DEFICI�NCIA F�SICA by fa4a5PJ

VIEWS: 12 PAGES: 28

									DEFICIÊNCIA FÍSICA
 DEFICIÊNCIA FÍSICA

A DEFICIÊNCIA FÍSICA REFERE-
SE AO COMPROMETIMENTO DO
APARELHO LOCOMOTOR QUE
COMPREENDE O SISTEMA ÓSTEO-
ARTICULAR, O SISTEMA
MUSCULAR E O SISTEMA
NERVOSO.
AS DOENÇAS OU LESÕES QUE
AFETAM QUAISQUER DESSES
SISTEMAS, ISOLADAMENTE OU
EM CONJUNTO, PODEM PRODUZIR
QUADROS DE LIMITAÇÕES
FÍSICAS DE GRAU E GRAVIDADE
VARIÁVEIS, SEGUNDO O(S)
SEGMENTO(S) AFETADOS E O
TIPO DE LESÃO OCORRIDA.
                TIPOS

LESÃO CEREBRAL (PARALISIA CEREBRAL, HEMIPLEGIAS)
ESPINHA BÍFIDA OU MIELOMENINGOCELE
DISTROFIA MUSCULAR PROGRESSIVA
LESÃO MEDULAR (TETRAPLEGIAS, PARAPLEGIAS)
MIOPATIAS ( DISTROFIAS MUSCULARES)
PATOLOGIAS DEGENERATIVAS DO SISTEMA NERVOSO
CENTRAL ( ESCLEROSE MÚLTIPLA)
AMPUTAÇÕES
MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS
DISTÚRBIOS POSTURAIS DE COLUNA
DISTÚRBIOS DOLOROSOS DA COLUNA VERTEBRAL E
DAS ARTICULAÇÕES DOS MEMBROS
LESÕES POR ESFORÇOS REPETITIVOS (L.E.R.)
SEQÜELAS DE QUEIMADURAS
CAUSAS
 PARALISIA CEREBRAL

PREMATURIDADE
ANÓXIA PERINATAL
DESNUTRIÇÃO MATERNA
RUBÉOLA
TOXOPLASMOSE
TRAUMA DE PARTO
SUBNUTRIÇÃO
 ESPINHA BÍFIDA OU
 MIELOMENINGOCELE
GENÉTICAS
AMBIENTAIS
CROMOSSÔMICAS
IDADE AVANÇADA DA MÃE OU DO
PAI
DEFICIÊNCIA NA FAMÍLIA
DISTROFIA MUSCULAR
    PROGRESSIVA


DOENÇA CONGÊNITA E
HEREDITÁRIA
     HEMIPEGLIAS


ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL
ANEURISMA CEREBRAL
TUMOR CEREBRAL
   LESÃO MEDULAR

FERIMENTO POR ARMA DE FOGO
FERIMENTO POR ARMA BRANCA
ACIDENTES DE TRÂNSITO
MERGULHO EM ÁGUAS RASAS
QUEDAS
PROCESSOS INFECCIOSOS
PROCESSOS DEGENARATIVOS
    AMPUTAÇÕES


CAUSAS VASCULARES
TRAUMAS
MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS
CAUSAS METABÓLICAS
   MALFORMAÇÕES
    CONGÊNITAS


EXPOSIÇÃO À RADIAÇÃO
USO DE DROGAS
CAUSAS DESCONHECIDAS
COMO IDENTIFICAR
OBSERVAÇÃO QUANTO AO ATRASO NO
DESENVOLVIMENTO NEUROPSICOMOTOR DO
BEBÊ
ATENÇÃO PARA A PERDA OU ALTERAÇÕES DOS
MOVIMENTOS, DA FORÇA MUSCULAR OU DA
SENSIBILIDADE PARA MEMBROS SUPERIORES
E INFERIORES
IDENTIFICAÇÃO DE ERROS INATOS DO
METABOLISMO
IDENTIFICAÇÃO DE DOENÇAS INFECTO-
CONATGIOSAS E CRÔNICO-DEGENERATIVAS
CONTROLE DE GESTAÇÃO DE ALTO RISCO
A IDENTIFICAÇÃO PRECOCE NA
FAMÍLIA SEGUIDA DE EXAME
CLÍNICO ESPECIALIZADO
FAVORECEM O AGRAVAMENTO DO
QUADRO DE INCAPACIDADE.
   ADAPTAÇÕES


MATERIAL UTILIZADO EM
    SALA DE AULA
        ADAPTAÇÕES


UTILIZAR CADERNOS GRANDES COM PAUTAS LARGAS
FIXAR A FOLHA OU CADERNO NA CARTEIRA USANDO
FITA ADESIVA
DEPENDENDO DA ATIVIDADE UTILIZAR FOLHAS
GRANDES E SEM PAUTA
PODE SER UTILIZADO SUPORTE PARA APOIAR LIVROS
LETRAS AMPLIADAS DO ALFABETO MÓVEL
PARA O ALUNO COM DIFICULDADE DE PREENSÃO,
ENGROSSAR O LÁPIS COM ESPUMA, MADEIRA OU
DUREPOX
             ADAPTAÇÕES

NO CASO DAS CRIANÇAS COM MOVIMENTAÇÃO INVOLUNTÁRIA, É
IMPORTANTE QUE ELA SE SENTE NO MEIO DA SALA, EM FRENTE AO QUADRO
CRIANÇAS COM MAIOR DIFICULDADE DE ATENÇÃO DEVEM SER SENTADAS
MAIS À FRENTE, PRÓXIMAS AO QUADRO
VERIFICAR A INTERFERÊNCIA DE ESTÍMULOS NA SALA DE AULA QUE POSSAM
DESVIAR A ATENÇÃO DO ALUNO
VERIFICAR A ILUMINAÇÃO DA SALA DE AULA E A PRESENÇA DE REFLEXO DA
LUZ NO QUADRO
VERIFICAR A COR DO QUADRO, BEM COMO A COR DO GIZ UTILIZADO PARA
MELHOR VISUALIZAÇÃO DO QUE É ESCRITO
O POSICIONAMENTO DO PROFESSOR FRENTE AO ALUNO DEVERÁ FAVORECER O
CONTATO “OLHO A OLHO”.
NAS CRIANÇAS COM PC, DEIXAR O MELHOR AMIGO DO LADO COMPROMETIDO,
COMO TAMBÉM OS MATERIAIS, VISANDO QUE A CRIANÇA FAÇA
TRANSFERÊNCIA DE PESO PARA AQUELE LADO, BEM COMO ESTIMULAR O USO
DE AMBAS AS MÃOS.
ADAPTAÇÕES



ESPAÇO FÍSICO
         ADAPTAÇÕES

TELEFONE PÚBLICO SEMPRE NA ALTURA DO
CADEIRANTE
COLOCAR RAMPAS COM CORRIMÃO NAS LATERAIS
COLOCAR CORRIMÃO NAS PAREDES, CORREDORES E EM
FRENTE AO QUADRO
NOS BANHEIROS, AS PORTAS DEVEM SER SEMPRE
LARGAS PARA O CADEIRANTE TER ACESSO
DENTRO DOS BANHEIROS, TER BARRAS DE APOIO NAS
PAREDES AO LADO DO VASO SANITÁRIO. PIAS E
BEBEDOUROS NA ALTURA QUE O CADEIRANTE POSSA
UTILIZAR.
POSTURA DO ALUN O
            POSTURA

SE O MESMO NÃO TEM CONTROLE DE TRONCO ,
DEVERÁ USAR, NA ALTURA DO PEITO, UMA FAIXA DE
SEGURANÇA
CADEIRA COM BRAÇOS PARA O ALUNO DEFICIENTE
FÍSICO DEIXA-O MAIS SEGURO
ADAPTAR A CARTEIRA ESCOLAR PARA OS ALUNOS
CADEIRANTES QUE NÃO PUDEREM FAZER A
TRANSFERÊNCIA PARA UMA CADEIRA COMUM
APOIO PARA OS PÉS NÃO FICAREM SUSPENSOS
EVITE SUPERPROTEGER O ALUNO DEFICIENTE FÍSICO
TRABALHO PEDAGÓGICO

RUPTURA DE PARADIGMAS
REVISAR CONCEITOS
DERRUBAR PRECONCEITOS
ADAPTAR OU INOVAR ESTRATÉGIAS
ENVOLVIMENTO PROFISSIONAL
ESTUDO CONSTANTE
ANÁLISE E REFLEXÃO CONTÍNUAS SOBRE A
PRÁTICA
PREDISPOSIÇÃO PARA ENXERGAR O
INDÍVIDUO REAL
“O NOSSO TRABALHO É REALIZADO COM GENTE,
  MIÚDA, JOVEM OU ADULTA, MAS GENTE EM
     PERMANENTE PROCESSO DE BUSCA”
                        PAULO FREIRE

								
To top