Docstoc

EXPLICA__O SOBRE FUNCIONAMENTO DE UM MOTOR ELéTRICO

Document Sample
EXPLICA__O SOBRE FUNCIONAMENTO DE UM MOTOR ELéTRICO Powered By Docstoc
					EXPLICAÇÃO SOBRE FUNCIONAMENTO DE UM MOTOR ELÉTRICO
Tendo-se uma espira, percorrida por uma corrente elétrica (I) no meio de um imã, como mostra a figura

O mesmo reciocínio vale para o trecho EF. No trecho CD, a corrente e o campo estão no mesmo sentido, formando ângulo  de 0º. Neste caso, a força também será nula pois sen0º= 0. No trecho BC, se aplicarmos a regra da mão esquerda, concluímos que existe uma força para dentro e , no trecho DE, concluímos que existe uma força para fora.

N

S

I
O imã produzirá um campo magnético (B) indo do seu polo Norte para o polo Sul. Desta forma, teremos corrente elétrica (I) e campo magnético (B) na espira,

N

S

B

Olhando de cima:

N

S
N
B

F

S

I

Se essa espira tiver pendurada no teto, por exemplo:

Como consequência, teremos a força Magnética (F),cujo sentido será dado pela "regra da mão esquerda". Analisemos o sentido da força magnética nos trechos AB, BC, CD, DE e EF. No trecho AB, a corrente e o campo magnético estão opostos, formando ângulo  de 180°. Neste caso, a força magnética será nula (ou zero) pois sen180º= 0 e aplicando na fórmula da força (F=B.i.sen), teremos F=0.

N

S

1

Essa espira gira no sentido horário, como segue, passo à passo: F F

N
S

S

N
F 1º passo

S

N
F

I
2º passo

F

Olhando de cima, concluímos que essas duas forças não conseguem movimentar a espira pois para ela se movimentar seria obrigatório uma força no sentido horizontal.

N
F 3º passo

S
Sentido necessário da força para continuar girando

A espira gira até o 3º passo, ficando perpendicularmente ao plano formado pelo papel. Continuando a análise, considerando a corrente e o campo magnético no mesmo sentido anterior. Como consequência, teremos a força Magnética (F),cujo sentido será dado pela "regra da mão esquerda". Analisemos o sentido da força magnética nos trechos AB, BC, CD, DE e EF. No trecho AB, a corrente e o campo magnético estão perpendiculares, resultando numa força para baixo,. O mesmo acontece no trecho EF. No trecho CD, ao aplicarmos a regra da mão esquerda concluímos que a força estará para cima. Como a espira está presa no teto, esas forças não conseguirão movimentá-la verticalmente, não exercendo influência alguma sobre a espira. No trecho BC, se aplicarmos a regra da mão esquerda, concluímos que existe uma força para dentro do plano e , no trecho DE, concluímos que existe uma força para fora do plano

N

S

Portanto, concluímos que a ESPIRA GIRA 1/4 DE VOLTA E PARA. Para que a espira continue girando, necessitamos colocar mais uma espira perpendicula à essa, percorrida pela mesma corrente, como mostramos abaixo: Essas espiras estão presas juntas, equando uma girar, a outra gira junto.

N

S

2

Desta forma, SEMPRE teremos uma espira na situação analisada inicialmente, com força capaz de fazê-la girar. Como o conjunto está preso, quando uma espira gira, ela leva consigo a outra espira. Olhemos de cima para vermos o que acontece: Inicialmente, a espira 1 (na horizontal) está com força capaz de girá-la e a espira 2 (na vertical) não possui força para girá-la.

A espira 2 irá parar quando ela ficar na vertrical (perpendicularmente ao plano) pois suas forças não serão capazes de fazê-la girar.

N

S

N

S
Observe que retornamos à situação inicial da análise e, o processo continuará se repetindo conttinuamente, fazendo essa espira ficar girando. O processo será interrompido quando deixarmos de aplicar corrente elétrica na espira. Quanto mais espiras possuir o motor, mais irá girar. Na prática, o conjunto de espiras chama-se rotor (parte móvel), composta pelo conjuto de espiras (ou bobinas) e a parte do imã é fixa, denominada de estator. A corrente elétrica chega às espiras através do contato entre as escovas e o coletor.

Então a espira 1 começa a girar, levando consigo a espira 2, no sentido horário

N

S

A espira 1 irá parar quando ela ficar na vertrical (perpendicularmente ao plano) pois suas forças não serão capazes de fazê-la girar. Mas, nesse instante, a espira 2 está na horizontal e resulta forças capazes de fazê-la girar.

N

S

Então a espira 2 começa a girar, levando consigo a espira 1, no sentido horário

A escova fica em contato com o coletor e permite que a corrente elétrica passe para a espira, mesmo girando.

N

S

3


				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Stats:
views:61
posted:1/17/2010
language:English
pages:3