O alcoolismo � geralmente definido como o consumo consistente e

Document Sample
O alcoolismo � geralmente definido como o consumo consistente e Powered By Docstoc
					                               Carta sobre o alcoolismo



Eu sou a tua neta Eliane está escrevendo esta carta para te aconselhar sobre os males
provocados pelo excesso de álcool.

O alcoolismo em excesso de álcool provoca os seguintes efeitos sobre o organismo
humano:

Acção sobre o tubo digestivo e estômago: as mucosas do tubo digestivo e estômago
ficam em contacto directo com o álcool, Acção sobre o sistema nervoso central: o álcool
perturba o funcionamento normal do sistema nervoso central.

O álcool pode trazer muitos problemas a tua família como acidentes, desemprego,
brigas na família etc.

Por ser tua neta e sabendo de todos esses males e problemas que o álcool pode causar
serios risco estou te escrevendo esta carta para aconselha-te a largar este vicio anda
tempo de procurar ajuda nos centro de Saúde e hospitais.

Terminando esta carta espero que consigas largar este vicio.

                     Um abraço da sua neta querida

                              Eliane



O alcoolismo é geralmente definido como o consumo consistente e excessivo e/ou
preocupação com bebidas alcoólicas ao ponto que este comportamento interfira com a
vida pessoal, familiar, social ou profissional da pessoa. O alcoolismo pode
potencialmente resultar em condições (doenças) psicológicas e fisiológicas, assim
como, por fim, na morte. O alcoolismo é um dos problemas mundiais de uso de drogas
que mais traz custos. Com exceção do tabagismo, o alcoolismo é mais custoso para os
países do que todos os problemas de consumo de droga combinados.

Apesar do abuso do álcool ser um pré-requisito para o que é definido como alcoolismo,
o mecanismo biológico do alcoolismo ainda é incerto. Para a maioria das pessoas, o
consumo de álcool gera pouco ou nenhum risco de se tornar um vício. Outros fatores
geralmente contribuem para que o uso de álcool se torne em alcoolismo. Esses fatores
podem incluir o ambiente social em que a pessoa vive, a saúde emocional e a
predisposição genética.


O consumo excessivo e prolongado do álcool provoca os seguintes efeitos sobre o
organismo humano:

- com o álcool. Este contacto, sobretudo se exagerado e frequente, provoca irritação da
Acção sobre o tubo digestivo e estômago: as mucosas do tubo digestivo e estômago
ficam em contacto directo mucosa gástrica complexo e depende do estado do paciente

Alcoolismo

, que pode degenerar em inflamação e ulceração, devido ao álcool provocar aumento de
secreção gástrica e pancreática. O álcool ingerido em concentrações elevadas
diminue as secreções, ou inibe a transformação fica dos alimentos. Acção sobre o
fígado: o fígado

- . directo com o álcool, visto que é neste órgão que começa a sua transformação. A
acção nociva do álcool produz a "cirrose alcoólica" no decurso da qual as células do
fígado vão desaparecendo progressivamente para serem substituídas por tecido
escleroso.

-Acção sobre o sistema nervoso central: o álcool perturba o funcionamento normal do
sistema nervoso central. A sua acção é a de um anestésico. Esta depressão gradual das
actividades nervosas, devida ao álcool, atinge os centros nervosos pela ordem inversa da
sua evolução, quer dizer, começando pelos centros que comandam a capacidade de
ajuizar, a atenção, a autocrítica, o autodomínio, a locumoção, para terminar naqueles de
que depende a vida orgânica. Num primeiro estado, o indivíduo, após ter bebido
alguns ml de álcool, parece ter comportamento normal, mas observado atentamente,
apresenta reflexos cuja rapidez e precisão estão um pouco diminuídos. A alteração dos
centros inibidores aparece num segundo estado. O indivíduo experimenta uma sensação
de bem-estar, de euforia, de excitação, por vezes com uma quebra variável do controle
que normalmente exerce sobre as suas palavras, sobre a sua coordenação muscular e
locomotora e sobre as suas emoções. Num terceiro estado acentuam-se estes sintomas,
havendo uma imprecisão dos movimentos, descontrole nas frases que diz, no andar, na
audição e na visão. Num quarto estado, uma intoxicação mais profunda do sistema
nervoso segue-se à embriaguez, após um período em que se agravam os seguintes
sintomas: alucinação, excitação motora desordenada, perda da sensibilidade e da
consciência. Sobrevem um sono com perturbações da respiração e da circulação,
seguida de coma alcoólico que pode ser mortal. As quantidades de álcool que podem
provocar estes estados sucessivos variam de indivíduo para indivíduo.
                                                                                  _Topo
O alcoolismo é uma doença
Porque é que o alcoolismo é uma doença física? O alcoólico sofre de uma péssima
alimentação e má nutrição; deficiência em vitaminas, dispepsia, hepatopatia,
desidratação. Apresenta além disso sintomas nervosos diversos; tremuras, cefaleias,
alteração da memória.

Porque é que o alcoolismo é uma doença psíquica?

      Porque o alcoólico tem necessidade de álcool para aceitar a realidade;
      Porque tem tendência a fugir às responsabilidades;
      Sofre de angústia, é agressivo, resiste mal às frustrações e às tensões;
      Porque nele o nível de consciência, enquanto racionalidade tende a baixar,
       levando-o a uma conduta impulsiva.

Porque é que o alcoolismo é uma doença social? É o aspecto mais aparente do
alcoolismo:

      Negligência perante a família;
      Divórcios numerosos entre os alcoólicos;
      Frequentes perdas de emprego;
      Perdas dos velhos amigos que continuem sóbrios;
      Problemas financeiros... recurso às organizações sociais;
      Agressividade perante a sociedade;
      Dificuldade em colaborar numa obra comum.

Porque é que o alcoolismo é uma doença moral?

      Porque o alcoólico esquece normalmente a sua vida espiritual;
      Porque não respeita as suas obrigações perante a família, os colegas de trabalho,
       a sociedade;
      Porque perde todo o senso moral.

				
DOCUMENT INFO
Shared By:
Categories:
Tags:
Stats:
views:13
posted:3/7/2012
language:Portuguese
pages:3