EXECU��O DE REVESTIMENTO INTERNO DE PAREDES ET ETOS EM ARGAMASSA by ZyM7NnzX

VIEWS: 14 PAGES: 4

									                                               MEMORIAL DESCRITIVO

                                               EMPREENDIMENTO: Edifício Torino
                                               LOCAL: Rua Barão do Rio Branco, 1049
                                               INCORPORADORA: Construtora Cattaneo Ltda
  1.   DESCRIÇÃO DO IMÓVEL:

       Este memorial descreve as especificações técnicas referentes à construção do empreendimento “Edifício Torino”,
localizado à Rua Barão do Rio Branco 1049 do município de Cruz Alta-RS, tendo como área total 5.419,75 m² e 4.733,45
m² de área equivalente de construção. O referido empreendimento está devidamente registrado, conforme a Lei de
Incorporação nº 4.591, no Cartório de Registro de Imóveis de Cruz Alta sob o nº R.1/39.816.

  2.   GENERALIDADES:

        O empreendimento caracteriza-se, basicamente, na construção de um edifício comercial e residencial
multifamiliar, dividido em 48 apartamentos, 02 salas comerciais e suas respectivas proporcionalidades condominiais,
distribuídas em pavimento térreo e 12 pavimentos tipo.
        A edificação será em alvenaria estrutural em blocos cerâmicos.
        Na execução dos trabalhos de construção, tanto quanto na elaboração dos projetos, serão obedecidos os preceitos
técnicos normatizados, critério este que prevalecerá em qualquer caso omisso no projeto ou nas especificações que
possam originar dúvidas de interpretação.

  3.   TERRENO:

       Os terrenos onde o projeto será implantado localizam-se à rua Barão do Rio Branco 1049 e 1059, cujas medidas
básicas serão, após sua unificação: 26,40m de frente leste, 62,16m de frente a fundos lado norte, 38,87m nos fundos,
8,70m no sentido oeste-leste, 12,52m no sentido sul-norte e 53,46m, no sentido oeste-leste. Estes terrenos possuem a área
de 1.746,58m².

  4.   SERVIÇOS PRELIMINARES:

       Serão apresentados os documentos necessários e a anotação de responsabilidade técnica junto aos órgãos
competentes para que se possa obter, licenciamento de demolição, aprovação dos projetos e o licenciamento da
construção, além do registro da incorporação, conforme lei 5.491 que rege sobre as incorporações imobiliárias.

  5.   INSTALAÇÃO PROVISÓRIA:

       Serão demolidas todas as edificações existentes no local.
       Será executado um tapume em chapa de zinco na parte frontal do terreno, avançando 1,5 metros sobre o passeio,
permitindo assim, a livre circulação dos pedestres. Sob este tapume serão afixadas as placas dos responsáveis técnicos
pela obra e fornecedores.
       Serão construídos barracos de madeira com cobertura de fibrocimento para vestiário, refeitório, armazenamento de
ferramentas, materiais e equipamentos, além de docas para armazenamento de agregados, tais como areia e brita.
       Deverão, também ser feitas as instalações provisórias de água, luz e força.

  6.   SERVIÇOS PRELIMINARES:

        Serão executados poços de sondagens geotécnicas, do tipo SPT, para se identificar à tipologia, as características
físicas, a profundidade do nível da água e as condições do sub-solo do terreno e garantir a boa qualidade na execução da
infra-estrutura.

  7.   INFRA - ESTRUTURA:

       Deverão ser executadas, através da contratação de empresa especializada, estacas profundas rotativas de concreto
armado. No caso de existirem pilares com mais de uma estaca, serão executados blocos de concreto armado, conforme
projeto estrutural.

  8.   SUPRA - ESTRUTURA:

       A estrutura da edificação será em alvenaria estrutural e lajes entre pisos em concreto armado convencional. As
alvenarias serão reforçadas com grautes e cintas em concreto armado. Estes elementos terão como finalidade melhorar a
rigidez global da edificação e serão executados nos vazios internos dos próprios blocos ou em canaletas específicas
(última fiada antes de cada laje, sobre portas e janelas e sob janelas). As paredes e seus reforços estruturais que forem
determinadas como de finalidade estrutural não poderão ser demolidas e/ou alteradas durante e posteriormente a obra, já
as paredes previamente definidas como de vedação, poderão ser demolidas e/ou alteradas tanto antes quanto depois da
obra.
        As dimensões e especificações das armadura constarão no projeto estrutural do empreendimento.
        Para a execução do concreto armado será utilizado concreto usinado com, no mínimo 25 MPA de resistência, aço
CA-50 para as armaduras positivas e negativas e aço CA-60 para os estribos.
        As peças estruturais de concreto armado deverão ser moldadas no local com formas de compensado plastificado e
deverão ser escoradas de maneira que não entrem em carga antes do devido tempo de cura.
        Na execução do concreto, que deve ser cuidadosamente vibrado, serão realizados testes de controle tecnológico de
resistência e trabalhabilidade (Slump).

  9.   ALVENARIAS:

       As paredes serão em bloco estrutural cerâmico de 14cm de largura, marca Pauluzzi ou Pallotti. Estes blocos serão
assentados com argamassa industrializada do tipo estrutural com fck de acordo com projeto da alvenaria estrutural, marca
Fida ou similar.
       As paredes deverão ser perfeitamente alinhadas e aprumadas, com um pé direito de: 2,60m (tipos) e 3,20 (térreo).
Os peitoris deverão ter altura de 100 cm do piso acabado em todos os pavimentos.
       Na última fiada das paredes, será sempre executada, com o bloco tipo canaleta, uma espécie de viga intra – parede,
ou seja, posicionam-se as barras de aço dentro das canaletas e preenche-se com concreto, fazendo assim o papel de cintas.
Sobre estas vigas, apóiam-se as lajes dos pavimentos.
       As bitolas e especificações deste sistema encontram-se no projeto estrutural.

  10. REVESTIMENTOS:

       Todas as paredes, com exceção dos sanitários, cozinhas e áreas de serviço, serão revestidas com reboco de
argamassa industrializada, sendo internamente entre 1,0 e 1,5cm e externamente entre 2,0 e 3,0cm.
       Para melhor uniformização da superfície das paredes internas, estas serão alisadas com massa corrida, do tipo
PVA, antes do recebimento da pintura.
       As paredes internas dos sanitários, áreas de instalação dos equipamentos da cozinha e áreas de serviço, serão
revestidas com azulejo, marca Cecrisa ou similar classe A, até a altura do forro de gesso, fixados com argamassa colante
de assentamento ACI. Todos os azulejos serão colocados em junta reta de 3mm.
       As paredes externas receberão acabamento em textura.

  11. PAVIMENTAÇÃO:

       Nas unidades autônomas, os pisos da cozinha, sanitários, áreas de serviço e sacadas serão de cerâmica marca
Cecrisa ou similar, assentados com argamassa colante. Os demais compartimentos serão de laminado flutuante marca
durafloor ou similar. Nos encontros de piso de madeira e paredes, serão colocados rodapés de HDF laminado do mesmo
padrão do piso.
       As áreas condominiais sociais, como hall de entrada, salão de festas, circulações e escadas, serão de piso
cerâmico, marca Cecrisa ou similar, assentados com argamassa colante sobre contra – piso.
       Nas áreas de estacionamento e acesso de veículos, a pavimentação será em blocos de concreto intertravados
espessura 6cm assentados sobre base de brita zero e areia.

  12. ESQUADRIAS:

       As janelas dos dormitórios serão em alumínio, com pintura epóxi branca, sem persiana.
       Com exceção das janelas de 0,60x0,60m, que terão abertura tipo maxi-ar, as demais serão de correr, com 2 folhas.
       Todas as janelas terão peitoris conforme indicado em plantas baixas dos pavimentos, sendo o mínimo de 1,0
metros.
       Todas as portas internas serão do tipo semi-oca, em madeira laminada e com ferragens marca Papaiz ou similar.
As portas externas serão de alumínio e fechadura de cilindro.
       As portas de acesso às escadas, serão, obrigatoriamente, incombustíveis (Portas corta – fogo) e deverão
permanecer constantemente fechadas.
       O portão de acesso aos espaços estacionamentos, será do tipo contra – peso, equipados com acionamento
eletrônico.
       O quadro de medidores terá esquadria metálica pintada.
       Sempre que as alturas das esquadrias não coincidirem com as vigas de pavimento, serão executadas vergas e
contra – vergas para assegurar o seu bom funcionamento. Na execução destes dispositivos de segurança, serão
empregadas 2 barras de aço bitola 8mm, com trespasse de 15cm em ambos os lados.
       Os vidros das esquadrias terão espessuras de 3 e 4mm, de acordo com o tamanho, sendo vidro simples e
transparente.

  13. FORROS:
       Todos os ambientes com exceção das escadarias, reservatórios, casa de máquinas e estacionamentos receberão
forro de gesso liso com extremidades em negativo rebaixado conforme o ambiente e a disposição das tubulações.

  14. COBERTURA:

       A cobertura será de telhas onduladas 6mm, inclinação de 15º, marca Brasilit ou similar, estruturadas em madeira
de eucalipto e cedrilho. Serão executadas calhas em concreto armado e manta aluminizada direcionada para condutores de
PVC, com a finalidade de esgotar o volume pluvial. Nas elevações de paredes entre águas, serão executadas algerozas de
chapa galvanizada, engastadas na parede com argamassa.
       Nos locais, conforme projeto, onde não haverá cobertura, será executada a impermeabilização da superfície com
manta asfáltica, com declividade de 1% em direção aos ralos estrategicamente instalados. Sobre a manta deverá ser
executada proteção térmica-mecânica com argamassa e adição de brita leve.

  15. IMPERMEABILIZAÇÕES:

       Todos os boxes de banheiro e sacadas serão impermeabilizados, com emulsão asfáltica elastomérica reforçada com
tela de poliester, para garantir que a água que atravessar o rejunte do piso cerâmico não ultrapasse para a laje e,
conseqüentemente, para o pavimento inferior.
       Deve-se ter cuidado para que esta impermeabilização tenha um declive mínimo direcionado para os ralos.
       As vigas baldrames terão suas faces superiores impermeabilizadas com emulsão asfáltica.
       Estas medidas se fazem extremamente necessárias, pois garantem maior durabilidade à edificação, evitando a
ocorrência de perturbações como goteiras, danos de corrosão na armadura, etc.
       Para a impermeabilização adequada, serão observados cuidados como a regularização da superfície,
arredondamento dos cantos vivos, juntas de dilatação perimetral e intermediária, trespasse da manta, fixação da manta na
platibanda (no mínimo 20 cm acima do piso), proteção térmica e mecânica e perfeito fechamento nos ralos.

  16. SOLEIRAS E PINGADEIRAS:

        As portas de acesso para sacadas e terraço, terão soleiras de granito polido, espessura 1 cm, largura e comprimento
conforme a dimensão da esquadria.
         Todas as pingadeiras das janelas serão de granito polido, de sanca na parte inferior da extremidade externa, para
facilitar o gotejamento. Estas terão espessura de 2cm, largura e comprimento conforme esquadria.

  17. PINTURAS:

        As paredes internas receberão massa corrida PVC, uma demão de selador e duas demãos de tinta a base de PVA,
marca Kresil ou similar.
        Os muros externos receberão uma demão de selador acrílico e duas demãos de tinta acrílica, marca Kresil ou
similar. Nas paredes da fachada, será aplicada textura, marca Kresil ou similar.
        As cores serão internamente em branco e externamente conforme projeto arquitetônico (tons de areia e marrom
claro).
        As serralherias, grades, portões e demais elementos em ferro receberão camada protetora e pintura esmalte.

  18. LOUÇAS E METAIS:

       Os metais serão de ferro fundido com canoplas cromadas, marca Lorenzetti ou Meber, linha domus ou similar.
       As louças dos sanitários serão de porcelana, marca Incepa linha Flamingo ou similar.
       Nas torneiras dos sanitários e cozinha, que dispõem de instalação de água quente e fria, as torneiras terão comando
com misturador e serão cromadas, marca Lorenzetti ou Meber linha domus ou similar. Na área de serviço, que dispõem
de instalação de água fria, as torneiras serão cromadas, marca Lorenzetti ou Meber linha domus ou similar. Será instalado
um ponto de água fria para máquina de lavar na área de serviço.
       Os registros de pressão e gaveta serão de ferro fundido com canoplas cromadas marca Lorenzetti ou Meber com
acabamento linha domus ou similar.


  19. RESERVATÓRIOS:

       A capacidade total de reserva da edificação será de 40.000 litros de água, sendo 30.000 litros para consumo diário
e 10.000 litros para reserva de incêndio.
       Os reservatórios superiores e inferiores serão de fibra, separados em 3 (2 superiores e 1 inferior) unidades
independentes com capacidade de (1) 10.000 litros e (2) 15.000 litros cada, devidamente fechados e providos de
dispositivos que permitam o acesso para limpeza.
       Para transportar a água do pavimento inferior para o reservatório superior, será instalado um conjunto motor –
bomba que garanta a capacidade de recalque, mesmo quando uma das bombas não esteja em operação.
  20. INSTALAÇÃO HIDRO - SANITÁRIA:

       As instalações hidro – sanitárias serão em PVC, marca Tigre ou similar, obedecendo às dimensões do projeto
específico e as normas da ABNT e da CORSAN.
       As canalizações e conexões sanitárias serão do tipo PVC rígido para esgoto primário, tipo ponta e bolsa, marca
Tigre ou similar.
       As canalizações e conexões de água fria serão do tipo PVC rígido soldável para água fria, marca Tigre ou similar.
       As canalizações e conexões de água quente serão do tipo termofusão (resistente a altas temperaturas) ou similar,
marca Acqua System ou similar.
       As canalizações e conexões do esgoto pluvial serão do tipo PVC rígido tipo ponta e bolsa, marca Tigre ou similar.

  21. PREVENÇÃO INCÊNDIO:

        A escada será do tipo enclausurada com porta corta – fogo (P – 90) e, em cada andar, será instalado um hidrante
com mangueiras de água e extintores de pó químico e gás carbônico, conforme norma técnica.
        As canalizações e conexões de incêndio serão de ferro fundido, pintados de vermelho para sinalização, marca
Tupy ou similar.
        No reservatório superior serão destinados 10.000 litros de água para o uso exclusivo dos bombeiros em caso de
sinistro.

  22. TRANSPORTE VERTICAL:

       Será instalado dois elevadores para transporte vertical com especificações fornecidas pelos fabricantes,
ThyssenKrupp, Atlas ou similar.
       Conforme a exigência da edificação, estes elevadores terão capacidade para 8 pessoas e se deslocará a uma
velocidade de 60 m/min, equipado com freqüência variável, atendendo as especificações dos fabricantes.

  23. CENTRAL DE GÁS:

        O aquecimento de água será por meio de aquecedores de passagem (a serem instalados pelo adquirente). Para
abastecimento deste dispositivo, tem-se a necessidade de uma central de gás que deve ser posicionada no pavimento
térreo, próxima ao passeio e com livre acesso para reabastecimento.
        Esta central de gás terá também a responsabilidade de abastecimento do gás para os fogões das unidades.
        As canalizações e conexões do gás serão de aço galvanizado e cada unidade autônoma terá um medidor de
consumo individual.

  24. INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, TELEFÔNICAS E DE TV A CABO:

       As ligações elétricas serão por condutores (fios) de cobre termoplasticamente isolados, seguindo dimensões do
projeto específico e as normas técnicas vigentes.
       Os eletrodutos e conexões para as instalações elétricas, serão em conduites flexíveis, dimensões conforme projeto
específico.
       Os conjuntos de interruptores, tomadas e campainhas, serão de 4x2”, marca Pezzy ou similar, e terão espelhos
plásticos na cor branca com parafusos aparentes.
       Os pontos de iluminação, interruptores, tomadas, campainhas, terão caixas de fixação na alvenaria de ferro fundido
imunizado.
       As unidades autônomas terão um quadro de distribuição de circuitos, que será instalado nas suas circulações
internas. Este quadro será de ferro galvanizado.
       Serão executadas esperas de tomadas para telefone no dormitório de casal e na sala de estar. Serão previstas
esperas para instalação de TV a cabo na sala de estar e dormitório do casal.

  25. ENTREGA DO EMPREENDIMENTO:

        Após a conclusão das atividades de construção, a obra deve ser limpa, higienizada e estar livre de entulhos.
        Todas as instalações deverão ser testadas.
        Deverão ser tomadas as medidas legais cabíveis, de modo à obtenção do habite-se, junto à prefeitura municipal e o
registro de imóveis local.




                                           _________________________________
                                               RESPONSÁVEL TÉCNICO

								
To top