venus COMPANY by telesatelliteportuge

VIEWS: 35 PAGES: 4

									COMPANY REPORT

Fabricante de Antenas parabólicas PT Subur Semesta, Indonésia

Jakarta’s Venus Star
A empresa PT Subur Semesta foi fundada em 1978 em Jacarta, em Java, uma das 17000 ilhas que compõem a Indonésia. 60% dos 220 milhões de habitantes podem ser encontrados em Java, dos quais 15 milhões vivem na capital, Jacarta - poderá até mesmo ser mais alguns milhões. Aqui para se ter uma firma que se destaque das outras, é preciso ter ideias inovadoras, e é por esse motivo que a PT Subur Semesta utiliza a Vénus Star como sua marca registada. A ambiguidade para com o Deus de Amor Vénus, só o poderá alegrias. Um dos fundadores da companhia, Liong Dez Fook, escolheu este nome - uma ideia genial!

Mas Liong Dez Fook não era o único fundador, o seu parceiro foi, e ainda é o Thiang Tiong An. "Nós inicialmente começamos com uma fábrica de acessórios para telefones. Mais tarde, adicionamos as luzes de emergência, ou seja, luzes com baterias incorporadas, que são utilizadas em toda parte, sempre que há uma falta de luz ", lembra Liong Dez Fook. PT Subur Semesta entrou na arena do satélite em 1989, quando começou a oferecer receptores de satélite analógicos. No ano 2000 o primeiro receptor digital surgiu, e em 2002 tudo se virou para a produção de um produto ambicioso, a produção de antenas parabólicas começou. Entretanto, a empresa expandiu sua gestão: Tjia Tek Ijoe subiu a bordo como um parceiro. Hoje PT Subur Semesta é dirigida por estes três parceiros. Uma grande quantidade de dinheiro foi investido em 2004, explica Tjia Tek Ijoe: "Nós adquirimos uma máquina de pressionar para que nós mesmos pudéssemos fabricar o prato em grandes quantidades." O grande investimento na empresa ocorreu novamente um ano mais tarde: "Nós compramos um sistema de Spray de pó, para pinturas de tintas em segmentos ". Mas isso ainda não foi suficiente. Tjia Tek Ijoe revelou-nos que há ainda um outro grande investimento: "Investimos mais 600,000 Dólares Americanos para o fabrico de antenas em malha. Isto permite-nos produzir 20,000 pratos cada mês. "

Em Jacarta ocidental, não muito longe do aeroporto internacional, pode ser encontrada a empresa PT Subur Semesta, marca Vênus. Os escritórios estão na frente do edifício com as janelas, e em direção à parte posterior da fábrica são os edifícios da casa de máquinas para fabricar as antenas parabolicas. A empresa emprega um total de 200 pessoas, das quais 60 estão envolvidas com a fabricação de pratos. Trabalham das 8 da manhã até às 5 da tarde, de segunda a sexta e aos sábados até às 2 da tarde.

Estes números são elevados; queríamos saber quantas antenas estão sendo fabricadas hoje: "De momento, a nossa capacidade de produção está em cerca de 15,000 antenas por mês, a maior parte dos quais são vendidos no mercado interno", explicou Thiang Tiong An, "Nossa empresa fornece cerca de 15% do mercado indonésio." Na sua produção total, 80% é distribuída ao mercado interno, o restante é exportado. Segundo a Thiang Tiong An ", 40% da nossa produção de antenas vai para a Tailândia e o Vietname, o restante vai para Brunei, com uma pequena percentagem que vai para a Austrália. "

Claro que queremos expandir nossas exportações", explica

PT Subur Semesta’s e os três sócios: da esquerda para a direita, Liong dez Fook, Director das Finanças, Tjia Tek Ijoe, Directora-Geral, e Thiang Tiong An, director técnico.

▲ ▲

56 TELE-satellite & Broadband — 04-05/2008 — www.TELE-satellite.com

Download this report in other languages from the Internet:
Arabic Indonesian Bulgarian Czech German English Spanish Farsi French Greek Croatian Italian Hungarian Mandarin Dutch Polish Portuguese Romanian Russian Swedish Turkish

TELE-satellite World
‫ﺍﻟﻌﺮﺑﻴﺔ‬
Indonesia Български Česky Deutsch English Español ‫ﻓﺎﺭﺳﻲ‬ Français Ελληνικά Hrvatski Italiano Magyar 中文 Nederlands Polski Português Românesc Русский Svenska Türkçe

www.TELE-satellite.com/...

www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/ara/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/bid/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/bul/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/ces/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/deu/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/eng/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/esp/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/far/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/fra/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/hel/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/hrv/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/ita/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/mag/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/man/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/ned/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/pol/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/por/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/rom/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/rus/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/sve/venus.pdf www.TELE-satellite.com/TELE-satellite-0805/tur/venus.pdf

Uma descoberta da Vênus: esta pequena ferramenta torna tudo mais fácil para alinhar o prato.

▲

Tjia Tek Ijoe, "Estamos fortemente investindo na qualidade." PT Subur Semesta Está trabalhando na obtenção do certificado ISO ". Estamos aguardando os resultados dos testes, em Abril de 2008 ", relata Tjia Tek Ijoe orgulhosamente," Nós candidatámos para termos a norma ISO 9001 e 14001. "Isto significa que a PT Subur Semesta também segue as mais rigorosas orientações ambientais. "Para ter sucesso

internacional, temos de ter qualidade em todos os sentidos", confirma Tjia Tek Ijoe, "Para o revestimento dos nossos pratos, usamos, por exemplo, tintas ambientais do Akzo Nobel, e mesmo o prato é feito de material Galvalume, um produto de qualidade do fabricante Bluescope na Austrália. O material é composto por 55% de alumínio e 45% Zinco que é especialmente resistente e durável ". O Gerente de Finanças Liong Dez Fook, orgulha-se do número de vendas da PT Subur Semesta. " Todos os anos há um aumento", comenta. "O ano anterior foi de 10%, menos que em 2008, enquanto esperamos um créscimo de mais 10%". 50% das suas vendas são atribuídas para os produtos TVRO, como os pratos e a instalação de receptores por satélite, bem como a venda dos produtos importados e LNBs. Depois, há também a venda de seus produtos "mercado interno" produtos 2em1 e 4em1: os Combi-feeds para a C-band LNBs com offsets de 5° com 2em1 e 5° -2,5° -5° com 4em1. Infelizmente, a PT Subur Semesta não pode esperar que tenha um maior acréscimo da empresa para com este produto, uma vez que é tão fácil de copiá-lo. Tjia Tak Ijoe deixou-nos ver sua linha de montagem: "40% dos nossos pratos são feitos de aço, 40% são galvanizados e 20% são feitos a partir de Galvalume, o melhor material para fazer antenas parabólicas". A Venus Star de Jacarta, está no bom caminho para se estabelecer na liga internacional, e que pode muito bem sair no topo de mercados internacionais com uma boa quota de mercado, com a sua qualidade de pratos, que acontecerá por ser "Made in Indonésia"!

PT Subur Semesta organiza seminários oito vezes por ano para instaladores. Distribuidores enviam os seus técnicos para saber como as pessoas podem rapidamente e com eficiência montar um conjunto de 1,8 metros de antena com dupla alimentação LNB. Para tornar estes seminários ainda mais atraentes, são fixados limites de tempo e os vencedores são anunciados. Comida e bebida também está disponível e pode ser visto pelo alojamento na barraca ao fundo. Um grande altifalante serve de apoio para manter os jovens instaladores bom dispostos com música. Cada seminário lida com 60 instaladores, onde são ensinados a instalar uma antena, e de tal forma a que consigam com sucesso a instalação de uma antena de dualfeed, que pode receber PALAPA C2 nos 113º este e TELKOM em 108° este.

▲

▲

▲

Os instaladores têm uma grande preocupação em permanecer dentro dos prazos predefinidos. São 45 minutos para efectuar com sucesso a uma recepção de satélite, usando uma dupla alimentação LNB e 75 minutos para efectuar com sucesso a criação de um sistema motorizado. Como Jacarta está localizada tão perto do equador, Proteger o ambiente na PT Subur Semesta: Tjia Tek Ijoe mostra-nos o tratamento de águas residuais, a empresa investiu no sistema a fim de que estejam em conformidade com a norma ISO normas

www.TELE-satellite.com — 04-05/2008 — TELE-satellite & Broadband

57

1

Como é construída uma antena parabólica
1: O rolo de material sólido para os pratos pode ver à esquerda. PT Subur Semesta oferece três matériais diferentes: aço, aço galvanizado e Galvalume, uma variação de alumínio melhorado. A espessura do material é 0,60 mm e um único rolo pesa oito toneladas. O rolo é carregado em uma máquina de prensa no fundo, que alimenta uma máquina de corte. 2: Os segmentos são cortados fora do rolo. Seis segmentos para se fazer um prato. Um rolo leva cerca de um dia útil de trabalho, para ser totalmente cortado em segmentos. 3: O Sr. Santoso é o gerente de Recursos Humanos e mostra-nos o plano de trabalho: quantas toneladas de material foram processadas. 4: Os segmentos cortados são pressionados de forma parabólica, através da máquina. 500 toneladas de pressão são usadas para moldar os segmentos. Esta máquina é utilizada para a 1,8 metros de prato de segmentos. Uma segunda prensa é utilizada para a 1,5 e 1,65 metros de segmentos. 5: Na próxima etapa a montagem de buracos, que são perfuradas e os bordos cortados são removidos. 6: Em cada 12 segundos, os segmentos são empilhados em cima uns dos outros.

2

6

3

7

11

4

8

12

9

13

5

10

1

7: Os segmentos preparados chegam para a pintura spray. Um transportador cinto que é usado para transportar quatro segmentos de uma só vez através da máquina. A precaução é tomada para certificar-se de que nenhum dano nos segmentos acabem no transportador cinto; são removidas manualmente. O transportador cinto gere um total de 300 metros e um segmento demora cerca de uma hora para chegar ao outro local. 8: Pistolas automáticas a transferirem a tinta para os segmentos. 9: O empregado trata manualmente dos salpicos. 10: Os segmentos pintados a spray são colocados numa sala de secagem, depois de terem passado por um controle de qualidade. 11: Um funcionário usa um micrómetro para verificar a espessura da pintura que deve ter entre 55 e 60 μm. 12: Os segmentos concluídos. A PT Subur Semesta também produz pratos OEM. Liong Dez Fook mostra-nos aqui três amostras: O prato Diamond vai para os clientes na Tailândia, Unisat fraca potencia no PALAPA C2. O primeiro canal vai para o Vietnam e BN sat para Brunei. privado de TV na Indonésia que é muito popular, mas agora todos tinham que comprar pratos de 13: Isto é o aspecto de um prato com o nome 1,8 metros". O estranho era que RCTI e o opede Vênus: Tjia Tek Ijoe mostra-nos um modelo rador por satélite PALAPA pertenciam à mesma da série Galvalume. No mercado interno, os empresa. Em vez de atribuir o canal de TV da pratos de 1,8 metros são o seu bestseller que sua própria empresa para o melhor transponcorresponde a 90% das vendas. Quanto ao der, como seria de esperar, teve que ficar com o sector da exportação, modelos de 1,5 e 1,65 transponder que tinha sinal mais fraco. Porquê? metros também são oferecidos e corresponde O transponder mais forte poderia ser vendido por a 10%, 80% das exportações consistem no um preço muito melhor. Esta lógica deu para a modelo de 1,8 metros. Não foi sempre assim, PT Subur Semesta uma boa quantidade de negóexplica Tjia Tek Ijoe, "Em 2007, o canal TV RCTI cios com os seus pratos de grande dimensão. mudou sua transmissão para um transponder de 14: Os segmentos concluídos são embalados: seis segmentos para 14 Se ter uma antena completa e são embalados em conjunto com a montagem em anel. 15: A montagem em anel também é produto caseiro é feita a partir de uma barra comprida de 5,4 metros com 20x20mm dos lados. 16: Os anéis de montagem são soldados em conjunto. 17: O pacote completo conte seis segmentos de pratos, que estão prontos para serem enviados para o mundo.
15 17 2

Receptor desmontado na PT Subur Semesta
3

4

1: A partir de peças entregues por um fabricante chinês, a empresa PT Subur Semesta, monta receptores de satélite com o seu próprio nome Venus. Os chassis para os receptores são produzidos localmente. As fontes de alimentação podem ver à esquerda, com as main boards à direita. 2: Uma das estações de testes: cada receptor é verificado nas suas componentes e as suas propriedades eléctricas. 3: Um olhar dentro de um dos receptores Vénus montados.

16

4: Jhonny Yang é o responsável pelo software do receptor Venus. Aqui ele está em pé em frente da Burn-in station. Cada receptor passa por um período de quatro horas no teste Burnin, para identificar eventuais deficiências antes do receptor ser entregue ao cliente.


								
To top