TITULO: APLICA��O DE BIOSS�LIDO URBANO NA AGRICULTURA: ASPECTOS

Document Sample
TITULO: APLICA��O DE BIOSS�LIDO URBANO NA AGRICULTURA: ASPECTOS Powered By Docstoc
					TITULO: ENRAIZAMENTO DE ESTACAS DE MARACUJAZEIRO-DO MATO
(Passiflora laurifólia L.)

AUTOR: LIANE ALVES FRANCO DE SÁ¹

ORIENTADOR: MOISÉS RODRIGUES MARTINS²



RESUMO: O maracujazeiro é uma das plantas frutíferas mais cultivadas nos países tropicais.
O Brasil é atualmente o maior produtor de frutos e sucos concentrado. A sua propagação se dá
basicamente por meio da obtenção de mudas oriundas de sementes, que são na maioria das
vezes retiradas do próprio pomar, sem a preocupação com a estabilidade da qualidade das
plantas. Esta forma de propagação resulta em pomares desuniforme e improdutivos. Os
processos de propagação assexuado possibilitam a formação de clones, podendo desta forma
propagar plantas que apresentem características agronômicas desejadas. O presente
experimento avaliou metodologias que possam influenciar a produção de mudas
assexuadamente. Foi utilizado a espécie de maracujazeiro Passiflora laurifolia L. (maracujá-
laranja ou maracujá-do-mato) influenciada pelos substratos vermiculita, plantmax e uma
mistura de solo agrícola e esterco curtido, e dois tipos de estacas (estacas com três nós e uma
meia folha e estacas com três nós e uma folha inteira). O experimento foi conduzido em
viveiro telado, com delineamento experimental de blocos ao acaso, com esquema fatorial 3
(substrato) x2 ( tipo de estaca) e quatro repetições. Aos 45 dias após a semeadura foi avaliado
as características taxa de pegamento de estacas, números de folhas e comprimento de raiz.
Após as análises foi observado que em todas as características avaliadas os substrato que se
destacaram foram vermiculita e Plantmax. O tipo de estaca não influenciou nas características
estudadas.




_______________
(1) Concludentes do Curso de Agronomia UEMA 2006
(2) Professor do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade UEMA
TITULO: EFEITO DA INCORPORAÇÃO DE COMPOSTOS ORGÂNICOS SOBRE O
CRESCIMENTO INICIAL DE PLÂNTULAS DE TOMATE (Lycopersicon esculentum
Mill.)

AUTOR: RODRIGO DOMINICI SILVA¹

ORIENTADORA: MARIA CRISTINA DA SILVA MENDONÇA²



RESUMO: A influência da incorporação de compostos orgânicos (composto de resto de
cultura – CRC; Biossólido – B; composto de restos alimentares – CRA), sobre o crescimento
inicial de tomateiros foi testada em cãs-de-vegetação, adicionando os mesmos ao solo, nas
concentrações de 12; 44; 88 g.L-¹. O experimento foi realizado no município de são Luís, na
Fazenda Escola da Universidade Estadual do Maranhão, no período de outubro de 2005 a
fevereiro de 2006, e contou de um esquema fatorial 3x3, em blocos inteiramente casualizados,
com cinco repetições. Durante o experimento, foi observado o desenvolvimento da cultura
plantada em substrato contendo os compostos já citados. Ao final, foi realizado a comparação
da altura das plantas (30º dias após transplante), peso fresco da parte aérea (g), peso fresco do
sistema radicular (g), número de folhas completas e comprimento da raiz (cm). Os resultados
mostram que houve maior desenvolvimento das plantas adubadas com os compostos de restos
alimentares (CRA) e com os compostos de restos de culturas (CRC). As plantas
transplantadas para o Biossólido, quase não desenvolveram, observando-se pequenas
variações de crescimento do 1º dia após transplante aos 30º dias, momento em que se
começou a obter os resultados.




________________
(1) Concludente do Curso de Agronomia da UEMA/2006
(2) Professora Chefa do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade da UEMA
TITULO: GRANULOMETRIA DO MILHO EM RAÇÃO PARA OVINOSRECEBENDO
DIETA COM SAL ALTO NÍVEL DE CONCENTRADO

AUTOR: SUSAN QUELE DIAS¹

ORIENTADOR: HELDER LUÍS C. DIAS²



RESUMO: Para avaliar o efeito do perfil granulométrico do milho em dieta com alto nível de
concentrado sobre desempenho de fêmeas de ovinos mestiças de Santa Inês, 18 animais foram
distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado com três tratamentos
representados pelas diferentes granulometrias do milho utilizado na composição do
concentrado, sendo T1 – milho inteiro T2 – moagem grossa, 34,62% das partículas entre 2 e 4
mm e 24,96% das partículas acima de 4 mm; T3 – moagem média, 39,48% das partículas
entre 2 e 4 mm, não contem partículas acima de 4 mm. Os animais foram confinados por 56
dias incluindo 14 de adaptação e receberam uma vez ao dia rações totais, com 15% volumoso
e 85% concentrado, construída de 65% de milho, 15% de farelo de soja, 19% de farelo de
trigo,0,5% de uréia e 0,5% de mistura mineral comercial, o consumo voluntário foi
determinado mediante a pesagem diária do fornecido e posterior recolhimento e pesagem das
sobras. Os resultados indicam que sob dietas ricas em concentrado o milho poderá ser
fornecido com qualquer uma das três granulometrias o que resultará no aproveitamento
similar de nutrientes e energia, expresso na forma do ganho de peso.




__________________
(1) Concludentes do Curso de Agronomia da UEMA 2006
(2) Professor do Departamento de Zootecnia UEMA
TITULO: APLICAÇÃO DE BIOSSÓLIDO URBANO NA AGRICULTURA: ASPECTOS
GERAIS E RESULTADOS DE PESQUISAS

AUTOR: EDUARDO SIDEY CUTRIM RAMOS¹

ORIENTADOR: FRANCISCO SOLANO DE OLIVEIRA RODRIGUES FILHO²



RESUMO: O destino lodo de esgoto urbano, como responsabilidade das estações de
tratamento, torna-se motivo de preocupação em razão aos impactos ambientais causados por
tal lodo, de cujas formas podem ser depositadas no meio ambiente, como em aterros sanitários
ou lançamentos diretos, sem o devido tratamento em rios, lagos e oceanos, o que vem a
consistir em séries degradações ambientais, concomitantemente a contaminar o solo,
acumulando metais pesados, além da presença de vários patógenos, que poderá atingira água
dos lençóis freáticos, rios, lagos e oceanos, prejudicando as plantas, os animais e o homem. O
trabalho, hora apresentado, portanto, representa uma alternativa capaz de abordar o problema
focalizado, haja vista de serem observados nos experimentos citados na elaboração do
trabalho demonstram que o lodo de esgoto urbano, quando tratado e dosado adequadamente,
venha influenciar na melhoria química e física do solo, assim demonstrando sua eficácia
como adubação orgânica agrícola. De outro turno, há de se verificar, em estudos
comparativos, que existem Paìses que já adotam um melhoramento de utilização do referido
produto, em beneficio do conviver humanitário, principalmente na zona rural, mas,
infelizmente, o Brasil está muito aquém, apesar de alguns pesquisadores estejam em estudos
com muitas dificuldades, em razão da falta do interesse direto do poder publico, o que vem a
ensejar um sub desenvolvimento, face o trabalho em referência ser copiado de outras Nações.
Esclarece-se, todavia, que há pesquisas cientificas apresentada por órgãos competentes,
embora embrionárias.




_______________
(1) Concludente do Curso de Agronomia – UEMA, 1° SEM/2006.
(2) Professor do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade-UEMA
TÍTULO: IDENTIFICAÇÃO SOROLÓGICA DE VÍRUS EM CUCURBITÁCEAS NOS
PRINCIPAIS PÓLOS PRODUTORES DO MARANHÃO, BRASIL.

AUTOR: WENYO RAFAEL FERREIRA BELO¹

ORIENTADOR: FLÁVIO HENRIQUE REIS MORAES²



RESUMO: Entre as dez espécies de vírus que infetam cucurbitáceas no Brasil, apenas cinco
constatadas no Nordeste Brasileiro, sendo estas responsáveis por elevados prejuízos. Portanto,
com este trabalho, objetivou-se avaliar a ocorrência de viroses em cucurbitáceas e a presença
de hospedeiras nativas de vírus no Estado do Maranhão. Foram coletadas amostras de maxixe
(Cucumis anguria), melancia (Citrullus lanatus), melão (Cacumis melo), abóbora (Cucúrbita
moschata), abobrinha (Cucurbita pepo), pepino (Cucumis sativus), melão São Caetano
(Momordica charantia) e bucha (Luffa spp.), supostamente infectadas. A identificação dos
vírus foi realizada pelo Laboratório de Virologia Vegetal da UFC, utilizando anti-soros
policlonais para Papaya ringspot vírus, type Watermelon (PRSV-W), Cucumber mosaic vírus
(WMV), Watermelon mosaic vírus (WMV) e Zucchini yellow mosaic vírus (ZYMV).
Algumas das amostras também foram testadas por dupla difusão contra o anti-soro para
Squash mosaic vírus (SqMV). Foram visitados pólos agrícolas em 11 municípios (São Luís,
Itapecuru, Caxias, Jenipapo dos Vieras, São Domingos do Maranhão, Colinas, Pastos Bons,
Paraibano, Açailândia, Imperatriz e Arari), perfazendo um total de 98 amostras. Desse total, a
presença do PRSV-W foi constatada em 56,1% das amostras de cucurbitáceas coletadas,
sendo considerado como predominante nas áreas de São Luis, seguido do ZYMV com 31,6%,
que os demais municípios apresentou os mesmos graus de incidência do PRSV-W. Foi
detectada a presença de infecções duplas em 26 amostras e tripas em quatro amostras. Os
resultados desta pesquisa confirmam a predominância do PRSV-W e a expansão do ZYMV
nos campos de produção de cucurbitáceas do Maranhão, semelhante aos relatos de outros
estados do Brasil.




__________________
(1) Concludente do Curso de Agronomia-UEMA, 1° SEM/ 2006.
(2) Professor Doutor do Curso de Agronomia – UEMA
TÍTULO: LEVAMENTO DA FLORA APÍCOLA NO MUNICÍPIO DE SANTA RITA-MA

AUTOR: ALCEDAN SOUSA DE LIMA¹

ORIENTADOR: JOSÉ MALHEIROS SILVA²



RESUMO: A flora apícola sendo estudada por meio de observação das abelhas nas flores e
pela análise polínica de mel, pólen e própolis, possibilitando o conhecimento de espécies de
plantas importantes para as abelhas africanizadas (Apis mellifera), e de abelhas sem ferrão
(Meliponinea). O presente trabalho avaliou a ocorrência de tipos polínicos e suas respectivas
seqüências no mel de Apis mellifera, em áreas de cocais no povoado de Santana, situado no
município de Santa Rita no Estado do Maranhão. As amostras de mel e pólen foram obtidas
do apiário de apicultor local. As coletas foram realizadas nos meses de Março de 2005 a
Fevereiro de 2006. Durante as coletas foram feitas anotações em caderneta de campo das
espécies vegetais apícolas em floração e visitadas pelas abelhas (Apis mellifera) num raio de
1500 metros a partir das colméias. O material botânico coletado foi identificado no herbário
da UEMA em São Luís – MA. A identificação dos tipos polínicos foi feita por de lâminas, os
quais foram desenhados e contados. Foram encontrados diferentes tipos polínicos distribuídos
em 15 famílias de espécies e 46 espécies vegetais, foi também elaborado um calendário de
floração das principais espécies apícolas da região. As famílias com maiores freqüências
polínicas           foram:           Palmae/Arecaceae,             Leguminosae/Mimosidaeae,
Leguminosae/Caesalpinioideae, Asteraceae/Compositae. Dezessete espécies não puderam ser
identificadas. Conclui-se que, as espécies mais representativas para a produção do mel foram:
Mimosa pudica, Mimosa casalpinifolia, Maximiliana maripa e Borreria veticillata; e para o
fornecimento de pólen foram: Mimosa pudica e Maximiliana maripa.




__________________
(1) Concludente do Curso de Agronomia-UEMA, 1° SEM/ 2006.
(2) Professor do Curso de Agronomia.
TITULO: COMPORTAMENTO VEGETATIVO E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE
PASTAGEM DE CAPIM ANDROPOGON (Andropogon gayanus Kunth.) EM QUATRO
IDADES DIFERENTES DE CORTE NA ESTAÇÃO DAS CHUVAS.

AUTOR: PAULO EDUARDO TROMPS ROXO¹

ORIENTADOR: HELDER LUIS CHAVES DIAS²



RESUMO: Objetivando avaliar o rendimento forrageiro e composição química de pastagem
de capim Andropogon (Andropogon gayanus Kunth) em quatro idades diferentes de corte, foi
conduzido experimento em propriedade particular, localizada no município de são José de
Ribamar no estado do Maranhão, entre os meses de janeiro de 2006 e agosto de 2006. O
delineamento foi inteiramente casualizado com quatro tratamentos representados por
diferentes idades de corte (21, 35, 49 e 63 dias do desenvolvimento vegetativo), e seis
repetições. As amostras colhidas e identificadas foram pesadas e tiveram determinados os
teores de Matéria Seca (MS), Matéria Mineral (MM), Matéria Orgânica (MO), Proteína Bruta
(PB) e Fibra em detergente Neutro (FDN). A produção de MS do capim Andropogon
aumentou entre os 21 e 35 dias do desenvolvimento vegetativo, mantendo-se estável a partir
daí até os 63 dias. Os níveis de PB não variaram com a idade mostrando média de 4,22. Os
teores de FDN aumentaram progressivamente dos 21 dias aos 63 dias do desenvolvimento
vegetativo.




___________________
(1) Concludente do Curso de Agronomia – UEMA, 1°SEM/2006.
(2) Professor do Departamento de Zootecnia
TITULO: A GLÂNDULA MAMÁRIA DA FÊMEA BOVINA

AUTOR: FÁBIO RODRIGO DE JESUS MENDES COSTA¹

ORIENTADOR: HELDER LUIS CHAVES DIAS²




RESUMO: O presente trabalho faz apresentação da glândula mamária em fêmea bovina com
objetivo discorrer sobre a anatomia e fisiologia da mesma. A produção de leite decorre da
exploração da atividade fisiológica da lactação que é desencadeada pelo parto. A glândula
mamária da fêmea bovina está intimamente relacionada ao processo de lactação, onde recebe
a denominação de úbere que consta de quatro glândulas mamárias situadas na região inguinal,
e se liga ao organismo por meio de uma série de ligamentos. O tamanho e a forma do úbere
variam com a capacidade produtora, idade e herança. O aparelho mamário da vaca envolve o
sistema condutor do leite, sistema de sustentação, vascular, linfático e nervoso, que em
conjunto serão em maior ou menor escala responsáveis pelo processo de secreção do leite.




 _______________
(1) Concludente do Curso de Agronomia – UEMA, 1°SEM/2006.
(2) Professor do Departamento de Zootecnia – UEMA
TÍTULO: DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE MARACUJAZEIRO-ROXO (Passiflora
edulis Sims), OBTIDAS POR ESTAQUIA UTILIZANDO VÁRIOS SUBSTRATOS.

AUTOR: ELIANE AVELAR DOS SANTOS MARIZ¹

ORIENTADOR: MOISÉS RODRIGUES MARTINS²



RESUMO: O maracujazeiro é uma das plantas frutíferas mais cultivadas nos países tropicais.
O Brasil é atualmente o maior produtor de frutos e suco concentrado. A sua propagação se dá
basicamente por meio de obtenção de mudas oriundas de sementes, que são na maioria das
vezes retiradas do próprio pomar, sem a preocupação com a estabilidade da qualidade das
plantas. Esta forma de propagação resulta em pomares desuniformes e improdutivos. Os
processos de propagação assexuados possibilitam a formação de clones, podendo desta forma
propagar plantas que apresentam características agronômicas desejadas. Este trabalho teve por
objetivo verificar o comportamento de estacas de Passiflora edulis Sims em três substratos:
plantmax, vermiculita e terra vegetal + esterco de curral. Utilizou-se dois tipos de estacas,
ambas aproximadamente 15 cm de comprimento e 12 a 18 mm de diâmetro, retiradas da
porção mediana do caule em crescimento. As estacas continham uma folha inteira e meia
folha, respectivamente, cada qual contendo três gemas. Estas foram enterradas em sacolas
plásticas contendo os três substratos. Os dados obtidos da taxa de pegamento, número de
folhas e comprimento da raiz principal foram submetidos à análise de variância. Empregou-se
o delineamento inteiramente casualizado, no esquema fatorial 3X2, e quatro repetições. A
unidade experimental foi composta de quatro sacolas, cada uma contendo uma estaca. Aos 50
dias da implantação do experimento, verificou-se que os substratos plantmax e vermiculita
obtiveram melhores resultados nas características avaliadas. O substrato terra vegetal +
esterco de curral mostrou-se ineficiente para produção de mudas por estaquia de P. edulis.
Não se observou diferença estatística com relação aos dois tipos de estaca empregados no
trabalho.




________________
(1) Concludente do Curso de Agronomia – UEMA, 1º SEM/2006.
(2) Professor do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade da UEMA, Doutor em Genética e Melhoramento
Vegetal
TÍTULO: CÓPULA DE TÚBUA Melipona compressipes fasciculata SMITH, 1854
(APIDAE: MELIPONINAE).

AUTOR: JOSELIO SANTOS SOUSA JÚNIOR¹

ORIENTADORA: ELEUZA GOMES TENÓRIO²



RESUMO: A determinação de um método que obtenha resultados positivos para o
acasalamento é de grande importância, pois abre caminho para vários e importantes estudos
genéticos e econômicos, como o melhoramento genético de uma espécie potencialmente boa
produtora de mel. Buscando-se ter um domínio do processo e da obtenção de colônias
objetivou-se neste trabalho fazer a descrição do comportamento e do posicionamento dos
indivíduos durante o acasalamento, a determinação da idade ou faixa etária em que rainhas e
zangões estariam aptos para cruzar, o comportamento pós-cópula dos indivíduos e a
determinação do tempo necessário para o início da postura. De 13 tentativas de acasalamento,
7 foram bem sucedidas. Para as 2 rainhas que sobreviveram, não houve desenvolvimento
abdominal e início de postura. Observou-se que o período receptivo dos indivíduos é bem
amplo, variando de 5 a 26 dias para rainhas e de 14 a 22 dias para os machos. A temperatura
média ideal para o acasalamento mostrou-se de 32,57ºC. Os comportamentos pré-copuladores
e copuladores parecem característicos para o gênero Melipona.




___________________
(1) Concludente do Curso de Agronomia – UEMA, 1° SEM/2006.
(2) Professora do departamento de Zootecnia e Fitossanidade da UEMA
TÍTULO: ATIVIDADE OVICIDA DE EXTRATO DE AQUOSO DE FOLHAS DE NIM
SOBRE A MOSCA NEGRA DOS CITROS (HEMIPTERA: ALEYRODIDAE) EM Citros
ssp.

AUTOR: JOSÉ HENRIQUE LUSO RIBEIRO¹

ORINTADOR: ANGELO LUIZ TADEU OTTATI²



RESUMO: A mosca negra dos citros Aleurocanthus woglumi Ashby atualmente é uma das
principais pragas dos citros no Maranhão. Biopesticida, incluindo extratos botânicos, podem
oferecer uma segurança e uma alternativa efetiva aos inseticidas convencionais para o
controle das principais pragas dentro de um programa de manejo integrado de pragas (MPI).
O uso de extratos botânicos no controle desse inseto é uma alternativa promissora, mas que
ainda precisa ser pesquisada. O presente trabalho teve como objetivo determinar a
bioatividade de extrato aquoso de folha de Azadirachta indica A. Juss sobre os ovos de A.
woglumi em Citros ssp. em condições de laboratório. O extrato de folhas de nim foi aplicado
aos ovos através da imersão de folhas em soluções contendo concentrações de 0, 5, 1, 0, 1,5 e
2,0% (p/v). A taxa de inviabilidade das posturas foi avaliada 16 dias após a exposição. A
concentração letal 50 também foi determinada. O efeito ovicida foi observado na
concentração 0,5%, onde a taxa de inviabilidade foi de 33,90%. Nas demais concentrações
não foram observadas diferenças significativas na taxa de inviabilidade entre os ovos tratados
e os não-tratados, sendo que essa taxa variou entre 24,68 e 27,12%. A CL (50) estimada aos
16 dias foi de 0,3045%.Conclui-se que ao extrato de folhas de nim possui atividade ovicida
em A. woglumi.




________________
(1) Concludente do Curso de Agronomia – UEMA, 1° SEM/2006.
(2) Professor do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade.
TÍTULO: ESTRATÉGIAS AGROECOLÓGICAS DE SUSTENTABILIDADE PARA O
PROGRAMA BIODIESEL: ANÁLISE DE CRESCIMENTO DE GIRASSOL (Helianthus
annuus L.) CV. IARAMA, UTILIZANDO BIOSSÓLIDO.

AUTOR: EDUARDO SOUSA PINHEIRO¹

ORIENTADOR: EDUARDO FERREIRA RODRIGUES²



RESUMO: O presente trabalho teve como objetivo analisar o crescimento de plantas de
girassol cv. IARAMA, sob a influencia do lodo de esgoto, produzido pela ETE Jaracaty,
pertencente à CAEMA. O trabalho foi conduzido em vasos, sob condições de casa de
vegetação, localizada no Núcleo de Tecnologia Rural no Campus de São Luís da
Universidade Estadual do Maranhão, entre os meses de março e junho de 2006. Ao longo do
crescimento das plantas foram feitas 03 amostragens, 30, 50 e 70 dias após o plantio, para
determinação de matéria seca, altura, área, foliar e alguns parâmetros fisiológicos. O
experimento foi montado segundo o delineamento experimental inteiramente casualizado,
com 6 tratamentos e 3 repetições, sendo que nos tratamentos foram utilizadas dosagens de
adubação mineral (NPK), ácido bórico, e lodo de esgoto. Os dados obtidos foram submetidos
à analise de variância e posteriormente foi aplicado o teste Tukey ao nível de 5% de
significância. De acordo com os resultados não houve diferença significativa na altura das
plantas, entretanto pode-se destacar os tratamentos 04 e 05, com a maior base de biossólido
em associação com a adubação mineral. Em relação à matéria seca, observou-se que o
tratamento com maior dose de Biossólido (T4) teve maior desenvolvimento, já em relação a
dados de área foliar o tratamento 04 apresentou os maiores valores de área foliar aos 50 dias.
Além disso, nas condições do experimento pode-se observar que houve uma antecipação
considerável no ciclo da cultura, conferindo um ciclo médio para as condições
edafoclimáticas do experimento de 70 dias até o final do ciclo.




__________________
(1) Concludente do Curso de Agronomia – UEMA, 1°SEM/2006.
(2) Professor da Universidade Estadual do Maranhão.
TÍTULO: COMPORTAMENTO DE Passiflora laurifólia L. ENXERTADO EM Passiflora
alata Curtis UTILIZANDO VÁRIOS TIPOS DE GARFAGEM

AUTOR: LAURO CÉSAR COSTA¹

ORIENTADOR: MOISÉS RODRIGUES MARTINS²




RESUMO: A prática da enxertia em maracujazeiro é ainda pouco estudada, sendo que a
maioria dos trabalhos utilizam o maracujazeiro-amarelo (Passiflora edulis f flavicarpa Deg.)
fornecedoras de grafos devido ao fato de ser esta espécie a mais comercial. Entretanto, outras
espécies, com potencial tanto para a indústria como para o mercado de frutos in natura,
também precisam ser estudadas. O trabalho foi conduzido em condições de viveiro telado
pertencente ao Centro de Ciências Agrárias da Universidade Estadual do Maranhão/UEMA e
teve como objetivo avaliar o comportamento de Passiflora laurifólia L. (maracujazinho-do-
mato), espécie tida por alguns autores como promissora para o mercado de frutos in natura,
utilizada como fornecedora de garfos e Passiflora alata Curtis (maracujazeiro-doce), espécie
tida como resistente a doenças do solo, como porta-enxerto. Avaliou-se a porcentagem de
pegamento aos 30 e 90 dias de enxertia, o comprimento do broto da enxertia aos 90 dias da
enxertia e o número de folhas aos 90 dias da enxertia. Utilizou-se três tipos de garfagem:
garfagem em fenda cheia, garfagem em meia- fenda e inglês simples. O experimento foi
analisado em delineamento inteiramente casualizado com três tratamentos (fenda completa,
meia - fenda cheia e inglês simples) e oito repetições. A unidade experimental foi composta
por quatro plantas. Os resultados encontrados no trabalho permitiram mostrar que a garfagem
do tipo fenda cheia foi superior aos demais tipos de garfagem utilizados, com relação a taxa
de pagamento, acima 90% e comprimento de broto e igual ao tipo meia – fenda cheia em
relação ao número de folhas. O tipo de garfagem a inglesa simples apresentou taxas de
pegamento inferiores a 10%, mostrando-se inapropriado para a enxertia destas espécies.




_______________
(1) Concludente do Curso de Agronomia – UEMA, 1º SEM/2006.
(2) Professor do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade da UEMA, Doutor em Genética e Melhoramento
Vegetal
TÍTULO: PRODUÇÃO DE COENTRO (Coriandrum sativum L.) INFLUENCIADA
PELAS ADUBAÇÕES ORGÂNICA E NITROGENADA EM COBERTURA

AUTOR: ANA CÉLIA FRANÇA FERREIRA¹

ORIENTADOR: FRANCISCO NÓBREGA DOS SANTOS ²



RESUMO: O presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito de doses de composto
orgânico na presença e ausência de adubação nitrogenada em cobertura sobre o rendimento do
coentro, cv. Verdão. O experimento foi conduzido em condição de campo na Fazenda Escola
da UEMA, em São Luís, entre maio a agosto/2005. Os tratamentos, num total de 10,
envolveram a aplicação de 0,5, 10, 15 e 20 litros de composto orgânico por metro quadrado de
canteiro na presença e ausência de nitrogênio em cobertura. Utilizou-se o espaçamento de 20
cm entre linhas e 10 g de sementes por metro quadrado de canteiro. O delineamento
experimental foi de blocos ao acaso, com quatro repetições. Por ocasião da colheita foram
avaliadas a altura das plantas, produção de massa verde, produção de massa seca e a análise
econômica da utilização do composto orgânico e da adubação nitrogenada. A utilização de
ambas as adubações promoveram ganhos em termos da receita líquida que oscilaram de R$
3.439,20 (três mil, quatrocentos e trinta e nove reais e vinte centavos) a R$ 10.307,00 (dez mil
e trezentos e sete reais). A maior receita líquida auferida foi R$$ 10.307,00 (dez mil e
trezentos e sete reais) envolvendo a utilização da adubação nitrogenada na ausência do
composto orgânico.




_______________
(1) Concludente do Curso de Agronomia – UEMA, 1º SEM/2006.
(2) Professor do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade, Mestre em Fitotecnia
TÍTULO: ADUBAÇÃO ORGÂNICA: ASPECTOS GERAIS E RESULTADOS DE
PESQUISAS

AUTOR: NADSON DE CARVALHO PONTES¹

ORIENTADOR: JOSILDA JUNQUEIRA AYRES GOMES ²



RESUMO: O modelo atual de produção agrícola apresenta-se como um método
insustentável, no que diz respeito à conservação do meio ambiente. A adubação em
despontando como uma forma de fornecer nutrientes ao solo, melhorando as condições físicas
e biológicas. Os sistemas agropecuários geram diversos resíduos, os quais podem ser
processados e transformados em adubos orgânicos. É possível, então, a aplicação isolada ou
conjunta de adubos orgânicos com adubos químicos, visando á maximização da produção e a
diminuição dos impactos ambientais. No presente trabalho se observa diversas fontes de
adubos orgânicos, os quais podem ser restos vegetais, carcaças e dejetos animais e sobras de
indústria e esgoto urbano. Observa-se, nos experimentos citados neste trabalho, a influência
dos adubos orgânicos na melhoria da produção, tanto no aspecto quantitativo quanto no
qualitativo. Sendo assim, reconhece-se a viabilidade da adubação orgânica, podendo-se dizer
que o seu uso se torna indispensável no processo de produção agrícola sustentável.




_______________
(1) Concludente do Curso de Agronomia – UEMA, 1º SEM/2006.
(2) Professora do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade da UEMA
TÍTULO: EFEITO DE DIFERENTES DOSES DE NITROGÊNIO E CALCÁRIO NA
PRODUÇÃO DO FEIJÃO CAUPÍ (Vigna unguiculata (L). Walp).

AUTOR: VIVIANNE SARAIVA DE ARAÚJO¹

ORIENTADOR: ANA MARIA SILVA DE ARAÚJO²



RESUMO: O trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito de diferentes doses de
nitrogênio e calcário sobre a produção do feijão-caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp), cv.
BRS guariba. O experimento foi conduzido na área experimental da Fazenda Escola da
Universidade Estadual do Maranhão, em São Luís, no período de outubro/2005 a
janeiro/2006. O delineamento utilizado foi o de blocos casualizados, com os tratamentos
distribuídos em esquema fatorial (2x3) +1, onde o primeiro fator correspondeu as doses de
nitrogênio (40 e 80 Kg. ha -¹) e, o segundo fator, as doses de calcário (9, 18 e 27 t. ha-1), mais
um tratamento adicional sem nitrogênio e calcário (testemunha), em quatro repetições,
totalizando 28 parcelas experimentais. A análise estatística das características estudadas,
altura de inserção da 1ª vagem, peso fresco e seco de folhas e vagens, número de vagem por
planta, número de grãos por vagem, peso de 100 grãos em relação à adubação nitrogenada em
cobertura e a calagem em diferentes doses, não afetaram as características agronômicas e a
produtividade do feijão caupi.




_______________
(1) Concludente do Curso de Agronomia – UEMA, 1º SEM/2006.
(2) Professora Mestre em Ciências do Solo.
TÍTULO: PATOGENICIDADE DO FUNGO Beauveria bassina (BALS.) VUILL. E
DIFERENTES CONCENTRAÇÕES SOBRE Cornitermes cumulans (KOLLAR, 1832)
(ISOPTERA: TERMIDADE).

AUTOR: PRISCILA ASSUNÇÃO DOS SANTOS¹

ORIENTADOR: RAIMUNDA NONATA SANTOS DE LEMOS²



RESUMO: O objetivo deste trabalho foi avaliar a patogenicidade do fungo Beauveria bassina
(Bals.) isolado URPE 18 sobre o cupim de montículo Cornitermes cumulans. Como
tratamento utilizou-se as concentrações 1x105, 1x 106, 1x 107, 1x 108 conídios/ml e uma
testemunha tratada com água destilada, totalizando cinco tratamentos e seis repetições. Dentro
de cada recipiente plástico (capacidade para 100ml) foi colocado 10g do material cartonado,
um disco de papelão úmido de 1,5 cm de diâmetro e 20 cupins, sendo quatro soldados, e 16
operárias. O experimento foi realizado em condições controladas, com temperaturas de 25 +-
2°C; 70+- 10%U.R e escotofase contínua. As concentrações de 1x108, 1x 107, 1x 106,
proporcionaram 100% de mortalidade, e a formação micelial causada por B bassiana sobre C.
cumulans foi observada entre 24 e 48h em média após a inoculação.




_______________
(1) Concludente do Curso de Agronomia UEMA, 2°SEM/2006.
(2) Professora do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade – UEMA.
TÍTULO: AVALIAÇÃO DA HOSPEDABILIDADE DE DIFERNTES PLANTAS
DANINHAS CULTIVADAS A Meloidogyne mayaguensis.

AUTOR: RONALDO MARTINS DE ABREU¹

ORINTADOR: GILSON SOARES DA SILVA²



RESUMO: Com a expansão do agronegócio brasileiro, a fruticultura passou a ter uma
atenção especial, principalmente no se refere ao ataque de fitoparasitas. Como por exemplo,
temos na goiabeira (Psidium guajava L.), umas das mais promissoras frutíferas cultivadas no
Brasil. O entrave à produção dessa fruta é a presença do nematóide Meloidogyne
mayaguensis, responsável pelo abandono de pomares em diversas regiões do país. Neste
trabalho procurou-se avaliar a hospedabilidade de plantas daninhas e alguns cultivos de
importância econômica ao referido nematóide. As plantas foram inoculadas com os ovos dos
nematóides e mantidas em condições de casa de vegetação por um período de 30 dias. Após
esse período a hospedabilidade foi avaliada com base nos índices de galhas e massas de ovos.
Pelos resultados obtidos, verificou-se que a maioria das plantas comportou-se como
resistentes ao nematóide. Algumas invasoras mostraram-se hospedeiras do patógeno, podendo
assim, contribuir para a multiplicação do nematóide em condições de campo. A eliminação
dessas plantas deve ser vista como uma das etapas do manejo integrado de Meloidogyne
mayaguensis.




__________________
(1) Concludente do Curso de Agronomia UEMA, 2°SEM/2006.
(2) Professor da Universidade Estadual do Maranhão
TÍTULO: ESTUDO DA COBERTURA VEGETAL ÀS MARGENS DO CURSO MÉDIO
DO RIO ITAPECURU, UTILIZANDO-SE IMAGENS DO SATÉLITE CBERS – 2.

AUTOR: JÚLIO CÉSAR CUNHA DE BRITO SOBRINHO¹

ORIETADORA: JULIANE BORRALHO DE ANDRADE²



RESUMO: O Rio Itapecuru tem merecido destaque especial nos Seminários, Conferências e
demais discussões e estudos envolvendo movimentos sociais, principalmente os
ambientalistas, Igrejas e ONG`S , pois enfrenta uma serie de agressões cuja realidade inquieta
a todos os que lutam pela sua revitalização. Esta pesquisa objetiva mostrar através de dados
obtidos por imagens de satélite CBERS – 2, a situação da degradação da cobertura vegetal às
margens do curso (faixa de 200 m a partir do curso principal) Médio do Rio Itapecuru. Foram
utilizadas técnicas de geoprocessamento, analisando a dimensão da ação antrópica, mapeando
as áreas degradadas e quantificando as alterações nas matas ciliares ao longo do trecho de
estudo. Constatou-se que dos 15.182 ha da faixa em estudo, 3.233 ha, ou seja, 21,3% do total
da área estão sendo de alguma maneira degradados, ou seja, seu manto de cobertura natural
esta de alguma forma sendo agredido.Sabendo-se que, através da retirada do manto natural o
processo de degradação ambiental começa a desencadear-se, torna-se preocupante o nível de
crescimento que essas áreas atingiram e que possam a vir atingir dentro de pouco tempo.




_______________
(1) Concludente do Curso de Agronomia – UEMA, 1º SEM/2006.
(2) Professor do Departamento
TITULO: EVOLUÇÃO DA ÁREA PLANTADA, QUANTIDADE PRODUZIDA E
RENDIMENTOS DAS CULTURAS DO MAMÃO (Carica papaya L.) E DO MARACUJÁ
(Passiflora edulis f flavicarpa deg.) NO EATADO DO MARANHÃO NO PERÍODO DE
1994 A 2004.

AUTOR: ROBERTO DOS ANJOS PIRES¹

ORIENTADORA: ANA MARIA AQUINO DOS ANJOS²



RESUMO: Duas culturas tropicais de grande aceitação nos mercados internos e externos, o
mamão e o maracujá encontraram no Brasil condições favorável no seu desenvolvimento
devido a suas características de clima e solo tendo o Estado da Bahia e Espírito Santo como
seus principais representantes. Apesar de poder encontrá-las em todo território nacional,
algumas regiões não conseguem obter bons resultados em seus cultivos. O objetivo deste
trabalho foi analisar a área plantada, quantidade produzida e rendimento médio das culturas
do mamão (Carica papaya L.) e do maracujá amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa Deg.) no
Estado do Maranhão com o objetivo de conhecer a evolução nos município no período de
1994 a 2004. Os resultados obtidos mostram em geral redução de todas as variáveis analisadas
na maioria dos municípios. O maior destaque na produção do mamão se encontra na
Mesorregião Sul Maranhense e tem o município de Porto Franco como maior representante.
Para a cultura do maracujá, destacam-se a Mesorregião Oestes e o Municípios de Lajeado
Novo e Amarante do Maranhão. Percebi-se em todo o estudo uma forte relação entre tamanho
da área plantada e quantidade produzida na maioria dos municípios analisados, o que
demonstra falta de planejamento e tecnologias no cultivo dessas duas culturas.




_______________
(1) Concludentes do Curso de Agronomia UEMA 2006
(2) Professora do Departamento de Economia Rural UEMA
TITULO: USO DE IMAGEM DO SATÉLITE CBERS NA DELIMITAÇÃO DAS ÁREAS
DE OCUPAÇÃO DOS SOLOS NO MUNICÍPIO DE TASSO FRAGOSO-MA

AUTOR: AURELHO RIBEIRO OLIVEIRA¹

ORIENTADORA: JULIANE BORRALHO DE ANDRADE²



RESUMO: A busca por meios mais eficazes e econômicos de observa a terra motivou o
homem a desenvolver os satélites de sensoriamento remoto, mas os altos custos dessa
tecnologia tornam os países dependentes das imagens fornecidas por equipamento de outras
nações. O desenvolvimento e aplicação dessas ferramentas à gestão ambiental tem sido, por
isso, alvo de inúmeros estudos e pesquisas, com destaque para aplicação das geotecnologias,
que incluem os Sistemas de Informações Geográficas (SIG’s) e o Sensoriamento Remoto e se
encontram num estágio avançado de desenvolvimento, permitindo grande acessibilidade de
recursos, a custos relativamente baixos. O Estado do Maranhão, e mais precisamente o
município de Tasso Fragoso, que se encontra inserido na região Sul do Maranhão, ao longo
do tempo, vem apresentando uma contínua diversificação nas formas de ocupação do seu
espaço físico pela ação do homem. O sensoriamento remoto representa hoje um dos principais
e mais modernos instrumentos para garantir um conhecimento circunstanciado do uso das
terras, de sua dinâmica espaço-temporal e de seus impactos ambientais (RÊGO, 2005). Este
estudo teve como objetivo utilizar técnicas de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto na
delimitação e quantificação do uso da terra através de imagens do satélite CBERS-2. Foi
constatado que através de ferramentas do SPRING é perfeitamente possível especializar aérea
de uso e que as imagens CBERS apresentam uma boa resposta visual e espectral para os
objetivos propostos. A quantificação de aérea ficou comprometida devido a problemas
operacionais que não puderam ser desenvolvidos dentro do prazo de conclusão do trabalho.




________________
(1) Concludentes do Curso de Agronomia da UEMA2006
(2) Professora do Departamento Expressões Gráficas UEMA
TITULO: COMPORTAMENTO DE CULTIVARES DE ALFACE (Lactuca sativa L.) DO
GRUPO AMERICANA NAS CONDIÇÕES DE INVERNO SÃO LUÍS, MA.

AUTOR: TATIANA PINTO RIBEIRO TRIVÃO¹

ORIENTADOR: FRANCISCO NÓBREGA DOS SANTOS²



RESUMO: Avaliou-se cultivares de alface do grupo americana transplantada para o campo
em junho de 2005, no município de São Luís, Maranhão. O experimento envolveu quatro
cultivares – Grandes lagos americana, Irene, Lady e Rafaela, no delineamento de blocos ao
acaso com cinco repetições. Foram avaliadas, por ocasião da colheita, a altura de plantas
(cm), circunferência de cabeça (cm), número de folha por plantas e as produções de massa
fresca (g planta-¹) e seca (g planta-¹) total da parte aérea. A altura de plantas oscilou de 9,59
cm a 11,77 cm, envolvendo as cultivares Lady e Grandes lagos americana, respectivamente. A
cultivar Grandes lago americana apresentou uma conferência de cabeça de ordem de 59,80
cm, enquanto que a cultiva Irene alcançou 37,93 cm. A produção de massa fresca da parte
aérea das cultivares avaliadas variou de 33,66 g planta-¹ a 64,40 g plantas-¹, expressando
desempenho não satisfatório quanto a produtividade e aspecto comercial do produto colhido:
As condições de temperaturas elevadas, aliada à época de estação chuvosa durante a condução
do trabalho concorreram para a obtenção dos resultados.




_______________
(1) Concludentes do Curso de Agronomia UEMA 2006
(2) Professor do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade UEMA
TITULO: AVALIAÇÃO DE MUDAS DE COUVE (brassica oleracea var. acephala)
PRODUZIDAS EM RECIPIENTES E SEMENTEIRAS NO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍOS –
MA

AUTOR: RAFAEL MARIA FERRO SOUSA JÚNIOR¹

ORIENTADOR: FRANCISCO NÓBREGA DO SANTOS²



RESUMO: O presente trabalho teve como objetivo avaliar a produção de mudas de couve
nos sistema de sementeira e recipientes nas condições de cultivo em São Luís. Os recipientes
utilizados foram: bandeja de 128 células, bandeja de 200 células, copo plástico de 100 ml,
copo plástico de 150 ml e sementeira de 2 m. Na avaliação dos caracteres biométricos, foram
avaliados a altura de plantas, número de folhas, e peso da matéria fresca da parte aérea, aos
20, 25 e 30 dias apos a semeadura. As mudas produzidas no sistema de sementeira
apresentaram, nas diferentes épocas avaliadas, superioridade em relação aos demais sistemas.
As limitações impostas pelos recipientes, quanto ao espaço físico, concorrem para os
resultados encontrados nos sistema de produção em recipientes. Recomenda-se o sistema de
produção de mudas em sementeiras ao olericultor que não atende de forma eficiente as
exigências da planta desenvolvidas em recipientes.




______________
(1) Concludentes do Curso de Agronomia UEMA 2006
(2) Professor do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade UEMA
TITULO: ESTUDO DE CASO SOBRE AS RELAÇÕES DE GENERO: POVOADO DE
CAJAZAL NO MUNICÍPIO DE ROSÁRIO-MA

AUTOR: LÍVIA CAROLINE PRASERES DE ALMEIDA¹

ORIENTADOR: ANA MARIA AQUINO DOS ANJOS²



RESUMO: Desde o principio as mulheres são as responsáveis pelas atividades essenciais
pela agricultura, recriação e transmissão de aspectos culturais. As diferenças no meio rural são
mais graves onde a inclusão social é menor, as atividades realizadas pelas mulheres não são
valorizadas como trabalho, sendo caracterizadas na grande maioria dos casos apenas no
domínio reprodutivo, não se enquadrando na esfera produtiva. Assim este trabalho se propôs a
avaliar o papel da mulher como lavradora desenvolvendo atividades na roça (produtiva) e em
caso (reprodutiva). Onde os resultados mostraram que o trabalho feminino esta presente em
todas as atividades desenvolvidas pela família. Com baixa participação na comercialização
mostrando uma baixa valorização do seu trabalho.




_______________
(1) Concludentes do Curso de Agronomia da UEMA 2006
(2) Professora do Departamento de Economia Rural UEMA
TITULO: LEVANTAMENTO DE INDENTIFICAÇÃO DE CUPINS (INSECTA:
ISOPTERA) EM SÃO LUÍS, MARANHÃO.

AUTOR: DANNIELE SILVA DA PAZ¹

ORIENTADORA: RAIMUNDA NONATA SANTOS DE LEMOS²



RESUMO: No Brasil pouco se conhece sobre as espécies de cupins prejudiciais em árias
urbanas. Esta pesquisa foi realizada com objetivo de fazer uma ocorrência e identificação de
cupins em imóveis e árvores de São Luís. As coletas foram realizadas em cinco bairros:
Centro Histórico, Cohab, Coroadinho, Tirirical (Campus da UEMA) e Bacanga (Campus da
UFMA). Em cada bairros foram sorteados aleatoriamente cinco quadras e em cada uma delas
foi feita visita para coleta de cupim em cinco casas, escolhidas de maneira aleatória. Quando
na impossibilidade de realizar a inspeção no imóvel escolhido, o próximo à direita foi
visitado. Caso nesse também fosse impossibilitada a visita o próximo à esquerda do imóvel
preferencial foi escolhido para substituição. Nos campi da UEMA e UFMA, as coletas foram
feitas aleatoriamente de acordo com a presença de cupins em árvores e prédios. Os cupins
coletados foram acondicionados em fracos de vidro e conservados em álcool 70%. A taxa de
ocorrência das espécies foi analisada através do índice de freqüência e verificou-se a relação
entre a presença de cupins e a idade dos imóveis. As espécies identificadas foram
Nasutitermes corniger, Heterotermes tenuis, Coptotermes cf. tetaceus e Heterotermes tenuis;
a espécie de maior ocorrência nos imóveis visitados foi Nasutitermes corniger e o número de
focos de cupim tende a aumentar com a idade do imóvel.




_______________
(1) Concludentes do Curso de Agronomia da UEMA 2006
(2) Professora do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade UEMA
TITULO: MONITORAMENTO DE INSETOS DA ORDEM HYMENOPTERA
POLINIZADORES E NÃO POLINIZADORES DE DUAS ESPÉCIES DE
MARACUZAJEIRO (Passiflora.) EM SÃO LUÍS-MA

AUTOR: LEANDRA MATOS BARROZO¹

ORIENTADOR: MOISÉS RODRIGUES MARTINS²



RESUMO: Para que ocorra a produção de frutos no maracujazeiro, é preciso haver
polinização cruzada, que é altamente favorecida com a ajuda do inseto Xylocopa spp.
Principal polinizador da espécie. A Apis mellifera L. tida como espécie benéfica, por ser
polinizador de uma grande quantidade de plantas é considerada ineficiente para a cultura do
maracujazeiro. Este inseto é responsável pela retirada do pólen das flores antes da chegada da
Xylocopa spp.. Além desses insetos, muitos outros Hymenoptera visitam a cultura. Com o
objetivo de identificar esses insetos foi feito em um pomar de maracujazeiro localizado na
Fazenda Escola em São Luís pertencente ao Centro de Ciências Agrárias da Universidade
Estadual do Maranhão. Foram utilizadas duas espécies de maracujazeiro, Passiflora
cinccinata Mast. e Passiflora laurifólia L.. Os insetos foram colocados com rede
entomológica e com armadilhas do tipo frasco-caça-mosca. As observações mostram que há
um grande número de Hymenoptera que visitam as duas espécies. Verificou-se maior
presença de Xylocopa frontalis nas flores de duas espécies, sendo na maioria do sexo
femenino. O horário de visita deste hymenoptero as plantas de maracujazeiro foi pequenos
nas primeiras horas da manhã, inferior ao da Apis. No período da tarde a presenças destes
insetos foi inferior ao período da manhã. A maior quantidade de insetos coletados nas duas
espécies foi de formigas, abelhas e vespas respectivamente. A maior preferência dos
hymenopteros foi pela espécie passiflora cinncinata, indicando possuir um maior atrativo.




_______________
(1) Concludentes do Curso de Agronomia UEMA 2006
(2) Professor do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade UEMA
TITULO: EEITOS DE INCETICIDAS QUÍMICOS E NATURAIS NO CONTROLE DE
VERRUGA-DAS-FOLHAS (Stenodiplosis sp.) EM PORTA-ENXERTOS DE CAJOEIRO
ANÃO-PRECOCE (Anacardium occidentale L.)

AUTOR: JANAÍNA MARQUES MONDENGO¹

ORIENTADOR: JOSÉ RIBAMAR GUSMÃO ARAÚJO²



RESUMO: Este trabalho foi conduzido na Fazenda Escola da Universidade Estadual do
maranhão, São Luís – MA e teve por objetivo avaliar a eficiência de substâncias inseticidas
no controle das verruga-das-folhas, que afetam mudas de porta-enxerto de cajueiro anão-
precoce no Estado do Maranhão. O delineamento experimental foi em blocos casualizados,
com 8 tratamentos, 4 repetições e 7 plantas por parcela. O clone de cajueiro utilizado foi o
CCP06, muito utilizado como porta enxerto no Nordeste. Foram realizadas duas pulverização,
sendo a primeira, 10 dias após ter completado o stand de germinação, e segunda pulverização
a intervalo de 15 dias, utilizando-se os seguintes tratamentos: Citronela (1%), Citronela (2%),
Nim ( 1 %), Nim (2%), Imidocloprid (0,06%), Abamectin (0,06%), Trichlorfon (0,6%) e
Testemunha. As avaliações foram realizadas ao cinco e dez dias após a aplicação,
observando-se o número de plantas e folhas com sintomas de ataque da praga, números de
galhas por folha e número de cecidias mortas presente nas galhas. Em cada coleta foram
sorteadas 4 plantas por parcelas da qual foram retiradas 2 folhas da região apical de cada
planta, totalizando 8 folhas por parcelas. No geral observou-se que em todas as avaliações
realizadas, houve uma diferença significativa entre a testemunha e os produtos utilizados
somente aos dez dias após a pulverização dos tratamentos. Nas condições experimentais, a
praga apresentou elevada especificidade com a cultura, alcançando a taxa de 96,4% de
infestação das plantas. Os resultados obtidos mostram que o imidocloprid apresentou bom
nível de controle da Stenodiplosis sp. em porta-enxerto de Cajueiro anão-precoce. Entre os
tratamentos naturais utilizados o óleo de Nim (2%) mostrou-se mais eficiente podendo ser
utilizado com tratamento alternativo da Stenodiplosis sp.




________________
(1) Concludente do Curso de Agronomia UEMA 2006
(2) Professor do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade UEMA
TITULO: INFLUÊNCIA DE TIPOS DE PODA NA INTENCIDADE DE BROTAÇÃO E
FLORECIMENTO DA GOIABEIRA (Psidium guajava l.), CV PALUMA

AUTOR: ELLEN MARCOS QUEIRÓS¹

ORIENTADOR: JOSÉ RIBAMAR GUSMÃO ARAÚJO²



RESUMO: O presente trabalho teve objetivo de avaliar a influência exercida pela poda de
diferente comprimento e diâmetro na intensidade de florescimento e frutificação da goiabeira
da cultiva Paluma. O experimento foi conduzido num pomar comercial localizado na Vila
Maranhão, distrito Maracanã, na Ilha de São Luís – MA. O delineamento experimental foi em
blocos ao acaso com 8 tratamentos e 5 repetições, e duas plantas úteis por parcela. A poda de
frutificação foi efetuada em dezembro de 2005, 3 meses após a poda drástica. Foram
coletadas as seguintes variáveis: número total de brotações do ramo podado, comprimento dos
ramos novos brotados, número total de botões florais, número total de botões axilares
isolados, dicitômicos e tricotômicos do ramo podado. Realizou-se a poda em diferentes
comprimento e diâmetro dos ramos: 5 cm, 10 cm, 20 cm e 30 cm de comprimento e 0,5 cm e
1,0 cm de diâmetro. Decorrido 50 dias da aplicação dos tratamentos, conclui-se que quanto
maior o comprimento do ramo podado, maior foi o número de brotações, comprimento dos
ramos novos e quantidade de botões florais nos ramos brotados respectivamente. O tratamento
que produziu a maior quantidade de botões...




_________________
(1) Concludente do Curso de Agronomia UEMA 2006
(2) Professor do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade UEMA

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:31
posted:3/25/2012
language:Portuguese
pages:28