A Divisão do Trabalho em Karl Marx e Adam

Document Sample
A Divisão do Trabalho em Karl Marx e Adam Powered By Docstoc
					                         A Divisão do Trabalho em Karl Marx e Adam Smith
                                           Ugo Urbano Rivetti
       Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo

1. Objetivos                                          No esquema elaborado por Smith a divisão do
                                                      trabalho surge vinculada à tendência humana à
O conceito de divisão do trabalho desempenha          integração social. Além disso, o processo pelo
um papel central no pensamento social tanto de        qual as tarefas são repartidas e atribuídas a
Marx como de Adam Smith, na medida em que             operadores diferentes são definidas em função
expressa as respectivas imagens de mundo              de aspectos técnicos, como a exigência de um
social de ambos os autores, revelando, desse          nível maior de eficiência, de maiores índices de
modo, o aspecto eminentemente sociológico do          produção, etc. Em Smith, portanto, a divisão do
esquema formulado por cada um deles. O                trabalho assume a forma de um fenômeno
presente trabalho procura analisar essas              social que acompanha o processo de integração
imagens,     enfatizando      suas     diferenças,    social, resultando de necessidades e exigências
semelhanças e, especialmente, como elas se            técnicas. Já em Marx, a divisão do trabalho é
relacionam quanto à ênfase que colocam seja           definida em função de aspectos eminentemente
no aspecto da manutenção da ordem social, no          sociais,    aspectos     ligados   ao    estágio
caso de Smith, ou no aspecto da mudança               manufatureiro da indústria e às relações sociais
social e do controle coercitivo, no caso de Marx.     implicadas por esse estágio social. Desse modo,
O objetivo central consiste, portanto, em             no esquema de Marx a divisão do trabalho é
examinar os principais aspectos sociológicos de       inserida em um momento histórico específico,
suas abordagens por meio do tratamento                estando associado a uma situação social
dedicado por cada um ao conceito de divisão do        particular.
trabalho.
                                                      4. Conclusões
2. Material e Métodos
                                                      A partir dos resultados verificados, é possível
Foram utilizados tanto textos dos próprios            concluir que Smith e Marx diferem de forma
autores       como         de     comentadores        decisiva quanto ao processo social que
contemporâneos. Com relação a Adam Smith,             enfatizam. De um lado Smith associa a divisão
foram estudados os três primeiros capítulos de        do trabalho a uma tendência humana à
A Riqueza das Nações (Cap.1 “A Divisão do             integração social. Marx, por outro lado, vincula o
Trabalho”, Cap. 2 “O Princípio que Dá Origem à        mesmo fenômeno social ao controle coercitivo
Divisão do Trabalho” e Cap. 3 “A Divisão do           exercido por uma classe sobre outra e no
Trabalho Limitada pela Extensão do Mercado”).         interior de um modo de produção característico,
Quanto à Marx, a pesquisa voltou-se para o            o capitalista, e dentro de um estágio particular, o
capítulo que trata especificamente da divisão do      manufatureiro.
trabalho (Cap. 12 “Divisão do Trabalho e
Manufatura”). Os textos de comentadores               5. Referências Bibliográficas
contemporâneos utilizados estão reunidos na
obra Crítica da Divisão do Trabalho organizada        [1] GORZ, André. Crítica da divisão do trabalho.
por André Gorz. Por fim, foram utilizados os          São Paulo: Martins Fontes, 2001.
capítulos referentes à Adam Smith e Marx do
trabalho de Claudio Napoleoni Smith, Ricardo,         [2] MARX, Karl. O Capital – Crítica da Economia
Marx, respectivamente os capítulos 3 (“Adam           Política. Livro Primeiro, vol. 1. São Paulo: Abril
Smith”) e 5 (“Trabalho abstrato, troca e capital      Cultural, 1983.
em Marx”). A leitura desses textos foi orientada
                                                      [3] NAPOLEONI, Claudio. Smith, Ricardo, Marx.
no sentido de ressaltar as questões
                                                      Rio de Janeiro: Edições Graal, 1985.
propriamente sociológicas e ligadas à temática
da divisão do trabalho, de modo a manter o            [4] SMITH, Adam. A riqueza das nações. São
enfoque original da pesquisa.                         Paulo: Nova Cultural, 1996.
3. Resultados

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Stats:
views:1695
posted:1/15/2010
language:English
pages:1