Slide sem t�tulo

Document Sample
Slide sem t�tulo Powered By Docstoc
					                           EMISSÃO ZERO


                                     Luis Felipe Nascimento

                                Escola de Administração
                        Universidade Federal do Rio Grande do Sul



Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS                     E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br
                                            ZERI
Gunter Pauli (1996) visualiza que no ano de 2021o padrão
 de produção industrial será a “Emissão Zero”;
Isto significa que não existirão mais resíduos e a produção
 emulará, finalmente, o processo de funcionamento da
 natureza;
a educação terá um papel preponderante, pois ela deve
 criar a base para a nova realidade.




Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS          E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br
                                            ZERI
O Programa ZERI propõe a organização dos
 processos de produção em cadeias produtivas
 não-poluentes;
Os processos produtivos devem emular o
 funcionamento da natureza, na qual nada se
 perde, pois o resíduo de um é o insumo de outro
 processo;
ZERI apresenta sugestões de como e o que as
 organizações podem incorporar as demandas do
 século XXI.
Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS          E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br
                                  Ensinar que...
 um ecossistema não produz resíduos, porque o
 resíduo de uma espécie serve de alimento para
 outra;
 a matéria movimenta-se em um ciclo infindável
 pela teia da vida;
 a energia impulsionadora destes ciclos
 ecológicos provém do sol;
 a multiplicidade garante a regeneração;
 a vida, desde o começo, há mais de três milhões
 de anos, conquistou o planeta não por meio de
 lutas, mas sim pela cooperação, parceria e
 trabalho em teias.
Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS          E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br
             Objetivos da Emissão Zero

 Nenhum resíduo líquido, gasoso ou sólido;
 Todos os inputs são utilizados na
 produção;
 Quando ocorre resíduo este é utilizado por
 outras indústrias, na criação de valor
 agregado.

Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS   E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br
Fase       Modelos de aproveitamento total ao se utilizar a
           tabela de input-output

1          Refere-se à busca do rendimento total, para
           verificar   se   há     possibilidades   de   usar
           completamente os produtos no processo de
           fabricação para que não produzam nenhum
           resíduo.
           A única indústria que talvez responda a este
           princípio é a indústria de cimento, onde todos os
           insumos materiais podem ser agregados ao
           produto final.
           Nesta fase, os produtos fabricados devem ser
           reintegrados facilmente ao ecossistema sem
           processo, energia, transporte e custos adicionais.


Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS      E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br
Fase       Busca criativa de valor agregado utilizando-se
           modelos de output-input

2          Se o princípio anterior não puder ser
           conseguido, então, passa-se à segunda fase,
           ou fase de análise da matriz “Produtos-
           Insumos”.
           A atenção deve estar no estabelecimento de
           tabelas de saída ou inventários detalhados de
           tudo o que resulta do processo de fabricação
           de produtos acabados, aí inclusos os resíduos,
           emissões e efluentes e o desperdício de
           energia. Após, realizar discussões criativas
           com o propósito de imaginar como usar estas
           saídas de forma efetiva.
Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS   E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br
Fase
          Modelos de conglomerados industriais
3         A matriz de Produtos-Insumo oferece uma
          base a identificação dos conglomerados
          industriais.
          Sobre a base do encadeamento de
          indústrias, as corporações necessitam
          estabelecer    novas    sociedades     entre
          organizações que nunca antes tinham sido
          consideradas,    tais   como    a    Revlon
          (cosméticos) e a Georgia Pacific (uma
          organização voltada para a silvicultura); ou
          a Kikkoman (produtora de soja) e a
          Marubeni (criação de peixes).

Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS   E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br
Fase      Identificação de avanços tecnológicos

4         Esta fase visa identificar os avanços possíveis que
          se necessitam para alcançar o sucesso. Ou seja,
          deve-se identificar e solucionar os gargalos
          tecnológicos.
          Algumas vezes, necessita-se fazer reengenharia
          dos processos e, em outras, descobrir-se novas
          tecnologias.
          Para tanto, deve-se estabelecer um programa de
          pesquisa para solucionar as falhas de tal forma que
          a organização possa traduzir as conclusões das
          matrizes “Produtos-Insumos” numa redução de
          custos, vendas e estratégias competitivas para
          assim integrar a sustentabilidade e preservar o
          ambiente natural.

Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS      E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br
Fase
          Planejamento de políticas industriais

5         É o projeto de formulação de políticas.
          A maioria das legislações não leva em conta
          as oportunidades que decorrem das
          matrizes “Produtos-Insumos”.
          Em decorrência disto, o processo de
          formulação de políticas industriais deve ser
          repensado.




Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS   E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br
           Emissão Zero na DuPont
 Edgar S. Woolard, presidente da DuPont,
    assumiu o compromisso de implantar o programa
    de Emissões Zero em todas as fábricas da DuPont;
A DuPont reduziu os seus resíduos tóxicos de 20
    milhões de toneladas para 4 milhões;
 Reduzir em 80% a produção de resíduos tóxicos
    foi uma vitória?
 Tóxico é tóxico, cancerígeno é cancerígeno.
    Como explicar que a Empresa continua dispondo
    na natureza 4 milhões de resíduos tóxicos por
    ano?
 ANascimento - NITEC/PPGA/UFRGS ser Emissão Zero! E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.b
Luis Felipe
            meta tem que                                                        r
Emissão Zero e a Indústria de Celulose
A indústria de celulose tem lutado para reduzir em
 sua produção a utilização de cloro. A dioxina, que
 é um derivado do cloro, é cancerígena, sendo
 considerada uma das toxinas mais poderosas que
 o homem jamais produziu;
 A indústria americana de papel investiu milhões
 de dólares visando baixar o volume para reduzir o
 volume de cloro em seu processo produtivo,
 adiantando-se à regulamentação da EPA - Agência
 de Proteção do Meio Ambiente, a qual impôs
 reduções drásticas neste sentido;
Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS   E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br
Emissão Zero e a Indústria de Celulose
Em 1989, os produtores de papel suecos e
 finlandeses decidiram repensar seus processos
 industriais e determinar como poderiam produzir papel
 TCF- Totalmente Livre de Cloro. Esse papel foi
 introduzido nos mercados europeus em 1991, com um
 sobre-preço de 20%;
 A reação positiva dos consumidores em relação ao
 produto foi tão alta que, em poucos meses, todos os
 maiores impressores da Alemanha tinham decidido
 usar inicialmente o papel TLC;
 Os produtores americanos de papel, que tinham o
 controle de até 30% do mercado alemão, foram
 eliminados em seis meses antes que tivessem
 oportunidade de reagir.
Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS   E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br
 Emissão Zero e a Indústria de Cerveja
Saída na produção das cervejarias:
  cerveja;
  torta de cevada,arroz, lúpulo – um composto
    fibroso e rico em proteínas;
  levedura usada;
  grandes quantidades de água;
  um excesso de energia gerado pelo processo
    natural de fermentação e o dióxido de carbono
    criado pelo processo de fermentação.
Estas cinco saídas da produção são elementos
 críticos para os cultivadores de cogumelos, criação
 de galinhas, geração de biogás, produção de
 algas, criação de peixes e atividades hidropônicas.
Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS   E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br
    Emissão Zero e as Indústrias Japonesas
As indústrias japonesas chamaram a atenção do
 mundo para a necessidade de:
 uma maior produtividade
 uma qualidade perfeita
 uma à entrega no tempo certo

Os japoneses poderão ser os pioneiros na
 implantação de programas de zero emissões.




Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS   E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br
                  Emissão Zero
           – Um novo conceito de gestão
 Conceito de Gestão                         Alvo

 Gestão da qualidade total                  Zero defeitos

 Jus-in-time                                Zero estoques

 Satisfação total dos clientes              Zero defeitos

 Saúde e segurança no Zero acidentes
   trabalho
 Produtividade   total  dos Zero emissões
   materiais
 Construção do consenso     Zero conflitos
Luis Felipe Nascimento - NITEC/PPGA/UFRGS                   E-Mail: nascimento@adm.ufrgs.br

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:6
posted:6/16/2012
language:
pages:16