ESTADO DE CHOQUE - PowerPoint by 0xr79J

VIEWS: 0 PAGES: 38

									ESTADO DE CHOQUE
  PRIMEIROS SOCORROS
Definição

É a falência do sistema cardiocirculatório
 devido à causas variadas,
 proporcionando uma inadequada perfusão
 e oxigenação dos tecidos.
Sinais e Sintomas
  Inconsciência profunda;
  Pulso fraco e rápido;
  Aumento da freqüência respiratória;
  Perfusão capilar lenta ou nula;
  Tremores de frio.
Ações
 Colocar a vítima em local arejado, afastar
  curiosos e afrouxar as roupas;
 Manter a vítima deitada com as pernas mais
  elevadas;
 Manter a vítima aquecida;
 Lateralizar a cabeça em casos de vômitos;
 Encaminhar para atendimento hospitalar.
CORPOS ESTRANHOS

Alguns ferimentos têm como agente
 causador corpos estranhos que atingem
 partes do corpo:
    olhos,
    pele,
    ouvidos,
     nariz
    ou garganta.
O que são?
 Pequenas partículas de vidro, madeira, poeira,
  carvão, areia ou limalha, grãos diversos,
  sementes insetos mosquitos, formigas, moscas,
  besouros, etc. que podem penetrar nos olhos,
  nariz e ouvidos. Crianças pequenas podem,
  acidentalmente, introduzir objetos nas
  cavidades do corpo, em especial no nariz, boca
  e ouvidos. Estes objetos são, na maioria das
  vezes, peças de brinquedos, sementes,
  moedas, bolinhas de papel e grampos. Se
  houver asfixia, a vítima apresentará pele
  azulada e respiração difícil ou ausente.
 É qualquer material, que entrando em contato com
  algum local do organismo (olhos, nariz, garganta, pele)
  pode causar desconforto, ferimento ou prejuízo de
  alguma função.
 Por exemplo, são chamados de corpos estranhos todas
  as pequenas partículas de poeira, carvão, madeira,
  areia, ossos, grãos, insetos, e espinhos de peixe,
  quando em contato com o organismo na situação acima.
 Quando há a presença de um corpo estranho, é de
  fundamental importância conhecer técnicas apropriadas
  para cada caso e agir de acordo com elas.
Nos olhos:

Os olhos são muito delicados e,
 se atingidos por poeira, areia,
  insetos ou outros pequenos
    corpos estranhos, podem
 sofrer irritação, inflamações e
  ferimentos mais sérios e até
         perda de visão.
O que fazer?

Quando um corpo estranho atingir o olho
 de uma pessoa, deve-se segurar os cílios
 superiores e puxar a pálpebra superior por
 cima da pálpebra inferior, para deslocar a
 partícula ou objeto que estiver
 incomodando. Faça, então, a vítima fechar
 os olhos, para permitir que as lágrimas
 lavem e removam o corpo estranho.
Medidas para corpos estranhos nos olhos
Se o processo anterior falhar, deve-se
 lavar o olho afetado com água limpa, de
 preferência usando conta–gotas. Se isso
 não resolver o problema, deve-se virar a
 pálpebra superior para cima, ou a inferior
 para baixo, e, com muito cuidado, retirar o
 corpo estranho com a ajuda de um pano
 limpo ou de um cotonete umedecido com
 água.
Todo ferimento no olho deve
ser considerado perigoso, pois
pode causar cegueira. Mesmo
 pequenos cortes e arranhões
podem infeccionar e prejudicar
  a visão, se não forem bem
           cuidados.
Corpo estranho encravado no globo
 ocular.

NUNCA TENTAR RETIRAR
Corpo estranho encravado no globo
ocular
 Basta colocar uma compressa ou pano limpo
  sobre o olho (um curativo macio, de
  preferência) cobrindo também o olho não
  atingido para evitar o movimento do olho
  afetado.
 Encaminhar a vítima para socorro médico
  imediatamente. Não se deve, de forma
  alguma, deixar que a vítima esfregue o olho,
  pois isso pode causar um ferimento ainda
  maior.
Além de corpos estranhos, os olhos
 podem sofrer queimaduras causadas por
 irradiações, fachos de luz de luminosidade
 intensa (banhos de luz), luz artificial
 (bronzeamento artificial) ou luz produzida
 por solda elétrica.
 Esta luminosidade intensa pode afetar
  gravemente o olho, podendo levar a vítima à
  cegueira.
Esse tipo de queimadura se manifesta
 somente através da ardência e sensação
 de irritação (como se fosse areia nos
 olhos). Nesse caso, a única medida é
 procurar um especialista.
Os olhos também podem sofres lesões
 como pancadas.
O QUE FAZER?
 A primeira coisa a fazer em qualquer
  tipo de lesão é solicitar à vítima que
  não esfregue os olhos. Antes de
  auxilia-la , lave suas mãos.
O que fazer com :

Objetos flutuantes :(ciscos, areia, cílios)
   lave o olho com colírio, soro ou água limpa
   corrente,
   não melhorando procure ajuda médica.
Objetos entranhados: (fixos e perfurantes)
   cubra os 2 olhos com gaze ou pano limpo
   sem comprimir, procurando imobilizar o
   objeto,
   procure ajuda médica urgente.
Produtos químicos nos olhos :
   lave o olho por 5 minutos
   procure ajuda médica
   leve o produto ou a embalagem junto para
   avaliação
Cortes, contusões e hematomas:
   cubra os 2 olhos com compressas úmidas e frias
   procure ajuda médica
O que NÃO fazer :
 não permita que a vítima esfregue os olhos
   não utilize colírio anestésico.
 não coloque pomadas, isto dificultará a avaliação médica.
Os olhos também podem ser
 atingidos      por  substâncias
 químicas, como ácidos, cal,
 gasolina, etc.
O socorrista deve agir com a
 máxima urgência, praticando, de
 imediato, a lavagem do olho ou
 olhos afetados.
Na lavagem, deve-se tomar cuidado
 para não prejudicar o olho não
 afetado. Quanto mais água se usar e
 quanto mais depressa se agir,
 melhor. Não se deve dar tempo para
 que a substância química exerça sua
 ação.
Feita a lavagem do olho, encaminhe
 a vítima, imediatamente, ao médico
PELE

Quando corpos estranhos ficam
 encravados na pele, podem causar
 ferimentos e infecções.
Deve-se remover o corpo estranho
 com uma pinça limpa ou agulha
 flambada (aquecida em uma chama
 até ficar em brasa).
 Nunca use canivete ou faca.
Se o corpo estranho estiver muito
 encravado e difícil de retirar,
 encaminhe a vítima ao pronto-
 socorro.
 Não esqueça, mesmo em casos leves, é melhor
  encaminhar o paciente ao serviço médico, do
  que agravar a lesão, principalmente porque não
  configura uma emergência.
Acidentes com anzóis

Caso a pele seja atingida por um anzol de
 pesca devemos empurrá-lo até que a fisga
 fique exteriorizada.
Depois cortar a ponta do anzol com um
 alicate, pois se o puxarmos a pele ficará
 ainda mais ferida.
Em seguida puxamos o anzol pelo mesmo
 orifício por onde ele entrou.
Em qualquer caso de ferimento
     da pele (anzol ou outros
   corpos estranhos) faça uma
  limpeza com água e sabão e
 adote as medidas apropriadas
     aos casos de ferimento.
Ouvido Externo
 A presença de um corpo estranho no ouvido,
  geralmente, não se constitui num problema de
  urgência, e, por isso, não há necessidade de
  afobação ou desespero.
 Caso o objeto introduzido esteja obstruindo
  totalmente o ouvido, a vítima sentirá um
  pequeno mal-estar por ouvir menos.
 A ida ao médico poderá ser providenciada com
  calma.
Insetos no ouvido externo

Quando o objeto estranho for um
 inseto provocará um ruído que
 desespera a vítima, podendo
 gerar estado de inquietação e
 irritabilidade.
Deve-se fazer alguma coisa para
 aliviar de imediato a vítima.
Se o inseto estiver se
 movimentando dentro do ouvido,
 podemos utilizar um facho de luz.
 Deve-se puxar a orelha para trás
 e dirigir o facho de luz para o
 canal auditivo. O inseto atraído
 pela luminosidade, saíra com
 certa facilidade.
Grãos ou fragmentos metálicos no ouvido
externo
No caso de grãos de cereais ou
 fragmentos      metálicos   existe    outra
 alternativa:
  tente removê-los inclinando a cabeça
    para baixo e para o lado do ouvido
    atingido. Com o punho, a vítima ou o
    socorrista deve dar leves pancadas na
    cabeça, no lado do ouvido atingido.
Não tente retirar corpo estranho
 do ouvido com cotonete, pinça ou
 outro instrumento qualquer, pois
 corre-se o risco de empurrá-lo
 ainda mais para dentro. Ele pode
 antingir o tímpano, perfurando-o,
 podendo provocar até surdez.
NARIZ

Quando o órgão em que se encontra um
 corpo estranho for o nariz, deve-se
 comprimir a narina que esteja livre e pedir
 que a vítima mantenha a boca fechada e
 tente expelir ar pela narina tampada
É necessário avisar a vítima para que não
 assoe o nariz com muita violência. Isto
 poderia ferir a cavidade nasal.
Em nenhuma hipótese devemos
  introduzir algum instrumento
  na narina atingida. Isso pode
 provocar outras complicações.
GARGANTA
Corpos estranhos na garganta (como
 espinhas de peixe ou moedas) podem
 obstruí-la, provocar lesões e/ou asfixia,
 por impedir a entrada de ar nos pulmões.
Às vezes, quando ocorre o engasgo com
 a alimentação ou bebida, o simples reflexo
 da tosse pode eliminar o corpo estranho
 que esteja impossibilitando a passagem
 do ar.
No caso de corpos estranhos na
  garganta, devemos passar
  nossos braços acima da
  cintura da vítima, que estará
  em pé e de costas, e
  pressionar com força a
  região entre as costelas
  (manobra de Heimlich). A
  saída do ar expulsa o que
  estiver na garganta. Se a
  vítima estiver inconsciente,
  deite-a de costas e comprima
  a região do estômago para
  baixo e para frente, com as
  duas mãos:
Quando acontece com criança é
 mais difícil, porque ela nem
 sempre consegue se livrar do
 objeto. Nesse caso, pode-se
 colocar a criança de cabeça para
 baixo ou com o corpo curvado
 para frente e, em seguida, aplicar
 palmadas secas em suas costas.
Se, com as manobras anteriores, não
 conseguir retirar o corpo estranho,
 introduza o dedo indicador junto às
 paredes da boca para alcançar o
 objeto por trás e assim trazê–lo para
 fora. É preciso ter cuidado para não
 empurrar ainda mais o objeto,
 piorando a situação.
Espinha de peixe na garganta

Caso o corpo estranho seja uma espinha
 de peixe e esteja encravada, não
 devemos tentar retirá-la, pois correríamos
 o risco de ferir ainda mais a garganta,
 provocando inchaço e obstrução das vias
 respiratórias. A única atitude do socorrista,
 nessa situação, é levar a vítima, com
 urgência, para o médico.
Como transportar a vítima com corpo
estranho na garganta ?

   Ao transportar a vítima,
   devemos ter o cuidado de
  manter sua cabeça abaixada,
   para impedir a descida do
    objeto para os pulmões.
E se não conseguirmos retirar o corpo
estranho ?

 Em todos os casos de corpos
    estranhos no organismo,
   quando não conseguirmos
 retirá-los, devemos acalmar a
    vítima e encaminhá-la ao
         socorro médico.

								
To top