Resumos Vestibular História A Grécia (PDF download) by fvelascoo

VIEWS: 590 PAGES: 5

									A Grécia
Localização: o território grego apresenta um relevo muito acidentado, com numerosas cadeias de montanhas, que isolam as planícies uma das outras e dificultam as comunicações internas, explicando assim, o surgimento das cidades-estados. Povo: A Península Balcânica começou a ser invadida pelos helenos, povo de origem indo-européia ou ariana. Os 4 grandes grupos de povos helenos foram: Aqueus, Eólios, Jônio e Dórios. Destaque para os Jônios que se estabeleceram na Península da Ática e fundaram Atenas e os Dórios que se estabeleceram na Península do Peloponeso e fundaram Esparta. Período Heróico ou Homérico: padrões iniciais da cultura helênica ou grega. Informações proveniente dos poemas Ilíada e Odisséia, atribuídas a Homero. Ilíada, narra a guerra em que os gregos destruíram a cidade de Tróia. Na Odisséia, descreve as aventuras do herói Ulisses ou Odisseu que tentava voltar à sua ilha de Itaca após a destruição de Tróia. Período Arcaico: durante e após a invasão dórica, a civilização grega atravessa um período obscuro. - Formação da Cidade-Estado: formada pela parte rural e urbana. Cada cidade possuía sua autonomia política, econômica e social, seus exércitos e suas próprias marinhas. Apresentavam em comum cultos religiosos, língua e outros traços culturais. Uniam-se em de perigo externo. Principais cidades-estados: Esparta, Corinto, Atenas e Tebas (na Grécia), Mileto e Efeso (na Ásia Menor). Elas se expandiram, algumas, para a Ásia Menor e outras para as bacias do Mediterrâneo. Razões: de ordem política – exclusão de algumas classes da participação do governo. De ordem social e econômica – super povoamento, espírito aventureiro, solo pouco fértil, deserdados e descontentes. Período Clássico: período em que a civilização grega chega ao auge de seu desenvolvimento e significação. Período Helenístico: unificação da Grécia, conquista do Oriente Próximo, por Alexandre Magno; enfraquecimento e fracionamento do império macedônico após a morte de Alexandre.

-

-

-

-

- Modelos de Cidades-Estado: Atenas e Esparta representaram os dois pólos da civilização helênica. - Esparta: cidade dórica, localizada na Península do Peloponeso, às margens do Rio Eurotas. Possuía vales férteis. Os montes são altos, nevados, com poucos desfiladeiros, fáceis de defender, ricas em mármore e ferro. Criavam porcos, cabras e dedicavam-se à agricultura. Estado continental, militar, onde o homem foi unicamente um soldado. Aristocrática, conservadora, proviciana e culturalmente atrasada. - Atenas: cidade jônica, localizada na Península da Ática, possuía um relevo acidentado. Subsolo rico em mármores finos. Seu clima é ameno e o solo pobre. Era um Estado Marítimo e desenvolveu grandes atividades comerciais através do Porto de Pireu. Instituições das Cidades-Estados - Esparta: - Educação: a educação rígida do espartano fazia do indivíduo um soldado dos 7 aos 60 anos. Ao nascer, se a criança tivesse algum defeito físico ou debilidade, ela era condenada a morte e jogada no Monte Taigeto ou abandonada. Aos 7 anos, ela recebia uma educação rígida em disciplina, obediência, solidariedade e de leitura e escrita. Eram estimulados ao laconismo (falar em poucas palavras), a xenofobia (aversão ao estrangeiro) e a xenelasia (expulsão de estrangeiros). Aos 12 anos, eram enviados para o campo, vivendo ao livre em acampamentos sem nenhum conforto. Recebiam adestramento militar. Aos 17, eram submetidos à prova de habilidade, a Kriptéia e tornava-se um Hoplita (soldado), passando a viver no quartel. Aos 30 anos, podiam casar e participar da vida política. Aos 60, se aposentavam do exército e podiam fazer parte na Gerúsia, caso fossem eleitos. - Sociedade: oligarquia militar, a agricultura era a atividade econômica predominante e a propriedade de terra era controlada pelo Estado e cedida aos cidadãos. - Espartanos ou iguais: descendentes dos conquistadores dórios, minoria privilegiada e aristocrática. Proprietários de terra. Monopolizavam as funções do governo, com plenos direitos políticos e civis, eram os cidadãos. - Periecos: formada por antigos habitantes, eram livres, mas não possuíam propriedade de terra e não se casavam com espartanos. Ocupavam o comércio e a indústria. - Hilotas: eram os servos do Estado, cedidos aos iguais, para trabalharem a terra. Constituíam a maioria da população. Kriptéia – jovens espartanos assassinavam hilotas como prova complementar de sua educação.

- Atenas: - Educação: baseada na liberdade. O conteúdo da educação abrangia os aspectos físico, musical, literário e moral. Meninas e meninos ficavam sob os cuidados da mãe e apenas os meninos, a partir dos 7 anos, freqüentavam a escola que era particular. Tocavam instrumentos musicais. Aos 14 anos, dedicavam-se a prática de exercícios físicos e jogos nos ginásios. Dos 18 aos 20 anos prestavam serviço militar e se tornava um efebo (soldado). O jovem poderia participar plenamente dos direitos e das responsabilidades de um cidadão. À mulher, deveria cuidar do lar e ficar ao lado dos filhos. - Sociedade: havia propriedade privada de terra. - Eupátridas ou Cidadãos: Eram os nobres, formavam a aristocracia de grandes proprietários de terras e possuíam direitos políticos e civis. Eram descendentes dos jônios. - Metecos: livres, mas sem direitos políticos, civis e religiosos.. Eram estrangeiros legalmente em Atenas. Dedicavam-se às atividades comerciais e industriais. Serviam no exército ou na marinha. Classe rica e culta. Em casos especiais, receberam o privilégio da cidadania. Podiam se casar com eupátridas. - Escravos: bastante numerosos e exerciam várias atividades penosas. Receberam o tratamento mais humano, de todos os da Antigüidade. Regimes Políticos das Cidades-Estados - Esparta: A Licurgo são atribuídas as primeiras leis de Esparta. Era uma oligarquia militar. - Diarquia ou Realeza Dual: exercida por dois reis, de caráter hereditário, saídos de famílias mais tradicionais dóricas. - Gerúsia: espécie de senado. Órgão essencial do governo, formado por 28 anciãos, chamados gerontes, maiores de 60 anos. Eram vitalícios no cargo e competia-lhes orientar a política externa. - Apela: formada por todos os espartanos maiores de 30 anos, recusavam ou acatavam um projeto. - Eforado: era o poder executivo, eram chefes do governo. Eram o poder judiciário também. Interferiram na vida privada e na pública dos cidadãos. - Atenas: - Monarquia: Havia um rei que era o chefe da guerra, juiz e sacerdote, assistido por um conselho chamado Areópago, formado por nove Arcontes, chefes de famílias eupátridas. Com o decorrer do tempo, os eupátridas se fortaleceram e absorveram o poder do rei, formando uma oligarquia. Aqueles que não podiam pagar as dívidas contraídas com a nobreza, perdiam sua propriedade e até sua liberdade, virando “escravos por dívidas”. Por isso, os nobres sofreram uma grande oposição dos camponeses e da rica classe urbana (comerciantes e industriais). Sob ameaça de queda da oligarquia, foram estabelecidas leis escritas, a pedido dos opositores. - Drácon: autor das primeiras leis escritas. Eram extremamente severas, pois a maioria dos crimes eram punidos com a morte. - Sólon: suprimiu a escravidão por dívida, limitou os excessos da legislação de Drácon, redistribuiu as terras, manteve os órgãos governamentais existentes, organizou dois novos corpos políticos: Assembléia Popular (Eclésia) e o Conselho dos 400 (Bulé), dividiu a sociedade de acordo com a riqueza (plutocracia ou timocracia) pondo fim aos privilégios por nascimento. - Psístrato e a Tirania: governou por 33 anos e respeitou as leis de Sólon, estimulou a agricultura, desenvolveu o comércio e a indústria, embelezou a cidade. Após seu falecimento, seus dois filhos assumiram o cargo, mas não tiveram sucesso. - Clístenes e a Democracia: Era de origem nobre, mas de tendências populares. Foi o “pai da democracia”, dividiu a Ática em várias circunscrições territoriais chamadas Demos, que por sua vez, foram dividias em 10 unidades superiores chamadas Tribos. Nos demos se misturaram todos os atenienses, sem distinção de classe. - O Ostracismo: estabelecia o desterro por 10 anos, onde qualquer cidadão poderia tornar-se um tirano. Era puramente político, assim, ele não perdia seus bens. Elevou o Conselho de 400 para 500 membros. - Péricles: tornou possível a todos os cidadãos acesso às magistraturas, que passaram a ser remuneradas. Só seriam considerados cidadãos os nascidos de pai e mãe atenienses. A democracia grega era direta ou não-representativa e limitada. Os cidadãos influíam diretamente nas decisões tomadas pela Eclésia. Havia discriminação em relação aos estrangeiros, às mulheres e admitia escravidão. - Eclésia: era o órgão mais importante, composta por todos os cidadãos. O órgão era soberano em matéria legislativa, possuía algumas funções judiciárias e como poder executivo declarava guerra e fazia paz. - Bulé: função de preparar os trabalhos para a Eclésia, bem como os projetos de leis e decretos.

- Arcontado: formado por 1 arconte-rei (intervinha nos assuntos religiosos), 1 arconte-polemarca (chefe militar), 1 arconte-epônimo (controlava o calendário) e 6 tesmótetos (sugeriam modificações na legislação) - Areópago: constituído por 300 ex-arcontes. Funções judiciárias, julgamento de crimes e homicídios. Também cuidava do culto religioso, da administração dos bens sagrados e dos costumes. - Heliaia: era o tribunal popular formado por 6.000 membros (600 por tribo), julgava as apelações feitas pelos cidadãos que se considerassem injustiçados pelos outros órgãos de governo. Guerras Greco-Pérsicas ou Médicas: - Causas: o choque de interesses imperialistas entre helenos e persas era inevitável. Revolta da colônia de Mileto. - Primeira Fase: sob o comando do rei Dário I, os persas desembarcaram na planície de Maratona, mas foram derrotados fragorosamente, apesar da inferioridade numérica dos gregos. Os espartanos não compareceram por motivos religiosos. - Segunda Fase: sob o comando de Xerxes, prepararam um exército imenso, heterogêneo e mercenário, vencendo os espartanos no desfiladeiro das Termópilas. Atenas foi invadida, saqueada e sua população refugiou-se nas ilhas mais próximas, onde preparam uma defesa e derrotam os persas na batalha de Salamina. - Terceira Fase: lutas marítimas. Atenas vence os persas na batalha de Eurimonte. Os persas aceitam o predomínio grego no mar Egeu e a independência das colônias gregas na Ásia Menor. - Conseqüências: - Confederação de Delos ou Liga de Delos: Sede na Ilha de Delos sob a presidência de Atenas. Englobava diversas cidades-estados, que aliadas, deveriam contribuir com navios, equipamentos, soldados e dinheiro formando um fundo comum para financiar a guerra. Atenas torna-se depois a sede da Liga, para onde o tesouro é transferido. Péricles, com esse tesouro, financiou várias obras na cidade. - O século de Péricles: atingiu o apogeu da democracia ateniense, fortalecimento do imperialismo ateniense. Atenas passou a ser o centro da civilização grega e com os recursos da Liga de Delos, a cidade foi totalmente reconstruída. - Guerra do Peloponeso: Esparta faz oposição a Atenas e passa a liderar a Liga do Peloponeso, que era formada por ela e mais outras cidades da região, além de outras que se rebelavam contra a hegemonia ateniense. Causas: incremento do comércio e fortalecimento militar. Corcira, uma colônia de Corinto, queria se aliar a Atenas, pois teria uma condição favorável na rota do Mediterrâneo, prejudicando Corinto. Esparta pressionada por Corinto, decidiu optar pela guerra. - 1o Período: de Péricles – ateniense Atenas X Esparta. Vitória de Esparta - 2o Período: de Alcebíades – ateniense Atenas + Tebas X Esparta. - 3o Período: de Lisandro – espartano Atenas + Esparta X Tebas Ao final da Guerra do Peloponeso, as Cidades-Estados gregas estavam totalmente arrasadas pelas e guerras e foram facilmente conquistadas pela Macedônia. -

Cultura Grega: - Características Gerais: religião natural e racional, livre de limitações e temores. Antropocentrismo glorificação do homem. - Religião: consistia no culto familiar aos antepassados. Era politeísta e antropomórfica. Deuses com defeitos e virtudes semelhantes aos homens. - Culto: religioso, com orações e sacrifícios, era feito na família ou no exterior dos templos. O seu interior era reservado à estátua da divindade, às oferendas e ao tesouro. Não existiam dogmas, ou sejam, determinadas verdades, em que se deviam crer. - Deuses: vide tabela na apostila 1, pág. 229 - Heróis: Teseu eliminou o Minotauro da ilha de Creta; Hércules realizou 12 grandes trabalhos; Édipo venceu a esfinge, monstro que matava o que não respondessem as suas perguntas enigmáticas. - Divindades Secundárias: infinidade de entidades que povoam o universo, como as Musas. - Oráculos: determinados locais, onde os deuses respondiam as consultas dos fiéis, desejosos de saber o futuro. Os mais famoso era o oráculo de Delfos. - Os Mistérios: culto a alguns deuses com cerimônias secretas que só podiam ser assistidas por fiéis e elas iniciados.

- As Festas: eram realizadas em homenagem aos deuses. Além dos atos religiosos também eram disputados competições esportivas. Festas Nacionais: Panatenéias, dedicadas a deusa Atena; Dionísicas em honra ao deus Dionísio, ambas na cidade de Atenas. Festas Internacionais: Jogos Olímpicos, a mais importante, sendo realizados em homenagem a Zeus, na cidade de Olímpia. - A Filosofia: foi a maior herança grega à civilização ocidental. - Escolas Filosóficas: a primeira surgiu na Ásia Menor, a Escola Jônica, e seu principal representante foi Tales, de Mileto, o “pai da filosofia”. Eles interpretavam o mundo de forma materialista e científica. Os sofistas eram professores que se propunham a formar homens de sucesso político e social, desenvolvendo-lhes o espírito crítico. - Escolas Clássicas: foi uma reação aos sofistas. Sócrates, representantes dessa escola, cujo método foi a Maiêutica (do provisório ao universal). Nada deixou escrito. Foi condenado a morte e bebeu cicuta (veneno). Platão foi o maior discípulo de Sócrates, cuja escola foi a Academia, defendia a teoria das idéias perfeitas. Sua obra mais importante foi “A República”, onde idealizava uma sociedade ideal dirigida por filósofos no governo, guerreiros na defesa e artificies no trabalho. Aristóteles foi discípulo de Platão. Sua escola era o Liceu ou Peripatética. Sua obra mais importante foi “A Política” onde faz uma estruturação dos regimes políticos e os vários tipos de governo. - As Ciências: os gregos não verificavam apenas os fenômenos mas interessavam-se em buscar explicações para os mesmos. Havia o preconceito das classes superiores ao trabalho manual. Na Matemática, Tales, de Mileto, elaborou Teoremas e Pitágoras, elaborou a teoria dos números (múltiplos, primos, pares e ímpares). Na Física, destacam-se Demócrito e Aristóteles. Na Química, conhecimento de alguns elementos e operações de destilação, de sublimação e de cristalização. Na Biologia, realizaram estudos de anatomia, botânica, zoologia e fisiologia, com destaque para Aristóteles. Na astronomia, filósofos e matemáticos tiveram grande participação. Destaque para Filolau, teoria da esfericidade da Terra. Na Medicina, Hipócrates, de Cós, o “pai da medicina” fez observações sobre a etiologia natural das doenças, afastando da medicina as crendices e superstições. - As Artes: foi uma arte religiosa - Arquitetura: foi caracterizada pelo equilíbrio e harmonia de detalhes. - Escultura: usaram variedades de temas, sobressaindo os deuses. O naturalismo e a beleza de formas das figuras humanas ou de animais foram suas características principais. - Pintura: era feita em vasos e murais, com contrastes em claro-escuro e uso de perspectiva. - Literatura: - Poesia: épica, destaque para Homero na “Ilíada”; didática, Hesoto com “Os trabalhos e os dias”; lírica, destaques para Alceu, Safo e Píndaro. - Prosa: Heródoto, narrou as Guerras Greco-Pérsicas; Tucídides descreveu a Guerra do Peloponeso. - Teatro Grego: suas origens estão ligadas às festas em homenagem a Dionísio. - Tragédia ou Drama: Ésquilo, escreveu “Prometeu Acorrentado”, “As Suplicantes”, “Os Sete contra Tebas”. Sófocles e Eurípedes foram outros autores. - A Comédia: era representada como as tragédias, por atores, nos teatros; era a sátira ao comportamento dos políticos e de pessoas influentes. Aritófanes escreveu: “As Rãs”, crítica a Eurípedes; “As Nuvens”, crítica a Sócrates, e também, “Assembléia de mulheres”.

A Macedônia
Felipe II, um profundo conhecedor dos problemas do mundo grego, seus conflitos e rivalidades externas, sobe ao trono. Conquista a Grécia após a vitória na batalha de Queronéia. Alexandre, filho de Felipe II, conquista o império persa e domina todos os povos do Oriente Médio, chegando até os limites com a Índia. Após sua morte, o império macedônico desmoronou, sendo dividido pelos seus principais generais nos chamados reinos helenísticos.

A Civilização Helenística
Características: foi a fusão das culturas gregas e a do Oriente Médio após as conquistas de Alexandre. Influência recíproca entre a Europa e o Oriente, caracterizada pela língua, a escrita, os costumes e o pensamento grego, que foram adotados pelos vencidos. Os Grandes Centros: Alexandria (Egito) grande centro comercial e capital intelectual do mundo helenístico. Pergano (Ásia Menor) famosa biblioteca, vários monumentos e famosa pelo pergaminho.

-

-

Rodes (Ilha do Mar Egeu) destacou por ali Ter uma gigantesca estátua de bronze “Colosso de Rodes”. Antioquia (Ásia Menor) possuía imensas e largas avenidas e monumentos. Desenvolvimento Cultural: - Escultura: foi realista, ousando os artistas a apontar a feiura, a velhice, a dor e a força. Obras notáveis: “Vênus de Milo”, “Apólo de Belvedere”, “Laocoonte”. - Astronomia: Aristarco, com a teoria heliocêntrica e Cláudio Ptolomeu com a teoria geocêntrica. - Matemática: Euclides com os Elementos da Geometria e Arquimedes com sua obra “Sobre os corpos flutuantes”, grande valor para a Física - Filosofia: Epicurismo, pregava a busca dos prazeres honestos e nobres. Estoicismo, visava atingir, pelo esforço da vontade, a uma virtude sobre-humana.

Todos os Direitos Reservados © 1999 NightFoka’s Produções (www.nightfoka.cjb.net) Criado por Marcelo Siqueira Não é permitida a alteração do documento.


								
To top