05 Patologia Benigna do Colo 02 04 2009 by 386A96L

VIEWS: 425 PAGES: 37

									Patologias Benignas do Colo



Fisiologia do epitélio cervical

      Marilene Bicca – Ginecologia UCPel
       INTENÇÃO DA AULA
 Conhecer   a fisiologia do epitélio do colo
 Entender a formação das patologias
  benignas
 Reconhecer lesões benignas e tratamento
 Utilização do Protocolo Mundial para
  prevenção do Ca de colo uterino
 Compreender os passos de evolução das
  patologias benignas para lesões
  precursoras no colo
O COLO UTERINO – Anatomia




                    OI
                         Endocérvix


                    OE JEC
                      Ectocérvix
        COLO UTERINO
 órgão grande e de fácil acesso

         por isso o estudo dos epitélios e
 Permitiu
 do desenvolver das lesões precursoras ao
  câncer

 Favoreceu o estabelecimento de um
 protocolo mundial de estudo
PROTOCOLO PARA O ESTUDO DO
          COLO
 Inspeção direta
 CP
 Colposcopia (Ac acético 5%)
 Lugol (Teste de Schiller)
 Histopatológico
 DNA de HPV (se possível)
TIPOS DE EPITÉLIO colo:

  EPITÉLIO ESCAMOSO, estratificado pavimentoso
  (cobre vagina e se reflete sobre o ectocervix)

  EPITÉLIO CILÍNDRICO, COLUNAR (MUCÍPARO OU
GLANDULAR) (reveste o canal cervical: endocervix)

  EPITÉLIO ESCAMOSO METAPLÁSICO (epitélio neo
formado com estroma cilíndrico e superfície
escamosa) Processo normal de cura das ectopias.

 JEC= JUNÇÃO ESCAMOSO-CILÍNDRICA: (junção
escamo-colunar).
         TIPOS EPITELIAIS DA CERVIX




Epitélio escamoso: cobre vulva,             Epitélio Cilíndrico:
vagina, se reflete sobre o colo.            dentro do canal




  Metaplasia Escamosa: epitélio neo-formado a partir das células de
  Reserva do epitélio cilíndrico transformado em células escamosas.
     COLO NORMAL: HISTOLOGIA E JEC


EE




JEC




        E CIL          A importância
                       da JEC
        MOVIMENTOS FISIOLÓGICOS

•   MOVIMENTOS FISIOLÓGICOS: Ao longo da
    vida reprodutiva há deslocamento dos epitélios
    e da JEC de acordo com situações hormonais.
       Recém nascido
       Adolescência
       Gestação
       Menopausa
       Transtornos hormonais
     COLO E CORRELAÇÃO HISTOLÓGICA




     EE




EG               EG (COLUNAR)


           EE

                                METAPLASIA
TIPOS CELULARES
Vistos




                     METAPLASIA




         GLANDULAR




                             EE
 Terminologia rotineira:
• ECTOPIA ou ECTRÓPIO é a presença do
 epitélio cilíndrico no exocérvix.

• EPITELIO ESCAMOSO é o epitélio escamoso
 nativo derivado do seio urogenital igual ao vaginal.

• JEC: JUNÇÃO ESCAMO-COLUNAR é a união entre
 os epitélios colunar e escamoso .Normalmente se
 localiza no Orificio Externo anatômico do colo, se
 exteriorizada,( menacme) forma as ectopias, ou se
 dentro do canal (menopausa) não se ve a JEC.

• METAPLASIA OU REEPITELIZAÇÃO:
 Substituição do epitélio cilíndrico por escamoso .
     Dinâmica intensa do epitélio
               do colo
 Epitélio cilíndrico
 Metaplasia imatura
 Metaplasia madura (=ZT       típica com
    cistos e OG)=ao estratificado normal

   NOTA: 70% dos RN tem ectopia ao nascer
         60-70% das gestantes tem ectopia
         (portanto o processo ocorre sempre)
                   DICAS
 Lembrar   que:

 ZT típica = metaplasia escamosa=3ª
  mucosa (Igual significado)
 É epitélio normal porém hiperativo e rico
  em DNA que favorece o HPV
 É um processo normal de cura no colo
 Consequências da dinâmica do
            colo
A  JEC sofre constantes trocas de local
 Favorece a formação das neoplasias de
  colo associadas ao HPV e suas lesões
  precursoras
 O Ca de colo é o carcinoma mais frequente
  da mulher , junto ao ca de mama
 Ca epidermóide é o tipo histológico mais
  incidente
 A cada Ca de vagina temos 40 Ca de colo
Segundo STÄFL: Se não há metaplasia não há
  Cancer
     “NO METAPLASIA - NO CANCER”

O ideal é um colo em que se visualize a JEC
  no ponto zero onde o OE coincide com a JEC

De acordo com a posição no colo a ZT é
 classificada em:
  I ZT completamente visível (no ectocérvice)
  II ZT no endocérvice mas visível
  III ZT no endocérvice (não visível)
      PATOLOGIAS BENIGNAS

Ectopia
ZT (Zona de transformação, metaplasia)
Pólipo
Cervicite: endo ou ectocervicite-colpite
Endometriose
Mioma
“Condilomatose”
Epitelio escamoso normal   Epitelio escamoso con Lugol.




                               JEC




                  OE
       ECTOPIA
       Epitelio cilíndrico
       (Papilas en bagos de uva).




                       Epitelio cilíndrico normal
         Com ácido acético
                                                  com lugol.
         (seta marca JEC)




ECCU
      ZT – Formas de apresentação no colo




       Lingüeta de metaplasia       OG




          Cistos de Naboth      Cistos de Naboth
OBSERVAÇÃO ROTINA
     Pólipos
hiperplasia de epitélio
      glandular




                          Pólipo endocervical com ZT
             Cervicite - Colpite




        Colpite difusa




Colpite bolhosa sugestiva de TV   Endocervicite muco-puz
                       Endometriose




       Prolapso
 Úlceras de decúbito




TRATAMENTOS ESPECÍFICOS
  Miomas de colo ou paridos do endocervix




                                 Mioma necrosado




EXCISÃO
 “Condilomatose”




   Condilomatose de colo
   Lesão de HPV



TRATAMENTO ABLATIVO; ATA – ECCU depende do CP
 ARSENAL usado de rotina para
exame do colo, CP e Colposcopia
 ZONAS MAIS INCIDENTES DE CA
         DE CÉRVIX
• JEC
• ZT
• A METAPLASIA FAVORECE AÇÃO
 VIRAL POR INCLUSÃO DO DNA–HPV
 NO GENOMA DA CÉLULA (células jóvens
 ricas em DNA)
• Carcinoma EPIDERMÓIDE é dominante
          LEMBRAR QUE
 Patologias benignas podem originar
  situações para que o HPV se instale
 Ectopias e ZT são frequentes nas
  mulheres jovens (70-80%)
 Colo tem acesso fácil para exame de
  rotina
 Tratamento simples
 Obrigatório exame especular VER O
  COLO, se possível uso de AA e LUGOL
     APRENDIZADO OBRIGATÓRIO
•   Visualização especular do colo antes de
    tratar qualquer patologia
•   Conhecer a fisiologia do colo
•   Colher CP corretamente com representação
    das células da JEC
•   Lembrar: METAPLASIA é um processo normal
    de reepitelização.Sua imaturidade porém
    favorece a implantação de HPV
•   Tratar processos inflamatórios intercorrentes.
      EXAME GINECOLóGICO




Fim
  Dados do INCA - Instituto Nacional do
                       Câncer

                                O que se espera dos
  Resultados do CP:             Resultados ?

Exames Normais : 96%


                                NIC II
                        NIC I
                                         AGUS
Exames Alterados: 4%
                        HPV              ASCUS
                                  NIC
                                  III
  Dados do INCA - Instituto Nacional do
                       Câncer
                                65% Alterações de Baixo
Exames Alterados: 4%            Grau / ASCUS /AGUS
                                Controle em período de tempo

                           35% NIC II - III



                           Colposcopia
NIC I - Baixo Grau - 80% Regride Expontâneo
                     20% Permanece
                   Vai para Colposcopia


                                          CAF
          SE NÃO HÁ REGRESSÃO
NOTA:     EXPONTÂNEA
                                 ECCU              CRIO


                                          OUTROS
                  TRATAR
SISTEMAS CITOLÓGICOS
PAPANICOLAOU       RICHARDT     BETHESDA

DISPLASIA (grupo   NIC          SIL
III)



DISPLASIA LEVE     NICI         SIL BAIXO GRAU E
                                OU HPV
DISPLASIA          NIC II       SIL DE ALTO
MODERADA                        GRAU
DISPLASIA          NIC III      SIL DE ALTO
SEVERA                          GRAU



Ca IN SITU         NIC III      SIL ALTO GRAU
(Grupo IV)
Ca INVASOR         CA INVASOR   Ca INVASOR
(GRUPO V)

								
To top