Your Federal Quarterly Tax Payments are due April 15th Get Help Now >>

ECV 5648 Estruturas de Concreto by JRAPW4y

VIEWS: 30 PAGES: 3

									                                Plano de Ensino
                        ECV 5648 Estruturas de Concreto
                               (Ano 2008, 1o período)

Ministrante: Professor Roberto de Oliveira, Ph.D.
(University of Waterloo, Canada, 1994)
Engenheiro Civil (UFSC, 1972), Associado 1, DE
Natureza: Obrigatória
Oferta: Curso de Arquitetura e Urbanismo
Regime Semanal: segundas (13:30 hs, tres) e terças-feiras (15:10 hs, duas).
Horas/aula por semana: 5 (Total: 75 horas/aula)
Pré-requisitos: ECV 5247 Estática e Sistemas Estruturais 1 ou ECV 5231 Estática das
Construções

A) Ementa
       Generalidades. Propriedades do Concreto. Aço e Concreto Armado. Classificação das
       Estruturas de Concreto Armado. Definição das cargas e Esforços Solicitantes. Flexão
       Simples e Cisalhamento. Lajes maciças, mistas, nervuradas e cogumelo. Escadas.
       Vigas Isoladas e Contínuas. Compressão, tração, e flexão composta. Pilares e tirantes.
       Facultativo: Noções de Geologia, Mecânica dos Solos e Geotecnia. Sondagem
       Geotécnica SPT. Tipos de fundação e cálculo de sapatas (armada e sem armação);
       similaridades com laje cogumelo.

B) Objetivos
Geral ou terminal: Habilitar o aluno a compreender e executar projetos de estruturas nível 1
(ou elementares) preparando-os para:
(Objetivos específicos)
     a)    Identificar e compreender os aspectos fundamentais dos materiais
        constituintes do Concreto Armado (CA), no tocante ao projeto;
     b)    Dimensionar e detalhar elementos estruturais do CA submetido à flexão
        simples, esforço cortante e compressão em peças não muito esbeltas;
     c)    Interpretar e aplicar as prescrições da norma técnica pertinentes ao cálculo
        de CA para estruturas de nível 1;
     d)    Capacitar o futuro arquiteto a trabalhar em equipe multidisciplinar pelo
        entendimento dos termos e procedimentos em estruturas de concreto armado,
        introduzindo conceitos básicos de engenharia simultânea;
     e)    Gerar um projeto de máxima flexibilidade arquitetônica;
     f)    Introduzir conceitos de degradação ambiental pela produção dos insumos
        do CA.

C) Desenvolvimento do curso. Será sob a forma de projeto piloto de uma estrutura nível
um, conforme prescrito pela NBR, baseado nas seguintes unidades:

                                Unidade I AEX: (início de março)
Apresentação do professor, da disciplina e dos alunos: perspectivas e objetivos gerais das
partes envolvidas no processo ensino-aprendizagem. Abordagem construtivista do ensino de
CA em contraposição ao instrucionismo aplicado ao ensino de estruturas pela construção do
todo através das partes interligadas. Introduzir o conceito de desempenho das edificações e
engenharia simultânea a partir do entendimento do que seja um projeto. Apresentação do
Projeto Piloto.
Aço: definição e processo de fabricação; diferenças entre ferro e aço. Aço para construção:
CA (Concreto Armado), CP (concreto protendido) e telas soldadas. Aços dúteis e frágeis.
Categorias e resistência característica. Diagramas tensão-deformação. Apresentação do
trabalho (Projeto Piloto): lançamento da estrutura, conceitos de desempenho de edifícios e
plantas de fôrma.
Concreto: definição e componentes. Textura. Resistência mecânica e durabilidade: fatores
que a influenciam (antes e depois da produção). Medidas da resistência: ensaios destrutivos e
não destrutivos. Critério probabilístico. Resistência característica.


                               Unidade 2: AEX, OTR (final de março)
Concreto Armado: definição e características. Solicitações. Estado Limite Último: hipóteses
na flexão simples e tipos de seções. Laje armada em uma direção e suas aplicações; escadas e
sacadas convencionais. Lajes armadas em duas direções: processo das grelhas e evolução
para Marcus e Bares. Reações, momentos e armaduras. Disposições construtivas de norma.
Lajes mistas: detalhamento e cuidados de projeto/execução. Vigas: armadura simples na
flexão; exemplo de armadura dupla e seção Te. Cargas em vigas: peso próprio, paredes, lajes
e de outras vigas; uso do diagrama de momento fletor. Detalhamento em planilha. Relação de
aço para corte e compra de material. Conceito de Momento fletor mínimo.


                           Unidade 3: AEX, OTR (abril e início de maio)
Cisalhamento: definição e uso da analogia de Mörsh. Uso do diagrama de esforço cortante
para vigas. Cálculo e distribuição de armaduras de combate ao cisalhamento em vigas: cálculo
exato com todas as reduções de norma e processo simplificado. Conceito de Força cortante
mínima.


                          Unidade 4: AEX, OTR (fim de maio e início de junho)
Pilares: tipos conforme a esbeltez. Pilares curtos e esbeltez intermediária. Flexo-compressão:
definições e cálculo simplificado. Cálculo pelo processo expedito e pelo processo exato.
Quadro de carga e tabelamento (visando padronização) de pilares. Detalhamento. Função dos
estribos.


                           Unidade 5: AEX, OTR (primeira semana junho)
Laje cogumelo e sapatas: analogias de cálculo. Detalhamento. Reservatórios convencionais e
cuidados nos cálculos simplificados.
D) Avaliação: seguirá passo a passo a execução de um projeto piloto estrutural em concreto armado,
dentro dos passos convencionais de um cálculo estrutural (laje-> viga-> pilar-> fundações).
A estrutura a ser gerada é um prédio de quatro pavimentos e o material constituinte das lajes
será concreto maciço, misto (com blocos de tijolo, concreto celular e/ou poliestireno
expandido). Efetua-se através de sucessivas e constantes verificações do andamento do
trabalho por etapas (a cada aula ou a cada semana), basicamente individual (em sua execução
em cada tópico) de caráter técnico-profissional. Será observada, além da qualidade e
precisão, a pontualidade da entrega. Poderá haver uma argüição amostral à respeito do
trabalho ou para alunos que atrasarem sistematicamente as entregas de etapas. A freqüência
às aulas, bem como a participação nestas, podem influir positivamente na nota final. O valor
médio percentual da nota para cada item é o seguinte: (o valor exato será exibido na proposta
do ante-projeto arquitetônico a ser apresentado em cada início das aulas—primeiro mês)
a) partes gráficas (fôrmas e planilhas—de laje, vigas e pilar): 30%
b) laje (cálculo e detalhes): 20%
c) vigas (cálculo e detalhes): 25%
d) pilares (cálculo e detalhes): 10%
e) presença e participação em aula, o restante.
Observação: ao final do curso será marcada uma prova final e/ou recuperação para aqueles
alunos que tiverem nota acima de 3 (três) e abaixo de 5,5 (cinco vírgula cinco), ou para
aqueles que atrasarem consecutivamente mais de três etapas.


E) Bibliografia
Normas técnicas brasileiras de cálculo de concreto armado, de cargas e barras de aço.
Moraes, Marcelo da Cunha. Cálculo de Concreto Armado. MacGraw Hill, 1980.
Massaro Jr, Mário. Concreto Armado. Apostila, editora USP.
Pinheiro, L.P. e Giongo, J.S.. Concreto Armado: Propriedades dos Materiais. Publicação 006/87, Escola de
Engenharia de São Carlos, USP. 1987.
Normas explicitadas pelo COBRACON para estruturas de nível 1


F) Vai ser procurado fazer ao menos uma visita à obra de concreto armado em andamento.

G) No decorrer do semestre poderá haver palestras

H) Os atendimentos/assessorias deverão ser agendados por telefone ou e.mail.




                                                                   E.mail: ecv1rdo@ecv.ufsc.br
                                                              ECV Bloco A, sala 209 Fone: 3721.9726

								
To top