TEMA TRANSVERSAL - SA�DE by KitA23

VIEWS: 7 PAGES: 22

									  TEMA TRANSVERSAL - SAÚDE
• Saúde – indicador da qualidade de vida das
  populações – emprego, moradia, renda,
  alimentação, educação.
• Saúde – um dos pilares fundamentais do
  processo de desenvolvimento da Nação.

    instrumento de transformação social –
          melhoria do IDH de um país.
• LDB – propõe nos programas escolares do
     Brasil as noções de Higiene e Saúde,
  como condição necessária para que cada
   indivíduo adquira atitudes de prevenção,
      indispensáveis para que detenham
  doenças endêmicas e epidêmicas, que se
  evitem as doenças carenciais e sistêmicas

     GARANTIA DE BEM-ESTAR E MAIOR
     PRODUTIVIDADE DAS POPULAÇÕES
• Art. 196 - A saúde é direito de todos e
  dever do Estado, garantido mediante
  políticas sociais e econômicas que
  visem à redução do risco de doença e
  de outros agravos e ao acesso
  universal e igualitário às ações e
  serviços para sua promoção, proteção
  e recuperação.
(Constituição Federal, 1988)
• HIGIENE
(do grego hygieinos) – “ que
  contribui para a saúde”
Higiene é a aplicação de
  conhecimentos e preceitos
  que se destinem a cuidar
  da saúde e preservá-la,
  alongando a vida.
A higiene pode ser dividida
  em 3 partes: higiene geral,
  higiene especial e higiene
  aplicada.
• Higiene Geral
Conjunto de programas voltados para o estudo das
  condições e recursos que possam proporcionar
  saúde a toda uma coletividade, livrando as
  populações das doenças, especialmente das
  endêmicas e epidêmicas.
Propõe a construção de redes de esgotos, de
  sistemas de abastecimento de água, de hospitais e
  postos de atendimento à saúde, aconselha ou
  obriga à vacinação, visa, ainda, uma série de
  regras que impõem para construção de
  residências, de casas de divertimento, como
  teatros, clubes,
   cinemas.
• A Higiene Geral ainda preconiza condições
  mínimas de conforto, limpeza e segurança para o
  funcionamento de escolas, creches, asilos,
  estádios de esporte, colônias penais,
  estabelecimentos comerciais,
  repartições públicas, etc.
• Está no âmbito de atividade governamental, que
  constitui órgãos especializados e estabelecidos
  que respondem pela fiscalização permanente
  desses estabelecimentos.
• Higiene Especial
Compreende os princípios que
se aplicam diretamente ao
 indivíduo para lhe proporcionar
 a saúde.
Abrange não somente o asseio corporal,
   mas, também, a higiene mental.
Nesse caso, enquadra-se as orientações
   para o estudo e o trabalho equilibrados, os
   divertimentos, a boa alimentação e a
   prática de esportes.
• Higiene Aplicada
É a parte da Higiene que aplica os conhecimentos
   adquiridos nas duas divisões anteriores para
   uma determinada finalidade.
   Abrange a puericultura e a eugenia, entre outros
   campos especializados de cuidados aplicados à
   saúde.
- Puericultura: conjunto de orientações e técnicas
   empregadas por médicos, enfermeiras e outros
   profissionais especializados, compreendendo
   conselhos e ensinamentos às mães, com o fim
   de assegurar o perfeito desenvolvimento
 físico, mental e moral da criança, desde o
seu nascimento até a puberdade.
• A puericultura ensina    Eugenia: estudo dos
  os primeiros cuidados    meios subordinados à
  que se deve ter com      ação social capazes de
                           melhorar as qualidades
  os recém-nascidos
                           genéticas, físicas e
  (banho,
                           mentais das populações
  amamentação,             futuras.
  condições do quarto      Também costuma ser
  da criança, vestuário,   definida como a ciência
  alimentação,             que estuda as condições
  prevenção de             mais propícias à
  doenças, vacinação,      reprodução e ao
  identificação de         melhoramento racial da
  distúrbios, enurese      espécie humana.
  noturna,etc.
    PARA QUE HAJA SAÚDE
• SAÚDE: estado caracterizado pelo bom e
  normal desenvolvimento físico, psíquico e
  mental do indivíduo, além de um perfeito
  equilíbrio funcional dos seus órgãos e
  sistemas.
• Segundo a OMS, saúde também engloba
  a situação do indivíduo no
  contexto social em que vive.
• SAÚDE NÃO É SÓ A
   AUSÊNCIA DE
  DOENÇA, MAS O
  COMPLETO BEM-
   ESTAR FÍSICO,
 MENTAL, MORAL E
    SOCIAL DO
    INDIVÍDUO.
       • CONDIÇÕES GERAIS DE SAÚDE
São aquelas que dizem respeito a toda uma
  comunidade.
Compreendem as características topográficas da
  região em que se vive, com suas variações
  climáticas e sazonais, a natureza dos solo, a
  pureza da água e do ar, além de levar em
  consideração a salubridade das residências, o
  tipo de indumentária habitualmente usado, a
  qualidade da alimentação, a existência ou não
  de saneamento básico na área, de serviços
  assistenciais, de saúde, como postos de
  atendimento médico e de vacinação,
  ambulatórios, além de locais de
   recreação e lazer.
     A pobreza, a subnutrição, a carência de
        conhecimentos básicos de higiene, a
       promiscuidade e marginalização social
    conduzem, quase sempre à delinquência, ao
             vício e à improdutividade.
Esses são, de resto, caminhos seguros que
  quebram o vínculo do indivíduo com a saúde.
• CONDIÇÕES ESPECIAIS DE SAÚDE
 São as que se aplicam diretamente a cada
  indivíduo.
Abrangem o asseio corporal, a boa alimentação, a
  prática habitual de esportes, o estudo orientado, e
  o trabalho equilibrado e não exaustivo.
Mas é importante que a pessoa mantenha uma boa
  integração com a família e a sociedade.
Isso representa relevante fator para a construção e a
  preservação de um verdadeiro estado de
  equilíbrio emocional, indispensável no contexto de
  saúde psicossomática.
         MEIOS PROFILÁTICOS E
         MEIOS TERAPÊUTICOS
Meios profiláticos e terapêuticos constituem todos
 os cuidados, aconselhamentos e recursos, como
 substâncias ou medicamentos que se destinam,
 respectivamente, a prevenir e curar as doenças.
Na área da saúde, profilaxia, do grego prophýlaxis
 (cautela), é a aplicação de meios tendentes a
 evitar as doenças ou a sua propagação.
Uma doença tem um ou mais agentes causadores.
 Estes necessitam de alguma maneira interagir
 com o organismo para gerar a doença. Toda e
 qualquer medida que procure impedir esta
 interação pode ser chamada de medida
 profilática.
• O hospedeiro da doença é o homem. Medidas
  que visem a tornar o organismo mais resistente a
  agressão dos patógenos, também são exemplos
  de medidas profiláticas de doenças.
• Um exemplo desta situação é a utilização de
  vacinas.
• O sistema imune humano reconhece alguns
  elementos externos e desencadeia uma reação
  defesa contra eles. Isto é estudado pela
  imunologia.
• No primeiro contato com um destes
  elementos, uma série de reações
  orgânicas ocorrem em seqüência,
  demorando em geral alguns dias, até a
  eliminação ou neutralização do agente
  agressor.
• Num eventual segundo contato, o tempo
  de resposta é muito diminuído, sendo as
  vezes de horas.
• Doenças como o sarampo e a
  varicela ocorrem apenas uma vez
  na vida do indivíduo, já que esta
  resposta imunológica se mantém
  por tempo indeterminado.
• Outras doenças, como uma
  infecção urinária por certas
  bactérias, ou a malária, não
  desencadeiam uma resposta
  definitiva, podendo se repetir
  várias vezes na vida do indivíduo.
• Em outras doenças ocorre uma
  resposta prolongada, mas não
  definitiva. Difteria e tétano, são
  exemplos de doenças deste grupo
• Terapia (do grego: θεραπεία - "servir a
  deus") ou terapêutica significa o tratamento
  para uma determinada doença pela
  medicina tradicional, ou através de terapia
  complementar ou alternativa.
• Na terapêutica emprega-se medicamentos
  e/ou outros recursos que se destinam a
  combater a doença.
• A terapêutica difere da
profilaxia porque não tem
caráter preventivo, mas de cura.
• Na terapêutica podem ser utilizados
  medicamentos – vasta escala de
  substâncias cujos efeitos são
  extremamente variáveis.
• Exemplos: antiinflamatórios, analgésicos,
  antidepressivos, ansiolíticos, antibióticos,
  antiespasmódicos, quimioterápicos,
  soros*, etc.
• Outros recursos terapêuticos: radioterapia,
  fisioterapia, etc.
            Agente etiológico
• Agente etiológico é a denominação dada ao
  agente causador de uma doença.
• Existem centenas de agentes etiológicos dos quais
  podem causar, se não tratados, uma série de más
  consequências. Dentro dessas centenas de agentes
  etiológicos, há que ter em conta que podem ser de
  origem endógena ou exógena.
• Fatores Endógenos - Intrínseco ao hospedeiro- Idade
  - Fatores hormonais - Fatores metabólicos - Fatores
  Congênitos - Fatores Hereditários - Fatores
  Imonulógicos - Fatores neurogênicos
• Fatores Exógenos - Exteriores ao hospedeiro-
  Traumatismos - Microrganismos patogênicos –
  Agentes físicos - Agentes químicos
                       Hospedeiro
• Hospedeiro: organismo que abriga o parasita.
• Tipos de hospedeiros
– Vetor
• Todo o organismos que transmite um patógeno; a maioria
  dos vetores são artrópodes e também são parasitas (Culex
  sp.)
• Mecânico: o parasita é disseminado por transporte mecânico
  simples;
• Biológico: o parasito necessita realizar parte de seu ciclo no
  vetor;
– Portador
• Indivíduo susceptível a um patógeno, manifestando a
  parasitose em maior (sintomático) ou menor grau (oligo ou
  assintomático) (Trichomonas vaginalis e o homem)
– Reservatório
• Indivíduo onde o parasito permanece viável,
sem causar a doença (Trypanosoma cruzi e o gambá).

								
To top