Docstoc

unidade 3 economia bem estar social

Document Sample
unidade 3 economia bem estar social Powered By Docstoc
					Economia da Segurança Social
       Unidade 03

 Tópicos de economia do bem estar
               social-1:
              -Conceitos
      -Equilíbrio parcial e geral
        -Custos de transacção
            -Capital social



             Carlos Arriaga Costa   1
Resultados de aprendizagem desta
             unidade

   . Aquisição de conceitos de economia do
   bem estar.

   . Compreender o problema económico da
   protecção social

   . Reflectir sobre os equilíbrios numa
   economia do bem estar social



                  Carlos Arriaga Costa       2
         Welfare Economics
      (economia do bem estar)

   Welfare economics preocupa-se com o
    desejo social de estados económicos
    alternativos.
    – Distingue uma situação em que os mercados funcionam
      bem da situação em que a intervenção governamental
      se encontra garantida.
    – Apoia-se em instrumentos de microeconomia,
      respectivamente em curvas de indiferença.



                      Carlos Arriaga Costa                  3
 General Equilibrium
(Welfare Economics)



       Carlos Arriaga Costa   4
         Equilíbrio geral
 Equilíbrio parcial: Coloca a situação em
  que mudanças de um mercado afectam
  outro mercado.
 Equilíbrio geral: Analisa as situações em
  que as escolhas dos agentes económicos
  se encontram coordenadas entre todos os
  mercados de produtos e de factores.


                  Carlos Arriaga Costa        5
As actividades económicas encontram-se inseridas
   em instituições, quer formais quer informais




         Velha
                                    Economia
         Escola
                                   neo-clássica
        classica



                   Carlos Arriaga Costa           6
              História da nova economia
               (North, Fogel, Rutheford)

           Escolha pública & economia política
            (Buchanan, Tullock, Olson, Bates)

                                                           (capital Social)
               Nova economia social                      (Putnam, Coleman)
Novas                (Becker)
escolas
                                                       Direitos de propriedade
                                                         (Alchian, Demsetz)
          Economia dos custos de transacção
              (Coase, North, Williamson)
                                                       Economia da informação
                                                       (Akerlof, Stigler, Stiglitz)
               Teoria da acção colectiva
               (Ostrom, Olson, Hardin)

                  Direito e economia
                        (Posner)
                                Carlos Arriaga Costa                              7
           Consumer Surplus
   Excedente do consumidor Individual =
    ganho líquido pela compra de um bem =
    diferença entre o preço máximo que um
    consumidor deseja adquirir um bem e o
    preço actual pago.

   O excedente do consumidor total é a soma
    de todos os excedentes dos consumidores
    ganhos por todos os compradores de um
    bem num mercado.
                   Carlos Arriaga Costa     8
      Excedente do consumidor = area acima
      do preço e abaixo da curva de procura

100                        Excedente do consumidor = {400(100-35)}/2
                                            = 13000




        Excedente consumidor
35                                                                     P = 35
                                                                  D

  0                                                400

                           Carlos Arriaga Costa                           9
      Excedente do consumidor com uma
      subida de preço
100                        Excdente do consumidor = {270(100-60)}/2
                                            = 5400
       Excedente do consumidor

60                                                              P = 60

35

                                                              D
  0                            270                 400

                            Carlos Arriaga Costa                      10
                   Excedente total
                                              S
100


      Excedente
      consumidor
60
      Excedente
      produtor


10                                                D

  0                    270
                       Carlos Arriaga Costa           11
  Alocações eficientes de pareto
                                         Individual
                                             B
  Total
amount of                      e         e and d are
   Y                g                    also
                                         Pareto
             d                           efficient
                                         allocations
Individual
    A
                               Total
                   X         amount of
                 Carlos Arriaga Costa                 12
             Curva de contrato
                                             Individual
                                                 B
  Total
amount of                          e          Joining
                                              up these
   Y                    g                     Pareto
                                              efficient
                 d                            points
                                              yields the
Individual                                    contract
    A
                                   Total      curve
                       X         amount of
                     Carlos Arriaga Costa                 13
       Economia dos custos de
             transação
   Definição de custos de transação :
    – Custos de procura e selecção de um
      comprador e de um vendedor.
    – Custos de obtenção de informação sobre
      um bem ou serviço
    – Custo de negociação
    – Custo de controle e de vigilância de um
      contrato.



                   Carlos Arriaga Costa     14
     Economia dos custos de
           transação

   Coase (1937)
    – As trocas de mercado têm um custo.
    – As empresas empemham-se na redução
      de custos de transacção.

    – A fronteira de eficiência de um empresa
      é determinada pela natureza e
      extensão desses custos de transacção.

                   Carlos Arriaga Costa    15
   Economia dos custos de
         transação
 Williamson   (1996, 2000)
 – Combina o conceito de
   racionalidade da fronteira de
   eficiência e comportamento
   oportunista para explicar o
   contrato, conflito e posse de uma
   empresa.
 – Forma organizacional no qual
   depende em parte os custos de
   transacção. Carlos Arriaga Costa    16
     Economia dos custos de transação
   North (1986, 1989, 1994)
    – Instituições que se envolvem em
      processos de redução de custos de
      transação são a chave da performance
      das economias
    – Nem todas as organizações/instituições
      que surgem são eficientes.
    – O papel do governo é fundamental no
      que respeita ao cumprimento dos
      contratos.

                   Carlos Arriaga Costa        17
  Economia dos custos de transação

 North   (1990)
“The inability of societies to develop
  effective, low-cost enforcement of
  contracts is the most important
  source of both historical stagnation
  and contemporary
  underdevelopment in the third
  world.”


                Carlos Arriaga Costa     18
   Economia do bem estar
1º Teorema fundamental da economia do
bem estar :
Se todos os mercados funcionam em
competição perfeita, a alocação de recursos
será uma eficiência de pareto.
2º Teorema fundamental da economia do
bem estar : :
Toda a alocação eficiente de pareto pode ser
obtida como um resultado de um processo de
mercado em competição, efectuado a partir
de um conjunto de recursos iniciais que
poderão ser redistribuídos através de
impostos e subsídios entre os agentes.
                Carlos Arriaga Costa           19
        Economia do bem estar
             Conceitos
   Competição perfeita
    – Bens homogéneos.
    – Nenhum agente afecta o preço.
    – Informação perfeita.
    – Não há custos de transacção.
    – Não há externalidades :
        Benefícios privados = benefícios sociais.
        Custos privados = custo sociais.


                       Carlos Arriaga Costa          20
                      Benefícios totais
     Price
             A
             P1




                                                       B
             P*




                  0    1   2          3         4     Q*   Quantity
   Beneficícios recebidos correspondem às áreas dos
    rectângulos.
   Benefícios totais correspondem à área total da procura :
    triangulo AP*B + rectangulo 0P*BQ*
                               Carlos Arriaga Costa                   21
                      Benefícios totais
     Price
             A




                                                       B
             P*




                  0    1   2          3         4     Q*   Quantity
   Benefícios totais = área abaixo da curva e que
    corrsponde à vontade de todos = bem estar Social


                               Carlos Arriaga Costa                   22
                 Benefícios líquidos
    Price
            A



                         A
                                          B
            P*

                         B

                 0   1       2   3   4   Q*   Quantity
 (A+B) benefício total
 Benefício líquido = (A+B) - B = A =
  excedente do consumidor (benefício recebido
  – preço pago)      Carlos Arriaga Costa                23
    Para além da economia neo-
              clássica
 O objectivo é modelizar o
  comportamento
 Apoio em outras ciências sociais,
  relações sociais.
Necessidade de extender os modelos
  com recurso a outros campos
  científicos.

               Carlos Arriaga Costa   24
    Introdução do capital social na
              economia
 A economia “standard” não dá respostas
  suficientes?
 O que é o capital social ? Como funciona?
 Como é medido?




                  Carlos Arriaga Costa        25
     Definição de capital social
 “Capital Social refere características da
  organização social [em particular de associações
  horizontais] tais como redes, normas sociais que
  facilitam a coordenação e cooperação para
  benefício mutuo.” Putnam (1995)
 “a variety of different entities, with two elements
  in common: they all consist of some aspect of
  social structure, and they facilitate certain
  actions of actors … within the structure”
  Coleman (1988)


                      Carlos Arriaga Costa         26
      ‘Social capital is capital’
Social capital can be understood as networks of
social relations characterised by norms of trust &
reciprocity

‘Social capital is an essential complement to the
concepts of natural, physical and human capital’,
and ‘social capital shares some fundamental
attributes with other forms of capital while it
presents some attributes that differ’.

(Ostrom 2000: 172-73)


                        Carlos Arriaga Costa         27
    Definição de capital Social
 “includes the social and political environment
  that enables norms to develop and shapes
  social structure. .. Includes the more
  formalized institutional relationships and
  structures, such as government, the political
  regime, the rule of law, the court system and
  civil an political liberties” Grootaert (1998)
 “Social capital is defined as the norms and
  social relations embedded in the social
  structures of societies that enable people to
  coordinate action to achieve desired goals.”
  The World Bank (2000)
                    Carlos Arriaga Costa           28
     Capital social: decomposição
 Normas                                          Indivíduo/agregado
                                                   familiar
 redes
                                                  Local/Comunidade
 Trust
                                                  Nacional
(Trust law, where ownership and
    management of property is on behalf           Internacional
    of another )

 Coordenação e
                                                  Bem privado versus bem
 cooperação                                        público




                                   Carlos Arriaga Costa                     29
Operacionalização do capital social
  • Custos de transacção de troca mais baixos.
  • Melhoramento da difusão da informação e da
    inovação.
  • Fortalece os mecanismos de segurança informal.
  • Aumenta a probabilidade das trocas (sociais)
    serem realizadas.
  • Melhora a performamnce da autoridade local
    através da constituição de redes.




                  Carlos Arriaga Costa               30
           É Social? E Capital?
   é Social?
    – Social no sentido de sociedade
    – Mas não significa forçosamente bem público.
   É Capital?
    – Analogia com outras formas de capital
    – Mas limitativo na distinção entre stock e fluxo.




                       Carlos Arriaga Costa          31
Como quantificar o capital social?

    Contactos e outras medidas de
     rede
    Membros e características do grupo
    Grau de compromisso cívico e
     social
    Fortalece as redes familiares
    Trust measures

               Carlos Arriaga Costa       32
    Capital Social : problemas a ter em
                    conta
   Aspectos de exclusão
    – Como conhecer a exclusão?
    – Pode ser verdadeiro para os mais
      empobreecidos
    – Endogeneidade
 Dificuldades de medição
 Pode ter efeitos externos negativos



                     Carlos Arriaga Costa   33
    Example 1: Traders in Madagascar
                 (Fafchamps & Minten 1998)

 Social Capital networks of traders have efficiency
  implications: Larger sales and gross margins.
 In particular
    – Relationships with traders lower transactions costs
    – Relationships with individuals who can help in times
      of financial difficulties insure against liquidity risk
    – Relationships with family reduce efficiency, however




                          Carlos Arriaga Costa                  34
    Example 2: Group membership in
       South African Households
              Maluccio, Haddad, May (2000)


   Household level social capital, as measured by group
    membership, is an important determinant of income
    in changing South African economy. After controlling
    for fixed effects and endogeneity find:
     – Significant impact in 1998, but less than education
     – 1993 initial levels matter due to structural shift
   Spillover effects are weak for non-group members,
    even in communities with high social capital


                        Carlos Arriaga Costa                 35

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:5
posted:10/17/2012
language:Portuguese
pages:35