Docstoc

Piano - curso regular e avançado (erudito e popular)

Document Sample
Piano - curso regular e avançado (erudito e popular) Powered By Docstoc
					ESCOLA DE MÚSICA “VILLA-LOBOS”
PLANO DE CURSO

CURSO DE PIANO

Professores Responsáveis: Elisa Gross Maiumi Oishi Márcia Gollnick Costa Marco Aurélio Schmidt Martha Martins Klostermann.

Joinville, 2004

PLANO DE CURSO – PIANO Professores Responsáveis: Elisa Gross, Maiumi Oishi, Márcia Gollnick Costa, Marco Aurélio Schmidt, Martha Martins Klostermann. 1. Descrição do Curso: O curso de piano compõe-se de quatro níveis: BÁSICO, INTERMEDIÁRIO I, INTERMEDIÁRIO II, AVANÇADO. As aulas de piano serão ministradas individualmente e nos níveis BÁSICO e INTERMEDIÁRIO I terão a duração de 45 minutos semanais. Nos níveis INTERMEDIÁRIO II e AVANÇADO as aulas de instrumento terão a duração de 90 minutos semanais. O plano de curso está organizado no sentido de contemplar os parâmetros de composição, apreciação e execução musicais, visto reconhecer-se a necessidade de equilíbrio e conexão entre os mesmos, para que a educação musical aconteça de maneira integral. A elaboração do plano considerou também o fato de que aprender envolve dois elementos fundamentais: conteúdo e habilidade. Conteúdo consiste nas características do material que está sendo aprendido e habilidade é a ação que o aluno aplica ao referido material. Conteúdos e habilidades estarão sempre presentes, sendo implementados de maneira a conectar os três parâmetros do fazer musical.

2

Ao final do curso o aluno deverá ser capaz de: COMPOSIÇÃO Compor e improvisar, demonstrando criatividade e imaginação na escolha e habilidade no uso de elementos e formas musicais. Harmonizar, fazer arranjos. APRECIAÇÃO 1. Ouvir de maneira concentrada e receptiva obras musicais de diferentes épocas, estilos, grupos étnicos e culturais. 2. Desenvolver critérios para avaliar a qualidade das improvisações, composições e execuções musicais, de outros e suas, sendo capaz de contribuir com sugestões. 3. Realizar crítica oral ou escrita de determinada obra ouvida, demonstrando: a) compreensão dos fundamentos da composição e execução musicais, b) conhecimento de vocabulário técnico musical adequado. 4. Usar a habilidade de apreciação para desenvolver precisão e EXECUÇÃO 1. Executar repertório diversificado com fluência, clareza, segurança e expressividade. 2. Demonstrar compreensão do estilo das obras musicais que executa, usando elementos técnicos e interpretativos adequados às mesmas. 3. Executar obras como solista ou participante de grupos. 4. Ser capaz de execuções criativas, tomando decisões sobre fraseados, articulações, expressividade, etc 5. Preparar a execução de obras musicais de maneira autônoma e independente, utilizando-se de processos de apreciação, análise e técnica ergonômica.

3

expressividade na execução. 5. Desenvolver critérios para a seleção de músicas para a sua própria execução e apreciação.

4

2. Metodologia de ensino: Parâmetros: Composição, Apreciação, Execução. As atividades de composição, apreciação e performance não podem ser limitadas a algumas abordagens metodológicas. Os pontos relacionados a seguir são sugestões e deverão ser transformadas de acordo com a necessidade do professor. Outros enfoques poderão ser acrescentados. 2.1 - Parâmetro: Composição Como princípio metodológico procurar-se-á em sala de aula, promover uma atmosfera de confiança, respeito e receptividade, onde os alunos sintam-se estimulados e encorajados a criar e demonstrar suas idéias musicais. As atividades do parâmetro composição serão consideradas como: • • • • • • Processo de desenvolvimento da criatividade. Meio de fixação de conteúdos e desenvolvimento de habilidades. Como uma possibilidade de conexão entre as atividades de apreciação e execução, e entre as demais matérias do currículo. Exercício de tomadas de decisões onde se estimule a busca e exploração de novas possibilidades e de pensamentos divergentes. Meio de avaliação de aprendizagens. Um processo de exploração e aprendizagem, uma ferramenta de trabalho, não devendo ser considerado como um curso ou disciplina de composição. As atividades do parâmetro-composição podem acontecer a partir de quatro abordagens básicas: improvisação, composição, arranjo, harmonização.

5

Improvisação: Sugerir ao aluno que: • • • • Dê ênfase ao intuitivo e espontâneo. Inicie um processo de improvisação a partir de materiais delimitados: pontos de partida; uso de teclas pretas; pentacórdios; escalas; acordes; células rítmicas; células melódicas; etc. Improvise linha melódica enquanto o professor toca um baixo ostinato. Improvise a partir de trechos rítmicos, melódicos, harmônicos que esteja trabalhando em peças de seu repertório.

Composição: Sugerir ao aluno que: • • • • • • • • • Crie variações melódicas, rítmicas, harmônicas para trechos de peças que esteja estudando. Crie diferentes finais para peças que esteja estudando. Crie respostas para perguntas. Crie linhas melódicas a partir de ritmos indicados. Realize composições a partir de conteúdos ministrados. Realize composições usando habilidades técnicas que estejam sendo trabalhadas. Realize composições a partir de um esquema rítmico, melódico, harmônico ou formal pré-estabelecido. Realize composições onde o aluno é livre para escolher o que vai usar. Grafe de modo convencional ou não, de acordo com o seu nível de desenvolvimento, suas composições. (Essa metodologia só será adotada, desde que não limite o processo criativo do aluno, caso contrário, a gravação será o meio para se ter o registro das composições).

6

• •

Relate verbalmente o processo do qual resultou a sua composição. Fale sobre suas idéias, decisões, escolhas, sobre os conteúdos utilizados, sobre o caráter da composição, etc. Apresente suas composições em audições e outros eventos públicos.

Arranjo e harmonização: Sugerir ao aluno que: • • • • • • Inicie um processo de arranjo a partir do ouvir uma obra gravada. Sugerir a inserção de algum elemento simples na música que está sendo ouvida, por exemplo: células rítmicas a partir do uso da voz, palmas, percussão, etc. Crie uma segunda voz para uma melodia escolhida. Crie um acompanhamento (acordes, arpejos, etc.) para uma melodia escolhida. Construa uma “pasta de idéias”. Imagine e teste várias elaborações e combinações a partir de uma mesma idéia. Crie outras possibilidades de arranjo para as peças que está estudando.

O professor pode: • • • • Estipular prazos para a realização dos trabalhos (dias, semanas). Gravar em fita k7 os trabalhos do aluno, construindo assim um dossiê de seu desenvolvimento. Ouvir com o aluno a gravação de suas composições. Discutir e analisar com o aluno o que foi usado em sua composição, sugerindo quando necessário, outras possibilidades.

2.2 - Parâmetro: Apreciação

7

A atividade de apreciação musical é o momento em que o aluno se coloca como ouvinte. O aluno pode fazer uma apreciação tanto da execução de uma peça ou composição executada por um colega, como também de uma gravação. Será também um importante momento, em que o aluno poderá entrar em contato com produtos musicais de diferentes estilos, épocas e culturas. Sugestões de atividades e enfoques: • • • • • Estimular o aluno a envolver-se ativamente na experiência de audição, através da concentração e uso da imaginação. Estimular a receptividade e respeito ao discurso musical que está sendo apresentado. Propiciar a apreciação de produtos musicais de diferentes épocas e estilos, expor o aluno a uma variedade de contextos musicais. Apresentar ao aluno peças cujo nível de complexidade e duração, sejam adequados ao seu nível de desenvolvimento concentração. Colocar uma peça musical ou apenas um trecho, para o aluno ouvir, repetir a audição mais duas vezes. Para não induzir a audição do aluno, não fazer nenhuma menção da peça ou trecho antes da audição. Após a audição, pedir ao aluno que relate de forma geral o que percebeu na peça. Este relato poderá ser realizado através de verbalização, escrita, gráficos ou desenhos. Dentro do que o aluno relatou sobre a música, sua impressão geral, opiniões, associações, procurar-se-á direcionar e ampliar a sua apreciação musical. Posteriormente menciona-se o autor da obra, época, estilo e se faz a contextualização da obra. • Procurar desenvolver o trabalho de apreciação dentro do nível de desenvolvimento musical (Materiais, Expressão, Forma e Valor) em que o aluno se encontra.( Por exemplo: no estágio Material por exemplo, trabalha-se níveis de intensidade, altura, dinâmica, instrumentos utilizados, etc.) • Apresentar uma peça à apreciação, estabelecendo itens objetivos de observação, que devem diferir de acordo com a vivência musical do aluno.

8

2.3 - Parâmetro: Execução A metodologia de ensino empregada no desenvolvimento das atividades deverá levar em consideração que a imagem sonora pode ser classificada em duas categorias: imagem gráfica e imagem aural*. A imagem sonora aural deverá merecer atenção especial no processo de aprendizagem, pois através dela conceitos são compreendidos e construídos. É importante que o método de ensino leve a uma compreensão aural dos símbolos grafados. *(Aural: escuta interna de sons ou melodias; criação de estruturas auditivas internas; construção mental do discurso musical) As atividades do parâmetro-execução podem acontecer a partir de três abordagens básicas: a) executar de “ouvido”, onde o aluno tenta reproduzir um trecho, melodia ou peça a partir do que ouve. b) executar por imitação, onde o aluno tenta reproduzir um trecho, melodia ou peça a partir do que ouve e observa visualmente. c) executar como resposta a símbolos grafados. Sugestões: • • • Procurar trabalhar conteúdos e habilidades dentro de contextos musicais. Orientar a aprendizagem de uma nova peça considerando o conhecimento anterior do aluno. Explorar a execução de uma peça de diversas maneiras, visando o desenvolvimento de habilidades, estimulando o aluno a tomar decisões interpretativas e para que na repetição, no estudo, a execução não se torne mecânica. Possibilidades de execução: modificar o andamento; intensidade; articulação; padrões rítmicos, melódicos, de acompanhamento; mudança de tonalidade; inverter a leitura (mão direita com mão esquerda); cruzar as mãos; tocar a mão direita em 3ª; modificar o compasso, valores; fazer imitação; alternar entre as mãos a melodia; cantar uma mão e tocar a outra, modificar o caráter; etc. 9

•

Estimular o aluno a desenvolver a habilidade de ler a 1º vista.

2.4 - Prática De Conjunto Consta da grade curricular a disciplina Prática de Conjunto para alunos dos Níveis Intermediário I, Intermediário II e Avançado. As aulas serão ministradas coletivamente e terão a duração de 2 horas/aula semanal. O objetivo é oportunizar aos participantes a prática de música em conjunto. Os alunos poderão optar por uma das seguintes práticas: Canto Coral, Música de Câmara, Projetos Pedagógicos, Conjuntos Instrumentais e Piano a Quatro Mãos.Todas as atividades serão acompanhadas por um professor. O aluno deverá participar de no mínimo um ano em prática de conjunto em cada nível. O aluno que participar de outra prática de conjunto (grade curricular de outro instrumento), poderá ser dispensado da disciplina de Prática de Conjunto do curso de piano. Esta decisão cabe aos professores da área. 3. Recursos Materiais Necessários: • • • • • • • • Piano em bom estado de conservação e afinação. Banqueta Apoio para os pés dos alunos pequenos. Instrumentos de percussão simples: reco-reco, triângulo, bloco de madeira, guizos, pratos, chocalhos, etc. Quadro para avisos e informações. Quadro pautado e quadro sem pauta. Aparelho de som com CD e gravador, em cada sala de aula. Espelho

10

•

Acervo de CDs, partituras e literatura específica na biblioteca.

4. Sistema de Avaliação: Os alunos serão avaliados continuadamente pelo professor, através da avaliação formativa. “A avaliação deverá ser assumida como um instrumento de compreensão do estágio de aprendizagem em que se encontra o aluno, tendo em vista tomar decisões suficientes e satisfatórias para que possa avançar no seu processo de aprendizagem”. (LUCKESI,2000,p.81) Os alunos serão avaliados de acordo com um padrão mínimo de conduta. “Para que se utilize corretamente a avaliação no processo ensino-aprendizagem no contexto escolar, importa estabelecer um padrão mínimo de conhecimentos, habilidades e hábitos que o educando deverá adquirir, e não uma média mínima de notas, como ocorre hoje na prática escolar”. (ibid, p.96) A avaliação deverá contemplar os três parâmetros da atividade musical: apreciação, composição e execução, sendo realizada de maneira contínua durante o período letivo pelo professor. Os alunos serão avaliados em suas aulas individuais, em aulas coletivas, audições, relatórios de audições e outras situações de aprendizagem. O aluno receberá semestralmente, por escrito, a sua avaliação de acordo com os itens contidos na Ficha de Avaliação Semestral. O aluno será informado de como está vencendo os conteúdos programáticos do curso e de que maneira está se aproximando dos objetivos finais de aprendizagem do nível em que se encontra (respeitando-se sempre o tempo de aprendizagem de cada aluno por nível: mínimo de 1 ano e máximo de 3 anos). No final de cada semestre acontecerão “encontros” entre alunos e professores de piano, ocasião em que os alunos executarão no mínimo quatro peças, incluindo suas composições. Os objetivos destes encontros são: preparar o aluno para a avaliação de conclusão de nível; apreciação dos alunos de piano do trabalho apresentado pelos colegas e a visão de outro professor sobre o aluno. Neste encontro tanto alunos como professores poderão se manifestar sobre o trabalho apresentado. Após este encontro acontecerá uma discussão somente entre os professores objetivando o intercâmbio do trabalho realizado, enfocando a auto-avaliação, metodologia, dificuldades, problemas e soluções.

11

Quando a avaliação continuada detectar que o aluno atingiu as metas de aprendizagem propostas em determinado nível, ou o tempo de permanência no nível se finalizar (3 anos), o aluno será avaliado perante uma banca composta de 3 professores, para a promoção ao nível subseqüente ou sua reprovação. Esta banca será composta por 3 professores, sendo 2 professores da área e um professor de outra área, que de preferência faça parte da grade curricular do aluno. Esta avaliação acontecerá em momento previamente designado. Nesta ocasião o aluno apresentará um mínimo de oito peças, diversificadas, incluindo suas composições e músicas de seu cotidiano, contemplando os conteúdos e habilidades do plano de curso. Estas bancas serão organizadas por níveis e estarão sendo avaliados alunos de diversas áreas. Os critérios de avaliação para as atividades de composição, apreciação e execução, contidos na ficha de avaliação serão comuns para todas as áreas

12

NÍVEL BÁSICO Ao final do nível BÁSICO o aluno deverá ser capaz de: COMPOSIÇÃO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO SELEÇÃO DE CONTEÚDO e HABILIDADES - Explorar elementos - Reconhecer - Executar com Conteúdos mínimos: básicos do som, padrões e técnica, expressão - Propriedades do som: intensidade, duração, altura, demonstrando certo estruturas adequada e timbre. controle na sua musicais simples, andamento estável - Figuras musicais: semibreve. mínima pontuada, mínima, manipulação e tais como padrões peças relevantes ao semínima e colcheia organização. repetidos e frases seu estágio de - Compasso simples (binário, ternário e quaternário). - Explorar aspectos ou sessões desenvolvimento - Notas musicais: dós baixo, central e soprano com expressivos do som do contrastantes. musical. intervalos de 2ª, 3ª, 4ª e 5ª acima e abaixo. piano. - Reconhecer - Reproduzir com - Sustenido, bemol e bequadro. - Utilizar-se dos conteúdos elementos acuidade padrões - Pentacórdios maiores e menores. do seu nível de maneira musicais rítmicos e - Staccato, legato, non legato, fraseado de duas notas. espontânea, em suas trabalhados em melódicos. composições ou aula, utilizando Habilidades: improvisações. vocabulário - Leitura, escrita e execução:1) das figuras musicais: - Explorar e criar padrões adequado para semibreve, mínima pontuada, mínima, semínima e rítmicos e melódicos. demonstrar sua colcheia; 2) dos dós baixo, central e soprano com - Selecionar e estruturar compreensão intervalos de 2ª, 3ª, 4ª e 5ª acima e abaixo; 3) sustenido, sons a fim de criar suas musical. bemol e bequadro; 4) sinais de intensidade. idéias musicais. - Domínio tátil da topografia do teclado. - Referir-se de maneira - Execução de pentacórdios maiores e menores, mãos adequada às composições separadas e mãos juntas. e improvisações próprias e - Transposição no âmbito dos pentacórdios com a de outros alunos e utilização de modelos e processo aurais. músicos, desenvolvendo o - Elaboração e leitura de trechos simples de música senso crítico e respeito à grafados de modo convencional e/ou não-convencional. produção do outro. - Realizar diferentes toques (legato, non legato, staccato e 13 APRECIAÇÃO EXECUÇÃO

fraseado de duas notas), diferentes efeitos, diferentes intensidades, movimento paralelo e contrário. - Reconhecimento de padrões repetidos, frases, sessões contrastantes. - Uso dos pedais como exploração sonora. - Executar pequenos trechos e peças de memória. - Tocar músicas por imitação. - Tocar músicas de ouvido. - Ler à primeira vista. - Uso de dedilhados adequados. - Desenvolvimento da habilidade de independência dos cinco dedos. - Consciência da função do corpo na execução do piano.

14

Sugestão de Repertório: O repertório utilizado será variado, contemplando diversos estilos musicais, de acordo com a seleção de conteúdos e habilidades do plano de curso. O repertório “para cada aluno deverá ser fonte de aprendizagem, nem tão fácil que não ofereça um desafio nem tão difícil que comprometa a fluência. Da mesma forma deve oferecer a possibilidade de explorar fraseado, dinâmica, textura, possibilitando ao aluno crescimento técnico e musical”, deve oferecer ainda material “que equilibre forma, conteúdo e que tenha qualidade artística intrínseca”. (Tourinho,Oliveira,2003) O repertório deve estar aberto a contemplar peças musicais do cotidiano do aluno, quer de origem popular, litúrgica ou outras. As peças que seguem são apenas uma referência quanto ao nível desejável de desenvolvimento de habilidades e conteúdos que o aluno deve alcançar e apresentar ao final do nível. Peças referência – Nível Básico: AGAY D. AGAY D. VERHAALEN M. COMPOSITORES ESTRANGEIROS Sugestão de peças, álbuns, coletâneas e métodos: BADINGS, Henk BARTÓK, Béla BASTIEN, James BASTIEN, James S. BIANCHI, Louise;OLSON, Lynn F.; BURNAM, Edna Mae CLARK, Frances & GOSS, Louise EMONTS, Fritz GAINZA, Violeta H. GARSCIA, Janina Arcadia I Mikrokosmos I The Bastien Piano Library Piano for the Young Begginer Three Sonatinen Mini Sonatinen Music Pathways A Dose do Dia The Music Tree The European Piano Method Método para Piano Favorites Tunes for Piano op.27 15 Play Tune and Variations Recital Waltz Companheiros de Jogo

A Colorful Children´s World of Music op.65 KEVEREN , KREADER, KERN LETTICO, Amanda NIKOLAJEW, Alexander PACE, Robert PALMER, Willard; MANNUS,Morton; SCHNEIDER, Willy VERHAALEN, Marion COMPOSITORES BRASILEIROS Sugestão de peças, álbuns, coletâneas e métodos: BORGES, Cacilda B. GODOY, Amilton GONÇALVES, Maria de Lourdes J. MAHLE, Ernst VIANNA, Mª Ap.; XAVIER, Carmen WIDMER, Ernst popular brasileira. PEÇAS A QUATRO MÃOS Sugestão de peças, álbuns, coletâneas e métodos: DRUMMOND, Elvira GARSCIA, Janina POSER, Hans Brinquedos de Roda I Let´s Play – Piano Duets op. 37 I e II Ich kann Klavier spielen Diorama Iniciação ao Piano Educação Musical Através do Teclado Vamos Maninha Ciranda dos 10 Dedinhos Ludus Brasiliensis – vol I Hal Leonard Student Piano Library Alfred Publishing Co Inc. – Van Muj, CA Die Russische Klavierschule Música para Piano Alfred´s Basic Piano Library Die Klavier Fibel Explorando Música no Teclado

Obs.: É desejável que o repertório do aluno, contemple peças de autores de música

16

NÍVEL INTERMEDIÁRIO I Ao final do nível INTERMEDIÁRIO I o aluno deverá ser capaz de: COMPOSIÇÃO - Explorar e usar vários aspectos do som, utilizando habilidades específicas, técnicas e processos apropriados às suas idéias. - Improvisar e compor como resposta a um estímulo musical. Utilizar-se dos conteúdos do seu nível de maneira espontânea, em suas composições ou improvisações. - Selecionar, combinar e estruturar sons e silêncios a fim de criar trabalhos musicais. - Referir-se de maneira adequada às composições e improvisações próprias e de outros alunos e músico, desenvolvendo o senso crítico e respeito á produção do outro. APRECIAÇÃO - Identificar e descrever, em termos simples, características musicais de uma composição. Identificar conteúdos ministrados. - Analisar trabalhos musicais, inclusive os seus. - Ouvir criticamente obras musicais de diferentes grupos étnicos e culturais. EXECUÇÃO - Executar com técnica, expressão adequada e andamento estável, peças relevantes ao seu estágio de desenvolvimento musical. - Reproduzir com acuidade padrões rítmicos, melódicos e frases. - Executar padrões rítmicos e melódicos expressivamente com controle consciente do andamento e de níveis de intensidade, demonstrando compreensão do proposto. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO SELEÇÃO DE CONTEÚDO e HABILIDADES - Aprofundamento dos conteúdos e desenvolvimento das habilidades do nível anterior. Conteúdos mínimos: - Intervalos de sexta, sétima e oitava. - Compassos compostos. - Figuras musicais: semínima pontuada com colcheia; e combinações de colcheia com semi-colcheia. - Elementos rítmicos: sincope, contratempo e acentos. - Ritmo inicial: tético, anacrúsico e acéfalo. - Escalas maiores em sustenido e bemol. - Escala cromática. - Escala de tons inteiros. - Acordes e arpejos de três sons, na posição fundamental. - Cadência: I V e V com sétima. - Cifras. Habilidades: - Executar e representar graficamente pentacórdios maiores e menores em sustenido e bemol. - Transposição no âmbito dos pentacórdios com a utilização de modelos e processo aurais. - Leitura, escrita e execução dos intervalos de sexta, sétima e oitava. - Leitura de cifras. - Execução das escalas: sem passagem de polegar e com 17

passagem de polegar, na extensão de uma oitava, movimento direto com mãos separadas e movimento contrário com mãos juntas. - Harmonização com I IV e V com sétima. - Execução simultânea de diferentes planos sonoros. - Execução simultânea de diferentes toques. - Executar pequenos trechos e peças de memória. - Tocar músicas de ouvido. - Ler à primeira vista. - Desenvolvimento da habilidade de independência dos cinco dedos. - Uso de dedilhados adequados. - Uso do pedal: inteiro,apoio e sincopado. - Execução de peças que contemplem texturas homofônicas (melodia acompanhada) e polifônicas (cânones, estilos imitativos, etc.) - Execução de peças que contemplem formas variadas possibilitando o reconhecimento de sessões contrastantes: AB, ABA, sonatina, tema e variações, rondó,suíte, etc. - Consciência da função do corpo na execução do piano.

18

Sugestão de Repertório: O repertório utilizado será variado, contemplando diversos estilos musicais, de acordo com a seleção de conteúdos do plano de curso. O repertório “para cada aluno deverá ser fonte de aprendizagem, nem tão fácil que não ofereça um desafio nem tão difícil que comprometa a fluência. Da mesma forma deve oferecer a possibilidade de explorar fraseado, dinâmica, textura, possibilitando ao aluno crescimento técnico e musical”, deve oferecer ainda material “que equilibre forma, conteúdo e que tenha qualidade artística intrínseca”. (Tourinho,Oliveira,2003) O repertório deve estar aberto a contemplar peças musicais do cotidiano do aluno, quer de origem popular, litúrgica ou outras. As peças que seguem são apenas uma referência quanto ao nível desejável de desenvolvimento de habilidades e conteúdos que o aluno deve alcançar e apresentar ao final do nível. Peças referência – Intermediário I CLARKE J. KABALEWSKY D. CZERNY C. COMPOSITORES ESTRANGEIROS Sugestão de peças, álbuns, coletâneas e métodos: AGAY, Denis AUTORES DIVERSOS BACH, J.S. BARTÓK, Béla EMONTS, Fritz The Joy of Sonatines The joy of Jazz O Pequeno Livro de A. Mag. Bach Mikrokosmos vol. I, II eIII Die Erste Zeit am Klavier Leichte Klaviermusik des Barock GAINZA, Violeta H. GARSCIA, Janina GARSCIA, Janina Miniatura for Piano op. 5 Very Easy Piano Pieces for Children op. 3 Two Sonatines op.68 Piezas Fáciles para Piano de los Siglos XVII e XVIII King William’s March The Clown Allegro - Do M op.599 nº 19

19

GRETCHANINOFF, Alexander KABALEWSKI,Dmitri MOZART, Leopold OLSON, L. Freemann SCHOSTAKOVITH SEIBER, Matthias STRAWINSKY, Soulima TURK, Daniel G. COMPOSITORES BRASILEIROS

12 Little Sketches op.128 Children´s Album op. 98 24 Litle Pieces op. 39 Was Kinder Erleben op. 89 Notenbuch für Nannerl Begining Sonatines Puppentänz Melodic Moments Leichte Tänze I e II Piano Music for Children Leichte Stücke für Klavier

Sugestão de peças, álbuns, coletâneas e métodos: ALIMONDA, Heitor FERNÁNDEZ, Lorenzo Dez Peças Fáceis vol. I e II Bonecas Suite das 5 notas Suite “Boneca Yayá” Visões Infantis Recordações da Infância GONÇALVES, Mª de Lourdes J. GUARNIERI, M. Camargo MIGNONE, Francisco PRADO, J.A.R.Almeida SANTORO, Cláudio VILLA-LOBOS, Heitor Ciranda Cirandinha Emat – Habilidades Funcionais (4º volume) Série Curumins Caixinha de Brinquedos Kinderszenen Peças Infantis Brinquedos de Roda Petizada Cirandinhas WIDMER, Ernst popular brasileira. Ludus Brasiliensis vol. I eII Obs.: É desejável que o repertório do aluno, contemple peças de autores de música

20

PEÇAS A QUATRO MÃOS Sugestão de peças, álbuns, coletâneas e métodos: BADINGS, Henk BRAHMS, Johannes DIABELLI, Anton EMMONTS, Fritz GRETCHANINOFF, A. NORTON, Christophen SCHOENMEHL,Mike STRAWINSKY, Igor TÜRK, Daniel G. Arcádia 10 Kleine Stücke IV e V Walzer op. 39 Pequenos Estudos Melódicos op. 149 Let´s Play Duets Pieces in Compous of a Fifth Albun op.98 Microjazz Piano Duets I e II Jazz for Two Three Easy Pieces Five Easy Pieces Tonstücke

21

NÍVEL INTERMEDIÁRIO II Ao final do nível INTERMEDIÁRIO II o aluno deverá ser capaz de: COMPOSIÇÃO - Usar elementos da música, habilidades, técnicas e processos a fim de estruturar obras musicais, de maneira apropriada aos estilos e formas escolhidos. - Improvisar e compor demonstrando compreensão das qualidades expressivas e características do piano. - Selecionar, combinar e desenvolver idéias musicais com o intuito de produzir uma obra estruturalmente organizada. - Registrar suas composições de maneira convencional ou não convencional. - Referir-se de maneira adequada às composições e APRECIAÇÃO - Analisar trabalhos musicais, inclusive os seus. - Ouvir criticamente obras musicais de diferentes grupos étnicos e culturais. - Reconhecer e identificar eventos musicais específicos enquanto ouve à música. - Reconhecer as características de estilo determinado, período ou cultura. - Identificar estrutura formal. EXECUÇÃO - Executar com fluência, clareza, segurança e expressividade, obras completas, como solista ou participante de grupos instrumentais, usando técnica apropriada e demonstrando compreensão da música e de seu papel como intérprete. - Preparar obras para apresentação utilizando-se de processos de análise e ensaio. - Reapresentar uma obra musical depois de refletir sobre sua execução anterior. - Executar diferentes estilos musicais. - Executar peças utilizando-se de dinâmica, andamento, fraseologia musical, agógica, de acordo com o estilo e forma. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO SELEÇÃO DE CONTEÚDO e HABILIDADES - Aprofundamento dos conteúdos e desenvolvimento das habilidades dos níveis anteriores. Conteúdos mínimos: - Acordes e arpejos de três e quatro sons na posição fundamental, 1ª e 2ª inversões. - Escalas maiores e menores em sustenido e bemol em duas oitavas, movimento direto e contrário. - Reconhecimento da tonalidade e armadura de clave (teórico). - Cadência: I IV V e V com sétima. - Cifras - Ritmos sincopados de formas diversas. - Polirritmia linear - Ornamentos: mordente, trillo, appogiatura, grupeto. Habilidades: - Uso de vocabulário adequado. - Execução das escalas: duas oitavas, movimento direto e contrário com mãos juntas. - Execução de arpejos: duas oitavas, movimento direto com mãos separadas, movimento contrário com mãos juntas. 22

improvisações próprias e de outros alunos e músicos, desenvolvendo o senso crítico e respeito á produção do outro.

- Transposição em tonalidades maiores e menores. - Harmonização I IV V e V com sétima. - Leitura de Cifras. - Conhecimento do campo tonal. - Mudança de fórmula de compasso. - Uso do pedal: una corda, meio pedal. - Convenções gráficas nas diversas edições. - Executar peças de memória. - Tocar músicas de ouvido. - Leitura à primeira vista. - Desenvolvimento da habilidade de independência e agilidade dos cinco dedos. - Uso de dedilhados adequados. - Execução de peças que contemplem texturas homofônicas (melodia acompanhada) e polifônicas (cânones, estilos imitativos, etc.) - Execução de peças que contemplem formas variadas possibilitando o reconhecimento de sessões contrastantes: AB, ABA, sonatina, tema e variações, rondó,suíte, etc. - Análise de estruturas formais, e observação de elementos estilísticos. - Conhecimento da biografia de seu repertório.

23

Sugestão de Repertório: O repertório utilizado será variado, contemplando diversos estilos musicais, de acordo com a seleção de conteúdos do plano de curso. O repertório “para cada aluno deverá ser fonte de aprendizagem, nem tão fácil que não ofereça um desafio nem tão difícil que comprometa a fluência. Da mesma forma deve oferecer a possibilidade de explorar fraseado, dinâmica, textura, possibilitando ao aluno crescimento técnico e musical”, deve oferecer ainda material “que equilibre forma, conteúdo e que tenha qualidade artística intrínseca”. (Tourinho,Oliveira,2003) O repertório deve estar aberto a contemplar peças musicais do cotidiano do aluno, quer de origem popular, litúrgica ou outras. As peças que seguem são apenas uma referência quanto ao nível desejável de desenvolvimento de habilidades e conteúdos que o aluno deve alcançar e apresentar ao final do nível. Peças referência – Intermediário II Do livro de A.M.BACH CLEMENTI M. SCHUMANN R. KABALEWSKY D. COMPOSITORES ESTRANGEIROS Sugestão de peças, álbuns, coletâneas e métodos: ALEXANDER D AUTORES DIVERSOS AUTORES DIVERSOS BACH, J.S, BARTÓK, Béla BEETHOVEN, Ludwig van Sonatinas - vol. I e II The Joy of Boogie and Blues - Book 2 Early Dances - Piano step by step O Pequeno Livro de A.Mag.Bach Mikrokosmos vol. II, III e IV For Children vol. I e II Kleine Tänze Écossaises Quinze Valsas COREA, Chick Children´s Song Marchas, Polonaises Sonatina em Do M op.36 nº 1 Alegre Camponês Tocatina op.27 nº7

GARSCIA, Janina GARSCIA, Janina

Bagatelles for Piano op. 40 Teasers for Piano op. 23 Little Sonatines op. 61 Leichte Klavierstücke und Sonatinen Neue Sonatinen Buch I und II

HAYDN, Joseph KABALEWSKY, Dmitri

Leichte Tänze Four Rondos op. 60 15 Piezas para Ninos op. 27 nº I e II 5 Leichte Variationen op.51

KHATCHATURIAN, Aran PROKOFIEFF,Sergei SCHUBERT, Franz SCHUMANN, Robert SATIE, Eric TCHAIKOWSKY, Peter COMPOSITORES BRASILEIROS

Albun for Young People Music for Children op. 65 Sämtliche Tänze Álbum para Juventude op.68 Sports it Divertissements Álbum para Juventude

Sugestão de peças, álbuns, coletâneas e métodos: ALIMONDA, Heitor FERNANDEZ, Lorenzo GUARNIERI, D. Camargo GUERRA PEIXE, César LACERDA, Osvaldo MIGNONE, Francisco MOROZOWSKI, C.Z. NAZARETH, Ernesto PENALVA, José PRADO,J.A.R. Almeida SANTORO, Cláudio VILLA-LOBOS, Heitor Dez Peças Fáceis vol. I e II Historietas Maravilhosas 1a Suíte Brasileira Série Curumins Suíte nº 1 e 2 Cromos – cadernos nº 1, 2 e 4 Seis Pequenas Valsas da Esquina Sentimento Latino Tangos, Maxixes e Valsas Mini Suite nº 1 Kinderszenen Peças Infantis Petizada Brinquedo de Roda Cirandinhas Cirandas 25

WIDMER, Ernst popular brasileira. PEÇAS A QUATRO MÃOS

Ludus Brasiliensis vol. II, III e IV

Obs.: É desejável que o repertório do aluno, contemple peças de autores de música

Sugestão de peças, álbuns, coletâneas e métodos: BADINGS, Henk BRAHMS, Johannes DIABELLI, Anton EMMONTS, Fritz GRETCHANINOFF, A. NORTON, Christophen SCHOENMEHL,Mike STRAWINSKY, Igor TÜRK, Daniel G. Arcádia 10 Kleine Stücke IV e V Walzer op. 39 Pequeños Estudios Melódicos op. 149 Let´s Play Duets Pieces in Compous of a Fifth Albun op.98 Microjazz Piano Duets I e II Jazz for Two Three Easy Pieces Five Easy Pieces Tonstücke

26

BIBLIOGRAFIA

COLL, C. Psicologia e currículo: uma aproximação psicopedagógica à elaboração de currículo escolar. 4ed. São Paulo: Ática, 1999. CUDDY, L. L. & UPTIS, R. Aural Perception. In : Cowell, R. (ed.) Handbook of Research on Music and Teaching Learning. New York, Schirmer Books, 1992, p. 344-359. BEINEKE, V. Composição em sala de aula: como ouvir as músicas que as crianças fazem? In: Hentschke, L; Souza, J. (Org.) Avaliação em música: reflexões e práticas. São Paulo: Moderna, 2003. FRANÇA, C. C. Engajando-se na conversação: considerações sobre a técnica e a compreensão musical. Revista da ABEM, Porto Alegre, n 6, p.35-40, set. 2001. ______. Performance Instrumental e Educação Musical: a Relação entre a Compreensão Musical e a Técnica. In: Per Musi: Revista de Performance Musical. Escola de Música-UFMG, v.1. Belo Horizonte, ,p 52-62, 2000. ________. O som e a forma – do gesto ao valor. In: Hentschke, L; Del Ben, L. (Org.) Ensino de Música: propostas para pensar e agir em sala de aula. São Paulo : Moderna, 2003. FREIRE,V.L.B. Currículos, apreciação musical e culturas brasileiras. Revista da ABEM, Porto Alegre, n.6, p.69-72, set. 2001. FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 26.ed. São Paulo: Paz e Terra, 2003. GIMENO SACRISTÁN, J., PÉREZ GÓMEZ A. I. Compreender e tranformar o ensino. 4.ed. Porto Alegre:Artmed, 2000. GROSSI,C.S. Avaliação da percepção musical na perspectiva das dimensões da experiência musical. Revista da ABEM, Porto Alegre, n.6, p.49-58, set. 2001.

27

___________. Questões emergentes na avaliação da percepção musical no contexto universitário. In: Hentschke,L; Souza, J. (Org.) Avaliação em música: reflexões e práticas. São Paulo: Moderna, 2003. HENTSCHKE, L. Avaliação do Conhecimento Musical dos Alunos: Opção ou Necessidade? In: Anais do III Encontro Anual da ABEM. 1994, Salvador- Ba, p.4560, jun. 1994. HENTSCHKE, L.; DEL BEN, L. Aula de música: do planejamento e avaliação à prática educativa. In: _______;_________. (Org.) Ensino de Música: propostas para pensar e agir em sala de aula. São Paulo : Moderna, 2003. LUCKESI, C.C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 10 ed. São Paulo: Cortez, 2000 OLIVEIRA, A. Fundamentos da Educação Musical. Fundamentos da educação musical. Porto Alegre: ABEM Maio/1993 p.26-46 (Série Fundamentos 1) SILVA, J.A.S. A composição como prática regular em cursos de música. In: Revista Debates, Rio de Janeiro, UniRio, n.4, p.95-108, fev. 2001. SILVA, T. T. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias de currículo. 2.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2002. SOUZA, J. Cotidiano e educação musical: abordagens teóricas e metodológicas. In:____(Org.) Música,cotidiano e educação. Porto Alegre: Programa de PósGraduação em Música do Instituto de Artes da UFRGS. 2000.p.15-57. SWANWICK, K. A Basis for Music Education. London: Nfer-Nelson, 1979/1992. _______ Ensinando música musicalmente. Trad. Alda Oiveira e Cristina Tourinho. São Paulo: Moderna, 2003. _______ Ensino instrumental enquanto ensino de música. Cadernos de

Estudo:Educação Musical, São Paulo, 4/5,7-14, 1994. _______ Music,Mind, and Education. London: Routledge, 1998.

28

TOURINHO, C; OLIVEIRA, A. Avaliação da performance musical. In: Hentschke,L; Souza, J. (Org.) Avaliação em música: reflexões e práticas. São Paulo: Moderna, 2003. TOURINHO,I. Seleção de repertório para o ensino de música. Em Pauta, Porto Alegre, v.5,n.8, p.17-28, dez. 1993. WALTERS, D. L. Sequencing for efficient learning In : Cowell, R. (ed.) Handbook of Research on Music and Teaching Learning. New York, Schirmer Books, 1992, p. 535-544.

29

NÍVEL AVANÇADO Ao final do nível AVANÇADO o aluno deverá ser capaz de:

COMPOSIÇÃO

APRECIA ÇÃO

EXECUÇÃO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO SELEÇÃO DE CONTEÚDO e HABILIDADES

*0 Usar elementos da ●Analisar música, habilidades, trabalhos técnicas e processos a musicais, inclusive fim de estruturar obras os seus. musicais. *1 Demonstrar ●Ouvir criticamente de

•

Executar

com

fluência,

●Aprofundamento

dos

conteúdos

e

segurança e expressividade desenvolvimento das habilidades dos níveis obras musicais completas de anteriores. diversos estilos, como solista ou participante de grupos instrumentais, usando técnica apropriada e demonstrando seu papel como intérprete. • Preparar obras musicais ●Cifras. ●Campo tonal dos tons maiores e e utilizando-se de análise e estudo de maneira autônoma. Reapresentar musical depois uma de obra obra ●Acordes e arpejos de sétima da compreensão da música e de dominante e diminuta. ●Formas variadas de cadências: I VI I I IV I II V I Conteúdos mínimos:

preocupações com a musicas coerência estrutural da diferentes obra e

sua períodos, estilos e culturas. na ●Comparar diferentes idéias execuções de uma • uma mesma musical. ●Referir-se de

expressividade. *2 Improvisar execução desenvolvendo dentro de estrutura dada

refletir menores. ●Reconhecimento sobre sua execução anterior. modulações.

das

tonalidades

30

maneira adequada • às composições e improvisações próprias outros músicos, desenvolvendo senso respeito crítico o e á e alunos de e

Realizar um recital de no possibilidade deste ser o seu exame de conclusão de nível.

●Contacto

com

diferentes

tipos

de

mínimo 20 min. havendo a escalas. ●Polirritmia de 3 contra 2 e outras formas. ●Ritmos brasileiros. ●Recursos rítmicos e melódicos. ●Solfejo. Habilidades: ●Uso de vocabulário musical adequado. ●Execução de acordes e arpejos de sétima de dominante e diminuta em duas oitavas, movimento direto e contrário com mãos juntas. ●Harmonização com diversos tipos de cadências. ●Harmonização com notas guias e de tensão. ●Leitura de cifras com notas de tensão. ●Transposição no campo tonal e modal.. ●Executar peças de memória. ●Tocar músicas de ouvido. ●Leitura à primeira vista. 31

produção do outro.

• Execução de peças que contemplem formas variadas:sonata, rondo, concerto, sinfonia, suite, variações, fugatto, etc. ●Execução de peças que contemplem texturas polifônicas. ●Análise da estrutura formal e harmônica. ●Conhecimento da biografia de seu repertório. ●Execução contemporâneos. ●Apresentar semestralmente uma peça em audição. Habilidades Técnicas: ●Domínio da técnica pianística (mínimo de esforço para o máximo rendimento). ● Controle do movimento corporal. ● Aplicação de dedilhados funcionais e individualizados. ●Independências das mãos e dedos. ●Articulação staccato, non legato, legato com notas duplas e legatos em passagens longas. 32 de peças de autores

●Substituição de diferentes dedos na mesma tecla. ●Abertura de mãos para oitavas e passagens com oitavas. ●Domínio fraseológico. ●Ornamentos expressiva. ● Mudanças súbitas de: compasso; tempo; dinâmica; registro; posição; métrica; textura e timbre. utilizados com função

33

REPERTÓRIO
O repertório utilizado será variado, contemplando diversos estilos musicais, de acordo com a seleção de conteúdos do plano de curso. O repertório “para cada aluno deverá ser fonte de aprendizagem, nem tão fácil que não ofereça um desafio nem tão difícil que comprometa a fluência. Da mesma forma deve oferecer a possibilidade de explorar fraseado, dinâmica, textura, possibilitando ao aluno crescimento técnico e musical”, deve oferecer ainda material “que equilibre forma, conteúdo e que tenha qualidade artística intrínseca”. (Tourinho,Oliveira,2003) ) O repertório deve estar aberto a contemplar peças musicais do cotidiano do aluno, quer de origem popular, litúrgica ou outras. As peças que seguem são apenas uma referência quanto ao nível desejável de desenvolvimento de habilidades e conteúdos que o aluno deve alcançar e apresentar ao final do nível. Peças referência - Avançado Bach J.S. Mozart W.A Schumann R. Kabalewsky D. Invenções Sonata em Do M KW545 Fantasy Dance (Album Bläter) Sonata em Do M op.13 nº1

Sugestão de peças e obras: COMPOSITORES ESTRANGEIROS

BACH, J.S. BARTÓK, Bela BEETHOVEN, Ludvig van BEETHOVEN, Ludwig van

Invenções e Sinfonias Pequenos Prelúdios e Fuguetas Mikrokosmos vol. IV, V e VI For Children vol. I e II Sämtliche Bagatelle Sonatas

CHOPIN, Frederic CLEMENTI, Muzio GERSWIN, George GRIEG, Edvard HAYDN, Joseph HINDEMITH, Paul KURTÁG, George LIGETI, György MOZART, Wolfgang A. PROKOFIEV, SCARLATTI, Domenico SCHUBERT, Franz SCHUMANN, Robert SCRIABIN, Alexander

Valsas, Prelúdios e Mazurcas Sonatas e Sonatinas Preludes for Piano Lyriche Stücke Sonatas e Sonatinas, Variações Ludus Tonalis For Piano vol. I e II Musica Ricercata Sonatas, Variações, Rondós Visions Fugitives op.22 Peças para crianças op. 65 200 Sonate Sämtliche Tänze Albumbläter op. 124, op. 99 Álbum para Juventude op.68 Ausgewählte Werke / Piano

Sugestão de peças e obras: COMPOSITORES BRASILEIROS FERNANDEZ, Lorenzo Suítes Brasileiras 35

Historietas Maravilhosas GNATTALI, Radamés LACERDA, Osvaldo NAZARETH, Ernesto NOBRE, Marlos SANTORO, Cláudio VILLA-LOBOS, Heitor WIDMER, Ernst Valsas Cromos – caderno nº 3 Tangos, Maxixes e Valsas Três Ciclos Nordestinos Prelúdios Cirandas e Cirandinhas Guias Práticos Ludus Brasiliensis vol. III, IV e V

Obs.: É desejável que o repertório do aluno, contemple peças de autores de música popular brasileira.

Sugestão de peças e obras: PEÇAS A QUATRO MÃOS
BIZET, Geoges BRAHMS, Johannes FAURÉ, Gabriel RAVEL, Maurice SCHUBERT, Franz Jeux D’enfants op. 22 Danças Húngaras Dolly op.56 Mamèrel’Oye Werke Klaviervierhänden vol. I e II 36

SCHUMANN, Robert

Original Compositionen Klaviervierhänden

37

NÍVEL AVANÇADO – PIANO POPULAR Ao final do nível AVANÇADO o aluno deverá ser capaz de:

CONTEÚDO COMPOSIÇÃO APRECIAÇÃO EXECUÇÃO PROGRAMÁTICO
SELEÇÃO DE CONTEÚDO e HABILIDADES

•

Usar elementos da

•

Analisar trabalhos musicais, inclusive os seus. Ouvir criticamente musicas de diferentes períodos, estilos e culturas. Comparar diferentes execuções de uma mesma obra musical. Referir-se de maneira adequada composições e improvisações próprias e de outros alunos e às

•

Executar com fluência, segurança e expressividade obras musicais completas de diversos estilos, como solista ou participante de grupos instrumentais, usando técnica apropriada e demonstrando compreensão da música e de seu papel como intérprete.

• Iniciação ao piano popular: intervalos escala maior; • Primeiras formações dos acordes: tríades, introdução ao voicing com tétrades, distribuição de acordes na formação 3-7 e 7-3 com baixo na tônica; • Cifras: formato brasileiro e americano; • Introdução às tensões de 9ª, 11ª, 13ª e suas 38

música, habilidades, técnicas e processos a fim de estruturar obras musicais. • Demonstrar preocupações com a coerência estrutural da obra e sua expressividade. • Improvisar na • • execução desenvolvendo idéias dentro de uma estrutura dada • •

•

Preparar obras musicais utilizando-se de análise e estudo de maneira

músicos, desenvolvendo o senso crítico e respeito • à produção do outro.

autônoma. Reapresentar uma obra musical depois de refletir sobre sua execução anterior. • Realizar um recital de no mínimo 20 min, havendo a possibilidade deste ser o seu exame de conclusão de nível.

alterações; • Noções básicas de acompanhamento, linhas de baixo e levadas: canção (binário e ternário), bossa nova (marcação nos tempos 2 e 4 do swing), choro, samba, baião, jazz valz, balada; • Técnicas de estudos rítmicos; • Exercícios de improvisação; • Escala pentatônica maior e menor, Escala diminuta; • Campo harmônico maior e menor; • Progressões de acordes:

39

II-V-I no modo maior e menor; • Harmonia de apoio, forma A e forma B; • Transcrição de solos; • Modos gregos: dórico, frígio, lídio, mixolídio, eóleo, lócrio.

40

REPERTÓRIO
O repertório utilizado será variado, contemplando diversos estilos musicais, de acordo com a seleção de conteúdos do plano de curso. O repertório “para cada aluno deverá ser fonte de aprendizagem, nem tão fácil que não ofereça um desafio nem tão difícil que comprometa a fluência. Da mesma forma deve oferecer a possibilidade de explorar fraseado, dinâmica, textura, possibilitando ao aluno crescimento técnico e musical”, deve oferecer ainda material “que equilibre forma, conteúdo e que tenha qualidade artística intrínseca”. (Tourinho,Oliveira,2003). O repertório deve estar aberto a contemplar peças musicais do cotidiano do aluno, quer de origem popular, litúrgica ou outras.

MÉTODOS e ÁLBUNS • • • • • • • • • • • Técnicas de Estudos Rítmicos de Cláudio Dauelsberg; Voicing e estruturação de acordes de Thierry Lang; Songbooks (Lumiar Editora); Transcrições e arranjos – coletâneas de alunos da UNIRIO, prof. Cláudio Dauelsberg; Álbum “Primeira Dama – A Música de Dª Ivone Lara”, Leandro Braga; Álbum “Ivan Lins” (editora Fermata); Métodos para Piano Popular 1 e 2, Rosana Giosa; Repertórios para Piano Popular 1, 2 e 3, Rosana Giosa; “Rítmica e Levadas Brasileiras para o Piano”, Turi Collura; Álbuns de arranjo e repertório populares, Wilson Curia; “O Cancioneiro Jobim”, vols. 1 a 6, Jobim Music.


				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:8220
posted:12/22/2009
language:
pages:41