com um progressivo desenvolvimento industrial

Document Sample
com um progressivo desenvolvimento industrial Powered By Docstoc
					                  DEFEITOS EM REVESTIMENTO CERÂMICO DE FACHADA(RCF)
                                                             1                                2
                             Watson de Almeida Carvalho , Antonio Sergio Ramos da Silva
              1
                  Acadêmico do Curso de Graduação em Engenharia Civil – Universidade Católica do Salvador
                                                 2
                                                   Professor orientador


RESUMO
Através de revisão bibliográfica levantamento fotográfico e visita a alguns empreendimentos, este trabalho mostra os
principais defeitos dos revestimentos cerâmicos de fachada com suas causas e conseqüências desde um projeto mal
executado com uso de mão de obra não qualificada aos tipos de materiais empregados, trazendo prejuízos estéticos
como econômicos para todas as partes envolvidas no processo de execução e aquisição do imóvel.Com o objetivo de
mostrar a importância do projeto de revestimento cerâmico de fachada a escolha dos materiais empregados a
qualificação da mão de obra e a manutenção preventiva.

ABSTRACT
Through literature review photographic survey and visits to some projects, this work shows the major pathologies tile
facade with its main causes and consequences from a poorly executed project with the use of unskilled labor to the types
of materials used, causing losses both aesthetic and financial terms for all parties involved in the implementation and
acquisition of the property. Aiming to show the importance of design ceramic tile facade of the choice of material used for
the classification of labor and preventative maintenance..




INTRODUÇÃO                                                       de modo a proporcionar conforto funcional e estético ao
                                                                 seu usuário. Os revestimentos das superfícies externas,
      Com o aquecimento da indústria da construção civil         em especial as fachadas, são verdadeiros formadores da
nos últimos tempos um revestimento tradicionalmente              imagem do imóvel, indicativo do que se deve encontrar
utilizado em fachadas tanto comerciais quanto                    no seu interior.
residenciais no Brasil, em sua grande maioria, é o                     Segundo AMBROSE (1992), a principal impressão
revestimento cerâmico. Desde que bem aplicado                    causada pelos edifícios nas pessoas consiste no que é
apresenta, em termos de desempenho, adequada                     visto pelo seu exterior. Para cada oportunidade de análise
aderência a base, estanqueidade, isolamento térmico;             dos aspectos internos de uma edificação, a pessoa, seja
isolamento acústico; capacidade de acompanhar as                 caminhando, ou até de dentro do seu veiculo, faz
deformações da estrutura sem apresentar fissuras                 centenas e milhares de “inspeções” acerca do visual
visíveis que comprometam sua estética, ameniza os                externo dos imóveis, conforme um critério particular de
impactos dos agentes externos de deterioração, além de           julgamento. Assim, ainda segundo esse autor, os
possuir grande durabilidade.                                     materiais devem ser cuidadosamente selecionados para
      Entretanto, tem sido freqüente a presença de               atender tanto aos aspectos estéticos como também aos
defeitos no uso deste revestimento. Os motivos são               de durabilidade.
diversos, mas na maioria das vezes o principal fator                   Para CAPOZZI (1996), a fachada, maior forma de
dessa ocorrência origina-se no princípio do processo de          expressão de uma obra, pode-se tornar um diferencial de
um projeto: a incorreta especificação do material e o não        mercado na venda do imóvel, uma vez que o usuário
acompanhamento de um procedimento técnico de                     potencial, cercado por tantas opções, acaba decidindo
aplicação do mesmo, lembrando que cada projeto possui            por aquele que mais se aproxime das suas expectativas e
um contexto e especificidade diferente a ser estudado e          de seus sonhos.
analisado. Durante a concepção de uma edificação, cabe                 O revestimento cerâmico de fachada, quando bem
ao projetista analisar as etapas envolvidas nesse                executado, proporciona proteção à edificação, devido à
                                                                                                               2
complexo sistema, ou seja, a fundação, a superestrutura,         sua durabilidade, leveza, chegando a 18 kg/m , contra 43
                                                                       2
as vedações, os revestimentos, as instalações, entre             kg/m das pedras naturais (REVESTIMENTO, 1999), e
outras. Nesta fase, devem ser previstos todos os                 flexibilidade na escolha das opções decorativas. Os
condicionantes envolvidos na sua produção e, sobretudo,          usuários podem também desfrutar de um imóvel mais
o comportamento futuro dos seus elementos e                      valorizado, sob o ponto de vista estético, além de várias
componentes, objetivando um desempenho adequado à                outras vantagens, como conforto térmico, por exemplo,
finalidade a que se destina.                                     uma vez que as peças cerâmicas são boas refletoras da
      Entretanto, depois de concluída a construção,              radiação solar, sobretudo as de cores claras.
apenas a camada de revestimento permanece exposta,

                                                                                                                         1
      Para PEIXOTO (1992), não há outro material             não-argilosas destacam-se: filitos, fundentes feldspático,
utilizado em fachadas que possa apresentar a riqueza de      caulim, talco e carbonatos.
composições e durabilidade do revestimento cerâmico,              As matérias-primas argilosas são primordiais na fase
com um custo tão acessível.                                  de conformação, pois são elas as responsáveis pela
      Conforme a ANFACER (1994), os fatores que levam        plasticidade da massa, resultando em um material de
os arquitetos a optarem pela utilização do revestimento      elevada qualidade mecânica.
cerâmico na fachada são: durabilidade, facilidade de
manutençã, limpeza, beleza e possibilidade de
combinação das peças e cores.                                CLASSIFICAÇÕES   DOS     REVESTIMENTOS
                                                             CERÂMICOS DE FACHADAS SEGUNDO NORMAS
                                                             TÉCNICAS
HISTÓRICO DA CERÂMICA
                                                             Em face de uma imensa variedade de produtos
      Do grego “Kéramos”, ou seja, “terra queimada” ou       cerâmicos no mercado definidos por formas, dimensões,
ainda “argila queimada”, a cerâmica é um material de         cores, processo de fabricação, propriedade e funções,
grande resistência e seu uso é milenar e bastante            são muitas também as formas de classificação para os
importante na historia econômica e cultural da               mesmos, segundo normas técnicas. São elas:
humanidade. A partir de um processo de produção, a
argila como produto natural, é moldada e submetida a          Classificação conforme sua composição: separada por
altas temperaturas, ganhando rigidez e resistência,            cerâmica vermelha ou cerâmica branca;
mediante a fusão de certos componentes da massa. Essa
propriedade de fusão e liga, permite que a argila seja        Classificação conforme resistência ao ataque de
utilizada nas representações artísticas, nas construções       agentes químicos. A resistência ao ataque químico
como elementos de vedação (adobes, tijolos), vasilhames        está diretamente ligada à composição dos esmaltes, à
e utensílios domésticos e até como papel para a escrita.       temperatura e ao tempo de queima da cerâmica. A
      Segundo estudiosos, a cerâmica é considerada a           NBR 13.817/1997 classifica os revestimentos
mais antiga das indústrias. Nasceu no momento em que o         cerâmicos nas seguintes classes de resistência ao
homem começou a utilizar-se o barro endurecido pelo            ataque químico:
fogo. A partir desse processo de endurecimento, obtido
casualmente, a cerâmica multiplicou-se e foi evoluindo       Tabela 1
até os dias de hoje. As primeiras cerâmicas de que se                                          Alta    Média    Baixa
tem notícia são da Pré-História, usadas como vasos de              Agentes Químicos
                                                                                               (A)      (B)      (C)
barro sem asa e sem ornamentos, com cor de argila
natural. A cerâmica para a construção e a cerâmica                       Alta Concentração
                                                               Ácidos                          HÁ       HB          HC
artística com características industriais só ocorreram na                       (H)
antiguidade em grandes centros comerciais. Hoje, com                     Alta Concentração
                                                               Álcalis                          LA      LB          LC
um      progressivo    desenvolvimento     industrial, os                       (L)
revestimentos cerâmicos para paredes e pisos deixaram
                                                                Produtos domésticos e de
de ser privilégio dos recintos religiosos e dos palácios,                                       A        B          C
                                                                        piscinas
tornando-se acessíveis a todas as classes sociais.
Deixaram de figurar apenas em obras monumentais da           Fonte: NBR 13817
antiguidade e passaram também para as fachadas de
pequenos sobrados e grandes edificações. Segundo              Classificação conforme características          de    sua
definição da NBR 13816, a placa cerâmica constitui em          superfície: esmaltada ou não esmaltada;
uma “lâmina fina fabricada de argilas e/ou outras
matérias-primas inorgânicas, usadas como revestimentos        Classificação conforme processo de fabricação:
para piso e parede”.                                           cerâmica extrudada ou prensada (NBR 13.818).
      As matérias-primas utilizadas na fabricação das
cerâmicas de revestimentos são todas elas encontradas           a) Extrudada: A massa plástica é colocada em uma
na natureza e são constituídas por dois tipos principais,          extrudora (conhecida como maromba) onde é
ou seja, os materiais argilosos e os não argilosos. Os             compactada e forçada por um pistão.
materiais argilosos são à base do “biscoito” da placa e         b) Prensada: A massa granulada com baixo teor de
são formados por uma mistura de diversos tipos de argila,          umidade é colocada em um molde com formato e
dependendo da composição desejada. Os não-argilosos                tamanhos definidos para em seguida ser submetida
servem para sustentar o corpo cerâmico e promover a                a altas pressões através de prensas de grande
fusão da massa com materiais sintéticos (esmalte, por              peso.
exemplo). Dentre as matérias-primas argilosas destacam-
se: argila plástica e argila fundente. Dentre os materiais    Classificação conforme absorção d’água: a absorção
                                                               d´água é uma das principais características dos

                                                                                                                         2
  revestimentos cerâmicos. Indica sua porosidade e se        saunas. EPU (expansão por umidade) inferior a 0,6
  expressa pelo percentual de absorção de água               mm/m, segundo a norma técnica. Porém, em
  calculado sobre o peso total da placa. Quanto menor a      fachadas, recomenda-se usar cerâmicas com EPU
  porosidade do revestimento menor a quantidade de           (expansão por umidade) de no máximo 0,4 mm/m.
  água que ele poderá absorver e melhores serão as
  suas características técnicas e resistência. O            Dilatação Térmica: os revestimentos e suas camadas
  revestimento cerâmico especificado deve ter absorção       de argamassa, alvenaria ou de concreto, sofrem
  de água inferior a 6%. Tal ensaio é medido pela NBR        deformações térmicas diferentes devido aos seus
  13818/1997 conforme classificação a seguir.                coeficientes de dilatação, causadas especialmente
                                                             pela variação térmica do ambiente. Quanto maior for a
  Tabela 2                                                   dimensão do revestimento cerâmico, maiores serão os
                                                             movimentos de dilatação térmica devido a ação da
 Processo de   Classificação segundo      Faixa de
  fabricação     grupo de absorção     absorção d’água       temperatura.      Essa     característica  depende
                         AI               Abs ≤ 3%
                                                             principalmente das matérias primas existentes nas
                        AIIa            3% < Abs ≤ 6%        placas cerâmicas e do processo de fabricação
  Extrudado                                                  empregado.
                        AIIb           6% < Abs ≤ 10%
                        AIII              Abs > 10%
                        BIa               Abs ≤ 0,5%        Resistência ao Choque Térmico: indica a capacidade
                        BIb            0,5% < Abs ≤ 3%       do revestimento cerâmico de resistir às variações
   Prensado             BIIa            3% < Abs ≤ 6%        bruscas de temperatura. Conforme a NBR13818: 1997,
                        BIIb           6% < Abs ≤ 10%        o ensaio para medição da resistência ao choque
                        BIII              Abs > 10%          térmico consiste em submeter os revestimentos à
Fonte: CARVALHO JR, Notas de aula, 2008                      temperaturas elevadas entre 10°C e 150°C, verificando
                                                             possíveis trincas ou desgastes nas placas.
 Classificação conforme resistência        a   abrasão
  superficial – PEI (NBR 13.817).                           Resistência ao Greteamento: mede a resistência à
                                                             formação de micro fissuras na superfície esmaltada. O
   Pode ser classificada em Abrasão Superficial para         greteamento acontece em decorrência da queima, da
Produtos Esmaltados (Porcelain Enamel Institute) e           expansão e dilatação da placa cerâmica. É quando a
Abrasão Profunda para Produtos Não-Esmaltados.               camada de esmalte não se acomoda à esse
   O desgaste por abrasão é causado pelo atrito de           movimento de dilatação e acaba em forma de fissura.
objetos sobre a superfície esmaltada da cerâmica. É mais
aplicada em pisos, já que os revestimentos cerâmicos        Coeficiente de Atrito: trata-se de um aspecto
para paredes não sofrem solicitações desta natureza.         importante a ser discutido no momento da escolha do
Para cada classe de abrasão, é recomendado o seguinte        material, pois atesta a segurança do usuário ao
local de uso:                                                caminhar pela superfície na presença de água, óleo ou
                                                             qualquer outra substância escorregadia. Quanto mais
1. PEI 0 (Resistência Baixíssima) – Paredes internas;        áspero e rugoso for a superfície, maior será a
                                                             resistência ao escorregamento.
2. PEI 1 (Resistência Baixa) – Banheiros e quartos
   residenciais;
                                                            Dureza Mohs: essa característica é importante na hora
3. PEI 2 – (Resistência Média) Todas dependências
                                                             de especificar revestimentos para áreas externas ou
   residenciais internas;
                                                             espaços que sejam suscetíveis à riscos. Dureza Mohs
4. PEI 3 – (Resistência Alta) Todas as dependências          é a classificação que mede a dureza dos materiais
   residenciais (internas e externas);                       existentes na natureza, considerando que um material
5. PEI 4 – (Resistência Alta) Todas as dependências          apenas riscará o outro sempre que apresentar dureza
   residenciais e ambientes comerciais de tráfego médio;     superior.
6. PEI 5 – (Resistência Altíssima) Todas as
   dependências residenciais e ambientes comerciais de      Resistência ao Congelamento: é uma característica
   tráfego intenso.                                          que depende diretamente da absorção d’água, uma
                                                             vez que esta, ao penetrar nos poros da placa
 Expansão por Umidade: é o aumento irreversível do          cerâmica, pode congelar, provocando aumento do
  revestimento cerâmico ao longo do tempo, em função         volume da peça, danificando-a e comprometendo a
  do contato com a umidade e intempéries presentes no        aderência do revestimento cerâmico.
  ambiente onde está assentado. A expansão por
  umidade é uma característica relacionada à qualidade      Resistência     ao   Manchamento      (Classes  de
  das argilas e ao processo de queima da placa e é de        Limpabilidade): Característica que mede o grau de
  fundamental importância para especificação de lugares      facilidade de limpeza e a resistência a manchas do
  onde a umidade é maior, como fachadas, piscina e           revestimento cerâmico. Como descrito na NBR13818:

                                                                                                                3
     1997, seu ensaio consiste em pingar gotas de agentes         A falta de cultura de manutenção preventiva nas
     marchantes sobre a superfície dos corpos de provas        edificações, sobretudo na fachada, é uma consideração
     cerâmica e, após 24 horas, faze a tentativa de            importante para as patologias dos revestimentos
     remoção das manchas.                                      externos. De uma maneira geral, o condomínio espera tal
                                                               procedimento, pelo menos nos primeiros anos, por parte
Tabela 3                                                       da construtora, que, na maioria das vezes, transfere a
 CLASSE 5      Máxima facilidade de remoção com manchas        responsabilidade de volta para os moradores.
                                                               As atividades de manutenção preventiva, além de
 CLASSE 4      Mancha removível com produto de limpeza fraco
                                                               exigirem recursos bem inferiores aos necessários para
 CLASSE 3      Mancha removível com produto de limpeza forte   recuperação, proporcionam ao imóvel uma valorização
 CLASSE 2      Mancha removível com ácido clorídrico/acetona   comercial, além de melhorar a estética e incrementar
 CLASSE 1      Impossibilidade de remoção de mancha
                                                               segurança aos moradores e vizinhos (CIÊNCIA, 1993).
                                                               Segundo SARAIVA (1998), a importância do estudo das
Fonte: ISO 13006
                                                               patologias nos revestimentos cerâmicos de fachada de
                                                               uma edificação decorre do fato de que todos os seus
                                                               requisitos de desempenho dependem fundamentalmente
CLASSIFICAÇÃO DO PROCESSO DE
                                                               da estabilidade da fachada.
DETERIORAÇÃO
                                                               DORFMAN; PETRUCCI (1989) afirmam que, à queda do
                                                               desempenho funcional de uma fachada, provocado pelo
    Durabilidade; termo definido pela NBR6118/03 como
                                                               surgimento de uma patologia, deve-se somar um prejuízo
sendo “capacidade da estrutura resistir às influências         de natureza estética e simbólica, representado pela
ambientais previstas e definidas em conjunto pelo autor
                                                               deterioração visual da edificação. Eles afirmam, ainda,
do projeto estrutural e o contratante, no início dos           que as partes constituintes dessa envoltória apresentam,
trabalhos de elaboração do projeto”. É dentro desse
                                                               pela sua própria natureza, uma grande incidência de
conceito de durabilidade, que surge a importância de se        manifestações patológicas.
estudar    as   patologias    dos   revestimentos.   As
deteriorações dos revestimentos cerâmicos provem
basicamente de três processos diferentes:                      CAMADAS COMPONENTES DO SISTEMA
1.    Físico-mecânico: retração plástica em função do
                                                                    O revestimento cerâmico compreende um sistema
      processo acelerado de evaporação d’água;
                                                               que trabalha de forma homogênea junto aos seus
      movimentação da alvenaria/estrutura causando
                                                               componentes e à base, sobre a qual se adere. Fazem
      fissurações na placa cerâmica; movimentações de
                                                               parte de seu sistema a camada base (alvenaria), as
      origem higrotérmica levando a fissuração e
                                                               camadas intermediárias (chapisco, emboço e reboco) e a
      descolamento dos revestimentos;
                                                               camada de fixação (argamassas).
2.    Químico: é o processo de hidratação retardada da
      cal, levando ao empolamento do revestimento;
      processo de oxidação de impurezas presentes na
      areia, levando     a   formação    de   vesículas,
      manchamento e fissuração das placas cerâmicas;
                                                                                                          Argamassa
3.    Biológico: em áreas úmidas, crescimento de
                                                                        Placas
      microorganismos (bolor e fungos) que produzem                  cerâmicas                            de assentamento
      ácidos que atacam os aglomerantes, levando ao                                                       Emboço

      manchamento das placas e desagregação das
                                                                                                          Base
      mesmas.                                                     Rejuntamento

                                                                                                          Chapisco

      Um aspecto importante inerente ao sistema de
revestimento cerâmico de fachada é o grande número de
insumos envolvidos na sua produção. Nesse processo,            Croqui esquemático do sistema de revestimento de
todos os componentes podem, de alguma forma, alterar           fachada.
ou comprometer o desempenho global, através das
características da base, das argamassas de emboço e de
assentamento, da placa cerâmica, do rejunte e das              DEFEITOS NO        REVESTIMENTO       CERÂMICO         DE
juntas. Como se pode observar, com um número de                FACHADA(RCF)
variáveis tão grandes, o controle da produção fica
dificultado, uma vez que envolve desde os projetos, os         De acordo com CAMPANTE e BAIA (2003), a patologia
materiais, a produção e até mesmo as atividades de             dá-se quando uma parte do edifício, em algum momento
operação (uso e manutenção).                                   de sua vida útil, deixa de apresentar desempenho
                                                               previsto. As patologias nos revestimentos cerâmicos

                                                                                                                        4
podem ter origem na fase de projeto - quando são                       Utilização da argamassa colante com um tempo
escolhidos materiais incompatíveis com as condições de                  em aberto vencido; assentamento sobre superfície
uso, ou quando os projetistas desconsideram as                          contaminada.
interações do revestimento com outras partes do edifício               Imperícia ou negligência da mão-de-obra na
(esquadrias, por exemplo), ou na fase de execução -                     execução     e/ou    controle    dos   serviços
quando os assentadores não dominam a tecnologia de                      (assentadores, mestres e engenheiros).
execução, ou quando os responsáveis pela obra não
                                                                 Uma outra forma de se evitar a ocorrência deste tipo
controlam corretamente o processo de produção.
                                                              de patologia, além de corrigir todos os passos citados
 A tabela a seguir pode exemplificar a necessidade de
                                                              anteriormente, seria evitar a execução dos revestimentos
utilização de projeto para diminuição de patologias,
                                                              cerâmicos em uma fase da construção em que o suporte
apesar de abranger de forma global todos os setores
                                                              ainda esteja recém-executado, evitando-se assim as
da execução de uma obra.
                                                              retrações que podem ocasionar tensões não
Tabela 5. Origens dos defeitos.                               consideradas no projeto do revestimento cerâmico.
                                                                 A recuperação desta patologia é extremamente
     Origens do Problema                Índice (%)
                                                              trabalhosa e, na maior parte das vezes, cara também, já
             Projetos                       60                que o reparo localizado nem sempre é suficiente para
            Construção                     26,4               acabar com o problema, que volta a ocorrer em outras
                                                              áreas do revestimento cerâmico. Muitas vezes a solução
           Equipamentos                    2,1
                                                              é a retirada total do revestimento, podendo-se chegar até
              Outros                       11,5               ao emboço e se refazer todas as camadas.
               Total                       100                   Para CASIMIR (1994), as origens para o surgimento
Fonte: Revista Téchne 14 (1995).                              de problemas em RCF podem ser sintetizadas em falhas
                                                              no projeto e deficiências do construtor.
    Dentre as patologias dos revestimentos cerâmicos
estão: os destacamentos de placas; as trincas,
                                                              2.       Trincas, gretamento e fissuras
gretamento e fissuras; as eflorescências e deterioração
das juntas.
                                                                   Estas patologias aparecem por causa da perda de
                                                              integridade da superfície da placa cerâmica, que pode
1.       Destacamentos
                                                              ficar limitada a um defeito estético (no caso de
                                                              gretamento), ou pode evoluir para um destacamento (no
     Os destacamentos são caracterizados pela perda de
                                                              caso de trincas).
aderência das placas cerâmicas do substrato, ou da
                                                                   As trincas são rupturas no corpo da placa cerâmica
argamassa colante, quando as tensões surgidas no
                                                              provocadas por esforços mecânicos, que causam a
revestimento cerâmico ultrapassam a capacidade de
                                                              separação das placas em partes, com aberturas
aderência das ligações entre a placa cerâmica e
                                                              superiores a 1mm. As fissuras são rompimentos nas
argamassa colante e/ou emboço. Devido à probabilidade
                                                              placas cerâmicas, com aberturas inferiores a 1 mm e que
de acidentes envolvendo os usuários e os custos para
                                                              não causam a ruptura total das placas. O gretamento é
seu reparo, esta patologia é considerada mais séria.
                                                              uma série de aberturas inferiores a 1 mm e que ocorrem
     O primeiro sinal desta patologia é a ocorrência de um
                                                              na superfície esmaltada das placas, dando a ela uma
som cavo (oco) nas placas cerâmicas (quando
                                                              aparência de teia de aranha.
percutidas), ou ainda nas áreas em que se observa o
                                                                   Estas patologias ocorrem normalmente nos primeiros
estufamento da camada de acabamento (placas
                                                              e últimos andares do edifício, geralmente pela falta de
cerâmicas e rejuntes), seguido do destacamento destas
                                                              especificação de juntas de movimentação e detalhes
áreas, que pode ser imediato ou não. Geralmente estas
                                                              construtivos adequados. A inclusão destes elementos no
patologias ocorrem nos primeiros e últimos andares do
                                                              projeto de revestimento e o uso das argamassas bem
edifício, devido ao maior nível de tensões observados
                                                              dosadas ou colantes podem evitar o aparecimento destes
nestes locais.
                                                              problemas.
   As causas destes problemas são:

         Instabilidade do suporte, devido a acomodação do
                                                              3.       Eflorescência
          edifício como um todo.
         Deformação lenta (fluência) da estrutura de
                                                                   Este problema é evidenciado pelo surgimento na
          concreto armado, variações higrotérmicas e de
                                                              superfície no revestimento, de depósitos cristalinos de cor
          temperatura, características um pouco resilientes
                                                              esbranquiçada, comprometendo a aparência do
          dos rejuntes.
                                                              revestimento. Estes depósitos surgem quando os sais
         Ausência de detalhes construtivos (contravergas,    solúveis nas placas de cerâmicas, nos componentes na
          juntas de dessolidarização).                        alvenaria, nas argamassas de emboço, de fixação ou de
                                                              rejuntamento, são transportados pela água utilizada na
                                                                                                                       5
construção, ou vinda de infiltrações, através dos poros     dentre outros. Estes materiais de origem orgânica
dos componentes de revestimento (placas cerâmicas não       apresentam durabilidade variadas, geralmente em torno
esmaltadas e rejuntes). Estes sais em contato com o ar      de 5 anos, embora existam materiais no mercado que
solidificam, causando depósitos. Em algumas situações       possuem garantia de 20 anos. Sua deterioração é
(ambientes constantemente molhados) e com alguns            causada também por microorganismos, razão pela qual,
tipos de sais (de difícil secagem), estes depósitos         após o período de garantia, devem ser inspecionados e
apresentam-se como uma exsudação na superfície.             trocados.
Não haverá ocorrência deste problema, quando eliminado           As maneiras de se evitar a ocorrências desta
qualquer um desses fatores: sais solúveis, presença de      patologia estão diretamente ligadas ao controle da
água ou porosidade do componente de revestimento.           execução do rejuntamento / preenchimento das juntas
Algumas precauções podem ser tomadas para evitar a          escolha de materiais de preenchimento que atendam aos
eflorescência:                                              requisitos de projeto.

 Reduzir o consumo de cimento Portland na argamassa
  de emboço ou usar cimento com baixo teor de álcalis.      ESTUDO   DE        CASO      COM     LEVANTAMENTO
 Utilizar placas cerâmicas de boa qualidade, ou seja,      FOTOGRÁFICO
  queimadas em altas temperaturas (o e elimina os sais
  solúveis de sua composição e a umidade residual).              Foram visitados alguns empreendimentos conforme
 Garantir o tempo necessário para secagem de todas         figuras 1,2,3,4,5,6,7,8,9,10,11 em destaque no qual
  as camadas anteriores à execução de revestimento          foram evidenciados vários defeitos nos revestimentos de
  cerâmico.                                                 fachada (RCF) evidenciando a falta de projeto especifico
                                                            para execução do RCF.
   Para a remoção dos depósitos nas áreas já
comprometidas com a ocorrência deste problema, pode-
se recorrer a uma simples lavagem da superfície do
revestimento, o que geralmente já é suficiente para a
eliminação dos depósitos, mas eles podem voltar a
ocorrer, principalmente se as condições continuarem a
serem propícias. Com o passar do tempo, porém, o
problema tende a diminuir à medida que os sais forem
sendo eliminados.
     Quanto à limpeza do revestimento cerâmico, deve-se
evitar o uso de ácido muriático. Caso seja necessário seu
uso, fazê-lo em concentrações baixas e em pequena
quantidade, enxaguando muito bem a superfície após seu
uso.

4.   Deterioração das juntas
                                                             Figura 1. Fachada em revestimento de pastilha com
                                                             destacamento e eflorescência.
     Este problema, apesar de afetar diretamente as
argamassas de preenchimento das juntas de
assentamento     (rejuntes)   e    de     movimentação,
compromete o desempenho dos revestimentos cerâmicos
como um todo, já que estes componentes são
responsáveis pela estanqueidade do revestimento
cerâmico e pela capacidade de absorver deformações da
estrutura. Os sinais de que está ocorrendo uma
deterioração das juntas são: perda de estanqueidade da
junta e envelhecimento do material de preenchimento. A
perda da estanqueidade pode iniciar-se logo após a sua
execução, através de procedimentos de limpeza
inadequados. Estes procedimentos de limpeza podem
causar deterioração de parte do material aplicado (uso de
ácidos e bases concentrados), que, somados ataques de
agentes atmosféricos agressivos e/ou solicitações
mecânicas por movimentações estruturais, podem causar
fissuração (ou mesmo trincas) bem como infiltração de
água. As juntas de movimentação são preenchidas com         Figura 2. Fachada com destacamento de revestimento
selantes à base de poliuretano, polissulfetos, silicone,    cerâmico.

                                                                                                                  6
                                                   Figura 5. Tardoz da placa cerâmica.



                                                         De acordo as Figuras 1,2,3,4,5 em destaque todos
                                                   os empreendimentos apresentaram destacamentos do
                                                   revestimento cerâmico, segundo RODRIGUES (1997) as
                                                   causas mais comuns para o descolamento nos RCF: a
                                                   inexistência de juntas de movimentação, a deficiência no
                                                   assentamento da cerâmica e, ainda, a inadequação do
Figura 3. Fachada com destacamento de placas       material empregado.
cerâmicas.                                               Para BAUER (1996), os descolamentos podem ser
                                                   causados por erros de execução, uso de materiais
                                                   inadequados ou desconhecimento acerca das suas
                                                   características, deficiências na etapa de projeto, além da
                                                   falta de manutenção.
                                                         MEDEIROS (2000), com base em cerca de 17 casos
                                                   estudados, apresenta três causas consideradas mais
                                                   importantes e encontradas em problemas de
                                                   descolamento nos RCF: ausência de juntas de dilatação,
                                                   preenchimento deficiente do tardoz da cerâmica com
                                                   argamassa adesiva e inadequada especificação desse
                                                   material. Para ele, a origem dessas causas está ligada a
                                                   aspectos de projeto, técnicas de aplicação, e definição de
                                                   materiais e procedimentos de controle.
                                                         PRÖPSTER (1980) apresenta casos de problemas
                                                   de     descolamento em         revestimentos    cerâmicos,
                                                   decorrentes da ausência de juntas de dilatação (agravada
                                                   pela utilização de placas de cor escura e ocorrência de
                                                   choque térmico), colocação de juntas “fictícias”, as quais
                                                   não penetram em todas as camadas (apenas aplicação
                                                   de selante superficial), além de diversas outras patologias
                                                   em revestimentos, de uma maneira geral, como
                                                   manchamentos, eflorescência, etc.




Figura 4. Fachada com destacamento das pastilhas
com reparos feitos recentes.


                                                                                                            7
                                                          Quadro 1. Causas das trincas, gretamento e fissuras.

                                                             Causa das
                                                               trincas,                   Descrição
                                                            gretamento e
                                                              fissuras
                                                                            Este problema ocorre quando há
                                                                            variação térmica e/ou de umidade (a
                                                                            expansão por umidade é uma
                                                                            característica limitada em 0,6 mm/m
                                                          Dilatação e       pela NBR 13818). Estas variações
                                                          retração          geram um estado de tensões internas
                                                          das placas        que, quando ultrapassam o limite de
                                                          cerâmicas         resistência da placa cerâmica, causam
                                                                            trincas    e    fissuras,   e, quando
                                                                            ultrapassam o limite de resistência da
                                                                            camada       de      esmalte,  causam
                                                                            gretamento.
                                                                            Esta deformação do edifício pode criar
                                                                            tensões na alvenaria que, quando não
                                                                            são completamente absorvidas, podem
                                                          Deformação
                                                                            ser transferidas aos revestimentos.
                                                          estrutural
                                                                            Estes, por sua vez, podem não resistir
                                                          excessiva
                                                                            ao nível de tensões, rompendo-se e,
                                                                            muitas vezes, destacando–se do
                                                                            substrato.
                                                                            A falta de alguns detalhes construtivos,
                                                                            tais como vergas, contravergas nas
                                                          Ausência de       aberturas de janelas e portas,
                                                          detalhes          pingadeiras nas janelas, platibandas e
                                                          construtivos      juntas de movimentação, podem ajudar
                                                                            a dissipar as tensões que chegam até
                                                                            os revestimentos.
                                                                            Este problema ocorre quando se usa
                                                                            argamassa de fixação dosada em obra
                                                                            em vez de argamassa colante
                                                                            industrializada.    A    retração    da
                                                                            argamassa causada pela hidratação do
                                                          Retração da
                                                                            cimento podem causar um aperto ou
                                                          argamassa de
                                                                            “beliscão” na placa cerâmica que, por
                                                          fixação
                                                                            estar firmemente aderida a argamassa,
                                                                            pode tornar a superfície convexa e
                                                                            tracionada,     causando     gretamento,
                                                                            fissuras ou mesmo trincas nas placas
                                                                            cerâmicas.

                                                         Fonte: Adaptado de CAMPANTE e BAIA (2003).




Figura 6. Fachada em revestimento com pastilha com
fissuração e gretamento.

     Na Figura 6 as fachadas com revestimento cerâmico
apresentam fissurações, gretamentos alem de manchas
representando falta de manutenção. CAMPANTE e BAIA
(2003) explicam as causas das trincas, gretamento e
fissuras.




                                                                                                                       8
                                                          responsáveis pela eflorescência), advêm da fabricação
                                                          dos componentes cerâmicos.
                                                                São elas: matérias-primas cerâmicas; água usada
                                                          no processo de fabricação; reação decomponente da
                                                          massa com óxidos de enxofre do combustível durante a
                                                          secagem e início da queima; defloculantes (substâncias
                                                          que buscam neutralizar a reatividade entre as partículas
                                                          no processo de fabricação da cerâmica), além de outras
                                                          substâncias adicionadas à massa.
                                                                UEMOTO (1988) defende que, a eflorescência é
                                                          originada por três fatores: o teor de sais solúveis
                                                          presentes nos materiais e componentes; a presença de
                                                          água; a pressão hidrostática (que faz com que a solução
                                                          caminhe para a superfície), além de fatores externos,
                                                          como o aumento da temperatura.
                                                             Segundo ESQUIVEL (2001), dificilmente pode-se
                                                          garantir a eliminação da eflorescência manifestada nos
                                                          revestimentos, entretanto, pode-se evitá-la, tomando
                                                          algumas providências quando no seu assentamento:



                                                           Empregar placas sem sais solúveis e evitar molhá-las;
                                                           Reduzir o consumo de cimento Portland ou especificar
                                                            cimento de baixo teor de álcalis (o cimento Portland
                                                            possui sais solúveis, principal fonte da patologia);
                                                           Procurar o emprego de rejuntes flexível e com menor
                                                            porosidade;
                                                           Garantir completa secagem       da   base   que   será
                                                            assentado o revestimento;
                                                           Não empregar ácido clorídrico para a limpeza logo
                                                            após a execução do rejunte (caso se faça necessário,
                                                            aplicá-lo em fraca concentração);




Figura 7. Fachada com revestimento em pastilha com
eflorescência.




                                                          Figura 9. Fachada com deterioração das juntas de
                                                          vedação.



                                                                Na figura 9 a deterioração do rejuntamento não só
                                                          compromete os aspectos referentes à estética do
                                                          conjunto, como também compromete a perda de
                                                          estanqueidade da camada de acabamento dos
                                                          revestimentos cerâmicos, na maioria das vezes, logo
                                                          após a sua execução as juntas de vedação são
                                                          comprometidas, em função da limpeza inadequada
Figura 8. Fachada revestida com placa cerâmica com
                                                          podendo ocasionar além da eflorescência, a formação de
eflorescência.
                                                          trincas e descolamento da placa cerâmica.

     Nas figuras 7 e 8 as manchas esbranquiçadas são
sinais de eflorescência. De acordo com SABBATINI et al.
(1997), as possíveis fontes de sais solúveis (sais

                                                                                                                9
                                                           A IMPORTÂNCIA DO PROJETO

                                                                 Em tese, com um projeto minucioso em mãos, o
                                                           executor sabe exatamente o que deve ser feito e o
                                                           engenheiro de obra sabe o que exigir dos empreiteiros.
                                                                 O projeto detalhado de uma fachada juntamente
                                                           com correta especificação técnica e mão de obra
                                                           adequada, contribui de maneira direta para a durabilidade
                                                           de uma edificação composta de revestimentos cerâmicos,
                                                           evitando possíveis patologias e manutenções. Desta
                                                           forma julgamos serem importantes à elaboração de
                                                           projeto executivo de revestimento de fachada,
                                                           especificando materiais adequados, ensaios necessários,
                                                           novas tecnologias, métodos de execução e detalhamento
                                                           de todo o processo construtivo, o que certamente vai
                                                           reduzir os problemas de fissuras, descolamento de
                                                           cerâmicas, eflorescências e outras patologias típicas de
                                                           revestimento de fachada, dando subsídios aos envolvidos
                                                           na especificação e execução do revestimento de fachada,
                                                           visando à obtenção de um resultado final que
                                                           corresponda às necessidades dos construtores e
Figura 10. Fachada         sendo    reconstituida    com   usuários.
revestimento cerâmico.                                           A implantação de um projeto de produção de
                                                           revestimentos    cerâmicos      de   fachada,    segundo
                                                           MEDEIROS; SABBATINI (1998) permite evitar uma série
                                                           de problemas que podem conduzir a falhas nos
                                                           revestimentos e facilitar as ações de controle e melhoria
                                                           de qualidade de produção.
                                                                 A origem para grande parte das manifestações
                                                           patológicas presentes nos sistemas de revestimento
                                                           cerâmico de fachada, segundo GOMES (1997) é
                                                           proveniente da falta de planejamento, na etapa de
                                                           projeto.
                                                                 Para JUST; FRANCO (2001) o descolamento de
                                                           revestimento cerâmico de fachada também tem origem
                                                           nos aspectos relacionados com o projeto, desde a
                                                           concepção da edificação, a falta de coordenação entre
                                                           projetos, a escolha de materiais inadequados até a
                                                           negligência quanto a aspectos básicos como o
                                                           posicionamento das juntas de dilatação e telas metálicas.
                                                                 As origens para o surgimento de problemas em
                                                           sistemas de revestimento cerâmico de fachadas, aponta
                                                           CASIMIR (1994) podem ser sintetizadas em falhas no
                                                           projeto.
                                                              MEDEIROS; SABBATINI (1998) considera algumas
                                                           diretrizes para ajudar os projetistas na elaboração do
                                                           projeto de sistema de revestimento de fachada:
Figura 11. Fachada         sendo    recuperada      com
revestimento cerâmico.                                     - Respeitar as juntas da estrutura no sistema de
                                                             revestimento cerâmico de fachadas;
     Nas figuras 10 e 11 o revestimento cerâmico de        - Utilizar as juntas em encontros de diferentes fachadas,
fachada esta sendo totalmente refeito, pois o reparo não     tanto externas quanto internas;
soluciona o problema, o trabalho de retirada do            - Definir a junta em cada nível da planta, situando-se no
revestimento antigo a preparação da base a colocação do      encontro da alvenaria com a estrutura (parte inferior da
material de revestimento cerâmico novo requer mais           viga estrutural com parte superior da parede de
atenção e cautela para que não se repita os defeitos         vedação);
anteriores daí a importância do projeto de revestimento
de fachada com especificações dos materiais e mão de       - Utilizar juntas em panos cerâmicos em balanços, sobre
obra adequada.                                               peitoris e fachadas salientes.

                                                                                                                  10
     Os projetos de sistema de revestimento cerâmico de       CONSIDERAÇÕES FINAIS
fachada devem ter diretrizes e parâmetros para a sua
elaboração. Além do aspecto estético, devem apresentar              Tendo em vista a importância dos problemas
detalhes como: descrição dos produtos (substratos,            associados aos defeitos nos revestimentos de fachada,
argamassas adesivas, placas cerâmicas e rejuntes),            os transtornos para as construtoras e para os donos de
posicionamento e dimensão das juntas de movimentação          imóveis visto que um reparo em muitos casos não
e assentamento (horizontais e verticais), posicionamento      soluciona o problema, ao contrário, poderá acarretar um
das telas metálicas, procedimentos de execução e              enorme gasto financeiro, o desgaste e transtornos
detalhes específicos de acordo com o projeto executivo        sofridos pelas partes envolvidas no processo de reparo
de arquitetura, como detalhes de platibandas e peitoris.      ou na maioria das vezes refazer o que estava pronto de
Outro fator importante é a compatibilidade do projeto         uma maneira correta com equipe especializada e mão de
executivo do sistema de revestimento cerâmico com os          obra qualificada.
demais projetos, principalmente estrutural e arquitetônico.         Nos estudos de casos analisados, observou-se que
Segundo MEDEIROS; SABBATINI (1998) é possível                 todos os empreendimentos visitados apresentaram
identificar três fases de desenvolvimento de projeto de       patologias, pela falta de um projeto ou quando constava o
sistema de revestimento cerâmico:                             projeto era mal executado. A falta de manutenção, os
                                                              materiais utilizados e os reparos feitos são pontos que
- Fase de análise e definições iniciais: o resultado é um     também agravam a estética do empreendimento quando
  conjunto de definições e alternativas potenciais de         feitos de maneira inadequada.
  solução e o estabelecimento da concepção de projeto;              Isso pode ser considerado também como um reflexo
- Fase de discriminação e detalhamento: descreve e            da pouca importância dada para a produção dos
  caracteriza a solução do projeto com base na                revestimentos de fachada, a qual, em geral, não é
  tecnologia disponível e normalização. Definição das         interpretado como um assunto estritamente técnico, ao
  juntas, materiais, métodos e detalhes construtivos;         contrário dos projetos estruturais e acompanhamento
                                                              tecnológico de concreto, por exemplo.
- Fase de execução: implantação do projeto na obra e                Fica evidente a pouca importância dada ao projeto
  verificação prática das soluções projetadas.                de revestimento de fachada, entretanto, segundo os
- Por isso, o projeto de revestimento de fachadas precisa     estudos feitos fica provado que os reparos feitos pelas
  considerar também suporte e treinamento do pessoal          construtoras e a manutenção exigida por partes dos
  de campo.                                                   donos dos apartamentos no prazo que determina a lei,
                                                              encarece bastante a obra mostrando que se houver uma
      Uma série de pequenas falhas de execução pode           preocupação anterior com o projeto de revestimento de
implicar conseqüências graves para as construtoras. "Já       fachada com a fiscalização na execução, treinamento de
vi fachadas com destacamento simplesmente porque              mão-de-obra, os custos de manutenção compensa, pois
pedreiro executou o emboço sem tomar o cuidado de             são reduzidos e em muitos casos só exige as
limpar a base", comenta o professor da Poli-USP. Outra        manutenções preventivas como limpeza e inspeção para
situação que pode gerar patologias é o uso de argamassa       evitar o surgimento de patologias.
com pouca água. "O empreiteiro não reclama quando a                 O uso sistemático de projeto de revestimento de
argamassa seca muito rápida porque ele ganha por metro        fachadas ainda se limita a um pequeno grupo de
quadrado produzido", explica Cavani.                          construtoras que priorizam o desempenho técnico de
      Pelo mesmo motivo já foram registrados casos em         suas construções, antes mesmo de custos. Até porque
que o pedreiro, sobretudo para fazer requadros e              não é o objetivo desse tipo de projeto agregar economia,
varandas, acrescentou gesso à argamassa para acelerar         nem aumentar a produtividade, mas evitar patologias.
o endurecimento. O resultado é que, após alguns anos, a       Mesmo assim, alguns ganhos podem ser obtidos com a
argamassa expande e o revestimento cai.                       racionalização da espessura do emboço, por exemplo.
      Por essas e outras razões, a falta de fiscalização na   Ou então, com melhor contratação dos empreiteiros e a
obra pode ser desastrosa.                                     organização logística do canteiro.
      Geralmente os envolvidos nos processos de                     Conclui-se que uma correta especificação, com
elaboração do sistema de revestimento cerâmico,               projeto detalhado, contendo as especificações adequadas
acreditam na conclusão do serviço com a entrega da            escolha dos materiais e as técnicas de execução,
edificação. Outro projeto complementar que pode auxiliar      contribui fortemente para a melhoria da produção dos
na durabilidade do sistema e conseqüente a vida útil do       revestimentos de fachada, além de evitar improvisações,
edifício, é o projeto de manutenção preventiva deste          que certamente poderão resultar em patologias. Deve ser
sistema de revestimento cerâmico, que pode ser de             enfatizado que além da correta especificação, a
responsabilidade da construtora e dos condôminos,             fiscalização adequada, e o treinamento da mão de obra
respeitando as diretrizes do projetista do sistema de         são de fundamentais para o resultado final, com o
revestimento cerâmico de fachada.                             objetivo de alcançar a qualidade, o desempenho e o
                                                              custo final.


                                                                                                                    11
REFERÊNCIAS                                                                ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS: NBR
                                                                              13817: Placa Cerâmica para Revestimento: Classificação.
                                                                              Rio de Janeiro, 1997.

Rezende,       M.M.;      Barros,   M.M.S.B.;    Medeiros,     J.S.    A
                                                                           ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS: NBR
    INFLUÊNCIA DA MANUTENÇÃO NA DURABILIDADE
                                                                              13818: Placas Cerâmicas para Revestimento: Especificação
    DOS REVESTIMENTOS DE FACHADA DE EDIFÍCIOS. In:
                                                                              e Métodos de Ensaio. Rio de Janeiro, 1997.
    Workdur - II Workshop sobre durabilidade das construções,
    2001, São José dos Campos. Workdur - II Workshop sobre
                                                                           Fontenelle, M.A.M.; Moura, Y.M.; REVESTIMENTO CERÂMICO
    durabilidade das construções, 2001. p. 144-154.
                                                                              EM    FACHADAS          ESTUDO    DAS     CAUSAS      DAS
                                                                              PATOLOGIAS. Relatório da pesquisa, Associação Brasileira
Gripp,    R.A.;      A     IMPORTÂNCIA          DO   PROJETO          DE
                                                                              de Cimento Portland. Fortaleza, 2004.
    REVESTIMENTO DE FACHADA, PARA A REDUÇÃO DE
    PATOLOGIAS. Monografia (Especialização em Construção
                                                                           FRANCO, Ana L. C.; REVESTIMENTOS CERÂMICOS DE
    Civil) Escola de Engenharia UFMG. 2008.
                                                                              FACHADA: Composição, patologias e técnicas de aplicação.
                                                                              Monografia    (Especialização    em     Construção   Civil).
Cirne,     L.S.R.;       LEVANTAMENTO            DAS      PRINCIPAIS
                                                                              Universidade Federal de Minas Gerais, Nov. 2008.
    PATOLOGIAS DE REVESTIMENTOS DE FACHADA DE
    EDIFÍCIOS        NA     CIDADE       DE   SALVADOR.       Iniciação
    Científica. (Graduando em Engenharia Civil) - Universidade
    Federal da Bahia, Comunidade da Construção. 2005.


Centro Cerâmico do Brasil, CCB. MANUAL FACHADAS -
    MANUAL DE ASSENTAMENTO DE REVESTIMENTOS
    CERÂMICOS. São Paulo, dez 2003. Disponível na internet
    em: <http://www.ccb.org.br/assentamento/manual_fachadas
    .pdf>. Acesso em 21 jun. 2010.


Faça Você Mesmo. PATOLOGIAS                     DO REVESTIMENTO
    CERÂMICO EM FACHADAS. SÃO PAULO. Disponível na
    internet em: <http://www.facavocemesmo.net>. Acesso em
    21 jun. 2010.


Medeiros, J.S. PROJETISTA DE FACHADAS. Revista Téchne.
    Disponível na internet em:<http://www.revistatechne.com.br>
    Acesso em 21 jun. 2010.


Just,    A.,      Franco     L.     S.   DESCOLAMENTOS            DOS
    REVESTIMENTOS             CERÂMICOS         DE   FACHADA          NA
    CIDADE DO RECIFE. Boletim Técnico da Escola Politécnica
    da USP, Departamento de Engenharia de Construção Civil,
    BT/PCC/285. São Paulo: EPUSP, 2001. 25 p.


TERRA, Ricardo C. LEVANTAMENTO DE MANIFESTAÇÕES
    PATOLÓGICAS EM REVESTIMENTOS DE FACHADAS
    DAS        EDIFICAÇÕES          DA   CIDADE      DE      PELOTAS.
    Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio
    Grande do Sul. 2001


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR
    13816: Placa Cerâmica para Revestimento: Terminologia.
    Rio de Janeiro, 1997.




                                                                                                                                      12

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:12
posted:4/20/2012
language:Portuguese
pages:12