FOMETEX Promotion of the Entrepreneurial Spirit of the Women by zfi20826

VIEWS: 0 PAGES: 51

									                  FOMETEX
Promotion of the Entrepreneurial Spirit of the
        Women in the Textile Sector




   Caracterização do Sector Têxtil Português




         Projecto E/03/B/F/PP-149.124
            The training system of FOMETEX is made with financial support of Leonardo da
            Vinci community programme about professional Training as part of the pilot
            project E/03/B/F/PP-149.124 called “FOMETEX: Promotion of the entrepreneurial
            spirit of the women in the textile sector” and does not necessary reflect the view of
            the European Community.




CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                     2 de 51
                                                    ÍNDICE

PREÂMBULO                                                                       4

CARACTERÍSTICAS ESTRUTURAIS DO SECTOR TÊXTIL EM PORTUGAL                        5
Caracterização sumária do Tecido Produtivo                                      5

Estrutura Empresarial                                                           6

Localização geográfica                                                          7

Produtividade do Trabalho                                                       8

Comércio Interno e Externo                                                      9

Classificação da Indústria Têxtil e Caracterização dos Subsectores             10
    Classificação da Indústria Têxtil                                          10
    Caracterização dos Subsectores                                             12
       • Subsector dos Têxteis Convencionais                                   12
       • Subsector dos Têxteis-Lar                                             15
       • Subsector dos Malhas                                                  16
       • Subsector dos Têxteis-Técnicos                                        18
       • Subsector da Cordoaria e Redes                                        20
       • Subsector das Passamanarias, Sirgarias e Rendas                       21


PRÁTICAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS                                         23
Recrutamento e selecção                                                        23

Formação                                                                       24

Oferta de Formação (níveis II e III)                                           25
    Educação e Formação segundo Níveis de Qualificação                         26
         Educação e Formação ao Nível Médio                                    26
         Educação e Formação ao Nível II                                       36


CONCLUSÕES                                                                     44

BIBLIOGRAFIA                                                                   47
    Referências bibliográficas                                                 47
    Referências electrónicas (sítios-sites)                                    47
    Organizações ligadas ao têxtil e ao vestuário                              48




CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                     3 de 51
Preâmbulo
As artes têxteis em Portugal remontam aos tempos da constituição de Portugal, enquanto Estado e
Nação independente, desde o século XI . O início da industrialização porém pode situar-se nos finais
do século XVIII.


Em tempos mais recentes, com o crescimento do sector algodoeiro nos distritos de Braga e Porto
desenvolveu-se uma actividade comercial considerável com as antigas colónias de África, tanto na
aquisição de matérias primas como no escoamento dos produtos acabados. Devido às mudanças
políticas e sociais ocorridas após a revolução do 25 de Abril de 1974, e com a consequente
independência dos territórios africanos, Portugal recentrou o seu posicionamento político voltando-se
para a Europa, tornando-se membro da União Europeia em 1986.


Nas décadas de 70 e 80 a indústria têxtil e do vestuário portuguesa desenvolveu as suas actividades
consideravelmente devido a custos de mão de obra comparativamente mais baixos, proximidade de
localização geográfica e afinidade cultural que favoreceram a deslocalização dos meios de produção
de outras partes da Europa onde os custos da mão-de-obra eram consideravelmente mais elevados.
A modernização do sector tem vindo a processar-se ao nível das empresas e das infra-estruturas de
apoio desde os finais da década de 80. O apoio do Estado Português e da UE concedidos através de
programas como o “PEDIP”, “RETEX” e “IMIT”, entre outros, em muito contribuíram para essa
modernização.


O sector têxtil e do vestuário assume uma elevada importância em Portugal pois representa 26% da
produção da indústria transformadora e é o principal sector exportador com uma quota de cerca de
30% do total da indústria transformadora, o que se reveste de particular relevo dado o facto do país
apresentar um défice comercial significativo, superior a 60% em relação aos valores de importação e
entradas.


A importância deste sector tem-se mantido ao longo dos anos, por quanto os outros sectores da
indústria no seu conjunto não têm conseguido crescer relativamente ao sector têxtil e do vestuário.
Porém, a partir de 1998 (até 2001 com dados disponíveis), tem-se verificado uma acentuada quebra
no volume de negócios das indústrias do vestuário na ordem dos 22% (fonte: GEPE com base no
INE).


O sector está estruturado dominantemente em empresas de pequena dimensão até                        20
pessoas ao seu serviço (17582 empresas), que representam perto de 85% das empresas deste
sector. No ano de 2000, estas pequenas empresas tinham um volume de negócios de 1.412 Milhões
de Euros, representando apenas 17% do volume de negócios do sector (fonte: INE, 2004).



CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                          4 de 51
As empresas com uma dimensão entre 20 e 99 trabalhadores representam perto de 13% do universo
das empresas existentes no sector Têxtil, enquanto as empresas com mais de 100 trabalhadores
representam somente 2,5% desse total, mas em contrapartida tem um volume de negócios que
abarcam perto de 47% do total de vendas do sector (fonte: INE, 2000).


A estratégia de desenvolvimento sustentado do sector deverá enquadrar-se numa estratégia de
desenvolvimento europeia, pautada pela estratégia da Resposta Rápida e outras a ela associadas,
incluindo a formação de parcerias e agrupamentos de empresas transnacionais. O desenvolvimento
do design e da inovação em termos de novos produtos e processos, as tecnologias mais limpas, o
desenvolvimento do marketing e a orientação para segmentos de mercado de elevado valor
acrescentado, deverão ser acompanhados por estratégias de redução dos custos, baseadas num
aumento da eficácia e não numa redução de salários.


Os Têxteis Técnicos, incluindo o vestuário de protecção e os materiais compósitos, que constituem
parte dos novos materiais, muito leves e extremamente resistentes, são produtos têxteis aplicados em
áreas onde o desempenho técnico é primordial, o que os diferencia do vestuário e têxteis-lar comuns,
onde a estética representa um papel importante e o desempenho técnico é mais limitado. Estes
produtos são aplicados em domínios muito diversos como os transportes, a aeronáutica e a
aeroespacial, a medicina, a construção civil, a agricultura, a indústria militar, o desporto, o vestuário
de protecção, etc. Este sector da indústria tem conhecido nos últimos anos um crescimento
verdadeiramente espectacular, resultante das múltiplas aplicações que vão sendo descobertas para
estes materiais.


No sentido de se caracterizar minimamente o sector têxtil em Portugal, em termos da sua estrutura e
posicionamento no mercado nacional e internacional, no âmbito dos seus subsectores, bem como das
práticas de Gestão de Recursos Humanos, com especial atenção para as Ofertas e Défices de
Formação (níveis II e III) existentes, apresentamos de seguida um enquadramento sobre estas
temáticas.


Características Estruturais do Sector Têxtil em Portugal
Caracterização sumária do Tecido Produtivo

A indústria têxtil ocupa um lugar de destaque no panorama económico nacional, assumindo uma
maior relevância que na maioria dos parceiros europeus. No contexto da EU, Portugal apresenta o
maior índice de especialização relativa nesta indústria e representa cerca de 4% da produção e 12%
do emprego têxtil europeu. Contudo, em termos de valor acrescentado ficamos muito aquém de
outros países europeus, nomeadamente de Itália, Alemanha, Reino Unido e da Espanha.


No quadro seguinte, procura-se sintetizar os principais indicadores económicos para a indústria têxtil
portuguesa, no ano de 2002.
CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                              5 de 51
                                                                 Quadro 1
                                     Principais indicadores Económicos para a Indústria Têxtil, em 2002
                                                       Indicadores                          2001 e 2002
               Emprego                                                                           212.955
                                                 (1)
               Volume de Negócios                                                                   8.182
                                           (1)
               Consumo aparente                                                                     6.404
                                     (1)
               Exportações                                                                          4.978
               Exportações/Volume de Negócios                                                     60,84%
               Importações (1)                                                                      3.200
               Quota de mercado interno                                                           50,03%
               Volume de negócios por trabalhador (1)                                              38.421
               Produtividade do Trabalho (ano 2001)                                              11.365 €
               Taxa de Crescimento da Produtividade (ano 2001)                                     3,70%
               Valor Acrescentado Bruto (VAB) (ano 2001)                                            2.567
              Fonte: CENESTAP, 2002
              (1)
                  valores em Milhões de Euro

Destes indicadores podemos destacar uma contínua diminuição no número de trabalhadores ao
serviço deste sector de actividade, tendo registado desde 2000 até 2002 uma saída de 9,6% de
número total dos trabalhadores existentes. Igualmente, a taxa de crescimento da Produtividade -
apesar do esforço de modernização tecnológica encetado -, tem tido um comportamento contrário ao
esperado.


Em contraste verificou-se desde 2000 até 2002 uma ligeira subida no volume de Negócios de cerca
de 2,7%, na Produtividade do Trabalho (+3,6% no valor em Euro), na Quota de Mercado Interno
(+2,19%), as Importações reduziram-se 3,35% em igual período de tempo, e por ultimo, um salto
muito significativo no Volume de Negócios por Trabalhador que cresceu, no triénio 2000-2002 ,cerca
de 14%.


Estrutura Empresarial

Analisando a repartição do número de empresas por escalões de pessoal ao serviço                             (figura 1)
verificamos que a estrutura empresarial da indústria têxtil é marcada pelos seguintes aspectos:


              As pequenas empresas (com menos de 20 trabalhadores) representam 85% da estrutura
              empresarial. As denominadas micro-empresas (até 9 trabalhadores) têm um peso de 47%
              nesta indústria.
              As empresas de média dimensão (entre 20 a 99 trabalhadores) representam 14% das
              empresas da indústria têxtil.
              As grandes empresas (100 ou mais trabalhadores) representam apenas 1% da estrutura
              empresarial.

CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                            6 de 51
                                                         Figura 1
                     Números de Empresas por escalões de Pessoal ao serviço, na Indústria Têxtil, em 2000


                                                               436
                                                        2243


                                                                                <20
                                                                                20 a 99
                                                                                >100


                                                                     14903



                                     fonte: INE, 2000



Localização geográfica

A indústria têxtil encontra-se fortemente concentrada na região Norte de Portugal. Este facto está
patente no elevado peso que esta região apresenta em indicadores como o número de empresas, o
pessoal ao serviço e o volume de negócios.


Assim, a região Norte concentra cerca de 69% das empresas têxteis, mais de 70% de pessoal ao
serviço nas indústrias têxteis e mais de 86% do volume de vendas.


A região Norte é seguida, a uma grande distância, pelas regiões Centro e de Lisboa e Vale do Tejo,
sendo marginal o peso das restantes regiões portuguesas.


A região Centro embora absorva um menor número de empresas do que a região de Lisboa e Vale
do Tejo, apresenta uma maior relevância em termos de pessoal ao serviço e do volume de vendas.
Também as unidades produtivas localizadas na região Centro de Portugal, apresentam uma
dimensão média superior às da região de Lisboa e Vale do Tejo.




                                                         Figura 2
                     Números de Empresas, Pessoal ao Serviço e Volume de Vendas, por NUT II, em 1996




CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                            7 de 51
           100
             80                                                                                           nº em presas
             60
             40                                                                                           pessoal ao
                                                                                                          serviço
             20
                                                                                                          volum e de
               0                                                                                          vendas
                        Norte        Centro     Lisboa e     Alentejo   Algarve     Açores   Madeira
                                                Vale do
                                                   Tejo


              fonte: INE, 1996




Produtividade do Trabalho

A produtividade do trabalho - medida pelo Valor Acrescentado Bruto por trabalhador em Portugal é de
67,1% da média europeia (ano 2000).


Na indústria têxtil a produtividade do trabalho é baixa quando comparada com a média da indústria
transformadora portuguesa, verificando-se no ano de 1995, que a produtividade da indústria têxtil era
66 por cento do valor obtido na indústria transformadora, embora se verifique um crescimento
moderado deste valor ao longo dos anos.


                                                               Figura 3
                                                  Evolução da Produtividade, em 1995

              3500
              3000
                                                                                              Ind. Transformadora
              2500
              2000                                                                            Ind. dos Têxteis
              1500
              1000                                                                            Ind. Têxtil, Vestuário e do
                                                                                              Couro
               500
                   0
                             1991        1992         1993          1994          1995


              fonte: INE, Estatísticas das Empresas-Indústria e Anuário Estatístico de Portugal, 1995


Se analisarmos dados estatísticos mais recentes (ano de 2000) relativos à produtividade do trabalho
por dimensão de empresa, podemos afirmar que a produtividade (medida em Euros por horas
trabalhadas), bem como o Valor Acrescentado Bruto (VAB) per capita, têm vindo a crescer, sendo de
valores mais elevados nas empresas com mais de 100 trabalhadores, como se pode verificar nas
duas figuras apresentadas de seguida.


                                                                   Figura 4
CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                     8 de 51
                                     Evolução da Produtividade por Dimensão de empresa, 2000

                                      8
                                              7,06       7,4
                                      6
                                           5,19       5,36                                 20 a 99
                                                                                           trabalhadores
                                       4

                                       2                                                   > 100
                                                                                           trabalhadores
                                       0
                                           1999
                                                      2000


              fonte: INE, 2000
              (1)
                  valores em Euro/Horas trabalhadas


                                                         Figura 5
                      Evolução do Valor Acrescentado Bruto (per capita) por Dimensão de empresa, 2000

                                      14
                                      12      12,41      12,8

                                      10    9,9       10,35                                20 a 99
                                       8                                                   trabalhadores
                                       6
                                       4                                                   > 100
                                       2                                                   trabalhadores
                                       0
                                            1999
                                                      2000


              fonte: INE, 2000
              (1)
                  valores em 103 Euros



Comércio Interno e Externo

A análise dos mercados de destino do sector têxtil indica-nos que cerca de 80% das vendas são
realizadas             fora do mercado nacional, sendo que os Países da União Europeia absorvem
aproximadamente 40% dessas vendas.


As actividades económicas com maior capacidade de exportação são a de Fabricação de Tapetes e
Carpetes (CAE 17521) 1, cujas vendas para o mercado externo ascendem a 85% da produção, e a de
Fabricação de Artigos Têxteis Confeccionados que representa 80% da produção desta actividade.


As actividades em que as vendas se destinam predominantemente ao mercado interno são a da
Fabricação de Tecidos de Malha (CAE 17600), a da Fabricação de Passamanarias e Sirgarias (CAE



1
 Ver Classificação da Indústria Têxtil de acordo com a Classificação das Actividades Económicas (CAE), na
página 10 e 11
CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                           9 de 51
17541) e a de Preparação e Fiação de Fibras Têxteis (CAE 17100), onde as exportações representam
menos de 20% das vendas.



                                                            Quadro 2
                                     Evolução da Balança Comercial de Produtos Têxteis, em 2002
    Ano                Exportações (1)          Importações (1)       Saldo comercial (1)    Tx de cobertura
    2000                       4.927                 3.311                  + 1.615               148,79%
    2001                       5.073                 3.307                  + 1.766               153,40%
    2002                       4.978                 3.200                  + 1.778               155,57%
              Fonte: CENESTAP, 2002
              (1)
                  valores em milhões de Euros


Classificação da Indústria Têxtil e Caracterização dos Subsectores
Classificação da Indústria Têxtil
A classificação da indústria têxtil em subsectores sofreu alterações ao longo dos anos. Até à Segunda
Guerra Mundial a divisão da indústria têxtil era realizada com base na matéria-prima utilizada
(algodão, lã, linho, seda, etc.), independentemente dos métodos de produção e da finalidade dos
produtos. Depois da Segunda Grande Guerra existiu uma desagregação da indústria têxtil, a qual
implicou que se considerasse os métodos de produção utilizada (divisão por processo, especialização
de funções,...), e a finalidade dos produtos.

Em Portugal, em termos estatísticos, o sector têxtil compreende sete subsectores diferentes,
excluindo-se as actividades associadas à produção das fibras têxteis, de acordo com a Classificação
de Actividades Económicas (CAE – Rev.2) a três dígitos.

O quadro seguinte apresenta os vários subsectores da indústria segundo a CAE (Rev.2) a cinco
dígitos, nomeadamente Têxtil Convencional; Malhas; Têxteis-Lar; Têxteis Técnicos; Cordoaria e
Redes; e Passamanarias, Sirgarias e Rendas.




CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                            10 de 51
                                                   Quadro 3
Classificação da Indústria Têxtil de acordo com a CAE (fonte: INE, Nomenclatura das Actividades Económicas)
Código                                                 Designação
171 00 Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
171 10         Preparação e Fiação de Fibras do Tipo Algodão
171 20         Preparação e Fiação de Fibras do Tipo Lã Cardada
171 30         Preparação e Fiação de Fibras do Tipo Lã Penteada
171 40         Preparação e Fiação de Fibras do Tipo Linho
171 50         Preparação e Fiação da Seda e Prepar. e Texturização de Filamentos Sintéticos e Artificiais
171 60         Fabricação de Linhas de Costura
171 70 Preparação e Fiação de Outras Fibras Têxteis

172 00 Tecelagem de Têxteis
172 10         Tecelagem de Fio do Tipo Algodão
172 20         Tecelagem de Fio do Tipo Lã Cardada
172 30         Tecelagem de Fio do Tipo Lã Penteada
172 40         Tecelagem de Fio do Tipo Linho
172 50 Tecelagem de Fio de Outros Têxteis

173 00 Acabamentos Têxteis
173 01 Branqueamento e Tingimento
173 02 Estampagem
173 03 Acabamento de Fios e Tecidos, n.e.

174 00 Fabricação de Artigos Confeccionados, excepto Vestuário

175 00 Outras Indústrias Têxteis
175 10 Fabricação de Tapetes e Carpetes
175 20 Fabricação de Cordoaria e Redes
175 21 Fabricação de Cordoaria
175 22 Fabricação de Redes
175 30 Fabricação de Não Tecidos e respectivos Artigos, excepto Vestuário
175 40 Outras Indústrias Têxteis, n.e.
175 41 Fabricação de Passamanarias e Sirgarias
175 42 Fabricação de Bordados
175 43 Fabricação de Rendas

175 44 Outras Indústrias Têxteis Diversas, n.e.
176 00 Fabricação de Tecidos e Malhas

177 00 Fabricação de Artigos de Malhas
177 10         Fabricação de Meias e Similares de Malha
177 20         Fabricação de Pulóveres, Casacos e Artigos Similares de Malha

CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                         11 de 51
Caracterização dos Subsectores

A indústria têxtil enquadra um conjunto de subsectores diferenciados não só em termos de produtos
fabricados, mas também em termos de estrutura empresarial dominante , dos mercados e
consumidores a que se dirige, entre outros aspectos relevantes. Neste sentido, procuramos descrever
de seguida as principais características e dinâmicas inerentes a cada um dos sete subsectores
considerados:
                                     Têxtil Convencional;
                                     Malhas;
                                     Têxteis-Lar;
                                     Têxteis Técnicos;
                                     Cordoaria e Redes;
                                     Passamanarias, Sirgarias e Rendas.


A análise e descrição dos vários subsectores considera a estrutura produtiva, o tipo de produtos
fabricados, os principais mercados e concorrentes externos e, também, as relações industriais
existentes através da utilização do modelo das cinco forças desenvolvido por Michael Porter.


       •      Subsector dos Têxteis Convencionais

O subsector dos Têxteis Convencionais é o mais antigo e de maior tradição na indústria têxtil, facto
que leva à incorrecta identificação da indústria têxtil com este subsector, que apresenta como
principais produtos os fios e tecidos produzidos a partir de matérias-primas naturais e não-naturais,
com a aplicação dos processos industriais de fiação, tecelagem e enobrecimento.


Em Portugal, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), existiam, em 1995,
1023 empresas de preparação e fiação de fibras, tecelagem e acabamento de tecido, responsáveis
por um volume de emprego de 61434 pessoas e por um volume de negócios próximo dos 2140
Milhões de Euro.


A estrutura empresarial deste subsector é dominada por empresas de pequena dimensão (até 50
trabalhadores) que representam 74% das unidades produtivas. Em simultâneo existe um pequeno
conjunto de empresas de grande dimensão (cerca de 25).


Em termos de localização geográfica são de salientar a região Norte de Portugal (com cerca de 80%
das empresas e do emprego) e a região Centro (com cerca de 14% das empresas e 17% do
emprego). Na região Norte laboram empresas sobretudo com o algodão, e que se encontram
localizadas principalmente na região do Vale do Ave (distritos de Braga e Porto). As empresas
situadas na região Centro trabalham essencialmente na indústria de lanifícios, na zona de Castelo
Branco e da Guarda (Centro interior de Portugal).

CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                         12 de 51
Em termos de mercados explorados, verificamos que as empresas especializadas em fiação
trabalham predominantemente para o mercado interno. As exportações de fios e Linhas são
sobretudo canalizadas para os países da EU, com destaque para a Alemanha, Reino Unido, Espanha,
França e a Itália. A maioria das empresas portuguesas produtoras de fios e linhas apresentam
dificuldades em acompanhar a evolução registada ao nível da qualidade e da inovação dos produtos,
o que tem originado uma perda de competitividade, com deslocação da procura junto de países
terceiros (Brasil, Egipto, Índia ou Paquistão) que disponibilizam produtos de baixo custo, e em países
comunitários, que oferecem produtos com maior valor acrescentado e cumprimento dos prazos de
entrega (fios diferenciados e inovadores).


Na produção de Tecidos (algodão, fibras sintéticas e artificiais), verifica-se uma elevada capacidade
de exportação, sendo Portugal o terceiro maior exportador europeu para o espaço intra-comunitário.
Os principais mercados de destino são: Alemanha, França, Itália, Reino Unido e Espanha. Para
alguns produtos específicos          existem outros mercados também de significativa importância, com
sejam, EUA, Angola, S. Tomé e Príncipe, Taiwan, China e Marrocos.


De seguida, procuraremos sintetizar as principais forças determinantes (segundo modelo de M.
Porter) da competitividade das empresas deste subsector no que se refere à existência de produtos
substitutos, ao poder dos fornecedores e dos clientes, à ameaça de novas empresas e à concorrência
no interior do subsector.




CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                          13 de 51
                                                        Figura 6
                                          Subsector dos Têxteis Convencionais
                                         (modelo das cinco forças de M. Porter)
                                           Poder dos fornecedores

Os fornecedores não apresentam um poder significativo, porém é relevante a:
       i)  Importância dos fornecedores de matérias-primas na qualidade do produto final e na inovação
           do produto;
       ii) Importância dos fornecedores de equipamentos e sistemas na inovação do processo.
                                             Poder dos clientes

Ao nível do poder dos clientes, são de salientar:
       i) A existência de um elevado número de clientes nacionais e internacionais;
       ii) O predomínio de alguma passividade face aos clientes;
       iii) A existência de pressões resultantes de alterações no comércio e na distribuição,
             nomeadamente em termos de dimensão das séries e do tempo de resposta;
       iv) A existência de um menor poder de negociação nos produtos diferenciados.
                                            Produtos substitutos

Existe alguma ameaça de produtos substitutos provenientes do subsector das malhas, associado a
tendências de moda e a uma maior informalidade no vestir.
                                            Entrantes potenciais

No que concerne à ameaça potencial de novas empresas ou entidades correlacionadas, estas podem ser
enquadradas em duas observações:
       i)  A intensidade capitalista e a existência de economias de escala nalguns processos (p.ex. na
           fiação) constituem barreiras à entrada.
       ii) As políticas de diferenciação diminuem as ameaças decorrentes do aparecimento de novas
           empresas.
                                           Concorrência no sector

A concorrência do sector é marcada pelos seguintes aspectos:
       i) Elevada concorrência nos mercados nacionais e internacionais;
       ii) Existência de um número elevado de empresas (PME´s), a par de um número reduzido de
            empresas de grande dimensão;
       iii) Reconhecimento da existência de empresas lideres de mercado de grande dimensão e inseridas
            em grupos económicos;
       iv) Coexistência de empresas especializadas e integradas;
       v) Predomínio da concorrência baseada no preço.
              fonte: INOFOR, A Indústria Têxtil em Portugal, Fevereiro 2000




CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                         14 de 51
       •      Subsector dos Têxteis-Lar

Em termos estatísticos não é fácil delimitar este subsector já que não lhe é atribuída nenhuma CAE
especifica. As empresas deste subsector aparecem assim distribuídas por diversas CAE. Este facto
dificulta a caracterização da estrutura empresarial com base em dados estatísticos. Assim, neste
subsector dos Têxteis-Lar incluem-se os têxteis para utilização doméstica que podem ser
classificados nos seguintes segmentos : atoalhados turcos (felpos), artigos de decoração, tapeçarias
e alcatifas, cobertores e colchas, roupa de mesa e lençóis.


Em Portugal, este subsector tem registado uma forte dinâmica empresarial, resultado do forte
crescimento da actividade exportadora, com um acréscimo no volume de vendas - nos últimos dez
anos - superior a 60%, bastante acima ao verificado para a restante indústria têxtil.


Em 2000, existiam em Portugal 170 empresas a laborar neste subsector, sendo algumas delas de
grande dimensão, a par de um grande numero de empresas de reduzida dimensão. Saliente-se que
um numero muito significativo destas pequenas empresas possuem um carácter artesanal (tapetes
artesanais) e essencialmente vocacionadas para o mercado interno.


Em termos de localização geográfica, este subsector apresenta uma elevada concentração de
empresas e de empregos na região Norte, nomeadamente, nos distritos de Braga e do Porto.


Actualmente, Portugal é o terceiro maior exportador mundial de Têxteis-Lar, encontrando-se nos
lugares cimeiros a China e o Paquistão respectivamente, mas a qualidade dos produtos oferecidos
por Portugal é substancialmente melhor do que os oferecidos por aqueles dois países da zona
asiática. Realce-se que a exportação crescente dos produtos portugueses deste subsector têm
acontecido pese embora o aumento do preço unitário dos artigos exportados, situando-se estes
produtos na gama média-alta e alta. No que diz respeito aos felpos, Portugal é o maior produtor
europeu, sendo que mais de 90% da produção nacional é exportada.


Este subsector exporta cerca de 80% da sua produção, tendo representado, em 1998, perto de 21%
do volume e de 16% do valor das exportações da indústria têxtil do país. Em termos de mercados
externos, os Países Nórdicos e os EUA procuram produtos de gama alta, enquanto que o Reino
Unido é identificado como um país que compra mais produtos de gama baixa, isto é, produtos de
qualidade média, com elevada percentagem de fibras não naturais.


Retomando o modelo de competitividade sectorial de Porter, podemos sistematizar as principais
forças determinantes das empresas do subsector dos Têxteis-Lar em Portugal (figura )




CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                        15 de 51
                                                        Figura 7
                                               Subsector dos Têxteis-Lar
                                          (modelo das cinco forças de M. Porter)
                                            Poder dos fornecedores

O poder dos fornecedores não apresentam um poder significativo, porém é relevante a:
              Importância da qualidade das matérias-primas e dos produtos intermédios na qualidade final
              dos produtos;
              Os fornecedores são o principal motor da mudança tecnológica de produto e de processos.
                                               Poder dos clientes

              Existência de um elevado número de clientes nacionais e internacionais;
              Pressões resultantes de alterações no comércio/distribuição.
                                             Produtos substitutos

A ameaça de produtos substitutos provenientes de outras indústrias ou subsectores não é significativa
em termos globais.
                                             Entrantes potenciais

A entrada de novas empresas é atenuada pela:
              Existência de barreiras à entrada decorrentes da necessidade de realização de elevados
              investimentos.
              Existência de diferenciação do produto.
                                            Concorrência no sector

A concorrência interna do subsector é caracterizada por:
              Estrutura de mercado dominada por um conjunto não muito vasto de empresas integradas,
              bem dimensionadas e com forte projecção internacional, coexistindo com um conjunto de
              pequenas unidades produtivas especializadas;
              Reduzida presença de capital estrangeiro;
               Mercado português dominado por empresas nacionais;
              Exploração crescente de nichos de mercado: produtos ecológicos e de características mais
              técnicas;
              Concorrência crescente, com base nos factores imateriais.
              fonte: INOFOR, A Indústria Têxtil em Portugal, Fevereiro 2000

       •      Subsector dos Malhas

As empresas deste subsector produzem tecidos de malha e artigos manufacturados em malha,
designadamente, meias e artigos similares de malha e pulóveres, casacos e artigos similares de
malha.


A esmagadora maioria das empresas deste subsector têm menos de 50 pessoas aos seu serviço (+
de 85%), existindo pouco mais de uma dezena de médias empresas. São as empresas de média
dimensão que absorvem perto de 60% do pessoal ao serviço no subsector. As pequenas empresas
representam 35% do emprego existente. Segundo dados do INE de 1995, existiriam perto de 1477
empresas neste subsector que empregariam 34755 pessoas, gerando um volume de vendas
superiores a 51 Milhões de Euros.

CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                         16 de 51
Em termos de localização geográfica, destaca-se a região Norte, nos distritos de Braga e do Porto,
onde se concentram 68% das empresas e mais de 80% do emprego disponível.


Quanto à especialização das exportações de malha, verifica-se que Portugal apresenta os valores
mais elevados da EU em relação às meias e similares (863) e aos pulóveres e artigos similares
(950,2). O país da EU que apresenta uma maior especialização relativa em tecidos de malha é a
Áustria (293,9). Os outros países se destacam no espaço europeu em termos de índice de exportação
relativa de tecidos e artigos de malha são a Itália (artigos confeccionados) e a Grécia (pulóveres e
artigos similares). Destaque para a posição da Turquia que no espaço extra comunitário apresenta os
valores mais elevados para os três conjuntos de produtos considerados (813,4 para os tecidos de
malha, 1233,5 para as meias e artigos similares e 1709,8 para os puloveres e similares.




CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                          17 de 51
                                                        Figura 8
                                                  Subsector das Malhas
                                          (modelo das cinco forças de M. Porter)
                                              Poder dos fornecedores

Os fornecedores não apresentam um poder significativo, sendo de referir a importância da:
              Qualidade final dos produtos;
              Mudança tecnológica de produto e de processo.
                                                Poder dos clientes

Ao nível do poder dos clientes, são de destacar:
              Existência de um elevado número de clientes nacionais e internacionais;
              Maior poder por parte dos grandes agentes e distribuidores internacionais;
              Pressões resultantes de alterações no comércio/distribuição;
              Menor poder dos clientes nos produtos diferenciados.
                                               Produtos substitutos

Existe alguma substituição entre os produtos deste subsector e os de outros subsectores da indústria
têxtil (têxteis convencionais) e de outras indústrias (vestuário de tecido).
                                               Entrantes potenciais
              A entrada é geralmente realizada por empresas provenientes da indústria do vestuário de
              malhas;
              As barreiras à entrada são superiores nos casos de empresas verticalizadas;
              A diferenciação do produto e a exploração de nichos de mercado reduzem as ameaças
              decorrentes dos novas entradas.
                                              Concorrência no sector

A concorrência do sector é marcada pelos seguintes aspectos:
              Existência de um número elevado de empresas, predominantemente de pequenas e de médias
              empresas;
              Existência de um conjunto de empresas bem dimensionadas, modernas, dinâmicas e
              competitivas;
              Elevada concorrência nos mercados nacionais e internacionais;
              Peso significativos da produção de gamas médias e baixas e da competitividade baseada no
              preço;
              Forte implantação de filiais produtivas de empresas multinacionais.
              fonte: INOFOR, A Indústria Têxtil em Portugal, Fevereiro 2000




       •      Subsector dos Têxteis-Técnicos

A grande heterogeneidade destes produtos têm uma utilização em áreas onde o desempenho técnico
é muito importante, o que constitui um factor distintivo face a outras aplicações têxteis finais, como
sejam, o vestuário e os Têxteis-Lar, onde os aspectos estéticos se sobrelevam.




CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                        18 de 51
As áreas de utilização e de aplicação dos têxteis técnicos situam-se em: Geotêxteis (Geotech);
Construção (Builtech); Transportes (Mobiltech); Desporto (Sporttech); Vestuário (Clothtech);
Habitação (Hometech); Indústria (Indutech); Medicina (Medtech); Agricultura (Agrotech); Ambiente
(Oekotech); Protecção (Protech); e Embalagem (Packtech).


Os têxteis técnicos podem ter uma forma final de fibras, fios e tecidos. A técnica de formação de
tecidos técnicos mais utilizada é a tecelagem, embora a aplicação das técnicas de   não-tecidos seja
crescente, sobretudo em produtos duradouros (geotêxteis, materiais de construção, componentes de
mobiliário), bem como, das técnicas de tricotagem e das técnicas de construção de materiais
compósitos.


O mercado europeu deste subsector tem sofrido grande expansão e dinamismo, representando mais
de 20% do consumo de fibras da indústria têxtil europeia, representando para a EU um subsector da
actividade económica de grande importância estratégica em virtude de permitir a conquista de uma
posição de liderança no mercado mundial.


Actualmente este subsector no âmbito internacional é caracterizado por um elevado nível de
concentração de empresas, com um conjunto de grandes empresas que exercem fortíssima pressão
e influência nos mercados internacionais.


A evolução que se regista neste subsector, com as empresas a diversificarem os seus produtos,
tecnologias e de práticas de inovação, coloca o desafio a algumas empresas de reforçarem o negócio,
especializando-se num tipo de cliente (numa das doze áreas de utilização já anteriormente referidas)
e nas suas necessidades.


Outra característica deste subsector é a forte orientação das empresas para o mercado, já que os
clientes e os utilizadores destes produtos revelam um profundo conhecimento dos artigos e exigem
soluções comerciais para problemas muito concretos (medicina, geotêxteis e indústria automóvel e
construção).


Em Portugal existe um pequeno número de empresas, sendo por isso o seu peso na indústria têxtil
diminuto, verificando-se uma especialização    num tipo de produto (por exemplo, feltros) ou num
conjunto reduzido de produtos que utilizem as mesmas técnicas produtivas (por exemplo, entretelas, e
geotêxteis produzidos através da técnica de       não-tecidos).


È importante referir que algumas das tendências que se verificam a nível internacional podem ser
constatadas em Portugal, apesar da relativa juventude e da reduzida dimensão de empresas
existentes. A industria automóvel tem impelido à constituição de cadeias de fornecimento, fazendo
com que as empresas deste subsector tenham procedido à aquisição de empresas concorrentes,
gerando um processo de concentração de empresas.

CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                        19 de 51
Dado o fraco desenvolvimento deste subsector em Portugal, a análise da competitividade não será
feito no modelo das cinco forças determinantes de Porter.


       •      Subsector da Cordoaria e Redes

O subsector português da cordoaria e redes produz cordas, cabos, cordéis, redes, multifilamentos e
sacos e artigos que são utilizados na agricultura, na indústria, e na actividade marítima e que são
produzidos a partir de matérias-primas como o polipropileno, o polietileno, o nylon, o sisal e outras
fibras naturais e o aço. Este subsector é considerado o mais avançado tecnologicamente da Europa.
Com efeito, em Portugal existem empresas líderes, a nível europeu e mundial, apetrechadas com a
tecnologia mais avançada e com elevadas quotas no mercado internacional.


Existem em Portugal poucas empresas (perto de 50), com predomínio para as empresas de pequena
dimensão (menos de 50 trabalhadores) que representam 75% do conjunto das empresas existentes
neste subsector. Porém, a grande maioria das empresas (80%) apresenta uma estrutura produtiva
artesanal, designadamente aquelas que produzem redes finas para a pesca. As empresas com
vocação industrial e bem estruturadas (num número inferior a 20), encontram-se cerca de uma dúzia
de empresas de cordoaria e cabos de aço de média e grande dimensão e três empresas produtoras
de redes grossas.


Em termos de emprego são as grandes empresas que absorvem a metade dos profissionais deste
subsector, que se situa por volta dos cinco mil trabalhadores.


Apenas encontramos unidades produtivas em três regiões de Portugal: Norte, Centro e Lisboa e Vale
do Tejo, com maior incidência na região Norte que engloba perto de 45% das empresas e mais de
70% do emprego. Em termos de distritos são de salientar Aveiro (Espinho e Cortegaça) e o Porto
(Porto, Maia e Póvoa de Varzim).


As vendas deste subsector têm um forte pendor exportador (85% na produção de cordoaria, redes e
sacaria e cerca de 50% na produção de cabos de aço), estimando-se que Portugal disponha de uma
capacidade de produção instalada, nomeadamente em cordoaria, suficiente para satisfazer cerca de
50% das necessidades de consumo da Europa. As exportações de redes e cordas representaram 4
Milhões de Euros (fonte: INE, 1997), mais de metade das vendas do subsector.


Os maiores consumidores de cordas e redes são os países da EU que absorvem cerca de 80% da
produção portuguesa destes artigos, salientando a Holanda, A França e o Reino Unido. Em termos de
mercados não europeus destacam-se o Canadá e os EUA.


A figura seguinte, procura sistematizar as forças determinantes da competitividade das empresas
neste subsector.


CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                         20 de 51
                                                        Figura 9
                                             Subsector da Cordoaria e Redes
                                          (modelo das cinco forças de M. Porter)
                                            Poder dos fornecedores

O poder dos fornecedores é sentido no caso das matérias-primas naturais (decorrente por exemplo, do
sisal ser produzido quase exclusivamente no Brasil) e sintéticas (decorrente de fenómenos de
cartelização)
                                               Poder dos clientes

Ao nível do poder dos clientes, é de salientar:
              A existência de algum poder por parte dos grossistas internacionais, que as empresas do
              subsector têm procurado atenuar.
                                             Produtos substitutos

A ameaça de surgimento de produtos substitutos produzidos por outras indústrias não é sentida por
parte das empresas deste subsector.
                                             Entrantes potenciais

A intensidade capitalística constituí a maior barreira à entrada neste subsector.
                                            Concorrência no sector

A concorrência do sector é marcada pelos seguintes aspectos:
              Existência de um numero reduzido de empresas;
              Existência de uma elevada capacidade produtiva instalada;
              Elevada concorrência entre empresas portuguesas nos mercados;
              Existência de práticas de concorrência desleal por parte de alguns países concorrentes;
              Realização de elevados esforços de modernização tecnológica, de aposta na qualidade e de
              aproximação ao cliente final.
              fonte: INOFOR, A Indústria Têxtil em Portugal, Fevereiro 2000



       •      Subsector das Passamanarias, Sirgarias e Rendas

Este subsector produz um conjunto variado de artigos, utilizados na produção de vestuário e têxteis-
lar, nomeadamente, fitas, etiquetas, emblemas, elásticos e as rendas industriais. Existe um número
diminuto de empresas neste subsector, abaixo das trinta, sendo a grande maioria (80%) ligadas a
empresas de passamanarias e sirgarias e as restantes à fabricação de rendas, com dimensão abaixo
dos 50 trabalhadores. As pequenas empresas são responsáveis por metade do emprego deste
subsector.


Em termos de localização geográfica do emprego este encontra-se predominantemente concentrado
na região Norte.

CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                         21 de 51
Estas empresas têm um volume de exportação diminuto, sendo a quase totalidade da sua produção
destinada ao mercado interno. A importação dos produtos e artigos deste subsector representam um
valor de cinco vezes mais das exportações realizadas. Os principais países clientes e fornecedores
destes produtos situam-se na EU, destacando-se a Espanha, Reino Unido, Alemanha, França e a
Itália.


                                                        Figura 10
                                     Subsector das Passamanarias, Sirgarias e Rendas
                                         (modelo das cinco forças de M. Porter)
                                            Poder dos fornecedores

O poder dos fornecedores não constitui uma preocupação significativa para as empresas deste
subsector.
                                               Poder dos clientes

Ao nível do poder dos clientes, são de salientar:
              A existência de um elevado número de clientes internos;
              O predomínio de uma atitude passiva face aos clientes.
                                             Produtos substitutos

A ameaça de produtos substitutos não é sentida de forma significativa.
                                             Entrantes potenciais

As barreiras à entrada neste subsector estão associadas aos investimentos necessários à criação de
novas empresas (que são superiores quanto maior for a integração vertical) e à existência de líderes
reconhecidos no mercado.
                                            Concorrência no sector

A concorrência do sector é marcada pelos seguintes aspectos:
              Existência de um número reduzido de empresas, todas de pequena dimensão ;
              Existência de líderes reconhecidos no mercado;
              Existência de empresas de capital estrangeiro;
               Reduzida concorrência entre empresas nacionais, sendo geralmente a concorrência
              proveniente de países com baixos custos de mão-de-obra.
              fonte: INOFOR, A Indústria Têxtil em Portugal, Fevereiro 2000




CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                       22 de 51
Práticas de Gestão de Recursos Humanos
A maioria das empresas do sector têxtil não efectua o planeamento das necessidades de mão-de-
obra. Deste modo, as necessidades de provimento de profissionais, de redução, transferência ou de
formação profissional tendem a ser realizadas de modo avulso e contingente às situações do
quotidiano.


As práticas de gestão de recursos humanos existentes nas empresas do sector têxtil, são muito
diversificadas, estando relacionadas com o tipo de actividade económica, a dimensão das empresas e
a localização geográfica das mesmas. Na maior parte das empresas de pequena e média dimensão,
são os próprios proprietários que intervêm directamente na gestão das pessoas, nomeadamente no
recrutamento, na selecção e, sobretudo na definição dos critérios de compensações e incentivos.


A denominada “função pessoal”, na maioria das empresas, está diluída na área funcional da gestão
financeiro e administrativa, sendo que a “gestão dos recursos humanos”, se resume à aplicação da
regulamentação jurídica do trabalho (processamento de salários, pagamentos à Segurança Social e
Finanças, controlo de entradas e saídas, justificação de faltas, marcação de férias, procura de
candidatos, formulação de contratos de trabalho, etc.


Porém, nos últimos anos, tem-se assistido a um incremento na organização dos recursos humanos,
nas empresas, com a atribuição de competências e responsabilidades a um técnico especialmente
vocacionado para o efeito, nomeadamente, nos domínios da formação, novas formas de trabalho,
avaliação de desempenho, etc..




Recrutamento e selecção

De uma forma geral, os critérios de recrutamento utilizados pelas empresas são formalmente pouco
exigentes e objectivos e reflectem o modelo de informalidade e proximidade na captação e retenção
da maioria dos profissionais, designadamente ao nível da área da produção.


Consoante a dimensão da empresa, o processo de recrutamento e de selecção poderá ser da
responsabilidade do proprietário da empresa, da chefia directa onde a pessoa vai ser integrada, de
um técnico da área administrativa ou de um técnico vocacionado para a “gestão de pessoal”. No
entanto, a ultima palavra, geralmente, é sempre do proprietário ou de alguém indicado por este.


No que diz respeito às fontes de recrutamento utilizadas pela maioria das empresas, portuguesas,
constata-se que o recrutamento interno é o meio privilegiado, nomeadamente ao nível das chefias
directas e intermédias (promoções ou mudanças de posto de trabalho). No recrutamento externo as

CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                          23 de 51
fontes utilizadas são diversas, que podem passar pela aceitação de candidaturas espontâneas (ao
nível dos operários), de conhecimento informal junto do pessoal interno, de familiares ou de amigos
para indicação de pessoas potencialmente interessadas, de indagação e articulação com os centros
de emprego, centros de formação profissional, escolas profissionais, entre outras fontes. De acordo
com o estudo efectuado pelo INOFOR em 2200 (p.63)2 poucas empresas recorrem a empresas
especializadas de recrutamento e selecção.


Relativamente às formas de selecção, a maioria das empresas utiliza procedimentos informais, que
geralmente passa por “entrevista” presencial, dando-se importância às referências trazidas ou obtidos
sobre          o potencial trabalhador, nomeadamente, a experiência profissional, idade, habilitações,
distancia residência/emprego, disponibilidade para o trabalho em turnos, etc.., passando depois pela
realização de testes psicotécnicos (designadamente os oriundos dos centros de emprego). É
interessante realçar, que nalgumas empresas para trabalhos indiferenciados ou pouco especializados
( a nível de operadores), um dos critérios de selecção passa pela ausência de experiência
profissional, devido à preferência por pessoas sem vícios acumulados e porque os postos de trabalho
disponíveis não justificam mão-de-obra qalificada.




Formação

De uma forma geral as empresas tendem a optar pela “formação” interna, geralmente para os
profissionais com níveis de escolaridade baixa, que se caracteriza por serem de curta duração, com
recurso ao método demonstrativo, especifico de cada posto de trabalho, adaptados às características
da mão-de-obra existente e às necessidades mais urgentes da organização ou do grupo de trabalho.
Este tipo de formação geralmente é ”transmitido” por um(a) trabalhador(a) mais experiente, com a
supervisão da chefia directa. Nalgumas empresas com características familiares, o recurso à
formação é pouco frequente, especialmente para a área da produção.


Igualmente, se verifica que existem empresas que devido à especificidade da sua produção, do tipo
de ajustamento e afinações das máquinas com que trabalham, da rotatividade nos postos de trabalho,
entre outros aspectos, desenvolvem a sua própria “formação”, em virtude de não existir formação
especifica para determinados trabalhos.


As empresas de média dimensão geralmente têm um plano de formação formalizado e algumas delas
recorrem a co-financiamentos de fundos comunitários (FSE, RETEX, IMIT, PEDIP,..). Neste planos de
formação, abrange-se os domínios comportamental, destinados sobretudo às chefias e quadros
superiores, e no domínio técnico para os profissionais das respectivas áreas funcionais. Na maioria
destas empresas, a formação é dada pelas chefias intermédias dessas áreas de trabalho e, por

2
 VALENTE, A. Cláudia, et al. – A Indústria Têxtil em Portugal. – Lisboa: INOFOR Instituto para a Inovação na Formação, 2000. ISBN
972-97579-7-6
CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                      24 de 51
vezes, recorre-se a formadores externos principalmente, ligados aos centros de formação profissional
e tecnológicos.




Oferta de Formação (níveis II e III)

No sentido de se identificar alguns dos principais défices de qualificação profissional em Recursos
Humanos no Sector do Têxtil, em Portugal, em relação a alguns perfis profissionais existentes no
Sector (maioritariamente nos níveis II e III), recorremos ao estudo de Fevereiro de 2002, editado pelo
Gabinete do PROINOV ( Programa Integrado de Apoio à Inovação) na directa dependência da
Presidência do Conselho de Ministros de Portugal 3.


Os défices de formação identificados são disponibilizados de duas formas: por níveis de qualificação
(nível superior, intermédio e nível II) e por megacluster (Habitat e Moda). Obviamente que a
apresentação dos défices é incompleta, esperando-se que seja disponibilizada brevemente mais
informações actualizada sobre os mesmos, nomeadamente nas qualificações de nível superior.


A apresentação da informação está organizada em quadros, podendo-se identificar em cada um deles
o perfil profissional construído, a correspondência com a CNP (Classificação Nacional de Profissões),
as áreas de formação oferecidas e as áreas de formação em défice.


Note-se, que desde o final de 2001 data em que se finalizou este estudo, até ao presente momento,
tem-se constatado uma maior diversidade da oferta de formação, por parte dos agentes sectoriais do
Sector Têxtil, decorrente das necessidades identificadas. Sugerimos a leitura das informações
insertas na Base de Dados sobre as organizações portuguesas que se dedicam à educação e à
formação profissional (“organization of training”) para se compreender melhor a oferta de formação
existente no momento presente (ano de 2004).


Sublinhe-se que a metodologia de clusters foi utilizada no estudo, emergindo desta maneira a inter-
relação entre empresas e entidades produtoras e difusoras de conhecimento, com o objectivo de
construírem novas competências e novos factores competitivos e aumentar o valor acrescentado.




3
 Rodrigues, Maria João et al. (2002). Prioridades para os Recursos Humanos em Portugal. Lisboa: Gabinete do PROINOV – Presidência
do Conselho de Ministros.
CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                   25 de 51
      Educação e Formação segundo Níveis de Qualificação
      (por Mega Cluster de Actividade)

              Educação e Formação ao Nível Médio
Mega Cluster: HABITAT                                      CAE:
Cluster:      TÊXTIL LAR                                   172 -Tecelagem de Têxteis (P) – têxteis lar
                                                           175.1 – Fabricação de tapetes e carpetes
                                                           175.30 - Fabricação de não Tecidos e Respectivos Artigos, excepto Vestuário (P)
                                                           175.41 – Fabricação de Passamanarias e Sirgarias
                                                           175. 41 – Fabricação de Bordados

     PERFIS                                   CNP                      ÁREAS DE FORMAÇÃO                     ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                           OFERECIDAS

Colorista*                                                         542.002.0-C                           Défice de formação inicial e contínua relacionada
(Nível III)                                                        Afinação de cores                     com:
                                                                   542.007.0-C                           •    A inovação da gama de cores em função dos
                                                                   Colorimetria                               materiais, das tendências da moda e da
                                                                                                              estratégia comercial da empresa
                                                                                                         •    Harmonia de cores
                                                                                                         •    Colorimetria
                                                                                                         •    A cooperação (com clientes, área da
                                                                                                              produção, de concepção,...)
                                                                                                         •    Tecnologias especificas às cozinhas de cor

Mega Cluster: HABITAT                                       CAE:
Cluster:      TÊXTIL LAR                                    172 -Tecelagem de Têxteis (P) – têxteis lar
                                                            175.1 – Fabricação de tapetes e carpetes
                                                            175 .30 - Fabricação de não Tecidos e Respectivos Artigos ,excepto Vestuário (P)
                                                            175.41 – Fabricação de Passamanarias e Sirgarias
                                                            175. 41 – Fabricação de Bordados

     PERFIS                                   CNP                      ÁREAS DE FORMAÇÃO                     ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                           OFERECIDAS

Técnico de debuxo *             Debuxador                          542.039.0-C                           Défice de formação contínua relacionada com as
(Nível III)                                                        Debuxo                                seguintes áreas:
                                                                   542.080.0-C                           •    Novos materiais
                                                                   Técnicas de debuxo                    •    Compra de matérias-primas (capacidade de
                                                                                                              avaliar fornecedores em função das
                                                                                                              especificidades técnicas e das matérias-primas
                                                                                                              pretendidas,..)
                                                                                                         •    Utilização de sistemas CAD
                                                                                                         •    Novas estruturas em função das tendências de
                                                                                                              moda


Mega Cluster: HABITAT                                       CAE:
Cluster:      TÊXTIL LAR                                    172 -Tecelagem de Têxteis (P) – têxteis lar
                                                            175.1 – Fabricação de tapetes e carpetes
                                                            175.30 - Fabricação de não Tecidos e Respectivos Artigos ,excepto Vestuário (P)
                                                            175.41 – Fabricação de Passamanarias e Sirgarias
                                                            175. 41 – Fabricação de Bordados

     PERFIS                                   CNP                      ÁREAS DE FORMAÇÃO                     ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                           OFERECIDAS

Afinador de teares              8.2.6.2.05 - Afinador de teares    521.002.0-C                           Não existem défices de formação
(Nível III)                     8.2.6.2.15    -    Afinador     de Afinação de teares
                                máquinas de malha                  521.003.0-C
                                                                   Afinação de teares circulares
                                                                   521.004.0-C
                                                                   Afinação de teares de tecelagem
                                                                   521.061.0-C
                                                                   Manutenção afinadores
                                                                   521.123.3-I
                                                                   Técnico afinador de teares de malha

Mega Cluster: HABITAT                                      CAE:
      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                                     26 de 51
Cluster:        TÊXTIL LAR                                172 -Tecelagem de Têxteis (P) – têxteis lar
                                                          175.1 – Fabricação de tapetes e carpetes
                                                          175.30 - Fabricação de não Tecidos e Respectivos Artigos ,excepto Vestuário (P)
                                                          175.41 – Fabricação de Passamanarias e Sirgarias
                                                          175. 41 – Fabricação de Bordados

      PERFIS                                     CNP                       ÁREAS DE FORMAÇÃO                    ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                                              OFERECIDAS

Técnico de fiação               Encarregado – preparação de fibras 542.087.3-I                                Défice de formação contínua com actualização
(Nível III)                     8.2.6.1.80 – Encarregado – fiação, Técnico de fiação                          dos saberes-fazeres técnicos ao nível:
                                torção e bobinagem                                                            •     dos novos produtos (fios e cordas)
                                                                                                              •     matérias-primas       (fibras)   e   suas
                                                                                                                    características e propriedades
                                                                                                              •     tecnologias da produção
                                                                                                              •     processo de produção (sistemas de fiação)
                                                                                                              •     gestão e controlo da produção
                                                                                                              •     organização e métodos
                                                                                                              •     novas TIC
                                                                                                              •     HST
                                                                                                              •     Qualidade
                                                                                                              •     Formação comportamental


Mega Cluster: HABITAT                                     CAE:
Cluster:      TÊXTIL LAR                                  172 -Tecelagem de Têxteis (P) – têxteis lar
                                                          175.1 – Fabricação de tapetes e carpetes
                                                          175.30 - Fabricação de não Tecidos e Respectivos Artigos ,excepto Vestuário (P)
                                                          175.41 – Fabricação de Passamanarias e Sirgarias
                                                          175. 41 – Fabricação de Bordados

      PERFIS                                     CNP                      ÁREAS DE FORMAÇÃO                     ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                                             OFERECIDAS

Técnico de tecelagem            8.2.6.2.80 – Encarregado – afinadores, 215.061.0-C Tecelagem                Défice de formação contínua com actualização
(Nível III)                     preparadores e operadores de teares    543.063.3-I Técnico de tecelagem     dos saberes-fazeres técnicos ao nível:
                                                                                                            • dos produtos (tipos e estruturas de malha)
                                                                                                            • matérias-primas (fios e fibras) e suas
                                                                                                              características
                                                                                                            • tecnologias e processos de produção
                                                                                                            • gestão e controlo da produção
                                                                                                            • organização e métodos
                                                                                                            • novas TIC
                                                                                                            • HST
                                                                                                            • Qualidade
                                                                                                            • Formação comportamental


Mega Cluster: HABITAT                                     CAE
Cluster:      TÊXTIL LAR                                  172 -Tecelagem de Têxteis (P) – têxteis lar
                                                          175.1 – Fabricação de tapetes e carpetes
                                                          175.30 - Fabricação de não Tecidos e Respectivos Artigos ,excepto Vestuário (P)
                                                          175.41 – Fabricação de Passamanarias e Sirgarias
                                                          175. 41 – Fabricação de Bordados

        PERFIS                             CNP             ÁREAS DE FORMAÇÃO                             ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                              OFERECIDAS
Designer têxtil *                                                                              Necessidade de desenvolver formação profissional, inicial e
(Nível III)                                            214.005.3-I                             contínua, que contemple um conjunto de novas competências
                                                       Curso de arte e design têxtil           especificas aos materiais e produtos deste sector, relacionadas
                                                       214.006.3-I                             com:
                                                       Curso de artes têxteis                  •    Novas matérias-primas
                                                       214..034.0-C                            •    Desenvolvimento de produtos específicos a diferentes
                                                       Design técnico para têxtil lar               mercados-alvo
                                                       214.049.0-C                             •    Tendências de moda
                                                       Técnico especialista de design têxtil   •    Interpretação das necessidades e gostos dos clientes
                                                                                               •    Cooperação (com clientes, área da produção, concepção
                                                                                                    de produtos, comercial/marketing, qualidade...)
                                                                                               •    Línguas estrangeiras


Mega Cluster: HABITAT                                     CAE
      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                                       27 de 51
Cluster:        TÊXTIL LAR                             172 -Tecelagem de Têxteis (P) – têxteis lar
                                                       175.1 – Fabricação de tapetes e carpetes
                                                       175.30 - Fabricação de não Tecidos e Respectivos Artigos ,excepto Vestuário (P)
                                                       175.41 – Fabricação de Passamanarias e Sirgarias
                                                       175. 41 – Fabricação de Bordados

        PERFIS                  CNP                   ÁREAS DE FORMAÇÃO                      ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                            OFERECIDAS
Técnico de acabamentos 8.2.6.4.72 –                Não foi identificada formação Défice de formação contínua com actualização dos saberes-
*                      Encarregado –               específica                    fazeres técnicos ao nível:
(Nível III)            tratamento de                                             •     dos novos produtos (fios, tecidos e malhas)
                       produtos têxteis                                          •     das novas matérias-primas (fibras) e suas características
                                                                                 •     tipos de produtos de acabamentos e suas características
                                                                                 •     das tecnologias da produção
                                                                                 •     da gestão e controlo da produção, utilização de novas TIC
                                                                                 •     da HST
                                                                                 •     da Qualidade
                                                                                 •     da formação comportamental


Mega Cluster: HABITAT                                  CAE
Cluster:      TÊXTIL LAR                               172 -Tecelagem de Têxteis (P) – têxteis lar
                                                       175.1 – Fabricação de tapetes e carpetes
                                                       175.30 - Fabricação de não Tecidos e Respectivos Artigos ,excepto Vestuário (P)
                                                       175.41 – Fabricação de Passamanarias e Sirgarias
                                                       175. 41 – Fabricação de Bordados

         PERFIS                            CNP         ÁREAS DE FORMAÇÃO                           ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
    PROFISSIONAIS                                            OFERECIDAS
Técnico de                                         542.094.3-I      Técnico de         Défice de formação contínua com actualização dos saberes-
tinturaria/estamparia *                            tinturaria e estamparia             fazeres técnicos ao nível:
(Nível III)                                                                            • dos novos produtos (fios, tecidos e malhas)
                                                                                       • das novas matérias-primas (fibras) e suas características
                                                                                       • tipos de produtos de tinturaria e estamparia (corantes,
                                                                                         espessantes...) e suas características
                                                                                       • das tecnologias da produção
                                                                                       • da gestão e controlo da produção, utilização de novas TIC
                                                                                       • da HST
                                                                                       • da Qualidade
                                                                                       • da formação comportamental
      Notas:
           •      A oferta formativa inserida na coluna 3 está referenciada na publicação da CIME “Oferta Formativa 2000” e foi desenvolvida nos
                  anos lectivos 1999/200 e 2000/2001, pelo que pode já não existir.
            • Pelo facto de considerarmos importante as fases de acabamento/tinturaria e estamparia nos têxteis-lar, incluímos neste cluster os
                  perfis correspondentes a essas áreas (técnico de acabamento, técnico de tinturaria/estamparia, operador de máquinas de preparação
                  e acabamentos, operador de máquinas de preparação e estamparia e operador de máquinas de preparação e tinturaria)
            • Pelo facto de muitas empresas de têxteis-lar integrarem as fases de fiação e tecelagem incluímos, igualmente neste cluster, os
                  perfis associados à fiação (técnico de fiação e operador de preparação e fiação).
            • A CAE 175. 41 – Fabricação de Bordados está errada sendo: 175. 42 – Fabricação de Bordados
      *Perfis estratégicos ao cluster HABITAT. ** CAEs não consideradas nos estudos elaborados pelo INOFOR




      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                                  28 de 51
      Mega Cluster MODA
Mega Cluster: MODA                                         CAE
Cluster:      TÊXTIL / VESTUÁRIO                           182 – Confecção de Outros Artigos e acessórios de Vestuário



      PERFIS                                 CNP                        ÁREAS DE FORMAÇÃO                     ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                                           OFERECIDAS

 Modelista *                    3.4.7.1.05                        542.051.0-C - Modelação de vestido  e Reforço de formação inicial e contínua de
(Nível III)                     Desenhador modelista indústrial   camisa                                qualificação capaz de sustentar uma
                                3.4.7.1.15                        542.052.0-C - Modelação de vestuário  mobilidade intersectorial em sectores cujas
                                Modelista                         542.054.0-C - Modelação, corte      e afinidades do processo produtivo, dos produtos
                                                                  confecção                             ou das matérias-primas o permitam (calçado...).
                                                                  542.055.0-C - Modelação, corte      e Neste sentido será necessário reforçar
                                                                  confecção de calças, saias e vestidos competências ao nível:
                                                                  542.056.0-C - Modelação, corte      e •     Das novas matérias-primas, materiais e
                                                                  confecção de casacos                        novos produtos
                                                                  542.057.0-C - Modelagem               •     De colecções integradas (vestuário,
                                                                  542.058.0-C - Modelagem / estilismo         calçado, têxtil...)
                                                                  542.059.0-C - Modelagem criança       •     De modelação de calçado
                                                                  542.060.0-C - Modelagem de homem      •
                                                                  542.062.0-C - Modelagem lingerie      Desenvolvimento de formação inicial de
                                                                  542.090.0-C - Técnico de modelação de qualificação favorecendo a criação do próprio
                                                                  confecção                             emprego e a diversificação de saídas
                                                                  542.091.3-I - Técnico de modelação e profissionais. Desta forma é necessário reforçar
                                                                  confecção                             competências relacionadas com:
                                                                                                        •     A área comercial (novos mercados,
                                                                                                              determinados produtos, gostos dos
                                                                                                              clientes...)
                                                                                                        •     A cooperação (com a área comercial,
                                                                                                              qualidade, produção,....)
                                                                                                        •     Tecnologia (CAD e tecnologia da
                                                                                                              produção)
                                                                                                        •     qualidade
                                                                                                        Desenvolvimento de formação contínua de
                                                                                                        especialização em determinados produtos e
                                                                                                        mercados.


Mega Cluster: MODA                                         CAE
                                                           182 – Confecção de Outros Artigos e acessórios de Vestuário
Cluster:        TÊXTIL / VESTUÁRIO


      PERFIS                                 CNP                        ÁREAS DE FORMAÇÃO                     ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                                           OFERECIDAS

Chefe de linha ou chefe 7.4.3.6.25 - Chefe de linha ou 345.078.0-C - Gestão, organização e                  Desenvolvimento de formação contínua de
de grupo                chefe de grupo                 controlo da produção                                 qualificação com actualização dos saberes-
(Nível III)                                            345.085.0-C - Organização de pessoal                 fazer técnicos relacionados com:
                                                       345.086.0-C - Organização do trabalho                •     novos produtos, materiais e matérias-
                                                       345.089.0-C - Organização e gestão da                      primas
                                                       produção                                             •     manutenção (novas tecnologias de
                                                       345.092.0-C - Organização e gestão de                      produção)
                                                       equipas                                              •     cooperação (com as áreas da qualidade,
                                                       345.094.0-C - Organização e preparação                     concepção e desenvolvimento do
                                                       do trabalho                                                produto,...)
                                                       345.095.0-C - Organização e rotinas do               •     organização do trabalho
                                                       quotidiano                                           •     novas tecnologias de informação e
                                                       345.097.0-C - Planeamento controlo de                      comunicação de forma a facilitar a gestão
                                                       produção                                                   da produção
                                                       345.098.0-C - Planeamento da produção                •     HST
                                                       345.097.0-C      -    Planeamento     e
                                                                                                            •     qualidade
                                                       organização do trabalho
                                                                                                            •     formação comportamental
                                                       345.117.0-C - Supervisor fabril
                                                       345.135.3-I - Técnico de planeamento e
                                                       gestão da produção




      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                                    29 de 51
Mega Cluster: MODA                                          CAE
Cluster:      TÊXTIL / VESTUÁRIO                            247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
                                                            171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                            172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                            173 – Acabamentos Têxteis
                                                            176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                            177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                            183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                            curtumes e calçado)
                                                            175.43 – Fabricação de Rendas

     PERFIS                                      CNP                           ÁREAS DE FORMAÇÃO                   ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                                   OFERECIDAS

Colorista *                                                                542.002.0-C - Afinação de cores       Défice de formação inicial e contínua
(Nível III)                                                                542.007.0-C - Colorimetria            relacionada com:
                                                                                                                 •     A inovação da gama de cores em função
                                                                                                                       dos materiais, das tendências da moda e
                                                                                                                       da estratégia comercial da empresa
                                                                                                                 •     Harmonia de cores
                                                                                                                 •     Colorimetria
                                                                                                                 •     A cooperação (com clientes, área da
                                                                                                                       produção, de concepção,...)
                                                                                                                 •     Tecnologias especificas às cozinhas de
                                                                                                                       cor



Mega Cluster: MODA                                                CAE
Cluster:      TÊXTIL / VESTUÁRIO                                  247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
                                                                  171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                                  172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                                  173 – Acabamentos Têxteis
                                                                  176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                                  177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                                  183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                                  curtumes e calçado)
                                                                  175.43 – Fabricação de Rendas

     PERFIS                                      CNP                           ÁREAS DE FORMAÇÃO                   ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                                   OFERECIDAS

Técnico de debuxo *             3.4.7.1.30 -                               542.039.0-C - Debuxo                  Défice de formação contínua relacionada com
(Nível III)                     Debuxador                                  542.079.0-C - Técnicas de debuxo      as seguintes áreas:
                                                                                                                 •     Novos materiais
                                                                                                                 •     Compra de matérias-primas (capacidade
                                                                                                                       de avaliar fornecedores em função das
                                                                                                                       especificidades técnicas e das matérias-
                                                                                                                       primas pretendidas,..)
                                                                                                                 •     Utilização de sistemas CAD
                                                                                                                 •     Novas estruturas em função das
                                                                                                                       tendências de moda


Mega Cluster: MODA                                          CAE
Cluster:      TÊXTIL / VESTUÁRIO                            247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
                                                            171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                            172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                            173 – Acabamentos Têxteis
                                                            176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                            177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                            183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                            curtumes e calçado)
                                                            175.43 – Fabricação de Rendas

     PERFIS                                      CNP                         ÁREAS DE FORMAÇÃO OFERECIDAS                     ÁREAS DE FORMAÇÃO EM
  PROFISSIONAIS                                                                                                                      DÉFICE

Afinador de teares              8.2.6.2.05 - Afinador de teares            521.002.0-C -Afinação de teares                   Não existem défices de formação
(Nível III)                                                                521.003.0-C -Afinação de teares circulares

                                8.2.6.2.15 - Afinador de máquinas de 521.004.0-C -Afinação de teares de tecelagem
      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                                        30 de 51
     PERFIS                                     CNP                   ÁREAS DE FORMAÇÃO OFERECIDAS                     ÁREAS DE FORMAÇÃO EM
  PROFISSIONAIS                                                                                                               DÉFICE

                               malha                                521.006.0-C -Afinação e manutenção de
                                                                    máquinas
                                                                    521.061.0-C -Manutenção afinadores
                                                                    521.122.3-I -Técnico afinador de máquinas
                                                                    têxteis
                                                                    521.123.3-I -Técnico afinador de teares de malha


Mega Cluster: MODA                                      CAE
Cluster:      TÊXTIL / VESTUÁRIO                        247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
                                                        171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                        172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                        173 – Acabamentos Têxteis
                                                        176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                        177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                        183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                        curtumes e calçado)
                                                        175.43 – Fabricação de Rendas

        PERFIS                            CNP             ÁREAS DE FORMAÇÃO                  ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                                 OFERECIDAS
Técnico de fiação              7.4.3.1.55 – Encarregado – 542.042.0-C – Fiação   Défice de formação contínua com actualização dos saberes-
(Nível III)                    preparação de fibras       542.087.3-I Técnico de fazeres técnicos ao nível:
                               8.2.6.1.80 – Encarregado – fiação                 •     dos novos produtos (fios e cordas)
                               fiação, torção e bobinagem                        •     matérias-primas (fibras) e suas características e
                                                                                       propriedades
                                                                                 •     tecnologias da produção
                                                                                 •     processo de produção (sistemas de fiação)
                                                                                 •     gestão e controlo da produção
                                                                                 •     organização e métodos
                                                                                 •     novas TIC
                                                                                 •     HST
                                                                                 •     Qualidade
                                                                                 •     Formação comportamental


Mega Cluster: MODA                                      CAE
Cluster:      TÊXTIL / VESTUÁRIO                        247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
                                                        171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                        172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                        173 – Acabamentos Têxteis
                                                        176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                        177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                        183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                        curtumes e calçado)
                                                        175.43 – Fabricação de Rendas

        PERFIS                            CNP             ÁREAS DE FORMAÇÃO                        ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                OFERECIDAS
Técnico de tecelagem           8.2.6.2.80 – Encarregado – Não     foi     identificada Défice de formação contínua com actualização dos saberes-
(Nível III)                    afinadores, preparadores e formação específica          fazeres técnicos ao nível:
                               operadores de teares                                    •     dos produtos
                                                                                       •     matérias-primas (fios e fibras) e suas características
                                                                                       •     tecnologias da produção
                                                                                       •     processos de produção
                                                                                       •     gestão e controlo da produção
                                                                                       •     organização e métodos
                                                                                       •     novas TIC
                                                                                       •     HST
                                                                                       •     Qualidade
                                                                                       •     Formação comportamental




     CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                              31 de 51
Mega Cluster: MODA                                      CAE
Cluster:      TÊXTIL / VESTUÁRIO                        247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
                                                        171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                        172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                        173 – Acabamentos Têxteis
                                                        176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                        177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                        183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                        curtumes e calçado)
                                                        175.43 – Fabricação de Rendas

        PERFIS                             CNP             ÁREAS DE FORMAÇÃO                  ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                 OFERECIDAS
Técnico de tricotagem           8.2.6.2.80 – Encarregado – 542.089.3-I Técnico de Défice de formação contínua com actualização dos saberes-
(Nível III)                     afinadores, preparadores e malhas                 fazeres técnicos ao nível:
                                operadores de teares                              •     dos produtos (tipos e estruturas de malha)
                                                                                  •     matérias-primas (fios e fibras) e suas características
                                                                                  •     tecnologias da produção
                                                                                  •     processos de produção
                                                                                  •     gestão e controlo da produção
                                                                                  •     organização e métodos
                                                                                  •     novas TIC
                                                                                  •     HST
                                                                                  •     Qualidade
                                                                                  •     Formação comportamental


Mega Cluster: MODA                                      CAE
                                                        247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
Cluster:        TÊXTIL / VESTUÁRIO                      171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                        172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                        173 – Acabamentos Têxteis
                                                        176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                        177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                        183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                        curtumes e calçado)
                                                        175.43 – Fabricação de Rendas



      PERFIS                               CNP            ÁREAS DE FORMAÇÃO                      ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                             OFERECIDAS

Técnico de acabamentos 8.2.6.4.72 – Encarregado – 542.023.0-C           Corte   para Défice de formação contínua com actualização dos saber-fazer
*                      tratamento de produtos acabamentos                            técnico ao nível:
(Nível III)            têxteis                                                       •     dos novos produtos (fios, tecidos e malhas)
                                                                                     •     das novas matérias-primas
                                                                                     •     fibras) e suas características
                                                                                     •     tipos de produtos de acabamentos e suas características
                                                                                     •     das tecnologias da produção
                                                                                     •     da gestão e controlo da produção, utilização de novas TIC
                                                                                     •     da HST
                                                                                     •     da Qualidade
                                                                                     •     da formação comportamental




      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                              32 de 51
Mega Cluster: MODA                                CAE
                                                  247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
Cluster:        TÊXTIL / VESTUÁRIO                171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                  172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                  173 – Acabamentos Têxteis
                                                  176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                  177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                  183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                  curtumes e calçado)
                                                  175.43 – Fabricação de Rendas


      PERFIS                               CNP       ÁREAS DE FORMAÇÃO                         ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                        OFERECIDAS

Técnico                 de 8.2.6.4.72 – Encarregado – 542.094.3-I -Técnico    de Défice de formação contínua com actualização dos saber-fazer
tinturaria/estamparia *    tratamento de produtos tinturaria e estamparia        técnico ao nível:
(Nível III)                têxteis                                               •     dos novos produtos (fios, tecidos e malhas)
                                                                                 •     das novas matérias-primas (fibras) e suas características
                                                                                 •     tipos de produtos de tinturaria e estamparia (corantes,
                                                                                       espessantes...) e suas características
                                                                                 •     das tecnologias da produção
                                                                                 •     da gestão e controlo da produção, utilização de novas TIC
                                                                                 •     da HST
                                                                                 •     da Qualidade
                                                                                 •     da formação comportamental




Mega Cluster: MODA                                CAE
Cluster:      TÊXTIL / VESTUÁRIO                  182 – Confecção de Outros Artigos e acessórios de Vestuário


      PERFIS                               CNP       ÁREAS DE FORMAÇÃO                         ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                        OFERECIDAS

Designer de vestuário *                                                             Reforço de formação inicial e contínua de qualificação capaz de
(Nível III)                                         214.033.0-C       -    Design   sustentar uma mobilidade intersectorial em sectores cujas
                                                    técnico para confecção          afinidades do processo produtivo, dos produtos ou das matérias-
                                                    214.019.3-I - Desenhador        primas o permitam (calçado, têxtil...). Neste sentido será
                                                    projectista de vestuário        necessário reforçar competências ao nível:
                                                    214.043.3-I - Técnico de        •     Das novas matérias-primas, materiais e ovos produtos
                                                    design de moda                  •     De colecções integradas (vestuário, calçado, têxtil...)
                                                    214.045.3-I Técnico de          •     Das tendências de moda relacionadas com a têxtil e o
                                                    estilismo                             calçado
                                                    214.046.3-I - Técnico de
                                                    estilismo indústrial            Desenvolvimento de formação inicial de qualificação
                                                    542.098.3-I     -    Técnico    favorecendo a criação do próprio emprego e a diversificação de
                                                    projectista de vestuário        saídas profissionais. Desta forma é necessário reforçar
                                                                                    competências relacionadas com:
                                                                                    •     A área comercial (novos mercados, gostos dos clientes...)
                                                                                    •     A divulgação de acontecimentos de moda
                                                                                    •     A cooperação (com a área comercial, qualidade, produção,
                                                                                          clientes,....)
                                                                                    •     Tecnologia (CAD e tecnologia da produção)
                                                                                    •     Qualidade

                                                                                    Desenvolvimento de formação contínua de especialização em
                                                                                    determinados produtos e mercados.




      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                            33 de 51
Mega Cluster: MODA                               CAE
Cluster:     TÊXTIL / VESTUÁRIO                  247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
                                                 171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                 172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                 173 – Acabamentos Têxteis
                                                 176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                 177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                 183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                 curtumes e calçado)
                                                 175.43 – Fabricação de Rendas

      PERFIS                               CNP   ÁREAS DE FORMAÇÃO                            ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                    OFERECIDAS

Designer têxtil *                                                                  Necessidade de desenvolver formação profissional, inicial e
(Nível III)                                      214.005.3-I - Curso de arte       contínua, que contemple um conjunto de novas competências
                                                 e design têxtil                   especificas aos materiais e produtos deste sector, relacionadas
                                                 214.034.0-C        -    Design    com:
                                                 técnico para têxtil lar           •    Novas matérias-primas
                                                 214.049.0-C            -técnico   •    Desenvolvimento de produtos específicos a diferentes
                                                 especialista de design têxtil          mercados-alvo
                                                 214.050.3-I      -     Técnico    •    Tendências de moda
                                                 projectista     de     desenho    •    Interpretação das necessidades e gostos dos clientes
                                                 indústrial/calçado e têxtil       •    Cooperação (com clientes, área da produção, concepção de
                                                 542.003.0-C          -    CAD          produtos, comercial/marketing, qualidade...)
                                                 aplicado a tecidos                •    Línguas estrangeiras



Mega Cluster: MODA                               CAE
Cluster:      CALÇADO / ARTIGOS DE COURO         193 - Indústria do Calçado
                                                 19301 -.Calçado (analisado)
                                                 181 – Confecção de Artigos de Vestuário em Couro


      PERFIS                               CNP   ÁREAS DE FORMAÇÃO                            ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                    OFERECIDAS

Designer de calçado e                            214.036.3-I                       Necessidade de existir um maior número de cursos de formação
marroquinaria *                                  Estilista de calçado              profissional, especialmente formação contínua com competências
(Nível III)                                      214.045.3-I      Técnico de       especificas relacionadas com o design de calçado e
                                                 estilismo                         marroquinaria, nomeadamente:
                                                 214.046.3-I      Técnico de       • Conhecimentos sobre a moda
                                                 estilismo indústrial              • Preocupações com a estética
                                                 214.050.3-I      Técnico          • CAD/CAM tridimensional
                                                 projectista de desenho            • Novas matérias-primas substitutas do couro
                                                 indústrial/calçado e têxtil       • Novos acessórios e componentes
                                                 Sistemas CAD para                 Este profissional poderá assumir as funções de broker comercial
                                                 estilismo                         devendo deter competências relacionadas com a área comercial,
                                                                                   tais como:
                                                                                   • Tendências de moda e gostos dos clientes
                                                                                   • Conhecimentos dos mercados alvo
                                                                                   • Produtos mais procurados
                                                                                   • Estratégias de comercialização




      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                           34 de 51
Mega Cluster: MODA                                             CAE
Cluster:      CALÇADO / ARTIGOS DE COURO                       193 - Indústria do Calçado
                                                               19301 -.Calçado (analisado)
                                                               181 – Confecção de Artigos de Vestuário em Couro


      PERFIS                               CNP                 ÁREAS DE FORMAÇÃO                      ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                                  OFERECIDAS

Modelador                       7.4.4.2. – Sapateiros,         542.049.0-C                  Necessidade de formação contínua (de actualização,
(Nível III)                     trabalhadores de calçado e     Modelação de calçado         aperfeiçoamento....) sobre:
                                do couro                       542.050.0-C      Modelação   • CAD/CAM (tridimensional)
                                                               de marroquinaria             • Tendências de moda
                                .07 – Modelador                542.057.0-C                  • Novas matérias-primas substitutas do couro e suas
                                                               Modelagem                         características
                                                               542.061.0-C                  • Processo produtivo
                                                               Modelagem indústrial         • Tecnologias existentes na produção
                                                               542.063.3-I                  • Cooperação (com clientes, produção e concepção de novos
                                                               Modelista (operador de
                                                               CAD-CAM) de calçado
                                                               técnicos de CAD/CAM
                                                               técnicos de modelação em
                                                               CAD/CAM para
                                                               solas/saltos/formas
                                                               542.090.0-C
                                                               Técnico de modelação de
                                                               confecção
                                                               542.091.3-I
                                                               Técnico de modelação e
                                                               confecção



Mega Cluster: MODA                                           CAE
Cluster:          CALÇADO / ARTIGOS DE                       193 - Indústria do Calçado
COURO                                                        19301 -.Calçado (analisado)
                                                             181 – Confecção de Artigos de Vestuário em Couro


      PERFIS                               CNP                 ÁREAS DE FORMAÇÃO                      ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                                  OFERECIDAS

Técnico de calçado e 7.4.4.2. – Sapateiros,                    542.081.3-I                Défice de formação inicial especifica (calçado e marroquinaria),
marroquinaria *      trabalhadores de calçado e                Técnico de calçado         relacionada com:
(Nível III)          do couro                                  Chefias intermédias     de • Diferentes matérias-primas e suas características
                     .57 - Encarregado – fabrico               produção                   • Diferentes fases do processo produtivo (corte, costura,
                     de calçado e artigos em                                                    montagem e acabamento) e respectivos processos
                     couro                                                                • Planeamento e gestão da produção
                                                                                          • Tecnologias disponíveis para a produção (corte, costura,
                                                                                                montagem e acabamento)
                                                                                          • Sistemas informáticos de gestão da produção
                                                                                          • HST
                                                                                          • Comportamental
      Nota:
      A oferta formativa inserida na coluna 3 está referenciada na publicação da CIME “Oferta Formativa 2000” e foi desenvolvida nos anos
      lectivos 1999/2000 e 2000/2001, pelo que pode já não existir.;
             *Perfis estratégicos para o Cluster MODA




      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                                    35 de 51
             Educação e Formação ao Nível II
Mega Cluster: HABITAT                                      CAE
Cluster: TÊXTIL LAR                                        172 -Tecelagem de Têxteis (P) – têxteis lar
                                                           175.1 – Fabricação de tapetes e carpetes
                                                           175.30 - Fabricação de não Tecidos e Respectivos Artigos ,excepto Vestuário (P)
                                                           175.41 – Fabricação de Passamanarias e Sirgarias
                                                         icação de Bordados


     PERFIS                                     CNP                         ÁREAS DE FORMAÇÃO                  ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                                OFERECIDAS

Operador de máquinas 7.4.3.trabalhadores dos têxteis e                  542.067.2-I                          Necessidade de desenvolver cursos de
de preparação e fiação confecções e trabalhadores similares             Operador de máquinas de fiação       formação inicial de base mais alargada e de
(Nível II)             7.4.3.1 Preparadores de fibras                   542.004.0-C Cardação                 nível mais elevado, que permitam promover os
                       .02 – operador de máquina de                     542.042.0-C Fiação                   saberes teóricos de base, aprofundando o
                       tratamento do linho                                                                   conhecimento em:
                       .05 – apartador de lã                                                                 • Tecnologias de preparação de fiação e fiação
                       .07 – Escolhedor de linho                                                             • Processos de fiação
                       .10 – Lavador de lã                                                                   • materiais têxteis (fibras e fios)
                       .12 – Classificador de fibras                                                         • Qualidade
                       .15 – Esfarrapador                                                                    • HST
                       17 – Preparador de voltas (preparador                                                 • Manutenção de forma a permitir que este
                       de lotes)                                                                                   operador intervenha na fase da
                                                                                                                   preparação do trabalho, no controlo do
                                22 – Amassador de canhamo                                                          processo e nos resultados da produção
                                .25 – Quebrador de canhamo
                                .27 – Abridor
                                .35 – Assedador manual (penteador
                                manual)
                                ..32 – Abridor – batedor
                                .37 – Assedador mecânico
                                .20 – Batedor de lã
                                .40 – Ligador de fibras
                                .42 – Cardador
                                .30 – Misturador de algodão
                                .47 – Preparador de penteação
                                47 – Preparador de penteação e fiação
                                ..50 – Penteador
                                .45 – Reunidor de mantas
                                .52 – Lavador de penteada


Mega Cluster: HABITAT                                      CAE
                                                           172 -Tecelagem de Têxteis (P) – têxteis lar
Cluster: TÊXTIL LAR                                        175.1 – Fabricação de tapetes e carpetes
                                                           175.30 - Fabricação de não Tecidos e Respectivos Artigos ,excepto Vestuário (P)
                                                           175.41 – Fabricação de Passamanarias e Sirgarias
                                                         icação de Bordados


     PERFIS                                     CNP                         ÁREAS DE FORMAÇÃO                  ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                                OFERECIDAS

Operador de preparação 8.2.6.2 Afinadores, preparadores e 542.047.0-C                                        Necessidade de desenvolver cursos de
e tecelagem            operadores de teares               Metedeiras de fios                                 formação inicial de base mais alargada e de
(Nível II)             .20 – Urdidor mecânico                                                                nível mais elevado, que permitam promover os
                       .25 – Urdidor manual                                                                  saberes teóricos de base, aprofundando o
                       .30 – Urdidor de teias                                                                conhecimento em:
                       .40 - Remetedor                                                                       • Tecnologias de preparação de fiação e fiação
                       .50 Atador de teias -                                                                 • Processos de fiação
                       .45 Picador de pentes                                                                 • materiais têxteis (fibras e fios)
                       .55.- Picador de cartões de debuxo                                                    • Qualidade
                       .60 - Picador de cartões de debuxo                                                    • HST
                       .65 – Tecelão de tecidos                                                              • Manutenção de forma a permitir que este
                       .70 – Tecelão – tapeçarias                                                            operador intervenha na fase da preparação do
                       .35 - Encolador                                                                       trabalho, no controlo do processo e nos
                                                                                                             resultados da produção

Mega Cluster: HABITAT                                      CAE
      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                                     36 de 51
                                                        172 -Tecelagem de Têxteis (P) – têxteis lar
Cluster: TÊXTIL LAR                                     175.1 – Fabricação de tapetes e carpetes
                                                        175.30 - Fabricação de não Tecidos e Respectivos Artigos ,excepto Vestuário (P)
                                                        175.41 – Fabricação de Passamanarias e Sirgarias
                                                        175. 41 – Fabricação de Bordados


     PERFIS                                      CNP                        ÁREAS DE FORMAÇÃO                ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                                OFERECIDAS

Operador de máquinas           8.2.6.4.07 -                               542.015.0-C              Necessidade de desenvolver cursos de
de      preparação e           Lavador                                    Controlo da qualidade em formação inicial de base mais alargada e de
acabamentos *                  8.2.6.4.15 –                               tecelagem                nível mais elevado, que permitam promover os
(Nível II)                     Batoneiro/pisoeiro                                                  saberes teóricos de base, aprofundando o
                               8.2.6.4.32 - Percheiro/cardador                                     conhecimento em:
                               8.2.6.4.17 - Calandrador                                            • Tecnologias
                               8.2.6.4.30 – Operador de máquina de cortar                          • Processos e operações de acabamentos
                               pêlo                                                                • materiais têxteis (fibras, fios, tecidos e
                               8.2.6.4.22 – Operador de máquinas de                                      malhas)
                               acabamento                                                          • Química
                               8.2.6.4.12 – Vaporizador de tecidos                                 • Qualidade
                               8.2.6.4.20 – Gomador de fitas                                       • HST
                               8.2.6.4.25 – Gomador de sedas                                       • Manutenção de forma a permitirem que este
                               8.2.6.4.27 – Operador de rebarbadora
                                                                                                         operador intervenha na fase da
                               8.2.6.4.35 – Operador de máquina de tratar
                                                                                                         preparação do trabalho, no controlo do
                               pêlo
                                                                                                         processo e nos resultados da produção
                               8.2.6.4.37 – Vaporizador de meias
                               8.2.6.4.40– Enformador de peças de malha
                               8.2.6.4.42 – Amaciador de tecidos
                               8.2.6.4.45 – operador de máquina de abrir
                               malha
                               8.2.6.4.47 – Operador de instalação de
                               acabamentos
                               8.2.6.4.50 – Operador de maquina de
                               revestimento
                               8.2.6.4.52 – Acabador de tapeçaria
                               8.2.6.4.55 – Acabador de rendas
                               8.2.6.4.57 – Borrifador de tecidos
                               8.2.6.4.60 – Enrolador de tecidos
                               8.2.6.4.67 – Engomador mecânico


Mega Cluster: HABITAT                                    CAE
                                                         172 -Tecelagem de Têxteis (P) – têxteis lar
Cluster: TÊXTIL LAR                                      175.1 – Fabricação de tapetes e carpetes
                                                         175.30 - Fabricação de não Tecidos e Respectivos Artigos ,excepto Vestuário (P)
                                                         175.41 – Fabricação de Passamanarias e Sirgarias
                                                       icação de Bordados

     PERFIS                                      CNP                        ÁREAS DE FORMAÇÃO                ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                                OFERECIDAS

Operador de máquinas 7.3.4.6.20 – Estampador                               Não foi identificada formação Necessidade de desenvolver             cursos de
de preparação e de                                                         específica                    formação inicial de base mais alargada e de
estamparia *                                                                                             nível mais elevado, que permitam promover os
(Nível II)                                                                                               saberes teóricos de base, aprofundando o
                                                                                                         conhecimento em:
                                                                                                         • Tecnologias de estamparia
                                                                                                         • Processos e métodos de estamparia
                                                                                                         • materiais têxteis (fibras, fios, tecidos e
                                                                                                               malhas)
                                                                                                         • Propriedades       e     características    dos
                                                                                                               espessantes e pastas
                                                                                                         • Química
                                                                                                         • Qualidade
                                                                                                         • HST
                                                                                                         • Manutenção de forma a permitirem que este
                                                                                                               operador intervenha na fase da
                                                                                                               preparação do trabalho, no controlo do
                                                                                                               processo e nos resultados da produção



     CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                                   37 de 51
Mega Cluster: HABITAT                                 CAE
                                                      172 -Tecelagem de Têxteis (P) – têxteis lar
Cluster: TÊXTIL LAR                                   175.1 – Fabricação de tapetes e carpetes
                                                      175.30 - Fabricação de não Tecidos e Respectivos Artigos ,excepto Vestuário (P)
                                                      175.41 – Fabricação de Passamanarias e Sirgarias
                                                    icação de Bordados


     PERFIS                                CNP                        ÁREAS DE FORMAÇÃO                    ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                          OFERECIDAS

 Operador de máquinas 8.2.6.2.4.10 –                              Não foi      identificada   formação Necessidade de desenvolver cursos de
 preparação e tinturaria * Desencolador                           específica                           formação inicial de base mais alargada e de
(Nível II)                 8.2.6.2.4.02 – Branqueador                                                  nível mais elevado, que permitam promover os
                           8.2.6.2.4.05 – Tintureiro                                                   saberes teóricos de base, aprofundando o
                           7.4.3.1.55 –                                                                conhecimento em:
                                                                                                       • Tecnologias de tinturaria
                                                                                                       • Processos de preparação e tinturaria
                                                                                                       • materiais têxteis (fibras, fios, tecidos e
                                                                                                             malhas)
                                                                                                       • Propriedades e características dos corantes e
                                                                                                             produtos auxiliares
                                                                                                       • Química
                                                                                                       • Qualidade
                                                                                                       • HST
                                                                                                       • Manutenção
                                                                                                       de forma a permitirem que este operador
                                                                                                       intervenha na fase da preparação do trabalho,
                                                                                                       no controlo do processo e nos resultados da
                                                                                                       produção




      Notas:
         • A oferta formativa inserida na coluna 3 está referenciada na publicação da CIME “Oferta Formativa
             2000” e foi desenvolvida nos anos lectivos 1999/200 e 2000/2001, pelo que pode já não existir.

             •     Pelo facto de considerarmos importante as fases de acabamento/tinturaria e estamparia nos têxteis-lar,
                   incluímos neste cluster os perfis correspondentes a essas áreas (técnico de acabamento, técnico de
                   tinturaria/estamparia, operador de máquinas de preparação e acabamentos, operador de máquinas de
                   preparação e estamparia e operador de máquinas de preparação e tinturaria)
             •     Pelo facto de muitas empresas de têxteis-lar integrarem as fases de fiação e tecelagem incluímos,
                   igualmente neste cluster, os perfis associados à fiação (técnico de fiação e operador de preparação e
                   fiação).
             •     A CAE 175. 41 – Fabricação de Bordados está errada sendo: 175. 42 – Fabricação de Bordados

      *Perfis estratégicos ao cluster HABITAT
      ** CAEs não consideradas nos estudos elaborados pelo INOFOR




      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                                38 de 51
Mega Cluster: MODA                                   CAE
Cluster: TÊXTIL / VESTUÁRIO                          182 – Confecção de Outros Artigos e acessórios de Vestuário


     PERFIS                                CNP         ÁREAS DE FORMAÇÃO OFERECIDAS                      ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS

 Costureira (modista)                                542.001.0-C – Acabamentos de confecção            Reforço de formação inicial e contínua de
 (Nível II)                                                                                            qualificação capaz de sustentar uma
                                                     542.008.0-C –Confecção de casacos                 mobilidade intersectorial em sectores cujas
                                                     542.009.0-C –Confecção de saias e blusas          afinidades do processo produtivo, dos produtos
                                                     542.010.0-C –Confecção de vestidos e calças       ou das matérias-primas o permitam (calçado,
                                                     542.011.2-I –Confecções em pele                   têxtil....). Neste sentido será necessário reforçar
                                                                                                       competências ao nível:
                                                     542.017.2-I -Corte e confecções
                                                                                                       • de diferentes e novas matérias-primas,
                                                     542.018.0-C –Corte e costura                             materiais e produtos
                                                     542.019.0-C –Corte e vinco                        • diferentes tecnologias de costura
                                                     542.022.0-C –Corte manual                         • novas tecnologias relacionadas com a
                                                     542.023.0-C –Corte para acabamentos                      concepção e desenvolvimento do produto
                                                     542.024.0-C –Corte, pré-costura e costura
                                                     542.026.2-I –Costura
                                                     542.027.0-C –Costura a arame, encasamento e
                                                     corte de revista
                                                     542.033.0-C -Costura polivalente
                                                     542.034.0-C Costura, confecção e artigos de lar
                                                     542.035.2-I -Costureira especializada
                                                     542.036.0-C -Costureira especializada
                                                     542.037.0-C -Costureira modista
                                                     542.044.0-C -Malhas à mão


Mega Cluster: MODA                                   CAE
Cluster: TÊXTIL / VESTUÁRIO                          182 – Confecção de Outros Artigos e acessórios de Vestuário


     PERFIS                                CNP               ÁREAS DE FORMAÇÃO OFERECIDAS                            ÁREAS DE FORMAÇÃO EM
  PROFISSIONAIS                                                                                                             DÉFICE

Costureira Indústrial (ou 7.4.3.5.15 - Estendedor    542.001.0-C - Acabamentos de confecção                         Desenvolvimento de formação de
confeccionador         ou manual                     542.008.0-C -Confecção de casacos                              qualificação, de base mais
profissional           da 7.4.3.5.20 - Estendedor    542.009.0-C -Confecção de saias e blusas                       alargada e de nível mais elevado,
confecção) *              mecanico                   542.010.0-C -Confecção de vestidos e calças                    em áreas como:
(Nível II)                7.4.3.5.25 – Talhador      542.011.2-I -Confecções em pele                                • processo produtivo (corte,
                          manual                     542.017.2-I -Corte e confecções                                      costura     e   acabamento)
                          7.4.3.5.30 – cortador de   542.018.0-C - Corte e costura                                        respectivo equipamento
                          tecidos                    542.019.0-C -Corte e vinco                                     • Manutenção
                          7.4.3.5.35 – Preparador    542.020.0-C -Corte indústrial                                  • Diferentes produtos e matérias-
                          de trabalho                542.021.2-I - Corte indústrial                                       primas
                          7.4.3.5.05 - Riscador      542.023.0-C -Corte para acabamentos                            • Qualidade
                          manual                     542.024.0-C -Corte, pré-costura e costura                      • Formação comportamental
                          7.4.3.5.10 – Riscador      542.026.2-I -Costura
                          7.4.3.6.05 -               542.027.0-C -Costura a arame, encasamento e corte de revista
                          Costureira trabalho em     542.029.0-C Costura e pré-montagem
                          série                      542.031.2-I -Costura indústrial
                          7.4.3.6.10 –               542.032.0-C -Costura indústrial de tecido
                          Costureira vestuário de    542.033.0-C Costura polivalente
                          pele                       542.034.0-C Costura, confecção e artigos de lar
                                                     542.035.2-I e C -Costureira especializada
                                                     542.043.0-C - Iniciação à costura indústrial
                                                     542.045.0-C -Malhas à máquina
                                                     542.047.0-C - Metedeiras de fios
                                                     542.065.0-C Operações com máquinas de costura
                                                     542.078.0-C Técnicas de confecção
                                                     542.095.0-C Técnico especialista de confecção




      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                                 39 de 51
Mega Cluster: MODA                                 CAE
Cluster: TÊXTIL / VESTUÁRIO                        247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
                                                   171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                   172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                   173 – Acabamentos Têxteis
                                                   176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                   177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                   183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                   curtumes e calçado)
                                                   175.43 – Fabricação de Rendas


     PERFIS                               CNP                   ÁREAS DE FORMAÇÃO                  ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                    OFERECIDAS

 Máquinas de preparação 7.4.3.trabalhadores dos têxteis e 542.067.2-I -Operador de máquinas Necessidade de desenvolver cursos de
e fiação                confecções e trabalhadores similares  de fiação                     formação inicial de base mais alargada e de
(Nível II)              7.4.3.1 Preparadores de fibras        542.004.0-C -Cardação         nível mais elevado, que permitam promover os
                        .02 – operador de máquina de                                        saberes teóricos de base, aprofundando o
                        tratamento do linho                                                 conhecimento em:
                        .05 – apartador de lã                                               • Tecnologias de preparação de fiação e
                        07 – Escolhedor de linho                                                  fiação
                        .10 – Lavador de lã                                                 • Processos de fiação
                        .12 – Classificador de fibras                                       • materiais têxteis (fibras e fios)
                        .15 – Esfarrapador                                                  • Qualidade
                        17 – Preparador de voltas (preparador                               • HST
                        de lotes)                                                           • Manutenção de forma a permitir que este
                        22 – Amassador de cânhamo                                                 operador intervenha na fase da
                        .25 – Quebrador de cânhamo                                                preparação do trabalho, no controlo do
                        .27 – Abridor                                                             processo e nos resultados da produção
                        .35 – Assedador manual (penteador
                        manual)
                        ..32 – Abridor – batedor
                        .37 – Assedador mecânico
                        .20 – Batedor de lã
                        .40 – Ligador de fibras
                        .42 – Cardador
                        .30 – Misturador de algodão
                        .47 – Preparador de penteação
                        47 – Preparador de penteação e fiação
                        ..50 – Penteador
                        .45 – Reunidor de mantas
                        .52 – Lavador de penteada


Mega Cluster: MODA                               CAE
Cluster: TÊXTIL / VESTUÁRIO                      247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
                                                 171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                 172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                 173 – Acabamentos Têxteis
                                                 176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                 177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                 183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                 curtumes e calçado)
                                                 175.43 – Fabricação de Rendas

     PERFIS                               CNP                   ÁREAS DE FORMAÇÃO                  ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                    OFERECIDAS

Operador de preparação 8.2.6.2 Afinadores, preparadores e Não foi       identificada   formação Necessidade de desenvolver cursos de
e tecelagem            operadores de teares               específica                            formação inicial de base mais alargada e de
(Nível II)             .20 – Urdidor mecânico                                                   nível mais elevado, que permitam promover os
                       .25 – Urdidor manual                                                     saberes teóricos de base, aprofundando o
                       .30 – Urdidor de teias                                                   conhecimento em:
                       .40 - Remetedor                                                          • Tecnologias de preparação tecelagem e
                       .50 Atador de teias -                                                          tecelagem
                       .45 Picador de pentes                                                    • Processos de tecelagem
                       .55.- Picador de cartões de debuxo                                       • materiais têxteis (fibras e tecidos)
                       .60 - Picador de cartões de debuxo                                       • Classificação de debuxos
                       .65 – Tecelão de tecidos                                                 • Aritmética
                       .70 – Tecelão - tapeçarias                                               • Qualidade
                       .35 - Encolador
                                                                                                • HST

     CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                        40 de 51
                                                                                                           • Manutenção de forma a permitirem que este
                                                                                                              operador intervenha na fase da
                                                                                                              preparação do trabalho, no controlo do
                                                                                                              processo e nos resultados da produção


Mega Cluster: MODA                                         CAE
Cluster: TÊXTIL / VESTUÁRIO                                247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
                                                           171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                           172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                           173 – Acabamentos Têxteis
                                                           176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                           177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                           183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                           curtumes e calçado)
                                                           175.43 – Fabricação de Rendas

      PERFIS                                    CNP                       ÁREAS DE FORMAÇÃO                  ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                                             OFERECIDAS

Máquinas de tricotar            8.2.6.2.75 – Maquinista de malhas     542.068.2-I -Operador de máquinas    Necessidade de desenvolver cursos de
(Nível II)                                                            de malha                             formação inicial de base mais alargada e de
                                                                      542.069.2-I – Operador de máquinas   nível mais elevado, que permitam promover os
                                                                      de peúgas e meias                    saberes teóricos de base, aprofundando o
                                                                                                           conhecimento em:
                                                                                                           • Tecnologias de tricotagem
                                                                                                           • Processos de tricotagem
                                                                                                           • materiais têxteis (fibras e estruturas de
                                                                                                                 malha)
                                                                                                           • Aritmética
                                                                                                           • Qualidade
                                                                                                           • HST
                                                                                                           • Manutenção de forma a permitirem que este
                                                                                                                 operador intervenha na fase da
                                                                                                                 preparação do trabalho, no controlo do
                                                                                                                 processo e nos resultados da produção



Mega Cluster: MODA                                         CAE
Cluster: TÊXTIL / VESTUÁRIO                                247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
                                                           171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                           172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                           173 – Acabamentos Têxteis
                                                           176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                           177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                           183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                           curtumes e calçado)
                                                           175.43 – Fabricação de Rendas

      PERFIS                                    CNP                       ÁREAS DE FORMAÇÃO                  ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
   PROFISSIONAIS                                                             OFERECIDAS

Operador de máquinas            8.2.6.4.07 - Lavador                 542.001.0-C    –acabamentos      de Necessidade de desenvolver cursos de
de      preparação e            8.2.6.4.15 – Batoneiro/pisoeiro      confecção                           formação inicial de base mais alargada e de
acabamentos                     8.2.6.4.32 - Percheiro/cardador      542.004.0-C Cardação                nível mais elevado, que permitam promover os
(Nível II)                      8.2.6.4.17 - Calandrador                                                 saberes teóricos de base, aprofundando o
                                8.2.6.4.30 – Operador de máquina de                                      conhecimento em:
                                cortar pêlo                                                              • Tecnologias
                                8.2.6.4.22 – Operador de máquinas de                                     • Processos e operações de acabamentos
                                acabamento                                                               • materiais têxteis (fibras, fios, tecidos e
                                8.2.6.4.12 – Vaporizador de tecidos                                            malhas)
                                8.2.6.4.20 – Gomador de fitas                                            • Química
                                8.2.6.4.25 – Gomador de sedas                                            • Qualidade
                                8.2.6.4.27 – Operador de rebarbadora                                     • HST
                                8.2.6.4.35 – Operador de máquina de
                                                                                                         • Manutenção de forma a permitirem que este
                                tratar pêlo
                                                                                                               operador intervenha na fase da
                                8.2.6.4.37 – Vaporizador de meias
                                                                                                               preparação do trabalho, no controlo do
                                8.2.6.4.40– Enformador de peças de
                                                                                                               processo e nos resultados da produção
                                malha
                                8.2.6.4.42 – Amaciador de tecidos
                                8.2.6.4.45 – operador de máquina de
                                abrir malha
      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                                 41 de 51
                                8.2.6.4.47 – Operador de instalação de
                                acabamentos
                                8.2.6.4.50 – Operador de maquina de
                                revestimento
                                8.2.6.4.52 – Acabador de tapeçaria
                                8.2.6.4.55 – Acabador de rendas
                                8.2.6.4.57 – Borrifador de tecidos
                                8.2.6.4.60 – Enrolador de tecidos
                                8.2.6.4.67 – Engomador mecânico


Mega Cluster: MODA                                         CAE
                                                           247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
Cluster: TÊXTIL / VESTUÁRIO                                171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                           172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                           173 – Acabamentos Têxteis
                                                           176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                           177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                           183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                           curtumes e calçado)
                                                           175.43 – Fabricação de Rendas

     PERFIS                                CNP                 ÁREAS DE FORMAÇÃO                            ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                   OFERECIDAS

Operador de máquinas 7.3.4.6.20 - Estampador               Não foi identificada        formação Necessidade de desenvolver cursos de formação inicial de
de preparação e de                                         específica a                         base mais alargada e de nível mais elevado, que permitam
estamparia *                                                                                    promover os saberes teóricos de base, aprofundando o
(Nível II)                                                                                      conhecimento em:
                                                                                                • Tecnologias de estamparia
                                                                                                • Processos e métodos de estamparia
                                                                                                • materiais têxteis (fibras, fios, tecidos e malhas)
                                                                                                • Propriedades e características dos espessantes e pastas
                                                                                                • Química
                                                                                                • Qualidade
                                                                                                • HST
                                                                                                • Manutenção de forma a permitirem que este operador
                                                                                                     intervenha na fase da preparação do trabalho, no
                                                                                                     controlo do processo e nos resultados da produção


Mega Cluster: MODA                                            CAE
                                                              247 – Fabricação de Fibras Sintéticas ou Artificiais
Cluster: TÊXTIL / VESTUÁRIO                                   171 – Preparação e Fiação de Fibras Têxteis
                                                              172 – Tecelagem de Têxteis (P)
                                                              173 – Acabamentos Têxteis
                                                              176 – Fabricação de Tecidos de Malha
                                                              177. Fabricação de Artigos de Malha
                                                              183 – Preparação, Tingimento e Fabricação de Artigos de Peles com Pêlo (incluído nos
                                                              curtumes e calçado)
                                                              175.43 – Fabricação de Rendas

     PERFIS                                      CNP                         ÁREAS DE FORMAÇÃO                    ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                                 OFERECIDAS

Operador de máquinas 8.2.6.2.4.10 – Desencolador                         Não foi      identificada   formação Necessidade de desenvolver cursos de
preparação e tinturaria * 8.2.6.2.4.02 – Branqueador                     específica                           formação inicial de base mais alargada e de
(Nível II)                8.2.6.2.4.05 – Tintureiro                                                           nível mais elevado, que permitam promover os
                                                                                                              saberes teóricos de base, aprofundando o
                                                                                                              conhecimento em:
                                                                                                              • Tecnologias de tinturaria
                                                                                                              • Processos de preparação e tinturaria
                                                                                                              • materiais têxteis (fibras, fios, tecidos e
                                                                                                                    malhas)
                                                                                                              • Propriedades e características dos corantes e
                                                                                                                    produtos auxiliares
                                                                                                              • Química
                                                                                                              • Qualidade
                                                                                                              • HST
                                                                                                              • Manutenção de forma a permitirem que este
                                                                                                                    operador intervenha na fase da
                                                                                                                    preparação do trabalho, no controlo do
                                                                                                                    processo e nos resultados da produção
      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                                       42 de 51
Mega Cluster: MODA                                             CAE
                                                               193 - Indústria do Calçado
Cluster: CALÇADO / ARTIGOS DE COURO                            19301 -.Calçado (analisado)
                                                               181 – Confecção de Artigos de Vestuário em Couro

     PERFIS                                     CNP                         ÁREAS DE FORMAÇÃO                 ÁREAS DE FORMAÇÃO EM DÉFICE
  PROFISSIONAIS                                                                OFERECIDAS

Operador Polivalente de         7.4.4.2. – Sapateiros, trabalhadores de542.011.2-I                          Défice de formação contínua especifica a cada
calçado e marroquinaria         calçado e do couro                     Confecções em pele                   uma das fases de produção (corte, costura,
*                               .10 – Cortador de peles                542.016.0-C                          montagem e acabamentos), relacionada com a
(Nível II)                      .12 - operador de máquinas de facear   Corte de calçado                     tecnologia e os diferentes processos produtivos.
                                .15 – Vazador à máquina                542.020.0-C                          Por outro lado é ainda necessário que exista
                                .17 – Orlador                          Corte indústrial                     formação contínua para este perfil relacionada
                                .20 – Gaspeador /cravador              542.021.2-I                          com:
                                                                       Corte indústrial                     • Injecção de solas
                                .22 – Arrematador                      542.022.0-C                          • Corte e montagem manual
                                27 - Preparador de montagem – Corte manual                                  • Processo e tecnologia de curtumes
                                calçado                                542.023.0-C                          • Processo e tecnologia de vestuário
                                .25 - Preparador de palmilhas internas Corte para acabamentos               • Formação comportamental
                                .30 - Montador – calçado               542.024.0-C                          • HST
                                .32 - Fresador de sola – calçado       Corte, pré-costura e costura         • Qualidade
                                .35 - Lixador – calçado                542.026.2-I
                                                                                                            • Manutenção
                                .47 – Cortador                         Costura
                                .50 - Costureira                       542.028.0-C
                                .52 - Acabador – malas e Costura de calçado
                                marroquinaria                          542.029.0-C
                                .40 - Maleiro                          Costura e pré-montagem
                                .42 - Maleiro – malas de viagem        542.031.2-I
                                .45 - Correeiro                        Costura indústrial
                                .55 - Albardeiro                       542.033.0-C
                                                                       Costura polivalente
                                                                       542.035.2-I
                                                                       Costureira especializada
                                                                       542.036.0-C
                                                                       Costureira especializada
                                                                       542.064.0-C
                                                                       Montagem e acabamento de calçado
                                                                       542.065.0-C
                                                                       Operações com máquinas de costura
                                                                       542.072.2-I
                                                                       Operário polivalente de calçado
                                                                       542.074.2-I
                                                                       Pele e couro
                                                                       542.075.0-C
                                                                       Pré-costura e costura calçado
                                                                       542.076.2-I
                                                                       Preparador de calçado
                                                                       542.077.9-C
                                                                       Sapateiro conserteiro

      Nota:
         •         A oferta formativa inserida na coluna 3 está referenciada na publicação da CIME “Oferta Formativa
                   2000” e foi desenvolvida nos anos lectivos 1999/2000 e 2000/2001, pelo que pode já não existir.

             * Perfis estratégicos para o Cluster MODA
             ** CAEs não consideradas nos estudos elaborados pelo INOFOR




      CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                                                    43 de 51
Conclusões

Em jeito de alinhamento final de ideias, podemos afirmar que a generalidade das empresas da
indústria têxtil portuguesa, produzem gamas alargadas com produtos diversificados em vários
subsectores, com forte orientação para a produção, isto é, os esforços das empresas centram-se
mais na venda de capacidades do que na venda de produtos. Verifica-se uma assinalável melhoria e
racionalização dos processos produtivos, designadamente, na gestão de stocks e na organização da
produção.

Em paralelo existe um conjunto de empresas com elevadas capacidades comerciais e de concepção
de produtos, que apresentam uma forte orientação para o mercado e fomentam a dinâmica da
industria têxtil nacional.

Existe um crescente número de empresas que apostam em séries de pequena dimensão e de artigos
variados e na importância da rapidez de resposta aliada à qualidade e na melhor organização de
produção, assente em equipamentos com flexibilidade para se efectuarem alterações perante
mudanças que se processam pela exigências dos mercados.

No sector têxtil existe um grupo alargado de empresas especializadas em determinadas fases do
processo produtivo, com um menor movimento de integração vertical na indústria, e onde as grandes
empresas ou as empresas com maior dinamismo empresarial procuram aumentar a sua flexibilidade
através da ligação a pequenas empresas dotadas de elevados níveis de especialização e de
autonomia, desenvolvendo-se cadeias de fornecimento dinamizadas pelas empresas líderes.

Verifica-se um ritmo lento nos investimentos imateriais em áreas como a concepção e o
desenvolvimento de produtos, a comercial e marketing, os serviços técnicos pós-venda, e nas novas
formas de organização interna de trabalho, bem como, na adopção de tecnologias de informação e de
comunicação para as diferentes áreas da empresa.

Porém, verifica-se que na última década, inúmeras empresas portuguesas do sector têxtil            têm
realizado um enorme esforço de modernização e de reajustamento aos mercados com crescente
clusterização das empresas originando um movimento de especialização e de interdependência entre
distintas empresas inseridas na fileira do subsector.

Porém, convém sublinhar algumas ideias sobre as necessidades estratégicas da indústria têxtil
portuguesas, que permitam uma posição nos mercados mais consistente e duradoura.

Mercados e produtos:

Neste sentido parece ser claro que o reforço da competitividade das empresas da indústria têxtil
portuguesa estará fortemente associado às estratégias de mercados e produtos por elas
prosseguidas, designadamente, em aspectos como a concepção e o desenvolvimento do produto, a
qualidade, a internacionalização, comercialização e marketing de produtos e serviços.
CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                        44 de 51
Sabemos que na indústria têxtil a diferenciação do produto está geralmente relacionado com a
concepção, o desenvolvimento e o design. A aceitação dos produtos no mercado depende das
características estéticas, do acompanhamento das tendências da moda e da produção de artigos
originais, que aos olhos dos consumidores sejam uma novidade.

Neste sentido, tem-se assistido nos últimos anos à criação e desenvolvimento de colecções próprias
pelas empresas têxteis nacionais e/ou em colaboração no desenvolvimento com os clientes
(nacionais, mas principalmente internacionais) como forma de assegurarem o lançamento de novos
produtos que vão ao encontro das necessidades dos consumidores.

O reforço da concepção e no desenvolvimento do produto passa pela constituição de gabinetes
técnicos, designadamente, designers, debuxadores, coloristas, etc., ou em alternativa, as empresas
poderão recorrer a ateliês externos de design, com criativos de moda de qualidade já existentes em
Portugal.

Outro aspecto essencial é o da qualidade dos produtos fabricados, que está positivamente
correlacionado com a decisão de compra do cliente europeu e americano e da sua fidelização. Neste
sentido, tem-se verificado em Portugal um grande esforço, por parte das entidades oficiais e privadas,
na difusão de uma cultura de qualidade – dentro das empresas e da indústria – que tem passado pela
(promoção na) contratação de profissionais especializados nas diversas áreas da qualidade e no
investimento na implementação de sistemas de qualidade, possibilitando o reforço da imagem das
empresas junto dos clientes e na promoção da indústria têxtil portuguesa a nível internacional.

Também relevante tem sido o esforço que as empresas que trabalham nalguns subsectores da
indústria têxtil em Portugal, têm demonstrado na activação de acções de cooperação,
nomeadamente, em termos de internacionalização, que possibilitem uma complementaridade na
realização de acordos de distribuição, na pesquisa de mercado, em publicidade, etc., de forma a
oferecer um produto/serviço mais completo, de melhoria de uma imagem convergente positiva e,
obviamente, com partilha e redução de custos.

Modernização tecnológica

A modernização tecnológica é um outro pilar fundamental na promoção da competitividade das
empresas têxteis, não só em termos de renovação de equipamentos e sistemas, mas também na
obtenção de conhecimentos e competências nas áreas técnicas e tecnológicas.

No que concerne a equipamentos e sistemas, a indústria têxtil portuguesa apresenta um panorama
bastante satisfatório e nalguns subsectores de vanguarda em relação a concorrentes europeus e
mundiais.

No entanto mantém-se a necessidade de se continuar a proceder à renovação dos equipamentos da
área de produção, investindo significativamente nos domínios da gestão da produção, gestão de
stocks, gestão da qualidade, do transporte no interior das empresas, na melhoria dos sistemas de
higiene, segurança, saúde e ambiente no trabalho, e sobretudo, na gestão da capacidade técnica e

CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                           45 de 51
tecnológica que passa pela contratação de pessoal mais qualificado cientificamente e na cooperação
com os centros de investigação e tecnológicos existentes no país.

Comportamento Organizacional

Temos vindo a referir a importância da competitividade das empresas ligadas à indústria têxtil, no
quadro de uma economia mundializada e em efectiva turbulência concorrencial pelos/nos mercados.
Nesta ordem de ideias, revela-se necessário que as empresas portuguesas desenvolvam formas de
organização do trabalho mais flexíveis com estruturas com menor divisão do trabalho, reforçando-se a
interfuncionalidade entre a distintas áreas de uma empresa.

Neste sentido, a grande maioria das empresas ligadas à industria têxtil portuguesa, precisa de
percorrer um caminho no desenvolvimento de modelos organizacionais mais avançados, baseados no
alargamento das competências técnicas dos trabalhadores e no modo de se organizar o próprio
trabalho, desde as actividades de preparação (a montante), até ao controlo de qualidade do trabalho
efectuado (a jusante).

A melhoria das competências técnicas dos trabalhadores (reconversão e actualização profissional)
deve ser também acompanhada pela qualificação dos empresários e das chefias intermédias, no
quadro da gestão de novas formas de organização de trabalho (trabalho em equipa, grupos
especializados,...), na comunicação e partilha de informação, na coordenação e motivação dos
trabalhadores, entre outros aspectos mais imateriais dos saberes.

Parece ser necessário, que se procure acrescentar valor ao trabalho realizado e não tanto “fazer-se
mais do mesmo”. Assim, realça-se o esforço de um crescente número de empresas portuguesas em
adaptarem as suas estruturas organizativas para modelos mais flexíveis de produção e de
qualificação alargada de grupos de trabalhadores com grande mobilidade interna.

A gestão profissional do potencial humano e técnico no seio das empresas têxteis, parece ser um
imperativo da gestão dos recursos humanos, a qual deve estar intimamente ligada à gestão global
das empresas têxteis portuguesas.




CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                        46 de 51
Bibliografia
Referências bibliográficas

RODRIGUES, Maria João et al. - Prioridades para os Recursos Humanos em Portugal. - Lisboa:
Gabinete do PROINOV – Presidência do Conselho de Ministros, 2002.                ISBN 972-95768-3-1


VALENTE, A. Cláudia, et al. – A Indústria Têxtil em Portugal. – Lisboa: INOFOR Instituto para a
Inovação na Formação, 2000. ISBN 972-97579-7-6




Referências electrónicas (sítios-sites)
GEPE – Índices de actividade e de preços sectoriais da indústria transformadora [em linha], 15-
06-04. – Lisboa: Ministério da Economia: GEPE. Ver em URL: http//www.gee.min-economia.pt/site>
pesquisa: estatística>.... [consulta: 15-06-04]


INE – Têxtil [em linha]. – Lisboa: INE. Ver em URL:http//www.ine.pt> search: têxtil>..... [consulta: 15-
06-04]


Portugal Têxtil – Estatísticas conjunturais [em linha], 15-06-04. – Porto: Portugal Têxtil. Ver em
URL:http//www.portugaltêxtil.com>....>estatísticas conjunturais. [consulta: 15-06-04]


Ponte, J. – Estudo [PDF], 15-06-04. – Lisboa: Faculdade de Ciências da Educação. Ver em
URL:http//www.educ.fc.ul.pt/docentes/jponte/docs-pt/94-Ponte(Estudo%20caso).pdf>. [consulta:15-06-
04]




CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                           47 de 51
Organizações ligadas ao têxtil e ao vestuário

As principais organizações ligadas ao sector têxtil e do vestuário português são as seguintes:


AIM - Associação Industrial do Minho
Tel: +351 253 517678 ou +351 253 517682
Fax: +351 253 517678

ANIVEC - Associação Nacional da Indústria de Vestuário e Confecção
Tel: +351 22 6100050
Fax: +351 22 6100059

APT - Associação Portuguesa de Têxteis e Vestuário
Tel: +351 22 2039418 ou +351 22 2039419
Fax: +351 22 2050343

APIM - Associação Portuguesa da Indústria de Malhas
Tel: +351 22 5074250
Fax: +351 22 5029210

APIV - Associação Portuguesa da Indústria de Vestuário
Tel: +351 21 3861059
Fax: +351 21 3863672

ANITT-LAR - Associação Nacional das Indústrias de Tecelagem e Têxteis Lar
Tel: +351 253 512045 ou +351 253 512072
Fax: +351 253 512071

APETT - Associação Portuguesa dos Engenheiros e Técnicos Têxteis
Tel: +351 22 8318713
Fax: +351 22 8300238

CENESTAP - Centro de Estudos Têxteis Aplicados
Tel: +351 252 3002020
Fax: +351 252 316142

CEFOTEX (Centro de Formação Têxtil)
Tel: +351 22 2004910
Fax: +351 22 2026804

CENATEX (Escola Profissional da Indústria Têxtil)
Tel: +351 253 514728
Fax: +351 253 517568

CITEX - Centro de Formação Profissional da Indústria Têxtil
Tel: +351 22 6183035
Fax: +351 22 6103574

CIVEC - Centro de Formação Profissional da Indústria de Vestuário e Confecção
Tel: +351 21 7713100
Fax: +351 21 7713120

CITEVE - Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal
Tel: +351 252 300300
Fax: +351 252 376563
CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                           48 de 51
FESETE - Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores Têxteis, Lanifícios, Vestuário, Calçado e
Peles de Portugal
Tel: +351 22 2004910
Fax: +351 22 2026804

IDITEMINHO - Instituto de Inovação e Desenvolvimento Tecnológico do Minho
Tel: +351 253 619470
Fax: +351 253 612957

TECMINHO - Associação Universidade Empresa para o Desenvolvimento
Tel: +351 253 513738
Fax: +351 253 513843

Universidade da Beira Interior, Departamento Têxtil
Tel: +351 275 319700
Fax: +351 275 319723

Universidade Lusíada, Departamento Têxtil
Tel: +351 252 314618
Fax: +351 252 376363

Universidade Técnica de Lisboa, Faculdade de Arquitectura, Departamento de Design
Tel: +351 21 3615000
Fax: +351 21 3625128




CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                      49 de 51
               FOMETEX
               Promotion of the entrepreuneurial spirit of the women in the textile sector.


               Parceria

               A parceria constituída para a realização deste projecto envolveu as seguintes empresas:

                Método Análisis e Técnicas          Tel.: +34 986 220313
                Ana Saborido                        Fax: +34 986 227780
                c/ Areal, 144, 1º
                36201 Vigo                          leonardo@metodo-ayt.com
                España                              http://www.metodo-ayt.com/

                Tempo Training & Consulting
                Ivo Ptacnik                         Tel.: +420 272 937187
                Kormakova 10                        Fax: +420 272 937262
                148 00 Prague 11                    euoffice@tempo.cz
                Czech Republik                      http://www.tempo.cz/

                Kek Kronos
                Kiriakos Dimitriou                  Tel.: +30 228 0 29035-6
                Aggeli Goviou & Omirou - Psahna     Fax: +30 228 0 29035-6
                Evia 34400                          kekronos@otenet.gr
                Greece
                Ergofit Consultancy and Training
                Ltd.                                Tel.: +36 1 235 0141
                Csilla Pataki                       Fax: +36 1 235 0142
                Rákóczi út 26                       pataki@ergofit.hu
                1072 Budapest                       http://www.ergofit.hu/
                Hungary
                Inova Consultancy
                Marina Larios                       Tel.: +44 1142207127
                45A Crescent Road                   mlarios@inovaconsult.com
                Sheffield S7 1HH                    http://www.inovaconsult.com
                United Kingdom

                B&S Europe
                                                    Tel.: +32 22305212
                Tessa Brijs
                                                    Fax: +32 22309193
                Rue de La Loi, 81
                                                    tbs@bseurope.com
                A1040 Brussels
                                                    http://www.bseurope.com/
                Belgium



                DeltaConsultores
                                                    Tel.: +351 21 8850051
                Jose Lencastre
                                                    Fax: +351 21 8850246
                Rua da Bempostinha no 25 CV
                                                    projectos@dlt.pt
                1150-065 Lisboa
                                                    http://www.dlt.pt
                Portugal




                                      O projecto FOMETEX é financiado pelo programa Leonardo da Vinci.

Fometex website http://www.fometex.com Clique aqui
  _________________________



 CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                                                                         50 de 51
Autor: Pedro Silva Marques
Ficheiro: Caracterização do Sector Textil em Portugal(5).doc
Impresso em: 13-09-2005




CaracterizaçãoSectorTextilPortugal
                                                               51 de 51

								
To top