OB RINCAR INFANTIL EOD ESENVOLVIMENTO DA EMPATIA EM CRIANCAS SURDAS EO UVINTES by 2ZyEPZx5

VIEWS: 5 PAGES: 2

									O brincar infantil e o desenvolvimento da empatia em crianças surdas
e ouvintes
Geraldo Pereira da Silva e Vanessa da Silveira Souza Viana Barreto

Resumo da experiência de estágio

O repertório de habilidades sociais refere-se a capacidade que o ser humano tem para se
comunicar, estabelecer vínculos com outras pessoas, emitir comportamentos em
diversas situações interpessoais, porém de maneira adaptativa e funcional. As
habilidades sociais normalmente são divididas em quatro classes: empatia e civilidade,
assertividade de enfrentamento, autocontrole e participação (DEL PRETTE E DEL
PRETTE, 2006). Neste estudo nos atemos especificamente às habilidades de empatia.
Esta refere-se à habilidade que o indivíduo tem de se colocar no lugar do outro, ajudar
as pessoas, prestar atenção, compreender situações verbais e não verbais, ter
sentimentos de compaixão, atuando de forma assertiva (FALCONE, 2000). As
observações foram feitas em contexto de brincadeiras com crianças da terceira infância.
A terceira infância é compreendida entre os 6 e 12 anos (PAPALIA, OLDS, 2000). Por
meio de brincadeiras ou relacionamento com colegas a criança desenvolve sua
capacidade de interação em qualquer ambiente. Sendo assim, a partir de uma reflexão
acerca da empatia na criança surda e na criança ouvinte, foi realizado um estudo de caso
em seis crianças (4 surdas e 2 ouvintes) com o objetivo de verificar se as crianças surdas
demonstram a empatia da mesma forma que a criança ouvinte. Para a realização deste
estudo foi elaborada uma folha de registro estruturada baseada na definição de
habilidades empáticas de de Del Prette e Del Prette (2006). O registro apresentava os
itens: observar, prestar atenção, ouvir o outro; demonstrar interesse e preocupação com
o outro; reconhecer/inferir sentimento do interlocutor; compreender a situação (assumir
perspectivas); demonstrar respeito as diferenças; expressar compreensão pelo
sentimento ou experiência do outro; oferecer ajuda e compartilhar. Através da aplicação
do teste t o estudo da empatia em crianças nos revelou que houve diferença significativa
entre os surdos e os ouvintes nas seguintes habilidades: observar, prestar atenção, ouvir
o outro (p-valor=0,017), demonstrar interesse e preocupação com o outro (p-valor=
0,027), compreender a situação (p-valor=0,08) e compartilhar (p-valor = 0,028). Os
surdos se sobressaíram aos ouvintes nos itens observar, prestar atenção, ouvir o outro e
compreender a situação enquanto os ouvintes demonstraram mais habilidade que os
surdos nos itens demonstrar interesse e preocupação com o outro e compartilhar.
Comparando as habilidades entre gêneros, percebeu-se através do teste t que houve
diferença significativa nas observações entre os dois grupos conquanto que as meninas
apresentam maiores habilidades no item demonstrar interesse e preocupação com o
outro (p-valor = 0,009). Destacamos a importância deste estudo como um “projeto
piloto” para novas indagações acerca da empatia em crianças, afim de que possamos
observar como as crianças estão reagindo frente a empatia numa sociedade que presa
cada vez mais o bem privado contribuindo cada vez menos para o bem público / para o
bem comum. Com uma pesquisa que abranja uma população maior torna-se possível
perceber e comprovar como as crianças demonstram à empatia nos dias atuais, além de
nos dar subsídios para o treinamento de habilidades sociais em crianças com deficiência
auditiva.



Referências

DEL PRETTE, Z. A. P.; DEL PRETTE, A. D. Psicologia das Habilidades Sociais na
Infância: Teoria e Prática. Petrópolis: Editora Vozes, 2006, p. 13-70.



______ Psicologia das Habilidades Sociais na Infância: Teoria e Prática. Petrópolis:
Editora Vozes, 2006, p. 148-173.



______ Inventário de Habilidades Sociais (IHS-Del-Prette).



DOMINGUES, Angela Ferreira, Telma Flores Genaro Motti e Maria Estela
Guadagnucci Palamin. O brincar e as habilidades sociais na interaçãi da criança com
deficiência auditiva e mãe ouvinte. Estudos de Psicologia. Campinas, v. 25, n.1. p. 37-
44, 2008.



PAPALIA, D. E; Olds, S. W. Desenvolvimento Humano. Porto Alegre: Artmed. 7ª
edição, 2000, p. 214- 246.



SILVARES, E. F. M. Estudos de Caso em Psicologia Clínica Comportamental e
Infantil. In: ______. FALCONE, Eliane. A evolução das habilidades sociais e o
comportamento empático. Campinas, SP: Papirus Editora, 2000. Volume I.

								
To top