SISTEMA DIGEST�RIO - ESQUEMA by P1vyFK06

VIEWS: 37 PAGES: 3

									                SISTEMA DIGESTÓRIO - ESQUEMA
    Digestão:

BOCA (pH = 7,0 . Neutro)

      Processos:
          o Mastigação
          o Insalivação
          o Deglutição

      Enzima:
          o Ptialina (Saliva) – Amilase: Amido -> Maltose

FARINGE

       Epiglote: Regula a entrada de ar na faringe e do alimento no esôfago.

ESÔFAGO

       Transporte do alimento da faringe ao estômago.
       Inicia os movimentos peristálticos.

      CÁRDIA: Esfíncter entre o esôfago e o estômago, permite a passagem do
alimento do esôfago para o estômago e impede a volta.

ESTÔMAGO (pH = entre 0,9 e 2,5. Muito ácido).

      Processo:
          o Quimificação = Formação do quimo
                  Quimo = alimento parcialmente digerido + suco gástrico +
                   muco
                  Suco Gástrico = Ácido Clorídrico (HCl) + proteases

      Enzimas:
          o Pepsina
                                                                  Proteínas

                    Pepsinogênio                     Pepsina
                                        HCl
                                                                  Oligopeptídeos
          o Renina
               Em recém-nascidos
               Coagulação das proteínas do leite

             PILORO: Esfíncter entre o estômago e o intestino delgado. Regula a
             passagem do quimo para o intestino.
INTESTINO DELGADO (pH entre 8,0 e 9,0. Básico).

       É divido em duodeno (25 cm iniciais), jejuno (4,5 m) e íleo (1,5 m).
       Recebe o suco pancreático e a bile. É produtor do suco entérico.

      Processo:
          o Quilificação: Formação do quilo
                  Quilo: Alimento digerido + enzimas e muco.


    O fígado, juntamente com a vesícula biliar, lança o seu produto – bile, no
     duodeno. Da mesma forma que o pâncreas lança o suco pancreático no
     duodeno.

Bile (Proveniente do Fígado e da Vesícula Biliar)

      A Bile é formada no Fígado e armazenada da vesícula biliar
      Formada por água, sais biliares e bicarbonato de sódio.
      Função: Emulsificação de lipídios = ação detergente

Suco Pancreático (proveniente do Pâncreas)

      Bicarbonato de Sódio -> pH = 8,0 (aproximadamente)
      Enzimas:
          o Lípases: Digestão de lipídios
          o Amilase pancreática: Amido -> Maltose
          o Nucleases: Ácidos Nucléicos -> Nucleotídeos
          o Tripsinogênio e Quimiotripsinogênio
       Enteroquinase
                                                        Proteínas
             Tripsina           Quimiotripsina


                                                             Oligopeptídeos
          o Peptidases: Peptídios -> Aminoácidos.


Suco Entérico (Produzido pelo duodeno)

      Enzimas:
          o Maltase: Maltose -> Glicose + Glicose
          o Sacarase: Sacarose -> Glicose + Frutose
          o Lactase: Lactose -> Galactose + Glicose
          o Peptidases: Peptídios -> Aminoácidos
          o Nucleotidases: Nucleotídeos -> Ácido fosfórico + pentose + base
            nitrogenada.
FÍGADO:

       Funções:
           o Armazenamento de substâncias absorvidas como glicose (na forma
             de glicogênio), ferro e vitaminas.
           o Síntese de proteínas (albumina, fatores de coagulação, etc.).
           o Eliminação de produtos tóxicos
           o Auxílio na metabolização e eliminação dos resíduos gerados no
             próprio corpo, como a uréia, o ácido úrico e o ácido lático.
           o Secreção de bile

PÂNCREAS

Porção endócrina: produtora dos hormônios insulina e glucagon.
Porção exócrina: produtora do suco pancreático, que é lançado no interior do
duodeno.

INTESTINO GROSSO

        É dividido em ceco, cólon (ascendente, transverso e descendente) reto e
ânus.
      Presença de flora bacteriana, que corresponde a 40% a 50% do peso seco
das fezes. Essas bactérias são produtoras de vitamina K e do complexo B. Por
competição impedem o crescimento de bactérias patogênicas.

       Obs.: O apêndice cecal é rico em células de defesa e deve servir como
local de reconhecimento de agentes infecciosos.
             Uma outra hipótese sugere que o apêndice seja um órgão vestigial
de algum ancestral humano que fosse capaz de digerir celulose.

       Funções:
           o Formação do bolo fecal
           o Reabsorção de água, sais e vitaminas

								
To top