Fundado há 102 anos, na Baía de Todos os by klutzfu58

VIEWS: 39 PAGES: 6

									       Prejuízo
        nos
      portos    Infra-estrutura portuária
                ultrapassada prejudica a
                economia, especialmente
                o comércio exterior

         CLEBER BORGES




       F
              undado há 102 anos, na Baía de Todos os Santos, a partir
              de obras de aterro de 500 mil m2, o Porto de Salvador pas-
              sou por um processo de expansão na década de 1960, com
       a construção de um cais de ligação com 210 metros e dois cais
       paralelos ao quebra-mar, um com 210 metros e outro com 165 me-
       tros. Desde então, ali não ocorre qualquer investimento de vulto.
           Na década de 1990, foram adotados procedimentos mais
       modernos na área administrativa, insuficientes para transformar
       o Porto de Salvador em um terminal moderno, ágil e de baixos
       custos nos processos de exportação e importação. Bem mais novo
       (fundado há 33 anos), o Porto de Aratu, também localizado na
       Baía de Todos os Santos, apresenta problemas semelhantes devi-
       do à ausência de investimentos em modernização e ampliação,
       exceção feita ao píer 2, de granéis sólidos, construído há 20 anos.
           Quanto ao Porto de Ilhéus, desde a crise da lavoura cacauei-
       ra, ficou praticamente sem carga, uma vez que até combustíveis,
       por ali embarcados, agora são transportados por dutovias. Seus
       dois berços e os dois bons armazéns de que dispõe estão subutili-
       zados. Ele tem, no entanto, potencial para abrigar um terminal de
                                                                             HAROLDO ABRANTES




       celulose capaz de atender à demanda da produção localizada no
       extremo sul do estado.
           Como o porto é um espaço intermodal, ligado a outros ele-



16 BAHIA INDÚSTRIA
BAHIA   INDÚSTRIA 17
                                                                                HAROLDO ABRANTES




mentos da logística, e a ma-                                                                       tado, o Porto de Salvador fi-
lha rodoviária da Bahia pos-                                                                       cou isolado. A Via Expressa
sui idade de projeto superior                                                                      Portuária, obra prevista para
a 50 anos – como é o caso da                                                                       durar três anos, irá diminuir
BR-324, a BR-116 e a BA-093,                                                                       esse isolamento, mas é preci-
projetadas quando ainda não                                                                        so que, concomitantemente, a
existiam carretas como as atu-                                                                     BR-324, única via de acesso
ais, com até 30 metros de                                                                          aos portos de Salvador e Ara-
comprimento e 3,20 metros                                                                          tu, também degradada, seja
de largura, mas sim caminhões                                                                      revitalizada. No que diz respei-
de porte relativamente peque-                                                                      to ao Porto de Aratu, Reinaldo
no – o acesso aos portos baia-                                                                     Sampaio diz que o atual desa-
nos é precário e inseguro.                                                                         fio é o alargamento do Canal
     No caso do terminal de                                                                        de Cotegipe, para permitir o
Salvador, a gestão urbana da                                                                       trânsito de embarcações de
capital há muito tempo deixou                                                                      grande porte. “Falta também
de dialogar com o porto e vice-                                                                    em Aratu a estrutura física ope-
versa, o que criou um ambi-                                                                        racional que suporte uma ex-
ente de conflito de interesses.                                                                    pansão, pois há equipamen-
A cidade inviabiliza a acessi-                                                                     tos obsoletos e berços reduzi-
bilidade ao porto e este atra-                                                                     dos que impedem o acesso de
palha o tráfego urbano. Hoje,                                                                      navios de porte, limitam a ca-
o Porto de Salvador ficou con-                                                                     pacidade de carga e impõem
finado, com cais estreito, ar-                                                                     custos elevados de operação”,
mazens antigos e também es-                                                                        avalia o diretor da FIEB.
treitos, berços pequenos, insu-
ficiência de calado e ausência                                                                     PIOR PORTO – Essa infra-es-
de retroárea. Mas tudo isso é                                                                      trutura portuária ultrapassada
reversível, conforme pode ser                                  por exemplo, pela Polícia Fe-       prejudica a economia baiana,
                                  ”No Porto de                 deral, pela feira de Água de
visto no Plano Diretor Portuá-                                                                     especialmente o comércio ex-
rio, estudo em elaboração pelo    Salvador, é                  Meninos, pelo terminal ferry-       terior. Pesquisa divulgada em
Ministério dos Transportes, Fe-                                boat, pelo antigo prédio da         janeiro último pelo Centro de
deração das Indústrias do Es-
                                  possível avançar             Petrobras... esse conjunto de       Estudos em Logística – Coppe-
tado da Bahia (FIEB) e gover-     para o mar e                 áreas deveria ser redireciona-      ad, da Universidade Federal
no do Estado, que mapeia as                                    do para a atividade portuária.      do Rio de Janeiro, com 152
necessidades logísticas em ter-
                                  ampliar a                    A Polícia Federal, por exemplo,     executivos de empresas indus-
mos portuários e de modais de     retroárea; criar             não quer estar ali”, afirma o       triais exportadoras de diferen-
transportes.                                                   empresário Reinaldo Dantas          tes segmentos da economia e
     “Ele mostra que é possível
                                  uma integração do            Sampaio, diretor da Federação       mais sete dos principais arma-
avançar para o mar e ampliar      porto com a                  das Indústrias do Estado da         dores/agentes que atuam nos
a retroárea; criar uma integra-                                Bahia e coordenador do Con-         portos brasileiros, revelou que
ção do porto com a capital,       capital”                     selho de Comércio Exterior da       o Porto de Salvador foi consi-
pois no país é talvez o que tem                                entidade. Para ele, o modelo        derado deficiente por 65% dos
                                  Reinaldo Sampaio,
                                                  ,
pior estrutura de recepção tu-    coordenador do Conselho de   de ocupação da região portu-        entrevistados. Graças a isso,
rística; e também ampliar o       Comércio Exterior da FIEB    ária do Comércio e a configu-       teve a pior avaliação dentre os
porto comercial, inclusive re-                                 ração assumida pelo Porto de        18 maiores portos brasileiros in-
cuperando áreas que eram                                       Salvador, nos últimos anos, le-     cluídos na pesquisa. Por sua vez,
dele e foram perdidas por fal-                                 varam à degradação de ambos.        o Porto de Aratu teve boa avali-
ta de visão de longo prazo.                                        Hoje, sem acesso ferroviá-      ação, mas isso não significa que
Temos aqui áreas ocupadas,                                     rio e por meio rodoviário limi-     não possua problemas. O fato

 18 BAHIA INDÚSTRIA
                                                                                                                    WILSON BESNOSIK/AG. A TARDE




                                                                                                              NO PORTO DE ARATU,
                                                                                                                  PORTO     ARATU
                                                                                                       terminais de granéis sólidos
                                                                                                        e líquidos serão ampliados



é especialmente preocupante       levam a uma avaliação nega-            Devido à demora, alguns         Coppead-UFRJ mostra que o
porque a Bahia respondeu por      tiva dos portos baianos. No        navios evitam atracar em Sal-       Porto de Salvador perdeu car-
nada menos que 58% das ex-        Porto de Salvador, por exem-       vador ou em Aratu para não          gas. Em 2006, houve redução
portações do Nordeste em          plo, navios aguardam em mé-        comprometer as demais esca-         de 7% no volume embarcado,
2007, boa parte escoada por       dia 7,4 horas para atracar nos     las. Além disso, como o único       com leve recuperação no ano
portos de outros estados.         dias de movimento normal;          terminal de contêineres do          seguinte. Enquanto isso, na-
    Enquanto isso, dois outros    nos de maior movimento pode        porto da capital baiana pos-        quele ano a produção física da
portos nordestinos – o de Pon-    chegar a 24 horas. Já o tem-       sui pequeno calado (apenas          indústria baiana de transfor-
ta da Madeira, no Maranhão,       po de espera para descarre-        12 metros), cargueiros de           mação cresceu 3,4%. Em
e o de Suape, em Pernambu-        gar uma carreta pode ultra-        grande porte (alguns já exigem      2007, o total de cargas baia-
co, o primeiro privado, o se-     passar seis horas, quando nos      15 metros de calado) ficam          nas desviadas para outros por-
gundo público – foram consi-      portos melhor avaliados a de-      impossibilitados de utilizá-lo.     tos brasileiros chegou a 2,5
derados excelentes na mesma       mora chega à metade. Os ar-        Pelo menos uma empresa do           milhões de toneladas. Em re-
pesquisa. Esta levou em consi-    mazéns são estreitos e a carga     Pólo Petroquímico de Camaçari       cente encontro sobre a situa-
deração pontos como acesso        e descarga de caminhões ocor-      prefere, em certas ocasiões,        ção portuária na Bahia, reali-
rodoviário e infra-estrutura de   re na estreita faixa do cais co-   para ganhar tempo, enviar con-      zado na Assembléia Legislati-
armazenagem (considerados         mercial, sendo prejudicada pelo    têineres por cabotagem para o       va do Estado (ALB), o secretá-
os dois maiores problemas),       tráfego urbano, o que afeta as     Porto de Santos, localizado a 2     rio estadual de Infra-Estrutura,
além de tarifa, janela de atra-   operações do armazém para o        mil quilômetros, de onde é em-      Antônio Carlos Batista Neves,
ção de navios, calado, acesso     navio ou vice-versa. Em Aratu,     barcado para o exterior.            admitiu que a Bahia perde
ferroviário e retroárea.          o tempo médio de espera para           Certamente por razões           20% das cargas exportadas
    São muitos os motivos que     atracação é de 47,1 horas.         como essa é que o estudo do         para portos como Suape.

                                                                                                           BAHIA   INDÚSTRIA 19
    E deu pistas para entender     do comércio exterior brasilei-     ”O termo de                               No caso do Porto de Sal-
o fenômeno: os portos baia-        ro e às características técnicas                                         vador, especializado em con-
nos, reconhece, estão entre os     dos modernos navios de car-        referência para                       têineres, existe um único ber-
mais caros do mundo. Além          ga, que aumentam de tama-                                                ço de atracação com 210 me-
disso, acumulam queixas em         nho a cada década, exigindo
                                                                      elaboração do                         tros, com dois portêineres pe-
relação ao tempo de espera,        maior profundidade nos locais      Plano Diretor do                      quenos, incapazes de operar
falta de contêineres, proble-      de atracação (calado) e berços                                           com navios de grande porte,
mas de acesso, baixo calado        de maior tamanho.
                                                                      Porto Sul já está                     hoje acima de 300 metros. No
e infra-estrutura de armazena-         Porto é, nos dias atuais,      contratado e sairá                    Porto de Suape, por exemplo,
mento. No mesmo encontro na        mais que um local de exporta-                                            são dois berços de atracação
ALB, o diretor presidente da       ção e importação. É uma es-
                                                                      em 60 dias”                           e quatro portêineres e já se
Companhia Docas do Estado          tação intermodal, local onde se                                          planeja construir um segundo
                                                                      Antônio C. Batista Neves,
                                                                                              ,
da Bahia (Codeba), Marco           desenvolvem várias atividades,     secretário de Infra-Estrutura         terminal de contêineres. “En-
Antonio Rocha Medeiros, reco-      inclusive na área do turismo,      do Estado da Bahia                    quanto isso, se discute na
nheceu que investimentos de        razão pela qual a acessibilida-                                          Bahia se é necessário implan-
vulto no setor portuário nos úl-   de marítima e terrestre, a dis-                                          tar um segundo terminal. Te-
timos dois anos no país só         ponibilidade de berços de atra-                                          mos escala que justifica esse
ocorreram nos portos de Sua-       ção e de equipamentos moder-                                             investimento”, afirma Paulo
pe e Pecem (Ceará). “Temos         nos são itens fundamentais.                                              Roberto Villa, diretor executivo
urgência em realizar investi-                                                                  DIVULGAÇAO   da Associação de Usuários de
mentos nos portos de Aratu,                                                                                 Portos da Bahia (Usuport).
Salvador e Baixo Sul (Ilhéus)                                                                                   Em 2005, a entidade pro-
para que a Bahia esteja à al-                                                                               pôs à Codeba a licitação de
tura de sua economia na ques-                                                                               um segundo terminal de con-
tão portuária”, afirmou então.                                                                              têiner com 708 metros de cais,
                                                                                                            sendo 165 metros já existen-
CARACTERÍSTICAS – Os prin-                                                                                  tes, conhecido como Ponta
cipais portos baianos têm ca-                                                                               Norte, acrescidos de novo ater-
racterísticas próprias. Salvador                                                                            ro, o que significaria mais 534
é especializado em movimen-                                                                                 metros. Ele ocuparia uma área
tação de contêineres e volta-                                                                               de 240 mil metros quadrados,
do também para o setor turís-                                                                               sendo 103 mil de aterro novo
tico, respondendo em 2007                                                                                   e o restante já existente. A pro-
por 29,2% do total de movi-                                                                                 posta incluía 10 mil metros
mentação de cargas no esta-                                                                                 quadrados de armazéns, o que
do. O de Aratu é especializa-                                                                               permitiria desativar os que hoje
do em granéis, escoa a pro-                                                                                 limitam a movimentação de
dução do Pólo Petroquímico de                                                                               passageiros de cruzeiros ma-
Camaçari e recebe insumos in-                                                                               rítimos. “Para tanto, seriam
dustriais, sendo responsável                                                                                necessários investimentos de
por 63,7% do volume total. Já                                                                               R$ 200 milhões, que poderi-
o Porto de Ilhéus movimenta a                                                                               am ser absorvidos pela inicia-
produção de grãos do oeste                                                                                  tiva privada, por meio de lici-
baiano, além de produtos mi-                                                                                tação”, afirma Paulo Villa.
nerais, contribuindo com ape-                                                                                   Já o Porto de Aratu, cen-
nas 7,1% do total de cargas.                                                                                trado em granéis, é marcado
    Todos têm, em comum,                                                                                    pela baixa produtividade na
problemas de acesso por ter-                                                                                operação de granéis sólidos;
ra e mar, além de instalações                                                                               grandes esperas de navios
inadequadas ao dinamismo                                                                                    para atracar; um parque de

 20 BAHIA INDÚSTRIA
                                  ZEKA/AG. A TARDE
equipamentos velho e sem
condição de atender aos navi-
os modernos; e profundidades
insuficientes. Em compensa-
ção, por estar distante de áre-
as urbanas, dispõe de espaço
para crescer, os acessos rodo-
ferroviários têm capacidade de
expansão e amplas frentes
d’água possuem potencial de
aproveitamento.

INVESTIMENTOS – No final do
mês de março último, foi apro-
vado e incluído no Plano de
Aceleração do Crescimento
(PAC) o Plano de Desenvolvi-
mento e Zoneamento dos por-                          NO PORTO DE ILHÉUS estão previstos investimentos de aproximadamente R$ 179 milhões
tos de Salvador e Aratu. Em
relação ao de Salvador, con-
forme a Codeba, está prevista                        cípio, atendem em parte às        incluindo derrocagem do leito      paralelamente a essas iniciati-
a dragagem no cais comerci-                          necessidades do escoamento        marinho do berço sul; aumen-       vas e o secretário garante que,
al, incluindo obras de requali-                      de cargas no porto. Tudo isso     to da plataforma de acosta-        no prazo de 30 dias, sairá o
ficação dos armazéns 3 e 4;                          implicará em investimentos da     gem do terminal; e dragagem.       edital para a contratação des-
contenção da infra-estrutura                         ordem de R$ 391,3 milhões.        Total de investimentos: R$         se serviço.
da plataforma de acostagem;                              Em relação do Porto de        419,6 milhões.                         As obras estão previstas
derrocagem na faixa de acos-                         Aratu, haverá até 2010 a am-          No Porto de Ilhéus, com        para começar em janeiro de
tagem; dragagem na bacia de                          pliação do Terminal de Gra-       investimentos de R$ 179,3 mi-      2009, com prazo de conclusão
manobra e no canal de aces-                          néis Sólidos, com a contenção     lhões, estão previstos a recu-     até o final de 2010, a tempo
so; e instalação de defensas                         da infra-estrutura da platafor-   peração do cais, incluindo         de escoar a produção de mi-
especiais.                                           ma de acostagem; construção       obra emergencial de recupe-        nério de ferro da Bahia Mine-
     Além disso, haverá aumen-                       de nova plataforma de acos-       ração da retroárea e conten-       ração Ltda (BML), que irá ope-
to da capacidade de movimen-                         tagem; contenção do aterro        ção da infra-estrutura do cais;    rar na região de Caetité. “A
tação de contêineres, incluin-                       hidráulico; instalação de de-     e dragagem na área a barla-        BML tem contrato firmado com
do a instalação de um portêi-                        fensas especiais; e dragagem      mar do molhe. Com relação          a China para exportar o mi-
ner; requalificação do cais de                       para cota de até 15 metros.       ao Porto Sul, que ficará na lo-    nério até 2010 e, portanto, seu
Água de Meninos; e dragagem                          Haverá também ampliação da        calidade conhecida como Pon-       off-shore tem que estar pronto
na faixa de acostagem, bacia                         capacidade de movimentação        to da Tulha, ao lado do futuro     até aquela data. Portanto, temos
de manobra e canal de aces-                          do Terminal de Granéis Sóli-      aeroporto de Ilhéus, o secre-      que cumprir rigorosamente os
so. Também está prevista a                           dos, com dragagem de cota         tário estadual de Infra-Estrutu-   prazos acordados”, revelou o
ampliação do cais de Água de                         até 15 metros; implantação de     ra, Antonio Carlos Batista Ne-     secretário Batista Neves.
Meninos (na Ponta Norte), com                        sistema de despoeiramento;        ves, garantiu à Bahia Indústria        Quanto à Via Expressa,
mais dois cais de atracação                          instalação de defensas espe-      que o termo de referência para     acredita que dentro de 30 dias
com retroárea; plataforma de                         ciais; e repotencialização do     elaborar o Plano Diretor já está   o edital para a seqüência da
acostagem, execução de con-                          sistema de movimentação e         contratado e sairá em 60 dias.     obra “estará na rua”. Com
tenção do aterro hidráulico;                         granéis sólidos dos TGS I e II,   A partir daí, em mais 60 dias      recursos de R$ 198 milhões
dragagem para calado de 15                           e Pátio de Minérios. Finalmen-    sairá a modelagem do Plano         previstos no PAC, a via prevê
metros; instalação de defensas                       te, está prevista a ampliação     Diretor, incluindo estudos de      acesso de 4,2 quilômetros li-
especiais; e ampliação do que-                       da capacidade operacional do      impacto ambiental. O estudo        gando a BR-324 ao Porto de
bra-mar. Obras que, em prin-                         Terminal de Granéis Líquidos,     de viabilidade está sendo feito    Salvador.

                                                                                                                            BAHIA   INDÚSTRIA        21

								
To top