Orienta��o T�cnica Recupera��o Paralela L�ngua Portuguesa

Document Sample
Orienta��o T�cnica Recupera��o Paralela L�ngua Portuguesa Powered By Docstoc
					Orientação Técnica
Recuperação Paralela
Língua Portuguesa


    Alunos com muitas
    dificuldades de escrita
TEXTOS QUASE ILEGÍVEIS

Muitos alunos apontados como não
alfabetizados são, de fato, pessoas
alfabetizadas mas que ainda
apresentam muitas dificuldades
para escrever frases e textos.
Suas produções apresentam:

    troca de letras;
    elementos aglutinados;
    erros de ortografia;
    pontuação;
    etc.
Durante uma leitura rápida do
professor, as ideias registradas por
esses alunos parecem quase ilegíveis.
No entanto, quando olhamos com
atenção para essas produções, notamos
a presença de aspectos reveladores,
como palavras escritas
alfabeticamente, mas com os seguintes
problemas:
 separação de letras e sílabas de palavras escritas
alfabeticamente: a campa (acampar); a te (até); apare ceu
(apareceu);

 junção de palavras em que se omitem letras: fida ( foi
dar);

 palavras incompletas: cacoro (cachorro); amoada
(almofada); lei (leite); a capnto (acampamento);

 palavras escritas alfabeticamente em que o aluno
reduz tudo às sílabas simples: remara ( remar); patino
(patinho); porocuro ( procurou);

 palavras escritas alfabeticamente mas com troca de
letras: lefou (levou); teichou (deixou); pateu (bateu); japel
(chapéu);
 palavras escritas alfabeticamente, mas com falta
  de letras: vete (veste); saba (samba); avore (árvore);
  uso (urso); ato (alto);

 palavras com letras fora de lugar:
  lugra ( lugar); porcurar (procurar); ruso (urso); um
  (um);

 frases e palavras que apresentam vários dos
  problemas acima todos juntos:
  a fo re (árvore); poro curou (procurou); abale seu
  (apareceu); e la peqerou
  (ela procurou); eledoniu (ele dormiu); tepatio (três
  pratinhos); tracaza (para casa); gepacia (quer
  passear); paracmper (para sempre); purcaso (por
  causa).
Com esses alunos é preciso desenvolver um
trabalho de consolidação da alfabetização
e de aprendizagem da ortografia.

 Como?
 Chamá-los individualmente, pedir para
 que leiam o que escreveram, questionar
 a forma utilizada, a letra colocada, a
 junção ou a segmentação feita.
Esse trabalho deverá ser complementado com:


     jogos;
     leitura e produção de trava-línguas;
     uso do dicionário
Sempre      que    produzirem         ou
reproduzirem um texto, é importante
que o leiam com atenção antes de
entregá-lo para o(a) professor(a), de
modo a procurar corrigir possíveis erros
encontrados. Nessa atividade, o
professor precisa percorrer a sala,
auxiliando    os    estudantes      que
apresentam       mais      dificuldade.
Alunos não alfabetizados

Aqueles que sequer fazem relação entre
som da fala e a escrita. É preciso despertar
neles a consciência dessa relação. É preciso
insistir:
   na escrita de listas de palavras: os alunos
  falam e o professor escreve;
   na memorização e reescrita de letras de
    poemas, parlendas, cantigas etc;
   nos jogos que envolvem rimas, sons iniciais
    e finais.
Para aqueles que já perceberam a relação entre
som e escrita, mas não colocam todas as letras,
são bons os jogos do tipo:


     forca;
     cruzadinha;
     escrita de palavras com letras móveis;
     quebra-cabeça de palavras recortadas em letras.

      Obs.: Nessa fase, é importante insistir no uso
      correto das consoantes, para evitar problemas
      futuros de troca de letras.
NA REPRODUÇÃO DE HISTÓRIAS
Alunos com muitas dificuldades escrevem pouco.

  Antes da reprodução:
   retomar a história oralmente e
   reconstituir as partes principais do
    texto.
  Durante a reprodução:
   o professor percorre a sala e incentiva
    com perguntas sobre a história.
QUANDO OS TEXTOS APRESENTAM
PROBLEMAS DE ORGANIZAÇÃO

Os alunos frequentemente escrevem
conforme vão se lembrando de um fato ou
outro da história, sem se preocupar com a
sequência correta.
Para melhorar esse aspecto, é necessário
fazer a reescrita coletivo do texto.
Procedimentos para reescrita coletiva:


  escolher um texto que apresente
   problemas de estrutura, organização,
   clareza;
  pedir autorização do autor e colocá-lo
   em lugar de destaque;
  transcrever o texto em um cartaz com
   os problemas de ortografia corrigidos;
 fazer perguntas à classe: Em que trechos
  colocar pontuação? Que pontuação
  colocar? Este trecho está claro? O que
  está faltando?
  O que falta neste trecho para que as
  pessoas entendam a história? Há muitas
  palavras repetidas? Podemos trocá-las
  por outras? Podemos melhorar o começo
  ou o fim da história? Esse argumento é
  convincente?
GARANTIR AS MARCAS DO GÊNERO

Na reescrita dos alunos, é necessário
também fazer perguntas para aperfeiçoar
os aspectos referentes ao gênero: O texto é
uma fábula? Por quê? O texto prende a
atenção do leitor? A escrita da notícia deu
conta de informar sobre o fato acontecido?
A propaganda convence o leitor? A regra
do jogo está clara?
É interessante que, no horário
de    trabalho     coletivo,    os
professores façam exercícios de
análise de textos e algumas
reescritas coletivas entre si para
que todos se familiarizem com o
processo.

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:36
posted:6/6/2012
language:Portuguese
pages:17