Documents
Resources
Learning Center
Upload
Plans & pricing Sign in
Sign Out

Kurt Lewin (DOC)

VIEWS: 143 PAGES: 2

Little research about Kurt Lewin studies on psichology and administration.

More Info
									       Kurt Lewin (1890-1947)

        Kurt Lewin foi um psicólogo alemão de suma importância para as pesquisas no
campo do comportamento humano, personalidade, processos sociais e motivação.
        Formulou a teoria do campo psicológico que afirma que as variações
individuais do comportamento humano com relação à norma são condicionadas pela
tensão entre as percepções que o indivíduo tem de si mesmo e pelo ambiente
psicológico em que se insere também chamado de espaço vital. Seu objetivo era
determinar a influência que o meio ambiente exercia sobre as pessoas, as relações
que com ele estabelecem, o modo como as pessoas agem, reagem e se organizam
conforme o meio ambiente. Sua teoria abriu diversos caminhos para os estudos sobre
grupos e relações humanas. Em suas pesquisas aplicou diversos dos princípios da
psicologia Gestalt, que afirma que o cérebro tem princípios operacionais próprios, com
tendências auto organizacionais dos estímulos recebidos pelos sentidos.
        Trabalhava por meio da ‘Action research’ (Pesquisa-ação). Criação do próprio
pesquisador que busca focar a colaboração, informação e interação. Constitui-se da
investigação de problemas através de múltiplos passos. É um processo colaborativo
no qual os membros trabalham juntos para solucionar um problema refletindo
criticamente sobre suas ações e suposições. Recompilam a informação acerca de
seus        comportamentos,         ações,        resultados         e       julgamentos.
        Lewin afirmou que o comportamento deriva da coexistência de fatos, um
campo dinâmico é criado por essa coexistência e todas as partes do campo são
interdependentes entre si. Além disso, frisa que o comportamento depende do campo
atual, não do passado ou do futuro. Indivíduos se comportam diferentemente de
acordo com o modo em que as tensões da percepção do self e do ambiente são
trabalhadas. É necessário observar o espaço vital em que se situa o individuo para
entender suas atitudes e poder traçar um padrão comportamental fiel à realidade. O
indivíduo participa de diversos espaços vitais (do inglês, lifespace) no decorrer de seus
dias, entre eles estão a família, a escola, os amigos, a igreja, o clube, etc... O
comportamento está sempre relacionado às características pessoais do indivíduo e ao
ambiente          em         que        se         encontra         (espaço         vital).
        Os participantes das pesquisas exercem o papel simultâneo de sujeitos e
objetos da experiência. Kurt Lewin foi o precursor das dinâmicas de grupo e seu
trabalho é até os dias atuais muito estudado e aplicado como grande força propulsora
dos estudos administrativos. Interessava-se por pequenos grupos onde estudava
motivação, participação nos processos decisórios, tensões, padrões grupais,
preconceitos e formas de coordenar o grupo. Lewin estudava como a aplicação das
variáveis mencionadas afetavam as atitudes individuais e buscava as origens,
condições        modificadoras      e      consequências          para      o      grupo.
        Um fator de suma importância na pesquisa de Lewin é que sua aplicabilidade
não se dá somente à grupos de indivíduos, como também à grupos sociais complexos
como uma empresa, país, igreja, governo, etc... É importante notar a existência de
fatores de agregação dos grupos, entre eles credo, cor, situação socioeconômica e
ideias em comum.

        “Teoria de campo de Lewin”

       Em 1935 Kurt Lewin já referia em suas pesquisas sobre o comportamento
social ao importante papel da motivação. Para melhor explicar a motivação do
comportamento, elaborou a teoria de campo que se baseia em duas suposições
fundamentais: comportamento é derivado da totalidade de fatos coexistentes ao seu
redor os quais tem o caráter de um campo dinâmico, no qual cada parte do campo
depende de uma interação-relação com as demais outras partes. O campo dinâmico
atual (presente) é caracterizado como o “espaço de vida que contém a pessoa e seu
ambiente                                                                 psicológico”.
        Segundo Lewin, sua teoria não segue o sentido habitual, tende para um
método de analise; que busca explicar não só as relações causais como também a
elaboração de construtos científicos. Entre as bases para a formulação de sua teoria
figuram os conceitos de espaços vitais, conceitos dinâmicos para análise
comportamental (tensão, energia, necessidade, valência e vetor), processos e meios
pelos quais as tensões do sistema se tornam equivalentes (percepção, ação e
recordação) a influência da aprendizagem na mudança comportamental.
        Lewin afirma que toda necessidade cria um estado de tensão no indivíduo, uma
predisposição a agir sem nenhuma direção fortemente delineada. Em suas pesquisas,
Lewin utilizou-se de um mapeamento do espaço vital e indicações de forças
motivacionais no comportamento, combinando de maneira peculiar os estilos de
analise                     topológico                    e                   vetorial.
        Pode-se definir como necessidade a força consciente ou inconsciente que leva
um indivíduo a determinado comportamento. Essas necessidades motivam o
comportamento humano, dando-lhe direção e conteúdo. Ao longo de sua vida, o
indivíduo evolui por três níveis de motivação: à medida que vai crescendo e
amadurecendo, vai ultrapassando os estágios mais baixos e desenvolvendo
necessidades         de        níveis        gradativamente      mais       elevados.
Os três níveis de motivação citados são as necessidades de natureza fisiológica (vitais
ao ser humano), psicológica (exclusivas do ser humano, adquiridas ao longo da vida e
mais complexas que as demais, como necessidade de participação ou de afeição) e
necessidades de auto-realização e expressão criativa (produtos da educação e da
cultura,        raramente          satisfeitas        em        sua        plenitude).
        Assim como na pirâmide de Maslow, para Lewin é necessário que as
necessidades básicas estejam satisfeitas antes que o individuo motive-se a satisfazer
os outros tipos de necessidade (necessidades de nível superior). Como toda
necessidade provoca um estado de tensão, existe motivação para realização de
determinadas necessidades, com sua realização o indivíduo retorna ao equilíbrio
psicológico,            gerando              um           ciclo          motivacional.
        A satisfação de necessidades nem sempre é obtida. Sempre que alguma
satisfação é bloqueada por alguma barreira, ocorre a frustração e, consequentemente,
a tensão existente não é liberada pelo indivíduo, ocasionando um estado de
desequilíbrio. De outro lado, o ciclo motivacional pode ter outra solução, que é
denominada compensação ou transferência. A compensação ocorre quando o
indivíduo tenta satisfazer uma necessidade impossível de ser satisfeita, através da
satisfação     de     outra      necessidade      complementar      ou    substitutiva.
        A moral deriva da satisfação emocional. Uma moral elevada provoca atitude de
interesse e aproximação do grupo gerando coesão e alinhamento com os interesses
da organização. Já uma moral baixa provoca desinteresse, comportamento negativo,
má vontade e resistência, além de apatia para com a organização.

								
To top