Introdu��o � An�lise Criminal by 84zUP1l

VIEWS: 0 PAGES: 17

									                            Introdução à Análise Criminal:
    Algumas Considerações sobre a Atividade, suas Aplicações e Técnicas na Atual Visão
                                   Norte-Americana1




                    George Felipe de Lima Dantas - Doutor “The George Washington
                    University”, Washington, DC, EUA. Coordenador para asuntos de
                    segurança pública do Núcleo de Estudos em Defesa, Segurança e
                    Ordem Pública (NEDOP) do Centro Universitário do Distrito Federal
                    (UniDF).



                    Sean Bair - MBA ‘University of Denver”, Denver, Colorado, EUA.
                    Ex-Diretor do Centro Nacional de Tecnología Policial e Correcional da
                    Universidade de Denver, Denver, Colorado, EUA. Palestrante
                    convidado do TREINASP (2005 – FGV, Rio e /2007 – UniDF,
                    Brasília).




                    Luiz Carlos Magalhães - MBA em Gestão da Segurança Pública e
                    Defesa Social. Pesquisador do NEDOP/UniDF e Consultor para
                    Assuntos de Não-Proliferação de Armas Pequenas e Leves.




                    Alécio Filipe - MBA em Gestão da Segurança Pública e Defesa Social.
                    Pesquisador do NEDOP/UniDF e Consultor para Asuntos de
                    Tecnologia da Informação Aplicada à Segurança Pública.




“Conjunto de processos sistemáticos (...) direcionados para o provimento de informação
oportuna e pertinente sobre os padrões do crime e suas correlações de tendências, de modo a
apoiar as áreas operacional e administrativa, no planejamento e distribuição de recursos
para prevenção e supressão de atividades criminais, auxiliando o processo investigativo e
aumentando o número de prisões e esclarecimento de casos”. Steven Gottlieb (1994)i




1
 A realização deste artigo foi possível graças a diversos patrocínios e apoios. Os patrocinadores foram a
Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (SENASP), através de sua Coordenação-
Geral de Inteligência (CGI); o Centro Regional de Treinamento em Segurança Pública (TREINASP) da
SENASP em sua relação conveniada com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a
Federação Nacional dos Policiais Federais (FENAPEF). Os apoios foram proporcionados pelo Centro
Universitário do Distrito Federal (UniDF) e pelo Sindicato dos Delegados de Polícia (SINDEPO) da Polícia
Civil do Distrito Federal (PCDF).
INTRODUÇÃO


A análise criminal (AC) é uma disciplina emergente no domínio do conhecimento pertinente à
segurança pública, tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos da América (EUA). Dado seu
estado atual de desenvolvimento, suas ações, suas tarefas, suas funções, suas técnicas, e os
seus produtos, e mesmo a nomenclatura respectiva, ainda estão em processo de maior e
melhor definição em ambos os países. No Brasil, no entanto, ela passa por um momento de
evolução ainda anterior ao norte-americano, com alguns cientistas sociais do país se ocupando
de descrever o fenômeno do crime e da violência e questões conexas (policiais inclusive)
intuídos de alguma forma pela metodologia da AC praticada no exterior, mas com uma
abordagem objetivada muito mais na sociologia do crime, muitas vezes fora da possibilidade
do alcance aplicativo prático dos operadores da segurança pública e das suas respectivas
instituições. Por tudo isso, os membros da comunidade de operadores da segurança pública do
país, em sua grande maioria, ainda pouco utilizem a AC na condução da atividade-fim de
controle do fenômeno do crime e da violência. No Brasil, a situação geral sugere que, afora
em algumas poucas "ilhas de excelência", as instituições policiais brasileiras pouco conheçam
dos métodos e técnicas contemporâneas concernentes a tal processo de produção de
conhecimento. Limitam-se, assim, a utilizar métodos artesanais e rudimentares, para os dias
atuais, como é o caso do conhecido "bolotário"2, utilizado tradicionalmente no meio policial
investigativo brasileiro, ou outros métodos mais, que, ainda remontam aos "mapas de pinos" e
de utilização de outras técnicas semi-intuitivas de análise, usualmente derivadas do clássico
exame, nem sempre integrado, de variáveis como data, hora e local. (DHL).




2
 Representação gráfica, ou organograma, de entidades, indivíduos inclusive, que possuem vínculos entre si.
Expressão comumente utilizada no meio policial para referir representações gráficas que representam de relações
entre delinqüentes no contexto de investigação de bandos, quadrilhas e/ou outras entidades pertencentes ao crime
organizado. Existe hoje software especializado que, dentre outras aplicações, mapeia visualmente relações de
vínculos em prol da "analise de vínculos".

Definir modus operandi
                                          PINOS E MAPA DE PINOS




                                       Fontes: Map Super Store – EUA3
                                       Durhan Regional Police – Canada4

A situação da AC norte-americana e de alguns outros países é certamente distinta da que se
pode determinar no Brasil, a começar pela própria formação básica do policial e do
profissional de AC. O processo de treinamento policial nos EUA inclui, afora [i] pré-
requisitos específicos de nível de escolaridade (cada vez mais sendo exigido algum tipo de
nível superior geral, ou específico em "justiça criminal"), [ii] a realização, com aprovação
final, de um "programa de treinamento padrão" e subseqüente exame de certificação. Tal
uniformidade quanto ao padrão de desenvolvimento de recursos humanos policiais é
estabelecida por comissões estaduais de padronização e certificação policial ("Police Officer
Standards and Trainning Comission" – POST)ii ou organizações não-governamentais
específicas da área de especialização policial, caso da IACA5 e da IALEIA6 referidas adiante.
Assim, o usuário do serviço policial pode ter como premissa que seus policiais estejam
suficientemente preparados para o exercício da atividade-fim, bem como de que também
estejam imbuídos dos valores necessários para o exercício profissional respectivo. Tais
processos de recrutamento, seleção, formação e especialização, fazem com que as instituições
do setor possam estar também asseguradas de que seus policiais detenham os conhecimentos,



3
    http://www.mapsuperstore.com/media/maptacks.gif
4
    http://www.drps.ca/upload_files/crime_analysts_unit_20051278911.jpg, jun-2007
5
    www.iaca.net, jun-2007
6
    www.ialeia.com, jun-2007
Definir modus operandi
técnicas, habilidades e atitudes necessárias para o exercício da atividade, em geral, bem como
em áreas específicas como é o caso da AC.


A situação brasileira, na América do Sul, ainda é diferente daquela em relação ao analista
criminal norte-americano. Ainda assim, pela própria situação de "infância da AC", o "bloco
de competências" do profissional correspondente ainda varia bastante até mesmo naquele país
da América do Norte. Em uma determinada instituição policial, por exemplo, o analista
poderá ter apenas os atributos técnicos básicos de um digitador de dados. Ainda assim, será
titulado como analista criminal. Já em outra instituição congênere, a mesma titulação
requererá competências específicas, tais como poder realizar análises espaço-temporais,
incluindo o domínio de técnicas da estatística computadorizada e de georeferenciamento. Na
segunda hipótese, os produtos decorrentes da atividade de AC melhor servirão ao processo
decisório da instituição, proporcionando aos seus dirigentes meios capazes de embasar
decisões de qualidade. Como em qualquer outra nova profissão, existe hoje um esforço
deliberado no sentido de padronizar e regular o treinamento do profissional de AC nos EUA.
É possível antever, por isso mesmo, que em mais algum tempo, ela e seus profissionais e
produtos serão uma presença obrigatória nas instituições de segurança pública, tanto
brasileiras quanto norte-americanas.


Com toda novidade que a atividade do analista criminal ainda possa ter, ela já é objeto de
certificação nos EUA. Para tanto, desde 1990 existe a Associação Internacional de Analistas
Criminais ("The International Association of Crime Analysts" -- IACA), organização
estabelecida com a finalidade de apoiar a comunidade internacional de profissionais do setor
no aperfeiçoamento de suas respectivas metodologias e técnicas e de estabelecer uma rede
global de contato entre pares, contribuindo assim para a evolução da atividade de AC, ao
buscar estabelecer padrões universais de desempenho técnico. Mais de 80 por cento de seus
atuais membros são norte-americanos, mas ela também inclui profissionais da África, Ásia,
Europa e, da América Latina, brasileiros inclusive. Uma das mais recentes conquistas da
organização foi editar e publicar uma primeira obra técnica de referência, em 2004, intitulada
Explorando a Análise Criminal (“Exploring Crime Analysis”)7.


7
 International Association of Crime Analysts. Exploring Crime Analysis: Readings on Essential Skills. Overland
Park – USA: IACA, 2004.

Definir modus operandi
Antes ainda da criação da IACA, foi estabelecida pioneiramente nos EUA, em 1981, a
Associação Internacional de Analistas de Inteligência Policial ("International Association of
Law Enforcement Intelligence Analysts" -- IALEIA). Semelhantemente à IACA, a IALEIA
tem como objetivo incrementar os padrões de profissionalismo da “Análise de Inteligência
Policial”, tanto em nível local (municipal), quanto estadual (provincial), nacional ou
internacional. A IALEIA busca hoje atingir tal objetivo por intermédio da promoção de um
melhor entendimento geral do papel da “Análise de Inteligência Policial”, fazer da atividade
uma profissão própria, desenvolver padrões internacionais de qualificação e competência
técnica, reforçar conceitos, identificar currículos e padrões de treinamento, prover assessoria
técnica e serviços correlatos, conduzir estudos de pesquisa relacionados com a atividade de
análise, bem como prover a difusão da informação com respeito a métodos e técnicas
analíticas.


Tal qual a IACA, os primeiros afiliados da IALEIA eram basicamente norte-americanos e
canadenses. A situação atual dos quadros de afiliados da IALEIA também é semelhante ao
que ocorre hoje com a IACA, com ela passando a congregar, também, afiliados da África,
Ásia, Europa e América Latina, brasileiros, inclusive. Vale citar a recente premiação pela
IACA do policial brasileiro Francisco Vicente Badenes, “Prêmio Policial Mundial de 2006
por sua luta contra a corrupção no poder judiciário e excepcional contribuição para os Direitos
Humanos”


Tal qual na área de certificação policial individual, existe também nos EUA uma modalidade
de certificação que pode ser conferida às próprias instituições policiais norte-americanas caso
assim o desejem. É essa a finalidade da "Comissão de Certificação de Instituições Policiais"
["The Commission on Accreditation for Law Enforcement Agencies" (CALEA)] 8,
organização privada, sem fins lucrativos, estabelecida em 1979. Sua autoridade técnica deriva
do reconhecimento a ela conferido por outras organizações, basicamente não-governamentais,
dentre outras, a "Associação Internacional de Chefes de Polícia" ["International Association
of Chiefs of Police (IACP)] e o "Fórum Executivo de Pesquisa Policial" ["Police Executive
Research Fórum" (PERF)]. A existência da função de analista criminal, nos quadros da
instituição policial, é hoje um dos pré-requisitos de credenciamento estabelecidos pela
CALEA.
8
    http://www.calea.org
Definir modus operandi
 “As divisões de análise criminal são responsáveis pelo exame sistemático de boletins diários
de ocorrência de determinados crimes, de modo a determinar hora, local, características
especiais, semelhanças com outras ocorrências e vários outros fatos significativos que podem
contribuir para a identificação de um criminoso ou de um padrão de atividade criminal”.
(Wilson, apud Dantas; Souza 2004). Orlando W. Wilson iii



DESENVOLVIMENTO


A AC engloba a realização de um conjunto de ações, tarefas e funções que possibilitam
estabelecer uma plataforma cognitiva analítico-decisória instrumental para a gestão
estratégica e tático-operacional das instituições de segurança pública. Embora a análise do
crime, propriamente dita, esteja expressamente apontada no próprio nome da atividade
enquanto seu objetivo, os analistas criminais também lidam com atividades intra-
institucionais outras, eventualmente especializando-se em uma delas. Usualmente são funções
de apoio, de natureza policial, à atividade fim. A AC, propriamente dita, quer seja ela para
fins externos ou internos, é exercida em uma seção organizacional cuja natureza é de apoio à
atividade fim da instituição, estando situada, portanto, na esfera da atividade meio. Ainda que
da atividade meio, porém, a AC é não menos importante, não restando mais dúvida na
atualidade acerca do seu valor enquanto instrumento de incremento da efetividade, eficácia e
eficiência institucional.


                                    SEÇÃO DE ANÁLISE CRIMINAL




                                   Fonte: Polícia de Plymouth, MA - EUA9



9
    www.plymouthpolice.com/images/disp1.jpg, jun-2007

Definir modus operandi
O papel do analista criminal é essencialmente de dar suporte ao processo decisório, objetivo
atingido não só por intermédio da atividade de análise, pura e simples, mas também da
materialização de seus resultados, veiculados sob a forma de diferentes produtos de
informação e, conseqüentemente, de geração de conhecimento. Embora o analista,
propriamente dito, raramente seja responsável pela "tomada de decisão", já é comum em
algumas instituições de segurança pública que todas as operações da organização possam ter
de passar pelo escrutínio técnico-profissional do analista. Essencialmente, as ações, tarefas e
funções do analista, em relação ao processo decisório, se traduzem por atividades de
recuperação, análise e difusão da informação. Além de tudo isso, ele também precisa atuar
como "advogado" do seu mister, ao recomendar as ações e estratégias baseadas no resultado
de suas análises. Embora não dirija atividades operacionais, se elas forem tomadas sem levar
em conta o benefício da sustentação técnica do analista, provavelmente poderão não ser as
mais acertadas.


                     GRÁFICO DE ROUBOS E FURTOS EM COMÉRCIO – DF - 2004




                                   Fonte: Polícia Civil do Distrito Federal10



Os analistas criminais não podem se restringir apenas ao domínio de técnicas estatísticas e de
outros ramos das ciências exatas aplicáveis a tal atividade, mas também necessitam,
intrinsecamente, da moderna Tecnologia da Informação (TI). Um analista criminal típico, na
atualidade, precisa ter uma formação tal que lhe permita uma compreensão aprofundada de
coisas como o gerenciamento de bases de dados, o seu tratamento analítico multidisciplinar,
bem como dos softwares respectivos para realização dessas atividades, sem olvidar uma

10
     http://www.pcdf.df.gov.br/apresentaDP.asp?id=1&dp1=10, jun-2007

Definir modus operandi
necessária e essencial habilidade para apresentar produtos finais àqueles atores institucionais
eventualmente de menor compreensão técnica que a sua.


A utilização tecnologia de ponta proporcionada pela TI, não necessariamente está submetida
a altos custos de investimento e imobilização patrimonial, pois existem atualmente várias
ferramentas do tipo “Software Livre”11 as quais podem atender objetivamente às mais
diversas e complexas demandas, com excelente desempenho e qualidade inclusive. Pode
assim, o atual profissional de AC conhecer e utilizar todo um vasto cabedal de conhecimentos
e instrumentos modernos, sem que tenha de ser necessariamente um especialista em nenhuma
área específica da qual se utiliza regularmente, tampouco demandar altos custos de
investimento para aquisição de seus instrumentos de trabalho. Só assim, com uma abordagem
eclética e holística, poderá prover sua instituição de conhecimento preciso, oportuno e útil.


A atividade de análise criminal é produzida em prol de quatro grandes áreas de aplicação:
tática, estratégica, operacional e administrativa. Embora as instituições, de um modo geral,
estejam começando a perceber a importância da especialização em uma delas, muitos
analistas ainda são generalistas, o que implica, em termos gerais, em uma falta de
especialização em áreas especificas da AC.


A análise criminal tática consiste no processo de identificação, avaliação, análise e definição
detalhada de problemas gerados pelas atividades criminais. Tais problemas são normalmente
classificados como ocorrências, padrões, tendências, ou séries. Os problemas táticos se
posicionam de modo particular, em meio às atividades rotineiras da AC, devido à presença de
identificadores que os distinguem como pertencendo a uma categoria específica.


As ocorrências podem ser fatos isolados que não estão relacionados a outros eventos, mas que
são distinguíveis da atividade criminal geral, em função de suas propriedades



11
   Software livre, segundo a definição criada pela Free Software Foundation é qualquer programa de
computador que pode ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído com algumas restrições. A
liberdade de tais diretrizes é central ao conceito, o qual se opõe ao conceito de software proprietário. A maneira
usual de distribuição de software livre é anexar a este uma licença de software livre, e tornar o código fonte do
programa disponível.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Free_software
Acesso em jun-2007
Definir modus operandi
significativamente únicas, exigindo atenção focada especialmente nelas. Por exemplo, um
assassinato em massa – “spree-killing” – em uma instituição de ensino.



                             “SPREE-KILLING” NA VIRGINIA TECH EM 2007




                              Fontes: MSNBC – Portal de informação da Microsoft12
                                    Portal de notícias da Folha de São Paulo13



Como exemplo prático de análise criminal operacional, pode ser citado a atividade
“estimativa” do analista criminal, ao verificar, em um determinado lugar, que certa facção
criminosa está perdendo terreno e, conseqüentemente, pontos de venda de drogas. Traçando
um paralelo entre a diminuição do terreno de domínio, conseqüente diminuição do lucro da
organização, poderio de fogo disponível e localização mapeada de facções inimigas, o analista
poderá projetar a possibilidade de uma provável movimentação da facção estudada em
direção ao território de facções inimigas com fins de conquista e domínio. Tal situação, no
Brasil e no restante do mundo, vem causando um dos problemas mais sérios da segurança
pública atual, as guerras do tráfico de drogas.


As tendências são atividades criminais que estão geralmente relacionadas à data, hora, local,
modus operandi14 ou outras características, mas que não compartilham o mesmo nexo de
causalidade.


12
     http://www.msnbc.msn.com/id/18138369, jun-2007

13
     http://www1.folha.uol.com.br/folha/galeria/album/p_20070416-virginia01.shtml, jun-2007
14
   Modus operandi é uma expressão em latim que significa "modo de operação". É alguém se utilize de um
mesmo processo ou operação em coisas da mesma natureza que realiza, tornando possível inferior, emu ma
situação adicional, que foi ele que a realizou ou perpetrou em caso de crime.
Definir modus operandi
Os padrões se referem às atividades criminais que estão relacionadas a um determinado
número de características (data, hora, local, modus operandi, etc.), mas não contêm
informações suficientes para confirmar ou refutar a sua autoria comum. Magalhães (2005)iv,
ao referir à questão de certos roubos de cargas registrados no Brasil no ano de 2004, com eles
apresentando modus operandi semelhantes, bem como locais e horários próximos, em séries
semanais e mensais, aponta poderem ser, ou não, realizados pelo mesmo grupo criminoso.


                                                         TABELA SOBRE ROUBO DE CARGAS



                    a e a is u ã a c rrê c s e is d s e s o ia iv a                   ob e a a
                   T b la d D trib iç od s O o n ia R g tra a p la P líc s C is p ra R u od C rg ,
                           o b e e u s o n a e a e e ç o e iõ s           ra il o n e 0 4
                          R u od V íc lo p r U id d d F d ra ã , R g e e B s n a od 2 0
                                                                               e u s
                                                                              V íc lo                                                                a a
                                                                                                                                                    C rg
                   ra il, e iõ s e g fic s
                  B s R g e G o rá a e
                      n ae a ee ço
                    U id d sd F d ra ã                                                               e e tu l e
                                                                                                    P rc n a d                                                             e e tu l e
                                                                                                                                                                          P rc n a d
                                                     obs
                                                    Ruo               u s
                                                                     F rto              o l
                                                                                       T ta                              Ruo
                                                                                                                          obs              u s
                                                                                                                                          F rto              o l
                                                                                                                                                            T ta
                                                                                                     obs u s
                                                                                                    R u o /F rto                                                           obs u s
                                                                                                                                                                          R u o /F rto
                              ra il
                             B s                          594
                                                         197              185
                                                                         258               789
                                                                                          355               10 0
                                                                                                             0 ,0 %              92
                                                                                                                                92                92
                                                                                                                                                 15              17
                                                                                                                                                                 184               0 ,0 %
                                                                                                                                                                                  10 0
                              o
                             N rte                         35
                                                           30               66
                                                                           32                91
                                                                                            63                1 4
                                                                                                               ,8 %              2
                                                                                                                                12                58               8
                                                                                                                                                                  10                 ,5 %
                                                                                                                                                                                    1 2
                  odn
                 R n ô ia                                   2
                                                            82              15
                                                                           16               18
                                                                                             97                 ,5 %
                                                                                                              0 3                  1                3                4                ,0 %
                                                                                                                                                                                    0 3
                  c
                 A re                                         6              82               88              0 2
                                                                                                                ,0 %               0                0                0                ,0 %
                                                                                                                                                                                    0 0
                  mz n s
                 A aoa                                      1
                                                            72               9
                                                                            80              10
                                                                                             62                 ,4 %
                                                                                                              0 3                  0                9                9                ,0 %
                                                                                                                                                                                    0 8
                  o im
                 R ra a                                      61              3
                                                                            29               30
                                                                                              0                 ,0 %
                                                                                                              0 8                  0                0                0                ,0 %
                                                                                                                                                                                    0 0
                  a
                 P rá                                       64
                                                           10                4
                                                                            81               45
                                                                                            24                0 5
                                                                                                                ,6 %              0
                                                                                                                                 15                 0               0
                                                                                                                                                                   15                 ,8 %
                                                                                                                                                                                    0 8
                  mp
                 A aá                                         3              36               39                ,0 %
                                                                                                              0 1                 ...               8               ...                  ...
                  o a tin
                 Tcn s                                       97              7
                                                                            33                7
                                                                                             40               0 3
                                                                                                                ,1 %              16               38               54                ,4 %
                                                                                                                                                                                    0 5
                               o e te
                              N rd s                       01
                                                          112              29
                                                                          116               20
                                                                                           238                5 4
                                                                                                               ,9 %              7
                                                                                                                                61                1
                                                                                                                                                 13                8
                                                                                                                                                                  74                 ,6 %
                                                                                                                                                                                    6 0
                   a nã
                 M ra h o                                   1
                                                            31               6
                                                                            40                7
                                                                                             71               0 1
                                                                                                                ,2 %              81                0               81                ,6 %
                                                                                                                                                                                    0 8
                  ia í
                 P u                                        3
                                                            44               3
                                                                            38               72
                                                                                              7                 ,2 %
                                                                                                              0 1                  1                0                1                ,0 %
                                                                                                                                                                                    0 1
                  e rá
                 Ca                                         94
                                                           14               33
                                                                           35                27
                                                                                            59                1 1
                                                                                                                ,4 %              2
                                                                                                                                 23                22               4
                                                                                                                                                                   25                 ,0 %
                                                                                                                                                                                    2 6
                  io ra d o o
                 R G n ed N rte                             7
                                                            57               7
                                                                            85              15
                                                                                             42                 ,3 %
                                                                                                              0 9                  4                1                5                ,0 %
                                                                                                                                                                                    0 4
                  a íb
                 P ra a                                     5
                                                            36               9
                                                                            45                5
                                                                                             81               0 3
                                                                                                                ,2 %              24                4               28                ,2 %
                                                                                                                                                                                    0 4
                  e a bc
                 P rn m u o                                 2
                                                            80               8
                                                                            84               74
                                                                                            10                0 5
                                                                                                                ,4 %              24               26               50                ,4 %
                                                                                                                                                                                    0 2
                  la o s
                 A ga                                       6
                                                            41               2
                                                                            45                8
                                                                                             86               0 4
                                                                                                                ,2 %              11                0               11                ,0 %
                                                                                                                                                                                    0 9
                  e ip
                 S rg e                                     8
                                                            21               8
                                                                            26               57
                                                                                              6                 ,1 %
                                                                                                              0 5                  5                0                5                ,0 %
                                                                                                                                                                                    0 4
                  a ia
                 Bh                                         98
                                                           42               00
                                                                           58               00
                                                                                           108                2 6
                                                                                                                ,6 %              9
                                                                                                                                 28                60               5
                                                                                                                                                                   38                 ,0 %
                                                                                                                                                                                    3 1
                               u e te
                              Sds                         290
                                                         173              563
                                                                         136               853
                                                                                          219                7 ,9 %
                                                                                                              4 2                00
                                                                                                                                89                35
                                                                                                                                                 15                45
                                                                                                                                                                  94                9 4
                                                                                                                                                                                   7 ,5 %
                   in s e is
                 M a G ra                                   59
                                                           42              41
                                                                          191               94
                                                                                           140                5 7
                                                                                                                ,1 %              2
                                                                                                                                 29                1
                                                                                                                                                  31                4
                                                                                                                                                                   50                 ,5 %
                                                                                                                                                                                    4 5
                  s íritoS n
                 Ep        a to                            14
                                                            08              80
                                                                           29                98
                                                                                            33                1 5
                                                                                                                ,0 %              69               73               4
                                                                                                                                                                   12                 ,2 %
                                                                                                                                                                                    1 0
                  io e a e
                 R d J n iro                               67
                                                          448              52
                                                                          250               19
                                                                                           798               1 ,1 %
                                                                                                              9 6                53
                                                                                                                                37                 8
                                                                                                                                                  29               82
                                                                                                                                                                  36                2 2
                                                                                                                                                                                   3 ,5 %
                  ã a lo
                 S oP u                                    57
                                                          785             132
                                                                         104               827
                                                                                          161                4 ,5 %
                                                                                                              9 4                29
                                                                                                                                41                 8
                                                                                                                                                  62               91
                                                                                                                                                                  40                1 8
                                                                                                                                                                                   4 ,2 %
                                 u
                                Sl                         23
                                                          189              12
                                                                          357               46
                                                                                           436               1 ,8 %
                                                                                                              1 0                8
                                                                                                                                76                4
                                                                                                                                                 36                12
                                                                                                                                                                  13                 ,5 %
                                                                                                                                                                                    9 3
                  a n
                 P ra á                                     97
                                                           10               57
                                                                           30                44
                                                                                            51                1 4
                                                                                                                ,4 %              9
                                                                                                                                 18                76               7
                                                                                                                                                                   24                 ,3 %
                                                                                                                                                                                    2 1
                  a ta a rin
                 S n C ta a                                 9
                                                            30              97
                                                                           76                37
                                                                                            85                2 2
                                                                                                                ,2 %              43               63               0
                                                                                                                                                                   16                 ,8 %
                                                                                                                                                                                    0 9
                  io ra d o u
                 R G n ed S l                              04
                                                          152              05
                                                                          203               09
                                                                                           355                8 4
                                                                                                                ,1 %              4
                                                                                                                                 55                0
                                                                                                                                                  27                5
                                                                                                                                                                   72                 ,3 %
                                                                                                                                                                                    6 3
                             e tro e te
                           Cn Os                           78
                                                           58              47
                                                                          183               06
                                                                                           261                5 0
                                                                                                               ,5 %              5
                                                                                                                                23                80               3
                                                                                                                                                                  33                 ,8 %
                                                                                                                                                                                    2 0
                   a     ro s o u
                 M toG s od S l                             59
                                                            1               39
                                                                           11                88
                                                                                            13                0 9
                                                                                                                ,4 %               3               19               22                ,1 %
                                                                                                                                                                                    0 9
                   a     ro s
                 M toG s o                                  76
                                                            6               12
                                                                           17                98
                                                                                            13                0 2
                                                                                                                ,5 %              34               22               56                ,4 %
                                                                                                                                                                                    0 7
                   o s
                 G iá                                       30
                                                           28               35
                                                                           46                75
                                                                                            64                1 9
                                                                                                                ,7 %              6
                                                                                                                                 14                39               0
                                                                                                                                                                   23                 ,7 %
                                                                                                                                                                                    1 1
                  is       ee l
                 D tritoF d ra                              13
                                                           22               07
                                                                           81              110
                                                                                            04                  ,7 %
                                                                                                              2 0                 52               ...              ...                  ...
                  o te in té    a u tiç   J e re ria a io a e e u n a ú lic   E A P e re ria s d a e e u n a ú lic / e a m n        e e q is , n lis a fo a ã  e e v lv e to e e s a m
                 F n : M is riod J s a- M / S c ta N c n l d S g ra ç P b a- S N S / S c ta sE ta u isd S g ra ç P b a D p rta e tod P s u a A á ed In rm ç oeD s n o im n d P s o l e
                  e u n a ú lic   o rd n ç o e l e e q is / s to ra ile    e e g fia s tís a    G.
                 S g ra ç P b a- C o e a ã G ra d P s u a In titu B s irod G o ra eE ta tic - IB E




                                                 Fonte: Federação Nacional dos Policiais Federais15



As séries se referem às atividades criminais sobre as quais se acredita incidir a mesma
causalidade. Por causalidade comum entende-se que o mesmo delinqüente, grupo de
delinqüentes, organização criminal, grupo, ou mesmo empresa, seja responsável pelo
planejamento e/ou perpetração dos crimes da série. O objetivo do trabalho do analista
criminal tático é identificar e explicitar tão rápida e decisivamente quanto possível os
componentes de uma série, para que a situação possa ser esclarecida em prol da segurança
pública imediata.

Adaptação livre de http://pt.wikipedia.org/wiki/Modus_operandi
Acesso em jun-2007
15
     http://www.fenapef.org.br/htm/com_tribuna_exibe.cfm?Id=669, jun-2007
Definir modus operandi
A análise criminal estratégica consiste na identificação, avaliação, análise e definição
detalhada de problemas da atividade criminal em geral. Tais análises são caracterizadas como
sendo descritivas da atividade criminal comum ou de massa; o analista criminal estratégico
trata, conseqüentemente, daqueles problemas que ameaçam majoritariamente a segurança
pública. O objetivo do analista criminal estratégico é incrementar a segurança pública através
da redução do nível de criminalidade em uma determinada área específica. Quando um gestor
público adota alguma política pública com fulcro no enfrentamento do problema do crime e
da criminalidade, o ideal é que suas decisões estejam levando em consideração as observações
de um analista criminal estratégico. O trabalho do profissional de AC deve orientar o gestor
quanto às possíveis linhas de ação que possam ser consideradas para possibilitar a busca mais
rápida e efetiva da solução do problema estratégico.


A análise criminal operacional consiste na identificação, avaliação, análise e definição
detalhada de problemas específicos da atividade de segurança pública, que não a
criminalidade propriamente dita. Tais problemas são caracterizados como distintos das
atividades principais da polícia, devido à natureza incomum e atípica de cada um deles. Os
problemas da atividade de segurança pública envolvem as atividades iniciadas e executadas
pelas polícias, mas também incluem aquelas outras, tratadas, por exemplo, pelas instituições
prisionais e pelas demais instituições da segurança pública (operações de trânsito, por
exemplo, salvamento e resgate, etc.), em oposição à atividade criminal especificamente
perpetrada por delinqüentes. O objetivo do analista criminal operacional é identificar e
explicitar, tão rápida e decisivamente quanto possível, cada um de tais problemas, de modo a
permitir o incremento da segurança pública através da operação bem sucedida das atividades
das instituições envolvidas na gestão da segurança pública.

A análise criminal administrativa consiste na identificação, avaliação, análise e definição
detalhada de problemas não-específicos da atividade criminal. Eles são caracterizados como
sendo não-especificos (descritivos) dos principais problemas da atividade da polícia,
porquanto genéricos da segurança pública em geral. O analista criminal administrativo trata,
conseqüentemente, daqueles problemas que compõem a vasta maioria dos problemas
relacionados à atividade policial sem serem necessariamente pertinentes ao crime, criminosos
e questões conexas. O objetivo do analista criminal administrativo, assim, é incrementar a
segurança pública, contribuindo para a adoção de medidas que aumentem a eficiência,

Definir modus operandi
eficácia e efetividade da atividade policial. Tal profissional é responsável por produzir
conhecimento do tipo: quantas viaturas são necessárias para cobrir um perímetro de “x”
quilômetros quadrados, considerando as características do terreno e da comunidade a ser
patrulhada.


Recentemente observa-se que a análise tática e operacional vem tendo prioridade sobre as
práticas analíticas estratégicas e administrativas anteriormente dominantes. Isso se deve, em
parte, à crescente adoção de conceitos tais como o policiamento orientado por problema
(POP), policiamento orientado para a comunidade (POC), prevenção do crime através do
desenho ambiental (PCADA), bem como a reincidência de ocorrências criminais de alta
periculosidade, tais como os assassinatos em massa (spree-kilings) e ataques terroristas. Vale
citar também a fascinação do público e das próprias polícias com outros temas tático-
operacionais espetaculares, caso dos criminosos seriais, o que conspira ainda mais para
aumentar o foco nos problemas sob tal influência. Isto claramente resultou em uma
correspondente diminuição na ênfase das funções estratégicas e administrativas da AC.




Definir modus operandi
“Na premissa da regularidade do crime e de fatos similares, é possível tabular as
ocorrências policiais de uma cidade e assim determinar seus pontos de maios e menor risco
para a ocorrência de crimes.” August Vollmer v


CONCLUSÃO


Nos EUA, a análise criminal tática apresenta-se como prioridade para especialização por parte
dos analistas criminais. Muitas instituições estão empregando o "analista criminal tático", pois
esta função consome a maior parte do tempo de trabalho da atividade de AC de modo geral.
Um analista criminal tático típico, nos EUA, passa a maior parte do tempo examinando
relatórios policias, buscando detectar tendências da atividade criminal. É como praticar um
jogo mental de quebra-cabeça, tentando recordar os fatos-chaves de cada fato, enquanto fatos
novos são armazenados na “base de dados” do cérebro do analista. Esta é, obviamente, a
maneira menos efetiva de se identificar uma tendência.


                                “UM JOGO MENTAL DE QUEBRA-CABEÇA”




                          Fontes: Universidade Federal de Minas Gerais 16 e Universia17



A área da análise criminal tática é onde ocorreram os maiores avanços e onde programas
(software) especializados começaram a emergir mais rapidamente para nela serem utilizados.
Existem atualmente, por exemplo, aplicações criadas especificamente para a identificação de

16
     www.icb.ufmg.br/lpf/icone3.jpg, jun-2007
17
     http://www.universia.com.br/nextwave/images/ilustra/nw_puzzle.jpg, jun-2007

Definir modus operandi
tendências da ação criminosa em grandes bases de dados agregados. Uma vez identificada a
tendência, um software específico de análise tática oferece ao analista um cenário para estudo
e predição da próxima possível ocorrência ou indica a melhor opção geográfica para se iniciar
a procura do delinqüente. Assim, por exemplo, o analista passa a ter um papel importante na
investigação e subseqüente prisão de um delinqüente serial.

                                 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DE VÍNCULOS




                  Fonte: http://www.i2inc.com/Solutions/graphics/screen_intel2_BIG.gif, jun-2007


Os programas (software) estatísticos e geográficos existem há décadas, permitindo ao analista
estudar diferentes dados de interesse da análise administrativa e estratégica. Além disso, as
técnicas que são usadas para conduzir estes tipos de análise são técnicas estatísticas
tradicionalmente comprovadas e válidas. Entretanto, na área de AC tática, como mencionado
previamente, não há hoje uma técnica dominante e que tenha se tornado a forma padrão de
identificação de padrões de crime.

                         SISTEMA PARA ANÁLISES ESTATÍSTICO-GEOGRÁFICAS




                                                    Fonte: Esri18

18
     http://www.esri.com/industries/lawenforce/graphics/large-3.gif, jun-2007
Definir modus operandi
Uma das poucas técnicas hoje existentes e que já foi adotado por várias polícias dos EUA é
chamada metodologia IZE, processo de cinco etapas que o analista pode utilizar para
identificar padrões nos dados. O método IZE orienta o analista nas tarefas de categorizar,
generalizar, organizar, minimizar e maximizar seus dados, de maneira que os padrões
eventualmente existentes possam ser identificados.


Os analistas estão hoje utilizando ferramentas especializadas para gerar previsões de futuras
ocorrências e também possíveis perfis geográficos de sua incidência. A previsão de uma
ocorrência futura é realizada tendo por base uma série de crimes. O perfil geográfico apontará
os prováveis pontos de apoio para os quais um delinqüente se dirigirá a partir das posições de
também provável incidência de um próximo evento delitivo. Essas técnicas têm agora
ferramentas e software especializados, que podem ser utilizados para auxiliar o analista na
consecução das suas respectivas ações, tarefas e funções.


                                     MAPA DE ANÁLISE DE DENSIDADE




                                                  Fonte: CSISS19



Conforme referido anteriormente, nos EUA, o provimento da função de analista criminal já é
obrigatório, caso a instituição policial deseje ser devidamente credenciada pela CALEA. Nas
unidades federativas, isso permite que uma polícia local (estadual, de condado ou municipal)
possa pleitear verbas federais. Dado o incentivo financeiro, muitas polícias estão contratando


19
     http://www.csiss.org/learning_resources/content/good_sa/kernel_density.jpg, jun-2007
Definir modus operandi
seus primeiros analistas criminais ou promovendo alguém, já internamente existente, para
ocupar a função. Resulta daí que um grande número de polícias esteja promovendo indivíduos
mal preparados e mal equipados para as exigências deste tipo de trabalho. Uma tendência
negativa observada, em função disso, é a promoção de digitadores e secretárias,
provavelmente por possuírem, tão somente, as habilidades essenciais para trabalhar com bases
de dados e software básicos de escritório.


Hoje há um grande número de instituições de ensino superior norte-americanas com
programas em análise criminal. A situação é bem diferente daquela de uma década atrás. A
maioria dos atuais analistas dos EUA não teve nenhum treinamento formal específico, sendo
oriundos de cursos superiores para carreiras jurídicas ou da área de sociologia e, por isso
mesmo, sem um perfil com ênfase especial em AC. Conseqüentemente, têm a compreensão
da teoria e dos conceitos criminológicos dos fenômenos criminais, mas usualmente nenhum
treinamento formal específico voltado para a atividade policial.


A AC e aqueles que a executam são hoje essenciais para a segurança pública. Atualmente,
quase toda decisão institucional deve ser ou já é guiada por assessoria provida pelo titular da
secção institucional de AC. Todas as funções da organização, incluindo o desenvolvimento de
recursos humanos, direcionamento dos recursos, reconfiguração de roteiros de patrulhamento,
identificação de áreas problemáticas, comparações de índices de criminalidade mensais e
anuais, incluindo a identificação e eventual prisão de criminosos seriais, poderão falhar sem o
concurso da utilização da AC.



NOTAS

i
  Tradução livre e adaptação de: Gottlieb, S.L., Arenberg, S., e Singh, R. Crime analysis: from first report to
final arrest: study guide and workbook. Montclair, CA: Alpha Publishing, 1994, p. 5.

ii
 Dantas, George Felipe de Lima. A Task Inventory Follow-Up Evaluation of The Junior Higher-Ranking
Officers' Training Course Program At The Military Police Academy of Brasilia: A Survey Study, A Disseration.
Graduate School of Education and Human Development. Washington, DC: The George Washington University,
1997, p. 82-86.
iii
  Tradução livre e adaptação: Bieck, Willian H. Crime Analysis. In: Bailey, William (Ed.). The enciclopedia of
police science. New York & London: Garland Publishing, Inc, 1995, p.129.
iv
 Magalhães, Luiz Carlos. A inteligência policial como ferramenta de Análise do Fenômeno: Roubo de Cargas
no Brasil, 2005, p.45.

Definir modus operandi
v
 Tradução livre e adaptação: Massachusetts Association of Crime Analysts – MACA. A History of Crime
Analysis, p. 3.
http://www.macrimeanalysts.com/articles/historyofcrimeanalysis.pdf
Acesso em 05/06/2007.




Definir modus operandi

								
To top