Universidade de S�o Paulo - Download as DOC

Document Sample
Universidade de S�o Paulo - Download as DOC Powered By Docstoc
					Universidade de São Paulo
Nome do aluno: Leilanny Lima Freire
No USP: 7154269
Curso: Pedagogia / Noturno
Disciplina: Metodologia do Ensino de Português: Alfabetização
Docente: Nilce da Silva



Plano de aula


1. As aulas serão ministradas numa creche da prefeitura municipal de São Paulo, o
Centro de Educação Infantil (CEI) Padre Manoel da Nóbrega, cuja modalidade de ensino
visa ao atendimento de crianças de zero a quatro nos de idade.
A aula será aplicada em dois dias distintos; cada aula terá a duração de uma hora.


2. Histórico da escola:


O CEI Padre Manoel da Nóbrega fica localizado na Rua Padre José Vieira de Matos, 128,
Artur Alvim, Zona Norte da cidade de São Paulo. A escola está inserida no centro do
Conjunto Habitacional Padre José de Anchieta. A maioria dos alunos e funcionários são
residentes do próprio Conjunto Habitacional ou de regiões próximas à creche.


A estrutura física do CEI é pequena. Seus espaços e entornos basicamente são ocupados
por dois parquinhos (nos fundos e na lateral da creche), um espaço para brincar e folhear
livros e revistas (lateral esquerdo), um solário lateral direito e o espaço situado na frente
da escola. O refeitório ocupa a parte central do CEI.


A creche possui dez (10) salas de aula, dividas entre Berçário I e II (A e B) e Mini-Grupo I
(A, B, C e D) e II (A e B). O número de crianças matriculadas é de 118 alunos, divididos
entre 35 professores, conta também com uma Diretora e uma Coordenadora Pedagógica.
Seu funcionamento ocorre em horário integral (07:00 às 17:00 hs)1.




¹ Secretaria Municipal de Educação de São Paulo. Disponível em:
http://portalsme.prefeitura.sp.gov.br/AnonimoSistema/Escola.aspx?cod=400170.


                                                                                           1
3. Histórico da sala:


A sala escolhida foi a do Mini – Grupo I A, no período da tarde. Quase todas as crianças
já possuem três anos de idade completos. Por se tratar de uma creche, com rotina
estruturada, teve-se o cuidado de aplicar as atividades nos horários pertinentes. A sala
possui 13 alunos matriculados – sete meninas e seis meninos. Dentre os quais quatro se
destacam: dois “lideres”, e dois “rebeldes”. As crianças ainda não sabem ler e escrever.


Plano de Aula


I. Data da elaboração: 02/09/2011
    Data prevista para a aplicação: 15/09 (1h) e 26/09 (1h)


II. Dados de identificação:
Escola: CEI Direta Padre Manoel da Nóbrega.
Professor regente: Mara Neide dos Santos
Professora – estagiária: Leilanny Lima Freire
Disciplina: mini – grupo I
Turma: A
Período: Tarde


III. Tema da aula: Viva as diferenças.2


IV. Conteúdo: Propiciar o contato com novas palavras e expressões em língua
portuguesa referentes à África e a história do negro.


V. Objetivos gerais:
- Possibilitar a aquisição de novo vocabulário pelas crianças.




2
  Inspirado no projeto “Afirmando Diferenças”, desenvolvido no Centro Municipal de Educação Infantil
(CEMEI) José Marrara, no município de São Carlos – São Paulo. Vencedor de um concurso de educação para
ensinar os pequenos a reconhecer e a respeitar as diferenças. Publicado na revista Projetos Escolares -
Creche. Ano I – Nº 4. Editora Online.




                                                                                                     2
Objetivos específicos:
Levar a criança a conhecer a cultura negra; construir uma imagem positiva dos negros na
sociedade e das crianças negras da creche; respeitar as diferenças raciais, distinguir as
diferenças étnicas que compõe as diversas faces da nossa sociedade.


VI. Desenvolvimento do tema:
1º Momento: (1º dia – 15min)
- Apresentação da estagiária e do trabalho a ser realizado.
- Roda de conversa sobre as diferenças e particularidades físicas de cada um de nós. (cor
da pele, cabelos, olhos, lábios, etc).


As crianças sentarão em semicirculo, escutando e interagindo com a estagiária, na
medida em que, ela usa cada um como exemplo, para mostrar as características físicas
únicas e singulares.
É importante observar e escutar atentamente as falas de cada uma das crianças.


2º Momento (1º dia – 15min)
- A professora-estagiária lerá um livro infantil (Menina bonita do laço de fita) que retrata de
maneira simples e fácil à questão da diferença racial.
- Durante a leitura será mostrado e enfatizado as características físicas da personagem
central e após a leitura se falará um pouco da história da África e dos povos africanos.
- Ao término da atividade a professora-estagiária fará algumas perguntas sobre a referida
leitura, procurando observar o que mais chamou a atenção das crianças e que elas
conseguiram “guarda” da história.


3º Momento: (1º dia – 30min)
- A professora-estagiária mostrará um vídeo retirado da internet (youtube) que conta de
maneira divertida a mesma história do livro infantil usado no 2º momento.
- Aproveitar-se-á o uso do computador (Internet) para mostrar imagens do continente e
dos povos africanos.


O objetivo esperado pela professora-estagiária é reforçar os conceitos trabalhados a partir
da história infantil, bem como, fazer com que os alunos entendam que o mundo é
composto por diferentes raças e todas possuem sua própria identidade cultural.



                                                                                             3
4º Momento: (2º dia – 1h)
- Será proposta a confecção de um “livro da diversidade” em que os alunos possam
identificar diferentes tipos humanos (negros, brancos, orientais, etc) em revistas diversas
(educativas ou não), recortando-os e colando-os na cartolina. No fim do livro, colocaremos
as fotos de cada um dos presentes, e mais uma vez, enfatizar as diferenças e
particularidades de cada um de nós.


É dessa forma que a professora-estagiária procurará concluir seu trabalho, esperando
que as crianças consigam reconhecer e respeitar as diversidades étnicas que compõem
nossa sociedade.


VII. Recursos didáticos:
Uso do computador (site youtube e google), livro de conto infantil, cola, revistas diversas,
cartolina, tesoura e máquina fotográfica.


VIII. Avaliação:

Interativa, processual e formativa no decorrer das aulas.


IX. Bibliografia


São Paulo. Secretaria Municipal de Educação. Diretorias Regionais de Ensino. Disponível
em:<http://portalsme.prefeitura.sp.gov.br/AnonimoSistema/Escola.aspx?cod=400170>.
Acesso em 24 set. 2011.


Menina bonita do laço de fita. Disponível em:<http://www.youtube.com/watch?v=W9eBpv-
WPAs>. Acesso em: 15 set. 2011.


Imagens        da       África       e      outros       povos.       Disponível        em:
<http://www.google.com.br/search?q=africa&hl=ptBR&biw=1280&bih=664&prmd=imvnsu&
tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&ei=RU1-Tq2wDcPqgQfoytgm&ved=0CH8QsAQ>.
Acesso em: 15 set. 2011.




                                                                                          4
Machado, Ana Maria. Menina Bonita do Laço de Fita. Ilustrações Claudius. 7 ed., 12. impr.
– São Paulo: Ática, 2005.




                                    Síntese da escolha do projeto:


Ao folhear a revista Projetos Escolares – Creche, vi em sua capa uma matéria que falava
da África na escola, no caso, a creche. Contendo atividades lúdicas para ensinar os
bebês a aprenderem desde cedo a respeitar as diferenças. Então como farei meu estágio
num Centro de Educação Infantil (CEl) encontrar essa revista foi um “achado”. Nela havia
tudo que precisava para desenvolver meu trabalho.
De modo geral, poder desenvolver esse trabalho na creche é de suma importância, pois
penso que quanto mais cedo, começarmos a conscientizar os pequenos da importância
de se quebrar as barreiras do preconceito racial e mostrar as diferenças e particularidades
de cada pessoa, mas cedo eles poderão se livrar do estigma da diferença racial ainda
muito presente em nossa sociedade.
Se pensarmos que o simples fato de crianças poderem reconhecer as diferentes
tonalidades de pele, tipos de cabelo, traços faciais, cor dos olhos, etc, já estaremos de
certa forma, estimulando-as a conviver e a aceitar essas características como sendo
únicas e particulares de cada indivíduo teremos dado um passo significativo para livrá-las
das marcas de segregação racial e étnica.
Não podemos nos esquecer que falar em diversidade étnico cultural e racial é falar da
constituição do povo brasileiro, fruto dessa mistura de culturas e raças. Esse tema
também está estruturado legalmente no cenário educacional brasileiro, graças à criação
da lei nº 10.639/2003.3
Assim pretendemos trabalhar a partir dessas perspectivas, valendo-nos de um método de
avaliação processual e continuo à medida que desenvolvemos as atividades propostas
nesse planejamento.




3
  BRASIL. Lei Federal nº 10.639/2003 altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as
diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade
da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Brasília, 09 de janeiro de 2003;
182o         da       Independência       e        115o        da       República.       Disponível        em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.639.htm>. Acesso em 09 out. 2011.


                                                                                                            5

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:7
posted:6/25/2012
language:Portuguese
pages:5