Docstoc

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FA

Document Sample
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FA Powered By Docstoc
					UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
FACULDADE DE EDUCAÇÃO
CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO

JOCINÉIA PEREIRA NASCIMENTO SANTOS

PESQUISA DIDÁTICA SOBRE AS TIC NO COTIDIANO DOS LICENCIANDOS EM EDUCAÇÃO DO CAMPO

SALVADOR 2009

JOCINÉIA PEREIRA NASCIMENTO SANTOS

PESQUISA DIDÁTICA SOBRE AS TIC NO COTIDIANO DOS LICENCIANDOS EM EDUCAÇÃO DO CAMPO

Relatório da análise de como as tecnologias de informação e comunicação faz parte do cotidiano dos alunos do Curso de Licenciatura em Educação do Campo, apresentado ao Grupo de Pesquisa em Educação, Comunicação e Tecnologia, Faculdade em Educação, Universidade Federal da Bahia, como requisito parcial da pesquisa. Orientadores: Prof.ª Maria Helena Bonilla

SALVADOR 2009

PESQUISA DIDÁTICA SOBRE O ACESSO DO SUJEITO PARA COM AS TIC
CONTEXTO COMTEMPORÂNEO DIGITAL Atualmente estamos vivendo num mundo de transformação, ou seja, na era digital. Aos poucos o rádio e a televisão estão perdendo o espaço em vários lares, e quem vem familiarizando-se muito bem com as novas tecnologias digitais são os jovens, os quais procuram interatividade e velocidade nos serviços oferecidos pelas mesmas. Segundo (TAPSCOTT,1999,p.3) “a interatividade é a base da Geração net, porque eles querem ser usuários e não apenas espectadores ou ouvintes, pois, as crianças desta geração são autores no mundo digital”. A Sociedade do Conhecimento está interligada, e desta forma as informações circulam muito rápido. Isso é possível através da rede (internet), a qual nos propicia além de um novo modo de vida, meio de compreensão do saber. Como diz ainda (Tapscott,1999,p 5) “as crianças e jovens usam a mídia digital para comunicar-se, aprender a ler e escrever, a solucionar problemas, e se divertir tendo um ótimo desempenho intelectual” .Portanto é comprovado que as crianças que têm mais acesso a essas tecnologias tem um conhecimento maior em relação as que não fazem uso. Sabemos que um número grande da população brasileira ainda não possui um computador em suas casas, mas as lanhouses colaboram para que a inclusão digital permita que comunidades conctem-se entre si e com o mundo pela internet. “O ciberespaço corresponde a um desejo de comunicação recíproca e de inteligência coletiva, visando um tipo de relação e ligação particular entre as

pessoas” (LEVY, 1999, p.124). Portanto ao tratarmos de inclusão digital, devemos estar munidos de conhecimentos para podermos manusear as diversas novas tecnologias. Para ampliar a inserção, muitos países adotam projetos, ou seja, Os Programas Sociedades da Informação BONILLA (2002). A autora BONILLA (2002), ao referir-se em a preparação oferecida aos professores sobre a inclusão digital, revela que esses ainda têm certa resistência em usar essas tecnologias em sua prática pedagógica, tanta pela dificuldade em manuseio, quanto pela sua acomodação e preparação profissional a qual (tradicional do giz e da saliva), pois sabem que os alunos têm um maior controle nesse assunto. Para que essa perspectiva pedagógica tenha êxito, necessita de uma intencionalidade, é preciso que o educador faça uma reflexão sobre sua prática e decida inserir-se nessa Sociedade da Informação, planejando-se para que possa aplicar o conhecimento de acordo com sua capacidade, porque muitas das vezes já vem um pacote pronto, o qual não foi o professor quem elaborou, onde ele faz de conta que ensina e o estudante finge que aprende. De acordo com a realidade atual da população sobre a não inserção digital, e a ausência de posse de novas tecnologias, esperamos que órgãos governamentais transformem essa triste realidade, pois se estamos na sociedade da informação é preciso que todos tenham meios para se comunicar. Ao começar pela minha realidade. Vamos lá? ASPECTO 1: O SUJEITO

Eu Jocinéia Pereira Nascimento Santos, moro no campo da cidade de São Félix, numa localidade denominada Monte Alegre, na qual residem 73 moradores, onde todos possuem energia elétrica em suas residências. Na minha casa vive comigo meu esposo e meu filho de cinco anos de idade. Não temos água encanada, mas temos uma cisterna da qual retiramos a água com uma bomba d´água. Se caso a bomba danificar, fazemos a retirada da água com o auxílio de uma manivela. Vale ressaltar que entre dezembro de 2008 ao mês de março deste ano de 2009, tivemos um momento de seca, tendo que solicitar do prefeito Sr. Alex Sandro

Alelúia de Brito e do vice-prefeito Ademir de Assis Fiúza Bispo, a autorização do carro-pipa para nos fornecer água.. Em relação ao esgoto, não temos. Não

possuo automóvel, mas quando preciso resolver algumas coisas no centro da cidade como: compras, acesso a internet, etc, faço uso do ônibus que circula por conta da prefeitura, de segunda a sexta-feira, saindo Às seis horas e trinta minutos da manhã. E em dois dias tem dois horários para retorno: o primeiro são ás onze horas e trinta minutos e, o segundo, fica a cargo dos passageiros que precisarem ir ao hospital da cidade e passar por consulta médica ou fazer exame, (ser atendido e liberado), sendo que o horário oscila entre às dezessete e

dezenove horas.Outra opção é em cima de caminhão, cujo destino é Cruz das Almas, e os dias são : segunda, quarta, sexta-feira e sábado. Quando não há no dia, nenhum desses meios, pego carona com algum vereador ou conhecido e caso contrário, combino com o primo de meu esposo para fazer o percurso necessário, que geralmente fica em torno de R$ 15,00. Não tenho telefone fixo, mas tenho um aparelho celular cuja operadora OI, que oferece bom sinal. Utilizoo mais para: fazer ligações, lista telefônica, despertador, enviar mensagens,

jogo quando tenho tempo. Máquina de escrever também não tenho, porém já fiz contato com as que têm no Colégio Municipal Duque de Caxias- C.M.D.C , o qual fica situado em Outeiro Redondo, na zona rural de São Félix. Neste trecho, quero compartilhar com vocês o momento de felicidade que passei no dia vinte e quatro de dezembro de 2008, quando ganhei de Jorge Pereira e Viviã Cardoso, (meu irmão e sua esposa), dois grandes presentes; sendo um pen drive de 1GB e um computador, que já está ajudando muito a

familiarizar-me com essas novas tecnologias. Ressalto que em 2003, cheguei a ter aulas de informática a qual eram ministradas no centro da cidade, porém, precisei interrompê-las, pois estava no oitavo mês de gestação. Com o passar do tempo trabalhando na secretaria do C.M.D.C, sempre que necessitavam da minha ajuda, fazia digitação de lista com os nomes dos alunos e passava as notas para o mapa de aproveitamento. E não esquecendo recentemente das aulas de informática, que a professora Bonilla e sua equipe nos proporcionaram com grandes informações, as quais estão contribuindo para eu mesma digitar meus

trabalhos utilizando as normas da ABNT; consigo abrir e lê os e-mails indo até a Lan House que fica no centro, porque na zona rural não tem internet, nem previsão para aquisição da mesma. Tenho um rádio-radiola ST820 AM/FM stereo disc player, o qual usava os discos de vinil (conhecidos por bolachões). como a radiola é antiga, não tem a tecnologia para o uso do CD, um aparelho DVD e uma televisão de 14 polegadas, . Não tenho máquina fotográfica e filmadora .Tenho uma geladeira . Os aparelhos abordados neste relatório são de fundamental importância para o meu cotidiano, e espero adquirir outras tecnologias. É válido lembrar, que quando não temos posse e nem sabemos manusear algum desses aparelhos, ficamos á margem, e muitas vezes, somos considerados analfabetos.

ASPECTO 2: A escola
Na localidade de Outeiro Redondo, em que está situado o Colégio Municipal Duque de Caxias, possui energia elétrica, mas infelizmente está sempre ocorrendo oscilações na rede. A água é encanada, mas não é ofertada pela Embasa. A água retirada com auxílio de uma bomba d água de um poço da instituição, onde ela é

artesiano que fica aproximadamente a dois km

armazenada num tanque para vários fins. Vale ressaltar que a água que os alunos ingerem, é da fonte de um morador do local, conhecido por Sr. José Conceição (Zeca), tendo em vista que a água que vem do poço é muito salobra. Não há esgoto, e sim fossas improvisadas para atender os sanitários do estabelecimento. O colégio não tem telefone fixo, mas na praça em que está localizado, há um telefone público. Porém está sempre precisando de manutenção. Em relação aos recursos tecnológicos citados abaixo, a instituição possui: três (3) TVs, sendo de 14, 20 e 29 polegadas ; um videocassete ; aparelhos DVD são três (3); um (1) rádio e três (3) MICRO SYSTENS. Estes aparelhos são usados pelos professores (uns com mais freqüência e outros pouco usam), para exibição de vídeos, filmes e músicas. Às vezes os alunos os utilizam em apresentações, como: Dia das Mães, Festa Junina etc. Ainda temos um (1) retroprojetor, o qual está com a lâmpada queimada, e um (1) microscópio, sendo que estes não são usados

freqüentemente. Mimeógrafo são dois (2) e uma fotocopiadora que são manuseados pelo corpo administrativo do colégio. Uma (1) máquina fotográfica e uma filmadora, e três (3) computadores completos, sendo dois para os trabalhos da secretaria do colégio e um para a casa dos educadores, que são utilizados por alguns professores, o secretário, diretora e agentes administrativos. A escola não disponibiliza de uma biblioteca, mas tem um pequeno espaço com uma vasta variedade de livros, onde a atual diretora Vilma Sena, desde de 2007 vem sempre procurando torná-lo atraente, com o propósito de incentivar os educandos a prática da leitura. A escola não tem auditório e as atividades como projetos, reuniões de pais e mestres, dentre outras, são realizadas na igreja de Nossa Senhora do Desterro, ou então no múltiplo uso, um espaço construído para a disposição da comunidade .Pois, é importante enfatizar que esse espaço só fica disponível para a unidade de ensino, quando a equipe do posto de saúde não está realizando tarefas no mesmo. Tratando-se do espaço dos professores , vale ressaltar que a prefeitura alugou uma casa, a qual está dividida em: duas salas, dois quartos, um banheiro e uma cozinha; e possui uma TV, um microondas, uma geladeira, um fogão, um sofá, mesa grande, bancos e cadeiras, dois armários (um de madeira para adicionar livros e um de inox para cozinha), um raque e um computador como já havia citado anteriormente, sendo esta para alojá-los nos momentos precisos. As aulas de informática, que são ministradas pelo instrutor Edson Maciel Araújo para os alunos do colégio, fazem parte do Projeto Saúde e Cidadania, elaborado pela Associação de Moradores do Bairro Salva Vidas (bairro que se encontra na periferia da cidade). O curso tem como objetivo, incluir digitalmente garantindo o acesso as tecnologias de informações e comunicação aos diversos segmentos sociais, melhorando assim a qualidade de vida. Ao decorrer do ano, espera-se atender a 108 alunos , pois para isso faz- se necessário organizar três turmas com 36 discentes para cada, sendo 18 no turno matutino e 18 no vespertino . As aulas para a primeira turma, tiveram início no dia 10 de março e finalizou em 09 de julho de 2009. A segunda turma iniciou no dia 14 de julho de 09 com previsão de término das aulas para o mês de outubro para a partir daí definir a

data do começo da terceira turma

. É importante esclarecer, que os alunos

freqüentam o curso em turno oposto ao qual ele estuda. No planejamento elaborado pelo instrutor, os alunos trabalharão com os seguintes programas: Microsoft Word e Excel . Vale ressaltar que na zona rural ainda não temos internet.As aulas são realizadas em Outeiro Redondo, no espaço múltiplo uso , contendo seis máquinas em uso. Como só há seis máquinas, cada turno é planejado para atender em três horários sendo 6 alunos por horário. O Colégio Municipal Duque de Caxias, vem crescendo a cada ano que passa, mas sabemos que ainda há algumas carências para serem supridas como: um número maior de computador, acesso a internet, um auditório , laboratórios, uma biblioteca, data shwoo e outras novas tecnologias que garantam aos seus estudantes e professores momentos de prazer,lazer, ensino e aprendizagem.

ASPECTO 3:O MUNICIPIO

Dando continuidade a pesquisa de tecnologias de informação e comunicação, observamos que o município de São Félix, Bahia, possui três escolas com laboratório de informática, sendo 2 (dois) na cidade, com acesso a internet funcionando nas seguintes escolas:Escola Balão Mágico e no Colégio Estadual Rômulo Galvão, e o outro no campo, funcionando no multiplouso contendo seis máquinas, o qual atende os alunos do Colégio Municipal Duque de Caxias,portanto neste não tem internet. Para conexão a internet, o município tem

apoio de duas empresas, uma é a WAVANET, e a outra a RECONET. Tratandose de centro de acesso a internet público ou privado, o município tem seis, sendo um Centro Digital de Informática (C.D.C) o conhecido por Info-centro o qual fica localizado na sede. Neste espaço encontra-se 11 computadores conectados a internet, de acesso público, onde as opções acessadas com mais freqüências são: e-mails, pesquisas escolares e acadêmicas, curso on-line e consultas em geral. Para tornar-se usuário deste espaço, é necessário que o sujeito cadastre no próprio CDC, apresentando alguns documentos como RG, CPF e comprovante de residência. Os funcionários atendem em média 50 pessoas por dia, iniciando às 8:00 horas e encerrando às 20:00h interruptas. Neste espaço São também realizados vários tipos de cursos como:oficinas de inclusão digital e serviço de internet geral. É bom ressaltar que os cursos e as oficinas, são oferecidas para as pessoas das comunidades carentes, como forma de melhorar suas condições de vida e garantir mais oportunidade no mercado de trabalho. E existem cinco lan houses, e dentre estas, há 29 máquinas disponibilizadas. Em cada unidade freqüentam em média 15 a 30 usuários por dia onde, dentre os serviços mais acessados são: e-mail, Orkut, MSN, globo esporte, jogos e pesquisa escolar. O usuário paga R$1,00 por hora. Tem espaço, que trabalha oferecendo os minutos como: 20ou 30 min. A internet nesse espaço, funciona via-rádio, e quatro dos proprietários afirmam que é lenta não oferecendo um bom trabalho. Ressaltaram também que tem dia que os usuários deslocam-se para a cidade vizinha (Cachoeira), pois neta, possui o serviço VELOX (Banda larga).Diante da informatização da sociedade e das exigências do mercado de trabalho, percebemos a necessidade de disponibilizar a internet para que a comunidade tenha acesso diariamente às Tecnologias de Informação e Comunicação. Há uma sala de jogos eletrônicos, situada à rua Paulino Gil, em frente a Câmara Municipal, cujo proprietário é Sr. Aleylson Borba Aguiar. Neste espaço há sete máquinas, onde freqüentam por dia entre cinco a quinze pessoas. O controle efeito a partir do uso por minutos, pois, a hora custa R$ 0,80 centavos. Temos dois auditórios situados na sede da cidade, onde nestes são realizados diversas atividades como: jornada pedagógicas, palestras, elaboração de

planejamento, festas juninas, encerramento do ano letivo (confraternização).Um dos auditórios, fica no Colégio Estadual Rômulo Galvão, e o outro na escola pública Balão Mágico, que é adaptado também como sala de vídeo conferência onde são ministradas aulas para os alunos da Licenciatura em Música da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Este estabelecimento pertence ao municipio. Na cidade tem uma biblioteca pública situada no centro próxima a

prefeitura. Funciona nos três turnos, tendo início para atendimento às 8:00h encerrando às 20:00h. Nesta trabalham sete pessoas, as quais são: Srª. Josenita Conceição, Srª. Maura da Silva, Srª. Rosilda Veloso, Srª. Simone Moitinho, Sr.Adriano Novaes,Srª. Georgina Cardoso e Srª. Angélica Magalhgães. Ao conversamos com a Srª. Angélica ficamos sabendo que eles atendem 80 (oitenta) pessoas por dia, cujo atendimento é registrado em um livro de ponto. A visita freqüente dos indivíduos neste estabelecimento é para a realização de pesquisas escolares. E quando precisam levar o livro emprestado para casa dar-se um prazo de oito dias, mas é necessário cadastrar-se apresentando os seguintes documentos: RG, CPF, comprovante de residência, além da exigência de ter maior idade. É preciso enfatizar que no acervo há em torno de 5.275 livros. Quanto a telefonia móvel, temos cobertura para todas as operadoras existentes no mercado. No município também tem um museu denominado Hansen Bahia, que recebe excursão de várias escolas não só as de São Félix, mas de outras cidades. Vídeolocadora, a única que temos está para fechar, pois, a proprietária Srª. Marlene Lefundes explicou que com a venda dos vídeos piratas, seu estabelecimento acabou falindo, portanto, se não entra recursos, não pode investir nacompras de vídeos caros e originais. E os vídeos que ainda restam na loja, são originais, mas antigos e, para não ficarem estocados estão sendo vendidos por até R$3,00 cada. A cidade de São Félix já teve cinema e jornal local, mas infelizmente não existe mais. Temos uma gráfica que atende também os municípios circunvizinhos. Sobre emissoras de rádio, podemos informar que existe na cidade uma rádio comunitária denominada RN Publicidade, fundada em 1992, situada na rua Silva Bingle, funcionando de segunda a sexta-feira. A rádio teve início pelo o locutor sr.

Reginaldo Nascimento, o qual a organizou para oferecer a comunidade momento de entretenimento. A rádio comunitária chega até a população por meio de 10 caixas de som as quais estão localizadas no centro da cidade. E, através desta são exibidas: propagandas de casas comerciais; comunicados de órgãos públicos; festas; mensagens; músicas dentre outros. Tratando-se de assistência estudantil, queremos abordar que o município vem oferecendo aos alunos um reforço escolar que é o principal objetivo do Projeto RE (INTEGRAR) Experimentando a Educação em Tempo Integral. Este projeto visa ampliar as possibilidades de aprendizagem dos alunos, dando-lhes oportunidades de reforçar, aprofundar ou suprir carências de conteúdos referentes as aulas de Língua Portuguesa e Matemática. Uma outra assistência é a disponibilidade de transporte para nós que estamos em cursos de nível superior.

ASPECTO 4: OS ALUNOS Para a elaboração das informações do aspecto 4, reunimo-nos eu Jocinéia Pereira, Eliane de Jesus, Simara Conceição e Lucidalva Conceição as quais através de uma tabela contendo os itens sugeridos pela professora Bonilla e sua equipe, conseguimos colher dados de 401alunos. Os estudantes entrevistados são do Colégio Municipal Duque de Caxias, situado na zona rural e os resultados são inadmissíveis. Antes de expormos os dados, gostaríamos de abordar que um bom número de alunos ficou curioso pelo motivo da pesquisa. Imediatamente explicamos para eles que além de ser um trabalho acadêmico, seria de suma importância esse levantamento para perceberemos o quanto a desigualdade está em nosso país, e em especial na zona rural. E que o Curso de Licenciatura em Educação do Campo no qual estamos inseridas, tem o propósito de nos orientar para que valorizemos o povo do campo, de forma com que vocês sintam prazer em morar na zona rural e acreditem que nesta também podem ter uma vida digna, mais confortável e serem felizes. Portanto essas informações são úteis para termos o conhecimento e lutarmos por direitos negados. Na entrevista analisamos que de 401 alunos só apenas Tem:

CARRO:146 MOTO:200 BICICLETA:220 TELEFONE FIXO:25 CELELAR:289 COMPUTADOR:83 (3) possuem e os demais acessam. PEN DRIVE: 10 ACESSO A INTERNET: 80 acessam nas lanhouses VIDEOGAME: 89 TV: 383 RÁDIO: 356 MP3, MP4,WALKMAN: 58 MÁQUINA FOFOGRÁFICA: 71 FILMADORA: 28 OUTROS COMO DVD: 128

De acordo com todos os dados pesquisados e informados, perceberemos que ainda falta muito para nosso município sentir-se totalmente inserido na sociedade do Conhecimento .Pois sabemos que é um direito nosso, mas para adquirimos precisamos do apoio de pessoas verdadeiramente comprometidas com o desenvolvimento da sociedade.

REFERNCIAS

EDC287- Educação e Tecnologias Contemporâneas Profª. Maria Helena Bonilla, Textos Básicos- Salvador, 2009

TAPSCOTT,Don. Geração Digital: crescente a irreversível ascensão da geração net. São Paulo:Makron Bokks, 1999.[cap. 1. O Eco mais sonoro, PP 1-13; cap. 3.

A Nova Geração está na Dianteira, pp.35-52] LEVY, Pierre Cibercultura . São Paulo: Ed.34, 1999.

BONILLA, Maria Helena, Inclusão digital e formação de professores. Revista de Educação,Lisboa. Vol,XI,nº 1,2002. p 43-50

ANEXO

CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DISCIPLINA: EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA CONTEMPORÂNEA PROFESSORA MARIA HELENA BONILA LICENCIANDA JOCINEIA PEREIRA NASCIMENTO SANTOS

PESQUISA DO ASPECTO 4

Caro (a) Aluno (a) gostaria de sua colaboração para nossa pesquisa. Portanto, queremos saber como é seu acesso para com os seguintes itens: Para respostas coloque S para Sim ou N caso não possua o acesso essas tecnologias.

Carro

Moto

Bicicleta

Telefone fixo

Celular

Computador

Pen drive

Acesso internet

Videogame

TV

Rádio

Mp3/mp4, walkman

Máquina fotográfica analógica/ digital

Filmadora

Outros/DVD


				
DOCUMENT INFO