Documents
Resources
Learning Center
Upload
Plans & pricing Sign in
Sign Out

Concordância verbal

VIEWS: 10 PAGES: 16

									Concordância verbal
Sujeitos simples que merecem destaque
01 – Expressões partitivas:grande parte de,a maior parte de,a maioria de,grande parte de,metade... -O verbo pode ficar no singular ou no plural. Ex.: A maioria dos senadores aprovou as pesquisas com células-tronco. aprovaram 02 – Sujeito coletivo -O verbo fica no singular , mas se seguido de substantivo vai para o plural. Ex.:Um bando fazia tremenda algazarra em frente à delegacia feminina. Um bando de vândalos destruíram o monumento em frente à delegacia. subst. 03 – Quantidade aproximada: cerca de,mais de,menos de,perto de.... - O verbo concorda com o substantivo. Ex.: Cerca de mil pessoas participaram da passeata contra as pesquisas com células-tronco. subst. Mais de um atleta estabeleceu novo recorde. subst.

Contin.
04 – Mais de um,mais de uma... - O verbo fica no singular ou no plural se houver reciprocidade ou expressão repetida. - Ex.:Mais de um senador discutiu a pesquisa. Mais de um senador se ofenderam na tumultuada sessão.

05 – Nomes próprios pluralizados - Sem artigo: verbo no singular - Com artigo:verbo no plural Ex.: Os Estados Unidos impuseram uma nova ordem mundial. Estados Unidos impôs uma nova ordem mundial. Os Lusíadas consumiram anos de dedicação do poeta. Memórias Póstumas de Brás Cubas renovou a estética do romance.

Contin.:
06 – Pronome interrogativos ou indefinido plural(quais,quantos,alguns,poucos,muitos,quaisquer,vários)seguidos de “de nós” ou “de vós” – o verbo pode concordar com o 1º pronome(na 3ª pessoa do plural) ou com o pronome pessoal. Ex.: Quais de nós sabiam/sabíamos disso tudo? Alguns de vós temiam/temíeis novas revelações. Vários de nós participaram/participamos das discussões. Obs.1: Quando alguém estabelece a concordância”Muitos de nós sabíamos de tudo e nada fizemos.” está se incluindo num grupo de omissos,o que não ocorre com a concordância”Muitos de nós sabiam de tudo e nada fizeram.” que soa como uma acusação ou denúncia. Obs.2: Quando o interrogativo ou indefinido estiver no singular,o verbo fica no singular. Qual de nós sabia de tudo? Algum de vós fez isso.

07 – Porcentagens - Quando o sujeito for indicação de uma porcentagem seguida de substantivos,o verbo pode concordar com o numeral ou com o substantivo. Ex.: 25% do orçamento do país deve destinar-se à educação. 25% do orçamento do país devem destinar-se à educação. 85% dos entrevistados declararam sua insatisfação com a política. 1% da classe recusou-se a colaborar. 1% dos alunos recusou-se a colaborar. 1% dos alunos recusaram-se a colaborar. 08 – Que - O verbo concorda com o pronome antecedente. Ex.: Hoje sou eu que faço o discurso. Não és tu que provocas riso. Fomos nós que pagamos a conta. 09 – Quem - Verbo fica na 3ª pessoa do singular ou concorda com o antecedente. Ex.:Fui eu quem pagou a conta./Fui eu quem paguei a conta. Fomos nós quem fez isso./Fomos nós quem fizemos isso.

Contin.:
10 –Um dos.. que/Um dos que/ Uma das que - Verbo costuma assumir o plural. Ex.: O Amazonas é um dos rios que cortam a floresta Equatorial brasileira. O ministro é um dos que defendem tal pesquisa. A baronesa era uma das que mais desconfiavam de nós. Obs.: Nos dois casos,tem sido muito frequente a concordância no singular em textos que devem seguir a língua padrão.

Com Sujeito composto que merecem destaque
01 – Núcleos sinônimos - Sujeito composto com núcleos sinônimos ou quase sinônimos ou estabelecendo uma gradação,o verbo pode concordar no singular ou plural. Ex.: O desalento e a tristeza minou-lhe as forças. minaram
Um aceno,um gesto,uma palavra,um estímulo faria muito por ele. fariam 02 – Sujeito resumido por tudo,nada,ninguém (aposto recapitulativo) a concordância é feita com esse termo resumidor,ou seja,no singular. Ex.: Carros,casas,prédios,viadutos,pontes,tudo foi destruído pelo terremoto. A torcida.o técnico,os jogadores,ninguém ficou satisfeito com o resultado.

Contin.:
03 – Núcleos unidos por”ou/nem” - Verbo no plural mas se houver idéia de exclusão vai para o singular. Ex.: Drummond ou Bandeira representam a essência da poesia. Nem pode,nem dinheiro o corrompiam. Milão ou Berlim sediará a próxima olimpíada.(idéia de exclusão) 04 – Núcleos unidos por “com” - Verbo no singular se quisermos enfatizar o 1º elemento e no plural tendo o mesmo grau de importância. Ex.: O velho patriarca com sua mulher e filhos,fazia-se notar pela elegância do porte. O professor com o aluno montaram o equipamento na sala de aula. Obs.: No primeiro período não se tem propriamente um sujeito composto,e sim um sujeito simples e seu adj.adverbial de companhia.

Contin.:
05 –Expressões correlativas - Quando os núcleos do sujeito são unidos por expressões correlativas como: não só...mas também...,não só...como também....,não só...mas ainda...,não somente...mas ainda...,não apenas...mas também...,tanto...quanto..., o verbo de preferência fica no plural. - Ex.: Não só a seca mas também o descaso assolam o Nordeste. Tanto o pai quanto o filho costumavam passar por ali. 06 – Pessoas gramaticais diferentes . 1ª pessoa prevalece sobre 2ª e 3ª . 2ª pessoa prevalece sobre a 3ª Ex.: Os alunos,você e eu iremos à Universidade Federal hoje. Tu e os alunos ireis à Universidade Federal hoje.

VERBO SER
01 – Em expressões que indicam quantidade( medida,peso,preço,valor) verbo fica invariável. Ex.: Dois quilos é pouco. Vinte mil reais é demais. Dez minutos é mais do que preciso para ir à secretaria. Mil reais já foi muito,hoje é pouco,é bem menos do que eu estou precisando.
02 – Indicações de tempo: concorda com a expressão numérica que o acompanha. Ex.: É uma hora./São três e vinte./Já é mais de uma hora.?Já são mais de duas horas./São cinco para uma./Hoje são vinte e seis de março.(mas:Hoje é dia 26 de março.) 03 – Entre um pronome não pessoal e um substantivo: verbo concorda com o substantivo

Contin.:Verbo ser
03 – Entre um pronome não pessoal e um substantivo:o verbo concorda com o substantivo. Ex.:Tudo eram alegrias naquela noite./Isso são manias de um ocioso. Quem são os vencedores?/Que são idéias? Obs.:Nos dois primeiros casos,há gramáticos que consideram possível a concordância com o pronome. 04 –Entre um nome próprio e um substantivo comum: o verbo concorda com o nome próprio Ex.:Garrincha foi as maravilhas do drible. 05 – Entre um pronome pessoal e um substantivo comum ou próprio: o verbo concorda com o pronome Ex.:Eu sou a professora de português./José da Silva sou eu. 06 – Entre um substantivo comum no singular e outro no plural: o verbo vai para o plural,mas poderá ficar no singular para dar ênfase. Ex.: A sua paixão eram as pesquisas com células-tronco. Aquele amor é apenas cacos de um passado.

Verbo HAVER
01

– Verbo HAVER quando indica existência ou acontecimento é

IMPESSOAL,portanto o verbo permanece na 3ª pessoa do singular. Ex.: Há Houve Havia Haverá } dúvidas quanto à legalidade de cobrança Deve ter havido de novos impostos. Pode ter havido 02 – HAVER e FAZER são impessoais quando dão idéia de tempo:verbo na 3ª pessoa do singular.(não se devem empregar esses verbos no plural em frases como: Faz muitos anos que não nos vemos./Há anos não o procuro. Deve fazer muitos anos... / Havia anos que não o encontrávamos.

Uso do Infinitivo
O verbo no infinitivo exprime o processo verbal sem indicação e tempo.Em português apresenta duas modalidades:a impessoal,em que se considera apenas o processo verbal,e a pessoal,em que se atribui a esse processo verbal um agente. É proibido fumar.(impessoal)/ É bom fazermos algo.(pessoal,sujeito/agente nós) Nem sempre a modalidade pessoal do infinitivo vem flexionada:há casos em que se deve determinar o sujeito pelo contexto. Fiquemos quietos para surpreendermos quem entrar. Fiquemos quietos para surpreender quem entrar. Em ambas as frases,o sujeito de surpreender é nós.Como se trata de um caso optativo de emprego de forma flexionada,decidiu-se na segunda frase,pela forma não flexionada.Observe que a primeira frase é mais enfática do que a segunda.

Forma não-flexionada
. Quando o verbo é empregado indeterminadamente,assumindo valor de
substantivo: Agir é tudo./Atacar é a melhor defesa. . Quando o infinitivo tem valo imperativo: Direita,volver./Apressar o passo!Apressar o passo! . Quando o infinitivo,regido da preposição DE,assume sentido passivo como complemento de um adjetivo: Seus constantes desaforos eram ossos duros de roer.(= de serem roídos) Passei por momentos difíceis de esquecer.(de serem esquecidos) . Quando o infinitivo vem com o verbo principal de uma locução verbal: Não podíamos prever o que os outros iriam fazer. Estão a brincar comigo?

Contin.:
• Quando o infinitivo ocorre numa oração substantiva reduzida que complementa um auxiliar causativo(deixar,mandar,fazer) ou sensitivo(ver,sentir,ouvir,perceber) e tem como sujeito um pronome oblíquo. Deixe-os falar./Mandaram – nos sair dali./Viram-te passar na rua.

FORMA FLEXIONADA
• Deve ser obrigatoriamente usada quando tem sujeito próprio,diferente do sujeito da oração principal.Isso o corre também quando o sujeito do infinitivo é indeterminado e o da oração principal não é: Existe muita gente que diz sermos nós um tanto sonhadores. Lembrei-me da recomendação médica de tomares sol todas as manhãs. É hora de vocês passarem à ação. . Podemos usar a forma flexionada ou não quando o infinitivo da oração reduzida que complementa um auxiliar causativo ou sensitivo apresentar como sujeito um substantivo ou quando quisermos enfatizar o agente do processo verbal nas orações subordinadas cujo sujeito é igual ao das or.principais. Deixe os alunos falarem/falar. Ouvi os pássaros cantarem/cantar. Trouxemos nossos produtos para vendermos/vender. Os manifestantes se dirigiram ao palanque para protestarem/protestar contra as pesquisas com células-tronco.

O verbo parecer e o infinitivo
• Pode relacionar-se de duas maneiras distintas com o infinitivo. Os dias parecem voar. Os dias parece voarem. Na primeira frase,parecer é verbo auxiliar de voar.Na segunda,temos na realidade uma inversão da ordem dos termos,que seria”Parecem voarem os dias”. Parece é o verbo de uma or. Principal cujo sujeito é a or.sub.subst.subjetiva reduzida de infinitivo”voarem os dias”.Se desenvolvermos essa oração,obteremos “Parece que os dias voam.”

JBC/sss


								
To top