cada povo by V92325K

VIEWS: 7 PAGES: 13

									www.estrelinhasbaby.com
NRE: Pitanga Município: Pitanga
Nome do professor: Angelica Scariot E-mail: angelicascariot@seed.pr.gov.br
Escola: NRE Fone: (42) 88237792
Disciplina: Ensino Religioso Série: 6ª série
Conteúdo Estruturante: Paisagem Religiosa
Conteúdo Básico: Vida e Morte
Conteúdo Específico: Concepções da vida e morte nas diversas religiões.
Relação interdisciplinar 1: História Colaborador 1: Iara Luzia Sales da Luz
Relação interdisciplinar 2: Geografia Colaborador 2: Zilman do Rocio
Martins
Rechi
Colaborador da disciplina do autor: Daniele Campanharo
1
www.cancaonova.com
www.ambiosemaringaense.blo
gspot.com www.elisabthsalgadoencontrand
ovoce.com
http://tbn0.google.com/images?q=tb
n:sTG2WeOL0EY1pM:http://bp0.blo
gger.com/_20OfFRdIq_s/R2uY1WB
OxDI/AAAAAAAAASs/jer2VVBIPnw
/s320/CapaVejaVidaAposMorte.jpg
2
PARA PENSAR!
Após pensar sobre os questionamentos e imagens acima, vamos ouvir
um
trecho da música EPITÁFIO dos Titãs e perceber como o autor retrata a
questão
da vida e refletir sobre a nossa própria vida.
Epitáfio – Titãs
Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer
Queria ter aceitado as pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração.
O acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído,
o acaso vai me proteger enquanto eu andar...
Compositor: Sergio Brito. Titulo da música: Epitáfio. Interprete: Titãs. Titulo do CD:
A melhor banda de todos os tempos e da ultima semana. Gravadora: Abril Music.
Ano: 2001.
Analise a música reflita e escreva sobre estas questões:
1. Pesquise o significado da palavra Epitáfio?
2. Na música o autor nos passa a idéia de arrependimento por não
expressar seus sentimentos. É muito importante expressar o que
sentimos,
pois como dizia o escritor William Shakespeare em seu poema “O
Menestrel”:“Um dia você aprende que... as pessoas com quem você mais
se
importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre
devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode
ser a
ultima vez que as vejamos.” E você expressa seus sentimentos? De que
forma?
3. Vamos escrever uma poesia que expresse o que você está sentido no
momento, seus desejos e sonhos. Depois, vamos organizar um mural na
sala
para fazer a exposição das poesias produzidas.
Como podemos perceber as questões relacionadas a vida e a morte fazem
parte do
nosso cotidiano? Neste sentido, as diferentes religiões, procuram explicar e
auxiliar na
compreensão da vida e morte. Para tanto, com o passar do tempo o ser
humano vem
acumulando certa sabedoria, a qual está presente em diversas linguagens,
como: livros,
textos, vídeos. É por meio dessa linguagem que os seres humanos comunicam
idéias,
descobertas, crenças e podem expressar seu conhecimento sobre vida e
morte.
De pergunta em pergunta, de geração em geração, vamos "desconfiando" de
que
existe algo além do que percebemos com os nossos sentidos, por este motivo
o ser
humano busca explicações para a própria existência.
Com certeza você já se fez perguntas como estas:
www.coisasquegosto.wordpress.com www.cyberiade.blogs.sapo.pt/arquivo/criança
w ww.cyberiade.blogs.s apo.pt/arquivo/criança www.luzdoamor.blogger.com.br
Essa busca da sabedoria de viver existe em todos os povos. Ela faz parte
também
das religiões do mundo inteiro. Mas afinal o que é religião? Segundo Antonio
Pedro:
“religião envolve a crença em deuses ou espíritos – seres poderosos e
invisíveis. Ela
3
Para que vim ao mundo?
Existe algo além deste mundo que
vemos?
A vida serve para quê? Qual o jeito certo de viver?
oferece também uma explicação para os fenômenos da natureza e sociedade.
Estabelece
regras, proibições e diversas práticas para conseguir a ajuda dos deuses e
evitar o
rompimento da ordem da natureza e da sociedade. A religião também explica a
origem dos
seres naturais e humanos e aponta as possibilidades do nosso destino final”.
(2006, p.
145). Como vamos perceber, muitas religiões estão organizadas em
instituições, como
templos, sacerdotes, administração, livros sagrados, imagens de deuses. Mas
é
importante lembrar que a religiosidade existe também sem a presença de uma
instituição
especial. É o que acontece nas sociedades primitivas, em que a religião
envolve todos os
aspectos da vida do grupo. A religião constrói a história que vai criando o jeito
de ser de
cada povo, e sua explicação para os mistérios da vida.
Cada religião possui uma sabedoria de viver ou podemos dizer ensinamentos,
ritos,
crenças, símbolos, textos e lugares que são considerados sagrados.
Conhecendo os
lugares sagrados das diferentes religiões, principalmente os templos, igrejas,
acabamos
conhecendo muito da cultura, ensinamentos da crença das religiões. Desta
forma,
podemos entender como lugar, o local onde o particular, o histórico, o cultural e
a
identidade de cada povo permanece presente. Segundo as Diretrizes
Curriculares de
Geografia lugar refere-se ao espaço que conhecemos, temos amigos,
trabalhamos,
brincamos, vivemos, etc. Cada lugar tem uma história que se encontra
representada nos
diferentes tipos de construções, nas atividades econômicas e principalmente,
na maneira
como as pessoas se relacionam, também possuem características próprias
relacionadas
aos elementos da cultura de seus habitantes, entre eles, as crenças, as festas,
o modo de
vestir de cada povo.
São, portanto as pessoas que atribuem sentido ao lugar. Por isso é importante
conhecer as relações entre elas e os diversos lugares para que possamos
compreender o
espaço geográfico e a maneira como foi modificado e caracterizado.
As religiões surgem em diferentes lugares, em diferentes regiões geográficas,
inspiradas pelas histórias vividas, pela cultura, pelos povos, pela arte, pela
política, pelos
4
ATIVIDADE:
1. Forme grupo de cinco alunos: Cada grupo entrevistará cinco pessoas,
com a
seguinte pergunta: O Senhor (ou a senhora) acha importante ter uma
religião?
Por quê? Depois da pesquisa pronta, com o auxilio do professor organize
um
quadro síntese com a resposta de todos da turma.
pensamentos de uma determinada época e por tantas outras influências.
Sendo assim,
cada uma delas tem expressão e identidade própria.
Agora vamos fazer uma viagem e conhecer como algumas religiões entendem,
ensinam, crêem a respeito da vida e da morte. Pois em cada manifestação
religiosa temos
crenças e rituais diferenciados tanto na compreensão de se viver quanto na
celebração do
nascimento e da morte.
Iniciemos nossa viagem, conhecendo a religião do Hinduísmo.
HINDUISMO: surgiu na Índia no Vale do Rio
Indo, onde hoje é o Paquistão a
aproximadamente 1500 anos antes de Cristo.
O hinduísmo não teve um fundador surgiu da
fé, da busca espiritual de várias raças e povos
indianos. Seus seguidores acreditam que o
mesmo sempre existiu, preocupam-se muito
com o aprimoramento espiritual das pessoas e
crêem que a vida deve ser um caminho para
descobrir e aprimorar o ser.
Os hindus acreditam na reencarnação, isto é,
que a alma não morre com a pessoa, mas volta
em outro corpo para pagar pelos erros
acumulados em vidas passadas até purificar-se.
Na época, a sociedade indiana era uma
sociedade organizada em castas, isto é
formada por grupos fechados ligados em si por laços de parentesco ou
religiosos. Cada
um nascia na sua casta e nada podia fazer para mudar a sua posição social.
As principais
castas eram as seguintes: Brâmanes, que era constituída pelos sacerdotes
que
compunham a classe dominante.
Esta Casta controlava os rituais e interpretava os
Vedas, livro sagrado dos hindus (coletânea de quatro
textos que descrevem e celebram os deuses), para
estabelecer as leis, além de ocupar altos cargos no
Estado. Xátrias, formada pelos nobres guerreiros. Junto
com os Brâmanes, constituíam a classe dominante.
Vaixás, eram os comerciantes, artesãos e agricultores.
5
http://resistir.info/chossudovsky/mapa_india.gif
Neste mapa você pode observar a Índia, região
onde se originaram varias religiões dentre elas
o Hinduismo e o Budismo.
www.hakitdois.wordpress.com RIO
GANGES – Sagrado para os Hindus
Embora pudessem ser muito ricos, eram obrigados a contribuir com impostos e
a servir na
guerra. Sudras, casta constituída pelos escravos.
Em geral, os Sudras eram descendentes dos antigos habitantes da Índia. Além
destes grupos havia os chamados Intocáveis, pessoas totalmente excluídas
de direitos e
consideradas impuras, sujas por terem desobedecido às leis religiosas.
Os Brâmanes e os guerreiros seriam os mais evoluídos e precisariam de
menos
reencarnações. Já as castas dos homens comuns e dos escravos
necessitariam
reencarnar muitas vezes. Portanto, o destino de cada um era imutável. Com
isso o
hinduísmo justificava o sistema de castas e servia aos poderosos.
O sistema de castas foi abolido formalmente em 1949. Entretanto, a lei não
modificou os costumes, ainda hoje há discriminação contra os párias, mas é
combatida
por vários setores da sociedade indiana.
A crença na reencarnação, continha a idéia do Karma que determina a
sucessão de
nascimentos e mortes pelos quais o ser humano teria que passar, assim o tipo
de vida que
cada pessoa tem seria determinado pelas ações que praticou, se a pessoa foi
boa durante
a vida, a alma voltará a viver nova vida em outro corpo humano ou animal,
mais próxima
do ser eterno e , se foi má, a alma reviverá em uma vida infeliz.
A base do Hinduísmo consiste na crença num ser eterno e absoluto, o
Brahma, que
significa “força suprema que rege todo o universo”, e na existência de um
estágio final de
purificação da alma.
Quando nasce um filho de pais hindus, o bebê é lavado e a palavra OM que
representa o som da criação é escrita com mel em sua língua. Quando o bebê
completa
seis ou oito meses, acontece a cerimônia de consumo de arroz, que é a
primeira
alimentação sólida que a criança recebe.
Os hindus preferem morrer em casa cercados pela família, acreditam que a
hora da
morte não deve ser temida mas deve ser entendida como um novo estágio de
crescimento
pessoal para que se possa atingir a perfeição.
O filho ou pessoas da família, geralmente, realizarão os últimos ritos com a
ajuda
do sacerdote hindu. O corpo sem vida é vestido com roupas novas, e levado
para o local
da cremação, entre entonações do nome de deus. A pira fúnebre é acesa, o
corpo é
embalsamado com óleos e perfumes, cremado e as cinzas são coletadas para
no próximo
dia serem lançadas no Rio Ganges. Em outras situações quando as pessoas
são vitimas
de doenças ou epidemias são geralmente jogados na água do rio Ganges
considerado
6
sagrado, assim, não ofendem os espíritos maus que atacaram as vitimas
causando as
doenças.
Atualmente, milhares de peregrinos vindos de todas as regiões da Índia
dirigem-se
a Benares, cidade às margens do Rio Ganges, para purificar-se em suas
águas. Muitos
levam as cinzas de parentes, cremados em aldeias distantes, para serem
espalhadas em
suas águas.
Outra religião que também surgiu na Índia é o Budismo com certeza você já viu
em
algum lugar a figura deste homem que está na imagem abaixo. Este é Buda, “o
Iluminado”.
BUDISMO: O Budismo também surgiu na Índia com a
experiência de Sidarta Gautama no ano de 560 antes de
Cristo. Um príncipe do Nepal, região que na época fazia
parte da Índia. Sidarta abandonou uma vida luxuosa, e
prazerosa para viver entre os pobres e meditar. O que ele
mais desejava era saber por que o ser humano sofre.
Sidarta parte então para a busca de uma explicação para o
sofrimento, jejua e medita durante seis anos.
Depois de muito meditar Sindarta Gautama (“Buda –
O iluminado”) chegou a conclusão que as pessoas
deveriam se libertar do desejo, da riqueza, do poder e da
fama para alcançar o Nirvana (espécie de estado de graça
e plenitude) e assim eliminaria o sofrimento. Para esta
religião não há um ritual de batismo para o nascimento dos
bebês, seus adeptos acreditam que a capacidade de atingir
a iluminação ou chegar à natureza de Buda existe dentro de todos desde o
nascimento.
Os budistas acreditam em um ciclo de reencarnação onde a pessoa morre e
renasce até atingir a iluminação. Segundo essa crença são os atos praticados
por cada
pessoa que vai determina a vida que ela terá ou será quando reencarnar.
Sendo assim em
todos os momentos da vida a pessoa deve seguir as oito regras que BUDA
aconselha; ter
boas intenções, ser honesto, esforçar-se o suficiente, evitar maus
pensamentos,
concentrar-se ao fazer as coisas, ser justo nas decisões, falar somente o
necessário e, no
momento oportuno fazer o que é conveniente. Se conseguir praticar esses
ensinamentos
estará em boa posição para salvar a sua alma.
7
http://tbn0.google.com/images?q=tbn:
Q0rHMMXqerQ6JM:http://bp3.blogger
.com/_N4edynR-go4/SBS2CvKYQI/
AAAAAAAAARM/ktDpVan
5QrM/s400/Gautama.jpg
www.apolo11.com/imagens/paises/ma
pas/sa-map.gifs
Alcançando o Nirvana a pessoa não teria mais que reencarnar e, portanto não
precisaria mais sofrer. Diante da morte o budista procura manter o equilíbrio,
evita o choro
e o desespero para que a pessoa que morreu permaneça com a mente
positiva.
Agora da Índia, vamos para a Arábia Saudita no Oriente Médio, conhecer, onde
nasceu a religião do Islamismo.
ISLAMISMO ou Islã é uma religião de fidelidade a Deus
que começou historicamente na Arábia Saudita (localizada
no mapa ao lado),no séc.VII, com a pregação do profeta
Maomé.
Maomé nasceu em MECA no ano de 570 desde
muito jovem passou a acompanhar as caravanas de
comércio. Segundo a tradição no ano de 610 Maomé
recebeu uma revelação divina por meio do Anjo Gabriel.
Três anos depois passou a pregar entre os Árabes a
existência de um único deus: Alá. Seus seguidores
passaram a ser conhecidos como muçulmanos, e a religião que professavam
recebeu o
nome de Islamismo ou Islã, palavra de origem Árabe que significa “submissão
total a
Deus”.
Meca, cidade onde nasceu Maoné (570-632)
sagrada para os muçulmanos tornou-se lugar muito
visitado, um importante centro comercial da Arábia
Saudita e também, centro de culto e peregrinação dos
Árabes. Neste local está a CAABA, uma construção em
forma de cubo feita de pedras, no interior desta está a
misteriosa Pedra Negra, que, segundo a tradição, era
branca, mas escureceu devido aos pecados humanos.
8
ATIVIDADE:
Diante do que você leu e entendeu sobre o Budismo e o Hinduísmo,
analise a sua própria vida, respondendo em seu caderno estas três
questões:
1. Você acha que vive bem a sua vida? Explique:
2. O que você poderia fazer para torná-la melhor?
3. Se você soubesse que iria morrer amanhã. O que você faria?
http://tbn0.google.com/images?q=tbn:R
WgEabLrjpx8dM:http://br.geocities.com
/fld2001/caaba.jpg
Anualmente, fiéis de todos os lugares do mundo peregrinam até Meca,
abandonando os trajes diários e se vestem com uma roupa composta por duas
peças de
tecido branco que são utilizadas até o final do percurso. Os peregrinos visitam
os locais
por onde Maomé passou. A visita a cidade de Meca é um dever de todos os
muçulmanos.
Existem outras obrigações do muçulmanos como a crença na existência de um
só Deus;
orar cinco vezes por dia em direção a Meca; dar esmolas e fazer caridade;
jejuar durante o
nono mês do calendário muçulmano (Ramadã) desde o amanhecer até o pôr-
do-sol.
Os seguidores do Islamismo acreditam no juízo final e na vida após a morte no
céu
ou no inferno. Seguem a orientação espiritual do ALCORÃO e dos HADITHIS
(conjunto de
tradições), palavras e atos de Maomé e seus companheiros, sendo seus
principais
ensinamentos a onipotência a Deus e a
necessidade de bondade, generosidade e
justiça entre as pessoas, trata também do
papel de Maomé como mensageiro de
Deus.
No AL CORÃO livro sagrado do Islamismo
encontramos relatos da vida e as ações do
profeta Maomé, preceitos de ordem
prática, regras de vida social, do direito, o
muçulmano regula sua vida religiosa,
familiar e comunitária por ele. Também diz
que, a vida humana que na terra dura pouco tempo, é um teste. Em uma vida
depois desta
seremos recompensados ou punidos por nossas ações.
Acreditam que haverá o dia do juízo final, do ajuste de contas que é apenas
com
Deus (ALÁ) e diz respeito às escolhas e ações feitas em uma única vida. Para
eles não
existe a reencarnação, e sim uma vida no paraíso para os fiéis, justos e
esforçados.
Os que professam a religião do Islamismo têm em sua crença o princípio de
que os
seres humanos que rejeitam ALÁ acumulam pecados e os que ignoram o
sofrimento dos
outros serão lançados ao inferno onde sofrerão para sempre.
A chegada de um bebê para os seguidores do islamismo é celebrada assim
que a
criança nasce, com o sussurro da palavra ALÁ. No ouvido direito do bebê deve-
se fazer o
chamamento ADHAN, convocação dos islâmicos para a oração em direção a
Meca. Em
seguida recita-se no ouvido esquerdo a palavra IGAMA que significa
testemunho. A
9
http://tbn0.google.com/images?q=tbn:CTSDA02Y3sAY
bM:http://www.jaymemonjardim.com.br/clone/cinco_pila
res/imgs/dir.jpg
criança terá um nome dentro de sete dias o mesmo será proclamado pelos
seus pais
diante da família e dos amigos.
Para os seguidores do islamismo a morte é uma passagem desta vida para
outra. O
corpo após a morte não significa mais nada, portanto, a morte acontece
quando a alma se
separa do corpo e é levada por anjos da morte que ajudam a realizar esta
tarefa. De
acordo com as leis islâmicas, quando um muçulmano morre, seu corpo é
lavado por
pessoas do mesmo sexo, depois envolvido em três panos brancos e colocado
em um
caixão para a despedida dos parentes, em seguida o corpo é levado a
Mesquita do
cemitério e neste momento só é permitido que os homens acompanhem a
cerimônia. O
Sheik faz as orações para a alma da pessoa, a celebração dura cerca de duas
horas.
Seguindo o ritual o corpo é retirado do caixão e depositado num túmulo feito de
quatro paredes de pedra, o buraco e tampado com pedras e depois coberto
com terra. O
luto pela pessoa morta dura três dias, mas se for a mulher que perdeu seu
marido o luto é
de quatro meses e dez dias e durante este período a mulher não pode sair de
casa, a não
ser em caso de emergência e nem receber proposta de casamento.
Por fim, neste trabalho vamos estudar a religião cristã.
CRISTIANISMO: surgiu na região da atual
Palestina no século I a qual foi conquistada pela
República Romana em 63 a.C. Mantém a crença em um
só Deus e acredita que o salvador é Jesus Cristo de
Nazaré. A única fonte segura que temos para conhecer a
vida de Jesus é o Novo Testamento, a segunda parte da
Bíblia (livro sagrado dos cristãos). Nela encontramos os
evangelhos, que são um conjunto de histórias da vida de
Jesus. Evangelho quer dizer “boa nova”. A boa nova
anunciada por Jesus é que Deus o enviou para salvar a
humanidade. Contam os evangelhos que Jesus nasceu
em Belém, lugarejo próximo a Jerusalém, na Palestina e
quando criança se mudou para Nazaré com seu pai José e sua mãe Maria.
Aos 30 anos, Jesus dizendo ser o Messias (termo que em Hebraico significa “o
ungido”), começou a percorrer as aldeias ensinando que o homem deve
purificar seu
coração e que todos seres humanos são irmãos e aos bons está reservada a
ressurreição
e a vida eterna, mostrando o amor a Deus e ao próximo. Pedia que
abandonassem os
sentimentos de orgulho, inveja e egoísmo.
10
www.ileperu.org
Jesus – Ressurreição
Segundo os cristãos Jesus foi perseguido, e condenado à morte na cruz, pois
seus
ensinamentos ameaçavam os interesses de algumas autoridades. No entanto
ressuscitou
ao terceiro dia e subiu ao céu, oferecendo a possibilidade de salvação a todas
as pessoas
que crêem nele.
O nascimento de uma criança para o cristianismo é comemorado, por meio do
batizado, cerimônia realizada para que a criança realmente pertença à religião
cristã, ou
seja, possa ser um cristão de verdade. O batismo acontece de forma diferente
de acordo
com o ritual de cada igreja descendente do cristianismo.
Os cristãos acreditam no dia do Juízo Final que seria um ajuste de contas de
toda a
humanidade quando Jesus vier a este mundo pela segunda vez. A doutrina do
cristianismo
baseia-se na crença de que todo ser humano é eterno, a exemplo de Cristo
que
ressuscitou após a morte. Cada pessoa é responsável por seus atos e
escolhas.
A fé cristã ensina que a vida presente
é uma caminhada e que a morte é
uma passagem para a vida eterna.
Para os que seguem os ensinamentos
de Cristo, são justos e crêem em
Deus, após a morte vão para o céu e
lá não há tribulações nem angustias.
Já para os que não crêem em Deus,
não seguem seus ensinamentos, tem
atitudes de maldade, vão para o
inferno lugar de sofrimento, dor e
condenação.
Quando um cristão morre vela-se o corpo e, além das orações, faz-se uma
celebração para encomendar a vida da pessoa para Deus. As velas, colocadas
ao lado
do caixão, simbolizam a luz de Cristo ressuscitado e a vida que vai se
consumindo, mas
que sempre brilha.
Podemos traduzir os dois principais mandamentos que Jesus deixou para os
que
seguem seus ensinamentos: o amor a Deus e ao próximo.
Algumas igrejas são vertentes do cristianismo como: Igreja Católica Romana,
Igreja
Ortodoxa, Anglicana, Luterana, Presbiteriana, Metodista, Batista, Igrejas
Pentecostais:
Congregação Cristã no Brasil, Assembléia de Deus, Evangelho Quadrangular,
Deus é
11
Representação - Céu – Inferno - www.ateismo.net
Amor. Igrejas Neopentecostais: Igreja Universal do Reino de Deus e outras.
Cristianismo
de Fronteira: Mórmons, Adventista, Testemunhas de Jeová, entre outras.
Após estudarmos sobre o significado da vida e morte para algumas religiões, é
possível perceber diferenças e semelhanças nas verdades e nos seus
fundamentos, o que
ajuda a compreender que cada religião, de sua maneira, busca o sentido da
vida e da
vivência de valores e crenças que contribuem para a felicidade do ser humano.
Cabe a
nós conhecer, respeitar e valorizar as diferentes culturas religiosas, para que
também nós
possamos ser valorizados e respeitados pela religião e cultura que temos.
12
ATIVIDADE:
Para entendermos melhor o que já estudamos até aqui vamos assistir a
um trecho do filme: “O Alto da Compadecida”, onde o personagem João
Grilo
morre e vai para o céu, em seguida é julgado por Deus pelas suas
atitudes, o
mesmo relata a questão da existência do céu e do inferno.
Após assistir o trecho do filme, entreviste seu colega, perguntando a ele:
sobre qual religião o filme está falando? Que característica desta religião
o filme
apresentou?
PESQUISA:
Além das religiões que você acabou de conhecer um pouquinho, ainda
existem
outras que não foram explicadas. Portanto agora é sua vez de ser
pesquisador:
procure em livros, revistas, internet, jornais e outros materiais, sobre
outras
religiões que existem como o Judaísmo, Candomblé, Espiritismo,
Animismo,
etc. Descubra o que pensam a respeito da vida e da morte. Depois da
pesquisa
pronta, vamos organizar cartazes para colocar na escola, a fim de que
nossos
colegas, também possam conhecer um pouco mais sobre as religiões que
existem, pois só quando conhecemos é que sabemos respeitar. Vamos lá
garotada agora é sua vez...
Mas antes de realizar a pesquisar, ainda gostaria de lhe fazer duas
pergunta, será que você é capaz de responder?
Sugestões de filmes:
Amor além da vida (1998)
Destino em dose dupla (1990)
Ghost: do outro lado da vida (1990)
O pequeno Buda (1993)
Pocahrontas (1995)
Deus é brasileiro (2001)
TV Escola – As grandes religiões do mundo.
A vida de Buda - 2005
O auto da Compadecida - 2000
Sugestões de músicas:
Epitáfio - Titãs
“O que é o que é” - Gonzaguinha
Acorda pra vida – Guilherme e Santiago
Pais e filhos – Renato Russo
REFERÊNCIAS:
ADAS, Melhem. Geografia: o mundo desenvolvido. 5ª ed. São Paulo, 2006.
Almanaque abril. 2002
Apontando novos caminhos para o Ensino
Religioso/SEED/DEF/ASSINTEC.2003.
BOULOS, Junior Alfredo. História: sociedade e cidadania. 1ª ed. São Paulo:
FTD, 2006.
CRUZ; Terezinha M.L. Descobrindo Novos Caminhos, Ensino Religioso.
São Paulo,
FTD, 2006.
Diretrizes Curriculares de Ensino Religioso. Curitiba SEED 2006.
Diretrizes Curriculares de Geografia. Curitiba SEED 2006.
Diretrizes Curriculares de História. Curitiba SEED 2006.
ELIADE; Mircea. O Sagrado e o Profano. A essência das religiões. São
Paulo. Martins
Fontes. 1992.
Livro Didático Publico de Sociologia. Vários autores/ Curitiba SEED-PR, 2006.
LUCCI, Elian Alabi. BRANCO, Anselmo Lazaro. Geografia: homem e espaço:
a
natureza o homem e a organização do espaço, 19ª ed. São Paulo: Saraiva,
2005.
Projeto Araribá: obra coletiva: Maria Raquel e Apolinário Melani, 1ª ed. São
Paulo,
Moderna, 2006.
RODRIGUE, Joelza Ester. História em documento: imagem e texto. 1ª ed.
São Paulo:
FTD, 2006.
13
TOROPOV, BRANDON. Quía completo das religiões do mundo. São Paulo:
Madras,
2006.
TOTA, Antonio Pedro; LIMA, Lizânias de Souza. História por eixos temáticos.
1ª ed. São
Paulo. FTD, 2006.
www.suapesquisa.Com/cristianismo – Acessado 22/08/07
www.folha.Uol.com.br - acessado em 22/08/07
www.bignotto.com.br/noticia – acessado em 16/08/07
www.candomblé.wordpress.com – acessado em 17/08/07
www.diaadiaeducacao.pr.gov.br – acessado em 18/09/07
www.abiosemaringaense.blogspot.com – acessado em 18/09/07
www.elisabethsalgadoencontrandovoce.com – acessado em 18/09/07
www.br.geocities.com – acessado em 24/09/07
www.dharmanet.com.br– acessado em 24/09/07
www.jaymemonjardin.com.br – acessado em 24/09/07
www.ileperu.org – acessado em 04/10/07
www.hakitdois.wordpress.com – acessado em 04/10/07
www.ateismo.net – acessado em 05/10/07
www.guia.heu.nom.br – acessado em 18/10/07
www.blog.cancaonova.com – acessado em 24/10/07
www.apolo11.com/imagens/paises/mapas/sa-map.gifs - acessado em
17/07/08
www.estrelinhasbaby.com – acessado em 14/07/08
www.coisasquegosto.wordpress.com – acessado em 14/07/08
Música: Compositor: Sergio Brito. Titulo da música: Epitáfio. Interprete: Titãs.
Titulo do
CD: A melhor banda de todos os tempos e da ultima semana. Gravadora: Abril
Music. Ano:
2001.
14

								
To top