tintas [Yeshua, O Rei]; este que é
glorioso em sua vestidura, que marcha com a sua grande força? Eu, que falo
em justiça, poderoso para salvar. Por que está vermelha a tua vestidura, e as
tuas roupas como as daquele que pisa no lagar [do sangue dos seus
inimigos]? Eu sozinho pisei no lagar, e dos povos ninguém houve comigo; e os
pisei na minha ira, e os esmaguei no meu furor; e o seu sangue salpicou as
minhas vestes, e manchei toda a minha vestidura. Porque o dia da vingança
estava no meu coração; e o ano dos meus remidos é chegado”. Dúvidas?

O Império assírio/caldeu há muito está condenado. Leiamos as palavras que YHWH
nos dá através de Isaías 48:14-16 – “Ajuntai-vos todos vós, e ouvi: Quem, dentre
eles, tem anunciado estas coisas? YHWH o amou [ao Filho Yeshua], e
executará a sua vontade contra Babilónia, e o seu braço será contra os
caldeus. Eu, eu o tenho falado; também já o chamei, e o trarei, e farei próspero
o seu caminho. Chegai-vos a mim, ouvi isto: Não falei em segredo desde o
princípio; desde o tempo em que aquilo se fez eu estava ali, e agora o Senhor
DEUS me enviou a mim [Yeshua, MarYah], e o seu Espírito”.

Jeremias 47:4 fala-nos igualmente da destruição dos filisteus dos nossos dias e dos
seus aliados do Líbano. Também Tiro (que simboliza o Líbano também) será
assolada, pois o seu príncipe sempre foi rebelde contra Deus e contra Israel –
Ezequiel 27. De resto o príncipe de Tiro é profeticamente equiparado a Satanás –
Ezequiel 28:2 – “Filho do homem, dize ao príncipe de Tiro: Assim diz o Senhor
YHWH: Porquanto o teu coração se elevou e disseste: Eu sou Deus, sobre a


Vítor Quinta                                                                    105
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

cadeira de Deus me assento no meio dos mares; e não passas de homem, e
não és Deus, ainda que estimas o teu coração como se fora o coração de
Deus”. Se atentarmos nos jogos políticos desta região nos últimos anos, verificamos
que o actual Presidente Sírio é quem tem dominado Tiro/Líbano.

Ao falarmos de outros possíveis candidatos a serem aquele que será revelado como
“o iníquo”, o “homem do pecado” dos tempos do fim, não poderíamos deixar de referir
o que algumas correntes apontam a um homem “ao qual não tinham dado a
dignidade real”: Carlos de Inglaterra, o Príncipe de Gales.

A favor da tese de que o anti-Cristo dos últimos dias emergiria da União Europeia
(dos resquícios do “Sacro-Santo Império Romano”) ou de um Império Romano
reavivado nestes últimos tempos, apontam alguns estudiosos da Bíblia que tal seria o
cumprimento de algumas profecias, tais como:

      •   Teria que ser um príncipe a quem ainda não foi dado o reino – Daniel 11:21.
      •   Apocalipse 17:11 – oriundo de uma sucessão de reis deste “Sacro-Santo
          Império Romano” (e.g. Carlos Magno). Ele será dos sete, mas ele, em si
          mesmo, será o oitavo.

      •   Ele cavalgará a “besta” – neste caso todo o poder europeu.

      •   Apocalipse 13:2 – ele tomará o poder pelo engano, pela astúcia e será
          semelhante ao leopardo, tendo pés como o de urso e boca como a de um
          leão (lembremos que ele proferirá palavras contra O Altíssimo Deus). O
          dragão (Satanás) dar-lhe-á o seu poder. Reparemos na insígnia ou “cota de
          armas” do Príncipe de Gales e na bandeira do País de Gales; lá veremos
          muitos destes símbolos, incluindo um dragão vermelho:




Como se estes claros símbolos não fossem já por si suficientes (possivelmente não o
serão…), atentemos agora para a estátua feita em honra do Príncipe de Gales e que
se encontra em Palmas, Tocantins, Brasil (Amazónia), que mais não parece do que a
reprodução artista de um diabo alado e que contem a seguinte inscrição: “salvador do
mundo”! Aos pés da estátua está a representação de inúmeros povos (figuras
humanas).




Vítor Quinta                                                                      106
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




Continuemos.

Também o nome de Carlos de Inglaterra, o tal que não recebeu a dignidade real
dado que sua mãe a Rainha de Inglaterra se recusa a abdicar e confessa que
pretende transferir o trono para o filho primogénito de Carlos, preenche o requisito
que é apontado em Apocalipse 13:18, uma vez que o seu nome corresponde ao
número 666 ali apontado, tanto no Hebraico como no Inglês:




Diz-nos a profecia acerca deste anti-Cristo do tempo do fim que ele não terá respeito
ao Deus de seus pais, nem respeito ao amor das mulheres (ele terá declarado a
respeito de Diana: “não tenho desejo pela mulher”), mas que, se engrandecerá
sobremaneira – Daniel 11:37. Ele honrará antes o “deus das fortalezas…das forças”
(exércitos).

Também a comunidade islâmica, pela voz do Dr. Zaki Badawi, responsável pelo
“Muslim College” disse de Carlos de Inglaterra: “ele é o líder mundial mais popular
em toda a comunidade muçulmana mundial…um homem de grande estatura que
pode falar em nosso nome” (vide jornal “The Guardian” de 30.Abril.2002). Estas
palavras foram pronunciadas perante o Príncipe de Gales num encontro que reuniu
23 representantes religiosos de várias denominações. As posições de Carlos são
conhecidas como muito favoráveis ao Islamismo.



Vítor Quinta                                                                     107
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


De resto, este antagonismo a Israel é visível em inúmeros organismos e meios de
comunicação internacionais (e.g. BBC). Num “dia da solidariedade com o povo
Palestiniano”, em Dezembro de 2005, o então Presidente da ONU, Kofi Annan,
levantou-se com os restantes presentes na sala e propôs um momento de silêncio
em honra dos bombistas suicidas que matam gente inocente em Israel, ao mesmo
tempo que a ONU se recusava activamente a condenar os atentados à bomba que
tinham morto pessoas num Centro Comercial em Israel !!! Isto tem um nome:
hipocrisia! Honra-se o criminoso e esquece-se as vítimas.

Diz-nos Daniel 8:24-25 que este “filho da perdição” fortalecerá o seu poder, mas não
pela sua própria força (sabemos que Satanás lhe emprestará o seu poder para atingir
os seus desígnios – levar a perseguição e a morte ao povo santo), sendo perito no
engano. Carlos de Inglaterra, Príncipe de Gales, poderá vir a emergir na cena
internacional como figura dominante numa Europa em crise (conturbada) no período
dos últimos 7 anos (a 70ª semana profética de Daniel 9) ou pouco antes da segunda
metade desta semana de anos. Curiosamente, a União Europeia espera
ansiosamente o aparecimento de um líder carismático que a faça sair do atoleiro em
que se encontra mergulhada. Já vimos coisas mais estranhas que esta, sem o
esperarmos.

Num futuro breve teremos a confirmação desta ou de outra hipótese. Mas tal será
sempre revelado pelo Espírito de YHWH aos Seus fiéis. Tomemos pois muita
atenção aos grandes acontecimentos que se irão produzir à volta de Israel e da santa
cidade de Jerusalém.

Neste trabalho acabámos de apresentar várias figuras de dirigentes mundiais cujo
perfil tem potencial para se encaixar nos sinais/características proféticas daquele que
se há-de revelar em breve como o anti-Cristo dos “dias do fim”. Aguardemos, pois ele
a seu tempo será revelado.

Há que assinalar ainda que o sinal marcante para o reconhecimento desta figura, o
“homem do pecado”, está centrado em Jerusalém e no Templo que ali será de novo
erigido antes da vinda de Yeshua. Este sinal será aquele que tanto Daniel como
Yeshua apontam: Mateus 24:15 – “Quando, pois, virdes que a abominação da
desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê,
atenda…”.

Resistamos pois ao diabo e aos servos dele, pois o prémio será grande, em Yeshua.
Estejamos pois atentos aos “personagens” cujas características referidas na Palavra
de YHWH nos irão permitir identificar o verdadeiro “filho da perdição” dos últimos
dias. Estudemos as Escrituras e as profecias e aguardemos, com paciência, a vinda
do Eterno Rei e Sumo-Sacerdote, Senhor Yeshua – o Leão da Tribo de Judá.




Vítor Quinta                                                                       108
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




4.6                   Os tempos do fim e o Islão




Na época em que vivemos, perto que estamos do fim do governo de Satanás e do
homem, a nossa atenção tem que estar centrada na nação de Israel e na santa
cidade de Jerusalém, pois será naquela região que os grandes acontecimentos
proféticos do fim se irão desenrolar…ainda que muitos no mundo não creiam nas
profecias bíblicas. Será pois em Israel e à volta desta nação que os marcos
proféticos do fim se irão produzir.

Como todos os que dedicam algum (ou bastante) do seu tempo a estudar a Palavra
de Deus sabem e aceitam, grande número de profecias têm duplo ou mesmo triplo
cumprimento no tempo e no espaço. Daí que não constitua admiração que certas
profecias venham a ter o seu cumprimento no que respeita às figuras de
Roma/Vaticano e Meca/Islão, quer no passado quer no tempo presente e futuro,
ambas com características mais que suficientes para serem classificadas como “a
grande prostituta” que nos é apontada em Apocalipse, dado que ambas “beberam” do
vinho da prostituição que é a idolatria e do engano de Babilónia, e perverteram a
verdade de YHWH. Ambas falam de um “Jesus” que não é O Messias da Bíblia, O
verdadeiro Filho de YHWH, Senhor Yeshua.

A “besta dos últimos dias” não é somente o cristianismo pervertido e o islamismo,
conjuntamente. É todo um sistema que está implantado por Satanás em todo o
mundo e que é anátema aos olhos de YHWH, mas que inclui também estas duas
grandes entidades manipuladas pelo adversário. Porém, no que ao anti-Cristo se
refere, existem muitas passagens bíblicas que claramente apontam para a origem
deste “homem do pecado”, “filho da perdição”, tais como Ezequiel 38:2 e Daniel 7:7,
8:9; 11:29-45; todas elas se referem ao anti-Messias (“o chifre pequeno”) e à região
onde ele irá emergir: o Médio Oriente, numa terra a Norte de Israel.

O Espírito Santo (O Consolador que Yeshua prometeu que enviaria) tem-se
encarregado de revelar estas verdades aos que aceitaram Yeshua como Salvador e
andam nas leis de YHWH, a Sua Torá. O que até há pouco foi um mistério para
muitos está a deixar de o ser. É necessário que entendamos o princípio das coisas
para podermos compreender as coisas do fim. A Torá de YHWH é o fundamento de
todos os ensinamentos que lhe são posteriores. Isaías 41:26 diz-nos: “Quem
anunciou isto desde o princípio, para que o possamos saber, ou desde antes,
para que digamos: Justo é? Porém não há quem anuncie, nem tampouco quem
manifeste, nem tampouco quem ouça as vossas palavras”. Embora esta
passagem se refira especificamente à primeira vinda do Messias como Servo,


Vítor Quinta                                                                    109
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

também podemos ver nela o anúncio da Sua segunda vinda, como Rei eterno.
Também é verdade, que nunca como agora “não há quem ouça as nossas palavras”.
Ele, O Senhor YHWH, é Quem anuncia o fim desde o princípio: Isaías 46:10; Lucas
1:70.

Um dos grandes temas sobre o qual muito se tem escrito e falado, é sem dúvida a
questão da “marca da besta” que nos é apontada no livro de Apocalipse. Se o nosso
estudo das profecias se centrar no que nos é revelado na Palavra de Deus e nas
características dos povos inimigos de Israel que rodeiam a Terra Santa, podemos
desde já apontar algumas conclusões:

     •   A “besta do Apocalipse” é, simultaneamente:

               um homem, o anti-Cristo do tempo do fim, o “destruidor”64, o “filho da
               perdição”, o “homem do pecado” e, simultaneamente, todo um sistema
               económico, religioso, militar e político corruptos; este homem receberá o
               poder de Satanás por 3,5 anos; e, também,

               uma confederação de nações islâmicas inimigas da nação de Israel.

         Parece difícil mas não é.

Os povos muçulmanos há muito que aguardam a manifestação deste homem, o qual,
quando em breve for revelado, será proclamado como o “Supremo Califa” (Al
Mahdi65, o 12º Iman ou sucessor do profeta Maomé). Ele apresentar-se-á ao mundo
como um “homem de paz”, mas a sua verdadeira natureza e propósito revelará que o
seu fim será promover a guerra aos santos, a destruição da nação de Israel.

Segundo os ensinamentos islamitas/muçulmanos, o Mahdi aguardado pelas nações
islâmicas, virá a governar desde Jerusalém (no Monte do Templo). Sabemos que ele
honra o “deus” das fortalezas (da guerra/”jihad” islâmica/Alá). Ele degolará os “infiéis”
(ver: Apocalipse 20:4) e todos aqueles que lhe resistam. Eis algumas das
características da sua acção, conforme à profecia de Daniel 11:36-39 – “E este rei
fará conforme a sua vontade, e levantar-se-á, e engrandecer-se-á sobre todo
deus; e contra o Deus dos deuses falará coisas espantosas, e será próspero,
até que a ira se complete; porque aquilo que está determinado será feito. E não
terá respeito ao Deus de seus pais, nem terá respeito ao amor das mulheres,
nem a deus algum, porque sobre tudo se engrandecerá. Mas em seu lugar
honrará a um deus das forças [da guerra/”jihad”]; e a um deus a quem seus
pais não conheceram honrará com ouro, e com prata, e com pedras preciosas,
e com coisas agradáveis. Com o auxílio de um deus estranho agirá contra as
poderosas fortalezas; aos que o reconhecerem multiplicará a honra, e os fará
reinar sobre muitos, e repartirá a terra por preço”. O seu principado será curto.
Porém, extremamente destruidor. Por isso Yeshua alerta que haverá angústia entre
as nações como nunca antes houve nem voltará a haver e, também nos diz em

64
   Este “destruidor” é um dos 99 nomes que são também atribuídos a Alá. Outro é “o que causa dano”.
Vemos o quanto este “deus” está longe do Deus de amor e misericórdia que é YHWH, mas que virá
com ira e vingança para castigar e erradicar a maldade que se instalou entre todos os povos.
65
    Os xiitas pensam que ele (Mahdi) viveu na Pérsia e nasceu em Teerão, pelo que terá de
ressuscitar, mas não têm qualquer profecia específica sobre este assunto.


Vítor Quinta                                                                                  110
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

Mateus 24:22 – “E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se
salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias”.

Segundo a crença do Islão, este que há-de revelar-se no tempo do fim, irá liderar e
unir contra Israel os povos da Síria, Sudão, Irão (Pérsia), Arábia Saudita, Egipto,
Turquia66, Líbia, Jordânia, Etiópia (Cush), Líbano e outros povos de menor expressão
que se encontram à volta de Israel, como os Palestinianos. Ele desencadeará guerra
e destruição totais como nos é revelado em Ezequiel 38 e 39. Nesta confederação de
nações que virão contra Israel estarão igualmente presentes todos os povos que nos
são apontados no Salmo 83:4-8 – “Disseram: Vinde, e desarreiguemo-los para
que não sejam nação, nem haja mais memória do nome de Israel. Porque
consultaram juntos e unânimes; eles se unem contra ti: As tendas de Edom, e
dos ismaelitas, de Moabe, e dos agarenos, de Gebal, e de Amom, e de
Amaleque, a Filístia, com os moradores de Tiro [Líbano]; também a Assíria se
ajuntou com eles; foram ajudar aos filhos de Ló”.




A Palavra de Deus fala-nos muitas vezes da Assíria como o povo de que YHWH se
serviu no passado para castigar tanto a idolatria do Reino do Norte, Efraim/Israel,
como mais tarde do reino do Sul/Judá, através da acção de Nabucodonosor. Porém,
esse povo nas suas várias nuances e épocas históricas incluiu os caldeus ou
babilónios e até os de regiões mais a Norte de Babilónia. Todos eles faziam parte de
um todo que sempre se revelaram como inimigos de Israel.

Pelo mapa seguinte podemos identificar a região que eles ocupavam e os povos que
parcialmente estão hoje incluídos naquilo que era chamado de Assíria no passado:




66
     Segundo alguns estudiosos, Gog refere-se à Turquia.


Vítor Quinta                                                                    111
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




Estamos assim a falar de uma região que inclui hoje parte da Turquia, da Síria do
Irão e do Iraque, na região onde se situam os rios Tigre e Eufrates, englobando
também a parte que é designada por “crescente fértil” – Ásia Menor. Isto é importante
para entendermos o significado da palavra Magogue de que falaremos mais adiante.

A identificação dos povos que virão contra Israel e Jerusalém no fim dos dias torna-
se importante se quisermos entender as profecias para o fim dos tempos e, entender
também os jogos políticos e as alianças que hoje se estão a estabelecer entre estas
nações, aceitando então que o domínio do anti-Cristo deste final dos tempos será um
domínio regional e não mundial. O seu domínio equivalerá a 1/3 da Terra (as nações
islâmicas são as que se submeterão ao anti-Cristo que virá), o que se conjuga com a
profecia de castigo e destruição que nos são dadas em Apocalipse 8:7-12, e 9:15-18
– “E foram soltos os quatro anjos, que estavam preparados para a hora, e dia, e
mês, e ano, a fim de matarem a terça parte dos homens. Por estes três foi morta
a terça parte dos homens, isto é pelo fogo, pela fumaça, e pelo enxofre, que
saíam das suas bocas”. Não é de estranhar que estes quatro anjos são os mesmos
que estão apontados no verso 14 como estando “presos junto ao grande rio
Eufrates”. A Palavra de Deus revela-nos estas coisas nos dias do tempo da última
geração (a geração destes sinais) de que nos falou Yeshua em Mateus 24:32-34,
precisamente a geração que testemunhou o renascimento da nação de Israel de 14
para 15 de Maio de 1948.

Esta coligação de nações islâmicas que virá contra Jerusalém será severamente
punidas pelo próprio Senhor YHWH. Leia-se em Zacarias 14:12 – “E esta será a
praga com que YHWH ferirá a todos os povos que guerrearam contra
Jerusalém: a sua carne apodrecerá, estando eles em pé, e lhes apodrecerão os
olhos nas suas órbitas, e a língua lhes apodrecerá na sua boca”. Terá sido nesta
passagem bíblica que o cineasta Steven Spielberg se terá inspirado para uma das
cenas finais do seu filme “Os salteadores da arca perdida”? Estes são castigos que
estão reservados aos inimigos de Deus e da Sua santa cidade - Jerusalém. Este


Vítor Quinta                                                                     112
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

profeta parece falar-nos de uma espécie de guerra atómica ou algo ainda mais
sofisticado que o mundo não conhece, uma vez que a carne de muitos homens e
animais serão destruídos por um fogo ardente (lembremos que O Senhor YHWH é
um “fogo ardente”) – o fogo também está presente na profecia de Ezequiel 39, mas
os materiais que eles usam não o serão, uma vez que, após a sua derrota, Israel
andará a queimar o armamento deles durante 7 anos, conforme nos é ensinado em
Ezequiel 39:9.

Ao lermos as passagens que estão em 2.Tessalonicenses 2:1, 3, 7-10, 14, no seu
devido contexto, concluímos que este mistério da iniquidade que há muito está no
mundo e que se acentuará nestes últimos dias, não irá ser totalmente revelado na
figura do anti-Cristo67 do tempo do fim, sem que primeiro se complete o tempo da
apostasia/rebelião total. Só depois disso, o homem do pecado será revelado. Aquilo
que restringe o aparecimento do anti-Cristo é completarem-se as condições para a
total apostasia das igrejas e ainda a presença do Anjo protector de Israel – Miguel, O
Grande Príncipe. Lembremos que já no passado, o Arcanjo Gabriel auxiliado por
Miguel, o Grande Príncipe, tiveram que lutar contra o “príncipe” da Pérsia – o diabo.
Diz-nos em Daniel 10 que a visão para o povo do profeta (Israel) seria para os dias
derradeiros (v.14) e que haveria de voltar “a pelejar contra o príncipe dos persas”
nestes dias derradeiros (v.21). Não temos dúvidas que YHWH estará lutando ao lado
de Israel para derrotar “o destruidor” – o anti-Cristo do tempo do fim.

Neste tempo do fim, o mundo assistirá a um completo desvio da verdade, através do
ecumenismo; surgirá uma única igreja centralizada e agregada ao processo diabólico
de um governo mundial – a Nova Ordem Mundial, que há décadas vem sendo
reclamado por governantes e “papas” e que está prestes a concretizar-se. Assim
parece ser. Porém, não será de equacionar a possibilidade dos países islâmicos
aderirem a esta Nova Ordem Mundial que nunca foi reclamada por eles. Eles
esperam a liderança do “Mahdi” – o “seu messias” que será simultaneamente o anti-
Cristo.

2.Tessalonicenses 2:7-8a aponta-nos que: “Porque já o mistério da injustiça
opera; somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado; e então
será revelado o iníquo”. Entendemos que “aquele” que até hoje resiste é Miguel, O
Príncipe que combate por Israel, como podemos ver em Daniel 10:21; 12:1. Este
guarda de Israel será retirado numa altura do fim para que venha o tempo da grande
angústia de Jacob. Será então que a guerra total será desencadeada contra a nação
de Israel, conduzida pelo “filho da perdição”. Quando, no decurso deste período de
domínio do anti-Cristo (3,5 anos antes da vinda do Rei Yeshua) Israel começar a
sofrer a sério, então se voltará para o seu Deus YHWH, e O Santo de Israel intervirá,
derrotando as hostes do anti-Cristo.




67
  Segundo a crença islâmica, o anti-Cristo é designado por Dajjal ou “Messias Impostor”. Em língua
árabe pode significar igualmente “falso profeta”. De acordo com a Wikipédia: “O termo al-Masih ad-
Dajjãl (árabe para "o falso messias") é uma tradução literal do termo Siríaco - Mšī ā Daggālā, do
vocabulário comum do Oriente Médio e adaptado em língua árabe 400 anos antes do Alcorão através
da Peshitta, a Bíblia em aramaico, que usa esse termo em vez do grego “Anticristo” (αντί + Χριστός)”.


Vítor Quinta                                                                                    113
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Um ensinamento espantoso que podemos encontrar nas Escrituras quando
buscamos as mesmas escritas no hebraico, é a que encontramos na passagem de
Daniel 9:9-11 – “Ao Senhor, nosso Deus, pertencem a misericórdia, e o perdão;
pois nos rebelamos contra ele, e não obedecemos à voz de YHWH, nosso Deus,
para andarmos nas suas leis, que nos deu por intermédio de seus servos, os
profetas. Sim, todo o Israel transgrediu a tua lei, desviando-se para não
obedecer à tua voz; por isso a maldição e o juramento, que estão escritos na lei
de Moisés, servo de Deus, se derramaram sobre nós; porque pecamos contra
ele”. Destas passagens, no hebraico, podemos retirar os seguintes ensinamentos
proféticos:

    1.    A palavra “maldição” aparece ali inscrita como sendo: “Al-Allah será
          derramado sobre nós”.

    2.    “Al-Allah” aparece-nos neste contexto como uma profecia para o fim dos
          tempos, precisamente a época sobre a qual Daniel mais profetizou.

    3.    Daniel profetiza que, devido aos pecados de Israel e ao facto de não ter
          escutado a voz de YHWH e guardado a Sua Lei, YHWH enviará “Al-Allah”
          como uma assolação. Esta profecia será cumprida no tempo da Grande
          Tribulação de Jacob – os últimos 3,5 anos antes da vinda gloriosa de Yeshua
          como Rei eterno.

Não confundamos, a segunda metade de anos da profecia da 70ª semana profética
de Daniel 9 com o período da ira de Deus (do Cordeiro) sobre a humanidade
impenitente. Não, esse não corresponde ao período da ira do Cordeiro, pois esta só
será derramada após a Sua vinda. Os últimos 3,5 anos antes da vinda de Yeshua,
serão os tempos do furor do anti-Cristo em que haverá guerra, perseguição, morte e
destruição em escala nunca antes vista. Os dias de angústia das nações.

Hoje, os grandes políticos preparam o terreno, as alianças e as suas nações para a
guerra. Eles hoje identificam-se através da sua ideologia satânica e cumprimentam-
se com sinais satânicos. Reduziram o mundo à escravatura e alienação completas
impostas por Satanás. Quando todas estas condições estiverem presentes no mundo
e a apostasia do fim for total, o que ocorrerá dentro de pouco tempo, então existirão
também as condições para se que revele o “homem do pecado”, o anti-Cristo do fim.
Isto é confirmado em Daniel 8:23-26 para os nossos dias.

Veja-se a forma como eles se identificam através de sinais maçónicos (satânicos):




Vítor Quinta                                                                     114
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




Uma das profecias para estes dias é deveras intrigante. Encontra-se em Apocalipse
13:16-18 – “E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e
servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, para
que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o
nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem
entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e
o seu número é seiscentos e sessenta e seis” (JFA). Iremos procurar aprofundar
esta passagem ao longo destes textos.

Alguns autores e estudiosos da Palavra de Deus apontam que a passagem que está
em Apocalipse 13:18 (versão JFA): “Aqui há sabedoria. Aquele que tem
entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e
o seu número é seiscentos e sessenta e seis” deveria ter outra leitura mais
consentânea com os escritos antigos conhecidos, uma vez que YHWH nada oculta
aos Seus servos no que se refere aos tempos actuais. Assim, segundo eles, o texto
deveria ser lido da seguinte forma (tradução livre do inglês): “Aqui há sabedoria.
Aquele que tem entendimento (decida) [quem] (a multidão) da besta [é], porque é a
(multidão) de (um homem, i.e. Maomé) e (a mesma multidão) é “em nome de Alá” –
conforme apontado por Simon Altaf, em “World War III, Unmasking the End of Time
Beast”.

Este e vários outros autores defendem que a palavra traduzida por “número” pode
igualmente ser traduzida por “multidão”, e que “em nome de Alá” é seguramente o
“sinal” ou a “marca” da besta, apoiando-se também na passagem que está em
Apocalipse 17:15 – “E disse-me: As águas que viste, onde se assenta a
prostituta, são povos, e multidões, e nações, e línguas”, o que não deixa de se
aplicar às nações islâmicas mas, também, a Roma/Vaticano e ao “papado” através
da História, particularmente se levarmos em consideração que os seus “príncipes” se
vestem de púrpura e escarlate e também têm as mãos manchadas do sangue dos



Vítor Quinta                                                                   115
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

justos derramados através da História (e.g. Inquisição e outras perseguições
sistemáticas ao longo da História).

Retomando à questão do Islão, chega a ser espantoso olhar para um planisfério para
podermos ter uma visão da dimensão do Islamismo no mundo nos tempos mais
recentes. Na realidade, esta é a “religião” que mais cresceu nas últimas décadas e
cujo crescimento continua imparável pela eficácia de Satanás:




Este mapa assinala a duas cores as duas principais facções do Islão: os Sunitas (a
amarelo) e os Shiitas (a verde) e os países onde hoje estão fortemente implantados.
Agora note-se ainda que o Islão tem estado a crescer noutros países do chamado
mundo ocidental, o que inclui grande parte da Europa (França, Alemanha, Inglaterra,
Holanda, etc.) e também dos E.U.A.

Na perspectiva das profecias bíblicas, a “marca” e o nome da besta do Apocalipse
aparece-nos como estando ligado a Meca e ao Islão e à expressão “em nome de
Alá”; e.g. “Alá é o único deus e Maomé o seu profeta”. Estas designações também
nos aparecem gravadas nas fitas/bandas que os mais fanáticos colocam nos seus
braços/pulsos e nas suas testas, em sinal de submissão a esta “religião” de morte,
que é, de resto, o significado da palavra Islão: “submissão” a Alá, o deus da Lua.
Segundo Walid Shoebat (palestianiano que desistiu de se fazer explodir em Israel e
se converteu a Yeshua), o Islão e Alá são a expressão do anti-Cristo.




Vítor Quinta                                                                   116
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




Existem muitas provas documentais que apontam que o número 666 acima apontado
significa “em nome de Alá” em imagens que retratam o que o apóstolo João terá visto
e descrito em Apocalipse. Eis abaixo exemplos em tudo semelhantes às inscrições
que constam de tantos e tantos documentos e símbolos utilizados nos países
islâmicos. Eis as reproduções antigas desses símbolos nos dias de hoje no mundo
islâmico:




Os símbolos usados no Islão (esquerda) são confirmados pelos escritos antigos, tal
como o Codex Vaticanus (direita).

A principal arma política e económica que os povos do Médio Oriente ricos em
petróleo irão impor em breve ao mundo é o estrangulamento do acesso a esta
matéria-prima, precisamente a fonte de energia que faz mover todo o mundo
industrializado e não só. Trata-se de uma grande arma política no mundo e também a
maior fonte de receitas destes estados que lhes têm permitido adquirir sofisticadas
armas para encherem os seus arsenais e fazerem a guerra a Israel quando o tempo
chegar. Estes países, numa situação de conflito mundial, e antes que a guerra
generalizada rebente, poderão vir a impor embargos na venda deste produto aos que
não aceitarem a sua marca – a implantação do islamismo nesses países. O mais
certo é que muitos países se venham a vergar às suas exigências.

A “arma” do petróleo é tão forte que todos os povos do mundo há muito que se
submetem aos interesses e agenda política dos povos árabes. Que o diga Israel que,
apesar de agir em legítima defesa, se viu condenado centenas de vezes no concerto
internacional das nações (ONU), ao passo que estas instituições sempre se calaram
perante as inúmeras agressões perpetradas pelos seus inimigos e até de genocídio
por parte dos árabes. Porém, Deus tem sempre manifestado a Sua força ao lado da
nação que Ele chamou dos quatro cantos do mundo para aquela terra. Basta dar um
único exemplo: o terrorista Arafat que ordenou o massacre dos atletas israelitas na
aldeia olímpica de Munique, onde morreram onze atletas de Israel e tantos outros
atentados terroristas que geraram vítimas de sangue, foi convidado a discursar
perante a Assembleia Geral da ONU dois anos após aquele massacre, tendo sido ali



Vítor Quinta                                                                   117
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

recebido com aplausos. Este tipo de dirigentes é o mesmo que depois veio a atribuir
a Arafat o “Prémio Nobel da Paz”. Que grande farsa. Que grande hipocrisia.

Muitos assinalam que a marca da besta está intimamente relacionada com “o nome
de Alá” (enquanto outros, no que se refere à igreja apóstata de Roma/Vaticano
apontam que a “marca da besta” tem a ver com o uso de crucifixos e o uso do sinal
da cruz, mesmo aquele que é aposto às criancinhas no acto do batismo infantil), o
qual será imposto sobre todos os que se conformem ou submetem a esta “religião de
pecado”, a católico-romana ou a emanada de Meca, na Arábia Saudita, a qual rejeita
o Nome Santo de YHWH e do Seu Filho Yeshua, confirmando assim o que nos é dito
em 1.João 2:22 – “Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o
Cristo? É o anticristo esse mesmo que nega o Pai e o Filho”.

Assim, em oposição ao Nome Santo de YHWH, Satanás contrapõe uma mistificação:
“o nome falso de Alá”. As mistificações de Satanás são bem patentes a todos os que
estudam as Sagradas Escrituras e a quem O Espírito de Deus as revela. Outro
exemplo: no Seu 4º Mandamento, YHWH diz ao homem: Êxodo 20:8-11 – “Lembra-
te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua
obra. Mas o sétimo dia é o sábado de YHWH teu Deus; não farás nenhuma obra,
nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o
teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas. Porque em
seis dias fez YHWH os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia
descansou; portanto abençoou YHWH o dia do sábado, e o santificou”. A este
mandamento eterno, o “sinal” ou “marca” entre Deus e o Seu povo, Satanás, através
dos seus servos, veio instituir a guarda do Domingo (adoração a Tammuz, “dia do
Sol” – Sun-day). Só quem anda espiritualmente cego e com uma venda nos olhos
não consegue “ver” esta tão grande diferença.

Na realidade, o livro “sagrado” dos muçulmanos, o Corão, na sua Sura 4171 diz-nos
(tradução livre): “O Messias, Isa o filho de Maria, não era mais do que um apóstolo de
Alá; Alá é um só Alá. Deus não permita que ele tenha um filho”… Estas e outras
passagens do Corão dão-nos uma clara visão que os muçulmanos negam “O Filho
do Deus Altíssimo, Senhor YHWH”. O Islão nega que Yeshua é YHWH e que veio em
carne, ao contrário do que afirma o apóstolo em 1.João 4:3 – “E todo o espírito que
não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o
espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no
mundo”; e em 2.João 1:7 – “Porque já muitos enganadores entraram no mundo,
os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o
enganador e o anticristo”. Esta descrição assenta que nem uma luva no Islão.

Ao afirmarem que não existe Deus além de Alá (“deus” pagão de adoração da Lua),
cometem aquela que poderá ser considerada a maior de todas as blasfémias, pois
contraria, desde logo, a primeira disposição da Lei dos 10 Mandamentos: “Não terás
outros deuses diante de mim” – Êxodo 20:3.

Por outro lado, a marca da besta (o sinal do Islão sobre a cabeça dos seus
seguidores e a veneração a Meca) tem vindo a ser violentamente imposta a
numerosos povos através da História e a todos que eles consideram infiéis (i.e. não
crentes em Alá). O castigo que eles impõem tem sido a morte por degolação à
espada, também pelas bombas ou usando outras formas de violência. Na realidade,


Vítor Quinta                                                                      118
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

na prática, muitos dos seguidores do Islão vêm impondo o seu radicalismo e
terrorismo, como forma de punição aos que não pensam como eles.

É numa cultura de ódio (principalmente a Israel) que as crianças islamitas são
educadas desde tenra idade. E toda esta filosofia de morte é repercutida nas escolas
corânicas e até nas escolas de ensino elementar e no seio das famílias. A estratégia
islâmica é baseada no ódio ancestral e toda a sua cultura é uma cultura de morte. O
próprio Maomé e o seu exército de conquista deram o exemplo logo no início da sua
acção, decapitando 80 judeus, violando as mulheres destes e matando os seus filhos
e pais à frente deles. Esta história é ensinada desde há cerca de 1400 anos a todas
as crianças muçulmanas na instrução primária. É com estes ensinamentos que se
criam mentalidades completamente distorcidas da realidade, afastando-as, desde
cedo, de uma cultura baseada no amor, na compreensão e no respeito pelo próximo.
É assim que se transformam crianças islâmicas em adultos fanáticos. Esta é a má
semente, a semente do diabo, a que descende de Ismael e de Edom/Esaú.




No caso dos seguidores de Yeshua que sejam vítimas da injustiça e violência, estes
dizem “eu morro porque creio na salvação por Yeshua, O Messias”. Já o crente
islamita/muçulmano diz: “tu morres por aquilo em que eu acredito”. Estranho, não é?
Contudo, é curioso observar que os cultos aos falsos deuses sempre exigiram o
derramamento de sangue inocente, como o faz o Islão desde o século VII, ao render
culto a um suposto “deus” (paganismo): Alá. Mas, o Senhor Yeshua diz-nos em
Mateus 10:28 – “E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma;
temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo”.

Raciocinando sobre este tema, podemos colocar algumas perguntas pertinentes a
respeito das práticas dos vários grupos islâmicos, tais como:

    •   Desde quando é que O Deus dos céus, O Criador, ensinou que deveríamos
        matar o nosso semelhante para alcançarmos a nossa própria redenção?

    •   Desde quando é que Ele recomenda na Sua Palavra que devemos destruir o
        nosso corpo e matar outros à nossa volta, através de cargas explosivas
        amarradas à cintura, matando homens, mulheres e crianças e mutilando
        muitos mais, para alcançarmos o Seu favor e a nossa entrada “no paraíso”?

    •   E que dizer do prémio das 72 virgens aos homens que executam estas
        acções?



Vítor Quinta                                                                    119
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




    •   E para as mulheres que perpetram estes actos o que lhes está reservado “no
        paraíso”?

    •   Ou que deveríamos supliciar o nosso corpo com chicotes e facas até
        sangrarmos? Esta é uma imitação do que faziam os sacerdotes de Baal ao
        tempo de Elias – vide 1.Reis 18:27-28. Também os Shiitas de hoje fazem o
        mesmo no festival anual de Ashura (que celebra a morte de Hussein, neto de
        Maomé).

Esta é uma completa alienação diabólica.




Note-se na foto da direita a complacência com que a mãe assiste ao “sacrifício” do
filho. Esta é a apregoada “religião do amor”…

Não é só Roma/Vaticano que apostatou da verdade e desvirtuou as disposições
divinas. O Islão cumpre igualmente a profecia de Daniel 7:25a – “E proferirá
palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em
mudar os tempos e a lei”. Na realidade, o Islão adoptou o seu próprio calendário
cuja contagem teve início no séc. VII d.C. (o ano de 2010 d.C. corresponde ao ano
1431 no calendário islâmico) e instituiu um tempo de descanso semanal diferente do
que foi santificado por YHWH no acto da Criação, pois aponta a Sexta-Feira como o
dia de descanso semanal, em vez do Sábado santificado pelo Criador, Senhor
YHWH, como já acima reproduzimos no Seu 4º Mandamento. Vemos aqui
claramente a influência de Satanás que tudo distorce levando a que o homem se
afaste da vontade do Deus Criador.

Da mesma maneira que o “sinal” ou a “marca” de YHWH é o Sábado santo e a
Lei/Torá dada por Moisés a Israel e escrita no coração/mente de todos os fiéis,
também a sua adulteração representa o “sinal” ou a “marca” da besta ou de Satanás
no coração/mente daqueles que seguem o Islão ou seguem as doutrinas de
Roma/Vaticano e das suas filhas, as que saíram do seu seio durante a Reforma, e
agora estão a voltar submetendo-se ao “papado” através do movimento ecuménico.
O fim deles será a destruição.

Então, temos no mundo dois grandes grupos “religiosos” que se opõem ao Deus de
Israel, Senhor YHWH e a Seu Filho Yeshua (a Salvação de YHWH) e à Sua Verdade
e que aceitaram a marca da besta:




Vítor Quinta                                                                  120
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


     1. O Islão que observa a Sexta-Feira como dia de descanso e não reconhece ao
        Deus Todo-Poderoso, Senhor YHWH e a Seu Filho, Senhor Yeshua e aos
        Seus mandamentos; e

     2. A igreja católico-romana e suas filhas evangélicas que observam o Domingo
        em vez do Sábado, e dizem que a Lei/Torá foi abolida, ou que ela é só para os
        judeus.

Não há dúvida que o diabo lançou, de muitas maneiras, a confusão entre os que se
opõem ao Deus de Abraão, Isaac e Jacob e obscureceu-lhes o entendimento.

“Sai dela povo meu”! Esta é a séria advertência que YHWH faz ao Seu povo, para
saírem desta Babilónia terrena e espiritual em que estas nações se transformaram,
para que os santos não sofram os castigos que sobre elas hão-de cair – Apocalipse
18:4. Acordem enquanto é tempo!

Contudo, estas nações rebeldes, virão a ter o poder terreno por um pouco de tempo,
altura em que provocarão o caos a nível mundial. Elas preparam-se para a guerra
atómica, química e bacteriológica, e para a última e grande batalha que há-de ser
travada nos montes à volta de Jerusalém: a guerra do Armagedão. Não podemos
deixar de ler apenas algumas passagens bíblicas que nos falam dos dias terríveis
que a humanidade irá enfrentar, principalmente os povos do Médio Oriente, tendo
Israel como cenário e todos os países à sua volta, seus inimigos: Isaías 17:1
(destruição de Damasco); Salmo 83; Ezequiel 38 & 39; 25:14; Obadias 1:18; Zacarias
14:12-15; Jeremias 49:1-27, etc. Note-se a correspondência entre o capítulo 39 de
Ezequiel e a descrição de Apocalipse 19:17-21.

Pecaram gravemente mudando igualmente o Nome Santo de YHWH para Alá (“deus”
pagão de adoração da Lua68 e cujo culto é muito anterior ao nascimento de Maomé e
que foi adoptado como o principal símbolo das nações islâmicas – o Crescente
Lunar) e que não é mais do que um sucedâneo de antigos cultos babilónicos de
adoração a Bel/Baal/Baal-Zebub (adoração dos astros e do “deus-sol” - Tammuz).
Também estes cultos acabaram por penetrar Israel e levar a que este povo se
esquecesse do seu Deus YHWH: Números 25:3; Oséias 9:10; Deuteronómio 4:3;
Josué 22:17; Salmo 106:28-29, pelo que sofreram severos castigos devido à sua
idolatria, ao andarem após deuses estranhos.

O culto a Baal (ainda que sob outros nomes próximos, conforme a região onde esses
cultos eram praticados) já era seguido pelas tribos Quraish (árabes), à qual Maomé
pertencia, tendo sido também adoptado por Maomé.

Outra pista é-nos dada pela leitura de Apocalipse 17:5 – “E na sua testa estava
escrito o nome: Mistério, a grande Babilónia, a mãe das prostituições e
abominações da terra”. Já antes apontámos que Meca e o Islão têm condições
para serem também (a par com Roma/Vaticano) a mãe das abominações de toda a
Terra, uma vez que ela, tal como Roma, foram “beber” toda a forma de idolatria da
antiga Babilónia dos Caldeus. Embora o Islão não cultue através de imagens, centra
68
  Na realidade, de uma maneira ou de outra, todos os países muçulmanos ostentam nas suas
bandeiras e símbolos oficiais (incluindo no topo das suas mesquitas) o símbolo lunar do Crescente.


Vítor Quinta                                                                                 121
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

a fé dos seus militantes numa pedra preta que se encontra no local da maior
peregrinação anual dos seus fiéis: “A Caaba”, colocada no interior da grande
mesquita de Meca:




Nestas imagens podemos apreciar a multidão que se reúne anualmente neste local,
e estas fotos só permitem uma visão parcelar da peregrinação anual a Meca, com
gente vinda de todas as partes do mundo.

Muitos estudiosos da Palavra de Deus apontam o dedo a regiões e/ou instituições
específicas socorrendo-se de interpretações bíblicas, classificando-as como a
Babilónia dos tempos modernos, chegando mesmo a indicar que pelas suas
características de desvio da Verdade, são as que se podem ou devem classificar
como tal. Estão neste caso a frequente referência aos E.U.A. ou a Roma/Vaticano e
também a Meca/Islão, quando, na realidade, se olharmos à nossa volta, vemos que a
Babilónia espiritual, satânica, tomou conta do mundo inteiro e chega até a entrar
pelas nossas casas todos os dias ao abrirmos um aparelho de TV. A Babilónia dos
nossos dias é como a hidra – uma serpente com muitas cabeças, a qual será
destruída, em breve, na segunda vinda de Yeshua. A apostasia dos nossos dias que
ainda se vai agravar mais, cumpre uma profecia há muito anunciada. Lembremos as
palavras “todo o mundo está no maligno” – 1.João 5:19. Sem apontar o dedo aos
outros, basta olharmos para o nosso País. Portugal é uma verdadeira Babilónia
espiritual onde a idolatria e o abandono dos caminhos santos de YHWH, a Sua
Lei/Torá, tomou conta dos corações dos homens, mesmo os de muitos dos que se
dizem crentes e seguidores do Cristo.

Também, um dos pontos de grande importância espiritual é a chamada “abominação
da desolação” que se encontra construída na esplanada do Monte do Templo em
Jerusalém, e que é uma abominação aos olhos de YHWH, pois ali é rendido culto a
um falso “deus”: Alá (Mateus 24:15), em nome de um falso profeta: Maomé.

Notemos que o “papa” romano João Paulo II ao beijar o Corão em cerimónias
públicas estava a legitimar a mentira, ou seja, um mentiroso legitimando outra
mentira. Até que ponto é que a profecia de Apocalipse 13:11, que nos diz que a besta
tinha dois chifres, não nos está a apontar para estes dois grandes centros de
maldade: Meca/Babilónia/Islão e Roma/Vaticano? Eis os dois grandes pólos de
blasfémia no mundo. Ambas são anátema quando comparadas com a Verdade
bíblica.




Vítor Quinta                                                                    122
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Estas duas maiores “religiões” tradicionais dos homens: o falso cristianismo romano e
o islamismo pronunciam constantes blasfémias contra o Nome do Verdadeiro e Santo
Senhor YHWH. Até quando? Até que O Verdadeiro Senhor YHWH/Yeshua venha e
derrame a Sua ira sobre estas multidões iníquas.

Ao pronunciarem as suas cinco orações diárias, virados para Meca, os seguidores do
Islão pronunciam blasfémia quando dizem: “Allah hu Akbar” (Alá é grande). Também
o “profeta” Maomé é tido por muitos estudiosos da Bíblia como sendo o “Falso
Profeta” referido no Apocalipse.

Outra das grandes abominações do Islamismo tem a ver com a total falta de respeito
pela mulher que foi criada por Deus como coadjutora do homem, a qual é tratada pior
do que um animal abandonado e a quem são infligidas toda a espécie de
humilhações e até castigos corporais e morte por apedrejamento (ver exemplo
abaixo), reservando grandes contingentes delas à mais completa ignorância ou
secundarização na sociedade. A mulher é tratada como um objecto, cuja propriedade
é da família ou do marido e à qual não são reconhecidos direitos. Isto é escravidão
secular (prática muito comum entre os muçulmanos).




Na imagem da esquerda, à primeira vista, quase não se nota diferença entre o saco e
o ser humano! A imagem da direita dispensa comentários.

Se recordarmos a passagem de Daniel 2:45 que está ligada à profecia da estátua de
Nabucodonosor e que anuncia o estabelecimento do Reino eterno de Yeshua, na
Sua segunda vinda, lemos: “Da maneira que viste que do monte foi cortada uma
pedra, sem auxílio de mãos, e ela esmiuçou o ferro, o bronze, o barro, a prata e
o ouro; o grande Deus fez saber ao rei o que há de ser depois disto. Certo é o
sonho, e fiel a sua interpretação”. Este relato mostra-nos que os reinos/domínios
do passado subsistirão em parte até à vinda gloriosa do Rei eterno, quando Ele vier e
os esmiuçar/extirpar de vez. Esses reinos incluem os resquícios de todos os que
existiram no Médio Oriente (à volta de Israel) desde que a profecia foi dada ao tempo
de Daniel: o império babilónico (a cabeça de ouro), o império medo-persa (o tronco e
braços de prata), o império grego de Alexandre (o ventre e as coxas de cobre), o
império romano (as pernas de ferro, com os seus dois pilares, as pernas, Roma e
Constantinopla) e, por último, uma mistura de ferro e barro simbolizado nos pés e
dedos dos pés da estátua, tal como nos diz em relação à visão de Daniel 7 sobre os
animais simbólicos – Daniel 7:12 – “E, quanto aos outros animais, foi-lhes tirado
o domínio; todavia foi-lhes prolongada a vida até certo espaço de tempo”. E é
deste meio que muitos crêem (e com razão) que há-de surgir o anti-Cristo do tempo


Vítor Quinta                                                                     123
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

do fim para congregar todos os povos inimigos de Israel para a batalha final: a de
Armagedão.

Quanto a este aspecto, temos que nos socorrer do que nos foi transmitido nas
profecias para tentar identificar de onde surgirá este anti-Cristo do tempo do fim e
ficarmos a conhecer algumas das suas características. Vejamos o seu perfil, pois
será alguém que:

    •   Segundo Isaías 10:5-15 terá uma postura de altivez, de soberba e será
        oriundo da “Assíria” (já vimos atrás que território é coberto pela antiga Assíria);
        o verso 12 diz-nos: “Por isso acontecerá que, havendo o Senhor acabado
        toda a sua obra no monte Sião e em Jerusalém [reconstrução do
        Templo], então castigarei o fruto da arrogante grandeza do coração do
        rei da Assíria e a pompa da altivez dos seus olhos”.

    •   Daniel 7:8 e 7:20 fala-nos dos dez chifres, dos quais três serão arrancados, e,
        no seu lugar irá aparecer um “chifre pequeno” (o anti-Cristo do fim dos
        tempos); este “chifre”/príncipe falará coisas grandiosas contra O Altíssimo –
        Daniel 7 & 8.

    •   Daniel 8:23-25 diz-nos que ele terá um parecer/semblante feroz e entendido
        em adivinhações. Por fim se levantará contra “o Príncipe dos príncipes, mas
        sem mão será quebrado”.

    •   Nos capítulos 13, 14, 15, 16, 17, 19 e 20 de Apocalipse ele é identificado como
        “a besta”, significando homem brutal e selvagem. Curiosamente, ou talvez
        não, e como já antes assinalámos, o actual Presidente da Síria, o novo leão de
        Damasco, chama-se Bashar al-Assad e possui todas estas características.

    •   Tanto as profecias de Isaías 10:5-15, 13:1-22, 14:24-27, 30:27-33 & 31:4-9
        como as de Miquéias 5, identificam este “homem da perdição” como “O
        Assírio”, que será proveniente da terra da Assíria (a terra de Nimrod).

    •   Ezequiel 28:1-10 também nos identifica este homem como o príncipe de Tiro
        (Líbano). Nada mais certo, uma vez que tem sido a Síria e Bashar-Al-Assad
        que tem comandado todas as operações no Líbano nos últimos anos,
        incluindo o assassinato (que lhe é atribuído) do Primeiro-Ministro libanês Rafic
        Hariri que se opunha a que o Líbano se mantivesse debaixo do domínio sírio.

    •   Ele é-nos também apontado como o “rei do Norte”, aquele que liderará um
        grandioso exército contra Israel. Ora, a Síria situa-se a Norte de Israel.

    •   Ele é referido como o “homem do pecado”, “sem Lei” - 2.Tessalonicenses 2 e
        como o anti-Cristo em 1.João 2:18.

    •   Joel 1:6 fala-nos do “leão” (não se referindo ao Leão da tribo de Judá, que é
        Yeshua) que subirá contra a terra de Israel nos dias do fim. Ora, na língua
        árabe, leão diz-se: “al-asad”…




Vítor Quinta                                                                           124
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




     •   Quando o rei do Sul (Judá) lutar contra o rei do Norte (Síria e coligação de
         nações) conforme no é dito em Daniel 11:40-41, dar-se-á a invasão da “terra
         gloriosa” - Israel, mas escaparão os que nela estão e que são parte deste
         Islamismo dos nossos dias: “Edom e Moabe, e os chefes dos filhos de Amom”,
         como nos é dito no versículo 42. O anti-Cristo entrará em Jerusalém nesse
         tempo vindouro e repartirá a terra por preço – Daniel 11:39-45. De acordo com
         as profecias, o Egipto, a Líbia e Etiópia virão com ele.

     •   Por último, lembremos que esta situação de desastre eminente da “terra
         gloriosa” será revertida, pois Deus dará a justa paga a este homem e aos
         povos que com ele vierem contra Jerusalém. Basta ler a profecia de Isaías 17,
         em particular o verso 1, para compreendermos o que sucederá em breve à
         capital da Síria, Damasco: “Peso de Damasco. Eis que Damasco será
         tirada, e já não será cidade, antes será um montão de ruínas”.

     •   “Naquele dia”…”no grande Dia de Yeshua, O Rei”, cada um deitará fora os
         seus ídolos de prata e ouro com que pecaram contra O Todo-Poderoso Deus,
         conforme nos revelam Isaías 31:7; Ezequiel 37:23.

     •   Este mesmo anti-Cristo será destruído, mas não por mão humana – Daniel 8.

     •   O castigo daqueles povos idólatras e cheios de ódio ancestral contra o povo e
         a cidade do Santo é bem patente nas passagens que estão em Ezequiel
         39:17-22 – “Tu, pois, ó filho do homem, assim diz o Senhor YHWH, dize
         às aves de toda espécie, e a todos os animais do campo: Ajuntai-vos e
         vinde, congregai-vos de toda parte para o meu sacrifício, que eu ofereci
         por vós, um sacrifício grande, nos montes de Israel, e comei carne e
         bebei sangue. Comereis a carne dos poderosos e bebereis o sangue dos
         príncipes da terra; dos carneiros, dos cordeiros, e dos bodes, e dos
         bezerros, todos cevados de Basã69. E comereis a gordura até vos
         fartardes e bebereis o sangue até vos embebedardes, do meu sacrifício
         que ofereci por vós. E, à minha mesa, fartar-vos-ei de cavalos, de carros,
         de poderosos, e de todos os homens de guerra, diz o Senhor YHWH. E eu
         porei a minha glória entre os gentios e todos os gentios verão o meu
         juízo, que eu tiver executado, e a minha mão, que sobre elas tiver
         descarregado. E saberão os da casa de Israel que eu sou YHWH seu
         Deus, desde aquele dia em diante” e, em Isaías 63:1-6 o profeta identifica-
         nos Aquele que virá com as Suas vestes tintas de sangue: “Quem é este, que
         vem de Edom, de Bozra, com vestes tintas; este que é glorioso em sua
         vestidura, que marcha com a sua grande força? Eu, que falo em justiça,
         poderoso para salvar. Por que está vermelha a tua vestidura, e as tuas
         roupas como as daquele que pisa no lagar? Eu [YHWH/Yeshua] sozinho
         pisei no lagar, e dos povos ninguém houve comigo; e os pisei na minha
         ira [a ira do Cordeiro], e os esmaguei no meu furor; e o seu sangue
         salpicou as minhas vestes, e manchei toda a minha vestidura. Porque o
         dia da vingança estava no meu coração; e o ano dos meus remidos é

69
  Basã era a terra situada no lado oriental do Rio Jordão que foi governada nos tempos antigos pelo
rei Og, gigante de 9 côvados.


Vítor Quinta                                                                                    125
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        chegado. E olhei, e não havia quem me ajudasse; e admirei-me de não
        haver quem me sustivesse, por isso o meu braço me trouxe a salvação, e
        o meu furor me susteve. E atropelei os povos na minha ira, e os
        embriaguei no meu furor; e a sua força derrubei por terra”. O Senhor
        YHWH mostrará ali, “naquele dia” o furor da sua ira.

Os dois pés da estátua de Nabucodonosor tinham 10 dedos que eram constituídos
por ferro e barro que, por não terem coesão entre si, irão estar aparentemente unidos
por algum tempo. A este respeito vale a pena considerar o que vem acontecendo
nestes anos mais recentes e o que se passou em Setembro de 2009, em Córdoba: o
Fórum 5 + 5 com vista a acelerar a criação da “União Mediterrânea”. Esta foi mais
uma reunião que foi liderada por 5 países da U.E. e 5 países do Norte de África (os
10 reis proféticos do tempo do fim?) e que visou acelerar o processo de “união”
económica e política desta vasta região, centrada em muitos projectos de interesse
comum.




A profecia diz-nos em Daniel 2:34-35 que aquela pedra que foi cortada sem mão
(Yeshua) feriu “a estátua nos pés de ferro e de barro, e os esmiuçou. Então foi
juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro [símbolos de
todos os impérios representados na estátua], os quais se fizeram como
pragana das eiras do estio, e o vento os levou, e não se achou lugar algum para
eles; mas a pedra, que feriu a estátua, se tornou grande monte, e encheu toda a
terra [o reino eterno de Yeshua] ”. Os resquícios dos impérios do passado que
subsistem até hoje nas mesmas regiões onde antes eles prevaleceram (sobretudo no
Médio Oriente), serão juntamente destruídos para sempre, para darem lugar a um
reino que não terá fim, o de Yeshua.

As nações muçulmanas que hoje ocupam os territórios desses antigos impérios que
se localizaram no Médio Oriente e ocuparam a Terra Santa de Israel, em coligação
com outras nações suas aliadas (e.g. Rússia e China com as quais têm feito acordos
nos últimos anos e que são fornecedoras de muito do armamento que estes países
irão utilizar, é uma imagem das alianças entre países que estiveram na origem das
duas principais guerras mundiais do Século XX) representam os pés e dedos dos pés
da estátua. Estas alianças entre nações virão a envolvê-las todas na grande guerra
do fim dos tempos, a de Armagedão. Estas nações que virão contra Israel/Jerusalém
serão destruídas porque nunca se apagou o seu ódio contra o povo de Deus, Israel,
desde os tempos de Ismael e de Esaú. Os tempos mudaram mas os actores desta
luta espiritual permanecem os mesmos desde o princípio dos tempos: Isaac versus
Ismael e Jacob versus Esaú (Edom). O ódio é visceral e vem desde a noite dos
tempos, manifestando-se em todos os sectores, desde o topo da hierarquia até ao
povo da rua. Se não compreendermos a ancestralidade deste ódio e rancor não
poderemos nunca compreender o que sempre se passou e irá passar naquela região.



Vítor Quinta                                                                     126
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




De resto, este antagonismo cego está bem patente na passagem que está em
Génesis 16:11-12 a qual se refere às características de Ismael – “Disse-lhe também
o Anjo de YHWH: Eis que concebeste, e darás à luz um filho, e chamarás o seu
nome Ismael; porquanto YHWH ouviu a tua aflição. E ele será homem feroz, e a
sua mão será contra todos, e a mão de todos contra ele; e habitará diante da
face de [i.e. contra] todos os seus irmãos”. Hoje temos a descendência das 12
tribos de Ismael sob várias denominações e a aliança que sempre fizeram com a
descendência de Esaú (edomitas), aliança que lhes adveio desde o tempo em que
Esaú desposou uma filha de Ismael. Estes são os inúmeros povos ismaelitas
(muçulmanos) que anseiam pela destruição de Israel através da guerra (“Jihad”) que
visa a aniquilação desta nação.

Embora já tenhamos referido o nome de algumas nações que irão estar congregadas
contra Israel, vamos ver que povos são estes que nos são apontados na Bíblia.

Genericamente, podemos apontar que estes povos são os que professam o culto do
Islão (têm em comum a adoração a Alá), e para além das regiões onde eles vivem, a
Bíblia dá-nos informação muito precisa acerca dos seus nomes. Tais nomes não têm
necessariamente que ver com a forma como eles hoje são designados pelas
fronteiras políticas que foram sendo alteradas e redesenhadas no decorrer do tempo
histórico. Mesmo assim, podemos encontrar passagens que nos permitem a sua
identificação.

    •   Em Ezequiel 35, o profeta é instruído por YHWH para apontar castigos contra
        o “Monte Seir” – território de Edom (que significa: o ruivo/vermelho), Esaú,
        como nos é dito em Génesis 32:3.

    •   Este castigo sobre os filhos de Esaú deriva do grande ódio que Esaú nutriu por
        Jacob, seu irmão, por este lhe ter arrebatado o direito da sua primogenitura
        (mas de que Esaú foi culpado por ter trocado essa sua primogenitura por um
        guisado de lentilhas). Como nos é dito em Ezequiel 35:5-6 – “Porquanto
        guardaste inimizade perpétua, e espalhaste os filhos de Israel pelo poder
        da espada no tempo da sua calamidade e no tempo da iniquidade final
        [i.e. nos dias de hoje, das guerras e atentados terroristas na terra de
        Israel]. Por isso vivo eu, diz o Senhor YHWH, que te preparei para
        sangue, e o sangue te perseguirá; visto que não odiaste o sangue, o
        sangue te perseguirá”. Esta profecia fala-nos que Esaú (e a sua
        descendência) o qual guardou inimizade perpétua, tanto nos tempos antigos
        como nos dias de hoje, conforme hoje mesmo podemos testemunhar.



Vítor Quinta                                                                      127
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)



    •   A presença de YHWH ao lado de Israel nestes dias do fim pode ser facilmente
        entendida quando lemos os versículos 9 a 15 do mesmo Ezequiel 35 acerca
        do Monte Seir (Esaú/Edomitas) – “Em desolações perpétuas te porei, e as
        tuas cidades nunca mais serão habitadas; assim sabereis que eu sou
        YHWH. Porquanto disseste: As duas nações e as duas terras [as duas
        casas: o Reino do Norte, Efraim e o Reino do Sul, Judá] serão minhas, e
        as possuiremos, sendo que YHWH se achava ali. Portanto, vivo eu, diz o
        Senhor YHWH, que procederei conforme a tua ira, e conforme a tua
        inveja, de que usaste, no teu ódio contra eles; e me farei conhecer entre
        eles, quando te julgar. E saberás que eu, YHWH, ouvi todas as tuas
        blasfémias, que proferiste contra os montes de Israel, dizendo: Já estão
        assolados, a nós nos são entregues por pasto. Assim vos
        engrandecestes contra mim com a vossa boca, e multiplicastes as
        vossas palavras contra mim. Eu o ouvi. Assim diz o Senhor YHWH:
        Quando toda a terra se alegrar [i.e. quando Yeshua vier para reinar] eu te
        porei em desolação. Como te alegraste da herança da casa de Israel,
        porque foi assolada, assim te farei a ti; assolado serás, ó monte Seir, e
        todo o Edom, sim, todo ele; e saberão que eu sou YHWH”. Este será o
        remate final de uma luta espiritual que tem milénios de existência. Só Yeshua
        tem autoridade e poder para alcançar este fim.

    •   Nos dias de hoje vemos numerosos líderes árabes e persas (de raiz
        muçulmana) a conluiarem-se, bem como com outras nações inimigas de Israel
        para destruir esta nação, dizendo “Vinde, e desarreiguemo-los para que
        não sejam nação, nem haja mais memória do nome de Israel. Porque
        consultaram juntos e unânimes; eles se unem contra ti” – Salmo 83:4-5.
        Continuando a ler este mesmo Salmo podemos identificar que povos são
        estes (pelos seus nomes antigos) que virão contra a nação de Israel no fim
        dos dias – versículos 6 a 8: “As tendas de Edom, e dos ismaelitas, de
        Moabe, e dos agarenos, de Gebal, e de Amom, e de Amaleque, a Filístia,
        com os moradores de Tiro; também a Assíria se ajuntou com eles; foram
        ajudar aos filhos de Ló. (Selá.). Estes versos indicam-nos claramente alguns
        dos povos que virão contra Israel nos dias próximos.

    •   Mas, a lista dos inimigos da nação de Israel não se fica por aqui. Basta lermos
        ainda as profecias contra Gog para identificarmos os outros povos que se
        coligarão nos dias do fim e que YHWH fará vir contra a Terra Santa, para ali
        lhes dar sepultura. Ezequiel 38 fala-nos deles quando profetiza em Nome do
        Deus Altíssimo, Senhor YHWH:
            1. v. 3 – “Gogue, príncipe e chefe de Meseque e de Tubal”
            2. v. 5 – “Persas, etíopes, e os de Pute com eles”
            3. v. 6 – “Gómer e todas as suas tropas; a casa de Togarma, do
               extremo norte, e todas as suas tropas, muitos povos contigo.”




Vítor Quinta                                                                       128
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)



    •   De acordo com a palavra hebraica para Magog (terra de Gog) tal significa a
        “terra bárbara do Norte” (situada a norte de Israel). Esta localização tem
        conduzido a que muitos interpretem Gog/Magog como sendo o território da
        Rússia. Tal poderá não ser verdade, uma vez que, apesar das perseguições
        que os povos russos/eslavos fizeram ao povo Judeu (pogroms), aquela
        palavra poderá querer indicar outra região, embora essa região possa
        representar uma parte que até há pouco estava incluída na antiga U.R.S.S.
        Referimo-nos aos territórios a sul do território russo e que hoje são territórios
        independentes e onde habitam povos de origem turca (e.g. Turquemenistão).
        Segundo alguns autores, esta “terra do Norte” inclui ainda uma parte
        importante do que é hoje o território da Turquia, bem como algumas outras
        regiões da Ásia Menor entre os mares Cáspio e Negro, todas de expressão
        islâmica como também se podem identificar no mapa incluído neste trabalho.

    •   Génesis 10:2 diz-nos: “Os filhos de Jafé são: Gomer, Magogue, Madai,
        Javã, Tubal, Meseque e Tiras”, confirmando a profecia que se encontra em
        Ezequiel 38:2 e 39:6.

    •   Ezequiel 39:4-5 revela-nos o fim destes grandes exércitos: “Nos montes de
        Israel cairás, tu e todas as tuas tropas, e os povos que estão contigo; e
        às aves de rapina, de toda espécie, e aos animais do campo, te darei por
        comida. Sobre a face do campo cairás, porque eu o falei, diz o Senhor
        YHWH”. Nos montes de Israel O Senhor YHWH cumprirá a Sua promessa e
        destruirá os inimigos do Seu povo.

Muito mais haveria para dizer sobre o papel que irão desempenhar os povos que
seguem o Islão nestes dias do fim. Porém, falta-nos o espaço para tão grande
pretensão.

Nos dias da aflição de Israel, toda a nação se virará para O Santo de Israel, pedindo
o Seu socorro: Salmo 142:5-7 – “A ti, ó YHWH, clamei; eu disse: Tu és o meu
refúgio, e a minha porção na terra dos viventes. Atende ao meu clamor; porque
estou muito abatido. Livra-me dos meus perseguidores; porque são mais fortes
do que eu. Tira a minha alma da prisão, para que louve o teu nome; os justos
me rodearão, pois me fizeste bem”. Nestes dias, “Jerusalém será um copo de
tremor para todos os povos em redor” como nos é dito pelo profeta em Zacarias 12:2-
3, 6 e 8. YHWH ouvirá o Seu povo nesses dias de turbação e estenderá a Sua mão
contra os seus inimigos para os destruir. Nesses dias os filhos de Efraim também
virão de toda a parte em socorro de Judá, mas a grande e decisiva ajuda virá do
Todo-Poderoso Senhor YHWH.




Vítor Quinta                                                                         129
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




A figura acima apresenta uma visão artística do que se irá passar nos últimos dias de
perturbação do tempo do fim, antes que venha O Rei dos reis e Senhor dos
senhores, Yeshua, O Santo de Israel, O Deus eterno, Aquele que esperamos para
governar em paz e justiça eternas.

Todas as questões levantadas neste trabalho acerca da fé dos que seguem o Islão,
não é para condenar estes homens, pois eles andam enganados, dado que têm o
seu entendimento obscurecido há muito tempo (a quase totalidade desde a sua
meninice), seguindo uma religião que espalha o ódio e a morte, rejeitando assim a
Vida que lhes é também oferecida por Yeshua, O Filho de Deus, que eles negam. No
meio desta tão grande multidão, graças a YHWH, alguns têm conseguido libertar-se
desta armadilha em que Satanás os tem mantido amarrados.

Cheguemo-nos pois ao Deus eterno com total confiança, em inteira certeza de fé nas
Suas palavras e promessas de redenção, pois a terra que Ele prometeu aos
patriarcas Abraão, Isaac e Jacob será uma realidade e uma bênção quando Yeshua,
O Rei governar sobre todas as nações da terra e depois Dele ter derramado a Sua ira
e destruição sobre toda a rebeldia humana e diabólica. Ele abaterá toda a altivez e
estupidez do homem e de Satanás. No Seu reino não se fará mal ou dano algum:
Isaías 11:9 – “Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte,
porque a terra se encherá do conhecimento de YHWH, como as águas cobrem
o mar”. Saibamos pois escolher este caminho, o único que leva à Vida – a Yeshua,
O Senhor da Vida, pois Ele é O Caminho, A Verdade e A Vida.

O Salmo 122:6 diz-nos: “Orai pela paz de Jerusalém; prosperarão aqueles que te
amam”… o mesmo é dizer: “Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente
cedo venho. Amém. Ora vem, Senhor Jesus” – Apocalipse 22:20.




Vítor Quinta                                                                     130
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




4.7             A marca da besta70 e a marca de YHWH

Através do estudo das profecias bíblicas podemos concluir que, desde o princípio, à
marca de YHWH, a fidelidade à Sua vontade, aos Seus juízos, aos Seus estatutos,
aos Seus testemunhos e aos Seus mandamentos, i.e. a Sua Lei, a Torá de Israel (o
bem, o caminho e as veredas justas), sempre se opôs a marca de Satanás (o mal, o
desvio, a mentira, a oposição à verdade), a marca da besta, que se traduz na
desobediência e rebeldia aos preceitos estabelecidos por YHWH para o homem, para
que viva e lhe vá bem, conforme nos fala toda a Palavra de Deus e, em particular, os
Livros de Daniel e de Apocalipse.

Vamos procurar demonstrar, da forma o mais clara possível, o confronto espiritual
que sempre existiu entre estas duas posições: o bem e o mal, e que têm maior
visibilidade (ainda que encoberto para a maioria) numa marca que é colocada em
cada ser humano que, ou leva em si a marca do Deus Altíssimo, O Senhor YHWH,
ou leva a marca de Satanás. Esta batalha dos tempos vem sendo travada por dois
exércitos: o de YHWH e o de Satanás, pelo que, cada ser humano, ou está num
campo ou está no outro. Ninguém fica de fora.

Ao longo dos tempos, o livro de Apocalipse gerou controvérsia e até incompreensão,
dada a linguagem quase cifrada de que o apóstolo João se serviu para transmitir a
revelação de Yeshua aos seus fiéis. Mas, os santos entenderão, porque O Espírito
de Deus lhes revelará o significado do que Ele ali revela ao Seu povo. Algumas das
figuras que nos são apresentadas em Apocalipse não são mais do que símbolos, ou
arquétipos de coisas que acontecerão nos últimos dias de forma bem real.

À medida que os dias passam e nos aproximamos mais dos dias de calamidade que
hão-de preceder a vinda gloriosa do nosso Deus e Rei Eterno, Senhor Yeshua, O
Filho de David, podemos observar sinais inequívocos de apostasia e heresia no
mundo, com maior relevo no chamado mundo religioso, os quais se manifestam pelo
desvio da sã maneira de viver e afastamento da doutrina da verdade, tendo passado
a abundar tudo o que é mau, e em que a própria sociedade humana dá mais valor às
coisas perversas e malignas, do que às coisas santas e justas. Tudo isto é sinal dos
tempos em que vivemos. Estamos rodeados de testemunhos do que acabamos de
afirmar e que nos dispensamos de referir neste trabalho.

Porém, existe uma advertência muito séria para estes tempos do fim, e em particular
para todos os que se consideram religiosos e que, de alguma maneira, procuram
chegar ao verdadeiro conhecimento, aquele que nos é transmitido pela Palavra de
Deus, a Bíblia Sagrada, centrada no Santo de Israel, Senhor Yeshua.




70
  Alguns estudiosos da Bíblia apontam também a marca da besta como “a cruz”, o “fazer o sinal da
cruz”, e o “crucifixo” que muitos ostentam ao peito. Na realidade este símbolo representa o “Tau” em
honra de Tammuz (ídolo pagão de Babilónia em honra do deus-sol), coisa abominável perante Deus.
Esta simbologia está ligada ao paganismo e é muito anterior ao advento do Cristo Yeshua.


Vítor Quinta                                                                                   131
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Esta Palavra tem um chamamento muito particular em Apocalipse 18:4 – “E ouvi
outra voz do céu, que dizia: Sai dela [do seio da igreja adúltera que YHWH
apelida de “grande prostituta”], povo meu, para que não sejas participante dos
seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas”, o qual é dirigido a
todos os que, com sinceridade de coração, buscam servir ao Deus Altíssimo e andar
segundo a Sua Vontade71.

Analisemos este aviso de Deus:

     1º. - Apela a que o Seu povo (os que guardam os Seus mandamentos e têm a fé
     de Yeshua no seu coração/mente) saia do meio de uma igreja corrompida e que
     YHWH classifica de abominável.
     2º. - Diz-nos para sair do seio de uma igreja que apostatou da verdade ao longo
     dos séculos e que perseguiu (e continua a perseguir) os santos do Altíssimo, mas
     que, pela sua rebeldia e arrogância, sofrerá, por isso mesmo, pesada sanção.

Neste estudo não iremos procurar analisar que classe e tipos de pecados foram
cometidos por esta igreja apóstata ao longo dos séculos (fazemo-lo noutros
trabalhos), sendo que a lista das abominações desta igreja satânica é extensa e tem
por fundamento o paganismo idólatra e a sua posição anti-Lei de Deus (anomos, i.e.
sem Lei). Vamos antes concentrar-nos naquilo que a Palavra de Deus chama de
“sinal” ou “marca” da besta.

Em primeiro lugar vamos procurar identificar o que é a chamada “besta do
Apocalipse”.

É nosso entendimento que “a besta do Apocalipse” pode ter várias leituras, das quais
destacamos:

     •   Em primeiro lugar, ela é a força satânica que está corporizada num conjunto
         de organizações e forças terrenas que, ao longo dos séculos tem ocultado a
         verdade de Deus aos povos que sempre dominou/esmagou, instituições essas
         que são movidas pelo “príncipe deste mundo”, Satanás, e cujos responsáveis
         têm procurado, através dos tempos e de várias formas, dominar os povos nas
         várias vertentes da vida humana. Estes poderes terrenos estão corporizados,
         e podem ser identificados através dos poderes económicos e governamentais,
         legislativos, religiosos e militares que, conjugadamente, emprestam o seu
         esforço ao plano demoníaco de desviar o homem de servir O Deus
         Verdadeiro, O Senhor YHWH, O Deus de Israel. Nas últimas décadas vem
         emergindo uma força diabólica que nos aparece designada como a “Nova

71
  Quando utilizamos a expressão “Sua vontade”, estamos a referir-nos, indubitavelmente, a todos os
preceitos dados por YHWH ao homem, desde a Criação, para que este vivesse em harmonia com o
seu Criador, a qual se encontra consubstanciada na chamada “Lei, Instrução, Ensino” ou mais
simplesmente, na Torá que YHWH deu a Israel e que já era observada pelos santos da antiguidade,
mesmo antes dela estar escrita e ser dada através de Moisés no Monte Sinai, tal como podemos
encontrar nas Escrituras inúmeros exemplos nas vidas de Enoque, Job, Abraão (Génesis 26:5), dos
profetas, e tantos outros servos fiéis da antiguidade. Esta mesma “Vontade” que é celebrada em todo
o Salmo 119, utilizando palavras que são sinónimo da “Sua Vontade”, tais como mandamentos,
caminho, verdade, luz, estatutos, juízos, vida, testemunhos, veredas, etc. e que é revelada em toda a
palavra que sai da boca de Deus – no que foi escrito para nosso ensinamento.


Vítor Quinta                                                                                    132
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        Ordem Mundial”, a que muitos responsáveis da economia, da religião ou da
        política têm feito apelo para que tome as rédeas do poder no mundo, de forma
        a constituir-se como um poder tão grande como antes nunca foi identificado
        nos anteriores impérios humanos. Por isso em Apocalipse 13:4 é feita a
        pergunta: “Quem é semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela?”.
        Estas organizações e poderes demoníacos espelham as “sete cabeças da
        besta”, de que nos fala a passagem que está em Apocalipse 13:1-3. Vemos
        assim que nos anos mais próximos irá emergir no meio das muitas águas
        (povos, nações e línguas) um poder bestial que irá esmagar toda a verdade e
        oposição, porque Satanás lhe dará esse poder dominador e destruidor.

    •   Em segundo lugar, também entendemos, pela Palavra, que “besta” também se
        refere a um homem demoníaco (cuja força e domínio lhe será entregue pelo
        próprio Satanás antes da vinda do Rei eterno) e que procurará a completa
        destruição da humanidade, a começar pela nação de Israel e por aqueles que
        professam a verdade em Yeshua. Essa figura é-nos apontada em Apocalipse
        17:11 – “E a besta que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos sete,
        e vai à perdição”. Esta é uma besta com vários contornos, incluindo aquele
        que apontamos noutra parte deste estudo como apontando para os “papas”
        romanos, os quais são um dos expoentes do falso profetismo no mundo.

Temos assim um duplo significado para o termo “besta do Apocalipse”, pois
certamente representa: i) não só a corporização de todos os sistemas humanos
regidos por Satanás que se opõem à Lei/Torá eterna de YHWH e ao povo santo e
que, com os sinais que farão nos últimos dias, “se possível fora, enganariam até os
escolhidos”, conforme nos é dito em Mateus 24:24, como nos aparece ainda ii)
corporizado numa pessoa, um homem, que irá estar à frente da “grande prostituta” e
dos grandes acontecimentos políticos, religiosos, económicos e militares dos dias do
fim. Este homem do pecado estará igualmente coligado com muitos nestes dias.
Aquela passagem de Apocalipse aparece-nos contextualizada no quadro dos
“reis”/”papas” que regeram e regem a nação-estado do Vaticano, particularmente
desde que a mesma viu curada a sua “chaga mortal” em 1929 através do Tratado de
Latrão e voltou a crescer em força pelo poder de Satanás, como certamente o estará
também na figura do “Assírio”. Para podermos contextualizar aquele versículo temos
que ler todo o Capítulo 17 de Apocalipse. Vemos assim a complexidade que rodeia o
entendimento do que significa “a besta do Apocalipse”.

Como já dissemos, esta “besta” aponta igualmente para um homem, o qual é
designado na Palavra de Deus com muitos nomes de rebeldia. Ele também é
apontado como “O Assírio” ou “Rei da Assíria”, aspecto que já desenvolvemos noutra
parte deste trabalho.

Então, para já, vemos que esta “besta” é algo e/ou uma personagem que tem várias
características, aparecendo-nos na Bíblia sempre como adversário de Deus.
Diríamos antes, adversários, pois são vários os personagens que se encaixam neste
perfil.




Vítor Quinta                                                                    133
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


É precisamente sobre esta “besta” ou conjunto de poderes satânicos terrenos que “a
mulher” (igreja apóstata) aparece sentada (símbolo de domínio) como nos diz em
Apocalipse. É com os reis (poderes) deste mundo que ela cometeu fornicação ao
longo dos séculos, adulterando a Palavra de Deus, perseguindo, torturando,
roubando e matando os santos do Altíssimo – por isso as suas vestes são da cor do
sangue das suas vítimas. Ela tem na sua mão um copo cheio das suas abominações.
Esta é a “grande prostituta” de que nos fala o Livro de Apocalipse…a mãe de todas
as abominações e prostituições (espirituais) que se têm cometido à face da Terra –
por isso celebra as suas cerimónias empunhando na sua mão um cálice cheio de
imundícias. As filhas desta mãe pervertida e que dela saíram através do movimento
da Reforma, estão a voltar para ela através do movimento ecuménico.




E é deste sistema demoníaco que YHWH nos diz para sairmos, voltando-nos para
Ele, porque Dele vem a nossa salvação, Yeshua, O Príncipe da paz.

Reafirmamos que estamos aqui a falar de uma guerra espiritual da qual a larga
maioria dos seres humanos não se dá conta, nem imagina que nela está envolvido,
mas que a ela não pode escapar, guerra essa que existe desde que o homem
desobedeceu à vontade do seu Criador e se deixou influenciar pelo enganador
Satanás.

Voltemo-nos agora para a identificação do “sinal” ou da “marca” que identifica os que
servem a Satanás e os que servem O Deus Altíssimo, Senhor YHWH.

Costumamos dizer que se YHWH diz que é preto, Satanás vem dizer ao mundo que
é cinzento…escuro. Certas tonalidade de cinzento escuro podem até parecer-se com
o preto, mas já não são preto, pois já têm um pouco de branco, já têm mistura. Assim
é o erro, a mentira. Muitas vezes tem foros de verdade porque se apresenta como
uma verdade misturada com erro. Ou seja, é uma verdade adulterada. É essa
verdade adulterada que tem conduzido o homem ao erro e a desviar-se da verdade
de YHWH que é Yeshua, O Messias.




Vítor Quinta                                                                     134
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Demos exemplos:

O Senhor YHWH instituiu as Suas solenidades semanais e anuais, nos dias por Ele
apontados conforme nos diz em Levítico 23. Ele mesmo diz ali: “estas são as minhas
solenidades”. Veio depois Satanás e criou solenidades adulteradas, paralelas, quer
nas datas, quer na forma e conteúdo: A Páscoa romana, o Dia de Pentecostes, o
Sábado semanal (vs Domingo), etc., etc.

O Livro de Apocalipse fala-nos de duas bestas: uma que saiu do mar e outra que saiu
da terra. Embora estas duas figuras pareçam distintas elas são basicamente a
mesma, pois a diferença entre si depende somente do período da História em que
ambas se manifestam. Ambas representam o mesmo poder terreno, diabólico,
rebelde: religioso, apóstata e cheio de heresias, económico e político, que sempre
perseguiu a verdade e os santos do Altíssimo em diferentes épocas (e.g. as
Cruzadas papais, a Inquisição na Idade Média sob a égide de Roma e o Holocausto
na 2ª Guerra Mundial) e assim há-de continuar até que Yeshua venha para reinar
sobre todas as nações e ponha termo a este estado de coisas.

A besta que saiu do mar (aqui o termo “mar” significa povos, nações e línguas sobre
os quais essa besta está assentada e vem exercendo o seu poder diabólico,
conforme nos é dito em Apocalipse) nos tempos correspondentes à profecia dos
1260 anos de que nos fala Daniel e que foi exercido pelo poder papal que vigorou
entre 538 e 1798, e a besta que saiu da terra e que vem sendo exercido pelo mesmo
poder restaurado, cuja cabeça sofreu uma chaga que parecia mortal mas que foi
curada (lembremos que todo o mundo se admirou da cura da chaga mortal quando
em 1929 foi assinado o Tratado de Latrão e foi criado em Roma o Estado do
Vaticano).

Vejamos algumas passagens do Livro de Apocalipse e os sinais que nos ajudarão a
melhor situar esta parte introdutória e a conhecer esta besta que irá à perdição –
Apocalipse 17:8 – “A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá
à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro
da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já
não é, mas que virá”. Do conhecimento desta verdade dependerá o não virmos a
ser envolvidos pelas doutrinas e pelos sinais do engano de Satanás e dos seus
servos e não recebermos a sua marca para destruição. Os que aceitarem a marca da
besta serão grandemente castigados no tempo da ira do Cordeiro de Deus e não
poderão entrar no Reino do Santo – Apocalipse 19:20; 20:4.

Vejamos:

Apocalipse 13:11-12: “E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres
semelhantes aos de um cordeiro; e falava como o dragão. E exerce todo o
poder da primeira besta na sua presença, e faz que a terra e os que nela
habitam adorem a primeira besta, cuja chaga mortal fora curada”. Esta é a
imagem da grande igreja que se tem prostituído pelo poder que adquiriu no mundo e
que lhe foi dado por Satanás, a qual tem reinado e ainda reina sobre todos os reinos
deste mundo debaixo do poder e influência do maligno. A mesma besta que
modificou os tempos e a Lei como nos diz em Daniel 7:25a. Esta besta tem dois


Vítor Quinta                                                                    135
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

chifres, que, como já antes vimos, apontam para o catolicismo romano e para o islão,
pois, curiosamente, como já antes apontámos, ambos os movimentos são
responsáveis por terem mudado os tempos e a Lei.

Apocalipse 13:16-18: “E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres,
livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas,
para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou
o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que
tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um
homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis [666]”. Este é o número
de um homem, ou seja, o número que tem sido comum aos vários anti-Cristos que
viveram até agora e também ao que se há-de manifestar no tempo do fim. Por
exemplo, este número está inscrito na tripla tiara papal que vários chefes religiosos
romanos usaram ao longo dos tempos; quando se atribui um valor numérico segundo
o sistema numérico romano (e.g. I=1; V=5; X=10, etc.) às inscrições ali colocadas, de
entre as quais destacamos: 'VICARIUS FILII DEI' = 666.

Gostaríamos de fazer aqui uma ressalva para apontar que existem autores islâmicos
que apontam que o número 666 é o número que representa e está associado ao livro
sagrado dos islamitas, o Corão, indicando que basta pesquisar na Internet em “Quran
666” para podermos adquirir essa certeza. Outros apontam o Islão72 como o “falso
profeta” de que a Bíblia nos fala, o que também se encaixa no perfil detalhado na
Bíblia.

Sem descartar esta real possibilidade, tanto mais que são os povos à volta de Israel
que sempre se opuseram e perseguiram o povo de Israel através da História
(principalmente os descendentes de Ismael e de Esaú – edomitas, bem como os
filhos da “grande prostituta”), não podemos deixar de olhar com grande atenção para
o papel que a “grande prostituta” do Apocalipse, a igreja católica romana,
desempenhou também na perseguição e morte deste mesmo povo ao longo da
História (cruzadas, inquisição, colaboração com o nazismo, etc., etc.). Temos assim
uma estranha (ou talvez não) comunhão de interesses entre o islamismo e o
romanismo, ambos adversários da Verdade de YHWH e, por isso mesmo, súbditos
de Satanás.

Na realidade, muitos estudiosos da Bíblia apontam também o Islão como sendo “o
falso profeta”, o que não deixa de ser verdade; cá temos de novo a evidência dos
dois chifres proféticos. Poderemos assim encontrar um significado mais lato para o
que significa ser “o falso profeta”, o que não deixa de englobar tanto o romanismo (e
suas filhas evangélicas) como o islamismo, pois ambas as correntes religiosas se
opõem à Lei de YHWH e ao Seu Cristo, Senhor Yeshua.




72
   Islão significa “submissão”, o que não deixa de traduzir toda a luta secular que estas hostes bélicas
têm travado para submeter outros povos ao seu deus – Allah, sendo, em particular, inimigos dos filhos
de Israel. A maior expressão desta luta, encontramo-la, nos dias de hoje, nos muitos grupos de
radicais islâmicos e nos atentados que levam a cabo. Todo o Islão está cheio de ódio, repressão e
violência; os adultos ensinam os seus filhos no caminho do ódio a Israel desde a mais tenra idade.
Criam filhos para a morte. Eles assumem esta luta como uma “guerra santa” contra os infiéis, i.e.
todos os não-muçulmanos. Porém, YHWH, não os deixará sem castigo, e.g. Ezequiel 25:12-15.


Vítor Quinta                                                                                       136
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Por outro lado, também a Palavra de Deus nos diz que o espírito do anti-Cristo está
naqueles que negam a vinda de YHWH na carne e o sacrifício de Yeshua, conforme
nos é dito por João em 1.João 4:3 – “E todo o espírito que não confessa que
Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo,
do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo”.

2 João 1:7 – “Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não
confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o
anticristo”. Embora algumas correntes ditas cristãs acabem por negar o sacrifício de
Yeshua, na realidade, esse sacrifício é frontalmente negado pelo Islão, que não
aceita a existência de Yeshua como “Filho do Deus Altíssimo”, mas somente como
mais um profeta humano e não como O Emmanuel, O Deus connosco.

Conhecendo também um pouco do significado/simbologia dos números, aprendemos
que, enquanto o número 7 simboliza a perfeição de Deus (7 espíritos de Deus,
sétimo dia de descanso - o Sábado, sete igrejas, etc.), o número 6 representa o
homem e a sua imperfeição. Quando o número 666 nos aparece em forma tripla
referido em Apocalipse ficamos com a certeza que a Palavra está a apontar para
qualquer coisa ou conjunto imperfeito, maléfico, que entendemos representar a
associação entre:

    •   “O dragão”, que todos sabemos ser Satanás; o “dragão” que deu o seu poder
        à primeira “besta” – Apocalipse 13:2. Satanás voltará a dar o poder à segunda
        “besta”, os poderes terrenos que sempre foram e continuam a ser cavalgados
        (dominados) pela mulher vestida de cor escarlata (vermelho) e, também ao
        anti-Cristo e ao “falso profeta”. Temos então aqui as três figuras: “dragão”,
        “besta” e “falso profeta” representados pelo número 666.

    •   “A primeira besta”, que tudo fez para destruir o povo de Deus através da
        História, sendo nesse propósito bem sucedida durante largos séculos.

    •   “A segunda besta”, a dos dias do fim (personificada também na figura de um
        homem perverso, o anti-Cristo, e também dos povos árabes que vêm do
        deserto contra Israel) que tem o mesmo objectivo da primeira “besta” –
        Apocalipse 13:11-12, está intimamente ligada ao “falso profeta” (também este
        portador do número 6) e que terá ao seu serviço durante o período de uma
        hora os 10 reis, ou poderes terrenos, que lhe hão-de conceder o poder para,
        em conjunto, lutarem contra Israel e contra O Cordeiro de Deus – Apocalipse
        17:12-14. É este trio diabólico que actuará nos dias do fim para levar a
        humanidade à destruição: “o dragão/Satanás”, “a besta/o anti-Cristo” e o “falso
        profeta/Roma/Meca/Islão”. Estes três aliados serão os causadores da grande
        tribulação dos “dias do fim” e do grande e terrível confronto armado contra
        Israel e Jerusalém, na designada “Guerra de Armagedão”. Apocalipse 16:13-
        14 diz-nos: “E da boca do dragão [6], e da boca da besta [6], e da boca do
        falso profeta [6] vi sair três espíritos imundos, semelhantes a rãs. Porque
        são espíritos de demónios, que fazem prodígios; os quais vão ao
        encontro dos reis da terra e de todo o mundo, para os congregar para a
        batalha, naquele grande dia do Deus Todo-Poderoso”.



Vítor Quinta                                                                       137
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


E, estes três estão também unidos neste número 666, pois todos eles sempre se
opuseram ao Deus Todo-Poderoso (“El Shaddai”), sendo seu propósito confundir a
humanidade através da manipulação e distorção da verdade, conduzindo multidões
ao erro e à destruição, a esses que não quiseram crer na palavra de Verdade que
lhes foi anunciada. O seu principal objectivo foi e é destruir o povo do Altíssimo. De
resto, como já dissemos, a noção de “besta do Apocalipse” deve também ser
alargada, numa visão mais lata, a todo um sistema global corrupto e iníquo, que é
personificado pelos poderes terrenos, tanto os religiosos, como os militares, os
económicos e as instituições (governos) deste mundo que governam em oposição às
leis de Deus.




                           (João Paulo II a beijar o Corão – a estranha aliança)

Apocalipse 17:5 – “E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande
Babilónia, a mãe das prostituições e abominações da terra”: a “mulher
prostituta”, vestida de púrpura e escarlate (embora nesta foto, o seu representante
apareça também vestido de branco), que tem reinado sobre os poderes deste
mundo, continua a fazer as suas alianças contra Deus e o Seu povo.




João Paulo II num encontro com Arafat (inimigos de Israel)




                   No velório de João Paulo II (vestido de cor de escarlata, bem como os seus bispos e cardeais).




Vítor Quinta                                                                                                138
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Continuemos:

Apocalipse 14:9-11: “E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se
alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na
sua mão, também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não
misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante
dos santos anjos e diante do Cordeiro. E a fumaça do seu tormento sobe para
todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a
besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome”. Que “sinal”
será este?

Apocalipse 15:2: “E vi um como mar de vidro misturado com fogo; e também os
que saíram vitoriosos da besta, e da sua imagem, e do seu sinal [vemos assim
que a besta também tem um “sinal”], e do número do seu nome [666], que
estavam junto ao mar de vidro, e tinham as harpas de Deus”. Esta profecia
mostra-nos aqueles que sairão vencedores da grande tribulação que sobre eles se
há-de abater antes da vinda do Cristo Yeshua. Mesmo que sejam mortos pelo Nome
do Cordeiro de Deus, eles sairão vitoriosos, tal como Yeshua triunfou sobre a morte,
como o primeiro entre muitos.

Quanto à “imagem” da besta de que nos fala a profecia, muito se tem dito acerca do
que poderá ser esta imagem, variando entre a figura/imagem da “virgem Maria” (culto
a Maria como tem sido o apanágio de vários “papas” romanos), até à “cruz” ou ao
“crucifixo” ou ainda de algo que irá surgir nos “dias do fim” para surpreender ainda
mais os que rejeitam a verdade. Porém, tudo o que se possa dizer poderá, nesta
altura, constituir especulação. Porém, não nos custaria a crer que essa “imagem” se
afaste muito das múltiplas aparições da “virgem” e das “mensagens” que têm
propagado em nome da suposta aparição da mãe de Yeshua, pois sabemos:

    •   Que Satanás tem o poder de se transformar em anjo de luz e enganar
        multidões. Temos o exemplo do culto mariano em Fátima e em muitas outras
        partes do mundo neste “dias do fim”, que arrasta multidões cegas para o
        engano e para a perdição – 2.Coríntios 11:14.

    •   Que ninguém subiu ao céu senão O que de lá desceu, O Filho do Homem –
        João 3:13. Ora, se ninguém subiu ao céu, é errado todo o ensinamento do
        romanismo que “Maria” está no céu a interceder pelos homens.

    •   Que O Único intercessor junto do Pai é O Cristo Yeshua, nosso Advogado.

    •   Que nenhum nome há dado entre os homens pelo qual devamos ser salvos –
        Actos 4:12.

Apocalipse 16:2: “E foi o primeiro, e derramou a sua taça sobre a terra, e fez-se
uma chaga má e maligna nos homens que tinham o sinal da besta e que
adoravam a sua imagem”. Eis sinais proféticos inequívocos de castigos que YHWH
há-de derramar sobre os que se submeterem ao poder diabólico da besta, aceitando
o seu sinal e adorando a sua imagem.



Vítor Quinta                                                                      139
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Apocalipse 19:20: “E a besta foi presa, e com ela o falso profeta, que diante dela
fizera os sinais, com que enganou os que receberam o sinal da besta, e
adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no lago de fogo que
arde com enxofre”. Este é o castigo que YHWH destinou para os principais
responsáveis pelo engano dos povos – os que comandam a própria besta e o falso
profeta do tempo do fim.

Apocalipse 20:4: “E vi tronos; e assentaram-se sobre eles, e foi-lhes dado o
poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho
de Jesus, e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta, nem a sua
imagem, e não receberam o sinal em suas testas nem em suas mãos; e
viveram, e reinaram com Cristo durante mil anos”. Vemos aqui claramente a
recompensa dos justos, daqueles que saíram da grande Babilónia das nações, de
todos os que não se vergaram ao poder da besta e do falso profeta, nem adoraram a
imagem da besta, mas mantiveram a sua confiança e fidelidade aos mandamentos
de Deus, conservando a sua fé no sangue redentor de Yeshua – Apocalipse 1:6;
5:10; 12:17; 14:12.

Depois de lermos estas passagens podemos então tirar algumas conclusões:

    1. Os que receberem o sinal da besta (que iremos identificar de seguida) serão
       aniquilados pelo Deus Todo-Poderoso, Senhor YHWH, para todo o sempre; a
       ira do Altíssimo os destruirá.

    2. Os que não receberem o sinal da besta (os que resistirem e provarem a sua
       fidelidade ao Deus YHWH e aos Seus preceitos) herdarão a vida eterna, e
       serão reis e sacerdotes com O Cristo Yeshua durante mil anos. Farão parte da
       Nova Jerusalém. Serão iguais aos anjos – Lucas 20:36. Viverão eternamente
       com YHWH numa nova e grandiosa condição. Este é o galardão dos fiéis.

As coisas de Deus são muito simples de entender. Qualquer ser humano tem
capacidade para as compreender se as buscar com um coração sincero e rogar a
Deus por inteligência e sabedoria. As Suas promessas são facilmente entendíveis e
guardadas pelos que O buscam com um coração sincero, humilde e obediente. Sim
porque as coisas de Deus são discernidas pelo Espírito de Deus para o espírito do
homem. Elas são-nos reveladas pelo Espírito Santo que emana do Pai e do Filho,
pois se esse poder divino não se manifestasse no nosso coração (na nossa mente)
não as poderíamos compreender, aceitar e viver por elas. E isso implica uma
profunda transformação e entrega dos nossos corações/mentes. Implica nascer de
novo em Cristo, nascer do “Alto” e morrer para este mundo.

Desde o princípio que O Senhor YHWH fala aos filhos de Israel dizendo-lhes:

Deuteronómio 30:19: “Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós,
de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois
a vida, para que vivas, tu e a tua descendência”, palavras mais tarde confirmadas
em Jeremias 21:8: E a este povo dirás: “Assim diz YHWH: Eis que ponho diante
de vós o caminho da vida e o caminho da morte”. Esta mesma palavra também
nos continua a ser dita hoje. Assim, se escolhermos os caminhos da mentira de


Vítor Quinta                                                                   140
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

Satanás e dos seus falsos profetas, esses ensinamentos desviados da Verdade que
é Cristo Yeshua, estaremos a escolher o caminho da morte, estaremos a deixar que
a besta nos coloque a sua marca. Em particular quando rejeitamos o conselho de
Deus contido na Sua Lei/Torá.

De resto, não se pense que a marca de Deus e a marca de Satanás só seriam
colocadas sobre os homens que viessem a viver nos chamados “dias do fim”. Essas
marcas estiveram sempre presentes desde o princípio e marcaram os homens que
viveram ao longo de todos os séculos até aos dias de hoje, e assim será até que
Yeshua venha como Rei. Muitos andam apavorados que a marca da besta possa ser
um micro-chip electrónico que possa vir a ser implantado de forma subcutânea em
cada ser humano – tipo código de barras, e que os impedirá de comprar e vender. É
falso. Tanto a marca de Deus como a de Satanás são marcas espirituais que se
tornam visíveis na forma de viver e actuar de cada ser humano, conforme ao que
cada um tem no seu interior/coração/mente.

Vamos então ver, em concreto, o que significa ter a marca de Deus em alternativa à
marca da besta/Satanás. Não nos esqueçamos que uma se opõe à outra: a marca de
Satanás aparece sempre como uma adulteração da marca de YHWH.

           O sinal ou a marca de YHWH                O sinal ou a marca da Besta (de Satanás)
- A doutrina da verdade, baseada na Lei eterna    - As doutrinas adulteradas, incluindo a Lei de
de YHWH, a Torá de Israel                         Deus falsificada pelo homem – Daniel 7:25
- Os Sábados santos (semanais e anuais), como     - O Domingo e as celebrações falsificadas pelo
parte integrante da Torá, esta já gravada no      homem e por Satanás (Natal, falsa Páscoa, etc.);
coração/mente dos fiéis para por ela viverem em   a cruz, o crucifixo, o sinal da cruz; os símbolos de
obediência. Estes são os selos ou a marca da      adoração do paganismo, bem como do sol,
Criação de YHWH.                                  muitos comuns no romanismo, e que remontam
                                                  ao culto babilónico do “deus-sol”-Tammuz.




Quando comparamos as passagens que estão em Salmo 57:4 com o que nos é
ensinado em Apocalipse 19:5, que diferença encontramos? Vemos que:

    •   No Salmo 57:4 a língua dos filhos dos homens são comparadas a espadas
        afiadas que estão viradas para o mal; porém,
    •   Apocalipse 19:5 fala-nos do Eterno Rei Yeshua que, na Sua vinda, da Sua
        boca sairá uma espada aguda, e com ela ferirá as nações. Ele as regerá com
        vara de ferro. Que espada aguda é esta? E qual o significado da vara de
        ferro? A resposta é simples: tanto a espada aguda como a vara de ferro nos
        falam da “Lei de YHWH”, a Torá de Israel, a qual passará a estar gravada nos
        corações/mentes, em disciplina de vida (a vara de ferro), conforme nos é
        ensinado que sucederá durante o milénio do governo de Yeshua, O Rei:
        Jeremias 31:31-33; Hebreus 8:10; 10:16, entre outras passagens. É através
        das disposições da Lei/Torá que Deus deu ao homem (a todo o homem) que
        ele será julgado, a mesma Lei/Torá de que o apóstolo nos fala em Tiago 1:25
        – “…a lei perfeita da liberdade…”.




Vítor Quinta                                                                                     141
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Vejamos, à luz da Palavra de Deus o que é o “sinal” ou a “marca” de Deus:

Êxodo 13:9b: “E [a Minha Lei] te será por sinal sobre tua mão e por lembrança
entre teus olhos, para que a lei de YHWH esteja em tua boca”. No seu contexto,
esta passagem fala-nos da Lei/Instrução/Ensino de YHWH como um sinal (ou uma
marca) dado a Israel através do Seu servo, o profeta Moisés. Para quê? Para que
esse “sinal” de YHWH esteja na boca de todo o que crê. Ora, como sabemos, a boca
fala do que está no coração/mente do homem.

Deuteronómio 6:4-8: “Ouve [Sh’ma]73, Israel, YHWH nosso Deus é o único YHWH.
Amarás, pois, a YHWH teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e
de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno [a Minha Lei, o
meu Ensino ou Instrução], estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos
e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e
levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais
entre os teus olhos. Serão estes mesmos preceitos divinos que finalmente serão
gravados no coração do homem, quando Ele vier para reinar eternamente: Jeremias
31:31-34; Hebreus 8:10; 10:16.

Mateus 4:4: “Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão
viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”.

Por analogia, lembremos que quando YHWH livrou o povo de Israel do anjo da morte
que assolou todos os primogénitos dos egípcios na noite em que o povo foi libertado
da escravidão do Egipto, mandou que todos os que esperavam a sua libertação
matassem um cordeiro e colocassem o sangue desse animal (tipo de Yeshua, O
Cordeiro de Deus) sobre as ombreiras das respectivas portas de suas casas. O que
foi isso senão um sinal ou marca, para que o anjo da morte reconhecesse onde se
encontravam os filhos do povo de Israel e os poupasse? Houve ali salvação (terrena)
porque foi possível identificar aqueles que, pela obediência, desejaram levar o sinal
de Deus sobre as suas casas. Assim foi sempre. Cada homem tem que fazer a sua
opção espiritual. E, das duas uma, ou leva em si mesmo (no seu tabernáculo/corpo,
na sua habitação/mente) o sinal da obediência e será poupado ou, pelo contrário, os
que preferem aceitar o sinal da rebeldia serão marcados como filhos da
desobediência, sobre estes caindo a ira do Cordeiro e um pesado castigo eterno.

Satanás tem vindo a adulterar estas verdades em todos os tempos, servindo-se dos
filhos da desobediência como ferramenta sua, precisamente os que praticam a
iniquidade (lembremos que iniquidade é a transgressão da Lei de YHWH) – 1.João
3:4. Estas doutrinas falsificadas são a marca da besta. Nestes tempos presentes
imperam a idolatria, a bruxaria, o espiritismo, o engano espiritual, o homicídio, toda a
sorte de perversões e muitos outros actos condenados por Deus na Sua Lei/Torá. O
Domingo afirma-se cada vez mais por insistência da igreja católico-romana, apóstata,
que nela e nas testas dos seus máximos representantes têm inscrito o número
“seiscentos e sessenta e seis”, como o falso dia do Senhor, o dia que YHWH não
santificou. Ao contrário deste, o Sábado santo é o memorial da criação de YHWH e
uma das expressões da Sua vontade – a marca de Deus.

73
     Sh’ma é sinónimo de “ouvir e fazer”; “ouvir e obedecer”.


Vítor Quinta                                                                        142
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


O Domingo, pelo contrário, é o dia que desde tempos antigos (lembremos Nimrod) foi
dedicado ao culto de um deus pagão – Tammuz, o “deus-sol” babilónico, o que é
uma abominação que YHWH não perdoou a Israel: Ezequiel 8:14-18. O que seguir
estes falsos ensinamentos está a permitir que Satanás coloque a sua marca (a marca
da rebeldia) no seu coração.




No mundo do paganismo romano, estes símbolos (sinais, imagens ou marcas) foram
sendo “induzidos” e gravados no coração das pessoas como símbolos “cristãos”.
Porém, nada têm de cristãos nem os devemos associar ao sacrifício do Filho de
Deus, Yeshua, no madeiro (stauros). Antes têm origem no paganismo babilónico e
nos cultos ao “deus-sol” – “Tammuz” (ou “Ra” no antigo Egipto). Da mesma forma
que não devemos guardar o Domingo (Sun-day), dia do sol, como o dia de descanso
para o povo de Deus. Deus reservou o Sábado (que significa “descanso”) para esse
fim e o santificou – Êxodo 20:8-11, como memorial da Sua criação e como a Sua
“marca” ou “sinal”.

Para melhor compreendermos estas questões, devemos ainda estudar as seguintes
passagens bíblicas:

    •   Êxodo 13:9; 31:13
    •   Deuteronómio 6:6, 8; 30:10
    •   Ezequiel 9:4-6
    •   Romanos 4:11
    •   Apocalipse 7:3

A Bíblia Sagrada ensina-nos ainda que os que irão viver com O Eterno são os que
“guardam os mandamentos de Deus e têm a fé de Jesus”, conforme nos é dito
em Apocalipse 12:17 e 14:12. O Senhor falou também de forma muito clara através
do profeta em Isaías 8:16, 20: “Liga o testemunho, sela a lei entre os meus
discípulos…À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, é
porque não há luz neles”. Alguma dúvida?




Vítor Quinta                                                                  143
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Conservemo-nos pois do lado dos que são fiéis a YHWH e ao Seu Messias (a Sua
Palavra), deixando que Ele grave o Seu sinal ou a Sua marca em nós, obedecendo-
Lhe em amor e fé aos Seus preceitos, retribuindo o amor com que Ele primeiro nos
manifestou através da entrega do Seu Filho Yeshua, e aceitando unicamente a
marca de YHWH nas nossas mãos (não trabalhando ao Sábado conforme o
mandamento) e nas nossas mentes (onde devemos guardar todos os Seus preceitos
para os cumprir) para firmarmos a viva aliança e esperança de um dia virmos a fazer
parte daquela tão grande multidão que lavaram os seus vestidos no sangue do
Cordeiro74, nessa Nova Jerusalém, a Esposa do Cordeiro.



5.     Os 4 cavaleiros do Apocalipse

Podemos desde já antecipar que estas quatro figuras prenunciam grandes castigos
sobre toda a humanidade (julgamentos de Deus) e que o primeiro dos cavaleiros, o
do cavalo branco que leva um arco na sua mão, e que vem descrito em Apocalipse 6,
não deve ser confundido com O Cavaleiro que também virá montado num cavalo
branco e que nos é descrito em Apocalipse 19:11, porque o que nos é descrito no
capítulo 6 representa forças terrenas associadas a grandes acontecimentos do tempo
do fim, enquanto Aquele que também vem montado num cavalo branco mas que nos
é descrito no capítulo 19 vem do céu, é celestial. Podemos entender melhor Quem é
este Cavaleiro celestial se lermos o capítulo 5 de Apocalipse, pois Este não é senão
Aquele, O Único, que é digno de abrir os 7 selos do livro (rolo) que ali nos é
apontado.

A particularidade deste rolo é que o mesmo estava escrito nas duas faces e estava
selado com sete selos e ninguém estava qualificado para o abrir, excepto Aquele que
foi O Único considerado digno de tal feito: O Cordeiro de Deus, O Filho Senhor
Yeshua, O Leão da tribo de Judá, que morreu por aqueles que a Ele se entregam e
somente por aqueles.

A particularidade dos sete selos é que cada um deles irá sendo aberto/quebrado, à
medida que o rolo se for desenrolando, ou seja, à medida em que se forem
cumprindo os acontecimentos nele profetizados. Muitos dos acontecimentos ali
profetizados ocorrerão de forma sequencial e até em simultâneo, como veremos mais
adiante pelos sinais que lhes estão associados.

Temos vindo a falar de castigos (mas também de redenção e recompensa) pois isso
é o que o apóstolo Paulo nos ensina em Romanos 2:3-11 – “E tu, ó homem…
cuidas que… escaparás ao juízo de Deus? Ou desprezas tu as riquezas da sua
benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de
Deus te leva ao arrependimento? Mas, segundo a tua dureza e teu coração
impenitente, entesouras ira para ti no dia da ira e da manifestação do juízo de
Deus; O qual recompensará cada um segundo as suas obras; a saber: A vida
eterna aos que, com perseverança em fazer bem [i.e. aos que andam na

74
  Nalgumas versões da Bíblia vem uma nota de rodapé informando que “lavar os vestidos no sangue
do Cordeiro” significa “guardar os Seus mandamentos”.


Vítor Quinta                                                                              144
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

Lei/Torá de YHWH], procuram glória, honra e incorrupção; mas a indignação e a
ira aos que são contenciosos, desobedientes à verdade e obedientes à
iniquidade [transgressão das leis de YHWH]; tribulação e angústia sobre toda a
alma do homem que faz o mal; primeiramente do judeu e também do grego;
glória, porém, e honra e paz a qualquer que pratica o bem [o que anda segundo
as leis de YHWH]; primeiramente ao judeu e também ao grego; porque, para
com Deus, não há acepção de pessoas”. A condenação de Deus sobre a
humanidade impenitente é justa, como nos diz Paulo em Romanos 3:5-6, 8. O Todo-
Poderoso virá a julgar a Terra.

Vamos agora fazer uma distinção entre:

    i)   O que serão as perseguições e destruição causados pelo próprio homem (e
         por Satanás, que dará o seu poder ao homem rebelde, particularmente aquele
         que será o anti-Cristo do tempo do fim), e que se encontram descritas na
         acção dos 4 cavaleiros do Apocalipse, e

    ii) Os castigos que cairão sobre a humanidade rebelde por determinação do
        próprio Deus (no tempo da ira do Cordeiro), estas que são comparadas às
        pragas que foram derramadas sobre o Egipto ao tempo de Moisés e que
        trataremos no capítulo seguinte: “As 7 trombetas, os 7 selos, as 7 taças e os
        “ais”” também relatadas no livro de Apocalipse.

Vamos então centrar a nossa análise em cada uma das figuras que nos aparecem
descritas em Apocalipse 6, relacionando esta profecia com a profecia paralela que
nos é também descrita em Zacarias 6 e que nos fala de quatro carros puxados por
cavalos com as quatro cores dos cavalos apontados em Apocalipse, apontando para
a repartição da terra em quatro partes à frente das quais se encontram exércitos
poderosos. Temos que, igualmente, considerar os ensinamentos do Messias quando
responde aos Seus discípulos acerca dos “dias do fim” em Mateus 24, Marcos 13 ou
Lucas 21, pois sabemos que todas estas profecias são provenientes do Mesmo
Senhor.

Aqui, porém, só iremos descrever as características que nos são apontadas em
Apocalipse 6, levando em conta as várias possíveis interpretações de cada uma das
figuras que nos são apresentadas naquela profecia.

Lembremos que muitos colocam as figuras destes quatro cavaleiros na sequência
universal de acontecimentos ligados à conquista, guerra, fomes e morte, tão
presentes ao longo da história da humanidade, o que não deixaram de ser castigos
que vieram sobre esses povos. Mas, nos tempos destes cavaleiros a Palavra fala-nos
de castigos muito mais duros e extensos para os “dias do fim”, como diz a Revelação
feita a João em Apocalipse 1:19 – “Escreve as coisas que tens visto, e as que
são, e as que depois destas hão de acontecer”, pois as vidas de multidões serão
ceifadas (e.g. Apocalipse 6:8). Não estamos pois a falar de castigos que foram
ocorrendo no passado, mas de outros que virão como nunca antes aconteceu.




Vítor Quinta                                                                     145
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Vamos então analisar com algum detalhe o significado dos quatro primeiros selos
proféticos – os dos quatro cavaleiros e da simbologia que está lhes associada,
procurando, ao mesmo tempo, apresentar as diferentes visões que nos são
apresentadas por algumas correntes de estudiosos da Bíblia:

  1.    Com a abertura do 1º selo aparece-nos a figura do primeiro cavaleiro,
        montado num cavalo branco e que é descrito desta forma no verso 2: “E
        olhei, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele tinha
        um arco; e foi-lhe dada uma coroa, e saiu vitorioso, e para vencer”.
        Vamos concentrar-nos nas características que nos são descritas em relação
        ao cavaleiro:

        •      Tinha um arco na sua mão – o arco foi sempre um instrumento de guerra,
               de ataque (só que neste caso ele não transporta flechas). Muitas
               referências são feitas ao arco na mão de Deus quando Ele pretende infligir
               castigos aos que se revelam como Seus adversários – e.g. Lamentações
               2:4; Jeremias 50:29.

        •      Foi-lhe dada uma coroa – a coroa é o símbolo de alguém com poder,
               normalmente aquele que está à frente de um reino; esta autoridade é-lhe
               sempre conferida pelo próprio Deus – e.g. Daniel 4:17; Romanos 13:1.

        •      Saiu vitorioso – esta afirmação confirma o nosso entendimento que se
               trata de alguém que empreendeu uma acção e que foi bem sucedido.

        •      Para vencer – para além da conclusão anterior vemos que o propósito
               daquele que tinha a coroa (o poder) na sua cabeça, era lançar-se nesta
               empresa para sair vencedor.

        Com base nestas características guerreiras, muitos entendem que esta figura
        se aplica ao “falso profetismo” que, na realidade, tem saído vencedor em
        todas as frentes, quer seja o falso profetismo ligado ao “cristianismo” dos
        tempos actuais, quer seja o falso profetismo islâmico. Ambas as facetas do
        falso profetismo têm arregimentado multidões após si. Muitos são enganados
        com falsas promessas e falsos “cristos” e, na realidade, têm sido enganados
        por aquele que está sentado sobre este cavalo branco. A cor branca deste
        cavalo induz muita gente a pensar que está a trilhar um caminho de pureza.
        Este cavalo parece também transmitir uma mensagem de paz. Porém, esta é
        uma falsa paz. O seu cavaleiro não deixa por isso de ser um conquistador.
        Porém, enganador. Este cavaleiro começou desde cedo a exercer a sua
        acção de conquista quando a heresia entrou na igreja nos primeiros séculos
        pós-Cristo, particularmente quando a igreja passou de perseguida a
        perseguidora – a partir do século IV d.C., ao tempo do Imperador Constantino
        e da adopção das falsas interpretações doutrinais dos chamados “pais da
        igreja”.




Vítor Quinta                                                                         146
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


        Este engano começou a ser muito visível a partir da morte dos apóstolos,
        quando os lobos devoradores se misturaram com o rebanho e o espalharam.
        A maioria dos chamados “pais da igreja” foram os primeiros fomentadores do
        engano, da apostasia (e.g. o Domingo em vez do Sábado santo começou a
        ganhar força e raízes a partir desta altura; a doutrina da imortalidade da alma,
        etc., etc.) e da heresia que pouco a pouco se foram introduzindo na igreja e
        que hoje são bem patentes aos nossos olhos.

        O próprio Senhor Yeshua ajuda-nos a interpretar correctamente este cavaleiro
        (não esquecer que a Bíblia se interpreta a si mesma) em Mateus 24:4-5 – “E
        Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos
        engane; porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e
        enganarão a muitos”. Ele já antes nos tinha avisado contra os falsos profetas
        – Mateus 7:15-16. As suas palavras são esclarecedoras e devem ser ligadas à
        figura deste cavalo branco e do seu cavaleiro, mestre no engano e na
        decepção religiosa. Multidões estão a ser enganadas e conduzidas para a
        destruição…há muito! Muitos têm vindo em nome do Cristo Yeshua e têm
        enganado estas multidões.

        Porém, outros entendem que este cavalo branco e o seu cavaleiro são a figura
        ligada à expansão do Evangelho: “E este evangelho do reino será pregado em
        todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim” – Mateus
        24:14. Na realidade, esta foi uma empresa bem sucedida, apesar dos muitos
        percalços que sofreu ao longo do tempo, mas não cremos que esta deva ser a
        correcta interpretação pelo que já vimos acima das palavras de Yeshua, uma
        vez que tal empreendimento ordenado e apoiado pelo Deus YHWH nunca
        pode ser entendido como um castigo.

        Ainda, na figura deste cavaleiro, muitos vêm ainda o anti-Cristo dos “últimos
        dias” – “o príncipe que virá”, como nos é dito em Daniel 9:2675 e o seu
        propósito de conquistar o mundo através do poder que lhe será conferido pelo
        próprio deus deste mundo – Satanás, conforme também nos é dito em
        Apocalipse 13:2; 2.Tessalonicenses 2:8-10; Lucas 4:6. Há ainda quem veja
        neste cavaleiro a figura daquele que há-de surgir a partir de um império
        romano renascido nos últimos dias, a União Europeia.

        Como se viu, muitas podem ser as interpretações desta figura, mas estamos
        convencidos que a sua correcta interpretação representa o falso profetismo
        que cedo se instalou no mundo; é nos “dias do fim” que este cavalo e
        cavaleiro têm maior visibilidade e diversidade devido aos actuais meios de
        comunicação e à multidão de correntes doutrinais; veja-se os exemplos do
        catolicismo romano, das suas filhas evangélicas, do islamismo, dos
        movimentos “new age”, das filosofias/cultos orientais, do espiritismo e de toda
        a classe de cultos satânicos, etc., etc.



75
  Este “príncipe que virá” é igualmente entendido por alguns como sendo o General Tito que
conquistou e destruiu Jerusalém e o Templo no ano 70. Esta pode ser mais uma entre várias profecias
que têm duplo cumprimento no tempo.


Vítor Quinta                                                                                  147
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


     2.    Com a abertura do 2º selo surge em cena um cavalo de cor vermelha76 cujo
           cavaleiro tem as seguintes características – verso 4: “E saiu outro cavalo,
           vermelho; e ao que estava assentado sobre ele foi dado que tirasse a paz
           da terra, e que se matassem uns aos outros; e foi-lhe dada uma grande
           espada”. Vejamos:

           •   Tinha o poder de tirar a paz da terra – é manifesto o quanto este cavaleiro
               há muito vem exercendo a sua missão de discórdia entre as nações e
               entre os homens em geral. Este clima induz necessariamente a guerra.

           •   Os homens matar-se-ão uns aos outros – as guerras não têm tido fim,
               apesar das instituições internacionais criadas pelos governantes para
               porem fim à guerra, o que confirma as profecias de Daniel 9 – “até ao fim
               haverá guerra”.

           •   Foi-lhe dada uma grande espada – esta grande espada significa que a
               guerra será levada a todo o lado, a todos os povos – o mundo não
               conhecerá a paz até que venha O Rei Yeshua.

           Desde logo, a cor vermelha deste cavalo sugere derramamento de sangue em
           larga profusão, tanto mais que estamos à beira do tempo da “grande
           tribulação” dos últimos dias, os dias que hão-de preceder a vinda gloriosa de
           Yeshua. Tal como Ele nos diz na Sua Palavra: “se aqueles dias não fossem
           abreviados, nenhuma carne se salvaria”…Os teatros de guerra vêm-se
           multiplicando ao longo dos séculos, com maior incidência no Século XX (duas
           guerras mundiais) e irão culminar num caos total nos “dias do fim”. É
           entendimento de muitos que este cavalo e cavaleiro retratam os últimos
           confrontos, envolvendo Gog e muitos povos seus aliados (incluindo os árabes
           e as nações islâmicas) culminando na batalha de Armagedão (Ezequiel 38 e
           39; Daniel 11; Salmo 83). Esta figura profética é talvez a que mais facilmente
           se interpreta e sobre a qual os estudiosos da Bíblia são concordantes.

           O clímax destes dias futuros ocorrerá em Israel e nas terras circunvizinhas –
           relembremos, por exemplo, a já referida profecia da destruição de Damasco
           em Isaías 17:1, 14. Tais níveis de mortandade previstos na Bíblia só poderiam
           ser alcançados nos dias de hoje, através do uso das potentes e terríveis
           armas de destruição maciça que as nações hoje possuem.

           Um outro aspecto a reter é o que se prende com o uso da palavra que o
           apóstolo João usou, que não significa necessariamente “vermelho” (no grego
           “eruthros”), mas sim “da cor do fogo” (no grego “pyrros”), a que não podemos
           deixar de associar a cor das deflagrações das armas de grande poder
           destrutivo.

           Aos inúmeros e devastadores conflitos do Séc. XX seguiu-se um sem número
           de outras guerras em diferentes partes do mundo, bem como as chamadas
           “limpezas étnicas” suscitadas pelo ódio semeado entre os povos que nos

76
     Zacarias 6:7 – representando o poderio militar das nações do Leste (antigos regimes comunistas)


Vítor Quinta                                                                                      148
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

          dispensamos de enumerar, e que alimentaram toda a indústria de armamento
          das grandes potências mundiais. Como já antes dissemos, também as
          guerras anteriores ao século passado foram inúmeras. Vemos assim que este
          cavaleiro há muito que vem exercendo a sua acção, a qual terá o seu ponto
          mais alto nos “dias do fim”.

          Tal como no cavaleiro ligado ao 1º selo (cavalo branco), também Yeshua nos
          revela o significado deste cavalo vermelho em Mateus 24:6-7 – “E ouvireis
          de guerras e de rumores77 de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é
          mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se
          levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e
          pestes, e terramotos, em vários lugares”. Não restam pois dúvidas sobre o
          que representa esta figura apocalíptica. Estes ódios e ressentimentos têm
          conduzido ao recrudescimento dos crimes de sangue entre pessoas, também.
          Yeshua diz-nos que isto “ainda não é o fim”. Ao contrário de “reino contra
          reino”, a expressão “nação contra nação” significa povos contra povos dentro
          da mesma nação, i.e. as guerras civis e as limpezas étnicas a que aludimos.
          Face a tudo isto, o mundo tornou-se num lugar pouco seguro/tranquilo para se
          poder viver em paz. E o pior ainda está para vir. Este cavalo vermelho é
          seguido de outro que arrasta ainda maiores calamidades.

     3.   Com a abertura do 3º selo, no capítulo 6:5-6, a visão dada a João revela-lhe
          um novo cavalo, de cor preta78: “Vem, e vê. E olhei, e eis um cavalo preto
          e o que sobre ele estava assentado tinha uma balança na mão. E ouvi
          uma voz no meio dos quatro animais, que dizia: Uma medida de trigo por
          um dinheiro, e três medidas de cevada por um dinheiro; e não danifiques
          o azeite e o vinho”. Nesta passagem podemos ver que o seu cavaleiro tem
          as seguintes características e poder:

          •    Tem uma balança na sua mão79 – tal como a figura que se encontra
               gravada nos tribunais de todo o mundo, também aqui a balança significa
               capacidade de julgar e de intervir/decidir/submeter.

          •    Tem poder sobre o comércio e a produção de alimentos – trata-se de um
               poder que controla o comércio e a produção e distribuição de alimentos
               que hão-de ser escassos nos tempos do fim. Hoje, sabemos que muitas
               instituições internacionais têm poder de regular o comércio, estabelecer
               preços para os produtos e promover a sua distribuição. Apesar disso,
               muitas fomes endémicas têm sido registadas em muitas regiões do mundo
               até ao presente. Quando esse alimento tem que ser pesado em balanças,
               vemos nisso um símbolo da sua escassez e preço elevadíssimo.




77
   Mais do que meros “rumores”, a palavra que nos é dada no grego é “akoé” que significa “ouvir” (no
sentido activo) acerca de guerras, o que é comum nos dias em que a comunicação instantânea está
instalada, e em que se assiste até às guerras em directo na TV.
78
   Zacarias 6:6 – representando o poderio militar das nações da Europa.
79
   Do grego “zugón” que significa “jugo”, “opressão”.


Vítor Quinta                                                                                   149
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


               Porém, no futuro, quando todo o mundo estiver, de novo, envolvido numa
               guerra em larga escala, então todos os povos do mundo hão-de sofrer falta
               de mantimento, como é comum em todas as guerras, pois os homens
               estarão ocupados em fazer a guerra e não em produzir o seu sustento.
               Não foi isto que sucedeu também na Europa no decurso da 2ª Guerra
               Mundial? O tempo da tribulação também trará fome ao mundo. Os preços
               dos escassos produtos alimentares atingirão valores que consumirão os
               salários dos que ainda trabalhem nessa altura.

               No mundo ocidental a cor do luto é o preto, exactamente a cor deste
               cavalo, embora o cavalo amarelo que se segue a este, também esteja
               directamente ligado à morte de milhões de milhões. A opressão e a tirania
               serão uma constante nos “dias do fim”. Na realidade, as populações do
               hemisfério ocidental estão habituados a ver estes fenómenos ocorrerem
               em África ou no Oriente, onde a opressão e exploração são indescritíveis e
               onde as populações estão depauperadas por anos de sofrimento,
               subnutrição e escassez de tudo. Porém, estes dias também lhes tocarão
               pela porta quando todo o mundo estiver em conflito aberto. Lembremos as
               palavras de Jeremias em Lamentações 4:9 – “Os mortos à espada foram
               mais ditosos do que os mortos à fome; porque estes morreram
               lentamente, por falta dos frutos dos campos”…A escassez será uma
               constante e milhões de milhões a sofrerão. Não são estas as palavras
               proféticas de Yeshua em Mateus 24:7, “e haverá fomes” já acima
               reproduzidas?

               As fomes endémicas são bem o sinal do mau governo do homem sobre as
               nações e os povos que lhe foram confiados e cuja riqueza eles
               delapidaram pela sua cobiça e maldade. A título de exemplo, olhe-se para
               muitos dos povos africanos que morrem à fome ou por subnutrição ou para
               os milhões de pessoas que morreram às mãos de dirigentes comunistas
               tanto na antiga União Soviética como na China, para imporem os seus
               planos irrealistas. Muitos milhões de almas foram sacrificados devido à
               loucura de uns poucos.

               Todos eles voltaram as costas ao Deus Criador e ignoraram as Suas
               promessas de abundância se tão somente atendessem à Sua voz: e.g.
               Levítico 26:3-5, 10 – “Se andardes nos meus estatutos, e guardardes
               os meus mandamentos, e os cumprirdes, então eu vos darei as
               chuvas a seu tempo; e a terra dará a sua colheita, e a árvore do
               campo dará o seu fruto; e a debulha se vos chegará à vindima, e a
               vindima se chegará à sementeira; e comereis o vosso pão a fartar, e
               habitareis seguros na vossa terra… E comereis da colheita velha, há
               muito tempo guardada, e tirareis fora a velha por causa da nova”. Isto
               prometeu Ele a Israel e a todo o que ouvisse a Sua voz e andasse nos
               Seus caminhos. O contrário disto seria a materialização das maldições que
               Ele anunciou para todos os que Lhe voltassem as costas. Por isto
               sabemos que o homem colhe em função do que semeia.




Vítor Quinta                                                                         150
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


               Se continuarmos a ler em Lamentações 5:8-10 podemos obter ainda uma
               visão dos dias que se aproximam: “Servos dominam sobre nós;
               ninguém há que nos livre da sua mão. Com perigo de nossas vidas
               trazemos o nosso pão, por causa da espada do deserto. Nossa pele
               se queimou como um forno, por causa do ardor da fome”. O homem
               anda adormecido e está alienado a ponto de não ser capaz de reconhecer
               os sinais dos tempos que está a viver.

               “Vem o fim, o fim vem, despertou-se contra ti [ó habitante da terra];
               eis que vem”, diz-nos em Ezequiel 7:6. O homem comum (sem Deus)
               ainda não se deu conta disto. Como nos ensinou Yeshua, O Messias:
               estes dias serão como nos dias de Noé... A humanidade irá ter a maior
               surpresa da sua vida. O profeta Naúm falando acerca da cidade de Ninive
               tem expressões que apontam para os “dias do fim” nestes termos: “Vazia,
               esgotada e devastada está [a Terra]; derrete-se o seu coração, e
               tremem os joelhos, e em todos os lombos há dor, e os rostos de
               todos eles enegrecem [pela fome]” – Naúm 2:10.

               Alguns ainda vêem nas palavras desta profecia todo o colapso da
               economia mundial e da perda de valor do dinheiro no futuro, como
               consequência desse descalabro, o que irá conduzir, inevitavelmente, à
               tomada de medidas muito drásticas por parte dos governantes mundiais.
               Os pobres deste mundo irão sofrer muito se for este o cenário. Se a
               desigualdade tem sido um dos apanágios do sistema capitalista selvagem
               que está a entrar em colapso, imagine-se o que serão os tempos mais
               próximos… Já hoje vemos sinais mundiais muito preocupantes devido aos
               desequilíbrios das economias das nações provocados pela sua
               interdependência e pela loucura de quem nos governa, bem como do
               grande sistema financeiro cuja “riqueza” é mais virtual do que real (irá cair
               como um castelo de cartas), ao agravamento do desemprego e das
               péssimas condições de vida para milhões de pessoas e suas famílias.
               Imagine-se o que será quando se instalar a guerra generalizada. A este
               cenário de castigo provocado pelo homem, junte-se ainda os cataclismos
               que sobrevirão à humanidade e que impedirão muitas regiões do mundo
               de produzir alimentos devido a tufões, inundações, vulcões, pestes, etc.
               (ler Isaías 24; Ezequiel 5:16-17; 14:21). A riqueza produzida pelas nações
               é delapidada na loucura da busca desenfreada de novas e mais potentes
               armas capazes de aniquilar grande número de seres humanos, e não na
               busca de bem-estar e verdadeiro desenvolvimento dos povos.

               Parece um cenário demasiado catastrófico? Será? Mas é o que nos é dito
               por Yeshua em Apocalipse. O caos será uma constante nestes dias.

     4.   Com a abertura do 4º selo, a imagem que nos é transmitida é do
          aparecimento na cena internacional de um cavalo de cor amarela80; o seu
          cavaleiro tem também características muito próprias, como nos é dito no verso
          6:8: “E olhei, e eis um cavalo amarelo, e o que estava assentado sobre
80
  Zacarias 6:6 – representando as forças militares de países islâmicos – o rei do Sul de que também
nos é falado em Daniel 11:40-41.


Vítor Quinta                                                                                  151
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        ele tinha por nome Morte; e o inferno [Hades, lugar de sepultura] o
        seguia; e foi-lhes dado poder para matar a quarta parte da terra, com
        espada, e com fome, e com peste, e com as feras da terra”. Reparemos
        que a principal característica que nos é dada nesta profecia é o nome do
        cavaleiro: Morte. A simbologia do cavalo amarelo, montado por um cavaleiro
        designado como Morte, aponta para as doenças e pestes que grassarão nos
        “dias do fim”, exactamente o que nos é descrito por Yeshua em Mateus 24:7.
        Diz ainda que a sepultura segue após ele.

        •      Estamos a falar de um caos tão grande que as doenças e a mortandade
               entre os homens passarão a deixar de ter qualquer significado. Se há bem
               pouco tempo (11.Set.2001) o mundo se impressionou com o ataque às
               Torres Gémeas de Nova York e a morte de quase 3.000 pessoas, nos dias
               deste cavalo amarelo a morte passará a ser o lugar comum, pelo que o
               mundo já estará anestesiado e impotente para contrariar todo este
               morticínio. O número de mortos profetizado para este período será o
               equivalente ao total dos habitantes da Europa e América do Sul juntos; eis
               aqui a imagem da “tão grande tribulação como não houve antes nem
               voltará a haver”, a que se somarão ainda os castigos que virão depois
               destes!

        •      Se dúvidas houvessem, vemos que os dias deste cavaleiro
               corresponderão a tempos de grande aperto, como a humanidade nunca
               antes experimentou nem voltará a experimentar. Serão a continuação do
               que já antes dissemos tomando as palavras de Yeshua (“angústia entre as
               nações como nunca houve nem voltará a haver…e, se aqueles dias não
               fossem abreviados nenhuma carne se salvaria”). Tão duros serão estes
               dias vindouros. A seguir ao cavalo preto (escassez de alimentos e fomes)
               virão certamente dias de grandes doenças e morte (cavalo amarelo e
               Morte).

        •      Morte e inferno (horror/sepultura) virão neste dias em tal volume como
               nunca antes houve – se o mundo ainda hoje recorda os horrores duas
               guerras mundiais do século XX, então nem sequer imaginamos o que está
               para vir no tempo do cavalo amarelo, nos “dias do fim”. No final da 2ª
               Guerra Mundial ensaiaram-se as primeiras bombas atómicas sobre o
               Japão com um poder destruidor num visto até então; consideremos pois
               que as armas de hoje (bombas atómicas e de hidrogénio, biológicas,
               bacteriológicas ou outras que ainda estão em segredo) têm um poder
               destruidor centenas de vezes superior às que foram lançadas em 1945 e
               mais selectivas até. O resto deixamos à imaginação do leitor, se é que
               qualquer de nós tem capacidade para imaginar o que será a morte de
               milhões de milhões de seres humanos nos dias que se aproximam. Porém,
               a Palavra de Deus diz-nos que “YHWH entrará em juízo com toda a carne;
               e os mortos de YHWH serão multiplicados” – Isaías 66:16; Jeremias 25:31.
               Inimaginável. Lembremos as palavras do profeta em Malaquias 4:1-3,
               reproduzindo as palavras Daquele que virá para julgar a Terra: “Porque
               eis que aquele dia vem ardendo como fornalha; todos os soberbos, e
               todos os que cometem impiedade, serão como a palha; e o dia que
               está para vir os abrasará, diz YHWH dos Exércitos, de sorte que lhes


Vítor Quinta                                                                         152
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

               não deixará nem raiz nem ramo. Mas para vós, os que temeis o meu
               nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e
               saltareis como bezerros da estrebaria. E pisareis os ímpios, porque
               se farão cinza debaixo das plantas de vossos pés, naquele dia que
               estou preparando, diz YHWH dos Exércitos”. Estas palavras proféticas
               Daquele que virá com castigo para os filhos da rebeldia, são também
               palavras de esperança e de vida para os que esperam a Sua redenção.

        •      A morte virá pela espada (guerra directa), pela fome, pela peste e pelas
               feras esfomeadas – a guerra arrasta após si múltiplos horrores: os homens
               são chamados a matarem-se uns aos outros; a força de trabalho é
               desviada para a guerra e destruição; todo o aparelho produtivo das nações
               ficará paralisado; não havendo quem produza não haverá produtos e bens
               alimentares, o que desencadeará fomes e pestilências; até os animais
               ficarão esfomeados, ao ponto de atacarem os rebanhos e o homem para
               poderem comer. Este cenário é inimaginável nos dias de hoje. Porém, toda
               a sociedade humana e organização das nações está “presa por arames”.
               Lembremos os castigos que Deus anunciou que traria sobre Israel se o
               Seu povo se desviasse de cumprir os Seus mandamentos e estatutos –
               Levítico 26:14-46, particularmente no verso 22 onde diz: “Porque enviarei
               entre vós as feras do campo, as quais vos desfilharão, e desfarão o vosso
               gado, e vos diminuirão; e os vossos caminhos serão desertos”. Idem, em
               Ezequiel 14:15; Jeremias 15:3.

        •      O cenário destes dias conduzirá à morte de uma quarta parte dos seres
               humanos existentes no planeta – Apocalipse 6:8.

Profeticamente, a figura do cavalo amarelo está associada ao poder de fazer a
guerra e causar a morte, dado que este animal é um animal poderoso para a guerra.
O que as imagens proféticas dos 4 cavaleiros do Apocalipse nos mostram é que à
medida que os dias do fim vão avançando, aumentará a intensidade dos castigos e
do julgamento de Deus sobre a humanidade, embora causados pela loucura humana.
E, todos estes castigos vêm e virão de forma muito acelerada no tempo e cairão
vertiginosamente sobre uma humanidade incrédula, que nem perceberá porque é
que estes castigos lhe estão a sobrevir.

Antes de entrarmos na análise dos restantes 3 selos, lembremos o paralelismo com
as palavras proféticas que O Senhor Yeshua nos deu em Mateus 24:4-8. Ele disse-
nos que estes 4 primeiros selos (os 4 cavaleiros aqui já analisados), seriam somente
“o princípio de dores”!!!

Muitos destes acontecimentos de morte e destruição (biliões de seres humanos
morrerão nos dias destas profecias) ocorrerão no tempo do governo do “iníquo”, “do
filho da perdição”, o anti-Cristo dos “dias do fim”, nos 3,5 anos que precederão a
vinda gloriosa de Yeshua; o anti-Cristo levantar-se-á para assumir o comando de um
governo mundial81, ou pelo menos subordinado a uma “Nova Ordem Mundial”. Esse
“homem do pecado” já está no mundo, embora ainda não se tenha revelado em toda

81
  O único governo mundial que alguma vez existirá à face da Terra será o de Yeshua e dos Seus
santos, o qual não terá fim – a teocracia do Deus Supremo.


Vítor Quinta                                                                            153
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

a força que Satanás lhe virá a dar. O encadeamento dos acontecimentos do fim está
a ocorrer com a velocidade que Deus impõe nestas coisas (de acordo com o Seu
plano há muito anunciado), porque tudo Lhe obedece. Serão também dias de grande
perseguição aos fiéis – Apocalipse 6:9-11; 13:1-7.

Como se costuma dizer: “a procissão ainda vai no adro”, i.e. as coisas começam a
acontecer gradualmente e, à medida que vão acontecendo, o cenário vai ficando
mais negro, mas a ficar completo do ponto de vista profético. Entretanto,
acompanhando as notícias, vemos que os chefes de governo de um grande número
de nações vêm há décadas advogando a criação da Nova Ordem Mundial, incluindo
nesse lote a voz do primeiro-ministro de Portugal nas declarações que realizou na
Conferência de Líderes Ibero-Americanos em Lisboa, no passado mês de Novembro
de 2009, o qual declarou: “Se a prioridade imediata é a recuperação da economia, a verdade é que
o mundo já começou a discutir a nova ordem económica e os novos sistemas de regulação económica.
Isto dá-nos uma grande oportunidade. José Sócrates lembrou que a comunidade Ibero-Americana pode
"fortalecer uma visão comum e uma participação nessa nova ordem regulatória mundial que se está a
desenvolver”.

Analise-se agora o grande acontecimento que ocorreu há pouco, em 19 de
Novembro de 2009: a nomeação do primeiro Presidente da União Europeia –
Herman von Rompuys, o obscuro, sem visão política e sem experiência de
governação (como convém para melhor ser manipulado) como dizem alguns
periódicos europeus (“Der Spiegel”, “Frankfurter Rundschau”), ex-primeiro-ministro da
Bélgica, o qual foi eleito unanimemente entre os seus pares, os representantes dos
27 países que constituem a “União” e cuja sede é em Estrasburgo. Este homem é um
católico romano devoto, educado no colégio jesuíta de Sint-Jan Berchmans College,
na Bélgica, tendo depois continuado os estudos na Universidade Católica de Leuven
(Lovaina). Este é o primeiro passo que visa consolidar as decisões contidas no
chamado “Tratado de Lisboa”.

No meio destes acontecimentos não devemos perder de vista a profecia do sonho da
estátua de Nabucodonosor, em que esta “União” está ali representada pelos 10
dedos dos pés, os quais eram de ferro misturado com barro, o que retrata bem a
fragilidade da “União Europeia”, que os homens pretendem consolidar à revelia dos
sinais dados por Deus. Já que os outros não querem saber deles, então sejam estes
sinais tidos como avisos ao povo de Deus da proximidade da vinda do Rei Yeshua.

Reparemos na semelhança destas imagens:




          (Torre de Babel na perspectiva do pintor)   (Sede do Parlamento Europeu-Estrasburgo)




Vítor Quinta                                                                                     154
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Não queremos, porém, encerrar o tema dos 4 cavaleiros do Apocalipse sem abordar,
de forma breve uma outra versão sobre os mesmos. Este trabalho não pretendeu
inventariar e reflectir todas as perspectivas que existem sobre estas quatro figuras
proféticas. Porém, e por acharmos curiosa, apresentamos ainda, em resumo, uma
análise que transporta os acontecimentos mundiais recentes para este cenário e que,
apesar de não oferecer uma perspectiva espiritual não desmerece de ser aqui
incluída.

Embora não seja esse o nosso entendimento, pois falta-lhe, como dissemos, o cunho
espiritual que, em si mesmo, é apanágio do Autor de Apocalipse e revelado ao
apóstolo João, entendemos que valerá a pena fazer-lhe aqui uma breve referência.

Passemos então à perspectiva de que falamos:

    •   1º selo: o cavalo branco e seu cavaleiro – como representando todo o sistema
        capitalista mundial; o sistema financeiro mundial e o seu controlo pelos
        grandes banqueiros que gerem a economia mundial.

    •   2º selo: o cavalo vermelho e seu cavaleiro – como representando toda a
        indústria do aparelho militar mundial através do qual o caos global é
        orquestrado no mundo inteiro.

    •   3º selo: o cavalo preto e seu cavaleiro – como representando os problemas da
        economia mundial: a depressão económica, as políticas monetárias, a
        intervenção do FMI, o grande resgate dos bancos (“bailout” versus inflação), a
        atmosfera de pânico nos mercados financeiros, o desemprego elevadíssimo, a
        impressão de dinheiro sem suporte na geração de riqueza real, o
        empobrecimento generalizado, etc. etc.

    •   4º selo: o cavalo amarelo e o seu cavaleiro – consequência da acção do
        anterior temos a fome espalhada no mundo, as guerras, os desastres naturais,
        a violência generalizada, as taxas do carbono, as pestilências, etc. etc.

Biliões de almas irão sofrer e perecer nos anos próximos em consequência de tudo
isto. E, como disse Yeshua, isto é só o princípio de dores que sobrevirão a uma
humanidade estupidificada pelo controlo e desinformação que sobre ela foram
exercidos e da qual não se soube libertar pela Palavra de Deus. Seguir-se-ão a
tirania, as leis marciais, a perseguição e o genocídio (violência institucionalizada em
larga escala) que irão ditar as condições para o aparecimento da Nova Ordem
Mundial há tanto tempo reclamada pelos responsáveis das nações. Seguir-se-ão as
prepotências dos “iluminados” por Satanás. É deste sistema diabólico (de dentro
dele) que surgirá o anti-Cristo dos “dias do fim”.

Preparemo-nos pois para estes dias difíceis e lembremos o socorro do Altíssimo e as
Suas palavras em Lucas 21:28 – “Ora, quando estas coisas começarem a
acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa
redenção está próxima”. O Senhor remata dizendo: “Eis que vo-lo tenho predito”
– Mateus 24:25.



Vítor Quinta                                                                       155
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




6.     As 7 trombetas, os 7 selos, as 7 taças e os “3 ais”

Todos os estudiosos da Palavra de Deus reconhecem que estas “trombetas”, “selos”,
“taças” e “ais” representam avisos e, ao mesmo tempo, também apontam para
castigos que sobrevirão a uma humanidade que não quer ouvir e seguir os conselhos
de YHWH para se salvar, castigos esses que virão na sequência da acção
desenvolvida pelos 4 cavaleiros do Apocalipse que antes apontámos.

Esta é uma questão que suscita unanimidade de entendimento, pois são castigos
que estão reservados para os “dias do fim”, período em que ocorrerá grande
mortandade em toda a Terra e todo o sistema de governo humano entrará em
colapso, uma vez que Satanás irá induzir o homem à sua própria destruição pelo uso
de armas de destruição maciça criadas pelo próprio homem. O mundo agonizante de
hoje dará lugar a um mundo de completa destruição em tão alto grau, que se O Rei
Yeshua não viesse interromper esta completa loucura, nenhuma carne se salvaria.

Já quanto ao tempo em que esses castigos cairão sobre a humanidade, encontramos
algumas divergências entre os estudiosos da Bíblia, pois uns apontam que estes
castigos foram sendo derramados ao longo de um tempo histórico (cerca de 2000
anos) dando uma visão histórica e progressiva no cumprimento destes sinais no
passado (o surgimento do “papado”, a Reforma protestante, a Revolução Francesa,
as duas Guerras Mundiais, etc.) e assim será até que O Cristo venha82, enquanto
outros apontam que esses castigos estarão concentrados nos últimos 7 anos, em
particular durante a segunda metade dos últimos 7 anos antes da vinda de Yeshua
como Rei eterno, dando assim uma interpretação futurista que nos parece mais
consentânea com os ensinamentos bíblicos, o tempo da grande tribulação do fim.
Outros há que pensam que os castigos serão derramados depois da vinda do Cristo,
no tempo da ira do Cordeiro. De uma coisa também não existe qualquer dúvida: é
que O Cristo apontou que estes castigos viriam no tempo do fim de todas as coisas,
mas esse tempo do fim já era assim reclamado pelos Seus apóstolos (1.Pedro 4:7).

Na realidade, cremos que a abertura dos selos e o derramamento das taças da ira de
Deus virão a ocorrer nos próximos anos, no decurso da 70ª semana de anos da
profecia de Daniel, que corresponde aos 7 anos que antecederão a segunda vinda de
Yeshua, O Cristo, havendo ainda um período de 1 ano após a Sua vinda (o chamado
“Dia do Senhor” – 1 dia igual a 1 ano) no qual Ele derramará a Sua ira – a ira do
Cordeiro. Cada um dos quatro cavaleiros que nos são apontados em Apocalipse 6
exercerão a sua acção antes da vinda gloriosa de Yeshua como Rei, pois será com a


82
   A favor deste entendimento temos o aumento da maldade no mundo desde que estas profecias
foram dadas ao tempo de Yeshua e dos Seus apóstolos. Sem dúvida que a progressão da maldade
tem vindo a aumentar até aos tempos presentes e poderão, segundo esse entendimento,
corresponder à abertura destes selos e ao soar destas trombetas neste período de 2000 anos. Porém,
esta interpretação feita principalmente por Guilherme Miller levou a que este falso profeta viesse a
anunciar a vinda do Cristo para 22.Outubro.1944, o que não aconteceu. Desde então, somente a
Igreja Adventista e as Testemunhas de Jeová se referem a esta interpretação na sua literatura. Porém,
como sabemos, podemos verificar o cumprimento de uma profecia em mais do que uma ocasião – a
dualidade de muitas profecias. O cumprimento destas profecias nos “dias do fim” deve ser entendido à
luz do que é dito em Daniel 12:9-12.


Vítor Quinta                                                                                    156
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

abertura dos primeiros quatro selos que serão libertadas estas forças apocalípticas
(os 4 cavaleiros) – Apocalipse 6:1-8.

No seu conjunto, a abertura de sete selos está profetizada para os dias finais antes
da vinda de Yeshua como Rei eterno. Levítico 26 fala-nos de um castigo final de sete
anos sobre o povo de Israel (Tribulação de Jacob). Um “tempo” representa
profeticamente “um ano”, conforme podemos entender das passagens que estão em
Apocalipse 12:6 e 12:14 onde 1260 dias correspondem a 3,5 anos (42 meses), sendo
que cada “tempo” iguala 360 dias, o cumprimento de um “ano” profético. Assim,
entendemos que os sete selos de Apocalipse igualam, no tempo, aos sete anos dos
dias do fim, os mesmos sete anos da 70ª semana da profecia de Daniel 9:27 (sete
dias proféticos são iguais a sete anos no tempo)...com os acontecimentos previstos
em cada selo profético a desenrolarem-se ao longo de um ano, daí a sobreposição
de alguns destes acontecimentos no tempo.

É caso para repetirmos aqui a passagem que se encontra em Marcos 1:15 – “O
tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos, e crede
no evangelho”. Será que o homem de hoje entende estas coisas?

Ainda a respeito dos castigos de Deus sobre a humanidade impenitente, lembramos
que existe um estreito paralelismo entre duas das Solenidades de YHWH, a Festa
das Trombetas, a 1 de Tishri e o Dia da Expiação, a 10 de Tishri. Os dez dias que
medeiam estas duas celebrações santas, no ano em que Yeshua vier, são
conhecidos como “os dez dias de pavor” (“the days of awe”), os quais estão
intimamente ligados à abertura dos selos, que só O Cordeiro tinha poder para abrir.
Em muitos círculos bíblicos, este período de dez dias é também conhecido como os
dez dias de preparação/arrependimento ou os dez dias de aflição, para a celebração
do Dia da Expiação.

Importa referir que, após a vinda de Yeshua, neste Dia da Expiação se cumprirá a
profecia de Zacarias 12:10 – “Mas sobre a casa de David, e sobre os habitantes
de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas; e olharão para mim,
a quem traspassaram; e pranteá-lo-ão sobre ele, como quem pranteia pelo filho
unigénito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo
primogénito”, quando virem O Santo de Israel, vindo em grande glória, Aquele a
Quem traspassaram e que foi rejeitado há cerca de 2.000 anos. Este será o dia
nacional do perdão para a Israel que ainda espera o seu Messias, mas de castigo
para os ímpios. Nestes dias vindouros O Rei Yeshua será glorificado como O Deus
de todas as nações da terra – Isaías 54:5 – “Porque o teu Criador é o teu marido;
YHWH dos Exércitos é o seu nome; e o Santo de Israel é o teu Redentor; que é
chamado o Deus de toda a terra”. Ele é a raiz e a geração de David, a
resplandecente estrela da manhã – Apocalipse 5:5; 22:16.

Com a abertura do quinto selo, as almas dos que foram mortos por amor da
Verdade antes da vinda de Yeshua como Rei eterno, receberão compridas vestes
brancas (símbolo da sua salvação). Porém, é-lhes dito que repousassem ainda um
pouco de tempo até que se completasse o número dos que haveriam de ser mortos
como eles foram, por amor da Verdade e da sua fidelidade a Deus, até que o número
deles se completasse (só Deus sabe que número será esse) – Apocalipse 6:9-11.



Vítor Quinta                                                                    157
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Em relação aos mártires da fé que sofreram a perseguição dos filhos do maligno,
podemos distinguir dois períodos predominantes: i) os que já morreram (e.g. as
vítimas da Inquisição romana ou as do nazismo) e ii) os que ainda irão morrer,
vítimas das perseguições que hão-de ocorrer nos “dias do fim”. Por isso, entre estes
dois grandes grupos de mártires da fé, é figurativamente dito aos do primeiro grupo,
em Apocalipse 6:11 – “…e foi-lhes dito que repousassem ainda um pouco de
tempo, até que também se completasse o número de seus conservos e seus
irmãos, que haviam de ser mortos como eles foram”, o que confirma também as
palavras de Yeshua em Mateus 24:9-10 – “Então vos hão de entregar para serdes
atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa
do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos
outros, e uns aos outros se odiarão”. Muitos já hoje se escandalizam nos seus
irmãos e ainda não chegaram esses dias terríveis…

Apesar da tribulação e morte que advirá a muitos fiéis no tempo do fim, Yeshua dá-
nos segurança quanto ao resultado final – a vida eterna, Mateus 24:13 – “Mas
aquele que perseverar até ao fim será salvo”…Apocalipse 2:10c – “Sê fiel até à
morte, e dar-te-ei a coroa da vida”.

Apocalipse 6:12-17 fala-nos dos acontecimentos que serão desencadeados com o
rompimento do sexto selo (relembremos que só O Cordeiro Yeshua é digno de
romper todos estes selos e soltar estes castigos sobre a humanidade) haverá
grandes cataclismos sobre a Terra: um grande terramoto, o sol que ficará negro
como saco de cilício e a lua tornar-se-á como sangue; os astros celestes serão
abalados, o céu enrolar-se-á como um livro em chamas (2.Pedro 3:10-12), e os
montes e ilhas serão removidos dos seus lugares (ver também Isaías 24:20). Os
profetas anunciaram estas coisas para que estejamos preparados para estes tempos
de tribulação.

Devemos analisar estas palavras à luz do que Yeshua também anunciou aos Seus
discípulos em Mateus 24:29 – “E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol
escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as
potências dos céus serão abaladas”. Tanto em Mateus como em Apocalipse,
Yeshua confirma a palavra já anunciada através do profeta em Joel 2:30-32 acerca
destes acontecimentos futuros.

Curiosamente, o mundo anda muito preocupado com as profecias maias acerca dos
eventos apontados para o final do ano de 2012, mais precisamente no dia
21.12.2012, mas cuida muito pouco em aprender com a fonte de todo o
conhecimento e da verdade – O Senhor YHWH através do legado que Ele nos deu: a
Sua Palavra Sagrada.

Neste tempo profético, ainda outros castigos serão desencadeados pelos quatro
anjos que estão “presos” (reservados para uma missão específica) junto ao grande
Rio Eufrates: Apocalipse 7:1-2; 9:15. De reparar que, com a 6ª trombeta, os exércitos
do mundo avançarão para a batalha de Armagedão. Todos os exércitos serão para
ali congregados por forças demoníacas – Apocalipse 16:13-14. Só o exército que se
aproxima do Oriente será composto por 200 milhões de homens (Apocalipse 9:16),
havendo instruções de Deus para que o Rio Eufrates seque e permita a passagem de


Vítor Quinta                                                                     158
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

tão grande força. Os quatro anjos de que fala o verso 15 têm poder para exterminar a
terça parte dos homens.

É no tempo destes quatro anjos, quando forças terríveis forem libertadas que serão
selados83 os 144.00084 fiéis do tempo do fim Apocalipse 7:1-4 que, conforme nos diz
a Palavra, serão compostos por 12.000 fiéis de cada uma das tribos de Israel (com
excepção da tribo de Dan que não fará parte dos assinalados com o selo de Deus).

Estas são as duas testemunhas do tempo final – últimos 3,5 anos, os quais serão
mortos 3,5 dias antes do Rei Yeshua regressar. Os seus corpos mortos jazerão na
praça da grande cidade que é “Sodoma e Egipto espiritual” (o mundo inteiro). Os
poderosos da Terra que até ali tinham sido perturbados pela palavra destas
testemunhas regozijar-se-ão com a sua morte e enviarão presentes uns aos outros.
Porém, quando Yeshua vier, eles voltarão à vida e os seus inimigos os verão.
Yeshua não ordenará o desencadear dos acontecimentos previstos no sétimo selo
sem que estas testemunhas tenham sido previamente assinaladas para exercer o
seu ministério.

Muitos destes 144.000 que serão assinalados como servos de Deus nos “dias do
fim”, terão vindo também do seio de povos gentios entre os quais os seus pais foram
espalhados no passado para que se cumprisse a Palavra de Deus, sendo, sem o
saberem, descendentes genéticos de Abraão, pertencendo por isso a uma das 12
tribos de Israel. Esses foram enxertados na boa oliveira que é Israel, como nos é
ensinado em Romanos 11:17-24.

Nestes dias, Deus sacudirá a Terra com violência, pois a Terra cambaleará como um
ébrio nos dias do castigo como nos diz em Isaías 24:20 e em Jeremias 4:23-26.
Grande aflição e pânico haverá em toda a parte, quando Deus vier com vingança e
castigo...” Porque é vindo o grande dia da sua ira; e quem poderá subsistir?” –
Apocalipse 6:17.

Esta negritude dos céus criará, então, o cenário perfeito para a abertura do sétimo
selo, o qual é subdividido em sete trombetas finais, estando os 3 “ais” incluídos nas
últimas três trombetas – Apocalipse 8:13 – “E olhei, e ouvi um anjo voar pelo meio
do céu, dizendo com grande voz: Ai! ai! ai! dos que habitam sobre a terra! por
causa das outras vozes das trombetas dos três anjos que hão de ainda tocar”.
Quando soar a 7ª trombeta do fim, dar-se-á o súbito e maravilhoso regresso do Rei
Yeshua, em gloriosa luz celestial, com milhões de milhões dos seus anjos. Como se
pode ver no quadro resumo abaixo, o sétimo selo subdivide-se em sete rápidos
períodos, cada um anunciado pelo toque de uma trombeta desencadeadora dos
últimos castigos sobre uma humanidade impenitente.



83
   Este selo de Deus (a Sua marca) é a Lei de Deus no coração dos homens e a fé na salvação pelo
sangue de Yeshua, O Rei, com o qual todos os que se salvam serão selados/marcados. Um desses
sinais divinos é a guarda do Sábado do Senhor, tanto o semanal como as Suas solenidades anuais,
que foram dados como “sinal/marca” entre YHWH e o Seu povo – Êxodo 13:9; 31:13; Isaías 8:16, 20;
Jeremias 31:31-33; Ezequiel 20:12, 20; Hebreus 8:10; 10:16.
84
   Apocalipse 11:3-12 fala-nos novamente destas duas testemunhas de Deus (Judá e Efraim – as duas
casas de Israel), dando-nos pormenores sobre a sua acção nestes “dias do fim”. Elas profetizarão
durante os 1260 dias proféticos do fim (42 meses = 3,5 anos).


Vítor Quinta                                                                                159
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Com a vinda gloriosa do Grande e Eterno Rei Yeshua, ao toque da 7ª trombeta, dar-
se-á a ressurreição dos justos (a 1ª ressurreição): “Porque, se cremos que Jesus
morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os
tornará a trazer com ele. Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que
nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que
dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de
arcanjo, e com a trombeta de Deus [a 7ª trombeta]; e os que morreram em
Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos
arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e
assim estaremos sempre com o Senhor” – 1.Tessalonicenses 4:14-17. Este é que
é o verdadeiro e único arrebatamento dos salvos.

É nos dias em que o 7º anjo tocar persistentemente a sua trombeta (Apocalipse
10:7a – “Mas nos dias da voz do sétimo anjo, quando tocar a sua trombeta”)
que serão derramadas as sete pragas finais sobre a humanidade que viver nesses
dias. Estas pragas também são comparadas com as pragas que foram derramadas
por YHWH sobre o Egipto. Os homens sofrerão dores terríveis devido às chagas que
sobre eles serão infligidas e, em vez de se arrependerem do seu caminho
pecaminoso, blasfemarão do Nome do Santo – Apocalipse 9:20-21; 16:11. Toda a
fauna marinha e flora serão devastadas. Os rios e as fontes de água se tornarão
como em sangue; um calor anormal fará sofrer toda a humanidade; haverá grandes
cataclismos como inundações terríveis, ventos tempestuosos, fogo e saraiva (que
está guardada como tesouro para os dias da Sua ira – ler Isaías 30:30). As pedras da
saraiva serão de um tamanho nunca visto: um talento (cerca de 40 quilos): Ezequiel
38:22; Apocalipse 8:7; 16:16-21.

As calamidades que cairão sobre a humanidade rebelde serão de tal ordem que,
conforme Yeshua anunciou, se aqueles dias não fossem abreviados nenhuma carne
se salvaria. Vejamos ainda o que espera à humanidade nos dias em que o 7º anjo
tocar a sua trombeta. É caso para relembrar as palavras que nos são ditas em
Hebreus 10:31 – “Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo”.

Vamos agora enquadrar estes sinais proféticos num cenário profético possível,
respeitando o princípio que todos estes acontecimentos virão a ocorrer nos sete
últimos anos antes da vinda do Rei (a 70ª semana da profecia de Daniel 9):




Vítor Quinta                                                                    160
Quadro resumo destes sinais proféticos

 Tempos            Profecias – abertura dos 7 selos                                        Possíveis significados
 Ano 1       1º selo: cavalo branco (Apoc.6:1-2)               Forças lideradas pelo falso profetismo avançam conquistando, a par da
                                                               expansão do Evangelho verdadeiro
 Ano 2       2º selo: cavalo vermelho (Apoc. 6:3-4)            Espada = guerras por toda a parte; e.g. 1ª e 2ª guerras mundiais;
                                                               derramamento de sangue
 Ano 3       3º selo: cavalo negro (Apoc. 6:5-6)               Fomes e consequências das guerras
 Ano 4       4º selo: cavalo amarelo (Apoc. 6:7-8)             Pestilências e doenças epidémicas; morte
 Ano 5       5º selo: martírio (Apoc. 6:9-11; Mat. 24:9-13)    Perseguição religiosa e martírio de fiéis a Yeshua ao longo dos tempos, até
                                                               ao fim
 Ano 6       6º selo: sinais nos céus (Apoc. 6:12-17)          Sinais na terra e nos céus – distúrbios cósmicos, inundações, terramotos,
                                                               vulcões, meteoros
 Entre o 6º e o 7º selo são assinalados os 144.000 fiéis (12.000 de cada tribo de Israel, excepto a de Dan) – Apoc. 7:3
 Ano 7       7º selo, 7 anjos e 7 trombetas finais; A ira do Cordeiro85 é derramada sobre a humanidade impenitente; Babilónia,
             derramamento das 7 taças: (Apoc. 8:1-2, 6; “a grande prostituta” é castigada neste período (Apoc. 17 e 18):
             10:7; 16:1)
             O 1º anjo toca a sua trombeta e lança a sua Saraiva, fogo e sangue; grandes incêndios queimam 1/3 das árvores; uma
             taça, a 1ª (Apoc. 8:7; 16:2)                      chaga terrível sobre os que têm o sinal da “besta” e adoravam a sua imagem
             O 2º anjo toca a sua trombeta e lança a sua Grande “monte” cai no mar, destruindo 1/3 dos navios e 1/3 da vida marinha
             taça, a 2ª (Apoc. 8:8-9; 16:3)
             O 3º anjo toca a sua trombeta e lança a sua Um grande “estrela” cai a arder sobre 1/3 dos rios e fontes de águas
             taça, a 3ª (Apoc. 8:10-11; 16:4-7)                tornando-as amargas e em sangue; grande mortandade nos homens
             O 4º anjo toca a sua trombeta e lança a sua 1/3 da luz solar, da lua e das estrelas desaparecem; os homens são
             taça, a 4ª (Apoc. 8:12; 16:8-9)                   abrasados com calor e fogo; mesmo assim blasfemam do Nome de Deus
             O 5º anjo toca a sua trombeta e lança a sua Demónios serão soltos do “abismo”86 e irão atormentar povos durante 5
             taça, a 5ª – é o tempo do “1º ai” (Apoc. 8:13; meses, todos os que não têm o sinal de YHWH; guerra no mundo;
             9:1-11; 16:10-11)                                 Apoliom/Abadom (o “anjo” do abismo, o “destruidor”) conduzirá estas hostes
                                                               malignas.

85
   Já antes apontámos que não se deve confundir o tempo da “grande tribulação” pelo qual todos passarão, os obedientes e os desobedientes, enquanto o
que há-de sofrer a ira do Altíssimo Deus será somente o desobediente e rebelde. Este beberá “do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no
cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro”, conforme nos diz em Apocalipse 14:9-10.
86
   Anjos rebeldes que há muito se encontram encerrados numa prisão – ver Lucas 8:26-36; 2.Pedro 2:4; Judas 6.
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




               O 6º anjo toca a sua trombeta e lança a sua       Exércitos irão contra Israel, mesmo os vindos do Oriente; são soltos 4 anjos:
               taça, a 6ª – é o tempo do “2º ai” (Apoc. 8:13;    o Rio Eufrates seca; exército de 200 milhões; 1/3 da humanidade é morta; 3
               9:12-21 passando por todo o Cap. 10, até          espíritos de demónios congregam as nações para a batalha no grande dia do
               11:14; 16:12-16; Zac. 14:1-9)                     Deus Todo-Poderoso, a de Armagedão; armas nucleares, químicas,
                                                                 bacteriológicas e outras serão usadas; grande destruição; Jerusalém será
                                                                 pisada durante 42 meses (3,5 anos); tempo para as 2 testemunhas
                                                                 profetizarem antes de serem mortas e ressuscitadas.
               O 7º anjo toca a sua trombeta e lança a sua       Dá-se a segunda vinda de Yeshua ao toque da 7ª trombeta: “Está feito”.
               taça, a 7ª – é o tempo do “3º ai”; as últimas 7   Os reinos deste mundo serão entregues na mão do Rei Yeshua. Grande
               pragas (Apoc. 8:13; 10:1-11; 11:15-18; 14:14-     terramoto em toda a terra como nunca houve; as ilhas desaparecem; saraiva
               20; 16:17-21; Zac.14:1-15; Ezeq.38 e 39; Joel     do tamanho de um talento; os homens voltam a blasfemar contra Deus;
               3:9-14)                                           Yeshua, O Cristo, envolve-se na batalha final e derrota os inimigos de
                                                                 Israel.

Nota – alguns dos símbolos referidos no livro de Apocalipse podem representar tipos de armas que irão ser usados nos dias do fim, armas essas com um
poder destruidor muito superior ao que o mundo conheceu até agora. E.g. Apocalipse 9:7 quando nos fala de “gafanhotos”. Porém, também podem
representar a multidão de anjos decaídos que serão como “gafanhotos” quando forem soltos do abismo onde estiveram encerrados ao longo dos tempos.




Vítor Quinta                                                                                                                                   162
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Quando a Palavra de Deus nos diz que os anjos incumbidos da missão de derramar
as taças que lhes foram entregues pelo Altíssimo Senhor YHWH, estamos a falar do
período final em que a “ira do Cordeiro de Deus” será derramada sobre toda a
rebeldia humana. Basta pensar que a Palavra nos diz que YHWH “sacudirá a Terra e
que esta cambaleará como um ébrio” – Isaías 24:20. Difícil de imaginar o que estas
palavras poderão significar em termos de calamidades sobre todo o planeta. Basta
pensar que o desvio de 1º (grau) no eixo da Terra poderá ser o suficiente para causar
cataclismos de grande dimensão que afectariam todo o planeta.

Ao lermos Apocalipse 10:7 ficamos com a certeza que as últimas pragas lançadas
pelo 7º anjo terão uma duração mais alargada que um dia literal, pois ali diz-nos:
“Mas nos dias [plural] da voz do sétimo anjo, quando tocar a sua trombeta, se
cumprirá o segredo de Deus, como anunciou aos profetas, seus servos”. Como
vemos será nos dias da voz do sétimo anjo que os últimos castigos ocorrerão. Na
versão em inglês esclarece ainda: “quando ele começar a tocar…” (“when he shall
begins to sound”). Esta frase denota claramente que o toque desta trombeta não será
restrito a um único toque num só dia literal, ainda que prolongado, mas que irá
soando por um tempo determinado, até que a profecia final se cumpra. Ora “estes
dias” (plural) apontam para um período em que os anjos do Senhor cumprirão a
missão que lhes foi destinada, e.g. Apocalipse 9:15. A trombeta do 7º anjo continuará
a soar durante o número de dias necessários a que se cumpram todos os castigos
anunciados para estes dias.

Nos dias do toque da 7ª trombeta pelo 7º anjo, enquanto durar o derramamento das
últimas 7 pragas, O Cristo Yeshua estará envolvido com os Seus exércitos no
combate do dia da batalha do Deus Todo-Poderoso – a de Armagedão. Com a Sua
vitória, ao lado de Israel, cumprir-se-á a profecia que está em Isaías 63:1-6 – “Quem
é este, que vem de Edom [os descendentes de Esaú], de Bozra, com vestes
tintas; este que é glorioso em sua vestidura, que marcha com a sua grande
força? Eu, que falo em justiça, poderoso para salvar. Por que está vermelha a
tua vestidura, e as tuas roupas como as daquele que pisa no lagar? Eu sózinho
pisei no lagar, e dos povos ninguém houve comigo; e os pisei na minha ira, e
os esmaguei no meu furor; e o seu sangue salpicou as minhas vestes, e
manchei toda a minha vestidura. Porque o dia da vingança estava no meu
coração; e o ano dos meus remidos é chegado. E olhei, e não havia quem me
ajudasse; e admirei-me de não haver quem me sustivesse, por isso o meu
braço me trouxe a salvação, e o meu furor me susteve. E atropelei os povos na
minha ira, e os embriaguei no meu furor; e a sua força derrubei por terra”. Que
imagem terrível esta, a do Deus Todo-Poderoso a contender e a ferir de morte todos
os que se levantaram contra Ele e contra o povo que Ele escolheu – Israel e a santa
cidade de Jerusalém. Mas é com esta imagem que temos que contar nos “dias do
fim”…porque a boca do Senhor o disse. Estas imagens são-nos completadas com a
profecia de Habacuque 3:3-15, entre outras, ou com as que, por exemplo, podemos
ler em Jeremias 25:30-33 – “Tu, pois, lhes profetizarás todas estas palavras, e
lhes dirás: YHWH desde o alto bramirá, e fará ouvir a sua voz desde a morada
da sua santidade; terrivelmente bramirá contra a sua habitação, com grito de
alegria, como dos que pisam as uvas, contra todos os moradores da terra”.




Vítor Quinta                                                                     163
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Chegará o estrondo até à extremidade da terra, porque YHWH tem contenda
com as nações, entrará em juízo com toda a carne; os ímpios entregará à
espada, diz YHWH. Assim diz YHWH dos Exércitos: Eis que o mal passa de
nação para nação, e grande tormenta se levantará dos confins da terra. E serão
os mortos de YHWH, naquele dia [o “dia” do Senhor], desde uma extremidade
da terra até à outra; não serão pranteados, nem recolhidos, nem sepultados;
mas serão por esterco sobre a face da terra”.

O quadro do conflito final estará principalmente centralizado nesta região do mundo:




Não se pense porém que o resto das nações irão escapar aos castigos de Deus.




Vítor Quinta                                                                     164
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




7.      A batalha de Armagedão87

                               Apocalipse 16:16
        “E os congregaram no lugar que em hebreu se chama Armagedão”




                                      (Vista sobre o Vale de Jezreel)


Estamos às portas destes dias decisivos:

     a) dias de castigo para muitos, e
     b) de redenção para outros.

Esta grande guerra final será travada nos montes e à volta da cidade de Jerusalém.
A zona que é apontada nesta passagem situa-se no Norte de Israel e vem designada
na Bíblia como o Vale de Jezreel, junto à Montanha de (Ha)-Megido. Essa grande
batalha que precederá a vinda gloriosa do Rei Yeshua, estender-se-á para além do
citado vale, que não será mais do que um local de concentração das tropas invasoras
87
   A raiz hebraica da palavra Armagedão significa “decepar”, “matar”. Embora a maioria dos autores
aponte que o Vale de Megido se situa nas planícies de Israel, a Norte de Jerusalém, alguns autores
apontam também a possibilidade deste local se situar em território sírio, citando para o efeito a
passagem que está em Zacarias 12:11 – “Naquele dia será grande o pranto em Jerusalém, como o
pranto de Hadade-Rimom no vale de Megido”, cujo nome deriva de “Gad” que significa “tropa,
companhia (Génesis 30:11)”, pelo que entendem que Megido corresponde a “lugar de reunião de
tropas”. Enquanto a palavra “Armagedão” derivaria de “Aram” que é o nome de Síria no hebraico, a
que associam os nomes de Hadade e Rimom, dois deuses sírios que nunca foram conhecidos em
Israel, pelo que, conjugando as duas explicações viria: “a reunião de tropas no lugar da Síria” – vide
pag. 20, do nº. de Jul-Ago. 2009 da revista “Prophecy Flash” editada pela “Triumph Prophetic
Ministries” – Omak, USA. Embora alguma lógica possa ser emprestada a esta explicação como local
de concentração dos exércitos antes da ordem de batalha, ela não deixa de contrariar o relato
histórico e bíblico sobre as muitas batalhas do passado travadas naquela zona de Israel: Josué 12:1,
21; 17:11; Juízes 1:27; 2.Reis 9:27; 23:29; Zacarias 12:11.


Vítor Quinta                                                                                     165
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

vindas do Norte e do Oriente, pois a batalha será travada nos montes de Israel à
volta da cidade de Jerusalém, onde estas tropas perecerão como nos ensina a
Palavra de Deus. Na realidade, haverá batalha no Vale de Jeosafat, comummente
designado por Vale de Kidron, junto a Jerusalém, como nos é dito em Joel 3:2, 9-16.

É neste local que se congregarão os exércitos para se organizarem para a batalha
final que será travada entre as forças humanas para ali convocadas por espíritos
malignos (Apocalipse 16:14) e as forças que combaterão do lado do Cordeiro Yeshua
– Zacarias 12:8-10; Apocalipse 14:14-20; 16:14; 19:11-21; Joel 3:12-14. Para além
da destruição terrena, acima de tudo, esta será uma batalha espiritual. Tais
acontecimentos irão desencadear a ira do Deus Altíssimo sobre todos os rebeldes,
tal como está profetizado – ler, por exemplo, Zacarias 14:1-14. Como podem os
poderes terrenos opor-se ao poder dos céus?

Esta guerra não irá surgir de forma isolada, pois ela será a consequência das
derrotas sucessivas impostas aos inimigos da nação de Israel, desde que este
Estado renasceu em 14 de Maio de 1948, e será também a epítome do terrível
descalabro que se irá instalar entre os povos e as nações do mundo nos próximos
anos, tal como foi anunciado pelos profetas. E quão perto o mundo está de viver
estes dias. Quando estes acontecimentos tiverem lugar, Deus intervirá, pois só assim
o homem pode ser impedido de se auto-destruir por completo.

Antes de entrarmos propriamente no tema deste capítulo e, talvez fazendo parte
dessa grande batalha que se aproxima e que será travada pouco antes e na altura
em que Yeshua regressar, pois Ele irá ali intervir também (o resultado de todas as
anteriores batalhas demonstram claramente a intervenção de YHWH ao lado de
Israel), importa relembrar a profecia acerca de Damasco, capital da Síria, nação
secularmente inimiga de Israel. Diz-nos YHWH em Isaías 17:1, 12-14 – “Peso de
Damasco. Eis que Damasco será tirada, e já não será cidade, antes será um
montão de ruínas…Ai do bramido dos grandes povos que bramam como
bramam os mares, e do rugido das nações que rugem como rugem as
impetuosas águas. Rugirão as nações, como rugem as muitas águas, mas Deus
as repreenderá e elas fugirão para longe; e serão afugentadas como a pragana
dos montes diante do vento, e como o que rola levado pelo tufão. Ao anoitecer
eis que há pavor, mas antes que amanheça já não existe; esta é a parte
daqueles que nos despojam, e a sorte daqueles que nos saqueiam”. A Palavra
de YHWH é muito clara.

Que poder será esse que aniquilará a capital da nação síria e das cidades à sua
volta, de uma noite para a manhã seguinte? Que poder arrasador será esse? Não
será certamente uma destruição atómica, pois esta causaria também grandes danos
na terra de Israel dada a sua proximidade da Síria (seria um suicídio). Será algo mais
devastador, que ainda não conhecemos, e cujo poder destrutivo se irá circunscrever
a uma área/região alvo? Ou podemos ir buscar alguma analogia à forma como Deus
destruiu no passado as cidades de Sodoma e Gomorra e as campinas à sua volta?
Há muito que Deus ditou a condenação da nação Síria e da sua cidade de Damasco
(e outras em redor), por isso podemos ter a certeza que esta destruição virá em
breve, num momento de grande tensão entre as nações...nos “dias do fim”.




Vítor Quinta                                                                      166
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


A História da humanidade, ou antes do governo do homem e de Satanás sobre toda
a humanidade, tem revelado um rol infindo de conflitos e guerras, não só a nível
pessoal como entre povos. Ao longo da História, nenhuma zona do planeta há que
tenha ficado imune a este flagelo. Pequenos e grandes conflitos têm devastado
grandes regiões e grande número de pessoas têm sofrido o seu efeito de destruição,
miséria e morte.

No final dos dias, porém, e sobretudo a partir das guerras Napoleónicas, e com maior
incidência no decurso do Século XX, as guerras passaram a ter um expressão e
dimensão assustadora ao ponto de cada conflito envolver vastas regiões do globo,
numerosos povos e nações e terem causado um elevado número de mortes e
destruição.

Tais fenómenos não nos devem espantar pois o próprio Senhor Yeshua (“Salvação
de Yahweh” -         ) nos alertou para as calamidades que haveriam de vir no final
dos dias, entre elas as “guerras e rumores de guerra”, como Ele nos diz em Marcos
13:7 – “E, quando ouvirdes de guerras e de rumores de guerras, não vos
perturbeis; porque assim deve acontecer; mas ainda não será o fim”. Estamos
pois avisados.

Na realidade, a ambição humana de domínio de um homem (i.e. de muitos homens
ao longo da História) ou de um povo sobre outros, tem causado grandes desgraças e
destruição no mundo. O mundo não conhece a paz desde que o homem
desobedeceu a Deus e só voltará a conhecer a paz verdadeira quando O Deus
YHWH voltar para governar as nações da terra.

Estas são as palavras de sabedoria e profecia que nos são dadas pelo próprio Deus
através dos Seus servos os profetas e pelo Seu Ungido, Senhor Yeshua. Vejamos o
que nos diz aquele servo “mui amado” por Deus, Daniel 9:26c – “e até ao fim haverá
guerra; estão determinadas as assolações”. Não tenhamos dúvidas que a Palavra
de Deus se cumprirá porque o homem rejeitou a “aliança eterna”, como nos diz em
Isaías 24:5-6. Poucos homens restarão, diz-nos YHWH através de Isaías.

Como se não bastasse todo o mal que já veio sobre a humanidade causado por
Satanás e pelos seus seguidores, a Palavra de Deus fala-nos ainda de uma grande
batalha que será desencadeada no final dos dias, precisamente às portas da vinda
do Rei Eterno Yeshua. Essa batalha final será desencadeada pelos povos que
através dos tempos se constituíram como inimigos de Israel, na terra de Israel.

Virão muitos povos, todos eles descendentes de Esaú (edomitas e outros) e seus
confederados (os descendentes de Ismael) e outros povos com eles, como os
liderados por Gog (Ezequiel 38 e 39), contra a semente boa, os descendentes de
Jacob/Israel, o povo escolhido pelo próprio Deus. Eles virão e congregar-se-ão num
lugar que é chamado de Armagedão. Virão para procurar destruir Israel. Porém, esta
será a grande batalha espiritual que será travada entre YHWH, que lutará ao lado de
Israel, e Satanás, que lutará contra O Altíssimo e o Seu povo. A este respeito leiamos
o Salmo 83 e também Ezequiel 38 e 39 para aí podermos identificar quais serão os
povos que virão contra Israel no fim dos dias. Segundo a visão de Ezequiel, este tão
grande exército que virá do extremo norte, será “como uma nuvem para cobrir a


Vítor Quinta                                                                      167
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

terra” – Ezequiel 38:9-16. A Palavra de Deus fala-nos igualmente de um exército de
200 milhões de homens que virá do Oriente e que atravessará o grande Rio Eufrates
para ir contra Israel. Todos estes grandes exércitos aí perecerão.

A passagem que está em Sofonias 3:8 fala-nos claramente do envolvimento de
YHWH nesta grande batalha: “Portanto esperai-me, diz YHWH, no dia em que eu
me levantar para o despojo; porque o meu decreto é ajuntar as nações e
congregar os reinos, para sobre eles derramar a minha indignação, e todo o
ardor da minha ira; porque toda esta terra será consumida pelo fogo do meu
zelo”. Esta batalha final traduz o cumprimento da profecia do sonho da estátua de
Nabucodonosor em que uma “Pedra” (O Senhor Yeshua) é lançada sem mão para
destruir todos os reinos e domínios humanos (Daniel 2:35; Isaías 2:9-22) e
estabelecer um reino que não mais terá fim. O conflito mundial destes dias do fim
aponta para o estado calamitoso a que o mundo ainda irá chegar, e o juízo divino que
será exercido sobre todos os povos e sobre aqueles que não quiseram escutar a
palavra de repreensão do Deus Altíssimo para se arrependerem dos seus pecados.

Tudo indica que a batalha de Armagedão será precedida por um conflito que
conduzirá à destruição da cidade de Damasco, como acima apontado. Será assim
após este conflito/destruição que o mundo hostil a Israel avançará sobre Jerusalém
para destruir aquela nação, dando origem à batalha de Armagedão. Ou, podemos
entender que a destruição de Damasco fará já parte das hostilidades que rodearão
as grandes batalhas integradas na Guerra do Armagedão? Não temos uma clara
identificação dos dias em que este acontecimento se irá produzir: será um acto
precursor ou já integrado na batalha final? Será o início problemático dos últimos sete
anos, o tempo da tribulação de Jacob? De uma coisa podemos estar certos: todos os
países inimigos de Israel estão a preparar-se para este conflito final.

O juízo de YHWH sobre estas nações será súbito e catastrófico para acabar com o
poder do mal que tem governado as nações. Só após a destruição destes poderes
será restabelecido o juízo e a justiça no mundo, no Reino Milenar do Messias,
conforme nos diz em Daniel 7:27 – “E o reino, e o domínio, e a majestade dos
reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o
seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão, e lhe
obedecerão”. Este tema será analisado em maior detalhe no capítulo seguinte.

É claro que o potencial de destruição dos nossos dias não tem nada a ver com o que
existia nas guerras passadas, até mesmo na II Guerra Mundial. Foi sobretudo a partir
do fim desta guerra, que terminou em 1945, que o homem descobriu formas mais
destruidoras e de completo aniquilamento da humanidade, tendo construído arsenais
capazes de destruir o mundo várias vezes, sobretudo a partir da descoberta da
energia nuclear e das armas químicas, bacteriológicas e bioquímicas. O
desenvolvimento da ciência dos últimos dias também tem jogado um papel adverso
nesta matéria, pois, em vez de aproveitarem o conhecimento dado pela ciência para
promover o bem estar da humanidade, a maioria dos recursos criados pelos povos
têm sido canalizados para desenvolver armas de destruição maciça. Este é o
comércio da morte dos nossos dias e que só acabará quando O Messias vier para
reinar eternamente.




Vítor Quinta                                                                       168
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


A esta desgraça humana junta-se a manipulação dos povos em matéria de
informação e do controlo dos canais de comunicação que veiculam somente “a
verdade deles”, a “verdade” que interessa aos dirigentes manipuladores, e que se
encontram ao serviço de interesses instalados, como os aparelhos político, religioso,
económico e militar das nações, situações essas que promovem a insegurança junto
das populações, permitindo assim criar a atmosfera necessária à promoção da
guerra e à delapidação dos recursos dos povos, em armas e em ganhos ilícitos e não
em educação, saúde e bem estar, em protecção à infância e na velhice, entre outras
coisas, em que esses recursos (sempre escassos) deveriam ser aplicados. Entre
estes encontramos países onde a miséria das suas gentes é muito grande mas,
apesar disso, uma grande fatia dos seus orçamentos anuais é canalizado para
sustentar enormes exércitos e equipamentos militares tecnologicamente evoluídos,
produzidos pelas nações mais ricas do planeta. Os países mais pobres também
procuram adquirir essas armas sofisticadas, nem que para isso tenham que se
endividar e hipotecar o bem-estar de gerações futuras. Ao lado da miséria em que
esses povos vivem, existem exércitos bem equipados que estão ao serviço da
repressão exercida pelas classes dirigentes que se apropriam dos escassos recursos
ali existentes. Ora tudo isto é criminoso…é satânico.

Mas, felizmente ainda há excepções, pois existem ainda algumas bolsas de bom
senso no governo de algumas nações e na utilização dos seus recursos públicos.
Esses são casos raros no mundo actual, esporádicos mesmo, onde os recursos
existentes são utilizados na promoção do bem-estar e do desenvolvimento das
populações, embora ainda gastem uma pequena percentagem desses recursos em
equipamento de protecção contra potenciais agressões externas. Veja-se o exemplo
dos povos nórdicos europeus: Dinamarca, Noruega, Suécia ou Finlândia, onde até os
crimes entre pessoas são raros. Fica-nos pois a sensação que estamos a ser
governados por loucos ou por pessoas sem escrúpulos, cujo “deus” deles é o
dinheiro. Para além desta sensação, fica-nos ainda a certeza que os governos da
maioria dos povos estão subordinados a Satanás e aos seguidores deste. Há muito
que os preceitos de Deus foram por eles abandonados.

E, contudo, sabemos pela Palavra de Deus, que nenhum governo deste mundo
existe sem a aprovação de Deus. Mas, certamente, YHWH coloca estes governos à
frente dos povos para que todo o Seu plano se cumpra. Eles acabam por ser um
meio de castigar os povos que não querem saber do Deus Salvador. Yeshua diz-nos
muito claramente que quando virmos estas coisas acontecerem é tempo de olhar
para cima pois a redenção do grande e Eterno Deus está muito próxima – Lucas
21:29-31. Quanto maior for o caos no cenário mundial, mais perto estaremos da
vinda do Rei Eterno Yeshua!

Assinalemos ainda que durante todas estas guerras históricas houve um elemento
que esteve quase sempre presente em todas elas: a perseguição encarniçada do
povo de Deus tanto por parte de uma igreja apóstata, a romana, como do islamismo.
Que o digam o povo judeu e os verdadeiros cristãos que não se quiseram submeter
aos ditames do papado romano ou que não abraçaram a conversão compulsiva ao
Islão e que, por isso mesmo, sofreram a perseguição, o roubo, a tortura e a morte às
mãos de entidades iníquas que têm prevalecido sobre as nações desde há cerca de
16 séculos, e que, conjuntamente (“papado” e islamismo) a partir do Século VII, têm


Vítor Quinta                                                                     169
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

nas suas mãos o sangue dos verdadeiros fiéis, mortos durante a “santa inquisição”,
os progroms, as limpezas étnicas, o holocausto da 2ª Guerra Mundial, as
“conversões” forçadas, a espada do Islão, etc., etc. É o sangue de muitos milhões
que clama por justiça. O Justo Juiz se encarregará de a fazer ao tempo por Ele
determinado.

O Senhor Yeshua alerta-nos para o que ainda há-de acontecer nos dias que
precederão a Sua vinda gloriosa e quando for aberto o 5º selo, em Apocalipse 6:9-11
– “E, havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram
mortos por amor da palavra de Deus e por amor do testemunho que deram. E
clamavam com grande voz, dizendo: Até quando, ó verdadeiro e santo
Dominador, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a
terra? E foram dadas a cada um compridas vestes brancas e foi-lhes dito que
repousassem ainda um pouco de tempo, até que também se completasse o
número de seus conservos e seus irmãos, que haviam de ser mortos como eles
foram”. Nestes dias do fim, voltará a haver perseguição e morte de muitos que se
revelarem fiéis a Yeshua até ao fim, os que guardam os mandamentos de Deus e
têm a fé de Yeshua. Mas, depois disto, diz-nos acerca do juízo vindouro sobre estes
que exercitam a maldade, em Apocalipse 20:4 – “E vi tronos; e assentaram-se
sobre eles, e foi-lhes dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram
degolados88 pelo testemunho de Jesus, e pela palavra de Deus, e que não
adoraram a besta, nem a sua imagem, e não receberam o sinal em suas testas
nem em suas mãos; e viveram, e reinaram com Cristo durante mil anos”.

Sabemos que a causa profunda da guerra reside na entidade que tem governado os
povos – Satanás, o enganador das nações, o pai da mentira, o qual tem procurado,
desde o princípio, desviar o homem do plano de Deus e da Sua salvação, Yeshua.
Mas, não podemos apontar a culpa somente ao adversário e com isso isentar o
homem da responsabilidade de escolher entre o caminho que Deus lhe propõe ou
aquele que lhe é oferecido por Satanás. O homem também tem grandes
responsabilidades no actual estado do mundo por ter rejeitado a oferta do Deus
Yahweh. Tanto a nível individual como colectivo, pois o homem sempre preferiu a
mentira à verdade, por isso o homem é induzido a autodestruir-se.

Eis o aviso de Deus: Ezequiel 7:2 – “E tu, ó filho do homem, assim diz o Senhor
YHWH acerca da terra de Israel: Vem o fim, o fim vem sobre os quatro cantos
da terra”.

A verdadeira paz sobre todas as nações da terra só será alcançada quando Yeshua
governar as nações com as Leis de Deus nos corações dos homens – de Sião sairá
a Lei diz-nos Isaías 2:3 (ver também Jeremias 31:31-34; Hebreus 8:10; 10:16), e
quando O Senhor restaurar todas as coisas que o homem traçou fora dos caminhos
de Deus. Veja-se o exemplo na terra de Israel, em Isaías 51:3 e Ezequiel 36:35, ou
até na mudança da natureza dos animais, pois “não se fará mais mal algum no monte
da minha santidade”, conforme nos diz O Senhor em Isaías 11:6-9; 65:25. No Milénio
vindouro governado por Yeshua e pelos Seus remidos, não mais se aprenderá a
guerra: Isaías 2:4. Mas, até que essa realidade venha em breve a instalar-se sobre
toda a terra, o mundo viverá a contínua aflição da guerra e destruição entre os povos.
88
  Cortar a cabeça dos supliciados é o método preferido dos islamitas cuja forma de persuasão é a
espada e não o amor (encontramos esse símbolo em muitas bandeiras de países islâmicos).


Vítor Quinta                                                                               170
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Vamos debruçar-nos mais um pouco sobre o que a Bíblia nos diz sobre esta batalha
que precederá a vinda do Messias Yeshua, a chamada “batalha do Armagedão”.
Será esta batalha final aquela que muitos esperam como a III Guerra Mundial?
Estamos convencidos que assim será, pois praticamente todos os povos da terra se
envolverão nela, uns ao lado dos inimigos de Israel e outros ao lado de Israel.

Qual será o motivo próximo que desencadeará este conflito final e suicida?

    •   Será o conflito que conduzirá à destruição da cidade de Damasco, na Síria,
        como está profetizado em Isaías 17:1-14? Não podemos deixar de ligar a
        profecia da destruição súbita de Damasco com a passagem de Paulo em
        1.Tessalonicenses 5:3 que nos diz que quando se falar de paz e segurança,
        então lhes sobrevirá repentina destruição.

    •   Será a reconstrução do Templo em Jerusalém antes da vinda de Yeshua? É
        uma possibilidade com muita força, mas que poderá não ser a verdadeira
        causa, uma vez que a reconstrução do Templo em Jerusalém alcançada
        através de negociações para se chegar ao “acordo de paz” (“pacto com a
        morte”, como nos diz Isaías). Estamos a falar do tal “acordo de paz” do tempo
        do fim, que irá marcar o início da contagem dos últimos 7 anos do fim (a 70ª
        semana da profecia de Daniel), o qual será violado a meio desse tempo, i.e.
        ao fim de 3,5 anos, altura em que o Templo será profanado pelo “homem da
        perdição”, o anti-Cristo do fim, marcando assim o sinal do fim que Yeshua
        apontou aos Seus discípulos: Mateus 24:15 – “Quando, pois, virdes que a
        abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo;
        quem lê, atenda”. De resto, como já antes dissémos, para que o Templo possa
        ser de novo profanado a meio da 70ª semana do fim, é preciso que ele exista.
        Por isso, tudo indica que ele irá ser construído tão cedo esse “acordo de paz
        seja assinado”, i.e. na primeira parte da 70ª semana profética.

    •   Será a luta pelo domínio das fontes de matérias-primas como o petróleo? É
        outra hipótese que muitos colocam nos jogos geopolíticos, dado que esta
        matéria-prima se pode transformar numa arma e servir de chantagem por
        parte dos ricos países árabes detentores de grandes reservas, quando as
        tensões se agudizarem, e que à custa deste bem adquiriram poder e riquezas
        incomensuráveis. Não esquecer que todo o aparelho industrial mundial e não
        só, está assente na energia altamente poluente produzida a partir do petróleo.
        Este será talvez o facto mais visível e próximo que irá estar na origem do
        grande conflito de Armagedão.

    •   Será simplesmente o ódio que os países árabes sempre votaram a Israel,
        países que vivem primordialmente para a destruição desta nação? Ou será
        também a cobiça? Possivelmente ambos os motivos.




Vítor Quinta                                                                      171
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




     •   Porém, independentemente das causas próximas mais visíveis, as terrenas,
         não podemos esquecer que é da vontade de Deus ajustar contas neste tempo
         do fim com as nações que ao longo da História revelaram ser inimigas de
         Israel89 e perseguiram e mataram este povo. Os seus exércitos irão perecer
         nos montes de Israel, porque a boca do Senhor o disse.

Os capítulos 38 e 39 do profeta Ezequiel falam-nos deste confronto final que irá
trazer aos montes de Israel um exército com uma moldura humana tal como nunca
antes foi vista sobre a terra – Apocalipse 9:16. Fala-nos ainda de uma força de
duzentos milhões de homens vindos do Oriente e dos grandes e poderosos exércitos
vindos do Norte e seus aliados (ver adiante os comentários a respeito da profecia
sobre Gog em Ezequiel 38 e 39). Porém, a Palavra de Deus também nos diz que
essa batalha será travada pelo próprio Deus YHWH contra os inimigos do Seu povo -
Israel. Naqueles dias Israel virar-se-á para o seu Deus YHWH em busca de socorro e
Deus responder-lhe-á.

De forma a ficarmos com uma ideia um pouco mais precisa do que se está aqui a
falar, será melhor lermos capítulos 38 e 39 de Ezequiel. Ali vêm relatados os dias de
angústia do tempo do fim. Yeshua fala-nos também sobre estes dias em Mateus
24:21-22. Ele depois alerta-nos ainda que o céu e a terra hão-de passar, mas as
Suas palavras não hão-de passar. Estejamos pois atentos a estes dias. Vigiemos e
oremos como nos manda O Senhor para sermos achados dignos de sermos
poupados de tão grande tribulação. E, se o não formos, conservemos a nossa fé e
confiança nas promessas do Deus YHWH, mantendo a nossa fidelidade até ao fim.

O Senhor estará presente neste combate. Ele promete na Sua Palavra – por
exemplo, em Joel 2:19-21 – “E YHWH, respondendo, disse ao seu povo: Eis que
vos envio o trigo, e o mosto, e o azeite, e deles sereis fartos, e vos não
entregarei mais ao opróbrio entre os gentios. Mas removerei para longe de vós
o exército do norte, e lançá-lo-ei em uma terra seca e deserta; a sua frente para
o mar oriental, e a sua retaguarda para o mar ocidental; e subirá o seu mau
cheiro, e subirá a sua podridão; porque fez grandes coisas. Não temas, ó terra
[de Israel]: regozija-te e alegra-te, porque YHWH fez grandes coisas”. Esta
profecia aponta-nos duas fases muito importantes: i) quando O Rei Yeshua enviar o
trigo e o mosto e o azeite, o que é uma indicação dos dias de abundância que já hoje
é uma realidade nas terras de Israel (onde antes era somente deserto), e ii) dos “dias
do fim” na terra de Israel quando O Senhor destruir o poderoso exército do Norte
(Gog) e os muitos povos que virão com ele. O profeta continua depois a falar-nos
destes acontecimentos futuros no capítulo 3 de Joel.




89
   Lembremos as palavras de YHWH em Génesis 12:3a – “E abençoarei os que te abençoarem, e
amaldiçoarei os que te amaldiçoarem”. Infelizmente, Portugal, através da sua História e com
raríssimas excepções a nível pessoal (e.g. Aristides de Sousa Mendes), tem dado provas de ser um
daqueles países que, nos momentos críticos, perseguiu e maltratou Judá, e não foi só no tempo da
Inquisição.


Vítor Quinta                                                                               172
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Antes que aqueles dias venham falar-se-á muito de paz e segurança. Mas esta é
uma paz e segurança enganosas pois, como nos diz o apóstolo Paulo em
1.Tessalonicenses 5:3, lhes virá então repentina destruição. Estes acontecimentos do
fim serão precedidos igualmente de dias de grande perturbação no mundo, quando
se manifestar o “filho da perdição”, o anti-Cristo, como nos diz em 2.Tessalonicenses
2:1-4. A este, o “iníquo”, o “homem do pecado”, Satanás entregará o seu poder
maléfico para mover as nações contra os filhos de Deus e contra o povo e a terra de
Israel. Só O Messias o poderá deter e destruir com o sopro da Sua boca… com o
Seu poder. Deste “homem do pecado” também nos fala Daniel em Daniel 11:36-45.
Eis o clímax de perturbação que desencadeará a batalha destruidora do fim.

Nos dias que se relacionam com esta grande e última batalha do tempo do fim, como
já apontámos, haverá igualmente outros sinais de guerra e destruição à volta de
Israel, nomeadamente na terra dos seus inimigos. Voltamos a referir que a situação
mais dramática é a que se prende com o cumprimento da profecia da repentina
destruição da grande cidade de Damasco, capital da Síria, e tradicionais inimigos de
Israel e que está em Isaías 17:1,12-14 (excertos) – “Peso de Damasco. Eis que
Damasco será tirada, e já não será cidade, antes será um montão de ruínas…Ao
anoitecer eis que há pavor, mas antes que amanheça já não existe…E há de ser
que todo aquele que invocar o nome de YHWH será salvo; porque no monte
Sião e em Jerusalém haverá livramento, assim como disse YHWH, e entre os
sobreviventes, aqueles que YHWH chamar”. Que poder destruidor será este que
irá aniquilar uma cidade da dimensão de Damasco e outras cidades à volta dela, num
breve momento, senão uma arma com um poder destruidor superior ao nuclear (e
não tão contaminante) ou outro que o homem poderá não ter ainda utilizado? Não
sabemos.

A presença do Senhor Yahweh ao lado de Israel nesta última e grande batalha que
precede “o dia do Senhor” é-nos afirmada em várias passagens. Tomemos a
passagem que está em Joel 3:1-2a, 9, 12, 14-16 – “Porque, eis que naqueles dias,
e naquele tempo, em que removerei o cativeiro de Judá e de Jerusalém,
congregarei todas as nações, e as farei descer ao vale de Jeosafá; e ali com
elas entrarei em juízo, por causa do meu povo, e da minha herança, Israel, a
quem elas espalharam entre as nações e repartiram a minha terra…Proclamai
isto entre os gentios; preparai a guerra, suscitai os fortes; cheguem-se, subam
todos os homens de guerra... Suscitem-se os gentios, e subam ao vale de
Jeosafá; pois ali me assentarei para julgar todos os gentios em
redor…Multidões, multidões no vale da decisão; porque o dia de YHWH está
perto, no vale da decisão. O sol e a lua enegrecerão, e as estrelas retirarão o
seu resplendor. E YHWH bramará de Sião, e de Jerusalém fará ouvir a sua voz;
e os céus e a terra tremerão, mas YHWH será o refúgio do seu povo, e a
fortaleza dos filhos de Israel”. Eis a verdade anunciada pelo próprio Deus, acerca
do que se irá passar naquela terra, naqueles dias. O profeta Zacarias também nos
fala destes dias de castigo e morte em Zacarias 12:2-4, 11; 13:8.




Vítor Quinta                                                                     173
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Como nos diz a Palavra de Deus em Apocalipse 16:12-14, estes reis (chefes de
povos) serão congregados para a guerra por demónios instigadores que levarão os
povos inimigos de Israel a querer lutar contra Israel, uma vez mais, e em grande
força, de forma a erradicá-lo do mapa (não é o que os povos islamitas têm vindo a
apregoar desde que Israel se constituiu como nação em 1948?) – “E o sexto anjo
derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates; e a sua água secou-se, para
que se preparasse o caminho dos reis do oriente. E da boca do dragão [o
diabo, a serpente, Satanás], e da boca da besta [os poderes e domínios deste
mundo, o “filho da perdição” que também é designado por “besta”], e da boca
do falso profeta vi sair três espíritos imundos, semelhantes a rãs. Porque são
espíritos de demónios, que fazem prodígios; os quais vão ao encontro dos reis
da terra e de todo o mundo, para os congregar para a batalha, naquele grande
dia do Deus Todo-Poderoso”. Diz-nos a profecia que o grande rio Eufrates secará
para preparar a passagem deste tão grande exército de 200 milhões de homens. De
acordo com esta profecia, esta batalha final será travada “naquele grande dia do
Deus Todo-Poderoso”.

Esta será a última parte e a mais violenta da sempre presente batalha entre o bem e
o mal, que se trava desde que o homem desobedeceu a Deus, no Jardim do Éden.
Cristo e as Suas hostes combaterão ali. Satanás e as suas tropas opor-se-ão à vinda
gloriosa do Rei Yeshua. Haverá assim um confronto material e espiritual também: as
forças do mal combaterão O Cordeiro, e o Cordeiro e os que estão com Ele os
vencerão: Apocalipse 14:14-20; 16:14; 17:14; 19:11-21; Joel 3:12-14.

Em que local geográfico nos diz a Bíblia que essa derradeira batalha será travada?
Uma das passagens bíblicas que se referem ao nome de “Armagedão” encontra-se
em Apocalipse 16:16 – “E os congregaram no lugar que em hebreu se chama
Armagedão”. No hebraico pensa-se que este nome corresponde a “Har-Megiddo”,
que significa “montanha ou monte de Megiddo”. Este local situa-se na planície de
Esdralon ou de Jizreel – um vale que foi palco de numerosas batalhas entre Israel e
os seus inimigos no passado (2.Crónicas 35:22), nomeadamente contra os filisteus
(ali também pereceu Jezabel, 2.Reis 9:37). Este local também nos é referido na
Bíblia como o “vale de Jeosafá”, conforme nos é referido em Joel 3:2, 9-16, e situa-se
às portas de Jerusalém, a norte.

Ezequiel 39:11 diz-nos: “E sucederá que, naquele dia, darei ali a Gog um lugar de
sepultura em Israel, o vale dos que passam ao oriente do mar; e pararão os que
por ele passarem; e ali sepultarão a Gog, e a toda a sua multidão, e lhe
chamarão o vale da multidão de [Hamom-]Gog”. Este vale, é também conhecido
como “o vale da decisão” (Joel 3:14) e será também chamado “o vale da multidão de
Hamom-Gog”. Outra designação habitual na Bíblia é “vale de Jeosafá”, como já
apontámos em Joel 3:2 e 12. A segunda referência a este local encontramo-la em
Zacarias 12:11 (vale de Megidom) – ver nota de rodapé no início deste capítulo.

Ao falarmos de Gog (cujo significado em hebraico é “trevas”) e dos seus largos
exércitos aliados, atentemos que Deus o trará preso por “anzóis” que colocará nos
seus queixos (Ezequiel 38:4), e o conduzirá aos montes de Israel para aí o castigar.
Reparemos ainda que este grande exército do inimigo tradicional de Israel, virá do
extremo Norte.


Vítor Quinta                                                                      174
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Entendemos que se refere a uma confederação de nações da esfera do que foi a
antiga União Soviética, agora liderada pela Rússia90 (Rosh, cujo significado é “chefe”,
mas também “urso” que foi sempre o símbolo desta nação). Fazendo a ligação ao “rei
do Norte” de Daniel 11, vemos que ele virá com muitos povos/exércitos os quais
serão liderados por Gog nesta futura aventura bélica na terra de Israel, conforme nos
diz a profecia em Ezequiel 38:1-6 – “Filho do homem, dirige o teu rosto contra
Gog, terra de MaGog, príncipe e chefe de Meseque, e Tubal91, e profetiza contra
ele. E dize: Assim diz o Senhor YHWH: Eis que eu sou contra ti, ó Gog, príncipe
e chefe de Meseque e de Tubal; e te farei voltar, e porei anzóis nos teus
queixos, e te levarei a ti, com todo o teu exército, cavalos e cavaleiros, todos
vestidos com primor, grande multidão, com escudo e rodela, manejando todos
a espada; persas [actual Irão], etíopes [em hebraico: Cush], e os de Pute [Líbia]
com eles, todos com escudo e capacete; Gómer [a antiga Suméria, localizada a
sul e a leste do Mar Negro; os países eslavos] e todas as suas tropas; a casa de
Togarma92 [zonas do Sul da Turquia, a Arménia e a Rússia meridional], do
extremo norte, e todas as suas tropas, muitos povos contigo”.

Notemos ainda o que nos diz o profeta de YHWH acerca de Gog e dos que com ele
virão: Ezequiel 38:11-13 – “E dirás: Subirei contra a terra das aldeias não
muradas [Israel]; virei contra os que estão em repouso, que habitam seguros;
todos eles habitam sem muro, e não têm ferrolhos nem portas; a fim de tomar o
despojo, e para arrebatar a presa, e tornar a tua mão contra as terras desertas
que agora se acham habitadas, e contra o povo que se congregou dentre as
nações, o qual adquiriu gado e bens, e habita no meio da terra. Sebá e Dedã93, e
os mercadores de Társis, e todos os seus leõezinhos te dirão: Vens tu para
tomar o despojo? Ajuntaste a tua multidão para arrebatar a tua presa? Para
levar a prata e o ouro, para tomar o gado e os bens, para saquear o grande
despojo?”.




90
   Basta lembrar as perseguições sistemáticas (pogroms) realizadas ao longo de séculos sobre as
indefesas populações judaicas residentes naqueles territórios. Mais recentemente, também, atiçadas
por um regime diabólico comunista e por uma classe eclesiástica intolerante. Por outro lado, após a
fundação do Estado de Israel em 1948, a ex-União Soviética esteve sempre ao lado dos países
árabes inimigos de Israel, armando-os e treinando os seus exércitos com o fim de destruir a nação
hebraica. Até nestes factos históricos Deus nos revela que o intento de Satanás e dos homens nada
podem contra as Suas promessas.
91
   Meseque, nome antigo dado à capital europeia da antiga Rússia (ao tempo de Napoleão), agora
designada de Moscovo; enquanto a capital asiática situada na zona da Sibéria é Tobolsk (Tubal). De
acordo com os historiadores e arqueólogos, todos estas tribos, descendentes de Jafé, foram ocupar os
territórios a Norte do Mar Negro, tendo-se depois estendido para o sudeste e até aos limites da
Europa.
92
   Reportar às origens destes povos, os descendentes de Jafé: Génesis 10:2-3.
93
   Quem são estes Sebá e Dedâ? Estes são os descendentes de Cão (Génesis 10:6) e de Cuxe
(Génesis 10:7), que gerou a Nimrod, grande inimigo de Deus e fundador de Babilónia. Etiópia e Cuxe
são as nações da África negra que também irão contra Israel nos dias do fim, sobretudo as do Norte
de África que aderiram ao islamismo.


Vítor Quinta                                                                                   175
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Pensamos que as actuais referências aos povos e zonas indicadas entre parêntesis a
azul, correspondem aos antigos povos mencionados na profecia bíblica, embora haja
autores e estudiosos que apontam ainda algumas outras alternativas. Porém, a
grande maioria desses estudiosos da História antiga concordam quanto às origens
dos nomes dos actuais povos ali indicados. De uma coisa estamos absolutamente
seguros: eles são das bandas do Norte (i.e. a Norte de Israel) como dizem as
Escrituras proféticas. Reparemos ainda que muitos destes povos de etnia russa são
descendentes dos antigos Citas94 que há cerca de 2600 anos vieram em hordas
bárbaras das bandas do Norte, percorrendo os desfiladeiros do Cáucaso e invadindo
todo o S.O. da Ásia e chegando a atacar a “terra formosa” – em 627 a.C., no reinado
de Josias.




                                            (pente cita)

Reparemos ainda que não serão somente os exércitos russos, muito bem equipados
militarmente, mas muitos outros povos com eles, todos eles tradicionais inimigos de
Israel – ler também Salmo 83:2-8 para se poder identificar outros povos que virão
contra Jerusalém/Israel; serão como “uma nuvem”, “como uma tempestade” de tão
numerosos que serão – Ezequiel 38:9. No verso 16 Deus diz que ajustará contas
com estas nações nos montes de Israel “nos últimos dias” e ali lhes dará sepultura.
YHWH diz-nos até a forma como este grande exército perecerá, para que O Nome de
YHWH seja engrandecido aos olhos de todas as nações; versos 21-23: as armas de
cada um se voltarão contra o seu irmão, e Deus os combaterá através do sangue, da
peste, da saraiva, da chuva inundante, do fogo e do enxofre (não foi deste modo que
Sodoma e Gomorra foram destruídas? E não existe abundância de betume e enxofre
altamente combustíveis naquelas campinas?).

A Palavra de Deus através do profeta revela-nos também outra profecia que nos fala
de uma panela a ferver: Jeremias 1:13-15 – “E veio a mim a palavra de YHWH
segunda vez, dizendo: Que é que vês? E eu disse: Vejo uma panela a ferver,
cuja face está para o lado do norte. E disse-me YHWH: Do norte se descobrirá o
mal sobre todos os habitantes da terra. Porque eis que eu convoco todas as
famílias dos reinos do norte, diz YHWH; e virão, e cada um porá o seu trono à
entrada das portas de Jerusalém, e contra todos os seus muros em redor, e
contra todas as cidades de Judá”. Estes dias estão às portas. E, mais adiante, o

94
   Segundo a Wikipedia: “os citas são mencionados na Bíblia no capítulo 38 do livro de Ezequiel.
Nesta passagem da Bíblia o profeta usa o nome hebraico MaGog. O historiador judeu Flávio Josefo
diz que os magoguitas eram chamados de citas pelo gregos (Antiguidades dos judeus 1.6.1)”.


Vítor Quinta                                                                               176
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

mesmo profeta diz-nos em 10:22 – “Eis que vem uma voz de rumor, grande
tremor da terra do norte, para fazer das cidades de Judá uma assolação, uma
morada de chacais”. Os inimigos de Israel congregar-se-ão de toda a parte, mas ali
perecerão, como diz YHWH na Sua Palavra.

A destruição deste tão poderoso exército é-nos relatado pelo próprio Senhor YHWH
no capítulo 39 de Ezequiel, onde nos é dito nos versos 4-5: “Nos montes de Israel
cairás, tu e todas as tuas tropas, e os povos que estão contigo; e às aves de
rapina, de toda espécie, e aos animais do campo, te darei por comida. Sobre a
face do campo cairás, porque eu o falei, diz o Senhor YHWH”. No verso 2 diz-nos
a profecia que uma sexta parte desse poderoso exército será poupado, só não
sabemos se nas suas terras de origem ou na terra de Israel.

O lugar da sepultura de Gog será no vale a oriente do mar (Mediterrâneo) – Ezequiel
39:11-13 – “E sucederá que, naquele dia, darei ali a Gog um lugar de sepultura
em Israel, o vale dos que passam ao oriente do mar; e pararão os que por ele
passarem; e ali sepultarão a Gog, e a toda a sua multidão, e lhe chamarão o
vale da multidão de Gog. E a casa de Israel os enterrará durante sete meses,
para purificar a terra. Sim, todo o povo da terra os enterrará, e será para eles
memorável dia em que eu for glorificado, diz o Senhor YHWH”. Que grande
castigo está reservado para os inimigos do Seu povo, Israel.

A grande batalha dos “dias do fim” congregará todo o poderoso exército de Gog e
seus aliados, bem como os restantes inimigos de Israel, os países árabes tradicionais
inimigos de Israel, numa fortíssima coligação de nações, nela incluída também os
exércitos do Rei do Oriente, que será conduzida para a grande batalha, a de
Armagedão. Recordemos as palavras do salmista no Salmo 60:12 – “Em Deus
faremos proezas; porque ele é que pisará os nossos inimigos”.

Porém, poderá haver aqui uma diferença que convém deixar em aberto, pois a
profecia de Ezequiel 38 e 39 sobre Gog, diz-nos que os cadáveres deste poderoso
exército do Norte e seus aliados serão sepultados durante 7 meses (Ezequiel 39:12),
enquanto os cadáveres da grande batalha de Armagedão ficarão insepultos
(Apocalipse 19:18) e serão devorados pelas aves necrófagas do céu para ali
chamadas por Deus, como banquete. Estaremos então a falar de duas grandes
batalhas finais centradas na terra de Israel, com um tempo de materialização muito
próximo entre si? A primeira conduzida por Gog, príncipe e chefe de MaGog…e a de
Armagedão liderada pelo anti-Cristo do fim? Não sabemos com exactidão, embora
sejamos levados a acreditar que se trata de uma só batalha no fim dos dias. Do que
podemos ter a certeza é que o tempo em que estes acontecimentos se hão-de
produzir será muito curto e estão para breve.




Vítor Quinta                                                                     177
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Nesta grande batalha dos últimos dias os exércitos do adversário congregar-se-ão
para combater contra o povo eleito e contra o Rei dos reis, que ali Se manifestará –
Apocalipse 14:14-20; 16:14. Reproduzamos aqui o que está escrito em Apocalipse
14:18-20 – “E saiu do altar outro anjo, que tinha poder sobre o fogo, e [YHWH]
clamou com grande voz ao que tinha a foice aguda, dizendo: Lança a tua foice
aguda, e vindima os cachos da vinha da terra, porque já as suas uvas estão
maduras. E o anjo lançou a sua foice à terra e vindimou as uvas da vinha da
terra, e atirou-as no grande lagar da ira de Deus. E o lagar foi pisado fora da
cidade, e saiu sangue do lagar até aos freios dos cavalos, pelo espaço de mil e
seiscentos estádios95”. Este tão grande confronto (espiritual e material) ocorrerá no
final da 70ª semana profética de Daniel, quando se manifestar o anti-Cristo – ver
Daniel 11, em particular os versículos 40-45.

Os dias da Batalha de Armagedão estão retratados nas palavras de Apocalipse
19:17-21 que nos apresentam o resultado inglório dos esforços humanos e de
Satanás contra Deus: “E vi um anjo que estava no sol, e clamou com grande voz,
dizendo a todas as aves que voavam pelo meio do céu: Vinde, e ajuntai-vos à
ceia do grande Deus; para que comais a carne dos reis, e a carne dos tribunos,
e a carne dos fortes, e a carne dos cavalos e dos que sobre eles se assentam; e
a carne de todos os homens, livres e servos, pequenos e grandes. E vi a besta,
e os reis da terra, e os seus exércitos reunidos, para fazerem guerra àquele que
estava assentado sobre o cavalo, e ao seu exército. E a besta [homem do
pecado, o anti-Cristo] foi presa, e com ela o falso profeta, que diante dela fizera
os sinais, com que enganou os que receberam o sinal da besta, e adoraram a
sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no lago de fogo que arde com
enxofre. E os demais foram mortos com a espada que saía da boca do que
estava assentado sobre o cavalo [Yeshua, O Rei], e todas as aves se fartaram
das suas carnes”. Compreende-se, a partir destas palavras proféticas que tanto a
besta (o anti-Cristo e as suas forças terrenas) como o falso profeta serão destruídos
na próxima vinda de Yeshua, enquanto Satanás e seus anjos rebeldes serão presos
durante mil anos, para voltarem a ser soltos por um pouco de tempo e continuarem à
sua acção enganadora – ver parágrafo seguinte.

A Palavra de Deus fala-nos ainda de uma última e decisiva batalha que será travada
à volta da cidade santa, Jerusalém, já no fim do Milénio do governo de Yeshua sobre
a terra, quando Satanás for de novo solto e voltar a enganar as nações congregando-
as, de novo, para outra grande batalha, esta a derradeira de todas. Nesta última
batalha toda a corte do mal será destruída: Satanás e seus anjos irão juntar-se à
besta e ao falso profeta no lago de fogo que os destruirá para sempre – Apocalipse
20:7-10 – “E, acabando-se os mil anos, Satanás será solto da sua prisão, e sairá
a enganar [de novo] as nações que estão sobre os quatro cantos da terra, Gog
e MaGog, cujo número é como a areia do mar, para as ajuntar em batalha. E
subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade
amada; e de Deus desceu fogo, do céu, e os devorou. E o diabo, que os
enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso
profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre”. Todos
serão consumidos no fogo e deles não haverá mais memória.

95
     Equivalente a uma distância próxima dos 296 kms.


Vítor Quinta                                                                     178
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Temos assim duas grandes batalhas finais: uma no fim dos tempos actuais, a de
Armagedão, durante a qual se dará o regresso de Yeshua, O Rei, e a última no final
do Milénio do governo do Messias, de que nos fala Apocalipse 20:8.

O “vale da decisão” ou “vale de Megidom” está localizado a sudoeste da cidade de
Nazaré (actualmente na posse dos palestinianos). Tem uma dimensão de cerca de
22,5 por 32 kms. Trata-se de uma planície muito vasta, de que damos uma breve
imagem nas fotos inseridas neste trabalho. De acordo com a Palavra de Deus é ali
que se congregarão e serão destruídos os exércitos que pretendem “erradicar Israel
do mapa”. O poder de Yahweh encarregar-se-á de demonstrar o contrário das suas
pretensões, pois Israel terá que ocupar-se em enterrar os corpos mortos dos seus
inimigos durante 7 meses para purificar a terra de Israel – Ezequiel 39:12, 14.

Preparemos pois os nossos corações para estes dias de angústia que sobrevirão ao
mundo e à terra de Israel em particular, e confiemos que O Deus de Israel, Senhor
Yahweh ali manifestará o Seu poder. Consolemo-nos uns aos outros com estas
palavras.



8.     A vinda gloriosa do Rei Eterno, Senhor Yeshua e o Seu Reino
       Milenar

À medida que se aproximam os dias do fim do governo do homem sobre a terra,
também toda a Terra, a própria humanidade e toda a criação de Deus, está a sentir
as dores dos trabalhos de parto que culminarão em dores lancinantes.

São inúmeros os sinais deste período do “fim dos tempos”, tal como foram
anunciados pelos servos de Deus ao longo de muitos séculos. É chegada a hora de
enfrentar as dores finais, antes que nasça uma nova era, a qual será uma era em que
todo o homem andará segundo a vontade do Deus YHWH (teocracia)96, a Sua
Lei/Torá eterna. Lembremos as palavras que estão em Isaías 2:2-3 – “E acontecerá
nos últimos dias que se firmará o monte da casa de YHWH no cume dos
montes [sinónimo de Jerusalém], e se elevará por cima dos outeiros; e
concorrerão a ele todas as nações. E irão muitos povos, e dirão: Vinde,
subamos ao monte de YHWH, à casa do Deus de Jacob, para que nos ensine os
seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e de
Jerusalém a palavra de YHWH”. E, assim, todos os que viverem sob o governo do
Rei Yeshua estarão submetidos à Sua Lei/Torá e justiça, a mesma que Ele prometeu
gravar nos corações dos homens – Jeremias 31:31-33; Hebreus 8:10; 10:16. Não
será somente a Casa de Israel e de Judá que obedecerão a esta Lei, mas toda a
carne, em todas as nações que estiverem perante Yeshua, O Rei.




96
  Isaías 32:1 diz-nos: “Eis que reinará um rei com justiça, e dominarão os príncipes segundo o
juízo [a Lei/Torá de YHWH]”, o mesmo juízo/Lei que sairá de Sião quando Yeshua reinar...”de Sião
sairá a Lei”!


Vítor Quinta                                                                                 179
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Lembremos as promessas de YHWH em Jeremias 23:5-6 – “Eis que vêm dias, diz
YHWH, em que levantarei a David um Renovo justo [Senhor Yeshua (MarYah)];
e, sendo rei, reinará e agirá sabiamente, e praticará o juízo e a justiça na terra.
Nos seus dias Judá será salvo, e Israel habitará seguro; e este será o seu
nome, com o qual Deus o chamará: YHWH JUSTIÇA NOSSA”.

Este é O que era, que é, e que há-de vir – O Deus de toda a terra, o mesmo que foi
anunciado pelos profetas desde o princípio do mundo, e Aquele de quem o profeta
diz: Isaías 9:6-7 – “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o
principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso,
Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Do aumento deste
principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de David e no seu reino, para
o firmar e o fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre; o
zelo de YHWH dos Exércitos fará isto”. O Seu reino não terá fim como também
anunciou Daniel. Esta segurança nos basta!

Daniel 7:27 também nos diz: “E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos
debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o seu
reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão, e lhe obedecerão”.
O Salmo 72 fala eloquentemente das riquezas e da paz deste reino. Todas as nações
O servirão.

Quando O Senhor Yeshua vier em toda a Sua glória e esplendor, com milhares de
milhares dos Seus anjos, então, os rebeldes que sobreviverem até aquele dia,
esconder-se-ão da Sua presença majestosa: Isaías 2:10-12, 17-21 – “Entra nas
rochas, e esconde-te no pó, do terror de YHWH e da glória da sua majestade.
Os olhos altivos dos homens serão abatidos, e a sua altivez será humilhada; e
só YHWH será exaltado naquele dia97. Porque o dia de YHWH dos Exércitos
será contra todo o soberbo e altivo, e contra todo o que se exalta, para que seja
abatido.
...E a arrogância do homem será humilhada, e a sua altivez se abaterá, e só
YHWH será exaltado naquele dia. E todos os ídolos desaparecerão totalmente.
Então os homens entrarão nas cavernas das rochas, e nas covas da terra, do
terror de YHWH, e da glória da sua majestade, quando ele se levantar para
assombrar a terra. Naquele dia o homem lançará às toupeiras e aos morcegos
os seus ídolos de prata, e os seus ídolos de ouro, que fizeram para diante deles
se prostrarem. E entrarão nas fendas das rochas, e nas cavernas das penhas,
por causa do terror de YHWH, e da glória da sua majestade, quando ele se
levantar para abalar terrivelmente a terra”.

Os momentos que hão-de preceder a vinda do Deus Soberano, serão de grande
turbulência e pavor em toda a humanidade. Tremerão os joelhos e os homens ficarão
fracos para enfrentar O Todo-Poderoso na Sua glória e ira. Diz-nos Joel 2:1-3, 6, 10-
11 – “Tocai a trombeta em Sião, e clamai em alta voz no meu santo monte;
tremam todos os moradores da terra, porque o dia de YHWH vem, já está perto;
dia de trevas e de escuridão; dia de nuvens e densas trevas, como a alva
espalhada sobre os montes; povo grande e poderoso, qual nunca houve desde
97
  Podemos aceitar que “O dia do Senhor” não é somente um dia literal de 24 Horas, uma vez que a
Bíblia nos dá inúmeros exemplos proféticos de um dia ser igual a um ano.


Vítor Quinta                                                                              180
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

o tempo antigo, nem depois dele haverá pelos anos adiante, de geração em
geração. Diante dele um fogo consome, e atrás dele uma chama abrasa; a terra
diante dele é como o jardim do Éden, mas atrás dele um desolado deserto; sim,
nada lhe escapará…Diante dele temerão os povos; todos os rostos se tornarão
enegrecidos…Diante dele tremerá a terra, abalar-se-ão os céus; o sol e a lua se
enegrecerão, e as estrelas retirarão o seu resplendor…E YHWH levantará a sua
voz diante do seu exército; porque muitíssimo grande é o seu arraial [exército];
porque poderoso é, executando a sua palavra; porque o dia de YHWH é grande
e mui terrível, e quem o poderá suportar?” A Palavra de Deus fala-nos deste
grande “dia do Senhor” como dia de escuridão, de pavor, de turbação, de fogo que
tudo consome à passagem. Também O Senhor Yeshua confirma estas palavras em
Mateus 24:29-31.

Ou, como também nos diz em Apocalipse 9:6 – “E naqueles dias os homens
buscarão a morte, e não a acharão; e desejarão morrer, e a morte fugirá deles”.
No contexto desta passagem, vemos que estes dias estão associados aos castigos
que YHWH derramará sobre os ímpios na Sua vinda. Este Deus Eterno agirá de
forma terrível sobre os que obram a maldade e praticam a iniquidade (violam a Sua
Lei/Torá eterna). A Sua Palavra será cumprida. Esta vinda será repentina, quando a
humanidade não estiver à espera e quando for grande o desespero e angústia entre
todas as nações (tempo da grande tribulação).

Ele virá como o ladrão que surpreende durante a noite. Será uma surpresa para
todos os que não acreditam na Sua vinda ou para os que andam a dormir,
precisamente num tempo em que Ele nos diz para estarmos vigilantes. O apóstolo
Paulo alerta-nos da Sua vinda em 1.Tessalonicenses 5:2-10, e diz-nos no verso 4 –
“Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda
como um ladrão”. Eis a firme certeza da salvação para aqueles que O esperam. Os
fiéis filhos de Deus deram provas ao longo da História de que conhecem os sinais
dos tempos em que viveram, conhecimento que lhes veio através do estudo da
Palavra e da iluminação do Espírito de Deus. Sejamos nós também avisados e
prudentes em relação aos dias de hoje e dos que estão pela frente. Saibamos
escutar “a trombeta de Deus”.

Quando a grande tribulação estiver no seu auge e for o tempo da Batalha de
Armagedão, com toda a sua corte de morte e sofrimento humanos, então estará
muito próxima a vinda gloriosa de Yeshua – O filho de David. Apocalipse 19:11-21
relata-nos a vinda do Fiel e Verdadeiro, Aquele que vem julgar o mundo e retribuir a
cada um segundo as suas obras: O Rei dos reis e Senhor dos senhores. Quando Ele
vier porá fim ao poder da besta, do anti-Cristo e do falso profeta. Ele virá a Sião para
reinar sobre todas as nações da Terra, e o Seu reino não terá fim, como nos diz
também em Lucas 1:33. Lembremos as palavras do Altíssimo Deus YHWH a respeito
do Filho, em Salmo 2:9 – “Tu os esmigalharás [aos Seus inimigos] com uma vara
de ferro; tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro”.

Uma das profecias que aponta para o tempo do Reino Milenar do Messias é a
reunião das duas casas de Israel: Judá e Efraim/Israel. Estas duas varas tornar-se-ão
uma só vara na mão do Rei, para não voltarem a ser separadas: Ezequiel 37:19-22 –
“Tu lhes dirás: Assim diz o Senhor YHWH: Eis que eu tomarei a vara de José
que esteve na mão de Efraim, e a das tribos de Israel, suas companheiras, e as


Vítor Quinta                                                                        181
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

ajuntarei à vara de Judá, e farei delas uma só vara, e elas se farão uma só na
minha mão. E as varas, sobre que houveres escrito, estarão na tua mão,
perante os olhos deles. Dize-lhes pois: Assim diz o Senhor YHWH: Eis que eu
tomarei os filhos de Israel dentre os gentios, para onde eles foram, e os
congregarei de todas as partes, e os levarei à sua terra. E deles farei uma nação
na terra, nos montes de Israel, e um rei será rei de todos eles, e nunca mais
serão duas nações; nunca mais para o futuro se dividirão em dois reinos”. Eles
virão de toda a parte, dos quatro cantos da Terra, no maior êxodo que alguma vez a
História registou, para habitar na terra que YHWH prometeu aos patriarcas – Génesis
15:18.

Não será unicamente Judá que voltará à terra dos patriarcas. Também Efraim/Israel
virá como está profetizado em Ezequiel 39:25-29 – “Portanto assim diz o Senhor
YHWH: Agora tornarei a trazer os cativos de Jacob, e me compadecerei de toda
a casa de Israel; zelarei pelo meu santo nome. E levarão sobre si a sua
vergonha, e toda a sua rebeldia, com que se rebelaram contra mim, quando
eles habitarem seguros na sua terra, sem haver quem os espante. Quando eu
os tornar a trazer de entre os povos, e os houver ajuntado das terras de seus
inimigos, e eu for santificado neles aos olhos de muitas nações, então saberão
que eu sou YHWH seu Deus, vendo que eu os fiz ir em cativeiro entre os
gentios, e os ajuntarei para voltarem a sua terra, e não mais deixarei lá nenhum
deles. Nem lhes esconderei mais a minha face, pois derramarei o meu Espírito
sobre a casa de Israel, diz o Senhor YHWH”. Que grandes promessas! Que dias
maravilhosos nos estão reservados após a grande tribulação.

Depois deste grande êxodo, que será muito maior que o que se verificou no tempo de
Moisés, Israel será uma nação que ocupará toda a terra que YHWH deu aos
patriarcas por herança, para possessão perpétua – Génesis 15:18-21; 48:4; Josué
1:4. Essa terra será pequena para os albergar a todos.

Será então, nessa grande nação de Israel, do Eufrates ao grande rio do Egipto e até
ao mar (Mediterrâneo), que se materializarão as palavras do profeta Amós 9:14-15 –
“E trarei do cativeiro meu povo Israel, e eles reedificarão as cidades assoladas,
e nelas habitarão, e plantarão vinhas, e beberão o seu vinho, e farão pomares, e
lhes comerão o fruto. E plantá-los-ei na sua terra, e não serão mais arrancados
da sua terra que lhes dei, diz YHWH teu Deus”. Esta profecia começou a ser
parcialmente cumprida após o ano de 1948. Eis o futuro de Israel que se enquadra
com todo o cenário de paz e harmonia nas restantes nações e que será o apanágio
de quem viver no Milénio debaixo do governo do Rei Yeshua e dos Seus escolhidos.
Esta terra de Israel será, só então, verdadeiramente, “A Terra Prometida”, a que foi
prometida aos patriarcas Abraão, Isaac e Jacob/Israel.




Vítor Quinta                                                                    182
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




8.1              O que falta cumprir

As profecias bíblicas revelam-nos que existe ainda um número de acontecimentos
proféticos por concretizar, embora a sua concretização no tempo vá ter um desfecho
rápido (lembremos as palavras de Yeshua de que não passará esta geração sem que
tudo aconteça – ou, a geração destes sinais, de que já antes nos ocupámos).

De forma sumária, podemos então apontar os principais acontecimentos futuros:

          a)    Até à vinda de Yeshua, O Rei

      •   O aparecimento da Confederação de dez nações do tempo do fim que dará o
          seu poder à besta por uma hora (Apocalipse 13:1; 17:3, 12-13).

      •   A manifestação do anti-Cristo, a besta, o homem do pecado, o homem anti-Lei
          (Daniel 7:8; Apocalipse 13:1-8).

      •   A celebração do Tratado de “Paz” entre Israel e os povos seus inimigos, sob o
          patrocínio das grandes potências mundiais, tratado esse que Isaías diz ser um
          “pacto com a morte”, que ocorrerá 7 anos antes da vinda do Rei Yeshua
          (Daniel 9:27; Isaías 28:15) e que será rompido ao fim de 3,5 anos. Este tratado
          de “paz” poderá ser a confirmação do tratado assinado em Oslo por 7 anos,
          uma vez que a Palavra nos ensina que o anti-Cristo “confirmará” esse acordo.

      •   A reconstrução do Templo em Jerusalém, no Monte Moriah (o 3º Templo).

      •   A instituição de uma “igreja mundial” como resultado dos esforços ecuménicos
          das últimas décadas (Apocalipse 17:1-15), uma das expressões do “falso
          profeta”, aliada a toda a manifestação do fim da “Nova Ordem Mundial”.

      •   O sinal da “abominação da desolação” que se há-de manifestar em Jerusalém,
          no Templo já reconstruído, que irá marcar o início da segunda metade da 70ª
          semana profética de Daniel 9, o período da grande tribulação do fim.

      •   As perseguições e martírios desse tempo do fim e o período final da grande
          tribulação movidos pelo poder do anti-Cristo (Apocalipse 7:9-17; 13:5-8, 15-17;
          17:16-17).

      •   A destruição da igreja apóstata e todo o seu falso sistema religioso; a “grande
          prostituta” que contaminou e fez com que as nações adulterassem contra
          Deus, a qual será queimada Apocalipse 18.

      •   A destruição da cidade de Damasco – capital da Síria: Isaías 17.

      •   A destruição de Gog e das nações com ele confederados, nos montes de
          Israel (Ezequiel 38 e 39), como parte da grande Batalha de Armagedão e a
          grande matança ligada a esse acontecimento (Daniel 11:40-45; Apocalipse




Vítor Quinta                                                                         183
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        9:13-21; 16:12-16). Cristo virá no decurso desta grande batalha final, fazendo
        assim a transição para o tempo da ira do Cordeiro.

Lucas 21:28 dá-nos as palavras proféticas de Yeshua, O Cristo: “Ora, quando estas
coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças,
porque a vossa redenção está próxima”.

        b)     Com a vinda gloriosa de Yeshua:

    •   Já antes apontámos que a vinda gloriosa do Rei Eterno, Senhor Yeshua se
        dará no decurso da Batalha de Armagedão, quando a humanidade já tiver
        sofrido perdas humanas de tal volume (conforme profetizado), ao ponto
        daqueles dias terem de ser abreviados, senão ninguém iria sobreviver.

    •   Na segunda vinda de Yeshua, para além do prémio aos fiéis e da ira divina
        que, de seguida será derramada sobre os ímpios, concretizar-se-ão ainda
        duas profecias bíblicas:

        1) O povo de Judá que ainda hoje não reconhece O Messias Yeshua de há
           2.000 anos (ortodoxos, etc.): “E acontecerá naquele dia, que procurarei
           destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém; mas sobre a
           casa de David, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o
           Espírito de graça e de súplicas; e olharão para mim, a quem
           traspassaram; e pranteá-lo-ão sobre ele, como quem pranteia pelo
           filho unigénito; e chorarão amargamente por ele, como se chora
           amargamente pelo primogénito. Naquele dia será grande o pranto em
           Jerusalém, como o pranto de Hadade-Rimom no vale de Megido”,
           como nos é dito em Zacarias 12:9-11; e

        2) Os que já tiverem sido provados no fogo (tribulação) dirão: “E acontecerá
           em toda a terra, diz YHWH, que as duas partes dela serão extirpadas,
           e expirarão; mas a terceira parte restará nela. E farei passar esta
           terceira parte pelo fogo, e a purificarei, como se purifica a prata, e a
           provarei, como se prova o ouro. Ela invocará o meu nome, e eu a
           ouvirei; direi: É meu povo; e ela dirá: YHWH é o meu Deus”, conforme
           a Zacarias 13:8-9.


        c)     Após a vinda de Yeshua, O Rei:

    •   A vinda gloriosa do Rei Yeshua (Mateus 24:27-31; 26:64; Judas 14;
        Apocalipse 19:11-21) no decurso da Batalha de Armagedão.

    •   A ressurreição dos justos (a 1ª ressurreição) na vinda de Yeshua e com a Sua
        vinda gloriosa (1.Coríntios 15:52; 1.Tessalonicenses 4:16-18; Apocalipse
        19:11-21; 20:4), ao toque da 7ª trombeta, no 7º mês (Tishri), no primeiro dia da
        7ª solenidade instituída por YHWH, a Festa dos Tabernáculos, na Lua Nova.

    •   Satanás será amarrado durante mil anos (Apocalipse 20:1-3).



Vítor Quinta                                                                        184
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




      •   Catastróficos juízos divinos – o tempo da ira do Cordeiro e o tempo de destruir
          os que destroem a terra (Apocalipse 6 a 18 – ver também 11:18).

      •   Início do reino milenar de paz e justiça e da restauração de todas as coisas
          (Actos 3:21; Apocalipse 20:4-6).

      •   A família de Abraão voltará a estar reunida, em paz, no reino milenar (Isaías
          19:23-25) – a união das duas casas de Israel.

      •   A rebelião no final do milénio após Satanás ser solto por um pouco de tempo,
          em que sairá para voltar a enganar as nações, Gog e Magogue (Apocalipse
          20:7-10).

      •   Segunda ressurreição e juízo final; segunda morte – o julgamento do Grande
          Trono Branco (Apocalipse 20:11-15; 21:8).

      •   Destruição de todos os inimigos, o último dos quais será a morte (1.Coríntios
          15:26).

      •   Entrega do reino ao Pai (1.Coríntios 15:24).

      •   Novos céus e nova terra; nova Jerusalém (Apocalipse 21 e 22).




8.2              O Templo e o Santuário em Jerusalém e o culto no Milénio

Muitos se interrogam se voltará a haver Templo para adoração ao Senhor em
Jerusalém. E, se houver, quando deverá o mesmo ser erigido, antes ou depois da
vinda de Yeshua na Sua qualidade de Rei dos Reis e Senhor dos senhores.

A resposta encontramo-la na Bíblia.

Na realidade, se lermos os capítulos 40 a 44 do livro de Ezequiel ali encontramos
indicações seguras que o Templo voltará a ser reerguido e consagrado no local onde
se ergueu no passado o Templo mandado erigir por Salomão, respeitando todas as
indicações de YHWH quanto à sua construção, materiais, forma e natureza dos
objectos para uso no culto, porquanto O Senhor voltará à Sua casa, na Sua santa
cidade de Jerusalém, ao monte santo, o Monte Moriah, onde estará o Seu trono de
justiça para administrar essa mesma justiça.

Vejamos algumas passagens específicas que nos ajudarão a entender este grande
sinal dos últimos dias – a reconstrução do 3º Templo:

      •   Ezequiel 43:4-7b – “E a glória de YHWH entrou na casa [Templo] pelo
          caminho da porta, cuja face está para o lado do oriente [porta dourada,
          actualmente emparedada]. E levantou-me o Espírito, e me levou ao átrio


Vítor Quinta                                                                         185
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        interior; e eis que a glória de YHWH encheu a casa. E ouvi alguém que
        falava comigo de dentro da casa, e um homem se pós em pé junto de
        mim. E disse-me: Filho do homem, este é o lugar do meu trono, e o lugar
        das plantas dos meus pés, onde habitarei no meio dos filhos de Israel
        para sempre; e os da casa de Israel não contaminarão mais o meu nome
        santo”.

    •   Voltará a haver sacrifícios de animais e holocaustos para purificação,
        consagração e louvor, como se pode ler em vários versos do capítulo 43 de
        Ezequiel, porque o mundo de então ainda não estará totalmente purificado;
        veja-se o que nos é dito em Isaías 65:20 – “Não haverá mais nela criança de
        poucos dias, nem velho que não cumpra os seus dias; porque o menino
        morrerá de cem anos; porém o pecador de cem anos será amaldiçoado”.
        Havendo pecado haverá novamente lugar à necessidade da remissão desses
        pecados/pecadores.

    •   Um dos preceitos para esses dias fala dos estrangeiros que não poderão
        chegar-se ao Santuário de YHWH (ao Templo) por serem incircuncisos de
        coração e incircuncisos de carne – Ezequiel 44:9.

Desse tempo futuro e da consagração do Templo de YHWH no Monte de Sião fala-
nos também a voz do Senhor através do profeta, mesmo quando fala dos
estrangeiros que se hão-de chegar ao Senhor, como nos diz em Isaías 56:7 –
“Também os levarei ao meu santo monte, e os alegrarei na minha casa de
oração; os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos no meu altar;
porque a minha casa será chamada casa de oração para todos os povos”.
Poderíamos perguntar: em que época passada foi a Casa do Senhor chamada “casa
de oração para todos os povos”? A resposta é: até agora ainda tal não sucedeu.

Outra passagem que aponta de forma categórica a existência de um Templo
reerguido e consagrado a YHWH antes da próxima vinda de Yeshua é a que lemos
em Daniel 9:27 – “E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na
metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das
abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está
determinado será derramado sobre o assolador”. Esta passagem fala-nos da
existência do Templo que há-de ser profanado no “fim dos dias” pelo anti-Cristo,
quando o sacrifício e a oblação forem interrompidos. Ora, essa profanação só pode
ocorrer se o Templo estiver erigido e a funcionar.

Vejamos mais apontamentos que nos possibilitam concluir que o Templo de
Jerusalém será uma realidade antes da segunda vinda de Yeshua:

    •   Mateus 24:15 aponta-nos – “Quando, pois, virdes que a abominação da
        desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê,
        atenda”, e, neste contexto, diz-nos no verso 21, que naqueles dias haverá tão
        grande aflição como nunca houve desde a fundação do mundo, nem voltará a
        haver. Esta abominação da desolação é algo ou alguém que a provocará, tal
        como aconteceu no passado com Antíoco Epifânio que reinou entre os anos
        de 175 e 164 a.C., causando o que as Escrituras chama de “abominação



Vítor Quinta                                                                     186
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

        desoladora” devido a ter profanado o Templo de Deus e ali ter sacrificado um
        porco e por ali ter colocado uma estátua de Zeus, um deus da mitologia grega.

    •   Ora o profeta Daniel fala-nos dessa “abominação da desolação” em Daniel
        8:9-14. Nestas passagens o profeta aponta uma “transgressão desoladora”
        que durará 2300 tardes e manhãs até que o santuário seja purificado. O
        cumprimento desta profecia dá-se antes da vinda do Rei Eterno Yeshua. Esta
        visão dada a Daniel referia-se a muitos dias no futuro, os tempos da grande
        tribulação.

    •   No fim dos dias, diz-nos em Daniel 11:30-31 que os inimigos de Israel
        “profanarão o santuário e a fortaleza, e tirarão o sacrifício contínuo,
        estabelecendo abominação desoladora”, o que só será possível se o Templo
        tiver sido erigido e estiver a funcionar. Esta será a “abominação desoladora”.

    •   Esta “abominação desoladora” poderá ser entendida através da leitura da
        passagem que está em 2.Tessalonicenses 2:3-4 que nos fala do “homem do
        pecado” (o anti-Cristo do tempo do fim) que “se opõe, e se levanta contra tudo
        o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no
        templo de Deus, querendo parecer Deus”. Esta profecia só virá a ser tornada
        realidade se existir um Templo físico em Jerusalém antes da vinda de Yeshua.

    •   Outra prova concludente da futura existência de um Templo reconsagrado em
        Jerusalém antes da vinda de Yeshua é a que lemos em Apocalipse 11:1-2 –
        “E foi-me dada uma cana semelhante a uma vara; e chegou o anjo, e
        disse: Levanta-te, e mede o templo de Deus, e o altar, e os que nele
        adoram. E deixa o átrio que está fora do templo, e não o meças; porque
        foi dado às nações, e pisarão a cidade santa por quarenta e dois meses”.
        Estes 42 meses será o período da segunda metade da 70ª semana da
        profecia de Daniel, os últimos 3,5 anos antes da vinda do Cristo Rei. Esta
        passagem fala claramente do Templo, do altar e do serviço de adoração.

Depois do regresso do Rei e quando Ele chamar todo o Seu povo de Israel (o que
restar das 12 tribos) dos quatro cantos do mundo para a terra prometida aos
patriarcas, então Ele nomeará alguns para o Seu serviço no Templo, como nos diz
em Isaías 66:19-23, confirmando igualmente a promessa feita pela boca de Jeremias
33:15-18.

Algumas profecias falam especificamente destes dias futuros, e dos sacrifícios que
serão oferecidos no Templo no decurso do reino milenar, como a de Ezequiel 20:40-
41 – “Porque no meu santo monte, no monte alto de Israel, diz o Senhor YHWH,
ali me servirá toda a casa de Israel, toda ela naquela terra; ali me deleitarei
neles, e ali requererei as vossas ofertas alçadas, e as primícias das vossas
oblações, com todas as vossas coisas santas; com cheiro suave me deleitarei
em vós, quando eu vos tirar dentre os povos e vos congregar das terras em
que andais espalhados; e serei santificado em vós perante os olhos dos
gentios”. De resto, todo o registo dos acontecimentos futuros e da forma como O
Deus YHWH quer continuar a ser adorado no Seu santo Monte e no Seu Templo,
vêm-nos relatados ao pormenor no livro de Ezequiel nos capítulos 40 a 46:24.




Vítor Quinta                                                                      187
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


A passagem de Zacarias 14:16 também nos diz claramente que os povos que forem
contra Jerusalém (na Batalha de Armagedão) virão de ano em ano a Jerusalém a
celebrar a Festa dos Tabernáculos e a adorar O Rei, O Senhor YHWH dos Exércitos.

Actualmente (Junho de 2010) já existe em Israel e em funcionamento um novo
Sinédrio desde 20.Jan.2005 que vem estudando a reinstituição do Calendário Divino
com base na Lua Nova e um Instituto do Templo com tudo preparado para a sua
reconstrução, possuindo já todos os vasos sagrados para o culto. Aguarda-se que
estejam criadas as condições políticas para que o projecto avance. Mas, todas essas
condições, incluindo as políticas, serão determinadas por YHWH no tempo que Ele
ditar. As coisas parecem que não estão a acontecer. Pelo contrário, tudo está a ser
preparado segundo o Plano de Deus para que tudo se cumpra ao minuto.

Embora não nos seja ainda explicado o porquê do retomar dos sacrifícios no Templo,
em Jerusalém, após a vinda do Rei, uma vez que Yeshua cumpriu o único e
suficiente sacrifício pela nossa salvação, os sacrifícios continuarão a ser oferecidos
no Templo, pois sabemos, como vimos acima, que durante o reino milenar ainda
haverá desobediência (amaldiçoados), apesar de Satanás já não estar presente para
induzir o homem ao pecado. A dimensão do pecado/rebeldia não será para comparar
à que hoje existe no mundo, em que a desobediência se multiplicou de tal forma, que
os justos são uma pequena excepção, um remanescente. Nesse tempo futuro será o
inverso: os desobedientes serão a excepção.

Amós 9:11 diz-nos: “Naquele dia tornarei a levantar o tabernáculo caído de
David, e repararei as suas brechas, e tornarei a levantar as suas ruínas, e o
edificarei como nos dias da antiguidade”. Esse dia está para breve. O
renascimento da nação de Israel deu-se em 1947/8 e o tempo da geração destes
sinais está prestes a concluir-se: 2017.

“A glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz YHWH dos
Exércitos, e neste lugar darei a paz, diz YHWH dos Exércitos” – Ageu 2:9. Ora,
efectivamente, não podemos esperar que a glória desta casa de Deus seja plena em
tempo de turbação ou quando, como hoje, Jerusalém fervilha de cultos idólatras ou
como será no período da grande tribulação, nem que naquele lugar seja dada a paz
aos povos durante esse período. Certamente que essa glória e essa paz só serão
uma realidade debaixo do governo de Yeshua, no 7º Milénio.

Sobre as profundas transformações que irão ser operadas por Yeshua e pelos Seus
santos no Milénio (o tempo do refrigério, o tempo da restauração e restituição de
todas as coisas) vale a pena ler as muitas passagens que se encontram no livro de
Isaías e que nos dão uma visão do tempo maravilhoso que será o governo de
Yeshua sobre todas as nações: e.g. Isaías 11:6-10; 35:1-2, 7, 10; 55:13. O mundo
conhecerá então a paz e a harmonia, andando em amor uns para com os outros,
com a Lei/Torá de YHWH gravada nos seus corações. Até a ferocidade dos animais
desaparecerá, uma vez que “não se fará mal nem dano algum no monte da Minha
santidade”, diz YHWH. Satanás e seus anjos rebeldes não estarão ali presentes para
perturbar o plano de Deus.




Vítor Quinta                                                                      188
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




8.3               Um futuro brilhante e eterno

Todos os que estudam a Palavra de Deus têm o conhecimento mais ou menos
aprofundado do que será o Reino de Cristo sobre toda a terra – os profetas anunciam
o que será esse período.

Um futuro brilhante e eterno é o que YHWH promete a todos os que confiam nas
Suas promessas, expressas nessa mesma Palavra, a Bíblia Sagrada. Esta é uma
razão de fé para todos os que, com sinceridade entregaram o seu coração nas mãos
do Salvador Yeshua, O Messias, e esperam a sua redenção através do Seu sangue.
Ele é O primogénito, O primeiro entre muitos que hão-de herdar através Dele estas
promessas.

Vamos agora ver em maior detalhe o que nos ensina a Palavra quanto à vida futura
com Este Rei no Seu Reino Milenar, já que o que se seguirá ao Milénio, a
Eternidade, a Bíblia não nos dá muitos pormenores excepto que não mais haverá
adversidade ou morte e em que serão criados novos céus e nova terra em que habita
a justiça...para sempre, e que Deus o nosso Deus YHWH será a nossa Luz –
Apocalipse 21:1-7.

Mas, no Milénio, sob o governo de Yeshua e dos Seus eleitos (os que com Ele serão
reis e sacerdotes sobre todas as nações durante mil anos, como nos diz em
Apocalipse 1:6; 5:10 e 20:4), haverá:

        •      Reinará a Paz verdadeira (não mais se fará a guerra, nem mal algum no
               monte da minha santidade); até os animais mudarão a sua presente índole
               feroz: e.g. “o leão comerá palha como o boi, etc.”

        •      Reinará a justiça, a equidade e a equanimidade

        •      Haverá abundância – Ezequiel 36:11

        •      Dar-se-á a restauração de todas as coisas, incluindo a natureza que tem
               sido tão maltratada; romperão mananciais de águas nos desertos e tudo
               será como o fora no princípio, um autêntico “Jardim do Éden”: e.g.
               Números 24:7; Isaías 32:1-2; 35:1, 6; 41:18; 44:2-3, 6; 51:3, etc.

        •      A santidade será uma constante, porquanto as leis de Deus estarão
               gravadas no coração do homem; o homem que restar das nações irá viver
               de acordo com as leis de Deus, mesmo que para isso O Rei Eterno venha
               a usar de disciplina (a figura da vara de ferro)

        •      Este é o tempo do refrigério, e do descanso, pois este Milénio será um
               tempo equivalente ao Sábado semanal (o Sábado semanal é uma imagem
               do Reino Milenar de Yeshua, tempo de descanso

        •      Haverá Luz e pleno conhecimento da vontade de YHWH pois estarão
               gravados no coração/mente dos que viverem neste tempo


Vítor Quinta                                                                      189
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




        •      Manifestar-se-á a presença física e espiritual de YHWH, habitando no Seu
               santo templo, em Jerusalém, onde Lhe será rendida adoração por todos os
               povos

        •      O Senhor recuperará a Sua Israel e os que estavam dispersos entre as
               nações, nos quatro cantos da terra, e os trará à terra que prometeu aos
               patriarcas para ali habitarem para sempre.


Reparemos que até a descendência de Abraão encontrará a paz, como nos diz em
Isaías 19:23-25 – “Naquele dia haverá estrada do Egipto até à Assíria, e os
assírios virão ao Egipto, e os egípcios irão à Assíria; e os egípcios servirão
com os assírios. Naquele dia Israel será o terceiro com os egípcios e os
assírios, uma bênção no meio da terra. Porque YHWH dos Exércitos os
abençoará, dizendo: Bendito seja o Egipto, meu povo, e a Assíria, obra de
minhas mãos, e Israel, minha herança”. Ali cessam as hostilidades entre os
descendentes de Abraão.

Tudo isto acontecerá porque a Palavra de Deus também afiança que o grande
adversário Satanás será “amarrado” durante mil anos (ser-lhe-á retirado o poder que
ainda detém; será lançado no abismo com os seus anjos rebeldes), pelo que não terá
possibilidade de interferir no governo do Cristo. Somente no final do Milénio ele
voltará a ser solto para enganar as nações (Apocalipse 20:2-3; 7-10) e, depois de
derrotado numa batalha final, será destruído no lago de fogo e enxofre, onde antes
foram destruídos a “besta/anti-Cristo” e o “falso profeta” (Roma/Islão).

Estes são apenas breves aspectos que, por si só, entusiasmam o nosso coração
para que tudo façamos hoje para virmos a estar presentes nesse tempo através da
nossa obediência, fé e esperança nas Suas promessas!

Porém, nada disto acontecerá sem que antes venha a apostasia do tempo do fim,
que já hoje estamos a testemunhar. Este tempo de redenção e paz só virá sob o
governo do Rei Yeshua, uma vez ultrapassado o período da “grande tribulação” (3,5
anos ou 42 meses) que está prestes a abater-se sobre toda a terra, pela mão da
besta, do falso profeta e do poder do anti-Cristo, cujo poder lhe será conferido pelo
próprio Satanás.

Até que Cristo venha para reinar eternamente, a humanidade ainda irá sofrer os
grandes castigos de que antes falámos. Depois de passar o furor do Cordeiro de
Deus, ainda haverá um remanescente sobre a terra – uma terça parte dos seus
habitantes: Zacarias 13:8-9; Malaquias 4:1-3 que então reconhecerá Yeshua como O
Seu Deus YHWH – Isaías 54:5.

Em Actos 3:19-21, diz-nos a Palavra: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para
que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do
refrigério pela presença do Senhor, e envie ele a Jesus Cristo, que já dantes
vos foi pregado. O qual convém que o céu contenha até aos tempos da
restauração [restituição] de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os
seus santos profetas, desde o princípio”. Eis a esperança do crente de hoje.


Vítor Quinta                                                                       190
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Será que já hoje podemos antever como serão esses dias do governo de Cristo
sobre a terra? Vamos ver algumas outras características específicas desse tempo
próximo:

        •      O Senhor YHWH estará presente

        •      Todo o instrumento de guerra será transformado em enxadões98
               (instrumentos produtivos) – Isaías 2:4; todo o esforço do homem será
               dirigido para actividades de paz, amor fraternal e louvor ao Senhor YHWH

        •      O homem não criará filhos para a perturbação (guerra) – Isaías 65:23

        •      Não mais haverá fomes ou pestilências, pois as bênçãos de YHWH serão
               manifestas entre todos os povos; haverá abundância de colheitas porque o
               Senhor abençoará toda a terra e as chuvas virão a seu tempo

        •      Os desertos e as zonas assoladas se converterão em campos férteis e em
               bosques (excepto aqueles que Deus determinou que não mais fossem
               habitados – esses serão um memorial da maldade e da desobediência
               humanas) – Isaías 32:15

        •      Não mais cada homem terá necessidade de ensinar os preceitos do
               Senhor ao seu semelhante porque as leis de YHWH/Yeshua estarão
               gravadas nos seus corações – Hebreus 8:10, 10:16, precisamente onde O
               Senhor queria que elas estivessem gravadas desde o princípio da Sua
               criação

        •      De Sião sairá a Lei – Isaías 2:3 para governar a todos os povos que as não
               conhecem

        •      No meio da Israel de Deus não mais haverá choro nem voz de clamor, nem
               criança de poucos dias, nem velho que não cumpra os seus dias – Isaías
               65:19-20

        •      Não mais uns plantarão para outros colherem, nem uns construirão para
               outros habitarem – Isaías 65:21-22

        •      O leão pastará erva como o boi; até a natureza dos animais será
               transformada para que não se faça mal algum no monte da santidade do
               Senhor (toda a terra) – Isaías 11:7; 65:25.

Será que no Reino Milenar de Cristo ainda haverá desobediência e morte? Sim!
Isaías 65:20 diz-nos que alguns ainda serão amaldiçoados. Isso só é possível
porque, apesar do conhecimento do Senhor encher toda a terra (Isaías 11:9) ainda
haverá desobediência, pois só a desobediência gera a maldição – Deuteronómio
30:19. Essa desobediência será ampliada quando Satanás voltar a ser solto no final
do Milénio e sair novamente a enganar as nações – o homem que viver nesses dias

98
   Este aspecto leva-nos a crer que a força de trabalho voltará a ser braçal, dispensando os modernos
tractores e outros equipamentos que poluem a atmosfera pelo consumo de derivados do petróleo.


Vítor Quinta                                                                                     191
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

será também posto à prova, tal como nós hoje somos. Muitos serão ainda enganados
e destruídos apesar da evidência da grandiosidade do reino do Messias.

No final do Milénio dar-se-á então a segunda ressurreição de todos os que não
fizeram parte da primeira – Apocalipse 20:11-15; 21:8.

Já hoje nos é ensinado que devemos centrar as nossas mentes nas coisas que são
de cima e não nas que são deste mundo – Mateus 6:33. Tal como Abraão e tantos
outros fiéis do passado, a nossa esperança tem que estar centrada na pátria celestial
e não na terrena. As coisas celestiais são eternas e as terrenas são passageiras –
Colossenses 3:1-4: “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas
que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas
coisas que são de cima, e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e
a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a nossa
vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória”.
Que palavras de consolo para o que espera, com paciência, a vinda do seu Rei e
Senhor.

Com a segunda vinda de Cristo e ao toque da 7ª trombeta, dar-se-á a primeira
ressurreição, a dos remidos que reinarão com Cristo durante mil anos, como já
vimos. Quando Ele vier com todo o poder e glória, os remidos pelo sangue de
Yeshua, serão transformados no corpo glorioso que é hoje a natureza dos anjos, pois
seremos iguais a eles (corpo espiritual, de luz) – Lucas 20:36, sendo semelhantes a
Ele, O Eterno – 1.João 3:1-2. Seremos revestidos dessa mesma glória, incorruptível,
dessa mesma imortalidade que é a de Cristo – 1.Coríntios 15:41-44, 50-54;
2.Coríntios 5:2-4 e assim viveremos eternamente com Ele – João 14:1-3.

Eis pois porque devemos ser firmes e conservar a nossa fidelidade e esperança até
ao fim, aguardando com paciência a bem-aventurança, o prémio da vida eterna –
Efésios 1:16-18.

A santa cidade celestial, a Nova Jerusalém (Apocalipse 7:9), que está cada dia a ser
firmada e ampliada com novas pedras (os remidos) há-de surgir, gloriosa, no final do
Milénio, após Cristo ter derrotado e destruído todos os Seus e nossos adversários.
Ela surgirá como a Esposa do Cordeiro, para então se celebrarem as bodas desse
casamento perfeito, eterno. Esta é a cidade cujo construtor é YHWH – Hebreus 11:8-
10.

Esta cidade está a ser construída por pedras (almas) que revelaram a sua fidelidade
ao Senhor ao longo das suas vidas, tendo muitos deles sacrificado as suas vidas
terrenas em troca da esperança/certeza dessa vida celestial. Estes sofreram, foram
perseguidos e mortos por amor do Nome de YHWH e da Sua Verdade – O Cristo. E
porque guardaram a Sua Palavra, ali refulgirão como pedras vivas, preciosas para
Deus (pois o mundo não era digno deles – Hebreus 11:33-40).

Este é um breve resumo das coisas que ainda estão para suceder no decurso do
Milénio de Cristo. Ora, como diz Pedro em 2.Pedro 3:10-15a: “Mas o dia do Senhor
virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e
os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se
queimarão. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos


Vítor Quinta                                                                     192
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)

convém ser em santo trato, e piedade, aguardando, e apressando-vos para a
vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos,
ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos
céus e nova terra, em que habita a justiça. Por isso, amados, aguardando estas
coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz.
E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor”.

Retenhamos também as palavras de Yeshua que estão em Mateus 25:34: “Então
dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí
por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo”.

Vejamos o que nos diz o profeta Isaías a respeito deste tempo de eternidade, que a
nossa mente humana não tem capacidade para compreender e abarcar em toda a
plenitude: Isaías 65:17 – “Porque, eis que eu crio novos céus e nova terra; e não
haverá mais lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão”. Este é o
futuro que Yeshua nos foi preparar. A Esposa do Cordeiro (a Nova Jerusalém)
herdará todas as coisas com O Cristo Yeshua, O primogénito entre muitos irmãos.



9.           Conclusões deste estudo

De muito que antes foi dito, podemos retirar algumas conclusões com base no
entendimento das profecias já analisadas neste estudo, separando e dando ênfase a
alguns factos de maior relevância já ocorridos, e de outros que ainda não se
verificaram, mas que virão sobre a humanidade a um ritmo vertiginoso, tal como
sucedeu no antigo Egipto. Estes são os principais “sinais”99 para esta geração, a
geração que os testemunhará:

            a.                           acontecimentos marcantes já ocorridos na vida do
                 povo de Deus - Israel

      i.                                      A ordem para a restauração do Estado de
                 Israel – ONU, 29.Novembro.1947

     ii.                                       O restabelecimento do Estado de Israel em
                 14.Maio.1948

     iii.                                      A reconquista da cidade de Jerusalém em
                 Junho de 1967




99
  Yeshua alertou-nos em Mateus 16:2-3 – “Quando é chegada a tarde, dizeis: Haverá bom tempo,
porque o céu está rubro. E, pela manhã: Hoje haverá tempestade, porque o céu está de um
vermelho sombrio. Hipócritas, sabeis discernir a face do céu, e não conheceis os sinais dos
tempos?” Assim está a geração actual (tal como a do tempo de Noé) que não sabe discernir os sinais
dos tempos que nos revelam a proximidade da vinda de Yeshua e os castigos que sobre ela virão
antes que O Rei chegue.


Vítor Quinta                                                                                 193
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


          b.                            principais ocorrências previstas para breve (sinais
                da vinda de Yeshua) – a 70ª semana profética de Daniel 9

          •     A celebração ou reconfirmação do “acordo de paz” (“concerto com a morte”
                como nos diz Isaías) entre Israel e os países seus inimigos, que deverá
                marcar o início da 70ª semana.

          •     Violação desse “acordo de paz” a meio da 70ª semana, dando início ao pior
                período da chamada “tribulação de Jacob” ou “grande tribulação do fim”, a
                qual durará 42 meses (3,5 anos) até à vinda do Rei Yeshua.

          •     A reconstrução do Templo de Salomão em Jerusalém que ocorrerá no
                decurso da citada 70ª semana de Daniel (últimos 7 anos), durante a primeira
                metade desta semana de anos.

          •     O sinal da “abominação da desolação” no Templo em Jerusalém, de que
                falou Daniel e Yeshua, que será perpetrado pelo anti-Cristo do tempo do fim.

          •     As grandes perseguições e destruições que se seguirão no decurso da
                segunda metade da 70ª semana profética; grande mortandade em todo o
                mundo. A destruição de Roma e de Damasco.

          •     Gog e seus aliados. A Batalha de Armagedão, no decurso da qual virá
                Yeshua, O Rei Eterno.


Lembremos que os filhos de Deus são os que guardam os Seus mandamentos e têm
a fé de Yeshua – Apocalipse 14:12. Ora então vejamos o que Paulo escreveu na sua
carta em Efésios 5:6 – “por estas coisas [transgressão da Lei/Torá] vem a ira de
Deus [as pragas do fim] sobre os filhos da desobediência”.



10.           “Ora vem Senhor Yeshua”

Perante o cenário claramente traçado pela Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada, resta
ao crente em Yeshua rogar que O Espírito Santo esteja sempre presente na sua vida
até à consumação dos séculos, orientando todos os seus passos em direcção à
Salvação, a Yeshua, O Rei, e crer que nenhuma destas profecias falharão.

Perante isto, digamos no nosso coração, em todo o tempo:

      •        “Venha o teu reino”
      •        “Seja feita a Tua vontade na Terra, como no céu”
      •        “Orai pela paz em Jerusalém”, que o mesmo é dizer:
      •        “Ora vem, Senhor Yeshua!”




Vítor Quinta                                                                            194
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)


Yeshua conforta-nos com estas palavras em Apocalipse 22:20-21 – “Aquele que
testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém. Ora vem, Senhor
Jesus. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém”.

Isaías 25:9 – “E naquele dia se dirá: Eis que este é o nosso Deus, a quem
aguardávamos, e ele nos salvará; este é YHWH, a quem aguardávamos; na sua
salvação gozaremos e nos alegraremos”. Ele será chamado “O Deus de toda a
Terra”.

Não esqueçamos as palavras que se encontram em Apocalipse 22:6-7 – “E [o anjo]
disse-me: Estas palavras são fiéis e verdadeiras; e o YHWH, o Deus dos santos
profetas, enviou o seu anjo, para mostrar aos seus servos as coisas que em
breve hão de acontecer. Eis que presto venho: Bem-aventurado aquele que
guarda as palavras da profecia deste livro”.

Que assim seja. Amém.

Vítor Quinta
Setembro de 2009/Junho de 2010

                                      -.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-




Vítor Quinta                                                              195
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




Anexo – Diagramas e Análise Profética
AS 70 SEMANAS: DANIEL 9 (diagramas extraídos e adaptados de “The Jonah Code” de Michael Rood – DVD 5 aos 37’45’’)

         457 a.C.
         (3544 ano                                                3 a.C. (1)                              27 d.C. (2, 3)      28 d.C. (4, 5 )
         Judaico)


                                                                                                                       4027          4028




                                                                                                                    70 semanas
                                                                                                   (2)               = 490 dias                 (5)



                                                                                                                 (3)               (4)

                     7 Sem. =                62 Sem. = 434 anos
                     = 49 anos
                                                                                                                       O Concerto é
                                 69 Sem. = 483 anos                                                                     Renovado
                                                                                                                         (Yeshua)

    (1) Nascimento de Yeshua, o Cristo – 15 Tishri, ano de 3998 do calendário judaico.
    (2) Baptismo de Yeshua, em água, aos 19 do 11º mês - Shevat (Jan/Fev) do ano 4026, equivalente ao dia 16 de Fevereiro do ano 27 do calendário
        gregoriano, quando O Pai se revelou na forma de uma pomba sobre Ele e disse: “Este é O Meu Filho amado, escutai-O”.
    (3) Aviv, do ano 27, no 1º dia do ano 4027, Yeshua revela-se ao mundo através do seu servo João, o baptista, e em que este pronuncia as seguintes
        palavras: “Eis O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”; e: “Este é o ano aceitável do Senhor”.
    (4) O Messias é cortado; morre no madeiro aos 14 de Aviv à tarde (hora nona – cerca das 3 da tarde) e é enterrado antes do pôr-do-sol e do início do
        Shabbat. Esta data correspondeu a uma Quarta-Feira do nosso calendário actual, o gregoriano.
    (5) Yeshua baptiza com fogo, i.e. com o Espírito Santo toda a congregação dos discípulos, em 8 de Sivan de 4028.

Vítor Quinta                                                                                                                                          196
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




A 2ª parte – a 70ª semana e a confirmação do Concerto Eterno que foi renovado na morte e ressurreição de Y’shua


                                Abominação da desolação
                                (na metade da semana…)
                                Daniel 9:27

                                                                   Vinda do
                                                                  Rei Eterno


                        3,5                         3,5                    Início do Reino do
                       anos                        anos                    Messias

                    70ª semana - uma semana de 7 anos
                                                                               Reunião das 2
                                                                               casas de Israel
                   Completam-se os 490 anos e termina a
                              70ª semana

                                                                               Viveremos
                  Ao terceiro dia nos levantará (Oséias 6:2):                  sempre na Sua
                   i.e. 2000 anos após O Messias, o reino de
                 Israel será restaurado, na vinda do Rei Eterno                presença




Vítor Quinta                                                                                                      197
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)




Análise profética

A.     Introdução:
Estes diagramas e as passagens bíblicas neles mencionadas procuram traduzir e visualizar o curso dos principais acontecimentos
tal como YHWH profetizou que iriam suceder, profecias que nos foram dadas através dos Seus profetas. Estas têm particular
relevo e concretização nos últimos dias do governo do homem (e de Satanás).

A profecia das 70 semanas de Daniel é de uma tal importância para os nossos dias que temos que, cuidadosamente, analisar as
datas e os acontecimentos que lhe estão na origem para podermos compreender a razão do seu cumprimento nos tempos antes
anunciados.

B.     Advertência:
Antes de iniciarmos a análise dos tempos em que estas profecias já tiveram ou ainda terão cumprimento, importa salientar o
princípio bíblico, universalmente reconhecido e aceite, que um dia equivale a um ano e que uma semana profética equivale a 7
anos, ou uma semana de anos, bem como, na contagem dos anos e devido à transição das eras “a.C.” para “d.C.” há que
adicionar 1 ano aos cálculos devido à inexistência do ano zero.

C.     Análise profética:
Daniel 9:24 fala-nos de uma profecia para o povo de Deus, a qual se iria cumprir num período de tempo de 70 semanas. Estas, por
sua vez, aparecem-nos partidas em mais do que um período histórico: “Setenta semanas estão determinadas sobre o teu
povo, e sobre a tua santa cidade, para cessar a transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a iniquidade, e
trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo”. A profecia fala-nos de 7 etapas sobre o povo e
a terra de Israel.

Reparemos com atenção nestas 7 etapas:
  1. para cessar a transgressão
  2. para dar fim aos pecados
  3. para expiar a iniquidade
  4. trazer a justiça eterna
  5. selar a visão
  6. e a profecia
  7. e para ungir O Santíssimo
Vítor Quinta                                                                                                                 198
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)



Todas estas características tiveram o seu completo cumprimento em Yeshua, O Cristo e na Sua morte e ressurreição.

Logo de seguida, nos versículos 25 a 27, Gabriel anuncia, da parte do Deus YHWH, o seguinte:
“25 Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe,
haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos.
26 E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há
de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão
determinadas as assolações.
27 E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre
a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o
assolador”.

Vemos então que as 70 semanas proféticas se dividem em três grandes períodos:
  a) um período de 62 semanas (i.e. 62 x 7 = 434 anos);
  b) outro de 7 semanas (7x7 = 49 anos), o que perfaz 69 semanas (69x7=483 anos), o qual finda quando “O Messias foi
     cortado”, i.e. sacrificado por nós ou em nosso lugar;
  c) a que se segue um intervalo de 2000 anos (Oséias 6:2), no final do qual ocorrerá um período final de 7 semanas de anos, a
     última semana profética que precederá a vinda do Grande Rei, completando, assim, as 70 semanas (70x7=490 anos).

Segundo a profecia, esta última semana de 7 anos está dividida em duas partes iguais: a primeira de 3,5 anos e a segunda de
igual período de anos. É nesta última semana que ocorrerão muitos dos acontecimentos apocalípticos.

Vamos agora procurar entender a que períodos históricos respeitam estas divisões da profecia de Daniel 9:24-27.

A reconstrução do 2º. Templo em Jerusalém:
Daniel 9:25 diz-nos que haverá 7 mais 62 semanas, num total de 69 semanas “desde a saída da ordem para restaurar, e para
edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe”. Qual a base histórica que prova o cumprimento desta profecia? Vejamos:
   • 7 semanas de anos (49 anos) durou a reconstrução do 2º Templo em Jerusalém;
   • 62 semanas de anos (434 anos) durou a reconstrução da cidade e dos muros de Jerusalém, no final das quais, “foi cortado
       O Messias”
   • A ordem para a saída do povo foi dada por decreto de Artaxerxes no 7º ano do seu reinado – Esdras 7:1-28, com particular
       ênfase nos versículos 7 e 13.

Vítor Quinta                                                                                                              199
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)



    •   No versículo 9 diz: “Pois no primeiro dia do primeiro mês foi o princípio da partida de Babilónia; e no primeiro dia do
        quinto mês chegou a Jerusalém, segundo a boa mão do seu Deus sobre ele”. Ora este 1º dia do 1º mês, correspondeu
        a Aviv 1, do ano 457 a.C. como concordam os historiadores bíblicos em geral.
    •   Ora, entre o 1º de Aviv de 457 a.C. e o 1º de Aviv do ano 27 d.C. medeiam, precisamente, ao dia, as 69 semanas proféticas
        ou os 483 anos.
    •   Temos então dois momentos determinantes para a contagem profética: 1) o decreto de Artaxerxes que marca o início da
        contagem e, 2) o momento em que João, o Batista, ao ver Jesus aproximar-se (já depois do Seu baptismo) anuncia em
        público: “Eis O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”; o que, de seguida, é confirmado pelo próprio Senhor
        Jesus ao fazer a leitura do livro de Isaías (61:2), na sinagoga, proclamando, também publicamente o cumprimento desta
        profecia “Este é o ano aceitável do Senhor”, após o que deu início ao Seu ministério redentor.

Como sabemos, o ministério de Yeshua, O Messias, foi curto. Tal como também estava profetizado, Ele padeceu no madeiro e foi
cortado de entre os viventes, após o que O Pai O ressuscitou, cumprindo, assim, a profecia e sinal dado através do profeta Jonas
que esteve 3 dias e 3 noites no ventre do grande peixe.

Um hiato de 2.000 anos (de que já antes falámos)
Sabemos sem margem para dúvida que, entre o advento de Jesus Cristo como Servo, na Sua primeira vinda e morte, e o Seu
regresso como Rei Eterno (Sumo Sacerdote também) mediariam 2000 anos. Tal é-nos dito em Oséias 6:2 – “Depois de dois dias
nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante dele”. Estes dois dias proféticos (porque um dia para
Deus são como mil anos) estão praticamente no final. E, “ao terceiro dia” terá início o Reino Milenar de Cristo.

Porém, devemos entender que a 70ª semana da profecia de Daniel ocorrerá precisamente no final destes 2000 anos, até que
venha o “grande e terrível dia do Senhor”. Porque se Ele não viesse e não abreviasse aqueles dias por amor dos escolhidos,
“nenhuma carne se salvaria” Mateus 24:22.

Alguns sinais que precederão a Sua vinda como Rei Eterno:
De entre os muitos sinais que hoje podemos ver e que enquadram os tempos difíceis do fim, e que precedem a vinda do Grande
Rei poderíamos, antes de mais, citar aqueles que o próprio Yeshua mencionou em Mateus 24: guerras e rumores de guerras,
fomes, pestilências, terramotos em vários lugares, a disseminação da Boa Nova a todos os povos, etc. Se formos ao livro de
Apocalipse aí também encontraremos outras profecias que se apresentam como castigos de Deus que cairão sobre a humanidade
ímpia no período que antecederá a Sua vinda.


Vítor Quinta                                                                                                                 200
“OS DIAS DO FIM”
(ou o cumprimento das profecias para os dias desta geração)



Porém, alguns sinais estavam profetizados para o povo e para a terra de Israel e que nós, hoje, já vimos cumpridos perante os
nossos olhos. Vamos ver estes acontecimentos históricos e procurar o seu suporte profético.

    •  A restauração do Estado de Israel em 14 de Maio de 1948, precedida da ordem para restaurar a nação de Israel que
       foi pronunciada pela ONU em 29.Novembro.1947
    Desde logo nos socorremos da profecia que está escrita em Isaías 66:8 – “Quem jamais ouviu tal coisa? Quem viu coisas
    semelhantes? Poder-se-ia fazer nascer uma terra num só dia? Nasceria uma nação de uma só vez? Mas Sião esteve de
    parto e já deu à luz seus filhos”. O Estado de Israel renasceu de um dia para o outro, conforme estava profetizado. Através
    de uma decisão das Nações Unidas, foi proclamada a existência do Estado de Israel na terra de onde haviam partido à perto de
    2000 anos.


    •  A recuperação e controlo de toda a cidade de Jerusalém em Junho de 1967 (Guerra dos Seis Dias) – a contagem
       final
    Esta data é extremamente importante porque foi também com a entrada do povo de Israel na Terra Prometida por Deus que
    teve início a contagem dos anos do Jubileu (de 50 em 50 anos). Com a reconquista da cidade de Jerusalém, podemos dizer
    que, finalmente, após 1948, Israel retomou o controlo sobre a santa cidade como sua capital e parte integral do seu território.
    Houve aqui como que um novo recomeço.
    Yeshua disse-nos que “Jerusalém seria pisada pelos gentios até que o tempo dos gentios se completasse”, o que veio a
    acontecer precisamente em Junho de 1967.
    Se fizermos uma simples adição veremos que ao somarmos 50 anos ao ano de 1967 chegamos a 2017. Este é um ano muito
    importante para todos nós.
    O plano de Deus para a humanidade está a aproximar-se do verdadeiro clímax em que se cumprirão todas as Suas palavras.

 Relembremos as palavras de Jesus em Mateus 24:32-33 – “Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus
ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas estas coisas,
sabei que ele está próximo, às portas”. E no versículo 35, Ele diz-nos: “O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras
não hão de passar”.

                                                              -.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-




Vítor Quinta                                                                                                                   201

								
To top