Docstoc

SAúDE MENTAL - Conasems

Document Sample
SAúDE MENTAL - Conasems Powered By Docstoc
					SAÚDE MENTAL

  Vamos falar sobre isso?
                                      Por qu
Por quê Saúde Mental na At. Básica?
   De cada 100 pessoas, 20 possuem
    transtorno mental sendo que:
       13- transt. Leve
       04- transt. Moderado
       03- transt. grave
Agravos à saúde e à vida
   4 das 10 maiores causas de
    incapacitação no mundo
   A depressão é a maior causa de
    incapacitação entre mulheres no Brasil
   40% dos que frequentam UBS em S.
    Paulo apresentam algum nível de
    sofrimento mental que justifica alguma
    intervenção terapêutica
   Piora do prognóstico de doenças cardio-
    vasculares
   Diminuem adesão aos tratamentos
    prescritos( hipertensão e diabetes
   Favorecem uso frequente mas irregular
    dos serviços de saúde
   Filhos de mães deprimidas têm
    desenvolvimento prejudicado
Doentes mentais adoecem...
   Pacientes psicóticos podem ser
    hipertensos e/ou diabéticos; mulheres
    precisam de contracepção e fazer
    exames preventivos de cancer de colo
    de útero e mama,o uso de
    determinadas medicações psiquiátricas
    deve ser acompanhada de exames
    laboratoriais.
Definição
   Transtorno mental- é quando o
    sofrimento se estruturou de maneira
    contínua e tão gravemente que o nosso
    funcionamento psicológico e social está
    comprometido.
Abordagem dos transt.mentais

                 SOCIOPÁTICA


     DISSOCIATIVA            DEFENSIVA

                     EGO

                 REALIDADE
                               MACRO
       FAMÍLIA
                               SOCIAL

                    MICRO
                    SOCIAL
Liberação da opressão
   Detectar/desmascarar
   Escutar
   Acolher o entorno( F,M,m)
   Uso racional de fármacos
   Uso racional dos serviços de saúde
   Uso racional da comunidade
Grupos de Transt. Mentais
   Devido ao abuso de álcool e drogas
   Psicose esquizofrênica e t. delirantes
   Psicoses afetivas
   T. Mentais orgânicos
   T. Neuróticos e somatizações
   T.Personalidade e conduta
   Retardo Mental
   Reação aguda
   Depressão
   Mal estar inespecífico
Cuidando em liberdade
   A difícil arte de combinar direitos,
    afetos e responsabilidades

   Desinstitucionalização-a psiquiatria
    desafiada a negociar entre interesses
    diversos, para garantir não mais a
    ausência de conflito mas a sua
    administração
Pilares da Reabilitação Psicossocial
   O contexto onde o tratamento se dá;
   As motivações e expectativas de quem
    oferece o tratamento
   Os modos afetivos e materiais que
    constituem a assistência
   Continuidade e sensibilidade com que
    são construidos os projetos de vida
    para o paciente
Objetivos da Reab.Psicossocial
   Construção afetiva, relacional, material,
    habitacional, produtiva, com melhora da
    qualidade da assistência para:
       -dar alívio às famílias;
       -alternativas à solidão;
       -inserção no mundo produtivo;
       Apoio à vida habitacional;
       Auxiliar intervenções psicoterápicas ou
        farmacológicas
A Atenção à Crise
   Reforma Psiquiátrica-
    desinstitucionalização do circuito
    psiquiátrico, a invenção de um novo
    lugar social para a experiência da
    loucura: a crise como evento histórico e
    que precisa ser vivida no território.
Articulação entre Saúde
Mental e Atenção Básica
   Noção de território;
   Organização da atenção em Saúde Mental em
    rede;
   Intersetorialidade;
   Reabilitação Psicossocial;
   Multiprofissionalidade e interdisciplinariedade;
   Desinstitucionalização;
   Promoção da cidadania do usuário;
   Construção da autonomia possível de
    usuários e familiares.
O CAPS que queremos
   Diversidade de modalidades de atenção;
   Hospitalidade integral, diurna e noturna para
    não precisar do hospital;
   Flexibilização, diversificação;
   Alta integração interna e externa;
   Contar com os recursos escondidos: família,
    comunidade, os próprios usuários, os
    trabalhadores.
Fluxo de encaminhamento
   Casos graves: psicose, transtorno bipolar,
    alto risco de suicídio- CAPS

   Moderados:dep.recorrente,TOC,risco
    moderado de suicídio-especialidade

   Leves:depressão, ansiedade, somatizações,
    pânico-AB com matriciamento da Saúde
    Mental.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
   Para garantir a equidade do
    acesso à saúde, são os
    serviços que devem se
    adequar às diferenças dos
    pacientes e não o contrário.

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:18
posted:2/7/2013
language:Portuguese
pages:17