Docstoc

Livro

Document Sample
Livro Powered By Docstoc
					AUTOCONTROLE MENTAL Por: Tomio Kikuschi © 1980 Direitos autorais reservados à MUSSO PUBLICAÇOES LTDA. Pça. Carlos Gomes, 60 - 1.0 andar 01501 - Liberdade - São Paulo Telefone 32-9738 - SP - Brasil Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização expressa da editora.

Apresentação Autocontrole mental é sinônimo de auto-conscientização, de auto-libertação, de auto-realização, de auto-educação, de auto-criação, de auto-transformação e de auto-renascimento, individual e coletivo. Portanto, o autocontrole mental é um assunto grandemente atrativo e entusiástico para todas as consciências inconscientes e para aqueles sem segurança, sem liberdade, sem independência, sem criatividade e sem esperança, que vivem em meio a dificuldades imensas, impossibilitados para a realização do autocontrole mental. O Princípio Único, que ensina a ordem do Universo, é a base deste livro e oferecerá a teoria e a prática, absolutamente infalíveis, para a realização do autocontrole mental imediato. Existem dois tipos de autocontrole mental: parcial e global, momentâneo e constante, provisório e definitivo, paliativo e efetivo, inconstante e persistente, superficial e profundo, descendente e ascendente, idêntico aos dois tipos de medicina, uma paliativa, alopática, e outra, radical, preventiva. AUTOCONTROLE MENTAL foi, originalmente, uma preleção comemorativa, realizada no II Seminário de Inverno, em presença da Profa. Lima Ohsawa, na Escola Musso, em julho de 1979. A III e IV partes foram preleções dadas no Instituto Principio Único, em março e abril de 1978. Com isto, espero confirmar a capacidade inesgotável, latente em cada um, a fim de que mergulhemos sempre bem no centro das dificuldades vicissitudinárias da vida para poder assim encontrar o foco mais fácil de se iniciar a auto-transformação constante. TOMIO KIKUCHI

PRÁTICA PRODUTIVA E CONSTRUTIVA DO RELACIONAMENTO HUMANO 1. AS CONDIÇÕES DE ATRAÇÃO NO RELACIONAMENTO HUMANO A sociedade atual oferece grandes dificuldades para a realização de uma vida produtiva e construtiva no que concerne ao relacionamento humano. Ainda mais, a tendência é a destruição do verdadeiro sentido da vida produtiva humana. Precisamos inicialmente ter consciência do comandante da nossa vida, isto é, precisamos pensar um pouco sobre a própria mente. Mas, infelizmente, ninguém usa essa capacidade principal do ser humano. Esse é o resultado da ausência do funcionamento cerebral, o que resulta na degeneração da humanidade. Por isso, precisamos reconhecer e relembrar a formação do ser humano, como também o desenvolvimento do cérebro. Para controlarmos a mente, precisamos, antes de tudo, conhecer a própria mente. Quem ignora a própria mente, não pode controlá-la, pois estará apenas lutando com um fantasma, não obtendo assim nenhum resultado. Então, antes de tudo, precisamos saber sobre nossa própria mente. Qual é a essência e a qualidade da mente? Qual é o aspecto real, a existência real e o objeto verdadeiro da própria mente? Será que a nossa mente também enfrenta a dificuldade de confirmar a sua existência real, como os discos voadores, que foram considerados objetos não identificados, desconhecidos? Mas, de fato, um objeto ou um assunto relacionado com qualidade, capacidade, fato ou possibilidade não confirmada e desconhecida, cria, normalmente, atração. Um objeto desconhecido, ou que se tem dificuldade de confirmá-lo, cria atração. Portanto, a atração pelos discos voadores e, mundialmente, muito grande, porque ninguém ainda os confirmou. Há pessoas que dizem já ter encontros com esses seres extraterrestres, como também afirmam já terem viajado junto com eles dentro de suas naves, etc., mas oficialmente ainda não está confirmado. Por esse motivo cria muita atração. A atração, relacionada com o controle mental, é analogamente muito grande. Controle mental é moda, hoje em dia. Mas essa moda está baseada na ignorância sobre a mente. Ninguém a conhece, como o disco voador. Nossa mente cria atração, porque se assemelha a um "objeto" não identificado, não confirmado e desconhecido. Por que a mulher atrai o homem e o homem atrai a mulher? Porque esses "objetos" são mutuamente desconhecidos, não identificados. De fato, é muito difícil de se entender mutuamente. Aparentemente demonstramos entender, mas não é fácil de se entender. Se alguém já confirmou seus conhecimentos, confirmando e identificando completamente sua esposa ou esposo, lamentavelmente é um caso perdido. Se acham que já estão mutuamente realizados, em relação ao conhecimento e

identificação completos, este caso é um caso perdido. Por que? Porque assim desaparece a condição atrativa entre mulher e marido. Se já se conhecem, então a atração desaparece. Realmente, não é tão fácil. Mesmo demorando muito tempo para conhecer completamente, perde-se o interesse no momento do conhecimento completo. Por que ninguém sente atração pelo cadáver? Pelo contrário, sentimos até uma sensação de repulsa e antipatia. É porque o cadáver não se movimenta, não esconde nada, nem manifesta nenhuma sensação vergonhosa. Mostra tudo, entrega tudo, sem resistência e sem nenhuma reserva. Portanto, a mulher e o marido que sentem reciprocamente uma satisfação completa, sem dependência e sem arrependimento nenhum, através da confirmação e identificação completas, sem dúvida nenhuma e sem nenhum elemento oculto, mostrando tudo e entregando tudo, é muito perigoso; é semelhante ao estado do cadáver ou do moribundo. Por exemplo, a mulher que tem facilidade de revelar sua qualidade e capacidade inteira, mostrando tudo e entregando tudo, sem reserva, sua atração já estará completamente perdida. Essa realidade é muito importante. Realmente, a mulher que gosta de se aproximar de qualquer homem com maior facilidade, mostrando seu físico o máximo possível, destrói a atração verdadeira e profunda da sua feminilidade. Por que todos sentem uma grande atração por Deus? Esta atração é, na realidade, incomparavelmente maior. É devido ao fato de que Deus nunca mostra sua figura a ninguém, mesmo que seu movimento universalmente grande esteja sendo manifestado a cada momento. Existem dois elementos principais que determinam nossa atração para com Deus. O primeiro deles é que ninguém nunca pode identificar a capacidade e a qualidade de Deus, ainda que mobilizando todos os poderes da ciência atual. Portanto, mesmo usando toda a capacidade que possuímos, nunca foi possível identificar a Deus, nem sequer nas formas mais elementares da sua manifestação. O segundo elemento é a manifestação do movimento produtivo de Deus, incomparavelmente superior, ainda que escondendo completamente sua figura. Estes são os dois elementos fundamentais da atração por Deus. Isso é inteiramente contrário ao fato do cadáver, que mostra totalmente sua figura sem manifestar nenhum movimento produtivo, não atraindo ninguém. Observando esses dois lados extremos, cheguei à conclusão sobre as condições fundamentais da atração. Isso é muito importante. A atração não está somente relacionada com a parte exterior. A atração é a base da autoconfiança. Quem não sente atração pela própria existência, isto significa que essa pessoa já perdeu a confiança em si mesma. Essa condição fundamental da atração é a base da observação construtiva da própria existência. As Condições Fundamentais da Atração 1.a O movimento e a expressão progressivos, produtivos e estéticos, proporçionais.

2.a A manifestação mais oculta, com a mínima confirmação ou identificação. Ao querer se aparecer Sem a OREM DA Perde-se a atração ao confirmar-se Ao querer se mostrar PRINCIPALIDADE E DA Perde-se a atração ao identificar-se Ao querer se aproximar COMPLEMENTARIEDADE Perde-se a atração ao se conhecer Perde-se a atração para a utilidade A primeira condição de atração em qualquer relacionamento, externo ou interno, é o movimento e a expressão progressivos, produtivos e estéticos, proporcionais. A segunda condição é a manifestação mais oculta, menos confirmativa e sem identificação. Isso é muito interessante. Comparando a primeira condição com a segunda, podemos ver que são completamente diferentes. A primeira, mostra o movimento; a segunda. oculta, é a qualidade interior, não confirmativa e sem identificação, que resulta na manifestação do movimento exterior. Como podemos realizar isso, mostrando a capacidade mas sem aparecer? A primeira vista, parecerá o contrário. Somente com a aplicação do Princípio Único é que podemos criar essa manifestação mais oculta, não confirmativa e sem identificação externa. Quem quiser manter sua capacidade inesgotável de atração terá que, inevitavelmente, adquirir essas duas condições fundamentais da atração humana, obedecendo à ordem proporcional da principalidade e da complementariedade, do que é principal e do que é complementar. Precisamos perceber a ordem da existência conjunta do principal e do complementar. Essa ordem é muito importante, é a base. É preciso então adquirir estas duas condições fundamentais da atração humana, obedecendo à ordem proporcional da principalidade e da complementariedade. Para obedecer às duas condições indispensáveis da atração infinita é preciso se abastecer com as duas qualidades de energia, a principal, celestial, e a complementar, terrestre. Quando observamos a ordem da existência do ser humano, como também de qualquer coisa existente no nosso mundo, podemos confirmar a obediência de todos os seres à ordem do abastecimento com as duas qualidades de energia, a principal, celestial, e a complementar, terrestre. Precisamos ter consciência dessa proporção principal, celestial e complementar, terrestre. Esta é a base do desenvolvimento da nossa visão, dentro da ordem do Universo. Quem não percebe a existência da ordem proporcional da energia principal celestial e complementar terrestre, perde o dote da sua atração infinita, ignorando a origem de qualquer problema, que é uma conseqüência da própria incompreensão. A maneira infalível de conservação perfeita da própria atração durante a vida inteira é a religação contínua com a ordem proporcional da energia principal (celestial) e complementar (terrestre). Essa é a base da atração. Isso é muito importante, é a Na confirmação de Na identificação com No conhecimento de Sem reserva

maneira infalível de conservação perfeita da atração da vida humana. Quem procura a solução de qualquer problema da vida, dentro dessa ordem proporcional da energia celestial e terrestre, imediatamente poderá encontrar o seu próprio caminho na solução de quaisquer problemas, como o confronto com a preocupação, com o descontentamento, com a insatisfação, com a inquietação, com a inconveniência, com a insuficiência, com a descrença, com a confusão, com a impaciência, com a pressa, com o dilema, com a incompreensão, com a concorrência, com a derrota, com a competição, com o insucesso, com o arrependimento, com o complexo de inferioridade, com o desespero, com o impasse, com a insegurança e com o medo. 2. A ORDEM DA PRINCIPALIDADE E DA COMPLEMEN-TARIEDADE O estudo prático do Autocontrole Mental é um assunto muito atraente para as pessoas de hoje, especialmente para as que enfrentam as dificuldades inerentes à sobrevivência humana. A mudança ou a inversão dessa posição lógica da principalidade e da complementariedade, isto é, do complementar para principal e o principal se tornando complementar, é a causa fundamental da confusão dos nossos dias, o que significa o retrocesso logarítmico espiralado, isto é, a volta ao ponto originário e anterior à ordem proporcional. A mudança da ordem da posição, isto é, a colocação do principal no lugar do complementar e do complementar no lugar do principal, é a causa fundamental da confusão de hoje: pior ainda, está havendo uma regressão espiralada e logarítmica dentro desse processo de volta ao ponto originário e anterior à ordem proporcional. Podemos observar a ordem do desequilíbrio dentro do símbolo de yin e yang. Conscientemente coloquei a potência positiva, yang, como sendo menor. A parte maior é yin. Geralmente se usa as duas partes proporcionalmente iguais. Mas eu criei uma forma mais real para simbolizar o movimento do Universo ,como mostra o símbolo acima. Sempre existe a parte principal e a parte complementar. Relacionamento é desequilíbrio; vida é desequilíbrio, dentro da ordem do equilíbrio gradual. Para se desenvolver o entendimento sobre a globalidade do nosso mundo, precisamos compreender o sentido do equilíbrio e do desequilíbrio. O estudo do mundo atual é uma cena da proporção inversa de todos os aspectos, como se todos estivessem andando de cabeça para baixo. O coração parece estar querendo comandar a cabeça; a matéria parece estar querendo dividir o espírito; o criminoso parece estar querendo tomar conta do mundo; a falsidade parece estar querendo expulsar o verdadeiro; a quantidade querendo transformar a qualidade; a imoralidade parece estar querendo ensinar a moral inversa; a injustiça parece estar querendo controlar a justiça; o preguiçoso parece estar querendo dirigir o trabalhador; o infiel e impudico recebendo mais aplausos que o virtuoso e o casto; a improbidade querendo superar a honestidade; a técnica querendo conquistar o principio; o parcial querendo ajustar o total; a medicina cirúrgica, parcial, querendo liderar a medicina interna, global; o egoísmo nacional querendo realizar a paz mundial; etc. Quando observamos a política, podemos também constatar a mesma tendência, isto é, a

ilegalidade querendo registrar-se como lei legal. Finalmente, a tendência atual é a da inferioridade querendo dominar a superioridade. É realmente incrível. Por isso, todos estão perdendo a direção e a esperança. A maioria das pessoas conscientes estão sentindo, dia a dia e cada vez mais, uma grande dificuldade na aplicação da capacidade própria, mergulhadas nas vicissitudes externas da vida atual e confusa. Há um grande desequilíbrio entre as pessoas, relacionado com o autocontrole da ordem proporcional da principalidade e da complementariedade. Quem tem capacidade de observar a ordem proporcional da principalidade e da complementariedade pode reagir, isto é, pode se manter dentro da ordem, para se desenvolver. Quem não tem esta condição, a do auto-controle, mesmo obedecendo à ordem proporcional, não atingirá o objetivo proposto. A sociedade atual vive o seu momento extremo de complexidade pois, paralela e proporcionalmente ao progresso tecnológico, está destruindo a tranqüilidade, a paz, a liberdade, a humanidade, a solidariedade, a fé, a fraternidade, a moralidade, a fidelidade, a justiça, a consciência, a segurança, a resistência, a alegria de viver e, ao mesmo tempo, criando um relacionamento humano de hipocrisia, de espionagem mútua, de aproveitamento momentâneo, de competição, de saqueamento, de concorrência, de fuga, de escape mútuo à responsabilidade, de afastamento, de indiferença, de isolamento egocêntrico, de indolência e de degeneração geral. Este é o resultado da incompreensão da ordem proporcional da principalidade e da complementariedade. Portanto, se não praticarmos a ordem infalível da proporcionalidade, não poderemos sobreviver, mesmo nos alimentando corretamente, dentro do equilíbrio da qualidade e da quantidade dos alimentos naturais. Mesmo só comendo arroz integral e mastigando de 100 a 200 vezes, sem perceber a ordem proporcional da principalidade e da complementariedade, nunca poderemos conseguir a condição indispensável para a sobrevivência. Isto significa que não adianta apenas nos alimentarmos com o alimento complementar, isto é, estomacal. É necessário também o alimento principal, o mental. Esta é a chave da ordem do pensamento, da ordem do controle da nossa vida. Entretanto, existe a ordem progressiva da relatividade espiral logarítmica, da mudança ou inversão entre a principalidade e a complementariedade, paralelamente com a passagem da idade. A primeira metade da vida humana, desde o nascimento até aos 30 ou 40 anos, dentro da ordem da estrutura, da função e da proporcionalidade do desenvolvimento, que é mais físico, é controlada pela alimentação estomacal. Nessa idade, a alimentação física é a principal, e a alimentação mental é complementar. Na segunda •metade da vida, dos 40 ou 50 anos até aos 80 ou mais, a realização é principalmente mental, espiritual. Esta segunda parte posterior da vida é controlada pela alimentação cerebral. Nessa fase, a alimentação mental passa a ser a principal e a alimentação estomacal passa a ser a complementar. É uma mudança yin/yang. Aos 25 ou 30 anos, deverá estar terminada a fase da construção física, dando início assim à construção interna, mental e espiritual da personalidade, concentrando e direcionando a vida para a frutificação. A primeira parte da vida é a da formação e, a segunda, a da frutificação. Estas duas

partes são diferentes. Para entendermos a ordem proporcional da estrutura e da função na evolução humana, não precisaremos estudar, em especial, a ciência complicada e sofisticada. Quando observamos conscientemente o fato real da revolução natural, em qualquer fenômeno natural, podemos entender facilmente a razão evidente e o mecanismo completo das vicissitudes da vida humana, incerta e inconstante. Quem quiser realmente reconhecer a existência positiva da possibilidade infinita humana, precisará indispensavelmente obedecer ao movimento relativo, espiral e logarítmico da ordem natural. A atividade principal do tempo, da primeira parte da vida, desde a germinação até à florificação da planta, é o crescimento completo, a formação fundamental da sua existência. Sua atividade principal, logo depois do cruzamento entre o pistilo e o estame, é a frutificação completa. Essa frutificação completa é a concentração final da vitalidade total da planta. A atividade principal da primeira parte da vida humana, desde o nascimento até a adolescência, é também o crescimento completo e a formação fundamental do corpo físico. A atividade principal logo depois do casamento é a formação completa e a concentração profunda do espírito paterno e materno. Portanto, quem não obedece essa ordem progressiva da proporção principal e complementar da vida humana, inevitavelmente criará várias formas de problemas, tais como auto-confusão e autodestruição, como doentes, fracos, dependentes, apegados e intoxicados, assim como os amores prematuros, os casamentos imaturos, as mães solteiras, os casais separados, os degenerados, os indecisos, os impasses, etc. Esse é o resultado da ignorância sobre a ordem proporcional daquilo que é principal e daquilo que é complementar. O único caminho existente que oferece a possibilidade certa do auto-aperfeiçoamento é a obediência absoluta à ordem infalível da natureza onipotente. A decadência, a degeneração, a imoralidade ou qualquer outra forma destrutiva, é o resultado da ausência da natureza, do esquecimento, do afastamento, do engano, do saqueamento, da destruição, da ignorância, da fuga, da indiferença, do desrespeito e da ingratidão para com a natureza. Enfim, ninguém poderá desobedecer à ordem proporcional entre a principalidade, a parte celestial, e a complementariedade, a parte terrestre, se quiser aperfeiçoar sua única vida, a qual nunca poderá ser repetida. Quem quiser aproveitar essa possibilidade, para realizar a combustão completa da capacidade própria, terá que obedecer, inevitavelmente, à ordem da principalidade e da complementariedade. Quem já compreende a ordem da função relativa de yin e é um abençoado. Para quem ignora a existência da ordem do equilíbrio de Ying e yang é praticamente muito difícil de conhecer a natureza incógnita, baseada na simplicidade, mesmo possuindo títulos especiais como os de agrônomo, naturalista, geógrafo, biólogo, geólogo ou quaisquer outros relacionados com as ciências naturais. Mesmo tendo esses títulos e não entendendo essa ordem proporcional de yin e yang, não poderá perceber a existência real da ordem proporcional entre a principalidade e a complementariedade. No mundo atual, quase todas as pessoas estão completamente cegas, surdas e mudas, não percebendo a existência indiscutível das proporções de

yin e yang em todos os fenômenos da vida, ainda que comendo, trabalhando, conversando, olhando, escutando, pensando, estudando, sentindo e vivendo. Simplesmente não enxergam nada: não escutam nada! De nada adianta trabalhar, construir, estudar, pensar, procurar, encontrar, segurar, sem a aplicação consciente da ordem proporcional em cada momento consecutivo, em cada encontro. É preciso, portanto, haver uma preparação adequada. No entanto, isto será apenas um acontecimento insignificante, de passagem momentânea, um sonho efêmero, como o brilho instantâneo de uma gota de orvalho da manhã. Somente com o preenchimento da memória, até a estafa intelectual da sabedoria limitada, ou com os estudos excessivos sobre assuntos detalhados, sem utilidade prática e criativa, não haverá nenhum aproveitamento satisfatório. Portanto, não precisamos mais encher, cobiçosamente, nossas cabeças com conhecimentos e informações fragmentados. Para nós, o mais importante é a prática do uso das sete chaves que controlam as sete gradações principais e complementares da ordem da vida proporcional. Se cada um descobrir sua própria capacidade infinita, através do estudo aplicado, na teoria e na prática do Princípio Único, poderá considerar um grande sucesso, mesmo se lembrar de apenas uma parte da porção principal. O estudo e aplicação, na teoria e na prática, da ordem proporcional da principalidade e da complementariedade é a base principal para o desenvolvimento da ordem complementar. Essa ordem está aplicada em todos nós. O descobrimento continuo da principalidade em cada momento é a base do autocontrole mental e da auto focalização consciente, o que proporciona a condição ideal de realização de qualquer objetivo desejável. Portanto, devemos aplicar a ordem principal da principalidade e da complementariedade. Fazendo uso prático e aplicado da ordem da principalidade e da complementariedade, poderíamos perguntar: Qual é o seu plano principal de vida para um dia, um mês, um semestre, ou para daqui a um, dois ou três anos?
"

Esses não seriam planos complementares?"

"Por que você considera esses planos como sendo principais? Quem obedece à ordem principal e complementar desenvolve; não há outra direção. Cada um precisa descobrir a falta da ordem proporcional em sua própria vida. Sempre há uma parte em desequilíbrio. A decisão, com referência ao que é principal ou complementar, depende do sexo, da idade, da constituição, da atividade, do trabalho, do tempo, do lugar, da percepção da vida, etc. A base dessa decisão depende da ordem do equilíbrio na alimentação principal e complementar e na qualidade e quantidade de alimentos.

Portanto, antes de qualquer coisa, precisamos definir e determinar a proporção principal e a complementar de qualquer assunto que se tenha que enfrentar. A Proporção Fundamental da Principalidade e da Complementariedade da Vida Humana PARTE PRINCIPAL DA VIDA (51% a 100%) PARTE COMPLEMENTAR DA VIDA (0% a 49%)

Espiritualização Mentalização Intelectualização Teorização Individualização Subconsciência Posição sentada ou deitada Relaxamento

Materialização Corporificação Instinto Técnica Sociabilidade Conscientização Posição em pé Tensão

Pensar Dormir Parar Descansar Observar Reservar Segurar Escutar Reduzir (frear)

Executar Acordar Movimentar Trabalhar Experimentar Descarregar Soltar Falar Acelerar

A comparação entre a parte principal e a parte complementar da vida é muito interessante. A vida humana, em estado de vigília, significa apenas 50% do total, sendo que, a outra metade, passamos dormindo, de forma parada, descansada, relaxada, inconsciente, apática e monótona. Portanto, durante o estado de vigília, precisamos nos movimentar o máximo possível, a fim de realizar a combustão completa da nossa vida. As pessoas de constituição yin, passivas, precisam se movimentar muito mais ainda. Aplicando também a ordem da proporção à revolução principal e complementar, podemos observar que quem se preocupa com a revolução social apresenta um desequilíbrio mais para a parte complementar. Mais de 51% já pertence à proporção principal. O desequilíbrio, relativo à ordem proporcional é sempre devido à inversão

da parte complementar, fazendo-a principal. A verdadeira revolução, principal, é a revolução individual, que deve representar mais de 51%. A revolução social, complementar, deve representar menos de 50% em relação à revolução individual, principal. No tocante à nossa mente, aplicando também a ordem do relacionamento proporcional, o subconsciente é a parte principal e, a consciência 1 a parte complementar. Não devemos confundir "subconsciência" com "inconsciência". Inconsciência é um estado de dormência mental, enquanto que subconsciência significa "mergulhado". Acrescentando mais alguns relacionamentos, podemos considerar, como parte principal, a postura em pé, o trabalho, o tônus muscular firme, o experimento, a reserva energética e, a parte complementar, a posição sentada (deitada), o descanso, o tônus muscular relaxado, a observação, a descarga energética, respectivamente. A ordem proporcional da principalidade e da complementariedade está se invertendo, o que provoca o desequilíbrio, a contusão, a desarmonia, a desordem, a insegurança, a doença, o medo, a degeneração, a injustiça, o impasse e a falência fatal da vida da sociedade humana. A ordem proporcional da principalidade e da complementariedade não é necessária somente para o equilíbrio na alimentação física, apesar desta ordem ser a base indispensável de tudo. A ordem proporcional da principalidade e da complementariedade também é muito importante na auto-educação, na educação familiar, na educação escolar, enfim, na educação de todos os seres. II AUTO-REALIZAÇÃO PELO CONTROLE MENTAL 1. A FORMAÇÃO DA MEMÓRIA, DA IMAGINAÇÃO E DO ENTENDIMENTO A palavra controle é usada aqui no sentido de equilíbrio. Sem controle não pode haver equilíbrio. Controle é equilíbrio. Controle mental é, exatamente, o controle da vida, equilíbrio da vida, especialmente da vida educativa. A base da educação da vida é a educação da criança. Por isso, para o desenvolvimento da capacidade humana, a aplicação da filosofia do Princípio Único é indispensável. Existem duas formas, dois aspectos, duas ordens opostas, de totalidade e parcialidade, de principalidade e complementação, de globalidade e fragmentação, de força centrífuga e centrípeta, de negativo e positivo, de yin e yang, na formação da memória, da imaginação e do entendimento. São ordens existentes, como a da polarização antagônica entre magnetismo e eletricidade, os sexos opostos, etc. Para facilitar a compreensão rápida desta inversão relativa, podemos citar as duas

maneiras existentes de desenhar e pintar. É um exemplo muito interessante para se entender os dois aspectos, yin e yang, da vida. Uma delas é desenhar livremente o esboço geral, com visão global, total e principal, antes de se dedicar aos detalhes parciais, fragmentários e complementares. No entanto, este método pode ser questionado. Sem a preparação básica e a execução minuciosa e parcial, como poderia ser desenhado o quadro total, global e principal? Seria o caso de uma construção sem base sólida, isto é, insuficiente. A outra maneira é a de se desenhar minuciosamente cada parte com detalhes da imagem objetiva, unindo-os pouco a pouco, até formar o quadro completo. Mas esse método também teria algumas falhas inevitáveis pois, apesar de todas as partes minuciosas do desenho estarem realizadas, poderia se perder a imagem viva, verdadeira e total da pintura. Quando desenhamos, por exemplo, um pavâo, com a máxima fidelidade possível, dando uma aparência real a cada pena, contando a quantidade de pêlos de cada uma delas, o que aconteceria? Seria apenas a representação pura da realidade, não fazendo transparecer a visão global. O pavão pareceria um monstro, pois perderia sua verdadeira imagem, natural e livre. Os Dois Caracteres Diferentes da Personalidade Humana PRINCIPAL (GLOBAL) Intuitivo Sintético Filosófico Subjetivo Genérico Liberal Visão Telescópica Visão Global COMPLEMENTAR (PARCIAL) Lógico Analítico Matemático Objetivo Minucioso Prudente Visão Microscópica Visão Parcial

Estes aspectos são sempre relativos. O descobrimento através da intuição é uma realidade muito importante, similar à comprovação pela lógica e à criação pela crítica. Portanto, o descobrimento sem a intuição, a comprovação sem a lógica e a criação sem a crítica, um sempre relacionado com outro, não podem existir separadamente no mundo fenomenal. Caso contrário, suas relatividades ficariam incompatíveis, incompletas, insuficientes, improdutivas, inconseqüentes e insignificantes. É indispensável a existência desses dois lados equilibrados. O entendimento profundo, sem o intermédio da intuição, não existe, como também a relação idêntica da análise sem a síntese, do concreto sem o abstrato, do objetivo sem o subjetivo, da força centripeta sem a força centrífuga. Essa ordem é comprovada pelo nono teorema do Principio Único: ''Não existe yin

absoluto nem yang absoluto. Yin e yang se caracterizam relativamente". Todas as coisas contêm a polaridade em todos os estágios de sua composição. Tudo é um agregado antagônico, incerto, inconstante, de yin e yang. Também podemos confirmar positivamente a origem dos indivíduos desiguais, aplicando a lei da não identidade da ordem do Universo, que manifesta: "Não existem dois entes iguais". Entretanto, a maioria das pessoas ignora essa ordem da desigualdade, assim como ignora a ordem proporcional da principalidade e da complementariedade. Sem sentir o vento, não se percebe a existência do ar. Quando não se encontra algum motivo forte, também não se percebe a ordem do Universo. Mesmo tendo muitos motivos fortes, assim mesmo a sensibilidade receptiva de cada pessoa é completamente diferente, pois isto depende da função proporcional entre o cérebro e o cerebelo, que controla os nervos simpáticos e parassimpáticos, a consciência e o subconsciente. A observação, a imaginação, a memória, o entendimento, a realização e outras quaisquer expressões correlatas, estão sempre relacionadas com os dois aspectos de yin e yang, de principal e complementar, de global e parcial, o que expressa os dois caracteres diferentes da personalidade humana. 2. A PRÁTICA DO AUTOCONTROLE MENTAL Quando o indivíduo desequilibra a função proporcional entre o cérebro e o cerebelo, que domina a formação da personalidade individual, produz-se dois caracteres anormais de yin extremo ou yang extremo, sendo este um grande realizador externo, físico e material e, aquele, um grande realizador interno, mental e espiritual. Assim, podemos classificar dois tipos de realização de vida, em conseqüência da proporção do funcionamento cerebral, o material e o espiritual. O prodígio do pensador, do escritor, do teórico, do idealista, do educador, do artista, do projetista, dos religiosos, dos médiuns, do megalomaníaco e dos intelectuais é o fruto de Yin extremo, com o funcionamento dominante do cérebro e do sistema nervoso simpático. O talento do executivo, ao empresário, do empreendedor, do industrial, do mercantil, do negociante, do produtor, do técnico, do mecânico, do inventor, do pioneiro, do explorador, do revolucionário, do administrador, do construtor, do político, do conquistador, do aventureiro, do soldado militar, do atleta, é obra resultante de yang extremo, como conseqüência do funcionamento dominante do cerebelo e do sistema nervoso parassimpático. É a expressão yin e yang da ordem da natureza da qual ninguém pode escapar. Quase todos os sucessos e êxitos do descobrimento, da criação, do progresso e da invenção do ser humano, são as manifestações anormais e os desequilíbrios extremos de yin ou de yang. Portanto, tudo é o resultado do desequilíbrio. Por isso, não precisamos nos Preocupar com o desequilíbrio. O desequilíbrio é o passo inicial para a realização fora do comum. Portanto, quem tem medo de se desequilibrar, dificilmente conseguirá o sucesso, o auto-descobrimento, a auto-criação e a auto-realização. Então não se deve sentir medo. Quem não se encontra com o vento, não pode

confirmar a existência do ar. Quem não se depara com um fenômeno anormal, ou com algum desequilíbrio ou dificuldade, não pode perceber a existência da verdadeira capacidade própria. Sem encontrar algum motivo ou necessidade, não se pode perceber a manifestação desses fenômenos. Sendo o Brasil um país muito pacífico e sem problemas, seria muito bom se criássemos alguma motivação mais positiva, a fim de que pudéssemos descobrir a capacidade profunda, latente em cada indivíduo. A capacidade global do ser humano é incalculavelmente grande. Entretanto, quando comparamos as duas capacidades, a principal e a complementar, dentro do nosso mini-universo, não podemos acreditar na capacidade principal, aquela do subconsciente e que, se fosse expressa mesmo em uma pequena parte, revelaria nossa faculdade sobre-humana. A capacidade complementar, que é a parte consciente, é inacreditavelmente muitíssimo pequena, comparada com a capacidade principal da parte subconsciente, insondável. Ninguém pode medí-la, tal é a sua profundidade. A nossa mente, a parte consciente, é apenas uma parte bem limitada da consciência global, assemelhando-se à parte visível de um iceberg gigantesco no mar profundo. A chave secreta do autocontrole mental e da auto-realização imediata é exatamente a escavação, a movimentação e o aproveitamento desta capacidade recôndita, bem profunda: Quando observamos continuamente apenas a aparência normal da vida individual, sem enxergar nada do lado interno, oculto, anormal, nunca podemos saber algo da vida real dessa pessoa, porque a relação humana no que toca à parte visual e complementar é de apenas 5 a 10%. Observando-se também a performance do drama no palco, poderíamos dizer que é a mesma coisa. Para a realização de apenas uma hora de espetáculo no palco, com figurinos e cenário completos, podemos imaginar quantos dias seriam necessários para a preparação da peça teatral, incluindo o estudo prático, o treinamento, etc.? Portanto, quem não percebe o lado escondido da dificuldade, do sofrimento, do sacrifício, da luta no reverso do palco teatral, nunca poderá entender o valor verdadeiro do drama inteiro. Noventa por cento da vida apostada para a realização do drama no palco é o lado completamente escondido em seu reverso. A relação entre a parte consciente, visível, e a parte subconsciente e insondável da vida humana é perfeitamente igual. Aquela aparência com a qual sempre nos preocupamos e mostramos interesse é muito pequena, uma parte insignificante. Mas, assim mesmo, damos a ela uma importância capital. Por isso, criam-se sempre problemas. A nossa vida cotidiana é a auto-realização do drama consecutivo, no palco da existência, mostrando a passagem das várias cenas das vissitudes da vida individual. Portanto, assistindo ao espetáculo, em pé ou andando, apenas a uma ou a duas cenas parciais, complementares e momentâneas do drama da vida pessoal, será muito difícil de se entender o verdadeiro valor do drama pessoal e global, mesmo mostrando cenas momentâneas de felicidade ou infelicidade, de alegria ou tristeza, cheias de esperança ou de impasse e desespero, com facilidade ou dificuldade, tendo o vento favorável ou contra, estando confortado ou no sofrimento, recebendo o bem ou o mal, o justo ou o injusto, no palco da vida individual. Realmente, quando assistimos apenas a uma parte da cena de um drama principal, ou apenas à

parte complementar do entre-atos, dentro do drama global, não nos damos por satisfeitos. No drama do palco da vida humana também existem as cenas principais, dramáticas, e as cenas complementares, os entreatos, os improvisos. Portanto, sem que cada um manifeste sua capacidade focal, essencial, em seu próprio drama principal, mostrando a grande diferença com relação ao drama complementar, o entre-ato, não se poderá perceber a diferença entre o papel principal e o complementar dos atores. O que ocorrerá é a confusão entre o climax e a catástrofe, o zênite e o nadir, o fluxo e o refluxo das ondas do mar. Isso é muito perigoso. Quem não perceber a ordem das vicissitudes reversíveis de yin e yang, de subida e descida, de zênite e nadir, de progresso e queda, de fluxo e refluxo, será muito difícil de entender o drama total e maravilhoso no palco teatral do Universo, confundindo o espetáculo do clímax com a catástrofe no mundo relativo. Para quem ignora a mudança constante do fluxo e refluxo das marés, é muito perigoso entrar no mar. Para quem ignora a mudança sintomática de yin e yang no corpo humano, também é muito perigoso tratar de doentes. Essa pessoa, ignorante da ordem principal e complementar do corpo humano, não terá condições para enfrentar com nenhum doente, mesmo fazendo uso de todas as teorias e práticas terapêuticas superiores. O verdadeiro tratamento não é dependência, nem condicionamento. É auto-libertação, auto-realização e autocriação. A vida humana é um teatro vivo e consecutivo, onde se aprende e pratica os monólogos, os diálogos, as interpretações das várias cenas principais e complementares. Precisamos reconhecer nossa posição de títeres e fantoches, que estão sendo movimentadas pela ordem do Universo, através da energia celestial, principal, e terrestre, complementar. Finalmente, o importante é o descobrimento criativo da obra de toda a vida e a auto-focalização consecutiva da capacidade máxima possível dentro do drama principal de toda a vida. Nisso merece ser apostada a vida inteira, sem arrependimento. 3. A RELAÇÃO DO SUBCONSCIENTE COM A AUTO-SUGESTÃO E COM A AUTO-HIPNOSE O destino do mundo visível, consciente e relativo, sempre foi controlado pela força invisível e oculta do mundo insondável, como a relação semelhante entre a encenação do drama no palco e a direção escondida no reverso do palco. Sempre a parte escondida é a que controla e dirige a parte aparente. No nosso corpo também acontece a mesma coisa. A função do subconsciente individual, escondido no reverso da consciência, é também perfeitamente idêntica. Quando o homem descobriu a utilidade do fogo e do sal, assumindo também, gradativamente, a posição ortostática, o tamanho e a função cerebral se desenvolveram espantosamente, além do estímulo mútuo extremo da sociedade humana, que acelerou a expansão do seu cérebro, ao mesmo tempo que essa massa esponjosa dentro do crânio apertado ia formando os inumeráveis sulcos, aumentando assim sua capacidade de determinação e ação dentro da complexa estrutura e

funcionamento da sociedade. Entretanto, apesar do desenvolvimento extremo dessa estrutura rugosa e de função hipersensível, ainda utilizamos apenas 10% da capacidade total do cérebro em nossa vida consciente, o que é muito pouco. É preciso se lembrar da época fulgurante e magnífica das civilizações espirituais dos séculos passados. Elas produziram grandes pensadores, realizadores, inventores, profetas, videntes, sacerdotes, escritores, educadores, etc. Logo depois de atingido o zênite, o cume do desenvolvimento cerebral, veio a queda rápida, a descida ao nadir profundo da época escura, criando a idade de ouro do desenvolvimento rápido do cerebelo, dando origem à técnica, ao desenvolvimento mecânico, e culminando na onipotência material. Quando se desencadeou o desenvolvimento rápido da função mecânica do cerebelo, que está relacionado com a mecanização do homem, começou também a atrofia do cérebro humano, o que o levou a arquivar a sua capacidade hiperdesenvolvida nas profundezas dos vales dos sulcos. O mundo atual foi então assim se formando e caracterizando o seu relacionamento impulsivo e materializado. O domínio do cerebelo enterrou o funcionamento vivo do cérebro. O cérebro é que controla o relacionamento humano, espiritual e racional.. Este processo encarcerou a capacidade hiperdesenvolvida do cérebro humano, deixando-a comprimida e tensa dentro da cápsula do crânio compacto, aguardando uma saída para poder expressar o seu potencial, dentro do subconsciente, onde existem 140 bilhões de tubos a vácuo! Esta capacidade não pode nem ser imaginada, tal é a sua imensidão. A solução fundamental para a degeneração e o impasse atual da humanidade é a reintegração, a regeneração e o restabelecimento da função do cérebro, o qual acumula dentro de si a capacidade superpoderosa do subconsciente insondável. Isto é a base do autocontrole mental e da auto-realização imediata. Para o restabelecimento da função principal do subconsciente, antes de tudo precisamos nos exercitar na prática da auto-subconscientização através da auto-sugestão focal e da auto-hipnotização criativa, na aquisição do estado neutro, pelo treinamento e preparação prática com o desligamento, descarregamento, descondicionamento, relaxamento, desocupação, esquecimento e desmemorização totais. Isto significa um jejum mental completo e uma purificação perfeita da propensão, da inclinação, da tendência e da limitação individual. A prática do auto-esvaziamento completo do cérebro se inicia com o desligamento de todas as influências do passado, tais como os hábitos, costumes, propensões, inclinações, tendências, limitações, condicionamentos, desequilíbrios e círculos viciosos. O presente, o momento, é o único ponto de contato para se realizar o encontro do passado com o futuro. O estado ideal do indivíduo no presente, no momento, deverá ser sempre uma tendência de se inclinar desequilibradamente mais para o futuro. Quem se preocupa mais com o passado não poderá receber a energia viva da esperança. O desequilíbrio destrutivo, construtivo e criativo tem que ser um desequilíbrio mais para o futuro. Quando se desequilibra muito para o futuro, o resultado será o mesmo. A forma contrária, isto é, da tendência inclinada mais para o passado, no presente momento, é a continuação do condicionamento ou da limitação. É o arrastamento do passado no presente.

Por que hoje todos se preocupam com o fim do mundo? Com a insegurança, o medo, a contusão, o desespero, a injustiça, a poluição, a degeneração, o impasse, o desencontro, a infelicidade, a indecisão, a solidão, o sexo, a droga, o dinheiro, o trabalho, o tempo? É porque todos estão desproporcionalmente condicionados pela auto-sugestão e pela auto-hipnotização do passado, isto é, mais desequilibrados para o passado. Quando realizamos a libertação completa do condicionamento do passado, a sensibilidade do subconsoiente genuíno começa imediatamente a funcionar. O lançamento da auto-sugestão, da auto-hipnotização direta no cérebro genuíno, limpo e tranqüilo, sem mancha alguma, é efetivamente muito fácil. O foco da auto-sugestão infalível é o esvaziamento completo do cérebro no presente consecutivo. O presente não é parado, é dinâmico. É necessário esquecer tudo do passado e do futuro, até mesmo da existência de si próprio, no momento presente. Quando adquirimos a tranqüilidade completa do cérebro, já podemos controlar livremente o funcionamento da própria subconsciência, por qualquer palavra sugestiva. Por que todos os pais se preocupam muito com a influência da televisão sobre seus filhos? Realmente, a influência da televisão é muito séria, pois o conteúdo sugestivo da televisão atual é controlado pelo mercantilismo degenerativo e destrói o desenvolvimento normal do cérebro das crianças genuínas. O papel da sugestão e da hipnotização é muito sério, mais do que se possa imaginar, porque a sugestão, a hipnotização, é a base da atividade humana e da decisão de cada momento do destino individual. O processo de esvaziamento mental completo é quase igual ao processo de esvaziamento completo do estômago pelo jejum. É necessário o autocontrole na seleção qualitativa e quantitativa das palavras sugestivas, logo após o esvaziamento mental completo, pois a absorção por parte do cérebro é bem maior, assim como acontece com o estômago purificado e os intestinos limpos, pois absorvem imediatamente os alimentos, após o jejum realizado. O verdadeiro efeito do esvaziamento, da purificação, da concentração e da meditação, será determinado pela qualidade e quantidade das palavras sugestivas que entrarem no cérebro, logo após seu esvaziamento. Por isso, conhecemos várias formas de meditação, principalmente as da yoga. A meditação, em si, é muito simples. O problema é depois da meditação. Qualquer palavra que entrar será facilmente absorvida pelas células. Então, se entra uma palavra negativa ou positiva, pode acontecer a mesma coisa, voltando à mesma tendência. O mesmo se dá com o jejum: se começarmos a comer qualquer coisa, o efeito do jejum será anulado. Por esta razão, precisamos obedecer à ordem do equilíbrio da qualidade e quantidade de palavras sugestivas que deveremos pôr na cabeça pura, para obtermos resultados excelentes e infalíveis, através da auto-sugestão positiva e da auto-hipnotização criativa. O mundo atual é o tempo da inundação das sugestões, das contusões, dos estímulos, como é o fato idêntico da enchente dos alimentos falsos, mercantilizados e envenenados. Nós estamos recebendo a ameaça dos alimentos falsos, envenenados, industrializados e comercializados. Também recebemos a ameaça das

palavras artificiais, falsas, industrializadas, envenenadas e comercializadas. É a mesma coisa para a alimentação estomacal e a cerebral. Ignorando-se a ordem proporcional da palavra principal e complementar, na aplicação da auto-sugestão, será muito difícil a realização satisfatória do autocontrole mental positivo e de auto-educação criativa. As palavras também são digeridas pelo cérebro. A não obediência à ordem proporcional da palavra principal e complementar implica num desequilíbrio, pois na alimentação cerebral também encontramos a parte principal e a parte complementar. O cérebro humano funciona como um aparelho receptor da radiodifusão cósmica, que transmite a energia vital do Universo infinito para o mini-universo humano, obedecendo à ordem do equilíbrio relativo, espiral e logarítmico. Portanto, quando se descontrola o equilíbrio da sugestão, de entrada e saída, de qualidade e quantidade, do principal e complementar, perdemos o controle do aparelho receptor da radiodifusão, criando dificuldades de telecomunicação com a ordem do Universo, aparecendo, em conseqüência disso, a confusão, o desespero, a insegurança, a autodestruição, o medo, o desencontro, a indecisão e o impasse. A vida humana é auto-sugestão cotidiana e auto-hipnotização consecutiva. Quem ignora essa realidade inegável, já não é mais um ser humano, é uma máquina. Para o homem atual, meio máquina, é difícil a realização do autocontrole mental e da auto-hipnotização criativa. Apenas 20% das pessoas de hoje conseguem realizar uns 55% de suas vidas, o que é muito pouco. A maioria delas está sofrendo e morrendo no fosso, sem realizar nem 25% dos dotes de suas capacidades. As pessoas indiferentes à auto-sugestão regenerativa e à auto-hipnotização criativa seguirão, automaticamente, seu destino adequado que será o da auto-degeneração e o da auto-destruição mecânica, como um fantoche jogado fora da ordem.

4. APLICAÇÃO DO PRINCÏPIO ÚNICO NA PRÁTICA DO AUTOCONTROLE MENTAL a. A Prática de Palavras e Pensamentos Sugestivos para o Autocontrole Mental Podemos então praticar a auto-sugestão regenerativa e a auto-hipnotização criativa, escolhendo um pensamento global profundo e uma palavra concreta, diretiva, para lançar no cérebro, agora simplificado. Para essa prática, a posição ideal do corpo deve ser a postura do Diamante ou a de Lotus, no sistema yoga, ou a postura em Seisan. Também podemos permanecer sentados numa cadeira, com as costas eretas, ou mesmo em pé, mas para isso requereria um maior treinamento. Essa prática também pode, como deve, ser feita em movimento, andando. Não devemos nos escravizar à posição estática, padronizada. Precisamos estar preparados para a prática mental em qualquer posição.

A palavra é uma parte da alimentação cerebral, indispensável para o homem, ainda que seu emprego abusivo na sociedade atual confusa a tenha desfigurado. A palavra é um dos causadores principais da ação mental, semelhantemente à alimentação, que é a causadora da ação física. A palavra pode criar livremente um resultado positivo, tornando qualquer assunto produtivo, mesmo estando desprovida da presença do pronunciador. Precisamos desenvolver em cada momento a capacidade prática da nossa auto-sugestão criativa. Não é a cada dia, mas a cada momento, pois a dominância consecutiva e ininterrupta é sempre uma sugestão mais poderosa. O treinamento inicial da auto-sugestão efetiva não deve ocupar muito tempo. A duração inicial da auto-sugestão é a menor possível e o maior número de vezes possível, por dia. O tempo que deve ser gasto em cada aplicação é cerca de 2 a 5 minutos. Entretanto, esse tempo varia, dependendo do desenvolvimento pessoal de cada um, relacionado com sua auto-sugestão criativa. A duração da auto-sugestão pessoal pode ser aumentada gradualmente, até que se atinja a forma da meditação superior. Devemos usar mais consciência na criação de uma palavra-pensamento, que seja efetiva na aplicação da auto-sugestão. Vou expor aqui alguns modelos de pensamento criativo, de palavra positiva para a auto-sugestão efetiva. A sugestão também tem seu aspecto relativo, isto é, tem duas formas: positiva e negativa, ascendente e descendente, direta e indireta, criativa e imitativa, construtiva e destrutiva, independente e dependente, principal e complementar, global e parcial, sempre dentro da ordem de yin e yang. O causador típico da auto-sugestão negativa, imediata, imitativa, destrutiva e descendente é a influência sugestiva da televisão sem moral, da publicidade comercial, dos lixos impressos, do fanatismo e da superstição científica, acadêmica e religiosa. Precisamos então saber o que é auto-sugestão negativa, destrutiva e degenerativa. O exemplo mais concreto, simples e compreensível da auto-sugestão negativa é o uso habitual de palavras e pensamentos como: Eu sou burro! Eu sou burro. Eu sou burro! Eu sou fraco! Eu sou fraco! Eu sou pobre! Eu sou feio! Eu sou incompetente! Eu sou incapaz! sou mentiroso! sou tímido! covarde, medroso, ignorante, inferior, anormal, doente, desequilibrado, atrasado, perdido, louco, criminoso, pecador, ladrão, ingrato, desesperado, etc. A título de experiência, podemos repetir uma dessas expressões acima, como por exemplo: "sou burro", "sou burro", "sou burro", consecutivamente, umas cem, duzentas, quinhentas e até mil vezes. O que poderá acontecer? Ou também repetir: "sou fraco", "sou fraco", "sou fraco", "sou fraco mesmo", "sou muito fraco", cem, duzentas ou mil vezes; ou ainda: "sou doente", "sou doente", "sou doente", o maior

número de vezes possível. Repetindo estas frases negativas, umas mil vezes, verificaremos os resultados físicos conseqüentes. Por exemplo, se repetirmos a expressão: "laranja azeda", "laranja azeda", "laranja azeda", umas cem vezes, constataremos a produção de saliva. Portanto, esse jogo de palavras no cérebro se transforma em realidade, produz um resultado. Por que isso acontece? É porque, pela sugestão, entra em funcionamento o reflexo condicionado. Quem repete, por condicionamento, certas palavras ou pensamentos negativos, obterá também um resultado sempre negativo e degenerativo. b - Auto-Sugestâo Positiva, Construtiva e Criativa Agora, vejamos o outro caso de sugestão, a auto-sugestão ascendente. Atualmente está se expandindo no Brasil inteiro uma religião nova, chamada Seicho-No-Ye. Está se transformando em moda. Há 20 anos, essa religião era muito fraca e completamente desconhecida por aqui. Mas, de 20 anos para cá, desenvolveu-se espantosamente, construindo grandes templos nas principais cidades deste país. Então, por que se desenvolveu tão rapidamente, atraindo o povo brasileiro? É porque lançou o uso de palavras atraentes, de palavras de ouro, de palavras-chave. A frase característica e favorita desta religião é muito interessante. Quando quis entender a razão desse sucesso, logo cheguei a uma conclusão. Realmente é muito simples. Não é uma religião elevada. No Japão, é uma religião inferior. Mesmo assim, desenvolveu-se bastante. A razão desse desenvolvimento rápido foi o uso de um pensamento chave, que é o seguinte: "O homem é filho de Deus", ou na sua forma direta: "Eu sou filho de Deus". Só esta frase, "Eu sou filho de Deus". Essa religião manda seus seguidores repetirem o dia inteiro: "Sou filho de Deus", "Sou filho de Deus", "Sou filho de Deus". Quando um seguidor enfrenta alguma dificuldade, ela manda repetir: "Sou filho de Deus", "Sou filho de Deus". A repetição desse monólogo expressa idéias implícitas, tais como: "Sou filho do Deus, perfeito; sou filho do Deus, todo poderoso; sou filho do Deus, supremo; sou filho do Deus, onipotente". É aconselhado que se repitam, milhares de vezes, principalmente quando de encontro com alguma dificuldade ou em estado de desespero. Todos os seguidores dessa religião são praticamente inconscientes da auto-sugestão positiva, usando a expressão chave: "Sou filho de Deus". Repetindo milhares de vezes, logo ao acordar e prosseguindo durante o dia inteiro, esta palavra-chave tem um efeito impressionante. À primeira vista, esta frase sugestiva parece até um brinquedo infantil mas, como forma de frase sugestiva, é perfeitamente ideal e adequada, porque a condição básica do efeito de uma palavra sugestiva é que ela seja simples, curta, rítmica, concreta e compreensível, o que desperta uma atração maior. Estas são as condições para as palavras-chave mostrarem efeito. A frase: "Sou filho de Deus" é penetrante e satisfatória, atingindo a qualquer pessoa. No cristianismo também existe uma palavra-chave: "Deus é amor", "Deus é amor". Também, como palavra-sugestiva, é consideravelmente uma obra-prima mas, quando a comparamos com a sugestão pessoal e direta da outra palavra-sugestão

"Sou filho de Deus", ela é menos atrativa para efeito de auto-sugestão .Cada um pode experimentar, repetindo: "Sou filho de Deus", "Sou filho de Deus", "Sou filho de Deus", e "Deus é amor", "Deus é amor". O cristianismo também usa uma outra palavra chave: "Jesus é o filho de Deus". Então, só Jesus é o filho de Deus. Assim, a própria pessoa já se sente distanciada. Não tem atuação direta. A palavra chave: "Sou filho de Deus", usada por aquela outra religião, funciona mais diretamente, podendo assim atrair e fortalecer os que a praticam. Comparando a efetividade das expressões: "Sou filho de Deus" e "Jesus é o filho de Deus", podemos perceber a enorme vantagem da primeira. A repetição condiciona o cérebro. Assim, podemos entender, psicológica e analiticamente, a razão evidente da expansão rápida dessa nova religião. Quando verificamos quaisquer atividades coletivas, principalmente as que mostram uma atração poderosa, nos deparamos de imediato com as palavras-sugestão, atrativas e fascinantes, tais como saúde, liberdade, igualdade, amor, felicidade, paz, realização, etc. Podemos também nos lembrar da famosa frase da Bíblia, encontrada no evangelho de João, Cap. 1, verso 1.0: "No princípio era o verbo, e o verbo estava com Deus, e o verbo era Deus". Realmente, o princípio da vida humana era a palavra. O desenvolvimento da personalidade da criança aparece quando começa a falar, o que acelera também o seu desenvolvimento individual, à medida que vai aumentando também a sua capacidade de autocontrole mental, paralelamente com a multiplicação qualitativa e quantitativa de palavras usadas. Sem palavras não se forma a personalidade humana. O homem sem palavras não tem condição de viver como ser humano, nem pode realizar-se e educar-se criativamente. O que acontece hoje é inteiramente o inverso pois, o princípio da vida humana não é mais a palavra, é o dinheiro. Não existe mais a palavra do homem valioso na sociedade atual. Antigamente a palavra era o elemento principal na relação humana. A palavra do homem valia mesmo. Não era preciso fazer contratos Mas hoje, o elemento principal da relação humana é inteiramente o dinheiro. O valor da palavra foi relegado a um plano inferior, sendo que o homem concentra 90% de sua capacidade principal na luta frenética de ganhar dinheiro. De nada adianta gastar a sua energia principal nesta luta. De nada adianta gastar a energia principal na competição diária de ganhar dinheiro, sem obedecer à ordem proporcional da verdadeira principalidade, isto é, o seu uso. A maioria das pessoas não sabe como utilizar o dinheiro. Sabe ganhar bastante dinheiro graças às facilidades encontradas hoje em dia, mas não sabe utilizá-lo. Eu fiz uma análise de cada pessoa, sobre a qualidade e a quantidade de coisas que compram. Realmente, as pessoas não sabem como fazê-lo. É precisamente a essas pessoas que Jesus se referiu ao dizer que os que correm atrás do dinheiro muito dificilmente poderão adquirir a verdadeira realização da saúde, da liberdade, da felicidade, do amor, da fraternidade e da paz. Felizmente, não temos muitas coisas necessárias para serem compradas com dinheiro. As coisas principais e indispensáveis à vida humana, absolutamente ninguém as pode comprar, como por exemplo a verdadeira saúde, a liberdade, a felicidade, o amor, a fraternidade e a paz. Mas há pessoas que ainda pensam poder consegui-las com o

dinheiro. As coisas que podemos comprar com o dinheiro são apenas as coisas complementares, secundárias, as miudezas da vida humana; nunca as coisas principais. Quem não sabe distinguir entre o que deve e o que não deve ser comprado, é porque o funcionamento desse cérebro é inteiramente infantil. imaturo ou degenerado. É como o pensamento da criança, que quer comprar tudo o que vê. Qualquer coisa que ela vê ou imagina, já diz: "Eu quero! Eu quero!" Acha que pode comprar tudo, até a lua. Os gastos inúteis e os desperdícios constituem fatos impressionantes hoje em dia. São as pessoas exclusivistas e egocêntricas, desde as crianças até os adultos de pensamento infantil e imaturo, atuando no palco da vida como cegos, surdos e mudos. O único caminho do autocontrole mental efetivo e imediato e da auto-realização criativa, no mundo atual e confuso, é a regeneração completa da palavra do homem verdadeiro, confirmando a capacidade insondável de seu cérebro, pelo desenvolvimento prático e consecutivo do auto-controle consciente e subconsciente. Dessa forma poder-se-á realizar livremente a transformação da própria vida rotativa e a criação do destino pessoal positivo, selecionando qualitativa e quantitativamente as palavras-sugestão. c. Mantras ou Modelos de Palavras-Chave para o Autocontrole Mental Vamos agora propor nossas palavras-chave para se enfrentar qualquer tipo de problema ou qualquer tipo de influência que possa vir desse mundo negativo em que vivemos. Vejamos então alguns mantras ou modelos de palavras-chave para o autocontrole mental. Quando encontrarmo-nos diante de alguma dificuldade ou problema da vida, será útil repetir essas palavras-chave, poderosas, depois de realizado o esvaziamento do cérebro. Repita várias vezes: Problema é solução. O princípio do problema é o princípio da solução. Quando se encontrar com qualquer dificuldade ou com um grande problema, repita a seguinte frase: Estou sendo experimentado. Hoje em dia, o problema entre pais e filhos é algo muito sério. Há um desentendimento mútuo. Principalmente o filho, não conseguindo um entrosamento com o pai, sobretudo quando o filho faz muita coisa errada, contra a ordem. Mas, mesmo assim, esses acontecimentos são muito bons. Realmente, os jovens de hoje precisam criar o máximo de problemas possíveis para os pais, para o máximo de aproveitamento de suas capacidades, como pais. Esse resultado se verifica no enfraquecimento do relacionamento humano em geral, sendo conseqüência da falta de aproveitamento da experiência verdadeira entre pais e filhos. Por isso, será melhor criar o máximo de problemas para os pais, o que irá enriquecer suas experiências. Então, quando os pais se encontrarem em grande dificuldade, será

muito bom repetir esta frase: "Estou sendo experimentado". Também, se alguém sentir dificuldade em se aproximar da pessoa pela qual está apaixonado, será bom repetir a frase: "Estou sendo experimentado". Assim se concentra mais força na hora de enfrentar. Essa palavra-sugestão é muito positiva. Ela fortalece e estimula a função e a capacidade do subconsciente. Repetindo essa frase, fará brotar ou começará a funcionar o subconsciente. Quando se conseguir um resultado positivo, este terá seu funcionamento multiplicado. Tanto por parte do pai quanto por parte do filho, ou de qualquer outra pessoa, a repetição dessa frase terá efeito persuasor. Fará brotar uma autoconfiança profunda, pois a palavra é vida, realmente. A palavra é a alimentação do cérebro. Sem palavra, não se desenvolve. É preciso alimentá-lo então com palavras mais criativas, mais positivas, mais fortes e mais completas. Ao sentirmos necessidade de aconselhar outras pessoas, repetindo essa frase umas cem ou duzentas vezes, o que poderá acontecer? O que poderemos sentir? Não há dúvida que sentiremos algo. Quando sentirmos uma força, então tudo começará a funcionar, a movimentar. Depois do lançamento dessa frase-sugestão podemos repetir outras palavras ainda mais fortes, como por exemplo: Minha força vital é Inesgotável. Realmente, a sugestão é a própria palavra. Portanto, não existe a sugestão sem a palavra. Precisamos criar a palavra poderosa para realizar a auto-sugestão poderosa. Por exemplo: A facilidade se transforma em dificuldade. Esta frase, inevitavelmente, nos leva à seriedade Mesmo encontrando facilidade para realizar alguma coisa, não devemos nos descuidar, nem nos enganar. Logo, devemos lançar esta frase pois, como alimento, é assimilada instantaneamente, proporcionando o equilíbrio: "A facilidade se transforma em dificuldade". O contrário também é válido: A dificuldade se transforma em facilidade. Em meio às dificuldades, a repetição desta frase-sugestão nos fará sentir facilidade dentro da dificuldade. Esse jogo de palavras, com a aplicação do Princípio Único, mostra uma força enorme. Não é uma repetição do tipo religiosa, mecânica. É, ao mesmo tempo, conscientização dos fenômenos yin e yang em nossas vidas. Salte bem no meio do problema; o centro do furacão é vácuo; o centro da chama é frio. Para esta comprovação, precisamos ler um dos livros que Ohsawa colocou na lista dos livros de leitura obrigatória, chamado: "História Química de uma Vela", de M. Faraday, onde encontramos uma análise científica sobre a vela. Esse estudo mostra

uma ordem de yin e yang. Ele explica porque no meio da chama do fogo é frio. O mesmo se dá com os problemas. Por mais "quentes" que eles sejam, superficialmente, dentro deles é muito frio, como no centro do furacão, onde há apenas vácuo. Quando encontrarmo-nos com um problema, mesmo em forma de furacão, devemos simplesmente mergulhar dentro dele. Nunca fugir. Doente consciente é melhor que são inconsciente. Ignorante consciente é superior que o inteligente inconsciente. Quem pratica a auto-sugestão regenerativa, dentro das 7 ordens do Princípio Único, poderá desenvolver a função principal do cérebro, aumentando assim a sua capacidade. As 7 chaves da ordem do Universo são partes da Sugestão superior do mundo infinito. A primeira diz: Tudo que tem um começo tem um fim. Isso abrange tudo. Deve ser repetida umas 10, 20, 30 vezes. Esta é a lei da inversão. Não existe dificuldade estagnada, imóvel. Sempre está se movimentando, aparecendo e desaparecendo. Se não aparece, também não desaparece. Se aparece, pois bem, o destino do aparecimento é o desaparecimento. Esta é a ordem, sempre. Esta é a lei da inversão. A segunda ordem da natureza diz: Tudo que tem uma face tem um dorso. Esta é a lei da frente e do dorso. A terceira diz: Quanto maior a face, maior o dorso. Esta é a lei do equilíbrio. A quarta diz: Não existem dois entes iguais. O hoje e o amanhã parecem ser iguais. "Como vai o senhor? Igual como estava ontem?" Não é possível, mesmo achando o passado sempre igual. Esta á a lei da não-identidade. A quinta ordem do Universo diz: Todo antagonismo é complementar. Esta é a lei do antagonismo. A sexta ordem diz: Yin e yang são as classificações de toda polarização antagônico-complementar. Esta é a lei da polarização. A sétima ordem diz:

O corpo do princípio do Universo relativo é infinito. Esta é a lei do infinito. Estas leis fazem parte da ordem do Universo, as quais fazem parte de nossos estudos constantes, pois oferecem o reconhecimento do verdadeiro valor da realização da nossa vida. Concentrando ainda sobre os 12 teoremas do Princípio Único, poderíamos completar a teoria e prática do autocontrole mental imediato: 1. A natureza universal é constituída de yin (negativo) e yang (positivo). 2. Yin e yang são produzidos continuamente pela expansão transcendente. Surgem do mundo infinito e retornam ao mundo infinito, revezando-se e dinamizando-se constantemente. 3. A índole de yin (força centrífuga e de expansão) e a índole de yang (força centrípeta e de contração) são completamente opostas. A Interação yin/yang produz a energia no mundo relativo. 4. Yin atrai yang e yang atrai yin. 5. Yin repele yin, yang repele yang. 6. A força de atração aumenta à medida que a diferença entre as índoles yin e yang for maior. A força de repulsão aumenta à medida que a diferença entre as índoles yin ou yang for menor. 7. A natureza universal é a aglomeração de átomos que evolucionam em espiral, sustentando a harmonia de todos os fenômenos produzidos pela combinação de proporções variáveis de yin e yang. 8. Tudo se transforma e se movimenta, incessantemente, de ying para yang e de yang para yin. 9. Não existe yin absoluto nem yang absoluto. Yin e yang se caracterizam relativamente. 10. Não existe nenhum ente neutro. 11. Extremo yin produz yang e extremo yang produz yin, no tempo e no espaço. 12. Todo o corpo físico é yang em seu centro e yin na perifería

Modelo de Leitura Verbal e Sugestiva para o Autocontrole Mental Absoluto Gostaria de apresentar um modelo de leitura verbal e sugestiva para o autocontrole mental absoluto. Esse texto é um modelo, mas de muita força. Aproveitando-o, poderemos criar uma força mental infinita, mesmo para se enfrentar com uma dificuldade. Não diríamos "enfrentar", mas transformar. Não existe realmente o confronto, mas sim, a transformação. O modelo é o seguinte: "Depois do esvaziamento completo da mente, consegui a tranqüilidade profunda no cérebro, no coração, na circulação sangüínea do corpo inteiro, desde as pontas dos dedos dos pés e mãos até a cabeça. Agora, neste momento, neste presente momento, não existem nada mais de coisas passadas, nem de coisas futuras, dentro em mim. Sé existe agora o momento presente. Nada mais. Esqueço-me de tudo, desaparecem completamente todas as tensões dos músculos do corpo inteiro. Escuto bem o movimento completo, silencioso e regular do corpo inteiro. Respiro profundamente, lenta e prolongadamente, o maior número de vezes possível. Observo bem este corpo perfeito, que tem capacidade infinita. Confirmo a estrutura completa e a função infalível do meu corpo excelente e Incomparável. Comprovo a existência positiva da autodefesa e da auto-proteção intuitiva. O Principio Único é um passaporte gratuito e intransferível do governo universal. O Principio Único é o ensinamento vivo da ordem do Universo, que se transforma em todos os seres. Quando obedeço à ordem do Universo, constato que não existe afobamento sem tranqüilidade, tensão sem calma, decisão sem reserva, preocupação sem sossego, sofrimento sem alegria, dificuldade sem facilidade, perigo sem segurança, modo sem coragem, desequilíbrio sem harmonia, problema sem solução, desvantagem sem vantagem. Tudo o que encontro em qualquer lugar do mundo se transforma, reversivelmente, em seu oposto mútuo. Não existe nada parado, fixo e definitivo no mundo relativo, pois tudo obedece à

ordem da mudança consecutiva e à ordem do equilíbrio menor, dentro do equilíbrio maior. O maior afobamento se transforma na maior tranqüilidade. O maior sofrimento se transforma na maior alegria. A grande dificuldade se transforma em grande facilidade. O grande perigo se transforma em grande segurança. O grande desequilíbrio se transforma em grande equilíbrio. O problema mais difícil se transforma em solução mais fácil. Esta é a verdadeira realidade do mundo humano, incerto e inconstante. O fato real, incerto e inconstante da sociedade humana é exatamente a prova indiscutível da existência de possibilidades Infinitas e inesgotáveis. As 7 ordens do Universo e os 12 teoremas do Principio Único são as palavras fundamentais do mundo relativo, que controlam todas as atividades, horizontais e verticais, proporcionando a realização no teatro universal, no palco infinito, equilibrando o movimento vertical do tempo com o movimento horizontal do espaço. Somos também como marionetes, controlados pelos movimentos verticais do tempo e pelos movimentos horizontais do espaço". Este é um modelo de leitura para a autoconfiança. Observando este modelo, podemos então criar a Arte Culinária Mental, selecionando os alimentos-palavra, os mais adequados, em qualidade e quantidade, equilibradamente. Após a concentração na prática da auto-sugestão durante três anos consecutivos, poderemos realizar qualquer sonho da humanidade. Mastigando equilibradamente e respirando profundamente, durante apenas três anos consecutivos, alcançaremos resultados inimagináveis! Apenas três anos! O que separa o amador de um especialista é apenas o tempo de três anos. Essa é a conclusão de minha pesquisa sobre a capacidade do ser humano. Quando concentrarmos nossa capacidade no desenvolvimento de qualquer ramo de estudo, não será preciso preocupar-se com nossa incapacidade. Cada um de nós tem capacidade suficiente. Basta para isso que se concentre, no processo de sua realização. Se concentrarmos durante apenas três anos, logo verificar-se-á uma diferença enorme. Nesse processo será desvantajoso o comer apenas o alimento principal, como se fora a dieta n. 0 7, de somente arroz integral. Ao alimento mental principal deverá ser adicionado o alimento complementar, equilibradamente, selecionando as palavras-chave, quantitativa e qualitativamente Assim, obteremos os resultados positivos, construtivos e criativos do autocontrole mental. III MANTRAS 1. Problema é solução. 2. O princípio do problema é o começo da solução. 3. Estou sendo experimentado.

4. Minha força vital é inesgotável. 5. A facilidade se transforma em dificuldade. 6. A dificuldade se transforma em facilidade. 7. Salte bem no meio do problema; o centro do furacão é vácuo; o centro da chama é frio. 8. Doente consciente é melhor que são inconsciente. 9. Ignorante consciente é superior que inteligente inconsciente. 10. Tudo que tem um começo tem um fim. 11. Tudo que tem uma face tem um dorso. 12. Quanto maior a face, maior o dorso. 13. Não existem dois entes iguais. 14. Todo antagonismo é complementar. 15. Yin e yang são as classificações de toda polarização antagônico-complementar 16. O corpo do princípio do Universo relativo é infinito. 17. A natureza universal é constituída de yin (negativo) e yang (positivo). 18. Yín e yang são produzidos continuamente pela expansão transcendente. Surgem do mundo infinito e retornam ao mundo infinito, revezando-se e dinamizando-se constantemente. 19. A índole de yin (força centrífuga e de expansão) e a índole de yang (força centrípeta e de contração) são completamente opostas. A interação yin/yang produz a energia no mundo relativo. 20. Yin atrai yang e yang atrai yin. 21. Yin repele yin, yang repele yang. 22. A força de atração aumenta à medida que a diferença entre as índoles yin e yang for maior. A força de repulsão aumenta à medida que a diferença entre as índoles yin ou yang for menor. 23. A natureza universal é a aglomeração de átomos que evolucionam em espiral, sustentando a harmonia de todos os fenômenos produzidos pela combinação de proporções variáveis de yin e yang. 24. Tudo se transforma e se movimenta, incessantemente, de yin para yang e de yang para yin. 25. Não existe yin absoluto nem yang absoluto. Yin e yang se caracterizam relativamente. 26. Não existe nenhum ente neutro. 27. Extremo yin produz yang e extremo yang produz yin, no tempo e no espaço. 28. Todo o corpo físico é yang em seu centro e yin na periferia. 29. A alegria se transforma em tristeza. 30. A tristeza se transforma em alegria. 31. O maior inimigo se transforma no melhor amigo. 32. O encontro é o começo da separação. 33. A separação é o começo do encontro. 34. O enriquecimento é o começo do empobrecimento. 35. O enfraquecimento é o único processo do fortalecimento. 36. O erro é o começo do sucesso. 37. Movimento é libertação. 38. A auto-revisão constante é a base da renovação constante.

39. O impasse é o fim da concentração. 40. O impasse é o processo inicial para a auto-libertação. 41. O impasse é a única entrada para o auto-fortalecimento. 42. O impasse é o portão lateral da auto-revisão constante. 43. O impasse é a contração regular do auto-renascimento. 44. O Impasse é apenas o sinal vermelho do trânsito humano. 45. O impasse é a crise da oportunidade focal. 46. O impasse é a crise da auto-transformação. 47. O impasse é a decisão do destino humano, descendente ou ascendente. 48. O impasse é o momento culminante da mudança do revés em êxito ou do êxito em revés. 49. O impasse pleno é a última contração do auto-renascimento natural. 50. O impasse parcial e imaturo é a última contração do auto-abortamento. 51. O impasse pleno concentra toda a capacidade humana na criação do seu próprio desembaraço. 52. Estou treinando. 53. Estou exemplando. III AUTO-REALIZAÇÃO PRÁTICA, CONCRETA E IMEDIATA O homem sem autoconfiança é um derrotado e um vencido na vida. Mesmo assim, é muito difícil encontrar um homem que tenha autoconfiança absoluta. A autoconfiança do homem comum é apenas uma confiança parcial, copiada, momentânea, temporal, provisória, condicionada, relativa e imaginária. Ele é pretensioso, arrogante, fanfarrão, disfarçado, ostentador, vaidoso, narcisista, convencido, megalomaníaco, etc. São esses os elementos que nós encontramos como base de sua autoconfiança. A autoconfiança sem base verdadeira e sem fundamento ignora a vida infinita. Se não tivermos confiança concreta, prática, clara, comprovável, compreensível, incondicional, invariável e profundamente enraizada na vida humana, nunca poderemos realizar a confiança inalterável da própria vida. A vida sem inteligência, cheia de dúvidas, auto-desconfiança e ausência própria é infeliz, deplorável e miserável. É um impasse. Porém, quando observamos o mundo atual, constatamos que a maioria das pessoas sofre com esses problemas, muito mais do que o esperado, mesmo havendo entre elas diferenças mínimas. Falta-lhes a autoconfiança. A pessoa que desconfia e duvida completamente de si própria tem mais possibilidades de se recuperar com a aquisição da autoconfiança. O caso mais sério e difícil é o da pessoa cujo pensamento ambíguo mostra, indeterminadamente, uma autoconfiança inconstante e uma dúvida de si mesma. Podemos dizer que o caso

mais sério é o daquele que não e ignorante por completo, isto é, não é nem ignorante e nem inteligente. É indeterminado. Ás vezes confia, às vezes não confia. e meio termo. Esse tipo é o mais grave. Quanto mais simples o caso, mais fácil o seu fortalecimento. Porém, a maioria das pessoas não é assim. Parece que sente bastante autoconfiança, é cheia de alegria, esperança, tem bastante ânimo e otimismo, mas logo depois, no dia seguinte, já perde a autoconfiança demonstrando tristeza, desespero, desânimo e pessimismo. Esse tipo de confiança chama-se confiança temporal, momentânea e condicionada pela mudança do assunto. É instável como a mudança constante da cor dos olhos do gato, da cabeça do peru ou do corpo do camaleão. Se não tivermos autoconfiança absoluta e incondicional será impossível conseguirmos a auto-realização perfeita e inalterável. Porém, para se realizar a autoconfiança absoluta e incondicionada é muito difícil nesse mundo confuso e desordenado. As pessoas estão mental, política, econômica, educacional, sociológica, moral e ecologicamente mergulhadas na inundação da comunicação de massas, de teor comercial. Há uma perturbação total neste sistema social, desumano. O sistema social moderno não permite a liberdade, a independência de pensamento e procedimento humanos, castrando toda a capacidade e sua força criativa. O homem moderno parece um prisioneiro controlado em cada um de seus movimentos. Ele é um boneco automático, um robô. Perdeu o relacionamento humano e a sensibilidade fisiológica e biológica. Nosso sistema de civilização científica moderna, que está produzindo o homem castrado é, inevitavelmente, a maior ameaça para a nossa autoconfiança e auto-realização. Porém, apesar de todas as ameaças dessa monstruosa civilização moderna, ainda podemos encontrar a capacidade infinita e inviolável da humanidade suprema na concentração radical de todos os elementos psicossomáticos. Precisamos reconfirmar a força da concentração de todas as capacidades humanas, comparando todos os efeitos e fenômenos da dispersão e da concentração, porque o segredo da auto-confirmação, da autoconfiança e da auto-realização é a concentração constante da própria capacidade radical. Talvez alguém já tenha feito a experiência com a lente biconvexa, a lupa. Quando acertamos a distância focal do feixe de luz solar, que atravessa a lente biconvexa, incidindo sobre qualquer material como papel, pano, madeira, capim, ou até insetos vivos, estas substâncias entram em combustão imediatamente. Mas, se não focalizarmos a distância correta, segurando a lente com certa firmeza e perseverança, não poderemos encontrar o foco da concentração. Mesmo num dia nublado, podemos conseguir o mesmo efeito, quando encontramos o foco exato de concentração da lente biconvexa. A força da concentração, da meditação e da conscientização do homem é perfeitamente igual à focalização de uma lente biconvexa. Focalização é localização concentração e determinação. Quem

quiser realizar a concentração da sua capacidade integral manifestará, de maneira incalculável, a grande faculdade latente de sua personalidade. Quem confunde o hoje com o amanhã, isto é, quem não entende a diferença entre essas duas coisas, misturando sempre o hoje com o amanhã, nunca pode realizar sua concentração, focalização, solução e vivificação. O "hoje" é o foco do passado e do futuro. O agora não é nem ontem e nem amanhã. O "agora" é o ponto central do contato entre o corpo (passado) e a mente (futuro). O agora, este momento, é o resultado do passado e, simultaneamente, o causador do futuro. O agora é o ponto central compatível da concentração conseqüente, onde encontramos todas as capacidades e possibilidades do passado e do futuro. Por essa razão, se não focalizarmos a força do passado e a força do futuro, no agora, o momento perderá o único lugar onde se realizar a concentração e a localização da nossa vida finita e infinita, separando as duas torças, a do passado e a do futuro, não havendo encontro e aproveitamento. A esse estado desencontrado e desaproveitado do momento, chamamos de infelicidade, tristeza, doença, preocupação, insegurança, medo, etc. Na maneira de pensar, na maneira de falar, na expressão e atitude, na postura, enfim, em qualquer procedimento, todo e qualquer movimento é a confirmação ou não do foco exato. Focalize bem seu passado e seu futuro no foco do agora, do momento, concentrando toda a capacidade interior e exterior da sua personalidade. Lance! Aposte! Jogue sua vida inteira no agora, neste momento, desapegando-se, descascando-se, selecionando-se, purificando-se, simplificando-se, transformando-se, vivificando-se e concentrando-se constantemente. Se não encontrar seu passado e seu futuro no agora, neste momento, nunca chegará a nenhum lugar onde possa encontrá-los. O foco é o único momento que manifesta a maior energia da criação destrutiva e construtiva, simultaneamente. Por isso,. se alguém ainda se encontra apegado, com preocupação, inquietude, inópia, insatisfação, insegurança, medo, ilusão, indecisão, infortúnio, doença, desconfiança e angústia, isso é uma imagem distorcida, embaçada e fora de foco da sua vida dinâmica, como a imagem embaçada e distorcida, conseqüente da falta de focalização, como no caso das máquinas fotográficas. O agora, o momento, é o túmulo da nossa vida passada, como também é o berço da nossa vida futura. Ele faz desaparecer e aparecer, enterra e faz germinar, destrói e constrói, consome e produz, limita e liberta ao mesmo tempo. Nós precisamos viver no agora, no momento, com construção máxima, criação máxima, aplicação máxima, aproveitamento máximo, ação máxima, prática máxima, treinamento máximo, disciplinamento máximo, movimento máximo, reflexão máxima, velocidade máxima, comparação máxima, simplificação máxima, confirmação máxima, conscientização máxima, realização máxima, manifestação máxima, concretização máxima, expressão máxima, renovação máxima, purificação máxima, compatibilização máxima, encontro máximo, utilização máxima, esforço

máximo, procedimento máximo, pensamento máximo, com a ordem do equilíbrio espiralado logarítmico, para seguir nosso único caminho que indica a aproximação direta com a vida universal onipotente. Este é o segredo da auto-realização prática, concreta e imediata. Muitas pessoas sentem falta de energia, falta de motivação, falta de tudo para enfrentar problemas, trabalhos, estudos ou qualquer coisa. A falha na preparação da atitude é devida à falta de concentração e à falta de entendimento do valor do momento, do agora. Realmente, o amanhã não existe; existe apenas o momento, o agora. É costume nosso usar a expressão: "Até amanhã! Até amanhã!" Mas o amanhã nunca chega. O que existe é o agora. Se pensamos no amanhã, e ele chega, é sempre agora. O amanhã é agora! Nunca encontramos o futuro. O futuro não se encontra no futuro! O futuro, sempre o encontramos no momento. Se não desenvolvermos e corrigirmos esse pensamento enganoso e relaxado, nunca poderemos conseguir a concentração perfeita. Se conseguirmos concentrar toda a nossa capacidade, poderemos mostrar uma energia incalculável. Até um homem aleijado, pobre, sem as mínimas condições, quando concentra sua energia, mostra uma força inimaginável. Se conseguirmos concentrar toda a energia em cada momento, tudo estará resolvido; não haverá nada difícil. Na focalização do encontro de yin e yang, encontramos três partes classificadas relativamente: o passado (yin ), o agora (equilíbrio ) e o futuro (yang). Q agora não é passado nem futuro, mas se encontra aqui, no momento, porque é yin e yang equilibrado. Q momento é sempre equilibrado, mesmo em estado de desequilíbrio. Dentro do desequilíbrio há o equilíbrio. Se não houver desequilíbrio não haverá momento. Q momento está sempre se equilibrando e se desequilibrando, dinamicamente. Q momento é o encontro de yin e yang. Não existe outro lugar para yin e yang se encontrarem. YING COMPATIBILIDADE YANG

Passado ................................agora ................................futuro Fato .....................................decisão .............................idealização Instinto ................................espontaneidade ................destino Procedimento ......................realização .........................pensamento Prática .................................treinamento ......................teoria Corpo ..................................funcionamento .................mente Costume ..............................estímulo ...........................mudança Causa ..................................movimento .......................efeito Ação ...................................aplicação ..........................reação Acumulação .......................manifestação ....................expansão Condicionamento ...............independência ..................libertação Materialização.....................conscientização ...............espiritualização Consumo ............................utilização ..........................produção Tendência ...........................direção .............................fim

Destruição ..........................criação .............................construção Motivação ..........................despertamento ..................reconhecimento Oferta .................................encontro ...........................procura Semente .............................crescimento ......................frutificação Centripetação .................. .compatibilidade ................centrifugação Tempo ...............................concentração .....................espaço Qualidade ..........................renovação .........................quantidade Desespero ..........................purificação ........................esperança Confusão ...........................simplificação ....................compreensão Mau ...................................aproveitamento .................bom desnecessário ....................descobrimento ...................necessário circulação ..........................transformação ...................estagnação perda .................................satisfação ..........................ganho doença física ......................ausência do presente ........doença mental morrer ................................nascer ...............................viver mulher ................................concepção ....................... homem O instinto está no passado e se relaciona com o destino, que está no futuro. Mas, quando estes dois se encontram no momento, há espontaneidade. A forma de encontro entre o instinto e o destino é a espontaneidade. O corpo é o passado, é o resultado do passado, do que comemos. Essas determinações são muito interessantes para focalizarmos, no momento, a forma adequada do relacionamento yin e yang. A aplicação é feita no momento. Nós não podemos aplicar no passado, no ontem. Podemos voltar ao ontem? Quando fazemos uma ação, ela já passou. Não existe uma forma fixa, ela está sempre mudando. Libertação é renovação. Entre o condicionamento e a libertação deve haver a independência. Se não houver a independência, nunca poderemos nos libertar. Criação é uma expressão equilibrada e global. Na criação estamos sempre construindo e destruindo. Se não procurarmos uma atitude criativa no momento, essa atitude não é correta. Vida é criação constante. Quando despertamos, reconhecemos; se não despertamos, é porque estamos dormindo. Temos que estar sempre despertos, pois a vida é um auto-despertar constante. Precisamos tomar a atitude no momento. Não devemos ficar esperando alguém para nos despertar, porque já será uma dependência. Nós devemos pensar da forma mais simples possível. A pessoa intelectual sempre sofre, porque há um amontoado intelectual em desordem na sua cabeça. Temos que descascar tudo, peneirar, purificar, escolher a essência. Quanto mais se complica, mais se desespera, e a esperança sempre brota dentro da

simplificação. Dentro da complicação nunca brota. O desespero é o resultado, a causa da complicação. A simplificação, no momento, é onde brota a esperança. Mau, eu coloquei no passado, porque todo mundo está esperando ser bom no futuro. Pensamos assim: "No passado, não foi realizado o que eu esperava, então eu preciso ser bom no futuro". Foi por observar essa tendência que eu coloquei "mau" no passado e "bom" no futuro. O bom e o mau são muito simples, por isso temos que acompanhar com um sentido mais adequado. Eu coloquei "aproveitamento" entre o bom e o mau. Quando aproveitamos bem o mau, entendemos o que é bom. Dependendo do aproveitamento, fica bom mesmo. A classificação do necessário e do desnecessário é muito séria. Uma vez alguém me formulou uma pergunta. Essa pessoa era muito orgulhosa e sempre procurava uma maneira de defender-se. Ela perguntou-me o seguinte: "Se a gente deseja alguma coisa, não é porque ela é necessária?" Será que desejo e necessidade são iguais? Essa pessoa achava que eram iguais. Tudo o que ela desejava, ela podia comer... Mas, necessidade e desejo, são diferentes. Quem tem capacidade de entender a diferença entre desejo e necessidade, vê a diferença que existe entre os dois. Quem deseja somente o necessário é Deus. A necessidade é muito individual. Mesmo dentro da individualidade, há necessidade fundamental, fisiológica e biológica. Portanto, o resultado útil para o momento, como conseqüência do encontro do desnecessário com o necessário, é o descobrimento. Classificação é comparação. O meu objetivo nessa classificação é a determinação da atitude adequada no momento, como a maneira de se falar, a maneira de se escrever e a maneira de se comer. Tudo deve obedecer a essa forma equilibrada e adequada de relações. Quem quer realizar a sua própria vida da melhor forma, da melhor maneira, precisa ver o funcionamento do momento. Tem que tomar uma atitude correta no momento. Até na maneira de falar, deve haver ordem no momento. Temos que colocar a ordem no momento. Cada um deve despertar para o momento. Não podemos perder tempo! Só isso! Se ficarmos falando: "Ah! Eu vou preparar amanhã ou depois, etc. .. ", assim nunca se utiliza a força que existe no momento. Sempre há uma perda, um desaproveitamento do momento. É sempre necessário tomar uma atitude correta na maneira de falar, na maneira de trabalhar. Cada movimento do momento é uma chave do auto-disciplinamento. Quem fica parado não se fortalece, pois movimento é momento!


				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Stats:
views:228
posted:9/26/2009
language:English
pages:33