SEED by leader6

VIEWS: 2 PAGES: 53

									 O Ciclo de Tratamento Informático das
 Histórias de Vida: da recolha à disponiblização
 a experiência do Núcleo Português do MP


                            Pedro Rangel Henriques
                             Jorge Gustavo Rocha

                            Universidade do Minho
                               Braga - Portugal




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    1
     Motivação
              Para transformar um conjunto de Histórias de Vida
                 num Museu Virtual, acessível pela Internet, onde
                   o acervo possa ser explorado interactivamente nas
                   suas múltiplas vertentes
              É necessário :
              1. Proceder à anotação (estruturação) dos
                 documentos usando uma notação normalizada
              2. Analisar o problema: Identificar os Requisitos;
                 Sistematizar o Processo de Transformação dos
                 documentos
              3. Desenvolver as Ferramentas adaptadas à
                 Anotação escolhida
14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil      2
     Objectivo da Comunicação
              À luz da experiência do NPMP,
              Propor uma abordagem
                   Ciclo de Vida dos documentos,
                   Sistema de Anotação (para representação dos doc.s)
                   Conjunto de Ferramentas
               para criar automaticamente e manter um acervo
                 dinâmico que possa ser explorado, com eficácia, em
                 diferentes perspectivas e com fins diversos, satisfazendo um
                 conjunto vasto de requisitos



14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil      3
      Plano da Comunicação
                Enquadramento / Contexto de trabalho
                    • Histórias de Vida: caracterização
                    • Museu da Pessoa: o conceito
                    • O Núcleo Português do MP
                  Requisitos Funcionais dum Museu Virtual
                  Ciclo de Vida dos Documentos (HV)
                  Anotação das HV em XML
                  Ferramentas de Suporte


14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil      4
     Caracterização do contexto de trabalho
     História de Vida

               As Histórias de Vida são vistas como
                 documentos que contêm depoimentos,
                 na 1ª ou 3ª pessoa, de Contadores de
                 Histórias;
               ao reportarem as suas vidas, os Narradores
                 evocam eventos exteriores e outros
                 temas sócio-culturais.


14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil      5
     Caracterização do contexto de trabalho
     História de Vida

               Assim, em cada história,
               para além do perfil pessoal, há um
                 conjunto de representações que a
                 pessoa faz do meio e época em causa,
                que podem servir para identificação de algumas
                  problemáticas e reconstrução de um universo social
               e como tal tem de ser destacadas


14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil      6
     Caracterização do contexto de trabalho
     Museu da Pessoa - A ideia base

               A partir do registo de depoimentos em
                  audio ou vídeo
               criar um espaço virtual que congregue um
                  infindável número de histórias de vida
               para disponibilizar informações na Internet;
                  produzir Bases de Dados, CD-ROM’s,
                  Publicações em papel e Documentários
                  em vídeo..
14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil      7
     Caracterização do contexto de trabalho
     Museu da Pessoa - A ideia base

               Assim um Museu da Pessoa é:

               MP = Projs + Thesaurus + Gloss + etc.
               Projs = conj( Projecto )
               Projecto = Sinopse + Projs + HVs + Anexos
               HV = FichId + MBio + Historia + Anexos
               Historia = conj( Episodio )

14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil      8
      NPMP: Núcleo Português do Museu
      da Pessoa - constituição
               O Núcleo Português do Museu da Pessoa
                 (NPMP):
                envolve um grupo de docentes do
                 Departamento de Informática da
                 Universidade do Minho (onde está
                 sediado)
                conta com a colaboração de docentes do
                 Departamento de Comunicação Social
14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil      9
      NPMP: Núcleo Português do Museu
      da Pessoa - actividades

               Além de se empenhar em solidificar e alargar a sua
                  actividade base (cerca de 5 proj’s) com novos
                  projectos e iniciativas (EV,etc.) ,
               juntou-se ao Museu da Pessoa Brasileiro para
                  formar uma rede de núcleos, o Instituto
                  Museu_da_Pessoa.Net




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    10
      NPMP: Núcleo Português do Museu
      da Pessoa - princípios
               Assente num sólido conjunto de convicções e objectivos, o
                 NPMP traçou os seguintes princípios de trabalho e linhas
                 de acção:
                tornar o acervo o mais acessível possível: Internet, CD-
                 ROMs, livros, etc.;
                criar vários mecanismos eficientes que facilitem a captação
                 e registo de novas histórias;
                definir e usar formatos comuns (adoptando normas
                 internacionais), de modo a facilitar intercâmbio de histórias
                 e de ferramentas;
                manter, a nível dos formatos e das ferramentas,
                 independência de plataformas e de aplicações;
                ………
14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    11
      NPMP: Núcleo Português do Museu
      da Pessoa - princípios
               ......
                construir e partilhar ferramentas que facilitem o
                   trabalho;
                construir estruturas classificativas comuns;
                manter o maior número possível de ligações
                   entre documentos, para que a riqueza
                   exploratória seja máxima.



14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    12
      Plano da Comunicação
                 Enquadramento / Contexto de trabalho
                 Requisitos Funcionais dum Museu Virtual
                 Ciclo de Vida dos Documentos (HV)
                 Anotação das HV em XML
                 Ferramentas de Suporte




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    13
      Requisitos Funcionais dum Museu Virtual
      (Tradicionais)
               Captação / Aquisição do acervo,
               Arquivo
                   • Classificação / Catalogação
                   • Armazenamento e Conservação
               Exibição / Divulgação
               Pesquisa (elementar) e Navegação por percursos
                (limitada)



14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    14
      Requisitos Funcionais dum Museu Virtual
      (Próprias – nível da Divulgação)
                   • Disponível 24h/dia, 8dias/semana
                   • Possível em suporte digital
                            Na Internet (usando Browsers WWW)
                            CD-ROM
                            Documentário Vídeo
                            Outros formatos
                   • Possível em suporte papel
                            Livros
                            Almanaques
                            Calendários
                            Outros formatos

14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    15
      Requisitos Funcionais dum Museu Virtual
      (Próprias – nível Exploração na Internet)
                   • pesquisa por termos
                   • navegação seguindo links, ou conceitos
                   • enriquecimento dinâmico do acervo:
                         inserção de comentários diversos nas HV
                         inserção de histórias em linha
                   • reconfiguração automática do museu (geral
                     ou personalizada):
                         ranking de HV (orig. nos leitores)
                         outras estratégias (orig. nos conservadores)
                             eventual/. baseadas no historial das visitas
14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    16
     Requisitos Funcionais duma Rede de Museus

                   • Mapeamento de conceitos, via Thesaurus
                     multi-língua
                   • Procuras Distribuídas
                   • Partilha automática da Informação sobre
                     os Leitores registados
                   • Mecanismos de Reunião/Síntese de
                     Informação



14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    17
      Plano da Comunicação
               Contexto de trabalho
               Requisitos Funcionais dum Museu Virtual
               Ciclo de Vida dos Documentos: tratamento
                das HV
               Anotação das HV em XML
               Ferramentas de Suporte




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    18
     Ciclo de Vida dos Documentos
     (tratamento das HV)

              Cada Depoimento (Documento Multimedia)
              passa, depois de recolhido, por uma série de etapas
                 de tratamento/transformação,
              até se tornar num texto classificado, resumido,
                 cronologicamente referenciado e devidamente
                 ligado a outros textos e materiais com ele
                 relacionados




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    19
     Ciclo de Vida dos Documentos
     (tratamento das HV)
              Fases do processamento das Histórias de
                Vida:
                   F1) Captação
                   F2) Tratamento
                   F3) Divulgação




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    20
     Ciclo de Vida dos Documentos
     (tratamento das HV)
              F1) Captação
                   1.1 Criação da Ficha de Identificação da HV
                        (meta-informação)
                   1.2 Registo do depoimento
                        a) Gravação vídeo
                        b) Gravação áudio
                        c) Digitação directa



14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    21
     Ciclo de Vida dos Documentos
     (tratamento das HV)
              F2) Tratamento do Depoimento
                   2.1 Tratamento da História

                   2.2 Tratamento do Som
                   2.3 Tratamento dos Fotos e Doc.’s
                   2.4 Tratamento do Vídeo




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    22
     Ciclo de Vida dos Documentos
     (tratamento das HV)
              F2.1) Tratamento da História
                   2.1.1 Transcrição
                   2.1.2 Revisão do texto transcrito
                   2.1.3 Edição, Anotação e Classificação
                   2.1.4 Redacção da Mini-biografia
                   2.1.5 Indexação da História+MBio anotada




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    23
     Ciclo de Vida dos Documentos
     (tratamento das HV)
              F2.2) Tratamento do Som
                   2.2.1 Conversão para MP3
                   2.2.2 Marcação (opc.)
                   2.2.3 Indexação




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    24
     Ciclo de Vida dos Documentos
     (tratamento das HV)
              F2.3) Tratamento das Fotos e anexos
                   2.4.1 Digitalização (JPEG ou outro)
                   2.4.2 Limpeza e processamento de Imagem
                   2.4.3 Legendagem
                             legenda e
                             meta-informação para Catalogação
                   2.4.4 Indexação



14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    25
     Ciclo de Vida dos Documentos
     (tratamento das HV)
              F2.4) Tratamento do Vídeo
                   2.4.1 Digitalização/Conversão (AVI ou outro)
                   2.4.2 Marcação (opc.)
                   2.4.3 Indexação




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    26
     Ciclo de Vida dos Documentos
     (tratamento das HV)
              Arquivo resultante:
                   •   Ficha de Identificação da HV (XML)
                   •   História de Vida original
                   •   História de Vida editada (XML)
                   •   Mini-Biografia (XML)
                   •   Fotos e Anexos (JPEG + XML)
                   •   Som indexado (MP3 + XML)
                   •   Vídeo (AVI + XML)

14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    27
     Ciclo de Vida dos Documentos
     (tratamento das HV)
              F3) Divulgação
                   3.1 Publicação em HTML (site www na Internet)
                   3.2 Publicação em PostScript / PDF
                        Livro de cada HV
                        Livro do Projecto
                        Almanaques, Calendários, etc.
                   3.3 Publicação em CD-ROM
                   ……….

14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    28
      Plano da Comunicação
                 Contexto de trabalho
                 Requisitos Funcionais dum Museu Virtual
                 Ciclo de Vida dos Documentos (HV)
                 Anotação das HV em XML
                   •   Anotação
                   •   Potencialidades
                   •   Edição e Validação
                   •   Processamento
               Ferramentas de Suporte

14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    29
      Anotação das HV em XML
      Anotação (conceito)
              Anotar é “acrescentar” um texto com
                palavras especiais, as marcas, que:
                   • Definem a sua estrutura (delimitam blocos lógicos)
                   • Dão informação quanto à formatação
                   • Fornecem dados quanto à interpretação
              Um texto amorfo ganha estrutura podendo
               ser trabalhado sistematicamente


14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    30
      Anotação das HV em XML
      Anotação (conceito)

              Anotar um texto, para o transformar num
                documento, implica :
                   • Decidir as classes de marcas a incluir
                   • Definir a estratégia de anotação
                   • Escolher as marcas




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    31
      Anotação das HV em XML
      Anotação (potencialidades)
              fica-se com uma base documental com os
                 documentos originais independentes de
                 plataforma ou ferramenta
              disponíveis para
                 formatação (visualização/impressão)
                 pesquisa e criação de índices
                 análises linguísticas e sócio-culturais
                 diversas (ortografia, estilos, análises de
                 assinaturas, etc.)
                 ...

14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    32
      Anotação das HV em XML
      Anotação (a linguagem XML)
              A meta-linguagem XML é um standard para
                criar Linguagens de Anotação específicas
                para cada situação (família de documentos):
                   • Estabelece o critério de abertura/fecho de
                     marcas e a forma de aninhamento
                   • Diz como se podem definir novas marcas
                     (os elementos) e seus atributos
              As definições são expressas através de um
                DTD ou de um XML-Schema

14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    33
      Anotação das HV em XML
      Anotação (a linguagem XML)
              A Anotação dos Depoimentos requer
              a criação de um novo dialecto de XML
                específico para essa família de
                documentos: o “MP.dtd”
              que permita anotar as Histórias, as Mini-
                Biografias, as Fichas de Identificação e
                vários Catálogos


14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    34
      Anotação das HV em XML
      Anotação (a linguagem XML)
              Para Anotar os Depoimentos foi necessário
                escolher:
                   • Etiquetas estruturais (Projecto, História,
                      Episódio, FichaId, Foto, etc.)
                   • De meta-informação (entrevistador,
                      entrevistado, data e local da entrevista, etc.)
                   • Interpretativas (nomes, datas, locais, etc.)



14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    35
      Anotação das HV em XML
      Exemplo 1 (estrutura+meta-info)
              <bi>
              <projecto>Memórias do Trabalho</projecto>
              <depoente>José Vieira</depoente>
              <biografia>José Vieira nasceu em 1920 em
                 Resende…</biografia>
              <profissao>lavrador; feitor; jardineiro</profissao>
              <nascimento local=“Resende” ano=“1920” mes=“10” dia= />
              </bi>




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    36
      Anotação das HV em XML
      Exemplo 2 (estrutura)
              <hv>
              <titulo>José Vieira: de lavrador a jardineiro no
                 Porto</titulo>
              ……………
              <ascendencia>
              <p>Meu pai era José Bonifácio… Minha mãe, Emilia da
                 Silva…</p>
              </ascendencia>
              ………………
              </hv>

14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    37
      Anotação das HV em XML
      Exemplo 3 (estrutura+meta-info)
              <fotos>
              <foto ficheiro=“004-F-07.jpg”>
              <onde>Ribeira</onde>
              <quando>1950</quando>
              <quem>Ao lado esquerdo, Francisco Lopes… </quem>
              <facto>As cheias do rio Douro que …</facto>
              </foto>
              ……………




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    38
      Anotação das HV em XML
      Exemplo 4 (interpretação)
              Ele foi preso pela <ref tipo = “Instituição”>PIDE</ref>


              …no tempo da <expressao tipo=“designação cautelosa usada
                 para referir a pide”>outra senhora</expressao>


              O famoso <ref tipo=“Personalidade”>Cardeal
                 Cerejeira</ref>




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    39
      Anotação das HV em XML
      Edição e Validação
              Edição – identificação dos Elementos (inserção das “marcas”
                abertura/fecho) e adição dos Atributos/valores aos
                elementos (em função do contexto)
                  Fase:
                  • Anotação posterior à introdução do texto
                  • Anotação durante a escrita do texto
                  Ajuda:
                  • Sem declaração do DTD
                  • Com Conhecimento do DTD
              Validação – verificação da anotação face às regras gerais de
                XML e do DTD específico

14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    40
      Anotação das HV em XML
      Edição e Validação
              Características desejáveis para um Editor:
                 • Associação fácil do DTD/XML-Schema ao novo
                    documento
                 • Escrita ágil do novo texto base, ou fácil abertura dum
                    existente
                 • Indicação dos Elementos/Atributos que se podem
                    escolher em cada momento
                 • Indicação dos Valores possíveis para cada Atributo
                 • Integração dum Parser (com validação automática ou
                    explícita)


14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    41
      Anotação das HV em XML
      Processamento
              Uma vez que a Anotação é estática (não produz qq.
                resultado)
              O processamento visa transformar o documento
                anotado:
                   •   Formatar para publicação (PS, PDF, HTML, etc.)
                   •   Mudar formato
                   •   Pesquisar
                   •   Extrair informação
              Existem já disponíveis muitas e boas ferramentas
                para processar XML

14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    42
      Anotação das HV em XML
      Processamento
              As ferramentas para processar baseiam-se em
                Sistemas de Regras de Transformação da forma
                              Padrão  Acção
              em que o padrão se expressa em termos dos
                Elementos/Atributos XML




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    43
      Plano da Comunicação
                 Contexto de trabalho
                 Requisitos Funcionais dum Museu Virtual
                 Ciclo de Vida dos Documentos (HV)
                 Anotação das HV em XML
                 Ferramentas de Suporte




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    44
      Ferramentas de Suporte
              Cada uma das fases do Ciclo de Vida dos
                Depoimentos
              tem de ser suportada por ferramentas
                informáticas que agilizem a sua execução.

              Essas ferramentas, de domínio público ou
                desenvolvidas especificamente, devem tirar
                partido do facto das HV estarem anotadas em
                XML
14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    45
      Ferramentas de Suporte
              Ferramentas usadas no NPMP:
               Escriba: editor equipado com comandos
                para auxiliar a transcrição
               XML-Spy: editor de XML para fazer a
                anotação e edição
               MP2HTML (DAG): processador que constrói
                o site www a partir do Arquivo
               MP2Book (SmallBook): processador que
                produz os mini-livros de HV’s a partir do
                Arquivo
14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    46
      Ferramentas de Suporte
              Outras ferramentas usadas no NPMP:
               Gerador de índices;
               MPMiner: analisador de texto com
                extracção de datas, locais, nomes próprios
                e outros;
               Library::simple: ferramenta de pesquisa
                para suporte a bibliotecas digitais;
               Conversores de formatos: vários, open-source
14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    47
     Conclusão
              No contexto da Exploração dos Depoimentos (HV)
                 com vista à construção dum Museu Virtual sobre a
                 Internet (integrável numa Rede de Museus),
              Propôs-se:
               o uso de uma linguagem específica XML para
                 armazenamento integral dos documentos
               a sistematização do ciclo de tratamento dos
                 documentos
              visando aumentar a automatização da transformação
                 e as potencialidades de exploração

14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    48
     Evolução
     a nível tecnológico

              Reconhecer a Internet como espaço
               privilegiado para enriquecimento: uso do
               Wiki como suporte ao novo site

              Incrementar a automatização do acesso ao
                acervo: uso de WebServices e Topic-Maps


14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    49
     Evolução
     a nível de funcionalidades

              Concluir a implementação
               de alguns requisitos singulares
               dos requisitos de rede




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    50
      Equipe
               Docentes do Dep. Informática
                  • Jorge Rocha
                  • José João Dias de Almeida
                  • Pedro Rangel Henriques
               Consultores do Dep. Comunicação (ICS)
                  • Carolina Leite
                  • Branco da Cunha / Angelo Peres
               Estagiários / Tarefeiros
14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    51
     Colaboradores
               Alberto Simões      Sónia Moreira
               Paulo Zagalo        Dario Silva
                                    Susana Correia
                                    Susana Queijo

                                  Alunos finalistas da LCS
                                     (discipl. de Projecto)




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    52
              Edição/Validação de RPs em XML
                      Alternativas:
                         • XML-Spy (Altova)
                         • X-Metal (SoftQuad)
                         • Document Editor (Altova)

                      Por satisfazer bem todos os requisitos a
                         escolha recaiu sobre o XML-Spy




14.ago.2003
"Memória, Rede, Mudança
Social" / SP, Brasil    53

								
To top