Eucalyptus paniculata em Goi�s - Madeira e potencial by eJWJ995B

VIEWS: 0 PAGES: 6

									Pergunte ao Euca Expert / Ask the Euca X Pert

                    www.eucalyptus.com.br

                   www.celso-foelkel.com.br

___________________________________________________


                     Perguntas / Questions


___________________________________________________

Pergunta nº: 744 /Question nº: 744

Título: /Title: Eucalyptus paniculata em Goiás - Madeira e
potencial.
                Por: / By: César Augusto Sandri

E-mail: cesarsandri27@hotmail.com

Questão: /Question:

Sr.Celso,

Vi o seu email na internet e tomei a liberdade de lhe escrever para fazer
uma consulta sobre o Eucalyptus paniculata:

-Ele é o que apresenta madeira de maior durabilidade natural? Se não
qual é?
-Ele tem bom desenvolvimento se plantado em GOIÁS? Aqui tem uma
estação de seca que vai de junho à agosto.

-Qual seria o volume de lenha produzido aos 7 anos? Já li que ele tem
um crescimento lento, é muito mais que o grandis por exemplo?

Se pudesse me responder essas dúvidas lhe ficaria muito grato. Por
favor me envie a resposta por esse e-mail , pois vi sua pagina de
perguntas e respostas em forma de PDF.

Muito Obrigado!

César Sandri
_________________________________________________

Resposta por Celso Foelkel: / Answer by Celso Foelkel:

Caro César Augusto, bom dia.
De fato, você está correto ao dizer que a madeira do Eucalyptus
paniculata é resistente e durável. Sua alta densidade e a formação de
um cerne adequado favorece essa durabilidade e resistência. Por essa
razão essa espécie é indicada para postes, moirões, dormentes e até
móveis rústicos. Ela foi muito plantada em Minas Gerais pelas empresas
Acesita e Belgo Mineira para produção de carvão vegetal, ao longo das
décadas de 60's e 70's, sendo depois substituída por espécies mais
produtivas em massa por hectare. Essas empresas, especialmente a
Acesita, também a plantavam em regiões de Minas Gerais com forte
déficit hídrico no inverno.
Não vejo vantagens em você plantar essa espécie para lenha, ela é uma
espécie nobre para essa finalidade. Para isso existem outras que dão
maior produtividade para sua região.
Entretanto, se sua disposição for plantar espécies de alta densidade,
existem outras alternativas que estão também sendo utilizadas pelas
empresas de produção de carvão vegetal em regiões similares à sua,
que são Eucalyptus cloeziana e Eucalyptus urophylla e o híbrido
E.urograndis. Você pode encontrar detalhes nos links a seguir:
http://www.cnpf.embrapa.br/publica/boletim/boletarqv/boletim14/sturio
n.pdf
http://www.cnpf.embrapa.br/publica/seriedoc/edicoes/docum38.pdf
http://www.cenargen.embrapa.br/publica/trabalhos/cot102.pdf
http://www.cenargen.embrapa.br/publica/trabalhos/cot111.pdf
http://sbrtv1.ibict.br/upload/sbrt1452.pdf?PHPSESSID=07df666d65470
518a2129e1dc47567c2
Um abraço e sucessos
Celso Foelkel


__________________________________________________

Outros Comentários: / Other Comments:

Por: / By: César Augusto Sandri

E-mail: cesarsandri27@hotmail.com

Caro Celso,

Muito obrigado pela sua resposta e atenção!
Eu tenho plantado aqui o E. urograndis, mas a sua densidade é muito
baixa. Isso se deve à sua procedência? E minha intenção é obter
madeira para poste de cerca, sem tratamento, e me parece que o
paniculata é o mais denso, correto?
Uma curiosidade: o seu trabalho é voluntário, vc tem alguma empresa?

Tudo de bom para você!

César Sandri

__________________________________________________

Outros Comentários: / Other Comments:

Por: / By: Celso Foelkel

César, fico feliz em poder lhe ajudar em algo.
Tenho, com minha filha Ester, uma empresa chamada Grau Celsius que
cuida da difusão de conhecimentos acerca do setor de base florestal
para "o mundo". Temos hoje cerca de 11.000 pessoas recebendo nossos
informativos e coloquei seu endereço de e-mail para receber também.
Enquanto isso, visite minhas páginas relacionadas abaixo de minha
assinatura.
Em relação a ser voluntário, tenho alguns patrocinadores, mas que
ainda não cobrem os custos, dá para dizer então que é parcialmente
voluntário. O que importa é que isso me fascina e estou cuidando de
deixar um legado para o setor florestal brasileiro, espero que seja muito
útil.
Complementando suas perguntas - qualquer madeira sem tratamento
enterrada no solo durará pouco, mesmo o E. paniculata. Trate pelo
menos a parte que ficará enterrada, nem que seja com óleo de carter
queimado com algum preservativo químico.
Leia:
http://www.ipef.br/publicacoes/docflorestais/cap11.pdf
http://books.google.com.br/books?id=wqU3SihZqfcC&pg=PA422&lpg=P
A422&dq=tratamento+madeira+%C3%B3leo+queimado+carter&source
=bl&ots=9nA3MvOfJe&sig=QF04Flji4NcSGhJ7GJmH-o2yUKQ&hl=pt-
BR&ei=NVz4Sbe6NoSNtgeVxqyyDw&sa=X&oi=book_result&ct=result&re
snum=3
http://inforum.insite.com.br/informatica-veterinaria/1652817.html

Existem E. urograndis de densidade de madeira maior, mas precisa ser
clonado e selecionado para isso. Também necessitará tratamento
preservativo.

Um abraço e sucessos
Celso Foelkel
Eucalyptus Online Book & Newsletter
PinusLetter
www.celso-foelkel.com.br
www.eucalyptus.com.br


__________________________________________________

Outros Comentários: / Other Comments:

Por: / By: César Augusto Sandri

E-mail: cesarsandri27@hotmail.com

Celso,

Também fico feliz em saber que ainda existem pessoas com seu espírito
altruísta. Daqui dois anos vou colher eucalipto e poderei também te
patrocinar, pode contar.

Voltando ao assunto dos postes sem tratamentos. Eu ganhei de um
amigo 3,5 anos atrás um pequeno poste (10 cm diâmetro) de eucalipto
(sem tratamento) que ele dizia ter o nome popular de eucalipto
aroeira, por ser de grande durabilidade natural. Enterrei-o na mesma
época na minha propriedade. O fato é que essa semana mesmo eu fui
verificá-lo, olhei na parte rente ao solo, onde mais apodrece, e parece
que ele continua firme, com um leve desgaste na superfície do alburno.
Pesquisei na internet, onde te achei, e só vi uma referência sobre um
tal eucalipto ferrinho que é o E.paniculata. Então pensei que fosse o
mesmo. Esse poste se vê que ele tem uma densidade elevada e parece
ser eucalipto mesmo (retilíneo, cilíndrico). Você sabe me dizer qual o
tempo máximo que dura um poste de eucalipto enterrado?

Mais uma vez obrigado,

César

_________________________________________________

Outros Comentários: / Other Comments:

Por Celso Foelkel: / By: Celso Foelkel:

Caro César, boa tarde.
No Brasil, por norma definida pela ABNT, todos os postes de madeira
para eletrificação devem ser eucalipto, mas tratados pelo uso de
preservativos tipo CCA (cobre cromo e arsênio) ou CCB (cobre cromo
boro). A durabilidade de postes assim tratados varia entre 15 a 20 anos,
depende muito da espécie, da densidade da madeira e das condições
ambientais onde está o poste.
Não se recomenda usar postes sem tratamento, mesmo sendo de
Eucalyptus citriodora (o conhecido "cheiroso") ou de E.paniculata (o tal
"ferrinho").
Qualquer poste exige monitoramente de seu nível de apodrecimento
através de testes especializados. Em breve estarei escrevendo algo
sobre postes em minha Eucalyptus Newsletter.
Entendo a sua simpatia pelo Eucalyptus paniculata, ele definitivamente é
um dos mais resistentes ao apodrecimento pelo seu cerne rico em
extrativos e densidade da madeira alta. Mas lembre-se do que já lhe
mencionei, o solo é o maior de todos os decompositores de matéria
orgânica e qualquer madeira sem adequado sistema de preservação
pode durar pouco tempo (no máximo uns 5 anos e já terá se
desestabilizado na base)
Seguem algumas literaturas interessantes para sua leitura:
http://www.amigosdocampo.com.br/downloads/catalogos/manual_de_c
erca.pdf
http://www.monumenta.gov.br/upload/Caderno%20Madeiraweb_11733
83037.pdf
http://planetasustentavel.abril.com.br/download/manual_uso_sust_na_
cons_civil.pdf
Um abraço e boa sorte
Celso Foelkel

_________________________________________________

								
To top