Docstoc

SLIDE SOBRE PRÉ MODERNISMO

Document Sample
SLIDE SOBRE PRÉ MODERNISMO Powered By Docstoc
					Pré-modernismo

CLEMILDA SOUZA
ilda_dias@hotmail.com

Contextualização histórica (final do séc. XIX e início séc. XX)



   


    

Europa vivia a primeira guerra Mundial Brasil Política do café-com-leite – SP (barões do Café) MG (grandes pecuaristas) Negros marginalizados Nordestinos pobres "Senhores do gado e café" Região norte – Progresso e Riqueza * Ciclo da Borracha (Amazônia) Revolta da Chibata (RJ) Revolta da Armada (RJ) Revolta contra a obrigatoriedade da vacina (Varíola) Canudos – BA – Antonio Conselheiro – Jagunço Cangaço – Nordeste – Lampião e seu bando Misticismo religioso - Pe. Cícero (CE)

Presença de resíduos culturais do século XIX

Busca de novas formas de expressão
Redescoberta do Brasil por meio da denúncia da realidade brasileira

Quatro tendências no período:
1. Parnasianos: ainda imperantes, com suas idéias formalistas, sua concepção da literatura como "sorriso da sociedade", sua linguagem retórica e bacharelesca. Olavo Bilac, na poesia, e Coelho Neto, na prosa, são os "príncipes" idolatrados.

2. Simbolistas: grupo relativamente
inexpressivo que ainda sonha com neves e neblinas e escuta os doces violinos de Verlaine. Nas décadas posteriores: Manuel Bandeira, Cecília Meireles e Mário Quintana

3.Realistas ou neo-realistas: prosadores
cujos procedimentos literários são tipicamente realistas ( objetividade, verossimilhança, crítica social, análise psicológica, etc.)

Fixação do universo suburbano carioca

Ficção brasileira o vaqueano do pampa rio-grandense, registrar-lhe a fala regional.

4. Intérpretes do Brasil

Analisa os problemas da fixação dos imigrantes no Brasil Graça Aranha

Narrativa documental da Guerra de Canudos Euclides da Cunha

Regionalismo, montando-se um vasto painel brasileiro:


  

Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto (retrata o governo de Floriano Peixoto e a Revolta da Armada), Os Sertões, de Euclides da Cunha (um relato da Guerra de Canudos), Cidades mortas, de Monteiro Lobato (mostra a passagem do café pelo vale do Paraíba paulista), e Canaã, de Graça Aranha (um documento sobre a imigração alemã no Espírito Santo).

Texto jornalístico e científico

Uma ligação com fatos políticos, econômicos o sociais contemporâneos, diminuindo a distância entre a realidade e a ficção.

Os tipos humanos marginalizados:


o sertanejo nordestino, o caipira, os funcionários públicos, os mulatos.



 

O regionalismo — nascido do Romantismo —

persiste nesse momento literário, mas com características diversas daquelas que o animaram durante o Romantismo.

Denúncia dos desequilíbrios nacionais


Em Triste fim de Policarpo Quaresma,
– – –

romance mais importante de Lima Barreto, o escritor denunciou a burocracia no processo político brasileiro, o preconceito de cor e de classe e incorporou fatos ocorridos durante o governo do Marechal Floriano.



Em Os Sertões, Euclides da Cunha fez a narrativa quase documental da Guerra de Canudos. Em Urupês e Cidades mortas, Monteiro Lobato destaca a decadência econômica dos vilarejos e da população cabocla do Vale do Paraíba, durante a crise do café.



Denúncia dos desequilíbrios nacionais


Em Triste fim de Policarpo Quaresma,
– – –

romance mais importante de Lima Barreto, o escritor denunciou a burocracia no processo político brasileiro, o preconceito de cor e de classe e incorporou fatos ocorridos durante o governo do Marechal Floriano.



Em Os Sertões, Euclides da Cunha fez a narrativa quase documental da Guerra de Canudos. Em Urupês e Cidades mortas, Monteiro Lobato destaca a decadência econômica dos vilarejos e da população cabocla do Vale do Paraíba, durante a crise do café.



Tem a obra dividida em três partes:


A Terra,
–

onde descreve com uma riqueza às vezes até triste de detalhes o sertão baiano, onde descreve com o mesmo nível de riqueza o sertanejo, e



O Homem,
–



A Luta,
–

onde a Guerra propriamente dita é retratada.

Monteiro Lobato:


A Realidade Brasileira...
–

Utilizando uma linguagem simples, expressa as tensões sociais, políticas e econômicas daquela época.



   

Lutou através da imprensa e pessoalmente, pelo saneamento, pela exploração do petróleo e o ferro, pela educação e saúde do país. Aproxima-se das idéias do Partido Comunista Brasileiro. Controvertido, ativo e participante, defende a modernização do Brasil nos moldes capitalistas. Faz uma crítica fecunda ao Brasil rural e pouco desenvolvido,
–

como no Jeca Tatu (estereótipo do caboclo abandonado pelas autoridades governamentais) do livro Urupês.

Lima Barreto: O "marginal"






De origem humilde, filho de pai português e mãe escrava, Afilhado do Visconde do Ouro Preto, conseguiu estudar e ingressar aos 15 anos na Escola Politécnica. Foi um grande crítico social. Era negro, vítima de preconceitos, utilizava-se de suas obras para denunciar a desigualdade social da época, rompendo com o nacionalismo até então constante em todos os autores pré-modernistas.

Triste Fim de Policarpo Quaresma,
 

o personagem do título é um fanático nacionalista termina por descobrir o quão obscura é a realidade do Brasil.

A obra é dividida em três momentos: no primeiro,
  



Policarpo Quaresma, funcionário público, passa os dias estudando sobre o seu amado país, o Brasil. Envia um requerimento sugerindo que a língua oficial do Brasil tornasse-se o tupi guarani, língua nativa da região. Teve o pedido negado e fora internado num manicômio.

No segundo momento,


Policarpo, com a ilusão de que todas as terras de seu amado Brasil fossem férteis,
–

aventura-se em comprar uma fazenda e plantar.

 

Ele o faz numa fazenda chamada Sossego. A realidade mais uma vez lhe dá um tapa na cara,
– –

a terra não é tão fértil como ele pensava e ainda não conseguiu lidar com as represálias dos políticos da região.

No terceiro e último momento,
  




Policarpo retorna ao Rio de Janeiro. Apoia o presidente marechal Floriano Peixoto Participa como voluntário da Revolta da Armada Critica como os prisioneiros eram injustamente tratados Por isso, e preso e condenado ao fuzilamento por ordem do próprio presidente.

Obras literárias Lima Barreto (1881-1922) SP

"Recordações do escrivão Ísaias Caminha" "Triste fim de Policarpo Quaresma" Romances "Numa e Ninfa" "Morte e Vida de M.J. Gonzaga de Sá" "Bruzundanga" } Sátira "Historia e Sonhos" } Contos

Euclides da Cunha (1866 –1909) Rio de Janeiro
"Os Sertões" "Peru Versus Bolívia" "Contrastes e Confrontos" "A margem da história" "Histórias do sitio do pica-pau amarelo" Obra Infantil

Versos ìntimos
Augusto dos Anjos

Modo imperativo

Vês! Ninguém assistiu ao formidável Enterro da tua última quimera. Somente a Ingratidão - esta pantera Foi tua companheira inseparável! Acostuma-te à lama que te espera! O Homem que, nesta terra miserável, Mora entre feras, sente inevitável Necessidade de também ser fera

É um soneto clássico?

Determinismo

Relaciona a vida social do homem à vida dos animais naturalismo

Toma um fósforo. Acende teu cigarro! O beijo, amigo, é a véspera do escarro, A mão que afaga é a mesma que apedreja.
Ações que recomenda ao leitor

Se alguém causa inda pena a tua chaga, Apedreja essa mão vil que te afaga, Escarra nessa boca que te beija!

Características:  Herança naturalista (teorias cientificas / Antropologia, Sociologia, etc.)  Crise de identidade e aspectos deprimentes da vida expressos em toda sua obra  Ceticismo amorosos  Angustia existencial  Vocabulário cientifico, /exótico, irônico  Fixação pela morte (poesia gótica) e pela putrefação da carne devorada por vermes

"Se seus sonhos estiverem nas nuvens, não se preocupe, pois eles estão no lugar certo; agora construa os alicerces e suba até lá!.― Estude Dedique-se Você vencerá!

Profª. Clemilda

Fique por dentro do Acontecimentos

•1911 - Oswald de Andrade funda o semanário humorístico O Pirralho.
•1912 - Oswald de Andrade traz da Europa idéias futuristas de Marinetti - Último passeio de um tuberculoso, pela cidade, de bonde. •1913 - Lagar Segall realiza sua primeira exposição no país => expressionismo => sem grande repercussão. •1914 - Primeira exposição de Anita Malfatti.

•1915 - Marco inicial do Modernismo em Portugal => Revista Orpheu (Ronald de Carvalho, Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro). •1916 - Primeira redação de Memórias Sentimentais de João Miramar, de Oswald de Andrade. •1917: - Oswald de Andrade conhece Mário de Andrade. - Mário de Andrade (=Mário Sobral) publica o livro Há uma gota de sangue em cada poema. - Menotti del Picchia publica o poema regionalista Juca Mulato. - Guilherme de Almeida publica Nós, poesia de cores passadistas. - Manuel Bandeira estréia com o livro Cinza das Horas.

- Cassiano Ricardo publica A frauta de Pã (moldes parnasianos). - O Pirralho publica a primeira versão de Memórias Sentimentais de João Miramar, com ilustrações de Di Cavalcanti. - Di Cavalcanti realiza exposição de caricaturas em São Paulo. - Rumorosa exposição de Anita Malfatti / Crítica de M. Lobato => Paranóia ou Mistificação ? / Apoio de Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Menotti del Picchia, Guilherme de Almeida e Di Cavalcanti. •1918 - Publicação de Messidor, de G. de Almeida. - Publicação de Carnaval, de M. Bandeira. •1920 - O grupo de jovens modernistas descobre um jovem escultor, Victor Brecheret, criador do ―estado de espírito‖, segundo os modernistas.

•1921 - Manifesto do Trianon, em homenagem a Menotti del Picchia, por ocasião do lançamento de seu livro As Máscaras / Crítica de Oswald de Andrade aos passadistas em defesa da arte moderna. - Mário de Andrade escreve as poesias de Paulicéia Desvaiarada.

- Mestres do Passado => série de artigos críticos, escritos por Mário de Andrade, sobre os poetas parnasianos, que ainda dominavam o ambiente literário oficial => escândalo.
- Exposição de Di Cavalcanti - Fantoches da Meia-Noite. / Encontro com Graça Aranha => idealização da Semana de Arte Moderna.


				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:18419
posted:10/20/2008
language:
pages:30