Docstoc

Apostila - O Tabernáculo

Document Sample
Apostila - O Tabernáculo Powered By Docstoc
					- O Tabernáculo visto de fora Êxodo. 28:8 - “E Me farão um Santuário, e habitarei no meio deles”. Hebreus 3:6 - “Mas, Cristo, como Filho, sobre sua própria casa, a qual casa somos nós, se tão somente conservarmos firmes a confiança e a glória, da esperança até o fim”. Hebreus. 8:5 - “... olha, faze tudo conforme o modelo que se monte se te mostrou.’ Colossenses 1:27 - “ Cristo em vós, esperança da glória ...” Colossenses 2 : 6 - “... assim, também andai nele”. Colossenses 2:10 - “E estais perfeitos nele”. l Coríntios 3:16 - Não sabeis vós, que sois o Templo de Deus, e que o Espírito de Deus, habita em vós? “ l Coríntios 6:19 - “Glorificai pois, a Deus, no vosso corpo, e no vosso Espírito, e nos quais, pertencem a Deus”. A descrição do tabernáculo, é feita na Bíblia, de dentro para fora, pois é a maneira que Deus vê as coisas, em sua onisciência, enquanto o homem as vê, segundo as aparências, pelo exterior, e é por esse ângulo, que iremos analisar o tabernáculo, começando do lado de fora, isto é, de fora para dentro. l Samuel. 16:7 - “Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, nem para a sua estatura, porque o tenho rejeitado, porque o Senhor não vê como o homem, pois o homem vê, o que está diante dos olhos, porém, o Senhor olha para o coração”. O Tabernáculo, por fora, era constituído de linho fino torcido. LINHO FINO O linho fino, fala da santidade de Deus. Êxodo. 17:9 - “ ... O pátio, terá cortinas de linho fino torcido”. Dos textos citados na introdução, vemos que a preocupação do Senhor Deus, foi de preparar um lugar, para nele Se manifestar ao Seu povo, na expressão de Paulo: “Tabernaculando com Seu povo”. A lição do Velho Testamento, tem o mesmo valor para nós, Tanto na figura exterior, e interior, do tabernáculo, como simbolismo de cada parte. O Tabernáculo era pois, o lugar da morada de Deus, escolhido, como o lugar de Suas manifestações e bênçãos, para proveito do homem. A medida que o povo caminhava, o Tabernáculo também se deslocava na direção de Canaã. o Tabernáculo, era uma figura das coisas espirituais do futuro, na representação simbólica de Jesus Cristo, e depois, da sua igreja, seus membros em particular, como é chamado, Templo do Espírito Santo, conforme l Coríntios. 3:16. l Coríntios. 13:12 - “Agora, vemos por espelho, em enigma, porém, O veremos face a face”, O LINHO

O fio que tecia a cortina, era de linho, e nisto o povo foi obediente, embora tenha sido caro, pois deram como oferta da porção, que possuíam como bem pessoal. Asa dádivas de linho somadas, foram suficientes para construir o Grande Tabernáculo Assim é a igreja de Cristo, a santidade do crente, deverá ser usada para construção do grande Templo de Deus. O homem sozinho, não pode realizar a obra de Deus, que é realizada por fé, obediência, e renúncia. LINHO TORCIDO O homem pode fazer a construção de sua própria casa, como os israelitas construíram suas tendas tecidas de qualquer fio, porém, na construção da casa de Deus, isto é, na obra de Deus: Só o linho fino torcido, podia ser usado. É questão de obediência. Linho retorcido: Santidade sobre Santidade. Is. 6:3 - “ ... Santo, Santo, Santo ...” Apocalipse. 4:8 - “... Santo, Santo, Santo, é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, que é e que há de vir”. O homem pode preparar o seu lugar de culto, tecendo-o com o fio que quiser; é mais fácil. Alguns até misturam o linho, com outros tecidos, porém, Deus exige um lugar de culto preparado segundo a Sua vontade: Linho torcido. Êxodo. 25:9 - “Faze segundo o modelo que te mostrei no Monte ... “ Quanto mais obediente o homem, mais perfeito será o tabernáculo. Em volta do Tabernáculo, estavam as tendas dos israelitas como proteção, e ao mesmo Tempo, eqüidistantes de todo o acampamento. Na 1ª lição, a manifestação da presença de Deus, é sempre através do Seu povo separado (tendas em volta) . Na 2ª lição, a eqüidistância das casas, ensina que os homens, estão a igual distância da bênção. TABERNÁCULO E DESERTO O Tabernáculo, sendo de linho torcido, tinha uma diferença de coloração das areias do deserto pouco acentuada, principalmente, aos que estavam distante do acampamento, que quase não distinguiam as construções do deserto. Assim é o homem distante de Deus, não faz diferença do povo de Deus nem das coisas Santas, ou daquilo que Deus, é, e o que Ele representa para o crente. Para o mundo, tudo é igual, para tantos, nem pecado existe. Como não podiam de longe diferenciar o Tabernáculo do deserto, de longe, também o homem, não consegue ver e discernir, a obra de Deus. Porém, à medida que se aproxima de Sua Obra, começa a perceber a grande diferença existente entre os mínimos detalhes: Tendas, Tabernáculos, linho Torcido, Deserto, etc. CORTINADA Pergunta-se: Por que o Pátio era cercado por uma cortina, e não por um muro de pedras? A Santidade de Deus, na vida do homem, não é um muro de separação do mundo. - João. 17:15 - “Não peço que os tire do mundo, mas que os livre do mal”. É uma leve separação, que está entre o homem de Deus e o mundo. A Santidade, é muitas vezes contemplada pelo mundo, inclusive pela sua leveza, como o linho que dá para transparecer algo, como sombras de coisas que se passam no interior do crente (no seu coração), porém, jamais poderá entender o que se passa no átrio, e muito menos, no Santo Dos Santos. “O Segredo de Deus, é para os que O Temem”. A Cortina estava exposta aos ventos, sol, intempéries do deserto, o frio, e o calor, que igualmente como o vento, e o sol causticante das lutas da vida, são os inimigos da Santidade, que como o linho, tem que permanecer intacta em seu lugar, para resguardar do mundo, os segredos de Deus, e sua presença, dando guarida, às manifestações do Espírito Santo, no interior do homem. O linho sujo ou rasgado, deveria ser restaurado imediatamente, pela tribo de Levi. Da mesma forma, os ministérios são usados no Espírito, Para Santificar, ou para edificar a igreja. Se a Cortina rasgar, e não for consertada, o mundo escarnecerá do crente. Olhando pelo orifício, chamando a atenção do mundo, que verá o pecado do homem, e concluirá da ausência de Deus na sua vida. ISTO SERIA UM ESCÂNDALO. Cada conserto custa caro, e precisa ser bem feito. Da mesma forma, as manchas também denunciam imperfeição da cortina, no “Sede Santos”. CLAMOR PELO SANGUE - Quem conhece este recurso da comunhão com o Senhor, poderá usá-lo para limpar, ou reconstruir a cortinada de linho. Enquanto o homem não entra no Santo Dos Santos, numa intimidade mais profunda com Deus, fica sujeito a intempéries da vida, neste mundo de pecados, onde os ventos sopram constantemente, tentando colocar as sujeiras do mundo, sobre as coisas de Deus. Mateus. 5:16 - “Assim, brilhe a vossa luz...”

Mateus. 5:13 - “... sois o sal da terra ...” Apocalipse. 3:18 - “... compres vestiduras brancas ....’ ll Co. 5:17 - “Quem está em Cristo, nova criatura é ...” O Átrio exterior não era coberto, e eis porque muitos não vêm a glória de Deus. Daí, porque as alterações espirituais em muitos que ainda não entraram na plenitude do poder, através dos recursos e passos, na direção do Santo dos Santos. SUSTENTO DA CORTINADA A Cortinada não se mantinha de pé sozinha, é claro. Havia colunas montadas sobre bases de cobre, as quais fixavam colchetes de prata, que sustentavam as cortinas. - O Cobre ou Bronze - Símbolo da Justiça de Deus. Romanos. 5:1 - “Justificados pois, mediante a fé, temos Paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo”. “Pés polidos como latão”. - Prata - Símbolo da Redenção. (a traição, foi trinta moedas de Prata). Lc. 21:28 - “... erguei as vossas cabeças ... vossa redenção se aproxima”. - Lição As colunas montadas sobre a base de cobre, nos falam da justiça de Deus, para com o homem, para separar a Santidade de Deus do mundo, ou do chão desta vida, ou melhor, das areias do deserto, Deus usa o seu poder, através da justificação. Tudo é construído sobre esta base. E nada existe, que a substitua, pois o contato com o chão (mundo), exige material resistente, que só o Senhor pôde e pode oferecer. Daí, concluirmos, que somos justificados para sustentar a Santidade de Deus no mundo, pela sua Redenção. RECORDANDO - Base e coluna de cobre - Cortina de linho - Colchetes de prata ALTURA DA CORTINA Êxodo. 27: 9-19 - A Cortina exterior, media 5 côvados de altura - 2,22 m. Esta é a altura máxima de um homem. - Lição: A Santidade de Deus, nunca vai além da estatura do homem, por maior que ele seja. O homem não é Deus, não pode ser super-homem em santidade. Poderá ser fiel, obediente, submisso, piedoso, etc. Existe, porém, uma medida máxima individual, que muitos podem alcançar normalmente: A medida de Servo Inútil. Não há gigantes Espirituais dentro da igreja. Lembremo-nos disto. A Figura de um Tabernáculo, nos fala de um caminho de comunhão, entre o homem, e Deus. A medida que caminhamos para Canaã, ou seja, para a eternidade, o Tabernáculo caminha, e nos ajuda, nos orientando de dia e de noite, através da nuvem, e da coluna de fogo, que estão sempre sobre ele. Ainda oferecem aos que entram pela porta, do tabernáculo, um caminho de comunhão, e santificação, até poder penetrar no lugar Santíssimo. RESUMO O Crente é o Tabernáculo de Deus, que na obediência, testemunha ao mundo através da cortinada da Santificação, sob as bases e as colunas da Justiça de Deus e que nos redime pelo Sangue de Jesus. Todos os Símbolos e Figuras do Tabernáculo, falam da Santidade, da Justiça, e da Redenção. E é imitando todo esse simbolismo, que o Senhor quer o crente, para n’Ele, fazer morada. Louvado seja O Nome do Senhor. CRISTO EM NÓS, ESPERANÇA DA GLÓRIA Colossensses 1:27 - justificação - santificação - redenção

O TABERNÁCULO NO DESERTO Êxodo. 25:8 - “E Me farão um Santuário, e Habitarei no meio deles”. Êxodo. 25:9 -Conforme a tudo o que Eu te mostrar, para modelo do Tabernáculo, e para modelo de todos os seus vasos, assim mesmo o fareis”. Hebreus. 8:5 - “Os quais servem de exemplar e sombra das coisas celestiais, como Moisés foi divinamente avisado, estando já, para acabar o Tabernáculo; porque lhe foi dito: Olha, faze tudo conforme o modelo, que no monte, se te mostrou”. At. 7:44 “Estavam entre os nossos pais no deserto, o Tabernáculo do testemunho, como ordenara aquele que disse a Moisés que fizesse, segundo o modelo que tinha visto”. O Estudo que ora desejamos apresentar, é com a finalidade tão somente, de que o Senhor Jesus seja mais conhecido, e que a Palavra seja mais deleitosa ao nosso Espírito. Romanos. 15:4 - “Porque tudo o que dantes foi escrito para nosso ensino, foi escrito ... “ Este trecho, enfatiza, que tudo quanto foi escrito, e os outros trechos acima citados, revelam que a Palavra é ligada entre si, e que o V.T. contém lições preciosas, que nos mostrarão mais e mais, a Beleza do Senhor Jesus. João. 1:14 - “E O Verbo Se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua Glória, como a Glória do Unigênito do Pai ... ”. Jesus, o Filho de Deus, Tabernaculou (habitou) entre nós, e a Sua Glória foi vista, como a Glória do Unigênito do Pai. Aleluia. Queremos estudar através do Tabernáculo, e ver através de seus simbolismos a pessoa de Jesus, como Emanuel, Deus conosco. O MODELO DO TABERNÁCULO Deus mostrou a Moisés, e frisou 50 vezes, que nada permitia ser modificado, porque na Mente do Senhor, estava tudo muito claro, e tinha um propósito definido: mostrar em tipos, realidades relacionadas com a vinda de Jesus ao mundo. O homem em sua mente finita, não pode compreender a mente infinita do Pai Eterno, por isso, em submissão às determinações do Senhor, são necessárias. Deut. 29:29 - “ As coisas encobertas, são para o Senhor nosso Deus: Porém, as reveladas, são para nós e nossos filhos para sempre, para cumprirmos todas as palavras desta lei “. Este trecho deixa claro, que o que há de revelado, é para nós, e o encoberto para o Senhor, até que queira, no momento propício, nos revelar. João. 13:17 - “Respondeu Jesus, e disse-lhe: O que Eu faço, não o sabes tu agora, mas, tu o saberás depois”. Moisés teve mesmo certa dificuldade em entender, mas a Palavra enfática do Senhor Jesus, foi suficiente para Ele realizar tão grande obra. É bom meditar nisso. Todo o material era simbólico, é o mesmo que encontramos através de toda a Palavra. SIMBOLISMO DO TABERNÁCULO Ouro, Prata, Bronze, Madeira, Etc. - Tudo contendo simbolismo. Col. 1:26 - “O Mistério que esteve oculto desde todos os séculos, e em todas as gerações, e que agora foi manifesto aos Seus santos”. Col. 1:27 - “Aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da Glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da Glória”. Hebreus. 9:6 - “Ora, estando estas coisas assim preparadas, a todo o tempo, entravam sacerdotes no primeiro tabernáculo, cumprindo os serviços”. Hebreus. 9:7 - “ Mas, no segundo, só o Sumo Sacerdote, uma vez por ano, não sem sangue, que oferecia a si mesmo, e pelas culpas do povo”. No trecho acima, o escritor mostra que o único meio, pelo qual o israelita peregrina no deserto, Podia aproximar-se de Deus, era pelo Tabernáculo Depois da vinda do Senhor, o único meio de aproximar-nos de Deus, é por JESUS. João. 14:6 - “Disse lhe Jesus: Eu Sou O Caminho, e A Verdade, e A Vida. Ninguém vem ao Pai, senão por Mim.”. Há duas partes bem distintas, em Hebreus. 9 (versículos 6 e 7 acima), a anterior (o primeiro), que é o lugar Santo, e também, o lugar Santíssimo (ou o segundo), separados por um véu. Hebreus. 10:11 - “E assim, todo sacerdote aparece cada dia, ministrando, e oferecendo muitas vezes, os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados ... “ Este trecho, e todo o cap. 10 de Hebreus., falam do simbolismo da morte expiatória, que é vista no átrio, quando o adorador, ali se dirigia, levando consigo a vítima, para fazer expiação pelo pecado. Perante o altar, ele colocava a mão na cabeça do animal, e confessava todo o seu pecado, transferindo assim, a culpa, e condenação para a vítima. O Sacerdote imolava a vítima, e aspergia o seu sangue sobre o altar, e oferecia a vítima em holocausto, sobre o altar de bronze. “Sem derramamento de sangue, não há remissão

de pecados”. O Sacerdote levava depois no Santuário, o incenso, sobre o altar de incenso, ali, o israelita não tinha acesso, mas ele aguardava que Deus recebesse através do sacerdote, sua adoração. Tudo isso, e muito mais, sem detalhes, o Senhor vai nos mostrar neste estudo sobre Tabernáculo. Uma vez por ano, o Sumo Sacerdote levava o sangue da vítima, e o aspergia sobre o propiciatório, na presença do Deus Vivo. Tudo nos mostrando que temos, através do Senhor Jesus. O Véu impedia a entrada do adorador, porque os sacrifícios eram imperfeitos, e não tiravam os pecados, mas lembravam ao pecador, o que Deus estava para fazer em seu favor. Aquele sacrifício era pendente, até que Cristo o tornasse real. De Sorte que o Sacrifício do Senhor, seria tão perfeito, que teria poder retroativo, e todos que obedeceram por fé, tiveram sua salvação efetuada por Ele, Quando Cristo entrou no Santuário, com Seu próprio Sangue, fez a Eterna Redenção, e assento-se a Destra do Pai. Hebreus. 10:19 - “Tendo pois irmãos, ousadia para entrar no Santuário, pelo Sangue de Jesus”. Hebreus. 10: 20 - “Pelo novo e vivo caminho que Ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne”. Hebreus. 10:21 - “E tendo um grande Sacerdote, pela casa de Deus”. Hebreus. 10:22 - “Cheguemo-nos, com verdadeiro coração, e inteira certeza na fé; tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa “. Hebreus. 10:24 - “E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos à caridade, e às boas obras”. Hebreus. 10:25 - “Não deixando a nossa congregação, como é costumeiro de alguns, antes, admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia”. Este texto deve ser lodo e meditado. Passo a passo, vamos estudar e desvendar as belezas que o Tabernáculo nos mostra. O ÁTRIO Por que o átrio primeiro, se a Palavra mostra primeiro o lugar Santíssimo ? É para entendermos melhor o caminho do pecador, a ordem do lugar Santíssimo, é como Deus vê, de dentro para fora, Mas nós vamos de fora para dentro, é mais compreensível para nós. Êxodo. 27:9 - “Farás também, o pátio do Tabernáculo, ao lado do meio dia para o sul, o pátio terá cortina de linho fino torcido, o comprimento de cada lado será de cem côvados”. Êxodo. 27:10 - “... também as sua vinte colunas, e as sua vinte bases, serão de cobre: os colchetes das colunas e as suas faixas serão de prata”. Êxodo. 27:11 - “Assim também, do lado do norte, e as cortinas na largura, serão de cem côvados de comprimento: E as vinte colunas, e as suas vinte bases, de cobre; os colchetes de suas colunas e as suas faixas, serão de prata. “. Êxodo. 27:12 - “E na largura do pátio do ocidente, haverá cortinas de 50 côvados: e as suas colunas dez, e as suas bases dez.”. Êxodo. 27:13 - “Semelhantemente, a largura do pátio oriental, para o levante, será de 50 côvados “. Êxodo. 27:14 - “De maneira que haja 15 côvados de cortinas de um lado: suas colunas três, e suas bases três.”. Êxodo. 27:15 - “E quinze côvados de cortinas de outro lado, e suas colunas três, e suas bases, três”. O trecho acima é a descrição do átrio, ou pátio e a primeira referência quanto ao material usado, é linho fino torcido, e um princípio básico, usado na interpretação da Bíblia, é que a Bíblia, interpreta a Bíblia, e que não estamos inventando simbolismo, mas aceitando o que a Palavra nos explica. Apocalipse. 19:8 - “E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino, são as injustiças dos santos”. O linho aqui, é a veste dos remidos que ... foram justificados pelo sangue de Jesus: contraste, com a justiça própria do homem, que é considerada como trapos imundos. (Is. 64:6) Daniel. 10:5 - “E levantei os meus olhos, e olhei, e vi um homem vestido de linho ...” Foi vestido de linho, que o Senhor Jesus, se apresentou a Daniel.” Êxodo. 28:5 - “E tomarão o ouro, e o azul, e a púrpura, e o carmesim, e o linho ... O linho fazia parte das vestes sacerdotais, portanto, baseado nisto, vemos que o linho torcido, simboliza os atos de justiça dos santos, a santidade, a pureza. Depois da ressurreição, a vestimenta com a qual o Senhor se apresentou, era de linho. Santidade, é atributo divino. Isaías 6:1 - “No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e o seu séquito enchia o templo”. Isaías 6:2 - “ Os serafins estavam acima dele; cada um tinha seis asas; com duas cobriam seus rostos, e com duas cobriam os seus pés e com duas voavam”.

Isaías 6:3 - “E clamavam uns para os outros dizendo: Santo, Santo, Santo, é o Senhor dos exércitos, toda terra está cheia da sua glória”. Isto foi o que Isaías presenciou quando viu a glória de Deus: Santo, Santo, Santo. Santo é separado de e separado para: - Separado do pecado - Separado para Deus O pecador não entende esta diferença e só pode avaliá-la quando a santidade de Deus lhe é manifesta. O átrio era separado pelas cortinas de linho para o serviço de Deus, era o 1º passo do pecador em direção a Deus. Isaías, o profeta, Daniel, o apóstolo João, o apóstolo Paulo, todos enfim viram a glória de Deus e caíram prostrados clamando: “ai de mim”. Lucas 5:8 - “E, vendo isto Simão Pedro, prostrou-se aos pés de Jesus dizendo: Senhor, ausenta-te de mim, que sou um homem pecador”. Esta foi a atitude de Pedro ao ver o Senhor Jesus após a pesca maravilhosa. A perfeição que Deus coloca diante de nossas obras, e por melhor que sejam, tornam essas obras em trapos imundos. Isaías 64:6 - “Mas todos nós somos como imundo, e todas as nossa justiças como trapo de imundícia...” A ordem era que se fizessem cortinas de linho fino e torcido lembrando o sofrimento terrível do Senhor, manifesto no retorcimento do linho para dentro do átrio. Santidade sobre Santidade é o que nos ensina o linho torcido. Colunas de madeira com base de bronze e ganchos de prata, material importante, muito visível no pátio, na bacia de bronze, nas colunas das portas. Vejamos o que nos falam: A madeira: João 2:22 - “Quando, pois, ressuscitou dos mortos, os seus discípulos lembraram-se de que lhes dissera isto; e creram na escritura, e na palavra que Jesus tinha dito”. João 2:23 - “E, estando ele em Jerusalém pela páscoa, durante a festa muitos vendo os sinais que fazia, creram no seu nome”. João 2:24 - “Mas mesmo Jesus não confiava neles, porque a todos conhecia”. João 2:25 - “E não necessitava de que ninguém testificasse do homem porque Ele bem sabia o que havia no homem”. A madeira fala da humanidade do Senhor, sua simpatia pelo pecador, frágil, “ele sabe compadecer-se dos ignorantes” porque em tudo ele foi tentado e sabe que a madeira é frágil, Cristo em sua humanidade manifestava-se “cansado”. João 4:6 - “E ali estava a fonte de Jacó, Jesus, pois, cansado do caminho assentou assim junto da fonte. Era isto quase a hora sexta”. 0 Podemos vê-lo ainda sensível à dor humana e sonolento. João 11:35 - “Jesus chorou” Lucas 8:23 - “E, navegando eles, adormeceu...” Jesus como homem, cansava-se, sentia sono, tristeza por isto ele pode ser salvador do homem e seu perfeito advogado junto ao Pai. Bronze Sua autoridade divina para conhecer o pecador, compadecer-se dele, mas julgá-lo. A base de todo julgamento foi entregue ao Filho. João 5:19 - “Mas Jesus respondeu, e disse-lhes: Na verdade, na verdade vos digo que o filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer ao Pai; porque tudo quanto ele faz, o Filho faz igualmente”. Neste trecho podemos ver a segurança do Senhor Jesus no Pai. Ele julga e condena o pecado no homem que n’Ele crê e por isto julga e condena o pecador que não crê. João 18:4-5 - “A quem buscais?... Sou Eu... caíram por terra...” Perfeita revelação do bronze, da dureza quando alguém se vê diante de Cristo, eles não agüentariam ouvir: “Sou Eu”. A Prata Mateus 26:15 - “E disse que me quereis dar e Eu vo-lo entregarei? E eles lhe pesaram trinta moedas de prata...” Mateus 27:3 - “Então Judas, o que o traíra, vendo que fora condenado, trouxe, arrependido, as trinta moedas de prata aos príncipes dos sacerdotes e anciãos...” Zacarias 11:12 - “E eu disse-lhe: Se parecer bem aos vossos olhos, dai-me o que me é devido, e, se não, deixai-o. E pesaram o seu salário, trinta moedas de prata”. Zacarias 11:13 - “O Senhor pois me disse: Arroja isso ao oleiro, esse belo preço em que fui avaliado por eles. E tomei as trinta moedas de prata, e as arrojei ao oleiro na casa do Senhor”.

Estes trechos, falam-nos da Redenção. Cristo se deu em preço de Redenção por nós. A Santidade vista nas cortinas sustentada pela base de sua Justiça, e Juízo, dependurada pela redenção, vista nos ganchos de prata. Tudo concentrado em Jesus. O propósito de Deus, é grande para o pecador, por isso, Ele mandou que fizesse o átrio grande, para acomodar a todos. Mateus. 11:28 - “Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimido, e Eu vos aliviarei”. Mateus 11:29 - “Tomai sobre vós o meu Jugo, e aprendei de Mim que Sou manso e humilde de coração; E encontrareis descanso para as vossas almas”. Apocalipse. 22:17 -”E o Espírito e a Esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede: Venha. ; E quem quiser, tome de graça da Água da Vida”. Cristo Jesus é o grande átrio, lugar maravilhoso; e hoje, seu convite ainda é o mesmo: “VINDE”. Na figura do átrio passado, todo o israelita era convidado a entrar, e a participar do que Deus tinha para ele. Vinde, o átrio está aberto - Aleluia por este lugar em Cristo. A PORTA DO ÁTRIO Êxodo. 27:6 - “E à porta do pátio, haverá uma abertura de vinte côvados, de azul, de púrpura e carmesim, e de linho fino torcido, e de obra do bordador: As suas colunas quatro, e as suas bases quatro”. Êxodo. 27:17 - “Todas as colunas do pátio em redor, serão cingidas de faixas de prata; os seus colchetes serão de prata, mas a sua base, será de cobre”. - A Porta do Átrio É uma Mensagem de Deus para o homem. Os textos citados deverão ser lidos com Reverência, e Sujeição ao Senhor, para que o Espírito use, para que os servos aprendam, e usem a mensagem em conversas pessoais, ao ar livre com crianças, pois é uma mensagem fácil para os que estão interessados em falar do Senhor como A Porta. A Porta do Átrio era larga, quase a metade da largura, e parece uma contradição, porque Jesus se apresenta como a Porta estreita, mas isto significa que é só por um, que se entra, mas ao mesmo tempo, é larga, porque encerra um convite universal “Todo mundo”, é larga, mas o convite é individual. A Cortina é o meio mais fácil de entrar, não precisa bater, você entra solenemente, ninguém necessita conhecer teologia, para saber da Salvação silenciosa, feita pelo seu Salvador e você. Quando a cortina desce, você está dentro, pronto para vislumbrar a beleza de Cristo. Você está dentro, n’Ele. A Porta, ou Reposteiro, era de: 1º - Estofo Azul; 2º - Púrpura; 3º - Carmesim; 4º - Linho Fino Torcido. Todas estas cores, representam uma faceta da Glória de Cristo. AZUL Fala-nos da sua divindade. Deus manifestado em carne. “Eu e o Pai Somos Um”, e o “Verbo se fez carne” . Só Deus nos pode salvar; e Cristo é Deus. E o Azul lembra o Seu Amor. Ester 8:15 - “Então Mardoqueu saiu da presença do Rei com um vestido azul celeste e branco ...” Ester 23:6 - “Vestidos de azul, prefeitos e magistrados ...” Lembra-nos de azul, nas vestes reais. O Evangelho de João fala-nos nesta apresentação da cortina azul, como Deus. PÚRPURA Fala-nos da realeza, o Evangelho de Mateus apresenta Jesus aos judeus como Rei João. 1:3 - “Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele, nada do que foi feito se fez”. Fala também do seu reino na terra, Ele governará este mundo no milênio. Neste texto, João deixa claro que Ele é o Rei do universo, pois todas as coisas foram feitas por Ele. É o Rei da igreja, sendo o Redentor e Senhor, o cabeça. Deus o fez Senhor e Cristo. CARMESIM É a cor que nos fala do sangue, e da expiação operada na cruz. O sacrifício da cruz, só podia ser aceito por um ser perfeito - DEUS. Esta Cortina carmesim, fala que Ele morreu uma só vez por todos. Era homem, e como homem, sua Santidade foi posta à prova; Adão, o primeiro homem posto à prova, caiu, Mas o segundo Adão, tentado em todas as coisa, venceu. Marcos apresenta Jesus nesta cortina, como servo que veio para ser morto. LINHO

É a Cortina que fala da Santidade, apresentada na 2ª lição. Lucas apresenta o Senhor como homem perfeito. “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”. O Deus homem é puro, imaculado, e tudo isto ele transfere para os seus. A divindade, a realeza, a obra redentora, e a santidade, são interdependentes em Jesus, e todas essenciais para a obra de nossa redenção. QUATRO COLUNAS Era o Reposteiro, pendurado nestas quatro colunas; descansamos nas quatro apresentações que representam as quatro colunas, os quatro Evangelhos, cada qual apresentando Jesus, como já citamos. Que maravilha, o entrelaçar perfeito de tudo isto, como a obra exímia de bordador, que nos lembra o Espírito, a tudo enlaçado, em tudo dando vida, em sua perfeita obra. CONCLUSÃO Jesus é o pastor das ovelhas, e o convite é para entrarmos por esta porta bendita, lembrando que é um reposteiro, e que ao levantar a nossa mão a abri-la, ela nos dará entrada, mesmo uma criança poderá fazêlo. Há muitos que se opõem a essa decisão, mas lembremo-nos do versículo: Lc. 13:24 - “Porfiai por entrar pela porta estreita, porque Eu vos digo que muitos procurarão entrar, e não poderão”. Hebreus. 12:1 - “... deixemos todo o embaraço ... e corramos ...” Textos Complementares: Apocalipse. 3: 14-22 \ Cantares. 5:2 \ Mateus. 7: 13-23 \ Apocalipse. 19: 16. O ALTAR DOS HOLOCAUSTOS Êxodo. 27: 1-8 - “Farás também, o altar de madeira de cetim”. INTRODUÇÃO Ao entrar no átrio, o israelita se deparava com um altar feito de bronze, onde a expiação do pecado era feita. Era-lhe impossível aproximar de Deus, quer fosse para oferecer incenso, ou ter qualquer contato com Deus, sem passar pelo altar do holocausto. Ali, o israelita via-se tal qual era: pecador, imundo, necessitando de perdão, através da expiação. Is. 1:6 - “Desde a planta do pé, até a cabeça, não há nele cousa sã, senão feridas, e inchaços, e chagas podres, não espremidas nem ligadas, nem nenhuma delas, amortecida com óleo”. Isto leva à realidade, de que nada é possível ao pecador, sem que passe pelo supremo altar: a cruz; onde o próprio Deus, na pessoa do Deus-Filho, o Deus homem, foi sacrificado, tornando-se vítima, fazendose o Caminho para o Pai. João. 1:29 - “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. João. 14:6 - “Disse-lhe Jesus: Eu sou o Caminho, a Verdade, e a Vida, ninguém vem ao Pai senão por Mim”. Desde o contato dos primeiros pais com o pecado no Éden, Deus mostrou a necessidade de um altar para a purificação do homem. Sendo assim, o altar do holocausto estava ali na entrada e era o primeiro asso do israelita a Deus, assim como a cruz é o primeiro passo do pecador a se aproximar de Deus. QUE SIGNIFICA O ALTAR ? A palavra altar, significa “levantado”, ou “lugar alto” , daí, dizer-se que o altar foi o onde Jesus expiou nossos pecados. Nos versos a seguir, vemos as expressões usadas pelo próprio Senhor. João. 12:32 - “E quando for levantado a todos atrairei a Mim”. João. 3:14 - “Assim importa que o Filho do homem seja levantado”. João. 8:28 - “Quando levantardes o Filho do homem, então conhecereis que Eu Sou”. O Altar era, portanto, a expressão máxima do amor de Deus e do Juízo de Deus, como o é também a cruz. Veja-se nisto, o texto. João. 3:18 - “Quem crê n’Ele, não é condenado, mas quem não crê, já está condenado”.

SIMBOLISMO DO ALTAR Era de madeira e bronze. Lembrando à humanidade do Senhor, na fragilidade do material, madeira e sua divindade, representada na dureza do bronze Mateus. 13:55 - Em sua humanidade, humilde, simples, Filho de carpinteiro de Nazaré. Ninguém dava nada por Ele.

Em sua divindade, Juiz, duro, resistente a qualquer situação. João. 18:6 - “Quando pois lhes disse: Sou Eu, recuaram, e caíram por terra”. Neste texto, vemos retratada sua dureza, sua força, seu poder. Caíram por terra. Era o bronze manifesto em Jesus, a dureza da justiça do homem tão prepotente, mas na verdade, tão fraco. O fogo do altar não poderia se apagar e quem já mais, poderia faria um altar de madeira ? No entanto, assim foi feito porque teria um revestimento de bronze. As duas naturezas, lado a lado, sem serem absorvidas uma pela outra. O fogo não queimará a madeira, At. 2:27 - “Não permitirás que o teu Santo, veja a corrupção”. Cristo nunca seria desfeito em sua carne, por causa daquilo o qual era revestido - a divindade . Assim, como o altar não se queimaria, por causa do bronze que o revestia. Bela mensagem nos dá o altar dos holocaustos: madeira e bronze, homem e Deus DESCRIÇÃO DO ALTAR - Era grande, mostrando a cruz, e seu significado amplo, grande, porque ali foi o pecado de todo o mundo tratado. Daquele altar, adviriam todas as bênçãos para o israelita: perdão, direito de oferecer incenso, participação no culto de Deus. Assim, da cruz, emana tudo o que pecador necessita. - Tinha quatro chifres (ou pontas). Eram as pontas viradas em quatro direções, mostrando que onde o pecador estivesse, na direção em que ele se encontrasse, ele tinha acesso a elas. Também significavam Salvação, poder, proteção, refúgio. Mc. 16:15 expressa bem isto “ide por todo o mundo”. Salvação apregoada a todos. l Rs. 1:50 \ 2:28 - Adonias pegou nas pontas do altar, quando fugiu de Salomão. Conclui-se que: A função dos chifres do altar eram duplas: 1º - Atar a vítima, que se debatia, querendo fugir daquele sofrimento horrível que viria sobra ela. Cristo não relutou, ofereceu-se em sacrifício vivo, conforme o texto: Is. 53:7 - “Como ovelha muda perante os seus tosquiadores, Ele não abriu a sua boca”. 2º - Libertar o fugitivo do castigo os mesmos chifres que eram usados para prender a vítima, soltaram os fugitivos , que prestes a serem mortos pelo vingador de sangue, seguravam neles. João. 3: 14-18 - “Assim na cruz que prendeu o Senhor Jesus, solta o pecador que a ela se chega. Aleluia por tão grande ensino da Palavra. - Caldeirinhas e pás: Eram as caldeirinhas para recolher as cinzas. Indicando que todo sacrifício seria queimado até tornar-se em cinzas, mostrando a consumação absoluta. - Bacias Eram estas para recolher o sangue da vítima, nada seria derramado em vão. Ele seria usado na purificação do utensílio, do tabernáculo, e na consagração dos sacerdotes. Assim como o sangue de Jesus, derramado até a última gota, é usado por Deus, para tudo o que o homem necessita. Todo o sangue vertido no Gólgota, é visto por Deus, e Deus honra o sangue do Seu Filho, e a todo o pecador que vai a Deus, através do vivo caminho o sangue de Jesus, é aceito pelo Pai. Deus salva, liberta, santifica, e usa em seu serviço, e é esta a razão do clamor pelo sangue em nossos corações. - Garfos e Braseiros Os braseiros, ou incensários, eram necessários para receber a brasa acesa, que era tirada deste altar, e era levada para o lugar Santo, e Santíssimo. Todo fogo teria que sair deste altar. Qualquer fogo que fosse deste altar, não seria aceito por Deus, era tido como estranho. Nadabe e Abiú puseram em seus incensários (braseiros) brasas que não foram tiradas desse altar, e foram fulminados por Deus. Deus não aceita adoração, sem que ela seja movida pelo Espírito Santo, a brasa viva, que queima o profundo do ser, e foi Ele, deixando pelo Senhor Jesus, para manter acesa a vida espiritual capaz de produzir a adoração que o Pai aceita, que o Filho recebe.

Não há, portanto, necessidade de brasas, ou incensários nas mãos do homem, isto agora não faz mais sentido, porque a Palavra de Deus diz que o Senhor já derramou o Seu Espírito, e agora purifica, queima o nosso ser de tal forma, que podemos adorar, glorificar a Deus, de maneira que o agrade. Apocalipse. 8:3 - “O incenso, são as orações dos santos”. Um Crivo de Bronze ( ou cobre ) Era colocado conforme descrito no meio do altar, a altura da vista, todos podiam ver este crivo. Era ali, a vítima, colocada para ser queimada - Era a expressão de sofrimento do Cristo no Calvário, o crivo da dor, passada pelo homem indigno, pelo pecador, por mim, e por ti A expressão da misericórdia, medida pelo sacrifício. Argolas e Varais Finalmente a descrição chega ao seu fim, apresentando-nos, as argolas e os varais. Eram para transportar o altar para onde fosse o tabernáculo levado, de tal forma, que estivesse o altar levantado, onde o povo fosse levado. Diz-nos isto, que o Senhor Jesus está no nosso meio seja onde o servo de Deus estiver. Não há separação, não há distância entre Cristo e o pecador. CONCLUSÃO Ao tratar com o israelita o altar do holocausto, era o primeiro encontro, assim como a cruz é o primeiro lugar de encontro, entre o homem e Deus. A BACIA DE BRONZE Êxodo. 30:17 - “E falou o Senhor a Moisés dizendo:” Êxodo. 30:18 - “Farás também uma pia de cobre, com sua base de cobre para lavar, e a porás entre a tenda da congregação e o altar, e deitarás água nela”. O altar de bronze falou-nos da necessidade de um arrependimento total de nossos pecados, por meio da expiação, feita através da morte de um cordeiro, que falava de Cristo, o cordeiro de Deus que seria dado por nós na cruz do calvário, fato cumprido para a nossa perfeita paz com Deus. Depois de passar pelo altar dos holocaustos, deparamo-nos com a bacia de bronze, que ficava entre o altar de bronze, e a porta do lugar santo, indicando que entre o estado da expiação da culpa, e a porta de serviço sacerdotal, havia a lembrança da santificação diária pela lavagem das mãos e pés, que diariamente se contaminam - isto veremos mais no estudo que segue. A bacia de bronze nos fala, portanto, que uma vez regenerados, precisamos ser aperfeiçoados, isto é santificados - esta é uma doutrina que não agrada ao homem carnal, aquele que não quer lavar-se diariamente pela palavra que santifica. Ele quer o mundo, ama as coisas do mundo, e não quer um vida santificada não deseja obedecer ao seu Senhor, que disse: “Sede Santos, porque Eu Sou Santo” , “Sem Santidade, ninguém verá a Deus”. Por que ? Porque a aproximação da Santidade resulta em esfriamento e afastamento, daquele que é o modelo - o Senhor Jesus. O altar nos diz que fomos perdoados, a culpa foi expiada, a condenação removida, porém, o pecado jaz em nós, e a experiência diária, é bem vista em Romanos 8 - e a bacia nos lembra bem, que subjugar a velha natureza, o velho homem, é assunto diário. Há uma promessa de Deus, de que o pecado não terá domínio sobre nós, mas isto aconteça quando nos apresentamos vivos para Deus, mortificando pela lavagem da regeneração, os nossos membros. Ler e meditar sobre o capítulo 6, da carta aos Romanos. Material Usado Pelo nome sabemos que o material que foi usado e já dissemos o que o bronze representa: Cristo com toda a autoridade como juiz; toda de bronze, inclusive as suas bases. O juízo apoiado no juízo! Era o Senhor quando esteve na Terra, de uma autoridade manifesta a todos e ninguém resistia a dureza do bronze ali visto. João 5:26 - “Porque, como o Pai tem a vida em si mesmo, assim deu também ao filho ter a vida em si mesmo”. João 5:27 - “E deu-lhe o poder de exercer o juízo porque é o filho do homem...” “O meu juízo é justo...” Quando o Senhor curou o paralítico de Betsaida, , logo a inveja surgiu, e os judeus procuravam matá-lo, porque curava no sábado, e Jesus manifestou-se resistente aos seus propósitos dizendo: “Meu Pai trabalha, e Eu trabalho também ...” Como o bronze que revelava ser as suas atitudes justas, quando Ele tomou os chicotes, e expulsou os vendilhões do Templo, com toda a autoridade, e proferiu frente aos seus perseguidores, os “AIS” , reveladores de sua Justiça. Mateus. 23 O ponto máximo, foi quando os inimigos guiados por Judas, o foram buscar, e Ele perguntou-lhes: “A Quem procurais” - A Jesus Nazareno - “Eu sou” . Ante esta realidade, eles recuaram e caíram por terra! Glorioso Senhor revelado, desde aquela bacia de bronze, e confirmado por suas atitudes justas, por ser o

Filho de Deus. Nunca o Senhor recuou, mas sempre enfrentou como um muro de bronze, todos os que se lançavam a Ele, para o amedrontarem como adversários. É o Único que tem direito de julgar-nos, e o seu juízo é verdadeiro. As mulheres no passado, deram seus espelhos, para que a bacia pudesse ser feita, isto ensina-nos coisas interessantes: - DERAM - Fala da consagração das servas, em darem, para a obra que o Senhor, queria fazer, quando Moisés apelou para que o povo oferecesse material para a construção do tabernáculo. - O espelho era para verem-se, e em símbolo, não precisamos de espelho nosso, para vermos em nós mesmos, ou mirarmos nos espelhos dos outros, mas, na Palavra, que é em símbolo ali revelada, e é ela quem nos julga, porque o próprio Senhor Jesus, é a Palavra. O espelho fala da reflexão, ele reflete aquilo que está errado em nós, e isto leva-nos a acertos diários. João. 12:48 - “Quem Me rejeita, e não recebe as minhas Palavras, tem quem o julgue; a própria Palavra que tenho proferido, essa o julgará no último dia”. “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós ...”’ Quando hoje o Espírito Santo tem nos mostrado mais e mais, que devemos orientar-nos pela Palavra, há muitos que estranham, mas a Palavra testifica que Ela é Espírito e vida; Como letra é morta, não tem vida, mas pelo Espírito ela é vivificada, porque ela é o próprio Senhor. Deuteronômio 32:47 - “Porque esta Palavra não é para vós outros, cousas vã, antes é a vossa vida ...” Tiago nos diz que aquele que ouve a Palavra e não obedece, é como o que contempla seu rosto no espelho e não corrige o defeito que o espelho refletiu. Tg. 1:22 - “Tornai-vos pois, praticantes da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos”. Tg. 1:23 - “Porque se alguém é ouvinte da Palavra, e não praticante, assemelha-se ao homem que contempla no espelho, seu rosto natural.” Tg. 1:24- “pois a si mesmo se contempla e se retira, e para logo se esquece de como era a sua aparência”. A bacia de bronze, era para os que iam prestar serviços a Deus, portanto, era destinada aos do serviço sacerdotal o sacerdócio é de todos por herança de Cristo. Como os sacerdotes tinham de lavar as mãos e os pés, assim, o Senhor esclareceu aos seus, que aquele que está regenerado, necessita apenas disto: Lavagem diária, que simboliza Santificação, coisa que agrada muito a Deus. João. 13:8 - “... se Eu não te lavar, não tens parte comigo ... “ Isto foi o que o Senhor Jesus disse a Pedro. O Senhor Jesus é justo, e sendo assim, Ele exige que eles sejam limpos para o serviço. Uma equipe médica, exige que seus componentes sejam perfeitamente integrados no trabalho para que o paciente possa atestar a perícia de seu cirurgião. Mas um bom cirurgião, com auxiliares relapsos, trará péssimos resultados de seu esforço, e isto aplica-se a todo mister humano, e muito mais no campo espiritual. “Não tens parte comigo, disse Jesus a Pedro , e diz a cada crente, cada servo. “Você tem que lavar-se diariamente, e tem que mirar-se na palavra diariamente, para não dar testemunho falso dos seus ensinos, do que Eu quero”. Jeremias sentiu isto muito bem quando ele disse: “Maldito aquele que fizer a Obra do Senhor fraudulentamente, maldito aquele que preserva a sua espada do sangue”. Jeremias 48:10 CONCLUSÃO A bacia de bronze fala-nos portanto de Jesus como juiz, e isto é visto no bronze; fala-nos de Jesus como a palavra ensina-nos que o Senhor quer de nós aptidão para o serviço, porque ele também fala de serviço, pois só os sacerdotes em serviço tinham que lavar-se nela. Lavar lembra-nos a santificação que envolve diariamente o servo de Deus. “Sem santidade ninguém verá a Deus”. Ninguém vai entrar na presença de Deus, contemplá-lo e servi-lo sem santificar-se. Não atingiremos este ideal aqui neste mundo, mas lutamos por ele, não nos acomodando ao pecado que tão comodamente se nos apega; e a ordem é “Não vos conformei com este mundo, mas transformai-vos...”, e isto é feito por esta lavagem diária: cada dia acertando o passo pela palavra e não pelo homem. Nosso espelho é Cristo. Estejamos aptos para o serviço não nos esquecendo do serviço ao qual temos direito, o de intercedermos como Samuel que sentiu isto quando disse: I Samuel 12:23 - “Quanto a mim, longe de mim que eu peque contra o Senhor, deixando e orar por vós, antes vos ensinarei o caminho bom e direito”. Nenhuma comunhão real com Deus é possível sem passarmos por esta bacia de bronze - “Ninguém vem ao Pai senão por mim...” Cristo Jesus é mais uma vez visto no tabernáculo de uma maneira clara e proveitosa a nós nos nossos dias. “Lavarão pois suas mãos e pés para que não morram”. A vida espiritual precisa ser cuidada para que não morra dentro de nós, e a observância das orientações do Espírito faz-se necessária, Lavemo-nos diariamente para que não morramos. “Toda vara em mim que não dá fruto a tira e limpa toda que dá fruto”. João 15:2 Diríamos pois, concluindo, que a lavagem diária é o clamor pelo sangue de Jesus - a bacia nos fala claramente disto, clamor constante para purificação no serviço.


				
DOCUMENT INFO
Edson Valerio Edson Valerio
About