3oANO FARMACO AULA ATB 2 2006 by 00yN7cOa

VIEWS: 71 PAGES: 25

									ANTIBIÓTICOS
CONSIDERAÇÕES GERAIS II


          Profª Miriam Moreira Mussi
SELEÇÃO DO ANTIMICROBIANO

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES:
 Está indicado?
 O diagnóstico pode ser mascarado se não
  forem obtidas culturas apropriadas antes do
  início da terapia
 Podem causar toxicidade grave e o uso
  indiscriminado promove a seleção de
  microorganismos resistentes
SELEÇÃO DO ANTIMICROBIANO
 Quando estiver indicado, deve-se escolher um
  fármaco seleivamente ativo contra o agente
  infectante, com o menor potencial de produzir
  efeitos tóxicos ou alérgicos no hospedeiro
SELEÇÃO DO ANTIMICROBIANO

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES:
Tipos de antibioticoterapia:
 Empírica: amplo espectro → combinação ou monoterapia
  com ATB de amplo espectro
 Definitiva: após a identificação do MO → espectro
  estreito e baixa toxicidade
 Profilática
SELEÇÃO DO ANTIMICROBIANO

              ESCOLHA



Fatores dependentes do paciente
Fatores dependentes do fármaco
Fatores dependentes do microorganismo
 infeccioso
FATORES DEPENDENTES DO PACIENTE

 IDADE:
 Síndrome do bebê cinzento: cloranfenicol
 Kernicterus: sulfonamidas

 Ototoxicidade: aminoglicosídeos
 Deposição nos ossos e dentes em
  formação: tetraciclinas
FATORES DEPENDENTES DO PACIENTE

 FUNÇÃO RENAL
 Necessidade de ↓das doses
  na IR leve:
 AMG, vancomicina, cefalosporinas
  na IR moderada-grave:
 Carbenicilina, fluorquinolonas, clotrimoxazol
  Fármacos a evitar:
 Cefalotina, cefaloridina, ácido nalidíxico, nitrofurantoína,
   tetraciclinas (exceto doxiciclina)
  FATORES DEPENDENTES DO PACIENTE

FUNÇÃO HEPÁTICA:
 Necessidade de ↓das doses na IH:
Cloranfenicol, metronidazol, clindamicina, rifampicina
 Fármacos a evitar:
Estolato de eritromicina, tetraciclinas, pefloxacina, ácido
  nalidixico
FATORES DEPENDENTES DO PACIENTE

 VIA DE ADM
 Via oral
 Via parenteral
FATORES DEPENDENTES DO PACIENTE

 FATORES LOCAIS:
  Presença de pus e secreções: contém fagócitos,
   resíduos celulares e proteínas→ podem se ligar ao fármaco ou criar
   condições desfavoráveis para a sua ação
  Presença de hematomas: ligação de fármacos à
   hemoglobina ( penicilinas, cefalosporinas e tetraciclinas)
  ↓do pH no local da infecção:↓ da atividade dos
   aminoglicosídeos e macrolídeos
  Abcessos: comprometimento da penetração na área →
   necessidade de drenagem do abcesso
  Presença de material necrótico e corpos
   estranhos
FATORES DEPENDENTES DO PACIENTE

 ALERGIA A DROGAS:
 ATB: Penicilinas e sulfonamidas
 Formas: rash eritematoso, urticária, prurido, edema de
   glote, broncoespasmo, anafilaxia, febre

 Testes: controvertidos
FATORES DEPENDENTES DO PACIENTE

 COMPROMETIMENTO DAS DEFESAS DO
  HOSPEDEIRO
 Pacientes imunocompetentes X pacientes
  imunodeprimidos (neutropênicos, AIDS)
 Ação bacteriostática X ação bactericida
FATORES DEPENDENTES DO PACIENTE

 GRAVIDEZ:
  Todos devem ser evitados



Riscos para o feto:      Riscos para a gestante:
surdez (AMG), ossos e    necrose gordurosa do fígado,
dentes (tetraciclinas)   pancreatite e lesão renal
                         (tetraciclinas)

  São considerados seguros: penicilinas,
   cefalosporinas, eritromicina
FATORES DEPENDENTES DO PACIENTE

 GENÉTICA:
 Anemia hemolítica em pacientes
  deficientes de G-6-PD: sulfonamidas,
  cloranfenicol, fluorquinolonas
CONSIDERAÇÕES RELACIONADAS AOS
MICROORGANISMOS

  O diagnóstico clínico em si orienta a
  escolha: o microorganismo infeccioso e sua
   sensibilidade não são variáveis (sífilis, difteria,
   hanseníase...)
  pode-se delinear uma estimativa
  plausível quanto ao tipo de microorganismo e sua
   sensibilidade, com base em características clínicas
   e experiência local ( tonsilite, otite média...)
CONSIDERAÇÕES RELACIONADAS AOS
MICROORGANISMOS
 Não se dispõe de serviço bacteriológico
  Inicia-se com uma terapia empírica
  A terapia subsequente é modificada com base na
   resposta clínica
 Dispõe-se de serviço bacteriológico, porém o
   tratamento não pode ser adiado ( infecções graves)
  Envia-se o material para exame
  Procede-se como no caso anterior
 Dispõe-se de serviço bacteriológico e o tratamento
   pode ser adiado por alguns dias (ITU)
  Esperar os resultados da cultura e do antibiograma
   para instituir o tratamento apropriado
FATORES FARMACOLÓGICOS

Espectro de atividade
Tipo de atividade
Sensibilidade do microorganismo
Toxicidade relativa
Perfil farmacocinético
Vias de administração
Evidências de eficácia clínica
Custo
USO COMBINADO DE ANTIBIÓTICOS

 Obter um sinergismo
  Sulfametoxazol + trimetoprima,
  Carbenicilina/ ticarcilina+ gentamicina →
   P.aeruginosa
  Amoxicilina + ác. clavulânico
 Reduzir a gravidade ou incidência dos
  efeitos adversos
USO COMBINADO DE ANTIBIÓTICOS

 Prevenir o desenvolvimento de resistência
  Valor nas infecções crônicas → tratamentos
   prolongados (TBC, lepra, H.pylori, HIV)
 Ampliar o espectro de ação
  Tratamento de infecções mistas            ( peritonite, ITU,
  abcessos cerebrais, infecções ginecológicas)
                   Clindamicina e metronidazol para anaeróbios
  Tratamento inicial das infecções graves
  Topicamente (bacitracina + neomicina)
USO PROFILÁTICO DE ANTIBIÓTICOS

 PROFILAXIA DE MICROORGANISMOS
  ESPECÍFICOS:
  Febre reumática: penicilina G benzatina
  Tuberculose: isoniazida isoladamente ou em
   combinação com a rifampicina
  Meningite meningocócica:
   rifampicina/sulfadiazina
  Gonorréia/sífilis: penicilina G procaína
USO PROFILÁTICO DE ANTIBIÓTICOS

 PREVENÇÃO DE INFECÇÃO EM SITUAÇÕES
  DE ALTO RISCO:
  Extração dentária, tonsilectomia, endoscopia com
   lesão de mucosa abrigando bactérias → bacteremia
   (penicilina/cefalosporina)
  Cateterismo ou instrumentação do TU ( cotrimoxazol
   ou norfloxacino)
  Para evitar recidivas de ITUS em pacients com
   anormalidades (cotrimoxazol ou nitrofurantoína a longo
   prazo)
  DPOC (ampicilina, tetraciclina, ciprofloxacino)
USO PROFILÁTICO DE ANTIBIÓTICOS

 PREVENÇÃO DE INFECÇÃO EM
  SITUAÇÕES DE ALTO RISCO:
  Pacientes imunocomprometidos
   (penicilina/cefalosporina +
   aminoglicosídeo/fluorquinolona)
  Profilaxia cirúrgica (cefazolina, vancomicina-
   SARM, eritromicina+ metronidazol+ neomicina-
   cirugia colorretal
  Feridas contaminadas
USO PROFILÁTICO DE ANTIBIÓTICOS

 PREVENÇÃO DE INFECÇÕES EM
  GERAL:
  RN, após parto prolongado ou instumentaL
  Na mãe após parto normal
  Infecções virais das vias aéreas superiores
   para a prevenção de infecção bacteriana 2ª
  Para prevenir infecções em pacientes
   inconscientes ou naqueles com respiradores
  Cirurgia eletiva limpa
PRÁTICA CONDENADA
FALHA NA QUIMIOTERAPIA

 Escolha inapropriada do fármaco, da dose,
  via de administração ou duração do
  tratamento
 Tratamento iniciado muito tarde
 Não tomada de medidas adjuvantes
 Mecanismo de defesa deficientes

								
To top