Instruções aos Autores de Contribuições para o SIBGRAPI

Document Sample
Instruções aos Autores de Contribuições para o SIBGRAPI Powered By Docstoc
					     Sistema de Acesso a Dados via Dispositivos Fixos e Móveis
                 Independentes de Plataforma
                         Autor: Tiago Aparecido Teixeira
                  Orientador: Luciano Eugênio de Castro Barbosa

1. Introdução
No cenário atual em que vivemos a utilização de softwares gratuitos para o
desenvolvimento de pesquisas é algo tão natural quanto o ato de pesquisar. Este artigo
faz parte de um dos possíveis estudos de caso de uma arquitetura para o
desenvolvimento de Sistemas de Acesso a Dados via Dispositivos Fixos e Móveis
Independentes de Plataforma, para atingir esse objetivo a arquitetura proposta visa a
elaboração de sistemas que possam ser construídos apenas uma única vez e portados
para uma gama infinita de plataformas, para atingir esse objetivo esse estudo de caso
utilizou-se inteiramente de softwares gratuitos dentro de cada tecnologia analisada. Esse
uso se deu sobre dois aspectos de igual importância. São eles:
   1) Os softwares usados são portáveis entre diversas plataformas operacionais.
   2) Os custos de um projeto de pesquisa desse nível seriam muito elevados caso se
      usasse softwares proprietários semelhantes dentro das tecnologias analisadas.

2. Revisão Bibliográfica

2.1. Ferramentas RAD
O método RAD beneficia-se das vantagens oferecidas por ferramentas poderosas de
desenvolvimento para produzir rapidamente sistemas de alta qualidade. Essas novas
ferramentas, mais intuitivas e visuais, permitem que o projetista de software construa
"visualmente" a interface com o usuário, além de gerar o código numa linguagem
orientada a objetos, permitindo o reuso de componentes [1].

2.2. Sistemas de Gerenciamento de Bancos de Dados
Um SGBD – Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados é uma coleção de
programas que permitem ao usuário definir, construir e manipular Bases de Dados para
as mais diversas finalidades. Há, também, bancos de dados baseados em Gerenciadores
de Base de Dados e Gerenciadores de Arquivos [2].

2.3. Sites Dinâmicos
        JSP (Java Server Pages) é uma tecnologia para desenvolvimento de aplicações
WEB semelhante ao Microsoft Active Server Pages (ASP), porém tem a vantagem da
portabilidade de plataforma podendo ser executado em outros Sistemas Operacionais
além dos da Microsoft. Ela permite ao desenvolvedor de sites produzir aplicações que
permitam o acesso à banco de dados, o acesso a arquivos-texto, a captação de
informações a partir de formulários, a captação de informações sobre o visitante e sobre
o servidor, o uso de variáveis e loops entre outras coisas [3].
       Por definição, JSP usa Java como sua linguagem de scripts. Por esse motivo, O
JSP se apresenta mais flexível e mais robusto do que outras plataformas baseadas
simplesmente em JavaScripts e VBScripts [3].
        As Java Server Pages combinam HTML ou XML com partes de código Java
para produzirem páginas Web dinâmicas. Cada página é compilada automaticamente em
uma Servlet pelo mecanismo JSP na primeira vez que ela é solicitada e, a seguir, é
executada. As JSP fornecem diversas maneiras de se dialogar com classes, servlets e
applets Java, bem como com o servidor Web [4].

2.4. Sistema de Comunicação Móvel
O conteúdo e as aplicações WAP foram especificadas através de um conjunto de
formatos bem conhecido, baseado na Internet tradicional. O browser interpreta e exibe
conteúdo desenvolvido para o ambiente WAP. Esse conteúdo é criado através da
linguagem WML (Wireless Markup Language ou Linguagem de Marcação Sem Fio).
WML é semelhante a HTML que é usada na criação de páginas da Internet. Mas, ao
contrário da linguagem HTML, a linguagem WML foi criada para atender às
necessidades dos dispositivos e redes sem fio com baixo poder computacional. Para
acrescentar recursos dinâmicos às aplicações WML, utiliza-se a linguagem WML Script,
uma linguagem semelhante a JavaScript. Tanto WML como WML Script são adaptadas
e otimizadas para utilização em ambiente sem fio [5].

3. Metodologia
A abordagem a ser utilizada é a convergência de tecnologias existentes, como a
arquitetura Java Enterprise Edition (J2EE), através de sua extensão para a Internet Java
Server Pages (JSP) levando à implementação do dinamismo no ambiente da Internet; a
utilização do protocolo Wireless Application Protocol (WAP), através de sua linguagem
Wireless Markup Language (WML) para o acesso móvel; a utilização da ferramenta
RAD Borland Kylix 3 para o desenvolvimento do cliente Desktop portável para, pelo
menos, duas plataformas distintas e o “Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados”
(SGBD) MySQL para a armazenagem dos dados que serão acessados por todas as
tecnologias analisadas. Será utilizada, ainda, a metodologia Rational Unified Process
(RUP) para o desenvolvimento do projeto de software.

4. Projeto
A integração de Sites Dinâmicos e SGBDs possibilita a manipulação dos dados contidos
no SGBD pelas páginas dinâmicas geradas pelos servidores de aplicação inclusive às
páginas geradas em WML para dispositivos Wireless possibilitando, assim que
aplicativos gerados por ferramentas RAD, páginas geradas por mecanismos de Sites
Dinâmicos e Dispositivos de Computação Móvel utilizem um canal comum de acesso
ao SGBD.
       Com o uso de SGBD será possível que um dado qualquer por software
desenvolvido por uma ferramenta RAD seja acessado por Dispositivo de Computação
Móvel através de um Servidor de Aplicação que tenha gerado um Site Dinâmico que
possua acesso ao SGBD.
5. Estudo de Caso
A implementação de um estudo de caso visa testar a aplicabilidade e viabilidade da
Arquitetura que está sendo proposta neste trabalho. Para isto o sistema produzido usou
como base de desenvolvimento a Arquitetura proposta, como modelagem de dados uma
ferramenta Case, e como processo de desenvolvimento de software o Processo
Unificado Rational RUP (Rational Unified Process).
       A elaboração, desse estudo de caso específico, procurou utilizar tecnologias
independentes de plataforma e – sempre que possível – tecnologias gratuitas para
diminuir o custo de desenvolvimento do sistema.
       Os componentes utilizados neste estudo de caso podem ser observados no
diagrama da figura 1.
C lie n t e D e s k t o p




           S o ft w a r e
           D e s k to p


                                                               SGB D




C l ie n te W E B                                    S e r vid o r d e A p lic a ç ã o




            N a ve g a d o r                                       S e r vid o r
            W EB                                                   de H TTP




                                            S e r vi d o r W A P


C lie n t e W E B M o v e l
                                                   G a te w a y W A P



                                                                   D e m o lu d a d o r
             N a ve g a d o r                                      H TTP W A P
             W E B M o ve l




                                                                   E m ul a d or
                                                                   W A P H TT P




  Figura 1 – Componentes utilizados na implementação do estudo de caso.
5.1. Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados
Dentro da proposta de desenvolvimento de se utilizar tecnologias gratuitas disponíveis
na Web e de uma maior independência de plataforma operacional optou-se por utilizar o
SGBD o MySQL (disponível em www.mysql.com) por este possuir as seguintes
características:
        O MySQL é um SGBD (Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados)
relacional com código fonte aberto. Foi originalmente desenvolvido para manipular
bases de dados muito grandes, com maior rapidez que as soluções existentes, e tem sido
utilizado com sucesso em ambientes de produção com alta demanda. Apesar de estar em
constante desenvolvimento, o MySQL oferece um rico e muito útil conjunto de funções.
Conectividade, velocidade e segurança tornam o MySQL altamente apropriado para
acesso a bancos de dados na Web [6].
       O MySQL é um sistema cliente/servidor que consiste de um servidor SQL multi-
threaded que suporta diferentes backends, vários programas clientes e bibliotecas,
ferramentas administrativas e uma interface de programação [6].

5.2. Cliente Desktop
O Cliente Desktop possibilita a administração remota do sistema gerado de forma
segura, pois algumas áreas do banco de dados usado, assim como varias informações
administrativas, só podem ser acessadas desse modo por um Cliente Desktop
implementado utilizando-se ferramenta RAD

5.2.1. Ferramenta RAD
Para possibilitar uma maior usabilidade do sistema desenvolvido optou-se pela
ferramenta RAD Borland Kylix 3 Open Edition. Para possibilitar o acesso a dados pelo
sistema foi utilizado componentes de acesso a dados compatíveis com o SGBD MySQL
disponíveis na Web na forma de componentes freeware (ZeosDBO
http://zeoslib.sourceforge.org).

5.3. Cliente Web
O usuário em Modo Web poderá utilizar o Sistema através de dois outros modos: Modo
Web Convencional ou Modo Web Móvel. A escolha de um desses modos dependerá,
basicamente, do tipo de dispositivo que o usuário tiver disponível no momento do
acesso ao sistema.

5.3.1. Cliente Web Convencional
O usuário em Modo Web Convencional poderá utilizar o sistema através de um Cliente
Leve que acessara a Camada Web (Servidor HTTP). Utilizando para isso sites gerados
de forma dinâmica.

5.3.1.1. Sites Dinâmicos
Para a geração de páginas Web de forma dinâmica foi utilizada a plataforma de
desenvolvimento J2EE (Java Enterprise Edition) através de sua extensão para a Web
JSP (Java Server Pages, disponível em http://jakarta.apache.org/tomcat/).
5.3.2. Cliente Web Móvel
O usuário para ter acesso ao Modo Web Móvel irá necessitar de um dispositivo que
permita o acesso a Web Móvel, normalmente um celular, hand held, ou outro tipo de
computador portátil.
       Para o dispositivo móvel usado pelo usuário acessar o Modo Web Móvel será
necessário o uso de um Cliente Leve especialmente projetado para Web Móvel.

5.3.2.1. Tecnologia de Comunicação Móvel
Para que uma maior mobilidade e para que uma gama maior de usuários possa ter acesso
móvel ao sistema o mecanismo de sites dinâmicos possibilita a geração de páginas
dinâmicas especialmente projetadas para o acesso móvel e no caso de celulares as
páginas geradas são na linguagem WML.
       As páginas geradas de forma dinâmica foram testadas utilizando-se o Nokia
Mobile Internet Toolkit 4.0 esse kit de desenvolvimento é disponibilizado gratuitamente
pela Nokia em http://www.forum.nokia.com

6. Conclusão
A implementação desse sistema alcançou os resultados esperados quanto à viabilidade
técnica da execução de um projeto dessa natureza, possibilitando a integração das
tecnologias analisadas. O resultado foi alcançado utilizando-se de ferramentas gratuitas,
o que comprovou a viabilidade econômica.

7. Referências
[1]    Uma Metodologia de Projeto Orientado a Objetos Com Vistas à Reutilização
Fabrício André Rubin Prof. Dr. Carlos Alberto Heuser (orientador)
[2]   Apostila de Banco de Dados e SQL Autores: Prof. Jorge Surian Prof. Luiz
Nicochelli SGBD x GA
[3]    JSPBrasil - Tutorial JSP O que é JSP por: Ulisses Telemaco Neto
ulisses@jspbrasil.com.br
[4]   MUKHI, V. and MUKHI, S. and KOTOCHA, N. (2002) “Java Servlets JSP”,
Makron Books, São Paulo.
[5]    RISCHPATER, R. (2001) "Desenvolvendo Wireless para WEB: Como
Enfrentar os Desafios dos Projetos para a Web Sem Fio", Makron Books, São Paulo.
[6]    www.mysql.com/documentation em maio de 2001

				
DOCUMENT INFO