In vitro exposure to carbon dioxide induces oxidative stress

Document Sample
In vitro exposure to carbon dioxide induces oxidative stress Powered By Docstoc
					                                                                                                                                                          157




                                                                                                Especula-se que o mecanismo de alteração dos
In vitro exposure to carbon dioxide                                                          níveis de 8-iso-PGF2a esteja relacionado com o
induces oxidative stress in human                                                            fenômeno de hipóxia-reperfusão. Essa afirmação
                                                                                             baseia-se em três aspectos:
peritoneal mesothelial cells                                                                 1. uso de CO2 em laparoscopia causa diminuição na
Exposição a CO2 induz estresse oxidativo nas                                                    pressão parcial de oxigênio por estímulo hipoxêmico;
                                                                                             2. em experimentos animais, os níveis de 8-iso-PGF2a
células mesoteliais humanas in vitro                                                            são realmente significativos após desinsuflar o
Bentes de Souza AM, Wang CC, Chu CY, Briton-Jones                                               pneumoperitônio;
CM, Haines CJ, Rogers MS                                                                     3. o processo hipóxia-reperfusão causa grande
Hum Reprod. 2004;19(6):1281-6. Epub 2004 Apr 22.                                                produção de radicais livres de oxigênio (ROS).
Comentado por: Caio Parente Barbosa. Doutor em Medicina pela UNIFESP. Chefe do
                      Parente                                                                   No experimento, observou-se aumento de ROS (8-
Departamento de Saúde Materno-Infantil da Faculdade de Medicina do ABC - Santo André (SP).   iso-PGF2a) principalmente uma hora após a exposição,
Renata Weltman. Acadêmica do 6º ano da Faculdade de Medicina do ABC - Santo André (SP).
                                                                                             e não imediatamente. Também se observou que a
                                                                                             duração da exposição ao CO2 influencia a produção
                                                                                             de ROS, sendo que a produção máxima se dá em uma
O objetivo deste estudo é observar os efeitos da
                                                                                             hora e se normaliza em até quatro horas.
exposição ao CO2 nas células mesoteliais do peritônio
                                                                                                Os mecanismos envolvidos no aumento nos níveis
in vitro e sua influência no pH e nos níveis de 8-
isoprostaglandina F2a (8-iso-PGF2a), um marcador de                                          de 8-iso-PGF2a são incertos, mas relacionam-se à
estresse oxidativo.                                                                          pressão intra-abdominal e/ou gás usado. O hélio é
       Células mesoteliais foram coletadas após                                              considerado uma alternativa para criar o pneumo-
exposição a 100% de CO 2 ou 100% de hélio e em                                               peritônio, embora cause aumento de níveis de 8-iso-
seguida foram analisadas quanto aos níveis de 8-iso-                                         PGF2a e pH (que causa alteração mitocondrial).
PGF2a e variação de pH do meio de cultura em três                                               Por fim, deve-se ter em mente que o pneumoperitônio
diferentes tempos (imediatamente, uma hora e três                                            (usado em laparoscopia) não é inócuo, já que causa
horas) após retorno às condições normais de incubação.                                       aumento na produção de ROS (de acordo com o tempo
    A exposição ao CO2 provocou queda do pH, enquanto                                        de exposição e isso se relaciona ao processo de hipóxia-
o hélio o aumentou. Quanto aos níveis de 8-iso-PGF2a,                                        reperfusão).
houve aumento em todos os experimentos (CO2 e hélio),
em relação ao grupo controle.
    A exposição a CO2 e hélio induz stress oxidativo em
células mesoteliais. O fenômeno de hipóxia-reperfusão
está, provavelmente, relacionado com esse processo.
    As células mesoteliais participam do processo inflamatório
peritoneal e recrutamento de leucócitos para controlar a
infecção e contribuem para a remoção de fibrina.
    As intervenções laparoscópicas levam ao stress
oxidativo destas células: pneumoperitônio aumenta os
níveis de 8-iso-PGF2a. A causa desse processo é
multifatorial: aumento da pressão intra-abdominal
(provocando alteração da microcirculação) e ação direta
do CO2 na membrana peritoneal (relacionado com
acidificação do meio).
    Nesse estudo, encontrou-se com relação ao pH: queda
na exposição ao CO2 e aumento na exposição ao hélio, com
retorno ao pH normal em quatro horas. Com relação a 8-
iso-PGF2a, houve aumento em todos os grupos (CO2 e hélio),
principalmente após uma hora de exposição ao CO2 e quatro
horas após exposição ao hélio.



                                                                                                                                      einstein. 2004; 2(2):157