micro

Document Sample
micro Powered By Docstoc
					FACULDADE DE EXCELÊNCIA EDUCACIONAL DO RIO GRANDE DO NORTE - FATERN
                    UNIVERSIDADE GAMA FILHO - UGF
          DISCIPLINA DE CITOLOGIA,EMBRIOLOGIA E HISTOLOGIA
   MICROSCOPIA CELULAR: TEORIA E PRÁTICA                              1
      MICROSCOPIA CELULAR:TEORIA E PRÁTICA




PROFESSORAS:            ADRIANA MOTTA
                        MONARA BITTENCOURT DE AMORIM



     BIBLIOGRAFIA CONSULTADA:

1.   JUNQUEIRA e CARNEIRO, L.C. Histologia Básica. 9ed.Rio de Janeiro:Guanabara Koogan, 2004.
2.   Manual de Instruções da BIOVAL, 2007.




                                                                       Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                       Farmacêutica-Bioquímica
                                                                                                            2
                                     MICROSCÓPIO
 “APARELHO COM LENTES ÓPTICAS QUE MAXIMIZA UM SER                    OU
 ESTRUTURAS MINÚSCULAS A UM TAMANHO DE BOA OBSERVAÇÃO”




                                         BACTÉRIAS

                                                       CÉLULA
                                                     LEUCÓCITOS




                                                               CÉLULAS
                                                              SANGUÍNEAS


Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                           3
Farmacêutica-Bioquímica
            PRINCIPAIS COMPONENTES DE UM MICROSCÓPIO


                                     O MICROSCÓPIO ÓPTICO, É TAMBÉM CONHECIDO
                                             COMO MICROSCÓPIO DE LUZ




                                         COMPÕE-SE DE UMA PARTE MECÂNICA
                                        QUE SERVE DE SUPORTE PARA A PARTE
                                                      ÓPTICA




                                                   PARTE ÓPTICA
                               É CONSTITUÍDA POR TRÊS SISTEMAS DE LENTES:
                                 O CONDENSADOR, AS OBJETIVAS E AS OCULARES.

Profª Monara Bittencourt de Amorim
Farmacêutica-Bioquímica                                                         4
               PRINCIPAIS COMPONENTES DA PARTE ÓPTICA

    CONDENSADOR
 SUA FINALIDADE É PROJETAR UM CONE DE LUZ SOBRE AS CÉLULAS QUE
 ESTÃO SENDO EXAMINADAS AO MICROSCÓPIO.
 APÓS ATRAVESSAR AS CÉLULAS, ESSE FEIXE LUMINOSO, EM FORMA DE
 CONE, PENETRA NAS OBJETIVAS.

  OBJETIVAS
  PROJETAM UMA IMAGEM AUMENTADA , NO PLANO FOCAL DAS
  OCULARES, QUE NOVAMENTE A AMPLIA.

  OCULARES
    AS IMAGENS FORNECIDAS PELA OCULARES PODEM SER PERCEBIDAS
    PELA RETINA.
Profª Monara Bittencourt de Amorim
Farmacêutica-Bioquímica
                                                                  5
                                                 OCULARES



                                                            BRAÇO

                                     OBJETIVAS


                                      PINÇA

                                                                             PARAFUSO
                                                                           MACROMÉTRICO
                                     PLATINA


                                                                             PARAFUSO
                                                                           MICROMÉTRICO
                                     CONDENSADOR




                                        LÂMPADA




                                                                    BASE




Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                                      6
Farmacêutica-Bioquímica
                                     OCULARES




                                                  BRAÇO OU
                                                  SUPORTE

     OBJETIVAS




   PLATINA                                        REVÓLVER




     CONDENSADOR                                  PARAFUSO
                                                MACROMÉTRICO


                    LÂMPADA                       PARAFUSO
                                                MICROMÉTRICO




                            BASE


Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                               7
Farmacêutica-Bioquímica
          PODER DE RESOLUÇÃO X LIMITE DE RESOLUÇÃO

                                     PODER DE RESOLUÇÃO

   O PODER DE RESOLUÇÃO DE UM SISTEMA ÓPTICO É A SUA CAPACIDADE DE
  SEPARAR DETALHES.
  • É EXPRESSO PELO LIMITE DE RESOLUÇÃO.




                                     LIMITE DE RESOLUÇÃO

      É A MENOR DISTÂNCIA QUE DEVE EXISTIR ENTRE DOIS PONTOS PARA QUE
     ELES APAREÇAM INDIVIDUALIZADOS.




Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                         8
Farmacêutica-Bioquímica
Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                     9
Farmacêutica-Bioquímica
                                     EXEMPLO DE LIMITE DE RESOLUÇÃO:
              É A MENOR DISTÂNCIA QUE DEVE EXISTIR ENTRE DOIS PONTOS PARA QUE ELES APAREÇAM INDIVIDUALIZADOS.




                                      ESPOROS DE
                                      LEVEDURAS

                                                                           HEMÁCIAS




                             CÉLULAS TUBULARES
                              DO EPITÉLIO RENAL




        O QUE DETERMINA, A RIQUEZA DE DETALHES DA IMAGEM FORNECIDA POR
        UM SISTEMA ÓPTICO É O SEU LIMITE DE RESOLUÇÃO, E NÃO O SEU PODER
        DE AUMENTAR O TAMANHO DO OBJETO.

Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                                                                10
Farmacêutica-Bioquímica
          DIFERENÇAS DE IMAGENS ENTRE UM MICROSCÓPIO ÓPTICO
                 (MO) E UM MICROSCÓPIO ELETRÔNICO (ME)


                                HEMÁCIAS    LEUCÓCITO   MICROSCOPIA ELETRÔNICA (ME) DE
                                                            BACTÉRIAS COMENSAIS




      PLAQUETAS




                         EOSINÓFILOS



                                           LINFÓCITO




                   MICROSCOPIA ÓPTICA EM
                      LÂMINA DE TECIDO
                         SANGUÍNEO




Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                                         11
Farmacêutica-Bioquímica
     DETERMINE QUAL O TIPO DE MICROSCÓPIO QUE SE UTILIZOU NA OBSERVAÇÃO
                               DESSAS IMAGENS




Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                          12
Farmacêutica-Bioquímica
      PRINCIPAIS UNIDADES DE MEDIDAS USADAS NA MICROSCOPIA




     MICRÔMETRO (µm)                        1mm = 1.000 μm



         NANÔMERO (nm)                      1μm = 1.000 nm



                                            1nm = 10 Å
            ÂNGSTROM (Å)

            ESTA UNIDADE ESTÁ SENDO SUBSTITUÍDA PELO NANÔMETRO




Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                 13
Farmacêutica-Bioquímica
               ESPECIFICAÇÕES DAS OBJETIVAS E SUAS AMPLIAÇÕES


                              OBJETIVAS             AMPLIAÇÃO TOTAL
                         (COM OCULAR DE 10X)   (VER SEMPRE AS OCULARES)


                                     04 x                40 X


                                     10 x               100 X


                                     40 x               400 X


                      100 x
                                                        1000 X
        (Sempre usar com óleo de Imersão)


Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                          14
Farmacêutica-Bioquímica
                           OPERAÇÃO (PRÁTICA LABORATORIAL)


                            NORMAS E CONDUTAS NA PRÁTICA LABORATORIAL



        1.     OBEDECER TODAS AS NORMAS DE BIOSEGURANÇA (EPI/EPC).
        2. LAVAR AS MÃOS NA ENTRADA E NA SAÍDA APÓS A PRATICA.
        3. É OBRIGATÓRIO QUE VOCÊ CONHEÇA AS PARTES ÓPTICAS E MECÂNICAS
              DOS MICROSCÓPICOS ANTES DE USÁ-LO.
        4.     NÃO MANUSEAR O APARELHO COM AS MÃOS SUJAS OU MOLHADAS
        5. NUNCA DESLOQUE O APARELHO COM A LÂMPADA ACESA.
        6.      NA REMOÇÃO DO EQUIPAMENTO, SEGURE-O FIRMEMENTE COM UMA
              DAS MÃOS NO BRAÇO E A OUTRA NA BASE.
        7. É         PROIBIDO        O   USO   DE   CÂMARAS   FOTOGRÁFICAS   DURANTE   A
              EXPOSIÇÃO DA AULA PRÁTICA.



Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                                           15
Farmacêutica-Bioquímica
                                     COMO USAR O MICROSCÓPIO



      1.       INICIE SEMPRE PELA OBJETIVA DE MENOR AUMENTO.
      2. NA OBSERVAÇÃO DE UMA PREPARAÇÃO, OLHE PELA OCULAR E
             MOVA O MACROMÉTRICO MUITO LENTAMENTE, ASSIM QUE A
             IMAGEM APARECER, MESMO CONFUSA, PARE E COMPLETE A
             FOCALIZAÇÃO COM O MICROMÉTRICO.

                                       USANDO A OBJETIVA 100x


       O USO DA OBJETIVA DE IMERSÃO É MAIS DELICADA POIS, A
      DISTÂNCIA FOCAL ENTRE A FACE DA OBJETIVA E A PARTE SUPERIOR
      DA LAMÍNULA, DIMINUI QUANDO A AMPLIAÇÃO É AUMENTADA.



Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                    16
Farmacêutica-Bioquímica
                                     COLORAÇÃO



        QUASE TODAS AS ORGANELAS SÃO TRANSPARENTES E INCOLORES, O QUE
         DIFICULTA SEU ESTUDO MICROSCÓPICO, LOGO A COLORAÇÃO FACILITA A
                     VISUALIZAÇÃO DAS ESTRUTURAS DOS TECIDOS.




      PARA VENCER ESSA DIFICULDADE, FORAM CRIADOS NUMEROSOS PROCESSOS
          DE COLORAÇÃO QUE TORNAM VISÍVEIS OS DIVERSOS COMPONENTES
                                 CELULARES.




Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                          17
Farmacêutica-Bioquímica
          A MAIORIA DOS CORANTES COMPORTA-SE COMO ÁCIDOS OU BASES


    ESTRUTURAS BASOFÍLICAS:               ESTRUTURAS ACIDÓFILAS:

   SÃO OS COMPONENTES DOS               SÃO OS COMPONENTES DOS
  TECIDOS   QUE     SE   CORAM          TECIDOS    QUE    SE CORAM
  FACILMENTE COM CORANTES               FACILMENTE COM CORANTES
  BÁSICOS (Hematoxilina)                ÁCIDOS (Ex:EOSINA)

  EX: ESTRUTURAS ÁCIDAS (NÚCLEOS)       EX: ESTRUTURAS BÁSICAS
                                        (ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS)




Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                      18
Farmacêutica-Bioquímica
  TÉCNICAS DE COLORAÇÃO MAIS USUAIS, TÉCNICA DE IMPREGNAÇÃO
  PELA PRATA E ALGUNS DOS RESULTADOS OBTIDOS COM ELAS:

                                                                                FIBRAS       FIBRAS
      TÉCNICAS                  CONSTITUINTES          NÚCLEOS   CITOPLASMA
                                                                              COLÁGENAS   RETICULARES

                                      HEMALÚMEN
                                     (Hematoxilina),    AZUL
                                       EOSINA                      ROSA         ROSA
          HE                         HEMATOXILINA
                                       FÉRRICA
                                                        PRETO


                                     FUCCINA ÁCIDA
  TRICRÔMICO                         E PONCEAU DE
                                        XILIDINA,                 VERMELHO
  DE MASSON
                                     VERDE-LUZ                                  VERDE

 IMPREGNAÇÃO
   ARGÊNTICA                    SOLUÇÕES DE
  PARA FIBRAS                   SAIS DE PRATA
                                                                                            PRETO
  RETICULARES




Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                                                    19
Farmacêutica-Bioquímica
        OS   MICROSCÓPIOS  MODERNOS     UTILIZAM   LASERS   COMPLEXOS,
         DETECTORES EXTREMAMENTE SENSÍVEIS, OBJETIVAS PODEROSAS.

   PERMITEM FILMAR DIVISÃO CELULAR, O TRÁFICO DE MOLÉCULAS DENTRO
    DAS CÉLULAS, PERMITEM OBSERVAR CERTAS PROTEÍNAS NO CÉREBRO DE
    ANIMAIS VIVOS ETC.
Profª Monara Bittencourt de Amorim
                                                                          20
Farmacêutica-Bioquímica
 EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO


1.Defina microscópio, suas principais estruturas ópticas e mecânicas, observando
os cuidados a serem utilizados no manuseio deste aparelho.
2.Diferencie Poder de Resolução de Limite de Resolução.
3.Quais as características para cada parte do Microscópio óptica ?
4.Quais os cuidados a serem observados antes de manusear o aparelho?
5.De acordo com as oculares de 22x, calcule a ampliação total de uma imagem
observada por objetivas de : 05x,10x,20x,40x e 100x.
Jamais esqueçam de acrescentar os cálculos destas respostas na prova
6.Defina Ampliação Total.
7.Cite 6 elementos estruturais de um Microscópio Óptico.
8.Quais os dois principais corantes da Técnica de coloração por HE?
9.Quais os cuidados individuais que se deve ter ao uso dos laboratórios?
10.Defina Equipamento de Proteção Individual (EPI).
11.Qual a importância dos Equipamento de Proteção Coletiva (EPC)?
12.Cite 5 condutas inapropriadas dentro de um laboratório.
13.Quais as vacinas que devem ser tomadas antes de se adentrar dentro de um
laboratório com riscos biológicos?
14. O que são riscos e quais os principais relacionados com a área da saúde?
15. Qual a única objetiva que só deve ser usada com óleo de imersão?

                                                                                   21

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:48
posted:1/16/2013
language:Unknown
pages:21