�LBUM 04- FOTOS DOS PRINCIPAIS PR�DIOS EXISTENTES EM FRANCA

Document Sample
�LBUM 04- FOTOS DOS PRINCIPAIS PR�DIOS EXISTENTES EM FRANCA Powered By Docstoc
					  ÁLBUM 04- FOTOS DOS PRINCIPAIS PRÉDIOS EXISTENTES
                     EM FRANCA.


      01- Mercado Antigo(1920).
      Rua General Telles, o antigo grupo escolar ao fundo.


      02- Mercado Municipal (1930).


      03- Mercado Municipal (1930).
      Situado em frente ao Grupo Escolar Cel. Francisco Martins, na atual Praça João
de Lima.


      04- Mercado Municipal.



      05- Mercado Municipal (1924).



      06- Mercado Municipal (1924).



      07- Mercado Municipal.



       08- Antigo Matadouro (1927).
       Vê-se ao centro o Sr. Fiori Dermínio. Em 1923, no bairro de Miramontes foi
construído o Matadouro da cidade, na honrada gestão do Capitão Joaquim de Paula
Costa.


      09- Antiga Casa Hygino Caleiro & Sandoval (1961).



       10- Edifício da Cadeia e Delegacia (1927).
       Edifício datado de 1913, situado na rua Major Claudiano, esquina com a rua
Tiradentes. Aspecto original.



      11- Cadeia da rua Major Claudiano.
        Já reformada. Até hoje é utilizada, ainda que destuídas suas características
iniciais.


       12- Antigo Teatro Santa Maria (1935).
       Era um teatro que tinha a platéia separada da gabina de operações.


       13- Antigo Teatro Santa Maria (1935).
       Situado na rua Marechal Deodoro, próximo a rua do Ouvidor, que foi palco de
grandiosos espetáculos.
       O prédio foi erguido pela empresa cinematográfica Muniz & Cunha. Em 1924,
foi concluído o novo edifício do Teatro Santa Maria com capacidade para 1400 pessoas.
       Os seus camarotes tornaram-se então centros convencionais de reuniões da elite
francana.


       14- Agência de Correios e Telégrafos.
       1943- Lançamento da pedra fundamental.
       1945- Inauguração.
       Agência dos Correios e Telégrafos: Franca, a única cidade escolhida para a
construção de um Palácio Postal. Este edifício foi construído no local do velho Grupo
Escolar “Coronel Francisco Martins”, na Praça 09 de Julho.


        15- Centro de Saúde
        Foi entregue pelos Srs. Engenheiros da Firma Azeredo, de São Paulo,
responsável pelo acabamento dos pavilhões de que se compõe o magnífico edifício do
Centro de Saúde local. Foram entregues as chaves do próprio público ao Sr. Prefeito
Municipal, Dr. Onofre Sebastião Gosuen.
        A efetivação do termo de entrega verificou-se na tarde de sexta-feira, dia 16 de
abril de 1956, e em nome da Prefeitura Municipal que se fazia acompanhar pelo
secretário Sr. João Antônio Fonseca.
        Está assim confiado à guarda do povo de Franca, mais um grande edifício do
Estado, que se destinará a acolher em suas dependências todo o aparelhamento e
recursos sanitários possíveis, dotando assim nossa cidade de um magnífico serviço de
assistência médico-sanitária.
        O edifício do Centro de Saúde é um dos maiores e melhores do Estado de São
Paulo. Iniciado na gestão do Dr. José Guerriéri de Rezende, recebe-o agora o atual
Prefeito Dr. Onofre Sebastião Gosuen.
        O serviço de ajardinamento da Praça que fica ao redor do mesmo, foi iniciado
pela Prefeitura sob orientação do Dr. Antônio Barbosa Filho, e brevemente também será
terminado.
                         Jornal Diário da Tarde- 20/03/1956 – 1ª página.


      16- Cadeia de Franca (1896).
      A Cadeia de franca inaugurada em 1986, cujo projeto é atribuído a Victor
Dubugras. Atualmente funciona as instalações do Museu Histórico Municipal “José
Chiachiri”.
       17- Fórum e Cadeia (1898).


       18- Prefeitura e Câmara Municipal ( Antigo Paço Ruy Barbosa).


       19- Museu Histórico José Chiachiri.


        20- Antiga prefeitura de Franca, hoje Museu Histórico.
        Antiga cadeia (1900), hoje funciona o Museu Histórico Municipal “José
Chiachiri”.
        Antiga Prefeitura de Franca, hoje funcionando o Museu que foi criado pela Lei
Municipal 656, de 13/09/1957, instalado em sede provisória a 09/03/1959 e instalado
definitivamente em sede própria, 28/11/1970.
        O Museu Histórico Municipal “José Chiachiri”, é considerado como o melhor e
mais bem instalado do interior paulista, ocupando prédio próprio e característico, de
estilo normando.


       21- A primeira Empresa de Força e Luz em Franca (1910).
       A sede primitiva da Empresa de Força e Luz de Franca, Ignorra & Cia Ltda, cuja
usina montada na cachoeira do Mosquito (Fazenda Santa Hilda), foi inaugurada em
1904, ficava na rua General Carneiro esquina da rua Major Claudiano. Ao fundo vê-se o
prédio de Torrefação de Café de Julião Vitório, hoje Banco do Brasil.
       Em 1884, o serviço de iluminação da cidade de Franca era feito por meio de
lampiões que funcionavam a querosene ou carbureto.
       O concessionário do serviço fazia contrato com a Câmara, e de acordo com o
mesmo obrigava-se a fornecer o combustível e os pavios dos lampiões.
       Foto oferecida por Zé Ovinho.
       (Revista Vila Franca de Abril de 1962, página 208).



       22- A primeira Empresa de Força e Luz em Franca (1904).



       23- Instalações da rede elétrica em Franca.



       24- Antiga Empresa de Força e Luz em Franca.
       A empresa Força e Luz: 1910. a sede primitiva desta Empresa, propriedade de
Ignácia S Cia Ltda, foi inaugurada em 1904. Ficava na rua General Carneiro, esquina da
Rua Major Claudiano, ao fundo vê-se o prédio da Torrefação de Café de Júlio Vitório,
hoje sede do Banco do Brasil.
       25- Prédio anterior da Caixa Econômica Estadual.
       Rua General Carneiro, esquina com a rua Major Claudiano, onde hoje funciona a
Cia Paulista de Força e Luz. Vê-se ao fundo, o prédio que existiu anteriormente, a Caixa
Econômica Estadual. Ano 1960.



       26- Instalações da rede elétrica, em Franca.



        27- Hotel Francano (1954).
        Praça D. Pedro II, com o Hotel Francano, foi um dos mais luxuosos hotéis do
interior do Estado, estava na época em que foi demolido, sob direção do Sr. Antônio
José Junior.



       28- Hotel Francano (1966).



       29- Construção Antiga (1940).
       Construção antiga entre as ruas Monsenhor Rosa e Major Claudiano, onde
funcionou a antiga Cia. de Força e Luz e a Caixa Econômica.



       30- Antiga Construção (1940).
       Edifício da CPFL, 1940. situado na travessa da Maçonaria, hoje rua Cel. André
Martins, entre as ruas Monsenhor Rosa e Major Claudiano, ficou esta obra iniciada em
meados de 1927, ficando parada por muito tempo.
       Era destinada à CPFL e mais tarde foi aproveitada pela Caixa Econômica
Estadual, que foi inaugurada em 1952.



       31- Esboço do Banco Arthur Scatena (1950).



        32- Caixa Econômica Estadual.
        Rua Major Claudiano. Em 01 de julho de 1944, o Sr. Ulisses Miranda, regressou
da capital do estado, onde fora assinar a escritura definitiva de aquisição do terreno
destinado à localização do novo edifício próprio da Caixa Econômica Estadual. Este
terreno foi ocupado pelo prédio da Sub Estação transformadora da Cia Francana de
Eletricidade que por motivos já conhecidos não mais seria concluído para os fins
projetados. No mesmo edifício ficarão localizados outras repartições estaduais, uma
obra de vulto. Franca contará com mais um prédio do governo estadual, pois a
construção da Caixa Econômica do Estado já foi iniciada, no terreno existente à
Travessa da Maçonaria.
        Trata-se de uma obra de vulto, cuja sondagem do terreno foi entregue aos
engenheiros Rocha, Freitas & Rollim, conforme determinação da firma vencedora da
concorrência pública.
        Edifício de grandes e estéticas proporções, um monumento arquitetônico de real
valor, embelezando sobremaneira a nossa cidade, achava-se neste dia 17 de agosto de
1952 uma grande multidão aguardando a inauguração, o Sr. Governador de São Paulo, o
Sr. Adhemar de Barros. Era prefeito da cidade de Franca o Dr. Ismael Alonso Y Alonso.



       33- Antiga Selaria de Macedo e Pacheco (1905).
       Selaria União Macedo & Cia, precursora da primeira indústria de calçados de
Franca, de Carlos Pacheco Macedo (Calçados Jaguar). A selaria União, cujo sócio
principal era Carlos Pacheco de Macedo.
       Doação: Ritinha Louzada. Texto extraído da Revista Sertaneja de dezembro de
1958.


       34- Barbearia Grã- Fina (1929).
       Rua General Telles, próximo ao edifício Baronesa da Franca, destacando os
barbeiros que trabalhavam de terno e gravata.
       Ao centro o Sr. Nicola Maníglia, de gravata borboleta.



       35- Depositário do Guaraná Espumante.



       36- Depósito de Bebidas (1904).



       37- Fábrica de Fósforos Imperial.



       38- Confeitaria Galvanesi (1925).
       Esquina da rua do Comércio, onde se situa hoje a sede da A. A.Francana.
       Doação: Miguel Ângelo Pucci.


       39- Confeitaria Galvanesi (1925).



       40- Palacete Petraglia (1949).
       Vista do Palacete Petraglia e ao fundo a antigo Hotel Marconi. Na porta do
Palacete o restaurante “Ao Bom Gosto”, Aziz Behauduni (sem paletó) e Oscar Louzada,
na outra calçada Salvador Masini.
       Cruzamento da rua do Comércio com a Marechal Deodoro.


       41- Antiga Casa Zeca de Paula.
       01- Cap. José de Paula;
       02- Afonso Nogueira;
       05-Vítor (antigo encanador de Franca);
       06- César Teixeira;
       07- Alberto Mendes.


       42- Empório Central (1929).
       Gêneros alimentícios. Praça Barão da Franca. Proprietário: Sr. Teófilo de Araújo
       Filho.


        43- A Cristaleira- Loja de presentes finos.
        Era localizada na rua Campos Salles, n° 274. Duas lojas em uma só organização
comercial. Foi fundada em 1951, no dia 01 de abril.
        A loja pertencia ao Sr. Newton Maníglia. Era uma loja muito bem montada,com
artigos finos para presentes.
        Depois como passar do tempo, teve uma filial especializada em brinquedos,
artigos para presentes, máquinas de costura, etc. Esta loja localizava-se à Praça Nossa
Senhora da Conceição, 706.
        A Cristaleira, em suas atividades, viu-se na necessidade de aumentar o capital,
isso em 1954, quando passou a firma à razão social de Newton Maníglia e Irmãos,
entrando também como o sócio o Sr. Ernani Maníglia que acompanhou desde os
primeiros dias, a evolução da loja A Cristaleira.


       44- Casa Caleiro Batista.
       Praça da República (atual Sabino Loureiro), 1904.
       No primeiro plano, descampado correspondente a atual Praça Sabino Loureiro,
com o estabelecimento comercial Casa Caleiro Batista. À direita a rua da Estação
(Voluntários da Franca).
       Ao fundo, a colina central, onde realçam os edifícios da Nova Matriz, em obras,
Câmara Municipal, Colégio Nossa Senhora de Lourdes e a Cadeia Nova (atual Museu
Histórico).
       Armazéns como os de Tomás de Souza, de Chico Júlio e de Simão Caleiro se
estabeleciam dedicando-se quase que exclusivamente ao grande comércio do sal,
produto extremamente necessário e reclamado pelos criadores.
       A foto nos dá uma idéia do Armazém Simão Caleiro, no velho distrito francano.
Sua construção, 1900, já era antiga, podendo-se avaliar o tempo e o pioneirismo desses
honrados comerciantes da época na senda do progresso.


       45- Escritório da fábrica de calçados Jaguar (1924).
       Esta fotografia mostra o pessoal do escritório da Fábrica de Calçados Jaguar.
       Nicolino Aliprandini;
       Agenor Ramos da Silva;
       João Menezes de Lima;
       Jerônyma Campos;
       Arnaldo Pacheco (sócio- gerente).
       Escritório da Fábrica de Calçados Jaguar, Carlos Pacheco Macedo & Cia.
Situada na esquina das ruas Major Claudiano e Dr. Jorge Tibiriçá (hoje Voluntários da
Franca).
       Em pé, o sócio-gerente Arnaldo Pacheco; sentados: Jerônyma Campos, João
Menezes de Lima, Agenor Ramos da Silva e Nicolino Aliprandini.
       O “Jaguar”, primeiro calçado feito à máquina, em aproximadamente em 1921.
Seu idealizador foi Carlos Pacheco de Macedo, que adquirindo várias máquinas no
estrangeiro ampliou sua antiga selaria e sapataria mecanizando-a para a produção de
calçado.
       Esta iniciativa dinâmica e esclarecida da Firma Carlos Pacheco & Cia., tornou-se
pioneira no ramo e o conhecido sapatão agora elaborado por processos mais modernos,
atravessa as fronteiras do Estado sob o nome de Calçados Jaguar.
       Por outro lado, o desaparecimento da fábrica “Jaguar”, liberou vários
empregados já treinados, que para sobreviverem, montaram suas próprias bancas de
sapataria ou então associaram-se a pessoas de recursos, adquirindo toda a maquinaria
pertencente à fábrica. Três anos após o desaparecimento da fábrica “Jaguar”, surgiu a
firma Honório & Cia., para a qual foi contratado o francano Hercílio B. de Avelar,
antigo empregado daquele estabelecimento e conhecedor profundo da maquinaria do
calçado.



       46- Usina Santo Antônio (1944).
       Produtora de algodão.



       47- Usina Santo Antônio.
       Produtora de algodão.



       48- Indústria Francana.
       Vista de uma pequena parte da cidade, destacando-se uma indústria francana.



       49- Indústria Francana.



      50- Hotel Francano.
      O prédio se localizava na praça D. Pedro II. Foi inaugurado em 07/09/1928 e
demolido em 1981. Era conhecido como o melhor hotel do Estado de São Paulo
        51- Hotel Francano.
        Plantado no centro da Praça em 1928. Pode-se perceber o cuidado com os
jardins, bem como a Santa Casa ao fundo.
        Apesar dos protestos, o Hotel foi demolido para erguer-se uma agência bancária,
símbolo do desrespeito ao patrimônio cultural.
        Foto: Gallo.


       52- Antiga Cadeia (1900).



      55- Casa Bancária Andrade e Martins e Cia. (1924).
      Escritório: à frente em pé, Torquato Caleiro; sentado: Dr. Luiz de Lima,
advogado.


       56- Casa Andrade Martins e Cia. Tecidos, armarinhos e outros (1924).
       01- Dr Luiz de Lima (advogado);
       02- Major Torquato Caleiro.
       02/ 07/ 1924.


       57- Casa Andrade Martins e Cia.
       Armazém de Secos e Molhados. (1° em pé, Torquato Caleiro, 02/07/1924).
       Doação. Sra. Maria de Lourdes Caleiro Carvalho, 03/03/1997.
       Na foto, de 1927, vemos o interior da Casa Andrade e Cia. Ela se localizava
onde funcionou a Farmácia Normal, esquina da Voluntários da Franca com a rua Major
Torquato Caleiro.
       Torquato Rodrigues Alves (Dedé) está à esquerda, e à direita Caleirinho.



       58- Edifício do INPS.
       Situado na rua Voluntários da Franca.



       59- Farmácia Léo de Leonildo Foroni- 1960.
       Localizado na rua do Comércio, 555 com a Voluntários da Franca (hoje “A
Especial”).



      60-Interior da Farmácia Léo de Leonildo Foroni.
       Interior da Farmácia e Drogaria Léo de Leonildo Foroni, localizada na rua do
Comércio, 555.
      61- Cine São Luiz (1950).
      Situado na Rua Marechal Deodoro. Proprietário do imóvel: José Bittar.



      62- Edifício da Sociedade Italiana (1950).
      Rua Voluntários da Franca. Edifício da Sociedade Italiana, Loja de Calçados
Bruno Betarello, e outros estabelecimentos comerciais.



      63- Caixa Econômica Estadual.
      Inaugurada em 17/08/1952 na Rua Major Claudiano.



       64- Casa Zuanazzi, materiais para construção.
       Proprietário: Sr. Pedro Zuanazzi. Situada à rua General Carneiro, 249, onde
funcionou por muitos anos a Vidraçaria Bonifa, atualmente Móveis Ouro Preto.



      65- Construção do Clube dos Bagres (1953)
      O Clube foi fundado em 04/09/1953.



      66- Construção do Clube dos Bagres (1953).
      Fundado em 04/09/1953 e situado na rua General Carneiro.



       67- Clube dos Bagres.
       Fundado em 04/09/1953. em primeiro plano vê-se piscinas para crianças e
trampolim da piscina oficial. Em segundo plano e ao fundo vê-se o monumental
“Ginásio”.



       68- Clube dos Bagres.
       Fundado em 04/09/1953. Em primeiro plano vê-se piscinas para crianças e
parque infantil. Em segundo plano Vê-se o Campo de Futebol.



      69- Confeitaria Galvanesi (1957).
      A famosa Confeitaria “Galvanesi” ponto de reunião do Society francano do ano
de 1900, e situada na praça Barão da Franca.
      Texto: Revista Sertaneja de novembro de 1957. Doação: Allan Kardec
Lourenço, em 05/05/1999.
       70- Salão de Festas da antiga A. E. C.
       Doação Allan Kardec Lourenço: 05/05/1999.



        71- Edifício Franca do Imperador (1949).
1° arranha-céu francano, em fase de construção. Oferecido pela firma incorporadora “S.
A. Empreendimentos Imobiliários Bandeirantes”, no dia 22 de agosto de 1957.
Localizado na esquina da Praça Nossa Senhora da Conceição e Praça Barão. Este
edifício teve como arquiteto o Dr. Ary Pedro Balieiro. O edifício “ Franca do
Imperador” foi para Franca o marco de um novo tempo que surgia.

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:5
posted:3/28/2012
language:Latin
pages:10