Docstoc

Livro102

Document Sample
Livro102 Powered By Docstoc
					No Ritmo do Pulsar
Edna Cassiano

Brasília - Fevereiro 2002

No Ritmo do Pulsar

“Escrevo porque encontro nisso um prazer que não consigo traduzir. Não sou pretensiosa. Escrevo para mim, para que eu sinta minha alma falando e cantando, às vezes chorando...” Clarice Lispector

“Já não me preocupo se não sei porque / As vezes o que eu vejo quase ninguém vê / Eu sei que você sabe quase sem querer / Que eu quero o mesmo que você.” Renato Russo, Dado Villa Lobos, Renato Rocha (Quase sem Querer)

Dedicatória

Dedico esta obra à existência entre nós, de duas pessoas importantes na minha descoberta da subjetividade. Primeiramente, à Clarice Lispector que descobri através da leitura de um de seus livros, aos dezesseis anos, e percebi que se eu fosse um E.T.*, ao menos não era a única; mais alguém percebia e sentia coisas como eu e ia além, conseguindo expressá-las; isso continuo buscando aprender. Pouco tempo depois, conheci as canções do Legião Urbana e a figura fortemente impressiva de Renato Russo, cuja presença está registrada na minha história, através de suas composições tão vinculadas a emoções, sentimentos e pensamentos. Por terem ousado compartilhar conosco de toda sua intensidade e inquietude, expresso meu carinho.

* E.T. – Referência a Extra-Terrestre

Edna Cassiano

2

No Ritmo do Pulsar

Prefácio Não estaria à vontade se, neste momento, me apresentasse poetisa, devo dizê-lo. Isso, sem dúvida, pela grande admiração que tenho pelos que de fato o são. Os que aprenderam a lidar com habilidade, sensibilidade e competência com o universo dos sentimentos e das palavras. E, não apenas isso, mas aliar ao que é abstrato uma configuração estética e sonora, concreta, expressiva e bela. Esses são poetas. É possível que ainda venha a sê-lo. Reconheço que na realização desse livro está um pré-requisito básico : vida pulsando forte e incontida dentro de mim mesma, buscando sempre formas de expressão. Penso que é o que acontece com poetas, escritores, pensadores, intelectuais, atores, artistas de modo geral. Freud explica. Mas, cá entre nós, poesia não carece de explicação, apenas de sentidos. Então, não explico o que você vai encontrar aqui, nesta grande mistura de sentimentos. Os meus, os daqueles que expressaram os seus a mim, os daqueles que não o fazendo foi-me possível percebê-los ou, pelo menos, imaginá-los. Esta é uma obra despojada de vaidade e dedicada à expressão. liberdade de

Edna Cassiano

3

No Ritmo do Pulsar

ÍNDICE
Meu Amor é Meu Encontro Desencontrado Unidade Essencial Quem Precisa de Rima ? Mentira Questão de Pele Posso ? Sedução Ciclo Meninos de Rua Descoberta SOLidão Deitado Eternamente ? Parodoxos No Ritmo do Pulsar Por toda a Vida Espera-se Caminhando Minha Menina Meu Amor de Sempre Pulsar Intenso Chegada ? Os Bons Momentos Intempestivo e Solitário Lágrima Sei, Não Sei Ele Disse Que Vinha (os sempre adolescentes) Se fosse possível... Bom te Ver Felizes Segurança Eu Sem Nostalgia Águia Nem Sempre Solitária Síndrome de Elias As Crias O Homem Preparando a Mudança 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43

Insight

Edna Cassiano

4

No Ritmo do Pulsar

Meu Amor é Meu Meu amor é meu. Ninguém o possui, Ninguém o governa, Ninguém o aprisiona. Meu amor é meu, Enche meu peito e transborda. Não cobro por ele, Não o negocio. Ninguém me deve nada Por ser amado. Amar é um dom. Amar é dom de Deus. Ser capaz de amar é privilégio. Amor é entrega. Se abrem o coração e o recebem, Ele fica feliz. Faz festa ! Se o recusam, Ele sofre e chora, Lamenta o que poderia ter sido; depois, Sacode o pó das sandálias E continua a caminhar... Meu amor é meu.

Edna Cassiano

5

No Ritmo do Pulsar

Encontro Desencontrado

Ele é um homem de encontros, Ela uma mulher de entrega. Para ele encontro é passagem Para ela é possível ser permanência. Ele tem prazer na intensidade do efêmero, Ela tem prazer na construção do que pode ser duradouro. Ele gosta da casualidade, Ela gosta da continuidade. Ele se entende livre por não entregar-se, Ela se entende livre, por isso, entrega-se. Ele tem medo, prefere conter-se. Ela também, mas prefere lançar-se. Encontraram-se, Amaram-se Terna e intensamente. Ele preferiu partir, Ela não impediu, jamais o impediria. Ele vai continuar tendo encontros Ela vai continuar crendo na possibilidade “dO Encontro”. Apaixonados pela vida, Respeitaram suas diferenças. Nada subtraíram do outro, Acrescentaram-se. Viveram um Encontro Desencontrado.

Edna Cassiano

6

No Ritmo do Pulsar

Unidade Essencial

Entrelaçados Nossos corpos se fundem. Homem e mulher, Encaixe perfeito ! Todos os sentidos : Mãos que te percorrem; O som da tua voz grave e doce; O sabor do teu corpo; O cheiro de amor; A troca de olhares Cheia de desejo e ternura. Total cumplicidade. Se há mais que sensações corpóreas, Se o afeto é forte A ponto de nos fazer perceber Que naquilo em que divergimos, Nos acrescentamos. Então, Sem que eu deixe de ser eu, Sem que você deixe de ser você, Vivemos o mistério de sermos um.

Edna Cassiano

7

No Ritmo do Pulsar

Quem Precisa de Rima ? Amor rima com dor ou Seria a dor que procura rima no amor ? A dor sempre se sente só, Ainda que não esteja. Verdade ! Amor pode envolver dor, Amor pode fazer sofrer, Amor pode nos fazer esperar. Mas, o amor nunca estático está É sempre capaz de transformar. Não precisa de igual som para rimar. Não vou tornar conseqüente O que não quero acreditar. Amor não é rima para a dor, Amor são asas para voar ! Só voa quem livre está, Só é livre quem é capaz de amar. Na melodia de quem ama, O que o amor acompanha é Alegria, cumplicidade, razão Doçura, intensidade, paixão. Amor pode rimar com dor... Mas, quem precisa de rima ?

Edna Cassiano

8

No Ritmo do Pulsar

Mentira

O poeta finge. O poeta mente. O poeta sente Solidão e frio, Plenitude e gozo; Seduz, de um jeito dengoso. O poeta finge, Acrescenta, Inventa. O poeta envolve, Às vezes, se envolve. Sonho, ilusão, Vazio e Desencanto.

Edna Cassiano

9

No Ritmo do Pulsar

Questão de Pele Gosto do contraste Entre a minha pele e a tua A minha tem o tom De uma jóia marrom A tua é clara e bela Como a luz da manhã Gosto desta luz Que me atraí a ti Gosto do calor Que me vem invadir: Maravilhosa química, Perfeita entre nós ! Não vejo a hora De estarmos a sós...

Edna Cassiano

10

No Ritmo do Pulsar

Posso ? Me ensina como se faz Essa couraça que teu peito traz. Alguém te ofertou, ou Tu mesmo a criou ? Te sentes protegido Contra todo o inimigo, Contra o medo, Contra a dor. Sofro por te ver Tão perdido de ti. Tão defendido E magoado. Muitos te julgam sobremodo inteligente; Outros, arrogante e prepotente Mesmo leviano, às vezes, Te julgam ser. Mas, sabe o teu olhar Que te posso enxergar, Que tens medo de me amar E que foges de mim. Não te quero violar. Prefiro que me deixes penetrar Em teu ser imenso, complexo e denso Que não me canso de desejar.

Edna Cassiano

11

No Ritmo do Pulsar

Sedução Rosto expressivo, Másculo, Bonito. Fortes traços, Me agito... Olhos claros, Brilhantes, Radiantes. Tão ternos e Instigantes... Tronco como marfim polido, Pernas como colunas de mármore Sobre bases de ouro. Braços fortes, Mãos grandes e bem feitas. Porte altivo, Elegante. Incrível ! Nada arrogante. Apenas é, apenas está Em frente a me olhar ...

Edna Cassiano

12

No Ritmo do Pulsar

Ciclo Estresso Expresso Canto Danço Tensão Tesão Ansiedade Paixão Beijo Toco Abraço Invoco Carinho Doçura Amor Acolho Recebo Descanso Desejo Paz Quietude Sossego.

Edna Cassiano

13

No Ritmo do Pulsar

MENINOS DE RUA

QUASE QUE COMPLETAMENTE ENVOLVIDOS EM SUAS CAMISETAS, ENCOLHIDOS, ELES DORMEM SOB A MARQUIZE. SERÁ QUE SONHAM ?...

Edna Cassiano

14

No Ritmo do Pulsar

Descoberta Ela dizia que não podia decidir: Ele era calmo, terno, Cuidadoso, paciente, Organizado, conseqüente. O outro era menino Alegre, bem humorado Sabia fazê-la rir Sempre a conseguia divertir. Havia um terceiro, Arrojado, irreverente Inquieto, surpreendente Empreendedor, mas inconseqüente. Amava-os, aos três. Cada um preenchia Parte do que ela pretendia, Não os queria perder, Não sabia o que fazer. Depois de muito pensar Percebeu que, de fato, não os tinha, Não os via como são. Focava apenas parte, O que lhe chamava a atenção. Estava fragmentada e insegura, Queria compor-se através de uma relação. Nenhuma a completava, Precisava de outra, então.

Edna Cassiano

15

No Ritmo do Pulsar

Decidiu, por fim, investir Em conhecer-se, perceber-se, [se curtir] Saber quem de fato era Frente ao paradoxo de existir. Finalmente, era ! Não mais fingia ser Não precisava de complemento Queria apenas conhecer Alguém que a enxergasse como era e gostasse do que podia ver.

Edna Cassiano

16

No Ritmo do Pulsar

SOLidão

Vejo agora, também com os olhos d’alma O Sol surgindo... Traz consigo a altivez natural de quem sabe quem é. Sinto-me como folhas novas do mais belo verdor, Umedecidas pelo orvalho da madrugada. Elas parecem sorrir enquanto os raios Lhes tocam, Lhes envolvem, Lhes trazem calor. Energia nova, Para um dia novo. Vida ! Pulsação ! Paixão ! São sós os apaixonados.

Edna Cassiano

17

No Ritmo do Pulsar

Deitado Eternamente ? Ele viaja. O povo fica. Ele discursa. O povo grita. Ele é aplaudido. O povo está aturdido. Ele descansa em paz, O povo na insegurança jaz. Ele é doutor, O povo sente dor. Educação, Trabalho, Segurança, Pão. Onde estão ? Acorda, gigante adormecido ! Faz dos teus sonhos realidade. Faz do teu HOJE o espelho de tua grandeza. Firma-te de pé ! Com dignidade, justiça e bravura Mas, sem perder a ternura Isso, como já disseram, JAMAIS...

Edna Cassiano

18

No Ritmo do Pulsar

Parodoxos Sorrir Chorar Querer Afastar Acariciar Agredir Avançar Regredir Lembrar Esquecer Prazer Dever Viver Morrer Dimensão infinda ! E, então ? O paradoxo termina ?

Edna Cassiano

19

No Ritmo do Pulsar

No Ritmo do Pulsar

Poemas são sentimentos Que se utilizam de palavras Como forma de expressão. Sentimentos. Às vezes, julgamos conhecê-los todos. Tolice ! Surge um novo, ou Ressurge o que imagináramos morto. Poemas fazem das palavras brinquedo. Elas fluem, cantam, Dançam sem medo. Poemas falam de dor Poemas falam de amor. Choram um amor impedido Vibram o bem sucedido. Poemas têm seu ritmo, Não se pode disfarçar. Poemas têm o ritmo do pulsar.

Edna Cassiano

20

No Ritmo do Pulsar

Por toda a Vida

Ela não precisava dizer, Seus olhos sempre diziam De seu amor por ele. Homem forte e sensível. Homem ardente e ativo. Homem culto e inteligente. Ela não precisava dizer, Seus olhos sempre diziam De sua admiração, seu carinho, sua paixão. Ele sempre estava Em tudo que ela criava [e com certeza criará] Também assim, seu amor expressava. Ele também a amava, Era notório que a admirava e a respeitava. Eram tão unidos que pareciam um. Em essência talvez fossem. Ele se foi primeiro. Ela, agora, sem o companheiro Continua a caminhar. Ela não precisa dizer, Seus olhos dizem De sua saudade, de sua força e de sua gratidão.

Edna Cassiano

21

No Ritmo do Pulsar

Espera-se Caminhando Não encontro Quem me veja como sou. Que não me ponha sobre um pedestal, Figura idealizada. Que não tente me colocar sob seus pés, Figura subestimada. Que não me ignore, Como se fosse “um nada”. Apenas, saiba que sou mulher. Ser que alia bem Fragilidade e força, Protege os seus E quer proteção, Erra e acerta, Inquieta-se com indefinição. Retifico o que disse: Ainda, não encontrei. Sei que o que há de vir, virá Tudo mais é aprendizado, Faz parte do caminhar.

Edna Cassiano

22

No Ritmo do Pulsar

Minha Menina

Como é belo nascer, Como é belo crescer, Como é belo aprender A cada dia viver. Ontem era um bebê... Frágil, mas sempre atenta. Hoje carinhosa e inteligente Menina doce, já independente. Ela não se intimida, Segue sempre em frente. Menina, és de Deus um presente, Tornando-se uma bela mulher ! Como amo te ver Crescendo como estás. O tempo é tão fulgás ... Orgulha-me saber que de muito és capaz. Guarda em ti a ternura, Nunca percas a doçura e Confia no amor de tua mãe.

Edna Cassiano

23

No Ritmo do Pulsar

Meu Amor de Sempre

Foi um lindo bebê ! Cheio de dobrinhas, Gostoso de abraçar. Amante de um colo, Olhar dengoso a me chamar. Como não me orgulhar ? Menino atento, Inteligente e perspicaz. Carinhoso e digno Em breve, um rapaz. Te amo querido ! Privilégio estares comigo. Amigo com quem posso contar, Nos entendemos pelo olhar. Entretanto, adoro te ouvir contar Sobre tuas coisas, sobre o teu brincar, Ouvir o teu questionar, O estares atento ao que irei falar... E as tuas próprias conclusões chegar. É bom saber que te pude gerar.

Edna Cassiano

24

No Ritmo do Pulsar

Pulsar Intenso Ah, esse meu coração ! Coração apaixonado, Coração emocionado, Coração de menina, Sentimentos de mulher. Ah, esse coração ! Coração acelerado, Ritmo Apressado, Tem urgência em viver. Coração generoso, Coração aberto, Coração desperto Pelo desejo de bem querer. Ah, coração ! Aguarda, pois se aproxima O dia de sua vinda Chegada de um novo amor. Nem príncipe, nem lobo. Cresceste o bastante Para em fábulas não acreditar. Homem forte como cedro excelente Reconhecido como gente decente Digno do teu amor.

Edna Cassiano

25

No Ritmo do Pulsar

Chegada ? Ei-lo ! Parece cansado, abatido. O rosto traz marcas que o fazem mais bonito. Os cabelos estão grisalhos, Obra do tempo, ou daquilo que viveu ? Ouviu-se dizer Que muito sofreu. Também ouviu-se Que em muitos braços se perdeu. Enfim, Ei-lo ! Os olhos brilham como antes, O olhar ainda é inquieto, por vezes, distante. A velocidade do sangue, correndo em suas veias Dá-nos conta do ritmo de seu coração. Coração atrevido, travesso, carente... Senhoras e Senhores, Ei-lo ! Evita me olhar. Não sei o que falar. Sei que tem medo de amar Acha que aprisionado estará Não conhece a imensidão do amor Que o está a esperar. Mas, se a ele se entregar Definitivamente livre será.

Edna Cassiano

26

No Ritmo do Pulsar

Os Bons Momentos

Bons momentos São como belos sons, Canto de pássaros, Barulho do mar... Bons momentos Quando são intensos, Nos levam a outra dimensão, Nos sentimos parte da imensidão. Bons momentos Vividos com liberdade, Com alegria, com devoção, Fazem surgir uma linda canção ! Bons momentos acontecem Quando não os impedimos. Quando os desejamos com fervor, O Universo conspira a nosso favor.

Edna Cassiano

27

No Ritmo do Pulsar

Intempestivo e Solitário Tempo Vento Tempestade Terremoto Furacão Trovão Vulcão em plena erupção Assim ele é. Efêmero, mas nunca desapercebido Marca presença, e passa... Será que, se quisesse poderia ficar ? Difícil dizer. Provavelmente, não saberia. Permanência voluntária Implica em amor. Amor requer investimento, Investimento estabelece vínculo, Vínculo gera apego, Apego traz o medo de perder... É possível que um dia queira calma. Quem sabe, um dia tranqüilize a alma E sinta-se seguro Nos braços de uma mulher.

Edna Cassiano

28

No Ritmo do Pulsar

Lágrima Nos olhos daquela criança, Há tanta esperança ! Nos olhos daquela menina, Há uma ternura infinda ! Nos olhos de quem mais viveu, Há uma lágrima contida, Guardada, sofrida. Não é preciso conter ! Deixa a lágrima escorrer, Faz parte do atravessar. Lágrima que cai Desembaça o olhar, Faz o coração desafogar. Nos olhos de quem mais viveu, A esperança pode brotar, E a ternura vem para ficar ! A lágrima tem seu lugar. Não é fraqueza chorar. Os fortes a enxugam E continuam a caminhar...

Edna Cassiano

29

No Ritmo do Pulsar

Sei, Não Sei Não sei cantar Como os cantores. Não sei dançar Como os dançarinos. Não sei representar Como os atores, Nem declamar Como os poetas. Não sei fazer Como os outros fazem. Não sei acomodar-me Como outros se acomodam. Não sei ser O que os outros são. Sei ser o que sou. Sei estar onde estou. Não me comprometo em ficar... Do meu jeito Canto, danço, represento e declamo. Se me gostas assim, usufrui de mim... Saberás o que sei Que sou louca por ti E que te quero aprender.

Edna Cassiano

30

No Ritmo do Pulsar

Ele Disse Que Vinha (os sempre adolescentes) Quem acredita em palavras Carrega em si inocência. Ele disse que vinha, chegaria às dez. Ela confiava em sua decência. Às quatro já se preparava : Ansiedade, tensão, tesão. O que vestir ? Calçar ? Que perfume usar ? Na hora marcada, Pronta estava Aguardando seu amor. Pobre menina crédula ! Ele nem telefonou, Outra menina encontrou Do que dissera, nem se lembrou. Tantas aprontou Que o encanto passou Ele disse tantas vezes que vinha...

Edna Cassiano

31

No Ritmo do Pulsar

Insight

Presentes para me comprar ? Não deveriam ser apenas para alegrar ? Flores para se desculpar ... Não deveriam ser para celebrar O amor, a ternura, o luar ? Insistes em magoar. Insistes em me usar. Insistes em mentir. Insistes em voltar. Chega ! Eu cresci ! Olhei o espelho e me vi. Não preciso me sujeitar. Estou pronta para caminhar.

Edna Cassiano

32

No Ritmo do Pulsar

Se fosse possível...

Se eu pudesse não me emocionar, Não mais iria chorar, Não sentiria dor, Não sofreria por amor. Se eu pudesse não me emocionar, Não iria me apaixonar. Agiria mais friamente, Seria sempre coerente. Se eu pudesse não me emocionar, Seria mais fácil tudo organizar, Uma vida morna levar, Sem sobressaltos, sem me aventurar. Se eu pudesse.. Definitivamente, não posso. Não me é natural. Emoção me caracteriza, Emoção é vital.

Edna Cassiano

33

No Ritmo do Pulsar

Bom te Ver

Nos cruzamos, Nos olhamos, Sorrimos, Nos cumprimentamos. Não sei qual de nós, disse: “Bom te ver”, e Prosseguimos rapidamente nosso caminho. Cara ! Não foi bom te ver, Lembrei-me que ainda Não consegui te esquecer. Alteras as batidas do meu coração, Invades meu pensamento e emoção. Mas, ainda será bom te ver, Lembrar-me sem reviver Apenas conservar-te na memória Como diria o poeta, Como um amor antigo e inútil.

Edna Cassiano

34

No Ritmo do Pulsar

Felizes Felizes os que oram. Felizes os que choram. Felizes os que amam. Felizes os que clamam. Todos serão Ouvidos, Consolados, Amados, Respondidos.

Edna Cassiano

35

No Ritmo do Pulsar

Segurança Envolve-me em teus braços, Aperta-me contra ti. Sinto tua emoção. Envaidece-me tua proteção ! Tão suave e cuidadoso, Tão forte e zeloso, Gosto que cuides de mim. É bom sentir-me protegida Tão lindamente envolvida Por teu sentimento de amor, Que não me sufoca, Acrescenta-me vigor. Não duvides, querido Companheiro, amado e amigo Que a teu lado estou Conta comigo sempre ! Talvez, tua eternamente, Talvez, de forma diferente. Amor é sentimento mutável, Passível de transformação, Aproveita o que temos agora, Esquece suposição Saiba somente, amo-te.

Edna Cassiano

36

No Ritmo do Pulsar

Eu Sou tantas em mim mesma Que, às vezes, me perco de mim. Menina ingênua, Adolescente questionadora, Tímida e arrojada, Suave e felina, Densa e intensa. . Sei ter alma grande e generosa Sempre desejosa De outras almas conhecer E de tudo aprender. Sentimentos e emoções, Às vezes, se embaralham. O mundo gira tão rápido… Gosto que seja assim ! Mas, gera confusão. É preciso pausa, respiração, reflexão E, olha eu de novo No meio da multidão.

Edna Cassiano

37

No Ritmo do Pulsar

Sem Nostalgia Você passou, Não notou ? És um bom mestre, Aprendi a lição. Descobri como naquela canção : “Não é você que vai me dar na primavera As flores lindas que eu sonhei no verão”. Encantamento passa É fruto de sedução. O transe acaba. Nos assustamos, então, “Como foi possível crer Em tamanha ilusão ? “ Agora, posso ver-te Homem frágil, carente, Necessitado de amor. Criaste um personagem. Amam a tua imagem. Não te sentes seguro Para mostrar-te como és. Pena ! Paralisado estás. Se não te arriscares Certamente, não crescerás. És amado por quem te criou. Mostra-te sem medo, Descobrirás mais cedo Que forte te tornarás. Desejo-te sorte e não olhes para trás.

Edna Cassiano

38

No Ritmo do Pulsar

Águia nem sempre Solitária Parece-me que começo a Compreender a alma masculina. Pretensiosa, essa menina ! Não. Acho que não. Pelo contrário, Até aqui houve muito chão. [e chão ainda haverá...] Verdade que já me irritei. Verdade que já briguei. Verdade que já te exilei. Verdade que já sofri. Verdade que, por isso, me conheci. Então, agora é mais fácil ver-te. Não pressuponho o que vais dizer, Nem o que sentes, Nem o que irás fazer. Ouço-te atenta, somente. Se o que dizes for silêncio Respeito teu momento, Aguardo falares ou simplesmente, Em meus braços se abrigar. Abrigo-te carinhosamente, Recebo-te como presente, Não temo o que há de vir Agrada-me o que temos aqui Sei que és pássaro liberto, Escolheste a mim em vôo aberto: Mulher, confidente e companheira. Ensinaste-me o que eu não sabia, Agora, alço vôo em tua companhia.

Edna Cassiano

39

No Ritmo do Pulsar

Síndrome de Elias

Num instante, Ousado, destemido, forte Homem comprometido, Discurso bem definido, Convicto de sua missão. Num instante, Cumpre bem seu papel, Resgata a soberania do Deus de Israel. Não há lugar para dúvidas : Pode feliz erguer o olhar ao céu. No instante seguinte, Tudo parece ter sido em vão. Agora, sofre perseguição. Qual seria o sentido, então ? Sente-se envolvido apenas pela solidão. Ah ! Elias, Elias... Aquieta seu coração ! Ouve a voz do amigo, Autor de toda Criação. Nada que é sincero é vão. Abandone a pretensão de Se julgar o único e verdadeiro cristão.

Edna Cassiano

40

No Ritmo do Pulsar

As Crias O processo criativo É intensamente instintivo. Não se sabe o que surgirá. Não se sabe como chegar lá. Sabe-se apenas que é preciso partir... Ansiedade, Inquietação, Temor, Tesão. Desejo de fazer, Esta é a questão. Considera-se tudo e Escolhe-se a direção. Depois é empenho, Coragem, determinação. Faz-se o melhor de que se é capaz Menos, não ! Sossegado o coração, Concluído está o que inquietação iniciou. Vira-se a página e Percebe-se de cara Que outro processo começou...

Edna Cassiano

41

No Ritmo do Pulsar

O Homem Só não tolero intolerância Me irrita arrogância Me enoja prepotência Não gosto de indiferença ! É patético o radicalismo, Pobre o fundamentalismo, Burrice o racismo, Terrível a discriminação ! Diversidade é acréscimo, Exclusão é subtração, Tolerância é sabedoria, Produz envolvimento e comunicação ! Liberdade, criatividade, Respeito, fantasia, Quebra de barreiras, Proximidade, afeição. Homem ser racional, social, cultural. Homem ser de necessidade. Homem ser de afetividade. Resgata o que te originou Vieste da mais profunda manifestação do Amor Então, esquece divisão ! Soma, multiplica, Ama !

Edna Cassiano

42

No Ritmo do Pulsar

Preparando a Mudança Sei que és livre E que só és feliz assim. Adoro te ver brincar, Rir, cantar, dançar, Ser livre, enfim. Também necessito de liberdade. Talvez seja isto que em ti me atrai. Desfaz-se qualquer resistência Me entrego à emoção intensa, Lúcida consciência. Não quero que me aprisiones. Não quero te aprisionar. Não quero magoar-te, Cobrando-te o que não me podes dar. Quero que sejamos verdadeiros, Amigos, companheiros. O que se sente é tão presente... Por isso, estás sempre aqui. O que é invisível transcende, Minha alma se une à tua, aí No indizível, no intocável. Começo a vislumbrar o mundo Numa nova dimensão ! Essa ânsia de conhecer tudo, Leva-me a momentos de transição. Não posso ignorar. Novamente, Está chegando a hora de mudar...

Edna Cassiano

43


				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:27
posted:2/12/2009
language:
pages:43